INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL MARÇO DE Conselho de Reguladores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL MARÇO DE Conselho de Reguladores"

Transcrição

1 INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL MARÇO DE 213 Conselho de Reguladores

2 DESTAQUES DO MÊS Março de 213 O preço médio aritmético durante o mês foi de 4,87 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa foi de 41,7 /MWh Foram negociados no mercado diário GWh (16.76 GWh de energia adquirida em Espanha e GWh de energia adquirida em Portugal) Foram negociados GWh no mercado a prazo gerido pelo OMIP (2.719 contratos negociados em contínuo com volume equivalente de GWh e 475 contratos negociados em leilão com volume equivalente de 1.54 GWh) Foi negociado em OTC um volume estimado de GWh ( GWh em OTC não registado e GWh em OTC registado) Os contratos de futuros negociados no OMIP cotaram acima dos contratos da Nordpool e da EPEX(DE) Relatório mensal março de 213 2

3 CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO IBÉRICO Estrutura de mercado 1% 9% 8% 7% 6% Repartição por empresa EDP 22% END 14% E.ON GALP RENT 2% % % 3% % % GNF 12% 15% 23% Energia negociada (vendas) ESPANHA: GWh 1% 31% 5% 9% PORTUGAL: GWh 5% 4% 3% Outros 27% 18% 19% 17% 7% 2% 76% 1% IBER 22% 23% Mercado diário Mercado intradiário % Vendas Compras Bilateral físico Serviços de sistema Relatório mensal março de 213 3

4 Capacidade (MW) Energia (MWh) CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO IBÉRICO Interligação Espanha Portugal 1 Mar Capacidade e utilização 2. EXPORT Capacidade média: 1295 MW Utilização média: 6 MWh Capacidade média: 1581 MW Utilização média: 846 MWh IMPORT Importação Exportação Capacidade importação Capacidade exportação Relatório mensal março de 213 4

5 Preços (EUR/MWh) 1 Mar MERCADO DIÁRIO E INTRADIÁRIO Evolução do mercado diário Renda (milhares EUR) 6 5 Preços médios diários e renda de congestionamento Espanha: 25,88 EUR/MWh Portugal: 22,79 EUR/MWh MIBEL: 25,23 EUR/MWh Spread (PT - ES): -3,9 EUR/MWh Renda de congestionamento: 3294,9 milhares EUR Renda de congestionamento Preços Espanha Preços Portugal Relatório mensal março de 213 5

6 GWh MERCADO DIÁRIO E INTRADIÁRIO Energia colocada em mercado diário MIBEL Espanha 11% 2% 2% 15% 68% 2% Portugal 1 Mar Nuclear Carvão CCGT Hídrica Fuel-Gás PRE Outros 1 5 8% 4% 1% 21% 64% 2% 8% 41% 51% Relatório mensal março de 213 6

7 Procura (GWh) Preços (EUR/MWh) MERCADO DIÁRIO E INTRADIÁRIO Evolução do mercado intradiário Preços médios intradiários ,5 24,79 25,7 27,61 29,66 27, ,89 23,35 23,91 25,64 26,69 23, Sessão de mercado intradiário Procura Espanha Procura Portugal Preços Espanha Preços Portugal Relatório mensal março de 213 7

8 MERCADO A PRAZO Negociação em Contínuo, Leilão e OTC Mercado Energia: GWh OTC registado 16% 13% Energia: GWh Mercado contínuo 3% 48% Contratos: % Leilões 7% 11% Contratos: Mercado contínuo e leilões 3% 76% OTC não registado 54% OTC registado OTC MEFF Power 37% 41% Energia: GWh Contratos: % OTC OMIClear 63% Informação sobre o OTC não registado: dados estimados Relatório mensal março de 213 8

9 EUR/MWh REFERÊNCIAS DE MERCADO Mercados internacionais de energia elétrica Mercados spot Mercados a prazo Nordpool: 44,84 EUR/MWh EPEX(FR): 57,75 EUR/MWh EPEX(DE): 39,1 EUR/MWh OMIE(ES): 25,88 EUR/MWh OMIE(PT): 22,79 EUR/MWh Nordpool EPEX(FR) EPEX(DE) OMIE(ES) OMIE(PT) Mar Nordpool EPEX(FR) EPEX(DE) OMIE(ES) OMIE(PT) Cotações do dia 2 do mês Relatório mensal março de 213 9

10 Índice 1 = 1 Mar 213 REFERÊNCIAS DE MERCADO Mercados de energia primária Mercados spot Mercados a prazo Mar 213: Brent: 85,61 EUR/bbl FO - NWE: 475,38 EUR/t GN - TTF: 26,6 EUR/MWh gás Coal API2: 68,65 EUR/t Brent FO - NWE GN - TTF Coal API Mar Brent FO - NWE GN - TTF Coal API2 8 Cotações do dia 2 do mês Relatório mensal março de 213 1

11 RESUMO DO MÊS Março de 213 Mar 213 Fev 213 Mar 212 Estrutura de Mercado Energia negociada MIBEL (GWh) Energia ES (%) 84% 85% 87% Energia PT (%) 16% 15% 13% Interligação ES-PT Capacidade exportação (MW) Utilização média (MWh) Capacidade importação (MW) Utilização média (MWh) Mercado diário Preço MIBEL (EUR/MWh) 25,23 44,8 47,92 Preço ES 25,88 45,4 47,57 Preço PT 22,79 43,74 49,13 Spread -3,9-1,31 1,56 Rendas congest. (milhares EUR) 3.294, ,13 1.5,54 Mercado a prazo Volume negociado (GWh) Mercado contínuo Leilões OTC registado OTC não registado N.º de contratos Relatório mensal março de

12 Siglas, acrónimos e fontes de informação Siglas e acrónimos EDP - Energias de Portugal END Endesa IBD Iberdrola RENT REN Trading GNF Gas Natural Fenosa PT Portugal ES Espanha MIBEL Mercado Ibérico de Eletricidade FR França DE Alemanha CCGT centrais de ciclo combinado a gás natural PRE produção em regime especial OTC over the counter FO - NWE fuelóleo de referência no Noroeste da Europa com 1% de enxofre GN - TTF gás natural do hub holandês Title Transfer Facility Coal API2 Carvão importado com entrega no Noroeste da Europa e poder calorífico de 6 kcal/kg Fontes de informação REN REE OMI Clear OMIE OMIP MEFF Power EPEX Spot Nordpool Spot Nasdaq OMX EEX Reuters Relatório mensal março de

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL ABRIL DE Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL ABRIL DE Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL ABRIL DE 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Abril de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 45,34 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa foi

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Outubro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 49,9 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa foi

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 214 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Novembro de 214 O preço médio aritmético durante o mês foi de 46,8 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Fevereiro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 42,57 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

Relatório de preços 2016

Relatório de preços 2016 Relatório de preços 216 Relatório de preços 216 Indice 1 MIBEL: Energia, volume econômico e tecnologias pag. 2 2 Mercado Diário pag. 7 3 Mercado Intradiário pag. 12 4 Liquidação do Mercado Diário e Intradiário

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep DADOS IBÉRICOS 214 BALANÇO ENERGÉTICO ktep 212 213 (%) 212 213 (%) Consumo de Energia Primária 21 482 21 74 1 128 98 121 119-6 Petróleo 9 297 9 648 4 3 978 2 934-2 Carvão 2 91 2 63-9 1 1 1 31-32 Gás natural

Leia mais

MIBEL enquanto mercado spot e a prazo O funcionamento do mercado spot

MIBEL enquanto mercado spot e a prazo O funcionamento do mercado spot WORKSHOP ERSE-GESEL INTEGRAÇÃO DE MERCADOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E FORMAÇÃO DE PREÇOS MIBEL enquanto mercado spot e a prazo O funcionamento do mercado spot Eduardo Teixeira 4 de Março de 2011 Agenda 1.

Leia mais

INTERLIGAÇÕES & EXPORTAÇÕES

INTERLIGAÇÕES & EXPORTAÇÕES INTERLIGAÇÕES & EXPORTAÇÕES Compromisso para o Crescimento Verde: Energia 2 Dezembro 2014 0 As metas da UE para 2030 3 objectivos de política energética METAS (%) 2030 UE POLÍTICA ENERGÉTICA DA UE OBJECTIVOS

Leia mais

As interligações de energia e o mercado interno de energia europeu

As interligações de energia e o mercado interno de energia europeu As interligações de energia e o mercado interno de energia europeu Jorge Esteves Conferência Descarbonização da Economia Sessão Próximos desafios no setor da energia As interligações de energia e o mercado

Leia mais

Perspectiva dos Operadores

Perspectiva dos Operadores OS NOVOS DESAFIOS DO MIBEL Perspectiva dos Operadores Rui Cartaxo 1 de Junho de 2010 Rede Eléctrica Nacional, S.A. A especialização geográfica dos perfis de produção faz sentido mas implica mais e melhores

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 3/2017. Formação do preço da banda de regulação secundária

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 3/2017. Formação do preço da banda de regulação secundária 2006 Diário da República, 2.ª série N.º 20 27 de janeiro de 2017 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 3/2017 Formação do preço da banda de regulação secundária O Manual de

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DA ELETRICIDADE RENOVÁVEL

CONTRIBUIÇÃO DA ELETRICIDADE RENOVÁVEL CONTRIBUIÇÃO DA ELETRICIDADE RENOVÁVEL PARA A DESCARBONIZAÇÃO DA ECONOMIA ANTÓNIO SÁ DA COSTA LISBOA, 17 DE MARÇO DE 2017 EVOLUÇÃO DO SETOR ELETROPRODUTOR PORTUGUÊS 2 EVOLUÇÃO DO MIX DE PRODUÇÃO ELÉTRICO

Leia mais

Formação do preço da banda de regulação secundária

Formação do preço da banda de regulação secundária ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 22/2016 Formação do preço da banda de regulação secundária O Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema do setor elétrico (MPGGS), aprovado

Leia mais

VI Conferência Anual da RELOP

VI Conferência Anual da RELOP VI Conferência Anual da RELOP Novos Desafios para a Regulação do Setor Energético Vitor Santos, Presidente da ERSE Luanda, 30 de Maio de 2013 Agenda 1. Dimensões estratégicas da liberalização do sector

Leia mais

A Regulação do Sector Energético

A Regulação do Sector Energético A Regulação do Sector Energético Apresentação realizada na FEUC Vítor Santos 25 de Maio de 2012 Agenda 1. Dimensões estratégicas da liberalização do setor energético 2. Liberalização do sector Energético

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. a 29 de fevereiro 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. a 29 de fevereiro 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS a 29 de fevereiro 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O mês de fevereiro, à semelhança do anterior, continua a evidenciar o forte potencial das fontes

Leia mais

Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus

Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus 1. Portugal continental, MIBEL e Mercado Interno de Energia europeu 2. Facetas da construção

Leia mais

Mercado Liberalizado de Energia

Mercado Liberalizado de Energia Mercado Liberalizado de Energia BRAGA - 26/10/2012 1 ÍNDICE 1. PRESENÇA GLOBAL 2. NEGÓCIO LIBERALIZADO 3. IBERDROLA EM PORTUGAL 4. MERCADO LIVRE 5. CONTRATAÇÃO PÚBLICA 2 PRESENÇA GLOBAL 3 A IBERDROLA é

Leia mais

Principais indicadores do sistema eletroprodutor 3. Consumo / Repartição da produção 5. Produção hidráulica, térmica 6

Principais indicadores do sistema eletroprodutor 3. Consumo / Repartição da produção 5. Produção hidráulica, térmica 6 MAIO 216 Principais indicadores do sistema eletroprodutor 3 Evolução do consumo e potência 4 Consumo / Repartição da produção 5 Produção hidráulica, térmica 6 Produção em regime especial, interligações

Leia mais

A Regulação do Sector Energético

A Regulação do Sector Energético A Regulação do Sector Energético Seminário Internacional Portugal - Brasil Vítor Santos 16 de Fevereiro de 2012 ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Agenda 1. Liberalização do sector Energético na União

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Novembro 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Novembro 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Novembro 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O outono de 2016 tem-se caracterizado por temperaturas ligeiramente acima da média e uma produtibilidade

Leia mais

Energia nuclear no mercado de eletricidade

Energia nuclear no mercado de eletricidade Energia nuclear no mercado de eletricidade Audição Parlamentar Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação da Assembleia da República 1 março 2017 Agenda

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Edição Mensal Abril de 217 [GW] ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O passado mês de abril apresentou temperaturas elevadas e uma fraca pluviosidade, em

Leia mais

MIBEL ASPECTOS DE GOVERNAÇÃO E HARMONIZAÇÃO REGULATÓRIA

MIBEL ASPECTOS DE GOVERNAÇÃO E HARMONIZAÇÃO REGULATÓRIA MIBEL ASPECTOS DE GOVERNAÇÃO E HARMONIZAÇÃO REGULATÓRIA XV REUNION ANUAL IBEROAMERICANA DE REGULADORES DE LA ENERGIA Santo Domingo, República Dominicana 6-8 Abril de 2011 Hermínio Moreira AGENDA 1. Conselho

Leia mais

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2007 Direcção-Geral de Energia e Geologia Ministério da Economia e da Inovação Nº. 23 - Abril de 2008 SUMÁRIO A FACTURA ENERGÉTICA SÍNTESE IMPORTAÇÃO/(RE)EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2012 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA N.º 29 Abril 2013 L i s b o a, 3 d e M a i o d e 2 0 1 1 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2012 Índice 1. Sumário Executivo... 2 2. Mercados Petrolíferos: Preços... 3 2.1 Mercados

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Março 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Março 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Março 2016 Consumo mensal [TWh] Consumo 1º Trimestre [TWh] ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O primeiro trimestre de 2016 caracterizou-se do ponto de

Leia mais

O SISTEMA ENERGÉTICO: A MUDANÇA NO HORIZONTE As interligações e o mercado europeu de energia

O SISTEMA ENERGÉTICO: A MUDANÇA NO HORIZONTE As interligações e o mercado europeu de energia O SISTEMA ENERGÉTICO: A MUDANÇA NO HORIZONTE 2030 As interligações e o mercado europeu de energia Victor Baptista 25 Novembro 2015 Interligações Benefícios (MIBEL) Evolução da % de tempo de separação de

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Edição Mensal Maio de 217 [GW] ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O mês de maio teve uma precipitação regular e apresentou temperaturas muito altas, em

Leia mais

MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL. Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado

MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL. Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado Nº 185 VI Série 2011/03/30 MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado 1. Market Data / Datos de

Leia mais

O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL

O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL O Grupo EDP e a Concorrência no Contexto MIBEL 1ª Conferência Luso-Espanhola de Direito da Concorrência Lisboa, 01 e 02 de Julho de 2010 O Grupo EDP tem presença significativa no mundo E.U.A Capacidade

Leia mais

Relatório de preços 2015

Relatório de preços 2015 2 1 Negociação no MIBEL: Energia, volume econômico e tipos de tecnologias 1.1. Compras no MIBEL da energia negociada no mercado diário e no mercado intradiário... 5 1.2. Volume econômico das compras negociadas

Leia mais

Modelação e Simulação de Mercados de Energia Eléctrica

Modelação e Simulação de Mercados de Energia Eléctrica Curso de Formação em Modelação e Simulação de Mercados de Energia Eléctrica Leccionado por Jorge Alberto Mendes de Sousa para Galp Energia Lisboa Abril 2010 1. Enquadramento O presente curso de formação

Leia mais

Américo Jorge de Sousa Marques. Análise estatística do preço da energia elétrica em mercado livre - Uma aplicação ao caso português

Américo Jorge de Sousa Marques. Análise estatística do preço da energia elétrica em mercado livre - Uma aplicação ao caso português Américo Jorge de Sousa Marques Análise estatística do preço da energia elétrica em mercado livre - Uma aplicação ao caso português Instituto Superior de Engenharia do Porto 21 de Novembro 2014 Américo

Leia mais

Informação do Mercado 2015

Informação do Mercado 2015 Índice Informação do Mercado 2015 2 1 Evolução do mercado da electricidade em Espanha e no MIBEL... 6 1.1. Negociação no MIBEL: energia, volumen econômico e tipos de tecnologias 1.1.1. Compras no MIBEL

Leia mais

A Importância da Biomassa no Mix Energético Nacional

A Importância da Biomassa no Mix Energético Nacional A Importância da Biomassa no Mix Energético Nacional 24 de Março de 2017 Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra 10:00 10:10 10:10 10:30 10:30 10:50 Abertura Prof. Dr. Luís Neves,

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Agosto 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Agosto 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Agosto 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O mês de agosto caracterizou-se por produtibilidade hidroelétrica, que atingiu temperaturas extremamente

Leia mais

Mercado Liberalizado da Electricidade

Mercado Liberalizado da Electricidade Mercado Liberalizado da Electricidade Ponto de situação do primeiro trimestre de 2009 Vítor Santos 5 de Maio de 2009 Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos 1 Agenda Ponto de situação do Mercado Liberalizado

Leia mais

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL

PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL CMVM PROPOSTA DE MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO ESPANHA-PORTUGAL 1...Descrição geral do método e fases da sua implementação... 2 2...Mecanismo de leilões explícitos de capacidade... 2 3...Mecanismo

Leia mais

Plataforma eletrônica de negociação de energia elétrica. 18/Maio/2012

Plataforma eletrônica de negociação de energia elétrica. 18/Maio/2012 Plataforma eletrônica de negociação de energia elétrica 18/Maio/2012 Tópicos 1. Mercado Livre de energia elétrica no Brasil Mercado Cativo X Mercado Livre Agentes autorizados a operar no Ambiente de Contratação

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Abril 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Abril 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Abril 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL Em abril de 2016 as fontes de energias renováveis (FER) mantiveram-se como a principal origem de abastecimento

Leia mais

DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO MIBEL

DESCRIÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO MIBEL NOVEMBRO DE 2009 Trabalho realizado pelo Conselho de Reguladores do MIBEL COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS COMISIÓN NACIONAL DEL MERCADO DE VALORES

Leia mais

Relatório de Actividades CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL

Relatório de Actividades CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL Relatório de Actividades CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL Presidência da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos Janeiro de 2010 - Junho de 2010 Julho 2010 ÍNDICE I. Introdução II. Actividades de

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2016 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA Nº 33 abril 2017 (página em branco) Índice 1. Sumário Executivo 2. Mercados Petrolíferos 2.1 Preços 2.2 Origens do Petróleo Bruto 3. Saldo Importador 4. Importação de

Leia mais

O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade

O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade O Conselho de Reguladores do MIBEL publica o primeiro estudo descritivo do funcionamento do Mercado Ibérico de Electricidade O estudo analisa a evolução do Mercado Ibérico de Electricidade desde a sua

Leia mais

A Experiência da Espanha na Operação de Parques Eólicos

A Experiência da Espanha na Operação de Parques Eólicos A Experiência da Espanha na Operação de Parques Eólicos Pablo Motta Ribeiro Neoenergia Plácido Nieto Ostos Iberdrola Hugo Nunes Neoenergia José Eduardo Tanure Neoenergia 1 2 Mudança de Paradigma no Brasil

Leia mais

A harmonização regulatória do MIBEL e o novo enquadramento europeu (3º Pacote)

A harmonização regulatória do MIBEL e o novo enquadramento europeu (3º Pacote) WORKSHOP ERSE-GESEL INTEGRAÇÃO DE MERCADOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E FORMAÇÃO DE PREÇOS A harmonização regulatória do MIBEL e o novo enquadramento europeu (3º Pacote) José Afonso 4 de Março de 2011 Índice

Leia mais

BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS Agosto 215 Eletricidade de origem renovável em Portugal Portugal Continental A caminho do fim do Verão, Portugal continental contínua com valores de quantidade de precipitação

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL

RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL Presidência da ERSE janeiro-junho 2012 junho 2013 ÍNDICE I. Introdução II. III. IV. Atividades desenvolvidas pelo Conselho de Reguladores do MIBEL

Leia mais

Eletricidade Renovável Em Revista

Eletricidade Renovável Em Revista Eletricidade Renovável Em Revista Portugal conseguiu alcançar uma posição de referência a nível mundial no que respeita à integração de energias renováveis no setor da eletricidade. A APREN, como associação

Leia mais

Experiências europeias no uso de energias renováveis e eficiência energética

Experiências europeias no uso de energias renováveis e eficiência energética 23 de novembro de 2016 Sede do Sistema FIRJAN RJ Experiências europeias no uso de energias renováveis e eficiência energética Rodrigo Nogueira - Edp Intercâmbio EDP Brasil EDP Comercial Seminário Técnologias

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉCTRICO EM 2011 Dezembro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis

Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis Eletricidade Renovável no Contexto Atual Debate sobre a evolução do mercado de eletricidade Contribuição das renováveis António Sá da Costa Lisboa, 18 de Junho de 2015 ENERGIA EM PORTUGAL 4 VISÃO GLOBAL

Leia mais

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO OS OPERADORES DO SISTEMA Victor Baptista Porto, 12.Fevereiro.2010 1 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO OPERADOR DO SISTEMA EVOLUÇÃO

Leia mais

ALGUNS NÚMEROS SOBRE O PROBLEMA ENERGÉTICO DE PORTUGAL

ALGUNS NÚMEROS SOBRE O PROBLEMA ENERGÉTICO DE PORTUGAL 1 ALGUNS NÚMEROS SOBRE O PROBLEMA ENERGÉTICO DE PORTUGAL Pretende-se que o leitor interessado nesta matéria, venha a ter uma visão simples e integrada da questão energética do país, num passado recente

Leia mais

Interligações e Mercado de Serviços de Sistema A realidade do MIBEL no contexto Europeu

Interligações e Mercado de Serviços de Sistema A realidade do MIBEL no contexto Europeu WORKSHOP ERSE-GESEL INTEGRAÇÃO DE MERCADOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E FORMAÇÃO DE PREÇOS Interligações e Mercado de Serviços de Sistema A realidade do MIBEL no contexto Europeu Jorge Esteves 4 de Março de

Leia mais

Relatório de Actividades CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL

Relatório de Actividades CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL Relatório de Actividades CONSELHO DE REGULADORES DO MIBEL Presidência da CNMV (primeiro semestre de 2011) e CNE (segundo semestre de 2011) Janeiro de 2011- Dezembro de 2011 Julho 2012 ÍNDICE I. Introdução

Leia mais

Integração da Electricidade Renovável em Mercado. José Carvalho Netto - OMIP

Integração da Electricidade Renovável em Mercado. José Carvalho Netto - OMIP Integração da Electricidade Renovável em Mercado José Carvalho Netto - OMIP 1. HÁ UMA VONTADE POLÍTICA DA UE PARA ATINGIR A META DE 20% ATÉ 2020... MAS EXISTEM DIFERENTES MECANISMOS DE APOIO. 2. O CASO

Leia mais

Gestão do Sistema Elétrico com grande penetração de renováveis

Gestão do Sistema Elétrico com grande penetração de renováveis Seminário Ordem Engenheiros Gestão do Sistema Elétrico com grande penetração de renováveis Lisboa, 21 Jun 2017 TOPICOS 1. A (r) evolução em 10 anos: 2007-2016 2. Principais desafios para a Gestão do Sistema

Leia mais

SEMINÁRIO A Gestão de Energia nas PMEs. O impacto das políticas energéticas nas PME. 14 Julho Museu do Oriente - Lisboa

SEMINÁRIO A Gestão de Energia nas PMEs. O impacto das políticas energéticas nas PME. 14 Julho Museu do Oriente - Lisboa SEMINÁRIO A Gestão de Energia nas PMEs 14 Julho Museu do Oriente - Lisboa O impacto das políticas energéticas nas PME Pedro Neves Ferreira EDP - Diretor de Planeamento Energético O setor elétrico europeu

Leia mais

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2005 Direcção-Geral de Geologia e Energia Ministério da Economia e da Inovação Nº. 21 - Abril de 2006 SUMÁRIO A FACTURA ENERGÉTICA SÍNTESE IMPORTAÇÃO/(RE)EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

A Construção do Mercado Europeu de Eletricidade

A Construção do Mercado Europeu de Eletricidade A Construção do Mercado Europeu de Eletricidade Situação atual e perspetivas futuras Jorge Sousa Professor Coordenador ISEL Investigador INESC-ID Lisboa PORTUGAL jsousa@isel.pt 1 A G E N D A 2 Breve Caracterização

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2015

estatísticas rápidas - nº julho de 2015 estatísticas rápidas - nº 122 - julho de 215 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Produção renovável e flexibilidade

Produção renovável e flexibilidade Produção renovável e flexibilidade Conferência Ordem dos Engenheiros "Renováveis em mercado: Realidade ou utopia? 26 de setembro de 2017 joaogoncalo.maciel@edp.pt http://rd-new.com Agenda 1. A EDP e o

Leia mais

ENERGIA EM PORTUGAL. Principais Números

ENERGIA EM PORTUGAL. Principais Números ENERGIA EM PORTUGAL Principais Números Fevereiro de 217 CONSUMO DE ENERGIA PRIMÁRIA (ktep) 3 25 2 15 1 5 Carvão Petróleo GN Saldo Imp. En. Elétrica Renováveis 26 27 28 29 2 1 2 11 2 12 2 13 2 14 2 15 3

Leia mais

Mercado Ibérico de Eletricidade

Mercado Ibérico de Eletricidade Capítulo 3 Mercado Ibérico de Eletricidade 3.1 - Caracterização do Setor Elétrico Português 3.1.1 - Resenha Histórica Em Portugal, só nos finais do século XIX se fizeram sentir as vantagens decorrentes

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Setembro 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Setembro 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Setembro 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL Setembro de 2016 caracterizou-se por uma diminuição da disponibilidade do recurso renovável hídrico e

Leia mais

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia sinta a nossa energia Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 0 1S07: Principais Acontecimentos Crescimento de EBITDA: +27% com base em crescimento orgânico Turnaround das actividades em mercado: enfoque

Leia mais

Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Eléctrica em 2009 e de Parâmetros para o Período de Regulação 2009 a 2011

Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Eléctrica em 2009 e de Parâmetros para o Período de Regulação 2009 a 2011 Comunicado de Imprensa Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Eléctrica em 2009 e de Parâmetros para o Período de Regulação 2009 a 2011 1. Enquadramento 2. Alterações estruturais introduzidas no sector

Leia mais

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2013

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2013 estatísticas rápidas - nº 13 - dezembro de 213 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Gestão de energia: 2009/2010

Gestão de energia: 2009/2010 Gestão de energia: 2009/2010 Aula # T06 Preços da energia - electricidade Prof. Miguel Águas miguel.aguas@ist.utl.pt Caracterização da produção eléctrica nacional DESAGREGAÇÃO POR TECNOLOGIA (2006) Tipo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA BIOMASSA NA THE NAVIGATOR COMPANY

A IMPORTÂNCIA DA BIOMASSA NA THE NAVIGATOR COMPANY A IMPORTÂNCIA DA BIOMASSA NA THE NAVIGATOR COMPANY A Importância da Biomassa no Mix Enegético Nacional Comemoração do Dia Internacional das Florestas 24 de março de 2017 FREDERICO PISCO AGENDA 1. THE NAVIGATOR

Leia mais

estatísticas rápidas - nº novembro de 2013

estatísticas rápidas - nº novembro de 2013 estatísticas rápidas - nº 12 - novembro de 213 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Integração da PRE no MIBEL

Integração da PRE no MIBEL Integração da PRE no MIBEL Resultados da Consulta Pública e Propostas de Harmonização Regulatória Eduardo Teixeira Motivações Efeitos da presença da PRE no contexto do MIBEL Motivações Peso relativo e

Leia mais

Análise dos Resultados do Mercado Ibérico de Eletricidade no Ano de 2014 e no Primeiro Semestre de 2015

Análise dos Resultados do Mercado Ibérico de Eletricidade no Ano de 2014 e no Primeiro Semestre de 2015 FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Análise dos Resultados do Mercado Ibérico de Eletricidade no Ano de 2014 e no Primeiro Semestre de 2015 Jorge Filipe Martins Corujas PARA APRECIAÇÃO POR

Leia mais

Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal. Hélder Serranho Vice-presidente da APREN

Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal. Hélder Serranho Vice-presidente da APREN Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal Hélder Serranho Vice-presidente da APREN Estado atual do setor das energias renováveis em Portugal Hélder Serranho, APREN Índice Enquadramento

Leia mais

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013

PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 PROVEITOS PERMITIDOS DAS EMPRESAS REGULADAS DO SECTOR ELÉTRICO EM 2013 Dezembro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00

Leia mais

SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL. Apresentação da Matriz Energética de Lisboa, acções de eficiência energética e uso eficiente da água

SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL. Apresentação da Matriz Energética de Lisboa, acções de eficiência energética e uso eficiente da água SEMANA EUROPEIA DA ENERGIA SUSTENTÁVEL Apresentação da Matriz Energética de Lisboa, acções de eficiência energética e uso eficiente da água Lisboa, Paços do Concelho, 14 de Junho de 2016 Objetivos A Matriz

Leia mais

Seminário Mercado Liberalizado de Energia

Seminário Mercado Liberalizado de Energia Seminário Mercado Liberalizado de Energia A EDP Comercial no Mercado Liberalizado Carlos Neto Lisboa, 26 de Outubro de 2012 As cadeias de valor da electricidade e do gás têm grandes semelhanças A convergência

Leia mais

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador Novembro 213 Todos os consumidores de gás natural em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde janeiro de

Leia mais

O MERCADO LIVRE DE ELETRICIDADE E A ESTRUTURA TARIFÁRIA EM PORTUGAL Uma Análise Pré e Pós MIBEL

O MERCADO LIVRE DE ELETRICIDADE E A ESTRUTURA TARIFÁRIA EM PORTUGAL Uma Análise Pré e Pós MIBEL O MERCADO LIVRE DE ELETRICIDADE E A ESTRUTURA TARIFÁRIA EM PORTUGAL Uma Análise Pré e Pós MIBEL Iris Cláudia Lebre Feio Dissertação de Mestrado em Economia da Empresa e da Concorrência Orientadora: Prof.ª

Leia mais

rotulagem de energia eléctrica

rotulagem de energia eléctrica rotulagem de energia eléctrica ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA A rotulagem de energia eléctrica tem como principal objectivo informar os cidadãos sobre as fontes energéticas primárias utilizadas na produção

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2017

estatísticas rápidas - nº julho de 2017 estatísticas rápidas - nº 145 - julho de 217 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Seminário FNA 2017 Eletricidade na Agricultura - Como reduzir a fatura? Regadio: Consumos, tarifas e acesso a mercados de energia

Seminário FNA 2017 Eletricidade na Agricultura - Como reduzir a fatura? Regadio: Consumos, tarifas e acesso a mercados de energia Seminário FNA 2017 Eletricidade na Agricultura - Como reduzir a fatura? Regadio: Consumos, tarifas e acesso a mercados de energia 14.jun.2017 Índice FENAREG ANÁLISE DE CONSUMOS, TARIFAS E ACESSO A MERCADOS

Leia mais

Mercado Multi-Agente de Eletricidade: Comercialização de Energia Renovável em Bolsa e por Contratos Bilaterais com Gestão Dinâmica de Preço e Volume

Mercado Multi-Agente de Eletricidade: Comercialização de Energia Renovável em Bolsa e por Contratos Bilaterais com Gestão Dinâmica de Preço e Volume UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA GEOGRÁFICA, GEOFÍSICA E ENERGIA Mercado Multi-Agente de Eletricidade: Comercialização de Energia Renovável em Bolsa e por Contratos

Leia mais

Ccent. 9/2015 EDP Renewables/Ativos ENEOP. Decisão de Não Oposição com Condições e Obrigações da Autoridade da Concorrência

Ccent. 9/2015 EDP Renewables/Ativos ENEOP. Decisão de Não Oposição com Condições e Obrigações da Autoridade da Concorrência Ccent. 9/2015 EDP Renewables/Ativos ENEOP Decisão de Não Oposição com Condições e Obrigações da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 e n.º 2 do artigo 50.º da Lei n.º 19/2012, de 8 de maio] 14/08/2015

Leia mais

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores. Produção Distribuída e Energias Renováveis (Setembro de 2005) J. A.

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores. Produção Distribuída e Energias Renováveis (Setembro de 2005) J. A. Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Produção Distribuída e Energias Renováveis (Setembro de 2005) J. A. Peças Lopes Introdução Kyoto e a Directiva das Energias Renováveis na Europa:

Leia mais

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2014

estatísticas rápidas - nº dezembro de 2014 estatísticas rápidas - nº 115 - dezembro de 214 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético

Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Plano de Compatibilização entre Portugal e Espanha no sector energético Sumário No sentido de aprofundar o MIBEL - Mercado Ibérico de Electricidade, e em linha com o Acordo de Santiago de Compostela e

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA

TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA TARIFAS E PREÇOS DE ENERGIA ELÉCTRICA REVISÃO EXTRAORDINÁRIA PARA VIGORAR ENTRE SETEMBRO E DEZEMBRO DE 2007 10 de Agosto de 2007 1 Agenda 1. O que muda no enquadramento legal do sector eléctrico? 2. O

Leia mais

Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado Nº 129 VIII Série 2013/12/31

Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado Nº 129 VIII Série 2013/12/31 Market Bulletin / Boletín del Mercado / Boletim do Mercado Nº 129 VIII Série 2013/12/31 MIBEL Derivatives Market / Mercado de Derivados del MIBEL / Mercado de Derivados do MIBEL 1. Market Data / Datos

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2016

estatísticas rápidas - nº julho de 2016 estatísticas rápidas - nº 133 - julho de 216 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

estatísticas rápidas - nº maio de 2016

estatísticas rápidas - nº maio de 2016 estatísticas rápidas - nº 131 - maio de 216 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA

ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA CASA DO POVO DE VALONGO DO VOUGA A Rotulagem de energia eléctrica pretende informar o consumidor sobre as fontes primárias utilizadas e emissões atmosféricas, associadas

Leia mais

TARIFAS DE ENERGIA ELÉCTRICA PARA 2008

TARIFAS DE ENERGIA ELÉCTRICA PARA 2008 TARIFAS DE ENERGIA ELÉCTRICA PARA 2008 12 de Dezembro de 2007 1 Agenda 1. Qual é o enquadramento legal que condiciona a fixação das tarifas para 2008? 2. O que mudou no sector eléctrico que condiciona

Leia mais

Solar fotovoltaico. Uma medida de eficiência energética. Uma pequena (r)evolução. Manuel Azevedo. solar power for a better world..

Solar fotovoltaico. Uma medida de eficiência energética. Uma pequena (r)evolução. Manuel Azevedo. solar power for a better world.. Solar fotovoltaico Uma medida de eficiência energética Uma pequena (r)evolução Manuel Azevedo Conteúdo Situação energética em Portugal Solar fotovoltaico - Mitos Auto consumo Situação Energética em Portugal

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER

MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER MERCADO LIBERALIZADO GALP POWER Braga, 26 de Outubro de 2012 Luis Alexandre Silva Porquê a presença no Mercado Elétrico? Expansão de Negócios Estratégia de diversificação (novos mercados) Crescimento nos

Leia mais

REDUZA A SUA FATURA DE ELETRICIDADE E POUPE DINHEIRO. COMO OPTAR PELO MELHOR COMERCIALIZADOR DE ENERGIA.

REDUZA A SUA FATURA DE ELETRICIDADE E POUPE DINHEIRO. COMO OPTAR PELO MELHOR COMERCIALIZADOR DE ENERGIA. Luís Rodrigues, Pedro Pereira, Judite Ferreira Instituto Superior de Engenharia do Porto REDUZA A SUA FATURA DE ELETRICIDADE E POUPE DINHEIRO. COMO OPTAR PELO MELHOR COMERCIALIZADOR DE ENERGIA. Resumo:

Leia mais

V CONFERÊNCIA ANUAL DA RELOP

V CONFERÊNCIA ANUAL DA RELOP V CONFERÊNCIA ANUAL DA RELOP Novos Instrumentos para Aprofundamento dos Mercados [Novos Desafios para a Regulação da Energia] Lisboa, 31.Mai.2012 Agenda 1. Porquê Modelos de Mercado? 2. Modelos de Leilão

Leia mais