Nomes e Endereçamento. Nomes e Endereçamento. Paradigmas em Sistemas Distribuídos. Paradigmas em Sistemas Distribuídos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nomes e Endereçamento. Nomes e Endereçamento. Paradigmas em Sistemas Distribuídos. Paradigmas em Sistemas Distribuídos"

Transcrição

1 Paradigmas em Sistemas Distribuídos Paradigmas em Sistemas Distribuídos Nomes e Endereçamento Troca de Mensagens Operações emota Comunicação em Grupo Time e Clocks Sincronismo Ordenação Coordenação Consistência Concorrência Atomicidade Nomes e Endereçamento Em Sistemas Distribuídos binding: associação de um nome a um objeto context: associação de um objeto a um contexto Nomes Puros: nenhuma informação adicional pode ser extraída do nome nameserver Impuros: permite inferir informação adicional sobre o objeto (ex.: localização) nameserver.dimap.ufrn.br Nomes e Endereçamento Endereços São usados para interagir com uma entidade com a qual o nome refere-se esolução de Nomes Obter um atributo, em geral o endereço, de um dado nome chama-se resolver o nome 1

2 Nomes e Endereçamento Tipos de Endereços Endereço Lógico de Grupo: permite interagir com o grupo como um todo sem necessidade de conhecer endereços individuais requer o uso de protocolos de comunicação em grupo capazes de reconhecer o endereço Endereços específicos de protocolos IP: endereço independe da arquitetura ou sistema operacional da máquina Mobile-IP: endereço independe da localização da máquina em dado momento Multicast-IP: o emissor não precisa se preocupar se os receptores estão ativos esolução de Nomes Serviço de Nomes Primitivas: Lookup: recebe um nome e retorna o endereço correspondente Bind: associa um endereço a um nome Unbind: cancela uma associação de nome a endereço Como obter o endereço do Serviço de Nomes: Deve ser um endereço bem conhecido (wellknown address) esolução de Nomes Troca de Mensagens Serviço de Nomes Implementação Escalável: Usar um conjunto de Servidores de Nomes (SN) Cada SN armazena uma parte dos dados A divisão do espaço de nomes entre os vários servidores pode ser feita de acordo com vários critérios como localização geográfica, limites administrativos, etc Forma mais básica de interação em Sistemas Distribuídos Para trocar mensagens entre dois elementos: Selecionar um protocolo Obter o endereço do destino Primitivas Send: usada para enviar mensagens eceive: usada para receber mensagens Acknowledged-Send: para confiabilidade 2

3 Troca de Mensagens Operações emotas Protocolo equest-eply Usado em comunicação cliente-servidor Cliente envia solicitação, servidor processo e envia o resultado Send-eceive Acknowledge-Send equest-eply equest-eply com Acknowledgement Comunicação em Grupo Comunicação um-para-muitos Comunicação ponto-a-ponto é um caso particular da comunicação multiponto Comunicação um-para-muitos Unicast: ponto-a-ponto Broadcast: o destino inclui todos os participantes de um sistema Multicast: o destino é um grupo de participantes do sistema S Aplicação envia múltiplos Unicast S IP multicast 3

4 Grupo Em Sistemas Distribuídos a noção de grupos é uma forma de referir-se coletivamente a um grupo de componentes que cooperam para realizar uma tarefa ou que são réplicas exemplo clássico: tolerância a falhas Time e Clocks Tempo em SD está relacionado com ordenação, sincronização, sequenciamento. O uso de tempo em SD não é muito simples Diferentes máquinas têm relógios diferentes! Necessidade de Tempo Global!!! Tempo Global Um tempo global em um SD é construído através da sincronização de todos os relógios locais (um clock virtual) Sincronismo Uso dos termos Síncrono X Assíncrono em SD Bloqueio X Não Bloqueio Ao mesmo tempo X Em tempos diferentes 4

5 Ordenação A noção de ordem dos eventos aparece naturalmente quando descrevendo-se computações distribuídas O importante é qual evento aconteceu primeiro Coordenação É comum resolver um problema distribuído usando uma estratégia centralizada onde há um elemento que coordena tarefas Consistência Um sistema é dito consistente se ele não viola restrições de integridade impostas na sua especificação Alguns mecanismos usados para forçar consistência: Consenso Distribuído Broadcast atômico Determinismo de éplica Concorrência Controle de Concorrência Competição para uso de recurso comum Exclusão Mútua 5

6 Atomicidade Operação atômica = operação indivisível Exemplo: reserva de uma sequência de vôos para um passageiro NATAL POTO NATAL 1. NAT SP 2. SP LISBOA 3. LISBOA POTO 4. POTO LISBOA 5. LISBOA SP 6. SP - NAT Atomicidade Mecanismos em SD Transações Atômicas Protocolo de Duas-Fases 6

Tópicos em Sistemas Distribuídos. Modelos de Comunicação

Tópicos em Sistemas Distribuídos. Modelos de Comunicação Tópicos em Sistemas Distribuídos Modelos de Comunicação Comunicação em SD Comunicação entre processos Sockets UDP/TCP Comunicação em grupo Broadcast Multicast Comunicação entre processos Conceitos básicos

Leia mais

Comunicação entre processos (grupos) COMUNICAÇÃO ENTRE PROCESSOS Comunicação de grupo. Comunicação entre processos (grupos)

Comunicação entre processos (grupos) COMUNICAÇÃO ENTRE PROCESSOS Comunicação de grupo. Comunicação entre processos (grupos) Comunicação one-to-one Forma mais simples de comunicação entre processos point-to-point, ou unicast COMUNICAÇÃO ENTRE PROCESSOS Comunicação de grupo Algumas aplicações comunicação entre grupos de processos

Leia mais

Comunicação. Parte II

Comunicação. Parte II Comunicação Parte II Carlos Ferraz 2002 Tópicos Comunicação Cliente-Servidor RPC Comunicação de objetos distribuídos Comunicação em Grupo Transações Atômicas Comunicação Stream 2 Comunicação cliente-servidor

Leia mais

Sistemas distribuídos:comunicação

Sistemas distribuídos:comunicação M. G. Santos marcela@estacio.edu.br Faculdade Câmara Cascudo - Estácio de Sá 16 de abril de 2010 Formas de comunicação Produtor-consumidor: comunicação uni-direccional, com o produtor entregando ao consumidor.

Leia mais

Sistemas Distribuídos Grupos

Sistemas Distribuídos Grupos Sistemas Distribuídos Grupos Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Roteiro da Aula Roteiro da Aula Definição de Grupos Tipos Atomicidade Ordenamento 3 RPC Comunicação entre Pares Cliente - Servidor

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Modelo cliente e servidor Slide 2 Nielsen C. Damasceno Modelos Cliente - Servidor A principal diferença entre um sistema centralizado e um sistema distribuído está na comunicação

Leia mais

Comunicação Inter-Processos. Prof. Adriano Fiorese. Conceitos Iniciais

Comunicação Inter-Processos. Prof. Adriano Fiorese. Conceitos Iniciais Comunicação Inter-Processos Conceitos Iniciais 1 Características para Comunicação Inter-Processos. Passagem de Mensagem pode ser suportada por duas operações de comunicação (send e receive). A comunicação

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Conceitos e Arquitetura Vantagens das Arquiteturas C/S (em relação

Leia mais

Grupos de Processos (Comunicação Grupal)

Grupos de Processos (Comunicação Grupal) Grupos de Processos (Comunicação Grupal) Roteiro Definição de Grupos Tipos (organização) de grupos Atomicidade Ordenação de mensagens 2 RPC Comunicação entre Pares (duas partes) Cliente - Servidor Comunicação

Leia mais

Sistemas Distribuídos Aula 15

Sistemas Distribuídos Aula 15 Sistemas Distribuídos Aula 15 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Doutoranda em Ciência da Computação - UFU Mestre em Ciência da Computação UFU Bacharel em Ciência da Computação - UFJF 8. Tolerância a Falha

Leia mais

Modelos Fundamentais. Carlos Ferraz. cagf@cin.ufpe.br

Modelos Fundamentais. Carlos Ferraz. cagf@cin.ufpe.br Modelos Fundamentais Carlos Ferraz cagf@cin.ufpe.br O que vimos até agora (I) História Anos 60-70: sistemas centralizados (caros!) Anos 80: computadores pessoais (acessórios caros e pouco aproveitáveis!

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Aleardo Manacero Jr.

Sistemas Distribuídos. Aleardo Manacero Jr. Sistemas Distribuídos Aleardo Manacero Jr. Conteúdo Conceitos fundamentais Estratégias de controle: relógios e algoritmos de sincronismo Serviços: arquivos e memória Corba Processamento distribuído Sistemas

Leia mais

3. Comunicação em Sistemas Distribuídos

3. Comunicação em Sistemas Distribuídos 3. Comunicação em 3.1.Troca de mensagens As mensagens são objetos de dados cuja estrutura e aplicação são definidas pelas próprias aplicações que a usarão. Sendo a troca de mensagens feita através de primitivas

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais

Paradigma Cliente/Servidor

Paradigma Cliente/Servidor Paradigma Cliente/Servidor Mário Meireles Teixeira UFMA Departamento de Informática Dezembro, 2012 Comunicação em Sistemas Distribuídos! Os processos em um SD estão lógica e fisicamente separados. Precisam

Leia mais

Sistemas Distribuídos Aula 10

Sistemas Distribuídos Aula 10 Sistemas Distribuídos Aula 10 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Doutoranda em Ciência da Computação - UFU Mestre em Ciência da Computação UFU Bacharel em Ciência da Computação - UFJF Sincronização Comunicação

Leia mais

Sincronização em SDs I. Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34

Sincronização em SDs I. Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34 Sincronização em SDs I Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34 Introdução Sincronização em SDs consiste na aplicação de técnicas que fazem com que os processos concordem com o tempo ou a ordem de ocorrência

Leia mais

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Conceitos: Paradigma C/S. Conceitos: Paradigma C/S. Paradigma Cliente/Servidor

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Conceitos: Paradigma C/S. Conceitos: Paradigma C/S. Paradigma Cliente/Servidor Comunicação em Sistemas Distribuídos Paradigma / Os processos em um SD estão lógica e fisicamente separados. Precisam se comunicar para que possam interagir O desempenho de um SD depende criticamente do

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Faculdades SENAC Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 de agosto de 2009 Membership Grupos dinâmicos Membros entram e saem dos grupos Membros podem falhar (crash) Grupos são criados e destruídos em tempo

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com O que veremos hoje... Evolução Histórica Motivação Conceitos Características

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Coulouris Capítulo 4

Sistemas Distribuídos. Coulouris Capítulo 4 Sistemas Distribuídos Coulouris Capítulo 4 Mensagens Para comunicar-se com outros processos, um processo envia uma MENSAGEM para um DESTINO; um outro processo nesse destino recebe a mensagem. As operações

Leia mais

Comunicação entre processos (grupos) COMUNICAÇÃO ENTRE PROCESSOS Comunicação de grupo. Comunicação entre processos (grupos)

Comunicação entre processos (grupos) COMUNICAÇÃO ENTRE PROCESSOS Comunicação de grupo. Comunicação entre processos (grupos) COMUNICAÇÃO ENTRE PROCESSOS Comunicação de grupo Comunicação one-to-one Forma mais simples de comunicação entre processos point -to-point, ou unicast Algumas aplicações requerem comunicação envolvendo

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução

Sistemas Distribuídos. Introdução Sistemas Distribuídos Introdução Definição Processos Um sistema distribuído é um conjunto de computadores independentes, interligados por uma rede de conexão, executando um software distribuído. Executados

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos 1 de 9 Sistemas Distribuídos O que é um sistema distribuído? Um conjunto de computadores autonomos a) interligados por rede b) usando um software para produzir uma facilidade de computação integrada. Qual

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS CUP Disk Memoey CUP Memoey Disk Network CUP Memoey Disk Comunicação em Sistemas Distribuídos Sumário Modelo Cliente e Servidor Troca de Mensagens Remote Procedure Call Comunicação

Leia mais

Introdução. Definição de um Sistema Distribuído (1) Definição de um Sistema Distribuído(2) Metas de Sistemas Distribuídos (2)

Introdução. Definição de um Sistema Distribuído (1) Definição de um Sistema Distribuído(2) Metas de Sistemas Distribuídos (2) Definição de um Sistema Distribuído (1) Introdução Um sistema distribuído é: Uma coleção de computadores independentes que aparecem para o usuário como um único sistema coerente. Definição de um Sistema

Leia mais

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com Última atualização: 20.03.2013 Conceitos Banco de dados distribuídos pode ser entendido como uma coleção de múltiplos bds

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Comunicação Inter-Processos Sockets e Portas Introdução Sistemas distribuídos consistem da comunicação entre processos

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Comunicação de Grupos Peer to Peer Comunicação de Grupos Modelos Anteriores - Comunicação envolvia somente duas partes. RPC não permite comunicação de um processo com vários outros

Leia mais

Sincronização em Sistemas Distribuídos

Sincronização em Sistemas Distribuídos Sincronização em Sistemas Distribuídos Prof. Raul Ceretta Nunes Curso de Ciência da Computação ELC1018 - Sistemas Distribuídos 1 Sincronização em SD baseada no tempo real (absoluto) baseada na ordem relativa

Leia mais

Sincronização. Sincronização de Relógios. Relógios Físicos

Sincronização. Sincronização de Relógios. Relógios Físicos Sincronização Embora a comunicação entre processos seja essencial em Sistemas Distribuídos, a sincronização de processos é também muito importante. Por exemplo: o É importante que vários processos não

Leia mais

Sistemas Cliente-Servidor

Sistemas Cliente-Servidor Sistemas Cliente-Servidor Disciplina Bancos de Dados II (INE 5616 2006-1) Curso de Sistemas de Informação Prof. Renato Fileto INE/CTC/UFSC 1 1 Cliente - Servidor Arquitetura cliente/servidor: Os servidores

Leia mais

Sistemas Informáticos

Sistemas Informáticos Sistemas Informáticos Sistemas Distribuídos Eng.ª Sistemas de Informação Escola Superior de Tecnologia e Gestão - IPVC Ano Lectivo 2005-2006 1.º Semestre Gestão de Nomes 1 - Objectivos - Os nomes são fundamentais

Leia mais

Sistemas Distribuídos Comunicação entre Processos em Sistemas Distribuídos: Middleware de comunicação Aula II Prof. Rosemary Silveira F. Melo Comunicação em sistemas distribuídos é um ponto fundamental

Leia mais

Sincronização em Sistemas Distribuídos

Sincronização em Sistemas Distribuídos 1 Sincronização em Sistemas Distribuídos 2 Roteiro Sincronização através do clock Relógios Lógicos Solução de Lamport (1978, 1990) Relógios Físicos Algoritmo de Cristian Algoritmo de Berkeley 3 Sincronização

Leia mais

Sincronização. Tempo e Relógios. Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol

Sincronização. Tempo e Relógios. Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol Sincronização Tempo e Relógios Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol 1 O papel do tempo Crucial na ordenação de eventos Tempo Real? - Função

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Caracterização de Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Caracterização de Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Caracterização de Sistemas Distribuídos Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA http://www.lsd.deinf.ufma.br

Leia mais

Tempo e estados globais. Tempo. Tempo. Sincronização de relógios físicos. Sincronização de relógios físicos: drift

Tempo e estados globais. Tempo. Tempo. Sincronização de relógios físicos. Sincronização de relógios físicos: drift Tempo e estados globais Tempo Capítulo 10 - Introdução Noções iniciais: tempo em S, drift, skew, UTC Sincronização de relógios físicos lgoritmo de Christian lgoritmo de erkeley Protocolo NTP Tempo lógico

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Comunicação coletiva Modelo Peer-to-Peer Slide 6 Nielsen C. Damasceno Introdução Os modelos anteriores eram realizado entre duas partes: Cliente e Servidor. Com RPC e RMI não é possível

Leia mais

Sistemas Distribuídos RPC x RMI. Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos RPC x RMI. Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos RPC x RMI Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Roteiro da Aula Chamada Remota a Procedimento Definição Passagem de Parâmetros STUBS Semântica de Falhas 2 RPC Chamada Remota a

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sincronização Referência Sistemas operacionais modernos Andrew S. TANENBAUM Prentice-Hall, 995 Seção. pág. 36-325 2 Conteúdo Relógios lógicos Algoritmo de Lamport Relógios físicos Algoritmos para sincronização

Leia mais

Visão do Usuário da DSM

Visão do Usuário da DSM Memória Compartilhada Distribuída Visão Geral Implementação Produtos 1 Memória Compartilhada Distribuída Mecanismos tradicionais de comunicação via RPC/RMI ou mensagens deixam explícitas as interações

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Carlos Ferraz cagf@cin.ufpe.br Tópicos da Aula Apresentação do curso Introdução Definição de sistemas distribuídos Exemplo Vantagens e desvantagens Convergência digital Desafios Visão

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Resiliência de Processos Comunicação Confiável Cliente-Servidor Capítulo 8 Resiliência de Processos Idéia Básica: Replicar processos em grupos,

Leia mais

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM INTRODUÇÃO, INFRA-ESTRUTURA E MAPEAMENTO DE ESQUEMAS AGENDA Data Management System Peer Data Management System P2P Infra-estrutura Funcionamento do PDMS Mapeamento de Esquemas

Leia mais

Transparência de Localização. Sistemas de Arquivos Distribuídos. Sistemas de Arquivos Distribuídos. Serviço de Arquivos X Servidor de Arquivos

Transparência de Localização. Sistemas de Arquivos Distribuídos. Sistemas de Arquivos Distribuídos. Serviço de Arquivos X Servidor de Arquivos Sistemas de Arquivos Distribuídos nnetwork File System - NFS (Sun) nandrew File System - AFS (IBM) Serviço de Arquivos X Servidor de Arquivos nserviço de Arquivos o que o sistema de arquivos oferece para

Leia mais

Programação Distribuída

Programação Distribuída Unidade 4 Programação Distribuída Transações Distribuídas O que são? São sistemas compostos por diversas partes cooperantes que são executadas em máquinas diferentes interconectadas por uma rede Exemplos

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Quando se projeta um sistema cuja utilização é destinada a ser feita em ambientes do mundo real, projeções devem ser feitas para que o sistema possa

Leia mais

Sincronização de Processos (5) Troca de Mensagens

Sincronização de Processos (5) Troca de Mensagens Sincronização de Processos (5) Troca de Mensagens Passagem (Troca) de Mensagens Motivação: Semáforos e algoritmos de exclusão mútua são baseados no compartilhamento de variáveis. Isso implica no compartilhamento

Leia mais

INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião

INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião O QUE É? Uma Rede de Computadores é formada por um conjunto de equipamentos(módulos processadores - MPs) capazes de trocar informações

Leia mais

Sistemas Distribuídos Comunicação. Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos Comunicação. Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Comunicação Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Roteiro da Aula Roteiro da Aula Comunicação entre Processos Protocolos Modelo OSI Modelo Cliente Servidor 3 Comunicação entre

Leia mais

Considerações no Projeto de Sistemas Cliente/Servidor

Considerações no Projeto de Sistemas Cliente/Servidor Cliente/Servidor Desenvolvimento de Sistemas Graça Bressan Graça Bressan/LARC 2000 1 Desenvolvimento de Sistemas Cliente/Servidor As metodologias clássicas, tradicional ou orientada a objeto, são aplicáveis

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Faculdades SENAC Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 de agosto de 2009 Introdução Um Modelo Arquiteturial dene o modo no qual os componentes de sistemas interagem e o modo no qual eles são mapeados

Leia mais

Arquitecturas Tolerantes a faltas em Sistemas Distribuídos

Arquitecturas Tolerantes a faltas em Sistemas Distribuídos Arquitecturas Tolerantes a faltas em Sistemas Distribuídos Replicação de Servidores Transacções Atómicas Protocolos de Replicação Replicação passiva vs. activa Replicação de máquinas de estados vs. Replicação

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUIDOS

SISTEMAS DISTRIBUIDOS 1 2 Caracterização de Sistemas Distribuídos: Os sistemas distribuídos estão em toda parte. A Internet permite que usuários de todo o mundo acessem seus serviços onde quer que possam estar. Cada organização

Leia mais

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Desenvolvimento de Sistemas Cliente Servidor Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Ciclo de Vida Clássico Aonde estamos? Page 2 Análise O que fizemos

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Modelo Cliente-Servidor: comunicação orientada por mensagem e comunicação orientada por fluxo Prof. MSc. Hugo Souza Continuando o módulo 03 da primeira unidade, iremos abordar sobre

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br

Sistemas Distribuídos. Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br Sistemas Distribuídos Ricardo Ribeiro dos Santos ricrs@ec.ucdb.br Curso de Engenharia de Computação UCDB Novembro/2003 Tópicos Tolerância a falhas em comunicação em grupo Tolerância a falhas em comunicação

Leia mais

Distributed Systems Principles and Paradigms

Distributed Systems Principles and Paradigms Distributed Systems Principles and Paradigms Maarten van Steen VU Amsterdam, Dept. Computer Science (Tradução e Adaptação Ricardo Anido - IC/Unicamp) Capítulo 04: Comunicação Versão: 20 de março de 2014

Leia mais

Sistemas Distribuídos Arquitetura de Sistemas Distribuídos Aula II Prof. Rosemary Silveira F. Melo Arquitetura de Sistemas Distribuídos Conceito de Arquitetura de Software Principais elementos arquiteturais

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 SISTEMA DE INTERCONEXÃO (BARRAMENTOS) Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Componentes estruturais: Memória Principal Unidade de Processamento Central

Leia mais

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Projeto de Sistemas Distribuídos. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Projeto de Sistemas Distribuídos Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Agenda Introdução Exemplos de Sistemas Distribuídos Compartilhamento de Recursos e a Web Principais Desafios para a Implementação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores 2 1 Máquinas e processos podem ser identificados por endereços (hierárquicos ou não) conforme visto, como IP, IP+NroPorta, No uso por usuários

Leia mais

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa Redes de Computadores II Professor Airton Ribeiro de Sousa 1 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento 2 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento A quantidade de endereços possíveis pode ser calculada de forma simples.

Leia mais

Resumo. Introdução Classificação Fases Curiosidades

Resumo. Introdução Classificação Fases Curiosidades Tolerância à falha Resumo Introdução Classificação Fases Curiosidades Introdução Sistemas Tolerantes a Falhas são aqueles que possuem a capacidade de continuar provendo corretamente os seus serviços mesmo

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Aula 4 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Doutoranda em Ciência da Computação - UFU Mestre em Ciência da Computação UFU Bacharel em Ciência da Computação - UFJF Migração de Código Em

Leia mais

Ciência de Computadores Sistemas Distribuídos e Móveis

Ciência de Computadores Sistemas Distribuídos e Móveis Ciência de Computadores Sistemas Distribuídos e Móveis Lista de Exercícios Data: 4 de Novembro de 2013 Questões sobre o capítulo 1, Tanenbaum & van Steen: Fundamentos 1) Explique o significado de transparência,

Leia mais

MC714 - Sistemas Distribuídos. Leandro Villas

MC714 - Sistemas Distribuídos. Leandro Villas MC714 - Sistemas Distribuídos Aula de Hoje Aula Passada Nomeação Aula de Hoje Introdução ao problema de sincronização Relógios Físicos Algoritmos de Sincronização Sincronização de Relógios em Redes sem

Leia mais

MC714 - Sistemas Distribuídos. Leandro Villas

MC714 - Sistemas Distribuídos. Leandro Villas MC714 - Sistemas Distribuídos Aula de Hoje Aula Passada Relógios Lógicos Relógios de Lamport Relógios Vetoriais Aula de Hoje Exclusão Mútua Algoritmos de Eleição Exclusão mútua Questão fundamental em SDs

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com ENLACE X REDE A camada de enlace efetua de forma eficiente e com controle de erros o envio

Leia mais

Modelos de Arquiteturas. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Modelos de Arquiteturas. Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Modelos de Arquiteturas Prof. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Agenda Introdução Arquitetura de Sistemas Distribuídos Clientes e Servidores Peer-to-Peer Variações Vários Servidores Proxy Código Móvel

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Soquetes Um soquete é formado por um endereço IP concatenado com um número de porta. Em geral, os soquetes utilizam uma arquitetura cliente-servidor. O servidor espera por pedidos

Leia mais

Tecnologia de Sistemas Distribuídos Capítulo 8: Sistemas de Ficheiros Distribuídos Paulo Guedes

Tecnologia de Sistemas Distribuídos Capítulo 8: Sistemas de Ficheiros Distribuídos Paulo Guedes Tecnologia de Sistemas Distribuídos Capítulo 8: Sistemas de Ficheiros Distribuídos Paulo Guedes Paulo.Guedes@inesc.pt Alves Marques jam@inesc.pt INESC/IST 1 Sistema de Ficheiros Distribuídos Permite a

Leia mais

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores

Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos. Introdução. Um Serviço Provido por Múltiplos Servidores Camadas de Serviço de Hardware e Software em Sistemas Distribuídos Arquiteutra de Sistemas Distribuídos Introdução Applications, services Adaptação do conjunto de slides do livro Distributed Systems, Tanembaum,

Leia mais

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. 7- Outras Arquiteturas para SGBDs 7.6 - SGBDs para Estações Móveis

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. 7- Outras Arquiteturas para SGBDs 7.6 - SGBDs para Estações Móveis Sistemas de Gerência de Bancos de Dados 7- Outras Arquiteturas para SGBDs 7.6 - SGBDs para Estações Móveis 1 Tópicos Alternativas para Disseminação de Dados Push-based Technologies Bancos de Dados Móveis

Leia mais

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34 Comunicação em Sistemas Distribuídos Bruno M. Carvalho Sala: 3B2 Horário: 35T34 Comunicação em Sistemas Distribuídos Protocolos regras que os processos que estão se comunicando tem de seguir Protocolos

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Marabá Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Sistemas Distribuídos Prof.: Warley Junior warleyjunior05@gmail.com Plano de Ensino. Turma SI

Leia mais

Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas. Tempo e Relógios. Baseado no trabalho de: Ana Sofia Cunha m1892 Christian Lopes a15132 UBI, 2008

Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas. Tempo e Relógios. Baseado no trabalho de: Ana Sofia Cunha m1892 Christian Lopes a15132 UBI, 2008 Sistemas Distribuídos e Tolerância a Falhas Tempo e Relógios 1 Baseado no trabalho de: Ana Sofia Cunha m1892 Christian Lopes a15132 UBI, 2008 O papel do tempo 2 Crucial na ordenação de eventos Tempo Real?

Leia mais

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 Disciplina Fundamentos de Redes Introdução ao Endereço IP 1 Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 PROTOCOLO TCP - ARQUITETURA Inicialmente para abordamos o tema Endereço IP, é necessário abordar

Leia mais

Multiprocessamento. Multiprocessadores com memória distribuída (multicomputador)

Multiprocessamento. Multiprocessadores com memória distribuída (multicomputador) Multiprocessamento Multiprocessadores com memória distribuída (multicomputador) Conjunto de processadores, cada qual com sua memória local Processadores se comunicam por troca de mensagens, via rede de

Leia mais

Sistemas Distribuídos Sincronização de Relógios. Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos Sincronização de Relógios. Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Sincronização de Relógios Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Roteiro da Aula Definições Clock Físico Cristian Berkeley Clock Lógico Lamport 2 Definições Clock Físico Dia Solar

Leia mais

Metas de um Sistema Distribuído

Metas de um Sistema Distribuído Metas de um Sistema Distribuído Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

Padrões Arquiteturais. Sistemas Distribuídos: Broker

Padrões Arquiteturais. Sistemas Distribuídos: Broker Padrões Arquiteturais Sistemas Distribuídos: Broker Sistemas Distribuídos Tendências: Sistemas Comp. com múltiplas CPUs Redes locais com centenas de hospedeiros Benefícios Economia Desempenho e escalabilidade

Leia mais

Arquitetura de uma Rede JXTA

Arquitetura de uma Rede JXTA Page 1 of 6 Redes de Proteção SP Produtos de Rede Confiança e credibilidade. fone Produtos TrendNet: qualidade, (011) 6197-0707 garantia e ótimo custo/benefício. www.tudoderedesdeprotecao.com.br http://www.trendware.com.br

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Consistência e Replicação Capítulo 7 Agenda Razões para Replicação Replicação como técnica de escalabilidade Modelos de Consistência centrados

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Introdução. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Introdução Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br Agenda Definição de Sistemas Distribuídos Evolução Histórica Exemplos Comparação com Sistemas Centralizados Conclusão 2 Definição

Leia mais

Características Básicas de Sistemas Distribuídos

Características Básicas de Sistemas Distribuídos Motivação Crescente dependência dos usuários aos sistemas: necessidade de partilhar dados e recursos entre utilizadores; porque os recursos estão naturalmente em máquinas diferentes. Demanda computacional

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Introdução Frederico Madeira LPIC 1, LPIC 2, CCNA fred@madeira.eng.br www.madeira.eng.br Referências - Coulouris, G.;Dollimore, J.; Kindberg, T.; SISTEMAS DISTRIBUIDOS CONCEITOS E

Leia mais

Resumo. Introdução História Caracteristicas Exemplos Arquitetura Distribuição Vertical vs Distribuição Horizontal Segurança Conclusão

Resumo. Introdução História Caracteristicas Exemplos Arquitetura Distribuição Vertical vs Distribuição Horizontal Segurança Conclusão Peer 2 Peer (P2P) Resumo Introdução História Caracteristicas Exemplos Arquitetura Distribuição Vertical vs Distribuição Horizontal Segurança Conclusão O que é P2P? Introdução Tipo de arquitetura de rede

Leia mais

Sistemas Distribuídos e Redes de Sensores

Sistemas Distribuídos e Redes de Sensores Aula 5: abril de 2013 sobre nosso exemplo cliente-servidor servidor espera pedido e passa a tratá-lo e pedidos que cheguem durante tratamento? cliente envia pedido de leitura... pode ou não receber resposta?

Leia mais

Concretização de um protocolo de difusão atómica em sistemas com ligações intermitentes

Concretização de um protocolo de difusão atómica em sistemas com ligações intermitentes Concretização de um protocolo de difusão atómica em sistemas com ligações intermitentes Sérgio Cardoso Escola Sup. Gestão de Santarém Politécnico de Santarém s.cardoso@mail.telepac.pt Luís Rodrigues Faculdade

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Por que Redes? Estamos cercados por redes: supermercados, lojas, bancos, cinemas, farmácias e inúmeros outros lugares; Com a queda do custo de implementação de redes, é praticamente impossível pensar em

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Operativos

Arquitetura de Sistemas Operativos Arquitetura de Sistemas Operativos Sistemas Operativos 2011/2012 1 Introdução Os sistemas operativos implementam mecanismos que asseguram independência entre processos (i.e., a execução de um processo

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 7 - SINCRONIZAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A sincronização entre processos é tão importante quanto à comunicação entre processos em sistemas distribuídos. Por exemplo, como as regiões críticas são implementadas

Leia mais