Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Área Departamental de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Área Departamental de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores"

Transcrição

1 Nome: Nº de aluno: Nota: Seja preciso e conciso nas suas respostas. Para responder às perguntas de resposta múltipla utilize a tabela abaixo. Não faça letra de médico. Quando terminar entregue apenas esta folha, o resto do enunciado é para si. Pergunta Resposta 1 a b c d e f 2 a b c d e f 3 a b c d e f 4 a b c d e f 5 a b c d e f 6 a b c d e f 7 a b c d e f 8 a b c d e f 9 a b c d e f 10 a b c d e f 11 a b c d e f 12 a b c d e f 13 a b c d e f 14 a b c d e f 15 a b c d e f 16 a b c d e f 17 a b c d e f 18 a b c d e f 19 a b c d e f 20 a b c d e f 21 a b c d e f 22 a b c d e f 23 a b c d e f 24 a b c d e f 25 a b c d e f 1

2 2

3 IPSec: AH, ESP, IKEv2 1. No IPSec a granularidade implícita nos selectores permite: a. Indicar qual o tráfego a enviar por cada VPN # b. Indicar a dimensão máxima de cada mensagem a enviar pela VPN c. Indicar quantos túneis dentro de túneis se podem criar em cada ligação d. Indicar o número de chaves a gerar para cada algoritmo de segurança utilizado 2. O SPI no IPSec: a. Para uma determinada VPN é sempre o mesmo b. É incrementado em cada pacote enviado pela VPN c. Permite que os SA sejam diferentes para cada pacote # d. Pacotes com SPI diferentes pertencem a VPN diferentes # 3. IPSec: a. O AH e o ESP podem ser utilizados em simultâneo na mesma VPN # b. Pacotes sucessivos na mesma VPN podem utilizar chaves diferentes # c. A utilização de túneis baseados no protocolo AH permite esconder o tráfego interior d. Cada pacote que utilize ESP transporta a indicação explicita de qual o algoritmo de cifra e de autenticação utilizado para proteger os dados que transporta 4. Assuma que uma janela de recepção no IPSec (AH ou ESP) tem uma dimensão de 32 e está no inicio [0..31]. Se chegar uma mensagem devidamente autenticada com id=24 para que valores se move a janela? a. [0..31] # b. [1..32] c. [0..55] d. [24..55] 5. Assuma que uma janela de recepção no IPSec (AH ou ESP) tem uma dimensão de 32 e está no inicio [0..31]. Se chegar uma mensagem devidamente autenticada e com id=32 para que valores se move a janela? a. [1..32] # b. [0..31] c. [0..63] d. [32..63] 6. Assuma que uma janela de recepção no IPSec (AH ou ESP) tem uma dimensão de 32 e está no inicio [0..31]. Se chegar uma mensagem com autenticação errada e com id=32 para que valores se move a janela? a. [1..32] b. [0..31] # c. [0..63] d. [32..63] 7. A função pseudo-aleatória (PRF) pode ser implementada usando um algoritmo: a. Cifra # b. Hash # c. Diffie-Hellman d. Gerador pseudo-aleatório 8. A primeira mensagem trocada (IKE_SA_INIT) é autenticada: a. Nunca é autenticada b. Pelo seu campo AUTH c. Pela mensagem IKE_AUTH no mesmo sentido # d. Pela mensagem IKE_AUTH em sentido contrário e. Pela próxima mensagem IKE_SA_INIT em sentido contrário 9. Quantos pares de mensagens são necessários para estabelecer uma única VPN IPSec: a. 1 b. 2 # c. 3 d Uma SA IPSec pode expirar tendo de ser renegociada outra antes disso acontecer. Essa negociação utiliza as mensagens de: a. IKE_AUTH b. IKE_SA_INIT c. INFORMATIONAL d. CREATE_CHILD_SA # e. Nenhuma das anteriores 11. Para que a criação de um novo SA IPSec com PFS (Perfect Foward Secrecy) devem obrigatoriamente ser trocados: a. Novos nonces b. Novos certificados c. Novas chaves públicas d. Novas chaves de sessão e. Novos valores para o Diffie-Hellman # 3

4 12. No caso do IKE/IPSec usar cookies este é calculado da seguinte forma: Cookie = <VersionIDofSecret> Hash(Ni IPi SPIi <secret>) Indique quais as afirmações verdadeiras: a. Ambos os intervenientes na ligação têm de conhecer o segredo <secret> b. O receptor do pedido de criação de uma associação IKE deita a mensagem inicial IKE_AUTH fora c. O receptor do pedido de criação de uma associação IKE deita a mensagem inicial IKE_SA_INIT fora # d. Quem gera e envia o cookie não necessita guardar nada da mensagem que deitou fora depois de gerar o cookie # WLAN 13. O efeito de colocar um Acess Point (AP) a funcionar no canal 8 (IEEE b) ao lado de outro a funcionar no canal 6 é: a. A utilização do ACK não deixa que existam colisões. b. Não se influenciam em nada dado estarem em canais distintos. c. A capacidade total de tráfego tenderá a ser dividida de forma igual pelos 2 AP. d. Se o tráfego de/para ambos for elevado o número de retransmissões vai ser elevado e o tráfego útil muito baixo. # 14. No WEP como são evitados os ataques por repetição? a. Usando RC4 b. Não são evitados # c. Com o message identifier d. Com o vector de inicialização (IV) diferente em cada trama 15. Qual o modo previsto para realizar a autenticação de um cliente perante o AP em WEP? a. EAP/TLS b. Login/password 16. No WEP a protecção da integridade das mensagens é realizada via: a. CCMP b. HMAC c. CRC cifrado # c. Através do AES-CBC d. Técnica desafio/resposta # d. Hash protegido e. CRC não cifrado 17. No WPA a. O TKIP usa como algoritmo de cifra o RC4 # b. O TKIP usa como algoritmo de cifra o AES c. O ICV fornece protecção contra quebras de integridade d. No WPA existe um contador (TSC) que é enviado para evitar ataques por repetição # 18. O WPA2: a. Usa um CRC para garantir a integridade b. Não fornece protecção contra ataques por repetição c. Usa o AES como algoritmo para suporte criptográfico # d. Os algoritmos para suporte da integridade são baseados no RC4 e. Usa o algoritmo MIC para garantir a autenticação e a integridade Mail 19. Se no pretendermos estabelecer segurança entre os utilizadores inicial e final podemos usar: a. SPF b. TLS c. SMTP d. S/MIME # e. Domain Keys 4

5 20. O CRAM-MD5 no SMTP permite: a. Autenticar as mensagens trocadas entre servidores de b. Autenticar os cliente de perante o servidor de origem # c. Cifrar as mensagens trocadas entre cliente e servidor de da origem d. Garantir a integridade das mensagens trocadas entre cliente e servidor de da origem 21. O SPF é utilizado para: a. Garantir a integridade entre servidores de b. Garantir confidencialidade entre servidores de c. Indicar quais os servidores de um domínio que estão autorizados a enviar s em nome desse domínio # d. Indicar quais os servidores de um domínio que estão autorizados a receber s em nome desse domínio 22. No S/MIME: a. As mensagens são assinadas usando a chave privada do destinatário b. Todas as mensagens de são cifradas usando chave pública da origem c. Os algoritmos de cifra, autenticação e integridade são pré-negociados d. Os algoritmos de cifra, autenticação e integridade são indicados em cada mensagem # e. A chave de sessão para decifrar o conteúdo é transportada na própria mensagem de # TLS 23. O TLS corre em cima do protocolo: a. IP b. SSL c. TCP # d. UDP 24. No TLS: a. O número de sequência é a 64 bit # b. O número de sequência passa cifrado # c. Todas as mensagens transportam as chaves de sessão d. Todas as mensagens transportam o certificado cuja chave pública permite verificar a assinatura da mensagem actual. 25. O (sub)protocolo utilizado para trocar os parâmetros de segurança no TLS é o: a. Alert Protocol b. Record Protocol c. Handshake Protocol # d. Outro além dos citados e. Change cipher spec protocol 5

Nome: Nº de aluno: 1º teste 25 perguntas de 1 a 38 / 2º teste 25 perguntas de 30 a 58 / Exame Pares

Nome: Nº de aluno: 1º teste 25 perguntas de 1 a 38 / 2º teste 25 perguntas de 30 a 58 / Exame Pares Nome: Nº de aluno: 1º teste 25 perguntas de 1 a 38 / 2º teste 25 perguntas de 30 a 58 / Exame Pares Pergunta Resposta 1 A B C D E F 2 A B C D E F 3 A B C D E F 4 A B C D E F 5 A B C D E F 6 A B C D E F

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia da Electrónica e das Telecomunicações e de Computadores

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia da Electrónica e das Telecomunicações e de Computadores Nota: Seja preciso e conciso nas suas respostas. Para responder às perguntas de resposta múltipla utilize a tabela abaixo. Todas as outras perguntas devem ser respondidas em folhas de teste. Não faça letra

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Nome Número Docente: JA VA Curso: LERCM MEIC MEET MERCM Exame (responda a todas as perguntas pares) / Repetição do 1º teste Nas questões de resposta múltipla (V/F) assinale com uma cruz a resposta correta.

Leia mais

Nome: Curso: Número:

Nome: Curso: Número: Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia da Electrónica e das Telecomunicações e de Computadores MEIC/MEET Teste global - 1ª época de SRC - 2008/06/30 Seja preciso e conciso

Leia mais

Avaliação do Desempenho de Sistemas de Segurança com Suporte WPA

Avaliação do Desempenho de Sistemas de Segurança com Suporte WPA Logotipo Viana do Castelo Avaliação do Desempenho de Sistemas de Segurança com Suporte WPA Luís Barreto Instituto Politécnico de Viana do Castelo Susana Sargento Universidade de Aveiro 8ª Conferência sobre

Leia mais

Segurança em Redes VPNs IKEv2

Segurança em Redes VPNs IKEv2 Segurança em Redes VPNs IKEv2 Redes de Comunicação Departamento de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Internet Key Exchange IKE 21-09-2011

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Requisitos de Segurança em Redes» Autenticação: O parceiro da comunicação deve ser o verdadeiro» Confidencialidade: Os dados transmitidos não devem ser espiados»

Leia mais

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec Criptografia e Segurança das Comunicações IPsec IPsec : 1/27 Introdução (1) Os datagramas IP do nível de rede da pilha de protocolos v4 são inseguros! Endereço fonte pode ser mistificado ( spoofed ). Conteúdo

Leia mais

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Segurança de Sistemas na Internet Aula 10 - IPSec Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Slide 2 de 31 Introdução Há inúmeras soluções de autenticação/cifragem na camada de aplicação

Leia mais

Internet Protocol Security (IPSec)

Internet Protocol Security (IPSec) Internet Protocol Security (IPSec) Segurança de Computadores IPSec - Introdução Preocupados com a insegurança na Internet o IETF (Internet Engineering Task Force) desenvolveu um conjunto de protocolos,

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Introdução Conceitos básicos IP Seguro Criptografia Segurança em redes IP Associação de Segurança, Modos de funcionamento AH, ESP, Processamento de tráfego,

Leia mais

Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias

Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias 95 Firewalls firewall Isola a rede interna de uma organização da rede pública (Internet), permitindo a passagem de certos pacotes, bloqueando outros. Rede administrada

Leia mais

EAP (Extensible Authentication Protocol) RFC 3748

EAP (Extensible Authentication Protocol) RFC 3748 EAP (Extensible Authentication Protocol) RFC 3748 Redes de Comunicação Departamento de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Instituto Superior de Engenharia de Lisboa EAP (Extensible

Leia mais

Capítulo 8. Segurança em redes de computadores

Capítulo 8. Segurança em redes de computadores 1 Capítulo 8 Segurança em redes de computadores 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!!

Leia mais

Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio. Redes Sem Fio (Wireless) 1

Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio. Redes Sem Fio (Wireless) 1 Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio Redes Sem Fio (Wireless) 1 INTRODUÇÃO Redes Sem Fio (Wireless) 2 INTRODUÇÃO Conceitos Sobre Segurança em Redes Sem Fio Base da segurança: Confidencialidade Controle

Leia mais

Protocolos Básicos e Aplicações. Segurança e SSL

Protocolos Básicos e Aplicações. Segurança e SSL Segurança e SSL O que é segurança na rede? Confidencialidade: apenas remetente e destinatário pretendido devem entender conteúdo da mensagem remetente criptografa mensagem destinatário decripta mensagem

Leia mais

Domín í io d e C onhecimento t 2 : Se S gurança e m C omunicações Carlos Sampaio

Domín í io d e C onhecimento t 2 : Se S gurança e m C omunicações Carlos Sampaio Domínio de Conhecimento 2: Segurança em Comunicações Carlos Sampaio Agenda Segurança de acesso remoto 802.1x (Wireless) VPN RADIUS e TACACS+ PPTP e L2TP SSH IPSec Segurança de E-Mail MIME e S/MIME PGP

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital Sétima Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc.

Criptografia e Certificação Digital Sétima Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Criptografia e Certificação Digital Sétima Aula Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Segurança na Web A Internet é considerada essencial nos Planos de Negócios das empresas para alavancar lucros O ambiente capilar

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança Protocolos de Segurança A criptografia resolve os problemas envolvendo a autenticação, integridade

Leia mais

Criptografia e Segurança de Redes Capítulo 16

Criptografia e Segurança de Redes Capítulo 16 Criptografia e Segurança de Redes Capítulo 16 Quarta Edição por William Stallings Lecture slides by Lawrie Brown Capítulo 16 Segurança de IP Se uma noticia secreta é divulgada por um espião antes da hora

Leia mais

Segurança em Redes IEEE 802.11. Ienne Lira Flavio Silva

Segurança em Redes IEEE 802.11. Ienne Lira Flavio Silva Segurança em Redes IEEE 802.11 Ienne Lira Flavio Silva REDES PADRÃO IEEE 802.11 O padrão IEEE 802.11 define as regras relativas à subcamada de Controle de Acesso ao Meio (MAC) e camada física (PHY). Da

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes Privadas Virtuais (VPN) Protocolo PPP 1 Virtual Private Network (VPN) Uma VPN é uma infra-estrutura de comunicação de nível 2 (camada de ligação lógica) que

Leia mais

Capítulo 8 Segurança na Rede Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática

Capítulo 8 Segurança na Rede Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática Capítulo 8 Segurança na Rede Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática slide 1 Capítulo 8: Esboço 8.1 O que é segurança na rede? 8.2 Princípios de criptografia 8.3 Integridade de mensagem

Leia mais

Nível de segurança de uma VPN

Nível de segurança de uma VPN VPN Virtual Private Network (VPN) é uma conexão segura baseada em criptografia O objetivo é transportar informação sensível através de uma rede insegura (Internet) VPNs combinam tecnologias de criptografia,

Leia mais

Esta dúvida foi esclarecida através da simulação em laboratório dos diversos mecanismos de segurança propiciados pelos Padrões IEEE 802.

Esta dúvida foi esclarecida através da simulação em laboratório dos diversos mecanismos de segurança propiciados pelos Padrões IEEE 802. 6 Conclusão As inúmeras vantagens proporcionadas pela WLAN contribuem para a expansão das redes sem fio IEEE 802.11 nos ambientes empresariais, governamentais e residenciais. Porém, estas redes possuem

Leia mais

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA Nome: Micaella Coelho Valente de Paula Matrícula: 201207115071 2 o Período Contents 1 Introdução 2 2 802.11 3 3 Seu Funcionamento 3 4 História 4

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Número: Nome: Duração: 1 hora O teste é sem consulta O teste deve ser resolvido

Leia mais

Criptografia e Segurança das Comunicações. TLS Transport Layer Security

Criptografia e Segurança das Comunicações. TLS Transport Layer Security Criptografia e Segurança das Comunicações TLS Transport Layer Security TLS : 1/21 Introdução (1) SSL- Secure Socket Layer, desenvolvido em 1995 pela Netscape para garantir segurança na transmissão de documentos

Leia mais

IPsec: IP Seguro. Edgard Jamhour 2009, Edgard Jamhour

IPsec: IP Seguro. Edgard Jamhour 2009, Edgard Jamhour IPsec: IP Seguro Edgard Jamhour 1) Introdução ao IP Sec - IP Seguro Padrão aberto baseado em RFC (IETF). Comunicação segura em camada 3 (IPv4 e IPv6) Provê recursos de segurança sobre redes IP: Autenticação,

Leia mais

Segurança em Redes Sem Fio

Segurança em Redes Sem Fio Segurança em Redes Sem Fio Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 17 Aula 17 Rafael Guimarães 1 / 60 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 Segurança 3 Princípios da Criptografia 4 Criptografia Simétrica

Leia mais

Segurança na Internet

Segurança na Internet Segurança na Internet Muito do sucesso e popularidade da Internet é por ela ser uma rede global aberta Por outro lado, isto faz da Internet um meio não muito seguro É difícil identificar com segurança

Leia mais

Segurança de Sessão. Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 SSL/TLS

Segurança de Sessão. Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 SSL/TLS Segurança de Sessão Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 SSL/TLS 1 SSL/TLS Introdução Netscape desenvolveu SSL (Secure Socket Layer) Versões 2 e 3 IETF TLS 1.0 (Transport

Leia mais

Segurança de Sessão. Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1

Segurança de Sessão. Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 Segurança de Sessão Jaime Dias FEUP > DEEC > MRSC > Segurança em Sistemas e Redes v3.1 SSL/TLS SSL/TLS Introdução Netscape desenvolveu SSL (Secure Socket Layer) Versões 2 e 3 IETF TLS 1.0 (Transport Layer

Leia mais

Redes wireless e inseguranças: estudo comparativo entre WEP, WPA e WPA2. Grupo: Espedito Anderson Américo Jean

Redes wireless e inseguranças: estudo comparativo entre WEP, WPA e WPA2. Grupo: Espedito Anderson Américo Jean Redes wireless e inseguranças: estudo comparativo entre WEP, WPA e WPA2 Grupo: Espedito Anderson Américo Jean 1 Agenda Introdução Wireless Wi-Fi WiMax Segurança WEP WPA WPA2 Conclusão 2 Introdução Comunicação

Leia mais

Segurança em Bluetooth, 802.11 e Wimax

Segurança em Bluetooth, 802.11 e Wimax Segurança em Bluetooth, 802.11 e Wimax Alan Bauer Paulo Moreira Marcos Barbosa Ulysses Costa Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) Segurança em redes sem fio Prof.Fernando Karl 06/09/2011 Agenda

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc.

Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Segurança em Correio Eletrônico Aplicação mais usada no mundo Altamente vulnerável Serviços necessários: Confidencialidade Autenticação

Leia mais

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour WLAN: Parte II Controle de Acesso ao Meio e Segurança Padrões WLAN: WiFi Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Apenas computadores computadores

Leia mais

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Filtros de Pacotes Criptografia SSL Exercício 1 Configure as regras do filtro de pacotes "E" para permitir que os computadores da rede interna

Leia mais

Criptografia. Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia. M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt. Departamento de Informática Universidade do Minho

Criptografia. Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia. M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt. Departamento de Informática Universidade do Minho Criptografia Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt Departamento de Informática Universidade do Minho 2005/2006 Online Certificate Status Protocol (OCSP) Pedidos

Leia mais

Avaliação do Desempenho de Sistemas de Segurança com Suporte de WPA

Avaliação do Desempenho de Sistemas de Segurança com Suporte de WPA Avaliação do Desempenho de Sistemas de Segurança com Suporte de WPA Luís Barreto 1 e Susana Sargento 2 1 Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Escola Superior de Ciências Empresariais, Valença, Portugal

Leia mais

Autenticação: mais uma tentativa. Autenticação: mais uma tentativa. ap5.0: falha de segurança. Autenticação: ap5.0. Assinaturas Digitais (mais)

Autenticação: mais uma tentativa. Autenticação: mais uma tentativa. ap5.0: falha de segurança. Autenticação: ap5.0. Assinaturas Digitais (mais) Autenticação: mais uma tentativa Protocolo ap3.1: Alice diz Eu sou Alice e envia sua senha secreta criptografada para prová-lo. Eu I am sou Alice encrypt(password) criptografia (senha) Cenário de Falha?

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 Criptografia, Certificados Digitais SSL Criptografia Baseada em Chaves CRIPTOGRAFA Texto Aberto (PlainText) Texto Fechado (Ciphertext)

Leia mais

Introdução à Criptografia. Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral

Introdução à Criptografia. Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral Introdução à Criptografia Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral 1 O que é Segurança da Informação Segurança de Informação relaciona-se com vários e diferentes aspectos referentes à: confidencialidade

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 8: Segurança de Redes Sem Fio Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Uma Wireless LAN (WLAN) é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE 802.11.

Leia mais

Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança

Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança ESAF 2008 em Exercícios 37 (APO MPOG 2008) - A segurança da informação tem como objetivo a preservação da a) confidencialidade, interatividade e acessibilidade

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Princípios de Criptografia Tópicos O papel da criptografia na segurança das redes de comunicação; Criptografia de chave

Leia mais

Manual de Configuração de Ipsec

Manual de Configuração de Ipsec Manual de Configuração de Ipsec Versão 0 BRA-POR Definições de observações Utilizamos o ícone a seguir ao longo deste Manual do Usuário: Os ícones de ensinam como agir em determinada situação ou fornecem

Leia mais

Rede Privada Virtual - VPN. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com

Rede Privada Virtual - VPN. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Rede Privada Virtual - VPN Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Tópicos Abordados Introdução a VPN Protocolos de Tunelamento Criptografia Infraestrutura de Chave Pública - PKI Introdução

Leia mais

Criptografia. Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia. M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt. Departamento de Informática Universidade do Minho

Criptografia. Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia. M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt. Departamento de Informática Universidade do Minho Criptografia Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt Departamento de Informática Universidade do Minho 2005/2006 Online Certificate Status Protocol (OCSP) Pedidos

Leia mais

Redes sem Fio 2016.1. Segurança em WLANs (802.11) Parte 03. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio 2016.1. Segurança em WLANs (802.11) Parte 03. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 Segurança em WLANs (802.11) Parte 03 Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Protocolos de Segurança para Redes sem Fio WPA (Wi-Fi Protected Access)

Leia mais

VPN PPTP (Point to Point Tunneling Protocol)

VPN PPTP (Point to Point Tunneling Protocol) VPN PPTP (Point to Point Tunneling Protocol) Redes de Comunicação Departamento de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Baseado em: VPNs

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Revisão Criptografia de chave simétrica; Criptografia de chave pública; Modelo híbrido de criptografia. Criptografia Definições

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA GERENCIAMENTO DE REDES Segurança Lógica e Física de Redes 2 Semestre de 2012 SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia Firewall Protocolos Seguros IPSec SSL SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia

Leia mais

Administração de Sistemas (ASIST)

Administração de Sistemas (ASIST) Administração de Sistemas (ASIST) Criptografia Outubro de 2014 1 Criptografia kryptós (escondido) + gráphein (escrita) A criptografia utiliza algoritmos (funções) que recebem informação e produzem resultados

Leia mais

Criptografia de chaves públicas

Criptografia de chaves públicas Marcelo Augusto Rauh Schmitt Maio de 2001 RNP/REF/0236 Criptografia 2001 RNP de chaves públicas Criptografia Introdução Conceito É a transformação de um texto original em um texto ininteligível (texto

Leia mais

Segurança em Redes VPN IPsec

Segurança em Redes VPN IPsec Segurança em Redes VPN IPsec Redes de Comunicação Departamento de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Instituto Superior de Engenharia de Lisboa IPsec 21-09-2011 Redes de Comunicação

Leia mais

Capítulo 8 Segurança em rede

Capítulo 8 Segurança em rede Capítulo 8 Segurança em rede Nota sobre o uso destes slides ppt: Estamos disponibilizando estes slides gratuitamente a todos (professores, alunos, leitores). Eles estão em formato do PowerPoint para que

Leia mais

OTES07 - Segurança da Informação Módulo 08: VPN

OTES07 - Segurança da Informação Módulo 08: VPN OTES07 - Segurança da Informação Módulo 08: VPN Prof. Charles Christian Miers e-mail:charles.miers@udesc.br VPN: Virtual Private Networks Uma Rede Virtual Privada (VPN) é um meio de simular uma rede privada

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Segurança em Comunicações Protocolos de Segurança VPN 2 1 Comunicações Origem Destino Meio Protocolo 3 Ataques Interceptação Modificação Interrupção Fabricação 4 2 Interceptação

Leia mais

IPSEC. (IP Security Protocol)

IPSEC. (IP Security Protocol) IPSEC (IP Security Protocol) Curso de Ciências da Computação 3COP041 - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Denilson Vedoveto Martins Orientador: Ms. Mario Lemes Proença Junior LONDRINA, 2002 ÍNDICE

Leia mais

EN - 3611 Segurança de Redes Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt

EN - 3611 Segurança de Redes Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt EN - 3611 Segurança de Redes Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de rede

Leia mais

Capítulo 5 Métodos de Defesa

Capítulo 5 Métodos de Defesa Capítulo 5 Métodos de Defesa Ricardo Antunes Vieira 29/05/2012 Neste trabalho serão apresentadas técnicas que podem proporcionar uma maior segurança em redes Wi-Fi. O concentrador se trata de um ponto

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 27 de Janeiro de 2006 Exame de 2ª Época A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 27 de Janeiro de 2006 Exame de 2ª Época A Número: Nome: Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores o Semestre, 27 de Janeiro de 2006 Exame de 2ª Época A Duração: 2,5 horas A prova é sem consulta A prova deve ser

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Introdução Camada física Subcamada MAC Estrutura do quadro Segurança Introdução

Leia mais

Mecanismos de certificação e a criptografia

Mecanismos de certificação e a criptografia Mecanismos de certificação e a criptografia Os mecanismos de certificação são responsáveis em atestar a validade de um documento. Certificação Digital A Certificação Digital pode ser vista como um conjunto

Leia mais

Criptografia. Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia. M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt. Departamento de Informática Universidade do Minho

Criptografia. Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia. M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt. Departamento de Informática Universidade do Minho Criptografia Módulo III Aplicações Correntes da Criptografia M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt Departamento de Informática Universidade do Minho 2006/2007 Secure Sockets Layer (SSL) Transport Layer Security

Leia mais

O serviço IPsec da camada 3

O serviço IPsec da camada 3 IPsec O standard IPsec é uma arquitectura de transporte de dados de uma forma segura sobre redes não seguras. A sua utilização começa a ser bastante comum para a construção de redes virtuais (VPNs) sobre

Leia mais

Lista de Exercícios 03 - Camadas de Transporte e de Aplicação e Segurança de Redes

Lista de Exercícios 03 - Camadas de Transporte e de Aplicação e Segurança de Redes BCC361 Redes de Computadores (2012-02) Departamento de Computação - Universidade Federal de Ouro Preto - MG Professor Reinaldo Silva Fortes (www.decom.ufop.br/reinaldo) Lista de Exercícios 03 - Camadas

Leia mais

Introdução. Criptografia. Aspectos de segurança em TCP/IP Secure Socket Layer (SSL) Rd Redes de Computadores. Aula 28

Introdução. Criptografia. Aspectos de segurança em TCP/IP Secure Socket Layer (SSL) Rd Redes de Computadores. Aula 28 Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Rd Redes de Computadores td Aspectos de segurança em /IP Secure Socket Layer (SSL) Aula 28 Na Internet, ninguém sabe que você é um cachorro. Peter Steiner,

Leia mais

Segurança em Redes Wi-Fi

Segurança em Redes Wi-Fi Segurança em Redes Wi-Fi (um Estudo de Caso) Ewerton L. Madruga (PUC-Rio( PUC-Rio) Seminário de Capacitação e Inovação Rede Nacional de Pesquisa - RNP Recife PE, Dezembro 2004 1 Tópicos Redes Wi-Fi (IEEE

Leia mais

Capítulo 8 Segurança em rede

Capítulo 8 Segurança em rede Capítulo 8 Segurança em rede Nota sobre o uso destes slides ppt: Estamos disponibilizando estes slides gratuitamente a todos (professores, alunos, leitores). Eles estão em formato do PowerPoint para que

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro Criptografia Revisando A criptografia trata da escrita de um texto em códigos de forma a torná-lo incompreensível; A informação

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Requisitos de Segurança em Redes» Autenticação: O parceiro da comunicação deve ser o verdadeiro» Confidencialidade: Os dados transmitidos não devem ser espiados»

Leia mais

Fernando M. V. Ramos, fvramos@ciencias.ulisboa.pt, RC (LEI), 2015-2016. Heavily based on 1996-2010 J. Kurose and K. Ross, All Rights Reserved.

Fernando M. V. Ramos, fvramos@ciencias.ulisboa.pt, RC (LEI), 2015-2016. Heavily based on 1996-2010 J. Kurose and K. Ross, All Rights Reserved. Questionário Socrative: início de aula 7. Segurança de redes Redes de Computadores Objetivos Estudar os princípios da segurança de redes Criptografia Confidencialidade, autenticidade, integridade A implementação

Leia mais

Wireless LANs - Extens

Wireless LANs - Extens Wireess LANs - Extens Segurança a - Sumário Enquadramento Limitaçõ ções do 802.11 Souçõ ções de 2ª 2 Geraçã ção 5.4.1 Wireess LANs - Extens Segurança a - Enquadramento (i) 5.4.2 1 Wireess LANs - Extens

Leia mais

IPSec & Redes Virtuais Privadas

IPSec & Redes Virtuais Privadas IPSec & Redes Virtuais Privadas Informe Técnico Página 1 de 19 I. Introdução A Unicert Brasil Certificadora é uma empresa que atua em tecnologia de informação, com produtos e serviços consistentes com

Leia mais

Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL

Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL TchêLinux Ulbra Gravataí http://tchelinux.org/gravatai Elgio Schlemer Ulbra Gravatai http://gravatai.ulbra.tche.br/~elgio 31 de Maio de 2008 Introdução Início

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº7 Análise do tráfego na rede Protocolos TCP e UDP Objectivo Usar o Ethereal para visualizar

Leia mais

CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS

CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS VIRTUAL PRIVATED NETWORK - VPN VPN: Rede Virtual Privativa que usa a estrutura aberta e distribuída da Internet para a troca de dados segura e confiável entre redes corporativas

Leia mais

Segurança em IEEE 802.11 Wireless LAN

Segurança em IEEE 802.11 Wireless LAN Segurança em IEEE 802.11 Wireless LAN Giovan Carlo Germoglio Mestrado em Informática Departamento de Informática Universidade do Minho 1 Contextualização Padrão IEEE 802.11 Wireless LAN: Estabelecido em

Leia mais

Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação

Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação Universidade do Sul de Santa Catarina Camada de Transporte TCP/IP e Aplicação 1 Camada de Transporte Os serviços de transporte incluem os seguintes serviços básicos: Segmentação de dados de aplicações

Leia mais

Digitel NRX 5122. Cliente VPN IPSec TheGreenBow. Guia de Configuração. http://www.thegreenbow.pt support@thegreenbow.pt

Digitel NRX 5122. Cliente VPN IPSec TheGreenBow. Guia de Configuração. http://www.thegreenbow.pt support@thegreenbow.pt dr Cliente VPN IPSec TheGreenBow Guia de Configuração Digitel NRX 5122 WebSite: Contacto: http://www.thegreenbow.pt support@thegreenbow.pt Guia de Configuração escrito por: Escritor: Suporte Técnico Digitel

Leia mais

Capítulo 8. Segurança de redes

Capítulo 8. Segurança de redes Capítulo 8 Segurança de redes slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice Hall,

Leia mais

Criptografia e Segurança de Sistemas Informáticos

Criptografia e Segurança de Sistemas Informáticos Criptografia e Segurança de Sistemas Informáticos Gestão da Segurança da Informação Aplicações Correntes da Criptografia M. B. Barbosa mbb@di.uminho.pt Departamento de Informática Universidade do Minho

Leia mais

Criptografia de Chave Pública

Criptografia de Chave Pública Criptografia de Chave Pública Aplicações Privacidade, Autenticação: RSA, Curva Elíptica Intercâmbio de chave secreta: Diffie-Hellman Assinatura digital: DSS (DSA) Vantagens Não compartilha segredo Provê

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer. www.brunoguilhen.com.br 1 INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer. www.brunoguilhen.com.br 1 INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES 5/12/2005 UALG/FCT/DEEI 2005/2006

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES 5/12/2005 UALG/FCT/DEEI 2005/2006 ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES Segurança 5/12/2005 Engª de Sistemas e Informática Licenciatura em Informática UALG/FCT/DEEI 2005/2006 1 Classes de criptografia Criptografia simétrica ou de chave

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP Redes de Computadores Protocolos de comunicação: TCP, UDP Introdução ao TCP/IP Transmission Control Protocol/ Internet Protocol (TCP/IP) é um conjunto de protocolos de comunicação utilizados para a troca

Leia mais

JULIANA C. MOURA CAMPOS MARCELLA MARIA. ROBERTO MARCELO AGUIAR STENICO SAMANTA CAMARGO POSSOBOM THIAGO RIBEIRO MENDES SEGURANÇA DE REDES

JULIANA C. MOURA CAMPOS MARCELLA MARIA. ROBERTO MARCELO AGUIAR STENICO SAMANTA CAMARGO POSSOBOM THIAGO RIBEIRO MENDES SEGURANÇA DE REDES JULIANA C. MOURA CAMPOS MARCELLA MARIA. ROBERTO MARCELO AGUIAR STENICO SAMANTA CAMARGO POSSOBOM THIAGO RIBEIRO MENDES SEGURANÇA DE REDES Pontifícia Universidade Católica de Campinas Faculdade de Engenharia

Leia mais

Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio 57

Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio 57 Aula 5 Aspectos de controle de acesso e segurança em redes sem fio Objetivos Descrever como funciona o controle de acesso baseado em filtros de endereços; Definir o que é criptografia e qual a sua importância;

Leia mais

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows XP

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows XP TeamWork Manual do Utilizador Para Windows XP V3.2_XP Fevereiro 2008 ÍNDICE TeamWork Para que serve... 3 TeamWork Como instalar e configurar... 4 TeamWork Como utilizar... 4 Apoio para instalação e configuração.

Leia mais

Exame de Segurança Informática 2 a Chamada

Exame de Segurança Informática 2 a Chamada Exame de Segurança Informática 2 a Chamada Licenciatura em Engenharia Informática e em Tecnologias e Sistemas da Informação Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Nome. Número. Curso.

Leia mais

SIP Complemento (parte 2) Telefonia IP MAB 618. Paulo Aguiar Tel. (0xx21) 2598-3165 e-mail: aguiar@nce.ufrj.br Departamento de Computação /IM da UFRJ

SIP Complemento (parte 2) Telefonia IP MAB 618. Paulo Aguiar Tel. (0xx21) 2598-3165 e-mail: aguiar@nce.ufrj.br Departamento de Computação /IM da UFRJ SIP Complemento (parte 2) Telefonia IP MAB 618 Paulo Aguiar Tel. (0xx21) 2598-3165 e-mail: aguiar@nce.ufrj.br Departamento de Computação /IM da UFRJ Sinalização Segura 2 Segurança Tripé Autenticação Quem

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 11 Camada de Transporte TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte TCP/IP 2 Introdução à Camada de Transporte As responsabilidades principais da camada de

Leia mais

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows Vista

TeamWork. Manual do Utilizador. Para Windows Vista TeamWork Manual do Utilizador Para Windows Vista V3.2_Vista Fevereiro 2008 ÍNDICE TeamWork Para que serve... 3 TeamWork Como instalar e configurar... 4 TeamWork Como utilizar... 4 Apoio para instalação

Leia mais

Mecanismos de Autenticação dos Emails

Mecanismos de Autenticação dos Emails Mecanismos de Autenticação dos Emails De uma forma generalizada, pode-se identificar os seguintes problemas relacionados com a autenticidade dos emails: Envio de mensagens não solicitadas (spam), que pode

Leia mais

Segurança em Redes de Computadores IEEE 802.1x

Segurança em Redes de Computadores IEEE 802.1x Segurança em Redes de Computadores IEEE 802.1x Redes de Comunicação Departamento de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Protocolos

Leia mais

Gerenciamento e Segurança de Dados

Gerenciamento e Segurança de Dados Prof. Wanderson Reis professor@wanderson.pro.br Gerenciamento e Segurança de Dados 04/03/2011 Informática - PDS Tópicos principais Definições básicas de segurança da informação Políticas de segurança da

Leia mais