CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE:"

Transcrição

1 ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: MÉDICO OFTALMOLOGISTA * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno de Questões, você encontra: - 28 questões ESPECÍFICAS - 12 questões de Português * Só inicie a prova após a autorização do Fiscal de Sala. * Duração da prova: 3 horas. O Candidato só poderá retirar-se do recinto das provas após 02 horas, contadas a partir do seu efetivo início. * O candidato só terá o direito de levar o caderno de prova após 02:30 horas do início dos trabalhos, e deixará apenas o Cartão de Respostas. * Caso o candidato opte em sair antes de 02:30 horas do início dos trabalhos; NÃO será permitido a anotação do gabarito seja qual for a forma. * Os Fiscais de Sala não estão autorizados a prestar quaisquer esclarecimentos sobre a resolução das questões; esta tarefa é obrigação do candidato. * Não é permitido que os candidatos se comuniquem entre si. É proibida também a utilização de quaisquer equipamentos eletrônicos. * O candidato receberá do Fiscal de Sala, 01 (hum) Cartão de Respostas correspondente às questões objetivas. * Assinale apenas uma opção em cada questão. Não deixe questão em branco, nem assinale mais de uma opção, para seu Cartão não ter questões anuladas. * O seu Cartão de Respostas é pessoal e insubstituível. Portanto, CUIDADO, não rasure, dobre ou amasse seu Cartão de Respostas pois em hipótese alguma ele será substituído, salvo por erro do fiscal ou por falha de impressão. Confira seus dados, leia as instruções para seu preenchimento e assinale no local indicado. * A assinatura no Cartão de Respostas é obrigatória. Assine o seu Cartão de Respostas (Gabarito). Cartão de Respostas sem assinatura acarretará na desclassificação do candidato. * O Gabarito desta prova estará disponível no dia 21/08/2017, no site * Para exercer o direito de recorrer contra qualquer questão, o candidato deve seguir as orientações constantes da Cláusula XIII do Edital do Concurso Público nº 001/2017 da PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO, de 05/06/2017. * Após o término da prova, o candidato deverá deixar a sala e em hipótese alguma poderá permanecer no estabelecimento onde realizou a mesma. BOA PROVA!!

2 PARTE I MÉDICO OFTALMOLOGISTA 01 - J.M.R., 06 anos, sexo masculino, procura Oftalmologista com quadro recorrente de fotofobia, prurido intenso, lacrimejamento e sensação de corpo estranho; associa à piora do quadro quando o tempo está quente ; nega asma ou dermatite alérgica; a biomicroscopia de segmento anterior de ambos os olhos revela grandes papilas diversas em tarsos superiores e inferiores, e algumas limbares, e secreção mucoide, além de uma úlcera corneana em escudo em olho direito; diante desta descrição, o diagnóstico mais provável é: A) Ceratoconjuntivite Atópica B) Ceratoconjuntivite Primaveril C) Ceratoconjuntivite Lenhosa D) Ceratoconjuntivite Límbica Superior E) Ceratoconjuntivite Penfigóide 02 - T.A.C., 49 anos, sexo masculino, é diabético há 04 anos, com glicemia em jejum de 267 mg/dl e, de forma subaguda, apresenta baixa de acuidade visual para longe; angustiado, procura seu médico Oftalmologista para uma consulta; o exame oftalmológico revelou: -Refração OD (olho direito) -2,75 esf AVL (acuidade visual para longe) 20/20; -Refração OE (olho esquerdo) -2,25 esf AVL (acuidade visual para longe) 20/20; -Biomicroscopia de segmentos anterior e posterior normal em ambos os olhos; -Tonometria de aplanação de 13 mmhg em ambos os olhos; Um dado importante a ser citado é que a Refração p/ longe de 06 meses atrás era de: OD+0,50 esf e OE +0,25 esf; esta descrição sugere: A) Retinopatia diabética B) Trombose venosa retiniana C) Miopia de índice D) Distrofia endotelial de Fuchs E) Glaucoma neovascular 03 - Um indivíduo portador de Doença de Stargardt apresenta acuidade visual de 20/200 em ambos os olhos; utilizando a Regra de Kestenbaum para prescrição de óculos, no intuito de melhorarmos a magnificação angular, acharíamos o valor de: A) +05,00 B) +15,00 C) +08,00 D) +20,00 E) +10, Baixa de visão desenvolvida por privação de estímulo ou por desarmonia binocular, na ausência de causa estrutural detectada ao exame oftalmológico, e que pode, em algumas situações, ser reversível por terapia específica. Embora, haja relatos de que possa ser definida como uma afecção central, do corpo geniculado lateral (com diminuição de neurônios) e de córtex visual... A descrição aqui é bem sugestiva de: A) Anisoiconia B) Estereopsia C) Diplopia D) Ambliopia E) Anisometropia 05 - Quanto à fisiologia motora dos músculos extraoculares, a Lei da correspondência motora ou inervação binocular equivale à Lei de: A) Hering B) Sherrington C) Listing D) Donders E) Prieto-Dìaz 06 - Na Flictenulose corneana, podemos encontrar com agentes mais comumente envolvidos: A) Streptococcus agalactiae e Chlamydia trachomatis. B) Mycoplasma hominis e Staphylococcus aureus. C) Streptococcus agalactiae e Mycoplasma hominis. D) Staphylococcus aureus e Mycobacterium tuberculosis. E) Mycobacterium tuberculosis e Chlamydia trachomatis Moraxella lacunata: A) É uma bactéria e comumente é a agente causadora da blefarite angular B) É um vírus e comumente é o agente causador da blefarite crônica anterior C) É um protozoário e comumente é o agente causador da blefarite crônica posterior D) É uma bactéria e comumente é a agente causadora da ptiríase palpebral E) É uma bactéria e comumente é a agente causadora de blefarite alérgica 08 Diante de um quadro de doença ativa moderada a grave de orbitopatia tireóidea de Graves, o tratamento de primeira linha seria: A) Radioterapia B) Imunomoduladores e biológicos C) Corticóides pulsos endovenosos D) Anti-inflamatórios não hormonais E) Descompressão orbitária 09 - Dentre os microrganismos abaixo, qual deles tem a capacidade de causar úlcera corneana atravessando o epitélio corneano íntegro: A) Aspergillus sp B) Fusarium sp C) Candida albicans D) Chlamydia trachomatis E) Neisseria gonorrhoeae 10 - Apesar da possibilidade da existência de flora mista, os microrganismos mais frequentemente encontrados como causadores de Endoftalmite pós-traumática são: A) Propionebacterium acnes e Candida albicans B) Streptococcus spp e Propionebacterium acnes C) Candida albicans e Streptococcus spp D) Staphylococcus spp e Bacillus spp E) Chlamydia trachomatis e Streptococcus spp

3 11 - Na Doença Tireoidiana Ocular, O Sinal de Kocher significa: A) O atraso na descida da pálpebra superior, quando do olhar para baixo, devido à retração palpebral B) A aparência de olhar espantado e fixo determinado pela Retração palpebral C) A oftalmoplegia causada pela miopatia restritiva D) A baixa de visão determinada pela neuropatia óptica compressiva E) A hiperemia conjuntival focal nos contornos dos tendões dos retos horizontais, causada pela inflamação muscular 12 - Estatisticamente, a causa mais comum de Celulite orbitária Bacteriana é: A) Sinusopatia etmoidal B) Dacriocistitopatias C) Odontopatias D) Trauma orbitário E) Após cirurgia de descolamento de retina 13 - O principal agente causador da Canaliculite Crônica é: A) Micoplasma ssp B) Mycobacterium tuberculosis C) Ureaplasma urealyticum D) Pneumocystis carinii E) Actinomyces israelli 14 - Sobre Pterígio, todas as afirmativas são verdadeiras, exceto: A) O depósito de ferro que aparece na córnea, adjacente ao capuz do pterígio, sob a forma de linha arqueada, nos pterígios de longa data, é chamada de Linha de Voght B) É uma massa fibrovascular triangular e sobrelevada que cresce na conjuntiva e migra em direção à córnea C) Há relação estreita entre exposição aos raios ultravioletas e desenvolvimento de pterígio D) Elastodisplasia e elastodistrofia são comuns na histopatologia do pterígio E) O pterígio é divido em 03 partes: capuz, cabeça e corpo 15 - O Sinal de Hutchinson é encontrado em: A) Herpes Simples Ocular B) Tuberculose Ocular C) Hanseníase Ocular D) Herpes Zoster Ocular E) Sífilis Ocular 16 - A catarata estrelada subcapsular posterior é encontrada na (o): A) Diabetes Mellitus B) Dermatite Atópica C) Distrofia miotônica D) Blefaroespasmo essencial E) Sarcoidose 17 - J.C.R., 38 anos, sexo masculino, procura oftalmologista com queixas de baixa de visão em ambos os olhos há 20 dias; conduz consigo um relatório clínico de uma doença recorrente na qual apresentava úlceras orais e genitais, e eritema nodoso; ao exame oftalmológico, vê-se: iridociclite aguda e sinais de vasculite retiniana; provavelmente estamos diante de um caso clínico de: A) Sarcoidose B) Síndrome de Vogt-Koyanagi-Harada C) Síndrome de Vogt-Koyanagi D) Doença de Harada E) Doença de Beçet 18 - O sinal do T, é um achado ultrassonográfico da: A) Esclerite anterior nodular B) Episclerite nodular C) Esclerite posterior D) Esclerite anterior difusa E) Episclerite difusa 19 - A Necrose Retiniana Progressiva que ocorre no paciente HIV (+) tem como etiologia: A) Pneumocystis carinii B) Vírus Varicella zoster C) Microsporidia ssp D) Toxoplasma gondii E) Cryptococcus neoformans 20 - No tratamento clínico do Glaucoma Crônico Primário de Ângulo Aberto, indivíduos alérgicos à sulfa devem ter restrições ao uso de: A) Inibidores Sistêmicos da Anidrase Carbônica B) β-bloqueadores tópicos C) α2-agonistas tópicos D) Mióticos tópicos E) Análogos das prostaglandinas tópicos 21 - Sobre Descolamento de Retina (DR), associe as colunas abaixo e marque a alternativa correta: I-DR Regmatogênico W-Retinopatia Falciforme X- Doença de Harada II-DR Tracional Y-Descolamento de vítreo posterior e Degeneração Lattice III-DR Exsudativo Z-Retinopatia da prematuridade A) I-W e Z; II-Y; III-X B) I-Y; II-W e Z; III-X C) I-Z; II-X; III-W e Y D) I-X; II- Y e Z; III-W E) I-Y; II-X e Z; III-W 22 - Das distrofias maculares abaixo, todas possuem herança autossômica dominante, exceto: A) Distrofia Macular Pseudo-Inflamatória de Sorsby B) Drusa Familiar Dominante C) Distrofia Macular da Carolina do Norte D) Distrofia Macular de Best E) Distrofia Macular Cristalina da Síndrome de Larsson- Sjögren 23 - Quais das drogas abaixo causam Córnea Verticillata? A) Amiodarona e Cloroquina B) Prednisona e Etambutol C) Acetazolamida e Hidroclorotiazida D) Omeprazol e Interferon α E) Alopurinol e Pirimetamina 24 - Do ponto de vista oftalmoscópico, a Neurite Óptica pode ser classificada em Neurite Retrobulbar, Papilite e Neurorretinite. A principal causa de Neurorretinite é: A) Esclerose Múltipla B) Doença de Devic C) Doença de Schilder D) Doença da Arranhadura do Gato E) Síndrome de Behr

4 25 - Sobre Degeneração macular relacionada à idade, é sabido que a suplementação com vitaminas antioxidantes (carotenoides, vitaminas C e E) e minerais (Selênio e Zinco) interfere na progressão desta doença; mas este tratamento não está isento de efeitos colaterais; das alternativas abaixo, marque a alternativa correta, de acordo com uso do suplemento e seu possível efeito colateral, quando usado em doses elevadas e por períodos prolongados: A) Vitamina C e interferência na função tireoidiana B) Zinco e diminuição do HDL C) Vitamina E e formação de cálculos renais D) Betacaroteno (carotenoides) e anemia E) Zinco e aumento do risco de acidente vascular cerebral hemorrágico 26 - Sobre a Síndrome do Bebê sacudido, é incorreto afirmar: A) É uma síndrome inócua e nunca ocorre lesão ocular B) As hemorragias retinianas, bilaterais ou unilaterais, envolvendo múltiplas camadas retinianas, são os achados oftalmológicos mais frequentes C) Pode evoluir com encefalopatia hemorrágica aguda D) Os principais agressores convivem com a criança agredida E) É uma Síndrome que necessita de atendimento multiprofissional 27 - Das conjuntivites abaixo, qual delas é caracterizada por secreção ocular mucopurulenta A) Conjuntivite Adenoviral B) Conjuntivite Clamidiana do adulto C) Conjuntivite Bacteriana Simples D) Síndrome Oculoglandular de Parinaud E) Conjuntivite por molusco 28 - Qual das drogas abaixo pode causar Glaucoma Agudo de Ângulo Fechado devido à efusão uveal e deslocamento anterior do diafragma iridocristaliniano? A) Interferon α B) Prednisona C) Tamoxifeno D) Cloroquina E) Topiramato

5 PARTE II - PORTUGUÊS As questões 32 e 33 referem-se ao texto seguinte: As questões de 29 e 30 referem-se ao poema seguinte: O Leitor e a Poesia Poesia não é o que o autor nomeia, é o que o leitor incendeia. Não é o que o autor pavoneia, é o que o leitor colha à colmeia. Não é o ouro na veia, é o que vem na bateia. Poesia não é o que o autor dá na ceia, mas o que o leitor banqueteia. (Affonso Romano de Sant Anna. Melhores poemas. 3. Ed. Seleção de Donaldo Schuler. São Paulo: Global, p. 150) 29 - Das afirmações seguintes: I. Em síntese, o eu lírico nega na definição de poesia que ela seja aquilo que o poeta pensa ou o que ele pretende comunicar. II. Segundo o eu lírico, poesia é o que nasce efetivamente do contato entre o poema e o leitor. III. O poema é construído por meio de paralelismo sintáticos e semânticos. A) Todos os itens estão corretos. B) Apenas os itens I e II estão corretos. C) Apenas os itens I e III estão corretos. D) Apenas os itens II e III estão corretos. E) Todos os itens estão incorretos No verso: (Poesia) não é o que o autor nomeia O vocábulo sublinhado tem a função sintática de: A) objeto direto B) complemento nominal C) agente da passiva D) predicativo do sujeito E) objeto indireto A questão 31 refere-se a tira seguinte: 31 - Os termos CARTUM e OBCECADO, na fala do desenhista, poderiam ser substituídos, respectivamente, por: A) piada e difamado B) desenho e vampiresco C) arte e obstinado D) tirinha e enganado E) cartão e apaixonado Para conter a carnificina em andamento, a Polícia Militar interveio com um helicóptero que foi simplesmente abatido pelos bandidos. Ao final do conflito, o número oficial era de 21 mortos (entre eles 3 PMs). A comoção foi amplificada pelo fato de que apenas 15 dias antes a cidade havia sido escolhida como sede dos Jogos Olímpicos de É como se na cena do filme em que o Bope invade o morro de helicóptero, os bandidos, em vez de fugir, tivessem derrubado a máquina. A realidade às vezes é mais estranha que a ficção. A situação das favelas cariocas está muito longe da descrita pelo filme. Enquanto na ficção o Bope sobe o morro, expulsa os bandidos e deixa um vácuo de poder ocupado pelas milícias, no mundo real, o batalhão ainda está muito longe de, ao menos, ter livrado as comunidades da violência. O Rio está recheado de zonas de tensão, com traficantes brigando entre si pelo controle do comércio de drogas e enfrentando a concorrência das milícias pelo domínio de vastas áreas da cidade. O tráfico não é um ator coadjuvante no cotidiano: ele ainda é protagonista das suas piores cenas. [...] (Maurício Svartman. Superinteressante, nov ) 32 - De acordo com o que se conhece da situação social no Rio de Janeiro, o que são as milícias a que o texto faz referência? A) São personagens típicos da ficção, presentes no filme. B) É o exército de outras regiões do país que auxiliava o Bope, no passado. C) São traficantes disfarçados, que usam carros oficiais e têm a imprensa a seu favor. D) São soldados da guarda oficial dos altos escalões do governo do Estado do Rio de Janeiro. E) São grupos de pessoas armadas (militares ou não) que disputam com os traficantes o domínio das favelas Sob a direção de José de Padilha, o filme Tropa de Elite 2 trata da situação de violência e crise social no Rio de Janeiro. Em que trecho o texto lido transmite a ideia de que uma das soluções para a violência na cidade é atuação do Bope (Batalhão de Operações Especiais)? A) Quando descreve o número de PMs mortos em conflito. B) No 2º parágrafo, quando reconhece que ficção e realidade se igualam. C) No 1º parágrafo, quando relata que um helicóptero da PM foi derrubado por bandidos. D) No 2º parágrafo, quando afirma que o batalhão ainda está muito longe de [...] ter livrado as comunidades da violência. E) Ao sugerir que o Bope deveria usar helicóptero para combater traficantes.

6 A questão 34 refere-se a tira seguinte: 37 - Assinale a alternativa que apresenta apenas vocábulos formados por derivação parassintética. A) empalidecer deslealdade B) amanhecer bruxaria C) entreter amolecer D) apedrejar engordar E) indispor passatempo 38 - Indique a alternativa em que o elemento mórfico destacado está classificado incorretamente: A) poeira sufixo B) adulta desinência verbal modo temporal C) olhos desinência nominal de número D) precisam desinência verbal número pessoal E) espalham radical 34 - O vocábulo SE no primeiro quadrinho desempenha no contexto a função de: A) conjunção subordinativa condicional B) conjunção subordinativa integrante C) substantivo D) índice de indeterminação do sujeito E) partícula expletiva 35 - A regência verbal está correta em todas as alternativas, exceto em: A) O garoto agradou seu cãozinho o dia todo. B) Catarina aspirava a uma casa própria. C) Esse direito assiste, exclusivamente, os advogados de defesa. D) Aquelas obras visavam ao bem da população. E) As crianças obedeceram ao avô Assinale a alternativa que completa corretamente o seguinte período: Saboreamos um tutu mineira, num restaurante aconchegante pouca distância do hotel, mais ou menos sete horas. A) à a às B) à à às C) a à às D) a a as E) à à as 40 - Nos versos: Alma minha gentil que te partiste Tão cedo desta vida [...] Identificamos a seguinte figura de linguagem: A) hipérbole B) metonímia C) eufemismo D) antítese E) ironia 36 - Observe o quadrinho a seguir: A oração enquanto eu vou ao Banco classifica-se no contexto como: A) subordinada adverbial consecutiva B) subordinada substantiva subjetiva C) subordinada substantiva apositiva D) subordinada adjetiva explicativa E) subordinada adverbial temporal

Alves Condutas Práticas em Oftalmologia. Amostras de páginas não sequenciais e em baixa resolução. Copyright 2013 Editora Guanabara Koogan Ltda.

Alves Condutas Práticas em Oftalmologia. Amostras de páginas não sequenciais e em baixa resolução. Copyright 2013 Editora Guanabara Koogan Ltda. Sumário Parte I Uveíte 1 Doença da Arranhadura do Gato...3 2 Doença de Behçet (DB)...5 3 Doença de Vogt-Koyanagi-Harada...8 4 Oftalmia Simpática...11 5 Retinite pelo Citomegalovírus...14 6 Sarcoidose Ocular...17

Leia mais

ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE TABIRA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: Médico Oftalmologista

ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE TABIRA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: Médico Oftalmologista ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE TABIRA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: Médico Oftalmologista * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno

Leia mais

Avaliação e Revisão de Itens Exercício

Avaliação e Revisão de Itens Exercício Avaliação e Revisão de Itens Exercício Prof. Valdes Roberto Bollela Departamento Clínica Médica FMRP USP Prof. FAIMER Institute Philadelphia-USA Prof. Instituto Regional FAIMER Brasil Introdução 1. INDIVIDUALMENTE:

Leia mais

www.saudedireta.com.br

www.saudedireta.com.br H00-H59 CAPÍTULO VII : Doenças do olho e anexos H00-H06 Transtornos da pálpebra, do aparelho lacrimal e da órbita H10-H13 Transtornos da conjuntiva H15-H19 Transtornos da esclera e da córnea H20-H22 Transtornos

Leia mais

08:00-10:30 CATARATA 1 - Cirurgia de catarata premium: de A a Z

08:00-10:30 CATARATA 1 - Cirurgia de catarata premium: de A a Z DIA 16/3/2017 - QUINTA-FEIRA AUDITÓRIO SÉRGIO BERNARDES 08:00-10:30 CATARATA 1 - Cirurgia de catarata premium: de A a Z 1º Bloco: LIOs Tóricas 08:00-08:10 Dispositivo para aferição do alinhamento intraoperatório

Leia mais

CURSOS DE TRANSFERÊNCIA E HABILIDADES SANTA CASA DE SÃO PAULO Período: 22/06 e 23/06

CURSOS DE TRANSFERÊNCIA E HABILIDADES SANTA CASA DE SÃO PAULO Período: 22/06 e 23/06 22/06 (quarta-feira) Programa Preliminar *Sujeito a alterações CURSOS DE TRANSFERÊNCIA E HABILIDADES SANTA CASA DE SÃO PAULO Período: 22/06 e 23/06 Atualizado em 08/04/2016 às 12h00 RETINA DAY 22/06 (quarta-feira)

Leia mais

Mini ebook DOENÇAS OFTALMOLÓGICAS NA TERCEIRA IDADE ALERTAS E RECOMENDAÇÕES

Mini ebook DOENÇAS OFTALMOLÓGICAS NA TERCEIRA IDADE ALERTAS E RECOMENDAÇÕES Mini ebook DOENÇAS OFTALMOLÓGICAS NA TERCEIRA IDADE ALERTAS E RECOMENDAÇÕES A manutenção da saúde ocular está diretamente relacionada com os exames de rotina realizados por um médico oftalmologista, em

Leia mais

1 a 2 % Introdução. Panorama Mundial. A prevalência do glaucoma no mundo é de aproximadamente

1 a 2 % Introdução. Panorama Mundial. A prevalência do glaucoma no mundo é de aproximadamente Coleção Glaucoma Coordenador: Dr. Carlos Akira Omi Volume 1. Conceito e Diagnóstico Volume 2. Exames complementares Volume 3. Tratamento clínico Volume 4. Tratamento cirúrgico Introdução O glaucoma é uma

Leia mais

Concurso Público Secretaria da Saúde do Estado de Rondônia CARGO: MÉDICO - OFTALMOLOGISTA

Concurso Público Secretaria da Saúde do Estado de Rondônia CARGO: MÉDICO - OFTALMOLOGISTA LÍNGUA PORTUGUESA Texto para as questões 1 e 2 Andorinha Andorinha lá fora está dizendo: - Passei o dia à toa, à toa! Andorinha, andorinha, minha cantiga é mais triste! Passei a vida à toa, à toa... Questão

Leia mais

A PREVENÇÃO faz a diferença

A PREVENÇÃO faz a diferença A Visão é um dos órgãos dos sentidos mais importantes Teve uma importância essencial no processo de desenvolvimento humano. A relação do homem com o mundo ganhou maior abrangência e segurança ao adquirir

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE:

CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: NUTRICIONISTA * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno de Questões,

Leia mais

Sumário DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SINTOMAS OCULARES 1 CÓRNEA 55 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SINAIS OCULARES 6 TRAUMA 13. Capítulo 1.

Sumário DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SINTOMAS OCULARES 1 CÓRNEA 55 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SINAIS OCULARES 6 TRAUMA 13. Capítulo 1. Capítulo 1 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SINTOMAS OCULARES 1 Capítulo 2 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE SINAIS OCULARES 6 Capítulo 3 TRAUMA 13 3.1 Queimadura Química 13 3.2 Abrasão Corneana 16 3.3 Corpos Estranhos

Leia mais

Disciplina de Oftalmologia

Disciplina de Oftalmologia Disciplina de Oftalmologia Estéticas Alternativa para o uso de óculos na correção de miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia. Maioria dos usuários são míopes Evita restrição do campo visual, grande

Leia mais

O PREDNIOCIL pomada oftálmica, possui na sua composição como única substância activa o Acetato de Prednisolona na concentração de 5 mg/g.

O PREDNIOCIL pomada oftálmica, possui na sua composição como única substância activa o Acetato de Prednisolona na concentração de 5 mg/g. PROJECTO DE FOLHETO INFORMATIVO PREDNIOCIL ACETATO DE PREDNISOLONA POMADA OFTÁLMICA Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

Leia mais

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO DO CURSO DE OFTALMOLOGIA. 1. Programa de Aulas/Discussões em Plástica Ocular, Vias Lacrimais e òrbita

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO DO CURSO DE OFTALMOLOGIA. 1. Programa de Aulas/Discussões em Plástica Ocular, Vias Lacrimais e òrbita Data: 05/03/2013 Paginas: 1/8 Revisão: 02 PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO DO CURSO DE 1. Programa de Aulas/Discussões em Plástica Ocular, Vias Lacrimais e òrbita REUNIÕES: segundas-feiras, 07:30-08:00h Informações

Leia mais

Mini ebook CUIDADOS COM A VISÃO ALERTAS E

Mini ebook CUIDADOS COM A VISÃO ALERTAS E Mini ebook CUIDADOS COM A VISÃO ALERTAS E Conheça lesões e doenças que podem comprometer o sistema visual. São informações rápidas para melhor entendimento do que pode ser feito para preservar a sua visão.

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA Concurso de Admissão Prova Escrita Dissertativa (16/11/2014) NEUROFISIOLOGIA CLÍNICA COREME / FCM / COMVEST

RESIDÊNCIA MÉDICA Concurso de Admissão Prova Escrita Dissertativa (16/11/2014) NEUROFISIOLOGIA CLÍNICA COREME / FCM / COMVEST NOME INSCRIÇÃO SALA LUGAR DOCUMENTO DATA DE NASC PROVA ESCRITA Neurofisiologia Clínica ESPECIALIDADE ASSINATURA DO CANDIDATO LOTE SEQ UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Ciências Médicas RESIDÊNCIA

Leia mais

DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE. A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a doença

DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE. A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a doença DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA A IDADE Paulo Augusto de Arruda Mello Filho INTRODUÇÃO A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é a doença ocular que acomete as regiões da retina e coróide responsáveis

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017 ÁREA DE CONHECIMENTO: CIRURGIA GERAL 4. Cuidados Pré, trans e pós operatório. 5. Resposta endócrina e metabólica ao trauma. 6. Infecção

Leia mais

Sumário. Apresentação. Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3

Sumário. Apresentação. Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3 Sumário Prefácio Apresentação XIII XV Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3 1. Tipologia do sujeito 6 Método para identificar o sujeito 6 Sujeito simples

Leia mais

PROGRAMAÇÃO. CATARATA - Apresentação ORA - Aberrometro intra operatório / Princípios básicos da diferentes lentes intra-oculares

PROGRAMAÇÃO. CATARATA - Apresentação ORA - Aberrometro intra operatório / Princípios básicos da diferentes lentes intra-oculares PROGRAMAÇÃO Data Horário Tema Responsável 11/mai 7h ESTRABISMO - ESOTROPIAS Dra. Regina 11/mai 18h TELECONFERENCIA FUBOG - endoftalmites - Determinação de protocolo Dra. Nilva Moraes 09/mai 7h Anatomia,

Leia mais

EMERGÊNCIAS OFTALMOLOGIA. Luciane Moreira

EMERGÊNCIAS OFTALMOLOGIA. Luciane Moreira EMERGÊNCIAS EM OFTALMOLOGIA Luciane Moreira Queimaduras Oculares Fogo Raras (Reflexo palpebral) Cuidar Cigarro (mães - crianças) Garrafas de alcool (lareira, churrasqueira) Fogos de artifício (impacto)

Leia mais

pupila Íris ESCLERA CORPO CILIAR COROIDE ÍRIS HUMOR VÍTREO LENTE RETINA CÓRNEA NERVO ÓPTICO

pupila Íris ESCLERA CORPO CILIAR COROIDE ÍRIS HUMOR VÍTREO LENTE RETINA CÓRNEA NERVO ÓPTICO ANÁTOMO-FISIOLOGIA Prof a. Dr a. Aline A. Bolzan - VCI/FMVZ/USP REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA DO OLHO BULBO DO OLHO TÚNICAS ou CAMADAS Pupila Íris Fibrosa (externa) córnea e esclera Vascular (média) úvea ou

Leia mais

RELATÓRIO PADRONIZADO PARA AUTORIZAÇÃO DE IMPLANTE DE ANEL INTRA-ESTROMAL

RELATÓRIO PADRONIZADO PARA AUTORIZAÇÃO DE IMPLANTE DE ANEL INTRA-ESTROMAL Após Preenchimento entregar: RELATÓRIO PADRONIZADO PARA AUTORIZAÇÃO DE IMPLANTE DE ANEL INTRA-ESTROMAL ORIGINAL NA ULP; 01 CÓPIA P/ MÉDICO; 01 CÓPIA P/ PACIENTE. A Resolução CFM nº 1.762/05 estabelece

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 26

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 26 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 26 QUESTÃO 17 O Soalho da Órbita consiste de: a) um osso. b) dois ossos. c) três ossos. d) quatro ossos. QUESTÃO 18 A linha cinzenta divide a pálpebra em duas

Leia mais

Projeto Olhar Brasil. Ministério da Saúde / Ministério da Educação

Projeto Olhar Brasil. Ministério da Saúde / Ministério da Educação Projeto Olhar Brasil Ministério da Saúde / Ministério da Educação Fevereiro 2007 Projeto Olhar Brasil Justificativa 30% das crianças em idade escolar e 100% dos adultos com mais de 40 anos apresentam problemas

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ CONSÓRCIO PÚBLICO DA MICRORREGIÃO DE SAUDE DE

ESTADO DO CEARÁ CONSÓRCIO PÚBLICO DA MICRORREGIÃO DE SAUDE DE ESTADO DO CEARÁ CONSÓRCIO PÚBLICO DA MICRORREGIÃO DE SAUDE DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SIMPLIFICADO PARA O PREENCHIMENTO DE EMPREGOS PÚBLICOS PARA A POLICLÍNICA DE OFTALMOLOGIA LEIA COM ATENÇÃO TODAS

Leia mais

VISÃO SISTEMA NERVOSO SENSORIAL. A visão é o processo pelo qual a luz refletida dos objetos no nosso meio é traduzida em uma imagem mental.

VISÃO SISTEMA NERVOSO SENSORIAL. A visão é o processo pelo qual a luz refletida dos objetos no nosso meio é traduzida em uma imagem mental. SISTEMA NERVOSO SENSORIAL Sunol Alvar A visão é o processo pelo qual a luz refletida dos objetos no nosso meio é traduzida em uma imagem mental. 1 OLHOS Os olhos são órgãos complexos dos sentidos. Cada

Leia mais

De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade

De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade A importância da consulta oftalmológica De forma geral, a visão é o sentido mais valorizado pelas pessoas. Em uma sociedade cheia de apelos visuais, em que o contato com o mundo se faz inicialmente por

Leia mais

GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO (GPAA)

GLAUCOMA PRIMÁRIO DE ÂNGULO ABERTO (GPAA) Prof. F. Falcão dos Reis 2006 DEFINIÇÃO Um suspeito de glaucoma é um indivíduo com achados físicos e/ou uma constelação de factores de risco que indicam uma probabilidade elevada de desenvolver Glaucoma

Leia mais

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE FUNÇÕES DO QUE? Aqui estudaremos todas as classes gramaticais a que a palavra que pertence. SUBSTANTIVO A palavra que será substantivo, quando tiver o sentido de qualquer coisa ou alguma coisa, é sempre

Leia mais

A importância da visão

A importância da visão 1 A importância da visão A visão nos dá acesso à maioria das informações sobre o mundo a nossa volta. Por isso, preservar a saúde dos olhos é tão importante. Infelizmente, existem lesões e doenças que

Leia mais

BULA. Terramicina com sulfato de polimixina B. (cloridrato de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B) Pomada Oftálmica

BULA. Terramicina com sulfato de polimixina B. (cloridrato de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B) Pomada Oftálmica BULA Terramicina com sulfato de polimixina B (cloridrato de oxitetraciclina e sulfato de polimixina B) Pomada Oftálmica PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome: Terramicina com sulfato de polimixina B -

Leia mais

SOLDADO DE 3ª CLASSE

SOLDADO DE 3ª CLASSE CONCURSO PÚBLICO 006-2016 CBM/GO - SEGPLAN CARGO SOLDADO DE 3ª CLASSE PROVA B Prezado(a) Candidato(a), 1. Ao receber este caderno, confira se ele contém as questões objetivas com 50 (cinquenta) itens,

Leia mais

Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE TUNÁPOLIS PROCESSO SELETIVO Nº 005/2014 PROVA TIPO 04 CADERNO DE PROVAS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ESF

Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE TUNÁPOLIS PROCESSO SELETIVO Nº 005/2014 PROVA TIPO 04 CADERNO DE PROVAS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ESF 1 Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE TUNÁPOLIS PROCESSO SELETIVO Nº 005/2014 PROVA TIPO 04 CADERNO DE PROVAS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ESF Nome do candidato... Data./.../2014 2 Leia atentamente

Leia mais

Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE TUNÁPOLIS PROCESSO SELETIVO Nº 005/2014 PROVA TIPO 01 CADERNO DE PROVAS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ESF

Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE TUNÁPOLIS PROCESSO SELETIVO Nº 005/2014 PROVA TIPO 01 CADERNO DE PROVAS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ESF 1 Estado de Santa Catarina MUNICÍPIO DE TUNÁPOLIS PROCESSO SELETIVO Nº 005/2014 PROVA TIPO 01 CADERNO DE PROVAS CARGO: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE - ESF Nome do candidato... Data./.../2014 2 Leia atentamente

Leia mais

PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA. Instruções para realização da prova

PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA. Instruções para realização da prova CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE RIO DO SUL SC PROCESSO DE ESCOLHA UNIFICADO DOS CONSELHEIROS TUTELARES PROVA ESCRITA Instruções para realização da prova 1. Esta prova contem:

Leia mais

DISTÚRBIOS DAS PÁLPEBRAS

DISTÚRBIOS DAS PÁLPEBRAS DISTÚRBIO DAS PÁLPEBRAS SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES DISTÚRBIOS DAS PÁLPEBRAS As pálpebras são particularmente vulneráveis a infecções por estarem constantemente expostas aos objetos no ambiente,

Leia mais

INSTITUTO EDUCACIONAL MANOEL PINHEIRO PROGRAMA DE ATIVIDADES DIAGNÓSTICAS PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS 2017

INSTITUTO EDUCACIONAL MANOEL PINHEIRO PROGRAMA DE ATIVIDADES DIAGNÓSTICAS PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS 2017 INSTITUTO EDUCACIONAL MANOEL PINHEIRO PROGRAMA DE ATIVIDADES DIAGNÓSTICAS PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS 2017 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1. Leitura e compreensão de diferentes gêneros textuais

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE:

CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: ARQUITETO * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno de Questões,

Leia mais

CAUSAS MAIS FREQUENTES OLHO VERMELHO

CAUSAS MAIS FREQUENTES OLHO VERMELHO CAUSAS MAIS FREQUENTES OLHO VERMELHO Conjuntivite Olho seco Hemorragia subconjuntival Blefarite Erosão córnea e corpos estranhos córnea Pós trauma Episclerite Uveite anterior Queimaduras químicas Esclerite

Leia mais

COMO EU TRATO CONJUNTIVITE ALÉRGICA

COMO EU TRATO CONJUNTIVITE ALÉRGICA COMO EU TRATO CONJUNTIVITE ALÉRGICA As conjuntivites alérgicas em crianças apresentam-se habitualmente de forma grave, principalmente as do tipo primaveril. Há quatro formas de conjuntivite alérgica: Sazonal,

Leia mais

bimatoprosta LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMCÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 0,3 mg/ml

bimatoprosta LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMCÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 0,3 mg/ml bimatoprosta LEGRAND PHARMA INDÚSTRIA FARMCÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 0,3 mg/ml I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO bimatoprosta Medicamento Genérico, Lei n 9.787, de 1999 Formas farmacêuticas e

Leia mais

LUMIGAN ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

LUMIGAN ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA LUMIGAN ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA Solução Oftálmica Estéril bimatoprosta 0,03% BULA PARA O PACIENTE APRESENTAÇÕES Solução Oftálmica Estéril Frasco plástico conta-gotas contendo 3 ml e 5 ml de

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA:

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA QUESTÃO 21 Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: a) não há estudos sistematizados que avaliem a

Leia mais

ESPECIALIDADE: OFTALMOLOGIA COMANDO DA AERONÁUTICA

ESPECIALIDADE: OFTALMOLOGIA COMANDO DA AERONÁUTICA ESPECIALIDADE: OFTALMOLOGIA VERSÃO A COMANDO DA AERONÁUTICA EXAME DE ADMISSÃO AOS CURSOS DE ADAPTAÇÃO DE MÉDICOS, DENTISTAS E FARMACÊUTICOS DA AERONÁUTICA (CCC 2010) 01 D 02 A 03 B A alternativa correta

Leia mais

2ª PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS OFTALMOLOGIA

2ª PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS OFTALMOLOGIA 2ª PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS OFTALMOLOGIA 21. Biomicroscopia com lâmpada de fenda do segmento anterior,que consiste na descentralização da lâmpada de fenda de tal forma que a luz incida no limbo

Leia mais

LOTEPROL. BL Indústria Ótica Ltda Suspensão estéril 5,0 mg/ml

LOTEPROL. BL Indústria Ótica Ltda Suspensão estéril 5,0 mg/ml LOTEPROL BL Indústria Ótica Ltda Suspensão estéril 5,0 mg/ml LOTEPROL etabonato de loteprednol APRESENTAÇÕES Suspensão estéril para uso oftálmico 5 mg/ml: frasco gotejador contendo 5 ml. USO TÓPICO OCULAR

Leia mais

CAPÍTULO 01 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO TIPOS DE TEXTO GÊNERO DE TEXTO TIPOS DE DISCURSO... 21

CAPÍTULO 01 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO TIPOS DE TEXTO GÊNERO DE TEXTO TIPOS DE DISCURSO... 21 sumário CAPÍTULO 01 - INTERPRETAÇÃO DE TEXTO...14 1.1.TIPOS DE TEXTO... 15 1.2.GÊNERO DE TEXTO... 20 1.3.TIPOS DE DISCURSO... 21 1.3.1. DISCURSO DIRETO... 22 1.3.2. DISCURSO INDIRETO... 22 1.3.3. DISCURSO

Leia mais

FISIOTERAPEUTA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

FISIOTERAPEUTA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL E RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DOS CARGOS DO QUADRO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO

Leia mais

PRÓLOGO DICIONÁRIO DE OFTALMOLOGIA

PRÓLOGO DICIONÁRIO DE OFTALMOLOGIA Prólogo PRÓLOGO O Dicionário de Oftalmologia procura descodificar, entender a verdade para além das palavras, refletindo o que é dito, no contexto do que é. O entendimento necessita muitas vezes, para

Leia mais

Capítulo 2 - Acentuação gráfica Regras gerais...10 Casos especiais...10 Prosódia...12 Exercícios...14

Capítulo 2 - Acentuação gráfica Regras gerais...10 Casos especiais...10 Prosódia...12 Exercícios...14 Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética... 2 Fonemas...2 Letra...2 Sílaba...2 Número de sílabas...3 Tonicidade...3 Posição da sílaba tônica...3 Dígrafos...3 Encontros consonantais...3 Encontros vocálicos...4

Leia mais

Abordagem da Criança com Cefaléia. Leticia Nabuco de O. Madeira Maio / 2013

Abordagem da Criança com Cefaléia. Leticia Nabuco de O. Madeira Maio / 2013 Abordagem da Criança com Cefaléia Leticia Nabuco de O. Madeira Maio / 2013 Introdução Epidemiologia: Queixa comum em crianças e adolescentes Elevação da frequência com o aumento da idade Até 12 anos prevalência

Leia mais

26/08/2016. Clínica Médica em Exercícios para Concursos

26/08/2016. Clínica Médica em Exercícios para Concursos Clínica Médica em Exercícios para Concursos Clínica Médica em Exercícios para Concursos Elton Chaves Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia - Enfermeiro - Área Enfermagem do Trabalho De acordo com

Leia mais

Glamigan Bimatoprosta

Glamigan Bimatoprosta Glamigan Bimatoprosta GERMED FARMACÊUTICA LTDA Solução oftálmica estéril 0,3 mg/ ml IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Glamigan bimatoprosta 0,3 mg/ ml Formas farmacêuticas e apresentações Solução oftálmica

Leia mais

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo.

Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 1 INSTRUÇÕES Identifique-se na parte inferior desta capa. Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno, você será excluído do Processo Seletivo. 2 Este Caderno contém 04 casos clínicos e respectivas

Leia mais

Serviço Público Federal CONCURSO PÚBLICO 2014 INSTRUÇÕES GERAIS. Nº do doc. de identificação (RG, CNH etc.): Assinatura do(a) candidato(a):

Serviço Público Federal CONCURSO PÚBLICO 2014 INSTRUÇÕES GERAIS. Nº do doc. de identificação (RG, CNH etc.): Assinatura do(a) candidato(a): Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CONCURSO PÚBLICO 2014 PROVA TIPO 1 Cargo de Nível Médio: Código: 13 Técnico de Laboratório MICROBIOLOGIA 2014 Universidade Federal de Alagoas (Edital

Leia mais

Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões 1 e 2.

Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões 1 e 2. PROFESSOR(A): DISCIPLINA: ALUNO(A): Nº SÉRIE: TURMA: TURNO: DATA: / /2017. Leia o poema a seguir, de Carlos Drummond de Andrade, e responda às questões 1 e 2. Ainda que mal Ainda que mal pergunte, ainda

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA PARA FILIAÇÃO DE MÉDICOS UNIMED CURITIBA. Concurso Público Edital n 001/2011 Prova Objetiva 18/09/ f. Oftalmologia ...

SELEÇÃO PÚBLICA PARA FILIAÇÃO DE MÉDICOS UNIMED CURITIBA. Concurso Público Edital n 001/2011 Prova Objetiva 18/09/ f. Oftalmologia ... 1 SELEÇÃO PÚBLICA PARA FILIAÇÃO DE MÉDICOS UNIMED CURITIBA Concurso Público Edital n 001/2011 Prova Objetiva 18/09/2011 Anos 206-f. Oftalmologia INSTRUÇÕES 1. Confira, abaixo, o seu número de inscrição,

Leia mais

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira

VARIZES DE MEMBROS INFERIORES. Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira VARIZES DE MEMBROS INFERIORES Dr Otacilio Camargo Junior Dr George Kalil Ferreira Definição Dilatação, alongamento, tortuosidade com perda funcional, com insuficiência valvular Incidência: 3/1 sexo feminino;75%

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PRÉ-SAL PETRÓLEO - PPSA 2017

PROCESSO SELETIVO PRÉ-SAL PETRÓLEO - PPSA 2017 PROCESSO SELETIVO PRÉ-SAL PETRÓLEO - PPSA 2017 GESTÃO TÉCNICA E COMERCIAL DE CONTRATOS Assistente de Licitações e Contratos II GTC07 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES 1 - A Prova Discursiva terá duração de

Leia mais

Artrite Idiopática Juvenil

Artrite Idiopática Juvenil www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Artrite Idiopática Juvenil Versão de 2016 2. DIFERENTES TIPOS DE AIJ 2.1 Existem tipos diferentes da doença? Existem várias formas de AIJ. Distinguem-se principalmente

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros Semiologia do aparelho osteoarticular Professor Ivan da Costa Barros IMPORTÂNCIA CLÍNICA 10% das consultas médicas Mais de 100 doenças Complicações não articulares Geralmente auto limitado 1 em 5 americanos

Leia mais

SABER MAIS SOBRE OLHO SECO

SABER MAIS SOBRE OLHO SECO SABER MAIS SOBRE OLHO SECO FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 OLHO SECO O que é o olho seco? O olho seco é uma

Leia mais

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h.

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h. Carteira de Carteira de VETPRADO Hospital Veterinário 24h www.vetprado.com.br Esquema de VacinaçãoGatos V5 Panleucopenia - Rinotraqueíte - Calicivirose Clamidiose - Leucemia Felina 90Dias 111Dias Raiva

Leia mais

Helena Ferreira da Silva, Paula Vaz Marques, Fátima Coelho, Carlos Dias. VII Reunión de Internistas Noveis Sur de Galicia

Helena Ferreira da Silva, Paula Vaz Marques, Fátima Coelho, Carlos Dias. VII Reunión de Internistas Noveis Sur de Galicia Consulta de Doenças Auto-imunes Hospital de São João PORTO, Paula Vaz Marques, Fátima Coelho, Carlos Dias VII Reunión de Internistas Noveis Sur de Galicia das Manifestações Sistémicas A (DB) é uma vasculite

Leia mais

Ciloxan pomada. Cloridrato de Ciprofloxacino (3,5 mg/g)

Ciloxan pomada. Cloridrato de Ciprofloxacino (3,5 mg/g) Ciloxan pomada Cloridrato de Ciprofloxacino (3,5 mg/g) APRESENTAÇÃO Pomada Oftálmica Estéril Tubo contendo 3,5g de pomada oftálmica estéril de cloridrato de ciprofloxacino (3,5 mg/g). VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Língua Portuguesa 7º ano

Língua Portuguesa 7º ano Escutar para Aprender e Construir Conhecimento Audição orientada. Ouvinte. Discurso; universo de discurso (assunto). Língua Portuguesa 7º ano Conteúdos 1º Período Comunicação Oral Falar para Construir

Leia mais

Sentidos São os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio em que vivem.

Sentidos São os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio em que vivem. Sentidos São os meios através dos quais os seres vivos percebem e reconhecem outros organismos e as características do meio em que vivem. 8 ano/profªelisete No ser humano O tato reside nos terminais nervosos

Leia mais

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA LUMIGAN RC ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA Solução Oftálmica Estéril bimatoprosta 0,01% BULA PARA O PACIENTE APRESENTAÇÕES Solução Oftálmica Estéril Frasco plástico conta-gotas contendo 3 ml ou 5

Leia mais

SABER MAIS SOBRE ESTRABISMO

SABER MAIS SOBRE ESTRABISMO SABER MAIS SOBRE ESTRABISMO FICHA TÉCNICA EDIÇÃO Clínicas Leite, Lda Ver. 01 / Jan 2016 REDAÇÃO/DOCUMENTAÇÃO Mariana Coimbra (Marketing e Comunicação) 1 ESTRABISMO O que é o estrabismo? O estrabismo, habitualmente

Leia mais

TEMA: USO DO RANIBIZUMABE NA OCLUSÃO DE DE VEIA RETINIANA CENTRAL

TEMA: USO DO RANIBIZUMABE NA OCLUSÃO DE DE VEIA RETINIANA CENTRAL NOTA TÉCNICA 141/2014 Solicitante Emerson Chaves Motta Juíza de Direito - Comarca de Teófilo Otoni - MG. Processo número: 0686 14 010142-5 Data: 18/07/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVA

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA CADERNO DE PROVA PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA 20/11/2016 INSTRUÇÕES CADERNO DE PROVA 1. Confira, abaixo, seu nome e número de inscrição. Confira, também, o curso e a série correspondentes à sua inscrição.

Leia mais

Complexo de Ensino Renato Saraiva (081) Profª Junia Andrade MPU 2010 Isolada Português PORTUGUÊS

Complexo de Ensino Renato Saraiva  (081) Profª Junia Andrade MPU 2010 Isolada Português PORTUGUÊS MPU técnicos e analistas JÚNIA ANDRADE Exemplos Cespe - Abin Mudado seu modo de pensar, o pesquisador já não concebe aquele tema da mesma forma e, assim, já não é capaz de estabelecer um relação exatamente

Leia mais

EXAME MÉDICO DA INSPEÇÃO DE SAÚDE. Questionário Médico de Saúde

EXAME MÉDICO DA INSPEÇÃO DE SAÚDE. Questionário Médico de Saúde Prefeitura Municipal de Fortaleza - PMF Secretaria de Segurança Cidadã - SESEC Fundação Universidade Estadual do Ceará - FUNECE Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão - SEPOG Comissão Executiva

Leia mais

OLHO E DOENÇAS SISTÉMICAS

OLHO E DOENÇAS SISTÉMICAS 1 OLHO E DOENÇAS SISTÉMICAS ARTRITE REUMATÓIDE - As manifestações oculares da AR são múltiplas e podem surgir em qualquer momento da evolução da doença. EXACERBAÇÃO quando há um aumento da actividade da

Leia mais

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA STILL ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA SOLUÇÃO OFTÁLMICA ESTÉRIL diclofenaco sódico 0,1% BULA PARA O PROFISSIONAL DE SAÚDE APRESENTAÇÃO Solução Oftálmica Estéril Frasco plástico conta-gotas contendo

Leia mais

LOTEPROL. BL Indústria Ótica Ltda Suspensão estéril 5,0 mg/ml

LOTEPROL. BL Indústria Ótica Ltda Suspensão estéril 5,0 mg/ml LOTEPROL BL Indústria Ótica Ltda Suspensão estéril 5,0 mg/ml LOTEPROL etabonato de loteprednol APRESENTAÇÕES Suspensão estéril para uso oftálmico 5 mg/ml: frasco gotejador contendo 5 ml. USO TÓPICO OCULAR

Leia mais

INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM

INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA SOBRE O TRATAMENTO COM GUIA DO DOENTE COM PERDA DA VISÃO DEVIDA A EDEMA MACULAR DIABÉTICO (EMD) Este medicamento está sujeito a monitorização adicional Versão 1 EMD (outubro/2014)

Leia mais

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA

ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA LUMIGAN ALLERGAN PRODUTOS FARMACÊUTICOS LTDA Solução Oftálmica Estéril bimatoprosta 0,03% BULA PARA O PACIENTE APRESENTAÇÕES Solução Oftálmica Estéril Frasco plástico conta-gotas contendo 3 ml e 5 ml de

Leia mais

ESCLEROSE MÚLTIPLA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves

ESCLEROSE MÚLTIPLA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves ESCLEROSE MÚLTIPLA Prof. Fernando Ramos Gonçalves Unidade anatômica e funcional do SNC ESCLEROSE MÚLTIPLA Sinonímia: Esclerose em placas Esclerose insular Esclerose disseminada Conceito É uma doença crônica,

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira ORAÇÕES SUBORDINADAS Exercem função sintática sobre as outras. Oração principal, orações desenvolvidas ou reduzidas. ORAÇÕES SUBORDINADAS

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 17/2013

PROCESSO SELETIVO EDITAL 17/2013 PROCESSO SELETIVO EDITAL 17/2013 CARGO E UNIDADES: Instrutor de Esportes (Natal) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 2 (duas) horas. I N S T

Leia mais

COLÉGIO PAROQUIAL NOSSA SENHORA DO CARMO

COLÉGIO PAROQUIAL NOSSA SENHORA DO CARMO S DA RECUPERAÇÃO DE ESTUDOS - 1º TRIMESTRE - 6 ANO SS História do surgimento dos números naturais; Sistemas de numeração: egípcio, romano e decimal indo-arábico; Conjuntos dos números naturais, sequência

Leia mais

XVIII CURSO BÁSICO DE OFTALMOLOGIA DO PARANÁ 06 de Fevereiro a 17 de Março de 2017

XVIII CURSO BÁSICO DE OFTALMOLOGIA DO PARANÁ 06 de Fevereiro a 17 de Março de 2017 XVIII CURSO BÁSICO DE OFTALMOLOGIA DO PARANÁ 06 de Fevereiro a 17 de Março de 2017 A Comissão Organizadora do Curso Básico de Oftalmologia do Paraná agradece sua presença esperando que o curso seja de

Leia mais

Rui Proença. Oftalmologia FMUC

Rui Proença. Oftalmologia FMUC Fármacos e Oftalmologia Rui Proença Oftalmologia FMUC Fármacos e Oftalmologia Agentes farmacológicos utilizados no exame oftalmológico Potenciais complicações oculares de medicamentos aplicados por via

Leia mais

Residência Médica 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OFTALMOLOGIA R4. HUGG Hospital Universitário Gaffrée Guinle

Residência Médica 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OFTALMOLOGIA R4. HUGG Hospital Universitário Gaffrée Guinle UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Residência Médica 2014 OFTALMOLOGIA R4 HUGG Hospital Universitário Gaffrée Guinle 1) A transmissão do impulso neuronal, a partir dos fotorreceptores até

Leia mais

COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA. Programa de Recuperação Final

COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA. Programa de Recuperação Final COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2010 Disciplina: Professor (a): Carlos Kalani Aluno (a): Valor: 10 pontos Ano: 2 Turma: 2AD-FG Nota: Caro aluno, você está recebendo

Leia mais

CORIORETINOPATIA A TOXOPLASMOSE

CORIORETINOPATIA A TOXOPLASMOSE 9. DOENÇAS INFLAMATÓRIAS CORIORETINOPATIA A TOXOPLASMOSE OCT: A retinite por toxoplasmose exibe uma área da hiperreflectividade intensa, localizada, geralmente na porção superficial da retina neurosensorial.

Leia mais

GABARITO DO CANDIDATO - RASCUNHO

GABARITO DO CANDIDATO - RASCUNHO SPDM - Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina OSS - SPDM/HOSPITAL REGIONAL DE ARARANGUÁ/EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 01/2013 NÍVEL SUPERIOR COMPLETO MÉDICO OFTALMOLOGISTA NOME DO CANDIDATO

Leia mais

Altura, Espaço Confinado e Máquinas Pesadas. Dr. Ricardo Z. Leyendecker

Altura, Espaço Confinado e Máquinas Pesadas. Dr. Ricardo Z. Leyendecker Altura, Espaço Confinado e Máquinas Pesadas Dr. Ricardo Z. Leyendecker Trabalho em Condições Especiais Trabalho em Altura Toda atividade executada acima de 2,00 m do nível inferior, onde haja risco de

Leia mais

I) Introdução Pág. 3

I) Introdução Pág. 3 Índice: I) Introdução------------------------------------------------------------- Pág. 3 II) Retinopatia Diabética---------------------------------------------- Pág. 3 III) Catarata--------------------------------------------------------------

Leia mais

PROGRAMA VI CURSO DE IMERSÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE VISÃO SUBNORMAL

PROGRAMA VI CURSO DE IMERSÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE VISÃO SUBNORMAL PROGRAMA VI CURSO DE IMERSÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE VISÃO SUBNORMAL EXCELENCIA NA PRESCRIÇÃO DE AUXÍLIOS ÓPTICOS E CONDUTAS OFTALMOLÓGICAS NA BAIXA VISÃO ORGANIZAÇÃO: DIRETORIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA

Leia mais

Formulário de Resposta aos Recursos CONCURSO IBGE 2004

Formulário de Resposta aos Recursos CONCURSO IBGE 2004 Formulário de Resposta aos Recursos CONCURSO IBGE 2004 CARGO: TECNOLOGISTA JR I / LETRAS PORTUGUÊS / INGLÊS QUESTÃO NÚMERO: 07 O gabarito oficial está correto, letra E. Na opção E a estrutura é de subordinação,

Leia mais

Curso de Medicina Disciplina Mecanismos Básicos de Saúde e Doença MCW 240 Questões para Revisão P4

Curso de Medicina Disciplina Mecanismos Básicos de Saúde e Doença MCW 240 Questões para Revisão P4 Curso de Medicina Disciplina Mecanismos Básicos de Saúde e Doença MCW 240 Questões para Revisão P4 1. Todas as opções abaixo resultam de uma infecção por N. gonorrhoeae. Qual destas origina as outras?

Leia mais

Protocolos De Encaminhamento Para Oftalmologia Adulto

Protocolos De Encaminhamento Para Oftalmologia Adulto Protocolos De Encaminhamento Para O protocolo de será publicado ad referendum, conforme resolução CIB/RS 764/2014. As informações solicitadas nos protocolos são de presença obrigatória e têm como objetivo

Leia mais

ANO OPCIONAL EM NEUROLOGIA PROGRAMA: NEUROLOGIA ANO OPCIONAL (CÓD. 1547)

ANO OPCIONAL EM NEUROLOGIA PROGRAMA: NEUROLOGIA ANO OPCIONAL (CÓD. 1547) ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA RESIDÊNCIA MÉDICA 26 SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO CONFIRA O SEU CADERNO. Este caderno de provas contém 20 questões assertivas.. Confira seu

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local

Leia mais