Rol da ANS tem 17 novos exames de laboratório

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rol da ANS tem 17 novos exames de laboratório"

Transcrição

1 Editorial inclui o jornal Nossa edição de fevereiro trás como matéria principal algo que nos afeta a todos, seja como prestadores de serviço ou usuários de planos de saúde. Trata-se da relação de exames que passarão a ter cobertura obrigatória, ou seja, exames cuja realização não poderá ser recusada pelas operadoras para seus beneficiários que possuem contratos assinados a partir de 2 de janeiro de 1999, ou para aqueles que aderiram voluntariamente às novas regras do setor de saúde suplementar, segundo determinação da Lei 9.656/98. A reportagem nos contempla também com uma radiografia do setor de saúde suplementar e uma explicação sobre o significado das novas siglas em voga no relacionamento entre prestadores de serviço (laboratórios) e operadoras. Não esqueça de dar uma olhada em nossos classificados, você pode se deparar com algo ou algum serviço de seu interesse. Caso queira anunciar é só entrar na página dos Classificados no site da SBPC/ML (www.sbpc.org.br/classificados). A publicação é gratuita. Forte abraço a todos e até o próximo número. Armando Fonseca Editor-chefe Órgão Informativo da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial fevereiro edição 9 - ano 1 Rol da ANS tem 17 novos exames de laboratório Inclusões valem a partir do dia 7 de junho de Rol determina os procedimentos que t ê m c o b e r t u r a mínima obrigatória pelos planos de saúde. Página 2. Associado da SBPC/ML pode ter inscrição gratuita no congresso Vantagem é oferecida ao associado pessoa física. Site do 44º Congresso da SBPC/ML mostra a programação científica preliminar. Evento será de 14 a 17 de setembro, no Rio de Janeiro. Página 5. Estudo neutraliza reprodução do HCV Pesquisadores nos Estados Unidos sintetizam proteína importante para o processo de replicação do vírus da hepatite C. Página 12. Correção anual da tabela do SUS Projeto de lei na Câmara dos Deputados propõe que o Sistema Único de Saúde reajuste anualmente a remuneração dos prestadores de serviço. Página 20.

2 2 reportagem Novo rol de procedimentos da ANS inclui 17 exames de laboratório Rol determina os procedimentos que têm cobertura mínima obrigatória pelos planos de saúde tantes da Câmara de Saúde Suplementar (CSS), de setores da Agência e entidades conveniadas. Ainda em 2009, a ANS abriu consulta pública entre 8 de setembro e 30 de outubro. Foram recebidas mais de 8 mil sugestões, das quais, segundo a Agência, 50% enviadas por consumidores (gráfico abaixo), seguidos dos prestadores de serviço (28%) e operadoras de planos de saúde (13%). Mais da metade das sugestões referia-se a No dia 7 de junho entra em vigor o novo Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), como determina a Resolução Normativa (RN) 211, publicada no Diário Oficial da União de 12 de janeiro deste ano. Ao todo, foram incluídos 70 procedimentos médicos-odontológicos que têm cobertura obrigatória pelos planos de saúde para os cerca de 44 milhões de beneficiários que assinaram contrato após 2º de janeiro de A área laboratorial passa a oferecer 17 novos exames (leia no quadro da página 4). inclusão de procedimentos. As demais tratavam de inclusão, exclusão e alteração de diretrizes de utilização, de artigos da RN e de nomenclatura ou segmentação de procedimentos. De acordo com a Agência, muitas sugestões não foram incluídas porque referiam-se a procedimentos com insuficientes evidências de eficácia Se a operadora oferecer menos que o rol, será multada pela ANS a partir de uma denúncia do consumidor, avisa a gerente-geral Técnico- Assistencial de Produtos da Agência, Martha Oliveira. Segundo a ANS, para revisar o rol foi constituído no ano passado um grupo técnico com represen-

3 reportagem 3 / efetividade / segurança e/ou com rede presta- função de cada uma dessas tabelas. O rol não dora insuficiente e/ou sem estudos de custo- contém preços. Ele apresenta a relação de todos efetividade e/ou sem comprovação de superiori- os procedimentos que os planos de saúde devem dade em relação à tecnologia já constante do rol oferecer cobertura obrigatória aos beneficiários e/ou sem relevância clínica. que assinaram contrato a partir de 2 de janeiro de 1999, ou migraram ou adaptaram seus contra- O Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da tos segundo o que determina a Lei 9.656/98, que ANS foi estabelecido em 1998 pela Resolução nº regulamentou o setor de saúde suplementar. 10 do Conselho de Saúde Suplementar. Houve uma primeira revisão em 2000, seguida de outra A CBHPM (Classificação Brasileira Hierarquizada no ano seguinte. Em 2004 foi atualizado nova- de Procedimentos Médicos) foi preparada pela mente e vigorou até abril de 2008, Associação Médica Brasileira, quando entrou em vigor a versão Conselho Federal de Medicina e que será substituída em junho de O rol da ANS Federação Nacional dos Médicos, A RN 211 estabelece que as com apoio das sociedades de revisões do rol de procedimentos especialidade, para estabelecer sejam feitas, no mínimo, a cada padrões de remuneração de dois anos. procedimentos médicos, inclusive consultas e exames. A TUSS (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) foi criada para unificar a nomenclatura de procedimentos usada por presta- dores de serviço e operadoras, servir de padrão para o pagamen- to de serviços e melhorar a comu- nicação entre os participantes do setor de saúde suplementar. Segundo o diretor de Normas e Habilitação de Operadoras da ANS, Alfredo Cardoso, a atualização periódica garante aos usuários de planos de saúde a cobertura obrigatória a novos procedimentos e tecnologias já incorporadas à prática médica e/ou odontológica. Ele acrescenta que os custos dos procedimentos incluídos na nova versão do rol não serão repassados ao reajuste autorizado a partir de maio deste ano para os planos individuais. Rol x CBHPM x TUSS Ainda existe alguma confusão quando se fala em rol de procedimentos, CBHPM e TUSS e qual a não contém preços porque não é uma tabela de pagamentos O conteúdo das três tabelas não é igual porque alguns procedimentos não são cobertos pelo planos de saúde ou porque no rol eles aparecem descritos sob uma única nomenclatura, mas na CBHPM e na TUSS estão desmembrados por questões exclusivamente de remuneração. Dados da saúde suplementar no Brasil (Fonte: Caderno de Informação da Saúde Suplementar/ANS - dezembro/2009) Total de beneficiários de planos de saúde (médicos e/ou odontológicos): Beneficiários de planos de assistência médica: Beneficiários de planos exclusivamente odontológicos: Beneficiários de planos contratados a partir de 2 de janeiro de 1999: Operadoras de planos de saúde em atividade e com beneficiários:

4 4 reportagem Exames laboratoriais incluídos no rol de procedimentos (Fonte: ANS) Procedimentos laboratoriais excluídos do rol (Fonte: ANS)

5 notícias 5 Associado pode ter inscrição grátis no 44º Congresso da SBPC/ML Os associados da SBPC/ML (pessoa física) que quitarem integralmente a anuidade de 2010 (1º e 2º semestres) terão inscrição gratuita no 44º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial, que será de 14 a 17 de setembro de 2010, na cidade do Rio de Janeiro. Este benefício também vale para os novos associados da SBPC/ML, desde que façam a opção de pagar a anuidade integral. Em breve, os associados receberão o boleto de pagamento com a possibilidade de pagar a anuidade (dois semestres de 2010) ou somente o 1º semestre. Para ter direito à inscrição no 44º Congresso, o pagamento da anuidade deve ser feito até 30 de abril. Com apresentação, acabamento visual e navegação totalmente reformulados, o site do 44º Congresso da SBPC/ML (www.cbpcml.org.br) apresenta a programação científica preliminar - serão atendidas 15 áreas de conhecimento -, informações sobre o local do evento - o Centro de Convenções SulAmérica -, a Manual de coleta de sangue atravessa fronteiras A publicação Recomendações da SBPC/ML para a Comissão de Coleta de coleta de sangue venoso vai ganhar edições para Sangue Venoso da SBPC/ML. outros idiomas. Estão em fase final as versões em A procura por outros países inglês e espanhol. Está prevista a tradução também justifica-se porque o para russo. manual pode ser considera- Lançada no 43º Congresso da SBPC/ML, em 2009, a do uma publicação inédita publicação destina-se a profissionais de nível já que não existe outro técnico e nível superior de laboratórios clínicos e semelhante no mundo. estudantes da área de Saúde. Na segunda edição, a Com mais de 100 páginas, o manual apresenta as SBPC/ML recebeu o apoio causas que influenciam o resultado dos exames d o L a t i n A m e r i c a n laboratoriais - que ocorrem na fase pré-analítica -, Preanalytical Scientific mostra como devem ser as instalações do local de C o m m i t t e e ( L A S C ), coleta, explica o que é a fase pré-analítica para composto por especialistas exames de sangue, descreve as técnicas de coleta de internacionais em assuntos relacionados às questões sangue e os aspectos referentes à garantia da referentes à fase pré-analítica do processo laboratoqualidade e segurança durante a coleta. rial. "Este documento visa à educação continuada e atende a missão da SBPC/ML de difundir o conhecimento. Ele aborda conceitos que têm como base diretrizes nacionais e internacionais", diz o diretor Científico da SBPC/ML, Nairo Sumita, que preside a cidade-sede e outras notícias. O tema principal do congresso é Medicina Laboratorial - Da concepção à terceira idade. Em breve, serão divulgadas as instruções para inscrever resumos de Tema Livre, o conteúdo dos cursos précongresso, as conferências magnas e as atividades sociais. Para saber mais sobre o 44º Congresso da SBPC/ML entre em As Recomendações da SBPC/ML para a coleta de sangue venoso estão disponíveis para consulta, download e impressão gratuitas na Biblioteca Digital SBPC/ML (www.bibliotecasbpc.org.br).

6 6 notícias Biblioteca Digital tem conteúdo gratuito para associados SBPC/ML Vídeos e slides de apresentações do 42º e do 43º Congressos da SBPC/ML, da 2ª Jornada Norte- Riograndense e da 3ª Jornada Mato-grossense de Patologia Clínica, cursos a distância gravados e outras informações. Isso é parte do conteúdo que o associado SBPC/ML tem acesso exclusivo e gratuito na Biblioteca Digital (www.bibliotecasbpc.org.br). Quem não é associado também pode consultar parte do conteúdo. Há documentos, normas e informações sobre legislação da Anvisa, ANS, Ministérios da Saúde e do Trabalho e Associação Médica Brasileira. Os interessados no Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC), da SBPC/ML, encontram as versões atuais da Norma PALC, a Lista de Verificação em Diagnóstico Molecular e o Regulamento do Laboratório. Quem é associado da SBPC/ML e ainda não consultou a Biblioteca Digital deve cadastrar um e uma senha na primeira vez que o fizer. A partir daí, terá acesso livre ao conteúdo exclusivo para associados. O endereço da Biblioteca Digital SBPC/ML é Informações sobre 2 mil testes laboratoriais Uma importante ferramenta para auxílio no diagnóstico está disponível aos médicos e profissionais brasileiros de laboratório. É o e-thessaurus, que a SBPC/ML traduziu do italiano através de acordo com a Sociedade Italiana de Medicina Laboratorial (SIMel). Ele ajuda a interpretar cerca de 2 mil testes laboratoriais, radiológicos e cardiológicos. Ao pesquisar no campo busca o nome de uma doença ou de um teste são indicadas as referências bibliográficas e, quando existirem, parâmetros como cut-off, sensibilidade e especificidade, razão de chances positiva (Positive Likelihood Ratio ou LR+), razão de chances negativa (Negative Likelihood Ratio ou LR-), razão de verossimilhança diagnóstica (Diagnostic Odds Ratio) e numero necessário para diagnosticar a doença (NDD - Number Needed to Diagnose). Em um nomograma é possível calcular a probabilidade pós-teste em função da probabilidade pré-teste e do LR+ e LR-. Ao entrar na página do e-thessaurus - ele pode ser acessado diretamente do site da SBPC/ML (www.sbpc.org.br) -, digite demo nos dois campos existentes na página login e, depois, na bandeira do Brasil para que as informações sejam apresentadas em português. Agenda da SBPC/ML Em 2010, a SBPC/ML está programando a realização de pelo menos quatro jornadas de patologia clínica/medicina laboratorial. As datas e locais serão confirmadas em breve. Estão previstas em São José dos Campos, Santos (ambas no estado de São Paulo), Fortaleza e Porto Alegre. Este ano também serão realizados mais cursos a distância transmitidos pela Internet diretamente da sede da SBPC/ML, no Rio de Janeiro. Eles começarão em abril e terão um novo formato, com o objetivo de serem mais dinâmicos e práticos. A programação e datas das jornadas e dos cursos a distância será divulgada em breve no site da SBPC/ML (www.sbpc.org.br).

7 notícias 7 A necessidade de previsão de reajuste nos contratos entre médicos e operadoras de plano de saúde (Publicado no Jornal da Associação Médica Brasileira (novembro-dezembro/2009) Roberto Augusto de Carvalho Campos* e Rosmari Aparecida Elias Camargo** Muitos contratos firmados entre que em sendo a bilateralidade um de especificamente no artigo 7º, IV, que médicos e operadoras de planos de seus elementos, ela tornar-se-á prevê "reajustes periódicos" que saúde não contemplam previsão de inexistente a partir do momento em preservem o poder aquisitivo da reajuste dos honorários pagos aos que somente uma das partes se remuneração básica do trabalhador. profissionais prestadores de serviços. beneficia com o negócio jurídico Quando se trata da saúde, estamos O contrato é um ato bilateral de firmado. situados no âmbito do bem jurídico vontades que deve se revestir de Ao propor aos prestadores de serviços mais tutelado pelo ordenamento elementos que garantam o equilíbrio a adesão a um contrato sem previsão legislativo. Sendo a Administração entre as partes signatárias. Para se de reajuste dos valores pagos pelos Pública dotada de um poder-dever revestir da juridicidade que se espera procedimentos médicos, os contratan- que lhe confere prerrogativas, dele, o contrato deve ser vantajoso tes estão desequilibrando a relação, porém, ao mesmo tempo, lhe acarrepara todos os envolvidos, não poden- impondo em desfavor de uma das ta determinados ônus, deve ser do privilegiar uma parte em detri- partes uma onerosidade excessiva que participante ativa de toda e qualquer mento da outra. poderá acarretar a rescisão da avença. discussão cujo escopo final seja Em que pese o fato de prevalecer no Advindo circunstâncias especiais que garantir melhores condições de saúde ordenamento jurídico pátrio a teoria ensejem a revisão do contrato, este para a população. do pacta sunt servanda, que se traduz deve ser adaptado de forma a garantir O artigo 196 da Carta Magna da pela obrigatoriedade do cumprimento a manutenção do equilíbrio econômi- República prevê a saúde como "direito de cláusulas contratuais e leva o Poder co-financeiro da relação ali estabele- de todos e dever do Estado, garantido Judiciário a respeitar a vontade dos cida, o que é previsto pela chamada mediante políticas sociais e econômicontratantes e a prevalência do que foi cláusula rebus sic stantibus. Tal cas que visem a redução do risco de acordado entre eles, desde que não cláusula condiciona o cumprimento do doença e de outros agravos e ao acesso afronte a legislação vigente, algumas contrato a não alteração futuramente universal e igualitário às ações e fronteiras devem ser respeitadas para da situação que vigorava no momento serviços para sua promoção, proteção que o negócio jurídico formalizado não em que o pacto foi firmado, admitindo e recuperação". Uma previsão constise torne viciado. a chamada teoria da imprevisão. tucional dessa natureza alia Poder Uma dessas fronteiras é justamente Face à variação no custo dos serviços Público e sociedade em torno de um aquela prevista no artigo 478 do médicos, invocar a teoria da imprevi- interesse único. Código Civil Brasileiro, que trata da são em um contrato que inicialmente As ações voltadas para definição de excessiva onerosidade em desfavor de não previa cláusula de reajuste é uma remuneração aos médicos uma das partes, com extrema vanta- perfeitamente possível, uma vez que a vinculados a operadoras de saúde em gem para a outra, como causa de ausência de correção dos valores pagos parâmetros dignos e compatíveis com resolução do contrato. pelos serviços prestados torna o a realidade sócio-econômica do nosso Note-se que o artigo em comento faz contrato excessivamente oneroso para país é questão da mais alta relevância referência expressa aos "contratos de o profissional da saúde. e interessa à população em geral, execução continuada ou diferida", Não obstante os aspectos contratuais como beneficiária dos serviços. categoria dentro da qual se enqua- da questão, não permitir a possibilida- Remunerar adequadamente o médico dram os contratos de prestação de de de reajuste periódico dos procedi- que presta serviços para operadoras de serviços firmados entre médicos e mentos médicos implica na violação plano de saúde é um dos requisitos operadoras de planos de saúde. direta ao direito às condições dignas para se estabelecer um serviço de O equilíbrio de condições entre as de trabalho que a Constituição Federal qualidade e dessa forma beneficiar o partes é a essência do contrato, posto garante a todos os trabalhadores, no interesse público e cumprir um dever capítulo que trata dos direitos sociais, constitucional do Estado. *Mestre e doutor em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, professor doutor do Departamento de Direito Penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, assessor jurídico da Associação Médica Brasileira. **Mestre em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, assessora jurídica da Associação Médica Brasileira

8 8 notícias Doenças autoimunes em crianças são tema de pesquisa Um grupo de pesquisadores da O que o projeto tem de novo é que Faculdade de Medicina da estamos investigando as doenças Universidade de São Paulo (FMUSP) autoimunes de modo geral e não vai estudar as bases moleculares e apenas uma delas, justifica. celulares das doenças autoimunes Serão desenvolvidas três linhas em crianças. Uma das motivações principais de pesquisa. A primeira para esse trabalho é a constatação vai investigar a relação entre de que há casos de crianças imunodeficiência e autoimunidade. com esse tipo de doença registrados A segunda vai estudar o timo, órgão somente no Hospital das Clínicas de que, segundo a pesquisadora, tem São Paulo. relação crítica com as doenças S e g u n d o a p r o f e s s o r a d o autoimunes. Os linfócitos que nos Departamento de Pediatria da autoagridem deveriam ser selecio- FMUSP, Magda Carneiro-Sampaio, nados para serem destruídos no que coordena a pesquisa, a autoi- timo. Por isso, muitos cientistas munidade é mais prevalente em consideram que as doenças autoiadultos. Ela acredita que ocorre em munes são, no fundo, defeitos do crianças devido a fatores genéticos. timo, explica. A partir dessa hipótese, resolve- A terceira abordagem será sobre a mos apostar na investigação da genética desse tipo de doença. autoimunidade de início precoce, Foram escolhidos lúpus e hepatite já que temos acesso a uma grande autoimune na criança para realizar população de crianças com esse um estudo genômico. tipo de doença, explica. A pesquisa é desenvolvida em Ela acrescenta que muitos dos casos colaboração com o Instituto do registrados são de crianças com Coração (Incor) e com o Hospital do mais de uma doença autoimune. Coração (Hcor), na capital paulista. Fonte: Agência Fapesp Foto: Andrew Hancock Babak Ziaie, professor da Universidade de Purdue, em Indiana, EUA Papel tem aplicação em instrumentos médicos O ferro-papel foi desenvolvido por uma equipe da Universidade de Purdue (www.purdue.edu), em Indiana, EUA, liderada pelo professor de engenharia elétrica, biomédica e computacional Babak Ziaie. Sobre uma superfície de papel poroso recoberto com óleo mineral são depositadas partículas magnetizadas de ferro medindo cada uma 10 nm (1 nm = 1 milionésimo de mm). O dispositivo responde a variações no campo magnético que reproduzem comandos de um operador. Combine a maleabilidade e espessura de uma folha de Segundo Ziaie, a estrutura de papel resulta em baixo papel com a resistência e as propriedades magnéticas custo de fabricação, garante a segurança para ser do ferro. O resultado é um dispositivo muito compacto, usado no interior do corpo humano e permite moldá-lo fácil de ser moldado e de baixo custo que pode ser facilmente. O pesquisador afirma que o ferro-papel é usado como um micromotor em instrumentos cirúrgi- 100 vezes mais barato que o silicone. cos e em pequenas pinças utilizadas no estudo de células. Fonte: Medtech Pulse

9

10 10 notícias MEC pede socorro ao Bird para hospitais universitários O Ministério da Educação (MEC) vai universidades federais se reuniram com pedir ao Banco Mundial um empréstimo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de US$ 420 milhões para investir na para pedir socorro financeiro aos revitalização dos hospitais universitári- hospitais universitários. As dívidas das os federais. Foi preparado um plano 46 unidades somaram, em 2008, R$ 235 para reestruturar a rede de 46 hospita- milhões. is, que hoje tem 10% dos leitos desativa- Segundo Rebelatto, a verba será dos e precisa contratar 5 mil profissio- aplicada principalmente na reforma dos nais em caráter emergencial. estabelecimentos, que se degradaram Segundo o diretor de hospitais universi- nos últimos 15 anos, e na compra de tários da Secretaria de Ensino Superior novos equipamentos porque muitos são do MEC, José Rubens Rebelatto, a considerados obsoletos. expectativa é que parte do dinheiro Em alguns estados, o único hospital seja liberada este ano e os recursos que funciona 100% pelo SUS e atende as empregados até grandes demandas é o universitário. Conseguir a liberação de um financia- Além disso, ele é que forma os futuros mento do Bird não é uma coisa sim- médicos, dentistas, enfermeiros, diz. ples. Você tem que mostrar desde a Levantamento da Secretaria de Ensino capacidade no gerenciamento de Superior feito em 2008 mostrou que, compras e obras até o impacto ambi- naquele anos, os hospitais universitáriental dos projetos. Mas temos uma os realizaram 1 milhão de atendimentos equipe gerencial trabalhando nisso, emergenciais, 402 mil internações, 6 disse Rebelatto em entrevista à milhões de consultas e 20 milhões de Agência Brasil. procedimentos médicos. Em maio do ano passado, os reitores das Fonte: Agência Brasil Saúde recebe R$ 1 bilhão em investimentos definição de ações estratégicas do BNDES no campo de produção e inova- ção em saúde, fornecerá informações para as políticas e programas do banco direcionadas ao setor e realizará estudos de viabilidade técnico- científicos para produtos inovadores. Um dos principais objetos do convênio é estabelecer parcerias público-privadas, que têm produzido retornos significati- vos em economia de recursos e transferência de tecnologia. A cooperação também permite consoli- dar a pauta estratégica da Fiocruz em infraestrutura tecnológica, que prevê a finalização de centros de pesquisa e desenvolvimento no Rio de Janeiro e ampliar e instalar unidades da Fundação nos estados do Paraná, Ceará, Piauí, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Distrito Federal. Fonte: Agência Saúde Um acordo de R$ 1 bilhão promete dar um novo impulso ao setor produtivo na área de saúde nos próximos cinco anos. A cooperação foi firmada em novembro entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o BNDES. A parceria permitirá o investimento nos setores público e privado em áreas de inovação e de produção. Destina-se principalmente a produção de fármacos, novas vacinas e medicamentos fitoterápicos. Estabelecemos uma aliança estratégica, de alto interesse do Estado e da sociedade brasileira, afirma o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. O complexo industrial da saúde passa a contar, por exemplo, com a mudança no modelo de gestão da Fiocruz para estabelecer parcerias. Ela poderá incubar empresas de base tecnológica em novas biotecnologias com o financiamento de risco do banco. Pelo acordo, a Fundação subsidiará a

11 notícias 11 CRMs receberão R$ 8 milhões para educação e fiscalização O Conselho Federal de Medicina (CFM) vai liberar, ao longo de 2010, R$ 8,1 milhões para os Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) investirem em atividades regionais de fiscalização dos serviços de saúde e em educação médica continuada. Os recursos serão distribuídos igualitariamente entre os 26 estados e o Distrito Federal. Para cada CRM serão destinados R$ 300 mil. Metade estará vinculada ao desenvolvimento de ações de monitoramento das atividades realizadas nos estabelecimentos de saúde públicos e privados. Com essa fiscalização, o CFM espera ajudar no aperfeiçoamento da infraestrutura de trabalho oferecida aos médicos, o que deve melhorar as condições impostas aos profissionais. Os outros 50% deverão ser aplicados no esforço de qualificação do profissional médico, sobretudo dos que moram em regiões distantes. A preocupação do CFM é estabelecer mecanismos que garantam a boa aplicação dos recursos previstos nos orçamentos das entidades em prol da classe médica brasileira. Além do intercâmbio de informa- ções, os responsáveis pela execução dos orçamentos dos conselhos regionais também se aprofundaram em temas de interesse da área, como a tramitação da lei dos conselhos, a atuação dos tribunais de contas e o controle orçamentário. Fonte: Imprensa do CFM ANS suspende cobrança de planos de saúde A ANS (Agência Nacional de Saúde suspensão da cobrança do ressarci- de recursos ao SUS. Em documento, Suplementar) suspendeu entre o mento foi informada recentemente a agência reconhece que "a suspenfim de março e abril do ano passado ao Tribunal de Contas da União são dos processos de ressarcimento a cobrança da quantia que os planos (TCU). ao SUS beneficia, unicamente, as de saúde devem ao sistema públi- O órgão fiscalizador detectou uma operadoras de planos privados de co, sob alegação de problemas na série de falhas no sistema e aponbase de dados do Ministério da tou, em relatório divulgado em do erário público e dos recursos assistência à saúde, em detrimento Saúde, revelam documentos do março de 2009, que o SUS deixou de disponíveis para a assistência à próprio órgão obtidos pelo jornal O arrecadar R$ 10 bilhões entre 2001 saúde da parcela da população que Estado de S. Paulo. e Desde então, cobrava não dispõe de planos de saúde". Mesmo com o sistema impossibilita- respostas sobre as mudanças Questionada em janeiro, a ANS do pelos problemas operacionais, a necessárias no mecanismo de confirmou o problema operacional ANS e o ministério lançaram, em ressarcimento. e disse que tem "trabalhado no junho de 2009, um mecanismo A reportagem do jornal apurou que aperfeiçoamento do sistema". "Esse eletrônico de ressarcimento - o a suspensão da cobrança é considepagamento se refere a pacientes de rada grave por integrantes do amente a outras medidas já anunci- trabalho é desenvolvido simultane- planos de saúde que são atendidos Governo e da Agência. Além disso, a adas pela ANS para garantir o na rede pública. paralisação ocorreu no momento ressarcimento dos planos de saúde A ferramenta, que agilizaria o em que a ANS ainda analisava as ao SUS", informou. A mesma resposprocesso, prometia arrecadar até contas do segundo trimestre de ta foi dada pelo ministério. R$ 140 milhões por ano para a saúde 2006 e atrasa ainda mais o já Fonte : Agência Estado pública - mas não saiu do papel. A precário mecanismo de devolução

12 12 notícias Estudo consegue neutralizar reprodução do HCV Uma equipe da Universidade de Stanford (www.stanford.edu), nos EUA, encontrou uma forma de impedir a reprodução do vírus da hepatite C (HCV). Nos ensaios in vitro, os pesquisadores sintetizaram uma proteína que é fundamental para o vírus se replicar. Ao modificá-la, eles descobriram compostos que tem capacidade de impedir que o HCV se reproduza. Jeffrey Glenn, professor de gastroenterologia e hepatologia O tratamento padrão é um coquetel de interferon e Segundo o autor principal do estudo, o professor de gastroenterologia e hepatologia Jeffrey Glenn, que é diretor do Centro de Hepatite e Engenharia do Tecido Hepático de Stanford, ainda será preciso esperar de 12 a 18 meses de testes pré- clínicos e em animais antes da Administração de Drogas e Alimentos dos EUA (FDA, na sigla em inglês) liberar os compostos para uso em humanos. ribavirin que, em algumas pessoas, provoca fortes efeitos colaterais. Nos últimos anos foram desenvolvi- dos métodos que simulam o processo de reprodução do HCV e são usados para testar os efeitos de compos- tos contra o vírus. Mas quando a droga se mostra eficaz, o vírus se modi- fica e rapidamente desenvolve resistência a ela. A solução parece ser atacar o HCV por muitos lados ao mesmo tempo com um coquetel de substâncias. Cada uma agiria sobre um aspecto diferente do vírus, diz Glenn. Ele espera que os compostos que estão sendo desenvolvidos com base no seu estudo consigam impedir a reprodução do vírus e que sejam também menos tóxicos aos pacientes. Segundo a Organização Mundial de Saúde, existem no mundo 170 milhões de pessoas infectadas com o HCV. Só no Brasil são 2,7 milhões. Em cerca de 80% dos casos a doença torna-se crônica e pode provocar cirrose e câncer de fígado. O estudo Identification of a Class of HCV Inhibitors Directed Against the Nonstructural Protein NS4B foi publicado na edição on line de 20 de janeiro da revista Science Translational Medicine. Fontes: Universidade de Stanford e Portal G1 Gene aumenta eficiência de medicamentos contra o câncer Pesquisadores do Departamento de sua toxicidade e baixa afinidade pulmão, os pesquisadores consegui- Anatomia e Embriologia Humana da com o tumor. ram aumentar em 14% a inibição ao U n i v e r s i d a d e d e G r a n a d a A terapia genética tem se mostra- crescimento tumoral e reduziram (www.ugr.es), Espanha, descobri- do ser uma forma de tratamento em 100 vezes a dose do medica- ram um gene suicida, batizado de potencialmente poderosa, como mento Paclitaxel, quando combi- gene E, que induz a morte de apoio a quimioterapia, pois melhocélulas tumorais de câncer de ra seus resultados, aumenta a resultados foram semelhantes em nado com a ação do gene E. Os mama, pulmão e colorretal e eficácia e reduz os efeitos secundáimpede seu crescimento. Espera-se rios no paciente, diz Rama. Já no tratamento de câncer de câncer colorretal. que, com essa descoberta, seja Ela acrescenta que o gene E é um mama a resposta foi mais animadopossível aumentar a eficiência dos candidato ideal para ser introduzimedicamentos usados contra a ra. O uso do quimioterápico do nas células tumorais para induzir Doxorrubicina pode ser reduzido doença e, ao mesmo tempo, a apoptose (morte da célula), que 100 vezes, quando combinado com reduzir as doses necessárias no ocorre provavelmente por lesão o gene E, e a proliferação de células tratamento. mitocondrial, e para aumentar sua tumorais foi reduzida em 21%. Segundo Ana Rosa Rama, autora do sensibilidade à ação das drogas que trabalho, os agentes quimioterápi- atuam sobre ela. cos similares ao gene E apresentam Fonte: AlphaGalileo grandes limitações provocadas por Nos testes feitos em câncer de

13 notícias 13 Entra E.coli, sai Salmonella Uma pesquisa realizada de 2004 a 2006 com crian- microorganismo que mais incide na população. Até ças da cidade de João Pessoa sugere que o patóge- agora, a Escherichia coli enteroagregativa não havia no mais prevalente associado à diarreia é a bacté- sido identificada no Brasil como agente principal, diz ria Escherichia coli e não mais a Salmonella - esta a professora Marina Baquerizo Martinez, autora era a responsável pela maioria dos casos nas principal do artigo. últimas décadas. Ela acrescenta que, apesar do trabalho só ter sido Segundo pesquisadores do Departamento de Análises publicado em janeiro de 2010, os dados podem ser Clínicas e Toxicológicas (FBC) da Faculdade de considerados atuais para estudos epidemiológicos. Ciências Farmacêuticas (FCF) da Universidade de É importante fazer esse tipo de pesquisa porque, São Paulo (USP), foram analisadas amostras de soro quando a criança com diarreia é atendida por um de 290 crianças com diarreia e 290 saudáveis (grupo médico, o exame para identificação do agente causade controle). dor da doença não faz parte da rotina. O estudo Entre os microorganismos isolados, a E. coli esteve epidemiológico permite saber quais são os patógenos presente em 47,4% dos casos de diarreia aguda. A em circulação no país. Isso é relevante pois o fator de variedade enteroagregativa foi a mais comum (25%). A virulência pode mudar muito, explica. Salmonella foi encontrada em apenas 7,9% dos pató- O artigo Etiology of childhood diarrhea in the northegenos isolados. ast of Brazil: significant emergent diarrheal patho- Temos estudos feitos nas décadas de 1980 e 1990 gens, de Marina Baquerizo Martinez e outros, pode ser sobre a etiologia ou fatores causais da diarreia. lido por assinantes da Diagnostic Microbiology and Comparando o estudo feito na Paraíba com essa série Infectious Disease na Internet, no endereço: histórica, podemos observar que na década de houve uma diferença acentuada em relação ao Fonte: Agência Fapesp

14 14 notícias Técnica simplifica sequenciamento de genoma Foto: stock.xchng /rodolfoclix Pesquisadores dos EUA e Israel trabalham no desenvolvimento de uma técnica que vai tornar mais rápido, mais simples e mais barato o sequenciamento de genomas. O processo consiste em usar campos elétricos para atrair longas fitas de DNA a passarem através de poros de silício com 4 nanômetros de largura (1nm = 1 milionésimo de mm). Essa técnica elimina a amplificação de DNA, usada atualmente, que é mais cara e mais demorada. A fase atual da pesquisa indica que podemos detectar quantidades muito menores de amostras de DNA do que se estimava. Quando começarem a implementar o sequenciamento de genomas ou a obtenção de perfis genômicos com o uso de nanoporos, nossa abordagem poderá ser empregada de modo a reduzir muito o número de cópias usadas para as medidas, explica Amit Meller, líder da pesquisa e professor do D e p a r t a m e n t o d e E n g e n h a r i a Biomédica da Universidade de Boston (www.bu.edu). Ele diz que a amplificação de DNA exige fazer bilhões de cópias das moléculas para produzir uma amostra grande o suficiente para ser analisada. Além do tempo e do custo desse processo, algumas das cópias obtidas não ficam perfeitas. As tecnologias atuais de amplificação de DNA limitam o tamanho da molécula a ser utilizada a menos de mil pares de base. Como nosso método não usa a amplificação, ele não apenas reduz o custo, o tempo e a taxa de erros como também permite que a análise seja feita em fitas extensas de DNA, muito maiores do que as usadas atualmente, afirma Meller. O artigo Electrostatic Focusing of Unlabelled DNA into Nanoscale Pores Using a Salt Gradient foi publicado na edição on line de 20 de dezembro da revista Nature Nanotechnology. Fontes: Boston University e Agência Fapesp Pesquisa de sangue artificial esbarra em hemoglobina Chris Cooper, professor de bioquímica Fora de seu ambiente, a hemoglobina pode se oxidar e provocar danos ao organismo. Ela pro- duz radicais livres que são prejudiciais ao cora- ção e aos rins, explica Cooper. O truque para desenvolver sangue artificial é modificar a molécula da hemoglobina para que ela seja menos tóxica, sem alterar sua função vital. No últimos 20 anos foram investidos bilhões de dólares em pesquisas para desenvolver um substituto sintético ao sangue humano. A Universidade de Essex (www.essex.ac.uk), no Reino Unido, recentemente entrou na lista de instituições que trabalham com esse objetivo. Segundo o professor de bioquímica Chris Cooper, que está à frente dos trabalhos nessa área na universidade, as pesquisas costumam esbarrar na hemoglobina, responsável por transportar o oxigênio. Recentemente, a Universidade de Essex regis- trou a patente de um processo que se propõe a modificar a molécula de hemoglobina para que apresente as características necessárias para ser usada em sangue artificial. Mais informações: Fonte: AlphaGalileo

15

16 16 notícias Resistência aos antirretrovirais aumenta nos EUA Foto: stock.xchng/aschaeffer Estudo feito na cidade de São Francisco, Segundo Sally Blower, que lidera a pobres, onde a população já tem dificuldanos EUA, mostra que aumentou a circula- pesquisa, foi criado um modelo matemáti- de de conseguir os medicamentos e as ção de variantes do HIV resistentes aos co para mapear a evolução do HIV em São políticas de saúde pública são limitadas. antirretrovirais. Pesquisadores Francisco, com os dados das infecções nas Se isso acontecer, podem ser anulados os da Universidade da Califórnia duas últimas décadas. Foi considerada a recentes avanços conquistados em países em Los Angeles (www.ucla.e- transmissão dos três tipos de HIV resisten- da África, por exemplo. du) verificaram que essa tes aos principais antirretrovirais do Nem todos concordam e não veem motivo resistência tem crescido nos mercado. Com essas informações os de pânico. "A única novidade da pesquisa é últimos 20 anos nos países pesquisadores identificaram os fatores do a quantificação do risco por meio de um desenvolvidos, com risco de tratamento que levaram à resistência aos cálculo matemático. Mesmo assim, é ocorrer uma epidemia medicamentos. muito especulativa. Sempre que um global com um vírus mais O modelo mostrou que muitos dos vírus paciente é tratado com medicamento resistente. resistentes, que evoluíram nos últimos dez existe a possibilidade de resistência", anos, são transmitidos de uma pessoa para disse o coordenador-adjunto do Programa outra mais facilmente do que se acredita- Estadual DST/AIDS de São Paulo e principal va. Essa nova dinâmica, diz Blowers, tem pesquisador da Unidade de Pesquisa de potencial para provocar uma nova onda de resistência aos medicamentos. "Este estudo não é só sobre São Francisco. É basicamente sobre muitas outras comunidades de países ricos e tem implicações significativas para a saúde global", alerta Sally Blower. Uma das maiores preocupações dos pesquisadores é a possibilidade do vírus resistente disseminar-se nos países Vacinas Anti-HIV do Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS (CRT) do estado, Artur Kalichman. O estudo Evolutionary Dynamics of Complex Networks of HIV Drug-Resistant Strains: The Case of San Francisco foi publicado na edição on line de 14 de janeiro da revista Science. Fontes: revista Science, jornal Folha de S.Paulo e Agência de Notícias da Aids Museu virtual mostra evolução da tecnologia médica Da história da seringa e do fio dental às aplicações da no mundo, atrás dos EUA (45%). Em terceiro está o Japão nanotecnologia, passando por dados econômicos do (11%), seguido da China (2%) e do Brasil (1%). setor de saúde na Europa e pelo futuro da medicina. Um Descobrimos que o público leigo e os responsáveis pouco de cada coisa é mostrado no MedTech Virtual pelas políticas econômicas sabem muito pouco sobre Museum (www.medtechmuseum.eu), site em inglês esse ramo da indústria e o que ela faz. O museu virtual é lançado pela Eucomed, associação que reúne 11 mil uma tentativa de vencer esse obstáculo de uma forma empresas europeias que projetam, fabricam e distribu- agradável e atrativa, diz o executivo-chefe da em tecnologia médica. Eucomed, John Wilkinson. Ele conta que serão O museu é dividido em andar térreo, onde há um acrescentados novos pavimentos ao museu vídeo de apresentação, e mais três pavimentos. No e que os já existentes crescerão de tamaprimeiro o visitante conhece 10 coisas que você deve nho para abrigar mais informações. saber sobre produtos médicos. O segundo andar tem Fonte: Medical Device Link explicações sobre câncer, diabetes e doenças cardiovasculares. O terceiro pavimento é reservado ao futuro da tecnologia médica. A percorrer o museu é possível saber que a seringa hipodérmica tal como a conhecemos foi inventada em 1853 por Charles Gabriel Pravaz e Alexander Wood. Outra informação é que a Europa é responsável por 33% das vendas de equipamentos médicos

17 notícias 17 Brasil é o quarto maior investidor em doenças negligenciadas Brasil e Índia ocupam, respecti- que tem sede na Austrália. vamente, o quarto e o quinto Essas contribuições mostram a lugares entre os cinco governos participação do ser humano que mais investiram, em 2008, mesmo em tempos de crise em pesquisa e desenvolvimento econômica, diz a autora princina área de doenças negligencia- pal do relatório, Mary Moran. das, como malária, tuberculose, O recado justifica-se porque, dengue e hanseníase. Os dois apesar dos números apresentapaíses responderam por US$ 36,8 dos, o relatório mostra que os milhões e US$ 32,5 milhões, total de investimentos em 2008 respectivamente. aumentou pouco em relação ao Entre os investimentos públicos, ano anterior. Saúde dos EUA e a Fundação Bill o primeiro lugar ficou com os EUA Mais uma vez apelamos aos & Melinda Gates - criada pelo (US$ 1,26 bilhão), seguido da países ricos, que raramente milionário da informática Bill União Europeia (US$ 129,9 aparecem em nossos relatórios, Gates -, com US$ 1,1 bilhão e US$ milhões) e Reino Unido (US$ a revisarem suas políticas e 617 milhões, respectivamente. 103,3 milhões). passarem a contribuir na luta As duas organizações contribuí- Esses números estão no G-Finder pela saúde global e por melhores ram com quase 60% do total de 2009, relatório do Fundo Global condições de vida da população investimentos mundiais feitos de Inovação para Doenças do mundo, diz Moran. em Negligenciadas, do George Entre os investidores não gover- Institute for International Health namentais, os dois maiores Fonte: The George Institute for (www.thegeorgeinstitute.org), foram o Instituto Nacional de International Health Foto: OMS /P.Virot Argentina vai usar tecnologia brasileira em vacina A produção de vacinas contra Segundo dados da Organização inclui ainda o apoio técnico do febre amarela na Argentina vai Panamericana de Saúde (Opas), Brasil para instalação de bancos usar tecnologia brasileira. Em em 2008, foram registrados no de leite humano na Argentina, dezembro, foi assinado um Brasil 46 casos de febre amarela, produção acadêmica na área de acordo bilateral entre a Fundação com 27 mortes. Na Argentina, o saúde pública e cursos para Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o número foi menor: nove casos e profissionais daquele país nas Ministério da Saúde da Argentina, três mortes. A doença está entre áreas de biologia molecular e que atualmente importa as aquelas consideradas negligenci- celular, biotecnologia, epidemiovacinas brasileiras. adas por grandes laboratórios logia e estatística. Com a transferência, a Argentina farmacêuticos, embora seja Fonte: Agência Brasil passará a ser a terceira produtora endêmica nas Américas Central e mundial dessa vacina estratégica, do Sul e África. ao lado do Brasil e da França, O acordo prevê transferência de destaca o ministro da Saúde do tecnologia para produzir as Brasil, José Gomes Temporão. A doses da vacina, que saúde no Mercosul é uma agenda devem estar prioritária, completou, ao disponíveis informar que a vacina brasileira é e m d o i s exportada para cerca de 50 anos. países. A parceria

18 18 notícias Butantan pode baixar custo de vacinas A descoberta também vai permitir aumentar a produção brasileira da vacina de coqueluche de 40 milhões para 260 milhões de doses anuais. O MPLA também pode ser usado em outra vacinas, como a da gripe sazonal, dengue - em desenvolvi- mento - e da influenza A(H1N1). Esta será a primeira com esse adjuvante a ser testada em humanos. Vamos testar duas concentrações diferentes, uma com 7,5 microgra- mas e outra com 3,75 microgramas. Se a primeira funcionar, será possível fabricar 18 milhões de doses. Se a dose menor for efetiva, teremos condições de fazer cerca de 34 milhões de doses, explicou Raw. A dose convencional atual tem 15 microgramas. Fonte: Fapesp Pesquisas do Instituto Butantan com a vacina da coqueluche levaram a uma descoberta que pode resultar em vacinas com custo de produção mais baixo para o país e em maior quantidade. Com o objetivo de reduzir os efeitos colaterais, a equipe coordenada pelo professor Isaías Raw retirou o lipopolissacarídeo (LPS), componente que apresenta maior toxicidade. O resultado foi uma vacina do tipo pertussis low, versão atenuada do medicamento contra a coqueluche. Ao estudar a grande quantidade de LPS, que não podia ser desperdiçada, os pesquisadores transformaram-no em monofosforil lipídio (MPLA). Esta substância mostrou ser muito eficaz como adjuvante (intensificador da ação) de vacinas em testes feitos em camundongos e humanos. Injetado em quantidade bem menores, o MPLA permitiu obter o mesmo efeito imunológico. Obtivemos uma vacina de coqueluche melhor do que qualquer outra que existe no mundo e ainda geramos um subproduto valioso a custo zero, disse Raw em entrevis- ta à Agência Fapesp, em novembro. Composição da água atrai mosquito da dengue A composição físico-química da vam altos índices de positividade relação ao recipiente de controle. água pode ter relação direta com a em relação à presença de larvas do Enquanto a água de Potim apreseninfestação por larvas do mosquito Aedes aegypti, mas onde usavam tou índice de atividade de oviposi- Aedes aegypti, transmissor da água de poços rasos ou cacimbas ção de 0,54, a de Taubaté registrou dengue. É o que sugere um estudo esse problema não existia. índice negativo de -0,03. Nas realizado pela Secretaria de Saúde Na pesquisa foram usados machos análises físico-químicas semanais, do Estado de São Paulo, entre julho e fêmeas do mosquito e recipiene agosto de 2009 no município de tes com água de Potim e do amoniacal da água de Potim ficou a concentração de nitrogênio Potim, no Vale do Paraíba. município vizinho de Taubaté, em 1,93 mg/l (o máximo permitido As equipes que combatem a dengue além de água destilada, utilizada em portaria do Ministério da Saúde ficaram intrigadas porque a infes- como controle. é 1,5 mg/l), enquanto a de Taubaté tação continuava alta na região. Em foi inferior a 0,03 mg/l. 2003, o Índice de Breteau - que A alta concentração de nitrogênio define a quantidade de insetos em amoniacal atraiu o Aedes aegypti fase de desenvolvimento encontra- para a oviposição, diz Gisela Rita da nas habitações humanas - foi de Alvarenga Marques, pesquisadora 25,85, e na última medição feita no responsável pelo estudo. Segundo município, em 2009, foi de 19,2. O ela, é preciso que os municípios índice recomendado é inferior a 1. com captação de água de poços Também descobriram que as caixas profundos mudem a forma de d água das residências de Potim, abastecimento por intermédio da abastecidas pela prefeitura local Durante um mês, os mosquitos implantação de estações de trata- por meio de coleta de água em depositaram 3,6 mais ovos nos mento de água de superfície. poços profundos, que recebe recipientes com água de Potim do Fontes: Secretaria de Saúde de SP e cloração e fluoração, apresenta- que de Taubaté e 3,2 vezes mais em Agência Fapesp

19 notícias 19 Microchip é usado para detectar câncer Pesquisadores canadenses estão testando materiais com dimensões nanométricas (1nm = 1 milionésimo de mm) para desenvolver um chip capaz de detectar tumores em nível celular e permitir um tratamento precoce da doença. O dispositivo analisa a amostra e fornece o resultado em 30 minutos. Segundo Shana Kelley, que lidera a pesquisa e é professora das faculdades de Farmácia e de Medicina da Universidade de Toronto (www.utoronto.ca), Canadá, o chip é tão pequeno que cabe na ponta de um dedo. O equipamento analisador que o utiliza é um pouco maior que um telefone celular. Os testes foram realizados em pacientes com câncer de próstata, cabeça e pescoço. Kelley diz que o dispositivo também pode ser usado para detectar a presença de HIV e Staphylococcus aureus. O artigo Programming the detection limits of biosensors through controlled nanostructuring foi publicado na edição de 27 de setembro de 2009 da revista Nature Nanotechnology. Fonte: LabMedica Fundação Gates vai financiar vacinas em países pobres A notícia foi divulgada em janeiro pelo empresário norte-americano, Bill Gates, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, Suíça. Fundador da Microsoft, gigante da informática, Gates prometeu doar 10 bilhões de dólares durante dez anos para colaborar com pesquisas, desenvolvimento e distribuição de vacinas entre os países do continente africano. Segundo o empresário, a Fundação Bill e Melinda Gates tem 34 bilhões de dólares para combater malária, aids e tuberculose. O norte-americano disse que os gastos das n a ç õ e s r i c a s n o combate à mudança climática em países em desenvolvimento a m e a ç a m c a u s a r cortes perigosos na ajuda a questões de saúde. Fonte: Depto. de DST/Aids do Ministério da Saúde Empresas médicas têm até março para emitir certificado digital mente. Até o ano passado, o envio ocorria a cada seis meses. Quem não possuir o certificado digital, cujo objetivo é aumentar a agilidade do processo, não poderá enviar a documentação e estará sujeito a multa. Mais informações com a Receita Federal (www.re- ceita.fazenda.gov.br). Fonte: Imprensa do Cremesp Todos os médicos que possuem empresa de lucro presumido ou real devem emitir o certificado digital (CPF ou CNPJ) para entregar a obrigação acessória DCTF (as declarações para pessoa jurídica) à Receita Federal. O prazo expira em março. Conforme a Instrução Normativa RFB nº 974, de 27 de novembro de 2009, as empresas enquadradas no lucro presumido (que são a maioria das empresas médicas) passam a enviar sua DCTF mensal-

20 20 notícias Brasília recebe conferência sobre seguridade social Entre os dias 22 e 26 de março será realizada, em Brasília, a I Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento de Sistemas Universais de Seguridade Social, evento realizado em conjunto pelo Ministério da Saúde e a Representação no Brasil da Organização Pan-americana da Saúde (Opas). A proposta do encontro é estabelecer uma agenda politica de trabalhos em âmbito nacional e internacional pela universalização da seguridade social, como garantia pública do direito humano ao bem-estar, à proteção social, à saúde, ao trabalho e à educação. O governo do Brasil vai convidar governos, entidades e a sociedade civil de diversos países para colaborarem e participarem do evento. Mais informações em Fonte: Imprensa da Opas Projeto propõe correção anual da tabela do SUS Está na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei (PL) e hospitais e entidades filantrópicas, que respondem 6.149/2009 que propõe corrigir anualmente a tabela por cerca de 40% do atendimento pelo SUS, diz Coruja de remuneração do Sistema Único de Saúde (SUS) aos na justificativa do projeto de lei. serviços de saúde contratados ou conveniados. Na prática, o PL 6.149/2009 altera a redação do Segundo o autor, deputado Fernando Coruja (PPS-SC), parágrafo 1 do Artigo 25 da Lei 8.080, de 19 de setemenquanto a remuneração paga por alguns procedimen- bro de 1990, que dispõe sobre as condições para a tos foi corrigida, a maioria não é alterada há anos. promoção, proteção e recuperação da saúde, a organi- O resultado mais evidente da defasagem dos valores zação e o funcionamento dos serviços correspondentes pagos por grande parte dos procedimentos é a situação e dá outras providências". de colapso financeiro das Santas Casas de Misericórdia Fonte: Agência Câmara CDC tem site sobre doenças do coração Novo site do CDC O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), dos EUA, lançou uma seção em seu site com informações sobre doenças e problemas cardiovasculares destinada ao público leigo, mas também útil para os profissionais de saúde. Com o nome de Heart Disease (www.cdc.gov/heartdisease), ela descreve as principais doenças cardiovasculares, sinais, sintomas e ações a serem tomadas, fatores de risco e formas de prevenção. Também são apresentados dados e estatísticas sobre ocorrências dessas doenças nos EUA, artigos e textos informativos para leigos e profissionais, links para sites relacionados e perguntas frequentes (FAQs) sobre o tema. expediente Notícias Medicina Laboratorial Jornal da SBPC/ML - Periodicidade mensal Rua Dois de Dezembro, 78 Conselho Editorial sala 909 CEP Adagmar Andriolo Rio de Janeiro - RJ Alvaro Martins Tel. (21) Carlos Senne Fax (21) Elimar Antônio Bittar João Nilson Zunino José Carlos Lima Marilene Melo Presidente 2010/2011 Mário Flávio Alcântara Carlos Ballarati Ulysses Moraes de Oliveira Wilson Shcolnik Diretor de Comunicação Luiz Eduardo Martins Editor-chefe Armando Fonseca Jornalista responsável Roberto Duarte Reg. Prof. RJ 23830JP Criação Valéria Monteiro Design To Ltda. Diagramação e arte Rodrigo Paiva Assinaturas Lídia Côrtes Publicidade Ana Karina

21 curtas 21 Foto: John Houliham Artemísia tem mapa genético desvendado Botânicos da Universidade de York (www.york.ac.uk), no Reino Unido, publicaram o primeiro mapa genético da Artemisia annua, erva medicinal empregada na fabricação de medicamentos contra a malária. O objetivo é conseguir aumentar a produção de espécies dessa planta para atender a demanda de tratamentos contra a doença, que mata cerca de 1 milhão de pessoas por ano em todo o mundo. Fonte: AlphaGalileo IPT constrói centro de bionanotecnologia Até o final deste ano estará concluído o Centro de Pesquisas em Bionanotecnologia do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo. As instalações vão abrigar setores para estudos de biotecnologia (desenvolvimento com organismos vivos), tecnologia de partículas (microencapsulação de componentes químicos e terapia medicinal, como em cosméticos), micromanufatura de equipamentos e metrologia. O custo está orçado em R$ 21 milhões. Outros R$ 25 milhões destinam-se a modernização do IPT. Fonte: Imprensa do IPT Pâncreas artificial contra o diabetes A Fundação de Pesquisas do Diabetes Juvenil dos EUA (JDRF, na sigla em inglês), empresas privadas e centros acadêmicos estão trabalhando para desenvolver um pâncreas artificial. O aparelho usa um software que monitora continuamente a glicose e bombas de insulina. A JDRF também vem desenvolvendo um aparelho que exame o sangue do paciente ao longo do dia e, automaticamente, libera a quantidade necessária de insulina. Fonte: Medical Device Link Banco de dados tem perfil de estudos clínicos A maioria das pesquisas no Brasil tem como alvo o câncer - em primeiro lugar o de mama, seguido de diabetes, doenças cardiovasculares e HIV/aisd. É o que informa o banco de dados Clinical Trials, mantido pelo governo dos EUA. Fonte: jornal O Estado de S.Paulo Normas para prática ortomolecular O Conselho Federal de Medicina publicou a Resolução 938/2010, que define critérios para a prescrição de fórmulas e procedimentos nas práticas ortomolecular e biomolecular. A norma confirma a ausência de comprovação científica para a eficácia das práticas ortomoleculares e alerta para o risco do uso indevido de vitaminas e complementos. Fonte: CFM

22 22 classificados VENDA / OFERECE-SE LABORATÓRIO VENDE-SE APARELHO COBAS MIRA MÉDICO PATOLOGISTA CLÍNICO L A B O R AT Ó R I O C O M P L E TO E PLUS P R O C U R A E M P R E G O E M FARMACÊUTICA GRADUADA PARA FUNCIONANDO HÁ 23 ANOS NO APARELHO COBAS MIRA PLUS EM LABORATÓRIO OU ASSESSORIA SETOR DE MICROBIOLOGIA MESMO ENDEREÇO. EQUIPAMENTOS E X C E L E N T E E S T A D O D E CIENTÍFICA EXPERIÊNCIA DE 30 FARMACÊUTICA FORMADA COM DIVERSOS INCLUINDO: MINIVIDAS, CONSERVAÇÃO. ANOS NESTA ATIVIDADE. EXPERIÊNCIA DE 01 ANO E MEIO EM MICROS ABX60, ETC. CONVÊNIOS: MICROBIOLOGIA, COM CURSO DE SUS, UNIMED, SUL AMÉRICA, SAÚDE SALVADOR-BAHIA. PÓS-GRADUAÇÃO EM ANDAMENTO B R A D E S C O, C. E. F. M O T I V O : (UFMG-CONCLUSÃO EM 2010) APOSENTADORIA RESPONSABILIDADE TÉCNICA OU CAPACITADA PARA DESENVOLVER AS TÉCNICO(A) DE... GRADUANDA EM BIOMEDICINA S E G U I N T E S A T I V I D A D E S : (73) SOU FARMACÊUTICA BIOQUÍMICA. ATUALMENTE NO 5º SEMESTRE DE SEMEADURA, PREPARAÇÃO DE MEIO OFEREÇO-ME PARA FARMÁCIAS BEM BIOMEDICINA. INTERESSADA EM E LIBERAÇÃO DE LÂMINA/LAUDO. TÉCNICO DE PATOLOGIA CLÍNICA COMO LAB. DE ANÁLISES CLÍNICAS E ADQUIRIR EXPERIÊNCIA PRÁTICA. SOU FORMADA EM CURSO TÉCNICO TOXICOLÓGICAS NO ESTADO DO RIO P O S S U O F A C I L I D A D E E M VILA VELHA - ES. DE PATOLOGIA CLÍNICA DESDE DE JANEIRO. APRENDIZAGEM E RELACIONAMENTO MARCELA RODRIGUES COELHO. F I Z E S T Á G I O E M D O I S INTERPESSOAL LABORATÓRIOS, UM PRIVADO, NOVA IGUAÇU. OUTRO MILITAR. ELIEL FIGUEIREDO DANIELLE. M ANGÉLICA GALINDO/BIÓLOGA SOMENTE HEMATOLOGIA E MARINHA SÃO PAULO. PÓS-GRADUADA EM VIGILÂNCIA DO BRASIL TODOS OS SETORES, TÉCNICO DE LABORATÓRIO GABRIELLE MATOSINHO DE OLIVEIRA. SANITÁRIA E ANÁLISES CLÍNICAS; INCLUSIVE COLETA DE SANGUE E EXPERIÊNCIA DE 4 ANOS NA ÁREA DE TEL EXPERIÊNCIA EM MICOLOGIA MÉDICA BANCADA. PROCURO EMPREGO. ANÁLISES CLÍNICAS, SETORES: E A M B I E N TA L ; A N Á L I S E D E H EMATOLOGIA, BIOQUÍMICA, POTABILIDADE; AUTOMATIZAÇÃO EM R URINÁLISE, COLETA,CITOMETRIA DE COMPRA / PRECISA-SE A N Á L I S E S C L Í N I C A S ; RIO DE JANEIRO. FLUXO PROTEÍNAS PLASMÁTICAS. TÉCNICO LABORATÓRIO ANÁLISES GERENCIAMENTO DE BOAS PRÁTICAS DANIELLE RODRIGUES. CURSANDO BIOMEDICINA. CLÍNICAS DE LABORATÓRIO CLÍNICO CONHECIMENTO EM ANÁLISE DE OM A M O S T R A S D E B I O Q U Í M I C A, RIO DE JANEIRO. BIOMÉDICO RIO DE JANEIRO. HEMATOLOGIA, PARASITOLOGIA, ANGÉLICA GALINDO. T I A G O C H A G A S D E L I M A. AMANDA P. ALVES. C I T O L O G I A, U R O A N Á L I S E, BIOMÉDICO, GRADUADO PELA (21) MICROBIOLOGIA, CULTURA. CURSO UNIVERSIDADE DE UBERABA MG, DE TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS E PENTRA 60 JULHO DE 2004 A JULHO DE SELECTRA E PATOLÓGICAS - RESIDENTE NAS EM MARAVILHOSO ESTADO. R$ BUSCAR MAIS CONHECIMENTOS EM OTIMO ESTADO R$ 60,000. PROXIMIDADES DE CARAPICUIBA SP. 38,000. SOBRE O LABORATÓRIO, ME QUALIFICANDO NA BUSCA DA BELO HORIZONTE/MG. CARAPICUIBA SP. BELO HORIZONTE/MG. EXCELÊNCIA NA COLETA. ATUALIZAR CARLOS ASSUMPCAO JUNIOR CARLOS ASSUMPCAO JUNIOR. E BUSCAR ENRIQUECIMENTO SOBRE A QUALIDADE DE SERVIÇO, PODENDO GERENTE DE PRODUÇÃO JÚNIOR. S E R U M D I F E R E N C I A L N A ESTÁGIO PARA EMPRESA DE PROD. DIAG DE MINIVIDAS COLOCAÇÃO DOS MEUS PROJETOS CURSO O 6º SEMESTRE DE FARMÁCIA USO IN VITRO. CURSO SUP EM E M P E R F E I T O E S TA D O D E FUTUROS. COM DISPOSIÇÃO PARA E PRECISO DE UMA VAGA PARA BIOMEDICINA OU FARM-BIOQ, EXP C O N S E R V A Ç Ã O C O M A S PLANTÕES E MUDANÇA DE CIDADE. ESTÁGIO. TENHO EXPERIÊNCIA EM COMPR NA ÁREA INDUSTRIAL E MANUTENÇÕES PREVENTIVAS EM ROTINAS LABORATORIAIS, EM MICROBIOLOGIA. CONHEC. DE DIA. ÓTIMO PREÇO! IGARAPAVA - SP. COLETAS, EM ATENDIMENTO EM I N F O R M AT I C A E D O C S D A TELS: (16) (16) EMERGÊNCIA DE HOSPITAL GERAL. QUALIDADE. INGLES INTERM. CV POUSO ALEGRE. PREVISÃO DE CONCLUSÃO DO C/PRET SAL - SIGLA GPJ 2010 CP ANÍSIO. ANALISADOR HEMATOLÓGICO- CURSO: 06/ CEP CAMPINAS BIOQUÍMICO ADVIA60-EXPRESS VENDO ADVIA 60 (ABERTO PARA SALVADOR. ESTAGIÁRIA. ORIA.COM.BR. BIOMÉDICA QUALQUER REAGENTE)-IGUAL AO CAMPINAS/SP. SOU FORMADA EM BIOMEDICINA, MICROS 60 REVISADO - GARANTIA ATUALMENTE CURSANDO PÓS- TREINAMENTO EXPRESS PLUS AUX. LABORATÓRIO (TRIAGEM) GRADUAÇÃO EM ANÁLISES CLÍNICAS SIEMENS REVISADO - GARANTIA - ESTOU NO 5 SEMESTRE DE MICROSCÓPIO NIKON ECLIPSE E200 COM AULAS MENSAIS E ESTOU A T R E I N A M E N T O. C O N S U LT E BIOMEDICINA. PROCURO ESTÁGIO COMPRA-SE MICROSCÓPIO NIKON PROCURA DE EMPREGO. TENHO GASOMETRIAS. (PODE SER NÃO-REMUNERADO) COM ECLIPSE E200 EM BOAS CONDIÇÕES EXPERIÊNCIA EM TODOS OS SETORES OBJETIVO DE CONHECER ROTINA DE USO. D E A N Á L I S E S C L Í N I C A S E RIBEIRÃO PRETO. LABORATORIAL. ESTOU DISPOSTA A D I S P O N I B I L I D A D E TO TA L D E APRENDER. UBERABA - MG. HORÁRIO. CARLOS EDUARDO REIS. BIOMÉDICA/OFERECE-SE CAMPINAS - SP. (34) OM BIOMÉDICA,FORMADA HÁ 20 ANOS TAMARA. CAMPINAS - SÃO PAULO. PROCURA COLOCAÇÃO, TENHO FERNANDA. EXPERIÊNCIA TANTO DE ROTINA (019) QUANTO DE EMERGÊNCIA NA ÁREA T É C N I C A D E L A B O R AT Ó R I O / HOSPITALAR, TENHO EXPERIÊNCIA AUXILIAR VENDA DE LABORATÓRIO DE TAMBÉM NA ÁREA PEDAGÓGICA EM EXPERIÊNCIA HOSPITAL MUNICIPAL ANÁLISES CLÍNICAS C U R S O S D E T É C N I C O D E DE MAGÉ, POSTO SAÚDE, PSF. VENDO LABORATÓRIO LOCALIZADO PAT O L O G I A, E TA M B É M E M COLETA, IMUNOLOGIA, RECEPÇÃO NO SUL FLUMINENSE, DIVERSOS ASSESSORIA DE VENDAS PARA BOM ATENDIMENTO AO PUBLICO. CONVÊNIOS. LABORATÓRIO. L.COM VOLTA REDONDA. SÃO PAULO. RIO DE JANEIRO. MARCELO. CLEUSA REGINA HERNANDES. FERNANDA. TEL (011) Classificados SBPC/ML Aqui você vende e compra produtos e serviços, oferece e procura empregos e estágios. É fáci! É grátis! Para anunciar ou consultar os Classificados SBPC/ML:

23

24

Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014

Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014 Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014 Jornal Em Tempo - Dia a Dia - Página C1 14/11/2014 Jornal Em Tempo - Dia a Dia - Página C5 14/11/2014 Portal Acrítica - Saúde - 13 de novembro de 2014 Av.

Leia mais

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas APRESENTAÇÃO A Federação Baiana de Hospitais e a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, cumprindo com a função de orientar e assessorar hospitais,

Leia mais

Cientistas anunciam descoberta de três substâncias candidatas a anti retroviral brasileiro

Cientistas anunciam descoberta de três substâncias candidatas a anti retroviral brasileiro Cientistas anunciam descoberta de três substâncias candidatas a anti retroviral brasileiro Grupo de pesquisadores da Fundação Ataulpho de Paiva, da Universidade Federal Fluminense e do Instituto Oswaldo

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

Mercado de Saúde no Brasil. Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172

Mercado de Saúde no Brasil. Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Constituição de 1988 Implantação do SUS Universalidade, Integralidade e Participação Social As instituições privadas participam

Leia mais

Cobertura assistencial. Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME

Cobertura assistencial. Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME Cobertura assistencial Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde OPME Agência Nacional de Saúde Suplementar Marcos Regulatórios Lei 9656, de 03/06/1998 Dispõe sobre a regulamentação dos planos e seguros

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

Incorporação de Tecnologias na Saúde Suplementar Revisão do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2015-2016. Janeiro de 2015

Incorporação de Tecnologias na Saúde Suplementar Revisão do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2015-2016. Janeiro de 2015 Incorporação de Tecnologias na Saúde Suplementar Revisão do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde 2015-2016 Janeiro de 2015 1 Agência Nacional de Saúde Suplementar É a agência reguladora do Governo Federal,

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

Valor Econômico 23/02/2007 Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK

Valor Econômico 23/02/2007 Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK Valor Econômico Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK Sérgio Bueno Criada pelo médico gaúcho Fernando Kreutz, de 39 anos, uma vacina terapêutica contra o câncer da próstata pode

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

Implementación e Impacto de las Listas Nacionales de Medicamentos Esenciales Experiencias en Países Seleccionados de la Región - BRASIL

Implementación e Impacto de las Listas Nacionales de Medicamentos Esenciales Experiencias en Países Seleccionados de la Región - BRASIL Implementación e Impacto de las Listas Nacionales de Medicamentos Esenciales Experiencias en Países Seleccionados de la Región - BRASIL Lima, Perú 27 noviembre de 2007 Sistema Único de Saúde - SUS Estabelecido

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 No passado, até porque os custos eram muito baixos, o financiamento da assistência hospitalar

Leia mais

MEDICAMENTOS GENÉRICOS

MEDICAMENTOS GENÉRICOS MEDICAMENTO GENÉRICO Uma importante conquista para a saúde pública no Brasil 15 anos 15 anos , 15 ANOS DE BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA. Ao completar 15 anos de existência no país, os medicamentos

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br

Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br Constituição de 1988 Implantação do SUS Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br Universalidade, Integralidade e Participação Social As instituições privadas participam

Leia mais

Perspectivas para a indústria farmacêutica brasileira, seus investimentos e suas pesquisas. Ministério da Saúde Brasília, 12 de agosto de 2015

Perspectivas para a indústria farmacêutica brasileira, seus investimentos e suas pesquisas. Ministério da Saúde Brasília, 12 de agosto de 2015 Perspectivas para a indústria farmacêutica brasileira, seus investimentos e suas pesquisas Ministério da Saúde Brasília, 12 de agosto de 2015 POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Define a assistência

Leia mais

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004

REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor. Brasília, outubro de 2004 REFORMA UNIVERSITÁRIA: contribuições da FENAJ, FNPJ e SBPJor Brasília, outubro de 2004 FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS FENAJ http://www.fenaj.org.br FÓRUM NACIONAL DOS PROFESSORES DE JORNALISMO - FNPJ

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC)

A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR. Comissão Nacional de Convênios e Credenciamentos (CNCC) 1 A IMPORTÂNCIA DA REGULAÇÃO E DA CONTRATUALIZAÇÃO EM SAÚDE SUPLEMENTAR 2 CONCEITOS 3 SAÚDE SUPLEMENTAR: atividade que envolve a operação de planos privados de assistência à saúde sob regulação do Poder

Leia mais

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL SECRETARIA NACIONAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS MINISTÉRIO DA SAÚDE Comitê Gestor do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras drogas

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

PARECER Nº 2414/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N. º 58/2012 PROTOCOLO N. º 23448/2012 ASSUNTO: ASSINATURA DE LAUDOS DE EXAMES PARECERISTA: CONS

PARECER Nº 2414/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N. º 58/2012 PROTOCOLO N. º 23448/2012 ASSUNTO: ASSINATURA DE LAUDOS DE EXAMES PARECERISTA: CONS PARECER Nº 2414/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N. º 58/2012 PROTOCOLO N. º 23448/2012 ASSUNTO: ASSINATURA DE LAUDOS DE EXAMES PARECERISTA: CONS.ª ANA MARIA SILVEIRA MACHADO DE MORAES EMENTA: Assinatura

Leia mais

O Enade. é realizado. estudante. Lei nº. 10.861, de. é obrigatório: O Enade. O Enade. Objetivo. nível de. atualização. A prova. será trienal.

O Enade. é realizado. estudante. Lei nº. 10.861, de. é obrigatório: O Enade. O Enade. Objetivo. nível de. atualização. A prova. será trienal. ENADE Exame Nacional de Desempenh ho de Estudantes O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), tem o objetivo de aferir

Leia mais

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos Assistência Farmacêutica, Qualificação de Prestadores, Ouvidoria, CNS e Pagamento por Pacotes Erimar Carlos Brehme de Abreu Águas de Lindóia 13/09/2012

Leia mais

Trata-se de Nota Técnica referente à metodologia utilizada para o desenvolvimeto da primeira carga do D-TISS Detalhamento dos Dados do TISS.

Trata-se de Nota Técnica referente à metodologia utilizada para o desenvolvimeto da primeira carga do D-TISS Detalhamento dos Dados do TISS. Gerência/Diretoria: GEPIN/DIDES Protocolo nº 33902.552358/2015-01 Data: 09/12/2015 Hora: 10:00 Assinatura: Magno Fernandes Nota Técnica nº 586/2015/GEPIN/DIDES/ANS 1. Introdução Trata-se de Nota Técnica

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

Clipping Eletrônico Sábado dia 25/10/2014

Clipping Eletrônico Sábado dia 25/10/2014 Clipping Eletrônico Sábado dia 25/10/2014 Jornal Diário do Amazonas Brasil Pág. 15-25 de outubro de 2014 Jornal Acrítica Brasil / Mundo Pág. A6-25 de outubro de 2014 Portal D24AM Saúde - 25 de outubro

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

Em seguida, prestam-se breves esclarecimentos sobre algumas questões frequentes sobre o acordo mencionado acima:

Em seguida, prestam-se breves esclarecimentos sobre algumas questões frequentes sobre o acordo mencionado acima: Acordo Ibérico entre Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (CESPU) e Universidade Alfonso X El Sabio de Madrid permite o ingresso de alunos licenciados em Ciências Biomédicas pela

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar PADRÃO TISS RADAR TISS

Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar PADRÃO TISS RADAR TISS Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar PADRÃO TISS RADAR TISS Operadoras Edição 2014 ERRATA Agência Nacional de Saúde Suplementar ANS. Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E LEGISLAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL ADRIANO CRISTIAN CARNEIRO Fortalecimento do SUS Constituição Federal de 1988, artigos 196 a 200; Lei Federal nº. 8.080, de 19/09/1990 Lei

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Departamento DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde www.aids.gov.br Maio/2014

Leia mais

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU O Papel dos Tributos Imobiliários para o Fortalecimento dos Municípios Eduardo de Lima Caldas Instituto Pólis Marco

Leia mais

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são:

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: Quais os requisitos de patenteabilidade? Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: (1) Novidade - a matéria objeto da pesquisa precisa ser nova, ou melhor,

Leia mais

152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 17 a 21 de junho de 2013 Tema 7.3 da Agenda Provisória CE152/INF/3 (Port.) 26 de

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar

Agência Nacional de Saúde Suplementar Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora de planos de saúde do Brasil Audiência Pública, 10 de abril de 2013 1 Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Agência reguladora do Governo

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro Ministério da Saúde Gabinete do Ministro Documento norteador para a habilitação de laboratórios Tipo I e Tipo II pela Qualificação Nacional em Citopatologia QualiCito. Qual a Portaria que institui a Qualificação

Leia mais

Conexões entre matemática e biologia

Conexões entre matemática e biologia EB-207 Matemática Biológica 1 Conexões entre matemática e biologia Prof. Rodrigo Sávio Pessoa Sumário 2 1. Introdução 2. A nanotecnologia aplicada as ciências biológicas 3. Algumas questões biológicas

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde

O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde Informativo interativo eletrônico do CNS aos conselhos de Saúde Brasília, junho de 2006 Editorial O papel dos conselhos na afirmação do Pacto pela Saúde A aprovação unânime do Pacto pela Saúde na reunião

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE

REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E OS PRESTADORES DE SERVIÇOS E A GARANTIA DA QUALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO - EAESP FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV REGULAÇÃO E QUALIDADE NO SETOR DE SAÚDE SUPLEMENTAR REGULAÇÃO DAS RELAÇÕES ENTRE AS OPERADORAS DE PLANOS DE SAÚDE E

Leia mais

Versão 1.0 MANUAL PRÁTICO TISS 3.02.00. 1. Divulgação 3.02.00 Unimed Taubaté/ANS. 2. Material TISS 3.02.00 3. Componentes da TISS 3.02.

Versão 1.0 MANUAL PRÁTICO TISS 3.02.00. 1. Divulgação 3.02.00 Unimed Taubaté/ANS. 2. Material TISS 3.02.00 3. Componentes da TISS 3.02. Versão 1.0 MANUAL PRÁTICO TISS 3.02.00 1. Divulgação 3.02.00 Unimed Taubaté/ANS 2. Material TISS 3.02.00 3. Componentes da TISS 3.02.00 SUMÁRIO 1. Divulgação 3.02.00 - Unimed Taubaté/ANS...2 3.2.1. Guias

Leia mais

Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência

Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência Manual de Orientações Técnicas e Administrativas de Serviços em Check-up da Tempo USS - Serviços de Assistência Maio de 2011 1. Apresentação Apresentamos o Manual de Orientações Técnicas e Administrativas

Leia mais

Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS

Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS Novos Procedimentos de Vigilância Sanitária na Tabela do SUS N o 152 Abril/2015 2015 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte e que não seja para

Leia mais

Por que criar um padrão?

Por que criar um padrão? Tópicos Abordados Por que padronizar O que regulamenta Prazos Responsabilidades Entendendo a norma Webservices Mensagens TUSS Demonstração de uso de Webservices TISS Por que criar um padrão? Para colocar

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136

PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013. p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 PORTARIA Nº 876/GM, DE 16 DE MAIO DE 2013 p. DOU, Seção1, de 17.5.2013, págs. 135/136 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 12.732, de 22 de novembro de 2012, que versa a respeito do primeiro tratamento do

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde

Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde Operadora: Unimed Curitiba Sociedade Cooperativa de Médicos CNPJ: 75.055.772/0001-20 Nº de registro na ANS: 30470-1 Site: http://www.unimedcuritiba.com.br Tel:(41) 3019-2000 Exclusivo para liberações de

Leia mais

Reajuste de mensalidade

Reajuste de mensalidade Reajuste de mensalidade Conceitos básicos Reajuste por variação de custos Reajuste por mudança de faixa etária SÉRIE PLANOS DE SAÚDE CONHEÇA SEUS DIREITOS Reajuste de mensalidade SÉRIE PLANOS DE SAÚDE

Leia mais

Sustentabilidade em saúde. Dr. Reynaldo A. Brandt

Sustentabilidade em saúde. Dr. Reynaldo A. Brandt Sustentabilidade em saúde Dr. Reynaldo A. Brandt Definição Sustentabilidade é prover o melhor para as pessoas e para o ambiente tanto agora como para um futuro indefinido. É suprir as necessidades da geração

Leia mais

O PAPEL DOS PROFISSIONAIS MÉDICOS NA JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA. Florentino Cardoso

O PAPEL DOS PROFISSIONAIS MÉDICOS NA JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA. Florentino Cardoso O PAPEL DOS PROFISSIONAIS MÉDICOS NA JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE PÚBLICA E PRIVADA Florentino Cardoso SUS Operadoras de Saúde SUS CF 1988 SUS 1990 Universalidade, Equidade, Integralidade Financiamento Gestão

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE GAI informa junho/2009 ano 1 nº2 BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE Editorial Neste segundo número do Boletim Gais Informa apresenta-se um resumo das principais discussões

Leia mais

ilupas da informação e comunicação na área de Saúde entrevista

ilupas da informação e comunicação na área de Saúde entrevista ilupas Pesquisa Nacional identifica investimentos em tecnologias da informação e comunicação na área de Saúde Por Kelly de Souza O baixo grau de investimento em Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS

IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS IV FÓRUM ÉTICO LEGAL EM ANÁLISES CLÍNICAS Brasília, 08 de junho de 2010. Cumprimento de Contratos das Operadoras com os Laboratórios Clínicos. DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL - DIDES Gerência de

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. N 21/00 GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N 91/93 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania QUESTIONÁRIO SOBRE A ATUAÇÃO DAS INSTÂNCIAS DE CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA - ICS MANUAL DE

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 883, DE 5 DE JULHO DE 2010 Regulamenta o Decreto nº 7.082, de 27 de janeiro de 2010, que institui o Programa Nacional de Reestruturação

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 45/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo do Programa de Integralização de Créditos para a Conclusão do Curso Superior de Teologia Vestibular 1º semestre de 2016 O REITOR

Leia mais

Clipping Eletrônico Domingo dia 26/10/2014

Clipping Eletrônico Domingo dia 26/10/2014 Clipping Eletrônico Domingo dia 26/10/2014 Jornal Diário do Amazonas Sociedade Pág. 19-26 de outubro de 2014 Jornal Em Tempo Saúde e Bem Estar Pág. F1-26 de outubro de 2014 Jornal Em Tempo Saúde e Bem

Leia mais

Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA Informe do dia 26.04.09, às 13h

Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA Informe do dia 26.04.09, às 13h Ministério da Saúde Gabinete Permanente de Emergências em Saúde Pública ALERTA DE EMERGÊNCIA DE SAÚDE PÚBLICA DE IMPORTÂNCIA INTERNACIONAL Ocorrências de casos humanos de influenza suína no México e EUA

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

As perspectivas do mercado para os hospitais

As perspectivas do mercado para os hospitais As perspectivas do mercado para os hospitais Yussif Ali Mere Jr Presidente da Federação e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (FEHOESP e SINDHOSP) 1. CONTEXTO 2.

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Cooperativa é uma sociedade de pessoas, com forma e caráter jurídico próprio, de natureza civil, constituídas para prestar serviços aos cooperados. Sua missão é promover a qualidade de

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Pelo presente instrumento particular de um lado VALERIA PASCHOAL EDITORA, PRODUTOS E SERVIÇOS LTDA - EPP pessoa jurídica de direito privado, com sede na Rua Pedro Morganti,

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

Matérias selecionadas do DOU de 05 de novembro de2007

Matérias selecionadas do DOU de 05 de novembro de2007 Conteúdo: SEÇÃO 1...2 PORTARIA No- 2.831, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...2 PORTARIA No- 2.834, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...4 PORTARIA No- 2.835, DE 1o- DE NOVEMBRO DE 2007...5 PORTARIA Nº 600, DE 1o- DE

Leia mais

ANS. Eixos Temáticos da Regulamentação e Garantia de Acesso à Informação como o empregador pode participar. Bruno Sobral de Carvalho

ANS. Eixos Temáticos da Regulamentação e Garantia de Acesso à Informação como o empregador pode participar. Bruno Sobral de Carvalho ANS Eixos Temáticos da Regulamentação e Garantia de Acesso à Informação como o empregador pode participar. Bruno Sobral de Carvalho Diretor de Desenvolvimento Setorial São Paulo, maio de 2011 Plano Coletivo

Leia mais

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Debates FGV As tendências do Sistema Único de Saúde Hospitais sem fins lucrativos Estabelecimentos de saúde que

Leia mais

NORMATIVO SARB 002/2008

NORMATIVO SARB 002/2008 O Conselho de Auto-Regulação Bancária, com base no art. 1 (b), do Código de Auto-Regulação Bancária, sanciona as regras abaixo dispostas, formalizando preceitos comuns a todas as signatárias da auto-regulação

Leia mais

EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA

EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 03/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 03/2012 TIPO: QUALIFICAÇÃO TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

SISTEMA DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS

SISTEMA DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS SISTEMA DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS FASCÍCULO DO BENEFICIÁRIO VERSÃO 2013 Instituto Curitiba de Saúde ICS - Plano Padrão ÍNDICE APRESENTAÇÃO 03 1. CONSULTA/ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA EM PRONTO ATENDIMENTO

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES. 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas.

ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES. 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas. ÍNDICE GERAL - OBJETIVO 2 - DIANTE DOS CONSUMIDORES 2.1 Práticas Proibidas. 2.2 Explicação e Demonstração. 2.3 Respostas e Perguntas. 2.4 Promessas Verbais. 3 Diante do Plano de Marketing 4 - Conselhos

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde

Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde Atos Normativos ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar Resolução Normativa 186, de 14 de janeiro de 2009 - ANS Instrução Normativa

Leia mais

1. Instituído pela Genzyme do Brasil, o Edital do PAPAP é regido pelo presente regulamento.

1. Instituído pela Genzyme do Brasil, o Edital do PAPAP é regido pelo presente regulamento. A Genzyme do Brasil ( Genzyme ) torna pública a abertura do Edital 001/2015 para o Programa de Apoio aos Projetos de Associações de Pacientes ( PAPAP ) e define o processo seletivo para o ano de 2016,

Leia mais

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015.

EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015. EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE APERFEIÇOAMENTO MULTIPROFISSIONAL SEGUNDO SEMESTRE DE 2015. O torna público o Edital para os cursos de Aperfeiçoamento Multiprofissional, segundo semestre

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

Contract Compliance Services

Contract Compliance Services RISK CONSULTING Contract Compliance Services Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros kpmg.com/br 2 / Obtendo mais valor dos seus relacionamentos com terceiros Gerenciando o risco e aumentando

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar)

PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 6.872, DE 2013 (Do Sr. Ricardo Izar) Altera o 2º, do art. 15, da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, para dispensação de fraldas geriátricas por intermédio

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

153 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

153 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 153 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 4 de outubro de 2013 Tema 5.2 da Agenda Provisória CE153/5 (Port.) 30 de setembro

Leia mais

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE COBRANÇA DE TERCEIROS E DOAÇÕES, ATRAVÉS DA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA HEITOR LUIZ BREDA CELESC CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA

Leia mais

PROPOSTA PARA CASAS DE APOIO PARA ADULTOS QUE VIVEM COM HIV/AIDS - ESTADO DE SANTA CATARINA

PROPOSTA PARA CASAS DE APOIO PARA ADULTOS QUE VIVEM COM HIV/AIDS - ESTADO DE SANTA CATARINA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROPOSTA PARA CASAS DE APOIO PARA ADULTOS QUE VIVEM COM HIV/AIDS - ESTADO DE SANTA CATARINA

Leia mais

Padrão TISS RADAR TISS Operadoras Edição 2013

Padrão TISS RADAR TISS Operadoras Edição 2013 Padrão TISS RADAR TISS Operadoras Edição 2013 SUMÁRIO Questão 1 - Valor dos eventos de atenção à saúde, por grupo e origem... 4 Questão 2 Quantitativo e valor dos eventos de atenção à saúde por prestador...

Leia mais