O QUE PROCURA O CONSUMIDOR DO SEC. XXI?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O QUE PROCURA O CONSUMIDOR DO SEC. XXI?"

Transcrição

1

2 O QUE PROCURA O CONSUMIDOR DO SEC. XXI? DIVERTIMENTO FANTASIA NOVAS EXPERIÊNCIAS SENSAÇÕES

3 SÉC. XXI: UM NOVO PARADIGMA DE MARKETING MARKETING TRANSACCIONAL Estratégias Transaccionais + MARKETING RELACIONAL Estratégias Relacionais MARKETING SENSORIAL A TERCEIRA VAGA DO MARKETING NO SEC. XXI

4

5 Adaptado de Húlten et al (2009)

6

7

8 Adaptado de Húlten et al (2009)

9 SABIA QUE...?

10 OS SENTIDOS ESTÃO DIRECTAMENTE RELACIONADOS COM AS MEMÓRIAS, AS EMOÇÕES E AS SENSAÇÕES E ESTABELECEM UMA FORTE RELAÇÃO FÍSICA E PSICOLÓGICA ENTRE OS BENS, OS SERVIÇOS E OS CONSUMIDORES.

11 Existe uma forte correlação entre a qualidade do design dos estímulos visuais e a performance financeira (Hertenstein e Platt, 2001; Wallace,2001) A publicidade, a cor, o design, a luminosidade, o logótipo, o packaging, o design do produto, os websites e outros estímulos visuais tornam possível diferenciar os produtos, evitar cópias, aumentar o grau de lealdade entre o consumidor e as marcas e proteger as marcas contra a concorrência.

12 O sentido do olfacto é considerado como um dos mais poderosos sentidos para criar associações e evocar memórias (Aggleton e Waskett, 1999) A percepção do olfacto é hedónica (Ellen e Bone, 1998) A aromatização de espaços tem efeitos positivos na avaliação de lojas e de produtos (Spangenberg et al, 2006) Aromas agradáveis podem aumentar o tempo de permanência numa loja e o volume de compras (Spangenberg et al, 2006; Morrin e Chebat, 2005) No marketing sensorial os aromas podem ser utilizados no marketing estratégico para expressar a identidade de uma marca e intensificar a sua imagem (scent signature) ou no marketing táctico para promover um produto.

13 O sentido do paladar é considerado o mais distinto dos sentidos do ponto de vista emocional, em virtude da sua capacidade para facilitar a interacção social, das suas relações estreitas com outros sentidos e do seu elevado grau de interacção entre as empresas e os consumidores a um nível personalizado. Uma experiência gustativa pode persuadir os consumidores a permanecerem mais tempo numa loja, o que conduz ao aumento do consumo. As empresas podem utilizar diversos sabores para dar sabor a uma marca e atribuir-lhe novas dimensões hedónicas.

14 . Existem diferentes motivações pessoais associadas ao sentido do toque.. Os produtos contém diferentes atributos relacionados com o toque que podem ser explorados de forma singular. Os estímulos tácteis agem de forma bastante individualizada sobre as percepções. Ao utilizar o toque, como uma forma preferencial de obter informação sobre determinado produto, uma resposta afectiva positiva pode resultar em atitudes mais positivas sobre o produto (Peck e Wiggins, 2006). Os materiais, as superfícies, a temperatura, o peso, a forma e a robustez podem contribuir positivamente para uma experiência táctil com a marca, diferenciá-la face aos seus concorrentes e aumentar o grau de lealdade dos consumidores face à marca.

15 A música tem um impacto positivo no comportamento de compra e na atmosfera da loja ao criar associações e ao evocar memórias (Areni e Kim, 1993; Donavan e Rossiter, 1982; Morrison, 2002) Existe uma correlação positiva entre a música e o tempo passado numa loja (Milliman, 1982; Kelllaris et al, 1992; Morrison, 2002) em virtude do poder evocativo da música como um elemento que permite diferenciar uma empresa ou influenciar o estado de espírito do consumidor ou o seu comportamento de compra. Diferentes formas de expressões sensoriais jingles, vozes, música, sound brand ou assinatura musical) podem facilitar uma experiência sonora e pode ser aplicada de forma consistente à estratégia de marketing para alcançar a diferenciação face à concorrência (Húlten et al, 2009)

16 MARKETING SENSORIAL PORQUÊ? DIFERENCIAÇÃO NOTORIEDADE LEALDADE COMPRA POR IMPULSO

17 MARKETING SENSORIAL EXEMPLOS INTERNACIONAIS: O QUE TÊM EM COMUM?

18 MARKETING SENSORIAL CASE STUDIES MY.SENSYS EM PORTUGAL

19 A SUA MARCA É MULTISENSORIAL?

20

O marketing olfativo no varejo!

O marketing olfativo no varejo! O marketing olfativo no varejo! Regina Devecchi Perfumista O Marketing Olfativo no varejo. Os departamentos de marketing das empresas buscam a cada dia novas maneiras de atrair seus clientes e torná-los

Leia mais

A importância do branding

A importância do branding A importância do branding Reflexões para o gerenciamento de marcas em instituições de ensino Profª Ligia Rizzo Branding? Branding não é marca Não é propaganda Mas é sentimento E quantos sentimentos carregamos

Leia mais

Atelier de Estimulação Cognitiva em Grupo e em Pequenos Grupos

Atelier de Estimulação Cognitiva em Grupo e em Pequenos Grupos Atelier de Estimulação Cognitiva em Grupo e em Pequenos Grupos - Promover Orientação, - Reconhecer o esquema corporal, - Estimulação da memória, - Desenvolvimento das Práxias, - Reabilitação das Funções

Leia mais

Marketing Olfativo. Aromatizadores

Marketing Olfativo. Aromatizadores & Aromatizadores Cenário Marketing Olfativo O efeito sobre o estado de espírito do consumidor é o único território que resta para prover benefícios novos e atraentes. Fonte - Melinda Davis A Nova Cultura

Leia mais

Marcas, Emoções e Sentidos. Insights sobre o poder da razão, emoção e sentidos na construção e marketing de marcas de sucesso

Marcas, Emoções e Sentidos. Insights sobre o poder da razão, emoção e sentidos na construção e marketing de marcas de sucesso Marcas, Emoções e Sentidos Insights sobre o poder da razão, emoção e sentidos na construção e marketing de marcas de sucesso Agenda Os 5 sentidos e como se relacionam com as marcas Emoção e como retemos

Leia mais

Plano de Formação. Módulo de Introdução Perspectivas lúdicas e Terapêuticas do Snoezelen

Plano de Formação. Módulo de Introdução Perspectivas lúdicas e Terapêuticas do Snoezelen Plano de Formação Nome da Formação: Módulo de Introdução Perspectivas lúdicas e Terapêuticas do Snoezelen Fundamentação da pertinência do curso: Snoezelen (do Holandês) significa SNUFFELEN = cheirar; DOEZELEN

Leia mais

Curso de Formação 1. www.snoezelen-idosos.com 1. Nome da Formação: Intervenção Multissensorial na Educação Especial

Curso de Formação 1. www.snoezelen-idosos.com 1. Nome da Formação: Intervenção Multissensorial na Educação Especial Curso de Formação 1 Nome da Formação: Intervenção Multissensorial na Educação Especial Perspetivas lúdicas e aprendizagens no Snoezelen Objetivo Geral do Curso: Promover a aquisição de conhecimentos sobre

Leia mais

QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS

QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS QUEM SOMOS Somos uma organização global, multidisciplinar, orientada para a criação, desenvolvimento e implementação de experiências diferenciadoras e impactantes com significado relevante para espaços

Leia mais

Análise Sensorial Ensaios com Celíacos

Análise Sensorial Ensaios com Celíacos Análise Sensorial Ensaios com Celíacos Outubro 2008 SENSE TEST Sense Test, Lda Estudos de Análise Sensorial a Produtos Alimentares Estudos de Análise Sensorial a Produtos Não Alimentares Agenda Utilização

Leia mais

O Sistema de Oferta de Restaurantes de Alta Gastronomia: Uma Perspectiva Sensorial das Experiências de Consumo

O Sistema de Oferta de Restaurantes de Alta Gastronomia: Uma Perspectiva Sensorial das Experiências de Consumo O Sistema de Oferta de Restaurantes de Alta Gastronomia: Uma Perspectiva Sensorial das Experiências de Consumo Autoria: Anne Karmen Gomes Teixeira, Maria de Lourdes de Azevedo Barbosa Resumo Este estudo

Leia mais

A marca e sua produção de sentido por meio da experiência multissensorial 1

A marca e sua produção de sentido por meio da experiência multissensorial 1 A marca e sua produção de sentido por meio da experiência multissensorial 1 Alhen Rubens Silveira DAMASCENO 2 Universidade de São Paulo, São Paulo, SP Resumo Hoje em dia a marca ocupa um lugar de destaque

Leia mais

Texto use sempre a fonte Arial Café Produzido com Atitude Ético,rastrável e de alta qualidade

Texto use sempre a fonte Arial Café Produzido com Atitude Ético,rastrável e de alta qualidade Café Produzido com Atitude Ético,rastrável e de alta qualidade Francisco Sérgio de Assis Diretor Pres. da Federação dos Cafeicultores do Cerrado Quem Título Somos: Uma Texto origem use produtora sempre

Leia mais

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Marcas Marcas Introdução...3 O que é marca?...4 Marcas x produtos...4 Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Exemplo de diferentes níveis de produto...6 Desafios do branding...8 Conceito de

Leia mais

Modelos de Intervenção em PEA

Modelos de Intervenção em PEA Braga 2008 1 de Março o de 2008 Modelos de Intervenção em PEA João Teixeira Centro de Estudos e Apoio à Criança a e Família APPDA-Norte Modelos de Intervençao em PEA 1943 Kanner e Asperger identificam

Leia mais

internacional Ciclo de Conferências Diálogos da Internacionalização AICEP das Empresas Portuguesas Porto, 2 de fevereiro de 2012 Luís Cardia

internacional Ciclo de Conferências Diálogos da Internacionalização AICEP das Empresas Portuguesas Porto, 2 de fevereiro de 2012 Luís Cardia Como criar uma marca forte para o mercado internacional Ciclo de Conferências Diálogos da Internacionalização AICEP Marca e Propriedade Intelectual: Desafios à Internacionalização das Empresas Portuguesas

Leia mais

Gestão da Marca. Construção de valores

Gestão da Marca. Construção de valores Gestão da Marca Construção de valores Design é mais do que o veículo pelo qual as marcas se expressam e se conectam com seus clientes... o design é um reflexo do ecossistema humano Marc Gobé Especialista

Leia mais

possibilidade de obter grande quantidade de informação a baixo custo por consumidor

possibilidade de obter grande quantidade de informação a baixo custo por consumidor 333 escolha do local para realizar teste local pode influenciar resultados localização amostragem percepção sensorial podem ocorrer diferenças para um mesmo produto, em diferentes locais, devido a: diferenças

Leia mais

Estudos de Imagem e Notoriedade

Estudos de Imagem e Notoriedade Estudos de Imagem e Notoriedade 1- Enquadramento O Serviço: Relatórios Avaliação da Imagem e Notoriedade das organizações, bem como da força de marca e posicionamento face à concorrência. Para que Serve:

Leia mais

Como as marcas ajudam a vender! COMO AS MARCAS AJUDAM SUA EMPRESA A VENDER MAIS!

Como as marcas ajudam a vender! COMO AS MARCAS AJUDAM SUA EMPRESA A VENDER MAIS! COMO AS MARCAS AJUDAM SUA EMPRESA A VENDER MAIS! Guilherme Sebastiany Ÿ É professor de Branding no MASTER _ MARKETING _ BSP Ÿ É professor de Branding no MBA _ Hotelaria de luxo _ URM Ÿ É professor no MBA

Leia mais

COMO UMA MARCA FORTE AJUDA SUA EMPRESA A VENDER MAIS

COMO UMA MARCA FORTE AJUDA SUA EMPRESA A VENDER MAIS COMO UMA MARCA FORTE AJUDA SUA EMPRESA A VENDER MAIS SUMÁRIO >> O que é branding? 3 >> A experiência do cliente com sua marca no processo de vendas 7 >> Tenha um design agradável que reflita a personalidade

Leia mais

Karisma. Mesa Interactiva

Karisma. Mesa Interactiva KARISMA Made in Portugal Mesa Interactiva Esta mesa foi desenvolvida para suportar as novas tecnologias existentes no mercado, podendo utilizar displays de tecnologia SAW, Infravermelhos ou mesmo ProCap

Leia mais

textos de José Manuel Russo Comunicação e Publicidade

textos de José Manuel Russo Comunicação e Publicidade textos de José Manuel Russo Comunicação e Publicidade COMUNICAÇÃO Comunicar Comunicar é o primeiro acto social do Homem, servindo para satisfazer as suas primeiras necessidades. Semiologia Ciência que

Leia mais

Vestuário. Marca como vantagem competitiva para as empresas de vestuário. Relatório de Inteligência Sintético - novembro 2012

Vestuário. Marca como vantagem competitiva para as empresas de vestuário. Relatório de Inteligência Sintético - novembro 2012 Vestuário Marca como vantagem competitiva para as empresas de vestuário Relatório de Inteligência Sintético - novembro 2012 Resumo Executivo Há algum tempo a marca de uma empresa deixou de ser apenas um

Leia mais

FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISA EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS RENATA OLIVEIRA NASCIMENTO

FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISA EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS RENATA OLIVEIRA NASCIMENTO FUNDAÇÃO INSTITUTO CAPIXABA DE PESQUISA EM CONTABILIDADE, ECONOMIA E FINANÇAS RENATA OLIVEIRA NASCIMENTO O IMPACTO DO ESTÍMULO AMBIENTAL COM MOTIVAÇÃO OLFATIVA SOBRE A DECISÃO DE COMPRA DO CONSUMIDOR VITÓRIA

Leia mais

DIRECT MAIL Novos sentidos do Marketing Directo

DIRECT MAIL Novos sentidos do Marketing Directo DIRECT MAIL Novos sentidos do Marketing Directo DATA 00.00.00 Hoje em dia Utilização de diferentes canais numa mesma campanha; Canais digitais ganham terreno aos meios tradicionais; Comunicação massificada

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DO CONSUMO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DO CONSUMO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DO CONSUMO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Marketing e Publicidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

Escolha dos Elementos da Marca para Desenvolver o Capital da Marca. Parte 4 Elementos da Marca

Escolha dos Elementos da Marca para Desenvolver o Capital da Marca. Parte 4 Elementos da Marca Escolha dos Elementos da Marca para Desenvolver o Capital da Marca Parte 4 Elementos da Marca Criar Capital da Marca Centrado no Cliente As estruturas de conhecimento da marca dependem de... escolhas iniciais

Leia mais

Universidade Federal de Santa Maria. elisapivetta@hotmail.com

Universidade Federal de Santa Maria. elisapivetta@hotmail.com Universidade Federal de Santa Maria Colégio agrícola de Frederico Westphalen Elisa Maria Pivetta Cantarelli elisapivetta@hotmail.com Refere-se à forma particular como o nome da marca é representado graficamente,

Leia mais

Emoção CONSTRUÇÃO DE MARCAS

Emoção CONSTRUÇÃO DE MARCAS Emoção Grande parte das nossas decisões de compra são feitas por impulso, de forma irracional, instintiva. Se temos dinheiro, compramos as marcas com as quais nos relacionamos emocionalmente. Cada marca

Leia mais

internet Admirável mundo novo

internet Admirável mundo novo internet Admirável mundo novo Vídeo Estamos na era da imagem em movimento. O estático dá lugar ao dinâmico para, de uma forma mais activa, atractiva e interactiva chamar a atenção, cativar o interesse,

Leia mais

Atmosfera de loja: uma análise sobre a abordagem do conceito nas produções acadêmicas no Brasil e os modelos teóricos adotados em suas pesquisas

Atmosfera de loja: uma análise sobre a abordagem do conceito nas produções acadêmicas no Brasil e os modelos teóricos adotados em suas pesquisas Atmosfera de loja: uma análise sobre a abordagem do conceito nas produções acadêmicas no Brasil e os modelos teóricos adotados em suas pesquisas Autor: Ms Ulysses Amarildo Januzzi (INESUL / UEL) ulyssesj@hotmail.com

Leia mais

A Criança e a Música

A Criança e a Música António José Monteiro da Costa A Criança e a Música Mestrado em Ensino de Educação Musical no Ensino Básico Pedagogia e Didáctica da Expressão Corporal e Artística Vila Nova de Gaia, Junho de 2011 Ano

Leia mais

Questões abordadas - Brand

Questões abordadas - Brand AULA 9 Marketing Questões abordadas - Brand O que é uma marca e como funciona o branding? O que é brand equity? Como o brand equity é construído, avaliado e gerenciado? Quais são as decisões mais importantes

Leia mais

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO A INFLUÊNCIA DO SOM NAS EMOÇÕES E COMPORTAMENTO DOS CONSUMIDORES: O CASO DA MÚSICA EM ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS AUTORA: da Silva ORIENTADOR: Professor Doutor Pedro Ferreira ESCOLA

Leia mais

Marketing Sensorial e eficiência no resultado: Um estudo em dois fast foods

Marketing Sensorial e eficiência no resultado: Um estudo em dois fast foods CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS - Ciências Sociais Marketing Sensorial e eficiência no resultado: Um estudo em dois fast foods Rafael Constantino Rafael José Silva Orientador: Msc. João Angelo Segantin Colaborador:

Leia mais

TÍTULO: MARKETING SENSORIAL: UM ESTUDO NO COMÉRCIO VAREJISTA COM PREDOMINÂNCIA EM ALIMENTOS

TÍTULO: MARKETING SENSORIAL: UM ESTUDO NO COMÉRCIO VAREJISTA COM PREDOMINÂNCIA EM ALIMENTOS TÍTULO: MARKETING SENSORIAL: UM ESTUDO NO COMÉRCIO VAREJISTA COM PREDOMINÂNCIA EM ALIMENTOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Mónica Montenegro António Jorge Costa

Mónica Montenegro António Jorge Costa Mónica Montenegro António Jorge Costa INTRODUÇÃO... 4 REFERÊNCIAS... 5 1. ENQUADRAMENTO... 8 1.1 O sector do comércio em Portugal... 8 2. QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E MELHORES PRÁTICAS NO COMÉRCIO... 15

Leia mais

Ambiência da Loja e Estratégia Mercadológica no Varejo: Um Modelo Teórico Consolidado

Ambiência da Loja e Estratégia Mercadológica no Varejo: Um Modelo Teórico Consolidado Ambiência da Loja e Estratégia Mercadológica no Varejo: Um Modelo Teórico Consolidado Autoria: Lucien Jacques Geargeoura, Juracy Parente Resumo Este estudo, concebido como um ensaio teórico baseado na

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 14)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 14) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 14) 1 Roteiro Introdução Webdesing Marca Símbolo Logotipo Logomarca ou Assinatura Visual

Leia mais

Como sentimos o mundo?

Como sentimos o mundo? Profa Silvia Mitiko Nishida Depto de Fisiologia Como sentimos o mundo? Introdução à Fisiologia Sensorial Qual mundo é o verdadeiro? - Cada um percebe uma obra musical de maneira diferente - Diferenças

Leia mais

Marketing Sensorial. Objetivo. Tópicos. 1. I ntrodução 2. A plicação P rática. Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi

Marketing Sensorial. Objetivo. Tópicos. 1. I ntrodução 2. A plicação P rática. Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi Ensino I nterativo Universidade Anhembi Morumbi Marketing Sensorial Objetivo Definir pelos sentidos e pelo mercado o que significa marketing sensorial Tópicos 1. I ntrodução 2. A plicação P rática 1. Introdução

Leia mais

Propiciar a socialização da criança através da participação numa comunidade mais ampla, onde descubra e domine regras próprias do convívio social.

Propiciar a socialização da criança através da participação numa comunidade mais ampla, onde descubra e domine regras próprias do convívio social. EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS

http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS Constantemente, somos bombardeados por incontáveis conteúdos visuais. Imagens ilustram websites, redes sociais, folders,

Leia mais

MARKETING SENSORIAL O IMPACTO DA NECESSIDADE DE TOQUE NA EXPERIÊNCIA DA MARCA. AUTORA: Nadine Moreira de Almeida

MARKETING SENSORIAL O IMPACTO DA NECESSIDADE DE TOQUE NA EXPERIÊNCIA DA MARCA. AUTORA: Nadine Moreira de Almeida MARKETING SENSORIAL O IMPACTO DA NECESSIDADE DE TOQUE NA EXPERIÊNCIA DA MARCA AUTORA: ORIENTADOR: Professor Doutor Pedro Ferreira ESCOLA SUPERIOR DE AVEIRO, SETEMBRO DE 2013 ÍNDICE ÍNDICE DE FIGURAS...4

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 21 2/2009 ISSN 1517-8471 Páginas 92 à 113. BRANDING

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 21 2/2009 ISSN 1517-8471 Páginas 92 à 113. BRANDING BRANDING Rosemeire Alves de Brito 1 Marilda Sena Pereira Zuza 2 Resumo Este artigo aborda o Branding, forma pela qual a marca passa a receber benefícios intangíveis por meio dos cinco sentidos: audição,

Leia mais

Centro Atlântico, Lda., 2012 Ap. 413 4760-056 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.

Centro Atlântico, Lda., 2012 Ap. 413 4760-056 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft Windows 8 Colecção: Software

Leia mais

Capital da Marca Centrado no Cliente

Capital da Marca Centrado no Cliente Capital da Marca Centrado no Cliente BLOCO 2 Gestão Estratégica da Marca Parte 2 Capital da Marca Centrado no Cliente Profª. Margarida Duarte MBA 2007-8 1 Capital da Marca Centrado no Cliente (CMCC) Modelo

Leia mais

Marketing Sensorial A influência do sentido auditivo e olfativo na perceção do tempo de espera

Marketing Sensorial A influência do sentido auditivo e olfativo na perceção do tempo de espera UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Ciências Sociais e Humanas Marketing Sensorial A influência do sentido auditivo e olfativo na perceção do tempo de César Alexandre da Cruz Duarte Dissertação para obtenção

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Não existem pessoas desmotivadas, existem pessoas sem Objectivos Anthony Robbins

Não existem pessoas desmotivadas, existem pessoas sem Objectivos Anthony Robbins Não existem pessoas desmotivadas, existem pessoas sem Objectivos Anthony Robbins A PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA- PNL Programação Neurolingüística O QUE É? Programação A estratégia da mente e do corpo ou

Leia mais

FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC

FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC Tecnologias SIG Sistemas de Informação Geográfica Centro de Operações e Técnicas

Leia mais

IDENTIDADE VISUAL COMO DETERMINANTE DA IMAGEM CORPORATIVA

IDENTIDADE VISUAL COMO DETERMINANTE DA IMAGEM CORPORATIVA IDENTIDADE VISUAL COMO DETERMINANTE DA IMAGEM CORPORATIVA Bruna Theil Sampaio i Resumo: O presente artigo pretende discutir a construção da identidade visual corporativa e sua importância para criar e

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

OS AROMAS DA MODA: INVESTIGANDO O USO DO MARKETING SENSORIAL OLFATIVO NO VAREJO DE VESTUÁRIO DE BELO HORIZONTE

OS AROMAS DA MODA: INVESTIGANDO O USO DO MARKETING SENSORIAL OLFATIVO NO VAREJO DE VESTUÁRIO DE BELO HORIZONTE OS AROMAS DA MODA: INVESTIGANDO O USO DO MARKETING SENSORIAL OLFATIVO NO VAREJO DE VESTUÁRIO DE BELO HORIZONTE Felipe Athayde Pena Ribeiro 1, Marlusa de Sevilha Gosling 2, Gisele de Araujo Pereira 3, Marcelo

Leia mais

EXCEL. Listas como Bases de Dados

EXCEL. Listas como Bases de Dados Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL Listas como Bases de Dados (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina

Leia mais

Aula 10. Definição dos Objetivos Estratégicos. Profa. Daniela Cartoni

Aula 10. Definição dos Objetivos Estratégicos. Profa. Daniela Cartoni Aula 10 Definição dos Objetivos Estratégicos Profa. Daniela Cartoni CONTEÚDO GERAL DA AULA OBJETIVOS DE MARKETING - Formas de se estabelecer objetivos quantitativos e objetivos qualitativos ELABORAÇÃO

Leia mais

Imagem da Marca. Notoriedade da Marca. Capital da Marca Centrado no Cliente

Imagem da Marca. Notoriedade da Marca. Capital da Marca Centrado no Cliente Capital da Marca Centrado no Cliente BLOCO 2 Gestão de Marcas Parte 2 Capital da Marca Centrado no Cliente Profª. Margarida Duarte 2007-2008 ISEG Capital da Marca Centrado no Cliente (CMCC) Modelo Proposto

Leia mais

Escala da Reputação Corporativa 1 Manchester Business School

Escala da Reputação Corporativa 1 Manchester Business School Escala da Reputação Corporativa 1 Manchester Business School Daniel Raposo Martins, designer Resumo A Escala da Reputação Corporativa procura estabelecer um método quantitativo de análise da reputação.

Leia mais

"O valor emocional das marcas."

O valor emocional das marcas. DOMINGO, FEVEREIRO 24, 2008 "O valor emocional das marcas." Por Thales Brandão Atualmente as empresas estão buscando cada vez mais gerir suas marcas com conjunto de valores completamente diferentes dos

Leia mais

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1

Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Jingle Sabores do Brasil para a marca Chocolates Brasil Cacau 1 Simone MARIANO 2 Sheilla REIS 3 Mariana BRASIL 4 Mariane FREITAS 5 Amanda CARVALHO 6 Jéssica SANTOS 7 Suelen VALENTE 8 Universidade Católica

Leia mais

DOSSIER FRANCHISING A Designarte é uma empresa com 15 anos de experiência na área do design, web, marketing e comunicação. Com um vasto portefólio, a nossa preocupação é apresentar aos clientes as soluções

Leia mais

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

Leia mais

MANUAL APLICAÇÃO LOGOTIPO LINTEC

MANUAL APLICAÇÃO LOGOTIPO LINTEC SUMÁRIO INTRODUÇÃO 03 APRESENTAÇÃO 04 VERSÃO INSTITUCIONAL 05 VERSÃO VERTICAL E HORIZONTAL 06 PRETO E BRANCO 07 PADRÕES CROMÁTICOS 08 MALHA CONSTRUTIVA 09 ÁREA DE PROTEÇÃO 10 REDUÇÃO MÁXIMA 11 APLICAÇÕES

Leia mais

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Introdução -Apesar de IHC ser uma área bastante prática, muitos métodos, modelos

Leia mais

As nossas sensações. Quem comanda as nossas sensações?

As nossas sensações. Quem comanda as nossas sensações? As nossas sensações Quem comanda as nossas sensações? No córtex cerebral, para além da área motora, existem outras áreas, onde as impressões recebidas pelos receptores sensoriais existentes nos órgãos

Leia mais

O EFEITO DA MÚSICA NAS INTENÇÕES DE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR

O EFEITO DA MÚSICA NAS INTENÇÕES DE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS Márcia Maurer Herter O EFEITO DA MÚSICA NAS INTENÇÕES DE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR PORTO ALEGRE

Leia mais

ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO APLICADA AO PONTO DE VENDA E SEU IMPACTO NA PERCEPÇÃO DA MARCA: ESTUDO DE CASO DE UM GRUPO DE MODA DO PARANÁ

ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO APLICADA AO PONTO DE VENDA E SEU IMPACTO NA PERCEPÇÃO DA MARCA: ESTUDO DE CASO DE UM GRUPO DE MODA DO PARANÁ ESTRATÉGIA DE DIFERENCIAÇÃO APLICADA AO PONTO DE VENDA E SEU IMPACTO NA PERCEPÇÃO DA MARCA: ESTUDO DE CASO DE UM GRUPO DE MODA DO PARANÁ DIFFERENTIATION STRATEGY APPLIED TO THE POINT OF SALE AND ITS IMPACT

Leia mais

Marketing Sensorial. Mkt e planejamento GD 2012 Florianópolis Rosane Martins

Marketing Sensorial. Mkt e planejamento GD 2012 Florianópolis Rosane Martins Marketing Sensorial Mkt e planejamento GD 2012 Florianópolis Rosane Martins Design e marketing implicam: Qualidade do produto Valor percebido Imagem da empresa Depois do império das marcas é a vez da arquitetura

Leia mais

Áreas de Desenvolvimento Pessoal

Áreas de Desenvolvimento Pessoal Renovação do Programa para Jovens (Aprovado na XLII Conferência Nacional) Áreas de Desenvolvimento Pessoal: A XLII Conferência Nacional da AEP, no âmbito do processo em curso de renovação do Programa para

Leia mais

Marcas: a criação das identidades visuais

Marcas: a criação das identidades visuais Marcas: a criação das identidades visuais marca A natureza das marcas e o papel que desempenham atualmente nas organizações comerciais podem ser melhor compreendidos pela análise das suas origens. origem

Leia mais

MESTRADO EM MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO

MESTRADO EM MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO MESTRADO EM MARKETING TRABALHO FINAL DE MESTRADO DISSERTAÇÃO O EFEITO DA MÚSICA AMBIENTE NO COMPORTAMENTO DE CLIENTES: O CASO DOS RESTAURANTES MARIA INÊS CONDE BARROSO GERALDES Orientação: Prof. Doutor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CIBELE FERREIRA DA COSTA VIALLE O MARKETING SENSORIAL COMO ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CIBELE FERREIRA DA COSTA VIALLE O MARKETING SENSORIAL COMO ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CIBELE FERREIRA DA COSTA VIALLE O MARKETING SENSORIAL COMO ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA CURITIBA 2011 CIBELE FERREIRA DA COSTA VIALLE O MARKETING SENSORIAL COMO ESTRATÉGIA MERCADOLÓGICA

Leia mais

Evolução Histórica das Campanhas

Evolução Histórica das Campanhas Evolução Histórica das Campanhas Campanha Internacional de Turismo (1994-2011) 1994-1995-1996-1997 Assinatura: Portugal The thrill of discovery. Objectivos: Reposicionar Portugal como destino turístico

Leia mais

2. Marcas Complementares. 2.2. Marca Infraero Meio Ambiente

2. Marcas Complementares. 2.2. Marca Infraero Meio Ambiente 2. Marcas Complementares 2.2. Marca Infraero Meio Ambiente Importante elemento da identidade visual da Empresa, contribui para transmitir os atributos de sua imagem e compromisso com questões ambientais.

Leia mais

IMOCX IZZO MOTO CULTURE E EXPERIENCE (http://varejo.espm.br/conceitoimocx-izzo-moto-culture-e-experience)

IMOCX IZZO MOTO CULTURE E EXPERIENCE (http://varejo.espm.br/conceitoimocx-izzo-moto-culture-e-experience) Página 1 de 6 Quem somos (http://varejo.espm.br/quem-somos) Retail Lab (http://varejo.espm.br/retail-lab) Contato (http://varejo.espm.br/contato) (http://varejo.espm.br/feed) (http://twitter.com/varejo_espm)

Leia mais

IMAGEM CORPORAL DO DEFICIENTE VISUAL: UM ESTUDO DE REVISÃO

IMAGEM CORPORAL DO DEFICIENTE VISUAL: UM ESTUDO DE REVISÃO IMAGEM CORPORAL DO DEFICIENTE VISUAL: UM ESTUDO DE REVISÃO Fabiane Frota da Rocha Morgado; Jairo José Monteiro Morgado; Maria Elisa Caputo Ferreira; Maria da Consolação G. C. F. Tavares Universidade Estadual

Leia mais

a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução

a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução Segmentação de mercado é o processo de dividir mercados em grupos de consumidores potenciais com necessidades e/ou características semelhantes e que provavelmente exibirão

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

Press release. Café de Atitude: A nova estratégia da Região do Cerrado Mineiro.

Press release. Café de Atitude: A nova estratégia da Região do Cerrado Mineiro. Press release Café de Atitude: A nova estratégia da Região do Cerrado Mineiro. Café de Atitude: a nova estratégia da Região do Cerrado Mineiro Em evento realizado em Uberlândia (MG), na noite do dia 19

Leia mais

INFLUÊNCIA DA MÚSICA AMBIENTE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: O USO DESSA FERRAMENTA PELOS LOJISTAS E A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR 1

INFLUÊNCIA DA MÚSICA AMBIENTE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: O USO DESSA FERRAMENTA PELOS LOJISTAS E A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR 1 v.6, Ago. Dez. 2012 ISSN 1982 2065 INFLUÊNCIA DA MÚSICA AMBIENTE NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR: O USO DESSA FERRAMENTA PELOS LOJISTAS E A PERCEPÇÃO DO CONSUMIDOR 1 Marina Braga 2 Profª Dra. Theresa Jardim

Leia mais

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno)

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Disciplina Ementa Pré- requisito C.H. Curso Assessoria de Comunicação Conhecimento geral, reflexão e prática

Leia mais

Capitulo VI. 6.1 Intervenção Precoce. 6.1.1 - Da teoria à prática

Capitulo VI. 6.1 Intervenção Precoce. 6.1.1 - Da teoria à prática Capitulo VI 6.1 Intervenção Precoce 6.1.1 - Da teoria à prática Análogo ao que vem deliberado no despacho conjunto n.º 891/99, a intervenção precoce é uma medida de apoio integrado, centrado na criança

Leia mais

Logomarca para Parceiros de Negócios. Junho / 2012

Logomarca para Parceiros de Negócios. Junho / 2012 Logomarca para Parceiros de Negócios Junho / 2012 Apresentação Este manual tem como objetivo facilitar ao nosso Parceiro de Negócios, o entendimento da aplicação dos logos da Valspe em suas comunicações.

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE MARKETING

COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING Meio através do qual a empresa informa, persuadi e lembra os consumidores sobre o seu produto, serviço e marcas que comercializa. Funções: Informação

Leia mais

FRANCHISING 3.0 DANIEL ZANCO - UNIVERSO VAREJO

FRANCHISING 3.0 DANIEL ZANCO - UNIVERSO VAREJO FRANCHISING 3.0 DANIEL ZANCO - UNIVERSO VAREJO CAPACITAÇÃO PESQUISA MERCADO FRANCHISING TECNOLOGIA PARA GESTÃO REDES O CRESCIMENTO DO FRANCHISING NO BRASIL Fonte: ABF O CRESCIMENTO DO FRANCHISING NO BRASIL

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA. Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150.

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA. Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150. COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150. PROJETO PRIMEIRAS SENSAÇÕES SÉRIE: Berçário A Berçário B PROFESSORAS:

Leia mais

Os princípios. Mente Absorvente

Os princípios. Mente Absorvente Método de Montessori: os príncipios MODELO MOMA Eixos Pedagógicos Areas de Impacto Teoria vs Prática Mente Absorvente Ambiente de Aaprendizagem Experimentação & Exploração - Diversificação dos métodos

Leia mais

CÓDIGO DE DEONTOLOGIA EUROPEU DO FRANCHISING

CÓDIGO DE DEONTOLOGIA EUROPEU DO FRANCHISING CÓDIGO DE DEONTOLOGIA EUROPEU DO FRANCHISING O presente Código de Deontologia Europeu do Franchising corresponde à versão actualizada do Código inicialmente elaborado em 1972 pela Federação Europeia da

Leia mais

As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de

As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de 1 As informações provenientes do meio são chamadas de estímulos sensoriais. Os receptores sensoriais transmitem os estímulos ao encéfalo através de impulso nervoso. 2 As informações acerca do ambiente,

Leia mais

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são:

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são: O que é? São todas as atividades envolvidas na venda de bens ou serviços diretamente a consumidores finais para seu uso pessoal, e não empresarial. (Philip Kotler) Não importa como os produtos são vendidos

Leia mais

BRANDING: O DIFERENCIAL DA MARCA E SUA INTERFERÊNCIA NOS CONSUMIDORES

BRANDING: O DIFERENCIAL DA MARCA E SUA INTERFERÊNCIA NOS CONSUMIDORES 1 Centro Universitário de Brasília UNICEUB Faculdade de Ciências Aplicadas FASA Curso de Comunicação Social Habilitação em Publicidade e Propaganda Orientadora: Regina Célia Xavier dos Santos BRANDING:

Leia mais

MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21

MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21 MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21 MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21 03. Valores da marca 04. Grelha de Construção do Logótipo e Margens de segurança 05. Escalas e Dimensões

Leia mais

Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo. Curso de Tecnologia da Comunicação Multimédia. Relatório. Aluno: Pedro Filipe Brito Xavier De Mesquita

Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo. Curso de Tecnologia da Comunicação Multimédia. Relatório. Aluno: Pedro Filipe Brito Xavier De Mesquita Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo Curso de Tecnologia da Comunicação Multimédia Relatório Aluno: Pedro Filipe Brito Xavier De Mesquita Docente: Leonel Cunha Rui Espírito Santo Laboratório

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

MARKETING CARE NEWSLETTER

MARKETING CARE NEWSLETTER MARKETING CARE NEWSLETTER Destaques desta Edição Por José Maria de Carvalho C o n t e Ú d o Conhecimento MARKETING DIGITAL O que é Marketing Digital? Quais as aplicações na área da Saúde? BRANDING & MARCA

Leia mais

Teste Sensorial - Doce de Leite Prime -

Teste Sensorial - Doce de Leite Prime - Teste Sensorial - Doce de Leite Prime - Tipo Exportação Elaborado para: Preparado por: FLUXO DE ANÁLISE Página Introdução... Perfil da Amostra... Análise dos dados >> Freqüência de consumo... Análise dos

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Música; marketing; sentidos; vendas; comunicação.

PALAVRAS-CHAVE: Música; marketing; sentidos; vendas; comunicação. MUSIC BRANDING E A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NO COMPORTAMENTO DOS CONSUMIDORES NO AMBIENTE COMERCIAL¹ João Ciro Saraiva de Oliveira Neto² Bianca Stephani Barone Martins³ Universidade Federal do Ceara, Fortaleza,

Leia mais