INTRODUÇÃO... 3 II- OUTROS ESTUDOS EFETUADOS ANTERIORMENTE... 3 III- OBJETIVOS... 4 IV- METODOLOGIA...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTRODUÇÃO... 3 II- OUTROS ESTUDOS EFETUADOS ANTERIORMENTE... 3 III- OBJETIVOS... 4 IV- METODOLOGIA..."

Transcrição

1 Inquérito em outubro de 2014

2 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Índice I- INTRODUÇÃO... 3 II- OUTROS ESTUDOS EFETUADOS ANTERIORMENTE... 3 III- OBJETIVOS... 4 IV- METODOLOGIA... 4 V- ANÁLISE DOS RESULTADOS... 4 VI- COMENTÁRIOS EFETUADOS PELOS ALUNOS NO INQUÉRITO... 6 VII- AVALIAÇÃO DOS OBJETIVOS PROPOSTOS NO ESTUDO... 7 VIII- CONCLUSÃO... 8 Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Página 2

3 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação I- Introdução Conhecer a opinião de um utente sobre a instituição que frequenta é importante para saber o seu grau de satisfação em relação ao serviço que lhe foi prestado. A Escola presta um serviço essencialmente educativo aos alunos durante um determinado período de tempo. Resta saber até que ponto a qualidade desse serviço é validada pela continuidade da formação desse aluno e, na mesma linha e igualmente importante, qual o grau ou o nível de satisfação e opinião que o aluno tem sobre a escola que frequentou, agora que tem outra visão e até outros termos de comparação. Em resultado da intervenção de avaliação externa ao Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação em Janeiro de 2014, pela Inspeção Geral de Educação e Ciência, houve necessidade de se responder a uma área de melhoria identificada no relatório dessa mesma intervenção inspetiva. Assim, no plano de melhorias elaborado pelo Agrupamento ficou assente a realização de atividades de autoavaliação que incidissem sobre a qualidade do serviço prestado pela Escola, recolhendo esses dados para aferir essa mesma qualidade. Este relatório diz respeito ao estudo efetuado, em outubro de 2014, junto dos alunos que frequentaram e concluíram a sua frequência no Agrupamento nos anos letivos de e Na verdade, a Equipa de Autoavaliação do Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação tem o hábito de realizar estes estudos sobre a qualidade do serviço e sobre o grau de satisfação junto dos ex-alunos, com uma regularidade bianual, tendo-o já executado por duas vezes. A Equipa de Autoavaliação do Agrupamento tem utilizado o método do inquérito junto dos ex-alunos e, sempre que possível, recorre também às entrevistas diretas com alguns desses mesmos alunos. Já foi considerada a possibilidade de solicitar a devolução dos resultados escolares a outras escolas e agrupamentos para onde os alunos prosseguiram estudos. Este método é, contudo, quase materialmente impossível, e torna-se declaradamente complexo a uma unidade orgânica de ensino enviar os resultados escolares referentes a um determinado grupo de alunos e ainda é tanto mais complexo quanto a dificuldade em saber exatamente o curso e a escola que o aluno se matriculou, dada a mudança que tantas vezes ocorre no ato da matrícula sem que a escola de origem tenha esse conhecimento. Assim, para obstar a esse conjunto de constrangimentos e dificuldades, a Equipa de Autoavaliação teve o cuidado de construir um inquérito que procurasse recolher o máximo de informação útil possível, procurando saber a opinião dos ex-alunos em relação ao estabelecimento que frequentaram, indo ao encontro dos objetivos pretendidos. II- Outros estudos efetuados anteriormente A Equipa de Autoavaliação do Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação realizou o primeiro estudo deste género em 2010, reportando-se a alunos que frequentaram e concluíram os estudos no AEGE nos anos letivos de , , e , num total de quatro anos letivos e num universo de alunos muito próximo das três centenas. Foram recolhidas 81 respostas. O segundo estudo efetuado foi em 2013, abrangendo os alunos que frequentaram e concluíram os seus estudos no AEGE nos anos letivos de , e , num total de três anos letivos e num universo de alunos que perfez a centena e meia. Foram recolhidas 25 respostas. Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Página 3

4 III- Objetivos Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Pretende-se com este estudo o seguinte: - conhecer o grau de satisfação dos alunos que frequentaram o AEGE, nos últimos anos letivos, em relação ao funcionamento da Escola e dos vários serviços prestados, essencialmente a qualidade do ensino - recolher dados sobre os aspetos negativos e positivos que marcaram mais sensivelmente esses alunos na sua passagem pelo Agrupamento - conhecer o percurso escolar / profissional desses alunos depois de terem frequentado o AEGE - conhecer o impacto que a sua frequência no AEGE teve nas suas vidas académicas - aferir da qualidade do serviço educativo prestado pelo AEGE. IV- Metodologia Foi construído um inquérito online, com um conjunto de perguntas encadeadas, com vista a recolher os dados pretendidos. Equacionou-se claramente a hipótese de pedir às escolas secundárias e profissionais da região os resultados escolares dos alunos que frequentaram o 9.º ano no AEGE, mas torna-se quase impraticável, em termos de tempo e de logística, como já foi referido. Assim, optou-se por redigir e enviar uma carta a cada um desses alunos que frequentaram e terminaram a frequência escolar nos dois anos letivos referidos anteriormente. Essa carta continha o pedido de colaboração para este inquérito, bem como o endereço URL onde os alunos deveriam aceder para responder. Foram enviadas 60 cartas e foi dado um mês para as respostas serem submetidas pelos alunos. Infelizmente, foram devolvidas várias cartas. V- Análise dos resultados A taxa de resposta efetiva ao inquérito foi de 21% (no inquérito de 2013 a taxa de resposta foi de 17% e no inquérito de 2010 a taxa de resposta foi de 27%). Os respondendes corresponderam a 62% do sexo feminino. No que diz respeito a idade, 38% dos alunos que responderam têm 18 ou mais anos, 38% têm 17 anos e os restantes têm 16 anos de idade. Metade dos que responderam terminaram os estudos no AEGE no ano letivo ; alguns não se lembram quando frequentaram e terminaram os estudos no AEGE ou julgam que foi há mais tempo do que e 38% dizem que foi no ano letivo Mais de metade (62%) dos respondentes afirmaram que frequentaram todo o ensino básico no AEGE. Apenas 77% dos que responderam afirmaram que concluíram o ensino básico (9.º ano). Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Página 4

5 15% dos alunos apontaram que frequentaram cursos CEF no AEGE. Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Questionados os alunos sobre os resultados escolares que obtiveram no final do 9.º ano nas disciplinas de Português, Matemática e Inglês as respostas foram as seguintes: o Português nível 2 8%; nível 3 69%; nível 4 15%; nível 5 8% o Matemática nível 2 38%; nível 3 54%; nível 4 0%; nível 5 8% o Inglês nível 2 8%; nível 3 54%; nível 4 23%; nível 5 15% Questionados os alunos sobre os resultados escolares que obtiveram no final do ano do ensino secundário nas disciplinas de Português, Matemática e Inglês as respostas foram as seguintes: o Português 1 a 9 valores 8%; 10 a 14 valores 46%; 15 a 17 valores 23% o Matemática 1 a 9 valores 15%; 10 a 14 valores 38%; 15 a 17 valores 15%; 18 a 20 valores 8% o Inglês nível 2 1 a 9 valores 8%; 10 a 14 valores 31%; 15 a 17 valores 23%; 18 a 20 valores 15% Em relação aos apoios educativos tidos pelos alunos, metade afirmou que frequentou a sala de estudo; 15% recorreu ao apoio psicológico; outros 15% teve ensino especial; 38% referiram que não usufruiram de qualquer apoio. Depois de terem frequentado o AEGE, apenas 77% dos alunos respondentes afirmaram que prosseguiram os seus estudos, maioritariamente para a Escola Secundária da Gafanha da Nazaré, seguindo-se a Escola Profissional de Aveiro. 15% dos alunos que responderam, disseram que depois de frequentar o AEGE tiveram que emigrar. Poucos alunos indicaram a profissão que desejam praticar no futuro: educadora de infância, futebolista, técnico de turismo, engenheiro mecânico. Os cursos que os alunos frequentam são variáveis. Interrogados sobre se o ensino dado no AEGE preparou convenientemente os alunos para o futuro, estes responderam: Muito 70%; Pouco 15%; Mais ou menos 15% No que diz respeito ao grau de satisfação sobre vários aspetos, os alunos apontaram (M Sat = Muito Satisfeito; Sat = Satisfeito; NSNI = Nem satisfeito nem insatisfeito; Insat = Insatisfeito; M Insat = Muito Insatisfeito): o Sobre a qualidade do ensino M Sat 39%; Sat 31%; NSNI 15%; Insat 15%; M Insat o Ambiente da Escola - M Sat 31%; Sat 55%; NSNI 8%; Insat 8%; M Insat - o Profissionalismo dos professores - M Sat 38%; Sat 38%; NSNI -; Insat 24%; M Insat o Profissioalismo dos funcionários - M Sat 38%; Sat 31%; NSNI 16%; Insat 15%; M Insat o Salas de aula e recursos da escola - M Sat 38%; Sat 38%; NSNI 8%; Insat 16%; M Insat o Funcionamento geral da escola - M Sat 23%; Sat 54%; NSNI 15%; Insat 8%; M Insat Aspetos que mais marcaram os alunos na sua passagem pelo AEGE: o Professor que marcou positivamente 77% o Atividades realizadas 46% o Simpatia dos funcionários 54% o Facilidade de contacto com os professores 46% o Amizade dos colegas 31% o Biblioteca 38% Página 5

6 o Exigência dos professores 15% o Limpeza dos espaços 38% o Apoios educativos 23% o Equipamento das salas 23% o Segurança e o bem-estar proporcionado 15% Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Dando a palavra aos alunos, e solicitando a indicação de aspetos positivos, as respostas registadas foram, basicamente, as seguintes: o a segurança e a limpeza dentro da escola o equipamento de sala de aula o material disponibilizado pelos docentes e o apoio prestado pelos professores o organização da escola e disciplina o professores e funcionários muito bons Sobre os aspetos que foram colocados pelos alunos como pontos negativos, sobressaem os seguintes: o Aspeto do exterior das instalações e o facto de não haver uma coberta exterior o Algumas das funcionárias metem-se muito na vida privada do/a aluno/a, e ainda por cima o Deviam deixar alunos antigos visitar os professores. o Aulas em demasia e poucas tardes livres o A arrogância e despacho das funcionárias e o horário o Alguns alunos difíceis de lidar o Comida na cantina VI- Comentários efetuados pelos alunos no inquérito Gostei muito de ter passado os meus 5 anos nesta escola. Os professores, auxiliares e colegas ajudaram-me a crescer quanto pessoa e como futuro profissional. Durante estes 5 anos tive alguns momentos maus e a escola sempre me ajudou nunca me vou esquecer o apoio prestado. É caso para dizer que toda a escola está de parabéns pela sua grande qualidade. No momento já voltei para o Brasil, e hoje agradeço muito o ensino e educação que tive nessa escola. Só acho que antes de matricular os alunos deveriam fazer um processo seletivo, para terem uma conclusão do aluno antes de lidar com ele. Saudades de tudo que vive e aprendi nessa escola, só posso desejar o melhor para o estabelecimento. Deviam trocar de professores porque há deles que não têm o empenho necessário para ajudar um aluno e há deles que se estão desinteressados para ajudar o aluno. Gostei muito de frequentar o Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação. O ciclo da Encarnação até hoje foi a melhor escola que frequentei. A acessibilidade dos professores, todos os apoios disponibilizados pela escola, a simpatia dos funcionários, entre muitos aspetos. Foi pena ter saído quando reconstruíram o bar, mas uma visita à escola.. Nada que não se resolva :) Quero agradecer a todos: docentes, funcionários, pais... Muito obrigada! Foi a melhor escola onde andei, professores dos quais não me irei esquecer, claro com algumas exceções, funcionárias fantásticas, condições boa e bons colegas. Aprendi muito nesta escola e muito do que que sou hoje devo-o a escola, professores funcionários e colegas. Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Página 6

7 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Já me foi recusada muitas vezes a entrada na escola e quando eu andei na aege os alunos tinham autorização para entrar e não havia cameras e agora a nós nãodeixam. Deviam modificar a escola no "exterior" onde fica o campo de mini golf e a redor. Tenho saudades de tudo nesse agrupamento desde os professores aos espaços que nos proporcionavam. VII- Avaliação dos objetivos propostos no estudo No início deste estudo foram apresentados os objetivos essenciais para a sua realização. Faremos, então, a respetiva análise da consecução desses mesmos objetivos. Objetivo 1 - conhecer o grau de satisfação dos alunos que frequentaram o AEGE, nos últimos anos letivos, em relação ao funcionamento da Escola e dos vários serviços prestados, essencialmente a qualidade do ensino De uma maneira geral, podemos verificar que a maioria dos alunos está com um nível de satisfação muito positiva em relação ao serviço prestado pelo AEGE, bem como ao funcionamento do Agrupamento. Há naturalmente alguns reparos ao nível dos equipamentos e espaços, claramente advenientes pelo facto dos alunos terem pontos de comparação com outras escolas que atualmente frequentam. Apesar de o AEGE julgar que tem boas condições de trabalho, bons equipamentos e espaços adequados, essa ideia que perpassa na mente dos docentes e funcionários nem sempre é idêntica nos espíritos dos alunos. Quanto à qualidade do ensino propriamente dita, a perceção dos alunos é positiva uma vez que estes sentem que o AEGE os preparou convenientemente para o prosseguimento de estudos, seja este no ensino secundário científico-humanístico ou no ensino profissional. Objetivo 2 - recolher dados sobre os aspetos negativos e positivos que marcaram mais sensivelmente esses alunos na sua passagem pelo Agrupamento Os alunos apontam a importância da simpatia dos funcionários e dos docentes no trato e no acesso à comunicação com esses mesmos agentes. Contudo, e apesar do ambiente ser bom, na opinião dos alunos, são detetadas algumas falhas em alguma falta de exigência e rigor uniformizado entre os docentes. Por outro lado, verifica-se que nem sempre a segurança e a limpeza estão ao nível do expectável pelos alunos, havendo necessidade de se trabalharem igualmente esses aspetos. Os alunos consideram também importante haver melhoria dos espaços exteriores da Escola ao nível do conforto e do arranjo estético, mas sobretudo ao nível da proteção contra as intempéries. Alguns alunos sugerem que o AEGE permitisse a sua entrada para visitar a escola e a comunidade escolar. Objetivo 3 - conhecer o percurso escolar / profissional desses alunos depois de terem frequentado o AEGE A grande maioria dos alunos prosseguiu os seus estudos em escolas secundárias; alguns enveredaram por escolas profissionais; poucos acompanharam as suas famílias na emigração. Os alunos estão a prosseguir os seus estudos em cursos variados. O AEGE tem conhecimento de alguns dos seus ex-alunos estarem a frequentar atualmente cursos de medicina e outros alunos terem enveredado pelo mercado de negócios, sendo empresários em nome individual. Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Página 7

8 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Objetivo 4 - conhecer o impacto que a sua frequência no AEGE teve nas suas vidas académicas De acordo com os comentários efetuados pelos alunos, apercebemo-nos da importância da missão do AEGE na vida dos alunos, não só pela instrução e ensino que lhes é dado, mas muito fundamentalmente pela experiência de vida que lhes é proporcionado: as atividades realizadas nas escolas, a palavra dos professores, o conselho de vida, o convívio social com os outros Podemos compreender o papel que a escola tem na vida dos alunos e trabalhar melhor em prol de um projeto que contribua fortemente para o seu percurso. Por outro lado, apercebemo-nos das melhorias que teremos de operar em termos de atitude da comunidade escolar no sentido de cumprir com os critérios que o AEGE define em termos de avaliação e de trabalho pedagógico. Objetivo 5 - aferir da qualidade do serviço educativo prestado pelo AEGE. O serviço educativo prestado pelo AEGE apresenta, perante os resultados do inquérito efetuado, um nível considerado positivo. As avaliações dos alunos no ensino secundário não diferem substancialmente das avaliações conseguidas no ensino básico, validando, portanto, a prestação desse serviço educativo. VIII- Conclusão Tal como nos estudos efetuados anteriormente, há conclusões interessantes que podem ser tiradas: - a qualidade do ensino prestado no AEGE, de uma maneira geral, verifica-se na consolidação dos resultados escolares - os alunos têm uma muito boa avaliação do AEGE no que diz respeito ao seu funcionamento, ao profissionalismo dos professores e funcionários e aos espaços escolares - o grau de satisfação dos alunos no que diz respeito à sua passagem pelo AEGE é muito positivo - há melhoria a implementar ao nível de: - organização e melhoria dos espaços exteriores - sensibilização dos alunos para a limpeza e gosto pela escola - continuação da manutenção dos equipamentos para mais durabilidade e funcionalidade - aperfeiçoamento da articulação entre os departamentos - implementação de reflexão sobre a atuação dos agentes educativos no cumprimento do Projeto Educativo em matéria de rigor e exigência pedagógica em contexto de sala de aula Este tipo de estudos é importante, tal como já foi dito, para que a organização escolar e todos os seus agentes consigam aperceber-se do que os outros pensam sobre o AEGE e, com a sua avaliação mais ou menos distanciada, nos ajudem a proceder à nossa própria autoavaliação. Data - dezembro de 2014 A Equipa de Autoavaliação, Graça Ramalheira, Luís Simões, Marisela Simões, Nuno Machado Relatório Inquérito Ex-Alunos do AEGE Equipa de AutoAvaliação 2014 Página 8

9 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO Aos alunos que frequentaram o Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Data: 20 de outubro de 2014 Assunto Inquérito de Satisfação aos antigos alunos do Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Exmo/a. Senhor/a, Caro/a Ex-Aluno/a, O Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação apresenta-te as melhores saudações. Como queremos melhorar os nossos serviços de educação, gostaríamos de saber a tua opinião sobre este Agrupamento de Escolas que frequentaste. Por isso, vimos pedir-te o favor de, através da internet, responderes a um breve inquérito on-line que está no seguinte site: As tuas respostas são confidenciais e são muito importantes para nós. O inquérito é simples e rápido de responder. Agradecemos o teu tempo e a tua opinião. Com os melhores cumprimentos, Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação, Luís Simões (Equipa de Autoavaliação do Agrupamento) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO RUA DA LOMBA APARTADO GAFANHA DA ENCARNAÇÃO TEL FAX Modelo AEGE/TIMBRADO/13 1

10 Editar este formulário Inquérito de Opinião sobre o Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação Este inquérito destina-se a recolher a sua opinião sobre o grau de satisfação em relação à sua passagem / frequência de estudos no Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação (AEGE). As suas respostas são muito importantes para conhecer as suas opiniões, críticas e sugestões; só com as suas respostas poderemos melhorar os nossos serviços e a qualidade do que fazemos. Agradecemos a colaboração. *Obrigatório * Género masculino. Género feminino. Quantos anos tens? * 15 anos. 16 anos. 17 anos. 18 anos. Mais de 18 anos. Qual o último ano letivo que frequentaste o Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação (AEGE)? * 2012 / 2013 (há dois anos) 2011 / 2012 (há três anos) Há mais tempo / Não me lembro Qual a escolaridade que frequentaste no AEGE? * Apenas o 1.º ciclo

11 Apenas o 2.º ciclo Apenas o 3.º ciclo 1.º ciclo e 2.º ciclo 1.º ciclo, 2.º ciclo e 3.º ciclo Outra situação Concluiste o 9.º ano no AEGE? * Sim Não Quais os níveis que obtiveste, no final do 9.º ano, às disciplinas de Português, Inglês e Matemática? * Português Inglês Matemática Frequentaste algum curso de educação e formação (CEF) no AEGE? * Sim Não Que tipo de apoio educativo te recordas de ter tido no AEGE? * Nenhum Educação Especial Apoio Pedagógico Acrescido Sala de Estudo Tutoria Apoio psicológico Outra: Depois de teres frequentado o AEGE, que opção de vida tomaste? * Prossegui os estudos Emigrei Ingressei no mundo do trabalho Outra situação Qual a escola onde prosseguiste os estudos? * (se frequentou mais do que uma, por favor indique)

12 Escola Secundária da Gafanha da Nazaré Escola Secundária de Ílhavo Escola Secundária Homem Cristo Escola Secundária José Estêvão Escola Secundária Mário Sacramento Escola Profissional de Aveiro Escola Profissional de Vagos Outra: Qual o curso que frequentas? * Nos anos letivos em que frequentaste a Escola Secundária / Escola Profissional, que avaliação quantitativa obtiveste às disciplinas de Português, Inglês e Matemática? * 1 a 9 valores 10 a 14 valores 15 a 17 valores 18 a 20 valores Português Inglês Matemática Que profissão pretendes vir a desempenhar no futuro? Sentes que o ensino dado no AEGE te preparou convenientemente para prosseguir os estudos? * Muito Mais ou menos Pouco Nada Não sei Das seguintes situações, indica o teu grau de satisfação em relação ao Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação (AEGE). * (classifique de 1 (muito insatisfeito) até 5 (muito satisfeito). 1- muito insatisfeito 2- insatisfeito 3- nem satisfeito, nem insatisfeito 4- satisfeito 5- muito satisfeito A qualidade do ensino dado no AEGE

13 1- muito insatisfeito 2- insatisfeito 3- nem satisfeito, nem insatisfeito 4- satisfeito 5- muito satisfeito O ambiente da Escola O profissionalismo dos professores. As salas de aula e os recursos da Escola O profissionalismo dos funcionários. O funcionamento geral da Escola Recordas-te dos tempos que frequentaste no Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação (AEGE)? Qual(ais) os aspetos que reténs na memória? * (indica a 3 situações de que mais te recordas) Um(a) professor(a) que me marcou positivamente A simpatia e o trabalho dos funcionários O equipamento das salas de aula O equipamento dos espaços / recreios As atividades realizadas ao longo do ano As amizades dos colegas A exigência dos professores O funcionamento global da Escola A segurança e o bem-estar proporcionado A limpeza e o conforto dos espaços Os apoios educativos dados aos alunos A facilidade de contacto com os professores Biblioteca Outra: Indica dois aspetos que consideras positivos sobre o Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação. * Indica agora dois aspetos que consideras negativos sobre o Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação. *

14 Se quiseres fazer algum comentário ou avaliação em relação à tua passagem pelo Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação, podes efetuá-lo aqui. (faz considerações, críticas, elogios, sugestões) Enviar Nunca envie palavras-passe através dos Formulários do Google. 100%: terminou. Com tecnologia Este formulário foi criado dentro de AEGE. Denunciar abuso - Termos de Utilização - Termos adicionais

Inquérito aos Alunos que frequentaram o AEGE

Inquérito aos Alunos que frequentaram o AEGE Inquérito aos Alunos que frequentaram o AEGE Inquérito em outubro de 2015 Índice I- INTRODUÇÃO... 3 II- OUTROS ESTUDOS EFETUADOS ANTERIORMENTE... 3 III- OBJETIVOS... 4 IV- METODOLOGIA... 4 V- ANÁLISE DOS

Leia mais

TV AEGE Info. Plano de Intervenção do Projeto

TV AEGE Info. Plano de Intervenção do Projeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO TV AEGE Info Plano de Intervenção do Projeto 2014-2015 Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO RUA

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS VOCACIONAIS

REGULAMENTO DOS CURSOS VOCACIONAIS Agrupamento de Escolas Gaia Nascente REGULAMENTO DOS CURSOS VOCACIONAIS ENSINO BÁSICO Escola Secundária Gaia Nascente Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES:

PERGUNTAS FREQUENTES: PERGUNTAS FREQUENTES: (Para veres as respostas clica na pergunta) 1. O que fazer após a realização da candidatura? 2. Onde posso ver os dados para efectuar o pagamento da candidatura? 3. Como posso actualizar

Leia mais

Inquéritos de Empregabilidade aplicados aos Diplomados

Inquéritos de Empregabilidade aplicados aos Diplomados Escola Superior de Educação de Almada Inquéritos de Empregabilidade aplicados aos Diplomados Ciclos de Estudo de Mestrado Apresentação de Resultados Departamento para a Garantia da Qualidade Fevereiro,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2014-2015

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2014-2015 AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DA TALHA LOURES RESPOSTA AO CONTRADITÓRIO ANÁLISE DO CONTRADITÓRIO A equipa de avaliação externa apreciou o contraditório apresentado

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO

PROJETO DE INTERVENÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AMARES CANDIDATURA A DIRETOR PROJETO DE INTERVENÇÃO (2013-2017) Pedro Paulo da Costa Cerqueira Amares, maio de 2013 As organizações, tal como os organismos vivos, têm os seus

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNANDO PESSOA Regulamento do Curso Vocacional Artes e Multimédia Ensino Básico 3º ciclo Artigo 1.º Âmbito e Enquadramento O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais

Leia mais

Os equipamentos audiovisuais existentes nas salas de aulas funcionam bem

Os equipamentos audiovisuais existentes nas salas de aulas funcionam bem 106 As salas específicas estão adequadamente apetrechadas para as finalidades de ensino e aprendizagem Muito 29% Pouco Muito Na segunda pergunta, quando questionados sobre se as salas específicas (laboratórios,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANO DE MELHORIA 2012-2015 PLANO DE MELHORIA (2012-2015) 1. CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROCESSO Decorreu em finais de 2011 o novo processo de Avaliação Externa

Leia mais

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Cursos de Formação em Alternância na Banca Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Relatório Cursos terminados entre 2006 e 2009 Projecto realizado em parceria e financiado pelo Instituto de Emprego

Leia mais

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Outubro de 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Caraterização do Estudo... 4 3. Resultado Global dos Cursos de Lisboa

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA Divisão do Centro de Documentação e Biblioteca 214 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA REALIZAÇÃO MARIA JOÃO T.M.BARREIRO COORDENAÇÃO NATÉRCIA GODINHO APOIO

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação

ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA. Avaliação Interna. Questionário aos Pais Encarregados de Educação ESCOLA SECUNDÁRIA COM3º CICLO DE LOUSADA Avaliação Interna Questionário aos Pais Encarregados de Educação Reconhece-se a importância da família e da sua colaboração no processo educativo. Com este questionário

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DE AUTO-AVALIAÇÃO

RELATÓRIO SÍNTESE DE AUTO-AVALIAÇÃO RELATÓRIO SÍNTESE DE AUTO-AVALIAÇÃO 2010/2011 1. INTRODUÇÃO Nas escolas públicas portuguesas a procura da excelência é uma preocupação de longa data, uma vez que a estas compete a formação das mulheres

Leia mais

ESTUDO DE AVALIAÇÃO DO GABINETE DE AÇÃO SOCIAL 2013

ESTUDO DE AVALIAÇÃO DO GABINETE DE AÇÃO SOCIAL 2013 ESTUDO DE AVALIAÇÃO DO GABINETE DE AÇÃO SOCIAL 2013 RELATÓRIO Realização: Alexandre Boavida Vicente Ana Cristina Santos Ana Paula Fontinha Bruno Miguel Ramos Coordenação: Alexandra Tavares de Moura 1)

Leia mais

Plano de Formação de Colaboradores 2014

Plano de Formação de Colaboradores 2014 2014 Plano de Formação de Colaboradores 2014 Avaliação Nível I/II Avaliação da Satisfação e Aprendizagem A avaliação do valor acrescentado pela formação ao desempenho dos colaboradores é cada vez mais

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO IMPACTO DAS ATIVIDADES DE PROMOÇÃO DO SUCESSO ESCOLAR 2012/2013 Julho de 2013 www.mosteiroecavado.net eb23@mosteiroecavado.net Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Durante o ano letivo 2012/2013,

Leia mais

Relatório de Avaliação da Acção de Formação

Relatório de Avaliação da Acção de Formação Relatório de Avaliação da Acção de Formação Este relatório resulta da análise de um questionário online administrado a todos os formandos de forma anónima. O questionário continha questões fechadas, que

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica

Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica Direção de Gestão de Informação e Comunicação Centro de Informação e Conhecimento Avaliação do inquérito de satisfação ao Centro de Documentação Técnica e Científica Lisboa, janeiro de 2015 Introdução

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Especial sobre a

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE TRAJETOS DOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO (OTES) QUESTIONÁRIO À SAÍDA DO ENSINO SECUNDÁRIO

OBSERVATÓRIO DE TRAJETOS DOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO (OTES) QUESTIONÁRIO À SAÍDA DO ENSINO SECUNDÁRIO OBSERVATÓRIO DE TRAJETOS DOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO (OTES) QUESTIONÁRIO À SAÍDA DO ENSINO SECUNDÁRIO Olá, Agradecemos a tua colaboração na resposta a este questionário. O questionário é confidencial,

Leia mais

COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM

COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM Ver, ouvir, compreender e contar eis como se descreve a reportagem, nas escolas de Jornalismo. Para haver reportagem, é indispensável

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro

RELATÓRIO ANUAL 2012-2013. IPAM Aveiro RELATÓRIO ANUAL 2012-2013 IPAM Aveiro Índice Nota Introdutória... 3 1. Do grau de cumprimento do plano estratégico e do plano anual... 4 2. Da realização dos objetivos estabelecidos;... 4 3. Da eficiência

Leia mais

Escola E.B. 2,3 de Lousada. Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos

Escola E.B. 2,3 de Lousada. Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos Escola E.B. 2,3 de Lousada Opinião dos Directores de Turma sobre os documentos propostos para a avaliação dos alunos Maria do Céu Belarmino ceubelarmino@sapo.pt Rui Mesquita rui.jv.mesquita@sapo.pt Dezembro

Leia mais

Rádio de Escola. Plano de Intervenção do Projeto

Rádio de Escola. Plano de Intervenção do Projeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO Rádio de Escola Plano de Intervenção do Projeto Agrupamento de Escolas da Gafanha da Encarnação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA GAFANHA DA ENCARNAÇÃO RUA DA LOMBA

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 (canal internet)

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 (canal internet) AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 Março 2014 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2013 Autoridade Tributária e Aduaneira Ministério das Finanças Classificação: 010.10.01 Rua da Prata nº

Leia mais

Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues)

Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues) Oferta Formativa E depois do 9.º Ano Ano Letivo 2012/2013 (Concelho de Guimarães) Serviço de Psicologia e Orientação (Paulo Rodrigues) 9.º Ano!!!!!!! E agora? F Cursos (áreas) Científico- Humanísticos

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO

RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MURALHAS DO MINHO, VALENÇA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO Ano Letivo 2013/2014 Equipa de auto-avaliação 10-07-2014 (Critério 9 Desempenho-Chave) INDÍCE INTRODUÇÃO... 3 EVOLUÇÃO

Leia mais

2011/2012 RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO. Comissão de Avaliação Interna do Agrupamento DOMÍNIOS. Prestação do Serviço Educativo

2011/2012 RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO. Comissão de Avaliação Interna do Agrupamento DOMÍNIOS. Prestação do Serviço Educativo 2011/2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DOMÍNIOS Prestação do Serviço Educativo Organização e Gestão Escolar Comissão de Avaliação Interna do Agrupamento julho, 2012

Leia mais

Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro

Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Questionário: Imagens do (Ensino) Português no Estrangeiro Pretende se com este questionário conhecer a sua opinião sobre o (Ensino do) Português no Estrangeiro. Não existem respostas certas ou erradas.

Leia mais

Análise SWOT. julho 2014. Pontos fortes vs Pontos fracos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA. Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido

Análise SWOT. julho 2014. Pontos fortes vs Pontos fracos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA. Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido julho 2014 Análise SWOT Pontos fortes vs Pontos fracos Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA Escola Básica Frei manuel Cardoso Escola Básica de Cabeço devide Visão:

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

Relatório de Monitorização Pedagógica

Relatório de Monitorização Pedagógica Relatório de Monitorização Pedagógica Inquérito aos Alunos do 1º Ciclo 2011/2012 1º Semestre Janeiro 2012 Ficha Técnica ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Edição Gabinete de Estudos, Avaliação, Planeamento

Leia mais

24 O uso dos manuais de Matemática pelos alunos de 9.º ano

24 O uso dos manuais de Matemática pelos alunos de 9.º ano 24 O uso dos manuais de Matemática pelos alunos de 9.º ano Mariana Tavares Colégio Camões, Rio Tinto João Pedro da Ponte Departamento de Educação e Centro de Investigação em Educação Faculdade de Ciências

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE PAREDES RELATÓRIO ANUAL PROVEDORA DO ALUNO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE PAREDES RELATÓRIO ANUAL PROVEDORA DO ALUNO ESCOLA SECUNDÁRIA DE PAREDES RELATÓRIO ANUAL PROVEDORA DO ALUNO ANO LETIVO 2014-2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 I A PROVEDORIA NO CONTEXTO DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE PAREDES 3 1. Enquadramento Legal 2. Representação

Leia mais

(Docentes, Não-Docentes, Alunos e Encarregados de Educação) NOTA IMPORTANTE Esta apresentação não dispensa e leitura do Relatório da Função Manuel Leão. Tendo como preocupação fundamental a procura da

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO COORDENAÇÃO DE CURSO DOCENTES E UNIDADE CURRICULAR ATENDIMENTO AO ALUNO INFRAESTRUTURA COMUNICAÇÃO E IMAGEM

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO COORDENAÇÃO DE CURSO DOCENTES E UNIDADE CURRICULAR ATENDIMENTO AO ALUNO INFRAESTRUTURA COMUNICAÇÃO E IMAGEM FACULDADE SENAC PORTO ALEGRE FSPOA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CURSO COORDENAÇÃO DE CURSO DOCENTES E UNIDADE CURRICULAR ATENDIMENTO AO ALUNO INFRAESTRUTURA COMUNICAÇÃO E IMAGEM CPA 2013/2 PARTICIPAÇÃO

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº.: S-DGE/2015/1571 (DSDC/DMDDE) Processo nº: Para:

CIRCULAR. Circular nº.: S-DGE/2015/1571 (DSDC/DMDDE) Processo nº: Para: CIRCULAR Data: 2015/05/08 Circular nº.: S-DGE/2015/1571 (DSDC/DMDDE) Processo nº: Assunto: Adoção de manuais escolares com efeitos no ano letivo de 2015/2016 Para: Secretaria Regional Ed. dos Açores Secretaria

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO E DESIGN MULTIMÉDIA Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação e Design Multimédia

Leia mais

Vera L. Cardoso Neto encontra-se a realizar uma Dissertação de Mestrado intitulada ão e Formação: uma Trajetória de Reconciliação com o Sistema

Vera L. Cardoso Neto encontra-se a realizar uma Dissertação de Mestrado intitulada ão e Formação: uma Trajetória de Reconciliação com o Sistema Anexos 71 Anexo I Exmo. Sr. Encarregado de Educação Vera L. Cardoso Neto encontra-se a realizar uma Dissertação de Mestrado intitulada ão e Formação: uma Trajetória de Reconciliação com o Sistema Este

Leia mais

Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago

Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago Seminário Ensino Vocacional e Profissional Centro de Formação Ordem de Santiago Isabel Hormigo (Ministério da Educação e Ciência, Lisboa) Setúbal, 7 de fevereiro de 2014 Ciclos de estudos e duração Idade

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD

OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD UTAD 2011 OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD (2003-2007) O. Enquadramento As políticas públicas de ensino superior

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO VILLARET

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO VILLARET AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO VILLARET Escola E.B. 2/3 João Villaret Tão importante quanto o que se ensina e se aprende é como se ensina e como se aprende. (César Coll) O Agrupamento de Escolas João Villaret

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA

AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA AVALIAÇÃO INTERNA EQUIPA DE AVALIAÇÃO INTERNA JULHO 2015 1 Abreviaturas AEAG Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo CAF Common Assessment Framework (Estrutura Comum de Avaliação) AM - Ação de Melhoria

Leia mais

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO

PLANO DE AÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALPENDORADA 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Lei nº 31/2012, de 20 de Dezembro, veio aprovar o sistema de avaliação dos estabelecimentos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, definindo orientações para a autoavaliação

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO MAIS SUCESSO ANO LETIVO DE 2013/2014

PROJETO PEDAGÓGICO MAIS SUCESSO ANO LETIVO DE 2013/2014 Agrupamento de Escolas da Moita 171311 Sede Escola Secundária da Moita PROJETO PEDAGÓGICO MAIS SUCESSO ANO LETIVO DE 2013/2014 1-Introdução Atendendo ao estipulado no despacho normativo n.º7/2013 de 11

Leia mais

OBJETIVOS. Compreender a importância de uma boa organização do estudo; Ser capaz de rentabilizar o estudo de uma forma mais efetiva;

OBJETIVOS. Compreender a importância de uma boa organização do estudo; Ser capaz de rentabilizar o estudo de uma forma mais efetiva; OBJETIVOS Definir objetivos de estudo a nível pessoal; Compreender a importância de uma boa organização do estudo; Ser capaz de rentabilizar o estudo de uma forma mais efetiva; Sensibilizar os E.E. para

Leia mais

Monotorização de Inquéritos em Meio Escolar: Inquérito nº 0369400001 1 mensagem

Monotorização de Inquéritos em Meio Escolar: Inquérito nº 0369400001 1 mensagem Monotorização de Inquéritos em Meio Escolar: Inquérito nº 0369400001 1 mensagem mime-noreply@gepe.min-edu.pt 7 de Março de 2013 às 16:52 Para jose.cruz@campus.ul.pt Exmo(a)s.

Leia mais

Horário das aulas: De 2.ª a 6.ª feira das 07:30 às 19:30.

Horário das aulas: De 2.ª a 6.ª feira das 07:30 às 19:30. 12º Não é permitido aos Pais e Encarregados de Educação contactarem pessoalmente, ou através do telefone e, docentes e/ou alunos, durante os tempos letivos. 13º Os serviços cobertos pela anuidade obrigatória

Leia mais

S I A T (SISTEMA DE INQUÉRITOS DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA) AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2011 (canal internet)

S I A T (SISTEMA DE INQUÉRITOS DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA) AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES 2011 (canal internet) S I A T (SISTEMA DE INQUÉRITOS DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA) AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES (canal internet) Março 2012 Índice 1 ENQUADRAMENTO...5 2 INTRODUÇÃO... 6 3 IDENTIFICAÇÃO E

Leia mais

ANEXO I. Regulamento. Cursos Vocacionais

ANEXO I. Regulamento. Cursos Vocacionais ANEXO I Regulamento Cursos Vocacionais Março de 2014 1 REGULAMENTO do ENSINO VOCACIONAL Conteúdo Âmbito e definição... 3 Artigo 2º... 3 Destinatários e acesso... 3 Artigo 3º... 3 Organização curricular...

Leia mais

ETPZP 1989-2014 [ANO LETIVO 2013/14]

ETPZP 1989-2014 [ANO LETIVO 2013/14] ETPZP Petroensino Ensino e Formação Profissional, Lda. Direção Geral Direção Pedagógica 1989-2014 Escola Tecnológica e Profissional da Zona do Pinhal [ANO LETIVO 2013/14] Sistema de Gestão da Qualidade.

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 38% DAS PESSOAS COM IDADE ENTRE 16 E 74 ANOS CONTACTAM COM ORGANISMOS

Leia mais

ENQUADRAMENTO E DISPOSIÇÕES COMUNS AOS JARDINS-DE-INFANCIA DO AGRUPAMENTO JOSÉ MARIA DOS SANTOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

ENQUADRAMENTO E DISPOSIÇÕES COMUNS AOS JARDINS-DE-INFANCIA DO AGRUPAMENTO JOSÉ MARIA DOS SANTOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ENQUADRAMENTO E DISPOSIÇÕES COMUNS AOS JARDINS-DE-INFANCIA DO AGRUPAMENTO JOSÉ MARIA DOS SANTOS EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR A educação pré-escolar destina-se às crianças com idades compreendidas entre os três

Leia mais

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2011-2012

AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2011-2012 AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2011-2012 RESPOSTA DA EQUIPA DE AVALIAÇÃO AO CONTRADITÓRIO APRESENTADO PELA ESCOLA SECUNDÁRIA EÇA DE QUEIRÓS, PÓVOA DE VARZIM Análise do Contraditório Analisado o contraditório

Leia mais

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 2

Lógicas de Supervisão Pedagógica em Contexto de Avaliação de Desempenho Docente ENTREVISTA - Professor Avaliado - E 2 Sexo Idade Grupo de docência Feminino 40 Inglês (3º ciclo/secundário) Anos de Escola serviço 20 Distrito do Porto A professora, da disciplina de Inglês, disponibilizou-se para conversar comigo sobre o

Leia mais

88 respostas. Resumo. Primeiro Ciclo. Ciclo de escolaridade que frequentas. Se és do 1.º CEB, qual a tua escola? Editar este formulário

88 respostas. Resumo. Primeiro Ciclo. Ciclo de escolaridade que frequentas. Se és do 1.º CEB, qual a tua escola? Editar este formulário 88 respostas Publicar estatísticas luis@aege.pt Editar este formulário Resumo Ciclo de escolaridade que frequentas. 1.º ciclo 36 41% 2.º ciclo 27 31% 3.º ciclo 25 28% Primeiro Ciclo Se és do 1.º CEB, qual

Leia mais

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017

Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 Melhorar o desempenho Promover o sucesso: Aprender mais Aprender melhor PLANO ESTRATÉGICO DE MELHORIA 2014/ 2017 um fruto não se colhe às pressas. Leva seu tempo, de verde-amargo até maduro-doce Mia Couto

Leia mais

Uma faculdade centrada nas pessoas, na investigação e no ensino

Uma faculdade centrada nas pessoas, na investigação e no ensino Magnífico Reitor, Senhoras Vice-Reitoras, Senhores Vice-Reitores Caras/os Colegas, Amigos, Estudantes e Funcionários Minhas Senhoras e Meus Senhores Regresso, hoje, a este espaço da Reitoria da Universidade

Leia mais

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ.

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. Apresentação Este relatório contém os resultados da 1ª pesquisa de Qualidade de Vida na cidade de Aracruz solicitada pela FACE. O objetivo

Leia mais

de de património imaterial

de de património imaterial de Kit recolha de património imaterial FICHA DE ENTREVISTA / HISTÓRIA DE VIDA FICHA N.º NOME DO ENTREVISTADO: ENTREVISTA REALIZADA POR: LOCAL: DATA: DURAÇÃO (HORAS): TIPOS DE REGISTO OU GRAVAÇÃO: ÁUDIO

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DA ESTBarreiro/IPS

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DA ESTBarreiro/IPS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DAS ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DA ESTBarreiro/IPS 1. INTRODUÇÃO Este documento tem por objetivo estabelecer o Sistema de Gestão da Qualidade das Atividades Pedagógicas da ESTBarreiro/IPS

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Título Estatísticas da Educação 2010/2011 - Jovens

FICHA TÉCNICA. Título Estatísticas da Educação 2010/2011 - Jovens FICHA TÉCNICA Título Estatísticas da Educação 2010/2011 - Jovens Autoria Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) Direção de Serviços de Estatísticas da Educação (DSEE) Divisão de Estatísticas

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS

COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS ESCOLA NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE MÁQUINAS MARÍTIMAS COMISSÃO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MÁQUINAS MARÍTIMAS RELATÓRIO DE ANÁLISE AOS INQUÉRITOS DE INGRESSO DOS NOVOS ALUNOS

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Permitam-me algum informalismo e que leve à risca o Protocolo.

Permitam-me algum informalismo e que leve à risca o Protocolo. 1 - Gostaria de pedir um minuto de silêncio em memória de todos os Bombeiros já falecidos e particularmente de Franquelim Gonçalves, que faleceu no desempenho das suas funções; 25 de maio Inauguração do

Leia mais

Maio de 2012. Relatório de Avaliação da Aula Comunicação Oral de Escrita da Unidade Curricular Competências Transversais II. Ano Letivo 2011/2012

Maio de 2012. Relatório de Avaliação da Aula Comunicação Oral de Escrita da Unidade Curricular Competências Transversais II. Ano Letivo 2011/2012 Maio de 2012 Relatório de Avaliação da Aula Comunicação Oral de Escrita da Unidade Curricular Competências Transversais II Ano Letivo 2011/2012 Gabinete de Apoio ao Tutorado ÍNDICE 1. Introdução... 3 2.

Leia mais

Trabalho realizado por: Inês, 6ºD Joana Tavares, 6ºD Paulo, 6ºD Pedro Filipe, 6ºD Sérgio, 6ºD

Trabalho realizado por: Inês, 6ºD Joana Tavares, 6ºD Paulo, 6ºD Pedro Filipe, 6ºD Sérgio, 6ºD Trabalho realizado por: Inês, 6ºD Joana Tavares, 6ºD Paulo, 6ºD Pedro Filipe, 6ºD Sérgio, 6ºD Nós somos o Grupo nº 1, do 6º D, que se encarregou de fazer as seguintes entrevistas: Uma auxiliar de acção

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

EFA Escolar Nível Secundário

EFA Escolar Nível Secundário Inquérito EFA Escolar Nível Secundário O presente inquérito enquadra-se num estudo de natureza pessoal que está a ser desenvolvido sobre os cursos de Educação e Formação de Adultos Escolar - de Nível Secundário.

Leia mais

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS

questionários de avaliação da satisfação CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS questionários de avaliação da satisfação creche CLIENTES, COLABORADORES, PARCEIROS 2ª edição (revista) UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Governo da República Portuguesa SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 1 ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 1 - Preâmbulo O trabalho desenvolvido assentou no referencial 2006-2011 da Inspeção-Geral da Educação, nomeadamente o Quadro de referência para

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito CARIACICA-ES ABRIL DE 2011 FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Pesquisa direcionada a alunos egressos dos cursos

Leia mais

Grande Lisboa 1. Amadora 2.Cascais 3.Lisboa 4.Loures 5.Mafra 6.Odivelas 7.Oeiras 8.Sintra 9. Vila F. Xira 10. Queluz 11.

Grande Lisboa 1. Amadora 2.Cascais 3.Lisboa 4.Loures 5.Mafra 6.Odivelas 7.Oeiras 8.Sintra 9. Vila F. Xira 10. Queluz 11. Nº: Com este questionário pretendemos ficar a conhecer-te um bocadinho melhor: os teus gostos, as tuas preferências, e recolher a tua opinião sobre alguns aspetos do teu CED. Podes responder de forma sincera

Leia mais

Relatório de atividades do Conselho Geral

Relatório de atividades do Conselho Geral ESCOLA SECUNDÁRIA DA RAMADA Relatório de atividades do Conselho Geral ESCOLA SECUNDÁRIA DA RAMADA Uma Educação de Qualidade para Construir o Futuro 2009/2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO CONSELHO GERAL (2009-2011)

Leia mais

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos.

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos. Entrevista A2 1. Onde iniciaste o teu percurso na vida associativa? R.: Em Viana, convidaram-me para fazer parte do grupo de teatro, faltava uma pessoa para integrar o elenco. Mas em que associação? Na

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Venda do Pinheiro. Reunião 25 setembro. Representantes Encarregados de Educação 2.º e 3.º ciclos

Agrupamento de Escolas da Venda do Pinheiro. Reunião 25 setembro. Representantes Encarregados de Educação 2.º e 3.º ciclos Agrupamento de Escolas da Venda do Pinheiro Reunião 25 setembro Representantes Encarregados de Educação 2.º e 3.º ciclos Projeto Educativo Saber Ser, Saber Estar e Saber Fazer Projeto Educativo Alicerces:

Leia mais

Caracterização aluno A1

Caracterização aluno A1 Caracterização aluno A1 A aluna frequenta a Escola Secundária de Ponte de Sôr no 9º ano turma F, já tendo repetido um ano letivo no 3º ciclo. A aluna está integrada numa turma PIEF. A A1 é filha única.

Leia mais

DIMENSÃO DE CONSTRUÍDO (Avaliação Formativa) DOC2. AVALIAÇÃO DO SUCESSO ACADÉMICO: como desenvolver o processo? (Part. 1)

DIMENSÃO DE CONSTRUÍDO (Avaliação Formativa) DOC2. AVALIAÇÃO DO SUCESSO ACADÉMICO: como desenvolver o processo? (Part. 1) DIMENSÃO DE CONSTRUÍDO (Avaliação Formativa) DOC2 AVALIAÇÃO DO SUCESSO ACADÉMICO: como desenvolver o processo? (Part. 1) NOTA INTRODUTÓRIA Integrado no Programa de Apoio à Avaliação do Sucesso Académico

Leia mais

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher?

Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? Vou entrar no Ensino Secundário. E agora? Que via escolher? A publicação da Lei n.º 85/2009, de 27 de Agosto, estabelece o regime de escolaridade obrigatória para as crianças e jovens em idade escolar,

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

Sistema Interno de Garantia da Qualidade

Sistema Interno de Garantia da Qualidade ISEL Sistema Interno de Garantia da Qualidade RELATÓRIO Inquérito Novos Alunos Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Gabinete de Avaliação e Qualidade Janeiro 2014 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 4 1.1

Leia mais

Regulamento Interno do Voluntariado AEVA SERVIR

Regulamento Interno do Voluntariado AEVA SERVIR O presente regulamento interno tem como principal objetivo regular e facilitar o processo de gestão de voluntários na, sendo facultada informação no que concerne à caraterização e princípios do voluntariado,

Leia mais

CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional

CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional CQEP Centro para a Qualificação e Ensino Profissional Em março de 2014, o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) da Escola Secundária de Felgueiras iniciou a sua missão de informar,

Leia mais

Inquérito de Empregabilidade

Inquérito de Empregabilidade Inquérito de Empregabilidade / Qual a situação face ao emprego dos nossos diplomados do ano letivo 2012/2013? Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Índice I. O que é o Relatório de Empregabilidade...2

Leia mais

PORTO EDITORA AREAL EDITORES LISBOA EDITORA. Manual do Utilizador. Aluno. www.escolavirtual.pt

PORTO EDITORA AREAL EDITORES LISBOA EDITORA. Manual do Utilizador. Aluno. www.escolavirtual.pt PORTO EDITORA AREAL EDITORES LISBOA EDITORA Manual do Utilizador Aluno www.escolavirtual.pt 1 2 www.escolavirtual.pt Índice Escola Virtual Informação para Pais e Educadores 05 Escola Virtual Informação

Leia mais

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo

INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO. Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo INQUÉRITO REALIZADO A ALUNOS LABORATÓRIO DE CÁLCULO 2010 Trabalho realizado por Lucília Rodrigues Macedo ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. METODOLOGIA... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS... 4 1. RESULTADOS

Leia mais

INQUÉRITO AOS ESTUDANTES DO IST QUE REALIZARAM UM PERÍODO DE ESTUDOS FORA DA ESCOLA. Área de Estudos e Planeamento (AEP) Alexandra Sevinate Pontes

INQUÉRITO AOS ESTUDANTES DO IST QUE REALIZARAM UM PERÍODO DE ESTUDOS FORA DA ESCOLA. Área de Estudos e Planeamento (AEP) Alexandra Sevinate Pontes INQUÉRITO AOS ESTUDANTES DO IST QUE REALIZARAM UM PERÍODO DE ESTUDOS FORA DA ESCOLA INQUÉRITOS AOS ESTUDANTES EM MOBILIDADE histórico Designação interna Objetivos População alvo Serviço Modalidade Responsável

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Azevedo Neves

Agrupamento de Escolas Dr. Azevedo Neves Agrupamento de Escolas Dr. Azevedo Neves REGULAMENTO DOS CURSOS EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS NÍVEL SECUNDÁRIO Anexo ao Regulamento Interno Aprovado em Conselho Geral a 26 de março de 2014 1 de 10 Índice

Leia mais

Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders. Relatório Final Análise Comparativa

Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders. Relatório Final Análise Comparativa Avaliação das Necessidades e Expetativas Stakeholders Relatório Final Análise Comparativa AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES E EXPETATIVAS, POR MEIO DA AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO - 2014

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN

AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN AVALIAÇÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTE E DESIGN Novembro ÍNDICE 1. Introdução 4 2. População e Amostra 4 3. Questionário de Satisfação dos Alunos 5 3.1. Caracterização dos inquiridos 5 3.2. Apresentação

Leia mais