As Organizações da Sociedade Civil de Assistência Social na Amazônia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As Organizações da Sociedade Civil de Assistência Social na Amazônia"

Transcrição

1 As Organizações da Sociedade Civil de Assistência Social na Amazônia Secretaria Nacional de Assistência Social Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

2 Definição e contextualização Organizações Não Governamentais (ONG) ou Organizações da Sociedade Civil (OSC)? Aperfeiçoamento do ambiente jurídico e institucional no Brasil. Marco Regulatório das OSCs (Lei nº /2014) Associações, fundações, organizações religiosas e sociedades cooperativas que atuam com vulnerabilidades sociais, combate à pobreza e geração de trabalho e renda. Requisitos estatutários, capacidade técnica e experiência comprovada.

3 Panorama de atuação Cerca de 400 mil organizações da sociedade civil no Brasil em Áreas de atuação: Cultura e recreação, 12.7% Educação e pesquisa, 6.1% Habitação, saúde e meio ambiente, 3.0% Religiosas, 28.0% Fontes: Mapa das OSCs 2017 (IPEA) e Secretaria Geral da Presidência da República, Assistência social, 10.2% Outras, 9.0% Desenvolvimento e defesa de direitos, 15.0% Associações patronais e profissionais, 16.0%

4 Participação relativa das OSCs por região e década % 25.9% 10.7% 3.6% 1.7% % 25.6% 11.1% 6.3% 2.6% % 24.4% 17.3% 6.7% 3.8% % 21.1% 27.4% 6.2% 5.1% % 19.0% 24.1% 6.7% 6.2% Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, CEMPRE SE SUL NE CO N

5 Fontes de recursos para financiamento das OSCs Privado Doações de terceiros Cooperação internacional (agências de cooperação, governamentais e multilaterais) Outras OSCs de fomento Recursos empresariais Próprio Contribuição de associados, trabalho voluntário Comercialização de mercadorias, direitos autorais e propriedade intelectual Investimentos próprios Público Termos de parceria, contratos de gestão, convênios Transferências de recursos: subvenções, auxílios e contribuições Imunidades, isenções (CEBAS, etc), incentivos fiscais Prestação de serviços Fonte: Adaptado de Secretaria Geral da Presidência da República. Março 2013.

6 Mercado de trabalho e OSCs Estimativa em 2010 de 2,1 milhões de empregos formais gerados pelas OSCs no país; Mulheres representam 67,6% do total de ocupados no setor; Remuneração média das mulheres equivale a 75,2% da remuneração média dos homens. Fonte: FASFIL 2010, IBGE.

7 mapaosc.ipea.gov.br

8 mapaosc.ipea.gov.br

9 mapaosc.ipea.gov.br

10 Organizações e entidades de assistência social Ofertam serviços, projetos e programas de forma gratuita, planejada e universal Níveis de reconhecimento no Sistema Único da Assistência Social Participação social nos conselhos de assistência social

11 Distribuição territorial Mais de 22 mil OSCs identificadas nos sistemas de informação do Sistema Único da Assistência Social. Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. Maior concentração nas regiões sudeste e sul do país.

12 Trabalhadores das OSCs por tipo de vínculo e nível de formação (Amazônia) FUNCIONÁRIO CONTRATADO ,110 2,207 VOLUNTÁRIO FUNCIONÁRIO CEDIDO DIRIGENTE ESTAGIÁRIO Fonte: Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS), mar/2017. Ensino Fundamental Incompleto Ensino Médio Completo Ensino Fundamental Completo Ensino Superior Completo

13 Ofertas socioassistenciais de OSCs na Amazônia Nº de OSCs por unidade federativa Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. MT MA PA AM TO RO AC AP RR 596 organizações socioassistenciais atuam em 148 municípios da Amazônia Legal (19% do total)

14 Ofertas socioassistenciais de OSCs na Amazônia por nível de proteção proteção social básica 378 proteção social especial alta complexidade 225 proteção social especial média complexidade 166 ações voltadas para o mundo do trabalho assessoramento, defesa e garantia de direitos benefícios socioassistenciais 1 Fontes: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA.

15 Proteção Social Básica Serviço de convivência e fortalecimento de vínculos 354 Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. Serviço de proteção básica no domicílio para pessoas com deficiência, idosas e família 24

16 Proteção social especial média complexidade Centro Dia e similares 86 serviço de proteção social especial para pessoas com deficiência, idosas e 48 Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. abordagem social medidas socioeducativas serviço especializado para pessoas em situação de rua 7

17 Proteção social especial alta complexidade acolhimento * 161 abrigo institucional 52 Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. casa de apoio acolhimento em república proteção em calamidades família acolhedora

18 Assessoramento, defesa e garantia de direitos ampliação de acesso a direitos estabelecidos 7 articulação com órgãos públicos de defesa de direitos 5 Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. projeto de defesa/efetivação de direitos socioassistenciais assessoramento, defesa e garantia de direitos 3 4

19 Assessoramento, defesa e garantia de direitos assessoramento político, técnico, administrativo e financeiro 3 promoção da cidadania 2 Fonte: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA. formação e capacitação de lideranças comunitárias formação políticocidadão de grupos populares 1 2

20 Correlação entre ofertas por nível de proteção Proteção social básica Proteção social especial (média complexidade) Proteção social especial (alta complexidade) Proteção social especial (média complexidade) Proteção social especial (alta complexidade) Assessoramento, defesa e garantia de direitos 0, ,294 0,336-0,572 0,367 0,243 Fonte: Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS), mar/2017.

21 Desafios Reconhecimento e identificação das ofertas prestadas na região; Integração entre sistemas de informação governamentais; Articulação entre rede socioassistencial (equipamentos públicos e OSCs). Fontes: Censo SUAS 2015; CADSUAS; SISC; CEBAS; CNEAS. SNAS/MDSA.

22 Obrigado Gracias Thank you Douglas Gualberto Carneiro ( ) Coordenação de Acompanhamento da Rede Socioassistencial do Sistema Único da Assistência Social

Tabela 1 Quantidade de Entidades Privadas/CNPJ com inscrições deferidas Quantidade de entidades/cnpj. Quantidade inscrições por CNPJ

Tabela 1 Quantidade de Entidades Privadas/CNPJ com inscrições deferidas Quantidade de entidades/cnpj. Quantidade inscrições por CNPJ P á g i n a 1 Análise descritiva do banco de dados do Formulário Eletrônico das Entidades Privadas de Assistência Social e serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais Este relatório se

Leia mais

ANEXO X Resolução nº 176/2013

ANEXO X Resolução nº 176/2013 ANEXO X Resolução nº 176/2013 RELATÓRIO DE VISITA Data da visita: Dados da Entidade: CNPJ: Nome da Entidade: Endereço: Bairro: Telefone: E-mail: CORAS: Inscrição solicitada: Inscrição de entidade de assistência

Leia mais

A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor

A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor CÂMARA TÉCNICA DEBATE - CRCSC A Contabilidade e os Desafios do Terceiro Setor JUAREZ DOMINGUES CARNEIRO MARCO REGULATÓRIO Lei 13.019/2014 e o Decreto 8.726/2016 Marco Regulatório Missão: aperfeiçoar o

Leia mais

Integração entre serviços e benefícios do Sistema Único da Assistência Social. RENATA FERREIRA Diretora de Proteção Social Básica SNAS

Integração entre serviços e benefícios do Sistema Único da Assistência Social. RENATA FERREIRA Diretora de Proteção Social Básica SNAS Integração entre serviços e benefícios do Sistema Único da Assistência Social RENATA FERREIRA Diretora de Proteção Social Básica SNAS ASSISTÊNCIA SOCIAL Política pública de Seguridade Social, não-contributiva,

Leia mais

As entidades e organizações de assistência social no Sistema Único de Assistência Social

As entidades e organizações de assistência social no Sistema Único de Assistência Social As entidades e organizações de assistência social no Sistema Único de Assistência Social Curitiba PR Maio de 2016 DEPARTAMENTO DA REDE SOCIOASSISTENCIAL PRIVADA DO SUAS SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

REDE SOCIOASSISTENCIAL

REDE SOCIOASSISTENCIAL REDE SOCIOASSISTENCIAL O que é Vulnerabilidade Social? Pode ser entendida como a condição de risco em que uma pessoa se encontra. Um conjunto de situações mais, ou menos problemáticas, que situam a pessoa

Leia mais

PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA

PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA Secretaria Munic. de Assistência Social Estrutura Ponta Grossa é considerada pelo Sistema Único de Assistência Social como município de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: 1. Sistema Único de Assistência Social (Suas) 2. Assistência Social. 3. Organização da Sociedade Civil. 4. Marco Regulatório.

PALAVRAS-CHAVE: 1. Sistema Único de Assistência Social (Suas) 2. Assistência Social. 3. Organização da Sociedade Civil. 4. Marco Regulatório. NOTA TÉCNICA N o 12/2017 Brasília, 24 de fevereiro de 2017 ÁREA: Assistência Social TÍTULO: Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil no Suas REFERÊNCIAS: Lei 8.742, de 7 de dezembro de 1993.

Leia mais

CASA DOS CONSELHOS REQUERIMENTO

CASA DOS CONSELHOS REQUERIMENTO CASA DOS CONSELHOS REQUERIMENTO - 2017 ( )INSCRIÇÃO ( )RENOVAÇÃO Senhores(as) Presidentes dos Conselhos Municipais de Presidente Prudente/SP ( ) CMDCA ( ) CMAS ( ) CONDEF ( ) CMI, representante legal da

Leia mais

DA SOCIEDADE CIVIL NA FORMAÇÃO DOCENTE DA EDUCAÇÃO BÁSICA

DA SOCIEDADE CIVIL NA FORMAÇÃO DOCENTE DA EDUCAÇÃO BÁSICA MAPEAMENTO DAS ORGANIZAÇÕES ABC DA SOCIEDADE CIVIL NA FORMAÇÃO DOCENTE DA EDUCAÇÃO BÁSICA OBJETIVO Visualizar o conjunto e a diversidade de iniciativas das organizações da sociedade civil (OSCs) na formação

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS PRIORIDADES E METAS PARA A GESTÃO MUNICIPAL DO SUAS PARA O QUADRIÊNIO 2014/2017 André YoSan Analista de Políticas Sociais Coordenador-Geral Substituto Coordenação-Geral

Leia mais

Danilo Tiisel CAPTAÇÃO (MOBILIZAÇÃO) DE RECURSOS E SUSTENTABILIDADE

Danilo Tiisel CAPTAÇÃO (MOBILIZAÇÃO) DE RECURSOS E SUSTENTABILIDADE Danilo Tiisel CAPTAÇÃO (MOBILIZAÇÃO) DE RECURSOS E SUSTENTABILIDADE CONTEXTO: O TERCEIRO SETOR Terceiro Setor O Terceiro Setor é um tipo de Frankenstein : grande, heterogêneo, construído de pedaços, desajeitado,

Leia mais

Regionalização da Assistência Social

Regionalização da Assistência Social Regionalização da Assistência Social Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos PAEFI Serviços de Acolhimento para Crianças, Adolescentes e Jovens Serviços de Acolhimento para

Leia mais

Novas Regras da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) e Reflexos na Imunidade Tributária

Novas Regras da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) e Reflexos na Imunidade Tributária Novas Regras da Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) e Reflexos na Imunidade Tributária MARCELO MONELLO LEI Nº 12.101, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2009 Art. 3 Parágrafo único.

Leia mais

AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA

AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA AÇÕES, SERVIÇOS E BENEFICIOS SOCIOASSISTENCIAIS PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES - BAHIA Sistema Único de Assistência Social Fundos Conselhos SUAS Planejamento Diagnóstico Rede Socioassistencial Serviços Tipificados

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 34, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº 34, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2011. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Esplanada dos Ministérios, bloco F, anexo, ala A, 1º andar, Brasília/DF CEP: 70059-900 RESOLUÇÃO Nº 34, DE

Leia mais

Objetivo Geral: Objetivos Específicos:

Objetivo Geral: Objetivos Específicos: Objetivo Geral: Superação da pobreza e geração de trabalho e renda no meio rural por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Objetivos Específicos: Inclusão produtiva das populações

Leia mais

Painelistas: Roberto da Silva Medeiros Marcone Hahan de Souza

Painelistas: Roberto da Silva Medeiros Marcone Hahan de Souza Painelistas: Roberto da Silva Medeiros Marcone Hahan de Souza Conceito: Terceiro setor Conceito: 1º Setor - Governamental -Sem Finalidade de Lucros -Administração Pública -Serviços: saúde, educação, segurança,

Leia mais

O SUAS e as parcerias com organizações da sociedade civil para a prestação de serviços socioassistenciais

O SUAS e as parcerias com organizações da sociedade civil para a prestação de serviços socioassistenciais O SUAS e as parcerias com organizações da sociedade civil para a prestação de serviços socioassistenciais Avanços e desafios relacionados à implementação da Lei n 13.019/2014 DEPARTAMENTO DA REDE SOCIOASSISTENCIAL

Leia mais

Diagnóstico do Programa Segundo Tempo 2006 / 2010

Diagnóstico do Programa Segundo Tempo 2006 / 2010 Diagnóstico do Programa Segundo Tempo 2006 / 2010 Potencialidades Fortalecimento da Ação (ampliação do orçamento - programa prioritário da pasta e programa estratégico do governo); Coerência com a política

Leia mais

CNPJ / Rua José Bonifácio, 1623, sala A, Ijuí RS CEP

CNPJ / Rua José Bonifácio, 1623, sala A, Ijuí RS CEP ASSOCIAÇÃO BATISTA DE BENEFICÊNCIA TABEA ESPAÇO FELIZ CENTRO SOCIAL PIONEIRO Rua Chile, n 772, Planalto, Santa Rosa, RS CEP: 98900-000 CNPJ: 91.986.125/0009-45 NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Leia mais

PLANO DECENAL Algumas reflexões

PLANO DECENAL Algumas reflexões PLANO DECENAL 2016-2026 Algumas reflexões NOVA FASE DO SUAS 2016-2025 Conjuntura de interinidade federal Ano eleitoral municipal Gestões estaduais em consolidação AMPLIAR A FORÇA ASCENDENTE DO SUAS Promover

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência/CD Comissão de Seguridade Social e Família/

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência/CD Comissão de Seguridade Social e Família/ AUDIÊNCIA PÚBLICA Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência/CD Comissão de Seguridade Social e Família/ Brasília, 13 de maio de 2015 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Leia mais

MISSÃO. de famílias e indivíduos em situação de risco e. Coordenar e implementar a política de assistência social no município para a proteção

MISSÃO. de famílias e indivíduos em situação de risco e. Coordenar e implementar a política de assistência social no município para a proteção MISSÃO Coordenar e implementar a política de assistência social no município para a proteção de famílias e indivíduos em situação de risco e vulnerabilidade social. DIRETRIZES Atuação integrada, com gestão

Leia mais

Coordenação de Proteção Social Básica

Coordenação de Proteção Social Básica - S E D S Coordenação de Proteção Social Básica Agosto 212 Coordenação Proteção Social Básica A coordenação e o controle das ações da Política Pública da Assistência Social relacionadas a proteção social

Leia mais

Estruturação documentação para concessão/renovação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social CEBAS

Estruturação documentação para concessão/renovação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social CEBAS A PRÓ-BEM ASSESSORIA E GESTÃO CRIANÇA através do PROJETO DE CAPACITAÇÕES convida para a capacitação/oficina: Estruturação documentação para concessão/renovação do Certificado de Entidade Beneficente de

Leia mais

PANORAMA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA

PANORAMA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA PANORAMA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Gerência Técnica da Política Municipal de Assistência Social Divisão de Monitoramento, Controle e

Leia mais

PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL NO ÂMBITO DO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA

PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL NO ÂMBITO DO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL NO ÂMBITO DO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Estrutura da Fala 1. O PETI no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria 2. O PETI na perspectiva do Sistema Único de Assistência

Leia mais

DECRETO Nº /2007 (Dispõe sobre o art. 3 o da Lei n o 8.742/1993)

DECRETO Nº /2007 (Dispõe sobre o art. 3 o da Lei n o 8.742/1993) DECRETO Nº. 6.308/2007 (Dispõe sobre o art. 3 o da Lei n o 8.742/1993) O art. 1º define em seu parágrafo único que são características essenciais das entidades e organizações de assistência social: I.

Leia mais

A Organização de Serviços nas Apaes de Minas Gerais. Eduardo Barbosa Presidente da Federação Estadual das Apaes de Minas Gerais

A Organização de Serviços nas Apaes de Minas Gerais. Eduardo Barbosa Presidente da Federação Estadual das Apaes de Minas Gerais A Organização de Serviços nas Apaes de Minas Gerais Eduardo Barbosa Presidente da Federação Estadual das Apaes de Minas Gerais A Avaliação Multidimensional é a Porta de Entrada para os Serviços Assistência

Leia mais

Organização de Serviços Básicos do SUAS em Comunidades Tradicionais. CONGEMAS Belém/PA 18 a 20 de abril de 2011

Organização de Serviços Básicos do SUAS em Comunidades Tradicionais. CONGEMAS Belém/PA 18 a 20 de abril de 2011 Organização de Serviços Básicos do SUAS em Comunidades Tradicionais CONGEMAS Belém/PA 18 a 20 de abril de 2011 Pilares: Constituição Federal Lei Orgânica de Assistência Social - LOAS Política Nacional

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO PARANÁ CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO PARANÁ CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAMÍLIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO PARANÁ CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DO PARANÁ A SEDS A Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social

Leia mais

UFPE/PROPESQ Diretoria de Inovação e Empreendedorismo

UFPE/PROPESQ Diretoria de Inovação e Empreendedorismo UFPE/PROPESQ Diretoria de Inovação e Empreendedorismo FORTEC-NE Salvador Junho/2006 A UFPE Alunos Matriculados 34.586 Graduação 26.705 Especialização 4.197 Mestrado 2.693 Doutorado 991 Cursos Oferecidos

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO OBJETO. PRESTAÇÃO DE CONTAS FINAL TERMO DE FOMENTO Verba do FMDCA BH

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO OBJETO. PRESTAÇÃO DE CONTAS FINAL TERMO DE FOMENTO Verba do FMDCA BH RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO OBJETO PRESTAÇÃO DE CONTAS FINAL TERMO DE FOMENTO Verba do FMDCA BH 1) Identificação Nome da Entidade: PRÓ-BEM ASSESSORIA E GESTÃO CRIANÇA Nº da inscrição no CMDCA/BH: 00306/01

Leia mais

S E D S. Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social

S E D S. Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social S E D S Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social SEDS Gabinete Conselhos Assessorias Diretoria Geral Núcleos Grupo de Recursos Humanos

Leia mais

PARECER TÉCNICO. Referente: Programa Criança Feliz.

PARECER TÉCNICO. Referente: Programa Criança Feliz. PARECER TÉCNICO Referente: Programa Criança Feliz. Instituído no ano passado pelo Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS, Resolução Nº 19, de 14 de novembro de 2016, o Programa Criança Feliz, tem

Leia mais

Estratégia CAIXA para Consórcios Públicos e Desenvolvimento Regional

Estratégia CAIXA para Consórcios Públicos e Desenvolvimento Regional Encontros Regionais de Municípios ABM Sudeste Rio de Janeiro, Outubro de 2015 Estratégia CAIXA para Consórcios Públicos e Desenvolvimento Regional Marcus Vinicius Rego Gerente Nacional de Segmentos de

Leia mais

Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social. Recife, 04 de dezembro de 2013.

Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social. Recife, 04 de dezembro de 2013. Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Recife, 04 de dezembro de 2013. Definição Firmado entre a União, Estados, Distrito Federal e municípios; Instrumento pelo qual se materializam

Leia mais

Oficina de Apoio Técnico Cadastramento das Apaes no SUAS

Oficina de Apoio Técnico Cadastramento das Apaes no SUAS VIDEOCONFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DAS APAES/MG FEDERAÇÃO DAS APAES DO ESTADO DE MINAS GERAIS Oficina de Apoio Técnico Cadastramento das Apaes no SUAS

Leia mais

Adequação e Operacionalização dos Controles na Área Educacional e Assistencial. Vanda Monteiro Ribeiro

Adequação e Operacionalização dos Controles na Área Educacional e Assistencial. Vanda Monteiro Ribeiro Adequação e Operacionalização dos Controles na Área Educacional e Assistencial Vanda Monteiro Ribeiro Assistência Social Lei Orgânica Assistência Social LOAS - direito do cidadão e dever do Estado, é Polí=ca

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental 1º. Seminário FIESP de Saneamento Básico POLÍTICA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO E O PLANSAB Leodegar Tiscoski Secretário Nacional de Saneamento

Leia mais

Relatório Anual FEAI FEDERAÇÃO DAS ENTIDADES ASSISTENCIAIS DE INDAIATUBA

Relatório Anual FEAI FEDERAÇÃO DAS ENTIDADES ASSISTENCIAIS DE INDAIATUBA Resumo da ONG A Federação das Entidades Assistenciais de Indaiatuba FEAI, instituída em 09 de setembro de 1999 é uma Entidade sem fins lucrativos, A FEAI, esta devidamente cadastrada no Conselho Municipal

Leia mais

MP 458/09. Regularização Fundiária na Amazônia Legal. Ministério do Desenvolvimento Agrário

MP 458/09. Regularização Fundiária na Amazônia Legal. Ministério do Desenvolvimento Agrário MP 458/09 Regularização Fundiária na Amazônia Legal Ministério do Desenvolvimento Agrário Antecedentes e Contextualização Ações de regularização na região paralisadas na década de 80 Plano de Prevenção

Leia mais

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Janeiro de 2018

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Janeiro de 2018 Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº 20-2018 Data base: Janeiro de 2018 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Jan/18): 47.408.479; Variação do número de

Leia mais

CURSO: TECNICAS LEGISLATIVAS

CURSO: TECNICAS LEGISLATIVAS CURSO: TECNICAS LEGISLATIVAS FUNDO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Fica criado o Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS), instrumento de gestão orçamentária e financeira do município, que tem por

Leia mais

ONGs. Federal. Estadual. Municipal. Cooperativas

ONGs. Federal. Estadual. Municipal. Cooperativas Setor Governamental Setor não Governamental Federal principal contratante dos serviços de ATER potencial para coordenar a rede nacional detentora dos principais instrumentos de gestão A Anater tem potencial

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO VII Nº036 FORTALEZA, 24 DE FEVEREIRO DE 2015 PODER EXECUTIVO. (Continuação) GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO VII Nº036 FORTALEZA, 24 DE FEVEREIRO DE 2015 PODER EXECUTIVO. (Continuação) GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO SÉRIE 3 ANO VII Nº036 FORTALEZA, 24 DE FEVEREIRO DE 2015 397 PODER EXECUTIVO (Continuação) LEI ORÇAMENTÁRIA ESTADUAL 2015 VOLUME II TOMO II Demonstrativo da Receita e Despesa,

Leia mais

O ICOM constrói pontes entre pessoas e organizações para promover desenvolvimento, sempre trazendo inovação

O ICOM constrói pontes entre pessoas e organizações para promover desenvolvimento, sempre trazendo inovação O ICOM constrói pontes entre pessoas e organizações para promover desenvolvimento, sempre trazendo inovação Maristela Truppel Conselho Comunitário Ponte do Imaruim Marco Regulatório das OSCs: como a transparência

Leia mais

Antes de 1950 o que havia era apenas um tímido apoio à pesquisa;

Antes de 1950 o que havia era apenas um tímido apoio à pesquisa; FINANCIAMENTO À PESQUISA Breve Histórico Antes de 1950 o que havia era apenas um tímido apoio à pesquisa; 1951 Criação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (atual CNPq); 1951

Leia mais

CEADEC 16 anos de história e de luta

CEADEC 16 anos de história e de luta CEADEC 16 anos de história e de luta O CEADEC é uma organização não governamental, qualificada como Oscip Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que atua na assessoria à formação de cooperativas

Leia mais

Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica

Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica Fundação de Assistência Social e Cidadania FASC Direção Técnica Coordenaçao Rede Básica PROTEÇÃO SOCI AL BÁSI CA - PSB Centro de Referência da Assistência Social CRAS Organização da Rede Socioassistencial

Leia mais

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Plano Nacional de Direitos das Pessoas com Deficiência Prof. Caio Silva de Sousa - Artigo 1º Fica instituído o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Plano

Leia mais

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Junho de 2017

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Junho de 2017 Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº 13-2017 Data base: Junho de 2017 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (jun/17): 47.383.248; Variação do número de beneficiários

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade

CAPTAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade CAPTAÇÃO DE RECURSOS Características da Atividade Atividade planejada e complexa: envolve marketing, comunicação, relações públicas, elaboração de projetos, questões jurídicas e ética Objetivo: geração

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS O NOVO MOMENTO DO SUAS NOBSUAS 2012 PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS O QUE É: Acordo/Compromisso, entre os entes (Federal, Estadual e Municipal), para ajustar o SUAS local.

Leia mais

twitter.com/funasa

twitter.com/funasa FUNDAÇÃO NACIONAL DE SÁUDE Fundação pública vinculada ao Ministério da Saúde Missão Institucional: Promover a saúde pública e a inclusão social por meio de ações de saneamento e saúde ambiental. Área de

Leia mais

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Outubro de 2018

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Outubro de 2018 Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº 29-2018 Data base: Outubro de 2018 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Out/18): 47.314.120; Variação do número de

Leia mais

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Junho de 2018

Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº Data base: Junho de 2018 Nota de Acompanhamento de Beneficiários Edição: Nº 25-2018 Data base: Junho de 2018 Sumário Executivo Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Jun/18): 47.236.348; Variação do número de beneficiários

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGO CENTRO DE REFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL VILA ROSA - PALMEIRA - PR

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGO CENTRO DE REFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL VILA ROSA - PALMEIRA - PR VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL GARCIA, Andressa de Oliveira 1. TRENTINI, Fabiana Vosgerau 2. CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGO CENTRO DE REFERÊNCIA ASSISTÊNCIA SOCIAL VILA ROSA - PALMEIRA -

Leia mais

FEAS - PISO VARIAVEL MEDIA COMPLEXIDADE FEAS - PISO FIXO ALTA COMPLEXIDADE

FEAS - PISO VARIAVEL MEDIA COMPLEXIDADE FEAS - PISO FIXO ALTA COMPLEXIDADE BALANCETE DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA Arrecadação Fonte Orçado Até o Período Para Mais Para Menos 10000000000 - RECEITAS CORRENTES 804.500,00 702.435,47 102.064,53 13000000000 - RECEITA PATRIMONIAL 50.000,00

Leia mais

Estratégia CAIXA para Consórcios Públicos e Desenvolvimento Regional

Estratégia CAIXA para Consórcios Públicos e Desenvolvimento Regional 4º Encontro de Prefeitos com tema Desenvolvimento Local Sustentável Encontros Regionais de Municípios ABM - Nordeste Camaçari, Setembro de 2015 Estratégia CAIXA para Consórcios Públicos e Desenvolvimento

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

GUIA RA PIDO DA ESTRUTURA GERAL DO ORÇAMENTO Um novo desenho frente à publicação da Portaria MDS nº 113/2015, para os entes.

GUIA RA PIDO DA ESTRUTURA GERAL DO ORÇAMENTO Um novo desenho frente à publicação da Portaria MDS nº 113/2015, para os entes. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social Fundo Nacional de Assistência Social GUIA RA PIDO DA ESTRUTURA GERAL DO ORÇAMENTO Um novo desenho frente

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2017 Janeiro a Dezembro 2017 2 Resumo Visando ainda mais transparência e clareza nas informações da Pró-Bem a seus associados, doadores e parceiros, encaminhamos nosso Relatório

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades.

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades. Seminário Internacional. Desarrollo Económico Territorial: nuevas praxis em América Latina y el el Caribe em el siglo XXI CEPAL/ILPES, Santiago de Chile, 19 al 21 de octubre de 2010 Estratégia de Desenvolvimento

Leia mais

Incubadoras em Implantação. Distribuição regional NORTE AM 01 AP 02 PA 03 RO 01 TO 01 TOTAL 08

Incubadoras em Implantação. Distribuição regional NORTE AM 01 AP 02 PA 03 RO 01 TO 01 TOTAL 08 Incubadoras em Implantação Distribuição regional NORTE AM 01 AP 02 PA 03 RO 01 TO 01 TOTAL 08 CENTRO-OESTE DF 03 GO 02 MT 03 TOTAL 08 Total no Brasil - 74 Incubadoras SUL RS 02 TOTAL 02 NORDESTE AL 02

Leia mais

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS

PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS PACTO DE APRIMORAMENTO DO SUAS IMPLANTAÇÃO DA NOB SUAS BRASILIA / JULHO DE 2013 NOB SUAS Aperiodicidade de elaboração do Pacto será quadrienal, com o acompanhamento e a revisão anual das prioridades e

Leia mais

Nota Técnica nº 02/2016/ SNAS/ MDS

Nota Técnica nº 02/2016/ SNAS/ MDS Nota Técnica nº 02/2016/ SNAS/ MDS 11 de maio de 2016 Relação entre o Sistema Único de Assistência Social- SUAS e os órgãos do Sistema de Justiça Maio/2016 Objetivo: Descrever a natureza do trabalho social

Leia mais

GOVERNANÇA E AS MUDANÇAS NA LEI 13.019/14 JOSÉ ALBERTO TOZZI

GOVERNANÇA E AS MUDANÇAS NA LEI 13.019/14 JOSÉ ALBERTO TOZZI GOVERNANÇA E AS MUDANÇAS NA LEI 13.019/14 JOSÉ ALBERTO TOZZI Empresa especializada na prestação de serviços ao Terceiro Setor Consultoria Auditoria Cursos Presenciais e à Banco de Dados sobre o Terceiro

Leia mais

Relatórios de atividades técnicas

Relatórios de atividades técnicas Relatórios de atividades técnicas De acordo com o convênio estabelecido entre a Central de Oportunidades e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social do Rio de Janeiro (SMDS), que visa fundamentalmente

Leia mais

Os Desafios do Cooperativismo na Economia. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil

Os Desafios do Cooperativismo na Economia. Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil Os Desafios do Cooperativismo na Economia Dr. Eudes de Freitas Aquino Presidente da Unimed do Brasil Cooperativismo no Mundo O Modelo cooperativista já alcança mais de no mundo é associada a uma cooperativa

Leia mais

Nossa pauta de conversa hoje é

Nossa pauta de conversa hoje é Nossa pauta de conversa hoje é DEBATER A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL AO ABRIGO DA POLÍTICA DE SEGURIDADE SOCIAL, ENTENDENDO QUE É NECESSÁRIO ENTENDER QUE POLÍTICA SOCIAL É CIDADANIA. ISAURA ISOLDI CIDADANIA

Leia mais

ASSESSORIA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PRODUÇÃO HABITACIONAL AUTOGESTIONÁRIA

ASSESSORIA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PRODUÇÃO HABITACIONAL AUTOGESTIONÁRIA Caio Santo Amore _Peabiru + FAUUSP ASSESSORIA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PRODUÇÃO HABITACIONAL AUTOGESTIONÁRIA ARQUITETURA E ARQUITETO PARA QUE E PARA QUEM? % Famílias por classe de rendimento mensal - Brasil

Leia mais

SIF COMO AGENTE DE PESQUISA

SIF COMO AGENTE DE PESQUISA Árvores do Cerrado, muitas e únicas, assim como as organizações. SIF COMO AGENTE DE PESQUISA HEUZER SARAIVA GUIMARÃES Executivo Florestal DURATEX Presidente da SIF heuzer.guimaraes@duratex.com.br Programa

Leia mais

Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos. Elton Bozzetto (51)

Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos. Elton Bozzetto (51) Políticas Públicas, Sustentabilidade e Captação de Recursos Elton Bozzetto (51)99666 5592 eltonbozzetto@gmail.com SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade: é a capacidade de uma organização de manter o seu projeto

Leia mais

EDUCADOR SOCIAL SITE: FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE

EDUCADOR SOCIAL SITE:  FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE EDUCADOR SOCIAL SITE: WWW.CARITASPORTOALEGRE.ORG FACEBOOK: CARITAS ARQUIDIOCESANA DE PORTO ALEGRE SAS FACEBOOK: MENSAGEIRO DA CARIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL CRIANÇAS ADOLESCENTES ADULTOS IDOSOS ÁREAS DE

Leia mais

Atenção em rede como condição para o tratamento integral:

Atenção em rede como condição para o tratamento integral: 1 Atenção em rede como condição para o tratamento integral: Rede SUAS Prof. Mirella S. Alvarenga Assistente Social, mestre em Política Social, membro do Grupo de Estudos Fênix/UFES 2 Plano integrado de

Leia mais

Assistência Técnica ao produtor rural: ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Assistência Técnica ao produtor rural: ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Assistência Técnica ao produtor rural: ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento O papel da Assistência Técnica como base da segurança alimentar Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO ACESSUAS TRABALHO

PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO ACESSUAS TRABALHO PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DO ACESSO AO MUNDO DO TRABALHO ACESSUAS TRABALHO O SUAS e a mobilização para promoção do acesso ao mundo do Trabalho A assistência social é política pública, direito do cidadão

Leia mais

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE

PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL MEDIA COMPLEXIDADE OBJETIVO: Prestar atendimento especializado às famílias e indivíduos cujos direitos tenham sido ameaçados ou violados e/ou que já tenha ocorrido rompimento familiar ou comunitário. PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL MUNICÍPIO DE PAULO DE FARIA EXPEDIENTE ACERVO ENTIDADES SUMÁRIO

DIÁRIO OFICIAL MUNICÍPIO DE PAULO DE FARIA EXPEDIENTE ACERVO ENTIDADES SUMÁRIO Segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 Ano II Edição nº 123 Página 1 de 6 SUMÁRIO PODER EXECUTIVO DE PAULO DE FARIA 2 Atos Oficiais 2 Leis 2 Outros atos administrativos 2 Concursos Públicos / Processos Seletivos

Leia mais

Cadastro Único para Programas Sociais Conhecer para Incluir

Cadastro Único para Programas Sociais Conhecer para Incluir Cadastro Único para Programas Sociais Conhecer para Incluir Seminário Internacional Sobre Integração de Bases de Dados e Sistemas de Informação para Aperfeiçoamento de Políticas Públicas 04 a 06 de Abril/16

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO À SAÚDE DOS POVOS INDÍGENAS

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO À SAÚDE DOS POVOS INDÍGENAS Ministério da Saúde Fundação Nacional de Saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO À SAÚDE DOS POVOS INDÍGENAS Ministério da Saúde Fundação Nacional de Saúde Diretrizes

Leia mais

A Identidade Profissional dos Trabalhadores da Assistência Social NOB-RH / SUAS

A Identidade Profissional dos Trabalhadores da Assistência Social NOB-RH / SUAS A Identidade Profissional dos Trabalhadores da Assistência Social NOB-RH / SUAS Marcelo Garcia CENSO SUAS 2011 EQUIPES TÉCNICAS SEGUNDO A ESCOLARIDADE Nos Órgãos Municipais da Assistência Social: 40.477

Leia mais

Impactos da Lei da Filantropia para nossas Instituições

Impactos da Lei da Filantropia para nossas Instituições Impactos da Lei da Filantropia para nossas Instituições César Paim Diretor Corporativo de Relações Legais e Governamentais Associação Congregação de Santa Catarina Terceiro Setor Nem acima nem abaixo,

Leia mais

Inovações Técnicas e Institucionais: IBGE

Inovações Técnicas e Institucionais: IBGE Inovações Técnicas e Institucionais: IBGE Temas relevantes Preparação para o Censo Demográfico 2020 Uso de Registros Administrativos para fins estatísticos Planejamento do Censo Demográfico 2020 Preparação

Leia mais

Maiores problemas na execução dos programas federais. Atividade Setorial : Desenvolvimento Social 16 de Abril de 2008

Maiores problemas na execução dos programas federais. Atividade Setorial : Desenvolvimento Social 16 de Abril de 2008 Maiores problemas na execução dos programas federais. Atividade Setorial : Desenvolvimento Social 16 de Abril de 2008 Apresentação Fundo Nacional de Assistência Social Integra a instância de Financiamento

Leia mais

Processo Seletivo para Cadastro e Recadastro de Instituições Sociais Nº 001/2018

Processo Seletivo para Cadastro e Recadastro de Instituições Sociais Nº 001/2018 Serviço Social do Comércio Sesc Departamento Regional do Amazonas Programa Mesa Brasil Sesc Amazonas Processo Seletivo para Cadastro e Recadastro de Instituições Sociais Nº 001/2018 O Programa Mesa Brasil

Leia mais

ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL. REALIDADE BRASILEIRA

ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL. REALIDADE BRASILEIRA ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL. REALIDADE BRASILEIRA ACAR Minas Gerais ABCAR Sistema Nacional de Extensão Rural EMBRATER SIBRATER Extinção da EMBRATER Lei da AF Novo Momento da ATER no Brasil Lei

Leia mais

CONTABILIDADE COMO EVITAR ERROS BÁSICOS

CONTABILIDADE COMO EVITAR ERROS BÁSICOS CONTABILIDADE COMO EVITAR ERROS BÁSICOS JOSÉ ALBERTO TOZZI José Alberto Tozzi Adm. Empresas MBA USP Mestre pela PUC-SP Instrutor de Gestão Financeira do GESC Prof. de Curso de Pos Graduação e Extensão

Leia mais

Monitoramento 2017 do Programa Academia da Saúde. Guia de Orientações para SMS

Monitoramento 2017 do Programa Academia da Saúde. Guia de Orientações para SMS Monitoramento 2017 do Programa Academia da Saúde Guia de Orientações para SMS Brasília, março de 2017 Objetivo do Monitoramento O Monitoramento do Programa Academia da Saúde tem o objetivo de levantar

Leia mais

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO

CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESGATE HISTÓRICO Assistência Social enquanto política pública de direitos. Relevante marco no processo histórico de construção de um sistema de

Leia mais

Regionalização da Assistência Social

Regionalização da Assistência Social Regionalização da Assistência Social Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos PAEFI Serviços de Acolhimento para Crianças, Adolescentes e Jovens Serviços de Acolhimento para

Leia mais

Grupo: 1 Dimensão Prioridades para o território Prioridades para o Estado e União

Grupo: 1 Dimensão Prioridades para o território Prioridades para o Estado e União Instrumental 01 Registro do resultado das propostas dos grupos de trabalho Grupo: 1 Dimensão Prioridades para o território Prioridades para o Estado e União Atendimento digno a todos os usuários, independente

Leia mais

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PARA A AGENDA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INOVADORAS

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PARA A AGENDA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INOVADORAS PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PARA A AGENDA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INOVADORAS RICARDO FELIZZOLA CEO PARIT e LÍDER DA MEI 08 de junho de 2017 SEIS AGENDAS PARA FORTALECER A INDÚSTRIA DO BRASIL MARCO INSTITUCIONAL

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social Ao assumir conceitos de promoção da saúde e do desenvolvimento social, da difusão do conhecimento científico e tecnológico e, ainda, ser um agente da cidadania, a Fiocruz se caracteriza

Leia mais

GT 4: POLÍTICAS PÚBLICAS DE SEGURIDADE SOCIAL A PROTEÇÃO SOCIAL NÃO CONTRIBUTIVA E OS SERVIÇOS SOCIOASSISTENCIAIS

GT 4: POLÍTICAS PÚBLICAS DE SEGURIDADE SOCIAL A PROTEÇÃO SOCIAL NÃO CONTRIBUTIVA E OS SERVIÇOS SOCIOASSISTENCIAIS GT 4: POLÍTICAS PÚBLICAS DE SEGURIDADE SOCIAL A PROTEÇÃO SOCIAL NÃO CONTRIBUTIVA E OS SERVIÇOS SOCIOASSISTENCIAIS Luciana Pavowski Franco Silvestre (UEPG); Email: lupsilvestre@hotmail.com TEMÁTICA: SEGURIDADE

Leia mais

Controle Social da Política de Assistência Social

Controle Social da Política de Assistência Social Controle Social da Política de Assistência Social Mauá/SP, 24 de Março de 2016 Controle Social da Política de Assistência Social O Conselheiro deve estudar, formar e capacitar-se continuarmente. Como irá

Leia mais

NOVA RELAÇÃO DE PARCERIA COM O ESTADO: FOMENTO E COLABORAÇÃO Lei /2014. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil

NOVA RELAÇÃO DE PARCERIA COM O ESTADO: FOMENTO E COLABORAÇÃO Lei /2014. Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil NOVA RELAÇÃO DE PARCERIA COM O ESTADO: FOMENTO E COLABORAÇÃO Lei 13.019/2014 Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil Agenda Aperfeiçoar o ambiente jurídico e institucional relacionado às

Leia mais