ESTATUTO DO CENTRO DE TECNOLOGIA DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA CTGRAPHICS. Capítulo I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS GERAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTATUTO DO CENTRO DE TECNOLOGIA DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA CTGRAPHICS. Capítulo I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS GERAIS"

Transcrição

1 ESTATUTO DO CENTRO DE TECNOLOGIA DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA CTGRAPHICS Capítulo I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS GERAIS Art. 1º - O Centro de Tecnologia de Computação Gráfico, também designado pela sigla CTGRAPHICS, constituído em 19 de dezembro de 2003, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos e duração por tempo indeterminado, com sede à Rua Marins Alvarino, 150; Itararé, CEP.: , no município de Vitória, e foro nesta mesma Capital do Estado do Espírito Santo. Art. 2º - O CTGRAPHICS reger-se-á pelo presente estatuto e pela legislação aplicável. Art. 3 º - O CTGRAPHICS tem como objetivos e finalidades: a. Promover o desenvolvimento e a utilização da computação gráfica em favor da melhoria das condições de vida da população brasileira. b. Contribuir para a criação e operação de empreendimentos e para a realização de negócios que gerem emprego e renda, a partir da utilização da computação gráfica e suas tecnologias associadas. c. Promover pesquisa em Computação Gráfica, sobretudo o desenvolvimento das realidades virtuais e mistas aplicadas, ampliando e reforçando a competência técnico-científica regional, em conteúdo e qualidade compatíveis com a demanda e a oferta mundial de novas Tecnologias Industriais, dentre outros desenvolvimentos baseadas nas inovações da Computação Gráfica e tecnologias associadas. d. Contribuir para ampliar a competitividade do Espírito Santo, desenvolvendo, integrando e aplicando desenvolvimentos tecnológicos inovadores na convergência digital entre a Computação Gráfica e as Tecnologias da Informação e da Comunicação; sempre em sintonia com a dinâmica regional, sua história, cultura e potenciais. e. Identificar demandas, ofertas e oportunidades associadas aos processos de modernização e fortalecimento de empresas, do terceiro setor e de órgãos públicos, contribuindo para assegurar o seu efetivo aproveitamento. f. Mobilizar o potencial de contribuição técnica e cientifica, financeira e material disponíveis no Espírito Santo, nos demais estados da federação e no exterior, em favor da realização de suas iniciativas e da implementação de seu programa de trabalho. g. Interagir com programas, iniciativas e instituições locais, nacionais e internacionais, visando estabelecer a integração de competências e capacidades, a conjugação de interesses e o aproveitamento de potencialidades que facilitem e favoreçam a efetivação de seus objetivos e finalidades. CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 1/10

2 h. Contribuir para a efetiva colaboração entre o mundo acadêmico, o setor produtivo, o setor púbico e o terceiro setor, em favor da consecução de objetivos comuns, notadamente aqueles que promovam o desenvolvimento regional com sustentabilidade, a inclusão social e digital pela educação continuada, colimada na cidadania e na democracia participativa. i. Articular, induzir e atrair iniciativas, interesses e negócios que criem e reforcem vínculos, aproveitando as oportunidades associadas aos fluxos de conhecimentos técnico-científicos, comércio, cultura e turismo. j. Fortalecer as condições de liderança de arranjos produtivos locais, sobretudo aqueles com potencial competitivo para o mercado mundial cuja atuação dependa fortemente da inovação tecnológica, do domínio e da disseminação do conhecimento técnico-científico e suas aplicações, para manter, consolidar e agregar continuamente novos diferenciais competitivos. k. Contribuir para a integração das instituições similares sediadas na América Latina com aquelas existentes nos demais continentes, notadamente através da inserção de seus parceiros, colaboradores e clientes na conexão com redes internacionais de Computação Gráfica. Parágrafo Único O CTGRAPHICS não distribui entre os seus sócios ou associados, conselheiros, dirigente, empregados ou doadores eventuais excedentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos, bonificações, participações ou parcelas do seu patrimônio, auferidos mediante o exercício de suas atividades, aplicando-os integralmente na consecução do seu objetivo social. Art. 4º - No desenvolvimento de suas atividades, o CTGRAPHICS observará os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência, não fazendo qualquer discriminação étnica, de gênero ou religiosa. Parágrafo Primeiro O CTGRAPHICS concretizará seus objetivos através da execução de projetos de P&D, desenvolvimento de produtos e serviços, realização de pesquisas e estudos, capacitação de pessoal técnico, promoção de eventos, atração de investimentos, promoção de negócios, empreendimentos e iniciativas que incorporem a computação gráfica e demais tecnologias associadas. Parágrafo Segundo O CTGRAPHICS se dedica às suas atividades por meio de execução direta de projetos, programas e planos de ações, bem como de iniciativas que envolvam a parceria com terceiros. Art. 5º - Para a consecução de suas atividades, o CTGRAPHICS poderá firmar convênios, contratos e acordos com entidades públicas e privadas, locais, nacionais e internacionais, contratar serviços de terceiros e prestar serviços especializados, atuando como um agente de negócios. CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 2/10

3 Parágrafo Único O CTGRAPHICS poderá desenvolver suas atividades em todo território nacional ou fora dele, através de representações que venha estabelecer, a critério do Conselho de Administração. Art. 6º - A fim de cumprir sua(s) finalidade(s), O CTGRAPHICS se organizará em tantas unidades de prestação de serviços, quantas se fizerem necessárias, as quais se regerão pelas disposições estatutárias. Capítulo II DO QUADRO SOCIAL Art. 7º - O CTGRAPHICS é constituído por número ilimitado de sócios, distribuídos nas seguintes categorias: fundador, mantenedor, contribuinte e honorário. Art. 8º- São direitos dos sócios quites com suas obrigações sociais: a. votar e ser votado para os cargos eletivos; b. tomar parte nas Assembléias Gerais; Art. 9º - São deveres dos sócios: a. cumprir as disposições estatutárias e regimentais; b. acatar as decisões da Assembléia Geral; Art. 10º - Os sócios não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelos encargos do CTGRAPHICS. Capítulo III DOS ÓRGÃOS DA ENTIDADE: Art O CTGRAPHICS será administrado por: I Assembléia Geral; II Conselho de Administração; III Conselho Fiscal; IV Superintendência. Parágrafo Único O CTGRAPHICS remunera seus dirigentes que efetivamente atuem na gestão executiva e aqueles que lhe prestam serviços específicos, respeitados em ambos os casos, os valores praticados pelo mercado na região onde exerce suas atividades. CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 3/10

4 SEÇÃO I DA ASSEMBLÉIA GERAL Art A Assembléia Geral, órgão soberano do CTGRAPHICS, se constituirá dos sócios em pleno gozo de seus direitos estatutários. Art Compete à Assembléia Geral: a. eleger o Conselho de Administração e o Conselho Fiscal; b. destituir Conselheiros e Administradores, c. decidir sobre reformas do Estatuto, na forma do art.35; d. decidir sobre a extinção da Instituição, nos termos do art. 36; e. decidir e homologar aos valores das obrigações sociais, f. decidir sobre a conveniência de alienar, transigir, hipotecar ou permutar bens patrimoniais; g. aprovar o Regimento Interno; h. homologar o ingresso de novos associados, i. ratificar e homologar as indicações para sócios honorários, e ainda, homologar mudanças na categoria dos sócios, nos termos do art. 37. j. Decidir sobre a exclusão do quadro social por justa causa, em especial aqueles que contrariem os objetivos, os dispositivos estatutários e atentem contra o bom nome da entidade. k. Acolher, negar ou dar provimento a recursos encaminhados, sobretudo em processos de admissão e exclusão de membros do corpo social. l. Aprovar e homologar as contas e o balanço geral da entidade. Parágrafo único Para as deliberações a que se referem os itens a,b,c,d,g, j, k e l, serão necessários os votos concordes de dois terços dos presentes à assembléia, especialmente convocada para este fim, não podendo ela deliberar em primeira convocação, sem a maioria absoluta dos associados, ou com menos de um terço nas convocações seguintes. Art A Assembléia Geral se realizará, ordinariamente, uma vez por ano para: a. aprovar as políticas, diretrizes e estratégias de atuação submetidas pelo Conselho de Administração; b. apreciar o relatório anual do Superintendente; c. discutir e homologar as contas e o balanço aprovado pelo Conselho Fiscal; Art A Assembléia Geral se realizará, extraordinariamente, quando convocada: a. pelo Conselho de Administração; b. pelo Conselho Fiscal; CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 4/10

5 c. por requerimento de pelo menos um quinto dos sócios, quites com as obrigações sociais Art A convocação da Assembléia Geral será feita por meio de edital afixado na sede da Instituição e/ou publicado na imprensa local, por circulares ou outros meios convenientes, com antecedência mínima de 7 (sete) dias. Parágrafo Único Qualquer Assembléia se instalará em primeira convocação com a maioria dos sócios e, em segunda convocação, com qualquer número, exceção feita ao disposto no parágrafo único do artigo 13. Art A instituição adotará práticas de gestão administrativa, necessárias e suficientes, a coibir a obtenção de forma individual ou coletiva, de benefícios e vantagens em decorrência da participação nos processos decisórios. SEÇÃO II DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÂO Art O Conselho de Administração será composto por 05 (cinco) membros efetivos, escolhidos pela Assembléia Geral dentre os sócios mantenedores e contribuintes quites com as obrigações sociais, com seus respectivos suplentes, que terão um mandato de 02 (dois) anos, sem remuneração, podendo ser reconduzidos. Art O Conselho de Administração terá um Presidente e um Vice-Presidente eleitos pelos seus membros. Art As reuniões ordinárias do Conselho de Administração serão realizadas, preferencialmente, na sede do CTGRAPHICS, por convocação formal de seu Presidente, a quem cabe instalá-las e presidi-las. Art No caso de impedimento temporário do Presidente, o Vice-Presidente será o seu substituto automático e no caso de vacância definitiva, os membros escolherão um novo Presidente que exercerá as funções até o final do mandato. Art As reuniões ordinárias do Conselho de Administração ocorrerão a cada mês, e as extraordinárias, quando convocadas pelo seu Presidente, ou, por cinqüenta por cento dos Conselheiros mais um, com a presença da maioria absoluta dos membros em primeira convocação, e de qualquer número destes em segunda convocação, meia hora após. Art O Conselho de Administração deliberará por maioria de votos, cabendo ao seu Presidente apenas o voto de qualidade em caso de empate nas deliberações. Art Compete ao Conselho de Administração: a. Analisar e aprovar o Plano Estratégico do CTGRAPHICS e o Programa de Trabalho Anual propostos pela Superintendência; CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 5/10

6 b. Aprovar normas, critérios operacionais e administrativos da Entidade; c. Estabelecer programação de trabalho, orientar a sua implementação e fiscalizar o exato cumprimento dos objetivos sociais da Entidade; d. Relatar as contas e os relatórios de cada exercício, apresentados pela Superintendência para análise e aprovação da Assembléia; e. Aprovar a tabela de cargos e salários da Entidade; f. Propor alterações estatutárias; g. Deliberar previamente sobre a aquisição, oneração e alienação dos bens patrimoniais, bem como investimentos mobiliários de risco; h. Oferecer parecer às propostas de ingresso de novos Associados e ou mudanças de categoria social, submetidas pela Superintendência para encaminhamento à Assembléia Geral; i. Iniciar e encaminhar, por justa causa, processos e recursos pertinentes à exclusão de membros do corpo social. j. Oferecer parecer e encaminhar recursos a pedido de sócio(s) interessado(s), em especial aqueles pertinentes à exclusão no corpo social. k. Aprovar a contratação de especialistas para o assessoramento de assuntos técnicos específicos do CTGRAPHICS quando necessário ou solicitado pela Superintendência; l. Propor título honorário à pessoa física ou jurídica destacadas na área de desenvolvimento tecnológico e de interesse do CTGRAPHICS; m. Propor o valor das obrigações sociais para homologação na Assembléia Geral; n. Promover a seleção e a contratação de auditoria contábil-financeira externa independente, para fiscalizar a aplicação dos recursos provenientes de eventual Termo de Parceria nos termos da lei 9790/99 que a Entidade venha a firmar, bem como o cumprimento das diretrizes, metas e movimentos econômico-financeiros do CTGRAPHICS; o. Aprovar a celebração de convênios e contratação de empréstimos e financiamentos que venham a ser firmados pelo CTGRAPHICS. Art Compete ao Presidente do Conselho de Administração: a. Representar a Entidade ativa e passivamente, em juízo ou fora dele, podendo constituir procuradores ou mandatários; b. Admitir ou demitir empregados e prestadores de serviço juntamente com o Superintendente; c. Assinar contratos, convênios e demais documentos legais da Entidade juntamente com o Superintendente; d. Abrir e movimentar contas bancárias, assinando cheques juntamente com o Superintendente; e e. Praticar outros atos incluídos em sua competência geral. Parágrafo Único O Presidente do Conselho de Administração poderá delegar qualquer dos poderes previstos no caput ao Vice-Presidente. CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 6/10

7 SEÇÃO III DA SUPERINTENDÊNCIA Art A Superintendência é o órgão executivo do CTGRAPHICS, cabendo-lhe as atividades de natureza técnica, administrativas e financeiras, inerentes e necessárias ao bom funcionamento da Entidade. Art Compete a Superintendência: a. Elaborar a proposta de Plano Estratégico e planos de ação; b. Elaborar proposta de Programa de Trabalho Anual e o respectivo orçamento, em consonância com Plano Estratégico; c. Providenciar a elaboração de balanços, balancetes, informes e relatório anual de atividades; d. Publicar anualmente os relatórios financeiros e de execução, devidamente auditados e aprovados pelo Conselho de Administração, vinculados a acordos, contratos de gestão ou termos de parceria firmada pelo CTGRAPHICS, devidamente acompanhada das certidões negativas de débitos junto ao INSS e ao FGTS, disponíveis a qualquer cidadão interessado; e. Dirigir e supervisionar as atividades técnicas, administrativas e financeiras da Entidade e recomendar ao Conselho de Administração as providências necessárias à sua maior efetividade; f. Propor ao Conselho de Administração a contratação e demissão de empregados e prestadores de serviço; g. Propor ao Conselho de Administração o valor de taxas, contribuições e obrigações sociais; h. Assinar contratos, convênios e demais documentos legais da Entidade juntamente com o Presidente do Conselho de Administração e adotar as medidas necessárias à implementação; i. Propor ao Conselho de Administração, quando necessário, alterações estatutárias da Entidade. j. Analisar as propostas de novos associados e mudanças de categoria social, bem como de novos projetos, submetendo seu parecer à apreciação do Conselho de Administração; k. Supervisionar a administração dos ativos da Entidade, promovendo a conveniente aplicação dos recursos; l. Decidir em conjunto com o Presidente do Conselho de Administração sobre a aceitação de doações, auxílios e subvenções de qualquer natureza, em conformidade com as normas fixadas; m. Propor os critérios e as normas de remuneração dos empregados e prestadores de serviços do CTGRAPHICS para a aprovação do Conselho de Administração; n. Secretariar e apoiar o Conselho de Administração no cumprimento de suas atribuições; o. Executar as resoluções do Conselho de Administração; p. Tomar as medidas necessárias à consecução dos objetivos da Entidade; CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 7/10

8 q. Representar a Entidade em atos de expediente técnico e administrativo de sua competência; r. Abrir e movimentar contas bancárias em conjunto com o Presidente do Conselho de Administração ou seu preposto; e s. Encaminhar junto com o Conselho de Administração as propostas de novos associados, mudanças de categoria social e outorgas de títulos honorários; t. Exercer outras atribuições que lhe forem conferidas pelo Conselho de Administração. Art O Superintendente será remunerado e terá um mandato de dois anos, renovável e que deverá, preferencialmente, coincidir com o do Conselho de Administração, sendo destituível a qualquer tempo. Parágrafo Primeiro O titular da Superintendência deverá ser escolhido pelo Conselho de Administração, dentre pessoas de reconhecida capacidade técnica e de reputação ilibada, com comprovada competência para o exercício das atividades e funções inerentes ao cargo e homologado pela Assembléia Geral. Parágrafo Segundo Ocorrendo vaga na Superintendência, o Conselho de Administração deverá designar o substituto para exercer o mandato, adotando o mesmo critério do parágrafo primeiro deste artigo. SEÇÃO IV DO CONSELHO FISCAL Art O Conselho Fiscal será constituído por 3 membros e seus respectivos suplentes, eleitos pela Assembléia Geral. Parágrafo Primeiro O mandato do Conselho Fiscal será coincidente com o mandato do Conselho de Administração; Parágrafo Segundo Em caso de vacância, o mandato será assumido pelo respectivo suplente, até o seu término. Art Compete ao Conselho Fiscal: a. examinar os livros de escrituração da Instituição; b. opinar sobre os balanços e relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da entidade; c. requisitar ao Superintendente, a qualquer tempo, documentação comprobatória das operações econômico-financeiras realizadas pela Instituição; d. acompanhar o trabalho de eventuais auditores externos independentes; e. convocar extraordinariamente a Assembléia Geral; Parágrafo Único O Conselho Fiscal se reunirá ordinariamente a cada 6 meses e, extraordinariamente, sempre que necessário. CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 8/10

9 Capítulo IV DO PATRIMÔNIO Art O patrimônio do CTGRAPHICS será constituído de bens móveis, imóveis, veículos, semoventes, ações e títulos da dívida pública. Art No caso de dissolução da Instituição, o respectivo patrimônio líquido será transferido a outra pessoa jurídica, preferencialmente com o mesmo objetivo social. Art Na hipótese da Instituição obter e, posteriormente, perder a qualificação instituída pela Lei 9.790/99, o acervo patrimonial disponível adquirido com recursos públicos durante o período em que perdurou aquela qualificação, será contabilmente apurado e transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos da mesma Lei, preferencialmente com o mesmo objetivo social. Capítulo V DO REGIME FINANCEIRO Art A prestação de contas da Instituição observará no mínimo: a. os princípios fundamentais e as Normas Brasileiras de Contabilidade; b. a publicidade, por qualquer meio eficaz, no encerramento do exercício fiscal, ao relatório de atividades e das demonstrações financeiras da entidade, incluindo as certidões negativas de débitos junto ao INSS e ao FGTS, colocando-os à disposição para o exame de qualquer cidadão; c. a realização de auditoria, inclusive por auditores externos independentes se for o caso, da aplicação dos eventuais recursos objeto de Termo de Parceria, conforme previsto em regulamento; d. a prestação de contas de todos os recursos e bens de origem pública recebidos será feita, conforme determina o parágrafo único do Art. 70 da Constituição Federal. Capítulo VI DAS DISPOSIÇÔES GERAIS E TRANSITORIAS Art O CTGRAPHICS será dissolvido por decisão da Assembléia Geral Extraordinária, especialmente convocada para esse fim, quando se tornar impossível a continuação de suas atividades. Art O presente Estatuto poderá ser reformado, a qualquer tempo, por decisão da maioria absoluta dos sócios, em Assembléia Geral especialmente convocada para esse fim, e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório. Art São sócios fundadores as pessoas presentes e representadas na Assembléia Geral de Fundação, que firmem a Ata de Fundação, bem como aquelas, que se associarem ao CTGRAPHICS nos seis primeiros meses contados a partir da data de registro. Parágrafo Primeiro A mudança de categoria social depende de homologação em Assembléia Geral, encaminhada pelo próprio interessado(a) via Superintendência ao Conselho de Administração para parecer e encaminhamento final. Parágrafo Segundo Serão sócios honorários aqueles, que por relevantes serviços prestados aos objetivos e propósitos da instituição, ao fortalecimento da computação gráfica, e por CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 9/10

10 indicação do Conselho de Administração, venham a ser outorgados pela Assembléia Geral com esta honraria. Art O Conselho de Administração e o Conselho Fiscal, eleitos na Assembléia Geral de Fundação, serão transitórios, cumprindo mandatos extraordinários de seis meses sem suplentes, na preparação e execução das formalidades e atividades necessárias à organização, implantação e operação inicial da instituição. Art. 39 O Conselho de Administração Extraordinário, submeterá a apreciação da Assembléia Geral Ordinária convocada ao final do seu mandato, o Plano de Ação / Negócios do CTGRAPHICS e as propostas das Carteiras Pioneiras de Projetos e Captação de Recursos. Parágrafo primeiro As diretivas para atender ao disposto no caput, serão estabelecidas na Assembléia Geral de Fundação. Parágrafo segundo Vencidos os seis meses contados da data de registro em cartório do presente estatuto, o Conselho de Administração Extraordinário convocará a assembléia geral definida no caput, na forma do artigo 16, para tomada de contas, análise de relatórios e apreciação das propostas e projetos levantados. Parágrafo Terceiro - A Assembléia cumprirá também funções eleitorais, realizando a eleição dos Conselhos Ordinários de Administração e Fiscal para o primeiro biênio ordinário, na forma dos artigos 18 e 29. Art Os casos omissos poderão ser propostos ad referendum, pelo Conselho de Administração, para ratificação e homologação em Assembléia Geral. CTGRAPHICS - Centro de Tecnologia de Computação Gráfica - ESTATUTO 10/10

ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO MODELO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO - OSCI P Legenda: Texto em negrito: cláusulas que devem necessariamente constar do estatuto, por força da Lei nº 9.790/99 Texto em

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I. DOS OBJETIVOS Artigo 1º O Centro de Referência em Informação Ambiental com sede e foro na cidade de Campinas na Avenida Romeu Tortima 388, Cidade Universitária, é uma sociedade

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o - A (o) também designada (o) pela sigla, (se usar sigla), fundada (o) em de de é uma associação, sem

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF ADAPTSURF. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DO INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF ADAPTSURF. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DO INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF ADAPTSURF Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - O INSTITUTO ADAPTAÇÃO E SURF - ADAPTSURF, doravante designado por entidade, constituído em 30/12/2007,

Leia mais

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO

PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO PRIMEIRA ALTERAÇÃO DO ESTATUTO DA UNIÃO GARCENSE DE AEROMODELISMO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E FINS Art. 1 A União Garcense de Aeromodelismo (UGA) é uma pessoa jurídica de direito privado, entidade

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO MENINOS DO LAGO

ESTATUTO DO INSTITUTO MENINOS DO LAGO 1 ESTATUTO DO INSTITUTO MENINOS DO LAGO ESTATUTO 2011 2 SUMÁRIO CAPÍTULO TÍTULO I Da Denominação, Sede e Fins II Dos Associados III Da Administração IV Do Patrimônio V Da Prestação de Contas VI Das Disposições

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, TEMPO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO:

ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, TEMPO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO: ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, TEMPO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS DA ASSOCIAÇÃO: Art. 01º - A Associação de Promoção à Assistência Social, Educacional e de Desenvolvimento Econômico de Goiás,

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DO INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DO INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O INSTITUTO DELTA DE DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO PIAUÍ,

Leia mais

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DO MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO REGIONAL DO ABC

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DO MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO REGIONAL DO ABC ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DO MOVIMENTO DE ALFABETIZAÇÃO REGIONAL DO ABC Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O Movimento de Alfabetização Regional

Leia mais

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO/OSCIP

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO/OSCIP ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PUBLICO/OSCIP Capitulo I Da DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - A Afinidades GLSTAL Gays, Lésbicas, Simpatizantes e Transgênero de Alagoas também

Leia mais

Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes

Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes Estatuto Social da Associação Braileira de Redistribuição de Excedentes I DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETIVOS e DURAÇÃO Art. 1º. A Associação Brasileira de Redistribuição de Excedente, também designada pela sigla

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES (ITIE) SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES (ITIE) SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES (ITIE) SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O INSTITUTO DE TECNOLOGIAS DE INDUSTRIALIZAÇÃO

Leia mais

Estatuto Social. Interaction Design Association IxDA-CURITIBA

Estatuto Social. Interaction Design Association IxDA-CURITIBA Estatuto Social Interaction Design Association IxDA-CURITIBA CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Finalidades Art. 1º A Interaction Design Association Capítulo Curitiba, também designada simplesmente como

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE DO PARAISÓPOLIS ESTATUTO. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ASSOCIAÇÃO PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE DO PARAISÓPOLIS ESTATUTO. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ASSOCIAÇÃO PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE DO PARAISÓPOLIS ESTATUTO Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º O PROJETO MORADIA PARA REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NA COMUNIDADE

Leia mais

GRUPO DE AJUDA A CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO REFORMA DO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

GRUPO DE AJUDA A CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO REFORMA DO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS GRUPO DE AJUDA A CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO REFORMA DO ESTATUTO SOCIAL Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O GRUPO DE AJUDA À CRIANÇA CARENTE COM CÂNCER-PERNAMBUCO também designado

Leia mais

Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas

Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas Estatuto do Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas (IQUANTA) Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Art. 1º - O Instituto de Estudos em Computação e Informação Quânticas,

Leia mais

Estatuto Social da Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região

Estatuto Social da Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região Estatuto Social da Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região Da Denominação, Sede e Fins Artigo 1º - A Ação Comunitária da Chácara Santo Antonio e região é uma associação civil, de direito privado,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. MOINHOS DA CIDADANIA - Projetos de Desenvolvimento Social

ESTATUTO SOCIAL. MOINHOS DA CIDADANIA - Projetos de Desenvolvimento Social 1 ESTATUTO SOCIAL MOINHOS DA CIDADANIA - Projetos de Desenvolvimento Social Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A organização não-governamental Moinhos da Cidadania - Projetos de Desenvolvimento

Leia mais

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos

NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO. Capítulo I. Da entidade e seus objetivos Versão Final NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL ESTATUTO Capítulo I Da entidade e seus objetivos Art. 1º - O NÚCLEO AMIGOS DA TERRA / BRASIL, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - FINEDUCA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO

Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação - FINEDUCA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º - A Associação Nacional de Pesquisa em Financiamento da Educação, doravante denominada FINEDUCA, é uma associação civil de direito privado,

Leia mais

Estatuto Social da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica TecVitória. Capítulo I Da Constituição e dos Objetivos Sociais

Estatuto Social da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica TecVitória. Capítulo I Da Constituição e dos Objetivos Sociais Capítulo I Da Constituição e dos Objetivos Sociais Art. 1º - A Incubadora de Empresas de Base Tecnológica TecVitória doravante denominada TecVitória, é uma associação civil, sem fins lucrativos, com personalidade

Leia mais

SEGUNDA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS USUÁRIOS DE MEIOS DE TRANSPORTE TERRESTRE À PROPULSÃO HUMANA

SEGUNDA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS USUÁRIOS DE MEIOS DE TRANSPORTE TERRESTRE À PROPULSÃO HUMANA SEGUNDA ALTERAÇÃO ESTATUTÁRIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS USUÁRIOS DE MEIOS DE TRANSPORTE TERRESTRE À PROPULSÃO HUMANA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Artigo 1º: A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA

Leia mais

Ata de Assembléia geral para constituição, aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Instituto de Ação Comunitária

Ata de Assembléia geral para constituição, aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Instituto de Ação Comunitária Ata de Assembléia geral para constituição, aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal do Instituto de Ação Comunitária Integração também designado IACI. Aos 18 dias do mês de

Leia mais

ESTATUTO DO ECOA - ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Art.

ESTATUTO DO ECOA - ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Art. ESTATUTO DO ECOA - ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM - PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL. Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Art. 1º - O ESPAÇO COMUNITÁRIO DE APRENDIZAGEM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E MISSÃO Art. 1º O CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISA EM AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CASA DO CUIDAR CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO

ESTATUTO SOCIAL CASA DO CUIDAR CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO ESTATUTO SOCIAL CASA DO CUIDAR CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - A Casa do Cuidar é uma associação civil, de direito privado, sem fins lucrativos e econômicos e duração por tempo

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO ESTRE DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL CNPJ/MF N.º 08.483.074/0001-38 CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO ESTRE DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL CNPJ/MF N.º 08.483.074/0001-38 CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO ESTRE DE RESPONSABILIDADE SÓCIO-AMBIENTAL CNPJ/MF N.º 08.483.074/0001-38 CAPÍTULO I DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - O Instituto Estre de Responsabilidade Sócio-Ambiental,

Leia mais

ESTATUTO AMARRIBO BRASIL

ESTATUTO AMARRIBO BRASIL ESTATUTO AMARRIBO BRASIL Aprovado em Assembleia Geral de 02/08/2014 Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS. Artigo 1º - Os Amigos Associados de Ribeirão Bonito AMARRIBO- doravante designada por entidade,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO INSTITUTO DE SOLIDARIEDADE EDUCACIONAL E CULTURAL - ISEC. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO INSTITUTO DE SOLIDARIEDADE EDUCACIONAL E CULTURAL - ISEC. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL CONSOLIDADO INSTITUTO DE SOLIDARIEDADE EDUCACIONAL E CULTURAL - ISEC Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. O Instituto de Solidariedade Educacional e Cultural também

Leia mais

ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA - ABO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS

ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA - ABO ESTATUTO SOCIAL. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA - ABO ESTATUTO SOCIAL Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO, SEDE E FINS Art. 1º - A ACADEMIA BRASILEIRA DE OFTALMOLOGIA, doravante designada pela sigla ABO, é uma pessoa

Leia mais

Estatuto Social. Contribuir para a revitalização do Distrito Industrial, tanto na sua imagem quanto na sua infra-estrutura.

Estatuto Social. Contribuir para a revitalização do Distrito Industrial, tanto na sua imagem quanto na sua infra-estrutura. Estatuto Social Da Denominação, Sede e Fins Artigo 1º - A Associação Distrito Vivo (ADV) é uma associação civil, de pessoas jurídicas instaladas no Distrito Industrial de duração indeterminada, apartidária,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO IRD-ASSIRD ESTATUTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E DA DURAÇÃO.

ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO IRD-ASSIRD ESTATUTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E DA DURAÇÃO. ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO IRD-ASSIRD ESTATUTO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, DA SEDE E DA DURAÇÃO. Art. 1º. A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO INSTITUTO DE RADIOPROTEÇÂO E DOSIMETRIA, ASSIRD, é uma sociedade civil, sem

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES Art. 1º A Associação dos Moradores e Adquirentes do Condomínio Alto da Boa Vista é uma sociedade

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais)

MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) MODELO DE ESTATUTO DA SOCIEDADE DE AMIGOS DA BIBLIOTECA PÚBLICA (Este modelo deverá ser adaptado às situações locais) CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE, DURAÇÃO Art. 1.º A SOCIEDADE DE AMIGOS DA

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DO CARSTE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DO CARSTE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO SOCIAL INSTITUTO DO CARSTE CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1 - O Instituto do Carste, também designado pela sigla IC, constituído em 15 de dezembro de 2007, é uma pessoa jurídica

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO PARA O PATRONATO CONTEMPORÂNEO - APC. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO PARA O PATRONATO CONTEMPORÂNEO - APC. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO PARA O PATRONATO CONTEMPORÂNEO - APC. CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º - Constitui- se sob a denominação de Contemporâneo pessoa jurídica de direito privado,

Leia mais

ESTATUTO INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DE ENERGIAS ALTERNATIVAS NA AMÉRICA LATINA PREÂMBULO

ESTATUTO INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DE ENERGIAS ALTERNATIVAS NA AMÉRICA LATINA PREÂMBULO ESTATUTO INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DE ENERGIAS ALTERNATIVAS NA AMÉRICA LATINA PREÂMBULO O grande desafio deste século é o de descobrirmos quais as fontes de energia que irão mover a humanidade no

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO RODA D ÁGUA

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO RODA D ÁGUA ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO RODA D ÁGUA Capitulo Primeiro Nome e Natureza Jurídica Art. 1 - Sob a denominação de INSTITUTO RODA D ÁGUA, ou pela forma abreviada RODA D ÁGUA fica instituída esta associação

Leia mais

ESTATUTO PREMATURIDADE.COM CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES

ESTATUTO PREMATURIDADE.COM CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES ESTATUTO PREMATURIDADE.COM CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Artigo 1º A Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros, desde já também designado pela

Leia mais

Ata da fundação e Adequação do Estatuto Social ao Novo Código Civil

Ata da fundação e Adequação do Estatuto Social ao Novo Código Civil Ata da fundação e Adequação do Estatuto Social ao Novo Código Civil Sociedade do Sol Sosol CNPJ n 05202923/0001-40 Ata da Assembleia Geral de Fundação da Sociedade do Sol No dia vinte e nove de novembro

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FANFARRAS E BANDAS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FANFARRAS E BANDAS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FANFARRAS E BANDAS Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. A Associação Paulista de Fanfarras e Bandas, também designada pelas siglas, OCIFABAN (Organização Cultural

Leia mais

Brigada 1 Combate Voluntário a Incêndios Florestais CNPJ 05 840 482 0001/01

Brigada 1 Combate Voluntário a Incêndios Florestais CNPJ 05 840 482 0001/01 ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - Da Denominação, da Sede, do Foro e do Prazo de Duração Art. 1º - A Brigada 1, também designada pela sigla B1, constituída aos vinte e três dias de março de dois mil e três,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO INSTITUTO CRESCER LEGAL

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO INSTITUTO CRESCER LEGAL ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO INSTITUTO CRESCER LEGAL CAPÍTULO I - DA NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E PRAZO Art. 1º - A Associação Instituto Crescer Legal, doravante denominado simplesmente Instituto, é

Leia mais

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP

ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP ESTATUTO DE ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO OSCIP Capítulo I Da Denominação, Sede e Fins Art. 1º - O Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável, neste estatuto designada

Leia mais

Associação do Software Livre do Maranhão ASL/MA

Associação do Software Livre do Maranhão ASL/MA 1 Associação Software Livre do Estado do Maranhão ASL/MA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Art.1º - A Associação Software Livre do Estado do Maranhão, doravante designada pela

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO SEM FINS LUCRATIVOS, DENOMINADO INSTITUTO DE POLÍTICAS RELACIONAIS PSICODRAMA DA CIDADE CAPÍTULO I

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO SEM FINS LUCRATIVOS, DENOMINADO INSTITUTO DE POLÍTICAS RELACIONAIS PSICODRAMA DA CIDADE CAPÍTULO I ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO SEM FINS LUCRATIVOS, DENOMINADO INSTITUTO DE POLÍTICAS RELACIONAIS PSICODRAMA DA CIDADE CAPÍTULO I DA NATUREZA, OBJETIVOS, DENOMINAÇÃO, SEDE e PRAZO Do nome e da natureza jurídica

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ)

REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) REGIMENTO INTERNO DA FUNDAÇÃO INSTITUTO TECNOLÓGICO DE JOINVILLE - (FITEJ) CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADES Art 1º. A Fundação Instituto Tecnológico de Joinville, doravante denominada FITEJ, entidade

Leia mais

Como montar uma ONG no Amapá

Como montar uma ONG no Amapá Como montar uma ONG no Amapá Eis um modelo básico do Estatuto Social de uma ONG comumente divulgado na internet. Faça as alterações e adapte à sua realidade. Existem modelos mais amplos e mais completos,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES DE MICROCRÉDITO DE SANTA CATARINA AMCRED-SC

ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES DE MICROCRÉDITO DE SANTA CATARINA AMCRED-SC ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES DE MICROCRÉDITO DE SANTA CATARINA AMCRED-SC Estatuto Social. Aprovado pela Assembléia Geral em 25 de março de 2006. SUMÁRIO CAPÍTULO I Da Denominação, Sede,

Leia mais

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 36726 DE 18 DE JANEIRO DE 2013 Aprova o Estatuto da Fundação Cidade das Artes. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que dispõe o Decreto

Leia mais

Associação Pelotas Pró Turismo

Associação Pelotas Pró Turismo Associação Pelotas Pró Turismo ESTATUTO SOCIAL Capítulo I: Da Denominação, Regime, Sede, Foro e Duração. Artigo 1º: Artigo 2º: Artigo 3º: A Associação Pelotas Pró-Turismo, que para efeitos promocionais

Leia mais

1ª Alteração do Estatuto Social INSTITUTO MAR ADENTRO. Capítulo I - Da Denominação, Sede e Fins

1ª Alteração do Estatuto Social INSTITUTO MAR ADENTRO. Capítulo I - Da Denominação, Sede e Fins Capítulo I - Da Denominação, Sede e Fins Artigo 1º - O Instituto MAR ADENTRO: Promoção e gestão do conhecimento de ecossistemas aquáticos, a seguir denominado pela sigla MAR ADENTRO, é uma associação civil,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL SBFV

ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL SBFV Estatuto ESTATUTO SOCIAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FISIOLOGIA VEGETAL SBFV CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, OS FINS E A SEDE DA ASSOCIAÇÃO. Art. 1º - A associação é denominada Sociedade Brasileira de Fisiologia

Leia mais

ABRIGO DO JELLO - PROTEÇÃO A ANIMAIS DE RUA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E OBJETIVO SOCIAL

ABRIGO DO JELLO - PROTEÇÃO A ANIMAIS DE RUA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E OBJETIVO SOCIAL ABRIGO DO JELLO - PROTEÇÃO A ANIMAIS DE RUA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, PRAZO E OBJETIVO SOCIAL Art. 1 - Aos 24 dias do mês de maio de 2011, fica constituída, através deste instrumento

Leia mais

INSTITUTO COMPARTILHAR ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO COMPARTILHAR CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FUNDAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO E REGÊNCIA

INSTITUTO COMPARTILHAR ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO COMPARTILHAR CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FUNDAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO E REGÊNCIA INSTITUTO COMPARTILHAR ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO COMPARTILHAR CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FUNDAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO E REGÊNCIA ARTIGO 1 - O INSTITUTO COMPARTILHAR é uma associação, sem fins econômicos,

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

ESTATUTO DO IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE

ESTATUTO DO IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE ESTATUTO DO IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINS E DURAÇÃO Artigo 1º. O IDBRASIL CULTURA, EDUCAÇÃO E ESPORTE, denominado IDBRASIL, é uma associação de direito privado,

Leia mais

Café com aroma de mulher

Café com aroma de mulher 1 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ccam.asso.st Roça Monte Café Tel.: +239.991 31 26 info.ccam@asso stp.org Art. 1º A Associação é uma entidade de natureza privada, sem fins lucrativos ou político partidários, constituída

Leia mais

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO

ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ. Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO ESTATUTO da ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA de PATCHWORK e QUILT ABPQ Capítulo I. DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS, SEDE E DURAÇÃO Art. 1º A Associação Brasileira de Patchwork e Quilt, doravante designada ABPQ, é uma sociedade

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE Preâmbulo Os representantes do CONFAUeD, reunidos em assembléia, no dia 30 de junho de 2011, para instituição dos regimentos dos seus laboratórios e núcleos, após deliberação aprovou o REGIMENTO INTERNO

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO CASA COOPERATIVA DE NOVA PETRÓPOLIS" NOVA PETRÓPOLIS RS

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO CASA COOPERATIVA DE NOVA PETRÓPOLIS NOVA PETRÓPOLIS RS ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO CASA COOPERATIVA DE NOVA PETRÓPOLIS" NOVA PETRÓPOLIS RS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINS Art. 1º - Sob a denominação de "Casa Cooperativa de Nova Petrópolis" é constituída

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA- ANDA

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA- ANDA REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA- ANDA - 1 - CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. A Associação Nacional de Pesquisadores em Dança, associação sem fins lucrativos

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE, EDU

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE, EDU 'I r/"- /,,_\, - _ ~J" ~, ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE, EDU E ASSISTENCIAL "GENTE AMIGA". Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1 - A Associação Beneficente, Educacional e Assistencial Gente

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL

ESTATUTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL ESTATUTO SOCIAL 1 ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E TEMPO DE DURAÇÃO Artigo 1º - Fica constituída a ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA DO PROJETO AÇÃO SOCIAL,

Leia mais

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ)

Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Estatutos da Associação Cecília e João (ACJ) Capítulo I Da Associação Art. 1º - A Associação Cecília e João (ACJ), entidade de personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede em

Leia mais

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput).

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput). MODELO DE ESTATUTO DE FUNDAÇÃO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Fundação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos 1, com autonomia administrativa

Leia mais

Modelo de estatuto de Associação

Modelo de estatuto de Associação Modelo de estatuto de Associação CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Associação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa

Leia mais

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA

PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA PARCERIA BRASILEIRA PELA ÁGUA Considerando a importância de efetivar a gestão integrada de recursos hídricos conforme as diretrizes gerais de ação estabelecidas na Lei 9.433, de 8.01.1997, a qual institui

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL Agência de Promoção Eco Sustentável APECO

ESTATUTO SOCIAL Agência de Promoção Eco Sustentável APECO ESTATUTO SOCIAL Agência de Promoção Eco Sustentável APECO CAPÍTULO PRIMEIRO Nome e Natureza Jurídica Art. 1º - Sob a denominação de Agência de Promoção Eco Sustentável, ou pela forma abreviada APECO, neste

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (ABRACE) CAPÍTULO I Da Natureza, Sede e Duração

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (ABRACE) CAPÍTULO I Da Natureza, Sede e Duração ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS (ABRACE) CAPÍTULO I Da Natureza, Sede e Duração Art. 1º - A Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas,

Leia mais

LISTA DE CONFERÊNCIA DOS REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO COMO OSCIP

LISTA DE CONFERÊNCIA DOS REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO COMO OSCIP LISTA DE CONFERÊNCIA DOS REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO COMO OSCIP I DOCUMENTAÇÃO: Checar se, de acordo com o artigo 5º, da Lei n.º 9.790/99, o requerimento de qualificação como OSCIP (Modelo II) está acompanhado

Leia mais

A Associação é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos e durará por tempo indeterminado.

A Associação é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos e durará por tempo indeterminado. ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DIABÉTICO FEIRA Artigo 1º A associação denomina-se ASSOCIAÇÃO DIABÉTICO FEIRA, com sede no Hospital de São Sebastião, EPE,, concelho de Santa Maria da Feira, podendo ser transferida

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS. CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete.

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS. CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete. ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS CAPÍTULO I Da Denominação, Natureza Jurídica, Sede e Regime a que se submete. Artigo 1º - A ASSOCIAÇÃO TRIUNFO DE DEUS, doravante, neste estatuto, denominada pelo

Leia mais

COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS CBA ESTATUTO SOCIAL

COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS CBA ESTATUTO SOCIAL COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS CBA ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. O COMITÊ BRASILEIRO DE ACROBACIA E COMPETIÇÕES AÉREAS também designado pela sigla,

Leia mais

Associação Técnico Científica Ernesto Luiz de Oliveira Junior ATECEL

Associação Técnico Científica Ernesto Luiz de Oliveira Junior ATECEL Associação Técnico Científica Ernesto Luiz de Oliveira Junior ATECEL Entidade declarada de utilidade pública pelas leis municipal n o. 03-B/74-GP de 15.03.74 e estadual no. 3738 de 20.12.74 ESTATUTO Associação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Comissão Permanente de Propriedade Intelectual RESOLUÇÃO Nº 021/2007 DO CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AGILE ALLIANCE BRAZIL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E DURAÇÃO Artigo 1º - Sob a denominação de AGILE ALLIANCE BRAZIL, foi instituída em 14/11/2013, uma pessoa jurídica de direito

Leia mais

DA ASSOCIAÇÃO CIDADÃO PRÓ-MUNDO. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

DA ASSOCIAÇÃO CIDADÃO PRÓ-MUNDO. Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO CIDADÃO PRÓ-MUNDO Capítulo I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1º - A associação tem a denominação de Associação Cidadão Pró-Mundo, sendo também designada pelo nome fantasia

Leia mais

Estatuto da Associação de Pais e Professores do

Estatuto da Associação de Pais e Professores do CNPJ: 82.898.404/0001-09 Estatuto da Associação de Pais e Professores do CENTRO EDUCACIONAL MENINO JESUS Fundada em 1973, Florianópolis/SC C A P Í T U L O I Da Associação e seus fins Art. 1º. - A Associação

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO SEDE E FINS

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO SEDE E FINS LIGA ESTATUTO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO SEDE E FINS Art. 1- A Liga constituída em de de, é uma entidade civil, beneficente, sem fins lucrativos de assistência social e orientação, de pessoa jurídica de

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAPÍTULO I: DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA SOLAR CIÊNCIA E TECNOLOGIA, também designada

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS INOVA-RIA. Artigo 1º Denominação, Natureza e Duração

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS INOVA-RIA. Artigo 1º Denominação, Natureza e Duração ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS INOVA-RIA Artigo 1º Denominação, Natureza e Duração A Associação adota a denominação INOVA-RIA: Associação de Empresas para uma Rede de Inovação em Aveiro e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, PATRIMÔNIO HISTÓRICO E DIFUSÃO DA CULTURA E EDUCAÇÃO

ASSOCIAÇÃO DE PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, PATRIMÔNIO HISTÓRICO E DIFUSÃO DA CULTURA E EDUCAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE, PATRIMONIO HISTORICO E DIFUSÃO DA CULTURA E EDUCAÇÃO APRECED - TITULO I DA ORGANIZAÇÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, CONSTITUIÇÃO E FINALIDADES Art.

Leia mais

REDE DE SEMENTES DO CERRADO ESTATUTO SOCIAL

REDE DE SEMENTES DO CERRADO ESTATUTO SOCIAL REDE DE SEMENTES DO CERRADO ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º. A REDE DE SEMENTES DO CERRADO, também designada neste Estatuto por REDE, é uma associação civil, pessoa jurídica

Leia mais

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES

INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - INSTITUTO ANDIFES ESTATUTOS TÍTULO I DO NOME, DA NATUREZA, DO OBJETO, DA SEDE e DO FORO Art. 1º - O INSTITUTO DE ESTUDOS ESTRATÉGICOS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

ESTATUTO DO INSTITUTO DE ARTES ANIMA BRASIL IAAB

ESTATUTO DO INSTITUTO DE ARTES ANIMA BRASIL IAAB 1 ESTATUTO DO INSTITUTO DE ARTES ANIMA BRASIL IAAB CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADE. Art. 1º - O INSTITUTO DE ARTES ANIMA BRASIL - também designado pela sigla IAAB - constituído em 02 de

Leia mais

Estatuto. 2ª Alteração no Estatuto Social. Capítulo I Denominação, Duração, Sede e Objeto

Estatuto. 2ª Alteração no Estatuto Social. Capítulo I Denominação, Duração, Sede e Objeto Estatuto 2ª Alteração no Estatuto Social Capítulo I Denominação, Duração, Sede e Objeto ART. 1º O Instituto de Homeopatia James Tyler Kent, inscrito no CNPJ-MF sob o nº 29.417.581/0001-43, é uma pessoa

Leia mais

ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE

ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE ESTATUTO DA EMPRESA JÚNIOR DA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PRAIA GRANDE FATEC JÚNIOR PRAIA GRANDE CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO. Artigo 1º - A Empresa Júnior dos alunos da Faculdade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS. Regimento Interno da ANPAP

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS. Regimento Interno da ANPAP ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS Regimento Interno da ANPAP Aprovado na Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 19 de outubro de 2013, durante o XXII Encontro Nacional

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

Fundação Casa Grande Memorial do Homem Kariri. Estatuto

Fundação Casa Grande Memorial do Homem Kariri. Estatuto Fundação Casa Grande Memorial do Homem Kariri CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE Estatuto Art. 1º A FUNDAÇÃO CASA GRANDE MEMORIAL DO HOMEM KARIRI, com sede na Casa Grande da Rua Jeremias Pereira, N. 444,

Leia mais

ADMISSÃO DE ASSOCIADOS art. 6º, 1º ALTERAÇÃO DE ESTATUTO art. 17, V, 1º ASSEMBLÉIA GERAL art. 16 ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA art.

ADMISSÃO DE ASSOCIADOS art. 6º, 1º ALTERAÇÃO DE ESTATUTO art. 17, V, 1º ASSEMBLÉIA GERAL art. 16 ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA art. 1 ADMISSÃO DE ASSOCIADOS art. 6º, 1º ALTERAÇÃO DE ESTATUTO art. 17, V, 1º ASSEMBLÉIA GERAL art. 16 ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA art. 19 ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA art. 18 ASSOCIADOS art. 6º COMPETÊNCIA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, DURAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - O Conselho Municipal do Idoso CMI de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº 1754,

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o O URUBUZÃO CLUBE DE AMIGOS, fundado em 01 de Agosto de 2007 é uma Associação, sem fins econômicos, que terá duração por tempo indeterminado, sede no Município

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DA BH EM CICLO ASSOCIAÇÃO DOS CICLISTAS URBANOS DE BELO HORIZONTE

ESTATUTO SOCIAL DA BH EM CICLO ASSOCIAÇÃO DOS CICLISTAS URBANOS DE BELO HORIZONTE ESTATUTO SOCIAL DA BH EM CICLO ASSOCIAÇÃO DOS CICLISTAS URBANOS DE BELO HORIZONTE Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES Art. 1º - A BH em Ciclo - ASSOCIAÇÃO DOS CICLISTAS URBANOS DE BELO HORIZONTE,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO PALAVRA ABERTA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO E DURAÇÃO

ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO PALAVRA ABERTA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO E DURAÇÃO ESTATUTO SOCIAL DO INSTITUTO PALAVRA ABERTA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO E DURAÇÃO Art. 1º O INSTITUTO PALAVRA ABERTA é classificado como pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES... DA LOCALIDADE DE... CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objetivos

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES... DA LOCALIDADE DE... CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objetivos ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES... DA LOCALIDADE DE... CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objetivos Art. 1º - A Associação dos agricultores... é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, com

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CERVEJEIROS ARTESANAIS DE SANTA CATARINA

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CERVEJEIROS ARTESANAIS DE SANTA CATARINA 1 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS CERVEJEIROS ARTESANAIS DE SANTA CATARINA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art. 1º A ASSOCIAÇÃO DOS CERVEJEIROS ARTESANAIS DE SANTA CATARINA, também designada pela sigla

Leia mais

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS.

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS. ESTATUTO DA FUNDAÇÃO DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL FUNDAMENTAL CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, PRAZO DE DURAÇÃO, SEDE E FINS. Art. 1º - A Fundação Desenvolvimento Ambiental - Fundamental é pessoa jurídica de direito

Leia mais