Roteiro Prático para a Migração dos Servidores Turing e Godel

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Roteiro Prático para a Migração dos Servidores Turing e Godel"

Transcrição

1 Roteiro Prático para a Migração dos Servidores Turing e Godel Alfenas, Abril de Rodrigo Martins Pagliares Última atualização: 27/05/2010

2 Conteúdo 1. Introdução Instalação do Debian Lenny Política de backup dos usuários, grupos e pasta home Roteiro para backup de usuários e dados Servidor Turing Antigo Roteiro para cópia de usuários e dados via rede Servidor Turing Novo Limitando a quantidade de espaço em disco por usuário - Quota Servidor de Arquivos com NFS, NIS e Samba Servidor NFS Servidor NIS... 15

3 1. Introdução Este roteiro foi criado para tornar mais fácil a migração dos servidores GNU/Linux do BCC para novos servidores. Tal migração se torna necessária quando, por exemplo, desejarmos substituir os computadores destinados aos servidores por outros com um hardware melhor. A migração também se torna importante quando, simplesmente, desejamos ter um backup de servidores, colocando a rede novamente em atividade mesmo em caso de problemas sérios de hardware nos servidores em funcionamento. Os servidores atuais, Turing e Godel, estão rodando no sistema operacional Ubuntu. Neste roteiro, optamos por migrar estes servidores para o Debian/Lenny 5.04 devido à segurança e estabilidade. Para facilitar o entendimento deste roteiro, adotamos alguns padrões de nomenclatura. Como o objetivo é fazer migração, vamos manter os nomes Turing e Godel para as novas máquinas. Quando quisermos referir aos servidores em produção atualmente, usaremos o termo servidor(es) antigo(s). O(s) clone(s) serão referenciados neste documento como sendo servidor(es) novo(s). Os comandos a serem executados no Shell de comando serão precedidos por $, indicando que o comando deverá ser executado como usuário normal, sem privilégios de administrador. Comandos precedidos com # deverão ser executados como administrador (root). Também usamos a convenção tipográfica de fonte Courier New, tamanho 10 para comandos do Shell e para a listagem de arquivos de configuração. No ubuntu, a senha de root vem desativada por padrão. Os comandos a serem executados nos servidores antigos (que rodam no Ubuntu) deverão ser precedidos de sudo caso sejam executados com privilégios de administrador 2. Instalação do Debian Lenny 5.04 O roteiro completo de instalação do Debian Lenny 5.04 se encontra no manual do administrador de redes sendo confeccionado pelo autor deste roteiro prático e pelo estagiário de redes de computadores, Tiago Silveira. As informações básicas são: Instalação via Debian Netinst, Escolhemos a opção de configurar a rede via DHCP no momento de instalação, o nome da máquina nova é turing, o nome do domínio é bcc.unifal-mg.edu.br. Partições criadas: /, /home, /var e swap. Recomenda-se apenas que o no momento de instalação do Debian no servidor novo, seja criada uma conta de usuário normal, sem privilégios de administrador, que não exista no servidor antigo (isso é importante para evitar problemas de sobreescrita no momento de migração dos usuários do servidor antigo para a novo). Optamos por criar um usuário

4 chamado rodrigo no momento de instalação, tendo em vista que este usuário não existe no servidor antigo. 3. Política de backup dos usuários, grupos e pasta home Seria tedioso se toda vez que formatássemos o servidor ou simplesmente mudássemos a máquina como está previsto neste documento tivéssemos que cadastrar todos os usuários do sistema novamente. Para evitar isso, decidimos criar um roteiro para migração de contas e dados dos usuários do servidor antigo para o novo (o atual servidor Turing está sendo atualizado, momentaneamente por uma máquina melhor, emprestada do laboratório de redes pelo professor Flávio). Para exemplificar, suponha que o endereço IP do servidor novo sendo configurado é o Dessa forma, podemos usar o comando SCP, parte integrante da suíte SSH para a cópia dos arquivos remotos presentes na máquina Turing antiga. Teoricamente, seria necessário copiar os arquivos /etc/shadow, /etc/passwd e /etc/shadow, além do backup da pasta /home que contém os dados dos usuários cadastrados no servidor. Infelizmente, algumas considerações adicionais devem ser levadas em consideração além da simples cópia dos arquivos, conforme veremos nas próximas seções. Dessa forma, a seção 3.1 exibe o roteiro passo a passo a ser executado no servidor Turing antigo. A seção 3.2 ilustra o roteiro a ser seguido no servidor Turing novo Roteiro para backup de usuários e dados Servidor Turing Antigo Abaixo o conteúdo completo do roteiro a ser seguido para a migração de contas de usuários do servidor Turing antigo para o novo servidor. Após a listagem é feita uma explicação do funcionamento dos passos descritos. Lembre-se que este roteiro de deverá ser executado na máquina turing antiga. Nos passos abaixo, estamos usando o usuário pagliares que possui privilégios de administrador no servidor Turing antigo. Substitua a ocorrência de pagliares, daqui por diante, caso esteja seguindo este roteiro com outro usuário. O roteiro a ser executado no servidor antigo possui 4 passos: primeiramente acessaremos o servidor antigo remotamente; em seguida criaremos um diretório no servidor antigo para armazenamos o backup dos arquivos de configuração essenciais e para os dados dos usuários. Após estes dois passos criaremos uma cópia dos arquivos de configuração. Finalmente, faremos o backup da pasta home, usando o comando tar. Primeiro Passo: Acessar remotamente o servidor turing antigo # ssh

5 Passo 2: Crie um diretório para armazenamento dos dados de backup e vá para este diretório recém-criado $ cd /home/pagliares/ $ mkdir backupturingantigo/ $ cd backupturingantigo/ Este passo pode ser executado em qualquer diretório no servidor já que é neste diretório que vai residir os arquivos de configuração e a pasta home compactada para ser transmitida pela rede para o servidor novo. Passo 3: Fazer um backup dos arquivos de configuração (explicações detalhadas após o roteiro, no fim desta seção) $ export UGIDLIMIT=1000 $ awk -v LIMIT=$UGIDLIMIT -F: '($3>=LIMIT) && ($3!=65534)' /etc/passwd > /home/pagliares/backupturingantigo/passwd.bak $ awk -v LIMIT=$UGIDLIMIT -F: '($3>=LIMIT) && ($3!=65534)' /etc/group > /home/pagliares/backupturingantigo/group.bak # sudo awk -v LIMIT=$UGIDLIMIT -F: '($3>=LIMIT) && ($3!=65534) {print $1}' /etc/passwd tee - sudo egrep -f - /etc/shadow > /home/pagliares/backupturingantigo/shadow.bak # sudo cp /etc/gshadow /home/pagliares/backupturingantigo/gshadow.bak Obs: os dois últimos comandos acima devem ser executados como sudo, pois os arquivos /etc/shadow e /etc/gshadow, possuem permissão 640, sendo propriedade do usuário root e grupo shadow respectivamente. Passo 4: Fazer um backup do diretório /home $ cd /home/pagliares/backupturingantigo/ # sudo tar -zcvpf home.tar.gz /home Para melhor entendimento dos passos acima, uma breve descrição referente aos diretórios e arquivos essenciais para o gerenciamento de usuários e grupos e, conseqüentemente para a migração, é exibida abaixo: Arquivo /etc/passwd Contém informações para cada conta do usuário

6 Arquivo /etc/shadow contém a senha criptografada para as contas dos usuários e informações opcionais de expiração de senhas Arquivo /etc/group define os grupos os quais os usuários pertencem Arquivo /etc/gshadow arquivo shadow dos grupos (senhas criptografadas para os grupos) Diretório /home/ Todos os dados dos usuários estão armazenados sob este diretório Precisamos fazer o backup de todos estes arquivos e diretórios presentes no servidor antigo para serem restaurados no novo servidor. Com exceção do diretório /home, todos os arquivos de configuração foram copiados no passo 3. Ainda no passo 3, usamos uma série de comandos. Inicialmente, configuramos um filtro para os identificadores de usuário(uid), para que façamos o backup apenas de usuários normais e não usuários de sistemas. No caso do Ubuntu e do Debian, as contas de usuários normais iniciam a partir do UID $ export UGIDLIMIT=1000 Copiamos as contas presentes em /etc/passwd para /home/pagliares/backupturingantigo/passwd.bak usando o utilitário awk para filtrar as contas do sistema (copiar apenas contas de usuários). Como os comandos são longos, o shell sendo usado poderá reportar um erro caso necessite de mais de uma linha para digitar o comando completo. Se isso acontecer, lembre-se que quando o comando não couber em uma linha do shell, poderemos usar uma barra no final da linha ( / ) e continuar o comando na linha seguinte. Outra alternativa é colocar o comando dentro de um arquivo texto e atribuir permissão de execução para ele (por exemplo, chmod 700 arquivocomcomandolongo) e executá-lo. Nos testes feitos no Shell default do debian 5, codinome Lenny, não foi necessária a inclusão da barra invertida ( / ), mesmo para os comandos que não couberam em uma linha. $ awk -v LIMIT=$UGIDLIMIT -F: '($3>=LIMIT) && ($3!=65534)' /etc/passwd > /home/pagliares/backupturingantigo/passwd.bak O utilitário awk facilita a criação de filtros para serem usados no momento de parsing do arquivo. No exemplo acima, criamos um arquivo /home/pagliares/backupturingantigo/passwd.bak, contendo apenas usuários com UIDs entre 1000 e (limite do Debian), descartando o usuário root (UID 0) e usuários do sistema (UIDs entre 1 e 999). Podemos agora fazer a cópia do arquivo /etc/group, com o mesmo raciocino desenvolvido anteriormente.

7 $ awk -v LIMIT=$UGIDLIMIT -F: '($3>=LIMIT) && ($3!=65534)' /etc/group > /home/pagliares/backupturingantigo/group.bak No comando acima, a variável UGIDLIMIT é passada para o comando awk usando a opção -v (ela atribui o valor da variável do Shell UGIDLIMIT para o a variável chamada LIMIT). A opção F configura o separador de campos como sendo : (dois pontos). Finalmente o comando awk lê cada linha do arquivo /etc/passwd, filtra as contas do sistema e gera um novo arquivo /home/pagliares/backupturingantigo/passwd.bak. Fizemos procedimento semelhante para o arquivo /etc/shadow/. A principal diferença é que os comandos que acessam o arquivo /etc/shadow (awk e egrep) são precedidos de sudo : # sudo awk -v LIMIT=$UGIDLIMIT -F: '($3>=LIMIT) && ($3!=65534) {print $1}' /etc/passwd tee - sudo egrep -f - /etc/shadow > /home/pagliares/backupturingantigo/shadow.bak O arquivo /etc/gshadow, raramente usado, foi copiado por precaução # sudo cp /etc/gshadow /home/pagliares/backupturingantigo/gshadow.bak Depois de finalizados os passos acima, podemos listar o conteúdo do diretório /home/pagliares/backupturingantigo/ que deverá estar como abaixo: Observe que na figura acima, também listamos os arquivos e diretório /home originais para termos uma noção das diferenças de propriedades após o backup temporário (pode-se notar, por exemplo, que o arquivo /etc/shadow possui como proprietário o usuário root e permissão para o grupo shadow, enquanto sua cópia, /home/pagliares/backupturingantigo/shadows.bak, tem como proprietário o usuário pagliares e grupo de nome também pagliares). As propriedades originais serão restauradas após cópia do backup, via rede, discutido em seções posteriores. Finalizando, podemos observar que o arquivo ghadow.bak possui permissão 640. Isso impede que este arquivo seja copiado remotamente via scp (não podemos usar, por exemplo na máquina cliente scp já que o usuário

8 root é desativado por padrão no Ubuntu). Para solucionar isso, vamos mudar a permissão deste arquivo para 644, permitindo que o arquivo seja copiado por um usuário que não seja root. No final do processo, restauremos as permissões originais (visto na próxima seção). # sudo chmod 644 /home/pagliares/backupturingantigo/ghadow.bak Eis a listagem final do backup contemplando a mudança de permissão acima (observe o r presente na terceira tríade do arquivo gshadow): 3.2.Roteiro para cópia de usuários e dados via rede Servidor Turing Novo Tendo feito o backup dos arquivos importantes e compactado os dados dos usuários no servidor antigo, podemos começar a migração para o servidor novo, também chamado turing. Lembre-se que os passos desta seção são executados no servidor novo! Para essa cópia, usaremos o scp conforme os passos abaixo: Passo 1: Criar um diretório para armazenamento do dados Primeiramente, criaremos um diretório para armazenar os dados de backup presentes no servidor antigo e que serão copiados via scp. Optamos por criar este diretório na pasta /home/rodrigo/migração, mas funcionaria para qualquer outro diretório com permissão de acesso. $ mkdir /home/rodrigo/migração Passo 2: Fazer a cópia dos arquivos remotos para o diretório recém-criado $ scp -r /home/rodrigo/migracao/ é o endereço IP do servidor antigo. Após a cópia, as permissões ficam conforme listagem abaixo:

9 Passo 3: Fazer o backup dos usuários do servidor novo novo: Por questão de segurança, vamos fazer um backup dos usuários atuais do servidor $ mkdir /home/rodrigo/migração/backupservidornovo $ su root # cp -a /etc/passwd /etc/shadow /etc/group /etc/gshadow /home/rodrigo/migração/backupservidornovo A opção a mantém os privilégios de acesso presentes nos arquivos de origem. Passo 4: Fazer a restauração dos arquivos de configuração de usuários copiados no servidor novo Antes de fazer a restauração, vamos configurar as devidas permissões (que foram alteradas no momento do backup feito no servidor antigo) $ cd /home/rodrigo/migração/backupturingantigo $ su root # chown root.root group.bak # chown root.shadow gshadow.bak # chmod 640 gshadow.bak # chown root.root home.tar.gz # chown root.root passwd.bak # chown root.shadow shadow.bak Ao final dos comandos acima, eis a listagem com as novas permissões :

10 Vamos agora restaurar os arquivos de configurações dos usuários do servidor antigo para o diretório /etc/ : $ cd /home/rodrigo/migração/backupturingantigo # cat passwd.bak >> /etc/passwd # cat group.bak >> /etc/group # cat shadow.bak >> /etc/shadow # cp a gshadow.bak /etc/gshadow Note que estamos usando o operador para inserção no final do arquivo >> (append) e não >, pois vamos manter os usuários de UID 0 a 999 existentes no servidor novo (os passos feitos na seção 3.1 fizeram o backup apenas dos usuários com UID acima de 999! Passo 5: Fazer a restauração dos dados pessoais dos usuários # cd / Vamos agora extrair o arquivo home.tar.gz para a pasta home do novo servidor. # tar xvf /home/rodrigo/migracao/backupturingantigo/home.tar.gz Passo 6: Reiniciar o sistema Vamos agora reiniciar o sistema. Após isso, o procedimento estará finalizado e poderemos logar normalmente com qualquer usuário cadastrado no sistema antigo, incluindo o usuário root que somente está habilitado no servidor debian novo. # reboot 4. Limitando a quantidade de espaço em disco por usuário - Quota Através do serviço quota, é possível limitar a quantidade de espaço em disco disponível para cada usuário. Usamos este serviço no servidor antigo, permitindo que cada aluno possa usar no máximo 200MB de espaço em disco. Para tal, configuramos o quota para atuar sobre a partição /home já que é essa partição que os usuários possuem acesso para gravação de dados.

11 Primeiramente, podemos verificar a presença/ausência do pacote quota com o comando dpkg l grep quota (dois ii antes do nome do pacote indica que está instalado). Para sabermos se o serviço está rodando, podemos usar ps aux grep quota. Outra alternativa é usar aptitude search quota (um indicador i na coluna anterior ao nome do pacote indica que o mesmo está instalado). Todas essas possibilidades foram executadas no servidor Turing antigo conforme figura abaixo. Caso ainda não esteja instalado, para que o quota funcione, é necessário instalar os pacotes quota e quotatool, que contém um conjunto de utilitários para verificar as quotas de disco. Para instalá-los, digite o comando # apt-get install quota quotatool Em seguida é necessário carregar o módulo quota_v2 para ativar o suporte necessário no kernel e para que o mesmo seja carregado no momento de boot. Uma das formas de fazer isso, é incluir a linha quota_v2 no final do arquivo /etc/modules. O quota é utilizado através do sistema de arquivos, para ativá-la temos que editar o arquivo /etc/fstab e adicionar as opções "usrquota" e "grpquota". No screenshot abaixo, adicionamos em /dev/sda5, que está sendo utilizado para o /home: Verificar o que é a opção relatime, presente no /etc/fstab

12 Precisamos agora, criar dois arquivos de controle, o aquota.user e aquota.group, com permissão de leitura e escrita somente para o root, observando que os arquivos devem ser criados no ponto de montagem do sistema de arquivos, neste caso "/home". # cd /home # touch aquota.user aquota.group # chmod 600 aquota.user # chmod 600 aquota.group Devemos reiniciar o sistema para que a quota entre em vigor. Após reiniciado podemos verificar o status com: # repquota -av Colar figura Para definir uma cota para um usuário no sistema, devemos primeiramente definir o editor que será usado via linha de comando: # EDITOR=nano Para criar a quota para um usuário, use a opção -u : # edquota -u pagliares Basta agora inserir os valores sob as colunas soft e hard (terceira e quartas colunas). O valor soft é um limite de advertência, inferior ao valor hard. Sempre que ultrapassar este valor, o usuário receberá uma mensagem de alerta, mas o usuário ainda poderá gravar, até que atinja o limite estabelecido na coluna hard, quando a gravação dos novos arquivos é bloqueada. Podemos também especificar o Grace period, que é o tempo máximo que o usuário pode ficar acima do limit soft. No exemplo abaixo pagliares tem uma quota de 200Mb(hard) sendo gerado um alerta quando atingir 150MB(soft). Não definimos o grace period: Figura A criação individual de cotas para todos os usuários (alunos, professores, etc..) demanda muito tempo. Uma alternativa é criar a cota por grupos. Por exemplo, todos os alunos cadastrados no sistema pertencem ao grupo aluno, o que pode ser verificado pelo comando no Turing antigo. # cat /etc/group grep aluno

13 Assim sendo, podemos criar uma cota de 200MB para todos os alunos do grupo com o comando: # edquota g aluno Conforme figura acima, estamos adicionando uma cota de 200MB por aluno individual pertencente ao grupo aluno, com alerta após 150MB ser ocupado Após criada a cota para o grupo, devemos reiniciar o serviço ou o servidor # /etc/init.d/quota force-reload Ou # reboot Após reiniciado, podemos verificar a mudança nas cotas para todos os alunos cadastrados no grupo aluno # quota g aluno ou # repquota av Ou repquota /home Colar figura 5. Servidor de Arquivos com NFS, NIS e Samba De longe, a melhor maneira de centralizar o compartilhamento de dados é através de um servidor de arquivos. O samba permite o compartilhamento de arquivos com PCs Windows na sua rede enquanto que o NFS permite o compartilhamento de arquivos para

14 máquinas GNU/Linux. Normalmente o NFS é combinado com o NIS para permitir que máquinas clientes GNU/Linux sejam autenticadas de forma centralizada no servidor Servidor NFS O NFS, Network File System, permite que se estenda o sistema de arquivos do Linux, conectando sistemas de arquivos de outros computadores na estrutura local de diretórios. Os passos básicos para configuração do NFS são: - Escolher o que compartilhar no servidor - Definir a política de segurança no compartilhamento - Montar o sistema de arquivos nas máquinas clientes. O principal arquivo de configuração do NFS é o Para instalar o NFS, seguimos os seguintes passos - # apt-get install nfs-common portmap nfs-kernel-server Após instalados os pacotes, podemos configurar o servidor NFS, editando o arquivo /etc/exports. Como nosso intuito é clonar o servidor, iremos copiar este arquivo para a máquina servidora nova. # cd /etc/ # scp O arquivo de configuração /etc/exports, define o diretório /tftpboot (verificar pra que serve) como sendo um dos diretórios exportados pelo servidor. Assim sendo, para a correta execução do servidor NFS, precisamos copiar este diretório para a raiz da máquina servidora nova. # cd / # scp r Uma vez copiados o arquivo de configuração e o diretório /tftpboot, podemos iniciar o servidor NFS # /etc/init.d/nfs-kernel-server start # /etc/init.d/nfs-common start Os sistemas de arquivos do servidor precisam ser montados nas máquinas GNU/Linux atuando como cliente. A maneira mais simples de fazer isso é via arquivo /etc/fstab para que a montagem seja feita em momento de boot. Eis a configuração necessária nas máquinas cliente para correta montagem do diretório remoto nas máquinas clientes que usam GNU/Linux.

15 Conteúdo do /etc/fstab das máquinas do laboratório Servidor NIS O NIS (Network Information Server) é uma base de dados distribuída, que mantém, num servidor os arquivos que serão acessados pelos clientes. O NIS autentica os usuários através de sua base de dados chamada "yp". Os usuários ao se logarem no sistema, em qualquer computador da rede, terá seu login e senha autenticados no servidor. O servidor autentica e envia pro cliente o profile do usuário. A grande utilidade do NIS é possuir todos os usuários em uma máquina facilitando a administração. A configuração deve ser feita tanto no servidor quanto no cliente. Recomenda-se primeiramente configurar o servidor, instalando o servidor NFS e depois o NIS. Posteriormente nas estações, configurar primeiro o NFS e depois o NIS, pois o NIS necessitará que o NFS esteja corretamente configurado para poder efetuar o processo de autenticação corretamente. Por fim, todas as configurações de IP devem obrigatoriamente serem configuradas no boot automaticamente. Podemos agora instalar os pacotes necessários do servidor nis: # apt-get install nis # apt-get install portmap Agora edite o arquivo /etc/defaultdomain e insira nele o nome do domínio(bccunifal no nosso caso) que irá usar para sua rede: # echo BCCUNIFAL > /etc/defaultdomain Após isto execute o comando domainname para verificar a alteração, talvez precise reiniciar o serviço (/etc/init.d/nis) para a alteração ser visualizada. Edite o arquivo /etc/default/nis e altere a seguinte linha: NISSERVER=false para NISSERVER=master Reinicie o NIS e o Portmap: sudo /etc/init.d/portmap restart sudo /etc/init.d/nis stop sudo /etc/init.d/nis start Após iniciar o NIS devemos popular a sua base de dados com o seguinte comando: # /usr/lib/yp/ypinit -m Com a execução do script será criado os mapas que ficarão armazenados no diretório /var/yp/bccunifal.

16 A partir deste ponto o servidor NIS já esta em funcionamento, e qualquer alteração realizada na base de dados de usuários do servidor devemos refazer os mapas do NIS, de forma a disponibilizar as informações para as estações. Para tanto executamos (após a criação de usuários/alteração de senha/criação de grupos) o seguinte comando: # cd /var/yp # make Após esse procedimento, editar o arquivo /etc/hosts adicionando uma linha contendo o nome do domínio e o ip associado a ele, por exemplo: # nano /etc/hosts Após abrir, adicionar a seguinte linha: BCCUNIFAL Colocar o servidor NIS e PORTMAP para iniciarem automaticamente ao iniciar o sistema. Configuração das estações para logarem no servidor NIS Siga os passos abaixo: 1. Instalação via apt-get dos pacotes necessários: # apt-get install nis # apt-get install portmap 2. Editar o arquivo /etc/yp.conf e adicionamos a seguinte linha: # nano /etc/yp.conf Atualizar a linha com o servidor yp: ypserver Editar o arquivo /etc/nsswitch.conf: # nano /etc/nsswitch.conf As linhas a alterar são as passwd, group e shadow, e deverão ficar conforme abaixo: passwd: files nis group: files nis shadow: files nis 4. Altere o arquivo /etc/defaultdomain informando o nome do seu domínio: # echo BCCUNIFAL > /etc/defaultdomain 5. Após esse procedimento, editar o arquivo /etc/hosts adicionando uma linha contendo o nome do domínio e o ip associado a ele, por exemplo: # nano /etc/hosts Após abrir, adicionar a seguinte linha: BCCUNIFAL 6. Reinicie o NIS e Portmap: sudo /etc/init.d/portmap restart sudo /etc/init.d/nis stop sudo /etc/init.d/nis start

17 7. Para checar se as modificações ocorreram de forma satisfatória podemos verificar se o /etc/passwd do servidor NIS esta disponível na estação, executando o seguinte comando: sudo getent passwd. Este comando deverá listar o conteúdo do /etc/passwd do servidor e não da estação. 8. Colocar o NIS e PORTMAP para iniciarem automaticamente ao iniciar o sistema, lembrando que o IP da estação deverá ser carregado no boot automaticamente.

Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux

Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux Introdução Este tutorial tem por objetivo ensinar a configurar o NFS + NIS no Ubuntu de forma rápida e simples, mas sem deixar de transmitir os conceitos necessários

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Sistema Operacional Linux > Servidor de Arquivos (NFS) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução ao NFS O NFS (Network File System) é um sistema de arquivos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CCET CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CCET CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - UNIOESTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS - CCET CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA TUTORIAL DE CONFIGURAÇÃO DE UM CLUSTER DA CLASSE BEOWULF ALESSANDRO

Leia mais

Linux. Quota de disco

Linux. Quota de disco Linux Quota de disco Quota Quotas de disco permitem controlar o uso do disco por usuário ou grupo, ou por ambos (usuário e grupo). São normalmente utilizadas em sistemas com vários usuários e não com 1

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 13 Servidor Samba. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 13 Servidor Samba. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 13 Servidor Samba Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 INSTALANDO O SAMBA... 3 Verificando a versão... 3 Criando uma cópia do servidor samba original... 3 COMPARTILHAMENTOS

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto Sistemas Operacionais Aula 4 Comandos Básicos Linux Prof.: Roberto Franciscatto Prompt Ao iniciar o GNU/Linux, a primeira tarefa a ser executada é o login no sistema, o qual deve ser feito respondendo

Leia mais

Guia de Instalação e Configuração do Noosfero

Guia de Instalação e Configuração do Noosfero Guia de Instalação e Configuração do Noosfero Índice Instalação e Configuração do Noosfero...3 Instalação das dependências principais do Noosfero no Debian 7...3 Instalação do PostFix e SASL...3 Configuração

Leia mais

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x

Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Instalação e configuração Linux CentOS 6.x Objetivo: Instalar e configurar o sistema operacional Linux CentOS e efetuar suas configurações iniciais. 1- Abra o Virtuabox e clique em novo, e configure conforme

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Conteúdo deste manual Introdução O guia de instalação... 3 Capítulo 1 Instalando o servidor Web Apache... 4 Teste de instalação do Apache... 9

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Informações sobre o Trabalho Final Fundamentos do Linux

Informações sobre o Trabalho Final Fundamentos do Linux Informações sobre o Trabalho Final Fundamentos do Linux - Marcsson Vadesilho Fernandes O trabalho final consiste na simulação de atividades de gerenciamento de usuários e de sistemas de arquivos. Os alunos

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Procedimentos para Instalação do SISLOC

Procedimentos para Instalação do SISLOC Procedimentos para Instalação do SISLOC Sumário 1. Informações Gerais...3 2. Instalação do SISLOC...3 Passo a passo...3 3. Instalação da Base de Dados SISLOC... 11 Passo a passo... 11 4. Instalação de

Leia mais

Gerenciamento de Grupos e Usuários no Linux

Gerenciamento de Grupos e Usuários no Linux Gerenciamento de Grupos e Usuários no Linux Material desenvolvido por Rafael Fernando Diorio Última revisão em 04/08/2013 www.diorio.com.br rafael@diorio.com.br Tópicos Introdução Arquivos de grupos e

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Aula 02. Introdução ao Linux

Aula 02. Introdução ao Linux Aula 02 Introdução ao Linux Arquivos Central de Programas do Ubuntu A Central de Programas do Ubuntu é uma loja de aplicativos integrada ao sistema que permite-lhe instalar e desinstalar programas com

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES Agendar uma tarefa Você deve estar com logon de administrador para executar essas etapas. Se não tiver efetuado logon como administrador, você só poderá alterar as configurações

Leia mais

Procedimentos para Instalação do Sisloc

Procedimentos para Instalação do Sisloc Procedimentos para Instalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Instalação do Sisloc... 3 Passo a passo... 3 3. Instalação da base de dados Sisloc... 16 Passo a passo... 16 4. Instalação

Leia mais

LABORATÓRIO 0 Revisão GNU/Linux

LABORATÓRIO 0 Revisão GNU/Linux FACULDADE PITÁGORAS Tecnólogo em Redes de Computadores Redes Sem fio Prof. Ulisses Cotta Cavalca LABORATÓRIO 0 Revisão GNU/Linux OBJETIVOS Rever os principais comandos do sistema

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

Ferramenta para gerenciamento de impressão CURUPIRA

Ferramenta para gerenciamento de impressão CURUPIRA #20 Ferramenta para gerenciamento de impressão CURUPIRA VITEC Versão 1.0 Agosto/2007 1 Revisões Versão Data Descrição 1.0.0 03/08/2007 Elaboração do Manual. Página 2 de 18 Índice 1 REVISÕES... 2 2 PRÉ-REQUISITOS...

Leia mais

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site.

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Foi necessário configurar esse segundo adaptador, porque talvez seja necessário fazer o download de alguma

Leia mais

Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux Versão SIPREV 2.1.13

Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux Versão SIPREV 2.1.13 Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux Versão SIPREV 2.1.13 INSTALL 2010-05-20 ================================================== Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux ATENÇÃO:

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

ATENÇÃO: Este manual foi feito para usuários que tenham conhecimentos de administrador Linux.

ATENÇÃO: Este manual foi feito para usuários que tenham conhecimentos de administrador Linux. INSTALL 2014-08-12 ================================================== Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux ATENÇÃO: Este manual foi feito para usuários que tenham conhecimentos de administrador

Leia mais

Como é o Funcionamento do LTSP

Como é o Funcionamento do LTSP Instalação e configuração do LTSP 5 no Ubuntu 11.04 Funcionamento do LTSP e Instalação do Servidor Como é o Funcionamento do LTSP O primeiro requisito para que o LSTP funcione bem é ter uma rede de boa

Leia mais

Capítulo 8. Serviço de Ficheiros em Rede. Sistemas operativos UNIX e Linux. Network File System (NFS) Network Information System (NIS)

Capítulo 8. Serviço de Ficheiros em Rede. Sistemas operativos UNIX e Linux. Network File System (NFS) Network Information System (NIS) Capítulo 8 Serviço de Ficheiros em Rede. Sistemas operativos UNIX e Linux Network File System (NFS) Network Information System (NIS) Gestão de Redes e Serviços (GRS) Capítulo 8 1/1 Network File System

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Instalação do Linux Educacional 3.0 Bancadas SED

Instalação do Linux Educacional 3.0 Bancadas SED Instalação do Linux Educacional 3.0 Bancadas SED A instalação do Linux Educacional 3.0 segue os mesmos moldes da instalação normal, porém, com algumas considerações. Backup de Configurações Para evitar

Leia mais

Configuração Definitiva do Samba

Configuração Definitiva do Samba Configuração Definitiva do Samba 1 2 Sumário 1. Vantagens... 5 2. Desvantagem... 5 3. Conclusão Final... 5 4. Vamos botar a mão na massa!... 6 5. Instalação... 6 6. Configuração Parte 1 (Criando os diretórios)...

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Serviços de Rede Aula 04 Network File System (NFS) Prof: Jéferson Mendonça de Limas Network File System é um sistema que permite a montagem de sistemas de arquivos remotos

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

UDPcast Clonagem de HDs via rede utilizando

UDPcast Clonagem de HDs via rede utilizando Manual Clonando Discos com o UDPcast Clonagem de HDs via rede utilizando o UDPCast. Produzido por: Sergio Graças Giany Abreu Desenvolvedores do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Clonando Discos com o UDPcast

Leia mais

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux Projeto Amadeus Guia de Instalação 00.95.00 Linux Agosto 2010 Sumário 1. Introdução...3 2. Pré-Requisitos...4 2.1 Máquina Virtual Java...4 2.1.1 Instalando JDK via apt-get...4 2.1.2 Instalando JDK a partir

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

Processamento Distribuído em Cluster do Tipo Beowulf

Processamento Distribuído em Cluster do Tipo Beowulf UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE TECNOLOGIA DA BAIXADA SANTISTA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA GESTÃO DE NEGÓCIOS Processamento Distribuído em Cluster do Tipo Beowulf ALEXANDRE

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes.

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes. ACESSO REMOTO Através do Acesso Remoto o aluno ou professor poderá utilizar em qualquer computador que tenha acesso a internet todos os programas, recursos de rede e arquivos acadêmicos utilizados nos

Leia mais

Preparação: Verifique se a máquina virtual já está copiada em sua máquina Execute o VMWare Acesse o Linux com o usuário asa e senha aslinux12

Preparação: Verifique se a máquina virtual já está copiada em sua máquina Execute o VMWare Acesse o Linux com o usuário asa e senha aslinux12 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNC. E TEC. DA PARAÍBA CURSO DE GRADUAÇÃO DE TECNOLOGIA EM TELEMÁTICA DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS PROFESSOR: ANDERSON COSTA ASSUNTO: MÓDULOS, DISPOSITIVOS DE

Leia mais

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre

22:59:36. Introdução à Informática com Software Livre 22:59:36 Introdução à Informática com Software Livre 1 22:59:36 O Debian é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida abertamente por um grupo mundial de voluntários, no esforço de se produzir um sistema

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

Conteúdo 1 Comandos Básicos. Questão 1: Que comando permite encerrar o sistema definitivamente?

Conteúdo 1 Comandos Básicos. Questão 1: Que comando permite encerrar o sistema definitivamente? Conteúdo 1 Comandos Básicos Questão 1: Que comando permite encerrar o sistema definitivamente? a) shutdawn b) shutdown t now c) shutdown r now d) shutdwon h now e) shutdown h now Questão 2: Que comando

Leia mais

Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Crie um novo disco virtual. Figura 03. Figura 04.

Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Crie um novo disco virtual. Figura 03. Figura 04. Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Figura 03. Crie um novo disco virtual. Figura 04. 2 Escolha o formato de disco padrão do Virtual Box, VDI. Figura 05. Escolha o disco rígido Dinamicamente Alocado. Figura

Leia mais

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1 Visão geral sobre o processo de instalação e manutenção de instalações de software. Notas de aula. (aka lecture notes on Package Management Systems and software installation :)) Prof. Rossano Pablo Pinto

Leia mais

Instalação do serviço de FTP com o Proftpd

Instalação do serviço de FTP com o Proftpd Tutorial - Proftpd Instalação do serviço de FTP com o Proftpd O Proftpd é um dos mais utilizados servidores de FTP da plataforma Linux. Sua instalação é rápida e fácil. Para instalar o pacote, digite o

Leia mais

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL... Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...4 Configurações iniciais...5 Arquivo sudoers no Sistema Operacional

Leia mais

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Objetivos Detalhar conceitos sobre o sistema operacional Linux; Operar comandos básicos de sistemas Linux em modo Texto; Realizar a manutenção de arquivos

Leia mais

Recuperando o GRUB após instalação do Windows

Recuperando o GRUB após instalação do Windows Recuperando o GRUB após instalação do Windows PET Engenharia de Computação - http://www.inf.ufes.br/~pet 1 Instruções iniciais Para efetuar as configurações a seguir talvez precisaremos executar comandos

Leia mais

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux:

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: O LTSP (Linux Terminal Server Project) é uma solução que agrega um conjunto de serviços, de forma que máquinas clientes

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Linux: Adicionando Usuários Fabricio Breve Introdução Administradores precisam ter um entendimento completo de como funcionam contas Linux Contas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO Serviços de impressão Os serviços de impressão permitem compartilhar impressoras em uma rede, bem como centralizar as tarefas de gerenciamento

Leia mais

Configuração do Linux Educacional 5 para melhor uso do MonitorINFO-V4

Configuração do Linux Educacional 5 para melhor uso do MonitorINFO-V4 Configuração do Linux Educacional 5 para melhor uso do MonitorINFO-V4 Primeiro fazemos o login com o usuário admin para ter acesso total ao sistema Usuário: admin Senha: admin Estando no sistema com administrador

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers NFS A sigla NFS, do inglês Network File System, significa Sistema de Arquivos de Rede. Através de programas específicos no servidor e nas máquinas clientes, podemos fazer com que esses clientes acessem

Leia mais

O que um Servidor Samba faz?

O que um Servidor Samba faz? O que é o Samba? O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows

Leia mais

- Wireless e NTP - 272

- Wireless e NTP - 272 - Wireless e NTP - 272 18.3. NTP NTP significa Network Time Protocol, o servidor NTP é responsável por sincronizar tempo (data e hora) em uma máquina. A idéia de colocar NTP na rede é para garantir que

Leia mais

Para testar se as variáveis foram carregadas, utilize o comando #export

Para testar se as variáveis foram carregadas, utilize o comando #export Configurando Proxy Debian Abra o arquivo /etc/profile: #nano /etc/profile No final do arquivo, adicione as seguintes linhas: export http_proxy=http://172.16.3.1:3128 export https_proxy=http://172.16.3.1:3128

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES (LINUX) Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES (LINUX) Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES (LINUX) Agendador de Tarefas Ocron é um ótimo agendador de tarefas, com ele você pode agendar para um determinado momento um programa qualquer a ser executado. Sua aplicação

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers OpenVPN Objetivos Entender como funciona uma VPN Configurar uma VPN host to host O que é uma VPN? VPN Virtual Private Network, é uma rede de comunicação particular, geralmente utilizando canais de comunicação

Leia mais

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian.

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Pré requisitos para pratica desse tutorial. Saber utilizar maquina virtual no virtual Box ou vmware. Saber instalar ubuntu ou debian na maquina virtual.

Leia mais

Manual de Comando Linux

Manual de Comando Linux Manual de Comando Linux 1 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Comandos Simples Linux... 3 Gerir Directórios e Ficheiros... 4 Gerir processos... 6 Estrutura de Diretórios do LINUX... 6 Executar comandos

Leia mais

Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Vida Controle de Contatos Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Vida Controle de Contatos" Editorial Brazil Informatica I Vida Controle de Contatos Conteúdo Part I Introdução 2 1 Vida Controle... de Contatos Pessoais 2 Part II Configuração 2 1 Configuração...

Leia mais

Administração de Sistemas Livres

Administração de Sistemas Livres Administração de Sistemas Livres Introdução a Comandos GNU/Linux Prof. Lais Farias Alves Comandos GNU/Linux O Linux (na verdade, GNU/Linux), assim como qualquer sistema operacional moderno, é perfeitamente

Leia mais

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux

03/11/2011. Apresentação. SA do Linux. Sistemas de Arquivos. Curso Tecnologia em Telemática. Disciplina Administração de Sistemas Linux Apresentação Administração de Sistemas Curso Tecnologia em Telemática Disciplina Administração de Sistemas Linux Professor: Anderson Costa anderson@ifpb.edu.br Assunto da aula Aspectos do Sistema de Arquivos

Leia mais

Manual de Instalação do Agente Citsmart

Manual de Instalação do Agente Citsmart 16/08/2013 Manual de Instalação do Agente Citsmart Fornece orientações necessárias para efetuar a instalação do Agente Citsmart. Versão 1.9 21/11/2014 Visão Resumida Data Criação 21/11/2014 Versão Documento

Leia mais

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002

Manual de instalação. Manual de instalação. Liberdade. Liberdade. Versão 1.0.0-31/10/2002. Versão 1.0.0-31/10/2002 Liberdade Manual de instalação Liberdade Manual de instalação Versão 1.0.0-31/10/2002 Versão 1.0.0-31/10/2002 Praça dos Açorianos, s/n - CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (051) 3210-3100 http:\\www.procergs.com.br

Leia mais

UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO

UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO MANUAL DE INSTALAÇÃO COM IMAGEM ISO Revisão: Seg, 21 de Março de 2011 www.sneplivre.com.br Índice 1. Instalação...4 1.1. Pré Requisitos...4 1.2. Na Prática...4 1.2.1. Download...4

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Slim... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento da

Leia mais

Sistema de Atendimento v1.3 Manual de Instalação v1.0

Sistema de Atendimento v1.3 Manual de Instalação v1.0 Sistema de Atendimento v1.3 Manual de Instalação v1.0 Brasília, 29 de junho de 2010 Sumário Licença deste Documento...3 Introdução ao Sistema de Atendimento...4 Características e módulos...4 Arquitetura...5

Leia mais

Configurando um servidor DHCP

Configurando um servidor DHCP Configurando um servidor DHCP OBS.: Esse documento retrata uma configuração em uma rede do tipo rede local (192.168.xx.xx), onde existe um servidor contendo duas interfaces de rede, eth0 e eth1. Hoje em

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Instalação de sistemas GNU/Linux em Servidores

Instalação de sistemas GNU/Linux em Servidores Instalação de sistemas GNU/Linux em Servidores Introdução O objetivo deste documento é mostrar a instalação e configuração de um servidor com o sistema operacional GNU/Linux, podendo ser utilizado como

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS COTAS DE DISCO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS COTAS DE DISCO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS Trabalhando com cotas Usando o Gerenciador de Recursos de Servidor de Arquivos para criar uma cota em um volume ou uma pasta, você pode limitar o espaço em disco

Leia mais

Introdução ao Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre

Introdução ao Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais Campus Pouso Alegre Introdução ao Linux Comandos Ubuntu/Linux Michelle Nery Agenda Comandos do Sistema Comandos para Processos

Leia mais

Administração de Sistemas de Armazenamento Linux. Rodrigo Caetano Filgueira

Administração de Sistemas de Armazenamento Linux. Rodrigo Caetano Filgueira Administração de Sistemas de Armazenamento Linux Rodrigo Caetano Filgueira Tipos de cluster Cluster para Alta Disponibilidade (High Availability) - Proteção e de detecção de falhas. Cluster para Balanceamento

Leia mais

CPS FINANÇAS PESSOAIS MANUAL DO USUÁRIO

CPS FINANÇAS PESSOAIS MANUAL DO USUÁRIO APRESENTAÇÃO O CPS FINANÇAS PESSOAIS é um software desenvolvido para gerenciar a movimentação financeira de forma pessoal, rápida e simplificada fornecendo relatórios e demonstrativos. Este manual é parte

Leia mais

Gerenciar usuário, contas de grupo e sistema de arquivos

Gerenciar usuário, contas de grupo e sistema de arquivos Gerenciar usuário, contas de grupo e sistema de arquivos - 2 Sumário Capítulo 1 Gerenciar usuário, contas de grupo e sistema...3 1.1. Objetivos... 3 1.2. Mãos a obra...4 Capítulo 2 Gerenciando... 14 2.1.

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado

Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Sistema Operacional Unidade 4.2 - Instalando o Ubuntu Virtualizado Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CRIAÇÃO DA MÁQUINA VIRTUAL... 3 Mas o que é virtualização?... 3 Instalando o VirtualBox...

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Millennium... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento

Leia mais

Manual Linux SERVIÇOS DE REDE

Manual Linux SERVIÇOS DE REDE Manual Linux SERVIÇOS DE REDE Configurando o servidor NIS Significado do NIS NIS é Network Information Service (serviço de informação de rede). Mantém informações administrativas da rede na forma de domínios,

Leia mais

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição 1 Configurando a Conexão com o Banco de Dados 2 Primeiro Acesso ao Sistema Manutenção de Usuários 3 Parametrizando o Sistema Configura

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br Sumário 1. Boas vindas... 4 2. Dashboard... 4 3. Cloud... 5 3.1 Servidores... 5 o Contratar Novo Servidor... 5 o Detalhes do Servidor... 9 3.2 Cloud Backup... 13 o Alteração de quota... 13 o Senha do agente...

Leia mais

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3 Cesar Kállas - cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 3 Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3 O HD tem espaço livre não particionado...3

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga OSPF O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens em utilizar este serviço para facilitar a administração de pastas compartilhadas em uma rede de computadores.

Leia mais

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor FTP. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor FTP Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática FTP: o protocolo de transferência de arquivos transferir arquivo de/para hospedeiro remoto modelo cliente/servidor cliente:

Leia mais

Formação de Administradores de Redes Linux LPI level 1

Formação de Administradores de Redes Linux LPI level 1 Formação de Administradores de Redes Linux LPI level 1 SENAC TI Fernando Costa YUM, APT-GET, DPKG, RPM Comando: cpio Para criar um backup, pode-se usar o comando cpio. O cpio recebe uma lista de arquivos

Leia mais

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do UNICO. O roteiro poderá ser usado não apenas pelas revendas que apenas estão realizando

Leia mais

Manual de instalação Servidor Orion Phoenix

Manual de instalação Servidor Orion Phoenix Manual de instalação Servidor Orion Phoenix Fevereiro/2011 Este documento se destina a instalação do Orion Phoenix na sua rede Versão 1.01 C ONTE ÚDO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. VISÃO GERAL... 3 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede O servidor de arquivos fornece um ponto centralizado na rede para armazenamento e compartilhamento de arquivos entre os usuários. Quando

Leia mais