RAZÃO SOCIAL ASSOCIAÇÃO DE ENSINO & TECNOLOGIA AE&T

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RAZÃO SOCIAL ASSOCIAÇÃO DE ENSINO & TECNOLOGIA AE&T"

Transcrição

1 CNPJ / RAZÃO SOCIAL ASSOCIAÇÃO DE ENSINO & TECNOLOGIA AE&T NOME DE FANTASIA LiceuTec ESFERA ADMINISTRATIVA Particular ENDEREÇO Avenida Gonçalves, CIDADE Barretos SP - CEP TELEFONE SITE 1

2 EIXO TECNOLÓGICO INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Carga Horária (sem estágio): 1005 Horas Com direito a registro profissional no CREA Código do CIE da Escola Nome da Escola LICEUTEC Endereço completo AVENIDA GONÇALVES, BAIRRO FLOSI CEP FONE / FAX Mantenedora ASSOCIAÇÃO DE ENSINO & TECNOLOGIA AE&T CNPJ / Orgão de Jurisdição: DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE BARRETOS Ato legal de criação / Autorização da Escola: Portaria do Dirigente Regional de Ensino de 20 de Dezembro de 2007, DOE de 21 de Dezembro Nome completo e número do RG do Diretor da Escola: ROBERTO PACHECO DE OLIVEIRA RG Nome do Parecerista Marcelo Duarte RG X Centro Paula Souza Nome completo e número do RG do Supervisor de Ensino: - DIMAS NARCISO RG Cadastro Nacional de Cursos Técnicos: 01- JUSTIFICATIVAS E OBJETIVOS DO CURSO: 2

3 JUSTIFICATIVAS A Tecnologia da Informação (TI) está indubitavelmente presente em todas as áreas profissionais de atuação, sejam estas técnicas ou não, e em grande parte das etapas dos processos produtivos intelectuais, comerciais e industriais, principalmente aqueles que possuem bons níveis de automação e controle de procedimentos, tarefas ou ações. Pode-se dizer que, constantemente, ocorrem verdadeiras Revoluções Operacionais nos modos de se Saber Fazer e de se Fazer as coisas, principalmente em Áreas relacionadas às Tecnologias da Informação e das Intercomunicações, aonde, cada vez mais, novas soluções, serviços, produtos e equipamentos vão sendo apresentados e evidentemente se atualizando, o que torna primordial que os indivíduos envolvidos e principalmente, os profissionais atuantes nas citadas áreas, efetuem suas frequentes e incansáveis buscas pelos mais diversos modos de atualização técnica. Logicamente, fica muito claro que os profissionais das áreas da Tecnologia da Informação, principalmente àquelas que envolvem infraestruturas e metodologias de suporte operacional, bem como àquelas voltadas ao desenvolvimento de sistemas e aplicativos web, precisam estar muito bem preparados para participarem do atual momento de dinamismo e agressividade que são característicos dos mercados extremamente competitivos e que também, por isso, estão carentes da mão de obra técnica especializada de qualidade. Assim sendo, dentro desse contexto, a situação profissional do Técnico em Informática, assume, cada vez mais, níveis de importância inquestionáveis, principalmente em função das constantes alterações em seus perfis de trabalho e de acordo com as próprias necessidades operacionais inerentes às implementações tecnológicas que rapidamente vão se sucedendo, desde a abertura do mercado de TI, no início dos anos 90, aonde os citados profissionais atuavam apenas na montagem, instalação, configuração e manutenção dos computadores, além de ministrarem alguns tipos de treinamentos padrão aos próprios usuários destas tecnologias. Com o passar do tempo, as redes locais empresariais e residenciais foram se expandindo a níveis crescentes, com suas Conexões Broadband Internet, através das mídias convencionalmente cabeadas, fibradas, sem fios ou mesmo híbridas, fazendo com que Net Devices, equipamentos para processamento de informações, sistemas operacionais, web browsers e softwares aplicativos se tornassem cada vez mais bem elaborados, oferecendo melhores níveis de desempenho e eficiência e, praticamente, obrigando que, cada vez mais, os bons técnicos de TI continuassem a se atualizar visando adequarem às mais recentes realidades e novidades tecnológicas que, por sua vez também, se sucedem a ritmos cada vez mais alucinantes. Hoje em dia, com todas as opções de conexão, serviços e tecnologias de equipamentos oferecidas pelo mercado de TI, com a cada vez mais crescente quantidade de servidores de redes, desktops, notebooks, netbooks, tablets, pads, smartphones e todos os tipos de BYOD disponíveis) e a intensa popularização dos Sistemas Operacionais Interativos Embarcados Móveis, baseados em plataformas Microsoft Windows Mobile & Windows Phone, Google Android OS, Apple IOS, Samsung Tizen, Mozilla Firefox OS, Blackberry OS, Canonical Ubuntu Phone, Nokia Accenture Symbian OS, Palm Web OS, HP Web OS, Jolla Sailfish e mais uma Infinidade de Linux Distros, os Técnicos de Informática precisam buscar constante atualização técnica com qualificação, visando sobreviverem e conviverem nesse mercado dinâmico e profícuo. Deve-se lembrar também que existe toda uma concorrência provocada pela proliferação de pseudo-técnicos" que foram se formando através dos milhares de Internet fóruns de discussão técnica, dos livros e revistas do tipo "faça você mesmo" que estão disponíveis para livre consulta na Grande Rede Mundial, em Livrarias e até mesmo nas Bancas de Jornais e Revistas. 3

4 Adicionem-se a isso tudo, um contexto tecnológico altamente dinâmico em relação às conceituações e soluções operacionais das redes de Telecom, Internet Convencional ou das Coisas, Multiple ou Triple Play, IPTV, Comunicações Unificadas nos mais diversos Tipos de Topologias Funcionais BAN, PAN, LAN, SAN, MAN, RAN, WAN, Topologias Virtualizadas, Datacenters, Cloud Computing, Data Warehouse, Big Data e todas as suas Opções, Meios, Modos de Acesso e Serviços. Além das normatizações e metodologias das melhores práticas de projeto, dimensionamento, implementação, configuração, certificação, otimização, atualização, suporte e assistência técnica para as inúmeras configurações de Middleware, Hardware, Firmware, S. O. e Software Aplicativo que sempre estão se renovando e/ou se aperfeiçoando a ritmos extremamente rápidos. Estamos vivenciando mais um processo de transformação nos ambientes de negócios e na sociedade como um todo, impulsionado diretamente pela Convergência de Quatro Ondas Tecnológicas e esta Disrupção é um fenômeno técnico mercadológico que ocorre a cada anos, provocando mudanças significativas no uso pessoal e profissional das Tecnologias da Informação. A convergência de aplicações e sistemas hospedados virtualmente na Computação em Nuvem ( Cloud Computing ), de níveis cada vez mais crescentes de Mobilidade Operacional, do uso exacerbado das Plataformas Sociais e de Big Data está deslocando o eixo do poder tecnológico das empresas para as pessoas, sejam estas clientes, funcionários, associados ou mesmo interessados. Na prática, a sociedade e as empresas estão cada vez mais digitais e já é possível visualizar cenários onde, muito em breve, não existirão mais budgets específicos para TI, uma vez que a tecnologia estará em todas as áreas e atividades das empresas, bem como na vida das pessoas. Cada uma destas Quatro Ondas em si já causa mudanças, mas agrupadas cria o que o Forrester Research chama de Perfect Storm, mais ou menos como se estivéssemos diante de uma "onda gigantesca extremamente veloz", causada pelo que os visionários de TI apelidam de Tempestade Perfeita, com todas as suas Consequências Socioambientais. A combinação de Mobilidade, Big Data, Plataformas Sociais e Cloud Computing incentivam mudanças radicais nas práticas e processos de negócios, inclusive submergindo algumas estratégias de negócios já consolidadas, mas que se encontra em processo de desgaste sucessivo, criando novos hábitos, novas experiências e novas expectativas. Entretanto, este cenário de mudanças embute desafios imensos para as áreas e aos profissionais de TI, pois o próprio processo de Consumerização dos produtos de tecnologia, com usuários trazendo novidades tecnológicas de seu dia a dia para dentro das escolas e empresas, força a criação de novos modelos de gestão tecnológica e segurança digital. E aí cabem os novíssimos conceitos como o "BYOD" ("Bring Your Own Device", em tradução livre, traga seu próprio dispositivo ) ou mesmo o "BYOC" ("Bring Your Own Cloud", em tradução livre, traga sua própria nuvem), impensáveis há meros 3 a 5 anos. Este processo não deve parar por aí, pois, em breve, usuários não apenas trarão estas plataformas tecnológicas avançadas em seus bolsos (tais como "Intuitive Smartphones"), mas como também as estarão vestindo 4

5 corriqueiramente ou até mesmo fazendo uso destas diretamente do interior de seus organismos! Em Sociedades Digitais, a Tecnologia da Informação é um dos principais diferenciadores competitivos e, portanto, seu papel ativo não pode ficar limitado a automatizar operações, subordinado a formas limitadas das atuais carteiras de serviços das empresas. Mas, mudanças nem sempre são apreciadas, principalmente quando ocorrem com muita rapidez! Muitos profissionais de TI já passaram pela Disrupção Tecnológica anterior, quando saímos do modelo de computação centralizada para o cliente-servidor, e o impacto técnico educacional já foi muito grande. Novas empresas de TI surgiram enquanto outras simplesmente desapareceram, mudaram-se os Skills, as Tecnologias, as Infra-estruturas Operacionais e as práticas de TI e como que uma Febre de Tecnologia se espalhou desbragadamente pelas Empresas, principalmente com a chegada da Internet, que veio acelerar os processos de transformação e, com isso, novos negócios baseados em comercio eletrônico surgiram, desbancando ou simplesmente eliminando negócios plenamente estabelecidos. Agora estamos diante de outra Disrupção Tecnológica e as áreas de TI não podem ficar apenas aguardando que os executivos de negócio decidam o que será feito, pois Tecnologias de Informações, ou melhor, Tecnologias de Negócios ("Business Technologies" - BT) deverão ser um dos grandes impulsionadores destas mudanças. O fato de estas mudanças estarem acontecendo de forma tão rápida e de certas áreas de TI possuírem algumas dificuldades para acompanhar tais transições, podem gerar distorções em relação às inovações técnicas propostas, e se estes profissionais não forem preparados para agirem rápido dentro deste contexto podem ficar associados a um pretérito próximo e não a um futuro promissor. Objetivamente, isso significa que o profissional de TI deverá estar cada vez mais alinhado ao nível decisório das empresas, participando e até conduzindo Conversações Estratégicas que, aliás, não podem ficar apenas na dimensão da tecnologia, mas envolvidas com os negócios em sua plenitude. Enfim, profissionais de TI devem estar preparados para aproveitar as oportunidades de carreira que serão derivadas de uma situação tecnológica que não ocorre com tanta frequência, ou seja, participar ativamente de uma Disrupção Tecnológica que já está afetando diretamente todos os setores de negócios! Enquanto isso, inúmeras ofertas de vagas destinadas aos profissionais de TI verdadeiramente qualificados crescem a cada dia em diversos segmentos do mercado brasileiro, e até mesmo internacional, conforme se consegue observar através de simples consultas aos Web Sites das empresas especializadas em consultoria e colocação profissional ou mesmo às Informações obtidas com os Órgãos Governamentais do Ministério e das Secretarias do Trabalho ou mesmo junto às Entidades representativas das principais classes trabalhistas envolvidas. 5

6 Também se deve somar a tal contexto as nuances características da atual situação econômica que o Brasil vivencia, afinal, nestes últimos anos, fomos um dos países que apresentaram maiores índices de crescimento no número de usuários de Internet e de TI em geral, segundo as conclusões da UNCTAD (Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento), da ITU (International Telecommunications Union), da ABINEE (Associação Brasileira da Indústria Eletroeletrônica) e do próprio CGI.br (Comitê Gestor da Internet no Brasil). Analisando os aspectos financeiros e os níveis de investimentos que envolvem o setor de TI no Brasil, estão previstos para o período entre 2011 e 2016, valores superiores a U$ 50 bilhões em tecnologia. Isso se deve não só ao favorável momento de crescimento econômico do país, mas também aos eventos programados para os próximos anos, como a Copa do Mundo FIFA, e aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Além disso, o contínuo aquecimento das vendas anuais de sistemas para processamento de informações (S. P. Info s) sejam estes desktops, portáteis ou móveis, faz com que Brasil se destaque neste tipo de mercado mundial, pois, já em 2012, o número estimado de equipamentos de TI no Brasil era de 98 milhões, praticamente um S.P. Info para cada dois habitantes. Isso decorre dos incentivos fiscais à indústria de informática, das reduções dos preços finais dos equipamentos, além das políticas de crédito oferecidas, formas de pagamento facilitadas, aumento da renda da população, melhoria dos níveis de interatividade operacional e, finalmente, das facilidades de utilização dos recursos técnicos oferecidos diretamente por tais dispositivos aos seus usuários finais. Por qualquer tipo de indicador que se queira utilizar para medir o avanço da internet no Brasil, encontram-se resultados que indicam um sólido e constante crescimento. A sétima e mais recente edição da pesquisa (2011), sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios, escolas, empresas e provedores de serviços nacionais, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) reporta que, atualmente, a Internet inclui mais de 75 milhões de brasileiros com mais de 10 anos, sendo que nas áreas urbanas a proporção de domicílios conectados atinge 47%, quase metade do total nacional. Nas áreas metropolitanas, destaca-se também o crescimento do número de conexões perenes com taxas de transcepção de dados contratadas acima de 2 Mbps o que se identifica, normalmente, como conexões banda larga. A presença das empresas na Internet, independentemente de seus portes, já está praticamente universalizada, sendo que 92% daquelas que possuem website o fazem através de domínio registrado sob o sufixo eletrônico.br. Essa preferência pelo uso do.br como Indicativo Nacional, além de fazer com que o Country Code Top-Level Domain (cctld) brasileiro ocupe a sétima posição mundial, atingindo 3 milhões de registros, demonstra a confiança depositada na qualidade técnica operacional da gestão de nomes de domínios, e na distribuição de endereços IPv4 e IPv6 que são efetuadas pelo CGI.br. Com o maior número de empresas de Tecnologia da Informação, o Estado de São Paulo se destaca no cenário nacional deste setor, sendo o Estado que paga os melhores salários e o que reúne as melhores oportunidades nas áreas emergentes de tecnologia. Das maiores empresas de tecnologia do país, 60% estão no Estado de São Paulo e tais constatações exigem, em contrapartida, um investimento grande em educação técnica profissional, para formar indivíduos com grande flexibilidade, conhecimento técnico e capacidade de se manter em atualização permanente. 6

7 Na região do Estado em que estamos inseridos, com grande apelo às indústrias de transformação agroindustrial, com destaque às usinas de açúcar e álcool, frutas cítricas, bem como grandes frigoríficos, a demanda por profissionais especializados em informática é alta e está sempre em expansão, na medida em que as empresas existentes continuam suas escaladas de investimento em TI e mais outras empresas do setor estão em fase de implantação num raio de 100 km de Barretos. Deve-se atentar também para as altíssimas perspectivas de implementação do Parque Tecnológico voltado ao agronegócio aqui mesmo em Barretos que, com certeza, necessitará de mais profissionais das áreas de TI para atenderem as necessidades técnicas das empresas e institutos de pesquisa que aqui virão se instalar definitivamente. Dessa maneira, até mesmo para que se atendam verdadeiramente as necessidades técnicas especializadas exigidas pelos mercados de TI, esperam-se proposições diferenciadas e arrojadas inerentes aos processos de capacitação previstos para os indivíduos que pretendem se estabelecer como profissionais dentro de tal contexto, visando-se não só a obtenção de formações técnicas sólidas, mas também se privilegiando as metodologias práticas resultantes das próprias atividades diárias a serem efetuadas pela mão de obra envolvida diretamente nesses meios e serviços. Somado a isto tudo, também devem ser destacadas as próprias habilidades intelectuais e técnicas inerentes e/ou a serem desenvolvidas nestes indivíduos, que são muito importantes para os perfis profissionais que se desejam alcançar, principalmente levando-se em conta os aprimoramentos necessários complementares a serem implementados às habilidades pessoais destes. Um profissional das áreas de TI, principalmente aqueles com a formação e a habilitação técnica propostas para atender as necessidades até agora expostas nestas justificativas, pode vir a trabalhar em Operadoras e Empresas de Telecom, públicas e privadas, Bancos, Instituições de Ensino e Pesquisa, Empresas de TI em geral, Comércio, Prestadoras de Serviços, dentre outras, afinal, o campo de trabalho é imenso e, pode-se dizer com tendências ao inesgotável em suas mais diversas esferas de abordagem. Desse modo, a partir de tudo que foi explanado, sendo esta uma Área Técnica tão diversificada e abrangente, com as realidades atuais dos Níveis de Demanda de Mercado clamando cada vez mais por Profissionais de TI plenamente capacitados, conforme resultados obtidos nas mais diversas pesquisas efetuadas recentemente e considerando, inclusive, as aceleradas e significativas alterações tecnológicas que se processam continuamente dentro deste contexto, o Liceu Tecnológico propõe um Plano de Curso para Técnico em Informática. OBJETIVOS DO CURSO Capacitar o Técnico em Informática para atuar em Processos de Escolha Técnica, Dimensionamento, Implementação, Configuração, Adequação, Otimização, Upgradings, Testes Funcionais, Metodologias de Operação, Políticas de Suporte e Assistência Técnica (Help Desk) de Soluções para Infraestruturas Corporativas de Redes de TI que envolvam as Topologias Físicas, Lógicas e Equipamentos de Telecomunicações Básicas, Acesso a Serviços de Internet, Segurança Digital, Net Devices, Sistemas Operacionais para Ambientes de Redes e de S.P. Info. s, Clientes, Ferramentas para Monitoramento/Gerenciamento de Tráfego de Dados e Elementos Ativos de Redes, Software para Proteção Digital e demais Softwares Aplicativos para Usuários Finais. 7

8 Além disso, pretende-se habilitar o Técnico em Informática em Desenvolver, Instalar, Configurar, efetuar Upgradings, Operar, Testar e Depurar Set Softwares Aplicativos, Interfaces Gráficas e Páginas de Internet. Adicionalmente, estes indivíduos serão passíveis de Executar Tarefas de Treinamento, Suporte e Apoio Técnico a Usuários; Desenvolver Competências por meio da Ação Conjunta com Profissionais do Mundo do Trabalho e Profissionais da Educação Técnica. Utilizar Metodologias para desenvolver Capacidades que permitam ao Técnico possuir Autonomia Intelectual, ter Iniciativa, comunicar Idéias, tomar Decisões, praticar Atividades de Human Internetworking, Relacionamento Empresarial, Técnicas de Estímulo à Criatividade, Empreendorismo, Processos de Negociações & Apresentação de Resultados, Gestão de Conflitos, Métodos para Resolução de Incidentes Técnicos, além de representar adequadamente as Regras de Convivência Democrática em seus Ambientes de Trabalho. 02 REQUISITOS DE ACESSO O Acesso de alunos no Curso dar-se-á a partir do cumprimento das seguintes Condições: O Aluno deve estar cursando, no mínimo, a Segunda Série do Ensino Médio ou já tê-lo concluído; Por Transferência, para os Candidatos oriundos de outras Escolas, do País ou do exterior, desde que preservada a Identidade do Currículo. Por Aproveitamento de Competências e Habilidades - mediante a Aprovação feita pela Escola para Alunos que solicitarem Aproveitamento de Estudos e/ou possuírem Experiência Comprovada adquirida no Mundo de Trabalho, de acordo com as Exigências Específicas do Curso, que serão verificadas através de: - Entrevista com o Coordenador do Curso. Competências avaliadas por Equipe de três Professores. Aplicação de Prova Específica de cada Disciplina pleiteada. O aluno deverá apresentar no ato da matrícula os seguintes documentos pessoais: - uma foto 3 X 4; - fotocópia da Certidão de nascimento; - fotocópia do RG; - fotocópia do CPF; - fotocópia do Certificado de Reservista (masculino, maior de 18 anos) - fotocópia do Título de Eleitor (maiores de 18 anos) - fotocópia de Comprovante de residência - fotocópia do Histórico Escolar (ou comprovante de matrícula no 2º ano) do Ensino Médio. 03- PERFIL DO PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO Ao concluir os 3 Módulos do Curso, o Técnico em Informática deverá ter construído as seguintes Competências e Habilidades Gerais da Área de Tecnologia da Informação: Identificar o Funcionamento e Relacionamento entre os Componentes e Circuitos de Sistemas para Processamento de Informações e seus Periféricos; Instalar e Configurar Sistemas para Processamento de Informações e seus Periféricos, isolados ou em Redes, Periféricos, Sistemas Operacionais, seus Drivers e Softwares Aplicativos; Identificar Origens de Falhas e Problemas nos Regimes Funcionais Funcionamento de Sistemas para Processamento de Informações, Periféricos, Sistemas Operacionais e Softwares, avaliando seus principais Efeitos; 8

9 Analisar e operar Serviços, Recursos e Funções de Sistemas Operacionais; Selecionar Softwares Aplicativos a partir de Avaliações Técnicas Operacionais das Necessidades dos Usuários; Identificar Arquiteturas de Redes de Sistemas para Processamento de Informações; Identificar os Meios Físicos, Dispositivos, Protocolos e Padrões de Intercomunicação, reconhecendo todas as Implicações de suas Aplicações nos Ambientes Operacionais das Redes; Identificar os Serviços de Administração e Gerenciamento dos Ambientes e Sistemas Operacionais das Redes; Instalar e Configurar Servidores de Redes, seus Periféricos, Sistemas Operacionais, seus Drivers e Softwares Aplicativos; Identificar Origens de Falhas e Problemas nos Regimes Funcionais Funcionamento de Servidores de Redes, Periféricos, Sistemas Operacionais e Softwares, avaliando seus principais Efeitos; Organizar as Coletas e Documentação de Informações sobre e para o Desenvolvimento de Projetos; Avaliar e especificar Necessidades, preparar e executar Treinamento e Suporte Técnico aos Usuários das Tecnologias da Informação; Instalar, codificar, compilar e documentar Softwares como Produtos e Opções de Aplicações Funcionais; Prover Ambientes de TI: Sistemas, Políticas e Rotinas de Segurança. Desenvolver Algoritmos através de Metodologias Específicas adequadas e Refinamentos Sucessivos; Selecionar e utilizar Estruturas de Dados na Resolução de Problemas de Processamento de Informações; Modelar Estruturas e operar Aplicativos para Banco de Dados. Desenvolver, Codificar, Compilar, Instalar, Testar e Corrigir Softwares Orientados a Objetos. Aplicar adequadamente Linguagens e Ambientes de Programação para Desenvolvimento de Softwares para as mais variadas Aplicações, inclusive utilizandose e disponibilizando Interfaces Gráficas para seus Usuários; Converter Sistemas e Aplicações para outras Linguagens ou Plataformas; Documentar e Atualizar Documentações de Softwares Aplicativos; Monitorar Níveis de Desempenho de Sistemas e Aplicações; Homologar Sistemas e Aplicações junto a Clientes; Utilizar Linguagens e Aplicativos na Elaboração, Design e Implementações de Documentos, Planilhas, Apresentações Técnicas e Páginas Web; Definir e Elaborar Interfaces de Comunicação e Interatividade; Definir e Aplicar Critérios de Navegação em Sistemas e Aplicações; Adaptar Conteúdos para Mídias Interativas; Planejar, Desenvolver e Publicar de Web Sites; Aplicar Metodologias para Tratamento de Imagens, Tipologia, Animação e Marketing Digital; Conhecer e Entender os Conceitos e Bases das Relações Administrativas em 9

10 Estruturas Organizacionais Empresariais; Avaliar Objetivos e Metas de Projetos, Sistemas e Aplicações; Identificar Critérios e Níveis de Demanda de Mercado; Elaborar Anteprojetos; Elaborar Projetos Conceituais, Lógicos, Estruturais, Físicos e Gráficos; Auxiliar na Composição e reunir-se com Equipes Técnicas; Especificar Recursos e Estratégias de Comunicação e Comercialização; Definir Cronogramas de Trabalho; Preparar Estratégias e Reunir-se com Clientes; Definir, Especificar e Distribuir Padronizações, Atividades e Tarefas para Trabalho e Operação de Sistemas e Aplicações; Manter-se atualizado tecnicamente. Expressar-se bem oralmente e Manter Sigilo Profissional ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 4.1 Habilitação Profissional de Técnico em Informática O Curso de Habilitação Profissional de Nível Técnico em Informática acha-se estruturado em Módulos Sequenciais e articulados com Terminalidade correspondente às Qualificações Profissionais identificadas como Necessidades do Mercado de Trabalho. O Curso será oferecido para 2 Turmas, em 3 Semestres, sendo uma Turma de Segunda à Sexta-feira e outra de Sexta-feira e Sábado, obedecendo aos seguintes Horários: * Período Noturno - 15 Aulas Semanais de 60 minutos de duração. De Segunda à Quinta-feira Início: 19h15m Término: 22h30m. Intervalo das 21h15m às 21h30m - perfazendo 15 minutos. TURMA NOTURNO Horário Segund Terça Quarta Quinta Sexta a 19:00 às 21:00 horas :15 às 22:15 horas TOTAL Aulas com duração de 60 minutos; 15 aulas por semana Intervalos para lanche e recreação: noite - 21:15 às 21:30 h * Aos finais de semana - 12 aulas semanais de 1 hora de duração. Sexta feira - Início as 19h15m - término 22h30m Intervalo das 21h15m às 21h30m - perfazendo 15 minutos. Sábado - Manhã - Início às 07h15m até as 12h30m Intervalo das 10h15m às 10h30m - perfazendo 15 minutos Sábado - Tarde - Início às 13h30m - término 17h45m Intervalo das 15h30m às 15h45m - perfazendo 15 minutos TURMA AOS FINAIS DE SEMANA 10

11 Horário Segund Terça Quarta Quinta Sexta Sábado a 08:00 às 10:00 horas 03 10:15 às 12:15 horas 02 13:15 às 15:15 horas 02 15:30 às 17:30 horas 02 19:00 às 21:00 horas 02 21:15 às 23:15 horas 01 TOTAL Aulas com duração de 60 minutos; 13 aulas por semana Intervalos para lanche e recreação: manhã - 10:30 às 10:45 h; tarde - 15:30 às 15:45 h; noite - 21:15 às 21:30 h PRIMEIRO MÓDULO O Curso de Técnico em Informática apresenta a seguinte Organização Curricular: Disciplinas Horas Carga Horária Semanais Eletroeletrônica Básica Sistemas Operacionais Padrão MS-Windows Sistemas Operacionais LINUX Distros Hardware de Sist. Proc. Informações Inglês Técnico Instrumental T O T A L Constituindo base para os Módulos subsequentes, objetiva a construção de Competências e Habilidades básicas necessárias a essa Qualificação identificada pelo Mercado de Trabalho. SEGUNDO MÓDULO Apresenta a seguinte Organização Curricular, somadas às Competências, Habilidades e Bases Tecnológicas do 1º Módulo para o Curso Técnico em Informática: Disciplinas Horas Carga Horária Semanais Cabeamento Estruturado para Redes de T. I Sistemas Operacionais para Redes de T. I Protocolos e Segurança para Redes de T. I Lógica de Programação Linguagens de Programação Análise e Estruturas de Dados T O T A L Também corresponde a uma Ocupação previamente identificada no Mercado de Trabalho, amplia as Competências e Habilidades desenvolvidas no Módulo anterior, dilatando as Responsabilidades decorrentes. Além disso, consolidase como Suporte para a etapa seguinte do Processo da Formação Profissional. 11

12 TERCEIRO MÓDULO Somado as Habilidades e Bases Tecnológicas trabalhadas nos dois primeiros Módulos, apresentam a seguinte Organização Curricular para o Curso Técnico em Informática: Disciplinas Horas Carga Horária Semanais Banco de Dados Técnicas e Linguagens Desenvolvimento Web Estático Desenvolvimento Web Dinâmico Desenvolvimento de Projetos T O T A L Bases Tecnológicas: Ementata (Conteúdo Programático) estão explícitados às páginas 38 à 61. MATRIZ CURRICULAR DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA Disciplinas 1º Módulo Eletroeletrônica Básica 03 Sistemas Operacionais Padrão MS- 03 Windows Sistemas Operacionais LINUX Distros 03 Hardware de Sistemas Proc. Informações 04 Inglês Técnico Instrumental 02 2º Módulo 3º Módulo Total Geral Cabeamento Estruturado para Redes de T. 02 I. Sistemas Operacionais para Redes de T. I. 03 Protocolos e Segurança para Redes de T. I. 02 Lógica de Programação 03 Linguagens de Programação 03 Análise e Estruturas de Dados 02 Bancos de Dados Técnicas e Linguagens 04 Desenvolvimento Web Estático 04 Desenvolvimento Web Dinâmico 04 Desenvolvimento de Projetos 03 Total de Horas Semanais Total de Semanas Letivas Total de Horas Semestrais Observação: Estágio Não obrigatório - Conforme Lei /09/ Artigo 2º - Parágrafo 2º. 12

13 ESTÁGIO SUPERVISIONADO Não obrigatório para os alunos que cursam Informática. No entanto, o LiceuTec incentiva todos os alunos a fazerem um período de estágio, indicando em seus murais as oportunidades disponibilizadas pelas empresas conveniadas ou através da expedição de atestados recomendando os alunos às empresas em que tenham interesse. 05 CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS E EXPERIÊNCIAS ANTERIORES Em cumprimento ao artigo 36 da Resolução CNE/CEB 6/2012, para prosseguimento de estudos, o LiceuTec promoverá o aproveitamento de conhecimentos e experiências anteriores do estudante, desde que diretamente relacionados com o perfil profissional de conclusão da respectiva qualificação ou habilitação profissional, que tenham sido desenvolvidos: I - em qualificações profissionais e etapas ou módulos de nível técnico regularmente concluído em outros cursos de Educação Profissional Técnica de Nível Médio; II - em cursos destinados à formação inicial e continuada ou qualificação profissional de, no mínimo, 160 horas de duração, mediante avaliação do estudante; III - em outros cursos de Educação Profissional e Tecnológica, inclusive no trabalho, por outros meios informais ou até mesmo em cursos superiores de graduação, mediante avaliação do estudante; IV - por reconhecimento, em processos formais de certificação profissional, realizado em instituição devidamente credenciada pelo órgão normativo do respectivo sistema de ensino ou no âmbito de sistemas nacionais de certificação profissional. Para avaliar o aproveitamento de conhecimentos e experiências anteriores será formada comissão, composta de três professores da área, que deverá aplicar provas orais e ou escritas das disciplinas em que o aluno requisitar, avaliando os conhecimentos teóricos e práticos, além da entrevista. De acordo com o rendimento do pretendente, a comissão, determinará o módulo que o mesmo deverá cursar e ou disciplinas dispensadas em cada módulo. O aluno deverá estar cursando a 2ª ou 3ª série do Ensino Médio ou ter concluído. 06 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM APLICADOS AOS ALUNOS I AVALIAÇÃO A avaliação da aprendizagem será realizada de forma contínua, cumulativa e sistemática, objetivando diagnosticar a situação do aluno em relação à programação prevista e desenvolvida em cada módulo semestral. Na avaliação bimestral deverão ser utilizados dois ou mais instrumentos, elaborados pelo professor, sob a coordenação do Coordenador Pedagógico. A avaliação será qualitativa, com prevalência dos resultados ao longo do período letivo sobre as provas finais e o aproveitamento do aluno expresso em notas, usada à escala numérica de zero a dez, graduadas em cinco décimos, sendo que, havendo fracionamento, o professor deverá arredondar a nota para maior. O professor fará a avaliação do rendimento escolar por meio de exercícios, provas, testes, pesquisas, projetos, seminários, visitas técnicas, relatórios, trabalhos 13

14 em grupo, tarefas a serem executadas em casa e demais atividades de cunho pedagógico, preponderando os aspectos qualitativos sobre os quantitativos e deve ser expressa por meio de notas. O resultado da avaliação dos alunos deverá ser analisado, registrado e sintetizado em uma nota bimestral, por componente curricular, sendo encaminhada à secretaria da escola, no prazo estipulado pela direção da escola. A média parcial do módulo semestral será igual à média aritmética das notas bimestrais. II PROMOÇÃO E RETENÇÃO Será aprovado, sem Prova Substitutiva, o aluno que obtiver média parcial igual ou superior a 6,0 (seis) e frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco) em cada componente curricular. Será submetido à Prova Substitutiva o aluno que obtiver média parcial inferior a 6,0 (seis), mas igual ou superior a 3,0 (três). A média final será igual à média aritmética entre a maior nota bimestral e a nota da Prova Substitutiva. Será aprovado, após a Prova Substitutiva o aluno que obtiver média final igual ou superior a 5,0 (cinco) e frequência igual ou superior a 75% do componente curricular. O aluno que não atender às exigências do parágrafo anterior será, ainda, submetido ao Conselho de Classe final, que decidirá sobre sua aprovação ou não. O aluno que, após a Prova Substitutiva, não alcançar a média 5,0 (cinco), em até dois componentes curriculares, poderá cursar o módulo semestral seguinte, em regime de progressão parcial. Para atender ao parágrafo anterior o aluno deverá cursar as disciplinas em horário diverso ou em pré ou pós aula, cumprindo a exigência de 75% de frequência, conforme a disponibilidade dos cursos oferecidos pela escola. Será retido o aluno que não obtiver a média acima explicada em mais de duas disciplinas por módulo ou não ter alcançado o mínimo de frequência exigida. 07 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS O Curso de Habilitação Profissional de Técnico em Informática será dotado de Instalações e Equipamentos onde o Professor poderá usufruir de Tecnologias atualizadas dispostas, por exemplo: num amplo Laboratório de Eletroeletrônica de 96 m², equipado com Lousa ampla, Bancadas, Armários, Painéis, Instrumentos de Medidas Eletroeletrônicas, Componentes, Acessórios e Ferramental adequados. Conta ainda com Centro de Tecnologia da Informação, incluindo 2 Laboratórios de Informática, cada um com Área de 39 m² e 20 Sistemas de Processamento de Informações instalados e configurados em Rede Local com Solução Funcional de Acesso à Internet. EQUIPAMENTOS APLICATIVOS PARA APOIO TÉCNICO [Sistema Operacional]

15 Propriedade Valor Windows 7 Professional Nome Windows 7 Professional x64 Service Pack [Informações da CPU] Propriedade Valor CPU #1 Intel Core i Nome da CPU Intel(R) Core(TM) i GHz Nome Código da CPU Ivy Bridge Fabricante GenuineIntel Number of Bits 64 Number of Cores [Memória] Propriedade Valor Installed Memory 8192 MB Channels Dual Slots de Memória 2 Tipo de Memória DDR3 [PC ] Velocidade 1600 MHz (800 x 2) [Dispositivos de Armazenamento] Propriedade Fabricante Modelo Tamanho Velocidade Rotacional Valor Seagate ST1000DM003-1CH GB 7200 RPM [Vídeo] Propriedade Valor Video Adapter AMD Radeon HD 7470 Processador de Vídeo ATI display adapter (0x6778) Tipo de adaptador DAC Internal DAC(400MHz) Memória 1024 MBytes [Sound Devices] Propriedade Valor AMD High Definition Audio Device [Monitor] Monitor DELL E1913(Digital) Modelo DELL E1913 ID do Monitor DELD052 Fabricante Dell Inc. Tamanho da Tela 19.1" (41 cm x 26 cm) [ Teclado-Mouse ]

16 Teclado Dell com entrada USB, em Português Mouse Dell Óptico [Adaptadores de Rede] Adaptador de Rede Modelo Realtek PCIe GBE Family Controller Fabricante Realtek Velocidade 1000 Mbps [Placa Mãe] Propriedade Valor Sumário Fabricante Dell Inc. Modelo 0TVR1F Versão A01 Número Serial /FRHD6W1/BR C00YW/ Bridge North Bridge Intel Ivy Bridge Revisão 09 South Bridge Intel H61 Revisão B2 Soquete da CPU Socket 1155 LGA Roteadores xdsl e Dedicados com Security Suite, Wired e Wireless Access Points com Security Suite Switchers de 24 Portas Operacionais Testador para Cablagens Multímetros Digitais Pulseiras Anti-Estáticas e Mantas Emborrachadas ESD para Bancadas Kits de Ferramentas para PC Hardware Alicates para Crimpagem Caixas de Cabos Pares Trançados para Redes Cat5e e CAT6 Também poderá fazer uso de Versões Livres de Sistemas Operacionais, Softwares Aplicativos Abertos para Atividades Técnicas Home - Office, Projetos Básicos Auxiliados por Tecnologias da Informação, Configuração Técnicas Funcionais de Equipamentos e Dispositivos, Sistemas para Levantamento de Ativos, Testes Funcionais e de Desempenho de Serviços, Conexões, Equipamentos, Segurança Digital, Jigatests para Depuração e Homologação de outros Softwares, Desenvolvimento de Ferramentas Web, Edição de Imagens e outras Ferramentas Lógicas que já se encontram e/ou que poderão ser instaladas diretamente nos PCs dos Laboratórios de Informática, nas Salas de Aulas ou até mesmo Virtualizados adequadamente através da Rede Local ou pela própria Internet. SOFTWARES APLICATIVOS PARA APOIO TÉCNICO MS-Windows XP, 7 e 8 MS-Windows Server 2003 e 2008 Canonical Ubuntu em várias Versões Server e End User, entre outras Virtual Box, Virtual PC, DivX Suite, entre outras Open Office, BR Office, Microsoft Office On-line, entre outras BlackBox2, SIW, CPUID, CPU-Z, Core Temp, CPUID HWMonitor, GPU-Z, TMonitor, CrystalDiskInfo, CrystalDiskMark, CheckUDisk, H2testW, Auslogic Disk Defrag, Simulador de Defeitos (Intel), entre outras CISCO PacketTracer, Wireshark, NeoTrace, Wi-Fi Inspector, inssider, entre outras 16

17 Linguagens C e C++ Visual Studio Microsoft Visio entre outras DBDesigner e outras MySQL, MS-SQL PHP ou ASP.Net JAVA Eclipse ou NetBeans Bloco de Notas, Notepad ++, HTML KIT, entre outras. - Versões Indicadas: (HTML 5.0 e CSS 3.0 ou Superiores) Android, IOS e MS-Windows Phone Os Professores também poderão se utilizar de Quadro Negro, Quadro Branco, Apresentações Digitais e Apostilas para ministrar suas Aulas, a partir da seguinte Infraestrutura Física: Salas de Aulas Num total de oito Salas com dimensões internas de 9,50 m x 5,50 m e área de 52,25 m², Cobertura com telha de barro tipo romana, revestidas com manta termo acústica e forro em PVC. Janelas, em número de duas, para ventilação e entrada de luz natural de 1,80 m x 1,00 m. A ventilação forçada será feita através de dois ventiladores. Lousa em fórmica verde quadriculada com 4,30 m x 1,20 m. As Salas dispõem de ampla acomodação, com carteiras tipo universitárias, em número 50, em obediência a legislação que prevê o número de 1,20 alunos por metro quadrado, estando, portanto, adequadas para Aulas Expositivas e Provas Teóricas. Uma diversificada Biblioteca de 74 m² com vários Títulos atuais, além de Acesso à Conexões de Rede Local e Internet para Pesquisa Direcionada aos Assuntos de Interesse fornecem também Suporte necessário aos Alunos e Professores em busca de Conhecimento Técnico e Crescimento Intelectual. O Estabelecimento possui ainda Auditório, com piso em três níveis, nas dimensões internas de 8,0 m x 12 m perfazendo uma área de 96 m², adequado para abrigar 100 Alunos sentados em carteiras tipo universitárias. A ventilação e iluminação natural são feitas através de seis janelas de 1,50 m x 1,00 m. A ventilação forçada será realizada através de 04 ventiladores; a iluminação artificial feita através de 06 lâmpadas HO-110 Watts. A lousa será em fórmica verde quadriculada de 9.00 m x 1,20 m. Essas Características Físicas apropriam este Ambiente para Aulas, Palestras, Congressos e Mini Cursos. 08 PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO ENVOLVIDO NO CURSO O Princípio de formar para o Mundo do Trabalho e não necessariamente apenas para o Mercado de Trabalho deve refletir diretamente sobre o Perfil Profissional do Professor a ser contratado, pois o Corpo Docente deve ter Competência Técnica e Humana com o objetivo de relacionar Aplicações Práticas às Teorias apresentadas conforme os Módulos do Curso vão se sucedendo, objetivando propiciar a Auto-realização de seus Alunos. Portanto a Escolarização Técnica deverá incorporar o Trabalho Humano como uma das Dimensões Educativas a ser levada em conta na Formação do Educando. Compete, portanto, aos Educadores capacitar seus Alunos para o domínio dos Princípios Científicos e Tecnológicos que influenciam e norteiam a Produção moderna, preparando-os para o exercício das Profissões Técnicas não se esquecendo de sua Formação Global. Serão admitidos para Docência na Educação Profissional de Nível Técnico os Profissionais com Formação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Banco de Dados, Geoprocessamento, Gestão da Tecnologia da Informação, Gestão de 17

18 Telecomunicações, Jogos Digitais, Redes de Computadores, Redes de Telecomunicações, Segurança da Informação, Sistemas de Telecomunicações, Sistemas para Internet, Telemática, Processamento de Dados, Análise de Sistemas, Sistemas de Informação, Engenharias ou Programas Especiais de Formação na Área Profissional objeto do Curso e em seus Correspondentes Curriculares. Poderão ainda, ser admitidos para a Docência na Educação Profissional de Nível Técnico devidamente autorizado pelo respectivo Órgão Supervisor, de acordo com a seguinte Ordem Preferencial: Na falta de Profissionais graduados nas Áreas de Engenharia e em Nível Superior nas Áreas Específicas anteriormente citadas, os Graduados em Áreas Profissionais ou de Estudos correspondentes e que tenham comprovada Experiência Profissional nas Áreas abrangidas pelo Curso em questão; Ainda na falta de Profissionais Graduados conforme anteriormente especificados, Técnicos de Nível Médio nas Áreas afins do Curso proposto, desde que com comprovada Experiência Profissional nas devidas Áreas; E na falta de Profissionais de Nível Técnico com comprovada Experiência, outros Profissionais reconhecidos por sua Experiência Profissional nas Áreas de Concentração de Ensino Técnico anteriormente citadas. Diretor Prof. Roberto Pacheco de Oliveira Pedagogo; Especialista em Engenharia Elétrica Coordenador do Curso Prof. Arnaldo Cozin Filho Pedagogo Engenheiro Eletricista / Modalidades Eletrônica & Eletrotécnica Especialista - Análise de Sistemas Redes de Comunicações Mestre - Engenharia Elétrica - Instrumentação & Controle Industrial Prof. ARNALDO COZIN FILHO Docente das Disciplinas de Eletroeletrônica Básica, Hardware de Sistemas Proc. Informações, Cabeamento Estruturado para Redes de T. I., Protocolos e Segurança para Redes de T. I., Inglês Técnico Instrumental e Desenvolvimento de Projetos. Prof. EDER JOSE ALMEIDA DA SILVA Docente das Disciplinas de Sistemas Operacionais Padrão MS-Windows, Sistemas Operacionais para Redes de T. I. Lógica de Programação, Linguagens de Programação, Análise e Estruturas de Dados e Inglês Técnico Instrumental e Desenvolvimento de Projetos. Prof. LUCAS PACHECO DE OLIVEIRA Docente das Disciplina de Inglês Instrumental Prof. PAULO HENRIQUE LOPES CABRAL Docente das Disciplinas de Sistemas Operacionais Padrão MS-Windows, Sistemas Operacionais LINUX Distros, Hardware de Sistemas Proc. Informações, Cabeamento Estruturado para Redes de T. I., Sistemas Operacionais para Redes de T. I. e Protocolos e Segurança para Redes de T. I. e Desenvolvimento de Projetos. BIBLIOGRAFIA BELEZIA, Eva Chow; RAMOS, Ivone Marchi Lainetti. Núcleo Básico: Planejamento e Desenvolvimento do TCC. São Paulo: Fundação Padre Anchieta,

19 BORGES JÚNIOR, Maurício Pereira. Aplicativos Móveis: Aplicativos para Dispositivos Móveis Usando C#.Net com a Ferramenta Visual Studio Net e MYSQL e SQL Server. Editora Ciência Moderna. CGI Comitê Gestor Internet no Brasil. Cartilha de Segurança para Internet, V4.0. São Paulo, CROCE FILHO, Ralfe Della; RIBEIRO, Carlos Eduardo. Informática, Programação de Computadores. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, DATE, C. J. Introdução a Sistemas de Banco de Dados. Elsevier Editora, DE SOUSA, Lindeberg Barros. Projeto e Implementação de Redes Fundamentos, Arquiteturas, Soluções e Planejamento. Editora Érica, DEITEL, Harvey M.; DEITEL, Paul J. C# Como Programar. 1ª Brasil: Makron Books, DEITEL, Harvey M.; DEITEL, Paul J. Java: Como Programar. Prentice Hall. DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo Transformando Ideias em Negócios. Editora Elsevier - Campus, ELMASRI, R.; NAVATHE, S. B. Sistemas de Banco de Dados. 4ª Edição. Pearson- Addison-Wesley, FARIAS, Paulo César Bento. Treinamento Profissional em Redes Wireless. Editora Digerati/ Universo dos Livros. FERRARI, Roberto. Empreendedorismo para Computação Criando Negócios de Tecnologia. Editora Campus, FILIPPETTI, Marco Aurélio. CCNA 4.1 Guia Completo de Estudo. Editora Visual Books, FORBELLONE, André L. V. Lógica de Programação. 3ª Edição: Makron Books, FREEMAN, E. Use a Cabeça Padrões de Projetos. 2ª Edição. Editora Alta Books, FURGERI, Sérgio. Java 7 Ensino Didático. 2ª Revisada e Atualizada Brasil: Érica, GARCIA-MOLINA, Hector; ULLMAN, Jeffrey D.; WIDOM, Jennifer. Database Systems: The Complete Book. 2ª Edição. Prentice Hall, HEUSER, Carlos Alberto. Projeto de Banco de Dados. 6ª Edição. Bookman, KORTH, H. F.; SILBERSCHATZ, A.; SUDARSHAN, S. Sistema de Banco de Dados. 5ª Edição. Campus, LECHETA, Ricardo R. Google Android. Aprenda a Criar Dispositivos Móveis com o Android SDK. Editora Novatec. MACKIN, J. C.; NORTHRUP, Tony; Kit de Treinamento MCTS (Exame ) Configuração do Windows Server 2008: Infra-estrutura de Rede. 2ª Edição. Bookman Editora 19

20 MANZANO, José Augusto N. G. Estudo Dirigido de Microsoft Visual C# 2012 Express. 1ª Brasil: Érica, MANZANO, Jose Augusto N. G.; OLIVEIRA, Jayr Figueiredo de. Algoritmos Lógica para Desenvolvimento de Programação de Computadores. 22º São Paulo: Érica, MANZANO, José Augusto N. G.; TOLEDO, Suely Alves de. Guia de Orientação e Desenvolvimento de Sites HTML, XHTML, CSS e JavaScript/ JScript. 2ª Brasil: Érica, MARIN, Paulo Sérgio. Cabeamento Estruturado Desvendando Cada Passo: Do Projeto à Instalação. Editora Érica, MAUAD, Sérgio Augusto; PEREZ, Lenita; SILVA, Amauri F. Núcleo Básico: Key to English. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, MAUAD, Farid C.; NÉRY, Norberto. Eletricidade Básica Volumes 1 e 2. Editora INTEC, MACKIN, J. C.; MILLER, David R.; MANCUSO, Paul; POLICELLI, John; THOMAS, Orin; McLEAN, Ian. Kit de Treinamento MCITP (Exame ) Windows Server 2008: Administrador da Empresa. 2ª Edição. Bookman Editora. MEGID, Cristiane Maria; CAMPANA, Suely Betanho. Núcleo Básico: Linguagem, Trabalho e Tecnologia. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, MILANI, André. Programando para IPhone e IPad Aprenda a Construir Aplicativos para o IOS. Editora: Novatec, MIZRAHI, Victorine Viviane. Treinamento em Linguagem C. 2º Brasil: Pearson Education Br, OLIVEIRO, Carlos A. J. Faça um Site: JavaScript Orientado por Projeto: Scripts Baseados em Objetos. São Paulo: Editora Érica, OLIVIERO, Carlos A. J. Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto para Windows. 1ª Brasil: Érica, PEREIRA, Lúcio Camilo O. Android para Desenvolvedores. Editora Brasport. PIVA, Gustavo Dibbern; OLIVEIRA, Wilson José. Informática, Análise e Gerenciamento de Dados. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, RAMAKRISHNAN, R.; GEHRKE, J. Sistemas de Gerenciamentos de Bancos de Dados. 3ª Edição. McGraw Hill Brasil, REIS, Catarina; FONSECA, Nuno. Desenvolvimento em IOS IPhone, IPad e IPod Touch Curso Completo. Editora: Lidel-Zamboni, RÉU JUNIOR, Evaldo Fernandes. Informática, Redes e Manutenção de Computador. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, RODRIGUES, Luciene Cavalcanti. Informática, Sistemas Operacionais e Softwares Aplicativos. São Paulo: Fundação Padre Anchieta, RUFINO, Nelson Murilo de O. Segurança em Redes sem Fio. Editora Novatec,

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: TÉCNICO EM INFORMÁTICA Qualificação:

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2 NÚMERO DE VAGAS: 25 (Vinte e Cinco) Vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS 01 de Novembro de 2013 CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA A Fundação Visconde

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações

Universidade. Estácio de Sá. Informática e Telecomunicações Universidade Estácio de Sá Informática e Telecomunicações A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Programa de Residência C.E.S.A.R/ Datacom

Programa de Residência C.E.S.A.R/ Datacom Programa de Residência C.E.S.A.R/ Datacom Desenvolvimento de Sistemas Embarcados e Gerência de Redes Edital do Processo Seletivo 2011.2 Setembro / 2011 V01.00 CONTEÚDO CONTEÚDO... 2 1. APRESENTAÇÃO DO

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Configuração de Redes de Computadores Linux. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Configuração de Redes de Computadores Linux. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES SOBRE O CURSO Redes de computadores são fundamentais para as corporações garantirem agilidade na troca de informações e arquivos. Portanto, o tecnólogo de Rede de Computadores

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Programador de Dispositivos Móveis. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Programador de Dispositivos Móveis. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PARECER CEE/PE Nº 35/2008-CEB APROVADO PELO PLENÁRIO EM 08/04/2008 I RELATÓRIO:

PARECER CEE/PE Nº 35/2008-CEB APROVADO PELO PLENÁRIO EM 08/04/2008 I RELATÓRIO: INTERESSADO: SENAC CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO RECIFE JOÃO RODRIGUES MAIA ASSUNTO: AUTORIZAÇÃO DO CURSO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO E SUPORTE DE REDES E DE SISTEMAS

Leia mais

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DOS PROFISSIONAIS QUE DEVERÃO COMPOR AS EQUIPES TÉCNICAS PREVISTAS NESSA CONTRATAÇÃO PARA AMBOS OS LOTES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

Curso: Tecnologia em Sistemas para Internet. PLANO de ENSINO. DISCIPLINA CÓD. DISCIPLINA PROFESSOR Programação para Web I G2116 Fabiano Alves de Souza

Curso: Tecnologia em Sistemas para Internet. PLANO de ENSINO. DISCIPLINA CÓD. DISCIPLINA PROFESSOR Programação para Web I G2116 Fabiano Alves de Souza Campus: Engenheiro Coelho Curso: Tecnologia em Sistemas para Internet PLANO de ENSINO DISCIPLINA CÓD. DISCIPLINA PROFESSOR Programação para Web I G11 Fabiano Alves de Souza ANO/SEMESTRE CRÉDITOS CARGA

Leia mais

AULA 9: REDES SEM FIO

AULA 9: REDES SEM FIO AULA 9: REDES SEM FIO Objetivo: Detalhar conceitos sobre a aplicação, configuração, métodos utilizados para autenticação de usuários e segurança de acesso a redes sem fio. Ferramentas: - Emuladores de

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática. Sistema Operacional Proprietário Windows Prof. Walter Travassos

FTIN Formação Técnica em Informática. Sistema Operacional Proprietário Windows Prof. Walter Travassos FTIN Formação Técnica em Informática Sistema Operacional Proprietário Windows Prof. Walter Travassos Aula 01 SISTEMA OPERACIONAL PROPRIETÁRIO WINDOWS Competências do Módulo Instalação e configuração do

Leia mais

Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 31/01/2004, autorizado pela Portaria CEE/GP- 24 de 31/01/2004.

Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 31/01/2004, autorizado pela Portaria CEE/GP- 24 de 31/01/2004. Este plano de curso é válido para turmas iniciadas a partir de 31/01/2004, autorizado pela Portaria CEE/GP- 24 de 31/01/2004. 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS JUSTIFICATIVA Bases Legais A habilitação profissional

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

UEMG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MINAS GERAIS UNIDADE ITUIUTABA PROJETO DE EXTENSÃO APRENDENDO SOBRE INTERNET E REDES DE COMPUTADORES

UEMG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MINAS GERAIS UNIDADE ITUIUTABA PROJETO DE EXTENSÃO APRENDENDO SOBRE INTERNET E REDES DE COMPUTADORES UEMG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MINAS GERAIS UNIDADE ITUIUTABA PROJETO DE EXTENSÃO APRENDENDO SOBRE INTERNET E REDES DE COMPUTADORES Autor: Prof. Flávio Euripedes de Oliveira ITUIUTABA-MG 2014 0 EQUIPE A

Leia mais

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final

Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Simplifique: consolidando a gestão do ambiente de trabalho do usuário final Para muitas organizações, a rápida proliferação das tecnologias para o usuário final tem demonstrado uma ambigüidade em seus

Leia mais

MBA EM ARQUITETURAS DE REDES E CLOUD COMPUTING

MBA EM ARQUITETURAS DE REDES E CLOUD COMPUTING MBA EM ARQUITETURAS DE REDES E CLOUD COMPUTING Você é um profissional de infraestrutura capaz de integrar Redes, Sistemas/Software e Banco de Dados em datacenters e utilizar técnicas de virtualização em

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015. 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL (PCI) Edital nº002/2015 2º Processo Seletivo do PCI/IBICT de 2015 O INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT), Unidade de Pesquisa do Ministério

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores

Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação de Apoio a Escola Técnica Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores Título do Curso Montador e Reparador

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Atividades Complementares Sistemas de Informação 1. Introdução Nos cursos de graduação, além das atividades de aprendizagem articuladas pelas disciplinas que compõem a matriz curricular, deverão ser inseridas

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec: Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES Das

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL DE PROGRAMADOR WEB Campus Lages Junho/2014 Parte 1 (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE 1. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SOBRE O CURSO A tecnologia ocupa papel de destaque no atual cenário socioeconômico mundial, presente em todos os setores e atividades econômicas. Essa revolução transformou o mundo

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem

EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Relação de Títulos Informação e Comunicação. Aprendizagem EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Relação de s Informação e Comunicação Aprendizagem Código Capacitação 252 Administrador de Banco de Dados 253 Administrador de Redes 1195 Cadista 1291 Desenhista

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Módulo I - Introdução. Faculdade Christus Sistemas de Informação 17/09/2010. Carlos Eugênio Torres Engenheiro de Informática http://cetorres.

Módulo I - Introdução. Faculdade Christus Sistemas de Informação 17/09/2010. Carlos Eugênio Torres Engenheiro de Informática http://cetorres. Módulo I - Introdução Aula 2 Carlos Eugênio Torres Engenheiro de Informática http://cetorres.com Faculdade Christus Sistemas de Informação 17/09/2010 Graduado em Ciência da Computação pela UFC, Brasil

Leia mais

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS 1. Identificação Curso Técnico em Informática Unidade São José Coordenador da S.A Walter André de Almeida Pires Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s)

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET SOBRE O CURSO Com o crescimento da internet, novos hábitos de consumo e inovadoras formas de negócio surgiram. A sociedade está cada vez mais conectada, acelerando

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: Redes de Computadores MISSÃO DO CURSO Com a modernização tecnológica e com o surgimento destes novos serviços e produtos, fica clara a necessidade de profissionais

Leia mais

I. DO PROCESSO SELETIVO 1.1. O processo seletivo docente será composto de três etapas: homologação da inscrição, prova didática e entrevista.

I. DO PROCESSO SELETIVO 1.1. O processo seletivo docente será composto de três etapas: homologação da inscrição, prova didática e entrevista. Rua do Salete, 50, Barris - Salvador - Bahia. Tel: (71) 2108-8562 / 2108-8503 home page: www.cairu.br - E-mail: presidencia@fvc.br E D I T A L A FVC - Fundação Visconde de Cairu, informa a abertura das

Leia mais

Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).

Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). DOCENTE PROFESSOR CELSO CANDIDO Formação: o Bacharel em Sistemas de Informações (SI); o MBA em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Conhecimentos: o Web Designer; o Arquitetura de Máquina; o Implementação

Leia mais

TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES SOBRE O CURSO No mercado atual, empresas de todos os portes das pequenas às grandes corporações multinacionais já contam com redes de computadores. A atuação de um tecnólogo

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Introdução a Computação Móvel

Introdução a Computação Móvel Introdução a Computação Móvel Computação Móvel Prof. Me. Adauto Mendes adauto.inatel@gmail.com Histórico Em 1947 alguns engenheiros resolveram mudar o rumo da história da telefonia. Pensando em uma maneira

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

CASE PRÊMIO ANSP 2005

CASE PRÊMIO ANSP 2005 CASE PRÊMIO ANSP 2005 1 BVP HAND: Mobilidade para fazer cotações através de dispositivos portáteis. Índice...2 Resumo Executivo...3 Clientes no Brasil...4 1. Sinopse...5 2. Problema...6 3. Solução...7

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013

CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 CURSOS TÉCNICOS 1º SEMESTRE/2013 NOVEMBRO/2012 1) CURSOS OFERTADOS: Automação Industrial Eletrônica Eletrotécnica* Informática Informática para Internet* Mecânica* Química* Segurança do Trabalho* * Cursos

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO REGIMENTO INTERNO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA ESCOLA DO PARLAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Sumário TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO I Da Caracterização do Curso... 3 CAPÍTULO

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide

UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide - SEPesq UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide 1. Introdução Diego Augusto de Jesus Pacheco Giovani Geremia Segundo Vargas (2012) é perceptível que uma

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

MANUAL DA BOLSA FORMAÇÃO E CURSOS PRONATEC

MANUAL DA BOLSA FORMAÇÃO E CURSOS PRONATEC FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE FABET FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA FATTEP CENTRO DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NO TRANSPORTE CETT MANUAL DA BOLSA FORMAÇÃO E CURSOS PRONATEC

Leia mais

INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores

INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores EMENTA: Credencia o Instituto de Educação Profissional SOS Computadores, nesta Capital, e reconhece o curso de educação profissional técnica

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Monsenhor Antônio Magliano. Código: 088 Município: Garça. Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais. Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Período/ Fase: 1º Semestre: 1º Ano: 2011 Disciplina: Programação de Computadores I (PGC21) Carga Horária: 72 horas/aula

PLANO DE ENSINO. Período/ Fase: 1º Semestre: 1º Ano: 2011 Disciplina: Programação de Computadores I (PGC21) Carga Horária: 72 horas/aula PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Sistemas de Informação Professores: Carlos Alberto Zorzo zorzo@uniarp.edu.br Período/ Fase: 1º Semestre:

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico:

Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial 4.1-Histórico: O Curso Superior de Tecnologia em Manutenção Industrial da Faculdade Sul Fluminense FASF, tendo como Entidade Mantenedora o Instituto

Leia mais

Gestão de pessoa. Prof: Itair Pereira da Silva

Gestão de pessoa. Prof: Itair Pereira da Silva Gestão de pessoa Prof: Itair Pereira da Silva OBJETIVOS: Conhecer fundamentos e conceitos essenciais sobre a Gestão de Pessoas, desenvolvendo competências que lhes permitam conquistar melhores resultados

Leia mais

CARTILHA DO SISTEMA DE CONFERÊNCIA WEB. Núcleo de Tecnologia da Informação da Comunicação

CARTILHA DO SISTEMA DE CONFERÊNCIA WEB. Núcleo de Tecnologia da Informação da Comunicação CARTILHA DO SISTEMA DE CONFERÊNCIA WEB Núcleo de Tecnologia da Informação da Comunicação 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA UNIPAMPA NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NTIC CARTILHA DO

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

Perguntas e respostas sobre o curso superior tecnológico a distância do Centro Paula Souza

Perguntas e respostas sobre o curso superior tecnológico a distância do Centro Paula Souza Perguntas e respostass sobre o curso superior tecnológico a distância do Centro Paula Souza 1) Posso fazer este novo curso superior de tecnologia em Gestãoo Empresarial na modalidade EaD do Paula Souza

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Ferramentas Online. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Ferramentas Online. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

EDITAL SENAI DE INSCRIÇÕES PARA ACESSO A VAGAS EM CURSOS TÉCNICOS 2015.2

EDITAL SENAI DE INSCRIÇÕES PARA ACESSO A VAGAS EM CURSOS TÉCNICOS 2015.2 EDITAL SENAI DE INSCRIÇÕES PARA ACESSO A VAGAS EM CURSOS TÉCNICOS 2015.2 O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - Departamento Regional de Roraima SENAI- RR, torna público o Edital para ingresso

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental

Leia mais

NOSSA ESCOLA... 29 ANOS DE TRADIÇÃO E QUALIDADE, FAZENDO HISTÓRIA NO PRESENTE E NO FUTURO!!! Do Maternal I ao 5º ano SERVIÇOS E CURSOS QUE OFERECEMOS

NOSSA ESCOLA... 29 ANOS DE TRADIÇÃO E QUALIDADE, FAZENDO HISTÓRIA NO PRESENTE E NO FUTURO!!! Do Maternal I ao 5º ano SERVIÇOS E CURSOS QUE OFERECEMOS NOSSA ESCOLA... 29 ANOS DE TRADIÇÃO E QUALIDADE, FAZENDO HISTÓRIA NO PRESENTE E NO FUTURO!!! Do Maternal I ao 5º ano SERVIÇOS E CURSOS QUE OFERECEMOS EDUCAÇÃO INFANTIL Maternal I ao jardim II Faixa etária:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 201 Ensino Técnico ETEC DR. FRANCISCO NOGUEIRA DE LIMA Código: 0059 Município: Casa Branca Área Profissional: Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional:

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%.

da mão-de-obra de TI da América Latina está no Brasil (considerado o maior empregador do setor) seguido pelo México com 23%. Informações de Tecnologia A tecnologia virou ferramenta indispensável para as pessoas trabalharem, se comunicarem e até se divertirem. Computação é a área que mais cresce no mundo inteiro! Esse constante

Leia mais

TALENTEDGE. Ofertas diversificadas QUEM SOMOS

TALENTEDGE. Ofertas diversificadas QUEM SOMOS TALENTEDGE QUEM SOMOS A C.T.I.C., Colégio de Tecnologias de informação e Comunicação representa a marca TALENTEDGE em Angola. A TALENTEDGE Angola é o resultado de uma franchise com a TALENTEDGE Índia,

Leia mais

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Guia do Aluno da Graduação Personalizada em Gestão da Tecnologia da Informação

Guia do Aluno da Graduação Personalizada em Gestão da Tecnologia da Informação Guia do Aluno da Graduação Personalizada em Gestão da Tecnologia da Informação Prezado Aluno, Seja bem-vindo à Graduação Personalizada em Gestão da Tecnologia da Informação! Antes de dar início à sua graduação

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET SOBRE O CURSO A internet possibilita novos hábitos de consumo e inovadoras formas de negócios. Essa evolução tende a modificar cada vez mais as estruturas da sociedade,

Leia mais

acesse: vouclicar.com

acesse: vouclicar.com Transforme como sua empresa faz negócios, com o Office 365. Vouclicar.com A TI chegou para as pequenas e médias empresas A tecnologia é hoje o diferencial competitivo que torna a gestão mais eficiente,

Leia mais

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web

TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 01 TOPLAB VERSÃO WEB 3.0 Solução completa para o gerenciamento de laboratórios de análises clínicas Interface web Página 02 Plataforma O TOPLAB foi projetado para funcionar na web, nasceu 'respirando

Leia mais