ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa"

Transcrição

1 ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012

2 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR: Rodrigo Luiz da Rosa PROFESSOR ORIENTADOR: Clei Delco Acosta PROFESSOR COORIENTADOR: Fabrício Hartmann Borba INSTITUIÇÃO: Escola Estadual de Educação Profissional Estrela REDE: Estadual CIDADE: Estrela - RS

3 RESUMO A evolução da tecnologia tem se destacado crescentemente em diferentes ramos. Trabalhos que antes eram executados manualmente estão sendo hoje, executados por computadores, surgindo a necessidade do desenvolvimento de um sistema de videolocadora que possa aperfeiçoar os processos, deixando as locações, devoluções, cadastros e principalmente pesquisas, mais eficazes. Este trabalho tem como objetivo desenvolver um sistema de locadora para contribuir para melhoria da produtividade do atendente, solucionando as principais funcionalidades. O sistema foi implementado utilizando a linguagem Java e o banco de dados SQL, com o auxílio de vários softwares, que vão desde a criação das tabelas do banco de dados, até a criação das telas do sistema e a geração de relatórios. Este software oferece várias funcionalidades, como cadastros e pesquisas de filmes e de clientes, que servem para cadastrar e pesquisar filmes e clientes, por todos os dados possíveis, além de locações e devoluções de filmes, que possuem determinada categoria, que servem para o usuário locar e reservar filmes para determinados clientes. Este sistema conta com uma interface muito amigável ao usuário e é um software de uso fácil, por possuir telas simples e de fácil entendimento. Também possui uma tela de relatórios de locações, que é utilizada para gerar relatórios de locações vencidas, dentre vários tipos vencidas entre datas ou vencidas na data atual ou todas as locações vencidas. Palavras-chave: Desenvolvimento de um sistema, Videolocadora, Locação.

4 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos JUSTIFICATIVA REFERENCIAL TEÓRICO METODOLOGIA Cronograma Custos Implementação Ferramentas Utilizadas RESULTADOS CONCLUSÕES REFERÊNCIAS... 26

5 1 INTRODUÇÃO A evolução tecnológica tem se destacado crescentemente em diferentes ramos. Trabalhos que eram realizados manualmente estão sendo hoje, executados por computadores, surgindo a necessidade do desenvolvimento de um sistema de videolocadora, que possa aperfeiçoar os processos, deixando as locações, devoluções, cadastros, que antes eram feitos em blocos de papéis, em fichas cadastrais, mais eficazes. Este trabalho tem como objetivo, analisar e reconhecer o funcionamento e as principais funcionalidades de uma videolocadora e especificar um sistema que possa atender a estas funcionalidades básicas. Sistema desenvolvido para gerenciamento de videolocadora, que pela grande quantidade de locações realizadas no dia, busca a sua informatização para se tornar mais rápido o atendimento a seus clientes, vendo a necessidade de usar ferramentas para a realização de cadastros de filmes e clientes e para gerenciamento da locação e devolução de filmes, utilizando banco de dados relacional, possui interface amigável para o usuário. Com esse sistema se saberá o que está acontecendo na sua videolocadora, com apenas alguns cliques do mouse. Nos próximos capítulos serão apresentados detalhadamente todos os passos realizados durante a efetuação do trabalho, junto aos programas e recursos utilizados, para a sua criação.

6 2 OBJETIVOS Os objetivos estão divididos em objetivo geral e objetivos específicos, mostrados abaixo. 2.1 Objetivo Geral Desenvolver um sistema de locadora para contribuir para melhoria da produtividade do atendente de uma locadora. 2.2 Objetivos Específicos - Criar um modelo do banco de dados para o sistema; - Criar telas de login para os usuários se logar no sistema e tela principal que conterá botões de acesso rápido, com as principais funções do sistema; - Criar tela de cadastro de usuários, em que eles serão cadastrados conforme sua função; - Criar tela de cadastro de filmes, na qual os usuários irão cadastrar filmes no sistema e editar filmes já cadastrados; - Criar tela de cadastro de clientes, em que os usuários cadastrarão clientes no sistema e editar clientes já cadastrados, com a opção de cadastrar autorizados para um determinado cliente e editar esses autorizados; - Criar tela de pesquisa de filmes, em que o usuário utilizará filtros de pesquisa para buscar por qualquer filme que esteja cadastrado no sistema, para uma possível edição; - Criar tela de pesquisa de clientes, em que o usuário utilizará filtros de pesquisa, através dos quais pesquisará por qualquer filme que esteja cadastrado no sistema, para uma possível edição, informando também se o filme está ou não, disponível no momento;

7 - Criar tela de locação de filmes em que o usuário informará a um cliente ou um autorizado do cliente, já cadastrados no sistema, e os filmes que serão locados, podendo efetuar o pagamento ou não; - Criar tela de devolução de filme, em que o usuário informa o nome do cliente que fará a devolução e o sistema listará os filmes deste cliente e quem deverá efetuar o pagamento dos filmes, caso ainda não tenha sido efetuado; - Criar tela de pesquisa de locações na qual o usuário poderá pesquisar por todas as locações vencidas até a data atual ou pesquisar por locações vencidas na data atual; - Criar tela de relatório de locações na qual poderão ser gerados os relatórios de locações vencidas até a data atual ou de locações vencidas na data atual ou de locações vencidas entre as datas informadas pelo próprio usuário; - Agilizar a locação e devolução de filmes; - Analisar sistemas similares; - Possibilitar maior controle nas locações;

8 3 JUSTIFICATIVA O desenvolvimento de um software para a informatização das empresas vem apresentando um grande crescimento. Assim, espera-se obter melhor desempenho e lucratividade nos comércios com a utilização de sistemas. Para incrementar o faturamento de uma videolocadora, aumentar os lucros, principalmente, aperfeiçoando os processos e visualizando a continuidade de seu negócio, surgiu a necessidade de desenvolver um sistema que pudesse substituir o trabalho manual. Locações, devoluções, cadastros, deixarão de ser feitos em blocos de papel e fichas cadastrais, passando a ser executados em um sistema próprio para locadora, melhorando o desempenho dos funcionários e, consequentemente, o atendimento aos clientes. Assim, será possível contabilizar o acervo de filmes e buscar um determinado filme para saber se está ou não, na locadora, através de pesquisas que poderão ser realizadas no sistema.

9 4 REFERENCIAL TEÓRICO Em meados da década de 80, com o lançamento dos primeiros videocassetes e das fitas VHS começou a surgir um novo empreendimento, as videolocadoras. Elas compravam fitas de distribuidores de filmes e locavam a clientes por um preço acessível. As fitas eram divididas em categorias e cada categoria tinha o seu preço específico e a quantidade de dias que o cliente poderia ficar com o filme. Com o intuito de melhorar a capacidade de armazenamento de aplicações multimídia, surgiu por volta de 1990, uma nova tecnologia de compreensão de dados, o chamado DVD. As locadoras, com o surgimento do DVDs, começaram a investir nessa nova tecnologia. A procura por esses discos vinha aumentando cada vez mais em relação às fitas de vídeo. Isso se deve ao fato de que, tanto ao som, quanto à imagem são melhores do que nas fitas VHS. Quase todas as locadoras estão investindo somente em DVDs, deixando de oferecer locações de fitas. Desde o surgimento das primeiras videolocadoras até atualmente, o serviço oferecido por elas vem melhorando a cada dia. Hoje, encontram-se diferentes tipos de empreendimentos, desde os mais sofisticados até os mais simples. Algumas locadoras investem em serviços on-line. Através dos sites, os clientes podem locar e reservar, ler a sinopse dos filmes e realizar pesquisas, dentre outros serviços. As chamadas videolocadoras são locais que se disponibilizam locações de vários filmes, oferecidos na locadora, para clientes cadastrados. Os filmes são divididos em várias categorias, cada uma contendo seu valor específico. O principal intuito da locadora é melhorar e agilizar o processo de locação, e com isso, proporcionar aos clientes um melhor atendimento. Para isso, o proprietário de uma locadora deseja um sistema que possa facilitar as funções de locação, devolução e cadastro de filmes. Para cada locação ou devolução, calcular o valor a ser pago pelo cliente. O sistema deverá também possibilitar a realização de pesquisas. A fim de facilitar os processos que correspondem ao funcionamento de uma videolocadora, o sistema criado servirá para o controle de locações e devoluções, geração de relatórios, cadastros e edições, todos criados com o auxílio de várias ferramentas que serão explicadas a seguir.

10 5 METODOLOGIA Foram realizadas pesquisas bibliográficas sobre o assunto, para aprofundamento teórico e comparações com sistemas similares, analisando o que tinham de pontos fortes e pontos fracos a serem melhorados. O banco de dados foi criado com o auxílio da ferramenta DBDesigner, responsável por gerar um script de criação das tabelas do banco de dados, e o software, foi desenvolvido através da linguagem Java, com o auxílio do IDE NetBeans. Com todas essas ferramentas e programas, explicados a seguir, para criação das telas, do modelo do banco de dados e geração de relatórios, o software foi desenvolvido. 5.1 Cronograma O cronograma, a seguir, foi criado para manter controle dos passos que foram dados, os que faltam e os que foram concluídos:

11 5.2 Custos O projeto não apresentou custo algum, pois foram utilizadas apenas ferramentas gratuitas como dbdesigner, WampServer, NetBeans, MySQL Query Browser. 5.3 Implementação O software foi desenvolvido visando uma interface mais amigável e interativa ao usuário, com alguns controles de campos, mostrados a seguir Controles Foram criadas classes de validação de campos para não aceitar letras em campos que necessitam somente de números, para formatar datas de String em Date e vice-versa, controlar a devolução de filmes para que não caia em Domingos e para os filmes trocarem de categorias automaticamente. Também foram criadas classes para fazer a conexão com o banco de dados e com funções referentes à ferramenta ireport, como de conexão e de geração de relatórios Interface A interface foi desenvolvida toda em Java, com o auxílio da ferramenta NetBeans. As telas possuem botões com funções para ir para todas as demais telas, em uma só, evitando que o usuário precise percorrer um longo caminho até o destino. O software é de fácil entendimento e manuseio, por possuir uma interface amigável e interativa. 5.4 Ferramentas utilizadas Foram utilizadas várias ferramentas para criação do projeto, visando uma melhor qualidade e obtenção dos resultados. Foram utilizadas ferramentas para

12 criação do modelo do banco de dados, uma IDE(Integrated Development Environment) para desenvolver o código e um Plugin para JasperReports. A seguir, um pouco de cada ferramenta utilizada Banco de dados - SQL SQL é uma linguagem declarativa utilizada para definição e manipulação de bancos de dados, que sejam aderentes a este padrão. É uma linguagem padrão e normalizada de comunicação, com base de dados. Escolhido por ser o grande padrão de banco de dados e por causa de sua simplicidade e facilidade de uso Linguagem de programação Java Java é uma linguagem de programação e uma plataforma de computação, que capacita muitos programas da mais alta qualidade, como utilitários, jogos e aplicativos corporativos. Java é o mais executado em computadores pessoais e dispositivos em todo o mundo, inclusive em celulares e dispositivos de televisão. Escolhida por ser concisa e simples, portável, segura e pode ser implementada, indiferentemente, da plataforma IDE Netbeans O Netbeans é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) gratuito e executado em muitas plataformas, como Windows, Linux, Solaris e Mac OS. Oferece aos desenvolvedores todas as ferramentas necessárias para criar vários tipos de aplicativos. Fornece uma base sólida para a criação de projetos e módulos, possui um grande conjunto de bibliotecas, além de uma documentação bem organizada. Escolhido por ser fácil de instalar e usar, por ser totalmente escrito em Java.

13 5.4.4 Modelagem do banco de dados DBDesigner 4 DBDesigner é um editor visual para criação de banco de dados MySql que integra criação, modelagem, desenvolvimento e manutenção dos bancos em um ambiente simples e agradável. Possui interface simples para oferecer uma maneira mais eficiente para administrar o banco de dados e permitir uma modelagem mais detalhada WampServer O WampServer é usado para instalar rapidamente no computador os softwares PHP 5, MySql e Apache localmente no Windows, por isso a sigla WAMP (W=Windows, A=Apache, M=MySql, P=PHP). Foi utilizado para fazer as buscas no banco de dados, antes de ser inseridas no software, para um melhor controle MySQL Query Browser O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Criado para auxiliar a selecionar e analisar dados armazenados dentro de um banco de dados MySQL. O MySQL Query Browser permite a execução e edição dos dados de maneira gráfica, que é mais intuitiva para o usuário.também foi utilizado para fazer as buscas no banco de dados, de maneira mais segura ireport O ireport é uma ferramenta que visa facilitar a construção de relatórios utilizando a biblioteca JasperReports, através de uma interface gráfica desenvolvida em Swing. Ele dispõe de importantes ferramentas para desenvolver relatórios complexos e demorados. Foi utilizado para criar e gerar os relatórios do software.

14 6 RESULTADOS Nesta parte do projeto, serão explicados e ilustrados todos os resultados obtidos no decorrer do projeto, sendo eles, o funcionamento do sistema, a modelagem do banco de dados e a criação das telas. 6.1 Funcionalidade O funcionamento do projeto consiste em mostrar a facilidade com a qual o usuário pode utilizar o sistema e a forma de como serão os caminhos que ele percorrerá pelo sistema. A figura abaixo mostra a facilidade do sistema e os pequenos caminhos que o usuário irá percorrer. Figura 1 Funcionamento do sistema Fonte: dados fornecidos pelo autor.

15 Modelagem dos Dados O modelo entidade-relacionamento (E-R) tem por base a percepção de que o mundo real é formado por um conjunto de objetos chamados entidades e pelo conjunto, dos relacionamentos entre esses objetos. Cada entidade possui propriedades particulares que são os atributos. Tomando como exemplo a tabela CLIENTES, onde serão armazenadas as informações dos clientes e essas são os chamados atributos ou campos da tabela da entidade cliente. A associação entre uma ou mais entidades é chamada de relacionamento. Por exemplo, a tabela CLIENTES, associa-se com à tabela AUTORIZADOS. A figura 2, ilustra o modelo de dados de uma videolocadora, tema desse trabalho.

16 O banco de dados conta com 12 tabelas relacionadas de acordo com o modelo apresentado na página anterior, abrangendo as principais necessidades de uma videolocadora. A tabela clientes é responsável por armazenar todos os dados referentes ao cliente, que pode ser de um determinado estado (tabela estados) e de uma determinada cidade (tabela cidades). Como os clientes podem ter pessoas autorizadas a locar em sua ficha a tabela autorizados, foi criada com o intuito de armazenar as informações dessas pessoas. Informações como o nome e sobrenome do autorizado, seu RG e o código do cliente ao qual esse autorizado pertence, são os dados que serão inseridos na tabela autorizados. Um cliente pode locar um ou mais exemplares de um filme, a tabela itenslocacao serve para armazenar os itens locados de uma locação (tabela locação). A tabela filmes armazena os dados dos filmes, que possuem um país de produção (tabela paisproducao) e um gênero (tabela genero). O preço de cada locação depende da categoria (super-lançamento, lançamento etc.), para isso foi criada a tabela categoria, na qual o usuário poderá adicionar alterar ou excluir categorias. Essas categorias possuem um tempo de duração e um tempo de locação, ambos informados em dias, pelo usuário, no cadastro ou na edição das categorias, que servem para obter um maior controle na locação e na devolução de filmes. O sistema altera a categoria dos filmes e calcula as multas de atrasos das locações, automaticamente. Na locação também será informado o usuário que a está fazendo, para um determinado cliente. Este usuário pode ter diferentes funções dentro da video locadora, para isso foram criadas as tabelas usuários e função. 6.2 Apresentação das Telas A interface gráfica de um sistema é algo que os desenvolvedores devem se preocupar. É através dela que o usuário irá interagir com as funcionalidades do sistema. As telas devem ser claras e objetivas.

17 A seguir, encontram-se algumas telas utilizadas no sistema de video locadora e suas respectivas funcionalidades Tela de Login A figura 3, representa a tela de login do sistema. Através dela que será feita a identificação do usuário, que poderá se logar ao sistema, com suas determinadas funcionalidades. Figura 3 Tela de Login Tela Principal Nessa tela que o usuário escolherá a função que pretende executar, sendo elas: cadastro de clientes, cadastro de filmes, pesquisa de clientes, pesquisa de filmes, locação de filmes, devolução de filmes, cadastro de usuários, edição de usuários, pesquisa de locações e relatórios de locações. Esta tela possui um menu com as opções de cadastro de filmes e de clientes, pesquisa de filmes e de clientes, locação e devolução de filmes, pesquisa e relatório de locações e a opção sair. Também possui alguns botões de acesso rápido como:

18 cadastro de clientes, cadastro de filmes, pesquisa de clientes, pesquisa de filmes, locação de filmes, devolução de filmes e sair, que serão os mais utilizados pelo usuário, como mostra a figura 4. Figura 4 Tela Principal Cadastro de Clientes A figura 5 representa a tela de cadastro de clientes. Através dela pode-se cadastrar ou alterar dados de clientes e autorizados do próprio cliente. Nessa tela o usuário deve fornecer os dados dos clientes a serem cadastrados. Depois de preenchidos os dados, devem-se salvá-los, clicando no botão cadastrar. Alguns clientes informam pessoas autorizadas a locarem filmes em seu nome. Tais pessoas devem ser cadastradas. Por isso, foram criadas três opções para cadastrar autorizados, no máximo três, que quando clicado permite o preenchimento

19 dos dados tais como: o nome do autorizado, seu sobrenome e seu RG. Feito isso, ele clica no botão cadastrar para salvar todos os dados do cliente e dos autorizados do cliente. Figura 5 Tela de Cadastro de Clientes Cadastro de Filmes A figura 6 abaixo, mostra a tela de cadastro de filmes. Através dela pode-se cadastrar e alterar dados de um determinado filme. Nessa tela o usuário deve informar os dados do filme e salvá-los clicando no botão cadastrar. Também possui o botão adicionar imagem que o usuário tem a opção de inserir alguma ao filme.

20 Figura 6 Tela de Cadastro de Filmes Pesquisa de Locações A figura 7 mostra a tela de pesquisa de locações. Tal pesquisa pode ser efetuada para saber as locações que estão vencidas ou para saber as locações que estão vencendo na data atual. Ela retornará as seguintes informações: nome e telefone do cliente, o filme que está locado e a data de locação e devolução. O usuário, se desejar, poderá gerar um relatório e imprimi-lo através do botão relatório.

21 Figura 7 Tela de pesquisa de locações Pesquisa de Clientes A figura 8 representa a tela de pesquisa de clientes. Através dela pode-se pesquisar um cliente pelo seu código, nome, sobrenome, RG ou endereço e obter seus dados e de seus autorizados, para uma possível edição.

22 Figura 8 Tela de Pesquisa de Clientes Pesquisa de Filmes A figura 9 mostra a tela de pesquisa de filmes. Através dela, pode-se pesquisar um filme pelo seu código, nome, categoria, gênero, classificação e lançamento para uma possível edição. Figura 9 Tela de Pesquisa de Filmes

23 6.3.8 Locação de Filmes A figura 10 mostra a tela de locação. Essa tela deve informar o nome e o sobrenome do cliente, deve também informar o código do filme que deseja ser locado. Também pode fazer a busca de clientes e filmes pelos botões CLIENTE e FILME. A data de devolução é automaticamente preenchida, dependendo da categoria do filme locado e se o dia de devolução cair em um domingo, ela pula automaticamente para a segunda-feira. Caso o cliente resolva não locar um determinado filme basta clicar no botão excluir. Definidos todos os filmes, o usuário deve clicar no botão finalizar. No canto inferior da tela possui uma opção de pagamento, que o cliente escolhe se deseja efetuar na locação ou na devolução. Quando é um autorizado que deseja fazer a locação, o usuário deve primeiro selecionar o cliente ao qual o autorizado pertence, após isso, o sistema irá autocompletar os campos dos autorizados, com todos os autorizados do cliente e poderá conferir se ele está cadastrado. Figura 10 Tela de Locações

24 6.3.9 Devolução de Filmes A figura 11 mostra a tela de devolução. Para efetuar a devolução de determinados filme de um cliente, basta digitar o nome e o sobrenome dele, ou pesquisar pelo botão CLIENTE. Se o cliente tiver feito mais de uma locação ou tiver locado mais filmes na mesma locação, a tabela será automaticamente preenchida com todos esses filmes e com as informações de todos os filmes. O sistema, automaticamente, trará todas as informações referentes, tais como: valor das multas, se foi algum autorizado e se o pagamento já foi efetuado ou não. Para finalizar a devolução, basta clicar no botão Finalizar. Figura 11 Tela de Devoluções Usuários A figura 12 mostra a tela de cadastro de usuários. Nessa tela poderão ser feitos o cadastro, a edição e a exclusão de usuários.

25 Figura 11 Tela de Cadastro e Edição de Usuários Relatórios A figura 12 mostra a tela de relatório. Para gerar e imprimir as informações das locações, deve-se informar o tipo de pesquisa a ser impressa e clicar no botão imprimir. Figura 12 tela de relatório de locações Poderão ser impressas, as locações que estão vencendo na data atual, todas as locações vencidas e também as locações que vencerão num intervalo de tempo, informando a data inicial e a data final.

26 7. CONCLUSÕES O software cumpriu todas as metas descritas na proposta e conforme foram sendo criadas as telas e suas referentes funcionalidades, mais controles e ideias foram surgindo, a fim de melhorar a funcionalidade do software. Futuramente, para melhorar ainda mais o atendimento, poderá ser implementado no sistema leitor de código de barras, que facilitará e agilizará as locações, deixando o sistema mais seguro. Este trabalho foi de grande importância para o aprendizado e aprofundamento nos recursos do Java. Com ele, expandiu-se o conhecimento sobre as ferramentas utilizadas e o banco de dados SQL também aumentou, facilitando mais a forma buscar e inserir informações, no banco de dados e uma maior facilidade em utilizar os recursos destas ferramentas. Assim, todas as metas estipuladas foram cumpridas, fornecendo ao usuário diversas opções que passam desde o cadastro, edição, locação, devolução, pesquisa e geração de relatórios.

27 REFERÊNCIAS CHOFFNES, DEITEL. Sistemas operacionais. 3ª ed.são Paulo:Pearson\Prentice Hall, GUEDES, T. A.Gilleanes, UML- Uma abordagem prática.são Paulo: Novatec, SILBERSCHATS, A.; KORTH, H. F.; SUDARSHAN, S. Sistema de banco de dados. 3ª ed. São Paulo: Makron Books, 1999.

28 ANEXOS Anexo 1: Relatório de locações vencidas Fonte: Dados fornecidos pelo autor.

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo

Manual Documentação de Arquivos. Tela Classificação de Arquivo Manual Documentação de Arquivos Tela Classificação de Arquivo Objetivo e orientações iniciais Registro das classificações dos arquivos: título e unidade organizacional responsável. Menu: Documentação Classificação

Leia mais

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1 2 Índice 1. Escritório Virtual... 5 1.1. Atualização do sistema...5 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1.3. Cadastro do Escritório...5 1.4. Logo Marca do Escritório...6...6 1.5. Cadastro

Leia mais

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN S U M Á R I O 1Tela de Login...2 2 Painel......3 3 Post...4 4 Ferramentas de Post...10 5 Páginas...14 6 Ferramentas de páginas...21 7 Mídias...25 8 Links......30 1 1- TELA DE LOGIN Para ter acesso ao wordpress

Leia mais

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO

AUTOR(ES): VINICIUS RUIZ PONTES SILVA, JAQUELINE CRISTINA DA SILVA, JOÃO PAULO DE OLIVEIRA HONESTO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA PARA INTERCÂMBIOS ESTUDANTIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office Treinamento Módulo Escritório Virtual Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office 1. Atualização do sistema Para que este novo módulo seja ativado,

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Levantamento de Requisitos

Levantamento de Requisitos Levantamento de Requisitos 1 Segurança No início do programa, a primeira tela a aprecer será uma tela denominada Login. Só terá acesso ao sistema da locadora quem estiver logado e cadastrado no sistema

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Controle de Almoxarifado

Controle de Almoxarifado Controle de Almoxarifado Introdução O módulo de Controle de Almoxarifado traz as opções para que a empresa efetue os cadastros necessários referentes a ferramentas de almoxarifado, além do controle de

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais

Especificação de Requisitos

Especificação de Requisitos Projeto Locadora de Vídeo Passatempo Especificação de Requisitos 1. Introdução Este documento contém a especificação de requisitos e a modelagem de análise para o projeto de informatização da vídeo-locadora

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Manual de Utilização Autorizador

Manual de Utilização Autorizador 1) Acessando: 1-1) Antes de iniciar a Implantação do GSS, lembre-se de verificar os componentes de software instalados no computador do prestador de serviço: a) Sistema Operacional: nosso treinamento está

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA

MANUAL PARA USO DO SISTEMA Clínicas Odontológicas MANUAL PARA USO DO SISTEMA (GCO) GERENCIADOR CLÍNICO ODONTOLÓGICO SmilePrev Versão 2.0 SmilePrev Clínicas Odontológicas www.smilepev.com 2008 REQUISITOS BÁSICOS DO SISTEMA HARDWARE

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB

MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB CNS LEARNING MANUAL DO GERENCIADOR ESCOLAR WEB Versão Online 13 Índice ÍNDICE... 1 VISÃO GERAL... 2 CONCEITO E APRESENTAÇÃO VISUAL... 2 PRINCIPAIS MÓDULOS... 3 ESTRUTURAÇÃO... 3 CURSOS... 4 TURMAS... 4

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Portaria. Versão 4.8.J

Ajuda On-line - Sistema de Portaria. Versão 4.8.J Versão 4.8.J Sumário PORT - Módulo de Apoio Portaria 3 1 Manual... de Processos - Portaria 4 Fluxo - Portaria... 5 2 Configurações... 6 Unidades... de Internação 6 Setores Administrativos... 9 Configuração...

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

Manual do sistema SMARsa WEB

Manual do sistema SMARsa WEB Manual do sistema SMARsa WEB Módulo Solicitação/Ouvidoria SMARsa WEB Solicitação/Ouvidoria Versão 2.7 1 Sumário INTRODUÇÃO...4 OBJETIVOS...4 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo solicitação/ouvidoria...5

Leia mais

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1 Manual do Usuário Central de Agendamento Versão 1.1 Maio, 2014 Central de Agendamento Manual de utilização Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Setor: Coordenação de Sistemas - COSIS Histórico de Revisões

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

NAPNE / SIEP. Softwares Educativos MANUAL GCOMPRIS

NAPNE / SIEP. Softwares Educativos MANUAL GCOMPRIS NAPNE / SIEP Softwares Educativos MANUAL GCOMPRIS Janeiro de 2009 1 ÍNDICE Introdução 3 Requisitos básicos 3 Instalação 3 Interface do usuário 4 Janela principal 4 Administração de GCompris 5 Seleção de

Leia mais

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches -

Curso de Capacitação ao Sistema CDV. - GID Desmanches - Curso de Capacitação ao Sistema CDV - GID Desmanches - Coordenadoria de Gestão de Desmanches Divisão de Desmanches Conteúdo Módulo 1 Como utilizar o Moodle... 4 Módulo 2 - Acessando o GID CDV... 4 Aula

Leia mais

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0

Índice. http://www.gosoft.com.br/atualiza/gosoftsigadmservico.pdf Versão 4.0 Índice I ENVIO DE BOLETOS POR E-MAIL... 2 APRESENTAÇÃO... 2 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO... 4 ALTERAÇÕES NO SIGADM IMÓVEIS... 6 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONCILIAÇÃO BANCÁRIA... 8 ALTERAÇÕES NO SIGADM CONDOMÍNIO

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1

Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente. Versão 1.1 Ajuda On-line - Sistema de Relacionamento com o Cliente Versão 1.1 Sumário Sistema de Relacionamento com Cliente 3 1 Introdução... ao Ambiente do Sistema 4 Acessando... o Sistema 4 Sobre a Tela... do Sistema

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Manual de Utilização Chat Intercâmbio

Manual de Utilização Chat Intercâmbio Manual de Utilização Chat Intercâmbio 1 INDICE 1 Chat Intercâmbio... 6 1.1 Glossário de Termos Utilizados.... 6 1.2 Definições de uma Sala de Chat... 7 1.3 Como Acessar o Chat Intercâmbio... 8 1.4 Pré-requisitos

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

Tutorial Sistema de Eventos de Certificação e Capacitação

Tutorial Sistema de Eventos de Certificação e Capacitação Tutorial Sistema de Eventos de Certificação e Capacitação Junho 2014 Sumário 1 O que é o Sistema de Certificados?... 3 2 Como acessar o Sistema?... 3 3 - Pré-requisitos para a Geração dos Certificados...

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet.

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet. Olá! Você está recebendo as informações iniciais para utilizar o GEM (Software para Gestão Educacional) para gerenciar suas unidades escolares. O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar

Leia mais

Principais Novidades Abril/2013 a Junho/2013

Principais Novidades Abril/2013 a Junho/2013 Principais Novidades Abril/2013 a Junho/2013 Sumário 1. Ambiente Group Shopping... 3 2. Alteração na Tela de Contratos e Controle de Edições... 7 3. Propagação de Contratos... 10 4. Configuração de Impressora

Leia mais

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais...

UNICO... 3. Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5. Produtos... 6. Serviços... 6. Outros... 6. Vendas... 7. Notas Fiscais... Sumário UNICO...... 3 Cadastros... 4 Clientes/Fornecedores/Técnicos/Transportadoras/Vendedores... 5 Produtos...... 6 Serviços...... 6 Outros...... 6 Vendas... 7 Notas Fiscais... 7 Estoque...8 Financeiro......

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

Processo de Controle das Reposições da loja

Processo de Controle das Reposições da loja Processo de Controle das Reposições da loja Getway 2015 Processo de Reposição de Mercadorias Manual Processo de Reposição de Mercadorias. O processo de reposição de mercadorias para o Profit foi definido

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

Sistema de Controle de Cheques GOLD

Sistema de Controle de Cheques GOLD Sistema de Controle de Cheques GOLD Cheques GOLD é um sistema para controlar cheques de clientes, terceiros ou emitidos. Não há limitações quanto as funcionalidades do programa, porém pode ser testado

Leia mais

Tutorial Sistema de Eventos de Certificação e Capacitação

Tutorial Sistema de Eventos de Certificação e Capacitação Tutorial Sistema de Eventos de Certificação e Capacitação Dirceu Lopes de Mattos Álvaro José Periotto Daiany Cristina Ferraz Soares Marcos Massao Yamamoto Leandro Santiago da Silva Compilado por: Bruno

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Acadêmico - Pedagógico

Treinamento GVcollege Módulo Acadêmico - Pedagógico Treinamento GVcollege Módulo Acadêmico - Pedagógico 2015 GVDASA Sistemas Pedagógico 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações

Leia mais

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Nextel 2014 http://nextelcloud.nextel.com.br 1 Nextel Cloud... 4 2 Nextel Cloud Web... 5 2.1 Página Inicial... 6 2.1.1 Meu Perfil... 7 2.1.2 Meu Dispositivo...

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO PARA UMA EMPRESA NO SETOR DE VÍDEO LOCADORAS 1 INTRODUÇÃO

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO PARA UMA EMPRESA NO SETOR DE VÍDEO LOCADORAS 1 INTRODUÇÃO SOFTWARE DE GERENCIAMENTO PARA UMA EMPRESA NO SETOR DE VÍDEO LOCADORAS Daniel Virginio dos Santos 1, Gustavo Kimura Montanha 2 1 Informática para Negócios, Faculdade de Tecnologia de Botucatu, daniel.virginio92@gmail.com.

Leia mais

Manual do sistema SMARsa Web

Manual do sistema SMARsa Web Manual do sistema SMARsa Web Módulo Gestão de atividades RS/OS Requisição de serviço/ordem de serviço 1 Sumário INTRODUÇÃO...3 OBJETIVO...3 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo gestão de atividades...4

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER

CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER CONSTRUÇÃO DE BLOG COM O BLOGGER Blog é uma abreviação de weblog, qualquer registro frequênte de informações pode ser considerado um blog (últimas notícias de um jornal online por exemplo). A maioria das

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MANUAL DE UTILIZAÇÃO Módulo de operação Ativo Bem vindo à Vorage CRM! Nas próximas paginas apresentaremos o funcionamento da plataforma e ensinaremos como iniciar uma operação básica através do nosso sistema,

Leia mais

DPAlmox - Windows MANUAL DO USUÁRIO

DPAlmox - Windows MANUAL DO USUÁRIO - Windows MANUAL DO USUÁRIO DPSISTEMAS www.dpsistemas.com.br 1. Registrando o programa... 3 2. Entrando no programa Login... 5 3. Tela Principal do Sistema... 6 4. Utilizando os botões de navegação...

Leia mais

Gerencie a sala de espera e garanta a satisfação dos pacientes

Gerencie a sala de espera e garanta a satisfação dos pacientes Centralx Clinic O ciclo de trabalho completo em um só sistema. Para ambientes de alta produtividade, do agendamento à consulta, do faturamento ao rateio entre prestadores de serviço, o Centralx Clinic

Leia mais

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Elaborado por SIGA-EPT Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Versão Dezembro - 2009 Sumário 1 Introdução 5 1.1 Entrando no sistema e repassando as opções................... 5 1.2 Administração......................................

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

SuperStore Sistema para Automação de Óticas

SuperStore Sistema para Automação de Óticas SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Administrador) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 ACESSANDO O SISTEMA PELA

Leia mais

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição 1 Configurando a Conexão com o Banco de Dados 2 Primeiro Acesso ao Sistema Manutenção de Usuários 3 Parametrizando o Sistema Configura

Leia mais

Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular. Manual do sistema (Médico)

Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular. Manual do sistema (Médico) Programa de Hematologia e Oncologia Pediátricos Diagnóstico Imunomolecular Manual do sistema (Médico) ÍNDICE 1. O sistema... 1 2. Necessidades técnicas para acesso ao sistema... 1 3. Acessando o sistema...

Leia mais

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01)

Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Manual SAGe Versão 1.2 (a partir da versão 12.08.01) Submissão de Relatórios Científicos Sumário Introdução... 2 Elaboração do Relatório Científico... 3 Submissão do Relatório Científico... 14 Operação

Leia mais

M A N U A L D O U S U Á R I O

M A N U A L D O U S U Á R I O M A N U A L D O U S U Á R I O S I S T E M A D E A B E R T U R A D E C H A M A D O S D E S E R V I Ç O S Sumário 1. Apresentação... 3 2. Introdução do GLPI... 4 3. Acessando o GLPI... 5 4. Abertura e Registro

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation

Gerenciador de Multi-Projetos. Manual do Usuário. 2000 GMP Corporation GMP Corporation Gerenciador de Multi-Projetos Manual do Usuário 2000 GMP Corporation Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/08/2004 1.0 Versão inicial do documento Bárbara Siqueira Equipe

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

CADASTRO NACIONAL DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI

CADASTRO NACIONAL DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI CADASTRO NACIONAL DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI MANUAL DE JUIZ E AUXILIAR DE JUIZ Versão 1.1 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 OBJETIVOS...4 OBSERVAÇÕES...5 USUÁRIOS...5 1. ACESSO AO SISTEMA...6 2. SISTEMA

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E ATIVIDADES COMPLEMENTARES DEPARTAMENTO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Emerson Barros de Meneses

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar

Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Pedido de Bar Sistema para controle de pedido de bar Desenvolvido por Hamilton Dias (31) 8829.9195 Belo Horizonte hamilton-dias@ig.com.br www.h-dias.cjb.net ÍNDICE Introdução...3 Implantação...3 Instalação...3

Leia mais

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário Setor de Tecnologia da Informação 2012 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0

SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0 SISADI MÓDULO GERAL Via Inquilino Manual versão 2.0.0 Autoria Cristiane Caldeira Mendes Belo Horizonte 2013 Índice Introdução... 3 Objetivo... 3 Considerações Gerais... 3 Glossário de Ícones, Botões e

Leia mais

KalumaFin. Manual do Usuário

KalumaFin. Manual do Usuário KalumaFin Manual do Usuário Sumário 1. DICIONÁRIO... 4 1.1 ÍCONES... Erro! Indicador não definido. 1.2 DEFINIÇÕES... 5 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 7 3. ACESSAR O SISTEMA... 8 4. PRINCIPAL... 9 4.1 MENU

Leia mais

MEGAFREE MANUAL DO USUÁRIO

MEGAFREE MANUAL DO USUÁRIO MEGAFREE MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO: Julho, 2013. DIREITOS DE USO: Publicação de uso exclusivo, classificada quanto ao nível de sigilo como RESERVADA. A presente documentação é propriedade da Tellfree Brasil

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

Manual de Instalação e Utilização do Pedido Eletrônico Gauchafarma

Manual de Instalação e Utilização do Pedido Eletrônico Gauchafarma Manual de Instalação e Utilização do Pedido Eletrônico Gauchafarma 1. INSTALAÇÃO Antes de iniciar a instalação do pedido eletrônico, entre em contato com o suporte da distribuidora e solicite a criação

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

2013 GVDASA Sistemas Cheques 1

2013 GVDASA Sistemas Cheques 1 2013 GVDASA Sistemas Cheques 1 2013 GVDASA Sistemas Cheques 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma

Leia mais

1. Objetivos do curso 2. 2 Comunicação Interna (CI) 13 3 Ofício 18 4 DEFINIÇÕES GERAIS 23 5 CONCLUSÃO 27

1. Objetivos do curso 2. 2 Comunicação Interna (CI) 13 3 Ofício 18 4 DEFINIÇÕES GERAIS 23 5 CONCLUSÃO 27 1. Objetivos do curso 2 Introdução 2 Funções do Sistema: 2 Da Comunicação Interna: 3 o Enviadas: 3 o Recebidas: 3 o Com Cópia Pessoal: 3 Ofícios 4 o Enviados: 4 o Recebidas com Cópia: 5 Contatos Externos:

Leia mais

Manual do Usuário Layout Novo CMS WordPress Versão atual: 3.5.1

Manual do Usuário Layout Novo CMS WordPress Versão atual: 3.5.1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA UFJF Secretaria de Sistemas de Informação SSI Centro de Gestão do Conhecimento Organizacional CGCO Equipe de Desenvolvimento de Sites Manual do Usuário Layout Novo

Leia mais

Aula 1: Noção Básica e Criação de Tabelas.

Aula 1: Noção Básica e Criação de Tabelas. Aula 1: Noção Básica e Criação de Tabelas. Introdução Olá! Seja bem-vindo a apostila de Microsoft Access 2010. Access 2010 é um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados da Microsoft, distribuído no pacote

Leia mais

4 DIGITAR, CONSULTAR E ALTERAR DADOS DIGITAR DADOS

4 DIGITAR, CONSULTAR E ALTERAR DADOS DIGITAR DADOS Sphinx APRENDIZ - p.94 4 DIGITAR, CONSULTAR E ALTERAR DADOS DIGITAR DADOS Depois de o questionário estar pronto, seus formulários definidos e as respostas coletadas ou prontas a coletar/importar, é possível

Leia mais

Guia para Escolha de Fotos no PSG Request

Guia para Escolha de Fotos no PSG Request Gui apar aescol hadefot os com opsg Request Manualdousuár i ofi nal DLL System Guia para Escolha de Fotos no PSG Request Como escolher as fotos do CD ou DVD que você recebeu de seu Fotógrafo Suporte Técnico

Leia mais

Manual do usuário. v1.0

Manual do usuário. v1.0 Manual do usuário v1.0 1 Iniciando com o Vivo Gestão 1. como fazer login a. 1º acesso b. como recuperar a senha c. escolher uma conta ou grupo (hierarquia de contas) 2. como consultar... de uma linha a.

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Modelagem de Casos de Uso (Parte 2) Roteiro (1) Método para Modelagem de Casos De Uso Estudo de Caso: Sistema de Controle para Videolocadora Levantamento Inicial dos Casos de Uso Identificação dos Casos

Leia mais

Manual de Usuário INDICE

Manual de Usuário INDICE Manual de Usuário INDICE Características do Sistema... 02 Características Operacionais... 03 Realizando o Login... 04 Menu Tarifador... 05 Menu Relatórios... 06 Menu Ferramentas... 27 Menu Monitor... 30

Leia mais