Nome: Expedição 62 Santo Isidro. Agrupamento 379 A- dos- Cunhados. Áreas Desenvolvimento. Trilhos Aliança Rumo Descoberta

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nome: Expedição 62 Santo Isidro. Agrupamento 379 A- dos- Cunhados. Áreas Desenvolvimento. Trilhos Aliança Rumo Descoberta"

Transcrição

1 Nome: Áreas Desenvolvimento Trilhos Aliança Rumo Descoberta Relacionamento e Sensibilidade Afectivo Equilíbrio Emocional Autoestima Autonomia Carácter Responsabilidade Expedição 62 Santo Isidro. Agrupamento 379 A- dos- Cunhados Espiritual Físico Coerência Descoberta Aprofundamento Serviço Desempenho Autoconhecimento Bem-estar físico Procura do Conhecimento Intelectual Resolução de problemas Criatividade Expressão Cidadania Social Solidariedade Interação e cooperação

2 Como escolho o meu percurso? 9"%"!#$.,!,$+,!5-$*,!2$!2$,$.)"1)+%$.#"3!$%!4*2*!$#*&*!2$!&-">-$,,"! 42 Durante!!"!#$%&"!'($!)*+,!$,#*-!.",!/0&1"-*2"-$,3!#$.,!2$!4-$,4$-!$%!,$+,! 5-$*,!2$!2$,$.)"1)+%$.#"!'($!,6"!789/:;! %&'()*+%,$-&'(.&/0%,+/'(1#2$/$,3&4'(56,+4+%,3&4(+(78%$&4999 8!&-+%$+-*!4"+,*!*!D*E$-!,$-5!-$(.+-!4"%!"!#$(!A(+*!$!*!#(*!$'(+&*!2$! Como escolho o meu percurso?! Estas nos escuteiros para cresceres para seres mais Durante o tempo que vais estar nos Exploradores, e melhor!. tens de crescer em seis áreas de desenvolvimento... /%!#-C,!$#*&*,3!#$-5,!2$!4(%&-+-!#"2"!"!,+,#$%*!2$!&-">-$,,"B! Para avançares no sistema de progresso, es tú que escolhes o teu $%!'($!,+.#*,!'($!?!+%&"-#*.#$!#(!4-$,4$-$,B! percurso, com o apoio do teu Guia, da tua Patrulha e da tua equipa de animação. Como escolho o meu percurso? Em três etapas, terás de cumprir todo o sistema de progresso. As 9"%"!#$.,!,$+,!5-$*,!2$!2$,$.)"1)+%$.#"3!$%!4*2*!$#*&*!2$!&-">-$,,"! etapas são: 8!&-+%$+-*!4"+,*!*!D*E$-!,$-5!-$(.+-!4"%!"!#$(!A(+*!$!*!#(*!$'(+&*!2$! Aliança Rumo Descoberta 43 Em cada etapa tens de escolher um trilho de cada área de desenvolvimento em que sintas que é importante tu cresceres..",!/0&1"-*2"-$,3!#$.,!2$!4-$,4$-!$%!,$+,! $!,6"!789/:;! Como tens seis áreas de desenvolvimento, em cada etapa de progresso terás que escolher seis trilhos. $/$,3&4'(56,+4+%,3&4(+(78%$&4999 #$!#(!4-$,4$-$,B! Estas nos escuteiros para cresceres para seres mais e melhor!. 43

3 ! 12#-.&/) 456!7(+0/(+#.(*+#!&(+!(!8#+*#,.%/!#!&/#,&'+#)*.(!1(!9/-0(:!+%).#)1(!-+%!/#$%3;(!%+'9<=#$! &(+!(,!(-./(,!#$#+#).(,6 3$"4-.#" N%3(!# "#$%&'()(*+#! 0%/%!% Relacionamento &(+!(,!(-./(,! )(!,#'(!1%!+#,+%6 e Sensibilidade &%+') A1. /#,0#'.%)1(!%,! Comprometo-me 4C6! DE0/#,,(! com ').#/#,,#! o bem-estar #! #,0B/'.(! e &/B.'&(! crescimento 0(/! -+%! do grupo, mantendo uma relação 1'2#/#)3%, amigável com 2(/+%!1#!%/.#6 os outros elementos. A2. Valorizo a minha 4F6!4&#'.(!%,!1'2#/#).#,!2(/+%,!1#!1#+(),./%/!,#)* família e assumo o meu papel no seio da mesma. A3. Expresso e espírito crítico por uma forma de arte. A4. Aceito as diferentes formas de demonstrar sentimentos, nos rapazes e nas raparigas. G#'!9#/'/!%, 4I6!"#&()A#3(!#!#E0/'+(!%,!+')A%,!#+(3H#,!&(+! 4,,-+ %"&''() *+,#-.&/)0 %"&''() +')A%,!#+(3H#, )%.-/%$'1%1#!#!,#+!+%9(%/!(,!(-./(,6 +')A%, 456!7(+0/(+#.(*+#!&(+!(!8#+*#,.%/!#!&/#,&'+#)*! 4K6!4,,-+(!%,!+')A%,!J-%$'1%1#,!#!1#2#'.(,6.(!1(!9/-0(:!+%).#)1(!-+%!/#$%3;(!%+'9<=#$! 12#-.&/) 7()A#3(*+#!#! 4L6!"#&()A#3(!(,!+#-,!#//(,!#!0/(&-/(!&(//'9'*$(,6 &(+!(,!(-./(,!#$#+#).(,6 3$"4-.#" N%3(!# J-#/(!,#/!+#$A(/ "#$%&'()(*+#! 4M6!D+0#)A(*+#!#+!-$./%0%,,%/!%,!+')A%,!1'2'&-$* 0%/%!% Equilíbrio &(+!(,!(-./(,! emocional 1%1#,!#!+#$A(/%/!.-1(!(!J-#!.#)A(!1#!8(+6 )(!,#'(!1%!+#,+%6 &%+') A5. /#,0#'.%)1(!%,! Reconheço 4C6! e exprimo DE0/#,,(! ').#/#,,#! as minhas #! #,0B/'.(! emoções &/B.'&(! com 0(/! -+%! naturalidade e sem magoar os?'=(!1 outros. 1'2#/#)3%, 2(/+%!1#!%/.#6 %"&''() *+,#-.&/)0 &(+!% %"&''() 4F6!4&#'.(!%,!1'2#/#).#,!2(/+%,!1#!1#+(),./%/!,#)* 456!7(+0/(+#.(*+#!&(+!(!8#+*#,.%/!#!&/#,&'+#)* 12#-.&/) &(+!(,!(-./(,!#$#+#).(,6 G#'!9#/'/!%, 4I6!"#&()A#3(!#!#E0/'+(!%,!+')A%,!#+(3H#,!&(+! "#$%&'()(*+#! +')A%,!#+(3H#, )%.-/%$'1%1#!#!,#+!+%9(%/!(,!(-./(,6 Autoestima &(+!(,!(-./(,! )(!,#'(!1%!+#,+%6 A6. /#,0#'.%)1(!%,! Assumo as 4K6!4,,-+(!%,!+')A%,!J-%$'1%1#,!#!1#2#'.(,6 4C6! minhas DE0/#,,(! qualidades ').#/#,,#! #! e #,0B/'.(! defeitos. &/B.'&(! 0(/! -+%! A7. 7()A#3(*+#!#! 1'2#/#)3%, Reconheço 4L6!"#&()A#3(!(,!+#-,!#//(,!#!0/(&-/(!&(//'9'*$(,6 os 2(/+%!1#!%/.#6 meus erros e procuro corrigi-los. A8. J-#/(!,#/!+#$A(/ Empenho-me 4M6!D+0#)A(*+#!#+!-$./%0%,,%/!%,!+')A%,!1'2'&-$* 4F6!4&#'.(!%,!1'2#/#).#,!2(/+%,!1#!1#+(),./%/!,#)* em ultrapassar as minhas dificuldades e melhorar tudo o que tenho %"&''() de bom. *+,#-.&/)0 756!7()A#3(!#!&(+0/##)1(!%!O#'!1(!D,&-.%!#!(,! 3$"4-.#" G#'!9#/'/!%, +')A%,!#+(3H#, N%3(!#,&($A%,! 4I6!"#&()A#3(!#!#E0/'+(!%,!+')A%,!#+(3H#,!&(+! 7>6!4,,-+(!%,!+')A%,!(0')'H#,:!0%/.'&'0%)1(:!%&.'* )%.-/%$'1%1#!#!,#+!+%9(%/!(,!(-./(,6 0%/%!%8/'/! &%+')A(,! 4K6!4,,-+(!%,!+')A%,!J-%$'1%1#,!#!1#2#'.(,6 7C6!D,&($A(!#!0%/.'&'0(!#+!%&.'='1%1#,!J-#!+#!%Q-* Autonomia 7()A#3(*+#!#! 4L6!"#&()A#3(!(,!+#-,!#//(,!#!0/(&-/(!&(//'9'*$(,6 1%+!%!&/#,&#/6 C1. J-#/(!,#/!+#$A(/ Conheço e 4M6!D+0#)A(*+#!#+!-$./%0%,,%/!%,!+')A%,!1'2'&-$* compreendo a Lei do Escuta e os Princípios. C2. Assumo as minhas 7F6!R#,#+0#)A(!(!0%0#$!J-#!+#!S!%./'8-B1(!1#)./(! 1%1#,!#!+#$A(/%/!.-1(!(!J-#!.#)A(!1#!8(+6 opiniões, participando activamente nas decisões que me dizem respeito. 1(,!9/-0(,!%!J-#!0#/.#)3(!&(+!/#,0(),%8'$'1%* C3. %"&''() Escolho e participo *+,#-.&/)0 1#!#!#+0#)A(6 em actividades que me ajudam a crescer. 756!7()A#3(!#!&(+0/##)1(!%!O#'!1(!D,&-.%!#!(,! 4,,-+(!%, 7I6!T;(!1#,%)'+(!0#/%).#!%,!1'2'&-$1%1#,!#!0/(&-* +')A%,!#,&($A%, /(!,#+0/#!%0/#)1#/!&(+!#$%,6 3$"4-.#" N%3(!#,&($A%,! 7>6!4,,-+(!%,!+')A%,!(0')'H#,:!0%/.'&'0%)1(:!%&.'* 7K6!P/#=#Q(!%,!&(),#J-U)&'%,!J-#!%,!+')A%,!%&3H#,V 0%/%!%8/'/! 1#&',H#,!.U+!)%!='1%!1(,!9/-0(,!1#!J-#!2%3(! &%+')A(,! 7C6!D,&($A(!#!0%/.'&'0(!#+!%&.'='1%1#,!J-#!+#!%Q-* 0%/.#6 Responsabilidade 1%+!%!&/#,&#/6 C4. Desempenho o papel que me é atribuído dentro dos grupos a que pertenço 7L6!R#2#)1(!%,!'1#'%,!#!&(+0(/.%+#).(,!J-#!+#! com responsabilidade 7F6!R#,#+0#)A(!(!0%0#$!J-#!+#!S!%./'8-B1(!1#)./(! e empenho. C5.?'=(!1#!%&(/1(! Não desanimo 0%/#&#+!&(//#&.(,6 1(,!9/-0(,!%!J-#!0#/.#)3(!&(+!/#,0(),%8'$'1%* perante as dificuldades e procuro sempre aprender com elas. C6. &(+!%,!+')A%,! Prevejo as consequências 7M6!R#+(),./(!J-#!(,!+#-,!&(+0(/.%+#).(,!1'<* 1#!#!#+0#)A(6 que as minhas acções/decisões têm na vida dos grupos '1#'%, /'(,!#,.;(!1#!%&(/1(!&(+!%!O#'!1(!D,&-.%!#!(,! 4,,-+(!%, de que faço 7I6!T;(!1#,%)'+(!0#/%).#!%,!1'2'&-$1%1#,!#!0/(&-* parte. +')A%,!#,&($A%, /(!,#+0/#!%0/#)1#/!&(+!#$%,6 7K6!P/#=#Q(!%,!&(),#J-U)&'%,!J-#!%,!+')A%,!%&3H#,V 1#&',H#,!.U+!)%!='1%!1(,!9/-0(,!1#!J-#!2%3(! 3$"4-.#" N%3(!# 4,,-+ 0%/%!% +')A%, &%+')?'=(!1 4,,-+ &(+!% +')A%, '1#'%,?'=(!1 &(+!% '1#'%,

4 2 3$"4-.#" N%3(!#,&($A%,! 0%/%!%8/'/! &%+')A(,! 756!7()A#3(!#!&(+0/##)1(!%!O#'!1(!D,&-.%!#!(,! 7>6!4,,-+(!%,!+')A%,!(0')'H#,:!0%/.'&'0%)1(:!%&.'* 7C6!D,&($A(!#!0%/.'&'0(!#+!%&.'='1%1#,!J-#!+#!%Q-* Coerência 1%+!%!&/#,&#/6 C7. Defendo as ideias e comportamentos que me parecem correctos. C8. Demonstro que os meus comportamentos diários estão de acordo com a Lei 7F6!R#,#+0#)A(!(!0%0#$!J-#!+#!S!%./'8-B1(!1#)./(! do Escuta e os Princípios. 1(,!9/-0(,!%!J-#!0#/.#)3(!&(+!/#,0(),%8'$'1%* 345& /#'()6#& )& $#78"))'.#& *& (0129"0*&.#1& ()"901& 1#!#!#+0#)A(6 :%)&8"#$%"*"*7&*;$*'6*"&*&<)""*&!"#7)20.*=&*& 4,,-+(!%, 7I6!T;(!1#,%)'+(!0#/%).#!%,!1'2'&-$1%1#,!#!0/(&-* 102&"&.3$' 8*"20"&.*&>;0*'6*5 +')A%,!#,&($A%, /(!,#+0/#!%0/#)1#/!&(+!#$%,6 %"#&$#'()$)"& *&7)'1*,)7&$#'20.*&'*1& 7K6!P/#=#Q(!%,!&(),#J-U)&'%,!J-#!%,!+')A%,!%&3H#,V *&+,")-*&.)&/"012# Descoberta 1#&',H#,!.U+!)%!='1%!1(,!9/-0(,!1#!J-#!2%3(! 3C5& :%)& 1#7#1& +,")-*& )& :%)& ');*& 2#.#1& E1. Conheço e compreendo 0%/.#6 2)7#1&%7&8*8);&*&.)1)78)'(*"5 a história dos heróis que procuraram alcançar a Terra Prometida, a partir da Aliança. E2. Conheço e percebo 7L6!R#2#)1(!%,!'1#'%,!#!&(+0(/.%+#).(,!J-#!+#! a mensagem contida nas parábolas e milagres de Jesus 3J5& K)0& :%)& 7)& ");*$0#'#& $#7& D)%1& 1)78")& :%)& Cristo.?'=(!1#!%&(/1(! 0%/#&#+!&(//#&.(,6 L*6#&#"*6I#&8)11#*;&)&8*"20$08#&'*&#"*6I#&$#M E3. &(+!%,!+')A%,! Descubro que 7M6!R#+(),./(!J-#!(,!+#-,!&(+0(/.%+#).(,!1'<* somos Igreja e que nela todos temos um papel a desempenhar. 7%'02A"0*5 '1#'%, 345& /'(,!#,.;(!1#!%&(/1(!&(+!%!O#'!1(!D,&-.%!#!(,! /#'()6#& )& $#78"))'.#& *& (0129"0*&.#1& ()"901& 3N5&+'2),"#M7)&$*.*&F)O&7*01&'*&70'(*&$#7%'0.*M :%)&8"#$%"*"*7&*;$*'6*"&*&<)""*&!"#7)20.*=&*& 102&"&.3$' 8*"20"&.*&>;0*'6*5 %"#&$#'()$)"& #1&1*$"*7)'2#1&:%)&*&+,")-*&7)&8"#8P)5 *&+,")-*&.)&/"012# 3Q5&+.)'20L0$#&*1&8"0'$08*01&.0L)")'6*1&)&1)7);(*'M Aprofundamento 3C5& 6*1&)'2")&*1&");0,0P)15 :%)& 1#7#1& +,")-*& )& :%)& ');*& 2#.#1& E4. Sei que me relaciono 2)7#1&%7&8*8);&*&.)1)78)'(*"5 com Deus sempre que faço oração pessoal e participo na oração comunitária. E5. Integro-me 3S5&/%0.#&)&8"#2)-#&*&'*2%")O*&$#'1$0)'2)&.)&:%)& cada vez mais na minha comunidade paroquial, através da catequese, 3J5& K)0& :%)& 7)& ");*$0#'#& $#7& D)%1& 1)78")& :%)& celebrando os sacramentos 011#&H&078#"2*'2)&8*"*&*&F0.*&.*1&8)11#*15 que a Igreja me propõe. L*6#&#"*6I#&8)11#*;&)&8*"20$08#&'*&#"*6I#&$#M 51 E6. Identifico as principais diferenças e semelhanças entre as religiões. *&8*O&'*&R#*& 3T5&G*;#&.*&70'(*&F0FU'$0*&)7&$#7%'0.*.)&)&$#'F0M 345& 7%'02A"0*5 /#'()6#& )& $#78"))'.#& *& (0129"0*&.#1& ()"901& >$6I# 3N5&+'2),"#M7)&$*.*&F)O&7*01&'*&70'(*&$#7%'0.*M.#&#%2"#1&*&8*"20$08*"5 :%)&8"#$%"*"*7&*;$*'6*"&*&<)""*&!"#7)20.*=&*& 102&"&.3$' 8*"20"&.*&>;0*'6*5 %"#&$#'()$)"& #1&1*$"*7)'2#1&:%)&*&+,")-*&7)&8"#8P)5 Objectivos Educativos da II Secção *&+,")-*&.)&/"012# 3Q5&+.)'20L0$#&*1&8"0'$08*01&.0L)")'6*1&)&1)7);(*'M Serviço 3C5& 6*1&)'2")&*1&");0,0P)15 :%)& 1#7#1& +,")-*& )& :%)& ');*& 2#.#1& E7. Cuido e protejo 2)7#1&%7&8*8);&*&.)1)78)'(*"5 a Natureza, consciente de que isso é importante para a vida das pessoas. E8. Falo da minha vivência em comunidade e convido outros a participar. >> :"-66;( 0&12&/,3/, S5&/%0.#&)&8"#2)-#&*&'*2%")O*&$#'1$0)'2)&.)&:%)& 3J5& <)=#'*-0(& K)0& :%)& 7)& ");*$0#'#& $#7& D)%1& 1)78")& :%)& 011#&H&078#"2*'2)&8*"*&*&F0.*&.*1&8)11#*15 L*6#&#"*6I#&8)11#*;&)&8*"20$08#&'*&#"*6I#&$#M *&8*O&'*&R#*& 6&$63"/+1/(#4%+1/ 3T5&G*;#&.*&70'(*&F0FU'$0*&)7&$#7%'0.*.)&)&$#'F0M 7%'02A"0*5 4%+1/7+8+7#,+,31/3/2&"4&5(3/(+#1/AB#$C/=$3D>63$/ >>+,&-'( >$6I# 7+8+7#,+,31 3N5&+'2),"#M7)&$*.*&F)O&7*01&'*&70'(*&$#7%'0.*M.#&#%2"#1&*&8*"20$08*"5 3/,313(E+"+-+,&; E0F#&*&GH&/"012I Desempenho '&4%3-&5(3 #1&1*$"*7)'2#1&:%)&*&+,")-*&7)&8"#8P)5 F1. 3/+73#2&/+1 Pratico actividades físicas em que testo as minhas capacidades e torno-me mais ágil, flexível e desembaraçado. 9H;/'&4%3-&/&/,#=3"3423/"#2(&/,3/7"317#(342&/,&1/ 6*1&)'2")&*1&");0,0P)15 &7&""3(/3(/(#( *&8*O&'*&R#*& >$6I# *#6&/,3/=&"(+/ 3S5&/%0.#&)&8"#2)-#&*&'*2%")O*&$#'1$0)'2)&.)&:%)& 011#&H&078#"2*'2)&8*"*&*&F0.*&.*1&8)11#*15 3T5&G*;#&.*&70'(*&F0FU'$0*&)7&$#7%'0.*.)&)&$#'F0M 9M;/N1=&"-&5(3/8&"/23"/E&( &/3/234%&/%AE#5.#&#%2"#1&*&8*"20$08*"5 %"&''() %"# 1)78") %"# %"&''() :%*'.# K#%&$"0 %" :%*'.# 1)78" 1)'2#&* 8)'1#& %" %"&''() :%*'. K#%&$" %" :%*'. 1)78" 1)'2#& 8)'1# %" :%*'. K#%&$" :%*'. 1)'2#& 8)'1#

5 :"-66;( <)=#'*-0(& >> >>+,&-'( 0&12&/,3/, &$63"/+1/(#4%+1/ 4%+1/7+8+7#,+,31/3/2&"4&5(3/(+#1/AB#$C/=$3D>63$/ 7+8+7#,+,31 3/,313(E+"+-+,&; Autoconhecimento '&4%3-&5(3 F2. 3/+73#2&/+1 Aceito que o corpo está a mudar e respeito os diferentes ritmos de desenvolvimento 9H;/'&4%3-&/&/,#=3"3423/"#2(&/,3/7"317#(342&/,&1/ quando me comparo com os outros. F3. &7&""3(/3(/(#( Conheço o diferente "+8+I31/3/"+8+"#B+1/3/"3183#2&/&/318+-&/8"J8"#&/ ritmo de crescimento dos rapazes e raparigas e respeito o espaço próprio cada um. :"-66;( <)=#'*-0(& >> >>+,&-'( 0&12&/,3/, &$63"/+1/(#4%+1/ 7+8+7#,+,31 *#6&/,3/=&"(+/ Objectivos Educativos da II Secção 4%+1/7+8+7#,+,31/3/2&"4&5(3/(+#1/AB#$C/=$3D>63$/ 3/,313(E+"+-+,&; 9M;/N1=&"-&5(3/8&"/23"/E&( &/3/234%&/%AE#5 '&4%3-&5(3 Bem-estar físico (#4%+/1+O,3; 3/+73#2&/+1 F4. Sei equilibrar minhas actividades físicas com o descanso e uma alimentação saudável. 9H;/'&4%3-&/&/,#=3"3423/"#2(&/,3/7"317#(342&/,&1/ &7&""3(/3(/(#( F5. Esforço-me por "+8+I31/3/"+8+"#B+1/3/"3183#2&/&/318+-&/8"J8"#&/ ter bom aspecto e tenho hábitos que contribuem para a minha F6. Identifico e evito comportamentos e substâncias prejudiciais à saúde. %"&''() *#6&/,3/=&"(+/ *+,#-.&/)0 +45& #& 7%'.#& :%)& 7)& "#.)0*=& *& 9M;/N1=&"-&5(3/8&"/23"/E&( &/3/234%&/%AE#5 8*"20"&.*1&70'(*1&)V8)"0U'$0*15 +?5& /#'()6#& )& %20;0O#&.0L)")'2)1& 7)0#1&.)& ")$#;(*& (#4%+/1+O,3;.*&0'L#"7*6I#5 Procura 1)78")&7*01 do Conhecimento +C5& *1& 70'(*1& *820.P)1& )& *8"#L%'.#& #1& I1. Procuro descobrir o mundo que me rodeia, a partir das minhas experiências. *11%'2#1&:%)&7)&0'2)")11*7&)&8#.)7&1)"&W2)01& I2. Conheço e utilizo diferentes meios de recolha da informação. '#&L%2%"#5 I3. Descubro as minhas aptidões e aprofundo os assuntos que me interessam e podem ser úteis no futuro. 49 %"&''() %"#&1#;%6P)1& :%*'.#&0.)'20L0$#& *+,#-.&/)0 +J5&3'L")'2#&102%*6P)1&'#F*1&%1*'.#&#&:%)& +45& &&&&&&*8")'.05 #& 7%'.#& :%)& 7)& "#.)0*=& *& +N5& 8*"20"&.*1&70'(*1&)V8)"0U'$0*15 /#'10,#& 0.)'20L0$*"=&.)& L#"7*& #",*'0O*.*=& *1& +?5& /#'()6#& %20;0O#&.0L)")'2)1& 7)0#1& ")$#;(*& Resolução 1)78")&7*01 K#%&$"0*20F#& de +C5& +Q5&>$)02#&.)1*L0#1&:%)&7)&L*O)7&07*,0'*"&)&$"0*"& problemas *1& 70'(*1& *820.P)1& )& *8"#L%'.#& #1& I4. :%*'.#&*8")M Enfrento situações *11%'2#1&:%)&7)&0'2)")11*7&)&8#.)7&1)"&W2)01& $#01*1&.0L)")'2)15 novas usando o que aprendi. I5. 1)'2#&*:%0;#&:%)& Consigo identificar, +S5& X20;0O#& '#&L%2%"#5 de.)& forma 7#.#& organizada, $"0*20F#&.0L)")'2)1& as causas L#"7*1&.)& de um problema e propor soluções. 8)'1#&)&07*,0'# )V8")11*"&0.)0*1&)&)7#6P) J5&3'L")'2#&102%*6P)1&'#F*1&%1*'.#&#&:%)& +45& #& 7%'.#& :%)& 7)& "#.)0*=& *& %"#&1#;%6P)1& &&&&&&*8")'.05 8*"20"&.*1&70'(*1&)V8)"0U'$0*15 :%*'.#&0.)'20L0$#& +N5& /#'10,#& 0.)'20L0$*"=&.)& L#"7*& #",*'0O*.*=& *1& +?5& /#'()6#& )& %20;0O#&.0L)")'2)1& 7)0#1&.)& ")$#;(*& Criatividade 1)78")&7*01 +C5& e Expressão *1& 70'(*1& *820.P)1& )& *8"#L%'.#& #1& K#%&$"0*20F#& +Q5&>$)02#&.)1*L0#1&:%)&7)&L*O)7&07*,0'*"&)&$"0*"& I6. Aceito desafios *11%'2#1&:%)&7)&0'2)")11*7&)&8#.)7&1)"&W2)01& :%*'.#&*8")M que $#01*1&.0L)")'2)15 me fazem imaginar e criar coisas diferentes. I7. Utilizo de modo '#&L%2%"#5 criativo diferentes formas de expressar ideias e emoções. 1)'2#&*:%0;#&:%)& +S5& X20;0O#&.)& 7#.#& $"0*20F#&.0L)")'2)1& L#"7*1&.)& 8)'1#&)&07*,0'# )V8")11*"&0.)0*1&)&)7#6P)15 +J5&3'L")'2#&102%*6P)1&'#F*1&%1*'.#&#&:%)& %"#&1#;%6P)1& &&&&&&*8")'.05 :%*'.#&0.)'20L0$#& +N5& /#'10,#& 0.)'20L0$*"=&.)& L#"7*& #",*'0O*.*=& *1& 53

6 4!!! /01! 2#3! '4'*56#! &'! +3*5(,*'7%#! &-$! ('8(-$! &'!!!!1)-&$' "#$%#!&'!$'(! )#*!+,&-&.# )#-!+#79,9:7+,-!7-!+#*37,&-&'1 /;1!2'$+3)(#!-!7'+'$$,&-&'!&'!5-(%,+,5-(!7#$!9<(,#$! 8(35#$!#7&'!*'!,7%'8(#!1 Cidadania S1. Dou exemplo /A1!B+',%#!-$!&'((#%-$!'*!%#&-$!-$!$,%3-CD'$E!+#*! de cumprimento das regras de boa convivência na comunidade. S2. Descubro a necessidade ('$5',%#!'!$'*!&'$-7,*-( de participar nos vários grupos onde me integro. S3. Cuido do que é de todos. S4. Aceito as derrotas /F1! /#3! em $'7$G9'6! todas H$! $,%3-CD'$! as situações, &'! 7'+'$$,&-&'! com respeito 7#! e sem desanimar. *',#!?3'!*'!(#&',-!'!5(#+3(#!$'(!I%,6!7-!$3-!!!! /01! 2#3! '4'*56#! &'! +3*5(,*'7%#! &-$! ('8(-$! &'! /#3!%#6'(-7%' ('$#63C.#1 )#-!+#79,9:7+,-!7-!+#*37,&-&'1 '!$#6,&<(,# /J1!/',!*-7%'(!3*!&,<6#8#E!-5('$'7%-7&#!#$!*'3$!!!!1)-&$' "#$%#!&'!$'(! /;1!2'$+3)(#!-!7'+'$$,&-&'!&'!5-(%,+,5-(!7#$!9<(,#$! -(83*'7%#$!+#*!'7%3$,-$*#!'!#39,7&#!#$!&#$! )#*!+,&-&.# 8(35#$!#7&'!*'!,7%'8(#!1 #3%(#$1 Solidariedade S5. sou sensível /A1!B+',%#!-$!&'((#%-$!'*!%#&-$!-$!$,%3-CD'$E!+#*! às situações de necessidade no meio que me rodeia e procuro ser /K1!L'+#7M'C#!-$!9-7%-8'7$!&'!%(-)-6M-(!'*!8(35#! útil na sua resolução. ('$5',%#!'!$'*!&'$-7,*-( '! +#7%(,)3#! +#*! #$! *'3$! +#7M'+,*'7%#$! '! #! S6. Sei manter um diálogo, apresentando os meus argumentos com entusiasmo e /',!9,9'( *'3!%(-)-6M#1 ouvindo os dos /F1! outros. /#3! $'7$G9'6! H$! $,%3-CD'$! &'! 7'+'$$,&-&'! 7#! '*!8(35# %"&''() /N1!2'*#7$%(#!?3'!$',!#(,'7%-(!('$5',%-7&#!-$!$3-$! *+,#-.&/)0 *',#!?3'!*'!(#&',-!'!5(#+3(#!$'(!I%,6!7-!$3-!!!! #5,7,D'$1 /#3!%#6'(-7%' /01! 2#3! ('$#63C.#1 '4'*56#! &'! +3*5(,*'7%#! &-$! ('8(-$! &'! '!$#6,&<(,# /J1!/',!*-7%'(!3*!&,<6#8#E!-5('$'7%-7&#!#$!*'3$! )#-!+#79,9:7+,-!7-!+#*37,&-&'1!!!1)-&$' "#$%#!&'!$'(! /;1!2'$+3)(#!-!7'+'$$,&-&'!&'!5-(%,+,5-(!7#$!9<(,#$! -(83*'7%#$!+#*!'7%3$,-$*#!'!#39,7&#!#$!&#$! )#*!+,&-&.# 8(35#$!#7&'!*'!,7%'8(#!1 #3%(#$1 Integração e cooperação S7. Reconheço /A1!B+',%#!-$!&'((#%-$!'*!%#&-$!-$!$,%3-CD'$E!+#*! as vantagens de trabalhar em grupo e contribuo com os meus /K1!L'+#7M'C#!-$!9-7%-8'7$!&'!%(-)-6M-(!'*!8(35#! conhecimentos e o ('$5',%#!'!$'*!&'$-7,*-( meu trabalho. '! +#7%(,)3#! +#*! #$! *'3$! +#7M'+,*'7%#$! '! #! S8. Demonstro que sei orientar respeitando as opiniões dos outros. /',!9,9'( '*!8(35# /#3!%#6'(-7%' '!$#6,&<(,# *'3!%(-)-6M#1 /F1! /N1!2'*#7$%(#!?3'!$',!#(,'7%-(!('$5',%-7&#!-$!$3-$! /#3! $'7$G9'6! H$! $,%3-CD'$! &'! 7'+'$$,&-&'! 7#! *',#!?3'!*'!(#&',-!'!5(#+3(#!$'(!I%,6!7-!$3-! #5,7,D'$1 ('$#63C.#1 /J1!/',!*-7%'(!3*!&,<6#8#E!-5('$'7%-7&#!#$!*'3$! -(83*'7%#$!+#*!'7%3$,-$*#!'!#39,7&#!#$!&#$! #3%(#$1 Recon Recon 4 /',!9,9'( '*!8(35# /K1!L'+#7M'C#!-$!9-7%-8'7$!&'!%(-)-6M-(!'*!8(35#! '! +#7%(,)3#! +#*! #$! *'3$! +#7M'+,*'7%#$! '! #! *'3!%(-)-6M#1 /N1!2'*#7$%(#!?3'!$',!#(,'7%-(!('$5',%-7&#!-$!$3-$! #5,7,D'$1 4

Equilíbrio emocional A5. Reconheço e exprimo as minhas emoções com naturalidade e sem magoar os outros.

Equilíbrio emocional A5. Reconheço e exprimo as minhas emoções com naturalidade e sem magoar os outros. Relacionamento e sensibilidade A1. Comprometo-me com o bem-estar e crescimento do grupo, mantendo uma relação amigável com os outros elementos. A2. Valorizo a minha família e assumo o meu papel no seio

Leia mais

Complemento do. Caderno de Descobertas

Complemento do. Caderno de Descobertas Complemento do Caderno de Descobertas 2ª edição - Outubro de 2013 Introdução Parabéns! Estás nos Escuteiros, nos Exploradores. No Escutismo vais encontrar outros rapazes e raparigas que, como tu, também

Leia mais

Secretaria Regional para as Atividades Regionais. Atividades Regionais, oportunidades educativas sensacionais! ABERTURA REGIONAL DO ANO ESCUTISTA

Secretaria Regional para as Atividades Regionais. Atividades Regionais, oportunidades educativas sensacionais! ABERTURA REGIONAL DO ANO ESCUTISTA Secretaria Regional para as Atividades Regionais Atividades Regionais, oportunidades educativas sensacionais! ABERTURA REGIONAL DO ANO ESCUTISTA 2013 Não tenhas medo Atividades Regionais, oportunidades

Leia mais

Áreas de Desenvolvimento Pessoal

Áreas de Desenvolvimento Pessoal Renovação do Programa para Jovens (Aprovado na XLII Conferência Nacional) Áreas de Desenvolvimento Pessoal: A XLII Conferência Nacional da AEP, no âmbito do processo em curso de renovação do Programa para

Leia mais

PROGRAMA EDUCATIVO ISBN: 978-972-740-162-8. Corpo Nacional de Escutas

PROGRAMA EDUCATIVO ISBN: 978-972-740-162-8. Corpo Nacional de Escutas PROGRAMA EDUCATIVO ISBN: 978-972-740-162-8 Corpo Nacional de Escutas Programa Educativo do Corpo Nacional de Escutas Texto aprovado no Conselho Nacional de Representantes, reunido em Fátima, no dia 21

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16

Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Os fundamentos da nossa missão 2013-10 1/16 Índice Introdução. 3 1. Apresentação geral.... 4 2. Os CPM no seio da Igreja......5 3. Os animadores.....7 4. O papel do Assistente Espiritual... 8 5. A equipa

Leia mais

Módulo II Quem é o Catequista?

Módulo II Quem é o Catequista? Módulo II Quem é o Catequista? Diocese de Aveiro Objectivos Descobrir a imagem de catequista que existe na nossa comunidade. Aprofundar a vocação e o ministério do catequista a partir da Bíblia. Com base

Leia mais

Oportunidades Educativas Sugeridas

Oportunidades Educativas Sugeridas F1.1 F1.2a F1.2b Receber uma mensagem verbal de 20 palavras e, depois de ter corrido 2 km em passo de escuta, transmiti-la oralmente e de forma compreensível. Nadar correctamente dois estilos e saber mergulhar

Leia mais

Plano de Formação da CVX-P

Plano de Formação da CVX-P da CVX-P Apresentado à VIII Assembleia Nacional CVX-P Fátima, Outubro 2004 Introdução... 2 Etapa 0: Acolhimento... 3 Etapa 1: Iniciação... 5 Etapa 2: Identificação... 6 Etapa 3: Missão... 7 1 Introdução

Leia mais

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017

Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 Plano Estratégico da União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia para o Quinquénio 2013-2017 O presente documento tem como objetivo apresentar, os valores, as linhas orientadoras, a estratégia e o plano

Leia mais

Utilizar na comunicação 4 ouvidos

Utilizar na comunicação 4 ouvidos Utilizar na comunicação 4 ouvidos Desafio para a relação catequética Estimado catequista, imagine que se encontra com o Luís sorriso no pátio do centro paroquial. O Luís Sorriso vai cumprimentá-lo de forma

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLNAR: EMRC PLANIFICAÇÕES 8º Ano ANO 2008/2009 1/7

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLNAR: EMRC PLANIFICAÇÕES 8º Ano ANO 2008/2009 1/7 8º Ano ANO 2008/2009 1/7 Módulo 1- O GOSTO PELA AVENTURA Tema 1 - A atracção ao desconhecido Experiência de aventuro. (Situações que exprimem experiências de aventura como a condução de veículos, iniciação

Leia mais

Ser Voluntário. Ser Solidário.

Ser Voluntário. Ser Solidário. Ser Voluntário. Ser Solidário. Dia Nacional da Cáritas 2011 Colóquio «Ser Voluntário. Ser Solidário». Santarém, 2011/03/26 Intervenção do Secretário Executivo do CNE, João Teixeira. (Adaptada para apresentação

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO Ano letivo 2012 2013

PROJETO EDUCATIVO Ano letivo 2012 2013 PROJETO EDUCATIVO Ano letivo 2012 2013 É pela vivência diária que cada um de nós aprende a conhecer-se e a respeitar-se, conhecendo e respeitando os outros, intervindo, transformando e tentando melhorar

Leia mais

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes Como fazes os teus trabalhos escritos? Há dois métodos para fazer trabalhos 1-Vais à Net copias a informação, colas num novo documento, imprimes e já está! 2-Pesquisas informação em fontes diversas, retiras

Leia mais

ESCOLA ARQUIDIOCESANA BÍBLICO-CATEQUÉTICA

ESCOLA ARQUIDIOCESANA BÍBLICO-CATEQUÉTICA ESCOLA ARQUIDIOCESANA BÍBLICO-CATEQUÉTICA FORMAÇÃO DE CATEQUISTAS A Igreja se preocupa com a semente da Palavra de Deus (a mensagem) e com o terreno que recebe essa semente (o catequizando), o que a leva

Leia mais

Lobitos Exploradores Pioneiros Caminheiros

Lobitos Exploradores Pioneiros Caminheiros 1 2 Lobitos Exploradores Pioneiros Caminheiros Objetivo: ajudar cada jovem a envolver-se ativamente e de forma consciente no seu próprio desenvolvimento. Principais características: centrado no indivíduo

Leia mais

Adolescência. i dos Pais

Adolescência. i dos Pais i dos Pais Adolescência Quem sou eu? Já não sou criança, ainda não sou adulto, e definitivamente não sou apenas um filho, pareço ser outra coisa que assume um lugar social! É a questão colocada por muitos

Leia mais

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado

Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado Fundamentação e Contextualização do Programa de Voluntariado O Programa de Voluntariado do Centro Solidariedade e Cultura de Peniche pretende ir ao encontro do ideário desta instituição, numa linha da

Leia mais

Procesos formativos JMV Internacional Página 1

Procesos formativos JMV Internacional Página 1 Procesos formativos JMV Internacional Página 1 Irmãos e irmãs em JMV, A paz e a alegria de Cristo esteja sempre convosco! Após III AG2010 realizada em Portugal, o Conselho Internacional comprometeu-se

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

Introdução. 1.2 Escola Católica

Introdução. 1.2 Escola Católica Introdução A Escola Sagrada Família Externato é uma Escola Católica e é regida pelo Ideário das Escolas da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias e o Estatuto da Associação Portuguesa

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO I CORPO NACIONAL DE ESCUTAS

FICHA DE INSCRIÇÃO I CORPO NACIONAL DE ESCUTAS FICHA DE INSCRIÇÃO I CORPO NACIONAL DE ESCUTAS AGRUPAMENTO 45-CAXIAS 2015/2016 Caros Pais e Elementos, Com este documento pretendemos disponibilizar toda a informação necessária para que a inscrição do

Leia mais

1. Motivação para o sucesso (Ânsia de trabalhar bem ou de se avaliar por uma norma de excelência)

1. Motivação para o sucesso (Ânsia de trabalhar bem ou de se avaliar por uma norma de excelência) SEREI UM EMPREENDEDOR? Este questionário pretende estimular a sua reflexão sobre a sua chama empreendedora. A seguir encontrará algumas questões que poderão servir de parâmetro para a sua auto avaliação

Leia mais

Disciplina de Oferta Complementar. Formação Pessoal e Social

Disciplina de Oferta Complementar. Formação Pessoal e Social Disciplina de Oferta Complementar Formação Pessoal e Social Promover a cidadania Aprender a viver no mundo que nos rodeia Mod. AEVPA - Conselho Pedagógico Página 1 de 11 Disciplina de Oferta Complementar

Leia mais

Planificação Anual Educação para a Cidadania

Planificação Anual Educação para a Cidadania Agrupamento de Escolas de Monforte Ano letivo - 2014-2015 Planificação Anual Educação para a Cidadania Departamento do 1º Ciclo Introdução Rua Professor Dr. Rosado Correia A escola ocupará sempre um papel

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade 1 de 5 Princípios de conduta, de igualdade e equidade OBJECTIVO: Assumir condutas adequadas às instituições e aos princípios de lealdade comunitária. Competência e critérios de evidência Reconhecer princípios

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa Este questionário contém perguntas sobre as tuas experiências e tipo de aprendizagem na disciplina de Ciências Naturais. Não há respostas correctas nem erradas, apenas as que correspondem à forma como

Leia mais

Plano de Acção de Núcleo 2009/2011

Plano de Acção de Núcleo 2009/2011 Pl de Acção de 2009/2011 «Nas Pegadas de Paulo Criamos Caminhos» CNE Douro Sul 1 Introdução «Nas Pegadas de Paulo» Queremos criar um claro espírito de patrulha, rica pela diversidade de opiniões, idades

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Matemática Aplicada às Ciências Sociais Ensino Regular Curso Geral de Ciências Sociais e Humanas 10º Ano Planificação 2014/2015 Índice Finalidades... 2 Objectivos e competências

Leia mais

IDEÁRIO DA INSTITUIÇÃO

IDEÁRIO DA INSTITUIÇÃO IDEÁRIO DA INSTITUIÇÃO I Princípios Básicos - Todos os homens, têm direito a uma educação adequada e à cultura, segundo a capacidade de cada um, em igualdade de oportunidades e em relação a todos os níveis

Leia mais

FEED FORWARD #30 AGOSTO 2014. Alguém disse um dia!!! Alexandra Lemos Executive Coach International Coach Trainer da ICC para Portugal

FEED FORWARD #30 AGOSTO 2014. Alguém disse um dia!!! Alexandra Lemos Executive Coach International Coach Trainer da ICC para Portugal WWW.MINDCOACH.PT FEED FORWARD Alguém disse um dia!!! #30 AGOSTO 2014 Alexandra Lemos Executive Coach International Coach Trainer da ICC para Portugal ANTÓNIA COXITO LIC. GESTÃO DE EMPRESAS CHEFE DE DIVISÃO

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra Realizado por: DANIELA FERNANDES DA SILVA Psicologia Educacional I Introdução...3 Programa da disciplina...4 Evolução do número de alunos de E.M.R.C...7

Leia mais

Tens Palavras de Vida Eterna

Tens Palavras de Vida Eterna Catequese 40ano Tens Palavras de Vida Eterna Agenda da Palavra de Deus pela minha vida fora ANO A Durante as férias, mantenho-me em contato! CONTATOS DA PARÓQUIA Morada: Telefone: Correio eletrónico: Sítio:

Leia mais

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação LEARNING MENTOR Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219 Perfil do Learning Mentor Módulos da acção de formação 0. Pré-requisitos para um Learning Mentor 1. O papel e a função que um Learning Mentor

Leia mais

COACHING NA EDUCAÇÃO COACHING NA EDUCAÇÃO. Novos Rumos para os Jovens. Isabel Ferreira. Fundadora da Escola De Coaching ECIT

COACHING NA EDUCAÇÃO COACHING NA EDUCAÇÃO. Novos Rumos para os Jovens. Isabel Ferreira. Fundadora da Escola De Coaching ECIT COACHING COACHING NA NA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO Novos Rumos para os Jovens Isabel Ferreira Fundadora da Escola De Coaching ECIT www.escoladecoaching.com Coaching na Educação COACHING NA EDUCAÇÃO www.escoladecoaching.com

Leia mais

COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO

COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO DEFINIÇÕES OPERACIONAIS E INDICADORES COMPORTAMENTAIS Pag. 1 Elaborada por Central Business Abril 2006 para o ABRIL/2006 2 COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO

Leia mais

Elementos da Vida da Pequena Comunidade

Elementos da Vida da Pequena Comunidade Raquel Oliveira Matos - Brasil A Igreja, em sua natureza mais profunda, é comunhão. Nosso Deus, que é Comunidade de amor, nos pede entrarmos nessa sintonia com Ele e com os irmãos. É essa a identidade

Leia mais

Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento

Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento Catequese e adoração das crianças ao Santíssimo Sacramento Paróquia de Calheiros, 1 e 2 de Março de 2008 Orientadas por: Luís Baeta CÂNTICOS E ORAÇÕES CÂNTICOS CRISTO VIVE EM MIM Cristo vive em mim, que

Leia mais

Tema 01 - Dimensão Psico - afetiva (processo da personalização. Quem sou Eu? )

Tema 01 - Dimensão Psico - afetiva (processo da personalização. Quem sou Eu? ) Tema 01 - Dimensão Psico - afetiva (processo da personalização. Quem sou Eu? ) Titulo 04 - Técnicas de Elaboração e Acompanhamento de Projeto Pessoal de Vida Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb (Mestre

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

ExpressARTE. Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Manual da Formanda drmadorr1manda. Dança Movimento Amalgama

ExpressARTE. Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Manual da Formanda drmadorr1manda. Dança Movimento Amalgama ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Manual da Formanda drmadorr1manda Dança Movimento Amalgama Autor: Amalgama Companhia de Dança (Ana Alexandra Battaglia) Título: Dança Movimento

Leia mais

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo LEITURA ORANTE DA BÍBLIA Um encontro com Deus vivo A quem nós iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. (Jo 6,68) Recordando a história... A leitura orante da Palavra é uma tentativa de responder

Leia mais

MISSÃO PAÍS. Manual da Missão País

MISSÃO PAÍS. Manual da Missão País MISSÃO PAÍS Manual da Missão País Introdução Nos dias de hoje, quando ouvimos falar de missão, pensamos logo em acções de voluntariado em países subdesenvolvidos onde é preciso todo o tipo de ajuda para

Leia mais

1 Narcóticos Anónimos (Texto Básico, página 17).

1 Narcóticos Anónimos (Texto Básico, página 17). Serei um adicto? Tradução de literatura aprovada pela Irmandade de NA. Copyright 1994 by Narcotics Anonymous World Services, Inc. Todos os direitos reservados. Só tu podes responder a esta pergunta. Isto

Leia mais

CNE - Corpo Nacional de Escutas. Caça. Caderno de. Lobitos

CNE - Corpo Nacional de Escutas. Caça. Caderno de. Lobitos Caderno de Caça Lobitos CNE - Corpo Nacional de Escutas Caderno de Caça I Secção Lobitos FICHA TÉCNICA Título: Caderno de Caça - Lobitos Autor: CNE Secretaria Nacional Pedagógica Revisão: CNE Secretaria

Leia mais

CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO MANUAL DE GESTÃO DE CONFLITOS

CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO MANUAL DE GESTÃO DE CONFLITOS CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO Você deve ser a mudança que deseja ver no mundo. (Mahatma Gandhi) GESTÃO DE CONFLITOS Gestão de Conflitos é a arte de identificar, lidar e minimizar/resolver situações

Leia mais

Editor Direção-Geral de Educação Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos

Editor Direção-Geral de Educação Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos Ficha Técnica Titulo À DESCOBERTA Editor Direção-Geral de Educação Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos Conceção Direção de Serviços de Educação Especial e de Apoios Socioeducativos

Leia mais

ESCOLA DE PAIS.nee. Programa Escola de Pais.nee Formadora: Celmira Macedo

ESCOLA DE PAIS.nee. Programa Escola de Pais.nee Formadora: Celmira Macedo 1 PROGRAMA DA ESCOLA DE PAIS I. Introdução A escola de pais apresenta-se com um espaço de formação para famílias (preferencialmente famílias de crianças com necessidades especiais), estando igualmente

Leia mais

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para concretizar eficiência os objectivos do serviço e as tarefas e que lhe são solicitadas. com eficácia e 1

Leia mais

CARTA INTERNACIONAL. Indice:

CARTA INTERNACIONAL. Indice: CARTA INTERNACIONAL Indice: Introdução. I. Equipas de Jovens de Nossa Senhora II. A equipa III. As funções na equipa IV. A vida em equipa V. Abertura ao mundo, compromisso VI. O Movimento das E.J.N.S.

Leia mais

LIVRO DE CIFRAS Página 1 colodedeus.com.br

LIVRO DE CIFRAS Página 1 colodedeus.com.br LIVRO DE CIFRAS Página 1 Página 2 Página 3 ACENDE A CHAMA AUTOR: HUGO SANTOS Intro: A F#m D A F#m D A F#m D Quero Te ver, acende a Chama em mim Bm F#m A Vem com Teu Fogo, vem queimar meu coração Bm F#m

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO MINISTÉRIO Organismo/Serviço NIF Avaliador Cargo NIF FICHA DE AVALIAÇÃO PARA O PESSOAL DOS GRUPOS PROFISSIONAIS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO A preencher pelo avaliador Avaliado Unidade orgânica Carreira

Leia mais

Todo homem tem poder suficiente para realizar aquilo que está convencido. (Goethe)

Todo homem tem poder suficiente para realizar aquilo que está convencido. (Goethe) PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA: FORMULAÇÃO DE OBJETIVOS E ESTRATÉGIAS: (CONDIÇÕES DE BOA FORMULAÇÃO) / / 1-DETERMINAÇAO DO OBJETIVO (RESULTADO DESEJADO): a) O que quero para mim? Colocação positiva (sem

Leia mais

Missa com Crianças. O directório para a missa com crianças. Sim ou não? De que modo?

Missa com Crianças. O directório para a missa com crianças. Sim ou não? De que modo? Missa com Crianças Sim ou não? De que modo? Muitas comunidades cristãs celebram Missa com crianças. Umas fazem-no no contexto da Missa Paroquial; outras fazem-no só e especificamente no âmbito da Catequese,

Leia mais

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco!

Quem Desiste num momento de crise é porque realmente é um fraco! Paixão do Povo de Cristo x Paixão de Cristo Texto Base: provérbios 24.10 na Linguagem de Hoje: Quem é fraco numa crise, é realmente fraco. Na Bíblia A Mensagem : Quem Desiste num momento de crise é porque

Leia mais

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014

CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 CELEBRAÇÃO PARA O DIA DO CATEQUISTA 2014 NO CAMINHO DO DISCIPULADO MISSIONÁRIO, A EXPERIÊNCIA DO ENCONCONTRO: TU ÉS O MESSIAS, O FILHO DO DEUS VIVO INTRODUÇÃO Queridos/as Catequistas! Com nossos cumprimentos

Leia mais

Anexo 1 - Pedido de Autorização às Escolas

Anexo 1 - Pedido de Autorização às Escolas Anexo 1 - Pedido de Autorização às Escolas Exmo. Senhor(a), Presidente do Conselho Diretivo da Escola Eu, Sara Alexandra Melo Mendes, no âmbito da minha dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica estou

Leia mais

AUTO-DIAGNÓSTICO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS

AUTO-DIAGNÓSTICO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS D O S S I E R D O E M P R E E N D E D O R AUTO-DIAGNÓSTICO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PROJECTO PROMOÇÃO DO EMPREENDEDORISMO IMIGRANTE P E I AUTO-DIAGNÓSTICO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS Competências

Leia mais

TÉCNICAS/MÉTODOS DE ENSINO. 1. Objectivos 2. Selecção dos conteúdos 3. Métodos a serem usados

TÉCNICAS/MÉTODOS DE ENSINO. 1. Objectivos 2. Selecção dos conteúdos 3. Métodos a serem usados TÉCNICAS/MÉTODOS DE ENSINO 1. Objectivos 2. Selecção dos conteúdos 3. Métodos a serem usados 1 Método : Caminho para se chegar a um determinado lugar alcançar objetivos estabelecidos no planeamento. Os

Leia mais

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 2 No âmbito do disposto no número anterior, o professor: a) Reflecte sobre as suas práticas, apoiando-se na experiência, na investigação

Leia mais

Como exercitar sua Inteligência Emocional

Como exercitar sua Inteligência Emocional Como exercitar sua Inteligência Emocional Introdução 3 Como o desenvolvimento da Inteligência Emocional pode ajudar 6 5 passos para exercitar sua Inteligência Emocional 9 Conclusão 18 Sobre a SBIE 21 Introdução

Leia mais

A Formação Pessoal. e Social. no Pré-Escolar

A Formação Pessoal. e Social. no Pré-Escolar A Formação Pessoal e Social no Pré-Escolar A Formação Pessoal e Social é considerada uma área transversal, dado que todas as componentes curriculares deverão contribuir para promover nas crianças atitudes

Leia mais

Inteligência Emocional. A importância de ser emocionalmente inteligente

Inteligência Emocional. A importância de ser emocionalmente inteligente Inteligência Emocional A importância de ser emocionalmente inteligente Dulce Sabino, 2008 Conceito: Inteligência Emocional Capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos

Leia mais

Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede

Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede 18º DOMINGO DO TEMPO COMUM 02 de agosto de 2015 Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede Leituras: Êxodo 16, 2-4.12-15; Salmo 77 (78), 3.4bc.23-24.25.54; Carta de São Paulo

Leia mais

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL

DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL INTRODUÇÃO DO CURSO DIMENSÕES DA FORMAÇÃO INTEGRAL (Doc. 85 CNBB nº 95-107) JORGE BORAN CSSP (Dr. em Liderança Comunitária Universidade de Fordhan EUA) Desde a década de 1980 vem nascendo a necessidade

Leia mais

C11 Desenvolvimento Pessoal

C11 Desenvolvimento Pessoal C.N.E. NÚCLEO ORIENTAL Departamento de Formação 1 Desenvolvimento Pessoal Ninguém sabe tudo a respeito do que quer que seja Nuno Pires C.N.E. NÚCLEO ORIENTAL Departamento de Formação 2 Objectivos da U.F.

Leia mais

Mediação de Conflitos. A mediação é um método de diálogo por excelência. Preserva o que é mais importante: As relaçoes inter-pessoais

Mediação de Conflitos. A mediação é um método de diálogo por excelência. Preserva o que é mais importante: As relaçoes inter-pessoais GUIA DA MEDIAÇÃO GUIA DA MEDIAÇÃO Mediação de Conflitos A mediação é um método de diálogo por excelência. Preserva o que é mais importante: As relaçoes inter-pessoais 2 3 GUIA DA MEDIAÇÃO A Mediação é

Leia mais

Workshop. As Ferramentas do Coaching na Liderança. Lisboa, 21 maio 2013

Workshop. As Ferramentas do Coaching na Liderança. Lisboa, 21 maio 2013 Workshop As Ferramentas do Coaching na Liderança Lisboa, 21 maio 2013 GESTÃO LIDERANÇA Gerem-se coisas, lideram-se pessoas COACHING A competição global continua a requerer um crescente esforço das organizações

Leia mais

A EDUCAÇAO PARA A CIDADANIA NOS CURRÍCULOS Ana Roque, Isabel Carvalho, Rosa Afonso, Teresa Fonseca DGIDC

A EDUCAÇAO PARA A CIDADANIA NOS CURRÍCULOS Ana Roque, Isabel Carvalho, Rosa Afonso, Teresa Fonseca DGIDC A EDUCAÇAO PARA A CIDADANIA NOS CURRÍCULOS Ana Roque, Isabel Carvalho, Rosa Afonso, Teresa Fonseca DGIDC 1 Antecedentes das questões de cidadania na política educativa e nos currículos escolares Os valores

Leia mais

Formação em Coach c in i g Pro r fis fi sio i nal PROGRAMA DE COACHING PROFISSIONAL copyright YouUp 2011

Formação em Coach c in i g Pro r fis fi sio i nal PROGRAMA DE COACHING PROFISSIONAL copyright YouUp 2011 Formação em CoachingProfissional Objectivos Gerais Distinguir entre auto-estima e auto-confiança. Enumerar vantagens de uma auto-estima elevada. Saber como pode Coaching ajudar a elevar a auto-estima.

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

Projeto Curricular do 1.º Ciclo

Projeto Curricular do 1.º Ciclo Projeto Curricular do 1.º Ciclo Tema Felizes os que constroem a vida na verdade e no bem. INTRODUÇÃO Este ano letivo 2014/2015 ficou definido como tema geral Felizes os que constroem a vida na verdade

Leia mais

UNIDADE 2 Coaching. Processo, Competências e ferramentas

UNIDADE 2 Coaching. Processo, Competências e ferramentas UNIDADE 2 Coaching Processo, Competências e ferramentas 1 2 O que é o Coaching? Coaching é um método de desenvolvimento de potencial e da performance individual, através do auto-conhecimento, motivação

Leia mais

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação ***************************************************************************

Comissão Diocesana da Pastoral da Educação *************************************************************************** DIOCESE DE AMPARO - PASTORAL DA EDUCAÇÃO- MARÇO / 2015 Todo cristão batizado deve ser missionário Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos e fazei-me conhecer a vossa estrada! Salmo 24 (25) Amados Educadores

Leia mais

Sou a nona filha entre dez irmãos. Nasci numa cultura com padrões rígidos de comportamento e com pouco afeto. Quando eu estava com um ano e quatro meses, contraí poliomielite que me deixou com sequelas

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ANO LETIVO 2014/15 Rua José Régio 4490-648 Póvoa de Varzim CRITÉRIOS

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA 7ª, 8ª e 9ª classes 1º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Ficha Técnica Título Programa de Educação Moral e Cívica - 7ª, 8ª e 9ª classes Editora Editora Moderna, S.A. Pré-impressão,

Leia mais

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia

Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia Judith Sonja Garbers, Psicóloga Jörg Garbers, Mestre de Teologia C.G.Jung: Espiritualidade Conforme Jung o ser humano desenvolve primeiro uma identidade pessoal, descobre quem é, o que gosta, qual é seu

Leia mais

Catálogo de Atividades...

Catálogo de Atividades... Catálogo de Atividades.... 2015 2016 .... O Parque YMCA CAMP ALAMBRE / PARQUE AMBIENTAL DO ALAMBRE Breve apresentação O Parque Ambiental do Alambre representa o Centro de Campo da Associação Cristã da

Leia mais

Despertar os sentidos!

Despertar os sentidos! Despertar os sentidos! Tudo o que conhecemos chega-nos, de uma forma ou de outra, através de sensações sobre as realidades que nos rodeiam. Esta consciência sensorial pode e deve ser estimulada! Quanto

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 05/06 PLANIFICAÇÃO ANUAL º CICLO EDUCAÇÃO MORAL RELIGIOSA CATÓLICA (EMRC)- 6ºANO. Documento(s) Orientador(es): Programa de EMRC de 8 junho de 04;

Leia mais

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

As fontes da nossa auto-imagem

As fontes da nossa auto-imagem AUTO IMAGEM O QUE EU ACHO DE MIM MESMO QUEM SOU EU E QUAL E O MEU VALOR? NARCISISMO (deus da mitologia grega que se apaixonou por si mesmo ao ver sua imagem refletida na água) AS FONTES DA NOSSA AUTO -

Leia mais

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*)

Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) 1 Um percurso formativo Fátima Fonseca (*) Este trabalho prende-se com o estudo que fizemos na formação na área das Competências Interpessoais, sendo que o grande objectivo é o de sermos capazes, nas nossas

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

Relacionamentos. Laços familiares, amizades e atividades sociais fazem bem à saúde.

Relacionamentos. Laços familiares, amizades e atividades sociais fazem bem à saúde. Relacionamentos Relacionamentos Laços familiares, amizades e atividades sociais fazem bem à saúde. Dependendo de como você leva a sua vida, pode prevenir ou não as chamadas doenças da civilização (cardiovasculares,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGISTO DE OBSERVAÇÃO / AVALIAÇÃO Nome Data de Nascimento / / Jardim de Infância de Educadora de Infância AVALIAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!... SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...) A cada manhã 71 (A cada manhã as misericórdias se renovam...)

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

Plano Pedagógico do Catecismo 6

Plano Pedagógico do Catecismo 6 Plano Pedagógico do Catecismo 6 Cat Objetivos Experiência Humana Palavra Expressão de Fé Compromisso PLANIFICAÇÃO de ATIVIDADES BLOCO I JESUS, O FILHO DE DEUS QUE VEIO AO NOSSO ENCONTRO 1 Ligar a temática

Leia mais

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA

METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA Só é educativa a relação que faz crescera educando para uma maior autonomia (Aires Gameiro) Porque não lançar-se à tarefa de ajudar

Leia mais

COLÉGIO DE LAMEGO (70%-89%) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICA Do 1º Ciclo

COLÉGIO DE LAMEGO (70%-89%) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICA Do 1º Ciclo COLÉGIO DE LAMEGO (70%-89%) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ESPECÍFICA Do 1º Ciclo 2014/2015 Avaliar é um conceito que se utiliza com frequência na sociedade actual. Ao fazer-se uma avaliação queremos apreciar

Leia mais

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade.

BIOGRAFIA HUMANA. Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência. Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade. BIOGRAFIA HUMANA Terceiro espelho: A Infância e fase da Autoconsciência Alma da Consciência: 0-7 Infância / 35-42 Maturidade Edna Andrade Nascemos totalmente desamparados, totalmente dependentes e indefesos.

Leia mais