Ramo de atividade: 2 - Indicadores de Corpo Funcional Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ramo de atividade: 2 - Indicadores de Corpo Funcional Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total"

Transcrição

1 Balanço Social 2

2 Unimed Brasil Balanço Social Parcial - Identificação Nome da cooperativa: UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Ramo de atividade: Saúde Atuação da cooperativa: Local CNPJ: /- 5 Tempo de existência: 4 anos Regional Nacional Responsável pelo preenchimento: Delcia Helena Pinto dos Santos 2 - Indicadores de Corpo Funcional 2 29 Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Cooperado(as)Empregado(as) Nº Total Nº de pessoas na cooperativa (em /2) Nº de admissões durante o período Nº de saídas e demissões durante o período Faixa etária dos empregados: Menores de 8 anos De 8 a 5 anos De 6 a 6 anos Maiores de 6 anos Nº de trabalhadores(as) terceirizados(as) Nº de pessoas com funções administrativas Nº de mulheres cooperadas em funções administrativas e/ou diretivas Nº de negros cooperados em funções administrativas e/ou diretivas Escolaridade dos empregados: alfabetizados Com ensino fundamental Com ensino médio Com ensino técnico Com nível superior Pós-graduados Nº de mulheres que trabalham na cooperativa % de cargos de chefia ocupados por mulheres 9 78, % 78, % 75, % 75, % Remuneração média das mulheres.7,.7,.26,44.26,44.498,.498,.29,86.29, Remuneração média dos homens Nº de negros(as) que trabalham na cooperativa 9 % de cargos de chefia ocupados por negros(as) 78 7, %, %, %, % Remuneração média dos(as) negros(as).257,9.257,9.8,49.8,49 Remuneração média dos(as) brancos(as).59,78.59,78.47,85.47, Nº de portadores(as) de deficiência e redução de mobilidade - Indicadores de organização e gestão 2 Pagto à vista Procedimento para integralização das quotas-partes 4 29 Pagto à vista Desconto de débitos trabalhistas Desconto de débitos trabalhistas Desconto parcelado das retiradas Desconto parcelado das retiradas Sem capital social Sem capital social, desconto parcelado, desconto parcelado Valor da maior produção repassada ao(à) cooperado(a) , ,4 Valor da menor produção repassada ao(à) cooperado(a) 5,2,2 Valor da maior remuneração paga ao(a) administrador(a) - - Valor da menor remuneração paga ao(a) administrador(a) , ,87 Valor do maior salário pago ao(à) empregado(a)

3 Valor do menor salário pago ao(à) empregado(a) 46,72 4,8 Destino das sobras Fundos existentes Distribuição entre os(as) cooperados(as) Fundos Aumento de capital Fundo para educação (RATES) Reserva legal Distribuição entre os(as) cooperados(as) Fundos Aumento de capital Fundo para educação (RATES) Reserva legal Quantidade de assembléias realizadas 4 % Freqüência média nas assembléias pelos(as) cooperados(as) 5,4 % 5, % Decisões submetidas à assembléia órgãos sociais existentes na cooperativa Investimentos Destino das sobras ou perdas Pagto. de credores Liquidação Reforma Estatuto Admissão, eliminação e exclusão de sócio Novos produtos Conselho técnico Conselho de especialidades Comitê Educativo Medicina Preventiva Investimentos Destino das sobras ou perdas Pagto. de credores Liquidação Reforma Estatuto Admissão, eliminação e exclusão de sócio Novos produtos Conselho técnico Conselho de especialidades Comitê Educativo Medicina Preventiva / / 2/ 2/ Renovação dos cargos diretivos (conselho) Freqüência do(s) instrumento(s) de prestação de contas Critério principal para admissão de novos(as) cooperados(as) Critério principal para suspensão/exclusão de cooperados(as) Espaços de representação do cooperativismo em que a cooperativa atua Total Sem renovação Diário Semanal Quinzenal Mensal Outra Experiência Idade Parentesco Conhecimento sobre cooperativismo Critério Técnico Participação na comunidade Comportamento cooperativo OCB Anteag ADS/CUT Concrab/MST OCES Federações / Centrais Total Sem renovação Diário Semanal Quinzenal Mensal Outra Experiência Idade Parentesco Conhecimento sobre cooperativismo Critério Técnico Participação na comunidade Comportamento cooperativo OCB Anteag ADS/CUT Concrab/MST OCES Federações / Centrais Número de cooperados(as) sindicalizados(as) ou filiados à Associação Profissional A cooperativa apóia a organização de outros empreendimentos de tipo cooperativo Sim, oferecendo assessoria Sim, emprestando recursos materiais e/ou humanos apoios Sim, oferecendo assessoria Sim, emprestando recursos materiais e/ou humanos apoios

4 Principais parceiras e apoios Principal fonte de crédito Sindicato ONGs Sescoop/OCB Inst. Religiosa Governo Federal Estadual Municipal Bancos / Financeiras BNDES Rede credenciada Governo Intercâmbio Unicred Fornecedores diversos Cooperados / Cooperativas (sócios) Sindicato ONGs Sescoop/OCB Inst. Religiosa Governo Federal Estadual Municipal Bancos / Financeiras BNDES Rede credenciada Governo Intercâmbio Unicred Fornecedores diversos Cooperados / Cooperativas (sócios) Número total de acidentes de trabalho 2 8 Existem medidas concretas em relação à saúde e segurança no ambiente de trabalho? A participação de cooperados(as) no planejamento da cooperativa: A cooperativa costuma ouvir os(as) cooperados(as) para solução de problemas e/ou na hora de buscar soluções? A cooperativa estimula a educação básica, ensino médio e superior (supletivo ou regular) dos (as) trabalhadores (as)? Sim, fornecendo equipamentos Sim, realizando campanhas e capacitações Organização de comissões Outras ocorre Ocorre em nível diretoria e conselhos Ocorre em todos os níveis Sim, sem data definida Sim, periodicamente com data definida Sim, para todos (as) cooperados (as) Sim, para todos (as) trabalhadores (as) Sim, fornecendo equipamentos Sim, realizando campanhas e capacitações Organização de comissões Outras ocorre Ocorre em nível diretoria e conselhos Ocorre em todos os níveis Sim, sem data definida Sim, periodicamente com data definida Sim, para todos (as) cooperados (as) Sim, para todos (as) trabalhadores (as) 4 - Indicadores econômicos (em R$) 2 29 Ingressos e receitas brutos , ,96 Ingressos Repassados , ,29 Receitas sobre aplicações financeiras em / , ,42 Total das dívidas em / , ,48 Patrimônio da cooperativa , ,8 Patrimônio de terceiros,., Impostos e contribuições , , Remuneração dos(as) cooperados(as) - não inclui benefícios , ,59 IR retido sobre produção cooperados , , INSS retido sobre produção cooperados , ,9 Folha de pagamento/salário e encargos , ,7 Valor de capital para ingresso na cooperativa 2.72,5 2.,64 Sobras ou perdas do exercício, 7.565,5 Fundos 2.8, , Indicadores sociais internos Cooperados(as) (as) Cooperados(as) (as) Alimentação 2.985, , 2.5,.97.7,52

5 Saúde.66.26, , , ,6 Transporte,.26.49,,..75,7 Segurança no trabalho, 2.84,, 8.68,4 Investimentos em cultura e/ou lazer Educação/alfabetização, ensino fundamental, médio ou superior Capacitação profissional Capacitação em gestão cooperativa Estagiários Jovem aprendiz 9.248,4 7., 8.9,59 6., ,,, 7.,, 5.4,72, 7.68, ,.2, 5.,, ,.52,6 nº estagiários em /2: estagiários efetivados no período: 9 nº estagiários em /2: estagiários efetivados no período: 9.656, 5.264, nº aprendizes em /2: 6 nº aprendizes em /2: Creche ou auxilio creche, 2.9,6,.8,2 Ações ambientais relativas a produção /operação 7.56, 7.56, 5., 2., Seguro de Vida ,7 2.28, , 2.45,5 Previdência Privada,,,, Participação nos resultados, 55.65,, , Bonificações ,4 7.6, ,8 25.4, Cursos,,,,,,,, Total de beneficiários Total dos investimentos , , , , Indicadores sociais externos (investimentos na comunidade - em R$) 2 29 Compras de outras cooperativas , ,79 Investimentos em programas e/ou projetos ambientais externos 7.95, 8., Investimentos em Saúde Investimentos em programas de alimentação Investimentos em Educação / alfabetização Investimentos em capacitação profissional Investimentos em Esportes Investimentos em Cultura e/ou Lazer Gastos com ações sociais/filantropia (financeiras, produtos e/ou serviços)/ajudas humanitárias 45.6, ,66 pessoas beneficiadas: 7884 pessoas beneficiadas: 9762 entidades beneficiadas: entidades beneficiadas:,, pessoas beneficiadas: pessoas beneficiadas: entidades beneficiadas: entidades beneficiadas:.256,4, pessoas beneficiadas: 6 pessoas beneficiadas: entidades beneficiadas: entidades beneficiadas: 7.4, 4.775,4 pessoas beneficiadas: 8 pessoas beneficiadas: 42 entidades beneficiadas: 2 entidades beneficiadas: 2 9.5, 6.6, pessoas beneficiadas: 7 pessoas beneficiadas: 4 entidades beneficiadas: entidades beneficiadas: 7., 42.74, pessoas beneficiadas: 25 pessoas beneficiadas: 7 entidades beneficiadas: entidades beneficiadas: ,6, pessoas beneficiadas: 495 pessoas beneficiadas: entidades beneficiadas: 2 entidades beneficiadas:

6 ,, Total de entidades beneficiadas 4 4 Total de beneficiários Total dos investimentos 84.47, , Outras informações 2 29 A previdência privada contempla: A participação nas sobras ou resultados contempla: Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela cooperativa foram definidos por: Os padrões de segurança e salubridade no ambiente de trabalho foram definidos por: Quanto à liberdade sindical, ao direito de negociação coletiva e à representação interna dos empregados, a cooperativa: Na seleção dos fornecedores, os mesmos padrões éticos e de responsabilidade social e ambiental adotados pela cooperativa: Cooperados e empregados, cooperados e empregados Cooperados Cooperados e empregados, cooperados e empregados e Gerência Todos os empregados e Gerência Todos + CIPA Todos os empregados se envolve Segue as normas da OIT Incentiva e segue a OIT são considerados São sugeridos São exigidos Cooperados e empregados, cooperados e empregados Cooperados Cooperados e empregados, cooperados e empregados e Gerência Todos os empregados e Gerência Todos + CIPA Todos os empregados se envolve Segue as normas da OIT Incentiva e segue a OIT são considerados São sugeridos São exigidos Quanto à participação de empregados em programas de trabalho voluntário, a cooperativa: se envolve Apóia Organiza e incentiva se envolve Apóia Organiza e incentiva Vendas a outras cooperativas: , ,7 Atendimento de Intercâmbio prestado por outras cooperativas: , ,92 Número total de reclamações e críticas de consumidores: a) Na cooperativa b) Na ANS 8 c) No Procon d) Na justiça 99 2 Número de reclamações e críticas solucionadas: a) Na cooperativa b) Na ANS 2 c) No Procon c) Na justiça Valor total de indenizações pagas no período por determinação de órgaõs de defesa do consumidor e/ou justiça: Número total de ações trabalhistas movidas por empregados: , ,9 a) Processos julgados procedentes 7 5 b) Processos julgados improcedentes Valor total de indenizações trabalhistas pagas no período por determinação da justiça: 2.48, ,5 Valor adicionado a distribuir (em R$) - Vide DVA: , ,7 Distribuição % do valor adicionado: a) Governo 8,5 % 9,7 % b) Cooperados 64,97 % 68,4 % c) /Diretores/Conselheiros 7,2 % 4,48 %

7 d) Remuneração de capitais de terceiros 8,5 % 6,5 % e) Sociedade,8 %,26 % f) Juros sobre capital próprio,2 %,42 % g) Constituição de reservas e fundos, %,9 % h) À disposição da AGO, %, % 8 - Notas Explicativas Diretor Presidente Contador - CRC Copyright (c) Unimed do Brasil - Desenvolvido por Substractum Tecnologia

8

BEM-VINDO AO BALANÇO SOCIAL 2009. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO.

BEM-VINDO AO BALANÇO SOCIAL 2009. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIO-AMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO. 29 Balanço Social BEMVINDO AO BALANÇO SOCIAL 29. TEMOS A SATISFAÇÃO DE MOSTRAR A VOCÊ NOSSAS AÇÕES SÓCIOAMBIENTAIS E SEUS RESULTADOS NO ÚLTIMO ANO. Aproveitamos para compartilhar a notícia de que pelo

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / Balanço Social Anual das Cooperativas / 211 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED BELO HORIZONTE CNPJ: 16513178176 Tempo de existencia: 41 anos Ramo de atividade: Saúde Responsável pelo preenchimento:

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / Balanço Social Anual das Cooperativas / 214 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED BELO HORIZONTE CNPJ: 16513178176 Tempo de existencia: 43 anos Ramo de atividade: Saúde Responsável pelo preenchimento:

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas

Balanço Social Anual das Cooperativas Balanço Social Anual das Cooperativas 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED CASCAVEL Saúde CNPJ: 81170003000175 Tempo de existencia: 25 anos Responsável pelo preenchimento: Claudionei Cezario Atuação

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / Balanço Social Anual das Cooperativas / 9 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED BLUMENAU CNPJ: 8677617 Tempo de existencia: 38 anos Ramo de atividade: Saúde Responsável pelo preenchimento: Joana

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / BALANÇO SOCIAL 3 Balanço Social Anual das Cooperativas / 3 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS CNPJ: 64575 Tempo de existencia: 43 anos Ramo de atividade: Saúde Responsável pelo

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas

Balanço Social Anual das Cooperativas Balanço Social Anual das Cooperativas 1 Identificação Código Nome da cooperativa 1 UNIMED SANTOS 2 UNIMED CAMPINAS 3 UNIMED PIRACICABA 4 UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 5 UNIMED LONDRINA 6 UNIMED BELO HORIZONTE

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / Balanço Social Anual das Cooperativas / 14 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED JARAGUÁ DO SUL CNPJ: 385514138 Tempo de existencia: 15 anos Ramo de atividade: Saúde Responsável pelo preenchimento:

Leia mais

Balanço Social das Empresas

Balanço Social das Empresas Balanço Social das Empresas Aqui inicia-se a construção do Balanço Social de sua empresa, no modelo proposto pelo Ibase. Este importante documento deve ser resultado de um amplo processo participativo

Leia mais

7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa

7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa 7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo São Paulo, 21 de Maio 2008 Maria Luiza Barbosa Responsabilidade Social Projetos desenvolvidos pela UNICA Instituto Banco Mundial Programa

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas

Balanço Social Anual das Cooperativas Balanço Social Anual das Cooperativas Este Balanço Social (BS) deve apresentar ações sociais e ambientais efetivamente realizadas pelas cooperativas. O BS deve ser resultado de amplo processo participativo

Leia mais

Chegamos a um momento do longo percurso histórico da Banricoop, de absoluta alegria em divulgar, de forma ampla e transparente, os resultados que

Chegamos a um momento do longo percurso histórico da Banricoop, de absoluta alegria em divulgar, de forma ampla e transparente, os resultados que BalançoSocial2010 Chegamos a um momento do longo percurso histórico da Banricoop, de absoluta alegria em divulgar, de forma ampla e transparente, os resultados que obtivemos para nossos associados e dos

Leia mais

BALANÇO SOCIAL RELATÓRIO ANUAL 2014

BALANÇO SOCIAL RELATÓRIO ANUAL 2014 BALANÇO SOCIAL RELATÓRIO ANUAL 2014 BALANÇO SOCIAL PETROS 2014 Modelo para Entidades Fechadas de Previdência Complementar padrão ibase Nome da instituição: Fundação Petrobras de Seguridade Social Petros

Leia mais

ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS

ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS ANEXO II - MODELO PARA ENTIDADES COM FINS NÃO ECONÔMICOS INSTITUIÇÃO:SOCIEDADE ESPIRITA OBREIROS DA VIDA ETERNA CNPJ: 82.898.230/0001-84 ENDEREÇO: NATUREZA JURÍDICA: ( x ) ASSOCIAÇÃO ( ) FUNDAÇÃO ( ) COOPERATIVA

Leia mais

A consolidação do modelo

A consolidação do modelo C A P Í T U L O 2 A consolidação do modelo Nos últimos anos, o balanço social modelo Ibase tornou-se a principal ferramenta por meio da qual as empresas são estimuladas a conhecer, sistematizar e apresentar

Leia mais

Balanço Social 2010/2009

Balanço Social 2010/2009 Balanço Social 2010/2009 APRESENTAÇÃO Fundada em 1954, a Confederação Brasileira de Voleibol representa a entidade máxima do voleibol no país. A instituição é filiada ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB)

Leia mais

Cargo/Função: Analista de Marketing Telefone de Contato (49) 3301-7013 E-mail para contato: luana@coopercarga.co m.br

Cargo/Função: Analista de Marketing Telefone de Contato (49) 3301-7013 E-mail para contato: luana@coopercarga.co m.br ANEXO I - MODELO PARA ORGANIZAÇÕES RAZÃO OU DENOMINAÇÃO SOCIAL: Cooperativa de Transporte de Cargas do Estado de Santa Catarina CNPJ: 81800849/0001-41 ENDEREÇO: Rua Marechal Deodoro, nº36 centro. Concórdia

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / Balanço Social Anual das Cooperativas / 213 1 Identificação Nome da cooperativa: UNIMED BELO HORIZONTE CNPJ: 151317817 Tempo de existencia: 43 anos Ramo de atividade: Saúde Responsável pelo preenchimento:

Leia mais

Comunidade. Relacionamento Comunitário

Comunidade. Relacionamento Comunitário Balanço Social 2003 Balanço Social 2003 Inserção social e comprometimento com a melhoria da qualidade de vida das comunidades: marcas da Fundação CSN traduzidas em investimentos em educação, desenvolvimento

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO Cooperativismo Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO GESTÃO: Samuel José dos Santos Diretor Presidente Marco Antonio da C.Guimarães - Diretor Operacional João Gonçalves dos Santos Diretor

Leia mais

GESTÃO BALANÇO SOCIAL. Unimed Londrina

GESTÃO BALANÇO SOCIAL. Unimed Londrina GESTÃO BALANÇO SOCIAL Unimed Londrina ÍNDICE pág. 4 MENSAGEM DA DIRETORIA pág. 5 APRESENTAÇÃO pág. 6 IDENTIDADE ORGANIZACIONAL PRINCÍPIOS DO COOPERATIVISMO pág. 7 MAPA ESTRATÉGICO pág. 8 TRABALHANDO A

Leia mais

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO

SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO SINDICATO E ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS NO ESTADO DO TOCANTINS OCB/TO A OCB/TO é formada por cooperativas singulares, federações e centrais de todos os ramos. Pela Lei 5.764/71, ainda em vigor, todas

Leia mais

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil)

CNPJ 47.902.648/0001-17. CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 (Em R$ Mil) CET - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE MAIO DE 2015 CNPJ 47.902.648/0001-17 ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE Caixa e Equivalentes de Caixa 1.829 Fornecedores 58.422 Contas a Receber 238.880

Leia mais

BALANÇO SOCIAL. Prof. Edson Degraf 1

BALANÇO SOCIAL. Prof. Edson Degraf 1 BALANÇO SOCIAL Prof. Edson Degraf 1 O balanço social é uma demonstração que pode ser publicada anualmente pelas empresas, e que reúne uma série de informações sobre sua atuação social, como por exemplo:

Leia mais

ESTRUTURA DE CONTROLES E GESTÃO DE RISCOS NAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. Antonio Carlos Nasi

ESTRUTURA DE CONTROLES E GESTÃO DE RISCOS NAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS. Antonio Carlos Nasi ESTRUTURA DE CONTROLES E GESTÃO DE RISCOS NAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS Antonio Carlos Nasi ESTRUTURA DE GOVERNANÇA NAS COOPERATIVAS DIRETRIZES DA GOVERNANÇA MODELOS DE COMUNICAÇÃO DA GOVERNANÇA ESTRUTURA

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONTRAÇÕES CONTÁBEIS FINDAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONTRAÇÕES CONTÁBEIS FINDAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONTRAÇÕES CONTÁBEIS FINDAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 NOTA 01- Contexto Operacional: SIMPROEL Sindicato Municipal dos Profissionais em Educação de Lages - SC Fundado em 17/12/1997,

Leia mais

Balanço Socioambiental

Balanço Socioambiental Balanço Socioambiental Identificação Instituição Associação dos Portadores da Sindrome de Down Natureza Jurídica Associação Registro no CMAS Utilidade Pública Estadual Isenta da cota patronal INSS Não

Leia mais

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu:

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: Art. 37º... VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS

11 MODELO DE PLANO DE CONTAS 11 MODELO DE PLANO DE CONTAS Apresentamos a seguir uma sugestão de plano de contas, para as empresas de construção civil, utilizável também por aquelas que trabalham com obras por empreitada MODELO DE

Leia mais

COMUNICATION ON PROGRESS 2013-2014

COMUNICATION ON PROGRESS 2013-2014 DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO PELO CHEFE EXECUTIVO A RRV Engenharia confirma o apoio contínuo aos Dez Princípios do Pacto Global, relacionados aos Direitos Humanos, Direitos do Trabalho, Proteção do Meio

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

UNIMED FORTALEZA RELATÓRIO DE GESTÃO 2013

UNIMED FORTALEZA RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 UNIMED FORTALEZA RELATÓRIO DE GESTÃO O NARRADOR Na Caatinga, o amanhecer surge embalado pelo canto do galodacampina. A ave, chamada oficialmente de cardealdonordeste, é símbolo da região. Com cerca de

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS Artigo 1º O Centro de Referência em Informação Ambiental com sede e foro na cidade de Campinas na Avenida Romeu Tortima 388, Cidade Universitária, é uma sociedade

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat

Comparativo da Despesa Paga. Gratificação por Tempo de Serviço. Programa de Alimentação ao Trabalhador - Pat Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Pará CNPJ: 14.974.293/0001-12 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 922.380,03 665.569,81 CRÉDITO DISPONÍVEL DESPESA CORRENTE 541.961,33 188.309,60

Leia mais

POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS

POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS sicoobcentro.com.br POLÍTICA DE APOIO A PROJETOS SOCIAIS Cooperativa de Crédito *Esta Política de Apoio a Projetos Sociais é baseada no projeto da Cooperativa Sicoob Credip* ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO...3

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

BALANÇO PATRIMONIAL E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BALANÇO PATRIMONIAL E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA, AO ENSINO E A EDUCAÇÃO C.N.P.J. 15.513.690/0001-50 BALANÇO PATRIMONIAL DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31/12/2011 e 31/12/2010 A T

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO

1. APRESENTAÇÃO 2. DA ATUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO Cooperativa é uma sociedade de pessoas, com forma e caráter jurídico próprio, de natureza civil, constituídas para prestar serviços aos cooperados. Sua missão é promover a qualidade de

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01. Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas.

RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01. Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas. RESOLUÇÃO CFC N.º 920/01 Aprova, Da NBC T 10 Dos Aspectos Contábeis Específicos em Entidades Diversas, o item: NBC T 10.8 Entidades Cooperativas. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas

Leia mais

Declarada de Utilidade Pública Federal pela Portaria n. 695 de 31 de julho de 2001.

Declarada de Utilidade Pública Federal pela Portaria n. 695 de 31 de julho de 2001. CNPJ: 01.090.760/0001-98 Endereço: Rua Alexandre Calaza, 243 Vila Isabel- Rio de Janeiro Telefone: 2258-7898 Tipo atendimento: Especializado no Atendimento de Dependentes Químicos Crianças/Faixa Etária:

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2009

Relatório de Sustentabilidade 2009 Relatório de Sustentabilidade 2009 2 3 MENSAGEM DO PRESIDENTE O ano de 2007 foi marco inicial do Programa de Responsabilidade Socioambiental da Unimed de Bragança Paulista. Como todo início, buscouse o

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2010 2009 CIRCULANTE Caixa e bancos 422.947 20.723 Contas a receber 4 698.224 903.098 Outras contas a receber 5 3.304.465 121.908 Estoques 14.070

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Balanço Social do Ibase

Balanço Social do Ibase Balanço Social do Ibase 1. Identificação Nome da instituição: Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas Ibase Tipo/categoria (conforme instruções): ONG Organização Não-Governamental Natureza

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2013 INFORMAÇÕES GERAIS Pessoa Jurídica Lucro Real Tributação com base no lucro efetivo demonstrado através do livro diário de contabilidade (obrigatório) 1. Empresas obrigadas à apuração

Leia mais

------ Saldo Anterior ------ --------- Movimento no Período --------- ------- Saldo Atual ------- ARMINDO/27/01/2015 15:56 41.401,12 41.

------ Saldo Anterior ------ --------- Movimento no Período --------- ------- Saldo Atual ------- ARMINDO/27/01/2015 15:56 41.401,12 41. 27/01/2015 * * * S. C. C. 32 - SISTEMA DE CONTROLE COOPERATIVISTA * * * PÁG. 1 Código da Conta Descrição da Conta 1.0.0.00.00-7 C I R C U L A N T E E R E A L I Z. A L O N G O 805.210,35 306.096,11 298.659,00

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física 2015

Imposto de Renda Pessoa Física 2015 Imposto de Renda Pessoa Física 2015 1 IRPF É um imposto federal brasileiro que incide sobre todas as pessoas que tenham obtido um ganho acima de um determinado valor mínimo. Anualmente este contribuinte

Leia mais

Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: risco de apagão?

Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: risco de apagão? Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: Formação e Qualificação, há h risco de apagão? Serviços de Atenção Domiciliar Einstein Perfil da Assistência Domiciliar Hoje Aumento das condições crônicas

Leia mais

::PORTFOLIO PORTFOLIO

::PORTFOLIO PORTFOLIO PORTFOLIO ::PORTFOLIO :: A EMPRESA Cesar e Cesar Sociedade de Advogados, é um escritório de advocacia e de assessoria jurídica formado por uma equipe de profissionais com experiência nas áreas relacionadas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ BALANÇO SOCIAL

ASSOCIAÇÃO CASA SÃO JOSÉ BALANÇO SOCIAL 1. IDENTIFICAÇÃO RAZÃO SOCIAL Associação Casa São José CNPJ 18.093.657/0001-06 ENDEREÇO Rua Marcus Aurélio Homem, 366 - Carvoeira/Serrinha CEP 88040-440 Florianópolis TELEFONE (48) 3234-3800 SITE/EMAIL

Leia mais

Belo Horizonte, Minas Gerais 2007

Belo Horizonte, Minas Gerais 2007 33 2 CONSELHO DIRETOR Paulo Ângelo Carvalho de Souza Presidente José Domingos Vieira Furtado Vice-Presidente Efetivos: Alberto de Abreu Mendes Antônio Gumercindo de Andrade Asley Assunção Moreira João

Leia mais

Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho

Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho João Sucupira* INDICADORES Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho O balanço social está se tornando uma peça importante não só para prestar contas à sociedade das ações das empresas

Leia mais

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO Brasília, 11 de setembro de 2010 TEMA 1 DIRETRIZES E HORIZONTES DA RELAÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL DO SISTEMA COOPERATIVISTA 1.1 - FORTALECER A REPRESENTAÇÃO

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEGMENTOS DE ASSOCIADOS Joel Queiroz 1 COOPERATIVAS DE CRÉDITO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO ECONÔMICA Associação voluntária de pessoas para satisfação de necessidades econômicas,

Leia mais

Cooperativismo - Forma ideal de organização

Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo - Forma ideal de organização Cooperativismo é modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática,

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti

Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Palestrante: Anderson Aleandro Paviotti Perfil do Palestrante: Contador, Consultor e Professor Universitário Colaborador do Escritório Santa Rita desde 1991 Tributação das Médias e Pequenas Empresas Como

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA ACADÊMICA DE ESPORTES E SAÚDE - LIES Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A Liga Acadêmica de Esportes e Saúde é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil)

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 Explicativas CIRCULANTE 4.414 Disponibilidades 26 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 2.566 Operações de Crédito 5 1.800 Outros Créditos

Leia mais

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas.

Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. Segue a relação das contas do Ativo e do Passivo Exigível mais utilizadas pela ESAF, organizadas por grupo de contas. 1 - Ativo (Saldo devedor, exceto as contas retificadoras) 1.1 Ativo Circulante Adiantamento

Leia mais

BALANÇO SOCIAL IBASE

BALANÇO SOCIAL IBASE BALANÇO SOCIAL IBASE 1. Base de Cálculo 2014 () 2015 () Receita Líquida () (1) 26.221.233 18.211.848 Resultado Operacional (RO) 15.941.039 6.347.868 Folha de Pagamento Bruta () (1)(2) 18.089.073 20.770.313

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15

PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 14 PROVA ESPECÍFICA Cargo 15 QUESTÃO 31 O Ativo representa um conjunto de: a) bens intangíveis. b) dinheiro na empresa. c) bens para investimento. d) bens e direitos da empresa. QUESTÃO 32 Um pagamento

Leia mais

Ref. Contribuição Cooperativista e Autogestão 2013

Ref. Contribuição Cooperativista e Autogestão 2013 CIR- OCE 001/2013 Curitiba, 04 de janeiro de 2013 Senhor Presidente: Ref. Contribuição Cooperativista e Autogestão 2013 Cumprindo as disposições do artigo 108 da Lei Federal Nº 5.764, de 16.12.1971, estamos

Leia mais

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20.

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.425.208,00 2.742.999,95 2.742.999,95 3.682.208,05 CRÉDITO

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

TÍTULO: O BENEFÍCIO DA SUBSTITUIÇÃO DE DIVIDENDOS E DA REMUNERAÇÃO DO TRABALHO DE SÓCIOS DIRIGENTES PELOS JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO - JCP

TÍTULO: O BENEFÍCIO DA SUBSTITUIÇÃO DE DIVIDENDOS E DA REMUNERAÇÃO DO TRABALHO DE SÓCIOS DIRIGENTES PELOS JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO - JCP IDENTIFICAÇÃO DO TRABALHO TÍTULO: O BENEFÍCIO DA SUBSTITUIÇÃO DE DIVIDENDOS E DA REMUNERAÇÃO DO TRABALHO DE SÓCIOS DIRIGENTES PELOS JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO - JCP AUTOR: JOSÉ ANTONIO DE FRANÇA CATEGORIA

Leia mais

Regime geral dos trabalhadores por conta de outrem

Regime geral dos trabalhadores por conta de outrem Gastos e operações com o pessoal Os recursos humanos implicam gastos: Remunerações fixas e/ou variáveis recebidas pelos trabalhadores vinculados à empresa por contrato individual de trabalho; Remunerações

Leia mais

Balanço Social Anual das Cooperativas /

Balanço Social Anual das Cooperativas / Balanço Social Anual das Cooperativas / 15 1- Identificação Razão Social: UNIMED REGIONAL SUL DE GOIÁS Ramo de atividade: Saúde Data de fundação: 8/11/1989 Tempo de existência: 6 anos Responsável preenchimento

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

EDITAL PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2014

EDITAL PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2014 EDITAL PRÊMIO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2014 A Comissão Mista de que trata o artigo 5º da Lei nº. 11.440 de 18 de janeiro de 2000 estabelece o regulamento do Prêmio de Responsabilidade Social Edição 2014

Leia mais

ASSOCIAÇÃO FRATERNAL PELICANO CNPJ Nº 05.439.594/0001-55 BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012/2011 (EM R$)

ASSOCIAÇÃO FRATERNAL PELICANO CNPJ Nº 05.439.594/0001-55 BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012/2011 (EM R$) BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012/2011 (EM R$) ATIVO 2012 2011 PASSIVO E PATRIMONIO SOCIAL 2012 2011 CIRCULANTE 41.213,54 37.485,00 CIRCULANTE 12.247,91 11.914,91 EQUIVALENCIA DE

Leia mais

ATIVO 735.264,30D 663.271,13D. Ativo Circulante 197.219,83D 167.247,30D. Disponivel 168.938,31D 150.125,04D

ATIVO 735.264,30D 663.271,13D. Ativo Circulante 197.219,83D 167.247,30D. Disponivel 168.938,31D 150.125,04D Data: 17/07/2015 ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE BAMBUI Folha: 2 Hora: 10:41:27 *** Balanço Patrimonial *** ATIVO 735.264,30D 663.271,13D Ativo Circulante 197.219,83D 167.247,30D Disponivel 168.938,31D

Leia mais

SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... XXXXX. Salário para boa condição de vida. Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente

SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... XXXXX. Salário para boa condição de vida. Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente ADMINISTRAR ----- NÃO É ABSOLUTO. SUCESSO EM ALGUMAS EM OUTRAS... INTEGRAÇÃO = PESSOAS / EMPRESAS = ESSENCIAL SATISFAÇÃO FINANCEIRA RESULTANTE DA SINERGIA Leva à PRODUTIVIDADE que é buscada continuamente

Leia mais

UNIMED VALE DO SÃO FRANCISCO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA Rua do Coliseu nº 123 Centro Petrolina-PE CEP 56.

UNIMED VALE DO SÃO FRANCISCO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA Rua do Coliseu nº 123 Centro Petrolina-PE CEP 56. UNIMED VALE DO SÃO FRANCISCO COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO LTDA Rua do Coliseu nº 123 Centro Petrolina-PE CEP 56.302-390 CNPJ (MF) 40.853.020/0001-20 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31.12.2007 Mutações Capital

Leia mais

Juventude Rural. Não fique só. Fique sócio. Fique sócia do STTR. Participe do programa. Jovem Saber

Juventude Rural. Não fique só. Fique sócio. Fique sócia do STTR. Participe do programa. Jovem Saber Juventude Rural Não fique só. Fique sócio. Fique sócia do STTR. Participe do programa Jovem Saber PROGRAMA JOVEM SABER 1 O que é o programa Jovem Saber? É um programa de capacitação à distância para jovens

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Missão Promover a inserção da mulher no mercado de trabalho, apoiando ações sociais empreendedoras, desenvolvidas por organizações da sociedade civil, que contribuam de forma

Leia mais

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO

ANEXO - CAPÍTULO III - Modelo de Publicação BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO BALANÇO PATRIMONIAL - ATIVO 200Y 200X ATIVO Contas ATIVO CIRCULANTE 12 Disponível 121 Realizável 122+123+124+125+126+127+128+129 Aplicações Financeiras 122 Aplicações Vinculadas a Provisões Técnicas 1221

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 18/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

33201 - Instituto Nacional do Seguro Social

33201 - Instituto Nacional do Seguro Social Quadro Síntese - Função, Subfunção e Programa Total Órgão Total Unidade Função Total Subfunção Total Programa Total 09. Previdência Social 5.338.121.201 122. Administração Geral 1.919.387.533 0083. Previdência

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 19.098 15.444 Disponibilidades 98 90 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 13.053 9.797 Operações de Crédito 6 5.760 5.518 Outros

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA GERIATRIA E GERONTOLOGIA - LIG Capítulo I - Da Natureza e Finalidade ART. 1º - A LIGA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 11.363 8.987 Disponibilidades 30 37 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 8.069 6.136 Operações de Crédito

Leia mais

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde

Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Empresa de Consultoria especializada em Gestão do Negócio Saúde Consultoria Técnica para a Gestão da Sinistralidade Suporte para Organização das Auditorias Operadora Consultoria Técnica em OPME Auditorias,

Leia mais

CENTRO MINEIRO DE REFERÊNCIA EM RESÍDUOS

CENTRO MINEIRO DE REFERÊNCIA EM RESÍDUOS CENTRO MINEIRO DE REFERÊNCIA EM RESÍDUOS AGOSTO DE 2013 O CMRR é um programa do Governo do Estado de Minas Gerais por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável SEMAD, da

Leia mais

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos, atividades

Leia mais

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso:

MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Auditoria dos Serviços de Saúde é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos

Leia mais