Segurança da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Segurança da Informação"

Transcrição

1 Segurança da Informação

2 Professor conteudista: Luiz Antonio de Lima

3 Sumário Segurança da Informação Unidade I 1 SISTEMAS OPERACIONAIS E A SEGURANÇA Conceitos básicos Evolução dos sistemas operacionais Computadores da primeira geração Computadores da segunda geração Computadores da terceira geração Computadores da quarta geração Estrutura e funções dos sistemas operacionais Gerenciamento de processos Gerência de memória Gerência de dispositivos Sistemas de arquivos Sistema operacional distribuído A segurança dos sistemas operacionais...3 Unidade II 2 FUNDAMENTOS DE SEGURANÇA COMPUTACIONAL Propriedade Políticas e violações Modelos de segurança da informação Serviços e mecanismos Controles criptográficos Sistemas criptográficos Assinatura digital Gerência de chaves Public Key Infrastructure (PKI)...49 Unidade III 3 GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA DA TI Ferramentas de gerenciamento de segurança Segurança em sistemas distribuídos Autenticação e autorização Controle de acesso...6 Unidade IV 4 DESAFIOS DE SEGURANÇA, ÉTICOS E SOCIAIS, DA TI Segurança, ética e sociedade em negócios/ti...8

4 4.1.1 Ética nos negócios Ética tecnológica Crime em informática Hacking Pirataria de software Furto cibernético Uso não autorizado no trabalho Furto de propriedade intelectual Vírus de computador, adware e spyware Questões de privacidade Privacidade na Internet...76

5 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Unidade I 1 SISTEMAS OPERACIONAIS E A SEGURANÇA INTRODUÇÃO A cada dia que passa, as pessoas de modo geral passam a dar mais valor para a questão da segurança em todos os aspectos, mas para os usuários de computadores e sistemas informatizados, a segurança computacional torna-se atrativa diante das ameaças a esses sistemas. Vivemos num mundo moderno, no qual os processadores controlam as máquinas de modo a torná-las um pouco mais inteligentes. Hardware e processadores 1 Processadores são circuitos integrados capazes de realizar operações de processamento de dados e são considerados por muitos como sendo o cérebro do computador. Esses processadores podem ser ligados em redes de modo a fornecer aos usuários as informações, possibilidades de monitoração e controle a distância nos diversos sistemas que existem na sociedade. Mas se os processadores são dispositivos tipo hardware, então como eles funcionam em termos lógicos, ou seja, em termos de software? Que mecanismos de segurança podem estar relacionados com estes dispositivos? 1

6 Unidade I Softwares e a segurança dos sistemas computacionais Ocorre que processadores são componentes de hardware e que, para funcionar, necessitam do software, que é considerado por muitos como sendo o combustível ou a alma do computador. Na realidade, a segurança, normalmente, é implementada por meio de software. Mas que tipos de software existem nos computadores? Uma classificação mais simplista, mas aplicável no momento, considera os softwares como sendo básicos, aplicativos e aplicações. Softwares básicos incluem os sistemas operacionais e softwares de comunicação, enquanto aplicativos e aplicações estão relacionados com os sistemas. 1 Em relação ao software básico denominado sistema operacional, talvez esse seja um dos mais importantes, pois em cima dos mesmos vão rodar os outros softwares, como é o caso dos jogos, dos aplicativos de editores de textos, aplicativos de banco de dados, aplicativos de planilha eletrônica, aplicativos de apresentação, aplicativos de etc. Já com relação a aplicações, dependendo do tipo de negócio, estas podem ser aplicações de entretenimento, aplicações de vendas, aplicações contábeis, aplicações para área de saúde etc. 2 Os sistemas operacionais Sistemas operacionais podem ser encontrados em telefones celulares, automóveis, aeronaves, embarcações, computadores pessoais, sistemas robóticos, computadores 2

7 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 1 2 de grande porte (mainframes), e, na maioria dos sistemas operacionais, o usuário do sistema requisita ao computador que o mesmo realize uma ação, por exemplo, mostrar alguma coisa na tela, ou carregar algum software, ou imprimir algum documento. No caso, o sistema operacional gerencia o software e o hardware para produzir o resultado esperado (Deitel; Choffnes, 0, p. ). Nos sistemas operacionais, começa a segurança dos computadores. Um exemplo prático é relacionado com a atualização desses sistemas: à medida que se baixam atualizações dos mesmos e se implementam essas atualizações nos computadores, diminui-se os riscos em relação a vírus e ameaças, pois os fabricantes tentam eliminar as falhas encontradas ou pontos vulneráveis em cada atualização de modo a tornar o sistema operacional mais seguro em relação às ameaças anteriores. Ocorre que a cada dia surgem novos vírus e novas possibilidades de ameaça, de modo que o trabalho dos projetistas desses sistemas operacionais é constante, e quando a quantidade de modificações ou atualizações é muito grande, talvez, seja um indicativo de que é necessário se criar outra versão mais nova de sistema operacional, pois o sistema anterior chegou ao seu limite de possibilidade de atualização. Caro(a) aluno(a), o presente material didático foi dividido em quatro unidades, que vão abordar respectivamente: 1. Os sistemas operacionais e a segurança; 2. Fundamentos de segurança computacional; 3. Gerenciamento da segurança de TI; Desafios de segurança éticos e sociais de TI. 3

8 Unidade I Vamos trabalhar, nesta unidade 1, Os sistemas operacionais e a segurança, os seguintes itens: 1.1. Conceitos básicos; 1.2. Evolução dos sistemas operacionais; 1.3. Estrutura e funções dos sistemas operacionais; 1.4. Gerenciamento de processos; 1.. Gerência de memória; 1.6. Gerência de dispositivos; 1.7. Sistemas de arquivos. 1 Não deixe acumular a matéria. O segredo é ler diariamente. Anote num caderno os itens ou coisas que você descobriu, para conversar e discutir com os outros. Anote suas dúvidas e leve-as para os colegas e para o professor. Interaja de modo correto, ético e positivo. Ajude os colegas, participe, aprenda e, desta forma, você terá sucesso na vida, nos estudos e no trabalho. Bons estudos. Vamos começar então com os conceitos básicos. 1.1 Conceitos básicos Sistema operacional pode ser entendido como sendo uma máquina estendida ou virtual que esconde a complexidade dos comandos de programação necessários para gerenciar as tarefas em computadores ou processadores, seja de uso industrial, militar, comercial, bancário, rural, em lazer ou doméstico. 4

9 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Também outra visão é a do sistema operacional como provedor de uma interface (telas e dispositivos de entrada e saída) conveniente aos usuários, em que o sistema gerencia partes de um sistema complexo em que ele tem que fazer uma alocação ordenada e controlada de processadores, memórias, temporizadores, discos, dispositivos de entrada e saída entre os vários programas que competem por estes recursos (Tanenbaum, 03, p.2-3). Vamos então a uma definição. Sistema operacional é: Um software que habilita as aplicações a interagir com o hardware de um computador (Deitel; Choffnes, 0, p. 4). Todo computador precisa de um sistema operacional para funcionar. Este software pode ser proprietário ou software livre e pode possuir vulnerabilidades que serão exploradas pelos hackers, phreakers e pessoas que criam ameaças virtuais. 1 Para finalidade de estudo e comparação, apresentam-se a seguir algumas imagens relacionadas com sistemas operacionais existentes no mercado. Sistemas operacionais livres Um exemplo de software de sistema operacional que está com uma quantidade crescente de usuários é o Ubuntu, bem como suas variantes, como é o caso do Kubuntu. 2 A figura 1 ilustra um exemplo de imagem simbólica do software de sistema operacional livre Ubuntu, sob a licença GNU pronuncia-se guinú. Esta licença é a do software livre. Há quem diga que o significado é GNU is not Unix, outros consideram os softwares open source, ou seja, de código aberto

10 Unidade I como sendo os softwares livres e cuja fonte é recebida de modo livre e gratuito, e qualquer modificação que for realizada no software terá que ser mantida livre e disponibilizada na web. Figura 1: Software livre de sistema operacional Ubuntu, sob a licença GNU. Fonte: <http://img74.imageshack.us/i/ubuntucapakq9.jpg/>. Caro aluno, para que seu aprendizado seja mais eficiente e efetivo, é preciso que você participe dos fóruns: leve suas dúvidas para discutir com os colegas e com seu professor. Participe! Aprenda, compartilhe opiniões e informações. A figura 2 apresenta uma imagem que ilustra o Kubuntu. Figura 2: imagem associada ao Kubuntu, na Internet. Fonte: <http://walkmans.files.wordpress.com/08/04/kubuntu.png>. 6

11 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Também aos alunos interessados, sugerimos que busquem na web os softwares, como é o caso do Ubuntu e Kubuntu para baixarem em suas máquinas e testarem. 1 2 Softwares livres não são comercializados. Disponibilizam o código-fonte e possibilitam aos usuários realizarem alterações nos mesmos (Ex.: Linux e BSD). Com relação ao Linux, este foi desenvolvido inicialmente por Linus Torvalds, enquanto o mesmo era estudante de computação na Finlândia. Torvalds disponibilizou gratuitamente os códigos-fonte e pediu a ajuda de todos os programadores do mundo para colaborarem na construção de um software livre de sistema operacional que seria útil para todos. Daí nasceu o Linux. Surgiram várias distribuições de Linux ao redor do mundo. No Brasil, a Conectiva, que é uma empresa paranaense, trabalhou algumas das versões de Linux nacionais. No caso, a empresa comercializava os manuais, treinamentos e suporte, mas não o software, que é livre. Surgiram outras versões importantes, como é o caso do Linux Kurumin, que foi desenvolvido por Carlos Morimoto, engenheiro e autor de obras. No caso de outros países, como os Estados Unidos, a distribuição Red Hat se espalhou bastante; na Alemanha, houve a disseminação da distribuição Linux, denominada SuSE, enfim, em vários países houve a criação de distribuições famosas do LInux. 30 Além dos sistemas de código aberto (como é caso do Unix), existem também os sistemas gratuitos, porém, neste caso, apesar de o usuário não ter custos em poder usar os mesmos, ele não terá como acessar o código-fonte. Este é o caso do BeOS. 7

12 Unidade I Sistemas operacionais proprietários Talvez o sistema proprietário mais famoso do mundo seja o Windows, em suas várias versões, e uma das pessoas mais ilustres seja Bill Gates, fundador da Microsoft Co, proprietária da marca Windows. Na figura 3 seguinte, apresenta-se uma imagem representativa da embalagem, caixa, na qual vêm os CDs correspondentes ao operacional Windows, cuja marca é propriedade da Microsoft Co, que vende a licença de uso de seus softwares. 1 Figura 3: Software Windows, que é software proprietário da empresa norteamericana Microsoft Co. Fonte: <http://www.newformat.com.br/images/windows_xp_box_small.jpg>. Na figura 4, pode-se observar a imagem associada a outro software de sistema operacional proprietário, que é o sistema da Apple. Nesta figura, observa-se de modo semelhante à figura anterior, para fins de comparação, a embalagem caixa, 8

13 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO na qual vêm os CDs de instalação do software de sistema operacional. Figura 4: Imagem associada ao sistema operacional proprietário Apple. Fonte: <http://images.apple.com/br/support/products/images/applecare_ indextop0624.jpg>. Atualmente, principalmente nas máquinas mais potentes, isto é, com bom processador e memória, um dos recursos que se tem utilizado quando se necessita fazer a troca de sistemas operacionais com frequência numa mesma máquina é se trabalhar com sistemas virtuais. Este é o caso, por exemplo, de uma instituição de ensino que ensina Linux Debian 3.2, para uma turma e, a seguir, entra outra turma que vai utilizar o Windows Note que, em ambientes de ensino, este procedimento pode ocorrer com frequência, e o uso de um sistema que permita a instalação de vários sistemas operacionais e até mesmo de vários softwares diferentes que rodam em sistemas operacionais diferentes. A figura ilustra o sistema VMWare, que cria máquinas virtuais, nas quais cada uma pode trabalhar com um sistema operacional particular. 9

14 Unidade I Oracle SQL Application Servers File Print Power multiple virtual machines on one server with VMWare Figura : Sistema operacional VMWare que cria máquinas virtuais. Fonte: <http://www.ziontechgroup.com/nzion/img/grd_274_vmware_ virtualization.jpg>. O conhecimento dos sistemas operacionais é o início do conhecimento dos sistemas computacionais juntamente com o hardware e que, por este motivo, o estudo da segurança pode se iniciar pelo estudo deste par. O hardware (equipamentos e dispositivos) mais o software (sistemas operacionais e aplicativos que vão rodar em cimas dos mesmos) e pessoas (desenvolvedores e usuários), em conjunto com as organizações e regras, vão formar os sistemas de informação computadorizados atuais. Mas falando mais especificamente nos sistemas operacionais, vamos conhecer um pouco mais deles. Como eles surgiram? Como evoluíram? Qual é o histórico desses softwares básicos? Vamos ver estes assuntos no item seguinte.

15 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO 1.2 Evolução dos sistemas operacionais Com a finalidade didática, costumamos dividir a Era dos computadores em gerações, conforme se apresenta a seguir. Charles Babbage ( ) projetou o primeiro computador digital do mundo, porém, este computador mecânico não chegou a ser implementado. Era chamado de máquina analítica. Ela não possuía um sistema operacional como conhecemos atualmente, pois, sendo mecânica, dependia de engrenagens, rodas, alavancas, parafusos, que, na época, não possuíam a precisão para se alcançar o mínimo necessário para um computador bem simples. A figura 6 ilustra a imagem da máquina diferencial de Babbage. Pode-se observar nela a presença somente de componentes mecânicos, num computador que na época não chegou a funcionar. Figura 6 Ilustração da máquina diferencial de Babbage. Fonte: <http://2.bp.blogspot.com/_llb_njrrcu/sbvhjphiebi/aaaaaaaaaee/ Jbm8Kqq73co/s3/Maquina+analitica.bmp>. 11

16 Unidade I Aparentemente, o projeto de Babbage estava correto, e mais de um século depois ela foi reconstruída com finalidades históricas. A máquina de Babbage era um computador mecânico, e naquela época, nem se pensava em formar redes de computadores, pois nem se conseguia fazer funcionar um computador simples. Também as informações possíveis de se trabalhar naquela máquina não eram relevantes e, desta forma, não havia perigo algum relacionado com ameaças virtuais. A máquina diferencial reconstruída e que trabalha como Babbage projetou está em operação desde 1991, no Museu de Ciências de Londres. Tal feito mostrou que Babbage estava certo na teoria, permitindo a produção de partes da precisão requerida. 1 2 Na época original, Babbage falhou devido ao fato de seus desenhos serem muito ambiciosos; ele teve problemas com relações de trabalho, e era politicamente inapto (Wiki [1], 09). A importância da máquina de Babbage está no aspecto histórico e de evolução da computação. É interessante notar que a entrada de dados deveria ocorrer por meio de tábuas perfuradas, e a saída de resultados também ocorreria de modo semelhante, ou seja, Babbage já se preocupava com a questão das entradas, dos processamentos e das saídas. A seguir, aborda-se os computadores de primeira geração Computadores da primeira geração A primeira geração (194-19) era válvulas, conectores, chaveamentos eletromecânicos, relés e só realizavam cálculos simples. Na década de 190, surgiram os cartões perfurados, que 12

17 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO dispensavam os conectores e facilitavam a entrada e saída de dados. 1 Um expoente da computação deste período era Alan Mathison Turing. Este cientista inglês criou o conceito de máquina universal, que seria uma máquina em fita, na qual os dados entrariam em sequência e seriam processados em sequência, e os resultados também sairiam em sequência. A ideia da máquina de Turing foi importante e continua sendo, pois os computadores atuais continuam trabalhando com os processadores seguindo as ideias da máquina de Turing, ou seja, computadores são máquinas universais. Turing, durante a Segunda Grande Guerra Mundial, ajudou o serviço secreto inglês a decodificar as mensagens militares secretas dos alemães, que eram escritas para os comandantes daquele país realizarem as estratégias de guerra. As mensagens dos alemães eram codificadas em máquinas denominadas Enigma. O trabalho de Turing utilizando o computador Colossus permitiu que as traduções dos códigos secretos fossem realizadas em poucas horas e, com isso, a Inglaterra salvou muitas vidas e ganhou a guerra. O uso dos computadores de primeira geração já estava ocorrendo por meio de seus precursores. 2 Logo após o final da guerra, Turing ajudou outro expoente da computação da época, que foi John Von Neumann, que trabalhava no projeto do computador Eniac. 30 Os computadores possuíam o tamanho de edifícios de vários andares. Os sistemas operacionais dependiam de ações manuais e eram projetados junto com a máquina. Esses computadores só geravam tabelas de senos, cossenos, logaritmos e problemas relativamente simples. 13

18 Unidade I A figura 7 ilustra um computador da primeira geração, o Eniac. Figura 7: Imagem de computador da primeira geração, o Eniac. Fonte: <http://blogs.atlassian.com/developer/eniac3.jpg>. Os computadores de primeira geração necessitavam do hardware e do sistema operacional próprio e não estavam sujeitos às ameaças virtuais Computadores da segunda geração Em 196 veio a segunda geração, quando as máquinas funcionavam com transistores (estes substituíam as válvulas) e com processamento batch, ou seja, sistemas em lote de cartões perfurados. Estes computadores já eram menores que os da geração anterior e possuíam capacidades maiores de processamento em relação aos computadores da primeira geração. 14

19 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO O mundo dos computadores estava se organizando. Os sistemas operacionais eram próprios de cada máquina e não serviam em outras que não fossem exatamente do mesmo tipo. Já se faziam trocas de dados entre computadores semelhantes, mesmo distantes, por meio de linhas telefônicas. Desta forma, programavam-se os jobs (surgiu a figura do scheduller de computador, que organizava a sequência de jobs ou serviços), ou seja, a sequência de programas ou lotes que seriam processados. 1 Havia manuais bem-escritos e detalhados. A hierarquia e as funções eram bem-definidas. A segurança era bastante controlada e evitava-se a entrada de pessoas estranhas nos Centros de Processamentos de Dados. As saídas eram gravadas em fita. Com o uso dos transistores, o tamanho dos computadores diminuiu. Tanenbaum e Woodhull (08, p. 27) afirmaram que: Grandes computadores de segunda geração eram usados principalmente para cálculos científicos e de engenharia, como a solução de equações diferenciais parciais que frequentemente ocorrem na física e na engenharia. Eles eram programados principalmente em FORTRAN e em linguagem assembly. Os sistemas operacionais típicos eram o FMS (o Frortran Monitor System) e o Ibsys (sistema operacional da IBM para o 7094). 2 Na figura 8, pode-se observar a imagem de um computador da segunda geração digital. Figura 8: Computador da segunda geração, com transistores. Fonte: <http://www.netangola.com/cca/pages/marks/computador/imagens/comp/ leo.jpg>. 1

20 Unidade I Até a segunda geração, a preocupação com segurança ainda era muito pequena, limitando-se mais à questão da segurança física, pois ainda não havia muitas ameaças aos ambientes computacionais. Nos computadores de segunda geração, que trabalhavam comercialmente, havia já algum risco de ameaça por parte de programadores ou analistas descontentes e também alguma ameaça externa, no sentido de concorrentes que buscavam já um início de engenharia social para obter informações de concorrentes. A seguir, na ordem didático-cronológica, vieram os computadores da terceira geração Computadores da terceira geração 1 Na terceira geração, utilizavam-se Circuitos Integrados (CIs), que agrupavam grandes quantidades de transistores num espaço pequeno e utilizavam multiprogramação (196 a 1980). O tamanho dos computadores diminuiu, mas a capacidade de processamento continuou crescendo. Os computadores se tornavam mais rápidos. A organização dos Centros de Processamentos de Dados era cada vez maior. Já havia monitores e impressoras. Utilizava-se a técnica de Simultaneous Peripheral Operation on Line (spooling). Os computadores já pareciam bem com os computadores que conhecemos atualmente. 2 As linguagens de programação, como é o caso do Cobol, Fortran, Algol e Basic eram ensinadas para vários profissionais da computação. Os computadores eram cada vez mais utilizados em empresas: indústria, comércio, bancos, escolas etc., porém, ainda não eram 16

21 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO populares, pois somente as grandes empresas e universidades faziam uso deles. Na figura 9, pode-se observar a imagem de um computador da terceira geração. Figura 9: Imagem de computador de terceira geração, com VLSI. Fonte: <http://img6.imageshack.us/i/brlescii1.gif/#q=computador da terceira geração>. Na terceira geração, já havia uma preocupação com auditoria dos sistemas nas empresas e avançava a questão da segurança física e lógica dos sistemas computacionais. A seguir, abordam-se os computadores de quarta geração, que são os atuais, mas que estão em evolução e quem sabe logo estaremos na quinta ou sexta geração? Computadores da quarta geração Esta geração está associada ao desenvolvimento dos circuitos integrados com grande escala de integração, ou 17

22 Unidade I Large Scale Integration (LSI), que são chips contendo milhares de transistores em um centímetro quadrado de sillício e, assim, surgiu a Era do computador pessoal baseado em microporcessador. 1 Entre os primeiros sistemas operacionais para os microcomputadores, estava o Control Program for Microcoputers (CP/M) desenvolvido pela empresa Digital Research para o processador Z-80 produzido pela empresa Zilog. Não tardou, a Motorola produziu seu processador Logo a seguir, surgiram os IBM PC com processadores Intel; os computadores da Apple com os sistemas operacionais Mac OS X. E a evolução continuou com a Microsoft lançando o sistema operacional Windows. Também os usuários do sistema Unix, o qual existia desde a década de 70, desejavam uma interface gráfica, e para o mesmo criou-se o Motif (Tanenbaum; Woodhull, 08, p ). A microcomputação possibilitou a disseminação do uso do computador entre usuários do mundo inteiro. Inicialmente para jogos, lazer, ou mesmo para uso comercial, e em escritório, logo os computadores mostraram-se excelentes ferramentas de produtividade. 2 Um desenvolvimento que começou na década de 80 foi o crescimento na quantidade de redes de computadores pessoais executando sistemas operacionais de rede e sistemas operacionais distribuídos. Este fato fez com que um computador enxergasse o conteúdo de outros computadores que estivessem numa mesma rede (Tanenbaum; Van Steen, 02). 18

23 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO A figura ilustra um computador de quarta geração. Figura : Imagem de computador da quarta geração. Fonte: <http://www.4linking.com.br/wp-content/uploads/09/09/asus-eee-pc- 11HA-black.jpg>. A partir dos computadores ligados em rede, a quantidade de ameaças virtuais cresceu e, atualmente, as pessoas que possuem suas máquinas ligadas em rede têm que baixar atualizações de antivírus todos os dias. Além dos vírus de computador, há também os cavalos de Tróoa, as ameaças de invasões e esse conjunto de coisas que acontece no cotidiano assusta as pessoas, pois todos possuímos informações importantes guardadas nos computadores. Uma forma de se diminuir o perigo é se evitar a ligação de computadores em rede e na Internet. Este fato, porém, não libera um computador de receber vírus por meio de pendrives, CDs, disquetes ou qualquer meio de armazenamento de informações. 19

24 Unidade I A partir da quarta geração, houve a proliferação de muitos tipos de crimes virtuais e houve um grande avanço na questão da segurança em TI. Mas como será que surgem grandes ameaças virtuais? Um dos caminhos mais fáceis está no descobrimento de vulnerabilidades dos sistemas operacionais e dos sistemas em geral. Quando tais vulnerabilidades são descobertas, por meio delas entram os perigos virtuais. A seguir, vamos estudar a estrutura e funções dos sistemas operacionais para conhecer mais sobre eles. 1.3 Estrutura e funções dos sistemas operacionais Um sistema operacional não é um único programa. Ele é constituído ou formado por um conjunto de programas ou rotinas que vão realizar tarefas por meio do controle do hardware e suas partes. O conjunto de rotinas de um sistema operacional é denominado núcleo do sistema ou kernel. 1 Um sistema computacional pode ser visto em termos de níveis de programação para facilitar seu entendimento para as pessoas que ingressam na área de TI. Uma das divisões mais conhecidas é a da máquina de níveis, proposta por Tannembaum, que apresenta os seis níveis seguintes (Tabela 1): Tabela 1: Máquina de níveis 6 Aplicativos Utilitários 4 Sistema operacional 3 Linguagem de máquina 2 Microprogramação 1 Dispositivos físicos Fonte: Rosales; Godoy, 07, p..

25 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Existe uma preocupação em se manter a integridade do sistema operacional, pois, se o mesmo falhar, o computador trava ou para de funcionar. Para manter a integridade, a segurança é realizada fazendo com que o sistema não atenda diretamente os pedidos dos usuários. O atendimento é feito pelas chamadas de sistema, ou system calls. System calls são: Portas de acesso ao núcleo do sistema operacional e a seus serviços. 1 A figura 11 apresenta a imagem do sistema operacional formando uma camada entre o usuário e o hardware. Interpretador de comandos (Shell) é uma interface entre o usuário e o sistema operacional. Fazendo uso dele, um usuário pode solicitar a execução de um programa. Os comandos enviados são interpretados para o sistema operacional. A seguir, aborda-se em ordem e sequência os itens: Gerência de processos; Gerência de memória; Gerência de entrada e saída; Gerência de arquivos; Gerência de arquivos secundários; Sistemas distribuídos. 21

26 Unidade I Bloco de notas Windows Explorer Minha aplicação Modo usuário Modo Kernel Serviços de sistema Hardware Figura 11: Imagem de serviços de sistema operacional entre o usuário e o hardware Fonte: <http://www.caloni.com.br/blog/wp-content/uploads/monolithic.gif>. Nas linhas seguintes, aborda-se o gerenciamento de processos associados aos sistemas operacionais. 1.4 Gerenciamento de processos Uma aplicação pode ser dividida em vários processos. Existem processos-pais que chamam processos-filhos. Os processos mais leves são denominados threads (pronuncia-se trédis). Um processo é um programa em execução e necessita de CPU, memória, arquivos e dispositivos de E/S. Em relação aos estados possíveis para um processo, este pode estar: pronto, em execução ou bloqueado. Existem trocas de estado durante a operação normal. Note que no estado pronto pode existir uma fila de processos aguardando serem executados na CPU. 22

27 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Para otimizar o funcionamento do processador, o sistema operacional possui um componente denominado escalonador de processos. É este componente que determina, por meio de algoritmos de escalonamento, qual processo será executado num momento. Algoritmos de escalonamento podem ser: preenptivos, cooperativos ou não preenptivos. Swapping é a troca de processos normal que ocorre durante o trabalho de um sistema operacional. Papel do SO: 1. criar e terminar processos; 2. suspender e recomeçar processos; 3. prover mecanismos para; 4. sincronização; 1. comunicação entre processos; Caro aluno, traga suas dúvidas para discutir com os colegas e com o professor nos fóruns da disciplina. Participe. Procure livros relacionados com os assuntos em estudo, nas bibliotecas, em revistas da área e em sites da Internet. Todo conhecimento é cumulativo, somativo e, à medida que você prossegue numa determinada área de conhecimento, fica cada vez mais especializado e conhecedor. 2 Neste curso, trabalhamos apenas aspectos mais básicos, e nos cursos de pós-graduação, especialização e nos cursos de mestrado e doutorado, trabalha-se mais a fundo as questões e problemas específicos. A seguir, aborda-se a gerência de memória. 23

28 Unidade I 1. Gerência de memória Memória possui lista endereçável e perde conteúdo se desligada. Há também as memórias secundárias, cujo conteúdo não se perde quando se desliga o equipamento (por exemplo, HD, pendrive, DVD, CD etc.). Em relação à memória, estarão ocorrendo vários trabalhos: paginação, memória virtual, substituição de páginas etc.. A Figura 12 ilustra a hierarquia das memórias de computador gerenciadas pelos SO. Registradores da CPU Cache Nível 1 Nível 2 RAM Áreas de armazenamento temporário Memória física Memória virtual ROM/ BIOS Tipos de didpositivos de armazenamento Armazenamento Discos Discos removíveis Rede/ rígido Internet Fontes de entrada Áreas de armazenamento permanente Teclado Mouse Mídia removível Scanner/ Câmera/ Microfone/ Vídeo Fontes remotas Outras fontes Figura 12: Hierarquia das memórias de um computador. Fonte: <http://static.hsw.com.br/gif/computer-memory-pyramid.gif>. 24

29 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Na hierarquia das memórias de computador, que já caiu em inúmeras provas, tanto de concursos como até de provões do MEC, pode-se notar que no topo estão os registradores. Note que os registradores são as memórias internas dos processadores. Estas memórias são as mais rápidas e mais caras que existem, embora armazenem pequena quantidade de informação. Quando se fala que um processador é de 32 bits, significa que os registradores internos do mesmo trabalham com 32 bits por vez. Abaixo dos registradores vêm as memórias cache, que são as memórias RAM (Randon Access Memories), mas do tipo estática. Estas memórias são mais rápidas que as memórias RAM dinâmicas. 1 A Figura 13 ilustra a imagem de uma memória RAM dinâmica. Figura 13: Imagem de memórias RAM. Fonte: <http://www.infowester.com/img_art/ram_ddr.jpg>. Em outras palavras, as RAM estáticas armazenam as informações que estão sendo mais solicitadas pelo computador, de modo a evitar que se tenha que procurar pelas mesmas no 2

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Sistemas Operacionais 2014 Introdução Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Roteiro Sistemas Operacionais Histórico Estrutura de SO Principais Funções do SO Interrupções Chamadas de Sistema

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Módulo 1 Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Módulo 1 Sistemas Operacionais 1 Sistema computacional Sistemas feitos para resolver problemas Problema: como obter determinado resultado, com base em dados

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 01 - Introdução Edirlei Soares de Lima O que é um sistema operacional? Um computador moderno consiste em: Um ou mais processadores; Memória principal;

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 3. Software Prof. Ronaldo Software Formado por um conjunto de instruções (algoritmos) e suas representações para o

Leia mais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais

Cursos de Computação. Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 01 - História e Funções dos Sistemas Operacionais Visão do Sistema Operacional programadores e analistas usuários programas,

Leia mais

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software; Sistemas Operacionais: Evolução; Conceitos Básicos; Tipos; Exemplos. DEINFO/UFRPE

Leia mais

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux 4 Capítulo 1 Sistema Operacional É uma coleção de programas que inicializa hardwares, fornece rotinas básicas para controle de dispositivos, mantém a integridade de um sistema. Um sistema operacional de

Leia mais

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves Conceitos Básicos de Informática Antônio Maurício Medeiros Alves Objetivo do Material Esse material tem como objetivo apresentar alguns conceitos básicos de informática, para que os alunos possam se familiarizar

Leia mais

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Software. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Software André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) 1 Noções de Software; Sistemas Operacionais: Evolução; Conceitos Básicos; Tipos; Exemplos. DEINFO/UFRPE

Leia mais

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador

11/3/2009. Software. Sistemas de Informação. Software. Software. A Construção de um programa de computador. A Construção de um programa de computador Sistemas de Informação Prof. Anderson D. Moura Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções, que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. Em um

Leia mais

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Sistemas Operacionais Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Bibliografia Bibliografia Básica: TANENBAUM, A. S. Sistemas

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Introdução aos Sistemas Operacionais

Arquitetura de Computadores. Introdução aos Sistemas Operacionais Arquitetura de Computadores Introdução aos Sistemas Operacionais O que é um Sistema Operacional? Programa que atua como um intermediário entre um usuário do computador ou um programa e o hardware. Os 4

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Computacionais Introdução

Fundamentos de Sistemas Computacionais Introdução Fundamentos de Sistemas Computacionais Introdução Prof. Eduardo Alchieri Sistema Computacional Hardware Software Usuários Um ou mais processadores, memória, discos, impressoras, teclado, mouse, monitor,

Leia mais

Tópicos da aula. Histórico e Evolução dos Computadores. Noções Básicas de Arquitetura de Computadores

Tópicos da aula. Histórico e Evolução dos Computadores. Noções Básicas de Arquitetura de Computadores Tópicos da aula Introdução Histórico e Evolução dos Computadores Noções Básicas de Arquitetura de Computadores Características gerais dos componentes de um computador digital Objetivos da aula Complementar

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866

ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 1866 1 Introdução: Um computador é uma máquina (conjunto de partes eletrônicas e eletromecânicas) capaz de sistematicamente coletar, manipular e fornecer resultados da manipulação de dados para um ou mais objetivos.

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Evolução Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Sumário Introdução Componentes de um sistema computacional Conceituação Características desejáveis Organização

Leia mais

Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres. Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015

Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres. Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015 Prof. Antonio Torres antonioctorres@gmail.com @_antonioctorres Fundamentos de Sistemas Operacionais UNIP/2015 Disciplinas FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Horários Quarta-feira Fundamentos de Sistemas

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Tipos de Sistemas Operacionais Com o avanço dos computadores foram surgindo alguns tipos de sistemas operacionais que contribuíram para o desenvolvimento do software. Os tipos de

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03

INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS SEMANA 03 fevereiro/2011 Surgimento, desenvolvimento e evolução dos sistemas operacionais até os sistemas modernos. 1 - Introdução A evolução dos sistemas operacionais

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação Introdução à Computação DCA0800 - Algoritmos e Lógica de Programação Heitor Medeiros 1 Informática x Computação

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Hardware André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Gerações de hardware Tipos de computadores Partes do Microcomputador Periféricos Armazenamento de

Leia mais

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Sistemas Operacionais (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Classificações 3. CPU 4. Memória 5. Utilitários O que se

Leia mais

- Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES

- Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES - Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES 1. INTRODUÇÃO Centenas de tipos diferentes de computadores foram projetados e construídos ao longo do ciclo evolutivo dos computadores digitais.

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES. Prof. André Dutton ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. André Dutton EMENTA: Conceitos fundamentais e histórico da ciência da computação; Histórico dos computadores, evolução e tendências; Modalidades de computadores

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS 2007

SISTEMAS OPERACIONAIS 2007 SISTEMAS OPERACIONAIS 2007 VISÃO GERAL Sumário Conceito Máquina de Níveis Conceituação de SO Componentes do SO Visões do SO Conceito de Sistemas O que se espera de um sistema de computação? Execução de

Leia mais

História dos SOs. Tópicos

História dos SOs. Tópicos História dos SOs Cap. 1 - Tanenbaum Prof. Alexandre Beletti Ferreira 1ª Geração 2ª Geração 3ª Geração 4ª Geração Tópicos 1 1ª Geração 1ª Geração: 1945 a 1955 Computadores: em meados da década de 40 Máquinas

Leia mais

A história dos sistemas operacionais

A história dos sistemas operacionais A história dos sistemas operacionais Atualmente, os sistemas operacionais (SO) estão cada vez mais fáceis de usar, possuindo interfaces muito simples e bonitas. Contudo, todas estas funcionalidades não

Leia mais

Resumo até aqui. Gerenciamento Proteção Compartilhamento. Infra-estrutura de Software

Resumo até aqui. Gerenciamento Proteção Compartilhamento. Infra-estrutura de Software Resumo até aqui Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como uma máquina estendida abstrações SO como um

Leia mais

01/04/2012. Voltar. Voltar

01/04/2012. Voltar. Voltar Introdução à Informática Capítulo 3 Sistemas Operacionais: Software em Segundo Plano Objetivos Descrever as funções de um sistema operacional. Explicar os fundamentos do sistema operacional de um computador.

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade I Introdução. 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I. Unidade I Introdução. 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade I Introdução 11/02/2014 Prof. Valeria M. Bastos 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Introdução Conceituação de SO Funções Básicas Breve Histórico Tipos de SO Fundamentos

Leia mais

Hardware e Software. Professor: Felipe Schneider Costa. felipe.costa@ifsc.edu.br

Hardware e Software. Professor: Felipe Schneider Costa. felipe.costa@ifsc.edu.br Hardware e Software Professor: Felipe Schneider Costa felipe.costa@ifsc.edu.br Agenda Hardware Definição Tipos Arquitetura Exercícios Software Definição Tipos Distribuição Exercícios 2 Componentesde um

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

A Evolução dos Sistemas Operacionais

A Evolução dos Sistemas Operacionais Capítulo 3 A Evolução dos Sistemas Operacionais Neste capítulo, continuaremos a tratar dos conceitos básicos com a intensão de construirmos, agora em um nível mais elevado de abstração, o entendimento

Leia mais

Sistemas Operacionais. Professor Leslier Soares Corrêa

Sistemas Operacionais. Professor Leslier Soares Corrêa Sistemas Operacionais Professor Leslier Soares Corrêa Objetivos Conhecer o Professor e a matéria. Importância da Matéria no dia a dia. Por que é necessário um sistema operacional O que é um Sistema Operacional

Leia mais

Princípios de TI - Computadores. Sistema Operacional. CECOMP Colegiado de Engenharia da Computação. Prof. Fábio Nelson. Slide 1

Princípios de TI - Computadores. Sistema Operacional. CECOMP Colegiado de Engenharia da Computação. Prof. Fábio Nelson. Slide 1 Sistema Operacional Slide 1 Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos do computador (CPU, dispositivos periféricos). Estabelece

Leia mais

Infra-Estrutura de Software. Introdução. (cont.)

Infra-Estrutura de Software. Introdução. (cont.) Infra-Estrutura de Software Introdução (cont.) O que vimos Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Introdução. Nível do Sistema Operacional. Introdução. Um Sistema Operacional... Introdução a Sistemas Operacionais

Introdução. Nível do Sistema Operacional. Introdução. Um Sistema Operacional... Introdução a Sistemas Operacionais Introdução Nível do Sistema Operacional (Aula 14) Introdução a Sistemas Operacionais Hardware Provê os recursos básicos de computação (CPU, memória, E/S,etc.) Programas (aplicações) Definem as maneiras

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Aula 04: Sistema Operacional Material Didático do Livro: Introdução à Informática Capron,, H. L. e Johnson, J. A Pearson Education Sistemas Operacionais: Software Oculto Serve

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Aula 6 Estrutura de Sistemas Operacionais Prof.: Edilberto M. Silva http://www.edilms.eti.br Baseado no material disponibilizado por: SO - Prof. Edilberto Silva Prof. José Juan Espantoso

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com

Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs. Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com Sistemas Operacionais Aula 03: Estruturas dos SOs Ezequiel R. Zorzal ezorzal@unifesp.br www.ezequielzorzal.com OBJETIVOS Descrever os serviços que um sistema operacional oferece aos usuários e outros sistemas

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery Sistemas Operacionais Introdução Professora: Michelle Nery Área de Atuação do Sistema Operacional Composto de dois ou mais níveis: Tipo de Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Monotarefas Sistemas

Leia mais

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I

UFRJ IM - DCC. Sistemas Operacionais I UFRJ IM - DCC Sistemas Operacionais I Unidade I 18/9/2009 Prof. Antonio Carlos Gay Thomé Prof. Aux. Simone Markenson Pech 1 ORGANIZAÇÃO DA UNIDADE Conceituação de SO Funções Básicas Breve Histórico Tipos

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática Curso Conexão Noções de Informática Aula 2 Arquitetura de Computadores (Software) Agenda Introdução; Tipos de Software; Básico; Aplicativo; Livre; Proprietário. Pirataria de Software; Demos, Freewares

Leia mais

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional

Figura 01 Kernel de um Sistema Operacional 01 INTRODUÇÃO 1.5 ESTRUTURA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS O Sistema Operacional é formado por um Conjunto de rotinas (denominado de núcleo do sistema ou kernel) que oferece serviços aos usuários e suas aplicações

Leia mais

Resumo. Prof. Alejandro - Introdução à Sistemas Operacionais Resumo Informativo, complemente o material assistindo as Aulas 19/08/2015 1

Resumo. Prof. Alejandro - Introdução à Sistemas Operacionais Resumo Informativo, complemente o material assistindo as Aulas 19/08/2015 1 Resumo 19/08/2015 1 1. Tipos de Software 2. Introdução aos Sistemas Operacionais 3. Os Arquivos 4. Funções do Sistema Operacional 5. Programas Utilitários do Sistema Operacional 6. Termos Básicos 7. Tipos

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Hardware André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) 1 Conceitos Básicos Gerações de Hardware Tipos de computadores Partes do Microcomputador Periféricos

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. O Mundo dos Softwares e Introdução aos Sistemas Operacionais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. O Mundo dos Softwares e Introdução aos Sistemas Operacionais Informática Prof. Macêdo Firmino O Mundo dos Softwares e Introdução aos Sistemas Operacionais Macêdo Firmino (IFRN) Informática Março de 2012 1 / 26 Software O Hardware não consegue executar qualquer ação

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação Informática Aplicada Revisão para a Avaliação 1) Sobre o sistema operacional Windows 7, marque verdadeira ou falsa para cada afirmação: a) Por meio do recurso Windows Update é possível manter o sistema

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO INSTITUTO POLITÉCNICO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas Operacionais Notas de Aulas: Tópicos 7 e 8 Estrutura do Sistema Operacional São Paulo 2009 1 Sumário

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Sistemas Operacionais: Software Oculto Introdução a Computação Sistemas Operacionais Serve como um intermediário entre o hardware e os softwares aplicativos. Sistema Operacional Software de sistemas Kernel

Leia mais

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1 Introdução

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1 Introdução Sistemas Operacionais Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 1 Introdução Conceituação Um Sistema Operacional tem como função principal gerenciar os componentes de hardware (processadores, memória principal,

Leia mais

Introdução. O que vimos. Infraestrutura de Software. (cont.) História dos Sistemas Operacionais. O que vimos 12/03/2012. Primeira geração: 1945-1955

Introdução. O que vimos. Infraestrutura de Software. (cont.) História dos Sistemas Operacionais. O que vimos 12/03/2012. Primeira geração: 1945-1955 O que vimos Infraestrutura de Software Introdução (cont.) Complexidade do computador moderno, do ponto de vista do hardware Necessidade de abstrações software Sistema computacional em camadas SO como uma

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN

SISTEMAS OPERACIONAIS. Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN SISTEMAS OPERACIONAIS Apostila 03 Estrutura do Sistema Operacional UNIBAN 1.0 O Sistema Operacional como uma Máquina Virtual A arquitetura (conjunto de instruções, organização de memória, E/S e estrutura

Leia mais

Conceitos de Sistemas Operacionais

Conceitos de Sistemas Operacionais Conceitos de Sistemas Operacionais Romildo Martins Bezerra IFBA/DTEE Computação e Processamento de Dados Conceitos de Sistemas Operacionais... 1 Arquitetura Conceitual de um Computador... 2 Processadores...

Leia mais

Informática Instrumental

Informática Instrumental 1º PERÍODO.: GRADUAÇÃO EM REDES DE COMPUTADORES :. Madson Santos madsonsantos@gmail.com 2 Unidade I Unidade I Software 3 Software o é uma sentença escrita em uma linguagem de computador, para a qual existe

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Sistemas Operacionais 1- Introdução aos SOs Prof. Sílvio Fernandes Disciplina Sistemas

Leia mais

Sistemas Operacionais Cap 3 Estruturas de Sistemas Operacionais. Podemos analisar um sistema operacional sob diversos aspectos:

Sistemas Operacionais Cap 3 Estruturas de Sistemas Operacionais. Podemos analisar um sistema operacional sob diversos aspectos: Estruturas de Sistemas Operacionais Podemos analisar um sistema operacional sob diversos aspectos: Os serviços que o sistema operacional oferece. A interface que o sistema operacional torna disponível

Leia mais

Estrutura geral de um computador

Estrutura geral de um computador Estrutura geral de um computador Prof. Helio H. L. C. Monte-Alto Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu

Leia mais

Aula 02 Software e Operações Básicas. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/

Aula 02 Software e Operações Básicas. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Aula 02 Software e Operações Básicas Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br http://www.profbrunogomes.com.br/ Revisando Como um computador funciona: Entrada (Dados) Processamento (Análise dos Dados)

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Universidade Federal de Goiás Ubuntu Desktop Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Conpeex / 2010 Agenda Introdução Conceitos Categorias de Software História do Linux Arquitetura do Linux Ubuntu Projeto

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações

Leia mais

Apresentação da disciplina. Sistemas Operacionais I N. A disciplina. O Professor. Áreas de atuação na pesquisa. Referências bibliográficas básicas

Apresentação da disciplina. Sistemas Operacionais I N. A disciplina. O Professor. Áreas de atuação na pesquisa. Referências bibliográficas básicas 1 Apresentação da disciplina Sistemas Operacionais I N Prof. Marcelo Johann 2009/2 O professor A disciplina Bibliografia Cronograma Avaliação Trabalhos Regras do jogo Introdução: Sistemas Operacionais

Leia mais

Usuários. Aplicativos e programas dos usuários. Kernel gerenciamento de processos, memória, sistema de arquivos, I/O, etc.

Usuários. Aplicativos e programas dos usuários. Kernel gerenciamento de processos, memória, sistema de arquivos, I/O, etc. 1 1.0 Kernel O kernel (núcleo) representa o coração do Sistema Operacional. Atribuições do kernel: - gerenciamento dos arquivos em disco; - inicializar programas e executá-los; - alocar e gerenciar memória

Leia mais

Informática para Banca IADES. Hardware e Software

Informática para Banca IADES. Hardware e Software Informática para Banca IADES Conceitos Básicos e Modos de Utilização de Tecnologias, Ferramentas, Aplicativos e Procedimentos Associados ao Uso de Informática no Ambiente de Escritório. 1 Computador É

Leia mais

Hardware e Software. Exemplos de software:

Hardware e Software. Exemplos de software: Hardware e Software O hardware é a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de barramentos. Em complemento ao

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 6 OBJETIVOS OBJETIVOS ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall Qual é a capacidade de processamento e armazenagem

Leia mais

Introdução a Informática

Introdução a Informática Inclusão Projeto Digital do Jovem Agricultor Introdução a Informática Projeto 1/18 Inclusão Projeto Digital do Jovem Agricultor Conteúdo Programático Introdução; História do computador; Hardware, Software

Leia mais

7 Processos. 7.1 Introdução

7 Processos. 7.1 Introdução 1 7 Processos 7.1 Introdução O conceito de processo é a base para a implementação de um sistema multiprogramável. O processador é projetado apenas para executar instruções, não se importando com qual programa

Leia mais

b) Estabilizador de tensão, fonte no-break, Sistema Operacional, memória principal e memória

b) Estabilizador de tensão, fonte no-break, Sistema Operacional, memória principal e memória CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISUTEC DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO PROF.: RAFAEL PINHEIRO DE SOUSA ALUNO: Exercício 1. Assinale a opção que não corresponde a uma atividade realizada em uma Unidade

Leia mais

Introdução a Computação 07 Sistemas operacionais. Márcio Daniel Puntel marcio.puntel@ulbra.edu.br

Introdução a Computação 07 Sistemas operacionais. Márcio Daniel Puntel marcio.puntel@ulbra.edu.br Introdução a Computação 07 Sistemas operacionais Márcio Daniel Puntel marcio.puntel@ulbra.edu.br O que é? Pra que serve? Onde se usa? Como funciona? O que é? Uma coleção de programas Inicia e usa do HW

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais

Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais Ivanovitch Medeiros Dantas da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação DCA0800 - Algoritmos e

Leia mais

Lista de Exercícios Introdução à Informática

Lista de Exercícios Introdução à Informática Lista de Exercícios Introdução à Informática Histórico e Evolução da Computação 1. Cite alguns problemas que o uso de válvulas provocava nos computadores de 1ª geração. 2. O que diferencia os computadores

Leia mais

Fundamentos em Informática

Fundamentos em Informática Fundamentos em Informática 04 Organização de Computadores nov/2011 Componentes básicos de um computador Memória Processador Periféricos Barramento Processador (ou microprocessador) responsável pelo tratamento

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 1. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 1. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 05 Estrutura e arquitetura do SO Parte 1 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed. LTC,

Leia mais

Fundamentos da Informática. História dos Computadores Prof. Hélder Almeida www.helderalmeida.com.br

Fundamentos da Informática. História dos Computadores Prof. Hélder Almeida www.helderalmeida.com.br Fundamentos da Informática História dos Computadores Prof. Hélder Almeida www.helderalmeida.com.br História da Computação Hoje em dia, os computadores estão presentes em nossa vida de uma forma nunca vista

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Software Sistema de Entrada/Saída Princípios de Software Tratadores (Manipuladores) de Interrupções Acionadores de Dispositivos (Device Drivers)

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Professores autores Vicente Pires Lustosa Neto Roberta De Souza Coelho Aula 11 - Gerenciamento de memória Apresentação Na última aula, aprendemos mais sobre os processos e como gerenciá-los.

Leia mais

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Estrutura de um Computador Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Hardware e Software HARDWARE: Objetos Físicos que compões o computador Circuitos Integrados, placas, cabos, memórias, dispositivos

Leia mais

Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007

Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007 Sistemas Operacionais I Parte I Introdução Roteiro Prof. Gregorio Perez gregorio@uninove.br 2007 1 Introdução 1.1 O que é um Sistema Operacional? 1.2 Motivações 2 Breve História 2.1 Décadas de 1940s e

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional

Sistemas Operacionais. Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional Sistemas Operacionais Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional INTRODUÇÃO Sistema Operacional (S.O.) Aplicativos Formado por um conjunto de rotinas que oferecem serviços aos usuários, às aplicações

Leia mais

Fundamentos de Programação I

Fundamentos de Programação I 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Campus: Campo Mourão Professor: Rafael Henrique Dalegrave Zottesso E-mail: rafaelzottesso@utfpr.edu.br Material cedido por: Prof. Luiz Arthur Sumário:

Leia mais

Introdução aos Sistemas Operacionais. Computador = hardware + software. Como é formado o meu computador? E como estes componentes se comunicam?

Introdução aos Sistemas Operacionais. Computador = hardware + software. Como é formado o meu computador? E como estes componentes se comunicam? Como é formado o meu computador? Introdução aos Sistemas Operacionais Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 1 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) Mouse Teclado Monitor Placa de vídeo

Leia mais

Introdução à Computação: História dos computadores

Introdução à Computação: História dos computadores Introdução à Computação: História dos computadores Ricardo de Sousa Bri.o rbri.o@ufpi.edu.br DIE- UFPI 2004 by Pearson Education Objetivos Aprender sobre a história dos computadores. 2004 by Pearson Education

Leia mais

Visão Geral de Sistemas Operacionais

Visão Geral de Sistemas Operacionais Visão Geral de Sistemas Operacionais Sumário Um sistema operacional é um intermediário entre usuários e o hardware do computador. Desta forma, o usuário pode executar programas de forma conveniente e eficiente.

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Softwares O que é Software? Conjunto de instruções/funções/tarefas que definem o que o computador deve executar para chegar

Leia mais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais

1º Estudo Dirigido. Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1º Estudo Dirigido Capítulo 1 Introdução aos Sistemas Operacionais 1. Defina um sistema operacional de uma forma conceitual correta, através de suas palavras. R: Sistemas Operacionais são programas de

Leia mais

1. Sistemas Operacionais

1. Sistemas Operacionais 1. Sistemas Operacionais 1.1. Conceitos Básicos de Sistema Operacional Em torno de um computador, existem usuários com problemas para serem resolvidos. Por exemplo, um usuário precisa editar texto, enquanto

Leia mais

Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais. Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT

Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais. Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT Pós-Graduação, Maio de 2006 Introdução aos Sistemas Operacionais Prof. Dr. Ruy de Oliveira CEFET-MT O que é um Sistema Operacional? Um software que abstrai as complexidades do hardware de um usuário/programador

Leia mais