TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica"

Transcrição

1 TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica O FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E O RESULTADO DE SEUS TRABALHOS NO 1º SEMESTRE DE 2008 Dagmar Maria de Sant Anna Advogada O Encontro do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, em regime de plenária desse Fórum, teve lugar no auditório do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), Bloco K da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, quando e onde estiveram presentes, compondo a Mesa de Abertura dos Trabalhos, além de integrantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e do anfitrião MPOG, alguns representantes do Ministério do Trabalho e Emprego e das Associações, Federações e Confederações civis. Os trabalhos foram abertos pelo senhor Armando de Mello Meziat (Secretário do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), por quem, em ato contínuo, foi dada a palavra às autoridades e representantes das entidades de representação que compõem aquele Fórum os quais se pronunciaram em defesa dos interesses das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (MPE). Nessa plenária, em prosseguimento, foram, então, destacados e debatidas as ações relacionadas à estruturação das cadeias produtivas que compõem o segmento das MPE nos mercados interno e externo; as Políticas de Desenvolvimento Produtivo (PDP) sob a responsabilidade do MDIC; a Lei Geral; a implantação de fóruns regionais; as ações dos bancos oficiais no Programa de Aproximação Banco e Empresa, de investimento e financiamento. Sobre as PDP, e segundo informado pelo MDIC, é desejo desse Ministério, por intermédio do Fórum, chegar a 2010 com cerca de empresas exportadoras de pequeno porte atuando no Brasil. A respeito, é de se esclarecer que esses números resultaram de metas estabelecidas pelo Governo Federal de aumentar em 10% o número de MPE exportadoras (registradas, em 2006, em ). Com esse objetivo, o Governo espera não só atrair pequenos empreendedores informais para a formalidade como também, igualmente, estimular o engajamento dos dirigentes de pequenos negócios em processos inovadores, objetivando, assim, conquistar novos mercados, produzir produtos e serviços com maior valor agregado, aumentar o faturamento de empreendimentos desse porte e, por fim, gerar mais empregos.

2 54 Antes da apresentação das conclusões acima mencionadas, e a exemplo de como também ocorreu na plenária anterior (na 12ª plenária desse Fórum), foram assinados com o MDIC alguns acordos de cooperação para Capacitação, Gerenciamento, Produção de Material Informativo; Parcerias; Apoio e Capacitação nas Compras Governamentais; Boletim Estatístico de Exportação por porte de Empresa; Ações em Tecnologia e Inovação (TI); e, por fim, Internacionalização de Empresas. Dentre os protocolos de intenções (acordos de cooperação) firmados, citamos, por amostragem: - A simplificação dos cartórios (artigos 73, 74 e 75 da Lei Geral), firmado com o Ministério da Justiça; - A articulação de ações destinadas à promoção e à elevação das MPE, firmado com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE); - O desenvolvimento tecnológico, firmado com a Universidade de Brasília; e - A formação de um Conselho Nacional de Arbitragem destinado ao tratamento diferenciado devido às MPE (artigo 75 da Lei Geral). Ainda sobre as PDP, foi-nos informado pelo MDIC que essas Políticas, também chamadas de horizontais (para todos os setores) e de verticais (para setores específicos), alocarão recursos da ordem de R$ 251,6 bilhões até 2010, que serão direcionados a 24 segmentos econômicos, quando serão focados a redução da dependência externa, a descentralização da produção e os investimentos em tecnologia. Para tanto, o MDIC conta com o Banco da Amazônia, com a Caixa Econômica Federal (CEF), com o Banco do Brasil (BB), e com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) instituições essas que muito já têm contribuído, ao adequarem os produtos oferecidos às necessidades das MPE. O Banco da Amazônia, por exemplo, ampliou o acesso das MPE aos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), aos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e aos do BNDES. A Caixa Econômica expandiu financiamento de bens e equipamentos, otimizou processos de concessão de crédito e assinou convênio com o Sebrae de capacitação gerencial. E o Banco do Brasil e o BNDES ofereceram diversos serviços bancários. Trabalhos Técnicos

3 55 Seguindo-se a pauta, foram apresentados, por fim, os trabalhos dos Comitês Temáticos (Comércio Exterior e Integração Internacional; Formação e Capacitação Técnica; Informação; Investimento e Financiamento; Comitê Temático Racionalização Legal e Burocrática; e Tecnologia e Inovação): 1. Comitê Temático COMÉRCIO EXTERIOR E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL, que tem como coordenador da iniciativa privada o senhor Leôncio Cardoso Neto, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Quanto ao coordenador do Governo, este ainda não foi indicado. Nas reuniões desse Comitê se fazem presentes, representando o Governo, Diretores de secretarias e departamentos ligados ao comércio exterior. - Proposta: Ampliação do limite das exportações, através da Declaração Simplificada de Exportação DSE, para US$ 50 mil. Objetivo: apoiar as exportações das MPE por meio de uma solução logística simplificada e de menor custo, além da simplificação nos procedimentos para habilitação de empresas no Sistema Integrado de Comércio Exterior (SISCOMEX). - Ação: Lançamento do 5º Boletim Estatístico: Exportação Brasileira por Porte de Empresa (incluídas as operações via DSE Declaração Simplificada de Exportação). Objetivo: o conhecimento detalhado do desempenho das MPE nas exportações possibilita identificar oportunidades de negócios. Conhecer de que forma, quando e o que as empresas comercializam permite a formulação de ações específicas, de forma a potencializar economicamente as especificidades de cada região. - Ação: Criação de um Grupo de Trabalho para elaborar a nova regulamentação do Capítulo referente aos Consórcios; mais especificamente, aos Consórcios de Exportação. Razão desse Grupo de Trabalho (GT): necessidade de edição de um novo decreto conferindo personalidade jurídica aos consórcios em geral (aos internos e aos de exportação). - Ação em Andamento: Capacitação de Agentes de Comércio Exterior e de Empresários de MPE. Objetivo: desenvolver programa nacional integrado de capacitação para o comércio exterior, envolvendo funcionários da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), da CEF e dos Correios e membros das comunidades locais por eles atendidas esforço esse alicerçado no escopo temático do incentivo à cultura exportadora e com base em iniciativas em curso por meio do Projeto Redeagentes: Capacitação de Fornecedores; Treinamento para Agentes de Comércio Exterior; Curso Básico de Exportação; e Treinamento em Exportação para Empresários de Pequeno Porte. Trabalhos Técnicos

4 56 2. Comitê Temático INFORMAÇÃO, que tem como coordenadores do Governo o senhor José Rincon Ferreira, da Secretaria de Tecnologia Industrial (STI)/MDIC, e da iniciativa privada o senhor Moacir Vidal, da Federação das Associações de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (FEMICRO/BA). - Ação: Distribuição do Informativo nº 6, do Fórum Permanente. Objetivo: levar informações sobre diversas questões de interesse do segmento das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, possibilitando aos empresários o acompanhamento das ações do Fórum Permanente e outros assuntos relevantes. - Ação: Criação de um Grupo de Trabalho para elaborar a nova regulamentação do art. 56, que trata de consórcios. Razão desse GT: necessidade de edição de um novo decreto conferindo personalidade jurídica aos consórcios. 3. Comitê Temático FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO EMPREENDEDORA, que tem como coordenadores do Governo o senhor Marcelo Aguiar dos Santos Sá e da iniciativa privada o senhor José Antônio Cipolla da Silva, da Fiesp. - Proposta: Assinatura do Protocolo de Intenções entre o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior e o Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT-UnB), voltado para o desenvolvimento de programas, projetos e atividades de ensino a distância, pesquisa e extensão, para Capacitação de Empresários e Trabalhadores de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Objetivo: possibilitar a elevação do nível de competitividade das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. 4. Comitê Temático INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO, que tem como coordenadores do Governo o senhor William Saab (do BNDES) e da iniciativa privada o senhor Reginaldo Galvão Cavalcanti, da Federação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte da Paraíba (FEMIPE). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco do Nordeste do Brasil, buscar redução das taxas de juros nas linhas de crédito para investimento e capital de giro. Objetivo: disponibilizar condições diferenciadas e preferenciais para as MPE, de modo a ampliar o acesso destas ao crédito (artigo 58 Capítulo IX da Lei Geral); Trabalhos Técnicos

5 57 - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Também com o Banco do Nordeste do Brasil, ampliação do acesso ao crédito através de linhas de crédito e programas voltados para segmentos (específicos) com forte concentração de MPE integradas a médias e grandes empresas. Objetivo: também disponibilizar condições diferenciadas e preferenciais para as MPE, de modo a ampliar o acesso destas ao crédito (artigo 58 Capítulo IX da Lei Geral). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Criar Parcerias entre o Banco do Nordeste do Brasil e o Sebrae, visando à implantação de metodologias destinadas à capacitação, à consultoria e ao acompanhamento de crédito das MPE. Objetivo: articular, com entidades que apóiam as MPE, promoção de a- ções complementares necessárias ao crédito (artigo 59 da Lei Geral). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco do Nordeste do Brasil, dar apoio ao processo de construção e implantação da Sociedade de Garantia de Crédito na área de atuação desse Banco. Objetivo: melhorar o acesso das MPE aos mercados de crédito (artigo 57 da Lei Geral). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco do Nordeste do Brasil, implantar estratégias de negócios direcionados às MPE, no Programa Nordeste Exportação. Objetivo: disponibilizar condições diferenciadas e preferenciais para as MPE, de modo a ampliar o acesso destas ao crédito (artigo 58 da Lei Geral). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco do Nordeste do Brasil, implantar projeto estratégico de revisão e simplificação do sistema normativo Flexibilização de Garantias. Objetivo: disponibilizar condições diferenciadas e preferenciais para as MPE, de modo a também ampliar o acesso destas ao crédito (artigo 58 da Lei Geral). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco do Brasil, lançamento de famílias de produtos para o Mercado, como BB Giro Rápido no Cartão Ourocard Empresarial, BB Giro Saúde; BB Giro de Arranjos Produtivos Locais (APL) e ACL Private Label (cartões de lojas ou de rede). Objetivo: adequação do portfólio do BB às necessidades das MPE. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Também com o Banco do Brasil, firmar um Pacote de Atratividades para as MPE. Objetivo: apoiar as MPE na formalização, bancarização e acesso ao crédito bancário. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Ainda com o Banco do Brasil, criar uma forma de apoio à participação das MPE em licitações. Objetivos: apoiar as MPE, ante as oportunidades advindas da Lei Geral, no que diz respeito a compras governamentais; ser parceiro das MPE que participarem de Trabalhos Técnicos

6 58 processos licitatórios; facilitar o acesso das empresas vencedoras ao crédito. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Ainda com o Banco do Brasil, capacitar funcionários desse Banco. Objetivo: qualificar e instrumentalizar os funcionários/bb que prestam atendimento às MPE no tocante aos produtos e aos serviços destinados a esse segmento. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Criar parcerias entre o Banco do Brasil e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (ANTROPEC) e entre o BB e outras Entidades representativas de incubadoras de empresas e de parques tecnológicos. Objetivo: convergir esforços para a facilitação do acesso ao crédito para as empresas vinculadas a incubadoras de empresas e a parques tecnológicos. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco do Brasil, criar o programa FCO Empresarial de Apoio às MPE. Objetivo: ampliar um a- tendimento creditício destinado exclusivamente às MPE localizadas na região Centro-Oeste do Brasil, por meio de financiamentos com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco da Amazônia, criar atendimento diferenciado para as MPE. Objetivo: estabelecer e oferecer condições às MPE com a implantação de uma nova regra de negócios na a- nálise de concessão de crédito. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco da Amazônia, criar diferenciação no atendimento. Objetivo: facilitar o acesso das MPE ao crédito. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Criar parcerias entre o Banco da Amazônia e o Sebrae Nacional. Objetivo: debater diretrizes e ações que visem à ampliação do atendimento do Banco da Amazônia às MPE, a estas permitindo, assim, maior acesso ao crédito e aos demais serviços desse Banco (artigo 59 da Lei Geral). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco da Amazônia, distribuir cartilhas com informações sobre produtos e serviços do Banco da Amazônia para as MPE. Objetivo: possibilitar maior aproximação do Banco com as entidades de representação do segmento de MPE em cada estado da Amazônia Legal, de forma a promover ações complementares de crédito. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o Banco da Amazônia, uniformizar linguagem entre os funcionários do Banco. Objetivo: promover ações de endomarketing junto à rede de agências do Banco da Amazônia, de forma a criar soluções para que os empregados possam atender os micro e pe- Trabalhos Técnicos

7 59 quenos empresários utilizando uma mesma linguagem. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Criar, com o BNDES, condições financeiras em operações de financiamento às MPE. Objetivo: conferir maior flexibilidade financeira às MPE solicitantes de financiamento no âmbito do BNDES. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Criar, com o BNDES, a inclusão de novos agentes financeiros para operar com o Cartão BNDES. Objetivo: incluir novos agentes financeiros passíveis de serem credenciados pelo BNDES a operar com o mencionado Cartão. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com o BNDES, ampliar a abrangência do Cartão BNDES. Objetivo: apoiar as MPE de forma mais intensa, de modo a possibilitar que insumos indispensáveis aos seus processos produtivos sejam financiáveis pelo Cartão BNDES. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com a CEF, criar a capacitação de uma visão integrada do cliente. Objetivo: capacitar gerentes para atuar como consultores de micro e pequenas empresas. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Criar convênio de cooperação técnica entre a CEF e o Sebrae. Objetivos: estabelecer ações voltadas para o fortalecimento da capacidade empresarial e da competitividade de micro e pequenas empresas por meio de instrumentos de capacitação técnica e gerencial; estabelecer ações para a ampliação do acesso ao crédito e aos serviços financeiros das MPE, para o aumento do intercâmbio de informações e para outras atividades correlatas, entre as empresas conveniadas, inclusive no atendimento aos negócios orientados para os Arranjos Produtivos Locais (APL). - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com a CEF, revisar e/ou otimizar o processo de concessão de crédito às MPE. Objetivos: alcançar maior agilidade no atendimento ao cliente e adequar as condições das operações ao segmento das MPE. - Ação: Programa de Aproximação Banco Empresa. Com a CEF expandir o portfólio de suas linhas de financiamento. Objetivo: ampliar o portfólio das operações destinadas ao financiamento de bens e equipamentos para as MPE. 5. Comitê Temático RACIONALIZAÇÃO LEGAL E BUROCRÁTICA, que tem como coordenador da iniciativa privada o senhor José Tarcísio, da Confederação Nacional das Entidades de Micro e Pequenas Empresas do Comércio e Serviços (CONEMPEC). O coordenador do Governo ainda não foi indicado. Trabalhos Técnicos

8 60 - Proposta: Regulamentação do art. 55 da Lei Complementar nº 123/2006 Da Fiscalização Orientadora, por meio de Portaria do Ministério do Trabalho e Emprego, estabelecer critérios e procedimentos para o cumprimento do referido artigo, bem como conceituar o grau de risco para as MPE, para os procedimentos de dupla visita e fiscalização orientadora quanto aos aspectos trabalhistas. Objetivo: construir parcerias com os órgãos do Governo e do setor privado para o cumprimento e a regulamentação dos dispositivos previstos no Estatuto Nacional das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. - Proposta: Assinatura da Portaria do Conselho Nacional das Instituições de Mediação e Arbitragem (CONIMA), recomendando às suas Filiadas o tratamento favorecido e diferenciado às MPE, conforme prevê o artigo 75, da Lei Complementar nº 123/2006 (Capítulo XII Do Acesso à Justiça). Objetivo: estimular as MPE a utilizar os institutos de conciliação prévia, mediação e arbitragem para a solução de conflitos. - Proposta: Assinatura do Protocolo de Intenções entre o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e o Ministério da Justiça (MJ), para a ampliação do acesso das MPE à conciliação prévia, mediação e arbitragem, juizados especiais e serviços cartoriais e notariais, em conformidade com os artigos 73, 74 e 75, da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de Objetivo: estimular as MPE a utilizar os institutos de conciliação prévia, mediação e arbitragem para a solução de conflitos. 6. Comitê Temático TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, que tem como coordenador do Governo o senhor Reinaldo Ferra, do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), e da iniciativa privada o senhor José Augustinho Fogliatto, da Federação da Micro e Pequena Empresa de Goiás (FEMPEG). - Ação: Ter em mente a Portaria do Ministério da Ciência e Tecnologia, estabelecendo procedimentos para a regulamentação dos artigos 66 e 67, da Lei Complementar nº 123/2006, que tratam do estímulo à inovação. Objetivo: estabelecer procedimentos, no âmbito do Ministério da Ciência e Tecnologia e de órgãos congêneres, para a regulamentação dos artigos 66 e 67 da Lei Complementar nº 1.234/2006, que tratam do estímulo à inovação. - Ação: Criar um Folder de divulgação da Ferramenta de Mapeamento da Cadeia de Fomento à Tecnologia e Inovação para as MPE. Objetivo: divulgar a ferramenta de mapeamento da cadeia de fomento à tecnologia e inovação por meio de um folder eletrônico e impresso, para orientar os empresários do seg- Trabalhos Técnicos

9 61 mento sobre informações disponíveis relacionadas ao fomento à tecnologia e i- novação para as MPE. Com base nas ações e objetivos traçados pelos Comitês (como acima declinados), a Secretaria Técnica do Fórum, por intermédio de sua Coordenação, na pessoa da senhora Cândida Maria Cervieri, procedeu: - à assinatura do Acordo de Cooperação Técnica celebrado entre o MDIC e o Sebrae, para fortalecimento da atuação do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, objetivando promover a estruturação de ações conjuntas para a construção de ambiente de negócios mais favoráveis à competitividade e ao desenvolvimento das MPE; - à distribuição de um Kit informativo do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, objetivando potencializar a disseminação da informação para as MPE por meio de um CD interativo (já distribuído na plenária); - à distribuição do Informativo nº 6, do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, objetivando potencializar a disseminação da informação para as MPE por meio de um informativo eletrônico; e - à implementação dos Fóruns Regionais nas Unidades da Federação, conforme previsto no artigo 76 da Lei Complementar nº 123/2006, objetivando incentivar e a- poiar a criação dos Fóruns Regionais nas Unidades da Federação, aumentando a representatividade do setor de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte e promovendo a implementação efetiva da Lei Complementar nº 123/2006 nos Estados e Municípios. Esses foram, em resumo, os trabalhos desenvolvidos pelo Fórum das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, durante o primeiro semestre de 2008 e dos quais participaram diretamente os Representantes desta CNC, por esta indicados em épocas próprias e oportunas para os Comitês que integram esse Fórum. Trabalhos Técnicos

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012

Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios. Curitiba, 20 de novembro de 2012 Plano Brasil Maior e as Micro e Pequenas Empresas Agenda de Ações para Competitividade dos Pequenos Negócios Curitiba, 20 de novembro de 2012 PBM: Dimensões Dimensão Estruturante: diretrizes setoriais

Leia mais

Permanente e os Fóruns F Regionais das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

Permanente e os Fóruns F Regionais das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria do Desenvolvimento da Produção Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas O Fórum F Permanente e os Fóruns F Regionais das

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014

Plano BrasilMaior 2011/2014 Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Agenda de Ações para a Competitividade dos Pequenos Negócios Dimensões do Plano Brasil Maior -Quadro Síntese Dimensão Estruturante:

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012. Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes.

SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012. Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes. SUMÁRIO EXECUTIVO COMITÊ TEMÁTICO INVESTIMENTO E FINANCIAMENTO JULHO/2012 Agenda Estratégica 2010 horizonte de 2 anos: Ampliar e fomentar a utilização dos Fundos Garantidores já existentes. Padronização

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

INTRODUÇÃO. Apresentação

INTRODUÇÃO. Apresentação ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO ATRICON 09/2014 DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO ATRICON 3207/2014: OS TRIBUNAIS DE CONTAS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL: CONTROLE DO TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS

Leia mais

DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Destaques Estratégicos: projetos e iniciativas PDP setembro/09 DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao

Leia mais

Agenda para Micro e Pequenas Empresas

Agenda para Micro e Pequenas Empresas Agenda para Micro e Pequenas Empresas As Micro e Pequenas Empresas (MPE) são de vital importância para o desenvolvimento econômico de Goiás, pois atuam em diversas atividades econômicas, tais como indústria,

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais

SECRETARIA NACIONAL DE PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO. Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos no Turismo

SECRETARIA NACIONAL DE PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO. Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos no Turismo SECRETARIA NACIONAL DE PROGRAMAS DE DESENVOLVIMENTO DO TURISMO Departamento de Financiamento e Promoção de Investimentos no Turismo Desenvolvimento do Turismo Promoção de Investimentos ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas e seus impactos

A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas e seus impactos Lei Complementar LC 123/2006 Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas e seus impactos Fórum AbineeTec 2011 Políticas Públicas Compras Governamentais

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE das microempresas e empresas de pequeno porte

FÓRUM PERMANENTE das microempresas e empresas de pequeno porte FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE 10ª Reunião Plenária Brasília, 28 de novembro de 2006. COMITÊ TEMÁTICO: COMÉRCIO EXTERIOR E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL Coordenador de Governo:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Investimento e Financiamento

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Investimento e Financiamento PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

Levantamento da Base. Industrial de Defesa. Levantamento da Base. Industrial de Defesa (BID) Reunião Plenária do COMDEFESA

Levantamento da Base. Industrial de Defesa. Levantamento da Base. Industrial de Defesa (BID) Reunião Plenária do COMDEFESA Levantamento da Base Industrial de Defesa (BID) Levantamento da Base Reunião Plenária do COMDEFESA Industrial de Defesa São Paulo, 05 de março de 2012 (BID) Reunião Ordinária ABIMDE São Bernardo do Campo,

Leia mais

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Núcleo de Capital Inovador Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Anápolis cenário atual Segunda maior cidade do estado, com mais de 335 mil habitantes; 4,7 bilhões de reais de produto interno bruto,

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME

XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América. Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME XIII Seminário Internacional de Países Latinos Europa-América Políticas de Facilitação de Créditos para o Desenvolvimento das PME Fortaleza, 30 de outubro de 2006 1 Sumário 1 - Mercado MPE 2 - Acesso ao

Leia mais

Rede Brasileira de Produção mais Limpa

Rede Brasileira de Produção mais Limpa Rede Brasileira de Produção mais Limpa Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável SENAI Sistema FIERGS Rede Brasileira de Produção mais Limpa PARCEIROS Conselho Empresarial Brasileiro

Leia mais

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento

Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Em busca da sustentabilidade na gestão do saneamento: instrumentos de planejamento Marcelo de Paula Neves Lelis Gerente de Projetos Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Planejamento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional

AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE. Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional AS COMPRAS GOVERNAMENTAIS E O SEBRAE Denise Donati Coordenadora do Projeto Compras Governamentais Sebrae Nacional Desafio Fomentar o Uso do Poder de Compra do Governo Junto aos Pequenos Negócios para Induzir

Leia mais

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo

e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Associação e a cooperação Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo e renda Superintendência Nacional Estratégia Competitividade das MPE Micro e Pequeno Empreendedorismo

Leia mais

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br

http://www.consultorpublico.com.br falecom@consultorpublico.com.br LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006. (ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE) O ESTATUTO NACIONAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE E O ESTADO E MUNICÍPIOS

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura SISTEMA NACIONAL DE CULTURA Processo de articulação, gestão, comunicação e de promoção conjunta de políticas públicas de cultura, mediante a pactuação federativa. Objetivo Geral do SNC Implementar políticas

Leia mais

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13

Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018. L RECyT, 8.11.13 Proposta de Programa- Quadro de Ciência, Tecnologia e Inovação 2014-2018 L RECyT, 8.11.13 Delineamento do Programa - Quadro Fundamentação Geral Programa público, plurianual, voltado para o fortalecimento

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO PARA O TURISMO LINHAS DE CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENA E MÉDIA EMPRESAS Novembro 2008 FUNGETUR Fundo Geral de Turismo Fomentar e prover recursos para o financiamento de atividades

Leia mais

Estatuto das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Lei nº 9.841/99)

Estatuto das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Lei nº 9.841/99) Estatuto das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Lei nº 9.841/99) A aprovação da Lei nº 9.841/99, de 05 de outubro de 1999, mais conhecida por "Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte",

Leia mais

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico SIBRATEC Instituído por meio do Decreto 6.259, de 20 de novembro de 2007 e complementado pela Resolução do Comitê Gestor SIBRATEC nº 001, de 17 de março de 2008, para atender as demandas específicas de

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

órgão nacional interveniente no comércio internacional

órgão nacional interveniente no comércio internacional MDIC órgão nacional interveniente no comércio internacional CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: KEEDI, Samir. ABC DO COMÉRCIO EXTERIOR. São Paulo: Aduaneiras, 2007. www.desenvolvimento.gov.br

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS Programas para fortalecer a competitividade PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho =

Leia mais

FÓRUM PERMANENTE BALANÇO DAS AÇÕES 2000-2007. das microempresas e empresas de pequeno porte

FÓRUM PERMANENTE BALANÇO DAS AÇÕES 2000-2007. das microempresas e empresas de pequeno porte MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS FÓRUM PERMANENTE das microempresas e empresas de

Leia mais

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL

Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL Propostas de Políticas OS PEQUENOS NEGÓCIOS COMO FORÇA INDUTORA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL CANDIDATOS A PREFEITOS E PREFEITAS MUNICIPAIS Pleito Eleitoral 2012 PROPOSTAS DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A PROMOÇÃO

Leia mais

Diretrizes para a Construção de uma Política Tecnológica com Foco na Inovação 1

Diretrizes para a Construção de uma Política Tecnológica com Foco na Inovação 1 Diretrizes para a Construção de uma Política Tecnológica com Foco na Inovação 1 No mundo atual, um dos campos prioritários de intervenção do Estado está sendo a promoção do desenvolvimento tecnológico,

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Anexo V - A Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Breve Histórico A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL RECYT, criada em 1992, realizou a sua primeira

Leia mais

DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs QATC2

DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs QATC2 DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs QATC2 Resolução Atricon 02/2014 Controle Externo Concomitante Coordenador: Cons. Valter Albano da Silva TCE/MT Resolução Atricon 09/2014 LC123/2006

Leia mais

São Paulo, 25 de abril de 2013.

São Paulo, 25 de abril de 2013. São Paulo, 25 de abril de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Luiz Edson Feltrim, na SME Banking Conference 2013 1 Dirijo saudação especial a Sra. Ghada Teima, IFC Manager

Leia mais

PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO.

PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO. PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E A INOVAÇÃO. Nascimento do Microcrédito no Mundo Nascimento do Microcrédito na Paraíba VERSÃO ARRETADA Geração de Emprego e Renda Capacitação e Qualificação

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

XXVIII Reunião do Subgrupo de Trabalho 7º Indústria COMISSÃO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS E ARTESANATO

XXVIII Reunião do Subgrupo de Trabalho 7º Indústria COMISSÃO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS E ARTESANATO MERCOSUL/SGT Nº 7/ ATA Nº 03/06 XXVIII Reunião do Subgrupo de Trabalho 7º Indústria COMISSÃO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS E ARTESANATO Realizou-se em Brasília, República Federativa do Brasil, no

Leia mais

Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte

Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Financiamento no Âmbito do Programa de Incentivo à Implementação de Projetos de Interesse Social - PIPS (Lei nº 10.735, de 2003)

Financiamento no Âmbito do Programa de Incentivo à Implementação de Projetos de Interesse Social - PIPS (Lei nº 10.735, de 2003) Programa 0902 Operações Especiais: Financiamentos com Retorno Justificativa Operações Especiais: Financiamentos com Retorno Público Alvo Operações Especiais: Financiamentos com Retorno Ações Orçamentárias

Leia mais

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES Em atendimento à Decisão Normativa TCU no. 96 de 04/03/2009, especificamente quanto ao conteúdo expresso em seu Anexo II, letra A, item 16, cabe registrar as seguintes atividades:

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC

Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Instituto Euvaldo Lodi de Santa Catarina IEL/SC Uma estrutura de apoio à Inovação Eliza Coral, Dr. Eng., PMP Outubro, 2010 Diretrizes Organizacionais Missão Contribuir para o desenvolvimento sustentável

Leia mais

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob.

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob. 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA Considerando a importância de efetivar a gestão integrada de recursos hídricos conforme as diretrizes gerais de ação estabelecidas na Lei 9.433, de 8.01.1997, a qual institui

Leia mais

FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ

FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ MISSÃO DO FÓRUM REGIONAL Promover, articular e integrar governo, entidades de apoio e de representação visando

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho = destaques para novas

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: 25/05/2011

A Mobilização Empresarial pela Inovação: 25/05/2011 A Mobilização Empresarial pela Inovação: Desafios da Inovação no Brasil Rafael Lucchesi Rafael Lucchesi 25/05/2011 CNI e vários líderes empresariais fizeram um balanço crítico da agenda empresarial em

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas. Projeto de Compras Governamentais

Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas. Projeto de Compras Governamentais Como comprar mais e melhor das Micro e Pequenas Empresas Projeto de Compras Governamentais 2º Seminário Internacional sobre Compras e Contratações Sustentáveis Agosto/2014 Maria Aparecida Rosa Vital Brasil

Leia mais

Princípios ref. texto nº de votos N

Princípios ref. texto nº de votos N Princípios N G A E Estimular os processos de articulação de políticas públicas nos territórios, garantindo canais de diálogo entre os entes federativos, suas instituições e a sociedade civil. Desenvolvimento

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE

VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE VI FIPEN CONVÊNIO PETROBRAS SEBRAE PETROBRAS - REGAP Contagem 19 de outubro de 2011 Iniciativas de Qualificação - PROMINP PROMINP O PROMINP (Programa de Mobilização da Indústria Nacional do Petróleo e

Leia mais

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Santa Maria, 15 de Outubro de 2012 Pauta: 1) Contexto da Economia Criativa no Brasil de acordo com o Plano da Secretaria da Economia Criativa

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO INOVAÇÃO E PROJETOS ESTRATÉGICOS. Ações de Apoio ao Desenvolvimento Local

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO INOVAÇÃO E PROJETOS ESTRATÉGICOS. Ações de Apoio ao Desenvolvimento Local SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO INOVAÇÃO E PROJETOS ESTRATÉGICOS Ações de Apoio ao Desenvolvimento Local Eixos de Ação - SMD Empreende Santa Maria - LC 37/2006 Desenvolvimento sustentável do município;

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Disseminar a cultura empreendedora e inovadora em Santa Maria Ações de disseminação da Cultura Empreendedora Ações de trabalho conjunto entre Universidades e Comunidade Divulgação do trabalho pelo CEI

Leia mais

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação.

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação. A Finep -A FINEP Agência Brasileira da Inovação -é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em 24 de julho de 1967. -Seu objetivo é atuar em toda a cadeia

Leia mais

Favela como Oportunidade: Plano de Desenvolvimento das Favelas para sua Inclusão Social e Econômica

Favela como Oportunidade: Plano de Desenvolvimento das Favelas para sua Inclusão Social e Econômica ESTUDOS E PESQUISAS Nº 457 Favela como Oportunidade: Plano de Desenvolvimento das Favelas para sua Inclusão Social e Econômica Walsey de Assis Magalhães * Fórum Nacional (Sessão Especial) Novos Caminhos

Leia mais

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s SeminárioADI-2012 Inclusão financeira inovação para as MPE s Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Barcelona Outubro 2012 1. Diagnóstico Não

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação. Política de Informação Pública

V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação. Política de Informação Pública V CINFORM Encontro Nacional de Ciência da Informação Política de Informação Pública Salvador, 28 a 30 de junho de 2004 Política de Informação Pública Inclusão Digital de Micro e Pequeno Empresa Telecentros

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais

GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO

GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO Reunião Plenária do GTP-APL GOVERNANÇA E COOPERAÇÃO Brasília, 19 de agosto de 2010 SEBRAE Governança Envolve uma rede de diferentes agentes - governos, instituições financeiras, instituições de ensino

Leia mais

A Parceria Apex-Brasil e RENAI

A Parceria Apex-Brasil e RENAI A Parceria Apex-Brasil e RENAI Mário Neves Coordenador-Geral da Rede Nacional de Informações sobre o Investimento Alexandre Petry Gerente de Promoção e Facilitação de Investimentos da Apex-Brasil Ciclo

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado DECRETO Nº 7.291/2013 (Revogado pelo Decreto 11.468/2014) Publicado no DOE 8902 de 21.02.2013 Súmula: Cria o Programa Paraná Competitivo - SEDS. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições

Leia mais

1 Disseminar a cultura de empreender e inovar, fortalecendo as ações do Comitê de Empreendedorismo e Inovação (CEI)

1 Disseminar a cultura de empreender e inovar, fortalecendo as ações do Comitê de Empreendedorismo e Inovação (CEI) Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Visão: "Que em 2020 Santa Maria e região sejam referência pela capacidade de empreender,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Tecnologia e Inovação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de Tecnologia e Inovação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.707, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração

Leia mais

Sistema produtivo e inovativo de software e serviços de TI brasileiro: Dinâmica competitiva e Política pública

Sistema produtivo e inovativo de software e serviços de TI brasileiro: Dinâmica competitiva e Política pública Conferência Internacional LALICS 2013 Sistemas Nacionais de Inovação e Políticas de CTI para um Desenvolvimento Inclusivo e Sustentável 11 e 12 de Novembro, 2013 - Rio de Janeiro, Brasil Sistema produtivo

Leia mais

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação

Projeto Extensão Industrial Exportadora. Título da apresentação Título da apresentação DEFINIÇÃO: É um sistema de resolução de problemas técnico-gerenciais e tecnológicos que visa incrementar a competitividade e promover a cultura exportadora empresarial e estrutural

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO Objetivo: O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores

Leia mais

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE Dados do Formulário sobre os investimentos das

Leia mais

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA.

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. FICHA TÉCNICA Coordenação de População e Indicadores Sociais: Bárbara Cobo Soares Gerente de Pesquisas e Estudos Federativos: Antônio

Leia mais

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO

Edital para Exposição de Oportunidades de Negócios na 5ª Edição da SEMANA SEBRAE DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2015 I DA CONVOCAÇÃO II DO EVENTO I DA CONVOCAÇÃO O SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEBRAE/RJ, entidade associativa de direito privado, sem fins lucrativos, comunica e convida empresas do setor

Leia mais

SECRETARIA DE INOVAÇÃO

SECRETARIA DE INOVAÇÃO SECRETARIA DE INOVAÇÃO EDITAL Nº 01, DE 30 DE JANEIRO DE 2013 SEGUNDA CHAMADA PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS DE COOPERAÇÃO TECNOLÓGICA ENTRE BRASIL E ISRAEL O SECRETÁRIO DE INOVAÇÃO DO MINISTÉRIO DO

Leia mais

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br

Pequenos Negócios no Brasil. Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br Pequenos Negócios no Brasil Pequenos Negócios no Brasil Clique no título para acessar o conteúdo, ou navegue pela apresentação completa Categorias de pequenos negócios no Brasil Micro e pequenas empresas

Leia mais

As compras compartilhadas no Governo Federal

As compras compartilhadas no Governo Federal As compras compartilhadas no Governo Federal Delfino Natal de Souza Secretário de Logística e Tecnologia da Informação MAIS RÁPIDO DESENV. SUSTENTÁVEL MELHOR SEGMENTOS ESTRATÉGICOS CUSTO USO DO PODER DE

Leia mais

ANEXO I SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES EM ECONOMIA SOLIDÁRIA (SIES) TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES EM ECONOMIA SOLIDÁRIA (SIES) TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES EM ECONOMIA SOLIDÁRIA (SIES) TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO O Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária tem entre

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal do Município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal do Município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010 Estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no Município de Santa Maria e dá outras providências. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER,

Leia mais