No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010).

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010)."

Transcrição

1

2 O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência PLANO VIVER SEM LIMITE foi instituído por meio do Decreto da Presidência da República nº 7.612, de 17/11/2011 e tem como finalidade promover, por meio da integração e articulação de políticas, programas e ações, nos três níveis de governo, o exercício pleno e equitativo dos direitos das Pessoas com Deficiência. De acordo com Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, aprovados por meio do Decreto Legislativo no 186, de 9 de julho de 2008, pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, obstruem sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdades de condições com as demais pessoas. No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010).

3 O PLANO VIVER SEM LIMITES está organizado em quatro eixos: 1) Acesso à Educação; 2) Atenção à Saúde; 3) Inclusão Social; e 4) Acessibilidade. O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome - MDS integra dois Eixos: Eixo Inclusão Social: Ø Implantação do Serviço em Centros-dia de Referência para Pessoas com Deficiência; Ø Implantação de Residências Inclusivas - Reordenamento dos Serviços de Acolhimento de Pessoas com Deficiência; e o Ø Promoção do acesso dos Beneficiários do BPC ao Trabalho Programa BPC Trabalho Eixo Educação: Ø Promoção do acesso dos Beneficiários do BPC a Escola - Programa BPC Escola

4 AMPLITUDE DO BPC Em dezembro de 2013 Total de Beneficiários: BPC para a Pessoa Idosa: BPC para Pessoa com Deficiência: InvesMmento efetuado em 2013: R$ bilhões de reais. Fonte: DBA/SNAS/MDS dezembro 2013

5 ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA O BPC NA ESCOLA é um Programa do Governo Federal, instituído pela Portaria Interministerial nº 18, de 24 de abril de 2007, envolvendo ações articuladas entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Ministério da Educação (MEC), o Ministério da Saúde (MS) e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

6 OBJETIVOS: ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA Promover a elevação da qualidade de vida e dignidade das pessoas com deficiência até 18 anos, beneficiárias do BPC, garantindo-lhes o acesso e permanência na escola, bem como o acompanhamento de seus estudos por meio da articulação intersetorial e da gestão compartilhada nas três esferas de governo, entre as políticas de educação, assistência social, saúde e direitos humanos, favorecendo o desenvolvimento dos beneficiários.

7 EIXOS DE ATUAÇÃO: Identificação dos beneficiários que estão na escola e fora dela por meio do pareamento anual dos dados do BPC e do EducaCenso; ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA Identificação, por meio de visitas domiciliares, das principais barreiras que impedem o acesso e a permanência na escola; Promoção da formação de grupos gestores estaduais e municipais visando a articulação intersetorial das políticas de educação, assistência social, direitos humanos e saúde; Realização do acompanhamento sistemático das ações desenvolvidas pelos entes federados.

8 Metas até 2014: ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA 100% dos municípios brasileiros com adesão ao Programa BPC na Escola (MDS); 224 mil beneficiários do BPC com deficiência, até 18 anos, visitados para aplicação do Questionário de Identificação de Barreiras (MDS); 378 mil beneficiários do BPC com deficiência, até 18 anos, matriculados na escola (MEC).

9 PACTUAÇÃO DE METAS DO PROGRAMA BPC NA ESCOLA Resolução Comissão Intergestores TriparMte CIT nº 4, de 1º de março de 2012 ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA Art. 5º Para fins de aplicação dos quesmonários à pessoa com deficiência beneficiária do BPC na faixa etária de 0 a 18 anos, o Distrito Federal e os Municípios deverão realizar visitas domiciliares, observando o cumprimento das seguintes metas no âmbito do Plano Viver sem Limites: I até dezembro de 2012 deverão ser visitados no mínimo 70 mil beneficiários; II de janeiro a dezembro de 2013 deverão ser visitados no mínimo 104 mil beneficiários; e III de janeiro a novembro de 2014 deverão ser visitados no mínimo 50 mil beneficiários.

10 Situação em Dezembro/2013: ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA META 1: até 31/12/13, todos estados, o Distrito Federal e municípios aderiram ao Programa, alcançando 75% da meta de 2013 (5.000 municípios). META 2: até o dia 31/12/13, os municípios registraram Questionários no aplicativo do Programa ( correspondendo a 42,75% da meta de 2013 ( mil). META 3: a partir dos resultados do Pareamento 2012, entre as bases de dados do EducaCenso (INEP/MEC) e do BPC, dos beneficiários, foram identificados beneficiários matriculados na escola, representando um percentual de 70,16%.

11 Quantidade de Municípios, por Unidade da Federação (U.F), que Aderiram e Renovaram ao Programa BPC na Escola Adesão/Renovação a partir de 15/09/2011 U.F Total de Municípios ao Total de Municípios Percentual de Municípios que Adesão Renovação Total Aderiram e Renovaram em relação RN ,00% AC ,00% CE ,00% SE ,00% PB ,00% AP ,00% ES ,00% RR ,00% DF ,00% PE ,00% RO ,00% PI ,00% MS ,47% AL ,14% AM ,87% PA ,94% RJ ,43% MT ,60% MA ,58% GO ,80% BA ,86% TO ,47% SC ,58% MG ,29% PR ,12% RS ,68% SP ,57% TOTAL BRASIL ,56% Fonte: Sistema BPC na Escola, acesso realizado em 20/01/2014, às 15h.

12

13 SEMINÁRIOS DE FORMAÇÃO INTERSETORIAL DE GRUPOS GESTORES E TÉCNICOS ACESSO À EDUCAÇÃO MDS e MEC BPC NA ESCOLA Objetivo: promover a Formação dos Grupos Gestores e Técnicos do Programa BPC na Escola envolvidos no processo de aplicação do Questionário de Identificação de Barreiras, no Acompanhamento dos Beneficiários e no desenvolvimento das Ações Intersetoriais para superação das barreiras identificadas pelo Questionário. 2013: 26 Seminários de Formação Intersetorial do BPC na Escola realizados em 15 estados (CE, BA, TO, MG, RN, AC, ES, PR, SE, PE, RS, MS, AL, SP, e PI) e no Distrito Federal, que contaram com aproximadamente, 6,2 mil participantes. 2014: Previstas 17 Seminários de Formação Intersetoriais até maio de 2014, em 13 estados.

14 O Programa BPC TRABALHO, instituído INCLUSÃO SOCIAL MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO pela Portaria Interministerial MDS/MEC/MTE/SDH- PR nº 2, de 02 de agosto de 2012, é uma iniciativa do Governo Federal, realizada através de ações intersetoriais por meio dos Ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), da Educação (MEC), do Trabalho e Emprego (MTE) e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), envolvendo compromissos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

15 PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E O ACESSO AO TRABALHO Dos 190,7 milhões de habitantes, 45,6 milhões (23,9% da população) possuem ao menos um Mpo de deficiência, predominância da visual. (Censo IBGE 2010) Maior conmngente de analfabeto e que não concluiu o Ensino Fundamental - 61,14%. Sem rendimento (22%) e até um salário mínimo (38,11%), totaliza 60,11% Lei de Cotas para pessoas com deficiência (empresa com mais de 100 empregados deve desmnar de 2% a 5% do total de vagas para pessoas com deficiência - Lei /1991) : + de 900 mil pessoas com deficiência deveriam estar empregadas 325 mil pessoas com deficiência ocupam as vagas no mercado formal pela Lei de Cotas Pessoas com deficiência com emprego segundo o apo de deficiência: fsica:53,55%, audi9va:22,62%, visual:6,71%, intelectual/mental: 5,78% Maior incidência de empregados com nível médio completo ou superior incompleto 46,20%

16 Perfil do Beneficiário do BPC com Deficiência Sexo: Masculino: 53% Feminino: 47% Faixa Etária: Total de beneficiários na faixa etária 16 a 45 anos: pessoas (48,48% do total de beneficiários); Escolaridade Beneficiários não alfabemzados ou com ensino fundamental incompleto representam 81,2%; Principal CID Beneficiários com CID retardo mental em diferentes graus representam 66,08%.

17 OBJETIVO: INCLUSÃO SOCIAL MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO promover o protagonismo e a participação social das pessoas com deficiência beneficiárias do BPC, prioritariamente com idade entre 16 a 45 anos; superação de barreiras; fortalecimento da autonomia; acesso à rede socioassistencial e de outras políticas; à qualificação profissional e ao mundo do trabalho.

18 INCLUSÃO SOCIAL MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO Relação do BPC com situação do trabalho: Ø Possibilidade de retorno ao BPC após experiência de participação no mercado de trabalho de acordo com a Lei nº /12/1993 LOAS alterada pela Lei nº , de 31/08/2011: Se a pessoa com deficiência, beneficiária do BPC, exercer atividade remunerada, inclusive na condição de microempreendedor individual, o pagamento de seu benefício será suspenso (e não cessado), podendo ser reativado depois de extinta a relação trabalhista ou a atividade empreendedora ou após o prazo de pagamento do seguro desemprego, sem ter que passar por novo processo de requisição e avaliação no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

19 Relação do BPC com situação do trabalho: INCLUSÃO SOCIAL MDS, MEC e MTE O beneficiário contratado na condição de aprendiz pode acumular o BPC com o salário pelo prazo máximo de 2 (dois) anos, ampliando suas possibilidades de qualificação e inserção profissional. BPC TRABALHO O Contrato de Aprendizagem é permitido à pessoa com deficiência a partir de 14 anos sem restrição de idade máxima para a contratação. (Lei nº , de 23 de setembro de 2005 que altera a consolidação das Leis Trabalhistas - CLT (Lei nº /2000 art. 428, 5º)

20 Principais atividades realizadas pelos técnicos dos CRAS: INCLUSÃO SOCIAL MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO Identificação e busca ativa dos beneficiários do BPC com deficiência; Realização de diagnóstico social, sensibilização e avaliação em relação ao interesse e possibilidade de participação no Programa; Acompanhamento das pessoas com deficiência beneficiárias do BPC e de suas famílias, com a finalidade de garantir a oferta de benefícios e serviços socioassistenciais; Encaminhamento à qualificação profissional e ao mundo do trabalho, bem como às demais políticas públicas; Promover a articulação com o Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho - ACESSUAS Trabalho, para o encaminhamento dos beneficiários do BPC interessados aos cursos de qualificação profissional.

21 Araculação com o Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho ACESSUAS TRABALHO INCLUSÃO SOCIAL O BPC Trabalho está articulado com o ACESSUAS Trabalho nas ações de articulação, mobilização e encaminhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade e, ou risco social, para cursos de capacitação, formação profissional e demais ações de inclusão produtiva; MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO As pessoas com deficiência beneficiárias do BPC fazem parte do público prioritário do ACESSUAS Trabalho, conforme consta na Resolução CNAS nº 18, de 24 de maio 2012, que institui o Programa ACESSUAS Trabalho; Os técnicos dos Centros de Referência da Assistência Social CRAS, deverão articular-se com a equipe do ACESSUAS Trabalho, visando encaminhar os beneficiários com interesse na qualificação profissional e nos cursos ofertados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC/MEC.

22 Araculação com o Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho ACESSUAS INCLUSÃO SOCIAL MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO Ao realizar o Aceite ao Programa ACESSUAS Trabalho, os gestores da Assistência Social dos municípios e DF se comprometem também com a execução das ações do Programa BPC Trabalho. O cofinanciamento federal do Programa ACESSUAS Trabalho para o exercício de 2013, conforme especificado na Resolução CNAS nº 5, de 13 de março de 2013, contempla um incentivo para inclusão de pessoas com deficiência, priorizando os beneficiários do BPC, nos cursos de qualificação profissional. Este incentivo constitui-se em um componente adicional, variável II, obtido por meio do cálculo do número de pessoas com deficiência matriculadas nos cursos do Pronatec, multiplicado por setenta reais (R$ 70,00). Dos 830 municípios elegíveis ao ACESSUAS Trabalho em 2013, 739 preencheram o Termo de Aceite.

23 Meta 2014: INCLUSÃO SOCIAL Ø visitas; Ø inseridos em cursos de qualificação profissional. Situação em dezembro de 2013: MDS, MEC e MTE BPC TRABALHO registradas visitas domiciliares aos beneficiários do BPC no aplicativo do Programa ACESSUAS Trabalho, em mais de 280 municípios (Registro Mensal de Mobilização - RMM); 598 beneficiários do BPC matriculados em cursos do PRONATEC (Fonte: Sistec) ; 689 benefícios suspensos para inserção dos beneficiários do BPC no mundo do trabalho (SUIBE/ DATAPREV_novembro/2013); pessoas pactuadas para serem mobilizadas pelo ACESSUAS Trabalho em 2013.

24 A proposta de criação de programas intersetoriais tem como perspecmva assegurar o direito à renda e promover o acesso aos demais direitos sociais, com vistas a fortalecer a autonomia e o protagonismo das pessoas com deficiência, e a sua parmcipação e de suas famílias nos espaços e serviços disponíveis na sociedade em igualdade de condições aos demais cidadãos.

25 OBRIGADA! Departamento de BeneEcios Assistenciais Secretaria Nacional de Assistência Social Fone: (61) Contato no MDS

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS PROGRAMA BPC TRABALHO PASSO A PASSO O QUE É O Programa de Promoção

Leia mais

GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL

GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL GRUPO 3 - TRABALHO e REABILITAÇÃO PROFISSIONAL Nº PROPOSTA UF e Nº Original da Proposta 01 Garantir os 20% das vagas, e a efetivação das condições de acesso e permanência AC/08 necessárias para pessoas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria Políticas de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos maio 2015 PANORAMA DA EDUCAÇÃO DE JOVENS

Leia mais

Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS

Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS Palestra: Política Nacional de Assistência Social e Sistema Único da Assistência Social SUAS Professores: Leonardo Martins Prudente e Adailton Amaral Barbosa Leite Brasília, Agosto de 2013 Política Nacional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 11, DE 24 DE ABRIL DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 11, DE 24 DE ABRIL DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 11, DE 24 DE ABRIL DE 2012. Aprova os critérios de partilha do cofinanciamento federal para apoio à oferta dos Serviços de Proteção Social Especial para Pessoas com Deficiência, em situação

Leia mais

Brasília DF Abril, 2014

Brasília DF Abril, 2014 Avaliação do processo de implementação dos Centros-dia de Referência para a Pessoa com Deficiência e suas Famílias, no âmbito do Plano Viver Sem Limite, na Região Nordeste Projeto de pesquisa apresentado

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROJETO TÉCNICO: ACESSUAS TRABALHO / PRONATEC EQUIPE RESPONSÁVEL: Proteção Social Básica PERÍODO: Setembro

Leia mais

MTE - SPPE SECRETARIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO

MTE - SPPE SECRETARIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE EMPREGO Sistema Público de Emprego Trabalho e Renda (SPETR) O SPETR deve estruturar e integrar as seguintes funções/ações básicas e complementares: seguro-desemprego, intermediação de mão-de-obra, orientação profissional,

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

Combate à Pobreza, Crescimento Inclusivo e Nova Agenda Social. Centro de Políticas Sociais FGV Wanda Engel Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2015

Combate à Pobreza, Crescimento Inclusivo e Nova Agenda Social. Centro de Políticas Sociais FGV Wanda Engel Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2015 Combate à Pobreza, Crescimento Inclusivo e Nova Agenda Social Centro de Políticas Sociais FGV Wanda Engel Rio de Janeiro, 27 de novembro de 2015 Marcos da Política de Combate à Pobreza Antecedentes: Assistência

Leia mais

Operacionalização dos Planos pelo SUAS: - O Plano Crack: É Possível Vencer! ; - O Plano Nacional da Pessoa com Deficiência: Viver sem Limite.

Operacionalização dos Planos pelo SUAS: - O Plano Crack: É Possível Vencer! ; - O Plano Nacional da Pessoa com Deficiência: Viver sem Limite. O SUAS E AS AGENDAS ESTRATÉGICAS DE GOVERNO: O FORTALECIMENTO DO COMBATE À POBREZA, AOS RISCOS E ÀS VULNERABILIDADES SOCIAIS: Operacionalização dos Planos pelo SUAS: - O Plano Crack: É Possível Vencer!

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Escola e Cidadania: o Programa BPC na escola e seus rebatimentos no processo de consolidação de direitos.

Escola e Cidadania: o Programa BPC na escola e seus rebatimentos no processo de consolidação de direitos. III SEMINÁRIO POLÍTICAS SOCIAIS E CIDADANIA AUTOR DO TEXTO: Juliana Nunes Pereira Escola e Cidadania: o Programa BPC na escola e seus rebatimentos no processo de consolidação de direitos. RESUMO: Com o

Leia mais

famílias de baixa renda com acesso aos direitos

famílias de baixa renda com acesso aos direitos Acompanhamento das Condicionalidades do Programa Bolsa Família Na Saúde Seminário Regional Programa Bolsa Família na Saúde - 2009 Programa Bolsa Família Programa de transferência de renda para famílias

Leia mais

EIXO 5 GESTÃO DOS BENEFÍCIOS DO SUAS

EIXO 5 GESTÃO DOS BENEFÍCIOS DO SUAS EIXO 5 GESTÃO DOS BENEFÍCIOS DO SUAS Objetivos específicos Avaliar do ponto de vista do controle social os processos de acompanhamento da gestão dos benefícios e transferência de renda, Avaliar e fortalecer

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Ministério da Saúde II ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO, DESAFIOS E POSSIBILIDADES Brasília, 25 de setembro de

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (arquivo da Creche Carochinha) Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem qualquer

Leia mais

Compras Institucionais. Programa de Aquisição de Alimentos

Compras Institucionais. Programa de Aquisição de Alimentos Compras Institucionais Programa de Aquisição de Alimentos Brasil Sem Miseria: Rota de Inclusao Produtiva Termo de compromisso ABRAS Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) Compras Privadas Promoção Comercial

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento

Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Serviço de Acolhimento para Adultos e Famílias: expansão e reordenamento Brasília, 06/03/2014 Contextualização Em 2008, a Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua apontou que 76,15% da população

Leia mais

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília

Apresentação do IDConselho Municipal. Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília Apresentação do IDConselho Municipal Apresentação elaborada pela Coordenação Geral de Vigilância Socioassistencial CGVIS Brasília 5.366 Conselhos Municipais que preencheram o Censo SUAS 2014 Dinâmica de

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

MDS: principais resultados e perspectivas

MDS: principais resultados e perspectivas MDS: principais resultados e perspectivas Patrus Ananias de Sousa Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal Brasília-DF, 22 de abril de

Leia mais

PLANO VIVER SEM LIMITE

PLANO VIVER SEM LIMITE PLANO VIVER SEM LIMITE O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência PLANO VIVER SEM LIMITE 2011-2014 foi instituído por meio do Decreto da Presidência da República nº 7.612, de 17/11/2011 e

Leia mais

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013.

FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME. Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FÓRUM ESTADUAL DA UNDIME MINAS GERAIS Belo Horizonte, 3 de abril de 2013. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ALINHAMENTO DOS PLANOS MUNICIPAIS E ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO AO PNE SECRETARIA DE ARTICULAÇÃO

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

GRUPO GESTOR INTERMINISTERIAL

GRUPO GESTOR INTERMINISTERIAL GRUPO GESTOR INTERMINISTERIAL Brasília-DF 2011 SUMÁRIO INTRODUÇÃO Breve Histórico do Programa BPC na Escola AÇÕES PREVISTAS PARA O BIÊNIO 2011/2012 Ações no âmbito da Educação Acesso aos Resultados dos

Leia mais

Proteção Social Básica

Proteção Social Básica Proteção Social Básica Proteção Social Básica A Proteção Social Básica (PSB) atua na prevenção dos riscos por meio do desenvolvimento de potencialidades e do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

Benefício de Prestação Continuada (BPC)

Benefício de Prestação Continuada (BPC) FICHA DE PROGRAMA Benefício de Prestação Continuada (BPC) Áreas temáticas: Assistência social; garantia de renda. 1. SUMÁRIO EXECUTIVO ATUALIZADO EM: 26/06/2015 O Benefício de Prestação Continuada da Assistência

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2009

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2009 Estabelece instruções sobre Benefício de Prestação Continuada-BPC referentes a dispositivos

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

Política Nacional de Saúde Integral da População Negra Plano Operativo

Política Nacional de Saúde Integral da População Negra Plano Operativo MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA DEPARTAMENTO DE APOIO À GESTÃO PARTICPATIVA Política Nacional de Saúde Integral da População Negra Plano Operativo Brasília - DF Abril

Leia mais

Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social

Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social Protocolo de Gestão Integrada de Serviços, Benefícios e Transferências de Renda no âmbito do Sistema Único de Assistência Social Ms. Waleska Ramalho Ribeiro - UFPB A concepção republicana do SUAS requer

Leia mais

Articulação Intersetorial no cuidado às pessoas em situação de rua Telma Maranho- SNAS/MDS

Articulação Intersetorial no cuidado às pessoas em situação de rua Telma Maranho- SNAS/MDS I Seminário Nacional sobre Consultórios na Rua e Saúde Mental na Atenção Básica: novas tecnologias e desafios para a gestão do cuidado Articulação Intersetorial no cuidado às pessoas em situação de rua

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100 Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças

Leia mais

Orientação às Famílias

Orientação às Famílias Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Cartilha Orientação às Famílias Brasília, 10 de agosto de 2012. 1 Presidência da República Ministério da

Leia mais

TEXTO 2. Inclusão Produtiva, SUAS e Programa Brasil Sem Miséria

TEXTO 2. Inclusão Produtiva, SUAS e Programa Brasil Sem Miséria TEXTO 2 Inclusão Produtiva, SUAS e Programa Brasil Sem Miséria Um dos eixos de atuação no Plano Brasil sem Miséria diz respeito à Inclusão Produtiva nos meios urbano e rural. A primeira está associada

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012 Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012 MARCOS LEGAIS: Constituição Federal de 1988 Art. 200 Ao SUS compete, além de outras atribuições,

Leia mais

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC

Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa PNAIC Objetivo e principais componentes Objetivo O PNAIC é um programa integrado cujo objetivo é a alfabetização em Língua Portuguesa e Matemática, até o

Leia mais

GRUPO 8 - SEGURANÇA e ACESSO À JUSTIÇA

GRUPO 8 - SEGURANÇA e ACESSO À JUSTIÇA GRUPO 8 - SEGURANÇA e ACESSO À JUSTIÇA Nº PROPOSTA UF e Nº Original da Proposta 01 Criar no ministério da justiça um ponto focal especializado nos direitos da pessoa com deficiência e estimular também

Leia mais

Programa Nacional de Promoção. do Acesso ao Mundo do Trabalho ACESSUAS-TRABALHO

Programa Nacional de Promoção. do Acesso ao Mundo do Trabalho ACESSUAS-TRABALHO Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do ACESSUAS-TRABALHO MARCOS NORMATIVOS RESOLUÇÃO CNAS Nº 33/2011: Promoção da Integração ao Mercado de no campo da assistência social. RESOLUÇÃO CIT nº

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

MEC. Censo da Educação Superior 2014

MEC. Censo da Educação Superior 2014 MEC Censo da Educação Superior 2014 BRASÍLIA DF 04 DE DEZEMBRO DE 2015 Tabela Resumo Estatísticas Gerais da Educação Superior Brasil 2014 Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate á Fome Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Programa Bolsa Família

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate á Fome Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Programa Bolsa Família Ministério do Desenvolvimento Social e Combate á Fome Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Programa Bolsa Família ENAP, 1 de abril de 2005 Criação do Bolsa Família Medida Provisória nº 132 de 20 de

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL As conquistas mais definitivas da Previdência Social, como um sistema do trabalhador para o trabalhador, estão ligadas às lições aprendidas com os próprios segurados, no tempo e no espaço Extraído do Livro

Leia mais

Município: JOÃO PESSOA / PB

Município: JOÃO PESSOA / PB O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público definido como prioritário foi o dos brasileiros que estavam em situação de

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

Proteção do Trabalho das Pessoas com Deficiência

Proteção do Trabalho das Pessoas com Deficiência Seminário Nacional sobre Deficiência e Funcionalidade Proteção do Trabalho das Pessoas com Deficiência Fernando Donato Vasconcelos Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho DSST/SIT/MTE 20/11/2014

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Curso I Introdução ao provimento de serviços e benefícios socioassistenciais do SUAS

Curso I Introdução ao provimento de serviços e benefícios socioassistenciais do SUAS Curso I Introdução ao provimento de serviços e benefícios socioassistenciais do SUAS Módulo II - O provimento dos serviços socioassistenciais Proteção Social Especial Recife, fevereiro/2014 Conteúdo Programático

Leia mais

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho Audiência Pública no Senado Federal Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com Deficiência, da Comissão de Assuntos Sociais Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Leia mais

A Inscrição dos Beneficiários do BPC no Cadastro Único. Encontro Regional do Congemas NORTE Natal, 23 e 24 de março de 2016

A Inscrição dos Beneficiários do BPC no Cadastro Único. Encontro Regional do Congemas NORTE Natal, 23 e 24 de março de 2016 A Inscrição dos Beneficiários do BPC no Cadastro Único Encontro Regional do Congemas NORTE Natal, 23 e 24 de março de 2016 Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social BPC Direito constitucional

Leia mais

Testes Rápidos de HIV e Sífilis

Testes Rápidos de HIV e Sífilis Testes Rápidos de HIV e Sífilis Videoconferência Nº 04 Ministério da Saúde Outubro de 2012 PRÉ-NATAL A partir da adesão dos municípios, recursos para: TODAS AS GESTANTES Ultrassonografia 100% das gestantes

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

I Seminário Nacional sobre Deficiência e Funcionalidade. Transitando do modelo médico para o biopsicossocial

I Seminário Nacional sobre Deficiência e Funcionalidade. Transitando do modelo médico para o biopsicossocial I Seminário Nacional sobre Deficiência e Funcionalidade Transitando do modelo médico para o biopsicossocial 1 Participação do MTE no Programa BPC - Trabalho Intermediação de mão de obra da pessoa com deficiência;

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 08, DE 18 DE ABRIL DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 08, DE 18 DE ABRIL DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 08, DE 18 DE ABRIL DE 2013. Dispõe sobre as ações estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI no âmbito do Sistema Único da Assistência Social SUAS e o critério de

Leia mais

Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria de Saúde do Trabalhador

Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria de Saúde do Trabalhador Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria de Saúde do Trabalhador Coordenação-Geral de Perícias Médicas Coordenação-Geral de Serviços Previdenciários e Assistenciais Saúde do Trabalhador do INSS Perícia

Leia mais

II Fórum de Coordenadores de imunizações dos estados e de municípios de capital, 2014

II Fórum de Coordenadores de imunizações dos estados e de municípios de capital, 2014 II Fórum de Coordenadores de imunizações dos estados e de municípios de capital, 2014 Situação e mecanismo para avançar no processo de implantação do SIPNI Carla Magda A. S. Domingues Coordenadora Geral

Leia mais

TEXTO 4. 2. Realizar o planejamento das ações do Programa, definir as ações a serem executadas e as

TEXTO 4. 2. Realizar o planejamento das ações do Programa, definir as ações a serem executadas e as TEXTO 4 PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO - ACESSUAS TRABALHO GESTÃO. No texto anterior vimos o fluxo do ACESSUAS TRABALHO a partir se seus três eixos de ação: articulação, mobilização

Leia mais

Coordenação-Geral dos Direitos da População em Situação de Rua. Política Nacional para a População em Situação de Rua

Coordenação-Geral dos Direitos da População em Situação de Rua. Política Nacional para a População em Situação de Rua Política Nacional para a O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professor: Carlos Ricardo Período: Novembro de 2013 Reconhecimento das experiências desenvolvidas há mais de 20 anos (1980

Leia mais

FICHA DE CADASTRO PARA ADOÇÃO 1º PRETENDENTE (É obrigatório o preenchimento de todos os campos) Nome Completo

FICHA DE CADASTRO PARA ADOÇÃO 1º PRETENDENTE (É obrigatório o preenchimento de todos os campos) Nome Completo FICHA DE CADASTRO PARA ADOÇÃO 1º PRETENDENTE (É obrigatório o preenchimento de todos os campos) Nome Completo CPF Sexo ( )Masculino ( )Feminino Estado Civil ( )Solteiro(a) ( )Casado(a) ( )Viúvo(a) ( )Divorciado(a)

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação Pronatec Aprendiz Orientações para Implementação Edição de 2015 Apresentação O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) representa um passo importante para a consolidação da educação

Leia mais

acompanhar a situação das famílias vulneráveis planejar suas ações no território ofertar benefícios de forma transparente e republicana

acompanhar a situação das famílias vulneráveis planejar suas ações no território ofertar benefícios de forma transparente e republicana Proteção e Promoção Social no Brasil A proteção social básica e a promoção de oportunidades para as famílias em situação de pobreza têm hoje, como instrumento principal de gestão, o Cadastro Único. Mais

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2013

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2013 Programa 2037 - Fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) 0561 - Renda Mensal Vitalícia por Idade Tipo: Operações Especiais Número de Ações 16 Esfera: 20 - Orçamento da Seguridade Social

Leia mais

GRUPO 5 - COMUNICAÇÃO

GRUPO 5 - COMUNICAÇÃO GRUPO 5 - COMUNICAÇÃO Nº PROPOSTA UF e Nº Original da Proposta 01 Garantir que todo material produzido pelo poder público e privado seja produzido e veiculado em sistema de braile, texto digital, caracteres

Leia mais

MINISTRO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Patrus Ananias de Sousa

MINISTRO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Patrus Ananias de Sousa PRESIDENTE DA REPÚBLICA Luiz Inácio Lula da Silva VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA José Alencar Gomes MINISTRO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Patrus Ananias de Sousa SECRETÁRIA EXECUTIVA

Leia mais

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014

Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2014 Programa 2037 - Fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) 0561 - Renda Mensal Vitalícia por Idade Tipo: Operações Especiais Número de Ações 15 Esfera: 20 - Orçamento da Seguridade Social

Leia mais

O BRASIL SEM MISÉRIA NO SEU MUNICÍPIO Município: VITÓRIA DA CONQUISTA / BA O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE Organização

Leia mais

NOAS 01/02: amplia responsabilidades de gestão

NOAS 01/02: amplia responsabilidades de gestão Decreto 7508: organização do SUS; planejamento, assistência e articulação interfederativa 11 NOB 93: Descentralização NOAS 01/02: amplia responsabilidades de gestão 93 96 02 06 NOB 96: odelo de gestão

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE Porto Alegre, 01 de julho de 2011 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL LDB Nº 9394/96 É uma modalidade de ensino integrada às diferentes formas de educação,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS/SDH SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA/SNPD

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS/SDH SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA/SNPD PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS/SDH SECRETARIA NACIONAL DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA/SNPD PLANO NACIONAL DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VIVER SEM

Leia mais

X Conferência Nacional de Assistência Social INFORME CNAS Nº 04/2015

X Conferência Nacional de Assistência Social INFORME CNAS Nº 04/2015 X Conferência Nacional de Assistência Social INFORME CNAS Nº 04/2015 Informações Complementares sobre o Processo de Conferências de Assistência Social - 2015 X CONFERÊNCIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

Leia mais

PORTARIA Nº. 224 DE 25 DE JUNHO DE 2007 PUBLICADA NO DOU EM 27 DE JUNHO DE 2007

PORTARIA Nº. 224 DE 25 DE JUNHO DE 2007 PUBLICADA NO DOU EM 27 DE JUNHO DE 2007 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº. 224 DE 25 DE JUNHO DE 2007 PUBLICADA NO DOU

Leia mais

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Coordenadoria de Proteção Social Especial Março/2014 CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Leia mais

As entidades e organizações da Assistência Social no Sistema Único de Assistência Social

As entidades e organizações da Assistência Social no Sistema Único de Assistência Social Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Secretaria Nacional de Assistencia Social Departamento da Rede Socioassistencial Privada do SUAS As entidades e organizações da Assistência Social

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DO CÂNCER FEMININO. Rio de Janeiro RJ 30 de junho de 2011

POLÍTICA NACIONAL DO CÂNCER FEMININO. Rio de Janeiro RJ 30 de junho de 2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE - SAS DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA DAE Coordenação-Geral de Média e Alta Complexidade POLÍTICA NACIONAL DO CÂNCER FEMININO Maria Inez Pordeus

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

3 o A instância coordenadora da Política Nacional de Assistência Social é o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (NR).

3 o A instância coordenadora da Política Nacional de Assistência Social é o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. (NR). PROJETO DE LEI Altera a Lei n o 8.742, de 7 de dezembro de 1993, que dispõe sobre a organização da Assistência Social. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1 o Os arts. 6 o, 13, 14, 15, 16, 17, 20, 22 e

Leia mais

PRONATEC 2011-2013 SETEC/MEC

PRONATEC 2011-2013 SETEC/MEC PRONATEC 2011-2013 SETEC/MEC Brasília, 25 de Novembro de 2013 Objetivos O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego foi criado pelo Governo Federal, em 2011, com objetivos de: Fomentar e

Leia mais

O EIXO DE GARANTIA DE RENDA NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA

O EIXO DE GARANTIA DE RENDA NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA O EIXO DE GARANTIA DE RENDA NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Os expoentes do eixo de garantia de renda do Plano Brasil sem Miséria são o Programa Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), ambos

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. As Políticas Públicas de Emprego no Brasil As Políticas Públicas de Emprego no Brasil 1 Índice 1. Mercado de Trabalho no Brasil 2. FAT Fundo de Amparo ao Trabalhador 2.1. Programas e Ações 2.2. Principais avanços na execução dos Programas e Ações

Leia mais

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Currículo Como experiências escolares

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Art. 208... O dever do Estado com a Educação será efetivado mediante a garantia de:

Art. 208... O dever do Estado com a Educação será efetivado mediante a garantia de: CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 208... O dever do Estado com a Educação será efetivado mediante a garantia de: VII -... programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência

Leia mais

Sistema Único de Assistência Social SUAS

Sistema Único de Assistência Social SUAS 34 A Assistência Social, a partir da Constituição Federal de 1988, passou a integrar o Sistema de Seguridade Social, como política pública não contributiva. Portanto, é direito do cidadão e dever do Estado.

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome MDS Secretaria Nacional de Assistência Social SNAS TERMO DE ACEITE

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome MDS Secretaria Nacional de Assistência Social SNAS TERMO DE ACEITE Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome MDS Secretaria Nacional de Assistência Social SNAS TERMO DE ACEITE SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E SUAS FAMÍLIAS,

Leia mais

AVALIAÇÕES E PERSPECTIVAS ESTRATÉGIAS PARA OS PROJETOS IV SEMINÁRIO NACIONAL DO PNCF

AVALIAÇÕES E PERSPECTIVAS ESTRATÉGIAS PARA OS PROJETOS IV SEMINÁRIO NACIONAL DO PNCF AVALIAÇÕES E PERSPECTIVAS ESTRATÉGIAS PARA OS PROJETOS IV SEMINÁRIO NACIONAL DO PNCF Crédito Fundiário no combate a pobreza rural: Sustentabilidade e qualidade de vida 2011 PROGRAMA NACIONAL DE CRÉDITO

Leia mais