MANUAL DO FABRICANTE:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO FABRICANTE:"

Transcrição

1 MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS

2 LISTA DE TABELAS Tabela 1 7 Tabela 2 8 Tabela 3/4 9

3 LISTA DE FIGURAS Figura 1 5 Figura 2 6 Figura 3 6 Figura 4 7 Figura 5 10 Figura 6 10 Figura 7 11 Figura 8 12 Figura 9 16

4 SUMÁRIO ALVENARIA ESTRUTURAL... 5 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL... 5 VANTAGENS DA ALVENARIA ESTRUTURAL... 5 MODULAÇÃO... 5 O QUE É MODULAÇÃO... 5 COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS... 6 PROJETO ESTRUTURAL... 6 PROJETO ESTRUTURAL DEVE DEFINIR... 6 PROJETO DE PAGINAÇÃO... 7 LISTA PRODUTOS... 7 GRAUTE DEVE TER GRAUTE: INSTRUÇÃO DE TRANSPORTE E ESTOCAGEM ENTREGA IDENTIFICAÇÃO ENTREGA EXECUÇÃO ARGAMASSA FUNÇÃO JUNTA DE ARGAMASSA PROPRIEDADES IMPORTANTES DA ARGAMASSA TRABALHABILIDADE RETENTIVIDADE DE ÁGUA TEMPO DE ENDURECIMENTO ADERÊNCIA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO MATERIAS CONSTITUINTES DA ARGAMSSA EXECUÇÃO RECOMENDAÇÕES GRAUTEAMENTO JUNTAS DE DILATAÇÃO E DE CONTROLE SITUAÇÕES QUE EXIGEM JUNTAS DE CONTROLE PROCEDIMENTOS PARA EXECUTAR JUNTAS DE CONTROLE... 15

5 ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL Alvenaria estrutural é o sistema construtivo em que a estrutura da edificação é formada pelas próprias paredes. A execução é planejada e mais rápida. Blocos de concreto melhoram padrões construtivos, permitem detalhamentos estéticos, além de maior isolamento térmico, acústico e resistência ao fogo. VANTAGENS DA ALVENARIA ESTRUTURAL Economia e controle tecnológico; Dimensões precisas; Maior produtividade da mão de obra; Menor consumo de argamassa de assentamento; Uniformidade de textura; Permite aplicação direta de revestimento sobre os blocos em paredes internas; Embutimento de tubulações sem corte de alvenaria; Menor índice de perda, reduzindo entulho na obra;atenção Com planejamento o tempo de execução da obra é menor; MODULAÇÃO O QUE É MODULAÇÃO Procedimento indispensável para que a edificação seja econômica e racional. Como os blocos não devem ser cortados, se as dimensões da edificação não forem moduladas os enchimentos resultantes levarão a um custo e um desperdício maior para a obra. Figura 1

6 Figura 2 COMPATIBILIZAÇÃO DE PROJETOS Integração de projetos significa adequar a posição dos blocos com a posição das canalizações hidrossanitárias, dos dutos de passagem de cabos de energia elétrica/telecomunicação das demais instalações da edificação. Como a alvenaria estrutural necessita da estrutura como suporte é importante que não ajam cortes que façam diminuir a resistência da estrutura. Figura 3 PROJETO ESTRUTURAL A edificação em alvenaria estrutural deve ser calculada por profissionais de Engenharia qualificados para tal trabalho. PROJETO ESTRUTURAL DEVE DEFINIR Resistência do bloco de concreto; A resistência e o traço do graute e da argamassa utilizados;

7 As armaduras necessárias em cintas, vergas e contra-vergas; A localização dos pontos de graute; PROJETO DE PAGINAÇÃO Tabela 1 É composto pelos desenhos da 1ª e 2ª fiadas, logo também pelas elevações das paredes. LISTA PRODUTOS Figura 4

8 Tabela 2

9 Cisbra BLOCOS TECNOLOGIA Tabela 3/4 EM CONCRETO

10 GRAUTE É um tipo de concreto fluido feito com cimento, areia, pedrisco e bastante água, para preencher os furos dos blocos. O Grauteamento é feito em pontos de concentração de cargas, para aumentar a resistência da alvenaria e para solidarizar a armadura e a alvenaria. Figura 5 DEVE TER GRAUTE: Cantos em L e em T; Laterais de portas e janelas; Vergas e contra vergas de portas e janelas; A cinta de amarração da edificação, na ultima fiada; OBS.: Sempre respeitando a determinação do projetista etrutural; Figura 6

11 Na última fiada da alvenaria (e em alturas intermediárias quando necessário), deve ser executada uma viga de cintamento, para amarrar as paredes entre si. Essa viga é composta pelo bloco canaleta preenchido com graute e armadura horizontal. Figura 7 INSTRUÇÃO DE TRANSPORTE E ESTOCAGEM Ao fazer o pedido será necessário informar: Família; Resistência; Quantidade; ENTREGA A entrega de blocos é paletizada, então: É apropriado ter um espaço para armazenagem; Facilidade de acesso do caminhão; Deve ser descarregado em superfície plana que garanta estabilidade da pilha conforme ABNT NBR :2011/ o Estocagem: Os blocos devem ser descarregados em uma superfície plana e nivelada, que garanta a estabilidade da pilha; Os blocos devem ser empregados preferencialmente na ordem do recebimento;

12 Deve haver indicação das resistências, identificando o número do lote de obra e o local de sua aplicação; Os blocos devem ser armazenados sobre lajes devidamente cimbradas ou sobre o solo, desde que seja evitada a contaminação direta ou indireta por ação da capilaridade da água; Os blocos devem ser protegidos da chuva e outros elementos que venham a prejudicar o desempenho da alvenaria; IDENTIFICAÇÃO Produtos da Cisbra BLOCOS TECNOLOGIA EM CONCRETO são identificados por lotes como este: Figura 8 ENTREGA Nome do produto; Dimensões; Quantidade; Data fabricação; EXECUÇÃO Régua de bolhas, para verificar o prumo, nível e planicidade das paredes; Colher meia cana, palheta ou bisnaga, para colocação de argamassa; Martelo de borracha permite ajustes no posicionamento do bloco; Funil e caneca ou balde para grautear; Triângulo de esquadro; Escantilhão: Para medir no mesmo tempo o prumo, nível, esquadro e o nivelamento das fiadas; Gabarito de aberturas;

13 ARGAMASSA Utilizada para que se obtenha a consistência desejada. FUNÇÃO Unir blocos; Transmitir tensões; Prevenir a entrada de água; Compensar pequenas variações dimensionais; JUNTA DE ARGAMASSA A junta deve ter 1 cm, com tolerância de 3mm. PROPRIEDADES IMPORTANTES DA ARGAMASSA TRABALHABILIDADE A trabalhabilidade da argamassa depende da combinação de vários fatores. Entre eles, destacam se: qualidade do agregado, quantidade de água, a consistência, capacidade de retenção de água, tempo decorrido de preparação, adesão, fluidez e massa. Argamassa de boa trabalhabilidade se espalha facilmente sobre o bloco e adere às superfícies verticais. Sua consistência permite que o bloco seja prontamente alinhado e na sobreposição das fiadas subseqüentes ela não provoca escorrimento. Em condições normais, o tempo entre mistura e uso da argamassa não deve passar de duas horas e meia. RETENTIVIDADE DE ÁGUA A retentividade é a capacidade da argamassa de reter água contra a sucção do bloco. Este potencial pode ser ampliado com o uso de material pozolânico ou com mais água e tempo de mistura. Problemas dessa propriedade normalmenteresultam de: má granulometria do agregado, agregados muito grandes, mistura insuficiente ou escolha de tipo de cimento inadequado. TEMPO DE ENDURECIMENTO O endurecimento decorre da hidratação, ou seja, da reação química entre cimento e água. Se o endurecimento é muito rápido, a argamassa causa problemas no assentamento dos blocos e no acabamento das juntas. Se é muito lento, atrasa a construção pelo tempo de espera para a continuidade do trabalho. tangenciais ADERÊNCIA A resistência de aderência é a capacidade da interface bloco argamassa de absorver tensões ( cisalhamento ) e normais ( tração ) sem romper. Fatores que influenciam grau de contato

14 e adesão: trabalhabilidade da argamassa, retentividade, taxa de absorção inicial do bloco, mão de obra, quantidade de cimento na mistura, textura da superfície do bloco, conteúdo de umidade do bloco, temperatura e umidade relativa. RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO A resistência à compressão depende do tipo e quantidade de cimento usado na mistura. É importante ressaltar que grande resistência à compressão da argamassa não significa necessariamente a melhor solução estrutural. A argamassa deve ser resistente para suportar os esforços que a parede precisa suportar. No entanto, não deve exceder a resistência dos blocos da parede, para que as fissuras decorrentes de expansões térmicas ou outros movimentos da parede ocorram na junta. Uma argamassa mais forte não resulta necessariamente em parede mais forte porque não há relação direta entre as duas resistências. Para cada resistência de bloco existe uma resistência ótima de argamassa. E o aumento da resistência desta não aumentará a da parede. MATERIAS CONSTITUINTES DA ARGAMSSA CIMENTO Utilizam se principalmente cimentos Portland Comuns ( CP ), além do pozolânico ( Poz ) e do Alto Forno ( AF ). O excesso de cimento mais que 1/3 do volume total aumenta muito a contração da argamassa, prejudicando a durabilidade da aderência. CAL Confere à argamassa plasticidade, coesão, retentividade e extensão da aderência, sendo o principal componente para assegurar a durabilidade da aderência. AREIA Areias grossas aumentam a resistência à compressão da argamassa, mas é preferível o uso de areias finas porque estas aumentam a aderência. EXECUÇÃO RECOMENDAÇÕES É importante que não sejam assentadas mais que cinco fiadas no mesmo dia, pois ela ainda não possui resistência, sendo assim podendo causar danos a estrutura. Evitar perturbações (batidas), nas paredes após esta estar construída. Estar com o projeto sempre perto. A aberturas devem ser executadas conforme a paginação das paredes e devem ser escoradas por no mínimo uma semana após sua execução.

15 GRAUTEAMENTO O graute preenche os vazios dos blocos para aumentar a resistência à compressão da alvenaria sem elevar a resistênciado bloco. Antes do grauteamento deve ser realizada a limpeza dos furos, dos blocos; Ferragem deve ser colocada solta nos furos verticais e nas canaletas; Não utilize bloco molhada ou sujo; Acima de 1,60 m de altura os pontos de graute devem ser preenchidos em 2x, caso seja executado em 1x será necessário utilizar plastificante; JUNTAS DE DILATAÇÃO E DE CONTROLE Para evitar o aparecimento de fissuras devido a variações de temperatura, devem se fazer juntas de dilatação a cada 20 m de estrutura em planta. É importante fazer também juntas de controle vertical para permitir que o prédio movimente se pela retração e expansão devidas à temperatura. SITUAÇÕES QUE EXIGEM JUNTAS DE CONTROLE Mudanças bruscas de direções da parede com formas de (L, T e U). Nos pontos em que há variação na espessura da parede. Nos pontos em que há variação brusca da altura da parede. PROCEDIMENTOS PARA EXECUTAR JUNTAS DE CONTROLE Fazer a junta contínua em toda a altura da parede; Preencher a junta com material deformável para que os movimentos ocorram livremente.

16 ESTE MANUAL FOI DESENVOLVIDO PELA EQUIPE TÉCNICA DA Cisbra Figura 9

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Recomendações Gerais Est. Mun. Eduardo Duarte, 1100 - Esq. RST 287. Santa Maria - RS Fone: (55) 3221 2000 e-mail : prontomix@prontomix.com.br Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural?

Leia mais

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL Indice ALVENARIA ESTRUTURAL MANUAL DE EXECUÇÃO E TREINAMENTO...1 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?...1 Seu trabalho fica mais fácil...1 CUIDADOS QUE

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Concreto Recomendações Gerais Av. Verbo Divino Nº 331 Bairro: Chácara Da Cotia Contagem - MG Tel.: 3394-6104 Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural? Alvenaria estrutural é

Leia mais

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica da USP PCC 2515 Alvenaria Estrutural BLOCOS, ARGAMASSAS E GRAUTES Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS! DETERMINA CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES DA PRODUÇÃO! peso e dimensões

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas ÍNDICE: 1. Ferramentas 2. Equipamentos de Proteção Individual - EPI 3. Serviços Preliminares 4. Marcação da Alvenaria 5. Instalação dos Escantilhões 6. Nivelamento das Fiadas 7. Instalação dos gabaritos

Leia mais

MATERIAIS PARA ALVENARIA ESTRUTURAL Humberto Ramos Roman Universidade Federal Santa atarina Catarina

MATERIAIS PARA ALVENARIA ESTRUTURAL Humberto Ramos Roman Universidade Federal Santa atarina Catarina MATERIAIS PARA ALVENARIA ESTRUTURAL Humberto Ramos Roman Universidade Federal de Santa Catarina SUMÁRIO 1. Materiais para alvenaria bloco argamassa graute 2. Material alvenaria fatores que afetam a resistência

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

Execução de Alvenaria - Elevação

Execução de Alvenaria - Elevação PRÁTICA RECOMENDADA PR - 5 Execução de Alvenaria - Elevação A metodologia proposta para a execução da alvenaria alterou significativamente a seqüência do serviço na etapa de marcação das paredes. Nenhum

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

CAPÍTULO IV - ALVENARIA

CAPÍTULO IV - ALVENARIA CAPÍTULO IV - ALVENARIA Alvenaria é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta de pedras naturais ou artificiais, ligadas ou não por argamassa. Segundo ZULIAN et al. (2002) também

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes!

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! Bloco de concreto As paredes são montadas a partir de componentes de alvenaria - os blocos. Portanto, é imprescindível que eles obedeçam

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO HISTÓRICO O uso da alvenaria é a mais antiga forma de construção empregada pelo homem. 2 HISTÓRICO Pirâmides do Egito

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL

ALVENARIA ESTRUTURAL Alvenaria Ministério Estruturalda Educação 18:04 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br Versão 2013

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário;

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário; A argamassa Matrix Assentamento Estrutural é uma mistura homogênea de cimento Portland, agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. 3. Indicação: Excelente para assentamento de

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO ALVENARIA ESTRUTURAL EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA 2 SEGURANÇA COLETIVA 3 SEGURANÇA COLETIVA ANDAIME COM GUARDA

Leia mais

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos Classificação dos materiais pétreos Fabricação de blocos cerâmicos Pedras naturais: encontradas in natura, usadas normalmente após beneficiamento. Ex.: agregados, placas de rocha para revestimento. Pedras

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix : marca registrada da Belgo Bekaert Arames BelgoFix são telas soldadas

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil. Professora: Mayara Moraes

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil. Professora: Mayara Moraes Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Professora: Mayara Moraes Consistência; Textura; Trabalhabilidade; Integridade da massa / Segregação Poder de retenção de água / Exsudação Massa

Leia mais

DE CONCRETO COM BLOCOS

DE CONCRETO COM BLOCOS COM BLOCOS DE CONCRETO Materiais e Componentes O componente bloco Bloco Broco Controle de qualidade NBR 6136-2006 Blocos Vazados de Concreto simples para Alvenaria Requisitos Estabelece os requisitos para

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Produtos Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix são telas soldadas produzidas com fio de 1,65 mm de diâmetro e

Leia mais

Propriedades do Concreto

Propriedades do Concreto Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Propriedades do Concreto EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons PROPRIEDADES DO CONCRETO O concreto fresco é assim considerado até

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

Sistema Construtivo para Vedação

Sistema Construtivo para Vedação íder em Tecnologia Sistema onstrutivo para Vedação Vedação Racional O Sistema ity de Vedação Racional ompreende blocos no padrão de 19cm () agrupados em cinco famílias para construção de paredes com arguras

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL PROCESSO CONSTRUTIVO RACIONALIZADO. Curso de extensão - Área de Ciências Exatas e Tecnológicas

ALVENARIA ESTRUTURAL PROCESSO CONSTRUTIVO RACIONALIZADO. Curso de extensão - Área de Ciências Exatas e Tecnológicas 2 PROCESSO CONSTRUTIVO RACIONALIZADO Curso de extensão - Área de Ciências Exatas e Tecnológicas Período: de 15 a 31/05/2007 Carga horária: 20h Professor: Cristiano Richter, M.Sc. 3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Alvenaria de Vedação CARTILHA COM BLOCOS DE CONCRETO. Capacitação de equipes de produção. Realização. Recife - PE

Alvenaria de Vedação CARTILHA COM BLOCOS DE CONCRETO. Capacitação de equipes de produção. Realização. Recife - PE Alvenaria de Vedação COM BLOCOS DE CONCRETO CARTILHA Capacitação de equipes de produção Realização Recife - PE Gerência Regional ABCP N/NE Eduardo Barbosa de Moraes Gestão da Comunidade da Construção Roberto

Leia mais

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza Elaine Valentim CONSTRUTORA DACAZA CENÁRIO - 2005 Mais de 20 anos no mercado; Focada na qualidade

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 4 - ALVENARIA APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Escolher a alvenaria adequada; Orientar a elevação das paredes (primeira fiada,

Leia mais

Líder em Tecnologia. www.ceramicacity.com.br SAC (15) 3246 8030

Líder em Tecnologia. www.ceramicacity.com.br SAC (15) 3246 8030 Líder em Tecnologia Líder em Tecnologia Vedação Racional As maiores construtoras buscam a qualidade e desempenho dos s City para ganhar em produtividade e reduzir desperdícios Vedação Racional O bloco

Leia mais

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX Orientações técnicas para o melhor desempenho de sua concretagem Comodidade, economia e segurança 37 3231-4615 www.levemix.com.br ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Tecnologia de Concreto e Argamassas Prof. Ederaldo Azevedo Aula 8 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 8. Tecnologia do Concreto e Argamassas 8.1. Concreto: 8.1. Concreto: Concreto é a mistura

Leia mais

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Prof. Associado Márcio Roberto Silva Corrêa Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO TECNOLOGIA DE REVESTIMENTO Componentes do sistema BASE CHAPISCO Base Características importantes: Avidez por água - inicial e continuada Rugosidade EMBOÇO ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE Chapisco Função:

Leia mais

a) 0:1:3; b) 1:0:4; c) 1:0,5:5; d) 1:1,5:7; e) 1:2:9; f) 1:2,5:10

a) 0:1:3; b) 1:0:4; c) 1:0,5:5; d) 1:1,5:7; e) 1:2:9; f) 1:2,5:10 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PCC 2435 - TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS I DEFINIÇÃO E DOSAGEM DE ARGAMASSAS PARA ASSENTAMENTO DE

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa.

Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa. Distribuição gratuita Dicas importantes para você construir ou reformar a sua casa. 1 Este folheto fornece informações úteis para orientá-lo na construção ou reforma de sua casa. Qualquer construção ou

Leia mais

MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO II EGC0015

MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO II EGC0015 MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO II EGC0015 Alvenaria Estrutural 2013 Profº Newton Chwartzmann newtonc@ufrgs.br 1 SUMÁRIO Introdução Alvenaria Estrutural no Brasil Potencial da Alvenaria estrutural Princípios

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

COORDENAÇÃO MODULAR. Arq.EST Consultoria & Projetos CLAUDIA PRATES FARIA ARQUITETA

COORDENAÇÃO MODULAR. Arq.EST Consultoria & Projetos CLAUDIA PRATES FARIA ARQUITETA PROJETO COMPATIBILIZADO E MODULADO PARA ALVENARIAS DE VEDAÇÃO EM BLOCOS DE CONCRETO - GANHOS NA EXECUÇÃO INTRODUÇÃO Cada vez mais, no mercado da construção civil, um bom projeto deve reunir informações

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA UNAMA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA UNAMA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA UNAMA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PROCEDIMENTOS EXECUTIVOS DE ALVENARIA ESTRUTURAL ESTUDO DE CASO: VERIFICAÇÃO DO CUMPRIMENTO NORMATIVO

Leia mais

Em alguns casos, a união é muito simples, porque uma ou mais partes são maleáveis e suas medidas podem ser adaptadas com facilidade.

Em alguns casos, a união é muito simples, porque uma ou mais partes são maleáveis e suas medidas podem ser adaptadas com facilidade. Coordenação Modular na Construção Civil O QUE É? Toda construção é feita de partes, que podem ser unidas no canteiro de obras ou numa fábrica, com argamassa, cola, parafuso, encaixe ou qualquer outro processo.

Leia mais

Blocos e Alicerces CONCEITO

Blocos e Alicerces CONCEITO CONCEITO Os blocos são elementos estruturais de grande rigidez que são ligados pelas vigas baldrame. Sua profundidade varia de 0,5 a 1 metro. São utilizados quando há atuação de pequenas cargas, como em

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

23/05/2014. Professor

23/05/2014. Professor UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I Alvenarias Área de Construção Civil Prof. Dr. André Luís Gamino Professor Elementos

Leia mais

Saiba mais sobre. Murfor

Saiba mais sobre. Murfor Saiba mais sobre Murfor O que é Murfor? Murfor é uma treliça plana galvanizada formada por dois fios de aço longitudinais (Ø 4,0 mm) paralelos e separados entre si por um fio (Ø 3,75 mm) em forma de sinusóide,

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

Procedimento de obra para recebimento de bloco cerâmico Estrutural

Procedimento de obra para recebimento de bloco cerâmico Estrutural Procedimento de obra para recebimento de bloco cerâmico Estrutural 1 OBJETIVO Procedimento padrão para recebimento blocos estruturais cerâmicos; 2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA NBR 15270-2:2005 Componentes

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Idade do concreto. Verificação da resistência. Módulo de

Leia mais

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor 1. CONCEITO: Produto resultante da associação íntima entre um aglomerante mais um agregado miúdo, mais um agregado graúdo e água (+ ferragens). 2. CARACTERÍSTICAS Quanto aos esforços: compressão, tração

Leia mais

ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO REFORMA E ADAPTAÇÃO DA AC TRINDADE- DR/GO

ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO REFORMA E ADAPTAÇÃO DA AC TRINDADE- DR/GO C A D E R N O D E E S P E C I F I C A Ç Õ E S ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO REFORMA E ADAPTAÇÃO DA AC TRINDADE- DR/GO S E Ç Ã O D E P R O J E T O S E O B R A S SEPO/GEREN/DR/GO OBRA: REFORMA E ADAPTAÇÃO

Leia mais

PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES: ALVENARIAS

PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES: ALVENARIAS PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES: ALVENARIAS IV SEASC: Semana da Engenharia,Arquitetura e Agronomia de São Carlos. Arq. Carlos Alberto Tauil Métrica Consultoria Outubro /2010 FUNÇÃO DAS ALVENARIAS NOS EDIFÍCIOS:

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30 Sumário Prefácio à quarta edição... 13 Prefácio à segunda edição... 15 Prefácio à primeira edição... 17 Capítulo 1 Introdução ao estudo das estruturas de concreto armado... 19 1.1 Conceitos fundamentais...

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL

ALVENARIA ESTRUTURAL 1 ALVENARIA ESTRUTURAL 2 O PRESENTE TRABALHO CONSTA DE UMA MESCLA ENTRE A APOSTILA DE ESTRUTURAS MISTAS ELABORADA PELAS PROFAS. SILVIA MARIA BAPTISTA KALIL E MARIA REGINA LEGGERINI, COM O TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014.

ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. ALVENARIA DE BLOCOS DE SOLO-CIMENTO FICHA CATALOGRÁFICA-27 DATA: JANEIRO/2014. Tecnologias, sistemas

Leia mais

CONCRETO E ARGAMASSAS JAQUELINE PÉRTILE

CONCRETO E ARGAMASSAS JAQUELINE PÉRTILE CONCRETO E ARGAMASSAS JAQUELINE PÉRTILE Concreto O concreto é um dos produtos mais consumidos no mundo, perdendo apenas para a água, o que o torna muito importante para a construção civil. Ele não é tão

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

EDIFICAÇÕES. Técnicas construtivas ALVENARIAS

EDIFICAÇÕES. Técnicas construtivas ALVENARIAS Professora Carolina Barros EDIFICAÇÕES Técnicas construtivas ALVENARIAS INTRODUÇÃO Alvenaria é o sistema construtivo de paredes e muros, executadas com pedras naturais, tijolos ou blocos unidos entre si

Leia mais

Alvenaria Estrutural. Distribuição de Cargas Verticais

Alvenaria Estrutural. Distribuição de Cargas Verticais Alvenaria Estrutural Distribuição de Cargas Verticais Interação entre Paredes NBR 10837 : espalhamento de cargas à 45 Forças de interação Em cantos Em aberturas Importância da Uniformização O Problema

Leia mais

REVESTIMENTO DE GRANITO COM INSERTS METÁLICOS

REVESTIMENTO DE GRANITO COM INSERTS METÁLICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO CIVIL REVESTIMENTO DE GRANITO COM INSERTS METÁLICOS MÔNICA DANTAS

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas É composta por uma mistura homogênea de cimento Portland, cal hidratada e agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. O produto é oferecido na cor cinza. 3. Indicação: A argamassa

Leia mais

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES NOTAS DE AULAS TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ALVENARIA DIVERSAS COLATINA-ES 2010 Tecnologia das Construções Prof. Dorival Rosa Brito 1 ALVENARIAS DIVERSAS 1.INTRODUÇÃO Alvenaria

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções.

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções. Manual de instruções. PORTA DE ABRIR A Atimaky utiliza, na fabricação das janelas, aço galvanizado adquirido diretamente da Usina com tratamento de superfície de ultima geração nanotecnologia (Oxsilan)

Leia mais

1 - Apresentação. Foto 1. Foto 2. Fotos 1 e 2: Canteiro de obras de uma construção em alvenaria estrutural com blocos cerâmicos.

1 - Apresentação. Foto 1. Foto 2. Fotos 1 e 2: Canteiro de obras de uma construção em alvenaria estrutural com blocos cerâmicos. 1 - Apresentação A alvenaria estrutural é um processo construtivo em que as paredes de alvenaria e as lajes enrijecedoras ALVENARIA funcionam estruturalmente em substituição aos pilares e vigas utilizados

Leia mais

PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA

PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA PAINÉIS E PAREDES DE MADEIRA As paredes de madeira dividem-se em: Paredes Estruturais Divisão e fechamento de ambientes Suportar cargas verticais e transmití-las as fundações Suportar cargas horizontais

Leia mais

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE LUIZA DE LIMA TEIXEIRA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA SP. PROJETO ESTRUTURAL 1 I - MEMORIAL DESCRITIVO DE CIVIL ESTRUTURAL 1 - Serviços Iniciais: ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

tecfix EP quartzolit Adesivo para ancoragem à base de resina epóxi Boletim Técnico tecfix EP quartzolit Pág. 1 de 7

tecfix EP quartzolit Adesivo para ancoragem à base de resina epóxi Boletim Técnico tecfix EP quartzolit Pág. 1 de 7 Pág. 1 de 7 Adesivo para ancoragem à base de resina epóxi 1. Descrição: Produto bicomponente, pré-dosado, à base de epóxi, isento de estireno e não retrátil, disposto em bisnaga com câmaras independentes,

Leia mais

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa O espaçador treliçado ABTC da FAMETH é utilizado em lajes, substituindo o ultrapassado caranguejo. É indicado para apoiar e manter o correto posicionamento

Leia mais

bloco de vidro ficha técnica do produto

bloco de vidro ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para assentamento e rejuntamento de s. 02 Classificação técnica: ANTES 205 Bloco votomassa

Leia mais

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje.

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. MANUAL DE COLOCAÇÃO Laje Treliça Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. Henrique. [Endereço de email] 1 VANTAGENS LAJE TRELIÇA É capaz de vencer

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

Pedra Natural em Fachadas

Pedra Natural em Fachadas Pedra Natural em Fachadas SELEÇÃO, APLICAÇÃO, PATOLOGIAS E MANUTENÇÃO Real Granito, S.A. Índice Características típicas dos diferentes tipos de Rochas Ensaios para a caracterização de produtos em Pedra

Leia mais

CONSTRUÇÕES RURAIS: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Vandoir Holtz 1

CONSTRUÇÕES RURAIS: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Vandoir Holtz 1 Vandoir Holtz 1 ARGAMASSA Classificação das argamassas: Segundo o emprego: Argamassas para assentamento de alvenarias. Argamassas para revestimentos; Argamassas para pisos; Argamassas para injeções. DOSAGEM

Leia mais

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto)

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) - Fatores Críticos de Sucesso Francisco Paulo Graziano Características necessárias das estruturas dos em parede estrutural Facilidade

Leia mais

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria FICHA TÉCNICA DE PRODUTO 1. Descrição: A argamassa 2101 MATRIX Revestimento Interno, é uma argamassa indicada para o revestimento de paredes em áreas internas, possui tempo de manuseio de até 2 horas,

Leia mais

Soluções para Alvenaria MURFOR

Soluções para Alvenaria MURFOR Soluções para Alvenaria MURFOR Histórico As Alvenarias são técnicas construtivas muito antigas, utilizadas como elemento resistente (estrutural ou suporte) e de vedação; Sua estabilidade e resistência

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

Construção. Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação. Características / Vantagens. Testes. Dados do Produto.

Construção. Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação. Características / Vantagens. Testes. Dados do Produto. Ficha de Produto Edição 02/09/2010 Identificação n 02 04 01 04 001 0 000001 Sikadur 30 Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação Características / Vantagens Testes Sikadur

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

Telhas Coloniais. Termo de Garantia Manual de Instalação. Telhas Coloniais. estilo do tamanho do seu bom gosto. estilo do tamanho do seu bom gosto

Telhas Coloniais. Termo de Garantia Manual de Instalação. Telhas Coloniais. estilo do tamanho do seu bom gosto. estilo do tamanho do seu bom gosto Telhas Coloniais Termo de Garantia Manual de Instalação Manual de instalação... 1 Termo de Garantia Prezado Cliente: Parabéns por ter adquirido um produto de qualidade Maristela! Este produto possui garantia

Leia mais

Patologia em Revestimentos de Fachada

Patologia em Revestimentos de Fachada PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES Revestimentos de 1 Nome:Fernando Marques Ribeiro Matricula: 27667 Docente: Orlando Carlos B. Damin Artigo: Fonte: Editora: Ordem dos Engenheiros Região Norte / 2011 Autores: Ana

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

BLOCOS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO T&A PRÉ-FABRICADOS LTDA

BLOCOS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO T&A PRÉ-FABRICADOS LTDA BLOCOS e PISOS BLOCOS PRÉ-FABRICADAS DE CONCRETO T&A PRÉ-FABRICADOS LTDA T111e T & A Construção Pré-fabricada Blocos de concreto T & A pré-fabricados LTDA: manual do usuário/ T & A Construção Pré-fabricada.

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

Construção Civil Linha PVC

Construção Civil Linha PVC Construção Civil Linha PVC Correr Abertura de 2 a 6 folhas que se movimentam mediante deslizamento horizontal. De fácil manuseio, podendo ser utilizada com persiana e tela mosquiteira. Permite ventilação

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais