O PROCESSO DE USO E ADAPTAÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO EM AULAS DE LÍNGUA INGLESA NA ESCOLA PÚBLICA 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O PROCESSO DE USO E ADAPTAÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO EM AULAS DE LÍNGUA INGLESA NA ESCOLA PÚBLICA 1"

Transcrição

1 O PROCESSO DE USO E ADAPTAÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO EM AULAS DE LÍNGUA INGLESA NA ESCOLA PÚBLICA 1 Bruno Caique Sousa Freitas²; Nayara Piovesan Ribeiro³; Ana Cláudia Milani Ramos 4 1 Gostaríamos de agradecer à Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (CAPES) por subsidiar o PIBID; à Escola Estadual Raimundo Pinheiro da Silva (Cuiabá-MT), que abriu suas portas para o nosso projeto; à Profª Paula Beatriz Lima da Silva, que nos supervisionou na escola; e à Profª Drª Eladyr Maria Norberto da Silva, Coordenadora do Subprojeto Pibid-Inglês (UFMT), por nos acompanhar e orientar nesse projeto e na escritura deste artigo. ² Bolsista PIBID, graduando do curso de Letras- Português, Inglês e Literaturas na Universidade Federal de Mato Grosso. ³ Bolsista PIBID, graduanda do curso de Letras- Português, Inglês e Literaturas na Universidade Federal de Mato Grosso. 4 Ex-bolsista PIBID, graduanda do curso de Letras- Português, Inglês e Literaturas na Universidade Federal de Mato Grosso

2 RESUMO O livro didático é uma importante ferramenta no ensino de Língua Inglesa, pois delineia e media o conteúdo e as interlocuções professor-aluno em sala de aula. A partir de 2011, a Língua Inglesa foi incluída no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), oportunizando seu uso nas aulas da escola pública. Este artigo pretende relatar a experiência dos bolsistas do PI- BID - Inglês/UFMT com o uso e as adaptações do livro didático nas aulas de Língua Inglesa para alunos de ensino médio de uma escola pública de Cuiabá-MT. Palavras-chave: Livro didático, PNLD, Ensino de inglês. ABSTRACT The coursebook is an important tool in English language teaching since it guides and mediates the content and the teacher-students interactions in the classroom. In 2011, the English language was included in the Programa Nacional do Livro didático (PNLD), fostering its use in public school classes. This paper intends to report the lived experience of the PIBID English/UFMT members in using and adapting a coursebook in English lessons for secondary school students of a public school in Cuiabá-MT. Keywords: Textbook, PNLD, English Language Teaching.

3 1. INTRODUÇÃO O Livro Didático (LD) é um material presente no cotidiano da escola. Adotado recentemente para o ensino de língua inglesa na rede pública por meio do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), o LD vem auxiliar o professor de língua a trabalhar questões que vão desde competência discursiva até o senso crítico do aluno, sempre compreendendo a língua como prática social e política. Contudo, o uso do LD na escola pública traz consigo muitos questionamentos e desafios. Geralmente, os LDs de língua inglesa selecionados pelo PNLD para o ensino médio trazem conteúdo extremamente extenso, que implicaria mais de uma aula semanal para que o professor conseguisse trabalhá-lo por completo. Além disso, o nível dos conteúdos frequentemente é acima do nível de língua dos alunos, uma vez que os autores de livros do ensino médio partem do principio de que o aluno já estudou inglês de forma eficaz por quatro anos no ensino fundamental e que, no ensino médio, devem-se consolidar o conteúdo linguístico e a prática das quatro habilidades. Como participantes do PIBID-Inglês/UFMT, vivenciamos os desafios encontrados por uma professora do ensino médio público, nossa professora supervisora, em seu primeiro ano da implantação do uso do LD, em Como parte de nosso plano de trabalho, buscamos orientações e maneiras de utilizá-lo. Relataremos aqui nossa experiência no uso do livro didático para alunos do 1º e 2º Anos do ensino médio da Escola Raimundo Pinheiro da Silva, em Cuiabá-MT, e avaliaremos o seu uso em sala de aula. Inicialmente, realizaremos uma breve descrição do projeto e da escola na qual atuamos. Em seguida, faremos uma revisão da literatura para melhor compreender o papel do LD no ensino de língua inglesa. Para ilustrar o processo por nós vivenciado, descreveremos uma sequência didática do livro adotado pela escola e discorreremos a respeito das modificações feitas. Por fim, avaliaremos as nossas percepções e a dos alunos acerca dessas mudanças e do uso do LD. 2. CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA E DO PIBID O Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) é um programa financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de nível Superior (CAPES) visando à formação e à inserção gradual do estudante de licenciatura na docência. O PIBID/Inglês da Universidade

4 Federal de Mato Grosso (UFMT) funciona desde maio de Ao todo, compondo o grupo, são 10 bolsistas, 1 coordenadora e 2 professoras supervisoras. O trabalho de inserção dos bolsistas na sala de aula é gradual, acompanhado e orientado todo o tempo, tanto pela coordenadora do projeto quanto pelas professoras supervisoras. A escola com a qual trabalhamos é a Escola Estadual Raimundo Pinheiro da Silva, instituição pública de ensino de nível médio, vinculada ao Poder Público Estadual, que está situada na Avenida Fernando Corrêa da Costa, n Seu horário de funcionamento é integral, pois oferece aos seus alunos os turnos matutino, vespertino e noturno, atendendo a 17 turmas do ensino médio. Este trabalho em específico foi supervisionado pela professora do período vespertino, Paula Lima da Silva. Os alunos da Escola Raimundo Pinheiro da Silva são provenientes de escolas de Ensino Fundamental de diferentes regiões da cidade, alguns deles não tiveram a disciplina de inglês nas séries iniciais, chegando assim ao ensino médio com pouco conhecimento de inglês. A maioria dos alunos teve o inglês na sua grade curricular no ensino fundamental, mas muitos deles alegam que de forma resumida, descontextualizada e sem foco, dificultando assim o trabalho com esses estudantes quando chegam ao ensino médio. Com a adoção dos novos livros didáticos fornecidos pelo PNLD, a escola fez a escolha de trabalhar com o livro Globetrekker Inglês para o Ensino Médio, Vol. II (COSTA, 2010), e desde a adoção desse novo material didático vimos a necessidade de entendê-lo e adaptá-lo para melhor andamento do trabalho dos bolsistas e melhor entendimento dos alunos. 3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O LD se tornou um material indispensável à prática pedagógica, seja ele usado como norteador ou como material de apoio no preparo das aulas. Proporciona ao professor um conteúdo pronto e revisado por profissionais qualificados na área da Linguística Aplicada e do Ensino de Língua Inglesa. No entanto, alguns autores, como Cunningsworth (1984, p.1 apud RAMOS, 2011, p.178) dizem que o LD é um bom criado, mas um mestre pobre. Pessoa (2009, p.61) elenca percepções negativas e positivas de alunos e professores a respeito do uso do LD dentro de sala de aula, afirmando que este restringe o andamento da aula quando

5 seguido rigidamente. Expõe, ainda, sua fragilidade quando diz que ele limita tanto o professor como o aluno. Por outro lado, a autora diz que o LD pode auxiliar no desenvolvimento da autonomia do aluno. Richards (2002, p. 27), atenta para seu alto apelo visual como elemento facilitador para o aluno. Aos professores iniciantes o livro didático se mostra como uma excelente fonte de pesquisa na preparação de planos de aula, planos de curso, plano de ensino, projetos, produção de material entre outros. Entretanto, Richards (2002, p.27) aponta que o LD pode desabilitar o professor, transformando-o em um mero técnico transmissor de materiais preparado por outros, caso o usem como fonte primária, deixando que a maioria das decisões instrucionais sejam tomadas pelo próprio LD e pelo manual do professor. É nesse contexto que se insere o uso do LD pelo professor que, autorizado pela instituição escolar, legitima o material comercializado, considerando-o a base para o seu trabalho em sala de aula (CORACINI, 1999). Assim, para professores e alunos, o LD funciona como portador de verdades e, também, frequentemente, o único material do qual o professor faz uso para se atualizar dos assuntos da matéria que leciona. Na tentativa de usar o LD nas aulas de inglês e selecionar conteúdo e atividades relevantes para nossos alunos, nos baseamos nos estudos de Sávio Siqueira (2010, p. 229), que desmembra o LD e tece críticas a respeito do mundo plástico construído pelo LD e o papel do professor na desconstrução deste mundo, em que o foco principal é o inglês falado pelo nativo e a cultura vivida por ele. Na seleção e adaptação das atividades do LD nos valemos das sugestões de Harmer (2007, p ) e Spratt, Pulverness, Williams (2011, p ). De acordo com os autores, o LD pode ser adaptado por meio das seguintes ações: extensão das atividades, adição de temas, atividades e objetivos, reescritura de atividades e objetivos, substituição das atividades, reorganização da ordem das atividades e redução de atividades e objetivos. 4. DESCRIÇÃO DA EXPERIÊNCIA Para iniciarmos o nosso trabalho com o uso do LD nas aulas e para entendermos como o livro adotado pela escola funcionava, foi realizada a Oficina "O livro didático de língua inglesa no cenário da escola pública: expectativas, desafios e possibilidades" no âmbito do Pibid-Inglês da

6 UFMT. Essa oficina contou com a leitura de textos relevantes sobre o LD. Também foram realizadas palestras com profissionais que estudam o uso e a adaptação do LD nas aulas de língua inglesa. Por fim, realizarmos uma análise minuciosa do livro adotado pela escola. O fator motivador dessa experiência foi a escola ter adotado uma das coleções do PNLD. Estávamos dando início aos nossos trabalhos na escola juntamente com a professora supervisora, que enfrentava o desafio de utilizar aquele material pela primeira vez em suas aulas no ensino médio. Antes de descrever a experiência em si, falaremos brevemente sobre os princípios que orientam o PNLD, uma vez que os LDs adotados na escola pertencem ao programa. 5. O PNLD O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) tem como principal objetivo nortear o trabalho pedagógico dos professores por meio da distribuição de coleções de livros didáticos aos alunos da educação básica. Só em 2011 o PNLD começou a vigorar para a Língua Estrangeira (LE) no ensino médio. O processo de seleção do material, sigiloso e rigoroso, é realizado por uma equipe especializada de avaliadores, neste caso, da área de língua estrangeira, sob coordenações regionais e nacional. Após avaliadas e selecionadas, as coleções de livros aprovados são encaminhadas à instituição de ensino onde o professor deverá escolher aquela que melhor se adéqua ao Plano Político Pedagógico da escola. No que diz respeito aos critérios para a seleção dos LDs no PNLD, pode-se afirmar que, dentre outros, a base da ficha de avaliação para a escolha do LD é a compreensão da linguagem como atividade social e política. Os avaliadores levaram em conta também a diversidade de temas e de gêneros dos textos verbais ou não verbais, tentando assim representar a diversidade étnica do país. Um dos objetivos da escolha das coleções do LD é criar a autonomia de seu usuário, na tentativa de fazer com que a Língua Estrangeira seja parte da formação do aluno como cidadão (BRA- SIL, 2011). 6. A ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO NO PIBID/LI As análises incluíram os aspectos físicos, sua divisão, função de cada atividade e o Guia do Professor. Também foram feitas análises detalhadas das unidades, incluindo temas, gêneros, conte-

7 údo linguístico, exercícios, textos e atividades presentes na coleção Globetrekker. Para finalizar a oficina, foram feitas sínteses escritas das análises e as possibilidades de uso do livro nas aulas da escola em que atuávamos. Nas sínteses das análises notou-se que o conteúdo programático do LD está organizado com base em uma abordagem múltipla, envolvendo gêneros textuais, itens gramaticais e lexicais, sendo apresentado por progressão de dificuldade. Os temas abordados envolvem o cotidiano do aluno, são transversais e de caráter interdisciplinar, com tentativas de multiletramento, através de atividades de letramento crítico e de letramento digital. Há o predomínio de práticas da habilidade de leitura e das suas estratégias e proporciona diversidade de gêneros textuais. Contudo, os textos estão acima do nível de língua do aluno e não estimulam o pensar crítico, sendo grande parte deles adaptados. A habilidade de escrita é proposta por meio de exercícios nem sempre possíveis de serem feitos no nosso contexto. As atividades de audição contemplam diferentes gêneros, porém notou-se que são muito longas e complexas, excluindo diferentes sotaques; a habilidade de fala é a mais periférica de todas e com maior grau de dificuldade. Isso acontece porque os livros do ensino médio do PNLD partem do princípio de que o aluno já estudou inglês de forma eficaz por quatro anos no ensino fundamental e que, no ensino médio, cabe consolidar o conteúdo linguístico e a prática das habilidades. Contudo, essa não é a nossa realidade, pois sabemos que em Cuiabá a maioria das escolas ensina espanhol e, quando se ensina inglês, nem sempre dá conta de cobrir o conteúdo completo do ensino fundamental. Isso significa que nossos alunos chegam ao ensino médio com pouco ou nenhum insumo da Língua Inglesa, sendo esse um dos fatores que dificultam o uso do livro didático. Por meio dessa etapa de reflexões e análises constatamos ainda que o material trazia unidades e conteúdos muito além do que poderíamos abordar em aulas de 50 minutos ministradas uma vez por semana. Percebemos também que, apesar de abordar as quatro habilidades, a ênfase maior do material era na leitura. Após esse processo de reconhecimento do material usado pela escola, elaboramos planos de cursos para as turmas do 1º e 2º Anos, visando a nortear o trabalho que seria realizado nas turmas com as quais os bolsistas trabalhariam. Para definirmos o conteúdo de cada aula, reuniões de trabalho eram realizadas e nelas os bolsistas, juntamente com a professora supervisora e a professora coordenadora, decidiam quais atividades do livro seriam usadas na e quais precisariam de adaptações.

8 7. DECISÕES TOMADAS Com o conhecimento obtido na oficina e com base nas idéias de Siqueira (2010) sobre o uso do LD em aulas de inglês, trabalhamos na elaboração de planos de aula para selecionar as atividades mais viáveis e que supriam as necessidades dos alunos, sempre tendo em mente as condições reais das aulas de inglês na escola. Em relação às providências tomadas para o uso do livro em sala de aula, decidimos que o LD seria trabalhado como uma ferramenta de apoio e que, devido ao número de horas/aula semanal, seria preciso fazer seleção de unidades, textos, conteúdo e atividades mais relevantes para a aprendizagem do aluno, pensando no ensino de língua como prática social, através do letramento crítico, que busca a formação do cidadão. Proporcionaríamos materiais extras, como jogos, música e atividades criativas, que atendessem às preferências dos alunos e os motivassem à aprendizagem da língua. Ficou também estabelecido que seriam realizados encontros periódicos entre os participantes do Pibid/LI para discussão de suas práticas pedagógicas, do uso do LD e de formas de lidar com as dificuldades encontradas. 8. O PROCESSO DE ADAPTAÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO Para dar início ao processo de adaptação de maneira que ficasse de acordo com o nosso contexto e nossos propósitos, recorremos à literatura especializada na área de ensino de língua inglesa (HARMER, 2007, p ; SPRATT, PULVERNESS, WILLIAMS, 2011, p ). Conforme as necessidades observadas e o tempo disponível para o trabalho em sala de aula, fizemos adaptações diversificadas no LD. Em alguns casos, estendemos, adicionamos ou reduzimos atividades, temas ou objetivos, em outros reformulamos atividades e objetivos, substituímos atividades ou reorganizamos sua ordem de apresentação. No final do processo, que durou quatro meses, analisamos os planos de curso e de aulas, as atividades do livro e as atividades adaptadas e elaboramos fichas de avaliação das unidades adaptadas do material, para nos ajudar a compreender melhor o trabalho realizado e seus resultados. A seguir, apresentamos uma sequência didática de uma das unidades trabalhadas nas turmas do 2º ano do ensino médio.

9 9. AMOSTRA DE UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA ADAPTADA A amostra que será aqui apresentada foi escolhida com base nos resultados de um questionário aplicado aos alunos ao final do bimestre, em que lhes foi pedido para avaliarem cada uma das unidades e atividades trabalhadas. Suas respostas demonstraram grande receptividade pelo modo como o trabalho foi desenvolvido, a qual pode também ser notada pela dupla de bolsistas que ministraram as aulas nas turmas. A sequência didática foi desenvolvida nas turmas do segundo ano do ensino médio e envolveu o tema bullying, sugerido na unidade 7 do livro didático. Cada etapa aqui relatada foi desenvolvida em aulas de 50 minutos e foram necessárias 4 aulas para o cumprimento dessa unidade. Trabalhamos com toda a unidade, seguindo-a do começo ao fim, mas, para a melhor compreensão do conteúdo da unidade, foram necessárias algumas adaptações. A primeira delas ocorreu na etapa inicial da sequência didática, em uma seção do livro chamada Speak your mind; essa seção tem o objetivo de introduzir o assunto da unidade e fazer com que o alunos expressem sua opinião sobre ele. Para ajudá-los a formular suas opiniões, o livro apresenta algumas frases em inglês para lhes dar o suporte linguístico necessário e assim se posicionarem. Apresentamos, então, as frases sugeridas pelo livro, adicionando outras que achamos que seriam relevantes para eles, por meio slides que ilustravam situações de bullying. Inserimos imagens com o intuito de ajudá-los a melhor entender o significado de cada uma das situações. À medida que as frases eram apresentadas, os alunos eram conduzidos a refletir se aquela ação era realmente bullying, se eles já tinham visto alguém sofrendo aquele tipo de assédio e se eles próprios já tinham agido daquela forma. (Ver Figura 1). Figura 1 - Exemplo de slide para ilustrar situações de bullying

10 Outra atividade de adaptação, feita através de extensão e reescritura, foi a atividade 4 do Reading 1, da unidade 7, chamada Trouble-shooting and decision-making, que consistia em escolher um caso de bullying apresentado na canção Don t laugh at me, do cantor Mark Wills e, então, achar a melhor solução para esse problema. Para isso, isso os alunos tinham que utilizar a estrutura gramatical going to para dizer o que planejavam fazer para resolver aquela situação de bullying. Pensando em ajudar os alunos com vocabulário e com o uso da estrutura gramatical going to, que eles ainda não haviam estudado, nós lhes fornecemos uma lista com os problemas descritos na música e adicionamos possíveis soluções para que, em duplas, pudessem discutir e escolher um deles e a melhor solução para resolvê-lo (ver Figura 2). Dessa forma, os alunos receberam suporte para poderem realizar a atividade, expandiram seu vocabulário em inglês e puderam expressar sua opinião aos colegas com mais desenvoltura. Figura 2 - Atividade 4, Trouble-shooting and decision-making, adaptada da seçao Reading 1 (Unidade 7)

11 Para consolidar a discussão sobre bullying, acrescentamos uma atividade que proporcionou também a apresentação e a prática do uso do futuro com will, estrutura gramatical proposta pela unidade. A atividade envolvia o uso de slides sobre uma história com o tema bullying intitulada The bullies (DEGNAN-VENESS, 2003, p.12). Cada slide contava uma parte da história de uma estudante que sofria situações de bullying na escola, e os alunos eram convidados a predizer qual seria a melhor atitude a ser tomada por ela para resolver a situação em que se encontrava, a partir de três alternativas com o uso de will para expressar predições (ver Figura 3 e 4). Figura 3 Exemplo de slides de história sobre bullying em contexto escolar Figura 4 Exemplo de slides de história sobre bullying em contexto escolar Buscamos, por meio de recursos visuais e materiais de apoio, a otimização do posicionamento do aluno como ser crítico nas aulas de língua inglesa. Com base nesse tema atrativo, aproveitamos para inserir estruturas gramaticais do futuro em inglês juntamente com temas comuns ao cotidiano do aluno. As adaptações feitas no material do LD auxiliaram os alunos a melhor compreender o conteúdo e a participar mais efetivamente das aulas.

12 10. AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS Após todo o processo de estudo e trabalho na escola, podemos constatar que o planejamento, a adaptação e a elaboração de material didático demandam tempo e dedicação do professor. Contudo, a adaptação do conteúdo e de atividades do LD se faz necessária, pois têm o intuito de otimizar o trabalho com o aluno, buscando oferecer- lhe suporte para a compreensão e prática de vocabulário e das estruturas gramaticais da unidade. Como o nível de língua desse aluno não é suficiente para que ele alcance essa compreensão sozinho, o professor possibilita sua participação nas aulas, dandolhe todo o suporte necessário para a sua inclusão. No caso do trabalho do PIBID, as adaptações também foram feitas visando a levar para sala de aula uma discussão crítica sobre os assuntos abordados pelo o livro, ajudando, assim, o aluno a se posicionar criticamente frente a várias questões trazidas pelo livro e que são vivenciadas em seu meio vivem. Baseados nas afirmações de que o processo de escolha do LD é formador do professor (JORGE; TENUTA, 2011, p.130), acreditamos que o processo de análise e adaptação do livro didático nos preparou não apenas para a confecção e adaptação de material didático, como também para o uso efetivo do LD em sala de aula. Essa experiência nos ajudou, também, a entender melhor o trabalho com o LD e sua relevância nas aulas de inglês. Por parte dos aprendizes de língua notamos boa receptividade das atividades propostas, bem como comprometimento e excelente participação nas aulas. Percebemos, também, um posicionamento crítico e consciente dos alunos perante os assuntos apresentados nas unidades. O sucesso das aulas pode ser confirmada por meio dos resultados do questionário avaliativo das atividades que aplicamos no final do semestre. Dentre todas as atividades trabalhadas, a sequência didática sobre bullying foi unanimemente avaliada como excelente pelos alunos, deixando evidentes sua satisfação com as aulas e o interesse que cada atividade despertou neles. Entretanto, tendo em vista que esse foi um primeiro contato com o LD, tanto por parte do professor quanto dos alunos do ensino médio, as expectativas não foram totalmente atendidas. Houve um estranhamento inicial e natural da parte de ambos, professores e alunos, já que esse processo ocorreu no primeiro ano de implantação do LD no ensino médio nas escolas públicas, gerando assim uma dificuldade em saber como lidar com o novo material. Entendemos que o LD deve usado como material de apoio em sala de aula. O professor precisa saber usá-lo e suprir as demais necessidades do aluno com atividades extras ou substituição do

13 conteúdo do material, respeitando o principal critério de base de avaliação do livro didático do PNLD, que é ver a linguagem como atividade social e política. 11. CONSIDERAÇÕES FINAIS O trabalho de adaptação e uso do LD de uma maneira criativa e consciente demanda tempo, experiência e bom nível de proficiência na língua que o professor ensina. Nem sempre todos esses requisitos estão presentes na prática do dia a dia do docente. Percebe-se que o professor atuante no ensino público deve se preparar para escolher ou não utilizar esse material; sendo assim, precisa se inteirar mais sobre as implicações de seu uso ou não uso dentro e fora da sua sala de aula, considerando-as para si mesmo e para seus alunos. Diante desses novos desafios encontrados pelos professores da rede pública, deu-se o processo de adaptação do livro didático das aulas de língua inglesa de turmas do ensino médio no contexto da Escola Estadual e do Pibid-Inglês da UFMT. REFERÊNCIAS BRASIL (MEC). Guia de Livros Didáticos: PNLD 2012: Língua Estrangeira Moderna. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Disponível em: %C3%A9dio. Acessado em: 20 de abril de CORACINI, M. J. R. F. O processo de legitimação do livro didático na escola de ensino fundamental e médio: Uma questão de ética. CORACINI, M. J. R. F. (Org.). Interpretação, autoria e legitimação do livro didático. Campinas, SP: Pontes Editores, p COSTA, M. B. Globetrekker: inglês para o ensino médio. 2ª Ed. São Paulo, SP: Macmillan, (Volumes 1, 2) CUNNINGSWORTH, A. (1984). Evaluating and selecting EFL teaching materials. Londres: Heineman DEGNAN-VENESS, C. English Pratice and Progress: grammar activities (elementary). London: Mary Glasgow Magazines, HARMER, J. The Practice of English Language Teaching. 4 th Ed. Harlow, Essex: Pearson- Longman, 2007.

14 PESSOA, R. R. O livro didático na perspectiva de formação dos professores. Trabalhos em Línguistica Aplicada, v. 48, n. 1, p , Jan/Jun RAMOS, R. C. G. O livro didático de língua inglesa para o ensino fundamental e médio: papéis, avaliação e potencialidades. In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. L. L. (Orgs.). O Livro Didático de Língua Estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011, p RICHARDS, J. C. The role of textbooks in a language program. New Routes, 17, São Paulo, SP: DISAL, April 2002, p SIQUEIRA, S. O papel do professor na desconstrução do mundo de plástico do livro didático de língua estrangeira. In: BARROS, S M.; ASSIS-PETERSON, A. A. (Orgs.), Formação Crítica de Professores de Línguas: desejos e possibilidades. São Paulo, SP: Pedro & João Editores. 2010, p SPRATT, M.; PULVERNESS, A.; WILLIAMS, M. The TKT Course: modules 1, 2 and 3, 2 nd Ed. Cambridge: Cambridge University Press, TENUTA, A. M.; OLIVEIRA, A. L. A. M. Livros didáticos e ensino de línguas estrangeiras: a produção escrita no PNLD-2011/LEM. Linguagem & Ensino, v. 14, n. 2, p , 2011.

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás

Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás Critérios de seleção e utilização do livro didático de inglês na rede estadual de ensino de Goiás COSTA, Bianca Ribeiro Morais OLIVEIRA, Eliane Carolina de Universidade Federal de Goiás- UFG Programa de

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 Resumo: Delane Santos de Macedo 2 Universidade Federal do Recôncavo da Bahia delayne_ba@hotmail.coml Gilson Bispo de Jesus

Leia mais

VIVÊNCIAS NO PIBID/EDUCAÇÃO FÍSICA/UNIUBE: ASSOCIANDO CULTURA E HABILIDADES MOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II

VIVÊNCIAS NO PIBID/EDUCAÇÃO FÍSICA/UNIUBE: ASSOCIANDO CULTURA E HABILIDADES MOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II VIVÊNCIAS NO PIBID/EDUCAÇÃO FÍSICA/UNIUBE: ASSOCIANDO CULTURA E HABILIDADES MOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II Jackson Rodrigues Cordeiro 1, Cíntia Silva de Oliveira 2, Silas Queiroz de Souza 3, Marcelo

Leia mais

A construção de um espaço artístico extracurricular dentro da escola pública

A construção de um espaço artístico extracurricular dentro da escola pública Anais do I Seminário PIBID/FPA 2014. FPA. Vol I, nº 1. São Paulo, 2014. 1 A construção de um espaço artístico extracurricular dentro da escola pública Uma proposta pedagógica de ensino de artes visuais

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS RESUMO Juliana Candido QUEROZ (Bolsista) 1 ; Natália SILVA (Bolsista) 2, Leila BRUNO (Supervisora) 3 ; Sinval Martins S. FILHO (Coordenador)

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ.

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. Alessandra da Costa Marques; Najara Siva; Lúcia Maria Assunção

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO DE EXTENSÃO IFPR ENGLISH STEPS: CRIANÇAS DA VILA MATILDE APRENDENDO A LÍNGUA INGLESA

RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO DE EXTENSÃO IFPR ENGLISH STEPS: CRIANÇAS DA VILA MATILDE APRENDENDO A LÍNGUA INGLESA RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PROJETO DE EXTENSÃO IFPR ENGLISH STEPS: CRIANÇAS DA VILA MATILDE APRENDENDO A LÍNGUA INGLESA Resumo Simara Cristiane Braatz 1 - IFPR Câmpus Irati Grupo de Trabalho Formação de

Leia mais

Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental

Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental Jogos e Aprendizagem Matemática: A utilização de jogos com alunos do 6º ano do Ensino Fundamental Camila Schimite Molero e-mail: ca_schi@hotmail.com Italo Gonçalves da Silva e-mail: igsilva423@gmail.com

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Nome da Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Responsável pelo preenchimento das informações: HELIANE

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Campo Grande 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE

PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE PESQUISA AÇÃO: ACOMPANHANDO OS IMPACTOS DO PIBID NA FORMAÇÃO DOCENTE Rafaela Souza SANTOS, Valquiria Rodrigues do NASCIMENTO, Dayane Graciele dos SANTOS, Tamíris Divina Clemente URATA, Simara Maria Tavares

Leia mais

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 Claudiane da S. EUSTACHIO Dayana Pires Alves GARCIA Fátima RODRIGUES Jean de J. SANTANA 2 Juliana CESANA 3 Ana Lucia de Carvalho MARQUES

Leia mais

HANDFULT: RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA ESTADUAL PROFº JOSINO MACEDO

HANDFULT: RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA ESTADUAL PROFº JOSINO MACEDO HANDFULT: RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA ESTADUAL PROFº JOSINO MACEDO Resumo TEIXEIRA, Ana Cláudia Alves 1 - UFRN JESUS, Edna Nascimento de² - UFRN Este artigo é um relato de

Leia mais

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA IMPACTOS DO PIBID/INGLÊS SUSTENTABILIDADE NOS ALUNOS André Henrique Gonçalves (UESC) henriqueios@live.com Laura de Almeida (UESC) prismaxe@gmail.com RESUMO

Leia mais

A INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA VIDA ACADÊMICA E NO AUXÍLIO DE EDUCANDOS DA ESCOLA PÚBLICA

A INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA VIDA ACADÊMICA E NO AUXÍLIO DE EDUCANDOS DA ESCOLA PÚBLICA A INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA VIDA ACADÊMICA E NO AUXÍLIO DE EDUCANDOS DA ESCOLA PÚBLICA Kellyn Brenda Chriezanoski Carneiro 1 Rejane Klein 2 Resumo: O presente trabalho tem como objetivo apresentar um breve

Leia mais

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DA LEITURA E ESCRITA NAS SERIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO: BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO Rothchild Sousa de Morais Carvalho Filho 1 Naiana Machado Pontes 2 Laiane Viana de Andrade 2 Antonio

Leia mais

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa 6 Metodologia Apresento neste capítulo a metodologia utilizada nesta pesquisa, o contexto em que ocorreu a coleta de dados, os participantes, os instrumentos usados e os procedimentos metodológicos para

Leia mais

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA

A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Revista Eletrônica de Educação de Alagoas - REDUC ISSN 2317-1170 V. 01, N. 02 (2013) A PROPOSTA DE ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOS PCN E SUA TRANSPOSIÇÃO ENTRE OS PROFESSORES DE INGLÊS DE ARAPIRACA Patrícia

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊCIA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO DE ESPANHOL- LÍNGUA ESTRANGEIRA (E-LE) COM O USO DAS TICs, EM PARCERIA COM O PROJETO PIBID/UEPB

RELATO DE EXPERIÊCIA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO DE ESPANHOL- LÍNGUA ESTRANGEIRA (E-LE) COM O USO DAS TICs, EM PARCERIA COM O PROJETO PIBID/UEPB RELATO DE EXPERIÊCIA SOBRE O PROCESSO DE ENSINO DE ESPANHOL- LÍNGUA ESTRANGEIRA (E-LE) COM O USO DAS TICs, EM PARCERIA COM O PROJETO PIBID/UEPB Sirleide Marinheiro da Silva (PIBID/UEPB) 1 Sirleide_22@hotmail.com

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN

DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN DOCÊNCIA ASSISTIDA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE MÚSICA LICENCIATURA DA UFRN Autor: Anne Charlyenne Saraiva Campos; Co-autor: Emerson Carpegiane de Souza Martins

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 04. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013.

Cadernos do CNLF, Vol. XVII, Nº 04. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2013. 122 Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos LER, ESCREVER E REESCREVER NO ENSINO MÉDIO POR MEIO DOS CLÁSSICOS DA LITERATURA BRASILEIRA José Enildo Elias Bezerra (IFAP) enildoelias@yahoo.com.br

Leia mais

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico

PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico PROJETO TREZE HORAS: Uma Proposta Para o Ensino Médio Integrado ao Ensino Técnico Vanessa Lopes da Silva 1 Leandro Marcon Frigo 2 Resumo A partir do problema dicotômico vivenciado pelo Ensino Técnico Integrado,

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ERROS GRAMATICAIS E O FILTRO AFETIVO NO ENSINO DE INGLÊS COMO LE EM AMBIENTE COMUNICATIVO

A INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ERROS GRAMATICAIS E O FILTRO AFETIVO NO ENSINO DE INGLÊS COMO LE EM AMBIENTE COMUNICATIVO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A INFLUÊNCIA DA CORREÇÃO DE ERROS GRAMATICAIS E O FILTRO AFETIVO NO ENSINO DE INGLÊS COMO LE EM AMBIENTE COMUNICATIVO André William Alves de Assis 1 ;

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Ariane Baffa Lourenço 1, Maria Lúcia V. dos S. Abib 2 e Salete Linhares Queiroz 3 1 Programa de Pós-Graduação Interunidades

Leia mais

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores;

apresentação oral sobre temas concernentes às especificidades do curso de Redes de Computadores; CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA MANTENEDOR DA ESCOLA DE ENSINO SUPERIOR FABRA Cred. Pela Portaria Ministerial nº 2787 de 12/12/2001 D.O.U. 17/12/2001 Rua Pouso Alegre, nº 49 Barcelona Serra/ES CEP 29166-160

Leia mais

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Telma Maria Pereira dos Santos Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia UNEB e Pós-graduada em Educação

Leia mais

Pibid 2013 Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência

Pibid 2013 Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência Proposta Edital nº. 61/2013 Número da proposta 128395 ID Projeto - UFU Instituição de Ensino Superior Nome UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA/UFU Código INEP 17 CNPJ 25.648.387/0001-18 Categoria administrativa

Leia mais

PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR - RELATO DA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA COM ALUNOS DO 3ºANO NA EEEF ANTENOR NAVARRO

PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR - RELATO DA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA COM ALUNOS DO 3ºANO NA EEEF ANTENOR NAVARRO PROJETO MEIO AMBIENTE: CONSCIENTIZAR PARA PRESERVAR - RELATO DA EXPERIÊNCIA DESENVOLVIDA COM ALUNOS DO 3ºANO NA EEEF ANTENOR NAVARRO OLIVEIRA, Khomar Tander s (Bolsista do PIBID) PAULINO, Jailson da Silva

Leia mais

AGENDA ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ENSINO/ APRENDIZAGEM DE INGLÊS POR MEIO DOS GÊNEROS DISCURSIVOS

AGENDA ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ENSINO/ APRENDIZAGEM DE INGLÊS POR MEIO DOS GÊNEROS DISCURSIVOS AGENDA ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ENSINO/ APRENDIZAGEM DE INGLÊS POR MEIO DOS GÊNEROS DISCURSIVOS Adailton Almeida Barros - adailton.almeida.barros@gmail.com (UNESPAR/FECILCAM) PIBID Subprojeto/Língua Inglesa

Leia mais

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO. Formação Continuada em Inglês para professores de Inglês

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO. Formação Continuada em Inglês para professores de Inglês MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero.

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero. PNLD 2011: ANÁLISE DE UMA COLEÇÃO DE LIVRO DIDÁTICO DE INGLÊS Universidade Federal de Goiás Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística Mestranda: Maria Letícia Martins Campos FERREIRA mleticiaf@hotmail.com

Leia mais

Palavras Chaves: Monitorias; Jogos; Resolução de Problemas.

Palavras Chaves: Monitorias; Jogos; Resolução de Problemas. 1 Resumo Este trabalho se refere a um projeto do Programa de Iniciação à Docência (PIBID) que é realizado com alunos das séries finais do Ensino Fundamental em uma escola municipal da cidade de Jataí-GO.

Leia mais

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO Elane Porto Campos-UESB Graduanda em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista do subprojeto de Pedagogia PIBID/UESB-CAPES

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva Pela primeira vez, o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD)

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO

PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO ISSN 2316-7785 PROFESSOR DE MATEMÁTICA E EDUCADOR ESPECIAL: UM PASSO PARA INCLUSÃO RESUMO Karen Rodrigues Copello Universidade Federal de Santa Maria karen_keruso@hotmail.com Debora Silvana Soares Universidade

Leia mais

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM.

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. UCHÔA, Yasmim Figueiredo Graduanda de Pedagogia/ UEPB. Bolsista PIBID CABRAL, Isabel Cristina Gomes de Morais Graduanda

Leia mais

Travel guides: apresentando Porto Alegre através da língua inglesa

Travel guides: apresentando Porto Alegre através da língua inglesa Travel guides: apresentando Porto Alegre através da língua inglesa Ana Carolina Rosa Posuelo de Oliveira Bruna Souza Passos Introdução É de conhecimento geral que o ensino de línguas na escola é principal

Leia mais

PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO

PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO Extensão, docência e investigação. Danielle Gomes Mendes Theciana Silva Silveira Orientadora: Prof.ª Dr.ª Marize Barros Rocha

Leia mais

A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio

A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio A utilização de jogos no ensino da Matemática no Ensino Médio Afonso Henrique Leonardo da Conceição e-mail: afonso.conceicao_dc@hotmail.com Tatiane Cristina Camargo e-mail: tatianecamargo.ferreira@gmail.com

Leia mais

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA Júlio César Paula Neves Tânia Mayra Lopes de Melo Modalidade: Pôster Sessão Temática 5: Educação e

Leia mais

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA

Leia mais

LETRAMENTO MATEMÁTICO DE ALUNOS COM BAIXO DESEMPENHO POR MEIO DE REFORÇO ESCOLAR. Palavras-chave: Letramento Matemático; Reforço Escolar; SAERJINHO.

LETRAMENTO MATEMÁTICO DE ALUNOS COM BAIXO DESEMPENHO POR MEIO DE REFORÇO ESCOLAR. Palavras-chave: Letramento Matemático; Reforço Escolar; SAERJINHO. LETRAMENTO MATEMÁTICO DE ALUNOS COM BAIXO DESEMPENHO POR MEIO DE REFORÇO ESCOLAR Agnaldo da Conceição Esquincalha PUC-SP/PUC-Rio/Fundação CECIERJ aesquincalha@gmail.com Resumo: Neste texto elenca-se um

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BANANAL ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE BANANAL ESTADO DE SÃO PAULO PRIMEIRA RETIFICAÇÃO AO EDITAL DE ABERTURA PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO N 001/2014 A Prefeitura do Município de Bananal/SP, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o disposto no artigo

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB EDITAL Nº 018/2010/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

As 11 dúvidas mais frequentes

As 11 dúvidas mais frequentes As 11 dúvidas mais frequentes Deyse Campos Assessora de Educação Infantil dcampos@positivo.com.br Frequentemente recebemos solicitações de professores de escolas que estão utilizando o Sistema Positivo

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR ISSN 2316-7785 CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O APERFEIÇOAMENTO DA PRÁTICA DOCENTE: INOVAÇÕES NO AMBIENTE ESCOLAR Gabriela Dutra Rodrigues Conrado Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA gabrielapof@hotmail.com

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB Edital Pibid n 061 /2013 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Inglês Instrumental Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Módulo:

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professor, Estágio, Identidade.

PALAVRAS-CHAVE: Formação de professor, Estágio, Identidade. RELATÓRIOS DE ESTÁGIO: CONTRIBUIÇÕES PARA A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DO PROFESSOR DE PORTUGUÊS BORGES, Ana Maria de Miranda Marques/UFG anamariademiranda2@gmail.com MORAES, Eliana Melo Machado/CAJ-UFG

Leia mais

Como elaborar um relatório de pesquisa

Como elaborar um relatório de pesquisa Como elaborar um relatório de pesquisa Profa. Dra. Maria José B. Finatto - UFRGS - Instituto de Letras www.ufrgs.br/textecc Seminários Temáticos PROPESQ - 2012 Preâmbulo - sério! O Programa Institucional

Leia mais

A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS

A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS Alyson Fernandes de Oliveira 1 Hanna Maia Marques de Mello 2 Ana Paula de Almeida Saraiva Magalhães 3 Renata Emiko Basso Hayashi 4 Resumo: Com o elevado

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE SETEMBRO DE 2012 EREM LUIZ DELGADO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE SETEMBRO DE 2012 EREM LUIZ DELGADO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA JOÃO PAULO M. DE SOUZA MÔNICA SANTOS RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE SETEMBRO DE 2012 EREM LUIZ DELGADO RECIFE

Leia mais

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 COMPLEXIDADE EM AMBIENTES DE SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 COMPLEXIDADE EM AMBIENTES DE SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE INTERVALOS REAIS POR MEIO DE JOGOS

UMA PROPOSTA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE INTERVALOS REAIS POR MEIO DE JOGOS UMA PROPOSTA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE INTERVALOS REAIS POR MEIO DE JOGOS Jéssica Ayumi Uehara Aguilera 1 j.ayumi@hotmail.com Alessandra Querino da Silva 2 alessandrasilva@ufgd.edu.br Cintia da Silva

Leia mais

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS Anais do III Simpósio sobre Formação de Professores SIMFOP Universidade do Sul de Santa Catarina, Campus de Tubarão Tubarão, de 28 a 31 de março de 2011 PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Palavras chave: PIBID, Teoria e Prática, Formação inicial.

Palavras chave: PIBID, Teoria e Prática, Formação inicial. A TECITURA DA PROFISSÃO PROFESSOR: REFLEXÕES A PARTIR DAS EXPERIÊNCIAS NO PIBID Gloria Ramona Gomes Aguero 1 ; Laudelina Sanabria Trindade 2 ; Almerinda Mª dos Reis Vieira Rodrigues 3. 1 Bolsista Pibid

Leia mais

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática

A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática A inserção de jogos e tecnologias no ensino da matemática Michel da Silva Machado e-mail: michel_nick25@hotmail.com Isaque Rodrigues e-mail: isaque.max@hotmail.com Márcia Marinho do Nascimento Mello e-mail:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio EtecPaulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos - SP Área do conhecimento: Linguagens, códigos e suas tecnologias Componente curricular: Inglês Série:

Leia mais

Palavras-chave: Educação Matemática; Avaliação; Formação de professores; Pró- Matemática.

Palavras-chave: Educação Matemática; Avaliação; Formação de professores; Pró- Matemática. PRÓ-MATEMÁTICA 2012: UM EPISÓDIO DE AVALIAÇÃO Edilaine Regina dos Santos 1 Universidade Estadual de Londrina edilaine.santos@yahoo.com.br Rodrigo Camarinho de Oliveira 2 Universidade Estadual de Londrina

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO CONTEUDO DANÇA NA INTERFACE E FORMAÇÃO CULTURAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DAS INTERVENÇÕES DO PIBID UFG/CAC

A EXPERIÊNCIA DO CONTEUDO DANÇA NA INTERFACE E FORMAÇÃO CULTURAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DAS INTERVENÇÕES DO PIBID UFG/CAC A EXPERIÊNCIA DO CONTEUDO DANÇA NA INTERFACE E FORMAÇÃO CULTURAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA A PARTIR DAS INTERVENÇÕES DO PIBID UFG/CAC Fernanda Costa SANTOS UFG/CAC- nandacostasantos@hotmail.com Karolina Santana

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 29/2014 PROCESSO SELETIVO. Pré-requisitos/ Titulação. Valor Bolsa

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 29/2014 PROCESSO SELETIVO. Pré-requisitos/ Titulação. Valor Bolsa PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 29/2014 PROCESSO SELETIVO A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Triângulo Mineiro torna público que estarão abertas as inscrições para a realização do Processo

Leia mais

VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL VAI E VEM DAS EQUAÇÕES: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL Tanise Coppetti Universidade Federal de Santa Maria tani_coppetti@hotmail.com Resumo: Este trabalho apresenta uma atividade a respeito de equações

Leia mais

OS JOGOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÌNGUA ESTRANGEIRA

OS JOGOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÌNGUA ESTRANGEIRA OS JOGOS E O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DE LÌNGUA ESTRANGEIRA Flávio de Ávila Lins Teixeira Universidade Federal da Paraíba/ PIBID/ Letras-Inglês/ Supervisor Resumo: Esse trabalho objetiva analisar algumas

Leia mais

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Eixo temático 1: Fundamentos e práticas educacionais Telma Sara Q. Matos 1 Vilma L. Nista-Piccolo 2 Agências Financiadoras: Capes / Fapemig

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT

RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT RESOLUÇÃO Nº 257/06-CEE/MT Dispõe sobre a Implantação do Ensino Fundamental para Nove Anos de duração, no Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso, e dá outras providências. O CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT

CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT CONSIDERAÇÕES INICIAIS ACERCA DOS ESTUDOS REALIZADOS PELO SUBPROJETO PIBID DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DO MUNICÍ- PIO DE ALTO ARAGUAIA-MT Ellen Regina Moraes Bispo, Edinéia Guimarães Nunes e

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA Disciplina: ESTÁGIO I Carga Horária: 90h Teórica: Prática: 80h Semestre: 2013.2 Professora: Claudia Mara Soares

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ENSINO

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

Nome Instituição Função Professor 1Artemizia Ribeiro Lima FVJ Coordenador de Área - Pedagogia Professor 2 Angélica Rodrigues de Souza

Nome Instituição Função Professor 1Artemizia Ribeiro Lima FVJ Coordenador de Área - Pedagogia Professor 2 Angélica Rodrigues de Souza PIBID FVJ PROJETO INSTITUCIONAL 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome e Sigla: Faculdade do Vale do Jaguaribe - FVJ Responsável legal da IES: Eduardo Neto Mopreira de Souza Proposta - Edital nº 61/2013 Número da

Leia mais

Utilização do jogo didático Bingo Periódico no processo de ensinoaprendizagem de Química na Escola Estadual Professor Gerson Lopes de Apodi-RN.

Utilização do jogo didático Bingo Periódico no processo de ensinoaprendizagem de Química na Escola Estadual Professor Gerson Lopes de Apodi-RN. Utilização do jogo didático Bingo Periódico no processo de ensinoaprendizagem de Química na Escola Estadual Professor Gerson Lopes de Apodi-RN. Gustavo Daniel S. Souza (IC)1, Alidna Mosana S. de Oliveira

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 1 Programa Institucional de Bolsa a Iniciação a Docência do Curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Federal de Santa

Leia mais

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES Marcos Aurélio Alves e Silva- UFPE/CAA Alcicleide Ramos da Silva- UFPE/CAA Jucélia Silva Santana- UFPE/CAA Edelweis José Tavares Barbosa- UFPE/CAA

Leia mais

II ENCONTRO DE DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO PIBID UENP: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

II ENCONTRO DE DIVULGAÇÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA, ENSINO E EXTENSÃO PIBID UENP: DESAFIOS E PERSPECTIVAS PIBID INGLÊS - AÇÃO INTERVENTIVA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE CORNÉLIO PROCÓPIO Bolsistas: ALMEIDA, D.; IDALGO, L.; KISHI, C; FAUSTINO, V.; SOUZA, E. (PIBID- LEM/ UENP) Orientadoras: Célia Regina Capellini

Leia mais

PIBID E O DESAFIO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: QUAL METODOLOGIA DEVE SER UTILIZADA NAS AULAS?

PIBID E O DESAFIO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: QUAL METODOLOGIA DEVE SER UTILIZADA NAS AULAS? 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PIBID E O

Leia mais

Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Concepção

Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Concepção Programa de Extensão Núcleo de Desenvolvimento Lingüístico: primeiras experiências Marcello de Oliveira Pinto (UERJ) Márcia Magarinos (UERJ) Marina Dias O presente trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais