EXCELENTÍSSIMO SENHOR CONSELHEIRO RELATOR DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXCELENTÍSSIMO SENHOR CONSELHEIRO RELATOR DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ"

Transcrição

1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR CONSELHEIRO RELATOR DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ Processo N 2010.HRZ.PCG.5691/11 APRESENTAÇÃO DE JUSTIFICATIVAS - ADITIVAS PRESTAÇÃO DE CONTAS DE GOVERNO PREFEITURA MUNICIPAL DE HORIZONTE EXERCÍCIO 2010 MANOEL GOMES DE FARIAS NETO, Prefeito Municipal de Horizonte, vem, a insigne presença de Vossa Excelência, com o costumeiro respeito e acatamento, apresentar JUSTIFICATIVAS às falhas apontadas no Relatório Complementar n 8077/2013, da 2a Inspetoria da Diretoria de Fiscalização - DIRFI, aludindo as seguintes razões de fato e de direito. DOS CRÉDITOS ADICIONAIS (item 04 da Informação Inicial 8077/2013) ç-; A O Reu<S0 DECLARADA DE DOCUMENTOS RFMETIWS ESTA SUJEITO A VERIFICAÇÃO tosti':rior POR i>a;:!,te DO SETOR TÉCNICO =4:0...m..40.1~ Setor do Protocolo Tendo em vista a relevância dos dados concernentes a abertura de créditos adicionais durante a análise das Prestações de Contas de Governo por parte desta Corte de Contas, torna-se necessário esclarecer as imputações apontadas em sede de complementar técnica, haja vista que as mesmas não condizem com a realidade dos atos municipais do exercício de 2010.

2 Assim, com relação aos créditos adicionais, informamos nas justificativas iniciais que "O valor dos créditos adicionais abertos com a fonte de recursos "anulação de dotações" perfaz a cifra de R$ ,34. Desse montante, R$ ,09 relaciona-se aos créditos adicionais abertos para o Poder Executivo e R$ ,25 aos créditos adicionais abertos para o Poder Legislativo. Dentre os decretos do Poder Legislativo consta aquele que corresponde exatamente ao valor da diferença apontada pela nobre Inspetoria R$ 1.704,25. A anotação dos valores do Poder Legislativo se fez conforme os dados constantes dos relatórios encaminhados para consolidação, os quais se encontram no processo de prestação de contas sob exame, págs a Cabe ressaltar que o Poder Legislativo elabora sua própria contabilidade e, portanto, não pode ser atribuída ao justificante qualquer falha nela verificada, pois não tem ingerência sobre atos cometidos por aquele Poder, em respeito ao que preceitua o art. 2 da Constituição Federal, in verbis: Art. 2. São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Em assim sendo, requer o justificante que essa falha seja atribuída ao Poder Legislativo, nas contas de sua responsabilidade, considerando que o Executivo apenas procede a consolidação do que foi realizado." Sobre o assunto, assim se manifestou a nobre Inspetoria: "Ressalte-se que os créditos adicionais suplementares do Poder Legislativo foram abertos através de decretos do Chefe do Poder Executivo, logo, o responsável pela remessa dos arquivos correspondentes aos créditos adicionais, de acordo com o Manual do SIM Contas de Governo 2010 é o Prefeito Municipal (pág. 15 da Informação Complementar)." E, mais adiante (fls. 17): "Os Decretos que suplementaram as dotações orçamentárias do Poder Legislativo foram abertos pelo Poder Executivo, isto é perfeitamente identificado às fls. 501/524 dos autos, nos meses de julho (dia 31), agosto (dia 31) e dezembro (dia 31), contudo os registros encaminhados através do SIM indicam outras datas, conforme relatório dos Créditos Adicionais que ora acostamos ao presente processo. Ressalte-se que não há autorização na LOA para o Chefe do Poder Legislativo abrir créditos adicionais suplementares". (destaque nosso) Consta, no quadro "Relação dos Decretos relativos a Créditos Adicionais", nos autos, o destaque 'CONSOLIDAÇÃO DA CÂMARA", com a indicação dos 2

3 decretos 0001C, 0002C, 0003C, 0004C, 0005C, 0006C, 0007C E 0008C, nas datas 31/07, 31/08 e 31/12, datas que evidenciam tratarem-se os mesmos de consolidação de dados do Poder Legislativo. Esses dados são extraídos dos balancetes da Câmara, encaminhados para consolidação, que ocorre no último dia do mês. Obviamente que a consolidação gera relatórios, no caso os decretos enumerados sob o título "Consolidação da Câmara". A própria Inspetoria ressalta o fato de esses decretos encontrarem-se datados de 31/07, 31/08 e 31/12, em dissonância com as informações encaminhadas através do SIM, que indicam outras datas (doc. 01). Ocorre que o SIM a que se refere a Inspetoria é o SIM encaminhado pelo Poder Legislativo, que traz as datas em que ocorreram as aberturas de créditos adicionais suplementares e não a data da consolidação dos dados, evidenciando, destarte, que os créditos suplementares às dotações da Câmara são de sua responsabilidade. Ao Poder Executivo cabe, tão somente, consolidar os dados contábeis da Câmara Municipal e demonstrá-los através dos documentos acostados aos autos da Prestação de Contas de Governo. De fato, a disposição contida na Informação Técnica Complementar traduz-se em equívoco, com a devida vênia, da Inspetoria ao analisar as informações do SIM e documentos em meio impresso, tendo em vista que tais decretos decorrerem de atos diretos da gestão do Chefe do Legislativo Municipal. Ante o exposto, requer-se a manifestação pela total regularidade do presente item, restando dentro da legalidade a abertura dos créditos de responsabilidade do Prefeito Municipal. DA GESTÃO FISCAL DA REMESSA E PUBLICAÇÃO DE RELATÓRIOS DA LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL - LRF DO RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA RREO (subitem da Informação Inicial 8077/2013) No concernente a análise dos dados por parte do setor técnico, reiteramos que o relatório disponível à consulta no site desse TCM demonstra o valor de R$ ,29 para a despesa empenhada e não o valor anotado pela Inspetoria, 3

4 A diferença entre o valor constante do SIM e o valor registrado no Balanço Geral R$ é diferença nos dados da Câmara Municipal, a quem deve ser solicitado os devidos esclarecimentos. Destarte, diante da autonomia financeira e gerencial do Poder Legislativo de seus recursos não possui o presente justificante (Chefe do Executivo) conhecimento sobre o fato das informações prestadas por aquele ente no SIM serem diferentes dos demonstrados nos relatórios encaminhados para consolidação. DOS REPASSES DAS CONSIGNAÇÕES AOS ÓRGÃOS DE PREVIDÊNCIA REALIZADOS PELO PODER EXECUTIVO DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS (subitem da Informação Inicial 8077/2013) Sobre o tema, foram prestados esclarecimentos aos comentários alusivos a este tópico em sede de Justificativas iniciais, restando demonstrado que a existência de saldo no Passivo Financeiro não representa falha/omissão no cumprimento das obrigações. Todavia, em nível de Informação Complementar, aponta o setor técnico a necessidade de envio de documentos hábeis a comprovação do repasse dos valores ao Ente Previdenciário. Destarte, cabe elucidar que em nenhum momento antes nestes autos foi solicitada a comprovação de qualquer repasse de valor ao INSS, posto que quadro elaborado pela Inspetoria evidenciava-se que o repasse fora maior que as consignações retidas. Entretanto, apesar do demonstrado no quadro expositivo, a Inspetoria conclui, na Informação Complementar, pela "impossibilidade em certificar o repasse do saldo que ficou pendente, tendo em vista o não envio dos comprovantes de recolhimento junto ao INSS (Guia de Previdência Social GPS), alusivos a referidas consignações com a especificação dos valores que a compõem, tais como: obrigações patronais, retenções e deduções". E mais: "A partir do exame destes documentos seria possível a conclusão acerca do cumprimento da Lei n Lei Orgânica da Seguridade Social, podendo-se constatar a ocorrência ou de apropriação indébita previdenciária prevista no art. 168 A do Código Penal Brasileiro 6

5 introduzido pela Lei n 9.983, de 17 de julho de 2000, em caso de não recolhimento dos valores totais devidos". Ora Douta Relatoria, resta claro nos presentes autos, mais uma vez, a presença de fatos novos que merecem a aplicação direta dos Princípios Constitucionais do Contraditório e Ampla Defesa, sob pena de grave falha procedimental e prejuízo à Defesa. Ademais, visando a celeridade processual, nesta oportunidade, encaminham-se as Guias de Recolhimento de Previdência Social GPS necessárias a satisfação da análise técnica (doc. 04), comprovando que não ocorreu apropriação indébita previdenciária. Ainda visando afastar a ocorrência do crime contido no art. 168-A do Código Penal, bem como tendo em vista entendimento jurisprudência do Pleno desta Corte quanto aos meios de prova do repasse do INSS, anexa-se cópia da (doc. 05). Certidão Negativa do Município de Horizonte para ciência deste TCM Por fim, reiteramos que não resta motivação para manutenção das disposições contidas em sede de informação complementar, tendo em vista a regularidade dos repasses ao INSS e total inexistência de apropriação previdenciária. DO FUNDO MUNICIPAL DA SEGURIDADE SOCIAL (subitem da Informação Inicial 8077/2013) Neste tópico, assim como no tópico anterior, a Informação Complementar "impossibilidade em traz claramente a presença de FATO NOVO ao afirmar a certificar o repasse do saldo que ficou pendente, tendo em vista o não envio dos comprovantes de recolhimento junto FMSS (Documento de Arrecadação Municipal DAM), alusivos a referidas consignações com a especificação dos valores que a compõem, tais como; obrigações patronais, retenções e deduções". Mais uma vez, reitera-se que em sede de Exordial técnica, não foram requeridas cópias de quaisquer documentos por parte do setor técnico a este justificante. Ademais, fazendo uso do Contraditório e Ampla Defesa, anexa-se, nesta oportunidade os comprovantes dos repasses feitos ao Fundo Municipal de 7

6 Seguridade Social, em janeiro de 2011, referentes à competência dezembro/2010 (doc. 06), tudo visando comprovar a regularidade da gestão administrativa e inexistência de qualquer apropriação por parte do Chefe do Executivo. CONSIDERAÇÕES FINAIS Espera o justificante que os documentos anexados e os esclarecimentos acima sejam suficientes para elucidar as dúvidas levantadas pela nobre Inspetoria, e aguarda que esse respeitável Tribunal de Contas dos Municípios emita Parecer Prévio pela APROVAÇÃO das Contas de Governo do Município de Horizonte, exercício de 2010, por ser de direito e de justiça. Nestes Termos Pede Deferimento. Horizonte, 30 de outubro de 2013 Prefeito Munic pal S DE FARIAS NETO 8

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO PROCESSO Nº 2004.QXM.PCG.10266/05 NATUREZA: CONTAS DE GOVERNO INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR Nº 5861/2008 ADITIVO INTERESSADO: PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXERAMOBIM PREFEITO: CIRILO ANTÔNIO PIMENTA LIMA RELATOR:

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Conselheiro Doutor Manoel Beserra Veras Presidente do Egrégio Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará

Excelentíssimo Senhor Conselheiro Doutor Manoel Beserra Veras Presidente do Egrégio Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará Excelentíssimo Senhor Conselheiro Doutor Manoel Beserra Veras Presidente do Egrégio Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará RESOLUCÃO TCM/CE N 07/2011-16/07/2011 Art. 1 0. Serão interrompidos,

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO PROCESSO Nº 2006.ICA.PCS.12773/07 ENTIDADE: SECRETARIA DE TURISMO E ESPORTES DE ICAPUÍ INTERESSADO: JOSÉ EDILSON DA SILVA NATUREZA: CONTAS DE GESTÃO RELATOR: CONSELHEIRO MANOEL BESERRA VERAS INFORMAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO. Os documentos obrigatórios de prestação de contas deram entrada dentro do

RELATÓRIO. Os documentos obrigatórios de prestação de contas deram entrada dentro do Processo : Nº630042009-00 Origem : Fundo Municipal de Saúde de Rio Maria Assunto: Prestação de Contas Anuais de Gestão exercício de 2009 Instrução: 6ªControladoria Ordenador: Edimilson Batista Alves Procuradoria:

Leia mais

Em exame as contas anuais do Instituto de Previdência Municipal de Mogi das Cruzes, relativas ao exercício de 2010.

Em exame as contas anuais do Instituto de Previdência Municipal de Mogi das Cruzes, relativas ao exercício de 2010. 46 Processo: TC 001392/026/10. Acompanham: TC 001392/126/10 (Acessório 1 Acompanhamento da Gestão Fiscal); TC-6067/026/11, TC-11821/026/11 e 11822/026/11 (Expedientes). Interessado: Instituto de Previdência

Leia mais

PARECER PRÉVIO Nº 449/10

PARECER PRÉVIO Nº 449/10 PARECER PRÉVIO Nº 449/10 Opina pela aprovação, porque regulares, porém com ressalvas, das contas da Mesa da Câmara Municipal de CONCEIÇÃO DO COITÉ, relativas ao exercício financeiro de 2009. O TRIBUNAL

Leia mais

ACÓRDÃO N.º 147 /2008 TCE Pleno

ACÓRDÃO N.º 147 /2008 TCE Pleno ACÓRDÃO N.º 147 /2008 TCE Pleno 1. Processo nº: 02050/2008 2. Classe de Assunto: II - Prestações de Contas de Ordenador de Despesas 3. Responsável: Doris de Miranda Coutinho Presidente 4. Entidade: Tribunal

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO PROCESSO Nº 2005.SLC.PCS.16719/06 ENTIDADE: FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO LUÍS DO CURU INTERESSADO: SR. WALTER WESLEY DE ANDRADE EX-GESTOR NATUREZA: PRESTAÇÃO DE CONTAS DE GESTÃO INFORMAÇÃO Nº 2574/2008

Leia mais

ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DECONTAS RESOLUÇÃO T.C. Nº 04, 7 DE MARÇO DE 2012

ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DECONTAS RESOLUÇÃO T.C. Nº 04, 7 DE MARÇO DE 2012 RESOLUÇÃO T.C. Nº 04, 7 DE MARÇO DE 2012 Dispõe sobre o Sistema de Gerenciamento de Recursos da Sociedade SAGRES na esfera municipal. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE PERNAMBUCO, na sessão do Pleno realizada

Leia mais

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB. Marcelo Augusto Sabbatini Passos Técnico Contábil MPGO Março/2009

CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB. Marcelo Augusto Sabbatini Passos Técnico Contábil MPGO Março/2009 CONTROLE E FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB Marcelo Augusto Sabbatini Passos Técnico Contábil MPGO Março/2009 FISCALIZAÇÃO DO FUNDEB pelo órgão de Controle Interno no âmbito da União (Controladoria Geral da União

Leia mais

Município: Tianguá. Processo nº.: 2010.TGA.PCG.07230/11. Informação Complementar nº.: 8325/2013. Prefeita: Natália Félix da Frota

Município: Tianguá. Processo nº.: 2010.TGA.PCG.07230/11. Informação Complementar nº.: 8325/2013. Prefeita: Natália Félix da Frota Município: Tianguá Processo nº.: 2010.TGA.PCG.07230/11 Informação Complementar nº.: 8325/2013 Prefeita: Natália Félix da Frota Relator: Manoel Beserra Veras Missão TCM-CE Orientar e fiscalizar a aplicação

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIF1U,^ i'io. F'RO T OCCOLO : 19,572/08 f'rt.1ci_:áti (1:^:007 M:[R. FC(3 0 ó97`?/0 j :tusr:[ficaf1va 2 007

TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIF1U,^ i'io. F'RO T OCCOLO : 19,572/08 f'rt.1ci_:áti (1:^:007 M:[R. FC(3 0 ó97`?/0 j :tusr:[ficaf1va 2 007 EXMO. SR. PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS - CE TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIF1U,^ i'io. F'RO T OCCOLO : 19,572/08 f'rt.1ci_:áti (1:^:007 M:[R. FC(3 0 ó97`?/0 j :tusr:[ficaf1va 2 007 ENTRADA

Leia mais

FLUXOGRAMA DO TRÂMITE INTERNO DE CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO

FLUXOGRAMA DO TRÂMITE INTERNO DE CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO FLUXOGRAMA DO TRÂMITE INTERNO DE CONTRATAÇÃO DE OPERAÇÃO DE CRÉDITO Verificada a necessidade de cumprimento de meta de governo para a qual não haja recurso disponível, pode a Secretaria interessada analisar

Leia mais

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

Serviço Público Municipal Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ: 14.235.253/0001-59 PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 301 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Estabelece os procedimentos e as normas a serem adotados pelos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta, para o encerramento anual

Leia mais

1. DA REMESSA DOS BALANCETES MENSAIS (item 2 da Informação inicial)

1. DA REMESSA DOS BALANCETES MENSAIS (item 2 da Informação inicial) PROCESSO Nº 2004. OCA.PCS.12473/05 MUNICIPIO: OCARA ENTIDADE: FUNDO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO INTERESSADA: MARIA NÚBIA PEREIRA DE OLIVEIRA (EX-GESTORA) NATUREZA: CONTAS DE GESTÃO INFORMAÇÃO

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS

ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS PROC.: 1/004275/2005 I ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOSTRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃON obs/2008 la CÂMARA SESSÃODE 23/11/2007 PROCESSODE RECURSO N 1/004275/2005 AUTO DE INFRAÇÃO: 1/200517776

Leia mais

PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS

PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS PUBLICADO EM RESUMO NO DOE DE / / PRESTAÇÃO ANUAL DE CONTAS Processo TCM nº 04394-12 Exercício Financeiro de 2011 INSTITUTO DE PREVIDENCIA-IMUPRE Município de CORRENTINA Gestor: Regina de Castro Neves

Leia mais

Treinamento. Uniodonto Maceió

Treinamento. Uniodonto Maceió Treinamento Uniodonto Maceió Contabilidade Contabilidade é a ciência que tem como objeto de estudo o patrimônio das entidades, seus fenômenos e variações, tanto no aspecto quantitativo quanto no qualitativo,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERROLÂNDIA BAHIA CNPJ 14.196.703/0001-41

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERROLÂNDIA BAHIA CNPJ 14.196.703/0001-41 DECRETO Nº. 075, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2015. Dispõe sobre os procedimentos para o encerramento do exercício financeiro de 2015 no âmbito da Administração Pública Municipal e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais

CONSULTA N. 809.491 EMENTA:

CONSULTA N. 809.491 EMENTA: Utilização do saldo positivo da reserva do regime próprio de previdência social para abertura de créditos adicionais suplementares. Arquivamento de notas de empenho pela administração pública CONSULTA

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

Superavit financeiro em balanço patrimonial de autarquia como fonte de recurso para abertura de crédito suplementar

Superavit financeiro em balanço patrimonial de autarquia como fonte de recurso para abertura de crédito suplementar RELATOR: CONSELHEIRO MAURI TORRES Superavit financeiro em balanço patrimonial de autarquia como fonte de recurso para abertura de crédito suplementar DICOM TCEMG EMENTA: CONSULTA CONTROLADORIA-GERAL DO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS Junto ao TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ACRE

MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS Junto ao TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO ACRE PROCESSO N 13.843.2010-20 Rio Branco-AC, 12.08.2014. ASSUNTO: Prestação de Contas da Prefeitura Municipal de Rodrigues Alves, referente ao exercício de 2009. O presente processo já foi objeto de pronunciamento

Leia mais

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências.

DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013. Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. DECRETO Nº 14.407 DE 09 DE ABRIL DE 2013 Aprova o Regulamento do Sistema Financeiro e de Contabilidade do Estado, e dá outras providências. (Publicado no DOE de 10 de abril de 2013) O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2003

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2003 RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2003 O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 95 e o inciso II do art. 97 da Constituição Estadual, bem assim o inciso II, do

Leia mais

a.1.4) Em caso de Associação Civil, a aceitação de novos associados, na forma do estatuto;

a.1.4) Em caso de Associação Civil, a aceitação de novos associados, na forma do estatuto; CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 002/2014 QUALIFICAÇÃO DE ENTIDADES PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS COMO ORGANIZAÇÃO SOCIAL NA ÁREA DE SAÚDE O Município de Fontoura Xavier, Estado do Rio Grande do Sul, pessoa jurídica

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul : CONS. IRAN COELHO DAS NEVES

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul : CONS. IRAN COELHO DAS NEVES Relatório Voto : REV - G.ICN - 00901/2011 PROCESSO TC/MS : 6107/2008 PROTOCOLO : 908430 ÓRGÃO : PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ALVORADA DO SUL ORDENADOR (A) DE : ARLEI SILVA BARBOSA DESPESAS CARGO DO ORDENADOR

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA SICOM - CONTABILIDADE

ORIENTAÇÃO TÉCNICA SICOM - CONTABILIDADE ORIENTAÇÃO TÉCNICA SICOM - CONTABILIDADE O principal objetivo do SICOM é exercer um controle concomitante dos atos e fatos realizados nas administrações públicas, criando condições para identificar de

Leia mais

ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)

ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) 1689/2015 - Sexta-feira, 20 de Março de 2015 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 1 ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA MUNICIPAL N. 834672

PRESTAÇÃO DE CONTAS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA MUNICIPAL N. 834672 PRESTAÇÃO DE CONTAS DA ADMINISTRAÇÃO INDIRETA MUNICIPAL N. 834672 Procedência: Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Pará de Minas Exercício: 2009 Responsável: Oswaldo Oliveira

Leia mais

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA

7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA 7ª CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 798.202-7 DA COMARCA DE CERRO AZUL VARA ÚNICA Apelante: MUNICÍPIO DE CERRO AZUL Apelado: ESTADO DO PARANÁ Relator: Des. GUILHERME LUIZ GOMES APELAÇÃO CÍVEL AÇÃO ANULATÓRIA

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 018/2014. para o Museu da Imigração.

CARTA CONVITE Nº 018/2014. para o Museu da Imigração. São Paulo, 20 de março de 2014. CARTA CONVITE Nº 018/2014 Fornecimento de equipamentos em comodato e instalação de Circuito Fechado de TV (CFTV) para o Museu da Imigração. A, Organização Social gestora

Leia mais

ENCONTRO DE GESTORES PÚBLICOS MUNICIPAIS. Resoluções Normativas

ENCONTRO DE GESTORES PÚBLICOS MUNICIPAIS. Resoluções Normativas Tribunal de Contas ENCONTRO DE GESTORES PÚBLICOS MUNICIPAIS Resoluções Normativas Ed Wilson Fernandes de Santana Fabiana Luzia C. R. de Miranda Marcos Uchôa de Medeiros Sumário Resolução nº 07/2009 (Balancetes)

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO GARÇAS CONTROLE INTERNO

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ALTO GARÇAS CONTROLE INTERNO 1/5 NORMA INTERNA : 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e orientar o fluxo das operações de crédito, bem como avais e garantias oferecidas para as operações de crédito; 1.2) Atender legalmente os dispositivos

Leia mais

Registro de Fatos Administrativos e Contábeis

Registro de Fatos Administrativos e Contábeis PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P. TJAM 18 Registro de Fatos Administrativos e Elaborado por: Rosineide

Leia mais

b) o 13º salário é quitado no decorrer do ano. Nos casos de haver parcela variável, o valor decorrente disso terá seu saldo quitado em janeiro;

b) o 13º salário é quitado no decorrer do ano. Nos casos de haver parcela variável, o valor decorrente disso terá seu saldo quitado em janeiro; 16/11/2011 (Artigo)13º SALÁRIO - ADIANTAMENTOS, PROVISÃO E BAIXA 1. Considerações Iniciais O 13º salário é um direito que o empregado vai adquirindo ao longo do ano, proporcionalmente ao número de meses

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

QUEM PODE HABILITAR-SE NO SICONV?

QUEM PODE HABILITAR-SE NO SICONV? O QUE É SICONV? Criado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, o SICONV Sistema de Convênio, tem como uma das finalidades, facilitar as apresentações de projetos aos programas ofertados pelo

Leia mais

O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis.

O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis. O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis. Renan Cesco de Campos VIII Fórum de Relações Trabalhistas

Leia mais

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA 2013 Visando esclarecer os procedimentos devidos para retenção dos tributos e contribuições sobre serviços contratados de Pessoas Físicas não assalariadas

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO E INFORMAÇÃO DO COMÉRCIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO E INFORMAÇÃO DO COMÉRCIO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO

Leia mais

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A PARECER Nº 03/2013. EMENTA: CONSULTA DIVERSA. DOCUMENTAÇÃO PRECÁRIA. PARECER ABSTRATO. RESPEITO AOS PRAZOS DA COMISSÃO DE TRANSMISSÃO DE CARGOS E DE PRESTAÇÃO DE CONTAS. RESOLUÇÃO N. 1311/12 E N. 1060/05

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

SERVICE LEVEL AGREEMENT

SERVICE LEVEL AGREEMENT SERVICE LEVEL AGREEMENT SERVIÇOS PRESTADOS CERTIDÃO NEGATIVA ESTADUAL/ MUNICIPAL/ FEDERAL Este serviço consiste em fornecer a Certidão Negativa de Débitos Estadual/Municipal aos clientes e Assessorias

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 21.628 - SP (2007/0158779-3) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ RECORRENTE : AGOSTINHO FERRAMENTA DA SILVA JÚNIOR ADVOGADO : JULIANA FERRAMENTA DA SILVA RECORRIDO : TRIBUNAL DE

Leia mais

EXCELENTÍSISMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ.

EXCELENTÍSISMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ. EXCELENTÍSISMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ. Ref. Processo n. 2008.TRR.PCS.10806/09 JUSTIFICATIVAS NATUREZA: Contas de Gestão Exercício de 2008 INTERESSADO:

Leia mais

SEMINÁRIO PREPARATÓRIO À NOVA GESTÃO MUNICIPAL

SEMINÁRIO PREPARATÓRIO À NOVA GESTÃO MUNICIPAL SEMINÁRIO PREPARATÓRIO À NOVA GESTÃO MUNICIPAL A prestação de contas no exercício de 2012 Paulo Sérgio Castelo Branco Carvalho Neves Ednize Oliveira Auditores Fiscais de Controle Externo Teresina, 04 de

Leia mais

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14

BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 020 DE 12 a 16/05/14 Leia-se:...Art. 1º DELEGAR COMPETÊNCIA e as responsabilidades decorrentes ao Superintendente Regional do DNIT nos estados de Goiás e Distrito Federal para Lavrar o Termo Aditivo de Prorrogação de prazo,

Leia mais

Marcones Libório de Sá Prefeito

Marcones Libório de Sá Prefeito Mensagem n. 010 /2015 Salgueiro, 14 de Setembro de 2015. Senhor Presidente, Senhores (as) Vereadores (as), Considerando os princípios de descentralização e transparência, que tem levado esta administração

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/15 A Coordenadoria do Sistema de Controle Interno do Município, considerando: - O volume de recursos recebidos pelo Município a título de repasse de outros entes da Federação via Convênio ou Contrato

Leia mais

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526 DECRETO Nº 13.492 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 017/2014, DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO / ES, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 037, DE 08 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre critérios a serem adotados na execução orçamentária e financeira do Poder Executivo do Município de Goiânia para o exercício

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Pará

Tribunal de Contas do Estado do Pará RESOLUÇÃO Nº 16.769 (Processo nº. 2003/51606-1) Assunto: Consulta formulada pelo MINISTÉRIO PÚBLICO DO ES- TADO visando esclarecer se os valores correspondentes ao Imposto de Renda Retido na Fonte sobre

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DOS MUNICÍPIOS - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DOS MUNICÍPIOS - DMU TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DOS MUNICÍPIOS - DMU Rua Bulcão Viana, 90, Centro Florianópolis Santa Catarina Fone: (48) 3221-3764 Fax: (048) 3221-3730 Home-page:

Leia mais

PROVIMENTO Nº 34. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA em substituição, no uso de suas atribuições legais e constitucionais;

PROVIMENTO Nº 34. O CORREGEDOR NACIONAL DE JUSTIÇA em substituição, no uso de suas atribuições legais e constitucionais; PROVIMENTO Nº 34 Disciplina a manutenção e escrituração de Livro Diário Auxiliar pelos titulares de delegações e pelos responsáveis interinamente por delegações vagas do serviço extrajudicial de notas

Leia mais

PROCESSO N. 654/04 PROTOCOLO N.º 5.344.203-0 PARECER N.º 942/07 APROVADO EM 12/12/07

PROCESSO N. 654/04 PROTOCOLO N.º 5.344.203-0 PARECER N.º 942/07 APROVADO EM 12/12/07 PROTOCOLO N.º 5.344.203-0 PARECER N.º 942/07 APROVADO EM 12/12/07 CÂMARA DE LEGISLAÇÃO E NORMAS INTERESSADA: SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO MUNICÍPIO: CURITIBA ASSUNTO: Relatório de Sindicância no Colégio

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO Fl. 433 SENTENÇA DA AUDITORA SILVIA MONTEIRO PROCESSO: ÓRGÃO: TC-1375/026/10 CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE CIRCUITO DAS ÁGUAS LINDÓIA - CONISCA JOSÉ JUSTINO LOPES RESPONSÁVEL: ASSUNTO: BALANÇO GERAL

Leia mais

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

Itabuna PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA D E C R E T O Nº 11.028, de 10 de novembro de 2014 EMENTA: Dispõe sobre os procedimentos e prazos para o Encerramento do Exercício Financeiro de 2014, no âmbito da Administração Pública Municipal e, dá

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO

ESTADO DO CEARÁ TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO PROCESSO Nº 2007.IPA.PCS. 08915/08 MUNICÍPIO: IPAPORANGA NATUREZA: CONTAS DE GESTÃO INTERESSADO: FUNDO MUNICIPAL DE GESTOR: CLAUDIA MARIA MESQUITA LIRA RELATOR: CONSELHEIRO JOSÉ MARCELO FEITOSA INFORMAÇÃO

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Dispõe sobre a organização e a atuação do Sistema de Controle Interno no Município e dá outras providências. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

Código: MAP-DIFIN-003 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX. Custo

Código: MAP-DIFIN-003 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX. Custo Código: MAP-DIFIN-003 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX Elaborado por: Gerência de Execução Orçamentária Aprovado por: Diretoria de Finanças e Informação de Custo 1 OBJETIVO Padroniza e orienta os

Leia mais

ACÓRDÃO Nº 095/2009 TCE/TO 2ª Câmara

ACÓRDÃO Nº 095/2009 TCE/TO 2ª Câmara ACÓRDÃO Nº 095/2009 TCE/TO 2ª Câmara 1. Processo nº: 1686/2007 2. Classe de Assunto: II Prestação de Contas de ordenador de despesas referente ao exercício de 2006 3. Responsável: Valquíria Moreira Rezende

Leia mais

FERNANDO NEVES PEREIRA DA LUZ, Prefeito Municipal de JARDIM/CE,

FERNANDO NEVES PEREIRA DA LUZ, Prefeito Municipal de JARDIM/CE, EXCELENTÍSSIMO SENHOR CONSELHEIRO-PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ, DR. ERNESTO SABOIA DE FIGUEIREDO JUNIOR. EXCELENTÍSSIMO SENHOR CONSELHEIRO-RELATOR DO PROCESSO EM EPÍGRAFE.

Leia mais

O Gerente de Tributos Mobiliários da Secretaria Municipal Adjunta de Arrecadações, no uso de suas atribuições legais e regulamentares,

O Gerente de Tributos Mobiliários da Secretaria Municipal Adjunta de Arrecadações, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, Instrução de Serviço GETM nº 004, de 16 de outubro de 2012. Disciplina a concessão de regime especial para o cumprimento de obrigações tributárias pelos consórcios de empresas inscritos no Cadastro Nacional

Leia mais

Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho

Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho Contabilidade / Orçamento pag.: 4.1 4.1.1 - FLUXOGRAMA ORÇAMENTO LEGISLAÇÃO. Planejamento e Orçamento PPA Audiência Pública Legislativo Apreciação Executivo - Sanção Audiência Pública LDO Legislativo -

Leia mais

CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS. FARID TENORIO Fev / 2008

CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS. FARID TENORIO Fev / 2008 CONSÓRCIOS INTERMUNICIPAIS FARID TENORIO Fev / 2008 Aspectos Legais ETAPA 1 - Protocolo de Intenções O protocolo de intenções é o documento inicial do consórcio público e seu conteúdo mínimo deve obedecer

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA

NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA NOTAS EXPLICATIVAS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA 1. CONTEXTO ORGANIZACIONAL O Tribunal de Contas é um órgão com autonomia orçamentária e financeira de auxílio ao

Leia mais

Analisado por: Diretor do Departamento Contábil (DECON)

Analisado por: Diretor do Departamento Contábil (DECON) Proposto por: Diretor da Divisão de Conformidade Contábil (DICOC) CONTABILIZAR RESTITUIÇÕES E INDENIZAÇÕES Analisado por: Diretor do Departamento Contábil (DECON) Aprovado por: Diretora da Diretoria-Geral

Leia mais

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais,

Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, Decreto Nº 9.826, de 26 outubro de 2012 Dispõe sobre procedimentos e prazos relativos ao encerramento do exercício de 2012 e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO DAS NOVAS NORMAS APLICÁVEIS À CONTABILIDADE PÚBLICA. Aula 03. MCASP, parte I, Procedimentos Contábeis Orçamentários

ESTUDO DIRIGIDO DAS NOVAS NORMAS APLICÁVEIS À CONTABILIDADE PÚBLICA. Aula 03. MCASP, parte I, Procedimentos Contábeis Orçamentários Olá, ESTUDO DIRIGIDO DAS NOVAS NORMAS APLICÁVEIS À Aula 03 MCASP, parte I, Procedimentos Contábeis Orçamentários Dando continuidade ao nosso estudo dirigido, hoje veremos os seguintes tópicos: 01.04.04

Leia mais

DECRETO Nº 596/2009 D E C R E T A

DECRETO Nº 596/2009 D E C R E T A Alterado pelo Decreto nº 1724/11 DECRETO Nº 596/2009 Regulamenta a Lei nº 989/2009, que dispõe sobre a forma de pagamento de despesas de viagens através da liberação de diárias. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

Tribunal de Contas SAGRES CAPTURA 2015. Ed Wilson Fernandes de Santana Marcos Uchôa de Medeiros Severino Claudino Neto

Tribunal de Contas SAGRES CAPTURA 2015. Ed Wilson Fernandes de Santana Marcos Uchôa de Medeiros Severino Claudino Neto Tribunal de Contas SAGRES CAPTURA 2015 Ed Wilson Fernandes de Santana Marcos Uchôa de Medeiros Severino Claudino Neto Sumário Sagres Captura para 2015 Informações de Obras Arquivo PDF da Lei de criação

Leia mais

Conselheiro PEDRO FIGUEIREDO

Conselheiro PEDRO FIGUEIREDO 205 Processo nº 8401-02.00/12-7 Natureza: Contas de Gestão Origem: Fundação Hospitalar e Educacional São Francisco de Assis - FHOESFA - Machadinho Gestor (es): Osvaldo Luiz Vecchi Exercício: 2012 Data

Leia mais

RESOLUÇÃO N ^ /2006 Ia CÂMARA SESSÃO DE 17/07/2006

RESOLUÇÃO N ^ /2006 Ia CÂMARA SESSÃO DE 17/07/2006 PROC: 1/004193/2004 \ AL: 1/200410475 ESTADO DO CEARA SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃO N ^ /2006 Ia CÂMARA SESSÃO DE 17/07/2006 PROCESSO DE RECURSO N 1/004193/2004 AUTO

Leia mais

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009.

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. ALTERA O MODELO DE CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO - CTC, DISCIPLINA PROCEDIMENTOS QUANTO À SUA EXPEDIÇÃO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Prefeitura Municipal de Tupãssi PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e? R NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) é um documento

Leia mais

Desejo a todos que realizem uma excelente preparação para esse e outros concursos.

Desejo a todos que realizem uma excelente preparação para esse e outros concursos. ..FUNDOS ESPECIAIS Amigos e amigas estudantes do Ponto dos Concursos! Com a aproximação do concurso do TCU, estamos programando três cursos on line específicos para esse certame: Contabilidade Pública,

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. CAMPO DE APLICAÇÃO 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES 5. SIGLAS 6. CONDIÇÕES GERAIS 7. RESPONSABILIDADES 8. ANEXOS 1. OBJETIVO Este procedimento é estabelecido e mantido para uniformizar

Leia mais

Instrução Normativa 1.343, DE 08.04.2013, DA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

Instrução Normativa 1.343, DE 08.04.2013, DA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Instrução Normativa 1.343, DE 08.04.2013, DA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ASSISTIDOS COM INÍCIO DO RECEBIMENTO DO BENEFÍCIO NO PERÍODO DE JAN.2008 A DEZ.2012 Perguntas e respostas para entendimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16/2015

RESOLUÇÃO Nº 16/2015 RESOLUÇÃO Nº 16/2015 Dispõe sobre o acesso público de informações da Câmara Municipal de Sapiranga, regulamentando o art. 9º da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, no âmbito do Poder Legislativo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

LEI Nº 3604/2015, DE 19 DE MAIO DE 2015.

LEI Nº 3604/2015, DE 19 DE MAIO DE 2015. LEI Nº 3604/2015, DE 19 DE MAIO DE 2015. AUTORIZA O MUNICÍPIO CONCEDER CONTRIBUIÇÃO AO CLUBE DA MAIOR IDADE ALEGRIA DE VIVER, FIRMAR CONVÊNIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPORÉ-RS

Leia mais

JANEIRO CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MUNICIPAIS 2015. 1 Jan - Confraternização Universal / Ano Novo / 6 Jan Dia de Reis

JANEIRO CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MUNICIPAIS 2015. 1 Jan - Confraternização Universal / Ano Novo / 6 Jan Dia de Reis JANEIRO CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MUNICIPAIS 2015 DEZEMBRO/2014 FEVEREIRO 29 30 31 1 Jan - Confraternização Universal / Ano Novo / 6 Jan Dia de Reis Calendário de Obrigações Municipais - Janeiro/2015 EXECUTIVO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 525/2008 TCE PLENO

RESOLUÇÃO Nº. 525/2008 TCE PLENO RESOLUÇÃO Nº. 525/2008 TCE PLENO 1. Processo nº: 03755/2007 2. Classe de Assunto: Procedimento Licitatório Dispensa 3. Origem: Secretaria da Saúde SESAU 4. Responsável: Eugênio Pacceli de Freitas Coelho

Leia mais

Voto nº: 590/2001. I - Relatório MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO Nº CMRJ-005.465/01 DATA DE AUTUAÇÃO: 14/08/01

Voto nº: 590/2001. I - Relatório MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO Nº CMRJ-005.465/01 DATA DE AUTUAÇÃO: 14/08/01 Voto nº: 590/2001 MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO Nº CMRJ-005.465/01 DATA DE AUTUAÇÃO: 14/08/01 VOTO Nº: 590/2001 PROCESSO Nº: CMRJ-005.465/2001 ASSUNTO: CONSULTA INTERESSADO:

Leia mais

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00 ANEXO I PREGÃO Nº 2012.12.12.1 TERMO DE REFERÊNCIA Com a especificação dos serviços de assessoria, consultoria, execução contábil, justificativas, defesas e recursos de processos administrativos junto

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA - SESSÃO: 06/05/14

PRIMEIRA CÂMARA - SESSÃO: 06/05/14 PRIMEIRA CÂMARA - SESSÃO: 06/05/14 12 TC-038280/026/11 Órgão Público Concessor: Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente Fundação Casa - SP. Entidade(s) Beneficiária(s): Fraternidade

Leia mais

Art. 1º - Fica aprovado o Regimento Interno da Central do Sistema de Controle Interno, anexo ao presente Decreto.

Art. 1º - Fica aprovado o Regimento Interno da Central do Sistema de Controle Interno, anexo ao presente Decreto. DECRETO N.º 961/08 De 01 de julho de 2008. APROVA O REGIMENTO INTERNO DA CENTRAL DO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL DE VALE DO SOL, no uso de suas atribuições

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Ofício junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Ofício junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE RECURSO VOLUNTÁRIO Nº 08700.002874/2008-81 (Ref.: Processo Administrativo nº 08012.002474/2008-24) RECORRENTE: COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS AMBEV RECORRIDA: SECRETARIA DE DIREITO ECONÔMICO DO MINISTÉRIO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 872/2009 Disciplina a dação de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no município de Juranda,, prevista no inciso XI do artigo 156 do Código Tributário Nacional, acrescido

Leia mais

Trata-se de Prestação de Contas da Controladoria Geral do Estado de PARECER Nº 272/2013 MPC/RR

Trata-se de Prestação de Contas da Controladoria Geral do Estado de PARECER Nº 272/2013 MPC/RR PARECER Nº 272/2013 MPC/RR Processo: 0245/2010 Assunto: Prestação de Contas Exercício de 2009 Órgão: Controladoria Geral do Estado Responsáveis: Marlene da Silva Prado Luiz Renato Maciel de Melo Relator:

Leia mais

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Relatório de Demandas Externas n 00213.000123/2010-25 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

E S P E C I F I C A Ç Õ E S

E S P E C I F I C A Ç Õ E S E S P E C I F I C A Ç Õ E S 1) DO OBJETO: É objeto da presente licitação, a contratação de empresa para Prestação de Serviço de Auditoria externa (independente), compreendendo: 1.1 Auditoria dos registros

Leia mais

PARECER Nº 6906/2015. tms Pagina 1 de 9

PARECER Nº 6906/2015. tms Pagina 1 de 9 PROCESSO Nº UNIDADE GESTORA : : 1513-0/2014 (AUTOS DIGITAIS) FUNDO MUNICIPAL DE PREVIDENCIA SOCIAL DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃOZINHO ASSUNTO : CONTAS ANUAIS DE GESTÃO EXERCÍCIO DE 2014 GESTOR

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO PROCESSO Nº : 23000086135/2007-34 UNIDADE AUDITADA : CEFET/BAMBUI CÓDIGO UG : 153195 : BAMBUI RELATÓRIO Nº : 189721 UCI EXECUTORA : 170099 RELATÓRIO DE AUDITORIA

Leia mais