As Universidades e o Open Access. Apresentação para Dirigentes Universitários

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As Universidades e o Open Access. Apresentação para Dirigentes Universitários"

Transcrição

1 As Universidades e o Open Access Apresentação para Dirigentes Universitários

2 Antevisão da apresentação Open Access /Acesso Livre O que é? Porquê? Como? As Universidades e o Open Access Os repositórios ins<tucionais As polí<cas ins<tucionais de auto arquivo

3 O que é o Open Access? Open Access, "Acesso Livre" (ou Acesso Aberto ) significa a disponibilização livre na Internet de cópias gratuitas, online, de ar<gos de revistas cienmficas revistos por pares (peer reviewed), comunicações em conferências, bem como relatórios técnicos, teses e documentos de trabalho.

4 Acesso Livre a quê? Essencial: Aos cerca de 2.5 milhões de ar<gos publicados por ano, a nível mundial, em cerca de 25,000 revistas com peer review em todas as disciplinas académicas e cien<ficas. Opcional: A comunicações, teses e dissertações, relatórios, working papers, ar<gos não revistos (preprints); monografias; etc. Não Aplicável: O Acesso Livre não se aplica a livros sobre os quais os autores pretendam obter receitas ou textos não académicos, como nomcias ou ficção.

5 Acesso Livre porquê? Aumentar a visibilidade, o acesso, a u<lização e o impacto dos resultados de inves<gação. Acelerar e tornar mais eficiente o progresso da ciência. Melhorar a monitorização, avaliação e gestão da ac<vidade cienmfica.

6 Acesso Limitado = Impacto Limitado (Traduzido e adaptado de Harnad) O ciclo de impacto inicia-se: Realiza-se Investigação Investigadores escrevem artigo - preprint Meses Postprint revisto é aceite, certificado, publicado numa revista Preprint avaliado por pares especialistas Peer-Review Submetem a revista Preprint revisto pelos autores Novos ciclos de impacto: Nova investigação a partir da investigação anterior Investigadores podem aceder ao Postprint se a Universidade assinar a revista

7 Acesso Limitado = Impacto Limitado (Traduzido e adaptado de Harnad) Meses O ciclo de impacto inicia-se: Realiza-se Investigação Postprint revisto é aceite, certificado, publicado numa revista Preprint avaliado por pares especialistas Peer-Review Investigadores escrevem artigo - preprint Submetem a revista Preprint revisto pelos autores Este acesso limitado baseado na assinatura de revistas pode ser complementado pelo auto arquivo do Postprint no repositório insntucional do autor Novos ciclos de impacto: Nova investigação a partir da investigação anterior Investigadores podem aceder ao Postprint se a Universidade assinar a revista

8 Impacto e acesso à invesngação maximizado pelo auto arquivo O ciclo de impacto inicia-se: Realiza-se Investigação Investigadores escrevem artigo - preprint Submetem a revista Meses Postprint revisto é aceite, certificado, publicado numa revista Preprint avaliado por pares especialistas Peer-Review Preprint revisto pelos autores Novos ciclos de impacto: Nova investigação a partir da investigação anterior Investigadores podem aceder ao Postprint se a Universidade assinar a revista Novos ciclos de impacto: O impacto da investigação arquivada é maior e mais rápido porque o acesso é maximizado.

9 Impacto dos resultados de invesngação % aumento citações com Acesso Livre Física Sociologia Psicologia Direito Gestão Educação Ciên. da Saúde Ciências PolíNcas Economia Biologia Amplitude = 36% 250% (Dados: Brody&Harnad 2004; Hajjem et al. 2005) Adaptação de gráfico cedido por: Alma Swan Key PerspecNves Ltd

10 Acelerar e aumentar a eficiência do progresso da ciência Tempo necessário para arngos depositados no ArXiv serem citados Meses desde a publicação Adaptação de gráfico cedido por: Alma Swan Key PerspecNves Ltd

11 Melhorar a monitorização, avaliação e administração da ciência (algumas hipóteses) Avaliação de inves<gadores, grupos e centros de inves<gação baseada na análise de citações de ar<gos individuais (e não no factor de impacto das revistas); Desenvolvimento de um Cita<onRank semelhante ao algoritmo PageRank do Google; Registo e seguimento de downloads, citações e padrões de uso; Avaliação do grau de endogamia/exogamia dos inves<gadores e unidades de inves<gação Detecção de autores/trabalho não citados/ignorados e detecção de plágio por analises semân<cas.

12 Duas vias para o Acesso Livre ÓpNma (dourada): Publicar os ar<gos em revistas de acesso livre sempre que existam revistas adequadas para o efeito (presentemente cerca de 3691, 15% ver Boa (verde): Publicar os restantes ar<gos nas revistas comerciais habituais (presentemente cerca de 21300, 85%) e auto arquivá los em repositórios da própria ins<tuição.

13 O que são Repositórios InsNtucionais? São sistemas de informação que armazenam, preservam, divulgam e dão acesso à produção intelectual de comunidades universitárias. Ao fazê lo intervêm em duas questões estratégicas: contribuir para o aumento da visibilidade e valor público das ins<tuições, servindo como indicador tangível da sua qualidade; contribuir para a reforma do sistema de comunicação cienmfica, expandindo o acesso aos resultados da inves<gação e reassumindo o controlo académico sobre a publicação cienmfica.

14 Os Repositórios no mundo

15 Via verde para o auto arquivo! O copyright já não é um obstáculo importante ao desenvolvimento dos Repositórios Ins<tucionais. PolíNcas de Copyright das Revistas Cienwficas 32% 5% PermiNdo auto arquivo de preprints e postprints PermiNdo auto arquivo de preprints 63% Auto arquivo não permindo Mais de 95% das revistas já permitem alguma forma de auto arquivo/depósito em repositórios. hup://romeo.eprints.org/stats.php

16 Repositórios para quê? Para produzir o corpus de literatura cienmfica em acesso livre, que cons<tui o objec<vo final, e que proporcionará: Progresso cienmfico mais rápido e mais eficiente Text mining e data mining Corpus para avaliação da ciência Para ajudar a ins<tuição a cumprir a sua missão de disseminação dos resultados cienmficos Para dotar a ins<tuição das ferramentas para analisar e gerir a sua produção cienmfica Para ajudar a ins<tuição aumentar a sua visibilidade e impacto

17 Se todas as insntuições possuíssem dados semelhantes nos seus repositórios Análises comparanvas: Em que medida o nosso impacto se compara com o de outros? O nosso departamento de engenharia está a registar mais impacto? Que resultados estamos a obter com o dinheiro que inves<mos no nosso departamento de osica? Os nossos melhores departamentos de inves<gação estão a atrair o número ideal de estudantes?

18 Os repositórios aumentam a visibilidade dos resultados da acnvidade cienwfica Os repositórios usam tecnologias e protocolos que expõem os seus conteúdos na Internet. Isto significa que os conteúdos dos repositórios O Google integrou recentemente no estão acessíveis a par<r de inúmeras bases de seu motor de busca genérico dados e motores de pesquisa, incluindo o caracterís<cas e funcionalidades até Google agora apenas presentes no Google Scholar como: O nome do (primeiro) autor Mas criar repositórios ins<tucionais Links para os ar<gos que o citam é apenas uma condição necessária, não é uma Links para ar<gos relacionados condição suficiente Links para outras versões

19 Apenas cerca de 11% da produção cienwfica insntucional mundial é auto arquivada espontaneamente hoje em dia em repositórios e páginas web.

20 Os repositórios são necessários, mas não são suficientes Estratégias de divulgação, promoção e formação são factores crí<cos para o sucesso na implementação de um repositório. A criação de serviços de valor acrescentado para os autores, que compensem o esforço de auto arquivo, é também um aspecto importante. Mas o factor determinante é a implementação de políncas e mandatos de auto arquivo que encorajem ou tornem obrigatório o depósito da produção cienmfica dos membros das ins<tuições nos seus repositórios.

21 ANtude dos autores face a um mandato de auto arquivo Não cumpririam 5% Cumpririam com relutância 14% Cumpririam de boa vontade 81% % respondentes (Dados: InternaNonal Survey Would you comply with OA mandate? )

22 Vantagem CompeNNva Quanto mais cedo uma universidade implementar um mandato de auto arquivo Open Access, mais cedo (e maior) será a sua vantagem compe<<va face às suas congéneres.

23 Vantagem CompeNNva A Univ. Southampton School of Electronics and Computer Science foi a primeira adoptar um mandato de auto arquivo OA a nível mundial. (A vantagem compennva desvanece com OA a 100%).

24 Vantagem CompeNNva As universidades portuguesas no Ranking Web of World UniversiNes (Julho 2008) hup://www.webometrics.info/rank_by_country.asp?country=pt

25 Mundialmente, um total de 56 mandatos de autoarquivo já foram implementados e mais 10 estão registados sob a forma de proposta. ROARMAP (Registry of OA Repository Mandates):

26 Em de Janeiro de 2008 Janeiro 2008 A polí<ca de auto arquivo do NIH (EUA), até à altura voluntária, passa a obrigatória. Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom In accordance with Division G, Title II, Sec<on 218 of PL (Consolidated Appropria<ons Act, 2008 ), the NIH voluntary Public Access Policy (NOT OD ) is now mandatory. The law states: The Director of the Na.onal Ins.tutes of Health shall require that all inves.gators funded by the NIH submit or have submi9ed for them to the Na.onal Library of Medicine PubMed Central an electronic version of their final, peer reviewed manuscripts upon acceptance for publica.on, to be made publicly available no later than 12 months a>er the official date of publica.on: Provided, That the NIH shall implement the public access policy in a manner consistent with copyright law.

27 Em 2008 Fevereiro de Fevereiro de 2008 A Faculdade de Artes Ciências da Universidade de Harvard estabelece uma polí<ca Ter. sobre as publicações cienmficas dos Sáb. seus membros, que Seg. Qua. Qui. Sex. Dom. requer, para além do depósito dos ar<gos, a transferência do copyright para a Universidade Each Faculty member grants to the President and Fellows of Harvard College permission to make de Maio de available his or her scholarly ar.cles and to exercise the copyright in those ar.cles. In legal terms, the permission granted by each Faculty member is a nonexclusive, irrevocable, paid up, worldwide license to exercise any and all rights under copyright rela.ng to each of his or her scholarly ar.cles ( ). The policy will apply to all scholarly ar.cles wrinen while the person is a member of the Faculty ( ) A Harvard Law School estabelece uma polí<ca sobre as publicações cienmficas dos seus membros semelhante à da Faculdade de Artes e Ciências da Universidade de Harvard.

28 Em de Março de Março 2008 O Conselho Geral da European University AssociaNon (EUA) aprovou Seg. Ter. por Qua. unanimidade Qui. as Sex. recomendações Sáb. Dom. do Grupo de Trabalho sobre Open Access da EUA. 1 2 A. RecommendaNons for University Leadership 1. ( ) develop ins.tu.onal policies and strategies that foster the availability of ( ) research results ( ), maximising their visibility, accessibility and scien.fic impact The basic approach for achieving this should be the crea.on of an ins.tu.onal repository or par.cipa.on in a shared repository. ( ) University ins.tu.onal policies should require that their researchers deposit (selfarchive) their scien.fic publica.ons in their ins.tu.onal repository upon acceptance for publica.on. ( ).Such policies would be in compliance with evolving policies of research funding agencies at the na.onal and European level such as the ERC University policies should include copyright in the ins.tu.onal intellectual property rights (IPR) management ( ).

29 Em de Junho de 2008 Junho 2008 Polí<ca de auto arquivo da Stanford University School of EducaNon Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom. ( ) Faculty members grant to the Stanford University permission to make publicly available their scholarly ar.cles and to exercise the copyright in those ar.cles. They grant to 1 Stanford University a nonexclusive, irrevocable, worldwide license to exercise any and all rights under copyright rela.ng to their scholarly ar.cles, in any medium ( ) The policy will apply to all scholarly ar.cles authored or co authored while a faculty member of the School of Educa.on, beginning with ar.cles for which the publisher's copyright agreement has yet to be signed ( ) No later than the date of publica.on, faculty members will provide an electronic copy of the final version of the ar.cle at no charge to the appropriate representa.ve of the Dean of Educa.on's Office, who will make the ar.cle available to the public in an open access repository operated by Stanford University ( ) 30

30 Em de Agosto de 2008 Agosto 2008 Projecto piloto de Comissão Europeia para assegurar a máxima Seg. disseminação Ter. Qua. e Qui. visibilidade Sex. dos Sáb. resultados Dom. da inves<gação financiada pelo 7th Framework Programm (50 biliões de ). O projecto vai abarcar cerca de 20% do 7th FP (10 biliões de ) em disciplinas como ciências da saúde, energia, 4 ambiente, 5 6 ciências 7 sociais 8 e 9 tecnologias 10 de informação e comunicação Grant 18 recipients 19 will 20 be required 21 to deposit 22 peer 23 reviewed 24 research ar.cles or final manuscripts resul.ng from their FP7 projects in an online 25 repository. 26 They 27 will have 28 to make 29 their best 30 effort 31 to ensure open access to these ar.cles within either six or twelve months a>er publica.on, depending on the research area.

31 Síntese da apresentação O que podem fazer as universidades? Implementar as recomendações da EUA! Criar/Manter repositórios ins<tucionais Definir polí<cas ins<tucionais Requerer o auto arquivo das publicações dos seus membros nos repositórios Que publicações? obrigatoriamente a versão final dos ar<gos com peer review ( postprint ), opcionalmente outras publicações e documentos Quando arquivar/depositar? Imediatamente após a aceitação para publicação. Os embargos devem aplicar se ao acesso e não ao depósito

32 Obrigado pela atenção! Nome Esta apresentação foi desenvolvida pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho, no âmbito do projecto Repositório CienMfico da Acesso Aberto, está disponível nos termos da Licença Crea<ve Commons Atribuição Uso Não Comercial Par<lha nos termos da mesma licença (by nc sa) 2.5 Portugal, e des<na se a ser usada para promover o desenvolvimento de repositórios e polí<cas de Open Access junto de dirigentes universitários,

RepositóriUM. Repositório Institucional da Universidade do Minho. Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt

RepositóriUM. Repositório Institucional da Universidade do Minho. Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt RepositóriUM Repositório Institucional da Universidade do Minho Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt Sumário O que é o RepositóriUM? Quais são os seus objectivos? Que tipo de documentos vai reunir? Quais

Leia mais

Repositório.UL. Política de depósito da UL e políticas editoriais (Farmácia)

Repositório.UL. Política de depósito da UL e políticas editoriais (Farmácia) Repositório.UL Política de depósito da UL e políticas editoriais (Farmácia) Marta Nogueira; Cristina Domingues Universidade de Lisboa - Grupo de trabalho do Repositório.UL http://repositorio.ul.pt / repositorio@reitoria.ul.pt

Leia mais

Repositório.UL. Política de depósito da UL e políticas editoriais (Ciências)

Repositório.UL. Política de depósito da UL e políticas editoriais (Ciências) Repositório.UL Política de depósito da UL e políticas editoriais (Ciências) Marta Nogueira; Cristina Domingues Universidade de Lisboa - Grupo de trabalho do Repositório.UL http://repositorio.ul.pt / repositorio@reitoria.ul.pt

Leia mais

RIA- Repositório Institucional da Universidade de Aveiro Direitos de autor/copyright

RIA- Repositório Institucional da Universidade de Aveiro Direitos de autor/copyright RIA- Repositório Institucional da Universidade de Aveiro Direitos de autor/copyright Politicas de copyright e autoarquivo das editoras: o projecto Sherpa/RoMEO - http://www.sherpa.ac.uk/romeo/ Todos os

Leia mais

A experiência da Universidade do Minho promovendo o acesso livre à literatura científica

A experiência da Universidade do Minho promovendo o acesso livre à literatura científica Florianópolis, 4 de Novembro de 2009 A experiência da Universidade do Minho promovendo o acesso livre à literatura científica Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt http://repositorium.sdum.uminho.pt Sumário

Leia mais

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Estoril, 13 de Maio de 2004 Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Eloy Rodrigues, Matilde Almeida, Ângelo Miranda, Augusta Guimarães, Daniela Castro E-mail: {eloy,

Leia mais

A evolução dos periódicos brasileiros e o acesso aberto

A evolução dos periódicos brasileiros e o acesso aberto XVII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias Gramado, 16-18 de Setembro de 2012 A evolução dos periódicos brasileiros e o acesso aberto Lewis Joel Greene Editor, Brazilian Journal of Medical and

Leia mais

Pedro Príncipe. OpenAIRE e o cumprimento do Projecto Piloto Open Access

Pedro Príncipe. OpenAIRE e o cumprimento do Projecto Piloto Open Access Pedro Príncipe OpenAIRE e o cumprimento do Projecto Piloto Open Universidade de Coimbra, de 2011 Access do 29 7ºde Junho Programa Tópicos 1.O que é o OpenAIRE 2.Projectos do 7º PQ e a Cláusula Especial

Leia mais

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner

PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST. Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner PROGRAMA DE PUBLICAÇÃO DE TESES PROQUEST Andréa Gonçalves Training & Consulting Partner Agenda ProQuest Dissertations and Theses Histórico da UMI e PQDT Como e por que usar a PQDT? Processo de publicação

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora:

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora: www.diadorim.ibict.br DOCUMENTO DE APOIO Brasília 2012 1 Financiadora: 1 Esta é a segunda versão do Documento de Apoio ao diretório Diadorim, publicado em 2011. SUMÁRIO Introdução... 1 Contatos... 3 Acesso

Leia mais

A experiência da USP e o repositório do CRUESP

A experiência da USP e o repositório do CRUESP A experiência da USP e o repositório do CRUESP Profa. Dra. Sueli Mara S. P. Ferreira Seminário VIABILIZANDO O ACESSO ABERTO AO CONHECIMENTO NA FIOCRUZ Rio de Janeiro - 30 de maio de 2014 Estrutura - Composição

Leia mais

Acesso Aberto, Repositórios Institucionais e os Periódicos Científicos do MZUSP

Acesso Aberto, Repositórios Institucionais e os Periódicos Científicos do MZUSP XIII SEMANA DO LIVRO E DA BIBLIOTECA NA USP 25 A 29 DE OUTUBRO DE 2010 ACESSO ABERTO À PRODUÇÃO CIENTÍFICA NA USP VIII SEMANA DO LIVRO E DA BIBLIOTECA NO MZUSP Acesso Aberto, Repositórios Institucionais

Leia mais

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES DSPACE GESTÃO DE REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11173 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

POLÍTICA DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

POLÍTICA DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA POLÍTICA DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Grupo de Trabalho dos Bibliotecários da UNL Abril de 2009 Aprovada na Reunião de 21 de Maio de 2009 do Colégio dos Directores Política

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais Open Archives um marco na história das Bibliotecas Digitais Motivação Pontiac G6 Preço igual (EUA) USD $17,000 Motivação Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica

Leia mais

Pesquisa sobre o Uso das Competências Europeias dos Nutricionistas/Dietistas (EDC) e dos seus Indicadores de Desempenho

Pesquisa sobre o Uso das Competências Europeias dos Nutricionistas/Dietistas (EDC) e dos seus Indicadores de Desempenho Pesquisa sobre o Uso das Competências Europeias dos Nutricionistas/Dietistas (EDC) e dos seus Indicadores de Desempenho Esta pesquisa tem 12 questões e tem por objectivos: Recolher dados sobre a implementação

Leia mais

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1

Gestão de Serviços. Mário Lavado itsmf Portugal. Guimarães 18 de Novembro 2010. itsmf Portugal 1 Gestão de Serviços Mário Lavado itsmf Portugal Guimarães 18 de Novembro 2010 itsmf Portugal 1 Agenda 1. O que é o itsmf? 2. A Gestão de Serviços e o ITIL 3. A ISO 20000 4. A certificação ISO 20000 itsmf

Leia mais

O PROJETO OpenAIRE, A POLÍTICA EUROPEIA DE OPEN ACCESS E OS PROJETOS NA ÁREA DA SAÚDE COM PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA PEDRO PRÍNCIPE, ELOY RODRIGUES

O PROJETO OpenAIRE, A POLÍTICA EUROPEIA DE OPEN ACCESS E OS PROJETOS NA ÁREA DA SAÚDE COM PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA PEDRO PRÍNCIPE, ELOY RODRIGUES O, A POLÍTICA EUROPEIA DE OPEN ACCESS E OS PROJETOS NA ÁREA DA SAÚDE COM PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA PEDRO PRÍNCIPE, ELOY RODRIGUES TÓPICOS 1. Política Europeia de Open Access Orientações do Conselho Europeu

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

Implementing and monitoring an. Open Access mandate: the Minho Experience

Implementing and monitoring an. Open Access mandate: the Minho Experience Implementing and monitoring an Open Access mandate: the Minho Experience Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt Agenda Introduction University of Minho Open Access @UMinho Open Access Policy @UMinho: incentive

Leia mais

Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, E.P.E.

Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, E.P.E. CONSELlIO DE ADMIN ISTRAÇÃO DELIBERAÇÃO N.o 25/2013 Política de Acesso Livre (Open Access) e Regras de Afiliação do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, E.P.E. I - Âmbito e Objectivos A produção

Leia mais

O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira

O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP 23/05/2013 desafio-impacto-confap-20130522.pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Desafios para a

Leia mais

Open Archives e Open Access

Open Archives e Open Access Mesa redonda: Tecnologias de Informação Open Archives e Open Access Sumário Cenário Mundial da Comunicação Científica O modelo Open Archives O movimento do acesso livre Ações do Ibict em direção ao acesso

Leia mais

Caracterização de um Repositório Institucional e Importância do Livre Acesso

Caracterização de um Repositório Institucional e Importância do Livre Acesso Caracterização de um Repositório Institucional e Importância do Livre Acesso Ana Luisa Veiga*, António Matos**, Daniela Oliveira***, David Araújo**** e Filipa Ramalho***** * ci05001@fe.up.pt ** ci05018@fe.up.pt

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web 2010

Introdução à Tecnologia Web 2010 IntroduçãoàTecnologiaWeb2010 Internet ÓrgãosRegulamentadores ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger Internet Órgãosregulamentadores Índice 1 Breve Histórico da Internet... 2 2 Surgimento

Leia mais

Acesso livre e os desafios do conhecimento: o caso da Universidade do Minho

Acesso livre e os desafios do conhecimento: o caso da Universidade do Minho Acesso livre e os desafios do conhecimento: o caso da Universidade do Minho Open access and the challenges of knowledge: the case of Universidade do Minho O FUTURO DO CONHECIMENTO UNIVERSAL / THE FUTURE

Leia mais

POLÍTICA DE AUTO-ARQUIVO

POLÍTICA DE AUTO-ARQUIVO Repositório Institucional - Universidade da Beira Interior POLÍTICA DE AUTO-ARQUIVO O Ubithesis Conhecimento Online é o Repositório Institucional Digital da Universidade da Beira Interior. Tem como objectivo

Leia mais

Open Archives: contexto

Open Archives: contexto Open Archives Arquivos Abertos Impacto da Internet nos Sistemas de Informação Documentos em papel Documentos eletrônicos Bases de dados referenciais Bases em texto completo Sistemas isolados Interoperabilidade

Leia mais

GHG Protocol in EDP. Pedro Sirgado

GHG Protocol in EDP. Pedro Sirgado GHG Protocol in EDP Pedro Sirgado EDP Empresa de referência no mercado Ibérico, com uma presença de destaque no mercado Brasileiro e forte investimento nos E.U.A. Renováveis E.U.A. Capacidade de produção

Leia mais

IC-Online: repositório institucional

IC-Online: repositório institucional IC-Online: história de um repositório institucional Reorganização de serviços do IPL: Bibliotecas do IPL passarem a trabalhar como uma unidade Rentabilização de esforços, recursos humanos e recursos materiais

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

KIT DE CONTACTO PROJECTO BLIMUNDA [ ] JULHO DE 11

KIT DE CONTACTO PROJECTO BLIMUNDA [ ] JULHO DE 11 KIT DE CONTACTO PROJECTO BLIMUNDA [ ] JULHO DE 11 Exmo(a). Senho r(a), Lisboa, 20 de Junho de 2011 Assunto: Levantamento das polfticas das Editoras e Revistas Cient ificas nacionais para 0 auto-arqu ivo

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

O acesso aberto ao conhecimento: Onde estamos e por onde vamos?

O acesso aberto ao conhecimento: Onde estamos e por onde vamos? O acesso aberto ao conhecimento: Onde estamos e por onde vamos? Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt Antevisão da apresentação Acesso Aberto/Open Access O que é? Origens? Porquê? Como? A evolução recente

Leia mais

ENDNOTE WEB QUICK REFERENCE GUIDE

ENDNOTE WEB QUICK REFERENCE GUIDE QUICK REFERENCE GUIDE ENDNOTE WEB Powered by THOMSON REUTERS Web of Knowledge SM O QUE É O ENDNOTE WEB? O EndNote Web é um programa de gestão de referências baseado na Web, concebido para otimizar o processo

Leia mais

Competências em Literacia da Informação. Saber avaliar a informação

Competências em Literacia da Informação. Saber avaliar a informação Competências em Literacia da Informação Saber avaliar a informação Rosário Duarte 2009 Avaliar a informação Hoje em dia, são vários os recursos de informação que tens ao teu dispor, criando a ilusão de

Leia mais

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com 1. A comunicação científica e sua importância Qualquer

Leia mais

www.unioeste.br/portaldainformacao

www.unioeste.br/portaldainformacao PORTAL DA INFORMAÇÃO DA UNIOESTE Página de acesso livre ao conhecimento. www.unioeste.br/portaldainformacao PORTAL DA INFORMAÇÃO DA UNIOESTE A P R E S E N T A Ç Ã O O Portal da Informação da Unioeste é

Leia mais

Busca pela excelência em universidades no Brasil

Busca pela excelência em universidades no Brasil Busca pela excelência em universidades no Brasil Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP 20130723 excellence-in-higher-ed-chbc20140122pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Determinants of Excellence

Leia mais

Reitoria. No plano orçamental para 2009 foi definida uma provisão no valor de 300.000 euros para o Programa - Qualidade.

Reitoria. No plano orçamental para 2009 foi definida uma provisão no valor de 300.000 euros para o Programa - Qualidade. Reitoria Circular RT-05/2009 Programa Qualidade 2009 Apesar dos constrangimentos financeiros impostos pelo orçamento atribuído para 2009, é importante garantir que são apoiadas as experiências e os projectos

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Gestão da informação científica e repositórios institucionais de acesso aberto Fernando César Lima Leite fernandoc@unb.br

Gestão da informação científica e repositórios institucionais de acesso aberto Fernando César Lima Leite fernandoc@unb.br XVII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias Gestão da informação científica e repositórios institucionais de acesso aberto Fernando César Lima Leite fernandoc@unb.br 1. A comunicação científica

Leia mais

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica

Normalização e interoperabilidade da informação geográfica Normalização e interoperabilidade da informação geográfica perspetivas para a formação em Engenharia Geográfica João Catalão Departamento de Engenharia Geográfica, Geofísica e Energia Faculdade de Ciências

Leia mais

4.3 Ferramentas de Publicação e Citação de Dados de Pesquisa e Objetos Digitais

4.3 Ferramentas de Publicação e Citação de Dados de Pesquisa e Objetos Digitais 4.3 Ferramentas de Publicação e Citação de Dados de Pesquisa e Objetos Digitais HENSE, A.; QUADT, F. Acquiring high quality research data. D-Lib Magazine, v. 17, n. 1/2, 2011. doi:10.1045/january2011-hense.

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

O Arquivo de Ciência e Tecnologia

O Arquivo de Ciência e Tecnologia Encontro Arquivos Científicos 3 e 4 de julho de 2014 FCSH, Lisboa O Arquivo de Ciência e Tecnologia Paula Meireles Madalena Ribeiro O Arquivo de Ciência e Tecnologia 1. Projeto de tratamento e divulgação

Leia mais

CARTILHA DE PI DO CADUCEUS

CARTILHA DE PI DO CADUCEUS CARTILHA DE PI DO CADUCEUS SUAS IDEIAS PODEM SER VALIOSAS! Vivemos hoje no mundo da informação e do conhecimento, onde o crescimento e a sustentação de qualquer indústria são sobretudo determinados por

Leia mais

SciELO Brasil e o processo de avaliação da área de odontologia

SciELO Brasil e o processo de avaliação da área de odontologia SciELO Brasil e o processo de avaliação da área de odontologia Fabiana Montanari Lapido Projeto SciELO FAPESP, CNPq, BIREME, FapUNIFESP 27ª Reunião Anual da SBPqO Águas de Lindóia, 9 setembro 2010 Apresentação

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA POLÍTICA MANDATÓRIA NO REPOSITÓRIO (Estudo de caso)

AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA POLÍTICA MANDATÓRIA NO REPOSITÓRIO (Estudo de caso) AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA POLÍTICA MANDATÓRIA NO REPOSITÓRIO (Estudo de caso) Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária/Escola Superior de Artes Aplicadas Castelo Branco, Portugal

Leia mais

USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 WORK PLAN FOR IMPLEMENTATION OF THE UNITED STATES PATENT AND

Leia mais

Computação em Nuvem. Francimara T.G.Viotti Diretoria de Gestão da Segurança Banco do Brasil Setembro 2013

Computação em Nuvem. Francimara T.G.Viotti Diretoria de Gestão da Segurança Banco do Brasil Setembro 2013 Computação em Nuvem 8888 Francimara T.G.Viotti Diretoria de Gestão da Segurança Banco do Brasil Setembro 2013 A Evolução da Computação 2010s Computação em Nuvem 2000s Aplicativos de Internet 1990s Arquitetura

Leia mais

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL: produção intelectual do Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA)

REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL: produção intelectual do Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA) REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL: produção intelectual do Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA) Alessandra Saraiva de Sousa¹ ¹Especialista, Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão (IESMA),

Leia mais

Direitos de Autor na Biblioteca Nacional de Portugal

Direitos de Autor na Biblioteca Nacional de Portugal Direitos de Autor na Biblioteca Nacional de Portugal EXPERIÊNCIAS E PERSPECTIVAS EM 3 TEMAS FUNDAMENTAIS: Reutilização de conteúdos Reutilização de dados Digitalização em massa Helena Simões Patrício 1.

Leia mais

L A C Laboratory for Advanced Collaboration

L A C Laboratory for Advanced Collaboration Publicação de Dados Governamentais no Padrão Linked Data 1.2 - Dados Governamentais Abertos Karin Breitman José Viterbo Edgard Marx Percy Salas L A C Laboratory for Advanced Collaboration Objetivo deste

Leia mais

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI

O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI O POSICIONAMENTO DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA GOVERNANÇA DE TI Claudio Gottschalg Duque Professor Departamento de Ciência da Informação Universidade de Brasília (UnB) Brasil Mauricio Rocha Lyra Aluno

Leia mais

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL ACADÉMICA

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL ACADÉMICA TITO RENDAS FUNÇÃO Assistente Convidado CONTACTOS Tel. +351 217 214 170 Fax +351 217 214 177 Palma de Cima, 1649-023 Lisboa Portugal trendas@fd.lisboa.ucp.pt www.fd.lisboa.ucp.pt ÁREAS DE INTERESSE Propriedade

Leia mais

Manual de Utilizador e Administrador DigitalRM InstoreMedia 1.0

Manual de Utilizador e Administrador DigitalRM InstoreMedia 1.0 Manual de Utilizador e Administrador DigitalRM InstoreMedia 1.0 Direitos Reservados ABSS-Broadcast Lda 2008. Portugal: Rua do Comércio 58, 3º Sala 5, 3510-110 Viseu Tel: +351 232431249 Fax: +351 213519134

Leia mais

INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO

INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO Janeiro 2004 INICIATIVA ESTRATÉGICA CONHECIMENTO E INOVAÇÃO 1 - OBJECTIVOS O Conhecimento é fonte de Desenvolvimento. A criação e transmissão do Conhecimento

Leia mais

CAMINHOS PARA COOPERAÇÃO SOB A

CAMINHOS PARA COOPERAÇÃO SOB A CAMINHOS PARA COOPERAÇÃO SOB A PERSPECTIVA DA ASIS&T Prof. Michel J. Menou ASIS&T Encarregado de cooperação internacional para América Latina e Caribe micheljmenou@gmail.com Mesa Redonda: Integração de

Leia mais

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Janise Silva Borges da Costa, Beatriz Helena de Souza Cestari, Carla Metzler

Leia mais

IMMIGRATION Canada. Study Permit. São Paulo Visa Office Instructions. Table of Contents. For the following country: Brazil IMM 5849 E (04-2015)

IMMIGRATION Canada. Study Permit. São Paulo Visa Office Instructions. Table of Contents. For the following country: Brazil IMM 5849 E (04-2015) IMMIGRATION Canada Table of Contents Document Checklist Study Permit (disponible en Portuguese) Study Permit São Paulo Visa Office Instructions For the following country: Brazil This application is made

Leia mais

E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access

E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access U. do Minho, Braga, 26 Nov 2009 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Estratégia

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015 REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS. JOVENS PROFESSORES E INVESTIGADORES CONVOCATÓRIA 2015 A promoção da investigação através de programas que contribuam de maneria eficaz para a criação

Leia mais

Impactos de uma filosofia aberta na comunicação científica hoje: as mudanças que o acesso aberto/livre (open access) provocam 1

Impactos de uma filosofia aberta na comunicação científica hoje: as mudanças que o acesso aberto/livre (open access) provocam 1 Impactos de uma filosofia aberta na comunicação científica hoje: as mudanças que o acesso aberto/livre (open access) provocam 1 Sely M. S. Costa, PhD Universidade de Brasília selmar@unb.br A comunicação

Leia mais

Uma Década de Acesso Aberto na UMinho e no Mundo EDITORES: ELOY RODRIGUES, ALMA SWAN, ANA ALICE BAPTISTA

Uma Década de Acesso Aberto na UMinho e no Mundo EDITORES: ELOY RODRIGUES, ALMA SWAN, ANA ALICE BAPTISTA Uma Década de Acesso Aberto na UMinho e no Mundo EDITORES: ELOY RODRIGUES, ALMA SWAN, ANA ALICE BAPTISTA Ficha técnica Título: Uma Década de Acesso Aberto na UMinho e no Mundo Editores: Eloy Rodrigues,

Leia mais

Plataforma ISI Web of Knowledge. Susana Clemente

Plataforma ISI Web of Knowledge. Susana Clemente Plataforma ISI Web of Knowledge Susana Clemente A plataforma ISI Web of Knowledge Acesso à literatura científica mundial mais importante e mais influente http://isi15.isiknowledge.com/ (para instituições

Leia mais

# Sumário. # Uso em ambientes de alto risco

# Sumário. # Uso em ambientes de alto risco Arquivo Leia-me do ScanSnap Manager V6.1L11 PFU LIMITED # Sumário 1. Requisitos do sistema 2. Cuidados relacionados ao USB e ao computador 3. Cuidados relacionados à instalação 4. Cuidados relacionados

Leia mais

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Bastiaan Philip Reydon Inova Unicamp Seminário: Pesquisa e Inovação para melhores condições de trabalho e emprego 18 de Outubro de 2012, Brasilia

Leia mais

Computação e Informática

Computação e Informática Universidade Presbiteriana Mackenzie Faculdade de Computação e Informática A Auto Avaliação Ins9tucional na Pós- Graduação com o Apoio do Ambiente Moodle Profª Maria Lúcia Indjaian G. da Cruz Prof. Ms.

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

REGULAMENTO 2ª BBR CONFERENCE 2014

REGULAMENTO 2ª BBR CONFERENCE 2014 REGULAMENTO 2ª BBR CONFERENCE 2014 1. Dados gerais do evento: Sobre a BBR Conference: Nos dias 10, 11 e 12 de dezembro de 2014, a FUCAPE Business School sediará a 2ª Brazilian Business Review Conference

Leia mais

2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa.

2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa. Repositório Institucional da Universidade de Brasília HISTÓRICO 2003 participação na Elpub (apresentação do MIT /motivação para o trabalho no Brasil); 2004 apresentação ao Reitor da UnB parceria CID (Profa.

Leia mais

Publicações Médicas Nacionais Passado, Presente e Futuro

Publicações Médicas Nacionais Passado, Presente e Futuro Publicações Médicas Nacionais Passado, Presente e Futuro Helena Donato helenadonato@huc.min-saude.pt Sumário 1. Passado 2. Presente Cinco medidas para uma revista ser credível Cinco medidas para conseguir

Leia mais

Direitos autorais e as revistas científicas brasileiras

Direitos autorais e as revistas científicas brasileiras CPDWL - Continuing Professional Development and Workplace Learning Section NPSIG - New Professionals Special Interest Group LAC - Latin American and Caribbean Section USP - University of São Paulo, Ribeirão

Leia mais

Provedor e-mail. Políticas Convivência. Anti-SPAM. Políticas em e-mails. Caso Snowden. Prof. Enzo Seraphim. Decreto 8135/2013

Provedor e-mail. Políticas Convivência. Anti-SPAM. Políticas em e-mails. Caso Snowden. Prof. Enzo Seraphim. Decreto 8135/2013 Provedor e-mail Políticas Convivência Anti-SPAM Caso Snowden Decreto 8135/2013 Políticas em e-mails Prof. Enzo Seraphim Tipos de Provedores Provedor e-mail Políticas Convivência Anti-SPAM Caso Snowden

Leia mais

Módulo 11 Periódicos em acesso aberto: Modelos de financiamento. Treinamento NECOBELAC 13-15 de abril de 2010 São Paulo - Brasil

Módulo 11 Periódicos em acesso aberto: Modelos de financiamento. Treinamento NECOBELAC 13-15 de abril de 2010 São Paulo - Brasil Módulo 11 Periódicos em acesso aberto: Modelos de financiamento Treinamento NECOBELAC 13-15 de abril de 2010 São Paulo - Brasil Modelos de financiamento para periódicos AA Segundo o DOAJ há mais de 4 mil

Leia mais

O Acesso Livre visto por quem dele usufrui - a perspectiva dos utilizadores

O Acesso Livre visto por quem dele usufrui - a perspectiva dos utilizadores O Acesso Livre visto por quem dele usufrui - a perspectiva dos utilizadores Ana Alice Baptista http://www.dsi.uminho.pt/~analice (este documento está disponível em Acesso Livre) Conteúdos Perspectiva dos

Leia mais

Preservação e disseminação de dados em Ciências Sociais

Preservação e disseminação de dados em Ciências Sociais Projeto de Investigação: «A construção de um arquivo de dados em Ciências Sociais» Preservação e disseminação de dados em Ciências Sociais Pedro Moura Ferreira «Infraestruturas de Recolha, Preservação

Leia mais

Porto Editora acentua ganhos de produtividade e eficiência com investimento em tecnologia Microsoft

Porto Editora acentua ganhos de produtividade e eficiência com investimento em tecnologia Microsoft Microsoft Exchange Server 2007 Caso de Estudo Microsoft Porto Editora Porto Editora acentua ganhos de produtividade e eficiência com investimento em tecnologia Microsoft Sumário País Portugal Sector Cultura

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS RESOLUÇÃO Nº 33, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2004. Dispõe sobre a concessão de Declaração de Proteção

Leia mais

Carla Morais e João Paiva. Software Educativo 2009/2010

Carla Morais e João Paiva. Software Educativo 2009/2010 Carla Morais e João Paiva Software Educativo 2009/2010 Os conceitos: Software livre e Open Source O conceito de Software livre (Free Software, no original), anterior ao de Open source, foi cunhado por

Leia mais

ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo

ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo ServidorEscola Plataforma Web de apoio Administrativo Introdução Co-habitamos uma sociedade de informação universal, aliados ao paradigma da evolução tecnológica que se verifica e se revela como um meio

Leia mais

Lisboa, 20 de Maio de 2010. Construindo redes e infraestruturas. DRIVER e RCAAP

Lisboa, 20 de Maio de 2010. Construindo redes e infraestruturas. DRIVER e RCAAP Lisboa, 20 de Maio de 2010 Construindo redes e infraestruturas de repositórios: DRIVER e RCAAP Eloy Rodrigues eloy@sdum.uminho.pt Sumário Projecto DRIVER - Digital Repository Infrastructure Vision for

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado E-repositórios 26 de Maio de 2007 Intervenção de Maria João Gomes da Universidade do Minho Repositórios

Leia mais

REGULAMENTO 2ª BBR CONFERENCE 2014

REGULAMENTO 2ª BBR CONFERENCE 2014 1. Dados gerais: Sobre a BBR Conference: REGULAMENTO 2ª BBR CONFERENCE 2014 Nos dias 10, 11 e 12 de dezembro de 2014, a FUCAPE Business School sediará a 2ª Brazilian Business Review Conference (BBR Conference),

Leia mais

Conferências CTC. Onde est@o os meus livros. a biblioteca nas nuvens? Maria Eduarda Pereira Rodrigues Julho 2015

Conferências CTC. Onde est@o os meus livros. a biblioteca nas nuvens? Maria Eduarda Pereira Rodrigues Julho 2015 Conferências CTC Onde est@o os meus livros ou a biblioteca nas nuvens? Julho 2015 AGENDA A biblioteca procurando o contexto Documento versus informação Na ESACB : Recursos disponíveis e notas de exploração

Leia mais

BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES E OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UMA INTERAÇÃO NECESSÁRIA

BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES E OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UMA INTERAÇÃO NECESSÁRIA BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES E OS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO: UMA INTERAÇÃO NECESSÁRIA Cláudia Oliveira de Moura Bueno 1, Odete Jacomini da Silva 1 Liliane Juvência Azevedo Ferreira 1 Bibliotecárias,

Leia mais

A estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos em 10 perguntas

A estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos em 10 perguntas A estratégia nacional para a melhoria da higiene das mãos em 10 perguntas Patrocinador do Programa Nacional de Prevenção e Controlo da Infecção Associada aos Cuidados de Saúde Índice 1. O que é a estratégia

Leia mais

Assuntos Acadêmicos. Edson H. Watanabe Diretor para Assuntos Acadêmicos

Assuntos Acadêmicos. Edson H. Watanabe Diretor para Assuntos Acadêmicos Assuntos Acadêmicos Edson H. Watanabe Diretor para Assuntos Acadêmicos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Jurkiewicz 12 13 AVALIAÇÃO CAPES A pós-graduação brasileira é avaliada a cada 3 anos com conceitos que vão

Leia mais

ONLINE CARTÃO DE REFERÊNCIA RÁPIDA ENDNOTE

ONLINE CARTÃO DE REFERÊNCIA RÁPIDA ENDNOTE CARTÃO DE REFERÊNCIA RÁPIDA ENDNOTE ONLINE Acesso protegido por senha a uma biblioteca de referência a qualquer momento e em qualquer lugar. Referências e artigos completos para baixar de praticamente

Leia mais

Missão e Fundação. Sobre BioOne

Missão e Fundação. Sobre BioOne Sobre BioOne Sobre BioOne Missão e Fundação A Missão da BioOne é trabalhar coletivamente e colaborando para fornecer sustentabilidade, custo-eficaz e acesso a um conteúdo científico de altaqualidade publicado

Leia mais

Repositórios Digitais Confiáveis

Repositórios Digitais Confiáveis Rápida introdução aos Repositórios Digitais Confiáveis Luis Fernando Sayão Comissão Nacional de Energia Nuclear Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos CTDE/CONARQ lsayao@cnen.gov.br REPOSITÓRIOS DIGITAIS

Leia mais

Guia Portal de Periódicos CAPES

Guia Portal de Periódicos CAPES Guia Portal de Periódicos CAPES Manaus, abril de 2010 ACESSO AO PORTAL CAPES DE PERIÓDICOS APRESENTAÇÃO A Biblioteca Aderson Dutra do Centro Universitário Nilton Lins disponibiliza um moderno conjunto

Leia mais

Guia de Depósito Teses

Guia de Depósito Teses Guia de Depósito Teses Descreva o documento que está a depositar Página 1 Se seleccionar todas as opções nesta página, visualizará um formulário diferente, modificado com o intuito de capturar informações

Leia mais

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP 1.INTRODUÇAO...... 3 2.ONDE CONSEGUIR INFORMAÇÔES?... 4 Normas USP... 4 Site EACH...4 Sistema de atendimento da Comissão de

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual

Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual Universidade Federal de Goiás Faculdade de Artes Visuais Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIOS PARA QUALIFICAÇÃO (MESTRADO E DOUTORADO), TESES E TRABALHOS

Leia mais

repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite

repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite Por que, para quem e como criar repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite A produção do conhecimento É viabilizadamedianteprocessos decomunicação

Leia mais