I - Configurações mínimas da máquina, internet e Browser para acesso ao Sinan Online

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I - Configurações mínimas da máquina, internet e Browser para acesso ao Sinan Online"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP NOTA TÉCNICA N.º 03/2010 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS, CGPNCD/DEVEP/SVS/MS, CDESS/CGAM/DATASUS/MS e DEVEP/SVS/MS Assunto: Implantação Sinan Online O Sistema de Informação de agravos de Notificação Online (Sinan Online) tem por objetivo a inserção e disseminação dos dados de agravos de notificação compulsória em tempo real, fornecendo dados de forma rápida e íntegra para análise e tomada de decisões. O sistema será implantado inicialmente apenas para o agravo de Dengue, no entanto foi desenvolvido de modo a possibilitar a incorporação gradativa dos demais agravos de notificação compulsória. I - Configurações mínimas da máquina, internet e Browser para acesso ao Sinan Online CONFIGURAÇÕES MÍNIMAS DE ACESSO À INTERNET: Velocidade mínima recomendada para um computador: Banda Larga entre 300 Kbps a 600 Kbps; Velocidade mínima recomendada para mais de um computador conectado em rede: Banda Larga superior a 600 Kbps. CONFIGURAÇÕES MÍNIMAS DA MÁQUINA: Microcomputador com CPU Pentium IV 2 GHz; Sistema Operacional Windows XP / Professional; 1GB de memória. PROGRAMAS INSTALADOS NA MÁQUINA: Adobe Reader; Microsoft Office Excel; CONFIGURAÇÕES MÍNIMAS DO BROWSER: Internet Explorer versão 8.0 ou Mozilla Firefox 3,5.X; Java versão 6 atualizado II - Acesso do usuário ao Sinan Online Somente usuários cadastrados no Sistema de Cadastro de Sistemas e Permissões de Usuários (CSPUWEB) poderão ter acesso liberado ao Sistema Sinan Online.

2 Usuários não cadastrados no CSPUWEB Para usuários não cadastrados no CSPUWEB deverão ser realizados os procedimentos descritos no respectivo Manual disponível no menu de Ajuda ( ) do sistema (item 5.1-Cadastrar um novo usuário). O cadastro dos usuários deve ser realizado pelo interlocutor do Sinan, ou outro usuário, que possui o perfil cadastrador no CSPUWEB (CSPU - CADASTRADOR DE USUARIOS) e é gestor tanto do sistema CSPUWEB quanto do sistema SINAN_NET. O link de acesso para efetuar cadastros no CSPUWEB é Após realização do cadastro o 1º e 2º PASSOS deverão ser seguidos. Usuários já cadastrados no CSPUWEB Usuários já cadastrados no sistema necessitam apenas de ter sua permissão de acesso ao Sinan Online liberada no CSPUWEB (1º PASSO) e, após essa liberação, podem realizar o acesso conforme descrito no 2º PASSO. 1º PASSO: LIBERAÇÃO DO ACESSO AO SINAN ONLINE NO CSPUWEB, SEGUNDO NÍVEL E PERFIL DO USUÁRIO No Sinan Online o acesso à base de dados e às funcionalidades variam de acordo com os níveis e perfis de acesso dos usuários. Os níveis de acesso do Sinan Online são: Federal, Estadual, Regional, Municipal, Distrital e Unidade de Saúde (Nível I, II ou III); e os perfis: Gerente, Operador e Leitor. O nível e perfil são definidos no sistema CSPUWEB, no momento em que o usuário é cadastrado ou por meio de atualização das configurações de usuário já cadastrado. O nível é atribuído no campo Tipo de Acesso e o perfil entre as opções de Grupos Cadastrados. O nível de acesso do usuário deve ser definido de acordo com seu local de trabalho. Já a definição do perfil deve basear-se nas funcionalidades do sistema que deverão ser acessadas pelo usuário. As tabelas do anexo I apresentam as funcionalidades do sistema permitidas para cada nível e perfil. Nessa tabela constam os dados visualizados e as rotinas do sistema que podem ser desempenhadas de acordo com o nível e perfil atribuído ao usuário. As regras para os níveis de acesso ao Sinan Online foram definidas considerando o papel de cada nível do sistema de saúde no que concerne à Vigilância Epidemiológica e discutidas em reuniões e videoconferências com a participação de alguns estados. Atribuição do nível e perfil aos usuários A permissão de acesso ao Sinan Online é feita na área de Configurações do Usuário do CSPUWEB. Se o usuário ainda não tiver acesso liberado a algum grupo do SINAN_NET (SAPSS, SINAN- ADM, etc.), deverá ser selecionada a opção SINAN_NET no campo Sistema, e em seguida definir o nível no campo Tipo de Acesso. Os campos Regional, município, distrito e Estabelecimento de Saúde deverão ser preenchidos de acordo o nível atribuído e local de trabalho do usuário. Após o preenchimento dos campos anteriores, deverá ser adicionado aos Grupos do Usuário do sistema SINAN_NET uma das opções de perfil existente (SINAN_ONLINE_GERENTE, 2

3 SINAN_ONLINE_LEITOR ou SINAN_ONLINE_OPERADOR) no campo Grupos Cadastrados (ver figura abaixo). Se o usuário já tiver acesso liberado a algum grupo do SINAN_NET deve-se dar um clique sobre a opção SINAN_NET que aparece na relação dos sistemas que o usuário tem acesso, conforme figura abaixo: Após conferir os dados cadastrados, o perfil deverá ser atribuído, conforme descrito anteriormente. ATENÇÃO: Para usuários com nível de acesso igual à UNIDADE DE SAÚDE, além do perfil (SINAN_ONLINE_GERENTE, SINAN_ONLINE_LEITOR ou SINAN_ONLINE_OPERADOR) devese adicionar aos grupos do usuário o nível da US (SINAN_ONLINE_NIVELI, SINAN_ONLINE_NIVELII ou SINAN_ONLINE_NIVELIII). Para maiores informações ver anexo I. 2º PASSO: ACESSO AO SINAN ONLINE Depois de ter seu acesso liberado, o usuário deve acessar o Sinan Online no link: O login e senha de acesso são os mesmos utilizados para acessar os links e Caso seja o primeiro acesso do usuário a um dos sistemas cadastrados no CSPUWEB, ou tenha sido solicitado alterar senha no próximo login, o usuário deve digitar seu login e atribuir uma senha. Neste momento o sistema solicitará confirmação da senha digitada para gravar essas informações do usuário. Em seguida é solicitado que o usuário entre novamente com o login e senha. Ao digitar esses dados o acesso ao sistema é liberado. Um guia rápido para utilização do Sinan Online está disponível para consulta no menu de ajuda do sistema. O Manual completo do Sinan Online está em processo de construção, assim que concluído será encaminhado aos interlocutores estaduais do Sinan e disponibilizado na área de documentações do menu inicial do sistema. III - Base de dados acessada pelo Sinan Online No Sinan Online é possível acessar a base única do Sinan que é composta pelos registros inseridos usando as versões Net ou Online. Essa base fica localizada em servidor do Ministério da Saúde. Todas as funcionalidades do sistema, inclusive exclusão e a opção de não listar duplicidades, poderão ser executadas nos registros acessados por meio do Sinan Online, mesmo que esses tenham sido inseridos no Sinan Net. Dessa forma, é imprescindível que sejam consideradas as regras de convivência entre as duas versões do Sinan (ver item IV desta nota técnica). 3

4 O Sinan Online registra em qual versão do sistema a notificação foi inserida (Net ou Online), indicando-a para o usuário sempre que o registro for consultado. IV - Regras de Convivência entre o Sinan Online e Sinan Net NAS SES E REGIONAIS: A partir do momento em que for iniciado o processo de implantação do Sinan Online no âmbito da Unidade Federada (ou seja, se pelo menos um município implantou a versão Online do sistema), a SES deverá utilizar apenas a versão Online para realizar as consultas, rotinas de duplicidade, emitir relatórios e gerar arquivos DBF referentes aos registros do agravo Dengue notificados e/ou residentes no estado. Da mesma forma, as regionais que possuírem municípios que implantaram a versão Online do Sinan, mas que ainda têm municípios que utilizam a versão Net, deve efetuar no Sinan Online as consultas, rotinas de duplicidade, emitir relatórios e gerar arquivos DBF referentes aos registros do agravo Dengue notificados e/ou residentes nos municípios da regional. Assim, a partir do momento que for implantado o Sinan Online na SES ou Regional, a versão Net do sistema não deve ser utilizada nesses níveis para consulta, alteração, exclusão, emissão de relatórios, geração de arquivos DBF e para rotinas de duplicidades referentes ao agravo Dengue. A base de dados de dengue completa desses dois níveis somente estará disponível no Sinan Online. A notificação e demais procedimentos referentes aos demais agravos continuarão a ser realizados na versão Net do Sinan, mesmo quando implantado o Sinan Online em todos os municípios do âmbito de uma Regional ou UF. Assim, as rotinas de transferência e recebimento de lotes do Sinan NET deverão ser mantidas pela SES e Regionais, tanto para os municípios com o Sinan Dengue Online implantado como para os municípios que ainda continuam notificando dengue na versão Net do sistema NAS SMS, DISTRITOS E UNIDADES DE SAÚDE: Os municípios somente deverão utilizar a versão Online do Sinan quando todos os níveis que já operam o Sinan Net estiverem usando o Sinan Online (Ex: US, Distritos e SMS). Assim, a implantação municipal da versão Online deverá ocorrer de forma simultânea em todos os níveis. A versão Net não deverá ser utilizada para o agravo Dengue após a implantação da versão Online. A notificação e demais procedimentos referente aos demais agravos continuarão a ser efetuados na versão Net, incluindo transferência de lotes. Os registros de dengue inseridos no Sinan Net antes da implantação do Sinan Online serão visualizados na versão Online, porém todas as rotinas do sistema necessárias ao gerenciamento desses registros deverão ser efetuadas apenas no Sinan Online. O fluxo de retorno do Sinan Net para dengue deverá ser utilizado somente pelos municípios que ainda estão utilizando essa versão para notificar dengue. O Município que utiliza o Sinan Online para notificar dengue ao efetuar a rotina de fluxo de retorno do Sinan Net para os demais agravos deverá excluir os registros de dengue antes de baixar, marcando a opção Excluir da Relação. 4

5 Enquanto a versão Net estiver sendo utilizada para dengue, as seguintes regras deverão ser consideradas para a exclusão e alteração de registros em que o local de notificação difere do local de residência E local de notificação utiliza versão do Sinan diferente da utilizada no local de residência: SITUAÇÃO A: Local de notificação utiliza o Sinan Net para notificar Dengue A exclusão e alteração de registros inseridos no Sinan Net deverão ser efetuadas pelo local de notificação apenas na versão Net do sistema até o 30º dia (metade do prazo considerado oportuno para encerramento da investigação do agravo); A partir do 31º (ou antes, se o local de notificação habilitar o registro para o local de residência) somente o local de residência pode alterar ou excluir a notificação. Se o local de residência ainda estiver utilizando o Sinan Net esse registro estará disponível para ele na área de download do Fluxo de Retorno disponível no link Se o local de residência utilizar o Sinan Online esse registro fica habilitado para alteração e exclusão pelo próprio sistema. SITUAÇÃO B: Local de notificação utiliza o Sinan Online para notificar Dengue A exclusão e alteração de registros inseridos no Sinan Online deverão ser efetuadas pelo local de notificação apenas na versão Online e até o 30º dia (metade do prazo considerado oportuno para encerramento da investigação do agravo); A partir do 31º dia (ou antes, se o local de notificação habilitar o registro para o local de residência) somente o local de residência pode alterar ou excluir a notificação. Se o local de residência utilizar o Sinan Net esse registro estará disponível para ele na área de download do Fluxo de Retorno disponível no link Se o local de residência utilizar o Sinan Online esse registro fica habilitado para alteração e exclusão pelo próprio sistema. ATENÇÃO: Alterações e exclusões efetuadas no Sinan Online e que foram realizadas em registros inseridos no Sinan Net e cujo local de notificação ainda continua utilizando essa versão serão desfeitas, se o local de notificação fizer nova edição desse registro na versão Net. REGRAS PARA ALTERAÇÃO E EXCLUSÃO DE REGISTROS Alterações ou exclusões efetuadas no Sinan Online por SES ou Regionais de registros inseridos por SMS, Distrito ou US devem considerar as seguintes regras: Apesar da versão atual do Sinan Online permitir que a SES efetue alterações e exclusões de registros inseridos por Regional, SMS, Distrito ou US cujo município de residência ou de notificação é da própria UF, ela somente deverá fazê-lo após ter solicitado oficialmente para a Regional (ou para a SMS quando não há Regional) tomar as providências necessárias à realização do procedimento e não ter sido atendida, ou considerando as situações descritas para casos de duplicidades nesta nota técnica. De forma semelhante, apesar da versão atual do sistema Sinan Online permitir que a Regional efetue alterações e exclusões de registros inseridos por SMS, Distrito ou US cujo município de residência ou de notificação é da própria Regional, ela somente deverá fazê-lo após ter solicitado oficialmente para a SMS tomar as providências necessárias à realização do procedimento e não tenha sido atendida, considerando as situações descritas para casos de duplicidades nesta nota técnica. As funcionalidades do sistema para o nível SES e Regional estão detalhadas no Anexo I. Situações com duplicidade que implicam em procedimentos de alteração e exclusão de registros: SITUAÇÃO A: Município da 1ª notificação = Município da 2ª notificação (onde: Município de notificação = Município de residência) 5

6 A SMS deve complementar a 1ª notificação com os dados da 2ª notificação e excluir a 2ª notificação. ATENÇÃO: a) SE alguma das notificações (1ª ou 2ª notificação) foi inserida por Distrito ou Unidade de Saúde do município, a SMS deve solicitar a alteração/exclusão ao nível que inseriu as notificações, caso não tenha sido atendida caberá a SMS efetuar os procedimentos; b) SE o município ainda utiliza o Sinan Net, a alteração/exclusão deve ser efetuada no 1º nível informatizado (SMS, Distrito ou US) que inseriu cada uma das notificações (1ª e 2ª notificação). SITUAÇÃO B: Município da 1ª notificação Município da 2ª notificação (onde: 2ª notificação foi inserida pelo local de residência) Nessa situação o município de notificação deve liberar a 1ª notificação o mais breve possível. Somente o local de residência visualiza a duplicidade. A SMS ou a Regional de residência podem solicitar a SMS de notificação a liberação da 1ª notificação. Até metade do prazo de encerramento oportuno, a contar da data de notificação da 1ª notificação (30 dias para Dengue), o local de residência pode solicitar ao local que inseriu a 1ª notificação para habilitá-la para o local de residência; então a SMS de residência pode complementar a 1ª notificação com os dados da 2ª notificação e excluir a 2ª notificação, sem ser necessário esperar o final da metade do prazo de encerramento oportuno do caso. Após metade do prazo considerado oportuno para o encerramento do caso, a contar da data de notificação da 1ª notificação (após 30 dias para Dengue), ou antes, se o município da 1ª notificação habilitá-la para o local de residência, a SMS de residência deve complementar a 1ª notificação com os dados da 2ª notificação e excluir a 2ª notificação; Após o prazo de encerramento oportuno do caso, a contar da data de notificação da 1ª notificação (após 60 dias para Dengue), caso a Regional tenha solicitado oficialmente ao município e não tenha sido atendida, caberá a Regional do local de residência complementar a 1ª notificação com os dados da 2ª notificação e excluir a 2ª notificação; 6

7 7

8 ATENÇÃO: a) SE a SES não possui Regionais ou as Regionais não desempenham esse papel, caberá a SES complementar a 1ª notificação e excluir a 2ª notificação, após o prazo considerado oportuno para encerramento do caso a contar da data de notificação da 1ª notificação (a partir do 61º dia para Dengue). A SES deverá efetuar a alteração/exclusão, somente se tiver solicitado oficialmente ao município de residência e este não o tiver feito; b) SE alguma das notificações (1ª ou 2ª notificação) foi inserida por Distrito ou Unidade de Saúde do município, a SMS deve solicitar a alteração/exclusão ao nível que inseriu as notificações, e se não for atendida, caberá a SMS efetuar os procedimentos; c) SE o município de residência ainda utiliza o Sinan Net, a duplicidade somente será visualizada por este município depois de executada a rotina de fluxo de retorno do Sinan Net. A exclusão da 2ª notificação e complementação da 1ª notificação devem ser efetuadas pelo 1º nível informatizado (SMS, Distrito ou US). SITUAÇÃO C: Município da 1ª notificação Município da 2ª notificação (onde: 2ª notificação não foi inserida pelo local de residência) Nessa situação o local de residência visualiza a duplicidade, no entanto para evitar que o município de residência altere ou exclua registros inseridos por outro município se estabeleceu como regra operacional que caberá à Regional de residência (ou a SES, em UF se regionais) tomar as providências conforme detalhado a seguir: Até metade do prazo considerado oportuno a contar da data de notificação da 2ª notificação (até 30 dias para Dengue) a Regional de residência pode complementar a 1ª notificação e solicitar a exclusão da 2ª notificação ao município que inseriu a 2ª notificação, sem ser necessário esperar o final da metade do prazo para encerramento oportuno do caso. (obs: SE as notificações foram inseridas por municípios de regionais diferentes, mas de mesma UF, caberá a SES solicitar a regional da 2ª notificação efetuar a exclusão). Após metade do prazo considerado oportuno a contar da data de notificação da 2ª notificação (após 30 dias para Dengue), ou antes, se o município da 2ª notificação habilitá-la para o local de residência caberá a Regional de residência complementar a 1ª notificação com os dados da 2ª notificação e excluir a 2ª notificação. A Regional deve comunicar o motivo da exclusão ao município que inseriu a 2ª notificação e ao município de residência (obs: SE a 2ª notificação foi inserida por municípios de outra regional, mas da mesma UF, caberá a SES comunicar o motivo da exclusão à regional da 2ª notificação). ATENÇÃO: a) SE a SES não possui Regionais ou as Regionais não desempenham esse papel, caberá a SES complementar a 1ª notificação e excluir a 2ª notificação, após o prazo considerado oportuno para encerramento do caso a contar da data de notificação da 2ª notificação (a partir do 61º dia para Dengue). A SES efetuará a alteração/exclusão caso tenha solicitado oficialmente ao município de residência e este não o tiver feito; b) SE o município de residência (que inseriu a 1ª notificação) ainda utiliza o Sinan Net, caberá a Regional/SES solicitar a alteração (complementação com os dados da 2ª notificação) que deverá ser efetuada no 1º nível informatizado (SMS, Distrito ou US) do município que inseriu a 1ª notificação; bem como a exclusão da 2ª notificação, que deverá ser efetuada pela SMS do município de residência (obs.: A duplicidade só será visualizada pelo município de residência depois de executada a rotina de fluxo de retorno do Sinan Net; e, se for encaminhado o arquivo do fluxo de retorno da 2ª notificação para Distrito, caberá ao Distrito excluir a 2ª notificação). 8

9 V - Ficha de Notificação/Investigação do Sinan Online A Ficha de Notificação/Investigação de Dengue do Sinan Online possui os mesmos campos da ficha utilizada no Sinan Net acrescida de dois novos campos. Os novos campos (Data da coleta e Resultado) são referente ao Exame ELISA NS1, utilizado como teste de triagem nas Unidades Sentinela de monitoramento viral da dengue. A Ficha de Notificação/Investigação de Dengue do Sinan Online foi encaminhada para os interlocutores estaduais do Sinan desde outubro de O DATASUS está providenciando versão do Sinan Net com a nova ficha de Notificação/Investigação de Dengue, para ser utilizada na fase de transição do Sinan Net para o Sinan Online. VI - Dados de localidades do Sinan Online Os dados de localidade do Sinan Online provêm de um sistema de cadastro de localidades (Localidade) em versão online. Esse sistema foi desenvolvido pelo DATASUS/MS para ser utilizado por diversos sistemas e o link de acesso é 9

10 Os dados de localidades disponíveis na versão de implantação do sistema Localidade foram encaminhados ao Ministério da Saúde pelas Secretarias Estaduais de Saúde (SES). Recomenda-se revisão desses dados antes de iniciar a utilização do Sinan Online. No sistema Localidade as localidades carregadas podem ser consultadas e editadas. Para acessar esse sistema o usuário designado pela SES como responsável pelo cadastro das localidades do âmbito do Estado, deverá estar cadastrado no CSPUWEB no sistema LOCALIDADE. O cadastro dos usuários no sistema de localidades deve ser realizado pelo interlocutor do Sinan, ou outro usuário, que possui o perfil cadastrador no CSPUWEB (CSPU - CADASTRADOR DE USUARIOS) e é gestor tanto do sistema CSPUWEB quanto do sistema LOCALIDADE. No Sinan Online os dados para bairro, assim como País, UF e Município, são tabelados. Se o bairro não existir na tabela encaminhada ao MS ou não for cadastrada no sistema Localidade, o campo Bairro/Outras Localidades ficará em branco uma vez que o usuário não poderá digitar no sistema. No sistema Localidade, e por consequência, no Sinan Online, os bairros não estão vinculados a Distritos. Dessa forma, se na entrada de dados (Notificação/Investigação) do Sinan Online for digitado um distrito, não será carregada a tabela de bairros e o campo Bairro/Outras Localidades ficará em branco. Portanto, antes de iniciar o uso do Sinan Online é necessário efetuar a vinculação de Bairro com Distrito. A vinculação de Bairro com Distrito deve ser efetuada no Sistema Localidade, no momento em que o bairro estiver sendo cadastrado. A vinculação de Município com Regional, Distrito com Município e Unidade de Saúde com Município deve ser efetuada no link Para maiores informações acerca da utilização do sistema Localidade, consultar o manual específico desse sistema. O Manual do sistema Localidade está em processo de construção pelo DATASUS, assim que concluído será encaminhado aos interlocutores estaduais do Sinan. 10

11 VII - Cronograma de implantação para SES, regionais e municípios A liberação de acesso ao Sinan Online e Sistema de Localidades, para os interlocutores estaduais do Sinan será efetuada nos dias 29 e 30/11/2010; A implantação do sistema no âmbito da Unidade Federada (SES, regionais, municípios, distritos e US) deverá ser iniciada a partir do dia 01/12/2010; A continuidade do processo de implantação do Sinan Online nos demais municípios do estado deverá considerar as configurações mínimas de máquina, internet e Browser necessárias para a utilização do sistema, definidas no item I desta nota técnica, bem como a importância epidemiológica da Dengue nos municípios. Ficará na responsabilidade da SES a organização do processo de implantação do Sinan Online no âmbito do estado (incluindo cadastro no CSPUWEB, capacitações, cronograma, etc.), considerando que a versão deverá estar implantada em todas as capitais e municípios da região metropolitana até 31/12/2010. VIII - Encaminhamento de erros do sistema, sugestões e/ou dúvidas ao Gt-Sinan Se forem verificados erros nas rotinas do Sinan Online e/ou do Sistema de Localidades, o Interlocutor Estadual do Sinan deve encaminhar mensagem para Sugestões e/ou dúvidas também podem ser encaminhadas. As mensagens devem ser encaminhadas destacando o assunto de acordo com o exemplo: [SINAN ONLINE] - UF - Assunto do . Todos os erros e sugestões encaminhados serão analisados pelo Gt-Sinan, juntamente com as equipes do Datasus e do Programa Nacional da Dengue (PNCD). Aqueles considerados pertinentes, especialmente os que impactem a integridade da base de dados única do sistema serão atendidos por meio de atualização de versão do Sinan Online. Sempre que alterada a versão será disponibilizado no menu principal do sistema, na área de Últimas Atualizações, o histórico de atualização das versões desde sua implantação. Será enviada mensagem aos interlocutores estaduais do Sinan comunicando a data da mudança de versão e o usuário poderá verificar na tela do Sinan Online o número da versão em uso. Os erros e/ou sugestões encaminhados que não tiverem sido atendidos serão discutidos em reunião de avaliação do sistema a ser agendada para Brasília, 9 de dezembro de Ruth Glatt Gerente Técnica do Sinan/CIEVS/DEVEP Cristiane Lustosa Guimarães França Coordenadora da CDESS/CGAM/DATASUS De Acordo, Giovanini Evelim Coelho Coordenador da CGPNCD/DEVEP Carla Magda Allan Santos Domingues Diretora Adjunta do Departamento de Vigilância Epidemiológica 11

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov.

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 sinan@saude.gov.br NOTA TÉCNICA N.º 01/2010 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS

Leia mais

Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sinan Net. Manual do Site Sinan Net

Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sinan Net. Manual do Site Sinan Net Sistema de Informação de Agravos de Notificação Sinan Net Manual do Site Sinan Net Fevereiro 2010 José Gomes Temporão Ministro de Estado da Saúde Márcia Bassit Secretário Executivo Gerson de Oliveira Penna

Leia mais

SINAN Online. Manual de Operação. Versão do produto: 2.3. Edição do documento: 1.0 Junho de 2011. Série A. Normas e Manuais Técnicos

SINAN Online. Manual de Operação. Versão do produto: 2.3. Edição do documento: 1.0 Junho de 2011. Série A. Normas e Manuais Técnicos SINAN Online Manual de Operação Versão do produto: 2.3 Edição do documento: 1.0 Junho de 2011 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Informática do

Leia mais

Acesso ao Localidade. LOCALIDADE Sistema de Cadastro Localidade. Acesso ao Sistema de Cadastro Localidade

Acesso ao Localidade. LOCALIDADE Sistema de Cadastro Localidade. Acesso ao Sistema de Cadastro Localidade Acesso ao Localidade Acesso ao O endereço do sistema é: www.saude.gov.br/localidade Quem pode acessar o Sistema de Cadastro de Localidade? Somente profissionais que foram cadastrados no CSPUWEB terão acesso

Leia mais

Sinan Net. Manual de Operação. Versão do produto: 5.0. Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014. Série A. Normas e Manuais Técnicos.

Sinan Net. Manual de Operação. Versão do produto: 5.0. Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Sinan Net Manual de Operação Versão do produto: 5.0 Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014 ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SESAU DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVEP GERÊNCIA DE AGRAVOS DE TRANSMISSÃO RESPIRAT, SEXUAL, VIG DO ÓBITO E SIST DE INFORMAÇÃO E - GATRSVOSI NÚCLEO

Leia mais

I - Cronograma de implantação do patch 4.2.0.0 para UF, regionais, municípios e estabelecimentos de saúde.

I - Cronograma de implantação do patch 4.2.0.0 para UF, regionais, municípios e estabelecimentos de saúde. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 NOTA TÉCNICA N.º 01/2011 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS Assunto: Liberação

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais

Requisitos Mínimos para Navegar no Portal Progredir

Requisitos Mínimos para Navegar no Portal Progredir Requisitos Mínimos para Navegar no Portal MT-411-00001-4 Última Atualização : 04/07/2013 Requisitos Mínimos para Navegar no Portal Objetivo: Este documento tem como objetivo disponibilizar informações

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 Iniciando o TR4... 8 2.1 Como efetuar o login... 8

Sumário. Capítulo 2 Iniciando o TR4... 8 2.1 Como efetuar o login... 8 1 Sumário Capítulo 1 Introdução ao TR4... 4 1.1 Requisitos Mínimos... 4 1.2 Layout do Sistema... 5 1.3 Legenda... 5 1.4 Visão geral das funcionalidades... 6 1.4.1 O Menu Administração... 6 1.4.2 O Menu

Leia mais

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office Treinamento Módulo Escritório Virtual Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office 1. Atualização do sistema Para que este novo módulo seja ativado,

Leia mais

CSPUWEB - Cadastro de Sistemas. e Permissões de Usuários

CSPUWEB - Cadastro de Sistemas. e Permissões de Usuários CSPUWEB - Cadastro de Sistemas e Permissões de Usuários - Manual do Usuário - Novembro/2009 Versão 2.0 21 de novembro de 2009 [CSPUWEB MANUAL DO USUÁRIO] SUMÁRIO Capitulo 1 Cadastro de Sistemas e Permissões

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões URI Pró-Reitoria de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação PROPEPG Manual de Utilização Sistema de Projetos URI Módulo Projetos Versão 1 - Revisão

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira

Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Plano de Carreira Sistema de Apoio à Gestão de Planos de Carreira Manual do Usuário Página1 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 4 2 Objetivos... 4 3 Acesso ao Sistema... 5 3.1. Acessar 6 3.2. Primeiro

Leia mais

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014)

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014) Versão 1.15 Portal StarTISS Portal de Digitação e Envio do Faturamento Manual de Utilização Versão 1.15 (Agosto/2014) Conteúdo 1. CONTATOS... 1 2. REQUISITOS NECESSÁRIOS... 1 3. ACESSANDO O PORTAL STARTISS...

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

Manual de utilização do Portal Usiminas configurações. Portal de Compras Usiminas

Manual de utilização do Portal Usiminas configurações. Portal de Compras Usiminas Manual de utilização do Portal Usiminas configurações Portal de Compras Usiminas Outubro/2010 Objetivo do Documento Disponibilizar informações ao fornecedor de forma a auxiliar na utilização do Portal

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO MÓDULO DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS APLICATIVO UPLOAD /DOWNLOAD VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

MANUAL VERSÃO 4.14 0

MANUAL VERSÃO 4.14 0 0 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 1. O QUE É O EOL?... 2 2. ACESSANDO O EOL... 2 3. TELA INICIAL... 3 4. EXAMES ADMISSIONAIS... 4 5. MUDANÇA DE FUNÇÃO... 7 6. EXAMES DEMISSIONAL E RETORNO AO TRABALHO... 8 7. EXAMES

Leia mais

Portal Petronect. Objetivo. Requisitos Mínimos - Hardware

Portal Petronect. Objetivo. Requisitos Mínimos - Hardware Requisitos Mínimos Objetivo Este documento tem como objetivo disponibilizar informações ao fornecedor de modo a auxiliar a utilização do Portal Petronect, tornando a Navegação mais rápida e eficiente Requisitos

Leia mais

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1 2 Índice 1. Escritório Virtual... 5 1.1. Atualização do sistema...5 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1.3. Cadastro do Escritório...5 1.4. Logo Marca do Escritório...6...6 1.5. Cadastro

Leia mais

MANUAL DO PERSUS OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar

MANUAL DO PERSUS OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar MANUAL DO PERSUS OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar MANUAL DO PERSUS - OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS Índice 1. INTRODUÇÃO...5 2. MÓDULO DE GESTÃO DE

Leia mais

Manual de Utilização Portal Petronect MT-212-00061-3

Manual de Utilização Portal Petronect MT-212-00061-3 Manual de Utilização Portal Petronect MT-212-00061-3 Última Atualização 26/05/2015 Portal Petronect Objetivo: Este documento tem como objetivo disponibilizar informações ao fornecedor de modo a auxiliar

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania QUESTIONÁRIO SOBRE A ATUAÇÃO DAS INSTÂNCIAS DE CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA - ICS MANUAL DE

Leia mais

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br GUIA DO VISUALIZADOR SUA EMPRESA ONLINE NO MUNDO DA NORMALIZAÇÃO SUMÁRIO 1 O QUE É ABNTCOLEÇÃO...3 1.1 CONFIGURAÇÕES MINIMAS DESEJAVEL...3 1.1.2 SEGURANÇADE REDE...3 2 COMO ACESSAR A SUA COLEÇÃO...4 2.1

Leia mais

Manual Operacional de Adesão ao FIES Técnico Procedimentos da Mantenedora

Manual Operacional de Adesão ao FIES Técnico Procedimentos da Mantenedora Manual Operacional de Adesão ao FIES Técnico Procedimentos da Mantenedora Brasília, março de 2012 Versão 1.0 SUMÁRIO 1. CONFIGURAÇÕES RECOMENDADAS... 3 2. ACESSO AO SISTEMA... 4 3. ADESÃO AO FIES... 5

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

Módulo de Gestores. Utilizaremos telas do Módulo de Gestores (Homologação): http://siops-homologa2.datasus.gov.br

Módulo de Gestores. Utilizaremos telas do Módulo de Gestores (Homologação): http://siops-homologa2.datasus.gov.br Módulo de Gestores Módulo de Gestores Utilizaremos telas do Módulo de Gestores (Homologação): http://siops-homologa2.datasus.gov.br Módulo de Gestores As telas oficiais do Módulo de Gestores estão disponíveis

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos VERSÃO 2.0

Manual do Usuário. Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos VERSÃO 2.0 Manual do Usuário Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos VERSÃO 2.0 1 Apresentação O SEIA Sistema Estadual de Informações Ambientais e de Recursos Hídricos é uma ferramenta fundamentada

Leia mais

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174 Versão Liberada A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível. A atualização da versão

Leia mais

SCP - Sistema de Controle de Processo

SCP - Sistema de Controle de Processo SCP - Sistema de Controle de Processo Módulo PTS Versão do produto: 1.0 Edição do documento: Julho de 2010 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Informática

Leia mais

MANUAL VERSÃO 2.13 1

MANUAL VERSÃO 2.13 1 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. O QUE É O EOL?... 3 2. ACESSANDO O EOL... 3 3. TELA INICIAL... 4 4. EXAMES ADMISSIONAIS... 4 5. MUDANÇA DE FUNÇÃO... 6 6. EXAMES DEMISSIONAL E RETORNO AO TRABALHO... 7 7. EXAMES

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

SISTEMA GERENCIADOR DE AMBIENTE LABORATORIAL - MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA GERENCIADOR DE AMBIENTE LABORATORIAL - MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA GERENCIADOR DE AMBIENTE LABORATORIAL MANUAL REVISÃO 08 IPB-LACEN/RS GAL SISTEMA GERENCIADOR DE AMBIENTE LABORATORIAL - MANUAL DO USUÁRIO MÓDULO BIOLOGIA MÉDICA HUMANA Av. Ipiranga,

Leia mais

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução SCIM 1.0 Guia Rápido Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal Introdução Nesta Edição O sistema de Controle Interno administra o questionário que será usado no chek-list

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em Vigilância em Saúde Gerência Técnica do SINAN FLUXO DE RETORNO

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

MANUAL ISS DIGITAL Av. Augusto de Lima, 479-15º Andar - Sala 1511 Centro - Belo Horizonte/MG CEP: 30.190-000 (31) 3201-1639 / Fax: (31) 3212-1215

MANUAL ISS DIGITAL Av. Augusto de Lima, 479-15º Andar - Sala 1511 Centro - Belo Horizonte/MG CEP: 30.190-000 (31) 3201-1639 / Fax: (31) 3212-1215 Av. Augusto de Lima, 479-15º Andar - Sala 1511 Centro - Belo Horizonte/MG CEP: 30.190-000 (31) 3201-1639 / Fax: (31) 3212-1215 1. INTRODUÇÃO Dispõe sobre o sistema eletrônico de gerenciamento de dados

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

Anote aqui as informações necessárias:

Anote aqui as informações necessárias: banco de mídias Anote aqui as informações necessárias: URL E-mail Senha Sumário Instruções de uso Cadastro Login Página principal Abrir arquivos Área de trabalho Refine sua pesquisa Menu superior Fazer

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF APLICATIVO DE FORMULÁRIOS GUIA DE NAVEGAÇÃO PERFIL MUNICÍPIO Versão do Guia: 1.1 Brasília, DF Abril de 2011 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece:

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece: IOB Mitrius Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED O que faz: Valida os arquivos digitais através de regras automatizadas e constantemente validadas / aprimoradas; Antecipa a análise

Leia mais

05. Quem é o Gestor de Segurança de uma Instituição? 08. O que são e como cadastrar usuários de uma Instituição?

05. Quem é o Gestor de Segurança de uma Instituição? 08. O que são e como cadastrar usuários de uma Instituição? CADASTRO DE USUÁRIOS - NOTIVISA PERGUNTAS FREQUENTES 05. Quem é o Gestor de Segurança de uma Instituição? O Gestor de Segurança é a pessoa que será responsável por administrar os usuários relacionados

Leia mais

OBJETIVO 1 ACESSANDO O SISTEMA 2 - TELA PRINCIPAL 3 MÓDULO ETIQUETAS 4 - CADASTRAR DOCUMENTOS 5 ANEXAR DOCUMENTOS 6 MENU TRÂMITE 6.

OBJETIVO 1 ACESSANDO O SISTEMA 2 - TELA PRINCIPAL 3 MÓDULO ETIQUETAS 4 - CADASTRAR DOCUMENTOS 5 ANEXAR DOCUMENTOS 6 MENU TRÂMITE 6. Sumário OBJETIVO... 2 1 ACESSANDO O SISTEMA... 3 2 - TELA PRINCIPAL (Painel de Controle)... 4 3 MÓDULO ETIQUETAS... 4 4 - CADASTRAR DOCUMENTOS... 7 5 ANEXAR DOCUMENTOS... 15 6 MENU TRÂMITE... 18 6.1 RECEBER

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Setembro 2008 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

O Webconference é uma ferramenta para realizar reuniões online.

O Webconference é uma ferramenta para realizar reuniões online. Webconference Wittel O Webconference é uma ferramenta para realizar reuniões online. Com ele você poderá fazer vídeoconferência, compartilhar arquivos, aplicativos e conteúdo do desktop, além de realizar

Leia mais

Principais Característic

Principais Característic Principais Característic Características as Software para agendamento e controle de consultas e cadastros de pacientes. Oferece ainda, geração de etiquetas, modelos de correspondência e de cartões. Quando

Leia mais

Manual do usuário. v1.0

Manual do usuário. v1.0 Manual do usuário v1.0 1 Iniciando com o Vivo Gestão 1. como fazer login a. 1º acesso b. como recuperar a senha c. escolher uma conta ou grupo (hierarquia de contas) 2. como consultar... de uma linha a.

Leia mais

Funcionalidade da Aba Pesquisador

Funcionalidade da Aba Pesquisador Funcionalidade da Aba Pesquisador Versão 1.0 1 Versão Autor Data Descrição 1.0 Equipe suporte 07/11/2013 Criação do Plataforma Brasil documento *Atenção! Para sugestões, no intuito de aprimorar os manuais

Leia mais

Manual do usuário. Mobile Auto Download

Manual do usuário. Mobile Auto Download Manual do usuário Mobile Auto Download Mobile Auto Download Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para a sua instalação e

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

Portal nddcargo 4.1.5.0 Manual de Utilização Call Center Visão Administrador

Portal nddcargo 4.1.5.0 Manual de Utilização Call Center Visão Administrador Portal nddcargo 4.1.5.0 Manual de Utilização Call Center Visão Administrador Histórico de alterações Data Versão Autor Descrição 23/11/2012 1 Criação do documento. 2 1. Introdução... 4 2. Funcionalidades

Leia mais

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL. CERBERUS Manual do sistema Versão 1.0 CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL CERBERUS Manual do sistema HISTÓRICO DA REVISÃO Data Versão Descrição Autor 07/08/2014 1.0 Criação do documento Antonio Rogério da Costa Silva LISTA DE FIGURAS

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Agosto 2006 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Fox Gerenciador de Sistemas

Fox Gerenciador de Sistemas Fox Gerenciador de Sistemas Índice 1. FOX GERENCIADOR DE SISTEMAS... 4 2. ACESSO AO SISTEMA... 5 3. TELA PRINCIPAL... 6 4. MENU SISTEMAS... 7 5. MENU SERVIÇOS... 8 5.1. Ativação Fox... 8 5.2. Atualização

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

MANUAL VERSÃO 4.14 0

MANUAL VERSÃO 4.14 0 0 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 1. O QUE É O EOL?... 2 2. ACESSANDO O EOL... 2 3. TELA INICIAL... 3 4. EXAMES ADMISSIONAIS... 4 5. MUDANÇA DE FUNÇÃO... 7 6. EXAMES DEMISSIONAL E RETORNO AO TRABALHO... 8 7. EXAMES

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

Manual do sistema SMARsa WEB

Manual do sistema SMARsa WEB Manual do sistema SMARsa WEB Módulo Solicitação/Ouvidoria SMARsa WEB Solicitação/Ouvidoria Versão 2.7 1 Sumário INTRODUÇÃO...4 OBJETIVOS...4 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo solicitação/ouvidoria...5

Leia mais

Análise e Tramitação de Projetos nos Comitês de Ética em Pesquisa

Análise e Tramitação de Projetos nos Comitês de Ética em Pesquisa Análise e Tramitação de Projetos nos Comitês de Ética em Pesquisa Versão 4.0 1 Histórico de Revisão do Manual Versão Autor Data Descrição Equipe suporte Criação do 1.0 Plataforma Brasil 01/11/2011 Documento

Leia mais

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC

NOVO COMPONENTE ASSINADOR ESEC NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO ELETRÔNICAS PREFEITURA DE JUIZ DE FORA COMPLEMENTO AO SUPORTE A ATENDIMENTO NÍVEL 1 1.0 Autor: Juiz de Fora, Fevereiro 2015. PÁGINA 1 DE 38 SUMÁRIO 1REQUISITOS MÍNIMOS CONFIGURAÇÕES

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade

Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade Cartilha do Gestor de Frota do Órgão / Entidade SGTA Sistema de Gestão Total de Abastecimento do Governo do Estado de Minas Gerais REV DATA ALTERAÇÃO CRIAÇÃO REVISÃO APROVAÇÃO 01 13/01/14 Versão inicial

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO 260/13 MANUAL DE UTILIZAÇÃO PARTE I - INTRODUÇÃO VERSÃO 2014 Fevereiro de 2014 SIGFIS-Sistema Integrado

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Manual de Utilização Sistema de Gestão de Campanha Módulo Indústria

Manual de Utilização Sistema de Gestão de Campanha Módulo Indústria Manual de Utilização Sistema de Gestão de Campanha Módulo Indústria 2 Índice / Sumário 1. Introdução ao Sistema 2. Fluxo de Adesão 3. Email Cadastro 4. Email Convite 5. Acesso ao Sistema 6. Pagina Inicial

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

Manual de Instalação Corporate

Manual de Instalação Corporate Manual de Instalação Corporate Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Imobiliária21

Leia mais

Manual de PRODUÇÃO ONLINE. Autorização e Faturamento

Manual de PRODUÇÃO ONLINE. Autorização e Faturamento Manual de PRODUÇÃO ONLINE 2 APRESENTAÇÃO A Unimed-Rio desenvolveu seu sistema de Produção Online, criado para facilitar a rotina de atendimento de seus médicos cooperados. Este sistema é composto por dois

Leia mais

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES 1 Quais são os sujeitos que devem ser cadastrados e o que cada um representa no cadastro da empresa?...2 2 Como fazer para cadastrar uma empresa?...3 3 Cliquei

Leia mais

Manual do Usuário Instituição

Manual do Usuário Instituição 1 Manual do Usuário Instituição Área Restrita Site de Certificação Controle: D.04.36.00 Data da Elaboração: 13/08/2014 Data da Revisão: - Elaborado por: TIVIT / Certificação ANBIMA Aprovado por: Gerência

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ Comando do Corpo de Bombeiros 4º GRUPAMENTO DE BOMBEIROS

POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ Comando do Corpo de Bombeiros 4º GRUPAMENTO DE BOMBEIROS POLÍCIA MILITAR DO PARANÁ Comando do Corpo de Bombeiros 4º GRUPAMENTO DE BOMBEIROS TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO SYSPROTOCOLO Cap. QOBM Amarildo Roberto Ribeiro Cb QPM 2-0 Emerson Finger de Souza CASCAVEL-

Leia mais

Manual de instalação Priority HIPATH 1100 versão 7.0

Manual de instalação Priority HIPATH 1100 versão 7.0 Manual de instalação Priority HIPATH 1100 versão 7.0 2014 Innova Soluções Tecnológicas Este documento contém 28 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Novembro de 2014. Impresso

Leia mais

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento

MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento MANUAL Credenciados SGMC Sistema de Gestão de Modalidades de Credenciamento SEBRAE-GO 1 Sumário Introdução... 3 1) Acesso ao Sistema... 4 1.1. LOGIN... 4 1.2. ALTERAR SENHA... 7 1.3. RECUPERAR SENHA...

Leia mais

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Subcomissão de Patrimônio - GEFIM REITORIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO COMPATRIM/GEFIM SISTEMA PATRIMÔNIO WEB Manual do usuário v.1.1 Sumário Introdução... 4 Fluxo das Principais

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR

Guia do Usuário PRONAVTECH GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR GUIA DO USUÁRIO ARMAZENADOR 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 ACESSANDO O PRONAVTECH... 4 Primeiro Acesso... 5 Demais Acessos... 6 Esqueci Minha Senha... 7 Esqueci o usuário principal... 7 ÁREA DE TRABALHO DO PRONAVTECH...

Leia mais

SGB Sistema de Gestão de Bolsas Manual do Usuário

SGB Sistema de Gestão de Bolsas Manual do Usuário Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário-Executivo José Henrique Paim Fernandes Subsecretário de Assuntos Administrativos Jose Eduardo Bueno de

Leia mais

SEAP / CAS. Manual V1.0

SEAP / CAS. Manual V1.0 SEAP / CAS Manual V1.0 Janeiro - 2013 Coordenadoria de Administração de Serviços - CAS Palácio das Araucárias Rua Jacy Loureiro de Campos, s/nº 80530-140 - Centro Cívico - Curitiba Paraná Fone: (41) 3313-6071

Leia mais

SICOOBNET EMPRESARIAL

SICOOBNET EMPRESARIAL SICOOBNET EMPRESARIAL Apresentação do produto Características principais Segurança Procedimentos para utilização Adesão Instalação Cadastro de computador Transações disponíveis AGENDA APRESENTAÇÃO DO PRODUTO

Leia mais

Configuração dos clientes da rede sem fio cefetmg_aluno

Configuração dos clientes da rede sem fio cefetmg_aluno Configuração dos clientes da rede sem fio cefetmg_aluno Para realizar as configurações do cliente, é necessário que o mesmo possua conta na base institucional de autenticação de usuários de sistemas de

Leia mais

Coordenadoria de Gestão da Informação

Coordenadoria de Gestão da Informação Coordenadoria de Gestão da Informação Curitiba Abril 2015 OBJETIVO Esse Manual descreve os procedimentos a serem realizados para instalação dos drives dos leitores biométricos. Este documento está organizado

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PRO CONTROL

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PRO CONTROL Elaborado Por: Henrique Aren Troitinho Versão: 1.0 Data: 04/11/08 Elaborado por: Henrique Aren Troitinho Versão: 1.0 Data: 04/11/2008 Página 2 de 22 Índice: 1. Finalidade do Pro Control Pág. 03 2. Instalação

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS NA ANVISA PERGUNTAS FREQUENTES

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS NA ANVISA PERGUNTAS FREQUENTES CADASTRAMENTO DE EMPRESAS NA ANVISA PERGUNTAS FREQUENTES Quais são os sujeitos que devem ser cadastrados e o que cada um representa no cadastro da empresa?...2 Como fazer para cadastrar uma empresa?...3

Leia mais

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL GOIÂNIA MAIO/2011 Direito de Cópia 2011 pela Gerência do Departamento de Desenvolvimento de Sistemas da AMTEC. 2011 1ª Edição Este documento ou parte dele não pode

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation GMP Corporation Gerenciador de Multi-Projetos Manual do Usuário 2000 GMP Corporation Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/08/2004 1.0 Versão inicial do documento Bárbara Siqueira Equipe

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO DE SOLICITAÇÃO DE FORMULÁRIOS (SASF) USUÁRIOS MUNICIPAIS VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

1. Sistema de cadastramento para empresas NÃO cadastradas (cadastro inicial) 1.1. Links de acesso direto na área de cadastro

1. Sistema de cadastramento para empresas NÃO cadastradas (cadastro inicial) 1.1. Links de acesso direto na área de cadastro Atualizado: 22 / 04 / 2013 - FAQ - AI 1. Sistema de cadastramento para empresas NÃO cadastradas (cadastro inicial) 1.1. Links de acesso direto na área de cadastro 1.2. Informações gerais 1.3. Tabela Ação

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Sumário 1. Sobre este documento...3 2. Suporte técnico...3 3. Requisitos de hardware...3 3.1. Estação...3 3.2. Servidor...4 4. Instalação...4 4.1. Instalação do Group Folha no servidor...6

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS

SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS - MDA - SPOA - CGMI SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL DO USUÁRIO Pesquisa no Sistema BRASÍLIA, AGOSTO DE 2007 Versão 1.0 SISDEX SISTEMA DE CONTROLE DE DOCUMENTOS EXPEDIDOS MANUAL

Leia mais

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Certificação

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Certificação Manual do Usuário Certificação Manual do Usuário - Certificação Versão 1.0 Página 2 CBA Online Manual do Usuário Certificação Versão 1.1 19 de maio de 2004 Companhia Brasileira de Alumínio Departamento

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais