Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão de Tomar Curso: 1º Ciclo de Estudos em Gestão Turística e Cultural.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão de Tomar Curso: 1º Ciclo de Estudos em Gestão Turística e Cultural."

Transcrição

1 Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão de Tomar Curso: 1º Ciclo de Estudos em Gestão Turística e Cultural Licenciatura Área Científica predominante do Curso: Turismo Estrutura Curricular do Curso 1º Ano Curricular 1º Unidades Curriculares Área Científica Tipo Sistema Turístico T 1º Língua e Literaturas de Expressão L 1º Portuguesa I Matemática para as Ciências M 1º Sociais Informática TIC 1º Geografia e Turismo A 1º Metodologia da Investigação em PC 1º Cultura e Turismo Tempo de Créditos Trabalho (Horas) Total Contacto Observ. Unidades Curriculares - RESUMO Sistema Turístico Apreender o sector turístico numa abordagem ampla compreendendo todas as inter relações e interdependências dos seus vários elementos. Língua e Literaturas de Expressão Portuguesa I Matemática para as Ciências Sociais Abordar vários géneros literários, dando primazia à poesia, aos ensaios, às crónicas e aos contos e a diversas variedades do Português; capacidade de acesso simultâneo, e não compartimentado, a diversos pontos de vista sobre um mesmo tema através de um suporte literário multicultural; contacto com a língua Mirandesa, segunda língua oficial de Portugal; compreender a lusofonia e buscar o entendimento entre diversas culturas, tendo o turismo como ponte; adquirir pensamento crítico e capacidade argumentativa; identificar as relações gramaticais dos constituintes da frase; aperfeiçoamento da capacidade retórica. Adquirir e consolidar as valências matemáticas necessárias ao estudo de realidades de natureza económica e social. Pretende-se dotar os alunos das ferramentas de cálculo necessárias à 1

2 compreensão das matérias leccionadas ao longo do ano. Neste sentido, os conceitos são apresentados de um ponto de vista matemático, mas ressaltando sempre a ligação directa à vertente prática das várias aplicações que os caracterizam. Com este objectivo, os conceitos são introduzidos de forma a servirem de apoio a todas as disciplinas do curso que deles necessitem, promovendo a transversalidade interdisciplinaridade. Integra conhecimentos de Álgebra Linear e de Análise Matemática Real, com as respectivas aplicações às Ciências Económicas e Sociais. Informática Conhecimentos consolidados sobre o funcionamento do computador na óptica de um utilizador avançado. Manuseamento e operações no computador com recurso ao sistema operativo. Capacidade de escolher e utilizar a ferramenta de trabalho adequada com vista à agilização de processos, automatização dos dados, troca e apresentação da informação. Geografia e Turismo Assegurar as condições de acesso à aprendizagem e experiência profissional, tendo em conta o desenvolvimento genérico e específico das competências científico-pedagógicas do Plano de Estudos. Definição, organização e metodologias de processos de observação e exploração dos vários conceitos e situações relacionados com as várias categorias de espaço/território/tempo, numa escala multi-dimensional e pluriescalar, de acordo com o Metodologia da Investigação em Cultura e Turismo desenvolvimento de actividades geo-turístico-culturais. Proporcionar ao aluno o contacto com os processos do conhecimento científico entendidos no âmbito da construção intelectual. Nessa medida serão tratadas as temáticas inerentes aos processos reais e processos cognitivos, que enformam o conhecimento como interpretação sobre a realidade. Serão abordadas as várias formas de interpretação da realidade tais como a filosófica, a religiosas, a estética, a técnica, a do senso comum, etc., com vista à reflexão sobre a pluralidade das ciências de que o homem se socorre, para a sua construção civilizacional e histórica. A elaboração de um processo de pesquisa desde a proposta de partida até às conclusões é competência conceptual e instrumental a desenvolver ao longo da decorrência da disciplina. 2

3 1º Ano Curricular 2º Unidades Curriculares Área Científica Tipo História I H 2º Língua e Literaturas de Expressão L 2º Portuguesa II Inglês I L 2º Francês I / Alemão I L 2º Economia e Sociologia do T 2º Turismo Introdução à Gestão de Empresas G 2º Tempo de Créditos Trabalho (Horas) Total Contacto Observ. Unidades Curriculares - RESUMO História I Pretende-se valorizar e desenvolver, não apenas os conhecimentos, mas também a capacidade crítica e a criatividade do aluno na problematização da História portuguesa e europeia no contexto internacional, e promover uma atitude científica e interventiva perante essa realidade, recusando quaisquer obstáculos epistemológicos radicados na ideologia, etnia, nacionalidade, género, religião ou quaisquer outros, de modo a criar e consolidar uma consciência cívica própria de uma sociedade democrática. Os pontos programáticos surgem como pretextos para abordar os temas que lhes estão subjacentes. Trata-se de um programa aberto às interpretações e às sugestões por ele suscitadas. Um programa vivo e em construção. Língua e Literaturas de Expressão Portuguesa II Inglês I Abordar vários géneros literários, dando primazia à poesia, aos ensaios, às crónicas e aos contos e a diversas variedades do Português; capacidade de acesso simultâneo, e não compartimentado, a diversos pontos de vista sobre um mesmo tema através de um suporte literário multicultural; contacto com a língua Mirandesa, segunda língua oficial de Portugal; compreender a lusofonia e buscar o entendimento entre diversas culturas, tendo o turismo como ponte; adquirir pensamento crítico e capacidade argumentativa; identificar as relações gramaticais dos constituintes da frase; aperfeiçoamento da capacidade retórica. Consolidação e desenvolvimento das capacidades comunicativas em Língua Inglesa no contexto específico do Turismo. Os alunos deverão ficar aptos a escrever e falar Inglês com correcção e 3

4 Francês I / Alemão I Economia e Sociologia do Turismo Introdução à Gestão de Empresas fluência nas diferentes áreas da indústria turística. Francês I - Pretende-se, com esta disciplina, introduzir e desenvolver conhecimentos em língua e cultura francesas, assim como um saber-fazer profissional relacionado com as diferentes actividades ligadas ao turismo. Tal será alcançado através da compreensão de textos quer do domínio técnico quer da actualidade, assim como da produção escrita e oral que permitirá ao aluno a utilização da língua francesa em situações de interacção socioprofissional. Alemão I - Nesta disciplina dá-se ênfase à aquisição de competências a nível oral no atendimento ao turista falante da língua alemã. O aluno deverá usar a língua alemã de forma fluente, correcta e adequada dentro do domínio do serviço de atendimento ao turista nas diversas entidades turísticas existentes (hotéis, postos de informação turística, agências de viagens, etc.), sabendo paralelamente fazer as anotações necessárias ao mesmo. Capacidade de precisar conceitos e indicadores ligados directamente ao sector turístico, tanto da parte da oferta como da procura turística. Compreender os diversos conceitos que englobam o conceito geral de Gestão, e com a elaboração de um trabalho de grupo poderá colocar em prática todos esses mesmos conceitos. Notese que o aluno no final da disciplina será capaz de entender todos os conceitos bases para o curso de gestão. 4

5 2º Ano Curricular 1º Unidades Curriculares Área Científica Tipo Direito do Turismo D 1º Contabilidade Geral C 1º Operações Turísticas T 1º História II H 1º Inglês II L 1º Francês II / Alemão II L 1º Tempo de Trabalho (Horas) Total Contacto Créditos Observ. Direito do Turismo Contabilidade Geral Operações Turísticas Unidades Curriculares - RESUMO Pretende-se que os discentes tomem conhecimento de um ramo jurídico que tem vindo a desenvolver-se em torno dos núcleos fundamentais e estruturantes da actividade turística. Para tanto, deverão compreender a organização do sector do turismo em Portugal e as entidades a quem compete a tutela desta actividade. Deverão ainda apreender os vectores nucleares de desenvolvimento da disciplina jurídica da actividade turística, tomando contacto com as várias áreas regulativas em questão, de modo a conhecerem, de forma directa, as exigências normativas do desenvolvimento da actividade turística em Portugal. Além de tudo, deverão ainda os discentes enquadrar comunitária e internacionalmente a actividade turística, comparando, na medida do possível, a regulamentação em vigor em face das políticas subjacentes ao fenómeno do turismo. Estudo dos principais instrumentos, técnicas, produtos e métodos da contabilidade, que garantam o conjunto de informações adequado ao processo de tomada de decisões num contexto da Gestão Turística e Cultural tendo em conta a aquisição, percepção e avaliação de competências técnicas por diversos agentes económicos. Conhecimento da actividade turística, do funcionamento dos agentes turísticos, das suas operações, das relações que existem entre eles e das transformações em curso. Domínio das ferramentas usadas pelos agentes turísticos para fazer face ao mercado global. Competência para o exercício de funções de 5

6 gestão de operações turísticas. História II Tal como em História I, de que completa o programa, pretendese valorizar e desenvolver, não apenas os conhecimentos, mas também a capacidade crítica e a criatividade do aluno na problematização da História portuguesa e europeia no contexto internacional, e promover uma atitude científica e interventiva perante essa realidade, recusando quaisquer obstáculos epistemológicos radicados na ideologia, etnia, nacionalidade, género, religião ou quaisquer outros, de modo a criar e consolidar uma consciência cívica própria de uma sociedade democrática. Os problemas actuais são outros tantos pontos capazes de motivar para um debate muito interventivo. Inglês II Utilização de estruturas gramaticais mais complexas. Consolidação das competências no que respeita à produção oral e escrita. Desenvolvimento do vocabulário associado aos conhecimentos gramaticais adquiridos em Inglês I. Capacidade de participar em debates e exercícios orais. Francês II / Alemão II Francês II - Pretende-se, com esta disciplina, consolidar e desenvolver conhecimentos em língua e cultura francesas, no contexto específico do turismo, com maior relevância para o turismo cultural. Tal será alcançado através da compreensão de textos quer do domínio técnico-científico quer da actualidade, assim como da produção escrita e oral que permitirá ao aluno a utilização da língua francesa em situações de interacção socioprofissional. Alemão II - Consolidação e desenvolvimento das competências comunicativas dos alunos relativamente à Língua Alemã no contexto específico da Gestão Turística e Cultural. Os alunos deverão ficar aptos a utilizar a Língua Alemã com correcção e fluência nas diversas áreas focadas no âmbito da Gestão Turística e Cultural: férias e viagens, roteiros históricos turísticos, organização de eventos culturais entre outras. Pretende-se igualmente consolidar o conhecimento das estruturas gramaticais, inserindo-as no contexto. Produção de correspondência pessoal, correspondência institucional e formulários por exemplo, serão tipos de escrita com os quais os alunos deverão ficar familiarizados. 6

7 2º Ano Curricular 2º Unidades Curriculares Área Científica Tipo Eventos e Animação Cultural PC 2º PromoçãoTurística e Cultural T 2º Estatística Descritiva M 2º Contabilidade de Gestão C 2º História da Arte I H 2º Etnografia e Artes Tradicionais PC 2º Portuguesas Tempo de Trabalho (Horas) Total Contacto Créditos Observ. Unidades Curriculares - RESUMO Eventos e Animação Cultural Dar aos alunos as ferramentas necessárias para a organização de qualquer tipo de evento. Aprofundar a visão de evento no contexto do turismo e da cultura. Conceber, através de critérios baseados na promoção e no planeamento cultural, estratégias de fomento de eventos turístico-culturais. Aprofundar as formas estratégicas para uma boa comunicação e um bom relacionamento, num panorama informativo/comunicativo. Fazer entender as políticas e a gestão implícitas na animação cultural (planificação cultural e programação de animação em actividades lúdicas e artísticas locais). Definir produtos baseados no sector de eventos e no sector da animação cultural e integrálos no pacote turístico e cultural. PromoçãoTurística e Cultural Aplicação do processo de marketing, como filosofia de gestão das organizações, nos níveis estratégico e operacional. Capacidade de planeamento e gestão de marketing no turismo e nos produtos culturais. Autonomia para coordenação da elaboração de planos de marketing. Estatística Descritiva Dotar os estudantes dos principais conceitos estatísticos inerentes à análise de dados. Permitir o uso de técnicas recorrendo a software estatístico. Contabilidade de Gestão Familiarizar-se com conceitos, métodos, técnicas e demonstrações contabilísticas actualmente usados nos sistemas de Contabilidade de Gestão e Analítica. História da Arte I Pretende dar a conhecer o papel da Arte no processo civilizacional, fornecendo aos alunos as ferramentas essenciais às diversas leituras do objecto artístico. Paralelamente, procura 7

8 Etnografia e Artes Tradicionais Portuguesas desenvolver no aluno a sensibilidade para simplificar e adequar os conhecimentos artísticos ao domínio do Turismo Cultural, esperando-se que este se interrogue sobre os valores estéticos e culturais do Património Histórico, com vista à sua fruição turística. Perceber a importância da Etnografia enquanto ferramenta de análise à cultura material e cultura imaterial dos povos. Adequar metodologias de abordagem centrada na realidade social portuguesa e promover o contacto com a realidade etnográfica parceira do desenvolvimento local e do turismo cultural. Despertar para a defesa e a valorização das Artes Tradicionais Portuguesas (através da prática de trabalhos temáticos) tendo em conta a viabilização económica destas actividades e, consequentemente, a melhoria do nível de vida das pessoas envolvidas. Actualização e operacionalização desses testemunhos a favor de projectos culturais transdisciplinares e integrados no desenvolvimento turístico das comunidades locais e regionais. 8

9 3º Ano Curricular 1º Unidades Curriculares Área Científica Tipo Planeamento Turístico T 1º Turismo Internacional T 1º História da Arte II H 1º Gestão de Unidades Turísticas T 1º Arqueologia e Musealização de A 1º Sítios Salvaguarda do Património PC 1º Cultural Tempo de Créditos Trabalho (Horas) Total Contacto Observ. Unidades Curriculares - RESUMO Planeamento Turístico Conhecimento teórico e aplicado dos processos de planeamento e desenvolvimento de produtos e de destinos turísticos. Capacidade para planear produtos turísticos, com foco nos produtos culturais. Autonomia para coordenação da elaboração de planos de desenvolvimento turístico regionais e locais. Capacidade de exercício de funções de topo na gestão de destinos turísticos. Turismo Internacional Conhecimento das diversas regiões turísticas mundiais, do seu papel nas movimentações de turistas e das novas ameaças e oportunidades do mercado global. Conhecimento dos fluxos turísticos internacionais, da distribuição da oferta, dos comportamentos da procura e dos principais destinos turísticos mundiais e respectivas características. Capacidade de análise de mercados emissores de turismo mundiais e da concorrência entre destinos. História da Arte II Pretende transmitir aos alunos o papel da Arte no processo civilizacional, através do estudo dos artistas, formas, espaços, cores e volumes dos grandes ciclos, desde o Renascimento até à Arte do Século XX. Paralelamente, pretende desenvolver no aluno a sensibilidade essencial à interpretação e compreensão do fenómeno e objecto artístico, procurando a simplificação e adequação da linguagem artística ao contexto do Turismo Cultural. Gestão de Unidades Turísticas Conhecimento dos diversos agentes da actividade turística, das formas tradicionais de gestão, das suas estratégias actuais e das novas tendências. Competências para o exercício de funções de gestão global e de 9

10 Arqueologia e Musealização de Sítios Salvaguarda do Património Cultural áreas departamentais em empresas turísticas. Assegurar as condições de acesso à aprendizagem e experiência profissional, tendo em conta o desenvolvimento genérico e específico das competências científico-pedagógicas do Plano de Estudos. Levar o aluno a questionar a necessidade de protecção do património através da reflexão crítica. Identificar as causas, factores e agentes de degradação do património cultural e natural. Identificar valores culturais e de uso e o seu significado. Aprofundar numa perspectiva global de enquadramento legislativo: as cartas, convenções e recomendações da UNESCO sobre a protecção e salvaguarda do património cultural, assim como os objectivos e acções de associações, organizações e instituições do património cultural e natural. Identificar e explorar outros instrumentos de salvaguarda do património. Identificar os diferentes materiais constituintes do património (material, imaterial, móvel, imóvel, tangível, intangível) e colocar em evidência a interpretação turística desses bens culturais. 10

11 3º Ano Curricular 2º Unidades Curriculares Área Científica Tipo Gestão Autárquica de Turismo e Cultura PC 2º Turismo Empresarial T 2º Seminário em Estudos Turístico- A 2º Culturais Sociedade de Informação: turismo TIC 2º e cultura História da Arte III H 2º Projecto Integrado Turístico- T+PC+ 2º Cultural H+A Tempo de Créditos Trabalho (Horas) Total Contacto Observ. Créditos Áreas: Turismo, 4; Património Cultural,1; História,1 e Arqueologia,1. Gestão Autárquica de Turismo e Cultura Turismo Empresarial Seminário em Estudos Turístico-Culturais Sociedade de Informação: turismo e cultura Unidades Curriculares - RESUMO Preparar os alunos para aquisição de competências que lhes permitam assegurar trabalho técnico nos domínios do turismo e cultura nas autarquias. Ensinar técnicas e métodos eficientes e destinados a auxiliar o desenvolvimento e a motivação das pequenas empresas ligadas ao turismo, é outro dos objectivos desta disciplina. Procurar fomentar o princípio de que o turismo é mais uma actividade de empreendedores do que de executivos, será o terceiro grande objectivo desta disciplina, onde se procurará preparar os alunos com a preocupação de que, por detrás das novas ideias, visão do futuro e talento individual, há processos de análise, planeamento estratégico operacional e capacidade para o desenvolvimento dos projectos, que são elementos essenciais ao sucesso dos empreendimentos inovadores, gerando-se com isso emprego e riqueza. Técnicas de motivação e liderança podem e devem ser apreendidas nesta disciplina onde se procurará, igualmente, fornecer aos alunos as ferramentas indispensáveis ao seu futuro trabalho. Assegurar as condições de acesso à aprendizagem e experiência profissional, tendo em conta o desenvolvimento genérico e específico das competências científico-pedagógicas do Plano de Estudos. Conhecimentos consolidados para gerir e implementar 11

12 História da Arte III Projecto Integrado Turístico- Cultural estrategicamente os sistemas e tecnologias de informação em unidades turísticas e culturais. Dando continuidade às competências adquiridas na História da Arte I e na História da Arte II, a disciplina de História da Arte III pretende abordar e enquadrar o fenómeno artístico português no panorama artístico internacional. Desde a Pré- História ao nosso tempo, cabe a esta unidade curricular evidenciar a identidade artística nacional e, ainda, as particularidades introduzidas nas várias épocas, com especial destaque para a dos Descobrimentos. Procura-se ainda, em plena igualdade com as designadas Belas-Artes, focar os aspectos mais relevantes das denominadas Artes Decorativas implantadas em Portugal, nomeadamente aquelas que mais contribuem para a construção da dita marca portuguesa. Pretende desenvolver a capacidade de análise e reflexão sobre recursos e produtos turístico-culturais, na perspectiva da construção de um projecto de iniciativa individual ou de grupo e inédito. A sua vertente interdisciplinar abre a possibilidade de colaboração com os diferentes docentes e áreas científicopedagógicas que asseguram o curso, sendo esperado que os alunos saibam utilizar as diversas ferramentas de trabalho adquiridas ao longo do seu percurso académico. Sendo o Turismo a componente dominante, pretende-se que as competências possam reflectir a aprendizagem transversal e interdisciplinar proposta. 12

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo Licenciaturas Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo L I C E N C I A T U R A O R G A N I Z A Ç Ã O E G E S T Ã O H O T E L E I R A O B J E T I V O Formar profissionais competentes para

Leia mais

Cursos de Licenciatura

Cursos de Licenciatura DLLM Cursos de Licenciatura 2009-2010 1 Cursos de Licenciatura 2009/2010 1º Ciclo Bolonha DLLM Departamento de Línguas e Literaturas Modernas 2 Cursos de Licenciatura 2009-2010 DLLM DLLM Cursos de Licenciatura

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA 1º CICLO DE ESTUDOS LICENCIATURA I. OBJECTIVOS O objectivo deste ciclo de estudos é garantir aos estudantes uma sólida formação jurídica de base. Tendo

Leia mais

Caracterização dos cursos de licenciatura

Caracterização dos cursos de licenciatura Caracterização dos cursos de licenciatura 1. Identificação do ciclo de estudos em funcionamento Os cursos de 1º ciclo actualmente em funcionamento de cuja reorganização resultam os novos cursos submetidos

Leia mais

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública 2011 DESIGNAÇÃO A inscrição poderá DO CURSO ser efectuada Nº através DE do PREÇO site POR www.significado.pt Para mais informações, por favor contacte

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

MESTRADO EM FISCALIDADE

MESTRADO EM FISCALIDADE MESTRADO EM FISCALIDADE 1 - APRESENTAÇÃO Grau Académico: Mestre em Fiscalidade Duração do curso: 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema Europeu de Transferência de Créditos:

Leia mais

1ºANO 2ºANO 3ºANO 3000/3100 3000/3100 3000/3100

1ºANO 2ºANO 3ºANO 3000/3100 3000/3100 3000/3100 CONTABILIDADE ( C) 3ºANO 3000/3100 3000/3100 3000/3100 Contabilidade Geral (18h30m) Estatística Aplicada (14h) Contabilidade de Custos (18h30m) Noções Fundamentais de Direito (9h) Empreendedorismo (14h)

Leia mais

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO ACÇÃO-TIPO: 2.3.1 ACÇÕES DE FORMAÇÃO NA ROTA DA QUALIFICAÇÃO VALORIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO SECTOR AGRO-ALIMENTAR E TURÍSTICO CURSO N..ºº 11 TTÉCNI

Leia mais

PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO. Princípios orientadores

PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO. Princípios orientadores PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO Princípios orientadores O Ensino Secundário no Colégio Pedro Arrupe orienta-se de forma coerente para o desenvolvimento integral do aluno, promovendo um crescimento

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

A EDUCAÇAO PARA A CIDADANIA NOS CURRÍCULOS Ana Roque, Isabel Carvalho, Rosa Afonso, Teresa Fonseca DGIDC

A EDUCAÇAO PARA A CIDADANIA NOS CURRÍCULOS Ana Roque, Isabel Carvalho, Rosa Afonso, Teresa Fonseca DGIDC A EDUCAÇAO PARA A CIDADANIA NOS CURRÍCULOS Ana Roque, Isabel Carvalho, Rosa Afonso, Teresa Fonseca DGIDC 1 Antecedentes das questões de cidadania na política educativa e nos currículos escolares Os valores

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Políticas de Segurança 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ Semestre 15-16 Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Animação Turística Inglês para Animação I Língua Estrangeira I (Espanhol I / Alemão

Leia mais

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS

O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS O Processo de Bolonha na ESTBarreiro/IPS João Vinagre Santos A ESTBarreiro/IPS Criação em Julho de 1999, pelo Ministro da Educação Prof. Marçal Grilo 4ª Escola do IPS, 2ª Escola de Tecnologia, 1ª Escola

Leia mais

Parecer da Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual sobre a proposta de Revisão da Estrutura Curricular

Parecer da Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual sobre a proposta de Revisão da Estrutura Curricular Parecer da Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual sobre a proposta de Revisão da Estrutura Curricular Introdução A APECV, utilizando vários processos de consulta aos seus associados

Leia mais

Marketing Estratégico

Marketing Estratégico Marketing Estratégico Esta unidade curricular tem como objectivo principal proporcionar uma visão alargada das principais decisões estratégicas que são tomadas por um profissional de marketing. Numa primeira

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G Escola Superior de Gestão de Santarém Pedido de Registo do CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Peça Instrutória G Conteúdo programático sumário de cada unidade de formação TÉCNICAS

Leia mais

Ficha Técnica. Título: Educação Pré-Escolar e Avaliação

Ficha Técnica. Título: Educação Pré-Escolar e Avaliação Ficha Técnica Título: Educação Pré-Escolar e Avaliação Edição: Região Autónoma dos Açores Secretaria Regional da Educação e Ciência Direcção Regional da Educação Design e Ilustração: Gonçalo Cabaça Impressão:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Maio de 2011 PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Esta Pós-Graduação resulta da parceria entre a APEL

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar á ficha modelo ACC 2

Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar á ficha modelo ACC 2 CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DE FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Agências de Viagens e Transportes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE

Leia mais

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo

Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo Página 1 de 5 Despacho/SP/116/2014 Publicação das alterações ao plano de estudos do ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado em Turismo De acordo com o disposto nos artigos 75.º e seguintes do

Leia mais

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 2 No âmbito do disposto no número anterior, o professor: a) Reflecte sobre as suas práticas, apoiando-se na experiência, na investigação

Leia mais

A Educação Artística na Escola do Século XXI

A Educação Artística na Escola do Século XXI A Educação Artística na Escola do Século XXI Teresa André teresa.andre@sapo.pt Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Caldas da Rainha, 1 de Junho de 2009 1. A pós-modernidade provocou

Leia mais

200 educação, ciência e tecnologia

200 educação, ciência e tecnologia 200 A LÍNGUA FRANCESA NO JARDIM DE INFÂNCIA E NO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO * A Área Científica de Francês promoveu, no âmbito da Semana Cultural da Escola Superior de Educação de Viseu, que decorreu de

Leia mais

ÁREA DE COMPETÊNCIAS-CHAVE Cultura, Língua e Comunicação NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA

ÁREA DE COMPETÊNCIAS-CHAVE Cultura, Língua e Comunicação NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA GRUPO: ÁREA DE COMPETÊNCIAS-CHAVE Cultura, Língua e Comunicação NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA Actuar face aos equipamentos e sistemas técnicos usados em contexto doméstico, identificando

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

CET. Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial

CET. Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial CET Cursos de Especialização Tecnológica Gestão Administrativa de Recursos Humanos Secretariado de Direção e Comunicação Empresarial Técnicas de Turismo Ambiental Gestão Comercial GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

FUNDAÇÃO MINERVA CULTURA ENSINO E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NOTA EXPLICATIVA

FUNDAÇÃO MINERVA CULTURA ENSINO E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NOTA EXPLICATIVA NOTA EXPLICATIVA DA AQUISIÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO ÂMBITO DO 1º CICLO DE ESTUDOS DO CURSO DE LICENCIATURA/MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA, CONDUCENTE AO GRAU DE LICENCIADO EM CIÊNCIAS DA ARQUITECTURA.

Leia mais

Plano Educação. www.planoeducacao.com.br LISTA COMPLETA DE CURSOS DO PLANO EDUCAÇÃO. Área Assunto Titulo

Plano Educação. www.planoeducacao.com.br LISTA COMPLETA DE CURSOS DO PLANO EDUCAÇÃO. Área Assunto Titulo Plano Educação LISTA COMPLETA DE CURSOS DO PLANO EDUCAÇÃO 1 Administração Comércio, Vendas e Negociações Administração de Mercado Exterior Administração Comércio, Vendas e Negociações Atendimento ao cliente

Leia mais

30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011

30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011 30546 Diário da República, 2.ª série N.º 140 22 de Julho de 2011 INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA Despacho n.º 9220/2011 Ao abrigo do disposto nos artigos 75.º a 80.º do Decreto -Lei n.º 74/2006, de 24 de

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

o Urbanismo tem por objecto com a construção racional da cidade, incluindo a renovação e gestão urbanas.

o Urbanismo tem por objecto com a construção racional da cidade, incluindo a renovação e gestão urbanas. Doc 5. Proposta de Projecto de Lei Sobre a Profissão, a Prática e a Formação do Urbanista A necessidade de implementar uma política consistente de Ordenamento do Território e Urbanismo, tem determinado

Leia mais

FUNDAMENTOS DE UMA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA

FUNDAMENTOS DE UMA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA O sistema educativo deve garantir a coordenação, a consistência e a coerência do ensino para o desenvolvimento da educação científica Critérios de qualidade O conhecimento dos alunos e das suas aptidões

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

ALENTEJO. Instituto Politécnico de Beja, 3 de Maio 2012

ALENTEJO. Instituto Politécnico de Beja, 3 de Maio 2012 OBSERVATÓRIO de TURISMO do ALENTEJO Instituto Politécnico de Beja, 3 de Maio 2012 Razões para a Criação do Observatório Regional de Turismo do Alentejo As lacunas da informação estatística sobre o turismo

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web

Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web Curso Técnico Superior Profissional em Desenvolvimento Web PROVA DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE REFERENCIAL DE CONHECIMENTOS E APTIDÕES Áreas relevantes para o curso de acordo com o n.º 4 do art.º 11.º do

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE DISCIPLINA: INGLÊS ANO LECTIVO: 2013/2014 PLANIFICAÇÃO MÓDULO 8 O MUNDO DO TRABALHO Nº DE AULAS COMPETÊNCIAS GERAIS DO TEMA Pretende-se que o aluno desenvolva

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA 11ª, 12ª e 13ª classes Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia do Ensino de História - 11ª, 12ª

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL

DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL A Conferência Geral, Reafirmando o seu compromisso com a plena realização dos direitos humanos e das liberdades fundamentais proclamadas na Declaração

Leia mais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais

I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S. C T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais I S A L I N S T I T UTO SUPERIOR DE A DMINISTRAÇÃO E L Í N G UA S C T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais GESTÃO ADMINISTRATIVA DE RECURSOS HUMANOS GESTÃO COMERCIAL E DE MARKETING ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Lei nº 10/96 De 18 de Outubro A actividade petrolífera vem assumindo nos últimos tempos importância fundamental no contexto da economia nacional, constituindo por isso,

Leia mais

MLM Master in Law and Management

MLM Master in Law and Management MLM Master in Law and Management diploma CONJUNTO novaforum.pt MLM Master in Law and Management Os participantes que completem com aproveitamento a componente lectiva do Programa receberão um Diploma de

Leia mais

NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/12/00706 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Ensilis - Educação E Formação Sa A.1.a.

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA ÁREA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURRÍCULO DO CURSO

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA ÁREA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURRÍCULO DO CURSO UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA ÁREA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURRÍCULO DO CURSO LICENCIATURA EM ENGENHARIA E GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ( T

Leia mais

DINÂMICA DO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A BOLONHA

DINÂMICA DO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A BOLONHA DINÂMICA DO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO A BOLONHA SITUAÇÃO ACTUAL CRITÉRIOS DE RECONHECIMENTO SITUAÇÃO PRÉ - BOLONHA ADAPTAÇÃO A BOLONHA DISCIPLINAS CHAVE DISCIPLINAS INSTRUMENTAIS DISCIPLINAS CHAVE DISCIPLINAS

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

EUNEDS INTRODUÇÃO FINALIDADE E OBJECTIVOS

EUNEDS INTRODUÇÃO FINALIDADE E OBJECTIVOS EUNEDS INTRODUÇÃO O mandato para desenvolver uma Estratégia para a Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS) decorre da declaração apresentada pelos ministros do ambiente da CEE/ONU na 5ª Conferência

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

curso de especialização em gestão

curso de especialização em gestão F OR M A Ç Ã O A V A N Ç A D A curso de especialização em gestão FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS Enquadramento O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO

DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL DIRECTOR(A) DE RESTAURAÇÃO ÁREA DE ACTIVIDADE - HOTELARIA, RESTAURAÇÃO E TURISMO OBJECTIVO GLOBAL - Planear, dirigir e controlar as actividades de produção e de serviço de alimentos

Leia mais

OPÇÕES 2.º Ciclo 2013-2014

OPÇÕES 2.º Ciclo 2013-2014 OPÇÕES 2.º Ciclo 2013-2014 0 ALIMENTAÇÃO FONTES, CULTURA E SOCIEDADE Alimentos, Medicamentos e Venenos Religiões e Alimentação ARQUEOLOGIA E TERRITÓRIO (escolher apenas uma em cada semestre) Antropologia

Leia mais

Educação para a Cidadania linhas orientadoras

Educação para a Cidadania linhas orientadoras Educação para a Cidadania linhas orientadoras A prática da cidadania constitui um processo participado, individual e coletivo, que apela à reflexão e à ação sobre os problemas sentidos por cada um e pela

Leia mais

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Linguagem e Interpretação de Texto 80 Contabilidade I 80 Economia 80 Matemática 80 Teoria Geral da Administração

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos PORTUGUÊS 2 2 2 1 Oralidade Leitura Escrita Funcionamento da Língua LITERATURA PORTUGUESA 90% Domínio do Conhecimento 3 3 Leitura Escrita Oralidade

Leia mais

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00531 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Cofac - Cooperativa De Formação E

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Linguística Aplicada

Linguística Aplicada Linguística Aplicada Pós-graduação e Mestrado Descrição geral LIA-001/002 Conteúdo 1 Enquadramento...3 2 Objectivos e perfis...3 2.1 Objectivos...3 2.2 Perfil de entrada...3 2.3 Perfil de saída...3 2.4

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular IMIGRAÇÃO E SEGURANÇA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular IMIGRAÇÃO E SEGURANÇA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular IMIGRAÇÃO E SEGURANÇA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Políticas de Segurança 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Caracterização. Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos. (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/ Estrangeiros)

Caracterização. Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos. (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/ Estrangeiros) CLEA Curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas Pedro Reis _ Janeiro 2005 Caracterização Curso de formação de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos (Francês / Inglês / Alemão / Espanhol / Português p/

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Ministério da Educação Decreto Lei n.º 7/03 de 17 de Junho Diário da República, I Série nº47 17.06.2003 Considerando as últimas alterações verificadas na denominação dos organismos de administração central

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

5 Proposta pedagógica da escola

5 Proposta pedagógica da escola 5 Proposta pedagógica da escola A escola onde este estudo se realizou localiza-se na periferia da cidade do Rio de Janeiro, e passou a integrar a rede FAETEC (Fundação de Apoio à Escola Técnica do Rio

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

DISCIPLINA: Finanças Empresariais II Ano Lectivo: 2011/2012 3º ANO - 2º Semestre

DISCIPLINA: Finanças Empresariais II Ano Lectivo: 2011/2012 3º ANO - 2º Semestre DISCIPLINA: Finanças Empresariais II Ano Lectivo: 2011/2012 3º ANO - 2º Semestre PROGRAMA Área Científica (Secção): Finanças Coordenador: Gualter Couto Docente: Gualter Manuel Medeiros do Couto, Ph.D,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) II Bloco

Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) II Bloco Curso: Letras Português ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Filosofia da Educação 60 horas Metodologia Científica 60 horas Iniciação à Leitura e Produção de Textos Acadêmicos 60 horas Introdução à filosofia e

Leia mais

Homem tropeça anda, corre voará...

Homem tropeça anda, corre voará... Professora: Isabel Maria Ribeiro Madureira de Sousa Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo Padrão da Légua C445 - Projecto de Formação para o Novo Programa de Português do Ensino Básico Turma - D Maio

Leia mais

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento 1. Apresentação do plano 2. Objectivos gerais 3. Orientações 4. Objectivos específicos 5. Actividades 6. Avaliação 1

Leia mais

Referencial de Educação Financeira em Portugal. 1ª Conferência Internacional PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA

Referencial de Educação Financeira em Portugal. 1ª Conferência Internacional PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Referencial de Educação Financeira em Portugal Educação Pré-escolar, Ensino Básico e Secundário 1ª Conferência Internacional PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Educação para a Cidadania: novo quadro

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Endereço(s) de correio electrónico Praceta Brunilde Judice, Lt2, R/C Frente, 2620-267 Ramada Odivelas (Portugal) Telefone(s)

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 1. INTRODUÇÃO: Na lógica do Decreto-Lei 6/2001, de 18 de janeiro, a avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170

ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 ESCOLA DE PROTOCOLO COMUNICAÇÃO E ARTES www.epcamadeira.com geral@epcamadeira.com Tel: 291 098 305 Tm: 966 389 170 A Escola de Protocolo, Comunicação e Artes da Madeira (EPCA) surgiu para ir ao encontro

Leia mais

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos

MODA. HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos MODA 1. TURNO: Noturno HABILITAÇÃO: Bacharelado em Moda - habilitação em modelagem e desenvolvimento de produto GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Moda PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 7 anos 2.

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO

POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO POR ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL DA REGIÃO DO ALENTEJO ACÇÃO-TIPO: 2.3.1 ACÇÕES DE FORMAÇÃO VALORIZAÇÃO DE COMPETÊNCIAS NA ÁREA DO COMÉRCIO CURSO N..ºº 11 INFFORMÁTTI I ICA NA ÓPTTI ICA DO UTTI ILLI IZZADOR

Leia mais

T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2015 / 2016. Projeto candidato a co-financiamento pelo Fundo Social Europeu

T e S P. Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2015 / 2016. Projeto candidato a co-financiamento pelo Fundo Social Europeu T e S P Cursos Técnicos Superiores Profissionais 2015 / 2016 Projeto candidato a co-financiamento pelo Fundo Social Europeu REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA REPÚBLICA PORTUGUESA UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

Leia mais

O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território

O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território O Ecomuseu Municipal do Seixal como sistema de recursos patrimoniais e museais descentralizados no território Graça Filipe Modelos de redes de museus I Encontro de Museus do Douro Vila Real 24 Setembro

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Glossário. Competência para a acção. (questionário em competências para a acção e actividade)

Glossário. Competência para a acção. (questionário em competências para a acção e actividade) Conceito Competência para a acção Explicação Competência para a acção compreende todas as habilidades, competências e experiências de uma pessoa, que lhe possibilita auto-organizar-se para realizar correctamente

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin A Presidência Portuguesa na área dos Assuntos Económicos e Financeiros irá centrar-se na prossecução de três grandes objectivos, definidos

Leia mais

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal 18 DE FEVEREIRO A 13 DE MARÇO DE 2008 A inducar (http://www.inducar.pt) é uma organização de direito

Leia mais