MIBEL CONSELHO DE REGULADORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MIBEL CONSELHO DE REGULADORES"

Transcrição

1 CNSELH DE EGULDES BLEIM MENSL JUNH DE 28 CMIÉ ÉCNIC 3 de Setembro de 28 INDICE 1. Sumário Executivo 1 2. Caracterização do Mercado Ibérico 3 3. Mercado diário e intradiário 5 4. Mercado a prazo 7 5. Mercado de contratação bilateral 9 6. eferências de Mercado 1 1. Sumário Executivo Mercado Ibérico No funcionamento do Mercado Ibérico, durante o mês de Junho de 28, destacam-se os seguintes aspectos: produção total em foi GWh e em foi de GWh. capacidade instalada, em regime ordinário, ascendia em a MW e em a MW. nível médio de indisponibilidades programadas em regime ordinário foi de 9,8% para e de 6.9% para. peso das tecnologias utilizadas na produção foi o seguinte: hídrica 13,9%; nuclear 17,9%; carvão 9,7%; CCG 34,3%; fuel/gás 1,% e E 23,2%. volume total de exportações de para ascendeu a MWh enquanto o volume de exportações de para foi de 3.15 MWh. Em Junho apenas se realizaram leilões de libertação de capacidade (V) em. Mercado diário e intradiário preço médio aritmético durante o mês de Junho na zona espanhola foi de 58,34 /MWh enquanto na zona portuguesa ascendeu a 64,57 /MWh. spread mensal de preços em e situou-se nos 6,23 /MWh, face aos 5,86 /MWh registados em Maio. Foram negociados no mercado diário GWh, dos quais GWh correspondem a energia adquirida em e 3.55 GWh a energia adquirida em. Durante 522 horas (73% do tempo) do mês de Junho de 28, registou-se market splitting, na sua totalidade com o preço horário do mercado diário na zona espanhola inferior ao português. Em Junho, apenas o dia 13 apresentou separação total dos mercados, não se tendo registado qualquer dia com integração total (1% das horas com preços iguais) no mercado diário. renda de congestionamento do mês de Junho ascendeu a 5,8 milhões de euros e o acumulado desde 1 de Julho de 27 a 79 milhões de euros. Mercado a prazo No mercado a prazo foram negociados, em Junho, 2.61 GWh (1.913 GWh em Maio). 65% da negociação correspondeu a leilões obrigatórios e 35% a negociação em contínuo. egistaram-se, em Junho, 57 contratos (757 GWh) negociados C e registados no MI. s distribuidores espanhóis e o comercializador de último recurso português adquiriram, nos leilões organizados do mercado a prazo do MI, o número exacto de contratos legalmente exigidos. Mercado de contratação bilateral No âmbito da contratação bilateral, durante o mês de Junho de 28, destacam-se os seguintes aspectos: Em, foram transaccionados GWh em contratos bilaterais, que correspondeu a 42% do total de vendas de energia eléctrica. Em, foram transaccionados 423 GWh em contratos bilaterais, que correspondeu a 13% do total de vendas de energia eléctrica. No âmbito do, a contratação bilateral representou cerca de 39% do total de vendas. eferências de mercado 3 de Junho, os contratos de futuros negociados no MI cotaram sempre acima da Nordool (países nórdicos) e sempre abaixo da owernext (França) e EEX (lemanha). média dos preços spot verificados no MEL, durante o mês de Junho é superior à registada na Nordool e inferior à apurada para a EEX e owernext. 3 de Junho a cotação do Brent (em euros) está 36,7% acima do valor da cotação em 1 de Janeiro de 28. gás natural registou uma variação de -3% (F) e de 73,2% (Henry Hub) no mesmo referencial temporal, enquanto o carvão cotou 6,7% acima do valor de 1 de Janeiro de 28. 1

2 MWh MWh BLEIM MENSL JUNH DE Sumário Executivo (cont.) Mercado Diário reço diário ( /MWh) reço ES reço reço Energia em Mercado Diário Nuclear Carvão Ciclo combinado Hídrica Fuel-Gás eg. Esp. ut. Mercado a razo reço de fecho contratos mensais Contratos mensais FB M ug-8 FB M Jul-8 FB M Jun-8 FB M May-8 FB M Sep-8 Número de contratos negociados N.º Contratos br-8 Mai-8 Jun-8 Leilão Contínuo otal Mercado C registado otal Global eferências de mercado reços owernext, EEX, Nordpool 12 1 % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% Energia em Mercado Diário Nuclear Carvão Ciclo combinado Hídrica Fuel-Gás eg. Esp. ut. Nordpool owernext EEX r.es r. Índices Brent, Gás natural, Carvão, Fuelóleo, C2 Indíces: = % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% 5 25 Brent ( ) GN - F GN - Henry Hub Carvão McCloskey 2

3 Hídrica Nuclear Carvão Fuel/Gás CCG Hídrica Nuclear Carvão Fuel/Gás CCG Hídrica Nuclear Carvão Fuel/Gás CCG BLEIM MENSL JUNH DE Caracterização do Mercado Ibérico 2.1 Capacidade instalada e disponibilidades 2.3 Mix de produção 25. 1% % % % % 5. % Capac. Dispon. Cap. Indisp. rog % 4. 8% Hídrica Nuclear Carvão CCG Fuel / Gás Cogen egime especial 3. 6% 2. 4% % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% 1. 2% 16. % Cap. Indisp. Fort. Disponib. (%) % % % % 5. 2% % Hídrica Carvão CCG Fuel / Gás egime especial Capac. Dispon. Cap. Indisp. rog Cap. Indisp. Fort. Disponib. (%) 2.2 esultados de leilões de capacidade virtual º Leilão V ES otência Leilão (MWq) (**) rocura leilão (MWq) otência Leiloada (MW) reço de Exercício ( /MWh) rémio ( /MWh) Base(*) eak 3M 6M 12M 2. Base eak Base eak Base eak Base 25,82 26,55 27,64 eak 17,6 18,72 2,16 (*) - otência a leilão apurada por afectação proporcional a cada instrumento (*) - potência trimestral equivalente (MWq) corresponde a quatro vezes a potência leiloada no ano, mais duas vezes a potência leiloada no semestre, mais uma vez a potência leiloada no trimestre. s leilões de capacidade virtual realizados em correspondem à colocação de capacidade de geração das empresas Iberdrola e Endesa, sendo disponibilizados produtos de carga base e de carga de ponta (peak), para os horizontes temporais de 3, 6 e 12 meses. 224 % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% 2.4 Estrutura de mercado e repartição por empresa Estrutura de mercado Vendas % 2% 4% 6% 8% 1% Merc. Diário Merc. Intrad. Bilateral Serv. Sistema Compras % 2% 4% 6% 8% 1% Não se realizaram leilões de capacidade virtual em durante o mês de Junho. 3

4 Endesa Gas Natural ED Iberdrola Unión Fenosa Viesgo EN rading utros BLEIM MENSL JUNH DE Caracterização do Mercado Ibérico (cont.) epartição de mercado (total) por empresa (GWh) 4.., VENDS 3.., interligação entre e diz respeito à ligação de duas áreas de preço de um mesmo mercado, actuando, quando existe saturação da capacidade de interligação, o mecanismo de separação de mercados em preço (market splitting). 2.., 1..,, -1.., -2.., -3.., -4.., -5.., CMS França E X I M -15 Capacidade Import. (MW) Capacidade Export. (MW) Import. (MWh) Export. (MWh) Vendas Compras Balanço 15 - Marrocos Compras Vendas % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% Endesa Gas Natural ED Iberdrola Unión Fenosa Viesgo EN rading utros 2.5 Energia hídrica armazenada E X I M 1. 6% 26 8% Capacidade Import. (MW) Capacidade Export. (MW) Import. (MWh) Export. (MWh) % 4% 3% % 6% 5% 4% 2.7 esultados de leilões explícitos No período a que corresponde este relatório não se realizaram leilões de atribuição de capacidade de interligação. 2. br Mai Jun Energia armazenada (GWh) 2% Interligações capacidade e utilização br Mai Jun % do máximo caracterização das interligações no âmbito do é efectuada tendo por referência o sistema eléctrico espanhol. ssim, as exportações para cada um dos países (, França e Marrocos) correspondem a trânsitos na interligação com sentido do respectivo país e as importações seguem a lógica inversa. 2-3% 2.8 Capacidade de interligação para market splitting e para leilões explícitos No período a que corresponde este relatório, toda a capacidade de interligação foi utilizada no âmbito das transacções realizadas em mercado diário E X I M Capacidade Import. (MW) Capacidade Export. (MW) Import. (MWh) Export. (MWh) 4

5 reço [ /MWh] Desvio padrão 3 dias [ /MWh] MWh Spread Energia Energia BLEIM MENSL JUNH DE Mercado diário e intradiário 3.1 Informação de mercado diário Energias de compra e de venda reço médio diário - /MWh % % 115% 11% 15% 1% 95% 4 3 9% % 8% 75% Compras ES (GWh) Vendas ES (GWh) Cobertura ES (%) reço ES reço reço reço médio mensal : 58,34 /MWh (56,28 /MWh, Maio de 28) : 64,57 /MWh (62,14 /MWh, Maio de 28) Spreads de preço Spread (r.-r.es) ácio (r./r.es) 2,5 2,25 2, 1,75 1,5 1,25 1,,75,5,25, Spread médio e número de horas em market splitting Spread mensal: 6,23 /MWh (5,86 /MWh, Maio de 28) Junho de horas (534 horas, Maio de 28) Volatilidade de preço Compras (GWh) Vendas (GWh) Cobertura (%) 15% 1% Energias de compra no mês : GWh ( GWh, Maio de 28) : 3 55 GWh (3 591 GWh, Maio de 28) Energias de venda no mês : GWh ( GWh, Maio de 28) : GWh (2 812 GWh, Maio de 28) otal de energia negociada no Junho (mês m): GWh Maio (mês m-1): GWh Energia em mercado por tecnologia 95% 9% 85% 8% 75% 7% 65% 6% 55% reço ES reço σ ES σ volatilidade do preço é calculada como sendo o desvio padrão das últimas 3 observações do preço médio diário. Volatilidade no mês de Junho: 3,69 /MWh 2,58 /MWh Nuclear Carvão Ciclo combinado Hídrica Fuel-Gás eg. Esp. ut. % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% 5

6 enda de congestionamento ['s ] Spread -ES [ /MWh] Spread -ES [ /MWh] MWh MWh BLEIM MENSL JUNH DE Mercado diário e intradiário (cont.) Informação do mercado intradiário reço médio diário - /MWh Nuclear Carvão Ciclo combinado Hídrica Fuel-Gás eg. Esp. ut reço ES reço reço % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% Nuclear Carvão Ciclo combinado Hídrica Fuel-Gás eg. Esp. ut. reço médio mensal : 58,16 /MWh (55,52 /MWh, Maio de 28) : 62,83 /MWh (58,18 /MWh, Maio de 28) Spreads de preço no intradiário ,75 1,5 1,25 1,,75,5,25, Spread (r.-r.es) ácio (r./r.es) % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% enda de congestionamento Spread mensal: 4,67 /MWh (2,65 /MWh, Maio de 28) Energias negociadas no intradiário enda de congestionamento ('s ) Spread (r.-r.es) Valor acumulado da renda de congestionamento No mês de Junho: 5,8 milhões de euros. Desde 1 de Julho de 27 até 3 de Junho de 28: 79 milhões de euros Energia ES (MWh) Energia (MWh) Energias negociadas no mês : 325 GWh (321 GWh, Maio de 28) : 123 GWh (166 GWh, Maio de 28) : 448 GWh (487 GWh, Maio de 28) 6

7 BLEIM MENSL JUNH DE Mercado a prazo 4.1 Negociação em contínuo N.º contratos negociados Caracterização da negociação N.º Contratos br-8 Mai-8 Jun-8 Leilão Contínuo otal Mercado C registado otal Global Energia (MWh) FB M May-8 FB Q3-8 FB Q4-8 FB M Jun-8 FB M Jul-8 FB M ug-8 FB Y-9 FB M Sep Negociação em leilão N.º de contratos negociados br-8 Mai-8 Jun-8 Leilão Contínuo C registado 4.5 pen interest (MWh) FB M May-8 FB M Jun-8 FB M Jul-8 FB Q3-8 FB M ug-8 FB M Sep-8 s leilões de futuros no MI decorrem nas primeiras quatro quartas-feiras de cada mês. Estão definidas obrigações de compra para os distribuidores espanhóis e para o CU português. 4.3 Negócios C registados Contratos mensais N.º de contratos registados FB M ug-8 FB M Jul-8 FB M Jun-8 FB M May-8 FB M Sep-8 Contratos trimestrais e anuais FB M May-8 FB M Jun-8 FB M ug-8 FB M Jul-8 FB Q4-8 FB M Sep-8 FB Q FB Q3-8 FB Q4-8 FB Y-9 7

8 BLEIM MENSL JUNH DE Mercado a prazo (cont.) 4.6 Settlement price ( /MWh) Contratos mensais Factos relevantes 9.Jun: dmissão da Goldman Sachs International como membro negociador por conta própria e de terceiros. 1.Jun: dmissão da Factor Energia, S.. como membro negociador por conta própria. FB M ug-8 FB M Jun-8 FB M Sep-8 FB M Jul-8 FB M May Contratos trimestrais e anuais FB Q3-8 FB Q4-8 FB Y Detalhe de negociação em leilão reço em leilão reço de leilão reço de referência da Negociação Intervalos de variação do preço no leilão Máximo Mínimo /MWh /MWh /MWh /MWh FB Q3-8 63,89 64,5 68,37 6, /MWh /MWh /MWh /MWh FB Q3-8 64,73 63,95 67,79 6, /MWh /MWh /MWh /MWh FB M Jul-8 66,47 66,38 72,35 6,41 FB M ug-8 63, 62,5 67,63 56, /MWh /MWh /MWh /MWh FB M ug-8 64, 63,75 69,49 58,1 FB M Sep-8 67,25 67, 73,3 6,97 s preços de equilíbrio dos futuros negociados nos leilões do MI estiveram dentro dos intervalos de variação de preços permitidos pelo MI. 8

9 EN rading ED Endesa Iberdrola Unión Fenosa ENEL Viesgo utros Endesa Gas Natural ED Iberdrola Unión Fenosa Viesgo EN rading utros Endesa Gas Natural Hidrocantabrico Iberdrola Unión Fenosa Viesgo utros BLEIM MENSL JUNH DE Mercado de contratação bilateral 5.1 Contratação bilateral 6., VENDS 4., 2.,, -2., -4., CMS -6., Valor total da contratação em (vendas): Junho de GWh (13% do total de vendas). Maio de GWh. Na contratação bilateral correspondente ao mês de Junho, apresentaram posição líquida compradora: grupo Endesa; grupo Iberdrola; grupo Unión Fenosa; grupo ENEL Viesgo; s restantes agentes dispersos no mercado. Na contratação bilateral correspondente ao mês de Junho, apresentaram posição líquida vendedora: grupo EN rading; grupo ED. 5.3 Contratação bilateral Vendas (GWh) Compras (GWh) Balanço (GWh) Valor total da contratação em (vendas): Junho de GWh (42% do total de vendas). Maio de GWh. 6., 4., 2., VENDS Na contratação bilateral correspondente ao mês de Junho, apresentaram posição líquida compradora: grupo Endesa; grupo Hidrocantábrico; grupo Iberdrola; grupo Viesgo. Na contratação bilateral correspondente ao mês de Junho, apresentaram posição líquida vendedora: grupo Gas Natural; grupo Unión Fenosa; s restantes agentes dispersos no mercado., -2., -4., -6., CMS Vendas (GWh) Compras (GWh) Balanço (GWh) 5.2 Contratação bilateral Vendas 3, 25, VENDS Compras 2, % 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% 9% 1% 15, 1, 5,, -5, -1, -15, -2, CMS Endesa Gas Natural ED Iberdrola Unión Fenosa Viesgo EN rading utros No âmbito do, a contratação bilateral representou cerca de GWh, dos quais 97% dizem respeito a contratação bilateral efectuada em e apenas 3% a contratação bilateral efectuada em. 39% 61% Bilateral Mercado org. Vendas (GWh) Compras (GWh) Balanço (GWh) No cômputo geral, a contratação bilateral representou, em Junho de 28 no espaço do, cerca de 39% do volume total de vendas no mercado (contratação bilateral e em mercado organizado). 9

10 reço [ /MWh] ontos percentuais reço Fueloleo [ /on] reço Brent [ /Barril] BLEIM MENSL JUNH DE eferências de Mercado 6.1 Mercados internacionais de energia eléctrica reço nos mercados à vista ( /MWh) Nordpool owernext EEX r.es r. Média de preços no mercado à vista (Junho de 28): Nordpool 4,46 /MWh. owernext 72,85 /MWh. EEX 73,24 /MWh. MEL 58,34 /MWh reços de contratos similares aos negociados no MI Jul-8 go-8 Set-8 Q3-8 Y9 M+1 M+2 M+3 Q+1 Y+1 Nordpool 42,6 53, 62,25 49,3 67,2 owernext 91,83 75,47 9,81 81,99 89,49 EEX 92,55 81,43 9,23 86,9 86,3 MI 67,38 64,8 68,93 66,46 73 Nota: Dados de negociação relativos ao dia 27/6/28, com excepção do Nota: contrato Datos Q3-8, de negociación mercado MI, a fecha cuja 27/6/28, cotação é relativa salvo el ao contrato dia 26/6/28 FB Q3-8 par mercado (último dia MI, de negociação cuya cotización deste es contrato). a fecha 26/6/28 (último día de negociación dicho contrato) 6.2 Mercados de energia primária etróleo e derivados axa de variação F: -3% (1-1-8 / 3-6-8) axa de variação Henry Hub: 73,2% (1-1-8 / 3-6-8) axa de variação Zeebrugge: 19,2% (1-1-8 / 3-6-8) axa de variação NB: 21,6% (1-1-8 / 3-6-8) Carvão (índice McCloskey) Coal NWE McC Index axa de variação índice McCloskey: 6,7% (1-1-8 / 3-6-8) 6.3 Evolução dos mercados financeiros Cotação EU/USD 1,6 1,575 1,55 1,525 1,5 1,475 1,45 1,425 1,4 1,375 1, EU/USD 4 75 axa de variação:,7% (1-4-8 / 3-6-8) Euribor 1, 3, 6 e 12 meses 3 5 5,5 5,25 5, ,75 4,5 Fueloleo Med cargo 1% CIF [Eur/on] Brent [Eur/Barril] Fueloleo Med cargo 1% FB [Eur/on] axa de variação do Brent: 36,7% (1-1-8 / 3-6-8) axa de variação do fuelóleo: 32,9% (1-1-8/31-6-8) Gás natural 35 4,25 4, 3,75 Euribor 1M Euribor 3M Euribor 6M Euribor 12M F [ /MWhgás] HH [ /MWhgás] ZEE [ /MWhgás] NB [ /MWhgás] 1

MIBEL CONSELHO DE REGULADORES

MIBEL CONSELHO DE REGULADORES CNSELH DE EGULADES BLEIM MENSAL ABIL DE 211 CMIÉ ÉCNIC 21 de Setembro de 211 INDICE 1. Sumário Executivo 1 2. Caracterização do Mercado Ibérico 3 3. Mercado diário e intradiário 5 4. Mercado a prazo 7

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL OUTUBRO DE 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Outubro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 49,9 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa foi

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL ABRIL DE Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL ABRIL DE Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL ABRIL DE 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Abril de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 45,34 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa foi

Leia mais

Relatório de preços 2016

Relatório de preços 2016 Relatório de preços 216 Relatório de preços 216 Indice 1 MIBEL: Energia, volume econômico e tecnologias pag. 2 2 Mercado Diário pag. 7 3 Mercado Intradiário pag. 12 4 Liquidação do Mercado Diário e Intradiário

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 2014. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL NOVEMBRO DE 214 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Novembro de 214 O preço médio aritmético durante o mês foi de 46,8 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores

INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 2015. Conselho de Reguladores INFORMAÇÃO MENSAL DO MIBEL FEVEREIRO 215 Conselho de Reguladores DESTAQUES DO MÊS Fevereiro de 215 O preço médio aritmético durante o mês foi de 42,57 /MWh na zona espanhola enquanto na zona portuguesa

Leia mais

MIBEL enquanto mercado spot e a prazo O funcionamento do mercado spot

MIBEL enquanto mercado spot e a prazo O funcionamento do mercado spot WORKSHOP ERSE-GESEL INTEGRAÇÃO DE MERCADOS DE ENERGIA ELÉCTRICA E FORMAÇÃO DE PREÇOS MIBEL enquanto mercado spot e a prazo O funcionamento do mercado spot Eduardo Teixeira 4 de Março de 2011 Agenda 1.

Leia mais

Principais indicadores do sistema eletroprodutor 3. Consumo / Repartição da produção 5. Produção hidráulica, térmica 6

Principais indicadores do sistema eletroprodutor 3. Consumo / Repartição da produção 5. Produção hidráulica, térmica 6 MAIO 216 Principais indicadores do sistema eletroprodutor 3 Evolução do consumo e potência 4 Consumo / Repartição da produção 5 Produção hidráulica, térmica 6 Produção em regime especial, interligações

Leia mais

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2005 Direcção-Geral de Geologia e Energia Ministério da Economia e da Inovação Nº. 21 - Abril de 2006 SUMÁRIO A FACTURA ENERGÉTICA SÍNTESE IMPORTAÇÃO/(RE)EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. a 29 de fevereiro 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. a 29 de fevereiro 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS a 29 de fevereiro 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O mês de fevereiro, à semelhança do anterior, continua a evidenciar o forte potencial das fontes

Leia mais

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep

BALANÇO ENERGÉTICO CONSUMO DE ENERGIA FINAL ESPANHA PORTUGAL. Mtep. Mtep DADOS IBÉRICOS 214 BALANÇO ENERGÉTICO ktep 212 213 (%) 212 213 (%) Consumo de Energia Primária 21 482 21 74 1 128 98 121 119-6 Petróleo 9 297 9 648 4 3 978 2 934-2 Carvão 2 91 2 63-9 1 1 1 31-32 Gás natural

Leia mais

estatísticas rápidas - junho de 2012 Nº 86

estatísticas rápidas - junho de 2012 Nº 86 estatísticas rápidas - junho de 212 Nº 86 1/16 Índice A. Resumo B. Consumo de Combustíveis no Mercado Interno C. Consumo e preços de Derivados do Petróleo no Mercado Interno C1. Consumos Globais C2. Gasolina

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Edição Mensal Abril de 217 [GW] ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O passado mês de abril apresentou temperaturas elevadas e uma fraca pluviosidade, em

Leia mais

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA A FACTURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2007 Direcção-Geral de Energia e Geologia Ministério da Economia e da Inovação Nº. 23 - Abril de 2008 SUMÁRIO A FACTURA ENERGÉTICA SÍNTESE IMPORTAÇÃO/(RE)EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO

III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO III SEMINÁRIO MERCADOS DE ELECTRICIDADE E GÁS NATURAL INVESTIMENTO, RISCO E REGULAÇÃO OS OPERADORES DO SISTEMA Victor Baptista Porto, 12.Fevereiro.2010 1 EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO OPERADOR DO SISTEMA EVOLUÇÃO

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2012 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA N.º 29 Abril 2013 L i s b o a, 3 d e M a i o d e 2 0 1 1 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2012 Índice 1. Sumário Executivo... 2 2. Mercados Petrolíferos: Preços... 3 2.1 Mercados

Leia mais

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07

Indicador de Sentimento Económico. 80 Portugal. Dez-08. Dez-07 Dez-03 Dez-04 Dez-05 Dez-06 Dez-07 Dez-08 Dez-09 Dez-10 Análise de Conjuntura Janeiro 2014 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico manteve em Dezembro, a tendência de melhoria

Leia mais

INTERLIGAÇÕES & EXPORTAÇÕES

INTERLIGAÇÕES & EXPORTAÇÕES INTERLIGAÇÕES & EXPORTAÇÕES Compromisso para o Crescimento Verde: Energia 2 Dezembro 2014 0 As metas da UE para 2030 3 objectivos de política energética METAS (%) 2030 UE POLÍTICA ENERGÉTICA DA UE OBJECTIVOS

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Novembro 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Novembro 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Novembro 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O outono de 2016 tem-se caracterizado por temperaturas ligeiramente acima da média e uma produtibilidade

Leia mais

Mercado Liberalizado de Energia

Mercado Liberalizado de Energia Mercado Liberalizado de Energia BRAGA - 26/10/2012 1 ÍNDICE 1. PRESENÇA GLOBAL 2. NEGÓCIO LIBERALIZADO 3. IBERDROLA EM PORTUGAL 4. MERCADO LIVRE 5. CONTRATAÇÃO PÚBLICA 2 PRESENÇA GLOBAL 3 A IBERDROLA é

Leia mais

Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6%

Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6% 08 de Agosto de 2008 Estatísticas do Comércio Extracomunitário Junho de 2008 Comércio Extracomunitário - Exportações aumentam 15,0% e Importações 23,6% No segundo trimestre de 2008, as exportações registaram

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO 1.º SEMESTRE 215 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE SEGURADORA ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 215 I. Produção e custos

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Agosto 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Agosto 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Agosto 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O mês de agosto caracterizou-se por produtibilidade hidroelétrica, que atingiu temperaturas extremamente

Leia mais

ALGUNS NÚMEROS SOBRE O PROBLEMA ENERGÉTICO DE PORTUGAL

ALGUNS NÚMEROS SOBRE O PROBLEMA ENERGÉTICO DE PORTUGAL 1 ALGUNS NÚMEROS SOBRE O PROBLEMA ENERGÉTICO DE PORTUGAL Pretende-se que o leitor interessado nesta matéria, venha a ter uma visão simples e integrada da questão energética do país, num passado recente

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Março 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Março 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Março 2016 Consumo mensal [TWh] Consumo 1º Trimestre [TWh] ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL O primeiro trimestre de 2016 caracterizou-se do ponto de

Leia mais

ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA

ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA CASA DO POVO DE VALONGO DO VOUGA A Rotulagem de energia eléctrica pretende informar o consumidor sobre as fontes primárias utilizadas e emissões atmosféricas, associadas

Leia mais

Energia nuclear no mercado de eletricidade

Energia nuclear no mercado de eletricidade Energia nuclear no mercado de eletricidade Audição Parlamentar Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação da Assembleia da República 1 março 2017 Agenda

Leia mais

REVISÃO TRIMESTRAL A APLICAR ÀS TARIFAS DE GÁS NATURAL NO 4.º TRIMESTRE DE 2009 PARA CONSUMIDORES COM CONSUMO ANUAL SUPERIOR A m 3

REVISÃO TRIMESTRAL A APLICAR ÀS TARIFAS DE GÁS NATURAL NO 4.º TRIMESTRE DE 2009 PARA CONSUMIDORES COM CONSUMO ANUAL SUPERIOR A m 3 NOTA JUSTIFICATIVA REVISÃO TRIMESTRAL A APLICAR ÀS TARIFAS DE GÁS NATURAL NO 4.º TRIMESTRE DE 2009 PARA CONSUMIDORES COM CONSUMO ANUAL SUPERIOR A 10 000 m 3 Os preços das tarifas de gás natural aprovados

Leia mais

A EDP, através da NEO Nuevas Energías del Occidente, SL ( NEO ), adquiriu hoje a Relax Wind Parks, um conjunto de projectos para o desenvolvimento de

A EDP, através da NEO Nuevas Energías del Occidente, SL ( NEO ), adquiriu hoje a Relax Wind Parks, um conjunto de projectos para o desenvolvimento de ! %! &' ( "##$ %&' (%&' A EDP, através da NEO Nuevas Energías del Occidente, SL ( NEO ), adquiriu hoje a Relax Wind Parks, um conjunto de projectos para o desenvolvimento de parques eólicos na Polónia

Leia mais

BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS Dezembro 215 Eletricidade de origem renovável em Portugal Continental O ano de 215, apesar ter sido um ano seco e quente, encerra com a eletricidade renovável em posição

Leia mais

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 6,3% e as importações 2,1%

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 6,3% e as importações 2,1% 09 de agosto de 2013 Estatísticas do Comércio Internacional Junho 2013 Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 6,3 e as importações 2,1 As exportações de bens aumentaram 6,3 e as importações

Leia mais

rotulagem de energia eléctrica

rotulagem de energia eléctrica rotulagem de energia eléctrica ROTULAGEM DE ENERGIA ELÉCTRICA A rotulagem de energia eléctrica tem como principal objectivo informar os cidadãos sobre as fontes energéticas primárias utilizadas na produção

Leia mais

Relatório da Qualidade de Serviço 2016 Eletricidade

Relatório da Qualidade de Serviço 2016 Eletricidade Relatório da Qualidade de Serviço 2016 Eletricidade Índice Endesa em Portugal 3 Introdução ao Relatório de Qualidade Comercial 4 Serviço de Atendimento ao Cliente 5 Atendimentos Presenciais 5 Atendimento

Leia mais

Tabela 2.1: Contas Agregadas do Petróleo (Barril).

Tabela 2.1: Contas Agregadas do Petróleo (Barril). PETRÓLEO Rafael Nogueira Julia Febraro sendo 24,7% da produção óleo leve (>=31 API), 46,4% óleo médio (>=22 API e

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2015

estatísticas rápidas - nº julho de 2015 estatísticas rápidas - nº 122 - julho de 215 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro.

Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos na União Europeia e +1.2 pontos na Área Euro. Mar-04 Mar-05 Mar-06 Mar-07 Mar-08 Mar-09 Mar-10 Mar-11 Mar-12 Análise de Conjuntura Abril 2014 Indicador de Sentimento Económico Em março de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.3 pontos

Leia mais

Modelação e Simulação de Mercados de Energia Eléctrica

Modelação e Simulação de Mercados de Energia Eléctrica Curso de Formação em Modelação e Simulação de Mercados de Energia Eléctrica Leccionado por Jorge Alberto Mendes de Sousa para Galp Energia Lisboa Abril 2010 1. Enquadramento O presente curso de formação

Leia mais

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador Novembro 213 Todos os consumidores de gás natural em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde janeiro de

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2014 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA Nº 31 abril 2015 Índice 1. Sumário Executivo 2. Mercados Petrolíferos 2.1 Preços 2.2 Origens do Petróleo Bruto 3. Saldo Importador 4. Importação de Produtos Energéticos

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Plataforma eletrônica de negociação de energia elétrica. 18/Maio/2012

Plataforma eletrônica de negociação de energia elétrica. 18/Maio/2012 Plataforma eletrônica de negociação de energia elétrica 18/Maio/2012 Tópicos 1. Mercado Livre de energia elétrica no Brasil Mercado Cativo X Mercado Livre Agentes autorizados a operar no Ambiente de Contratação

Leia mais

Gestão do Sistema Elétrico com grande penetração de renováveis

Gestão do Sistema Elétrico com grande penetração de renováveis Seminário Ordem Engenheiros Gestão do Sistema Elétrico com grande penetração de renováveis Lisboa, 21 Jun 2017 TOPICOS 1. A (r) evolução em 10 anos: 2007-2016 2. Principais desafios para a Gestão do Sistema

Leia mais

As interligações de energia e o mercado interno de energia europeu

As interligações de energia e o mercado interno de energia europeu As interligações de energia e o mercado interno de energia europeu Jorge Esteves Conferência Descarbonização da Economia Sessão Próximos desafios no setor da energia As interligações de energia e o mercado

Leia mais

Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus

Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus Portugal e a integração dos Mercados Elétricos europeus 1. Portugal continental, MIBEL e Mercado Interno de Energia europeu 2. Facetas da construção

Leia mais

RESULTADOS 9 MESES DE 2009

RESULTADOS 9 MESES DE 2009 RESULTADOS 9 MESES DE 2009 11 DE NOVEMBRO DE 2009 MANUEL FERREIRA DE OLIVEIRA Do sucesso para novos desafios ENVOLVENTE DE MERCADO Resultados dos 9 meses de 2009 RECESSÃO ECONÓMICA AFECTA DRIVERS DE RESULTADOS

Leia mais

Relatório da Qualidade de Serviço 2016 Gás natural

Relatório da Qualidade de Serviço 2016 Gás natural Relatório da Qualidade de Serviço 2016 Gás natural Índice A Endesa em Portugal 3 Introdução ao Relatório de Qualidade Comercial 4 Serviço de Atendimento ao Cliente 5 Atendimentos Presenciais 5 Atendimento

Leia mais

As exportações e importações aumentaram 7,6% e 8,4%, respetivamente, em termos nominais

As exportações e importações aumentaram 7,6% e 8,4%, respetivamente, em termos nominais Estatísticas do Comércio Internacional Novembro 09 de janeiro de 2017 As exportações e importações aumentaram 7,6% e 8,4%, respetivamente, em termos nominais Em novembro de, as exportações e as importações

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,52 0,52 4,27 0,54 0,54 4,56 Fev. 0,19 0,71 4,12 0,49 1,03 4,61 Mar. 0,31 1,02 4,33

Leia mais

A Regulação do Sector Energético

A Regulação do Sector Energético A Regulação do Sector Energético Apresentação realizada na FEUC Vítor Santos 25 de Maio de 2012 Agenda 1. Dimensões estratégicas da liberalização do setor energético 2. Liberalização do sector Energético

Leia mais

CCEE Situação Atual e Evoluções. Workshop Andrade&Canellas de agosto de Paulo Born Conselheiro de Administração - CCEE

CCEE Situação Atual e Evoluções. Workshop Andrade&Canellas de agosto de Paulo Born Conselheiro de Administração - CCEE CCEE Situação Atual e Evoluções Workshop Andrade&Canellas 2012 17 de agosto de 2012 Paulo Born Conselheiro de Administração - CCEE Responsabilidades da CCEE - Evolução 27) RRV usinas em atraso 28) Gestão

Leia mais

Informação do Mercado 2015

Informação do Mercado 2015 Índice Informação do Mercado 2015 2 1 Evolução do mercado da electricidade em Espanha e no MIBEL... 6 1.1. Negociação no MIBEL: energia, volumen econômico e tipos de tecnologias 1.1.1. Compras no MIBEL

Leia mais

Relatório Anual de Qualidade de Serviço 2015 / Electricidade

Relatório Anual de Qualidade de Serviço 2015 / Electricidade Relatório Anual de Qualidade de Serviço 2015 / Electricidade Índice A Endesa em Portugal 3 Introdução ao Relatório de Qualidade Comercial 3 Serviço de Atendimento ao Cliente 4 Atendimento Telefónico Comercial

Leia mais

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas

Nº 008 Agosto/ Nº de usinas Nº de usinas www.cceorg.br Nº 008 Agosto/2014 0 10 00 08 Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia

Leia mais

Nº 54 Fevereiro/

Nº 54 Fevereiro/ www.ccee.org.br Nº 54 Fevereiro/212 8 1 8 O Info Mercado é uma publicação mensal que traz os principais resultados das operações contabilizadas no âmbito da CCEE. Esta edição refere-se aos dados da contabilização

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Abril 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Abril 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Abril 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL Em abril de 2016 as fontes de energias renováveis (FER) mantiveram-se como a principal origem de abastecimento

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO 1.º SEMESTRE 2015 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DOS FUNDOS DE PENSÕES ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Relatório de evolução dos fundos de pensões 1.º Semestre 2015 SUMÁRIO 1. Evolução

Leia mais

Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria

Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria 09 de Janeiro de 2007 Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Novembro de 2006 VOLUME DE NEGÓCIOS NA INDÚSTRIA MANTÉM CRESCIMENTO RELATIVAMENTE ELEVADO EM NOVEMBRO; EMPREGO,

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,52 0,52 4,27 0,54 0,54 4,56 Fev. 0,19 0,71 4,12 0,49 1,03 4,61 Mar. 0,31 1,02 4,33

Leia mais

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Setembro 2016

BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS. Setembro 2016 BOLETIM ENERGIAS RENOVÁVEIS Setembro 2016 ELETRICIDADE DE ORIGEM RENOVÁVEL EM PORTUGAL CONTINENTAL Setembro de 2016 caracterizou-se por uma diminuição da disponibilidade do recurso renovável hídrico e

Leia mais

Índices de Preços. Em 12

Índices de Preços. Em 12 Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Jan. 0,46 0,46 6,27 0,48 0,48 5,84 Fev. 0,27 0,73 5,52 0,55 1,03 5,90 Mar. 0,40 1,14 6,28

Leia mais

BOLETIM MENSAL JANEIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial. BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em:

BOLETIM MENSAL JANEIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial. BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em: BOLETIM MENSAL JANEIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em: www.bcstp.st/publicações Banco Central de S. Tomé e Príncipe Índice 1. SITUAÇÃO MONETÁRIA

Leia mais

A Importância da Biomassa no Mix Energético Nacional

A Importância da Biomassa no Mix Energético Nacional A Importância da Biomassa no Mix Energético Nacional 24 de Março de 2017 Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra 10:00 10:10 10:10 10:30 10:30 10:50 Abertura Prof. Dr. Luís Neves,

Leia mais

Mercado Liberalizado da Electricidade

Mercado Liberalizado da Electricidade Mercado Liberalizado da Electricidade Ponto de situação do primeiro trimestre de 2009 Vítor Santos 5 de Maio de 2009 Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos 1 Agenda Ponto de situação do Mercado Liberalizado

Leia mais

BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS BOLETIM DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS Agosto 215 Eletricidade de origem renovável em Portugal Portugal Continental A caminho do fim do Verão, Portugal continental contínua com valores de quantidade de precipitação

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Maio 2016 Índice 1. Situação Monetária... 1 1.1. Base Monetária (BM)... 1 1.2. Massa Monetária (M3)... 2 1.2.2. Activo Externo Líquido...

Leia mais

Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação

Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2010 29 de Junho de 2010 Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação O valor médio de avaliação bancária 1 de habitação no total

Leia mais

meses Maio 1,23 2,82 5,41 0,79 2,88 5,58 Jun. 0,96 3,81 5,84 0,74 3,64 6,06 Jul. 0,45 4,27 6,03 0,53 4,19 6,

meses Maio 1,23 2,82 5,41 0,79 2,88 5,58 Jun. 0,96 3,81 5,84 0,74 3,64 6,06 Jul. 0,45 4,27 6,03 0,53 4,19 6, Indicadores econômicos Índices de Preços IPC/FIPE IPCA Período Em 12 Em 12 Mensal No ano Mensal No ano meses meses Maio 1,23 2,82 5,41 0,79 2,88 5,58 Jun. 0,96 3,81 5,84 0,74 3,64 6,06 Jul. 0,45 4,27 6,03

Leia mais

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA

FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA 2016 FATURA ENERGÉTICA PORTUGUESA Nº 33 abril 2017 (página em branco) Índice 1. Sumário Executivo 2. Mercados Petrolíferos 2.1 Preços 2.2 Origens do Petróleo Bruto 3. Saldo Importador 4. Importação de

Leia mais

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador

LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador 1.º Trimestre 214 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO DE GÁS NATURAL Mudança de comercializador Todos os consumidores de gás natural em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde janeiro

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal dezembro 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Nº 003 Março/ Nº de usinas

Nº 003 Março/ Nº de usinas Introdução O Boletim de Operação das Usinas é uma publicação mensal que apresenta os principais resultados consolidados de capacidade, garantia física e geração das usinas, tendo como referência a contabilização

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS DEZEMBRO DE 2015 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Em 2014, de acordo com a International Renewable Energy Agency (IRENA), a fonte biomassa apresentou 80.227

Leia mais

BOLETIM MENSAL FEVEREIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial

BOLETIM MENSAL FEVEREIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial BOLETIM MENSAL FEVEREIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em: www.bcstp.st/publicações 1 Índice 1. SITUAÇÃO MONETÁRIA 1 1.1 BASE MONETÁRIA (BM) 1 1.2.

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 3/2017. Formação do preço da banda de regulação secundária

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 3/2017. Formação do preço da banda de regulação secundária 2006 Diário da República, 2.ª série N.º 20 27 de janeiro de 2017 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 3/2017 Formação do preço da banda de regulação secundária O Manual de

Leia mais

estatísticas rápidas - nº maio de 2016

estatísticas rápidas - nº maio de 2016 estatísticas rápidas - nº 131 - maio de 216 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Síntese Mensal da Contratação Pública

Síntese Mensal da Contratação Pública SUMÁRIO EXECUTIVO Nº de anúncios de concursos publicados em Diário da República e de contratos publicados no portal BASE aumenta em Maio Em maio de 217 foram publicados mais 335 anúncios que no mês anterior,

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Aumento dos preços da carne, seguros e transportes públicos

Aumento dos preços da carne, seguros e transportes públicos Informação à Comunicação Social 14 de Março de 2001 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Fevereiro de 2001 Comentário Síntese Aumento dos preços da carne, seguros e transportes públicos O Índice de Preços no

Leia mais

Mercado dos Combustíveis em Portugal. António Comprido Secretário-Geral

Mercado dos Combustíveis em Portugal. António Comprido Secretário-Geral Mercado dos Combustíveis em Portugal António Comprido Secretário-Geral Produtos Petrolíferos e Sustentabilidade 18 de outubro 2016 Agenda A cadeia de valor Evolução do consumo Fiscalidade Formação dos

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS NOVEMBRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa pouco mais de 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO MECANISMO DE GESTÃO CONJUNTA DA INTERLIGAÇÃO PORTUGAL-ESPANHA Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Milhares ton ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Introdução Esta Informação pretende fazer uma análise, ainda que sumária, da evolução do mercado dos combustíveis rodoviários em Portugal no

Leia mais

REVISÃO TRIMESTRAL DOS PREÇOS DE ENERGIA DAS TARIFAS DE GÁS NATURAL NO 4.º TRIMESTRE DE 2009

REVISÃO TRIMESTRAL DOS PREÇOS DE ENERGIA DAS TARIFAS DE GÁS NATURAL NO 4.º TRIMESTRE DE 2009 REVISÃO TRIMESTRAL DOS PREÇOS DE ENERGIA DAS TARIFAS DE GÁS NATURAL Setembro 2009 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel.: 21 303 32 00 Fax:

Leia mais

Formação do preço da banda de regulação secundária

Formação do preço da banda de regulação secundária ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 22/2016 Formação do preço da banda de regulação secundária O Manual de Procedimentos da Gestão Global do Sistema do setor elétrico (MPGGS), aprovado

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Fevereiro 2016 Índice 1. Política Monetária e Financeira... 1 1.1. Evolução dos Agregados Monetários... 1 1.2. Base Monetária (BM)... 1 1.3.

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de fevereiro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de fevereiro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, de fevereiro de 3 Banco de Portugal divulga estatísticas da balança de pagamentos e da posição de investimento internacional referentes a O Banco de Portugal publica

Leia mais

estatísticas rápidas - nº novembro de 2013

estatísticas rápidas - nº novembro de 2013 estatísticas rápidas - nº 12 - novembro de 213 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos do Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação

Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Janeiro de 2010 26 de Fevereiro de 2010 Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Em Janeiro de 2010, o valor médio de avaliação bancária 1 de

Leia mais

CAIXAGEST SELECÇÃO CAPITAL GARANTIDO

CAIXAGEST SELECÇÃO CAPITAL GARANTIDO CAIXAGEST SELECÇÃO 2008 - CAPITAL GARANTIDO Fundo de Investimento Mobiliário Fechado RELATÓRIO & CONTAS Liquidação ÍNDICE 1. RELATÓRIO DE GESTÃO 2 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 4 EM ANEXO: RELATÓRIO DO

Leia mais

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2016

A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2016 A BIOELETRICIDADE DA CANA EM NÚMEROS SETEMBRO DE 2016 CAPACIDADE DE GERAÇÃO DA BIOELETRICIDADE Atualmente, a fonte biomassa representa quase 9% da potência outorgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

A Experiência da Espanha na Operação de Parques Eólicos

A Experiência da Espanha na Operação de Parques Eólicos A Experiência da Espanha na Operação de Parques Eólicos Pablo Motta Ribeiro Neoenergia Plácido Nieto Ostos Iberdrola Hugo Nunes Neoenergia José Eduardo Tanure Neoenergia 1 2 Mudança de Paradigma no Brasil

Leia mais

Comércio Internacional de bens: as exportações aumentaram 1,7% e as importações 6,0%

Comércio Internacional de bens: as exportações aumentaram 1,7% e as importações 6,0% Estatísticas do Comércio Internacional Março 2014 09 de maio de 2014 Comércio Internacional de bens: as exportações aumentaram 1,7% e as importações 6,0% As exportações de bens aumentaram 1,7% e as importações

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2017 - Newsletter ÍNDICE ÍNDICE... 1 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio

Leia mais

Painel 5 Impactos e Adaptações do Mercado para Implantação da Portaria MME 455/2012

Painel 5 Impactos e Adaptações do Mercado para Implantação da Portaria MME 455/2012 Painel 5 Impactos e Adaptações do Mercado para Implantação da Portaria MME 455/2012 Alexandre Nunes Zucarato Gerente de Inteligência de Mercado Câmara de Comercialização de Energia Elétrica Agenda 2 Objetivos

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS. Informação sobre o Sector de Petróleo e Gás Fevereiro de 2014

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS. Informação sobre o Sector de Petróleo e Gás Fevereiro de 2014 REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS Informação sobre o Sector de Petróleo e Gás Fevereiro de 2014 INTRODUÇÃO O presente documento reporta a execução do Sector Petrolífero ao longo do mês de Fevereiro

Leia mais

estatísticas rápidas - nº julho de 2016

estatísticas rápidas - nº julho de 2016 estatísticas rápidas - nº 133 - julho de 216 Índice Destaque 3 Mercado Interno 4 Consumo Global 4 Produtos de Petróleo 4 Combustíveis Rodoviários 5 Gasóleos Coloridos e Fuel 6 GPL 7 Gás Natural 7 Carvão

Leia mais

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 1,0% e importações diminuíram 6,4%

Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 1,0% e importações diminuíram 6,4% Estatísticas do Comércio Internacional Janeiro 2013 12 de março de 2013 Comércio Internacional de bens: exportações aumentaram 1,0% e importações diminuíram 6,4% As exportações de bens aumentaram 1,0%

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal abril 2016 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Acesso ao Mercado de Carbono. Seminário Tecnicelpa, Tomar 31 de Março 2006

Acesso ao Mercado de Carbono. Seminário Tecnicelpa, Tomar 31 de Março 2006 Acesso ao Mercado de Carbono Seminário Tecnicelpa, Tomar 31 de Março 2006 O Mercado Europeu de Carbono O Comércio Europeu de Licenças de Emissão - CELE Atribuição de Licenças em Portugal Volumes de Mercado

Leia mais

Taxas de Juro implícitas no Crédito à Habitação por Período de Celebração dos Contratos. Dez-13. Jun-14. Ago-14. Abr-14. Fev-14

Taxas de Juro implícitas no Crédito à Habitação por Período de Celebração dos Contratos. Dez-13. Jun-14. Ago-14. Abr-14. Fev-14 Dez-12 Fev-13 Abr-13 Ago-13 Out-13 Fev-14 Abr-14 Ago-14 Out-14 Fev-15 Abr-15 Ago-15 Out-15 Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação Dezembro de 2015 22 de janeiro de 2016 Taxa de juro 1 manteve

Leia mais