PROPOSIÇÕES DO COACHING PARA DOCÊNCIA SUPERIOR The coaching propositions for top teaching

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSIÇÕES DO COACHING PARA DOCÊNCIA SUPERIOR The coaching propositions for top teaching"

Transcrição

1 PROPOSIÇÕES DO COACHING PARA DOCÊNCIA SUPERIOR The coaching propositions for top teaching Juliana Leal MICHELETTI 1 Marcus Antonius da Costa NUNES 2 RESUMO Este trabalho objetiva na elaboração de proposições do coaching para a docência no ensino superior, tanto no âmbito da conduta, quanto da prática pedagógica. Ao se participar da formação em coaching e estudar outras obras sobre o assunto, pode-se perceber a aplicabilidade de algumas estratégias no contexto da docência. Na abordagem sobre a conduta, serão analisadas questões éticas e posturas que viabilizam o aprendizado pelo caminho da excelência. Ao versar sobre a prática pedagógica, especialmente no capítulo sobre os professores maiêuticos, são apresentadas possibilidades de desenvolvimento de competências, geração de autoconsciência e comprometimento discente, enquanto se constrói o aprendizado. Existe, também, o escopo de explicitar sobre como o coaching dialoga com outras áreas do saber, proporcionando mais horizontes para o ato educativo. Essa produção visa clarificar sobre como as proposições do coaching podem agregar ótimas posturas no trabalho do efetivo arquiteto da aprendizagem, que é o professor, em ações benéficas ao discente, que é o protagonista de todo o processo. Palavras-chave: Coaching; Docência Superior; Diálogo; Competências. ABSTRACT This work aims at the development of coaching propositions for teaching in higher education, both in the conduct, as the pedagogical practice. By participating in the training in coaching and study other works on the subject, one can see the application of some strategies in the context of teaching. In the approach to conduct, analyze ethical issues and attitudes that enable learning the path of excellence. To traverse on pedagogical practice, especially in the chapter on maieutic teachers, skill development opportunities are presented, generation of self-awareness and student involvement, while building learning. There is also scope to explain how the coaching dialogue with other disciplines, providing more horizons for the educational act. This production is intended to clarify how the coaching propositions can add great postures at work the actual architect of learning, which is the teacher in beneficial actions to the student, who is the protagonist of the whole process. Keywords: Coaching; Teaching Higher; Dialogue; Skills. 1- Autora. Mestranda em Gestão Social, Educação e Desenvolvimento Regional da (Faculdade Vale do Cricaré). Especialista em Pedagogia Empresarial (Universidade Cândido Mendes). Pedagoga habilitada em Administração e Coordenação de Projetos Pedagógicos (Universidade do Estado da Bahia). Coach (Sociedade Brasileira de Coach). Professora da Faculdade Pitágoras de Teixeira de Freitas-BA em colegiados de engenharia e pedagogia Orientador. Doutor em Engenharia Mecânica, área Vibrações e Acústica (Universidade Federal de Santa Catarina). Mestre em Engenharia Mecânica, área Vibrações e Acústica (Universidade Federal de Santa Catarina). Graduado em Engenharia Mecânica (Universidade Federal do Espírito Santo). Professor Associado III e Coordenador do Curso Superior de Tecnologia Mecânica da Universidade Federal do Espírito Santo. Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

2 INTRODUÇÃO A palavra coaching tem estado cada vez mais em evidência nos ambientes corporativos e na mídia. Ao digitá-la na busca do Google (2014), apareceram resultados, o que comprova que na rede mundial de computadores existem diversas postagens sobre coaching. Diante das várias definições para o que seja coaching, fez-se pertinente mencionar algumas. Para O Connor e Lages (2013, p. 5) o coaching é um processo, um meio para se chegar a um objetivo, e no decorrer desse processo é possível alcançar mudanças cognitivas, melhor desempenho, liberação do potencial existente no indivíduo, melhoria nos relacionamentos e aprendizados. Da Matta e Victoria (2012) definem o coaching como um processo, uma parceria e uma nova profissão com infinitas possibilidades. Sendo que o escopo do processo é conquistar um objetivo. A parceria ocorre porque, de um lado, o coach entra com seu conhecimento, expertise e ética, e de outro o coachee (cliente do coach), com o comprometimento e disposição para a mudança. Ademais, a nova profissão se configura com as diferentes atuações que um coach pode ter, trabalhando com indivíduos no alcance de suas metas, no desenvolvimento de suas carreiras, atuando em empresas ou até virtualmente. Segundo os autores, o coaching é uma metodologia de eficácia comprovada cientificamente. O autor português Pérez (2009, p.13) afirma que o coaching é uma técnica de desenvolvimento de pessoas, que acontece no trajeto do alcance de um objetivo, sendo vantagens do processo melhorias nas competências, nos comportamentos, na qualidade de vida. Diferente do que muitas pessoas acreditam, a palavra coach não visa representar treinadores conforme aponta sua tradução para a língua portuguesa, mas cocheiros. Ela é uma palavra antiga de origem anglo-saxônica que significa carruagem (O CONNOR, 2013, p. 3). Sendo o coaching uma carruagem, o coach é um expert cocheiro que conduz o seu cliente ao seu objetivo, pelos melhores e mais seguros caminhos. Ao conhecer, vivenciar e aplicar a metodologia do coaching foi possível oportunamente associar as ferramentas com o contexto educacional. Cuja proposta inicial é perceber ferramentas e teoria do coaching, como proposições para docentes do nível superior, e refletir a educação também pelo prisma do processo de coaching. Uma grande referência das ciências humanas, o filósofo Sócrates, pode ser considerado o primeiro coach da história. Por meio da sua maiêutica, que se constitui num diálogo com perguntas, ele fazia o seu interlocutor dar à luz a verdade, tomar consciência de si mesmo e do conhecimento envolvente (DORION, 2011). Primeiro é válido clarificar que a palavra maiêutica surge como uma homenagem à mãe de Sócrates que era parteira, numa analogia entre o nascer de uma vida, e o nascer de um conhecimento verdadeiro. Na prática, Sócrates questionava seu interlocutor a tal ponto, que este se via obrigado a repensar as próprias ideias, e a si mesmo, então, o interlocutor se dava conta do que seria a verdade, surgia, então, o neoconhecimento. A forma de o filósofo questionar, com perguntas que geravam um movimento intelectual em seus interlocutores, inspirou de fato a profissão de coach, e pode inspirar educadores para suas práticas pedagógicas. Criar um cenário para que o ato educativo seja um processo de construção permanente é tarefa primeira de um professor profissional, comprometido com o processo de aprendizagem (DEMO, 2011). Nesse sentido as proposições do coaching podem ajudar no engendramento deste ambiente propício ao ato educativo, bem como gerar uma consciência profunda do processo de ensino-autoconsciência-aprendizagem. Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

3 PROPOSIÇÕES DO COACHING PARA A CONDUTA DOCENTE Quando fazemos a formação de coaching e acessamos as mais diversas literaturas publicadas sobre o assunto, percebemos que apresentam algo em comum no que diz respeito à conduta. No dicionário Houaiss (2009), conduta quer dizer modo de agir, de se portar, de viver. É exatamente neste ponto que iremos tratar. Associar com pertinência a conduta dos coaches com a dos docentes. Somente está apto para exercer com excelência o processo de coaching o profissional que acredita no potencial do seu coachee (cliente). Do mesmo modo se o docente não acredita no potencial do seu aluno, correrá o risco de ser medíocre no planejamento e na execução. Um coach precisa visualizar uma rota ascendente para o seu coachee, do planejamento à execução, e do mesmo modo o professor, precisa ter expectativas e estratégias de ascensão para seus alunos. Mais um ponto importante na conduta de um coach é o respeito ao código de ética, que chamamos, também, de código de conduta. Saber guardar sigilo e ter discrição sobre aspectos confidenciais da vida do coachee. Ser confiável para ganhar a confiança. Essa premissa se enquadra perfeitamente na ação de um professor profissional, porquanto precisa preservar assuntos sigilosos de seus alunos, quando ocorrerem, e ser discreto sobre fenômenos que possam acontecer na esfera educativa. Docente confiável, ganha confiança. James Hunter (2004, p. 37) nos ensina que a confiança é a cola que gruda os relacionamentos, ou seja, elemento essencial para estabelecer um laço de convivência. Outra prerrogativa do processo se coaching que deveria ser objetivo precípuo da docência é o desenvolvimento de competências. Philippe Perrenoud (2013), sociólogo, pensador que tem sido referência para os educadores, dedicou seu tempo a escrever uma obra cujo título vale à pena ser mencionado agora: Desenvolver competências ou ensinar saberes? O autor aborda a necessidade de que a escola extrapole a mera transmissão de conteúdos e realmente se ocupe de formar o aluno para a vida. Ou seja, ter duas dinâmicas em jogo, ensinar-vivenciar sobre conhecimento científico e o conhecimento de mundo, tão bem postulado por Paulo Freire (1996). No processo de coaching eficaz e eficiente, o coach tem a incumbência de ajudar o coachee a perceber que não existe fracasso, só existe feedback. A radicalidade da afirmativa se justifica na mentalidade de que, tudo aquilo que saiu da rota, que pensamos ter dado errado de alguma forma, contém em si o cerne do aprendizado. O mesmo deveria acontecer na educação, os educandos deveriam ser incentivados a aprender, de verdade, também com os erros. Para estimular essa visão de mundo, o professor precisa em primeiro lugar apreendê-la. Ao trabalhamos com nossos alunos fazemos abordagens sobre os erros, clarificamos que existem dois tipos de erro, o erro por negligência e o erro por experiência. Mostramos que o erro por negligência deve ser banido de nossas práticas, mas que o erro advindo de uma experiência que aparentemente não deu certo, nos possibilita novas descobertas, nos fornece algum aprendizado ou reflexão. Os desvios de percurso devem gerar feedbacks e não frustrações. Ademais a incerteza é a única certeza que temos ao traçar uma rota para o alcance de um objetivo. Por fim, num processo de coaching, tanto o coach, como o coachee têm a mesma responsabilidade pelo sucesso do empreendimento. O compromisso e a dedicação são prerrogativa para ambos, devendo este último ser mais empenhado no cumprimento de cada etapa da estratégia que ele mesmo traçou, auxiliado pelo seu coach. Um professor profissional tem a árdua missão inspirar o educando, para que este se conscientize de que ele é, igualmente, responsável pelo que irá aprender e aplicar. Temos percebido que alguns discentes acreditam que a responsabilidade da aquisição do conhecimento é apenas do professor, ou seja, do que o professor leva para o seu aluno. Essa mentalidade arcaica compromete Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

4 o processo. É claro que o professor, diante de seu plano de curso e ementa, deve criar os melhores cenários para que a aprendizagem aconteça, mas o compromisso e dedicação do aluno são essenciais para o sucesso do processo. Para tanto a educação precisa fazer sentido para o aluno, muitos não entendem porque precisam decorar um monte de coisas para fazer uma prova, e depois apagar tudo da mente sem ter realmente aprendido alguma coisa. Só consegue estabelecer sentido no ato educativo professor que busca formação constante, que pesquisa para elaborar suas aulas, e que, como nos ensina Pedro Demo (2004), tem autoria própria, ou seja, não ministra uma aula que foi copiada e colada, mas pensa em cada detalhe e monta a aula-cenário de acordo com suas perspectivas, e de acordo com as necessidades dos alunos. Existem muitos outros horizontes de conduta envolvidos num processo de coaching, contudo, elencamos numa tabela o resumo desse aprendizado com os pontos-chave sobre as proposições do coaching para a conduta docente: Tabela 1: Paralelo entre o coaching e a docência Coaching Docente Horizonte de Visão Que ocorram mudanças Expectativa de crescimento do coachee. Expectativa de crescimento do educando. positivas no processo, que ambos ganhem autonomia e capacidade de autoria. Manter sigilo quando Código de Conduta. Ética docente. necessário. Ter discrição. Ser confiável para ganhar confiança. Desenvolvimento de competências enquanto se alcança uma meta. Não existe fracasso, só existe feedback. Compromisso com o objetivo e com as metas. Fonte: Elaboração dos autores. Experiências que saíram da rota de intenção, chamadas de erro, podem ser geradoras de novos aprendizados. Desenvolvimento de competências enquanto ocorre o processo de ensinoautoconsciência-aprendizagem. Compromisso com o processo de ensino-autoconsciênciaaprendizagem. Desenvolver competências intrapessoais, interpessoais e técnicas. Banir o erro por desleixo, e valorizar o erro advindo de novas experiências, tentativas. Fazer com que o ato educativo tenha sentido para o educando. Demonstrar a responsabilidade com o próprio crescimento intelectual, e ter noção das consequências de cada escolha. PROPOSIÇÕES DO COACHING E OS PROFESSORES MAIÊUTICOS A metodologia do coaching tem potencialidade de caminhar pela via da docência de modo a colaborar com ideias de práticas didático-metodológicas para serem aplicadas em sala de aula. Este capítulo apresentará algumas ferramentas que os coaches usam em suas sessões com a proposta de uso na sala de aula. Ao utilizar ferramentas como estas, em algumas atividades, o professor poderá contribuir para desenvolver competências dos alunos, promover autonomia, autoconsciência e autoria discente (DEMO, 2011). O objetivo é ultrapassar os limites do ensinar, para alcançar os Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

5 horizontes do educar (MORIN, 2010). É claro que bom senso e experiência profissional do professor irão apontar para o quando e como utilizar as ferramentas na ambiência onde ocorrem suas práticas. A ideia é também estimular os professores para que sejam maiêuticos, ou seja, questionadores de seus alunos e de si mesmos. Um professor maiêutico desperta a autoconsciência do educando, e a sua própria, quanto ao aprendizado. O dicionário Houaiss (2009) traz a seguinte definição para autoconsciência: consciência que reflete sobre si própria, sobre sua condição e seus processos. Então, um professor maiêutico, utilizando questionamentos oportunos, promoverá para seu discente um momento de refletir sobre si próprio, sobre sua condição, sobre seus processos, sobre o quanto evoluiu, sobre suas limitações e possibilidades. E ao utilizar a maiêutica consigo próprio, poderá descobrir novas estratégias de ensino, bem como perceber sua eficácia e eficiência enquanto educador, polindo cada vez mais sua capacidade profissional. Vejamos agora algumas atividades que já foram testadas em sala de aula em nossa prática. Serão apresentadas as atividades e seus resultados. Este trabalho tem o propósito de ganhar maiores dimensões se tornando objeto pesquisa-ação no curso de pós-graduação stricto sensu, da Faculdade Vale do Cricaré (FVC), que se localiza em São Mateus, no estado do Espírito Santo. A experiência realizada na esfera de nossas salas de aula instigou a construção de uma experiência futura com demais docentes, que se identifiquem com a possibilidade de utilizar as proposições do coaching na docência, tanto para a conduta, para a didática quanto para constituir a prática da maiêutica. Com o intuito de melhor explicitar as estratégias utilizadas, com seus objetivos e resultados, subdividiremos as proposições em tópicos. Proposição de sondagem inicial. Objetivo: Perceber o quanto o discente se julga conhecedor prévio da disciplina que será apresentada; captar o quanto o discente está satisfeito com seu curso, com o seu próprio desempenho; descobrir as expectativas discentes quanto ao desempenho do professor; captar o nível de compromisso discente com o próprio aprendizado. Vejamos a ferramenta: SONDAGEM: GESTÃO DE PROCESSOS EDUCATIVOS NÃO ESCOLARES DISCENTE: Por favor, a cada indagação abaixo coloque um percentual de 0 a 100%. Indagação Percentual 1- O quanto você se julga conhecedor de assuntos concernentes a esta disciplina que será ministrada? 2- O quanto você julga que seu curso, até a data de hoje, contribuiu para seu crescimento e aprendizado? 3- Que percentual demonstraria o grau de desempenho que você tem demonstrado até o momento, em relação ao seu curso? 4- Utilize o campo do percentual para escrever três competências que você espera perceber no seu professor dessa disciplina. 5- Qual o seu grau de comprometimento com o seu próprio aprendizado, na jornada dessa disciplina? Fonte: Elaboração dos autores. É muito favorável que a sondagem seja aplicada no início das aulas, e reaplicada próximo do término do semestre letivo, desse modo o professor poderá comparar os dados e captar avanços ou retrocessos. Contudo, nada impede que a estratégia seja utilizada para um conteúdo ou atividade, que seja avaliada antes do término do semestre para rever estratégias, enfim, as possibilidades são Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

6 muitas. É sempre necessário, ao aplicar esta estratégia, dialogar com os alunos sobre o teor das indagações, se estas o fizeram refletir, se promoveram autoconsciência, se gerou alguma percepção nova. A experiência com esta ferramenta, em quatro turmas de pedagogia, com uma média de trinta e cinto alunos cada, foi bem positiva. Quanto ao conhecimento prévio, por exemplo, foi possível notar uma disparidade, alguns discentes já tinham experiência com gestão e colocaram um percentual alto, entre 85 a 100%, contudo, ocorreram percentuais na casa dos 40%. O mesmo aconteceu com os julgamentos sobre a própria performance. Algo que chamou a atenção foi sobre o comprometimento com o próprio aprendizado, a maioria das respostas estavam acima de 90%, demonstrando que pessoas que desejam se formarem docentes têm grande noção do compromisso com a autoformação. As competências mais desejadas nos docentes: compromisso, planejamento, respeito pelo educando, dinamicidade. Proposição de levantar competências Objetivo: Trazer à consciência as competências necessárias à realização de uma atividade. Promover reflexões acerca da possibilidade de se adquirir e lapidar competências. A estratégia é a seguinte, após a execução de uma atividade, seja ela a solução de um exercício, a escrita de um artigo, a apresentação de um seminário, enfim; os discentes deverão fazer uma lista em que constem quais competências eles precisaram aplicar para execução da atividade proposta. É interessante pedir que anotem o máximo de competências que se lembrarem. Para preparar este momento os docentes poderão indicar uma leitura sobre o tema, e clarificar que as competências são um misto de conhecimentos, habilidades, e atitudes (CARNONE, 2009). Então, para exibir uma competência é preciso demonstrar conhecimento, demonstrar que se sabe aplicar aquele conhecimento, que se tem habilidade (o saber fazer), e atitude, que simplesmente refere-se ao querer fazer. Quando esta estratégia foi aplicada, ouvimos algo interessante de uma aluna, ela disse que não tinha consciência do quanto já estava competente sobre o assunto. Alguns discentes reconheceram a necessidade de lapidar algumas competências, como por exemplo, a competência leitora, a relacional. E outros, na discussão sobre a estratégia, puderam entender que competências podem ser adquiridas, sendo condição primordial para isso, a prática constante, após o contato com um novo aprendizado. O saldo foi positivo, despertar essa consciência comprometeu ainda mais o discente com o próprio aprendizado e qualificação. Proposição de maiêutica para checar ou validar a aprendizagem Objetivo: Verificar a aprendizagem do discente; despertar nele consciência do processo ensino-autoconsciência-aprendizagem; validar ou reavaliar a metodologia adotada para uma determinada aula. Após a aplicação de um conteúdo novo, ou ao término de uma aula, o professor poderia fazer algumas perguntas do tipo: O que você percebe agora, que não percebia antes da aplicação deste conteúdo? Como você se visualiza utilizando este conhecimento na sua prática profissional? Se você buscasse uma inovação a partir desse novo aprendizado, qual seria esta inovação? Por que valeu a pena estudar sobre este assunto? Qual acontecimento faria com que esta aula ficasse perfeita, do seu ponto de vista? O que você poderia fazer para se lembrar desse conhecimento durante essa semana? Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

7 Ao utilizar estas perguntas, que geram um diálogo mais espontâneo entre professor e aluno, se pode garimpar informações importantes sobre a prática docente e aprendizagem discente. Em nossa experiência os resultados se traduziram num termômetro deveras eficiente. Por exemplo, ao perguntar o que o discente percebia agora, que não havia percebido antes, alguns comentaram pontos essenciais que deveriam (e foram) aprendidos. Contudo, ocorreram abordagens em que foi possível notar pontos cegos na aquisição do conhecimento, possibilitando novas estratégias. Outro questionamento que é válido comentar, sobre o que poderia fazer para se lembrar do conhecimento na semana, alguns discentes disseram que iriam reler sobre o conteúdo, e houve até quem se propôs colocar um lembrete na geladeira! Estas simples atitudes mostraram envolvimento no processo de ensino-autoconsciência-aprendizagem. Ficou claro que alguns discentes não se envolveram plenamente como outros, mesmo assim, persistindo no envolvimento, temos a chance de contagiá-los. RELAÇÃO ENTRE O COACHING E ÁREAS DO SABER Por fim serão apresentadas as relações entre o processo de coaching e outras áreas do saber, com intuito de explicitar o coaching como uma metodologia que pode gerar desenvolvimento humano além da docência, e interligar conteúdos na docência. Tendo um ótimo senso de realidade, não se apresenta aqui, a solução de todos os problemas, mas, possibilidade de diálogo entre o que se faz no processo de coaching, com importantes áreas do saber. A pedagogia. Ao se fazer a formação de coaching, foi possível ouvir com frequência que não existe fracasso, existe apenas feedback, existe aprendizagem em tudo o que se faz. O processo é pautado no aprender a aprender. Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, a pedagogia não é uma ciência que se ocupa somente da educação das crianças. Ela tem um leque muito mais amplo, um pedagogo pode se especializar para coordenar ou dirigir escolas e demais espaços educativos. Pedagogos podem empreender do seguimento educacional, dar consultoria educacional, tanto no âmbito regular, quanto em treinamentos; pode ainda trabalhar em departamentos de recursos humanos, se tornar escritor ou palestrante sobre práticas educativas, entre tantas outras possibilidades. Nesse sentido o coaching em si é muito pedagógico, de modo que o coach precisa aprender sobre metodologia, didática, planejamento, empreendedorismo, visão de futuro, visão de mercado, missão pessoal e sobre os mais diversos processos de aprendizagem e construção de novas possibilidades pessoais e profissionais. A filosofia. A primeira pessoa a utilizar uma metodologia, muito parecida com o a que se utiliza do coaching foi o filósofo Sócrates, que por meio de sua maiêutica, conforme já fora mencionado. Nesse sentido, o ato de questionar, refletir, compreender, desabrochar ideias, descobertas e futuras inovações, liga partes do pensamento filosófico à metodologia do coaching. A filosofia não é o coaching, e vice-versa, contudo ela concede parte dos seus ensinamentos para o processo. É sabido que etimologicamente filosofia significa amor à sabedoria, bem como um grande objetivo do coaching é de se tornar cada vez mais sábio, fazendo as melhores escolhas, e tendo descobertas oportunas por meio das perguntas oportunas. A psicologia. Os processos de coaching acontecem externa e internamente, ou seja, as mudanças e aquisições que acontecem no campo material são um reflexo das mudanças e aquisições que acontecem no campo psicológico, na vasta seara das emoções e dos pensamentos. Quando fiz a formação em coaching encontrei muitos profissionais psicólogos buscando a formação também. Eles sabem que o coaching não é terapia e que tem uma proposta diferente, porquanto na terapia se trabalha o passado, e o coaching foca no futuro, mesmo assim alegaram perceber os benefícios que Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

8 este estudo lhes traria para o exercício de suas profissões. No próprio caderno de metodologia do coaching (DA MATTA, 2012), encontramos a admissão do uso de correntes psicológicas para desenvolver o processo. A administração. Um bom líder precisa ser um bom gestor e vice-versa, faz-se mister trabalhar com projetos e metas numa sociedade é que cambiante e híbrida. O líder precisa desenvolver com perspicácia seus planos de ação, sem descuidar da rede de relacionamentos e responsabilidade social. O coaching pode ser considerado, também, uma ferramenta de gestão. Gestão nos planos de ação, na administração do tempo, dos recursos e até mesmo das emoções, porquanto se faz necessário saber trabalhar com as pressões, ou com desvios nas rotas projetadas. Administradores compõem o estratégico das empresas. Um coach não poderia ser comparado ao administrador no processo, o coachee sim. A relação entre eles é que o coach tem a responsabilidade de auxiliar seu coachee na descoberta e aplicação das melhores estratégias de gestão para se chegar, com segurança, êxito e realização, ao objetivo final. Compreende-se, então, que um docente que dilata sua atuação, se relacionando com saberes nas searas da pedagogia, filosofia, psicologia, administração, entre outras, terá maior possibilidade de conectar saberes, de trabalhar sua aula num formato de rede. Infelizmente se vê, ainda, uma prática docente no formato de caixas, de departamentos que não interagem. Por esse motivo, considerou-se pertinente explicitar que o coaching, além da docência que é proposta desse trabalho, dialoga com qualidade em outras áreas do conhecimento. CONSIDERAÇÕES FINAIS O processo de coaching tem potencialidades para auxiliar docentes do nível superior em suas práticas pedagógicas, bem como promover momentos de reflexão sobre sua conduta, numa constante busca pela excelência profissional. No campo da conduta, o coaching aborda questões éticas, autoconsciência, formação continuada, escopo no desenvolvimento constante de competências discentes e docentes. Aliás, encoraja uma prática para que, no decorrer de algumas aulas os discentes possam tomar consciência de suas competências, lapidá-las e que possam desejar adquirir outras, num processo de construção constante. Pode-se dizer que a experiência do uso da maiêutica e de algumas proposições do coaching na docência já demonstrou ser positiva. Ocorreu o despertar de novas consciências, a checagem constante da aprendizagem, o envolvimento discente no seu próprio processo de construção da aprendizagem. Foi possível notar que o coaching dialoga com outras áreas do saber, respeitando cada uma delas. Um docente pode aproveitar conhecimentos advindos do coaching para performar cada vez melhor na profissão de professor, de forma maiêutica, criativa e evolutiva. REFERÊNCIAS CARBONE, Pedro Paulo et al. Gestão por competências e gestão do conhecimento. 3 ed. Rio de Janeiro: FGV, DA MATTA, Villela; VICTÓRIA, Flora. Personal e professional coaching: livro de metodologia. Rio de Janeiro: Publit, DEMO, Pedro. Universidade aprendizagem e avaliação: horizontes reconstrutivos. Porto Alegre: Mediação, Outro professor: alunos podem aprender bem com professores que aprendem bem. Jundiaí: Paco Editorial, Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

9 DORION, Louis-André. Compreender Sócrates. Tradução: Lúcia M. Endlich Orth. Petrópolis: Vozes, FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, GAARDER, Joisten. O mundo de Sofia: romance da história da filosofia. Tradução: João Azenha Jr. São Paulo: Companhia das Letras, GOOGLE. Coaching. Disponível em: <https://www.google.com.br/search?q=coaching&oq=coaching&aqs=chrome..69i57j5l3j69i60l j0j8&sourceid=chrome&es_sm=93&ie=UTF-8>. Acesso em 18 set HOUAISS, Antônio; VILAR Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, HUNTER, James C. O monge e o executivo. Tradução: Maria da Conceição Fornos de Magalhães. 18 ed. Rio de Janeiro: Sextante, MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução: Eloá Jacobina. 17 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, O CONNOR, Joseph; LAGES, Andrea. Como o coaching funciona: o guia essencial para a história e prática do coaching. Tradução: Luiz Frazão Filho. Rio de Janeiro: Qualitymark, PÉREZ, Juan Fernando Bou. Coaching para docentes: motivar para o sucesso. Portugal: Porto Editora, PERRENOUD, Philippe. Desenvolver competências ou ensinar saberes? A escola que prepara para a vida. Tradução: Laura Solange Ferreira. Porto Alegre: Penso, 2013 Vivências. Vol. 11, N.20: p , Maio/

Evento técnico mensal

Evento técnico mensal Evento técnico mensal GERENCIAMENTO DE CARREIRA PARA O SUCESSO DO GESTOR DE PROJETOS Fernanda Schröder Gonçalves Organização Apoio 1 de xx APRESENTAÇÃO Fernanda Schröder Gonçalves Coordenadora do Ibmec

Leia mais

Amanda Oliveira. E-book prático AJUSTE SEU FOCO. Viabilize seus projetos de vida. www.escolhas-inteligentes.com

Amanda Oliveira. E-book prático AJUSTE SEU FOCO. Viabilize seus projetos de vida. www.escolhas-inteligentes.com E-book prático AJUSTE SEU FOCO Viabilize seus projetos de vida CONTEÚDO À QUEM SE DESTINA ESSE E-BOOK:... 3 COMO USAR ESSE E-BOOK:... 4 COMO ESTÁ DIVIDIDO ESSE E-BOOK:... 5 O QUE É COACHING?... 6 O SEU

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A ESCOLA HOJE

OS CONHECIMENTOS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A ESCOLA HOJE OS CONHECIMENTOS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A ESCOLA HOJE KOGUT, Maria Cristina - PUCPR Cristina.k@pucpr.br SOUZA, Franciely Prudente de Oliveira - PUCPR franciely.oliveira@pucpr.br TREVISOL,

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

EXERCÍCIOS DE COACHING. www.evoraferraz.com.br

EXERCÍCIOS DE COACHING. www.evoraferraz.com.br EXERCÍCIOS DE COACHING www.evoraferraz.com.br Quem somos Leader Coach Trainer, Especialista em Self & Professional Coaching e Analista de Perfil Comportamental Assessment pelo Instituto Brasileiro de Coaching

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

FLÁVIA MOTTA Consultora em Gestão de Pessoas Life & Professional Coach Pedagoga, Pós-graduada em Psicologia Organizacional MBA em Gestão de Pessoas

FLÁVIA MOTTA Consultora em Gestão de Pessoas Life & Professional Coach Pedagoga, Pós-graduada em Psicologia Organizacional MBA em Gestão de Pessoas DUO A DUO nasce com mais de 17 anos de experiência de seus fundadores nos segmentos de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Gerenciamento de Processos, Esportes e Qualidade de Vida. Com um vasto conhecimento

Leia mais

TCC2036. fevereiro de 2006. Pricila Kohls dos Santos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS. pricilas.ead@pucrs.

TCC2036. fevereiro de 2006. Pricila Kohls dos Santos. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS. pricilas.ead@pucrs. 1 O PEDAGOGO EM MULTIMEIOS E INFORMÁTICA EDUCATIVA E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A EFICÁCIA DA UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA EDUCAÇÃO TCC2036 fevereiro de 2006 Pricila Kohls dos Santos

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

VOCÊ SABE QUAL O SEU PERFIL?

VOCÊ SABE QUAL O SEU PERFIL? VOCÊ SABE QUAL O SEU PERFIL? Ter o autoconhecimento é fundamental para capacitar e auxiliar o profissional no alcance de resultados extraordinários, obtendo uma experiência cada vez mais profunda em sua

Leia mais

COACHING. Imagem Evolução do Coaching por Coach Douglas Ferreira. Veja um pouco de sua evolução.

COACHING. Imagem Evolução do Coaching por Coach Douglas Ferreira. Veja um pouco de sua evolução. Faculdade Tecnologia Senac. Goiania,29 de maio de 2014. Nome: Thiago Pereira Profº Itair Pereira da Silva GTI 1 - Matutino COACHING O Coaching é um processo, com início, meio e fim, definido em comum acordo

Leia mais

O Coaching proporciona ao profissional ampliar sua visão estratégica de pessoas e organizações.

O Coaching proporciona ao profissional ampliar sua visão estratégica de pessoas e organizações. PARCEIRO EDUCACIONAL O Coaching proporciona ao profissional ampliar sua visão estratégica de pessoas e organizações. José Roberto Marques JRM Módulo Internacional na Universidade SOBRE O MBA O Instituto

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO GUIA BÁSICO DE UTILIZAÇÃO DA REDE COLABORATIVA Construçãoo de Saberes no Ensino Médio ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO CMRJ - 2010 2 LISTA DE FIGURAS Figura 01: Exemplo de

Leia mais

O Coaching pode ajudar uma pessoa a:

O Coaching pode ajudar uma pessoa a: O que é o Coaching O que é o Coaching É um processo compartilhado de desenvolvimento pessoal e profissional focado em ações no presente, para tornar real suas intenções de atingir objetivos e alcançar

Leia mais

EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART. www.evoraferraz.com.br

EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART. www.evoraferraz.com.br EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART www.evoraferraz.com.br Quem somos Leader Coach Trainer, Especialista em Self & Professional Coaching e Analista de Perfil Comportamental Assessment pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

Índice. Porque fazer um curso de Coaching? Tendências do Mercado de Coaching. Um dia na vida de um Coach. Teste: Tornando-se um Coach

Índice. Porque fazer um curso de Coaching? Tendências do Mercado de Coaching. Um dia na vida de um Coach. Teste: Tornando-se um Coach Índice Porque fazer um curso de Coaching? Metodologia Comprovada. Resultados sem precedentes As maiores razões para escolher um coach Tendências do Mercado de Coaching Oportunidades da Carreira de Coaching

Leia mais

leader training Liberando o melhor de você!

leader training Liberando o melhor de você! leader training Liberando o melhor de você! Objetivos Desenvolver habilidades de autocoaching, com foco na gestão de pensamentos e emoções, orientados para as dimensões do bem-estar humano e uma liderança

Leia mais

II. NOSSA MISSÃO, VISÃO E VALORES

II. NOSSA MISSÃO, VISÃO E VALORES I. NOSSA HISTÓRIA A história da Crescimentum começou em 2003, quando o então executivo do Grupo Santander, Arthur Diniz, decidiu jogar tudo para o alto e investir em uma nova carreira. Ele optou por se

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa

Educação Corporativa. Liderança Estratégia Gestão. KM Partners Educação Corporativa Educação Corporativa Liderança Estratégia Gestão O que é Educação corporativa? Educação corporativa pode ser definida como uma prática coordenada de gestão de pessoas e de gestão do conhecimento tendo

Leia mais

TRABALHO EM EQUIPE: Uma Prática que precisa tornar uma Práxis no Interior da Escola RESUMO

TRABALHO EM EQUIPE: Uma Prática que precisa tornar uma Práxis no Interior da Escola RESUMO TRABALHO EM EQUIPE: Uma Prática que precisa tornar uma Práxis no Interior da Escola MORIS, Aline dos Santos 1 aline_morys@hotmail.com Rocha, Marlizane Atanazio 2 SOUZA, Sueli de Oliveira 3 Suelisouza-roo@hotmail.com

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Humano Customizado COACHING RELACIONAL. Elisabeth Heinzelmann

Programa de Desenvolvimento Humano Customizado COACHING RELACIONAL. Elisabeth Heinzelmann Programa de Desenvolvimento Humano Customizado COACHING RELACIONAL Elisabeth Heinzelmann OBJETIVO DO PROGRAMA Dar o suporte necessário às pessoas para atingirem suas metas da forma que desejam, utilizando

Leia mais

Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe

Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe Desenvolvimento de Liderança Motivação e Trabalho em Equipe Eduardo Rocha Diretor da DSG Consultoria Capacitar seus colaboradores, do gerente aos coordenadores é o melhor caminho para melhorar a eficácia

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES?

A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? A GESTÃO DE UM CURSO SUPERIOR: DESAFIOS OU FRUSTRAÇÕES? BARREIROS, Marat Guedes Especialização em Gestão Estratégica de Recursos Humanos Coordenador de Curso, Professor Faculdade do Guarujá GODOY, Valdir

Leia mais

Porque fazer um curso de Coaching? Tendências do Mercado de Coaching. Um dia na vida de um Coach. Teste: Tornando-se um Coach

Porque fazer um curso de Coaching? Tendências do Mercado de Coaching. Um dia na vida de um Coach. Teste: Tornando-se um Coach ABRACOACHING 2015 1 Porque fazer um curso de Coaching? Metodologia Comprovada Resultados sem precedentes As maiores razões para escolher um coach Tendências do Mercado de Coaching Oportunidades da Carreira

Leia mais

O IBC. Criando oportunidades de vivenciar um novo ciclo de vida, com recursos abundantes, crescentes e contínuos para acelerar o alcance de objetivos.

O IBC. Criando oportunidades de vivenciar um novo ciclo de vida, com recursos abundantes, crescentes e contínuos para acelerar o alcance de objetivos. O IBC O Instituto Brasileiro de Coaching - IBC é a melhor e maior instituição de formação em Coaching do Brasil. Em mais de 5 anos de existência, já formou mais de 3 mil Coaches. Alunos de mais de 10 países

Leia mais

5 Considerações Finais

5 Considerações Finais 5 Considerações Finais Neste capítulo serão apresentadas as considerações finais do estudo. Quando necessário, serão feitas referências ao que já foi apresentado e discutido nos capítulos anteriores, dispondo,

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY

O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY O DESENVOLVIMENTO E O APRENDIZADO EM VIGOTSKY Kassius Otoni Vieira Kassius Otoni@yahoo.com.br Rodrigo Luciano Reis da Silva prrodrigoluciano@yahoo.com.br Harley Juliano Mantovani Faculdade Católica de

Leia mais

Profª Drª Jorgeta Zogheib Milanezi DIDÁTICA DO ENSINO O DOMÍNIO DE UMA PROFISSÃO NÃO EXCLUI O SEU APERFEIÇOAMENTO .. AO CONTTRÁRIO, SERÁ MESTRE QUEM

Profª Drª Jorgeta Zogheib Milanezi DIDÁTICA DO ENSINO O DOMÍNIO DE UMA PROFISSÃO NÃO EXCLUI O SEU APERFEIÇOAMENTO .. AO CONTTRÁRIO, SERÁ MESTRE QUEM Profª Drª Jorgeta Zogheib Milanezi DIDÁTICA DO ENSINO O DOMÍNIO DE UMA PROFISSÃO NÃO EXCLUI O SEU APERFEIÇOAMENTO.. AO CONTTRÁRIO, SERÁ MESTRE QUEM CONTINUAR APRENDENDO.. Piere Furter AVALIAR PARA CONHECER

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Reflexividade docente: Portfólio reflexivo. Formação inicial de professores 1 INTRODUÇÃO

PALAVRAS-CHAVE: Reflexividade docente: Portfólio reflexivo. Formação inicial de professores 1 INTRODUÇÃO O PORTFÓLIO COMO PROMOTOR DE REFLEXIVIDADE NO ESTÁGIO DE PEDAGOGIA RAUSCH, Rita Buzzi Rausch FURB rausch@furb.br Eixo: Formação de Professores/ n.10 Agência Financiadora: Sem financiamento RESUMO Compreendendo

Leia mais

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES Aline Martins Mendes Luciano José Vieira Franco Luis Guilherme Esteves Leocádio Sônia Madali Bosêja

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO E OS DESAFIOS DA FUNÇÃO

O COORDENADOR PEDAGÓGICO E OS DESAFIOS DA FUNÇÃO 1 O COORDENADOR PEDAGÓGICO E OS DESAFIOS DA FUNÇÃO Bruna Riboldi 1 Jaqueline Zanchin Josiane Melo Ketelin Oliveira Natália Moré Paula T. Pinto Nilda Stecanela2 Samanta Wessel3 Resumo Este artigo tem por

Leia mais

AS COMPETÊNCIAS NO PROJETO EDUCATIVO, NOS PROGRAMAS E NAS PRÁTICAS ESCOLARES

AS COMPETÊNCIAS NO PROJETO EDUCATIVO, NOS PROGRAMAS E NAS PRÁTICAS ESCOLARES AS COMPETÊNCIAS NO PROJETO EDUCATIVO, NOS PROGRAMAS E NAS PRÁTICAS ESCOLARES RESUMO Luis Carlos de Menezes 1 Promover o processo de ensino e de aprendizagem com vistas a ultrapassar o treinamento simplesmente

Leia mais

Coaching como ferramenta de desenvolvimento da liderança nas organizações

Coaching como ferramenta de desenvolvimento da liderança nas organizações Coaching como ferramenta de desenvolvimento da liderança nas organizações Pessoas e organizações Página 18 Agentes da mudança nas organizações Página 20 Ferramentas de gestão, desenvolvimento pessoal e

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA E SEUS REFLEXOS NA PRÁTICA DOS EDUCADORES RESUMO

FORMAÇÃO CONTINUADA E SEUS REFLEXOS NA PRÁTICA DOS EDUCADORES RESUMO FORMAÇÃO CONTINUADA E SEUS REFLEXOS NA PRÁTICA DOS EDUCADORES Joanilson Araújo Ferreira 1 RESUMO O presente estudo traz à tona reflexões referentes à formação docente, tanto formação inicial quanto formação

Leia mais

COACHING PARA PERFORMANCE. John Whitmore

COACHING PARA PERFORMANCE. John Whitmore COACHING PARA PERFORMANCE John Whitmore Coaching não é meramente uma técnica a ser rigidamente aplicada em determinadas circunstâncias, é uma forma de gerenciar, uma maneira de tratar as pessoas, uma forma

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

Coaching Acadêmico: uma metodologia orientada para a mudança

Coaching Acadêmico: uma metodologia orientada para a mudança Coaching Acadêmico: uma metodologia orientada para a mudança Por Leandro Alves da Silva 1) Introdução A origem histórica do termo coaching apresenta-se entre os séculos XV e XVI, mais precisamente na cidade

Leia mais

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a questão da alfabetização como conceito presente nas políticas educacionais que

Leia mais

EXERCÍCIOS DE COACHING CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO. www.evoraferraz.com.br

EXERCÍCIOS DE COACHING CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO. www.evoraferraz.com.br EXERCÍCIOS DE COACHING CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO www.evoraferraz.com.br Quem somos Leader Coach Trainer, Especialista em Self & Professional Coaching e Analista de Perfil Comportamental Assessment pelo Instituto

Leia mais

Objetivos do Curso: Público alvo:

Objetivos do Curso: Público alvo: Formação em Coaching Com Abordagem Neurocientífica, Psicofisiológica, Filosófica e Comportamental. Destinado aos Profissionais das Áreas de Saúde, Educação e Gestão de Pessoas Coaching é a palavra inglesa

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

O ABC da gestão do desempenho

O ABC da gestão do desempenho Por Peter Barth O ABC da gestão do desempenho Uma ferramenta útil e prática para aprimorar o desempenho de pessoas e organizações 32 T&D INTELIGÊNCIA CORPORATIVA ED. 170 / 2011 Peter Barth é psicólogo

Leia mais

ESCOLA: ESPAÇO CRIATIVO O FAZER DE CADA UM

ESCOLA: ESPAÇO CRIATIVO O FAZER DE CADA UM ESCOLA: ESPAÇO CRIATIVO O FAZER DE CADA UM Ms. Lucia Maria de Mello Souto Boarin* Resumo: Neste artigo a idéia é ver a escola como um espaço criativo, uma possibilidade real para cada pessoa desenvolver

Leia mais

NOSSO OLHAR QUEM SOMOS NOSSA ATUAÇÃO RESULTADOS OBTIDOS NOSSA ABORDAGEM APRESENTAÇÃO CLIENTES E PARCEIROS

NOSSO OLHAR QUEM SOMOS NOSSA ATUAÇÃO RESULTADOS OBTIDOS NOSSA ABORDAGEM APRESENTAÇÃO CLIENTES E PARCEIROS QUEM SOMOS NOSSO OLHAR NOSSA ATUAÇÃO NOSSA ABORDAGEM RESULTADOS OBTIDOS CLIENTES E PARCEIROS APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS O trabalho daassssssso consiste em atuar no desenvolvimento de grupos e indivíduos,

Leia mais

O ENSINO SUPERIOR DE SECRETARIADO EXECUTIVO NOS ESTADOS DO PARANÁ E DE SANTA CATARINA.

O ENSINO SUPERIOR DE SECRETARIADO EXECUTIVO NOS ESTADOS DO PARANÁ E DE SANTA CATARINA. O ENSINO SUPERIOR DE SECRETARIADO EXECUTIVO NOS ESTADOS DO PARANÁ E DE SANTA CATARINA. Raquel Maria Bortolotto, email: raqbortolotto@hotmail.com, Rúbia Nara Rinaldi, (Orientadora/UNIOESTE), e-mail: rubiarinaldi@yahoo.com.br

Leia mais

Apresentação. Formação, especialização e treinamento em Coaching. Desenvolvimento de Líderes Extraordinários - Líder Coach

Apresentação. Formação, especialização e treinamento em Coaching. Desenvolvimento de Líderes Extraordinários - Líder Coach I. Pinheiro Apresentação O Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) é o resultado da experiência comprovada em desenvolver pessoas. Possuímos um sólido Background e amplo know-how em Desenvolvimento Humano.

Leia mais

CollaborativeBook. número 1. Gestão. Processos. por

CollaborativeBook. número 1. Gestão. Processos. por CollaborativeBook número 1 Gestão por Processos Gestão por Processos 2 www.apoenarh.com.br Transformar conhecimento em ação e resultado com o desenvolvimento e aplicação de soluções de aprendizagem diferenciadas

Leia mais

Palestra de Hoje: Desenvolvendo seu poder pessoal através do processo de coaching. com Carlos Hoyos. Início: 09:00 (Horário de Brasília, GMT-03:00)

Palestra de Hoje: Desenvolvendo seu poder pessoal através do processo de coaching. com Carlos Hoyos. Início: 09:00 (Horário de Brasília, GMT-03:00) Este conteúdo é de uso exclusivo da Fundação Bradesco Palestra de Hoje: Desenvolvendo seu poder pessoal através do processo de coaching com Carlos Hoyos Início: 09:00 (Horário de Brasília, GMT-03:00) O

Leia mais

CURSO EXCLUSIVO IBECO

CURSO EXCLUSIVO IBECO PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR EM ESTÉTICA CURSO EXCLUSIVO IBECO Destinado aos docentes que atuam ou que pretendem atuar no ensino superior e profissionalizante da área estética, o curso

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

Perguntas Frequentes de Coaching Tire suas dúvidas sobre

Perguntas Frequentes de Coaching Tire suas dúvidas sobre Perguntas Frequentes de Coaching Tire suas dúvidas sobre coaching www.vocevencedor.com.br // www.flaviosouza.com.br Conheça nossos Cursos: Curso para Certificação Internacional em Coaching pela International

Leia mais

AS PRÁTICAS DE DOCÊNCIA ORIENTADA NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UM CAMINHO POSSÍVEL NA TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS

AS PRÁTICAS DE DOCÊNCIA ORIENTADA NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UM CAMINHO POSSÍVEL NA TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS AS PRÁTICAS DE DOCÊNCIA ORIENTADA NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UM CAMINHO POSSÍVEL NA TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS Resumo Manuelli Cerolini Neuenfeldt 1 Silvia Maria de

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES CAMARGO, Victor Discente da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva ZUTTIN, Fabiana Docente da Faculdade de Ciências Sociais

Leia mais

Coaching de Equipe: Mitos e Realidade - Pré Congresso Rosa Krausz novembro / 2015

Coaching de Equipe: Mitos e Realidade - Pré Congresso Rosa Krausz novembro / 2015 Coaching de Equipe: Mitos e Realidade - Pré Congresso Rosa Krausz novembro / 2015 Rosa Krausz Coaching de Equipe: Mitos e Realidade EQUIPE Uma EQUIPE é um número limitado de pessoas, com habilidades complementares,

Leia mais

A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES

A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES Mércia Rodrigues Gonçalves Pinheiro, UESB RESUMO O presente trabalho foi articulado através de pesquisa de campo, utilizando observação direta e entrevista

Leia mais

MADRINA-Desenvolvimento Infantil e Parental 1

MADRINA-Desenvolvimento Infantil e Parental 1 MADRINA-Desenvolvimento Infantil e Parental 1 PROJETO MEU TEMPO DE CRIANÇA Missão Visão Valores Colaborar com a importante tarefa de educar as crianças, nesse momento único de suas jovens vidas, onde os

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS

FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS FORMAÇÃO DOCENTE: ASPECTOS PESSOAIS, PROFISSIONAIS E INSTITUCIONAIS Daniel Silveira 1 Resumo: O objetivo desse trabalho é apresentar alguns aspectos considerados fundamentais para a formação docente, ou

Leia mais

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO RESUMO Arlam Dielcio Pontes da Silva UFRPE/UAG Gerciane

Leia mais

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão Disciplinas Liderança Organizacional O processo de formação e desenvolvimento de líderes. Experiências com aprendizagem ativa focalizando os conceitos e fundamentos da liderança. Liderança compartilhada.

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO SUPERIOR: REFLEXÕES SOBRE A DOCÊNCIA ORIENTADA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO SUPERIOR: REFLEXÕES SOBRE A DOCÊNCIA ORIENTADA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO SUPERIOR: REFLEXÕES SOBRE A DOCÊNCIA ORIENTADA Manuelli Cerolini Neuenfeldt 1 Resumo: Esse estudo visa refletir sobre algumas questões referentes à formação de professores

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

A PEDAGOGIA PROGRESSISTA LIBERTÁRIA E SUA INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOCENTE DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL.

A PEDAGOGIA PROGRESSISTA LIBERTÁRIA E SUA INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOCENTE DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. A PEDAGOGIA PROGRESSISTA LIBERTÁRIA E SUA INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DOCENTE DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. ALVES, Patrícia Cristina Discente do 7º Período do Curso de Pedagogia da Faculdade

Leia mais

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização NOSSO OBJETIVO GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Oferecer soluções viáveis em tempo hábil e com qualidade. Essa é a receita que a

Leia mais

ABRIL DE 2014. com João Cordeiro COMO TRANSFORMAR OS SEUS TREINAMENTOS AGORA!

ABRIL DE 2014. com João Cordeiro COMO TRANSFORMAR OS SEUS TREINAMENTOS AGORA! com João Cordeiro 14 15 16 ABRIL DE 2014 COMO TRANSFORMAR OS SEUS TREINAMENTOS AGORA! QUANDO TREINAMENTOS INOVADORES 14 e 15 de abril ATIVIDADES E JOGOS 16 de abril ONDE Grand Hyatt Hotel - São Paulo O

Leia mais

Personal and Professional Coaching

Personal and Professional Coaching Personal and Professional Coaching Seu salto para a excelência pessoal e profissional 1 O novo caminho para o sucesso e a realização pessoal! Todos sabem que para ser médico, advogado, dentista ou engenheiro

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA - Grupo III ao 5º Ano

PROGRAMA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA - Grupo III ao 5º Ano ... CEFF - CENTRO EDUCACIONAL FAZENDINHA FELIZ Rua Professor Jones, 1513 - Centro - Linhares / ES - CEP. 29.900-131 - Telefone: (27) 3371-2265 www.escolafazendinhafeliz.com.br... Ao colocar seu filho na

Leia mais

O Processo de Coaching*

O Processo de Coaching* O Processo de Coaching* Por Adriana Preto Rutzen** O Coaching surgiu no mundo dos esportes, através do trabalho do técnico de tênis Thimoty Gallwey, que escreveu e publicou, em meados dos anos 70, o livro

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DE OLGA METTIG À EDUCAÇÃO BAIANA: ENSINANDO A COMPREENSÃO

CONTRIBUIÇÕES DE OLGA METTIG À EDUCAÇÃO BAIANA: ENSINANDO A COMPREENSÃO CONTRIBUIÇÕES DE OLGA METTIG À EDUCAÇÃO BAIANA: ENSINANDO A COMPREENSÃO Liane Soares, Ms. Faculdade de Tecnologias e Ciências FTC/BA Olga sempre considerou a educação como um sistema, um produto de evolução

Leia mais

Líder Coach: Coaching como filosofia de liderança

Líder Coach: Coaching como filosofia de liderança Líder Coach: Coaching como filosofia de liderança Ligia Dias Feitosa 1 RESUMO: O presente artigo tem por objetivo refletir sobre a contribuição das técnicas e ferramentas de Coaching no desenvolvimento

Leia mais

Gestão por Valores. com foco em Liderança. Carlos Legal

Gestão por Valores. com foco em Liderança. Carlos Legal Gestão por Valores com foco em Liderança Carlos Legal Quem somos Resultados melhores podem ser alcançados de forma sustentável. Pessoas melhores, geram lideranças e organizações melhores Nosso propósito

Leia mais

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem...

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem... 1 2 Sumário Bem Vindo... 4 A Disciplina de Dependência Interativa... 5 A Organização da Disciplina... 7 O Processo de Ensino e Aprendizagem... 10 Sua Semana no Curso... 11 O apoio local ao Ensino Semipresencial...

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR

CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR Jose Lucas dos Santos Oliveira Universidade Federal de Campina Grade UFCG - Patos, Paraíba. e-mail: lucasoliveira.ufcg@gmail.com

Leia mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA DA AVALIAÇÃO

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA DA AVALIAÇÃO GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA DA AVALIAÇÃO Vera Lúcia Martins Gramville 1 Rozane Marcelino de Barros 2 Resumo: O presente Artigo é uma descrição reflexiva que produziu

Leia mais

EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART. www.evoraferraz.com.br

EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART. www.evoraferraz.com.br EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART www.evoraferraz.com.br Quem somos Leader Coach Trainer, Especialista em Self & Professional Coaching e Analista de Perfil Comportamental Assessment pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Liderança e Gestão de Pessoas Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes

Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes Bert Hellinger soube muito bem como integrar conhecimentos de várias

Leia mais

FACESI EM REVISTA Ano 3 Volume 3, N. 2 2011 - - ISSN 2177-6636

FACESI EM REVISTA Ano 3 Volume 3, N. 2 2011 - - ISSN 2177-6636 PEDAGOGIA EMPRESARIAL E APRENDER BRINCANDO E A IMPORTÂNCIA DO JOGO: DIFERENTES TEMAS NA ÁREA EDUCACIONAL Ana Flávia Crespim da Silva Araújo ana.crespim@hotmail.com Elaine Vilas Boas da Silva elainevb2010@hotmail.com

Leia mais

Liderança com foco em resultados

Liderança com foco em resultados Liderança com foco em resultados Como produzir mais, em menos tempo e com maior qualidade de vida. Introdução O subtítulo deste texto parece mais uma daquelas promessas de milagres. Independentemente de

Leia mais

Parceria RH & Coaching: Soluções à organização pessoal e profissional Marcia Toscano

Parceria RH & Coaching: Soluções à organização pessoal e profissional Marcia Toscano Parceria RH & Coaching: Soluções à organização pessoal e profissional Marcia Toscano Socióloga - Consultora em Gestão de Pessoas - Personal & Professional Coach 1. Cenários organizacionais: Como delimitar

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

O ensino de língua inglesa para crianças

O ensino de língua inglesa para crianças O ensino de língua inglesa para crianças Débora Leffa Dimer 1 Adriana Soares 2 Resumo: No presente artigo, iremos analisar como ocorre o aprendizado de uma língua estrangeira, no caso, a Língua Inglesa,

Leia mais

AFETIVIDADE E EDUCAÇÃO: A RELAÇÃO PROFESSOR/ALUNO INTERFERE NA PREFERÊNCIA DA DISCIPLINA?

AFETIVIDADE E EDUCAÇÃO: A RELAÇÃO PROFESSOR/ALUNO INTERFERE NA PREFERÊNCIA DA DISCIPLINA? AFETIVIDADE E EDUCAÇÃO: A RELAÇÃO PROFESSOR/ALUNO INTERFERE NA PREFERÊNCIA DA DISCIPLINA? ZONTA, Marinez Arruda FACIAP/UNIPAN FERREIRA, Josiane Peres FACIAP/UNIPAN e PUCRS RESUMO

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO Código: ADM-353 Pré-requisito: --- Período Letivo: 2015.1 Professor:

Leia mais

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM

O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM O PEDAGOGO NA DOCÊNCIA E SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO- APRENDIZAGEM Helena Harumi Maruyama G Pedagogia INESUL LONDRINA PR Orientadora Ms. Maria Eliza Corrêa Pacheco D Pedagogia INESUL LONDRINA PR PAINEL e-mail:

Leia mais

www.canvasacademy.com.br

www.canvasacademy.com.br www.canvasacademy.com.br Em parceria com a Master Coach Paula Quaiser, o Master Coach e empresário Maurício Sampaio, traz para São Paulo o mais inovador método de coaching de carreira: o Canvas Coaching.

Leia mais

PERFIL DO EMPREENDEDOR

PERFIL DO EMPREENDEDOR INTRODUÇÃO Em nossa vida, é necessário planejarmos com cuidado em que direção pretendemos focar nossos esforços. Após o planejamento, vem a ação. Desta forma, é fundamental conhecermos os caminhos que

Leia mais

A minha missão é potencializar resultados e promover o desenvolvimento humano com a socialização dos saberes

A minha missão é potencializar resultados e promover o desenvolvimento humano com a socialização dos saberes DALMIR SANT'ANNA TREINAMENTOS LTDA AVENIDA NEREU RAMOS, 897 CENTRO 88.380-000 BALNEÁRIO PIÇARRAS SC APRESENTAÇÃO Espero que este material, ao chegar em suas mãos e de sua equipe de trabalho, encontrem

Leia mais

ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB

ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB ANALISE DA METODOLOGIA DESENVOLVIDA NADISCIPLINA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL DA UNEB Resumo Telma Dias Silva dos Anjos 1 - UNEB Tânia Regina Dias Silva Pereira 2 - UNEB Inaiá Brandão Pereira

Leia mais

DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins

DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins DESAFIOS PARA FORMAÇÃO DE UM DOCENTE DE DESENHO INDUSTRIAL Sandra Lúcia de Oliveira Martins INTRODUÇÃO A permanente a preocupação com a formação docente e a falta de prática em sala de aula, que não conduz

Leia mais

Carta pedagógica. Professora: Maria Teresinha Turma: alfabetização

Carta pedagógica. Professora: Maria Teresinha Turma: alfabetização Carta pedagógica Ao escrever esta carta pedagógica, veio-me a questão do erro que acontece a todo o momento em minha turma na sala de aula. Lendo textos de autores como Morais, fiquei ciente da sua fala

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

SER ÉTICO?1?!?!?! Significa a capacidade de percepção dos conflitos entre o que o coração diz e o que a cabeça pensa.

SER ÉTICO?1?!?!?! Significa a capacidade de percepção dos conflitos entre o que o coração diz e o que a cabeça pensa. ÉTICA PROFISSIONAL Conjunto de regras morais de conduta que o indivíduo deve observar em sua atividade, no sentido de valorizar a profissão e bem servir aos que dela dependem. (Sidou, Dicionário Jurídico:Academia

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais

Considerações sobre o papel da matemática na educação básica: pedagogia de projetos uma proposta de intervenção.

Considerações sobre o papel da matemática na educação básica: pedagogia de projetos uma proposta de intervenção. Considerações sobre o papel da matemática na educação básica: pedagogia de projetos uma proposta de intervenção. André Ricardo Magalhães* andrerm@gmail.com Geciara Carvalho* geciara@gmail.com Ivanise Gomes

Leia mais