Como posso solicitar o descadastramento de empresa que encerrou suas atividades ou mudou de ramo?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como posso solicitar o descadastramento de empresa que encerrou suas atividades ou mudou de ramo?"

Transcrição

1 Page 1 of 5 TÓPICOS - Cadastramento - Descadastramento - Comunicações - Declaração Semestral de Inocorrência de Operações (Declaração Negativa) - Guarda de documentos - Responsável Legal - Operações Atípicas - Setor imobiliário - Setor de Factoring Cadastramento Como devo fazer o cadastramento da empresa junto ao COAF? É preciso pagar alguma taxa para efetuar o cadastro? É preciso enviar algum documento da empresa e/ou de seus sócios? Quando deve ser efetuado o cadastramento de uma empresa nova? O cadastramento, sem qualquer custo e sem necessidade de envio de qualquer documentação ao COAF, deve ser efetuado em nossa página na internet, no endereço clicando no link "Área de uso Exclusivo das pessoas obrigadas na Lei 9.613" aparecerá uma tela para acesso das pessoas obrigadas, solicitando o CPF do Responável e senha. Logo abaixo destes campos, aparecerá a opção: "Usuário Novo", ao clicar nesta opção será remetido para inclusão do CNPJ da empresa, em seguida deverá ser preenchido um formulário eletrônico com os dados da empresa e do seu responsável pelas comunicações. Novas empresas - o cadastramento deve ser efetuado tão logo a empresa seja constituída, a fim de possibilitar o envio de comunicações sobre eventuais operações que se enquadrem nos critérios das Resoluções COAF. Descadastramento Como posso solicitar o descadastramento de empresa que encerrou suas atividades ou mudou de ramo? Para o descadastramento de empresas com atividades encerradas ou que mudaram de ramo de atividade, deve ser enviada ao COAF correspondência solicitando o cancelamento do registro, explicitando o motivo. Anexar ao Ofício - Contrato/distrato social da empresa Segue nosso endereço para correspondência:

2 Page 2 of 5 Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF/MF Setor de Autarquias Sul - Qd Bl. O - Ed. Órgãos Regionais - 7º andar CEP Brasília-DF Comunicações Que tipo de operações devem ser comunicadas ao COAF? Não possuo todos os dados obrigatórios da operação, deve esperar para efetuar a comunicação até que possua s informações completas? O formulário eletrônico de comunicações foi elaborado de modo a abranger todas as situações passíveis de comunicação, contendo, de modo geral, situações com critérios objetivos quanto ao valor da operação e forma de pagamento, e outras situações com critérios subjetivos, que dependem da avaliação da empresa a respeito de seu cliente e do modo como este conduziu a operação. Portanto, operações que não se enquadrem em qualquer das opções não necessitam ser comunicadas. Cabe ao responsável pela empresa verificar o enquadramento ou não de cada operação nos critérios, definidos nos termos das Resoluções COAF A ausência de algum dado obrigatório, como o nº do registro do imóvel, não deve impedir a comunicação da operação. Basta justificar tal ausência no campo "Informações adicionais" do formulário eletrônico de comunicação, encaminhando nova comunicação completa tão logo sejam obtidos os dados faltantes. É possível corrigir uma comunicação feita indevidamente ou com dados incorretos? Em caso de erro no preenchimento do formulário eletrônico, ou cancelamento da operação, deve ser efetuada nova comunicação, esclarecendo no campo "Informações adicionais" que trata-se de retificação ou cancelamento, acrescido dos dados da comunicação anterior (nº, data, etc...) - Prazos Qual o prazo para comunicar operações ao COAF? Qual o prazo para efetuar a delcaração de inocorrência de operações (Declaração Negativa)? As comunicações só devem ser encaminhadas ao COAF quando estiverem abrangidas pela Resolução COAF pertinente, no prazo de 24 horas a contar da conclusão da operação ou do conhecimento de condição que enquadre-se nos critérios de comunicação. Caso não ocorram operações que se enquadrem nos critérios de obrigatoriedade da precitada Resolução, a empresa deverá apenas efetuar declaração negativa ao final de cada semestre, tendo prazo de 30 dias para fazê-lo (1º semestre: de 1 a 30 de julho / 2º semestre: de 1 a 30 de janeiro) Cabe destacar que os prazos para efetuar comunicações ao COAF constam do Artigo 8º - caput e parágrafo único - da precitada Resolução. Declaração Semestral de Inocorrência de Operações (Declaração Negativa)

3 Page 3 of 5 Em que situação deve ser feita a Declaração Negativa? A declaração de inocorrência de operações, ou "declaração negativa", exigida para os segmentos imobiliário e de factoring, deve ser efetuada pelas pessoas que, durante o semestre civil (1º semestre = 1º de janeiro a 30 de junho / 2º semestre = 1º de julho a 31 de dezembro) não efetuaram comunicações de operações ao COAF. - Prazos Qual o prazo para efetuar a delcaração de inocorrência de operações (Declaração Negativa)? A declaração de inocorrência de operações, ou "declaração negativa", exigida para os segmentos imobiliário e de factoring, deve ser efetuada ao término de cada semestre civil (jan-jun e jul-dez). Há um prazo de 30 dias após o término de cada semestre para tal comunicação. Portanto, deve ser efetuada entre 1º e 30/julho (ref. ao 1º semestre) e 1º e 30/janeiro (ref. ao 2º semestre). Guarda de documentos Que documentos devem ser conservados? Qual o período mínimo de conservação de documentos? O prazo para conservação de cadastros e registros previstos nas Resoluções COAF é de 5 (cinco) anos a contar da conclusão da transação. Os documentos devem ser aqueles necessários para comprovar as informações constantes do cadastro das empresas contratantes e das operações realizadas. Multa Quando a comunicação é feita fora do prazo, o COAF já está aplicando a multa? Há algum período de adaptação para que as empresas não estejam sujeitas a essa multa? O COAF vem aceitando comunicações efetuadas fora do prazo. No entanto, é importante ressaltar que as comunicações devem ser realizadas 24 horas após a realização da operação, observando, portanto, o princípio da oportunidade. Responsável Legal Devo informar como Responsável Legal o representante legal da empresa perante a Receita Federal ou a pessoa que está preenchendo as informações? Deve ser o sócio administrador da empresa. Operações Atípicas O que são Operações Atípicas? Que tipos de operações devem ser comunicadas ao COAF? De modo geral, em relação ao Sistema Financeiro Nacional, a Carta-Circular nº 2826 do BACEN diulgou relação de operações e situações que podem configurar indício de ocorrência dos crimes previstos na lei nº 9.613:

4 Page 4 of 5 Para os segmentos obrigados (Imobiliário, factoring, cartões de crédito, loterias e sorteios, comércio de jóias, pedras e metais preciosos, comércio de objetos de arte e antiguidades) as relações de operações passíveis de comunicação ao COAF encontram-se nas respectivas resoluções emitidas pelo COAF: Setor Imobiliário Todos os procedimentos a serem observados por pessoas jurídicas que exerçam atividades de promoção imobiliária ou compra e venda de imóveis encontram-se relacionadas na RESOLUÇÃO COAF nº 14, de 23/10/2006. Desta forma, recomendamos a leitura atenta da referida norma e seu anexo, que podem ser encontrados na página do COAF na Internet, no endereço: https://www.coaf.fazenda.gov.br/conteudo/legislacaoe-normas Cabe destacar que o limite de valor e as informações mínimas que devem constar do registro das transações estão descritos nos Artigos 5º e 6º da precitada Resolução, enquanto o Artigo 8º dispõe sobre as comunicações ao COAF, cujos critérios encontram-se no Artigo 7º e no Anexo. - Valor As empresas devem comunicar ao COAF todas as operações que se enquadrem nos termos da Resolução COAF nº 14/2006, e não apenas aquelas de valor igual ou superior a R$ 100 mil. O valor base é o da OPERAÇÃO de compra e venda, independentemente dos valores de comissão e outros. O valor limite de R$ 100 mil deve ser considerado individualmente, pois cada compra ou venda de imóvel constitui uma operação. Operações com pagamento parcelado que se enquadrem em algum dos critérios de comunicação, devem ser comunicadas quando o somatório dos pagamentos efetivos atingirem o valor limite de R$ 100 mil. Setor de Factoring Todos os procedimentos a serem observados pelas empresas de factoring junto ao COAF encontram-se relacionados na RESOLUÇÃO COAF nº 13, de 30/9/2005. Desta forma, recomendamos a leitura atenta da referida norma e seu anexo, que podem ser encontrados na página do COAF na Internet, no endereço: https://www.coaf.fazenda.gov.br/conteudo/legislacaoe-normas Cabe destacar que o limite de valor e as informações mínimas que devem constar do

5 Page 5 of 5 registro das transações estão descritos nos Artigos 5º e 6º da precitada Resolução, enquanto o Artigo 8º dispõe sobre as comunicações ao COAF, cujos critérios encontram-se no Artigo 7º e no Anexo. - Valor As empresas devem comunicar ao COAF todas as operações que se enquadrem nos termos da Resolução COAF nº 13/2005, e não apenas aquelas de valor igual ou superior a R$ 50 mil. O valor base é o da operação de factoring. Operações com pagamento parcelado que se enquadrem em algum dos critérios de comunicação, devem ser comunicadas quando o somatório dos pagamentos efetivos atingirem o valor limite de R$ 100 mil.

Manual Operacional do SISCOAF

Manual Operacional do SISCOAF Manual Operacional do SISCOAF Manual Operacional do SISCOAF Página 2 Conteúdo 1. Acesso ao SISCOAF...3 2. Cadastro de novos comunicantes...4 3. Logon no SISCOAF...6 4. Menu do SISCOAF...8 - Administrar....8

Leia mais

P á g i n a 1. SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Manual Operacional

P á g i n a 1. SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Manual Operacional P á g i n a 1 SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras Manual Operacional P á g i n a 2 SUMÁRIO 1 Orientações gerais... 4 1.1 O que são Pessoas Obrigadas?... 4 1.2 Perfis de acesso... 4 1.3

Leia mais

P á g i n a 1. SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Manual Operacional

P á g i n a 1. SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Manual Operacional P á g i n a 1 SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras Manual Operacional P á g i n a 2 1 SUMÁRIO 2 Orientações gerais... 3 2.1 Perfis de acesso... 4 2.2 Para acessar todas as funcionalidades

Leia mais

SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Cadastro e Habilitação Declaração de Inocorrência

SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Cadastro e Habilitação Declaração de Inocorrência SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras Cadastro e Habilitação Declaração de Inocorrência Sumário ORIENTAÇÕES GERAIS... 3 O que são Pessoas Obrigadas... 4 O que é o SISCOAF... 4 Quem deve

Leia mais

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Versão: 24/05/2010 Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como

Leia mais

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo

Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e. Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como emissor de NF-e Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo Versão 1.0 23/07/2009 Passos e Orientações para solicitação de credenciamento como

Leia mais

RESOLUÇÃO-COFECI Nº 1.168/2010 (Publicada no D.O.U nº 77, de 26/04/10, fls. 103, Seção 1)

RESOLUÇÃO-COFECI Nº 1.168/2010 (Publicada no D.O.U nº 77, de 26/04/10, fls. 103, Seção 1) RESOLUÇÃO-COFECI Nº 1.168/2010 (Publicada no D.O.U nº 77, de 26/04/10, fls. 103, Seção 1) 1 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelas pessoas jurídicas que exerçam atividades de promoção imobiliária

Leia mais

Manual do Usuário Abertura de Microempreendedor Individual - M.E.I.

Manual do Usuário Abertura de Microempreendedor Individual - M.E.I. Manual do Usuário Abertura de Microempreendedor Individual - M.E.I. Empro - Tecnologia & Informação São José do Rio Preto, São Paulo Sumário Introdução... 3 Acesso... 4 Abertura de M.E.I. - Consulta Prévia...

Leia mais

Manual do Usuário Alteração de Empresa

Manual do Usuário Alteração de Empresa Manual do Usuário Alteração de Empresa Empro - Tecnologia & Informação São José do Rio Preto, São Paulo Sumário Introdução... 3 Acesso... 4 Alteração de empresa... 6 Identificação... 7 Questionário sobre

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEB TRIBUTOS SAATRI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEB TRIBUTOS SAATRI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEB TRIBUTOS SAATRI 130325 SUMÁRIO SAATRI (Serviço de Auto Atendimento Tributário)... 3 ECONÔMICO... 4 Acesso ao Sistema... 4 Emissão de Certidão Negativa... 5 Verificar Autenticidade

Leia mais

1. PSTAW10 COAFI - OCORRÊNCIAS

1. PSTAW10 COAFI - OCORRÊNCIAS 1. PSTAW10 COAFI - OCORRÊNCIAS A inclusão/alteração/consulta de ocorrências no sistema COAFI via PSTAW10 é um recurso disponibilizado para as instituições financeiras com o objetivo de facilitar o trabalho

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS CSGII - COORDENADORIA SETORIAL DE GESTÃO DA INFORMÁTICA E INFORMAÇÃO. Nota Fiscal Alagoana Manual do Consumidor

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS CSGII - COORDENADORIA SETORIAL DE GESTÃO DA INFORMÁTICA E INFORMAÇÃO. Nota Fiscal Alagoana Manual do Consumidor GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS CSGII - COORDENADORIA SETORIAL DE GESTÃO DA INFORMÁTICA E INFORMAÇÃO Nota Fiscal Alagoana Manual do Consumidor Versão 1.0 07/11/2008 Índice Analítico 1. Considerações Gerais...

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema

Manual de Utilização do Sistema Manual de Utilização do Sistema 2015 Nota Control Nota Premiada Índice Parte I Informações Iniciais 1 Sobre o documento Parte II Apresentação 1 Menu Home 2 Menu Cadastro 3 Menu Entrar 4 Menu Sorteio Realizados

Leia mais

SIGA Sistema de Gestão de Almoxarifado

SIGA Sistema de Gestão de Almoxarifado SIGA Sistema de Gestão de Almoxarifado Como acessar O acesso ao Sistema se faz através da página da SEPLAG Clicando no Link destacado Clicar no Link destacado e será exibida a tela de login do Guardião.

Leia mais

CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL

CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL Renovação de Crédito Consignado Modelo Automatizado VERSÃO 2.0 Julho 2014 ÍNDICE 1. CADASTRO DE CLIENTES... 3 2. SIMULAÇÃO DA OPERAÇÃO... 6 3. SOLICITAÇÃO DA PROPOSTA

Leia mais

SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras

SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras P á g i n a 1 SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras Manual Operacional Cadastro e Habilitação P á g i n a 2 SUMÁRIO 1 Orientações gerais... 3 1.1 O que são Pessoas Obrigadas?... 4 1.2 O

Leia mais

SILIAWEB. Sistema Integrado de Licenciamento Ambiental. Manual do usuário - Versão 1.1

SILIAWEB. Sistema Integrado de Licenciamento Ambiental. Manual do usuário - Versão 1.1 SILIAWEB Sistema Integrado de Licenciamento Ambiental Manual do usuário - Versão 1.1 Dezembro - 2013 Todos os direitos reservados por Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco CPRH/PE www.cprh.pe.gov.br

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.445/13 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelos profissionais e Organizações Contábeis, quando no exercício de suas

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.445/13 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelos profissionais e Organizações Contábeis, quando no exercício de suas RESOLUÇÃO CFC N.º 1.445/13 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelos profissionais e Organizações Contábeis, quando no exercício de suas funções, para cumprimento das obrigações previstas

Leia mais

Res. CFC 1.445/13 - Res. - Resolução CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE - CFC nº 1.445 de 26.07.2013

Res. CFC 1.445/13 - Res. - Resolução CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE - CFC nº 1.445 de 26.07.2013 Res. CFC 1.445/13 - Res. - Resolução CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE - CFC nº 1.445 de 26.07.2013 D.O.U.: 30.07.2013 (Estabelece normas gerais de prevenção à lavagem de dinheiro e ao financiamento do

Leia mais

Transações imobiliárias e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF

Transações imobiliárias e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF Transações imobiliárias e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras - COAF Migalhas, 16 de novembro de 2006 Nos termos da Resolução 14/06 do COAF (a Resolução 14 ), que produzirá efeitos a partir

Leia mais

PREFEITURA MUNCIPAL DE CONTAGEM MANUAL DO USUÁRIO. versão 1.0 SISTEMA IPTU ONLINE

PREFEITURA MUNCIPAL DE CONTAGEM MANUAL DO USUÁRIO. versão 1.0 SISTEMA IPTU ONLINE MANUAL DO USUÁRIO versão 1.0 SISTEMA IPTU ONLINE Caro contribuinte, você acaba de acessar a página na internet da Prefeitura Municipal de Contagem que disponibiliza a prestação de serviços eletrônicos.

Leia mais

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO Documento de Utilização de Benefício Fiscal APRESENTAÇÃO Prezado Contribuinte, Instituído pela Resolução SEFAZ nº 180 de 05 de dezembro de 2008, o DUB-ICMS (Documento de Utilização de Benefício) é uma

Leia mais

MANUAL Inclusão de Proposta para licitação" Operando o Portal do Cidadão

MANUAL Inclusão de Proposta para licitação Operando o Portal do Cidadão MANUAL Inclusão de Proposta para licitação" Operando o Portal do Cidadão Para efetuar esta operação o usuário deverá acessar o portal guaramirim.atende.net rolar a página até o final, clicando na aba Enviar

Leia mais

SISCOAF CRECI PR. Profissionalismo e responsabilidade social a serviço da sociedade. CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 6ª REGIÃO PARANÁ

SISCOAF CRECI PR. Profissionalismo e responsabilidade social a serviço da sociedade. CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 6ª REGIÃO PARANÁ SISCOAF CRECI PR CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS DO PARANÁ- 6ª REGIÃO / PR Profissionalismo e responsabilidade social a serviço da sociedade. CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS 6ª REGIÃO

Leia mais

Consulta de Viabilidade de Nome Empresarial. Guia do Usuário

Consulta de Viabilidade de Nome Empresarial. Guia do Usuário Consulta de Viabilidade de Nome Empresarial Guia do Usuário Curitiba - 2013 Índice 1. Consulta de Viabilidade...3 Guia do usuário...3 1.1. Descrição da Consulta de Viabilidade... 4 1.2. Passo a passo...

Leia mais

VIA FÁCIL - BOMBEIROS

VIA FÁCIL - BOMBEIROS SECRETARIA DO ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO CORPO DE BOMBEIROS VIA FÁCIL - BOMBEIROS MANUAL DO USUÁRIO Versão V1.0 1 Índice A INTRODUÇÃO 4 B USUÁRIO NÃO

Leia mais

Instruções para a Prestação de Informações de Arranjos Não Integrantes do SPB

Instruções para a Prestação de Informações de Arranjos Não Integrantes do SPB Instruções para a Prestação de Informações de Arranjos Não Integrantes do SPB Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos Deban Divisão de Sistemas de Pagamentos Dezembro / 2014 Atualizado

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA O ISS-e é um sistema completo de gestão do ISS do Município de Maringá, composto pelos módulos de: - NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica) - DMS-e (Declaração Mensal de Serviços Eletrônica) - AIDF-e

Leia mais

Cadastro de Corretores Manual do Usuário

Cadastro de Corretores Manual do Usuário susep 2012 Cadastro de Corretores SUSEP - CGETI - COSIM Fevereiro/2012 Conteúdo Apresentação...3 Mapa do Sistema de Cadastro de Corretores...4 Padrões...5 Acesso ao Sistema...6 Menu Principal...6 Informações

Leia mais

MANUAL ITCMD - DOAÇÃO

MANUAL ITCMD - DOAÇÃO MANUAL ITCMD - DOAÇÃO ACESSO AO SISTEMA ITCMD 2 CRIAÇÃO E PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO 2 1º PASSO: ESCOLHA DO TIPO DE DECLARAÇÃO 2 2º PASSO: AJUDA INICIAL 3 3º PASSO: CADASTRAMENTO DE SENHA 3 4º PASSO:

Leia mais

Manual do Usuário. Pré-Cadastro de Participantes. 08.11.2004 Versão 1.1

Manual do Usuário. Pré-Cadastro de Participantes. 08.11.2004 Versão 1.1 Manual do Usuário Pré-Cadastro de Participantes 08.11.2004 Versão 1.1 Índice 1. Introdução ao Pré-Cadastro...3 1.1. Pré-Cadastro de pessoa Física...3 1.1.1. Termo...3 1.1.2. Dados de identificação...4

Leia mais

Manual do Usuário Alteração de Autônomo

Manual do Usuário Alteração de Autônomo Manual do Usuário Alteração de Autônomo Empro - Tecnologia & Informação São José do Rio Preto, São Paulo Sumário Introdução... 3 Acesso... 4 Alteração de autônomo... 6 Etapa 1 - Autônomo... 8 Etapa 2 -

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual do Consumidor

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA. Nota Fiscal Paulista. Manual do Consumidor GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA FAZENDA Nota Fiscal Paulista Manual do Consumidor Versão 1.2 28/12/2007 Índice Analítico 1. Considerações Gerais 2 1.1 Definição 2 1.2

Leia mais

PORTAL EMPRESA SIMPLES Registro e Licenciamento de Empresas MANUAL RLE. Baixa Simplificada de Empresas

PORTAL EMPRESA SIMPLES Registro e Licenciamento de Empresas MANUAL RLE. Baixa Simplificada de Empresas PORTAL EMPRESA SIMPLES Registro e Licenciamento de Empresas MANUAL RLE Baixa Simplificada de Empresas 2 Sumário 1 Como preparar o computador para uso do certificado digital...04 2 Primeiro Acesso: Cadastro

Leia mais

Manual do Usuário Abertura de Autônomo

Manual do Usuário Abertura de Autônomo Manual do Usuário Abertura de Autônomo Empro - Tecnologia & Informação São José do Rio Preto, São Paulo Sumário Introdução... 3 Acesso... 4 Abertura de autônomo... 6 Etapa 1 - Cadastro... 7 Etapa 2 - Endereço...

Leia mais

Sistema de Eventos - Usuário

Sistema de Eventos - Usuário 2013 Sistema de Eventos - Usuário Coordenação de Tecnologia da Informação e Comunicação FUNDEPAG 06/06/2013 Sumário 1- Sistema de eventos... 3 1.1 Eventos... 3 1.2 Eventos que participo... 4 1.3 Trabalhos...

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica do Tomador de Serviços NFTS

Nota Fiscal Eletrônica do Tomador de Serviços NFTS Nota Fiscal Eletrônica do Tomador de Serviços NFTS Versão 1.0 Nota Salvador NFS-e Versão do Manual: 1.0 pág. 2 Manual do Sistema da Nota Fiscal Eletrônica do Tomador de Serviços NFTS ÍNDICE 1. Acessando

Leia mais

MANUAL PARA CADASTRO E ACESSO

MANUAL PARA CADASTRO E ACESSO MANUAL PARA CADASTRO E ACESSO AO SISTEMA BOLETO - PESSOA JURÍDICA - DEZEMBRO 2009 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 3 2. CADASTRO 3 3. VINCULAR ENTIDADE 6 4. ACESSO ÀS FUNCIONALIDADES DO SISTEMA 9 4.1. NADA CONSTA

Leia mais

Consulta de Viabilidade

Consulta de Viabilidade Consulta de Viabilidade Descrição: A Consulta de viabilidade é um formulário eletrônico responsável por coletar as informações do empreendedor referentes ao empreendimento. São coletados: dados do endereço,

Leia mais

PARÂMETROS RECOMENDADOS PELO SINFAC-PA:

PARÂMETROS RECOMENDADOS PELO SINFAC-PA: REQUISITOS PARA FILIAÇÃO AO SINFAC-PA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA: 1- Cópia do Contrato Social ou Estatuto, registrado na Junta Comercial; 2- Cartão do CNPJ atualizado; 3- Formulários de Dados Cadastrais preenchidos

Leia mais

Sistema do Prouni - SISPROUNI

Sistema do Prouni - SISPROUNI Sistema do Prouni - SISPROUNI Manual do Usuário Módulo Supervisão de Bolsistas Sumário I ACESSO AO SISPROUNI... 1 1. Endereço de Acesso na Internet... 1 2. Uso Obrigatório de Certificado Digital... 1 3.

Leia mais

[PÚBLICA] Manual Operacional. Sistema GEUI Gestão de Usuários da Internet. Produto: Consignado

[PÚBLICA] Manual Operacional. Sistema GEUI Gestão de Usuários da Internet. Produto: Consignado 1 [PÚBLICA] Manual Operacional Sistema GEUI Gestão de Usuários da Internet Produto: Consignado ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Objetivo do Manual... 3 1.2. Público Alvo... 3 1.3. Conteúdo do Manual... 3

Leia mais

NFE Nota Fiscal eletrônica. Versão 2.0 (07/2012)

NFE Nota Fiscal eletrônica. Versão 2.0 (07/2012) NFE Nota Fiscal eletrônica Versão 2.0 (07/2012) Sumário INTRODUÇÃO... 2 COMO OBTER AUTORIZAÇÃO PARA EMISSÃO DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA... 3 2º VIA DE SOLICITAÇÃO/AUTORIZAÇÃO DE IMPRESSÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS...

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 13.346, DE 24 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei Complementar nº 4.403, de 5 de junho de 2013, que Estabelece obrigação de uso do sistema ITBI

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema

Manual de Utilização do Sistema Manual de Utilização do Sistema 2013 Nota Control Nota Cuiabana Índice Parte I Informações Iniciais 1 Sobre o documento Parte II Apresentação 1 Menu Home 2 Menu Cadastro 3 Menu Já sou cadastrado 4 Menu

Leia mais

Lei de Prevenção e Combate a Lavagem de Dinheiro

Lei de Prevenção e Combate a Lavagem de Dinheiro Lei de Prevenção e Combate a Lavagem de Dinheiro Lei nº 9.613/1998 A Lei nº 9.613/1998, dispõe sobre os crimes de lavagem de dinheiro Estabelece ainda, procedimentos para a prevenção da utilização do sistema

Leia mais

Arquivo Nacional. Manual de Gerenciamento do Banco de Dados

Arquivo Nacional. Manual de Gerenciamento do Banco de Dados 1 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Arquivo Nacional Cadastro Nacional dos Integrantes do Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo SIGA Manual de Gerenciamento do Banco de Dados Dá instruções, campo por campo, sobre

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Pampa Gestão Unificada de Recursos Institucionais GURI Módulo de Processo Seletivo

Ministério da Educação Universidade Federal do Pampa Gestão Unificada de Recursos Institucionais GURI Módulo de Processo Seletivo 1 Acesso ao GURI Acessar através do seu navegador de internet o endereço http://guri.unipampa.edu.br. Imagem 1 Página Principal do GURI 2 Processo Seletivo 2.1 Inscrições em Processos Seletivos Para se

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES SOLICITANDO O CARTO BNDES NO PORTAL DE OPERAÇÕES DO BNDES CARTO Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES - Cartão BNDES Formatados: Marcadores e numeração C:\BNDES - SOLICITACAO DE CARTAO.doc

Leia mais

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE Guia do Usuário ÍNDICE ÍNDICE Setembro /2009 www.4rsistemas.com.br 15 3262 8444 IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 3 Sou localizado no município... 4 Não sou localizado no município... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 Tela

Leia mais

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com. 1/7 INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.br) INFORMAÇÕES I. O interessado na inscrição no Cadastro de Fornecedores

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA DECRETO MUNICIPAL N.º 102/2014, de 11 de dezembro de 2014. REGULAMENTA PROCEDIMENTOS, RELATIVOS A AIDOF, NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO, ESCRITURAÇÃO FISCAL E REQUERIMENTOS E APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS

Leia mais

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE A) APLICABILIDADE 1. Os presentes termos de uso são aplicáveis aos Usuários da INTERNET POOL COMÉRCIO ELETRONICO LTDA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 09.491.113/0001-01,

Leia mais

REQUISITOS PARA FILIAÇÃO AO SINFAC-PA

REQUISITOS PARA FILIAÇÃO AO SINFAC-PA REQUISITOS PARA FILIAÇÃO AO SINFAC-PA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA: 1- Cópia do Contrato Social ou Estatuto, registrado na Junta Comercial; 2- Cartão do CNPJ atualizado; 3- Formulários de Dados Cadastrais preenchidos

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Prefeitura Municipal de Tupãssi PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e? R NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) é um documento

Leia mais

Material de apoio. Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES.

Material de apoio. Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES. Material de apoio Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES. Material de apoio Disponível no site: : www.justica.gov.br, no link: Entidades Sociais >> CNES. Portaria

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO AMBIENTAL SIGAM

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO AMBIENTAL SIGAM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO AMBIENTAL SIGAM MANUAL REQUERIMENTO ONLINE 2010 Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais Página Inicial Ao acessar a tela inicial, clique sobre: Requerimento de Serviços

Leia mais

Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado. Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel

Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado. Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel Acesso para cadastramento da empresa 2 Caso já tenha se

Leia mais

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO MANUAL VTWEB CLIENT URBANO A marca do melhor atendimento. Conteúdo... 2 1. Descrição... 3 2. Cadastro no sistema... 3 2.1. Pessoa Jurídica... 3 2.2. Pessoa Física... 5 2.3. Concluir o cadastro... 6 3.

Leia mais

Manual Cadastro Completo

Manual Cadastro Completo Manual Cadastro Completo Índice 1. Objetivo... 3 2. O Projeto e-suprir... 3 3. Fluxo do Processo de Cadastro... 3 4. Cadastro Simples... 4 5. Recebendo Usuário e Senha... 7 6. Cadastro Completo... 7 7.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009 Regulamenta os procedimentos relativos à certificação digital, para garantir a segurança das transações eletrônicas realizadas por meio dos sistemas, das aplicações e dos

Leia mais

1º O acesso ao Sistema deverá ser feito por meio de Senha Web ou certificado digital.

1º O acesso ao Sistema deverá ser feito por meio de Senha Web ou certificado digital. ÍNTEGRA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FINANÇAS, no uso de suas atribuições legais, considerando o disposto nos artigos 113 e 114 do Decreto n 53.151, de 17 de maio de 2012, RESOLVE:

Leia mais

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS)

MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) MANUAL DE ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA - ART (SP/MT/MS) Sumário 1 - Procedimentos para obter 1ª ART Eletrônica... 2 2 Como obter o Termo de Responsabilidade Técnica... 3 3 - Encaminhar documentos

Leia mais

Cadastro de Pessoa Jurídica

Cadastro de Pessoa Jurídica Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo Cadastro de Pessoa Jurídica CADASTRAMENTO NO NOVO SISTEMA Novembro/2012 2 Índice 1 Introdução 03 2 Entrando no sistema de cadastro 03 3 Cadastramento eletrônico

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO

MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO MANUAL NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO Versão: 1.0 1.0 - CREDENCIAMENTO 1º Passo Acesse o site: www.almenara.mg.gov.br e clique no menu superior Serviços e em seguida na opção Nota Fiscal Eletrônica,

Leia mais

Manual Portal Empresário Lotérico

Manual Portal Empresário Lotérico Manual Portal Empresário Lotérico Versão 1.1 Brasília DF Sumário Introdução 3 Acesso 4 Tela de Boas Vindas 6 Menu Meus Dados Cadastrais 7 Tela Mudar a Senha 7 Menu Pedidos 8 Tela Portal de Rastreamento

Leia mais

A pessoa que tenha imóvel cadastrado no Sistema Nacional de Cadastro Rural SNCR.

A pessoa que tenha imóvel cadastrado no Sistema Nacional de Cadastro Rural SNCR. QUEM PODE ACESSAR A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA. A pessoa que tenha imóvel cadastrado no Sistema Nacional de Cadastro Rural SNCR. QUAIS TIPOS DE ATUALIZAÇÕES PODERÃO SER FEITAS Alteração por Aquisição de área

Leia mais

Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Instituto Ambiental do Paraná. Funções do Módulo Requerimento de Mudas Nativas

Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Instituto Ambiental do Paraná. Funções do Módulo Requerimento de Mudas Nativas Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Instituto Ambiental do Paraná SGA Sistema de Gestão Ambiental Manual do Usuário Funções do Módulo Requerimento de Mudas Nativas Outubro 2014 Equipe: CELEPAR

Leia mais

CERTIFICAÇÃO NO ÂMBITO DA RECEITA FEDERAL

CERTIFICAÇÃO NO ÂMBITO DA RECEITA FEDERAL Novo Hamburgo RS, Maio de 2007. Circular 06/2007 Prezado cliente; Apresentamos através desta circular, esclarecimentos adicionais sobre o assunto que está gerando bastante dúvidas, para as empresas tributadas

Leia mais

Cadastro de Atividades Econômicas da Pessoa Física. Projeto Matrícula CEI Ajustes nos Cadastros da RFB (PUC 05)

Cadastro de Atividades Econômicas da Pessoa Física. Projeto Matrícula CEI Ajustes nos Cadastros da RFB (PUC 05) Cadastro de Atividades Econômicas da Pessoa Física Projeto Matrícula CEI Ajustes nos Cadastros da RFB (PUC 05) Projeto Matrícula CEI Ajustes nos Cadastros da RFB (PUC 05) Brasília, 27 de julho de 2014

Leia mais

Material de apoio. Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo.

Material de apoio. Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo. Material de apoio Material de apoio Portaria SNJ nº 252, de 27/ 12/ 12, publicada no D.O.U. de 31/ 12 /12. Manual do usuário. Manual da nova comprovação de vínculo. Informações Gerais O sistema CNES/MJ

Leia mais

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES

CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES CADASTRAMENTO DE EMPRESAS PERGUNTAS FREQUENTES 1 Quais são os sujeitos que devem ser cadastrados e o que cada um representa no cadastro da empresa?...2 2 Como fazer para cadastrar uma empresa?...3 3 Cliquei

Leia mais

GUIA DE APOIO AO USUÁRIO

GUIA DE APOIO AO USUÁRIO GUIA DE APOIO AO USUÁRIO COMO ASSOCIAR-SE AO CONPEDI? 1) Acessar o website http://www.conpedi.org.br e, no campo Associação, clicar em Clique aqui para fazer sua associação, conforme abaixo: 2) No campo

Leia mais

DOMICÍLIO ELETRÔNICO DO CONTRIBUINTE DEC Obrigatoriedade da Secretaria da Fazenda (SEFAZ SP)

DOMICÍLIO ELETRÔNICO DO CONTRIBUINTE DEC Obrigatoriedade da Secretaria da Fazenda (SEFAZ SP) 29 de Junho de 2011 DOMICÍLIO ELETRÔNICO DO CONTRIBUINTE DEC Obrigatoriedade da Secretaria da Fazenda (SEFAZ SP) O Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, através da Resolução SF n 141/2010 (DOE

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA DE CUSTOS Orientações para cadastro de fornecedores

MANUAL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA DE CUSTOS Orientações para cadastro de fornecedores SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MANUAL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA DE CUSTOS Orientações para cadastro de fornecedores Secretaria de Gestão, Controles e Normas Departamento de

Leia mais

MANUAL CADASTRO DO ADVOGADO

MANUAL CADASTRO DO ADVOGADO MANUAL CADASTRO DO ADVOGADO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MATO GROSSO Dezembro 2011 Sumário BEM VINDO AO PJe... 3 1. Como o advogado deve se cadastrar... 4 1.1. Preenchendo o formulário... 4 1.2. Validação de

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO AOS AGENTES PÚBLICOS COM RELAÇÃO ÀS DISPOSIÇÕES PREVISTAS PELA PORTARIA CAT 162/08 A RESPEITO DA OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. ÍNDICE

Leia mais

http://www.portalinovacao.mct.gov.br/sapi/

http://www.portalinovacao.mct.gov.br/sapi/ http://www.portalinovacao.mct.gov.br/sapi/ 1. Para registrar-se, na página principal do Portal SAPI clique no banner Registre-se, posicionado logo abaixo dos dados de login. O Sistema pergunta se a instituição

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 315, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 315, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 315, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2012 Altera as Resoluções Normativas - RN nº 85, de 7 de dezembro de 2004, que dispõe sobre

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo 1 - Recadastramento 3. Capítulo 2 - Tabelas 24

SUMÁRIO. Capítulo 1 - Recadastramento 3. Capítulo 2 - Tabelas 24 1 SUMÁRIO Capítulo 1 - Recadastramento 3 INTRODUÇÃO 3 QUEM DEVE SE RECADASTRAR 3 PRAZO PARA O RECADASTRAMENTO 3 FLUXO 4 EMPRESA/ AUTÔNOMO 4 Orientações para o Recadastramento das EMPRESAS 4 Cadastro de

Leia mais

Procedimentos para Solicitação Registro na Jucesp do Ato Cancelamento de Microempreendedor Individual - MEI. (via Capa Marrom )

Procedimentos para Solicitação Registro na Jucesp do Ato Cancelamento de Microempreendedor Individual - MEI. (via Capa Marrom ) Procedimentos para Solicitação Registro na Jucesp do Ato Cancelamento de Microempreendedor Individual - MEI (via Capa Marrom ) Versão 21/05/2013 Sumário Instruções ao usuário... 2 Documentos que devem

Leia mais

MANUAL PARA CADASTRO E ACESSO

MANUAL PARA CADASTRO E ACESSO MANUAL PARA CADASTRO E ACESSO AO SISTEMA BOLETO - PESSOA FÍSICA - DEZEMBRO 2009 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 3 2. CADASTRO 3 3. ACESSO ÀS FUNCIONALIDADES DO SISTEMA 6 3.1. NADA CONSTA 8 3.2. BOLETO BANCÁRIO 8

Leia mais

PROGAM Programa para a Governança Municipal Sistema Tributário on-line. Sistema Tributário On-line. Recadastramento

PROGAM Programa para a Governança Municipal Sistema Tributário on-line. Sistema Tributário On-line. Recadastramento Sistema Tributário On-line Recadastramento Introdução O PROGAM Programa de Governança Municipal desenvolveu o Sistema Tributário on-line com objetivo de aperfeiçoar a administração tributária no tocante

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 429, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2012. Dispõe sobre o registro de corretor e de sociedade corretora de seguros, sobre a atividade de corretagem de seguros

Leia mais

CADASTRAMENTO DO CURRICULUM LATTES

CADASTRAMENTO DO CURRICULUM LATTES CNPq- PROGRAMA DE ESTUDANTES-CONVÊNIO DE PÓS-GRADUAÇÃO PEC/PG PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2011 COMO CADASTRAR O SEU CURRICULUM LATTES E SUBMETER SEU FORMULÁRIO ELETRÔNICO DE INSCRIÇÃO CADASTRAMENTO DO CURRICULUM

Leia mais

Procedimentos para solicitação de desenquadramento de Microempreendedor Individual MEI (via capa marrom )

Procedimentos para solicitação de desenquadramento de Microempreendedor Individual MEI (via capa marrom ) Procedimentos para solicitação de desenquadramento de Microempreendedor Individual MEI (via capa marrom ) Sumário Instruções ao usuário... 2 Documentos que devem ser apresentados na Junta Comercial...

Leia mais

PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe

PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO PJe JUSTIÇA FEDERAL DA 5ª REGIÃO MANUAL DO ADVOGADO 1 Cadastro de Advogado 1. Preenchendo o formulário O acesso ao cadastro de advogado dar-se-á através do link disponível

Leia mais

treinamento REMATRÍCULA

treinamento REMATRÍCULA treinamento REMATRÍCULA SISTEMA SGE (SMART) Financeiro - FTC EAD PRÉ-REQUISITOS Computador conectado a INTERNET Acesso ao SGE (Smart) login e senha ativos. IMPRESSORA, cartucho, papel, envelope, cola,

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.3 11/02/2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Objetivos... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS E DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O SISTEMA DE RESOLUÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Introdução

INSTRUÇÕES GERAIS E DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O SISTEMA DE RESOLUÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO. Introdução INSTRUÇÕES GERAIS E DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O SISTEMA DE RESOLUÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO Introdução A presente nota tem por objetivo apresentar as instruções básicas para preenchimento e remessa dos

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO VIA FÁCIL BOMBEIROS SECRETARIA DO ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

MANUAL DO USUÁRIO VIA FÁCIL BOMBEIROS SECRETARIA DO ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO CORPO DE BOMBEIROS Serviço de Segurança contra Incêndio MANUAL DO USUÁRIO versão atualizada em novembro de

Leia mais

CERTIDÃO DE REGULARIDADE FISCAL RFB/PGFN

CERTIDÃO DE REGULARIDADE FISCAL RFB/PGFN CERTIDÃO DE REGULARIDADE FISCAL RFB/PGFN DIFERENÇAS ENTRE AS CERTIDÕES ATÉ 02/11/2014 Duas certidões comprovavam a regularidade do sujeito passivo (pessoa física e pessoa jurídica) perante a Fazenda Nacional:

Leia mais

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA.

VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. VIAÇÃO SÃO BENTO LTDA. SISTEMA AUTOMÁTICO DE BILHETAGEM ELETRÔNICA MANUAL DO VTWEB CLIENT CADASTROS /PEDIDOS E PROCEDIMENTOS Resumo Esse manual tem como o seu objetivo principal a orientação de uso do

Leia mais

Manual do Fornecedor. Cadastro/Credenciamento, Solicitação e Consulta. Pessoa Física e Pessoa Jurídica

Manual do Fornecedor. Cadastro/Credenciamento, Solicitação e Consulta. Pessoa Física e Pessoa Jurídica MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS SicafWeb Sistema Unificado de Cadastramento de Fornecedores

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N o 327, de 29 de maio de 2006.

CIRCULAR SUSEP N o 327, de 29 de maio de 2006. MINISTÉRIO DA FAZENDA Superintendência de Seguros Privados CIRCULAR SUSEP N o 327, de 29 de maio de 2006. Dispõe sobre os controles internos específicos para o tratamento de situações relacionadas à prática

Leia mais

Manual de Acesso a NF-e

Manual de Acesso a NF-e Manual de Acesso a NF-e Acesso ao Sistema para Pessoa Jurídica. 1.0 Acesso ao Sistema....1 2.0 Cadastro...2 3.0 Configuração do Perfil...8 4.0 Solicitação de Emissão de NF-e....12 5.0 Emissão de NF-e...14

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO E INFORMAÇÃO DO COMÉRCIO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO E INFORMAÇÃO DO COMÉRCIO GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA ÁREA DE PROTOCOLO

Leia mais

Sistema de Prestação de Contas Siprec

Sistema de Prestação de Contas Siprec Sistema de Prestação de Contas Siprec Manual de Utilização Perfil Beneficiário Versão 1.3.4 Agosto de 2013 1 SUMÁRIO Manual do Usuário... 3 1. Objetivo do manual... 3 2. Sobre o sistema... 3 3. Quem deve

Leia mais