Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras Management Report and Financial Statements

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras Management Report and Financial Statements"

Transcrição

1 Grupo soares da costa, sgps, sa ExErcício de 2008 / Financial year 2008 Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras Management Report and Financial Statements

2

3 Índice Index 1. Relatório de Gestão e Proposta de Aplicação dos Resultados Management Report and Proposed Application of Results 1.1 Destaque. Principais Indicadores 2008 Highlights. Key Indicators A Identidade da Soares da Costa The Identity of Soares da Costa 1.3 Actividade Activity 1.4 As acções Soares da Costa e o Mercado de Capitais Soares da Costa Shares and the Capital Market 1.5 Gestão de Riscos Risk Management 1.6 Outras Informações Legais Other Legal Information 1.7 Perspectivas para 2009 Perspectives for Factos Posteriores ao Termo do Exercício Events Subsequent to Close of Year 1.9 Reconhecimento Acknowledgements 1.10 Proposta de Aplicação de Resultados Proposal for the Application of Results 1.11 Anexo ao Relatório de Gestão Appendix to Management Report 2. Práticas Ligadas ao Governo de Sociedade e Apoio ao Investidor Pratices Associated with Corporate Governance and Support for Investors 3. Demonstrações Financeiras Consolidadas Consolidated Financial Statements 3.1 Balanço Consolidado Consolidated Balance Sheet 3.2 Demonstração dos Resultados Consolidados Statement of Consolidated Results 3.3 Demonstração das Alterações do Capital Próprio Statement of Changes in Own Capital 3.4 Demonstração dos Fluxos de Caixa Consolidados Consolidated Cash Flow Statement 3.5 Anexo à Demonstração dos Fluxos de Caixa Consolidados Notes to Consolidated Cash Flow Statement Demonstrações Financeiras Individuais Individual Financial Statements 5.1 Balanço Balance Sheet 5.2 Demonstração dos Resultados por Naturezas Profit and Loss Account by Nature 5.3 Demonstração dos Resultados por Funções Profit and Loss Account by Function 5.4 Demonstração dos Fluxos de Caixa Cash Flow Statement 5.5 Anexo à Demonstração dos Fluxos de Caixa Notes to the Cash Flow Statement 6. Anexo ao Balanço e à Demonstração dos Resultados Notes to the Balance Sheet and Statement of Profit and Loss 7. Relatório dos Auditores Auditor s Reports 7.1 Certificação Legal das Contas Consolidadas Legal Certification of Consolidated Accounts 7.2 Certificação Legal das Contas Individuais Legal Certification of Individual Accounts 7.3 Relatório de Auditoria das Contas Consolidadas Auditor s Report Consolidated Financial Statements 7.4 Relatório de Auditoria das Contas Individuais Auditor s Report Individual Financial Statements 7.5 Parecer do Conselho Fiscal Statement of the Audit Committee 7.6 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal sobre as Contas e Propostas Apresentadas pelo Conselho de Administração Report and Opinion of the Audit Committee on the Accounts and Proposals Presented by the Board of Directors 7.7 Declaração Declaration Políticas Contabilísticas e Notas Explicativas Accounting Policies & Explanatory Notes 165

4 Em 2008, a Soares da Costa comemorou 90 anos de actividade. Para registar esse momento, lançou o livro Construímos Portugal no Mundo, que ilustra a sua passagem por 17 países diferentes. As imagens que constam do presente Relatório de Gestão, são resultado do trabalho fotográfico que deu vida a esse livro. In 2008, Soares da Costa marked 90 years of activity. To record this moment, it published a book entitled "We Built Portugal in the World", which illustrates its journey through 17 different countries. The pictures contained in this Management Report are the result of the work of photography that breathes life into this book.

5 Angola Catumbela / Angola Catumbela

6 Guiné-Bissau Bissau / Guinea-Bissau Bissau

7 Venezuela Água Blanca / Venezuela Água Blanca

8 Guiné-Bissau Bissau / Guinea-Bissau Bissau

9 Angola Luanda / Angola Luanda

10 Macau / Macau

11 Macau / Macau

12 Egipto Cairo / Egypt Cairo

13 Venezuela La Bateia / Venezuela La Bateia

14 São Tomé e Príncipe Neves / São Tome and Príncipe Neves

15 Barbados Bridgetown / Barbados Bridgetown

16 Macau / Macau

17 Israel / Israel

18 Israel Jerusalém / Israel Jerusalem

19 Macau / Macau

20 Angola Catumbela / Angola Catumbela

21 Barbados Bridgetown / Barbados Bridgetown

22 Barbados Bridgetown / Barbados Bridgetown

23 Egipto Cairo / Egypt Cairo

24 São Tomé e Príncipe Água e Zé / São Tomé and Príncipe Água e Zé

25 Roménia Sibiu / Romenia Sibiu

26 Roménia Sibiu / Romenia Sibiu

27 Israel Jerusalém / Israel Jerusalem

28 Egipto Cairo / Egypt Cairo

29 Relatório de Gestão do Exercício de Managements Report O Conselho de Administração do Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, no cumprimento do preceituado nos artigo 65º e 66º do Código das Sociedades Comerciais, normas estatutárias e outras disposições legais e regulamentares aplicáveis às sociedades abertas ao investimento do público, apresenta e submete à apreciação da Assembleia- -Geral de Accionistas, o Relatório de Gestão, as contas do exercício e demais documentos de prestação de contas, referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de Este documento visa dar conhecimento público sobre a evolução dos negócios, do desempenho e da posição da sociedade «Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA» e do respectivo Grupo Empresarial que lidera, bem como dos principais riscos e incertezas com que se defronta. Os dados contabilísticos apresentados quando reportados a contas individuais foram elaborados segundo os princípios contabilísticos geralmente aceites em Portugal (Plano Oficial de Contabilidade e directrizes contabilísticas dimanadas pela Comissão de Normalização Contabilística), enquanto num contexto consolidado, devem ser lidos e analisados à luz das normas internacionais (IAS/IFRS: Normas Internacionais de Contabilidade / Normas Internacionais de Relato Financeiro), tal como adoptadas na União Europeia. A informação financeira relativa a cada empresa participada individualmente referida neste relatório deve ser entendida no contexto do seu interesse para a compreensão da actividade e «performance» do Grupo e não visa substituir nem dispensa a consulta das demonstrações financeiras que cada sociedade elabora e apresenta nos termos da legislação vigente.

30 O relatório anual sobre as práticas de governo da sociedade e apoio ao investidor («Corporate Governance»), elaborado nos termos do Regulamento da CMVM nº. 1/2007, com as alterações do regulamento da CMVM nº 5/2008, a lista dos accionistas com participações qualificadas e bem assim as participações na sociedade detidas pelos membros dos órgãos sociais, são apresentados como anexos a este Relatório de Gestão, dele fazendo parte integrante. Neste Relatório e por simplicidade são usadas abreviaturas e expressões que, têm o seguinte significado: abdr Anexo ao Balanço e à Demonstração dos Resultados individuais pc&ne Políticas Contabilísticas e Notas Explicativas que integra as Demonstrações Financeiras consolidadas. EBit Resultado Operacional EBitda Meios libertos operacionais an Área de Negócios Vn Volume de Negócios, correspondente à soma de Vendas, Prestações de Serviços e Proveitos Suplementares (contas POC 71, 72 e 73)

31 The Board of Directors of Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, in compliance with Articles 65 and 66 of the Companies Code, its Articles of Association and other legal and regulatory provisions applicable to public limited companies, hereby presents and submits for the approval of the General Shareholders Meeting the Director s Report, Financial Statements and other accounting documents for the financial year ended on 31 December The purpose of this document is to provide public information about the progress of the business and the performance and situation of Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA and of the Group of which it is the holding company, together with the principal risks and uncertainties faced by the company. The figures presented in this document, where they relate to the individual accounts, were prepared in accordance with accounting principles generally accepted in Portugal [the Official Accounting Scheme (POC) and the accounting directives issued by the Accounting Standards Commission], while the consolidated accounts should be read and interpreted in the light of international accounting standards (IAS/IFRS: International Accounting Standards / International Financial Reporting Standards) as adopted in the European Union. The financial information for each associate company presented individually in this report should be read in the context of its significance for an understanding of the Group s business and performance, and is not meant to replace, or dispense with the need to consult, the financial statements which each company prepares and presents in accordance with current legislation.

32 The annual report on corporate governance and investor relations ( Corporate Governance ), drawn up in accordance with Portuguese Securities Market Commission (CMVM) Regulation no. 1/2007, as amended by CMVM Regulation no. 5/2008, the list of shareholders with qualified holdings and shares in the company held by members of the corporate bodies, are presented as annexes to this Director s Report, and form an integral part thereof. For the sake of simplicity, the following abbreviations are used in this Report: NBS&PL Notes to the individual Balance Sheet and Profit and Loss Account AP&EN Accounting Policies and Explanatory Notes included in the consolidated Financial Statements. EBIT Operating Profit EBITDA Operating free cash flow BA Business Area TURNOVER Turnover, equal to the sum of Sales, Services Rendered and Supplementary Income (POC 71, 72 and 73)

33

34

35 1. Relatório de Gestão e Proposta de Aplicação dos Resultados Management Report and Proposed Application of Results

36

37 RelAtóRIO de GeStãO e PROPOStA de APlICAçãO dos ReSultAdOS / MAnAGeMent RePORt And PROPOSed APPlICAtIOn OF ReSultS Destaque. Principais Indicadores 2008 Highlights. Key Indicators 2008 Volume de negócios consolidado de 834,8 milhões de euros, superior em 51,6% ao do ano anterior; EBitda cresce de 36,2 para 86,4 milhões de euros (+138,9%); Margem EBitda / Volume de negócios progride de 6,57% para 10,35%; Resultado consolidado atribuível ao grupo atinge 8,2 milhões de euros, representando um decréscimo de 31,8% face ao ano anterior; Aquisição da «Contacto Construções», empresa de construções da Sonae; Aumento da participação na «Scutvias» de 20% para 33,33%; Aquisição da «Prince», empresa com sede no Estado da Florida, Estados Unidos da América; Adjudicação da Subconcessão da Auto-Estrada Transmontana ao agrupamento Auto-Estrada xxi, em que o grupo lidera e participa com 50%; Carteira de Obras ascende a milhões de euros (+ 43,0% face a um ano antes); Consolidated turnover of million euros, 51.6% higher than in the previous year; EBitda increased from 36.2 to 86.4 million euros (+138.9%); EBitda margin (EBitda / total revenue) improved from 6.57% to 10.35%; Consolidated profit attributable to the Group was 8.2 million euros, a decrease of 31.8% compared with the previous year; Acquisition of Contacto Construções, Sonae s construction company; Holding in Scutvias increased from 20% to 33.33%; Acquisition of Prince, a company based in Florida, usa; Award of the Subconcession for the Transmontana Motorway to the Auto-Estrada xxi consortium, which the Group heads and in which it has a 50% holding; Order Book totalled 1878 million euros (+ 43.0% compared with a year earlier). PrinCiPais indicadores Consolidados Consolidated Key indicators rubricas indicators /07 % Volume de Negócios Turnover 834,8 550,5 51,6 Portugal 417,9 178,9 133,6 Mercado Externo External Market 416,8 371,6 12,2 ebitda 86,4 36,2 138,9 Margem ebitda / Volume de Negócios ebitda Margin 10,35% 6,57% +3,78 p.p. Resultados Operacionais Operating Profit 51,2 23,5 117,8 Resultados Financeiros Financial Profit -41,8-10,9 281,9 Resultado Líquido Atribuível ao Grupo Net Profit Attributable to the Group 8,2 12,0-31,8% valores monetários em milhões de euros amounts in millions of euros

38 38 RelAtóRIO de GeStãO e PROPOStA de APlICAçãO dos ReSultAdOS / MAnAGeMent RePORt And PROPOSed APPlICAtIOn OF ReSultS 1.2 A Identidade da Soares da Costa The Identity of Soares da Costa Quem somos O Grupo Soares da Costa é um dos maiores grupos económicos do sector da construção e obras públicas em Portugal. A Soares da Costa tem uma forte componente internacional, mantendo presença permanente na Florida (eua), Angola e Moçambique e pontual noutros países. Actualmente Roménia, Israel, S. Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Costa Rica e os países do norte de África (Argélia, Marrocos e Tunísia) são mercados de intervenção das participadas da sociedade. Em termos mundiais, posiciona-se em 96º lugar como «international contractor» (volume de negócios fora do país de origem), na classificação da revista norte-americana Engineering News Record s (2008). A sua estrutura empresarial encontra-se alicerçada em quatro sub-holdings, correspondentes a quatro áreas de negócios: Construção, Concessões, Indústria e Imobiliária. A forte capacidade técnica, os recursos humanos altamente qualificados e a orientação para o mercado internacional, têm sido a chave de sucesso do grupo. Who We are The Soares da Costa Group is one of the leading economic groups in the construction and public works sector in Portugal. Soares da Costa has a strong international component with a permanent presence in Florida (usa), Angola and Mozambique and periodic operations in other countries. Romania, Israel, São Tomé and Príncipe, Guinea-Bissau, Costa Rica and the North African countries (Algeria, Morocco and Tunisia) are the current markets in which Group companies operate. In international terms, it ranks in 96th place as an international contractor (turnover outside country of origin) in the American magazine Engineering News Record s classification (2008). Its corporate structure is based on four subholdings corresponding to four business areas: Construction, Concessions, Industry and Real Estate. Its strong technical capability, highly qualified human resources and focus on international markets have been key to the success of the Group. Visão e objectivos estratégicos Ser um Grupo económico de construção e serviços/concessões de projecção internacional com níveis de rentabilidade e de criação de valor accionistas em linha com as melhores referências mundiais do sector, constitui a visão e objectivos estratégicos do Grupo Soares da Costa. missão A missão do Grupo é a de corresponder às exigências do mercado e dos seus clientes através de um modelo de negócio sustentado, recursos qualificados e motivados, geradores de valor económico, social e ambiental, de modo a proporcionar um retorno atractivo aos Accionistas. As pessoas, o respeito pelo ambiente e o crescimento económico são os pilares da Soares da Costa. Actuando sempre com sentido ético, responsável e íntegro, o Grupo Soares da Costa rege-se pelos seguintes valores: Manter a orientação permanente para o mercado e a satisfação do cliente; Procurar o crescimento pela eficiência e eficácia da gestão; Cultura empresarial assente em princípios de equidade e isenção; Conduta socialmente responsável; Criação de relações duradouras com parceiros a nível nacional e internacional; Promoção do respeito pelo ambiente; «O que fazemos e a forma como fazemos define o que somos» Vision and strategic objectives To be a construction and services/concessions Group of international scope with levels of profitability and shareholder value creation in line with the best world leaders in the sector. mission Our Mission is to meet the needs of the market and our customers through a sustainable business model with qualified and motivated human resources, generating economic, social and environmental value, in order to provide an attractive return to our shareholders. People, respect for the environment and economic growth are the pillars of Soares da Costa. Acting in an ethical, responsible and principled manner at all times, the Soares da Costa Group is governed by the following values: Ensuring a constant focus on the market and customer satisfaction; Seeking growth through efficiency and effective management; Business culture based on the principles of equity and impartiality; Socially responsible conduct; Establishment of lasting relationships with national and international partners; Promoting respect for the environment. What we do and how we do it defines what we are

39 RelAtóRIO de GeStãO e PROPOStA de APlICAçãO dos ReSultAdOS / MAnAGeMent RePORt And PROPOSed APPlICAtIOn OF ReSultS 39 referências históricas As origens do Grupo Soares da Costa remontam a 1918, ano em que, com apenas 10 operários, foi fundada no Porto, por José Soares da Costa, uma pequena empresa que se dedicava à execução de acabamentos de alta qualidade e pinturas a ouro fino, cuja técnica aprendera em França. O primeiro registo comercial foi feito em 1925, na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o nome individual do fundador. De pequena empresa em nome individual, passou a grande Grupo Económico, cotado em Bolsa; de 10 operários chegou a atingir colaboradores; de empresa de execução de acabamentos passou a grupo pluridisciplinar, com ramificações em todas as áreas ligadas ao negócio de construção; de empresa regional passou a empresa internacional, com obra feita em quatro continentes e dezenas de países. A estrutura actual do Grupo foi desenhada em 2002 e implementada em finais desse ano e baseia-se na formação de uma sociedade gestora de participações sociais, a Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, com capital social de de Euros, ramificada segundo as diferentes áreas de actividade em 4 outras SGPS, cujos capitais sociais detém na totalidade: Soares da Costa Construções, S.G.P.S., SA, com capital social de de Euros, que detém as participações das empresas vocacionadas para a actividade de Empreiteiro Geral (construção, engenharia civil e obras públicas); Soares da Costa Indústria, S.G.P.S., SA, com capital social de de Euros, que detém as participações sociais das empresas que se dedicam a actividades industriais complementares da tradicional construção, nomeadamente nas áreas da serralharia e metalo-mecânica e das infra-estruturas ferroviárias e marítimas; Soares da Costa Concessões, S.G.P.S., SA, com capital social de de Euros, actuando na área das concessões de serviço e infra-estruturas públicas; Soares da Costa Imobiliária, S.G.P.S., com capital social de de Euros, que integra o conjunto de empresas com actividade na área de promoção e gestão imobiliária. Entretanto, pelo percurso transcorrido de mais de 90 anos a Inovar, o Grupo Soares da Costa já marcou a sua presença em mais de duas dezenas de países, enfrentou múltiplos desafios, obteve êxitos e registou também alguns insucessos, que consolidaram a experiência e contribuíram para a dimensão actual do Grupo Soares da Costa. Nesta pequena súmula histórica, merecem destaque ainda, as seguintes datas de referência: Em 2 de Junho de 1944 constitui-se a sociedade por quotas Soares da Costa, Lda., com o capital de 8 milhões de escudos. Em 1 de Maio de 1968 a sociedade por quotas transforma-se em sociedade anónima, passando a denominar-se Sociedade de Construções Soares da Costa, s.a.r.l., com o capital de 9 milhões de escudos. Em finais de 1986 a sociedade passa a ter as suas acções admitidas a cotação na Bolsa. history of the group The origins of the Soares da Costa Group date back to 1918 when, with only 10 workers, a small company was founded in Porto by José Soares da Costa, concerned with high quality finishing work and decoration in fine gold, a technique he had learnt in France. The company was first registered in 1925 at Porto Companies Registration Office under the personal name of its founder. From a small company in sole proprietorship it has grown into a large economic group listed on the Stock Exchange. From the initial 10 workers it has expanded to 7500 employees, from a company executing finishings it has become a multidisciplinary group with ramifications in all areas associated with the construction business. From a regional company it has grown into an international company with projects undertaken on four continents and in dozens of countries. The current structure of the Group was designed in 2002 and implemented towards the end of that year and is based on a holding company, Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, with a share capital of 160,000,000 euros, and arranged below it, 4 other wholly owned subholdings controlling the different business areas: Soares da Costa Construções, S.G.P.S., SA, with a share capital of 90,000,000 euros, which controls the companies concerned with General Contracting activities (construction, civil engineering and public works); Soares da Costa Indústria, S.G.P.S., SA, with a share capital of 40,000,000 euros which controls the companies concerned with industrial activities ancillary to traditional construction, such as metalworking, mechanical engineering and railway and marine infrastructures; Soares da Costa Concessões, S.G.P.S., SA, with a share capital of 20,000,000 euros, operating in the area of public service and infrastructure concessions; Soares da Costa Imobiliária, S.G.P.S., with a share capital of 80,000,000 euros, which controls a group of companies in the area of property development and management. In over 90 years of Innovation, the Soares da Costa Group has established a presence in more than two dozen countries, faced multiple challenges, achieved successes and even experienced the occasional failure, all of which have added to its experience and contributed to its current scale. In this brief summary history, the following dates stand out as milestones: On 2 June 1944, the private limited company Soares da Costa, Lda. was incorporated with a share capital of 8 million escudos. On 1 May 1968, the private limited company was transformed into a joint stock company and changed its name to Sociedade de Construções Soares da Costa, s.a.r.l. with a share capital of 9 million escudos. Towards the end of 1986, shares in the company were admitted to listing on the Stock Exchange.

40 40 RelAtóRIO de GeStãO e PROPOStA de APlICAçãO dos ReSultAdOS / MAnAGeMent RePORt And PROPOSed APPlICAtIOn OF ReSultS Como se disse acima, em 30 de Dezembro de 2002 o Grupo Económico Soares da Costa passou a ter a conformação actual, liderado pela sociedade Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, com o capital social de A partir de meados de 2006 altera-se a estrutura accionista da sociedade e com a concretização da Oferta Pública de Aquisição de Acções em Janeiro de 2007 a Investifino Investimentos e Participações, SGPS, SA passa a deter uma participação de domínio. No Plano Estratégico Ambição Sustentável , apresentado em Outubro de 2007 o Grupo selecciona as áreas de Construção e Concessões/Serviços como as áreas estratégicas de actuação futura sendo uma das seis linhas de desenvolvimento definidas a adequação consequente do seu portfolio de negócios. Neste âmbito inserem-se operações, ocorridas durante o exercício a que se reporta este Relatório, de aquisição da Contacto e da Prince e o reforço da participação na Scutvias. órgãos sociais A composição dos órgãos sociais, após as deliberações da Assembleia-Geral de Accionistas de 29 de Abril de 2008, ficou a seguinte: MEsa da assembleia-geral AlBeRtO CORReIA de AlMeIdA Presidente JOãO PeSSOA e COStA Secretário conselho de administração MAnuel ROSetA FInO Presidente MARIA AnGelInA MARtInS CAetAnO RAMOS Vogal não executivo JOSé MAnuel BAPtIStA FInO Vogal não executivo PedRO MAnuel de AlMeIdA GOnçAlVeS Vogal, Presidente da Comissão Executiva AntónIO PeReIRA da SIlVA neves Vogal executivo AntónIO MAnuel SOuSA BARBOSA da FRAdA Vogal executivo PedRO GOnçAlO de SOttO-MAyOR de AndRAde SAntOS Vogal executivo AntónIO MAnuel PAlMA RAMAlhO Vogal não executivo, independente AntónIO MAnuel PeReIRA CAldAS CAStRO henriques Vogal não executivo, independente (não Independente desde Setembro de 2008) As mentioned above, on 30 December 2002 the Soares da Costa Group took on its current form headed by the company Soares da Costa, S.G.P.S., SA with a share capital of 160,000,000. From mid-2006, the company s shareholder structure changed and with the launch of the Share Tender Offer in January 2007, Investifino Investimentos e Participações, SGPS, SA acquired a controlling shareholding. In the Strategic Plan Sustainable Ambition presented in October 2007, the Group selected Construction and Concessions/Services as the strategic areas for its future operations. One of the six lines of development defined was the consequent matching of its portfolio of businesses. The acquisition of Contact and Prince and the increase in the Group s holding in Scutvias, which took place during the year under report, should be seen in this context. CorPorate bodies The composition of the corporate bodies following the resolutions passed at the General Shareholders Meeting of 29 April 2008 was as follows: Board of the GEnEral MEEtinG AlBeRtO CORReIA de AlMeIdA Chairman JOãO PeSSOA e COStA Secretary Board of directors MAnuel ROSetA FInO Chairman MARIA AnGelInA MARtInS CAetAnO RAMOS Non-executive Director JOSé MAnuel BAPtIStA FInO Non-executive Director PedRO MAnuel de AlMeIdA GOnçAlVeS Director and Chief Executive Officer AntónIO PeReIRA da SIlVA neves Executive Director AntónIO MAnuel SOuSA BARBOSA da FRAdA Executive Director PedRO GOnçAlO de SOttO-MAyOR de AndRAde SAntOS Executive Director AntónIO MAnuel PAlMA RAMAlhO Independent non-executive Director AntónIO MAnuel PeReIRA CAldAS CAStRO henriques Independent non-executive Director (non-independent since September 2009)

41 RelAtóRIO de GeStãO e PROPOStA de APlICAçãO dos ReSultAdOS / MAnAGeMent RePORt And PROPOSed APPlICAtIOn OF ReSultS 41 comissão ExEcutiVa PedRO MAnuel de AlMeIdA GOnçAlVeS Presidente AntónIO PeReIRA da SIlVA neves Vogal AntónIO MAnuel SOuSA BARBOSA da FRAdA Vogal PedRO GOnçAlO de SOttO-MAyOR de AndRAde SAntOS Vogal conselho Fiscal JúlIO de lemos de CAStRO CAldAS Presidente CARlOS PedRO MAChAdO de SOuSA GóIS Vogal JOAquIM AuGuStO SOAReS da SIlVA Vogal revisor oficial de contas PAtRíCIO, MOReIRA, VAlente & ASSOCIAdOS, SROC, representada por Dr. Jorge Bento Martins Ledo, (ROC nº. 591), tendo como suplente o Dr. Carlos de Jesus Pinto (ROC nº. 622). comissão de remunerações JOSé MAnuel BAPtIStA FInO Presidente JOãO PeSSOA e COStA Vogal AntónIO JORGe GOnçAlVeS AFOnSO Vogal secretário E secretário suplente da sociedade JORGe MAnuel OlIVeIRA AlVeS Secretário PedRO MAnuel tigre FAlCãO queirós Secretário Suplente ExEcutiVE committee PedRO MAnuel de AlMeIdA GOnçAlVeS Chairman AntónIO PeReIRA da SIlVA neves Member AntónIO MAnuel SOuSA BARBOSA da FRAdA Member PedRO GOnçAlO de SOttO-MAyOR de AndRAde SAntOS Member statutory audit committee JúlIO de lemos de CAStRO CAldAS Chairman CARlOS PedRO MAChAdO de SOuSA GóIS Member JOAquIM AuGuStO SOAReS da SIlVA Member statutory auditors PAtRíCIO, MOReIRA, VAlente & ASSOCIAdOS, SROC, Chartered Accountants, represented by Dr. Jorge Bento Martins Ledo, Chartered Accountant, ROC no. 591; alternate, Dr. Carlos de Jesus Pinto, Chartered Accountant, ROC no remuneration committee JOSé MAnuel BAPtIStA FInO Chairman JOãO PeSSOA e COStA Member AntónIO JORGe GOnçAlVeS AFOnSO Member company secretary and deputy company secretary JORGe MAnuel OlIVeIRA AlVeS Company Secretary PedRO MIGuel tigre FAlCãO queirós Deputy Company Secretary

42 42 RelAtóRIO de GeStãO e PROPOStA de APlICAçãO dos ReSultAdOS / MAnAGeMent RePORt And PROPOSed APPlICAtIOn OF ReSultS accionistas À data de 31 de Dezembro de 2008 os accionistas com participações qualificadas no capital da sociedade (participações superiores a 2%) são os seguintes: shareholders As at 31 December 2008, shareholders with qualified shareholdings (holdings in excess of 2%) were as follows: ManuEl Fino sgps, sa num. acções no. of shares % direitos de Voto % VotinG rights (*) Indirectamente através da Investifino Investimentos e Participações, SGPS, SA ,5271% Indirectly via Investifino Investimentos e Participações, SGPS, SA Através de Vice-Presidente da Investino Investimentos e Participações, SGPS, SA ,0252% Indirectly via Deputy Chairman of Investifino Investimentos e Participações, SGPS, SA Total imputável Total attributable ,5523% caetano sgps, sa num. acções no. of shares % direitos de Voto % VotinG rights (*) Directamente Directly ,1107% Através da Administradora da Caetano SGPS, SA ,0057% Via Director of Caetano SGPS, SA Total imputável Total attributable ,1164% MillEnniuM Bcp GEstÃo de Fundos de investimento, sa num. acções no. of shares % direitos de Voto % VotinG rights (*) Através de vários Fundos de Investimento Via various Investment Funds ,0943% Total imputável Total attributable ,0943% *As percentagens de direitos de voto acima calculadas consideram o efeito da existência de acções próprias que a sociedade detém à data do fim do exercício. * The percentages of voting rights calculated above are based on the existence of 1,594,708 own shares which the company held at the end of the year. governo do grupo Organograma da Sociedade Abaixo apresenta-se o organograma da sociedade «Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, ilustrando o modelo organizativo e identificando os responsáveis pelas diversas funções: group governance Company Organisation Chart Below is a representation of the organisation of the company Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., SA, illustrating the organisational model and identifying those responsible for the various functions. Conselho de Administração Board of Directors: Manuel Roseta Fino (Presidente Chairman) Maria Angelina Caetano Ramos José Manuel Baptista Fino Pedro Manuel de Almeida Gonçalves (Presidente da Comissão Executiva Chief Executive Officer) António Pereira da Silva Neves (Executivo Executive Director) António Manuel Sousa Barbosa da Frada (Executivo Executive Director) Pedro Gonçalo de Sotto-Mayor de Santos Andrade (Executivo Executive Director) António Manuel Palma Ramalho António Manuel Pereira Caldas Castro Henriques Secretário da Sociedade Company Secretary: Jorge Alves Pedro Queirós (Suplente Substitute) Comissão do Governo da Sociedade Company Governing Committee Planeamento Estratégico Strategic Planning: Conceição Vaz Sousa Fiscalidade Tax: Fernando Semana Serviços Jurídicos Legal Services: Jorge Alves Gabinete do Investidor Investor s Office: António Paula Santos Comunicação e Marketing Marketing and Communication: Rita Nunes Pinto Organograma do Grupo A estrutura de participações financeiras que compõem o Grupo Soares da Costa pode ser representado pelo seguinte organograma: Group Structure The structure of shareholdings comprising the Soares da Costa Group is shown in the organogram below:

Grupo Soares da Costa, SGPS, S.A. Sociedade aberta ao investimento do público

Grupo Soares da Costa, SGPS, S.A. Sociedade aberta ao investimento do público Grupo Soares da Costa, SGPS, S.A. Sociedade aberta ao investimento do público Sede Social: Rua de Santos Pousada, 220, 4000-478 Porto Capital social 160.000.000 Euros NIPC 500 265 763, Matriculada na CRC

Leia mais

Banco Santander Totta, S.A.

Banco Santander Totta, S.A. NINTH SUPPLEMENT (dated 26 October 2011) to the BASE PROSPECTUS (dated 4 April 2008) Banco Santander Totta, S.A. (incorporated with limited liability in Portugal) 5,000,000,000 (increased to 12,500,000,000)

Leia mais

GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA EXERCÍCIO DE FINANCIAL YEAR

GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA EXERCÍCIO DE FINANCIAL YEAR GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA EXERCÍCIO DE FINANCIAL YEAR Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras Management Report and Financial Statements GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA EXERCÍCIO DE FINANCIAL

Leia mais

Teixeira Duarte Distribuição Teixeira Duarte Distribution. Marcas representadas Represented brands. Aposta na competência Focus on competence

Teixeira Duarte Distribuição Teixeira Duarte Distribution. Marcas representadas Represented brands. Aposta na competência Focus on competence Teixeira Duarte Distribuição Teixeira Duarte Distribution Marcas representadas Represented brands Aposta na competência Focus on competence Mercados de atuação Marketplaces Angola Angola Brasil Brazil

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO INTERCALAR AO 3º TRIMESTRE 2010 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS INTERCALARES

RELATÓRIO DE GESTÃO INTERCALAR AO 3º TRIMESTRE 2010 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS INTERCALARES ÍNDICE RELATÓRIO DE GESTÃO INTERCALAR AO 3º TRIMESTRE 2010 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS INTERCALARES Demonstração da Posição Financeira Consolidada Demonstração dos Resultados Consolidados Separada

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria

Governação Novo Código e Exigências da Função Auditoria Novo Código e Exigências da Função Auditoria Fórum de Auditoria Interna - IPAI 19 de Junho de 2014 Direito societário e auditoria interna fontes legais 1. CSC artigo 420,º, n.º 1, i) - fiscalizar a eficácia

Leia mais

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, aumentando a previsão, para o ano de 2009, referente à sua margem operacional Non-GAAP

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação. Por. Ana Margarida Nisa Vintém UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA A Reputação e a Responsabilidade Social na BP Portugal: A importância da Comunicação Relatório de estágio apresentado à Universidade Católica Portuguesa para obtenção do

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

SAP fecha 2008 com Crescimento de Dois Dígitos

SAP fecha 2008 com Crescimento de Dois Dígitos SAP fecha 2008 com Crescimento de Dois Dígitos A SAP aumenta a um ritmo de 14% as receitas de software e de serviços relacionados com software em 2008 e apresenta um crescimento nas receitas totais de

Leia mais

PRESS RELEASE. Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo

PRESS RELEASE. Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo PRESS RELEASE 8 de Dezembro de 2009 Mecanismos fiscais aos Business Angels sucedem-se um pouco por todo o mundo FNABA representou Portugal, em Pequim (China), na First Global Conference da World Business

Leia mais

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010)

Parte 1 Part 1. Mercado das Comunicações. na Economia Nacional (2006-2010) Parte 1 Part 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) Communications Market in National Economy (2006/2010) Parte 1 Mercado das Comunicações na Economia Nacional (2006-2010) / Part 1

Leia mais

A. FULL NAMES OF THE MEMBERS OF THE BOARD OF DIRECTORS, CHARTERED ACCOUNTANT AND THE BOARD OF GENERAL MEETING

A. FULL NAMES OF THE MEMBERS OF THE BOARD OF DIRECTORS, CHARTERED ACCOUNTANT AND THE BOARD OF GENERAL MEETING JERÓNIMO MARTINS, SGPS, S.A. Public Company Largo Monterroio Mascarenhas, n.º 1, 9.º andar, Lisboa Share Capital: Euro 629,293,220.00 Registered at the Commercial Registry of Lisbon and Corporate Tax No.:

Leia mais

egovernment The Endless Frontier

egovernment The Endless Frontier CENTRO DE GESTÃO DA REDE INFORMÁTICA DO GOVERNO (Management Center for the Electronic Government Network) egovernment The Endless Frontier Alexandre Caldas 29 th June 2010 Summary VISION AND LEADERSHIP

Leia mais

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office DPI Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office Apresentação/Presentation Criado em 1 de março de 2011, o Núcleo de

Leia mais

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 23 ABRIL 2012 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 Este documento foi preparado pela Grupo Soares da Costa, SGPS, SA (Soares da Costa), unicamente

Leia mais

(Translation from the Portuguese original)

(Translation from the Portuguese original) (Translation from the Portuguese original) Appendix to the Proposal to Item 1 of the agenda of the Shareholders Annual General Meeting, to be held on April, 4 th, 2014 P 1 de 6 António Agostinho Cardoso

Leia mais

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO 4Q08 Results Conference Call Friday: March 13, 2008 Time: 12:00 p.m (Brazil) 11:00 a.m (US EDT) Phone: +1 (888) 700.0802 (USA) +1 (786) 924.6977 (other countries)

Leia mais

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal 10 ANOS DO IPCG O GOVERNO SOCIETÁRIO EM PORTUGAL O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal Lisboa, 09 de Julho de 2013 SUMÁRIO 1. Acontecimentos empresariais e governance 2. Fatores normativos

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

and work, with work having a multiplication factor double). Relacionamento Comercial Internacional International Commercial Relationship

and work, with work having a multiplication factor double). Relacionamento Comercial Internacional International Commercial Relationship Sucesso é a união de três elementos: confiança, reciprocidade e trabalho, tendo o trabalho um fator duplo de multiplicação (success is basically the union of three elements: trust, reciprocity and work,

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

P O R T U G U E S E I S S U E R S E M I T E N T E S P O R T U G U E S E S

P O R T U G U E S E I S S U E R S E M I T E N T E S P O R T U G U E S E S P O R T U G U E S E I S S U E R S E M I T E N T E S P O R T U G U E S E S 2012 AEM THE PORTUGUESE ISSUERS ASSOCIATION Founded on December 15th, 2010, AEM (The Portuguese Issuers Association) is a non-profit

Leia mais

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3 Index: Company s Profile ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. Corporate Taxpayers ID (CNPJ/MF) 02.387.241/0001-60 Companies Registry (NIRE) 413 00 019886 Publicly-held Company REGISTRATION FORM General Information

Leia mais

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1 Gestão de Serviços Mário Lavado itsmf Portugal Guimarães 18 de Novembro 2010 itsmf Portugal 1 Agenda 1. O que é o itsmf? 2. A Gestão de Serviços e o ITIL 3. A ISO 20000 4. A certificação ISO 20000 itsmf

Leia mais

DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL

DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL DOCUMENTOS DE PREVENÇÃO DE RISCOS PROFISSIONAIS NA CONSTRUÇÃO NA TRANSPOSIÇÃO DAS DIRETIVAS COMUNITÁRIAS PARA PORTUGAL Susana Sousa 1 José M. Cardoso Teixeira 2 RESUMO A Diretiva Comunitária nº 92/57/CEE

Leia mais

2. HUMAN RESOURCES 2. RECURSOS HUMANOS 1 RECRUTAMENTO E SELECÇÃO 1 RECRUITMENT AND SELECTION 2 QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES

2. HUMAN RESOURCES 2. RECURSOS HUMANOS 1 RECRUTAMENTO E SELECÇÃO 1 RECRUITMENT AND SELECTION 2 QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES RECURSOS HUMANOS HUMAN RESOURCES . RECURSOS HUMANOS RECRUTAMENTO E SELECÇÃO. HUMAN RESOURCES RECRUITMENT AND SELECTION O recrutamento e a situação contratual, no ano em análise, e face ao anterior, caracterizaram-se

Leia mais

106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico

106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico 106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico B.7.1.1 Taxas de juro sobre novas operações de empréstimos (1) concedidos por instituições financeiras monetárias a residentes na área do euro (a) Interest rates

Leia mais

GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA RUA DE SANTOS POUSADA, 220 4000-478 PORTO CAPITAL SOCIAL: 160 MILHÕES DE EUROS NIPC E NÚMERO DE MATRICULA NA CRC

GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA RUA DE SANTOS POUSADA, 220 4000-478 PORTO CAPITAL SOCIAL: 160 MILHÕES DE EUROS NIPC E NÚMERO DE MATRICULA NA CRC 1 GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA RUA DE SANTOS POUSADA, 220 4000-478 PORTO CAPITAL SOCIAL: 160 MILHÕES DE EUROS NIPC E NÚMERO DE MATRICULA NA CRC PORTO 500 265 763 ÍNDICE I RELATÓRIO DE GESTÃO 3 DESTAQUES

Leia mais

1. RELATÓRIO DE GESTÃO 2 DESTAQUES 2 INTRODUÇÃO 3 1. A SDC INVESTIMENTOS 5 2. ENQUADRAMENTO GERAL E ANÁLISE DA ATIVIDADE

1. RELATÓRIO DE GESTÃO 2 DESTAQUES 2 INTRODUÇÃO 3 1. A SDC INVESTIMENTOS 5 2. ENQUADRAMENTO GERAL E ANÁLISE DA ATIVIDADE 1 ÍNDICE 1. RELATÓRIO DE GESTÃO 2 DESTAQUES 2 INTRODUÇÃO 3 1. A SDC INVESTIMENTOS 5 2. ENQUADRAMENTO GERAL E ANÁLISE DA ATIVIDADE 10 3. FACTOS RELEVANTES DO ANO 12 4. RESULTADOS ECONÓMICO-FINANCEIROS CONSOLIDADOS

Leia mais

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA EAbrief: Medida de incentivo ao emprego mediante o reembolso da taxa social única EAbrief: Employment incentive measure through the unique social rate reimbursement Portaria n.º 229/2012, de 03 de Agosto

Leia mais

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores

A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores A tangibilidade de um serviço de manutenção de elevadores Tese de Mestrado em Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente e Segurança Carlos Fernando Lopes Gomes INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS Fevereiro

Leia mais

O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil

O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil O Compromisso Crescimento e a Sustentabilidade na Secil GONÇALO SALAZAR LEITE CEO GRACE - Encontro Temático Crescimento 1 Ponto de Partida O cimento é um bem essencial ao conforto, segurança e património

Leia mais

ST. PAUL S SCHOOL. To be considered Charity of the Year applicants should meet the following requirements:

ST. PAUL S SCHOOL. To be considered Charity of the Year applicants should meet the following requirements: ST. PAUL S SCHOOL CHARITY OF THE YEAR APPLICATION FORM How to apply for funding 1. Application - Requirements and Conditions To be considered Charity of the Year applicants should meet the following requirements:

Leia mais

Developing customer relationship through marketing campaigns Desenvolvendo o relacionamento com o cliente através de campanhas de marketing Marco

Developing customer relationship through marketing campaigns Desenvolvendo o relacionamento com o cliente através de campanhas de marketing Marco Developing customer relationship through marketing campaigns Desenvolvendo o relacionamento com o cliente através de campanhas de marketing Marco Antonio Donatelli Desenvolvendo relacionamento com clientes

Leia mais

FORUM CMVM/PME Março de 2012

FORUM CMVM/PME Março de 2012 FORUM CMVM/PME Março de 2012 Março, 27, 2012 Conceito de PMEs Definição de PME (Pequenas e Médias Empresas) segundo a Recomendação 2003/361, da Comissão Europeia Empresas com menos de 250 empregados e

Leia mais

Catálogo casa de banho l WC accessories. gestos que apetecem l tempting gestures

Catálogo casa de banho l WC accessories. gestos que apetecem l tempting gestures Catálogo casa de banho l WC accessories gestos que apetecem l tempting gestures VALENÇA BRAGA A NOSSA MISSÃO......VALORIZAR E ENGRADECER A TUPAI PORTO AVEIRO ÁGUEDA - COIMBRA GPS - N 40.58567º W 8.46558º

Leia mais

Portugal Telecom, SGPS, S.A. ( PT SGPS, S.A. )

Portugal Telecom, SGPS, S.A. ( PT SGPS, S.A. ) Portugal Telecom, SGPS, S.A. ( PT SGPS, S.A. ) Information required pursuant to article 289, paragraph 1, sub-paragraph d) of the Portuguese Companies Code STATUTORY AUDITOR BDO & Associados SROC, Lda.

Leia mais

PRINCE2 FOUNDATION AND PRACTITIONER INNOVATIVE LEARNING SOLUTIONS WWW.PYLCROW.COM PORTUGAL - BRAZIL - MOZAMBIQUE

PRINCE2 FOUNDATION AND PRACTITIONER INNOVATIVE LEARNING SOLUTIONS WWW.PYLCROW.COM PORTUGAL - BRAZIL - MOZAMBIQUE PYLCROW Portugal LISBOA Email: info.pt@pylcrow.com Telefone: +351 21 247 46 00 http://www.pylcrow.com/portugal WWW.PYLCROW.COM PORTUGAL - BRAZIL - MOZAMBIQUE FOUNDATION AND PRACTITIONER INNOVATIVE LEARNING

Leia mais

2009-2010 SALARY GUIDE. Brazil

2009-2010 SALARY GUIDE. Brazil 2009-2010 SALARY GUIDE Brazil Conteúdo Introdução...1 Finance and Accounting...2 Engineering...3 Sales & Marketing...4 Technology...5 Banking...6 Banking (Continued)...7 Insurance...8 About Robert Half...9

Leia mais

Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre 2013 1

Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre 2013 1 Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre 2013 1 ÍNDICE RELATÓRIO DE GESTÃO 3 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS 9 POLÍTICAS CONTABILÍSTICAS E NOTAS EXPLICATIVAS 17 Soares da Costa

Leia mais

Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre

Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre Maia, 31 de Julho de 2008 Desempenho afectado por desvalorização dos activos ditada pelo mercado Sonae Sierra registou Resultado Líquido de 1,3 milhões no primeiro semestre Rendas cresceram 4,5% numa base

Leia mais

Information related to Proposal II of Item 6 of the Agenda

Information related to Proposal II of Item 6 of the Agenda Information related to Proposal II of Item 6 of the Agenda João Manuel de Quevedo Pereira Coutinho Graduated in Business Administration. Entrepreneurial activity; Chairman of the Board of Directors of

Leia mais

Christopher Wells Member, GRI Stakeholders Council

Christopher Wells Member, GRI Stakeholders Council Christopher Wells Member, GRI Stakeholders Council Global Reporting Initiative Contabilidade financeira: Generally accepted accounting principles (GAAP) Objetivo do GRI: Generally accepted sustainability

Leia mais

Apresentação da nova Equipa de Gestão. Lisboa, 4 Dezembro 2007

Apresentação da nova Equipa de Gestão. Lisboa, 4 Dezembro 2007 Apresentação da nova Equipa de Gestão Lisboa, 4 Dezembro 2007 Agenda 1. Enquadramento 2. Proposta de nova Equipa de Gestão 3. Outra informação relevante 4. Conclusão 2 Millennium bcp: 1985 2007 Da criação

Leia mais

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt JOSE GABRIEL REGO jgrego@netcabo.pt Resumo My main objective is to develop my career in order to deepen the experience I accumulated over the years based in the development of practical and theoretical

Leia mais

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO Cristina Alberto KPMG Advisory Consultores de Gestão, SA Agenda 1. Riscos Globais do Século XXI 2. Proteção

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

Low cost housing Cordoba, Spain Habitação social Cordoba, Espanha 2012* Góios house Esposende, Portugal Casa em Góios Esposende, Portugal 2010*

Low cost housing Cordoba, Spain Habitação social Cordoba, Espanha 2012* Góios house Esposende, Portugal Casa em Góios Esposende, Portugal 2010* portfolio 2013 PedroFerreira architeture studio is a company based in Portugal with projects underway in Europe, Africa and South America. Among our associates and employees there are architects, engineers

Leia mais

A evolução necessária dos relatórios de sustentabilidade nas empresas Portuguesas

A evolução necessária dos relatórios de sustentabilidade nas empresas Portuguesas A evolução necessária dos relatórios de sustentabilidade nas empresas Portuguesas I Fórum de Responsabilidade Social das Organizações Workshop sobre as novas Directrizes da GRI G3 10 Novembro 2006 Sofia

Leia mais

OFFICE. Office Background

OFFICE. Office Background OFFICE Office Background Since it was founded in 2001, steady growth has been registered by the office in the Brazilian market of corporate law, a field in which our services are exemplary. The consolidation

Leia mais

Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma

Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma A nossa competência e experiência e a qualidade dos nossos serviços ao seu serviço A Grant Thornton assenta a sua estratégia no desenvolvimento

Leia mais

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA?

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? 29.Nov.2013 Financiamento Sector público é a principal fonte de financiamento de cuidados de saúde. Apenas EUA e México apresentam menos de 50% de financiamento

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

RINAVE EMBARCAÇÕES DE RECREIO CERTIFICADAS NO ÂMBITO DA DIR 94/25/CE CERTIFIED RECREATIONAL CRAFT IN THE SCOPE OF DIR 94/24/EC

RINAVE EMBARCAÇÕES DE RECREIO CERTIFICADAS NO ÂMBITO DA DIR 94/25/CE CERTIFIED RECREATIONAL CRAFT IN THE SCOPE OF DIR 94/24/EC RINAVE EMBARCAÇÕES DE RECREIO CERTIFICADAS NO ÂMBITO DA DIR 94/25/CE CERTIFIED RECREATIONAL CRAFT IN THE SCOPE OF DIR 94/24/EC OUTUBRO OCTOBER 2001 RINAVE Registro Internacional Naval, SA Estrada do Paço

Leia mais

A Importância da Informação Contabilística e do Relato Financeiro

A Importância da Informação Contabilística e do Relato Financeiro A Importância da Informação Contabilística e do Relato Financeiro Pedro Silva Ferreira Diretor do Departamento de Contabilidade e Controlo do Banco de Portugal 7 outubro 0 Lisboa XIII Conferência sobre

Leia mais

Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra Institute of Systems Engineering and Computers INESC - Coimbra

Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra Institute of Systems Engineering and Computers INESC - Coimbra Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra Institute of Systems Engineering and Computers INESC - Coimbra António Manuel Almeida António Gomes Martins O RSECE e a Iluminação - Uma contribuição

Leia mais

The Brazil United States Consumer Product Safety Conference Brazil United States Joint Press Statement June 10, 2011 Rio de Janeiro, Brazil Common Interests Ensuring a high level of consumer product safety

Leia mais

Banco Bradesco S.A. Calendar of Corporate Events - 2010

Banco Bradesco S.A. Calendar of Corporate Events - 2010 Calendar of Corporate s - 2010 Information on the Company Company Name Corporate Head Office Address Internet Address Investor Relations Officer Investor Relations Contact Newspapers in which corporate

Leia mais

Implementing and monitoring an. Open Access mandate: the Minho Experience

Implementing and monitoring an. Open Access mandate: the Minho Experience Implementing and monitoring an Open Access mandate: the Minho Experience Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt Agenda Introduction University of Minho Open Access @UMinho Open Access Policy @UMinho: incentive

Leia mais

Banco Bradesco S.A. Calendar of Corporate Events - 2011

Banco Bradesco S.A. Calendar of Corporate Events - 2011 Calendar of Corporate s - 2011 Information on the Company Company Name Corporate Head Office Address Internet Address Investor Relations Officer Investor Relations Contact Newspapers in which corporate

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking

assumptions of that particular strengthening the participation of families and local communities in the strategic direction of schools, not taking Agradecimentos A dissertação do Mestrado que adiante se apresenta resulta na concretização de um projecto que me parecia difícil mas não impossível de alcançar. Foram meses seguidos de trabalho de investigação,

Leia mais

Research Institute: Experience of Surviving Transferring Knowledge to Society

Research Institute: Experience of Surviving Transferring Knowledge to Society Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores: Investigação e Desenvolvimento em Lisboa http://www.inesc-id.pt Research Institute: Experience of Surviving Transferring Knowledge to Society Leonel

Leia mais

AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTO SOCIAL

AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTO SOCIAL AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTO SOCIAL SOCIAL IMPACT ASSESSMENT AND MANAGEMENT A formação em AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTO SOCIAL tem como objectivos: Enquadrar o tema no âmbito dos estudos de avaliação

Leia mais

As nossas acções Sonaecom

As nossas acções Sonaecom 3.0 As nossas acções Em 2009, as acções da Sonaecom registaram o segundo melhor desempenho do PSI-20, valorizando cerca de 92,2 %, o que constitui uma prova clara da nossa resiliência e um voto de confiança

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS (Apreciar sobre a renúncia do Revisor Oficial de Contas e deliberar sobre a eleição do Revisor

Leia mais

Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon. Pedro Soares / IDESAM

Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon. Pedro Soares / IDESAM Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon Pedro Soares / IDESAM Project Proponent & Partners Proponent: Support and supervise the project activities and will

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2007

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2007 Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2007 ( IFRS/IAS ) Volume de Negócios: 151.1 (125.4 em ) EBITDA: 10.5 (10.0 em ) 26 de Julho de 2007 1. Indicadores Chave 1.1. Volume de Negócios Resultados Líquidos:

Leia mais

Governança em TI e os objetivos estratégicos da organização

Governança em TI e os objetivos estratégicos da organização Governança em TI e os objetivos estratégicos da organização A otimização dos investimentos em TI, a importância do uso do modelo CobiT, adotado mundialmente em IT Governance Um painel sobre as certificações

Leia mais

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies JUNNIUS MARQUES ARIFA Head of Department of Agriculture and Environmental Audit TCU s mandate and jurisdiction 1. Role of Supreme

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

Relatório de Acção Action Report

Relatório de Acção Action Report Relatório de Acção Action Report CasA+ Building Codes 17 Novembro Expo Energia 09 16 de Dezembro de 2009 Data: 17 Novembro Título: Casas dos anos 70 e 90 revelam mais ineficiência energética Meio: Rádio

Leia mais

Enterprise Europe - Portugal

Enterprise Europe - Portugal Enterprise Europe - Portugal Oportunidades de Cooperação Internacional Agência de Inovação Bibiana Dantas Lisboa, 5-Jun-2012 Enterprise Europe Portugal Jun 2012 2 A União Europeia é um mercado de oportunidades!

Leia mais

Technical Information

Technical Information Subject Ballast Water Management Plan To whom it may concern Technical Information No. TEC-0648 Date 14 February 2006 In relation to ballast water management plans, we would advise you that according to

Leia mais

// gaiato private label

// gaiato private label // gaiato private label // a empresa // the company A Calçado Gaiato é uma empresa prestadora de serviços no setor de calçado, criada em 2000 por Luís Pinto Oliveira e Mário Pinto Oliveira, sócios-fundadores

Leia mais

Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos

Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos 15 de Novembro de 2011 Tax Alert Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos For additional information, please contact: António Neves antonio.neves@pt.ey.com Carlos Lobo carlos.lobo@pt.ey.com

Leia mais

SÃO PAULO 916.321.967-00 CLÓVIS AUGUSTO MANFIO 063.986.528-35

SÃO PAULO 916.321.967-00 CLÓVIS AUGUSTO MANFIO 063.986.528-35 Corporate Legal Name ALARM-TEK ELETRONICA LTDA Trade Name ALARMTEK Address Calçada das Anêmonas, nº. 42 District Centro Comercial - Alphaville Zip Code 6453-5 Telephones 11 4191-7256 Corporate Tax Registration

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 30 de Junho de 2005 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores: Investigação e Desenvolvimento em Lisboa

Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores: Investigação e Desenvolvimento em Lisboa Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores: Investigação e Desenvolvimento em Lisboa Arlindo Oliveira 1 Brief history Research Institute established January 2000. Private Not-for Profit Institution

Leia mais

Programa Portugal 2020: Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico

Programa Portugal 2020: Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Incentives Alert 6 de Março de 2015 Programa Portugal 2020: Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico A Portaria n.º 57-A/2015, de 27 de Fevereiro de 2015, vem estabelecer a regulamentação

Leia mais

Integração de Imigrantes

Integração de Imigrantes Integração de Imigrantes ODEMIRA INTEGRA It is a project born from the need to improve and increase support measures, reception and integration of immigrants. 47% of immigrants registered in the district

Leia mais

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name Subject: The finance source/ new application/ project submission form All questions must be answered in details to receive an informed response. All information & data are to be provided directly by the

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) - INOVAÇÃO PRODUTIVA Objectivos e Prioridades O presente concurso destina-se a apoiar investimentos

Leia mais

ANO I Abertura Opening Os primeiros movimentos do jogo Há um ano, três advogados vindos de renomados escritórios de advocacia, onde exerciam funções de destaque, se reuniram em torno de uma idéia:

Leia mais

Português 207 Portuguese for Business

Português 207 Portuguese for Business Português 207 Portuguese for Business Spring 2012: Porugal and the EU Instructor: Jared Hendrickson Office: 1149 Van Hise Office Hours: Monday and Thursday, 11:00 am-12:00 pm e-mail: jwhendrickso@wisc.edu

Leia mais

A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores

A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores A Aviação no Comércio Europeu de Licenças de Emissão Especificidades para pequenos emissores Departamento de Alterações Climáticas, Ar e Ruído (DACAR) Divisão de Poluição Atmosférica e Alterações Climáticas

Leia mais

Comparação das normas ISO 9001 e ISO 20000

Comparação das normas ISO 9001 e ISO 20000 Comparação das normas ISO 9001 e ISO 20000 1 Whoi am RESUME OF THE PRESENTER Coordenador de processos de Certificação na APCER Auditor ISO 9001 / ISO 27001 / ISO 20000 / SA 8000 Assessor Qweb e IQNET 9004

Leia mais

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI Pólo de Competitividade das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica TICE.PT PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços

Leia mais

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do

Leia mais

design para a inovação social

design para a inovação social design para a inovação social mestrado em design - 15 16 universidade de aveiro gonçalo gomes março de 2016 s.1 ergonomia ergonomia > definição Ergonomia A ergonomia (do grego "ergon": trabalho; e "nomos":

Leia mais

ISO14001:2015 - Enquadramento e principais alterações da nova norma de gestão ambiental. Cristina Sousa Rocha LNEG e CT 150

ISO14001:2015 - Enquadramento e principais alterações da nova norma de gestão ambiental. Cristina Sousa Rocha LNEG e CT 150 ISO14001:2015 - Enquadramento e principais alterações da nova norma de gestão ambiental Cristina Sousa Rocha LNEG e CT 150 Encontro de verificadores EMAS 10 de dezembro de 2015 CT 150 CT 150: órgão técnico

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais