Departamento de Epidemiologia SEMANA ABERTA NO INSA. Teresa Contreiras Carlos Dias Eleonora Paixão

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Departamento de Epidemiologia www.onsa.pt SEMANA ABERTA NO INSA. Teresa Contreiras Carlos Dias Eleonora Paixão"

Transcrição

1 Departamento de Epidemiologia SEMANA ABERTA NO INSA Teresa Contreiras Carlos Dias Eleonora Paixão 1

2 Alguns factos históricos da epidemia tabágica Consumo de cigarros raro em 1900 (EUA: 54 cig/pessoa/ano) Aumento rápido na primeira metade do século 20 (EUA: 4345 cig/pessoa/ano 1963) Diminuição da idade de início do consumo anos na primeira metade do século anos no final do século 20 2

3 Fases da adopção do hábito tabágico (fonte: US Department of Health and Human Services, 1994) Preparatória Ensaio Experimentação Uso regular Dependência 3

4 Os factores determinantes da adopção do hábito tabágico (fonte: Pierce et al, Adolescent Smoking. 2004) Factores genéticos Os amigos Os pais A Publicidade O Preço A Acessibilidade A Escola 4

5 A iniciação ao consumo de tabaco (fonte: Pierce et al, Adolescent Smoking. 2004) Não fumadores Maior parte das crianças no final do primeiro ciclo de ensino Inicio da susceptibilidade ao consumo Surge entre os 10 e os 14 anos a decisão de experimentar fumar depende do contexto situacional muitos definem-se como curiosos o risco de iniciar o consumo duplica Os fumadores Probabilidade de consumo de tabaco no futuro aumenta com a experiência diminui com o tempo desde a última vez que fumou modulada pelas expectativas pessoais 50% dos adolescentes que fumaram pelo menos 100 cigarros serão fumadores aos 35 anos 5

6 Epidemiologia do consumo de tabaco e suas consequências em Portugal 6

7 Número médio de anos de vida perdidos pela população portuguesa, devido ao consumo de tabaco, no ano anos Todas as idades Fonte: Peto R, Lopez, AD, Boreham J, Thun M. Mortality from Smoking in developed countries , 2nd ed. (Data updated 15 July 2003) 7

8 Proporção (%) de mortes atribuíveis ao consumo de tabaco em Portugal Cancro do Pulmão Homens Mulheres Doença Cardio-Vascular Homens Mulheres , ,2 0,9 Todas as causas Homens Mulheres Fonte: Peto R, Lopez, AD, Boreham J, Thun M. Mortality from Smoking in developed countries , 2nd ed. (Data updated 15 July 2003)

9 Prevalência do consumo de tabaco em meio escolar (fonte:: DGS, ISAE, 2002/2003) Idade (anos) Sexo Total Masculino Feminino ,1 2,6 5, ,8 10,0 19, ,5 15,0 29, ,4 9,5 18,9 9

10 Prevalência de fumadores segundo o tipo de consumo, o grupo etário e o sexo, em alunos de estabelecimentos de ensino em Portugal Continental (2002/2003). Tipo de Consumo Grupo etário rapazes prevalência raparigas Ocasional Diário Fonte: DGS, 2005 (Inquérito à Saúde dos Adolescentes) 10

11 Idade média de inicio do consumo regular de tabaco segundo a idade à data da entrevista e o sexo nos Inquéritos Nacionais de Saúde ( ) em Portugal Continental 20 H1987 Idade m édia de inicio do consum o regular de tabaco H1996 H1999 M1987 M Idade á data da Entrevista M

12 Proporção da população com 10 ou mais, que fumam actualmente, por sexo e grupo etário % Homens Mulheres 44,6 45,0 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 28,7 11,2 0,4 0,0 31,4 16,1 39,0 17,6 21,2 34,0 12,6 21,3 5,7 12,7 1,5 7,8 0,2 0,1 0,0 TOTAL Grupo etário INS 98/99: Homens - 32,0%; Mulheres - 10,1% 12

13 Departamento de Epidemiologia SEMANA ABERTA NO INSA 13 Teresa Contreiras Carlos Dias Eleonora Paixão

14 14

15 Direcção Geral da Saúde Consumo de Tabaco Estratégias de Prevenção e Controlo 15

16 O fumo do tabaco contém mais de quatro mil compostos químicos, dos quais mais de quarenta são reconhecidos como carcinogéneos - nitrosaminas, acetaldeídos,, cloreto de vinilo, arsénico, chumbo, níquel, cádmio, benzopirenos, estireno,, entre outros. Aos produtos do tabaco são também adicionadas diversas substâncias, como a amónia,cacau, glicerina, mentol, baunilha, aromatizantes, entre outras, cujas consequências para a saúde, uma vez queimadas e inaladas, nem sempre são bem conhecidas. Numerosos estudos epidemiológicos confirmam a associação entre o consumo de tabaco e uma maior probabilidade de se virem a contrair numerosas doenças, 16

17 AO LONGO DA SEMANA,QUANTO TEMPO ESTÁ EM ESPAÇOS FECHADOS JUNTO DE FUMADORES? 5% 25% Sempre/A maior parte do tempo Bastante/Algum tempo Pouco tempo/nunca 70% 17 Fonte:INS 2005/2006

18 EVITA FUMAR NA PRESENÇA DE PESSOAS QUE NÃO FUMEM? 45,0 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0 29,8 28,6 41,6 Sempre/Muitas vezes Algumas/poucas vezes Nunca 18 Fonte:INS 2005/2006

19 CHAMA A ATENÇÃO OU PEDE AOS FUMADORES QUE EVITEM FUMAR NA SUA PRESENÇA? 80,0 70,0 68,3 60,0 50,0 40,0 30,0 20,0 10,0 11,6 20,1 0,0 Sempre/Muitas vezes Algumas/poucas vezes Nunca 19 Fonte:INS 2005/2006

20 FUMA? = Diariamente AO LONGO DA SEMANA,QUANTO TEMPO ESTÁ EM ESPAÇOS FECHADOS JUNTO DE FUMADORES? 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Pouco tempo/nun ca Bastante/Al gum tempo Masculino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Sempre/A maior parte do tempo e mais anos Fonte:INS 2005/

21 FUMA? = Diariamente EVITA FUMAR NA PRESENÇA DE PESSOAS QUE NÃO FUMEM? 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Nunca Algumas/poucas vezes Sempre/Muitas vezes Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino e mais 21 Fonte:INS 2005/2006

22 FUMA? = Não fuma AO LONGO DA SEMANA,QUANTO TEMPO ESTÁ EM ESPAÇOS FECHADOS JUNTO DE FUMADORES? 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Pouco tempo/nunca 86,2% 84,5% Bastante/Algum tempo 11,7% 13,2% Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Sempre/A maior parte do tempo 2,1% 2,3% e mais 22 Fonte:INS 2005/2006

23 FUMA? = Não fuma CHAMA A ATENÇÃO OU PEDE AOS FUMADORES QUE EVITEM FUMAR NA SUA PRESENÇA? 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Nunca Algumas/poucas vezes Sempre/Muitas vezes Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino Masculino Feminino e mais Fonte:INS 2005/

24 RISCOS Assim, estão relacionados com o tabaco: - um terço de todos os casos de cancro; - 90 % dos cancros do pulmão; - Cancro do ap. respiratório superior - lábio, língua, boca, faringe e laringe; - Cancro da bexiga, rim, colo do útero, esófago, estômago e pâncreas; - Doenças do aparelho circulatório, das quais a doença isquémica cardíaca (25%); - Patologia respiratória crónica - bronquite crónica (75% a 80%), enfisema e asma; - Irritação ocular e das vias aéreas superiores. 24

25 As crianças, são particularmente vulneráveis à exposição ao fumo ambiental do tabaco. 25

26 Lembre-se que já a partir do próximo dia 1 de Janeiro entra em vigor a nova lei contra o fumo do tabaco Lei n.º 37/2007 de 14 de Agosto Aprova normas para a protecção dos cidadãos da exposição involuntária ao fumo do tabaco e medidas de redução da procura relacionadas com a dependência e a cessação do seu consumo. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: 26

27 27

28 28

29 a) «Os fumadores morrem prematuramente». b) «Fumar bloqueia as artérias e provoca ataques cardíacos e enfartes». c) «Fumar provoca o cancro pulmonar mortal». d) «Se está grávida: fumar prejudica a saúde do seu filho». e) «Proteja as crianças: não as obrigue a respirar o seu fumo». f) «O seu médico ou o seu farmacêutico podem ajudá -lo a deixar de fumar». g) «Fumar causa elevada dependência. Não comece a fumar». 29

30 . h) «Deixar de fumar reduz os riscos de doenças cardiovasculares e pulmonares mortais». i) «Fumar pode provocar uma morte lenta e dolorosa». j) «Para o ajudar a deixar de fumar, consulte o seu médico ou contacte o seu farmacêutico». l) «Fumar pode reduzir o fluxo de sangue e provoca impotência». m) «Fumar provoca o envelhecimento da pele». n) «Fumar pode prejudicar o esperma e reduz a fertilidade». o) «O fumo contém benzeno, nitrosaminas, formaldeído e cianeto de hidrogénio». 30

31 31

32 European Comission, Attitudes of Europeans towards tobacco Special Eurobarometer 239, January 2006 Dados relativos a Portugal Proibição de fumar 32

33 Proibição de fumar Concordância Discordância Sem Opinião Restaurantes 81% 19% - Bares e Pubs 69% 28% 3% Locais de trabalho fechados 83% 15% 2% Metro, aeroportos, lojas 82% 17% 1% e outros locais públicos fechados 33

34 LOCAIS ONDE SE FUMA % de fumadores que fuma em casa, no carro, ou na presença de não fumadores 73% - Fuma dentro de casa 26% - Não fuma em casa 71% - Fuma dentro do carro quando se encontra sozinho 41% - Fuma dentro do carro, em presença de não fumadores 13% - Fuma dentro do carro, na presença de crianças 34

35 EXPOSIÇÃO AO FUMO DO TABACO % de não fumadores que se sente incomodada pelo fumo do tabaco 23% referem nunca se sentir incomodados pelo fumo do tabaco 13% - referem sentir-se incomodados frequentemente 29% - referem sentir-se incomodados algumas vezes 43% - referem que se sentem incomodados devido ao cheiro do fumo do tabaco nas roupas e no cabelo, não referindo sintomatologia 42% - Sentem-se incomodados, referindo sintomas físicos, ainda que não lhes tenha sido diagnosticada nenhuma doença 9% - Sofrem de uma doença, cujos sintomas são 35 agravados pela exposição ao fumo ambiental do tabaco.

36 % de não fumadores que alguma vez pediu a um fumador para que não fume junto de si 17% - Sempre ou frequentemente 35% - Algumas vezes 44% - Nunca 36

37 Evidências As crianças filhas de pais fumadores têm problemas respiratórios e do ouvido médio com maior frequência e aparecimento de asma, ou agravamento das crises asmáticas, no caso de já sofrerem desta doença. 37

38 38

39 39

TABACO. Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo!

TABACO. Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo! TABACO Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo! O cigarro contém: NICOTINA [substância também presente nos insecticidas] EFEITOS IMEDIATOS: TREMOR DAS MÃOS AUMENTO

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. Horácio Bento de Gouveia 17 de Novembro Dia do Não Fumador

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. Horácio Bento de Gouveia 17 de Novembro Dia do Não Fumador Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Dr. Horácio Bento de Gouveia 17 de Novembro Dia do Não Fumador Ano Lectivo 2010-11 O hábito de fumar está relacionado com causas essencialmente sociais e comportamentais.

Leia mais

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

Situação Epidemiológica

Situação Epidemiológica 9. Tabagismo Situação Epidemiológica Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado do Paraná O tabagismo é a segunda maior causa de morte no planeta, responsável por 8,8% do total de óbitos. São cerca

Leia mais

Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013

Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013 ISSN: 2183-0762 Portugal Prevenção e Controlo do Tabagismo em números 2013 Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo www.dgs.pt Portugal. Direção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de

Leia mais

Risco de Morrer em 2012

Risco de Morrer em 2012 Risco de morrer 2012 23 de maio de 2014 Risco de Morrer em 2012 As duas principais causas de morte em 2012 foram as doenças do aparelho circulatório, com 30,4% dos óbitos registados no país, e os tumores

Leia mais

O desafio de deixar de fumar

O desafio de deixar de fumar O desafio de deixar de fumar O uso do cigarro tem como objetivo a busca por efeitos prazerosos desencadeados pela nicotina, melhora ime - diata do raciocínio e do humor, diminuição da ansiedade e ajuda

Leia mais

Vale a pena parar de fumar!

Vale a pena parar de fumar! tabagismo Algumas dicas para deixar de fumar Deixar de fumar é uma decisão para toda a vida! Concentre as suas energias e força de vontade na sua decisão. Viva um dia de cada vez; Evite locais em que mais

Leia mais

Causas de morte 2013

Causas de morte 2013 Causas de morte 2013 26 de maio de 2015 Causas de morte 2013 Os tumores malignos e as doenças do aparelho circulatório estiveram na origem de mais de metade dos óbitos ocorridos no país em 2013, representando

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: Para: Medidas de protecção contra a exposição ao fumo ambiental do tabaco em estabelecimentos onde sejam prestados cuidados de saúde aplicação da Lei n.º 37/2007 de 14 de Agosto. Todos os serviços

Leia mais

Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus

Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus Dia Mundial da diabetes 14 de novembro 1983-2013 EMBARGO ATTÉ 13 DE NOVEMBRO DE 2014,, ÀS 11 HORAS Em 2013 perderam-se 4 683 anos potenciais de vida devido à diabetes mellitus Em 2013, as doenças endócrinas,

Leia mais

1. (PT) - Jornal de Notícias, 07/05/2014, Passos dá CMIN como exemplo de sucesso 1

1. (PT) - Jornal de Notícias, 07/05/2014, Passos dá CMIN como exemplo de sucesso 1 07-05-2014 Revista de Imprensa 07-05-2014 1. (PT) - Jornal de Notícias, 07/05/2014, Passos dá CMIN como exemplo de sucesso 1 2. (PT) - Jornal de Notícias, 07/05/2014, Hospital de Viana não vai perder valências

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Instituto de Medicina Preventiva Unidade de Saúde Ambiental Síntese de um estudo, de âmbito nacional, sobre a adesão, cumprimento e avaliação do impacte

Leia mais

O Consumo de Tabaco no Brasil. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro

O Consumo de Tabaco no Brasil. Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro O Consumo de Tabaco no Brasil Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga Ilana Pinsky Ana Cecília Marques Sandro Mitsuhiro 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Organização Mundial de

Leia mais

4. Câncer no Estado do Paraná

4. Câncer no Estado do Paraná 4. Câncer no Estado do Paraná Situação Epidemiológica do Câncer Doenças e Agravos Não Transmissíveis no Estado do Paraná Uma das principais causas de morte nos dias atuais, o câncer é um nome genérico

Leia mais

Vigilância do câncer no Canadá

Vigilância do câncer no Canadá 1 Vigilância do câncer no Canadá Apresentado por Howard Morrison, PhD Centro de Prevenção e Controle de Doenças Crônicas Agência de Saúde Pública do Canadá O contexto canadense 2 Indivíduos 4% das mulheres

Leia mais

Avaliação das políticas de ambientes livres de fumo

Avaliação das políticas de ambientes livres de fumo Avaliação das políticas de ambientes livres de fumo Andrew Hyland, PhD Roswell Park Cancer Institute 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health Seção A Visão Geral 2007 Johns Hopkins Bloomberg

Leia mais

SENADO FEDERAL EVITE O CIGARRO SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL EVITE O CIGARRO SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL EVITE O CIGARRO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Evite o cigarro apresentação Depois que foi identificado como problema de saúde pública, o cigarro tem sido combatido em campanhas de comunicação,

Leia mais

MORTALIDADE ATRIBUÍVEL AO TABAGISMO NO BRASIL. Introdução. Algumas doenças tabaco-associadas

MORTALIDADE ATRIBUÍVEL AO TABAGISMO NO BRASIL. Introdução. Algumas doenças tabaco-associadas MORTALIDADE ATRIBUÍVEL AO TABAGISMO NO BRASIL SecretárioExecutivo da ONG Aliança de Controle do Tabagismo (ACT) Presidente Comissão de Controle do Tabagismo AMMG de junho 98 a junho 03 Mestre em Saúde

Leia mais

OS CUIDADOS PALIATIVOS EM PORTUGAL. Resultados Quantitativos

OS CUIDADOS PALIATIVOS EM PORTUGAL. Resultados Quantitativos OS CUIDADOS PALIATIVOS EM PORTUGAL Resultados Quantitativos Outubro 2008 1 METODOLOGIA FICHA TÉCNICA Total da Amostra: 606 Entrevistas telefónicas, realizadas por CATI (computer assisted telephone interview).

Leia mais

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco Tabaco Álcool Medicamentos Cocaína Heroína Cannabis Ecstasy ÁLCOOL Características da substância O álcool contido nas bebidas é cientificamente designado como etanol, sendo produzido através da fermentação

Leia mais

A situação do câncer no Brasil. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

A situação do câncer no Brasil. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva A situação do câncer no Brasil Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva O Brasil no Cenário do Câncer no Mundo Principais fatores determinantes Situação do Câncer no Brasil 1 Urbanização

Leia mais

QUALIDADE DO AR INTERIOR

QUALIDADE DO AR INTERIOR QUALIDADE DO AR INTERIOR POR DIA OS NOSSOS PULMÕES FILTRAM CERCA DE 13. 000 LITROS DE AR! A POLUIÇÃO EM AMBIENTES FECHADOS É UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS A maior parte das nossas

Leia mais

Carga e Custos da Doença Atribuível ao Tabagismo em Portugal

Carga e Custos da Doença Atribuível ao Tabagismo em Portugal Carga e Custos da Doença Atribuível ao Tabagismo em Portugal Miguel Gouveia Centro de Estudos Aplicados, FCEE, Universidade Católica Portuguesa Margarida Borges, Luís dos Santos Pinheiro, João Costa, Sérgio

Leia mais

O fumo e a saúde: uma atualização

O fumo e a saúde: uma atualização O fumo e a saúde: uma atualização Jonathan M. Samet, MD, MS Diretor do Instituto para Saúde Mental da USC (USC Institute for Global Health) Professor e Presidente do Flora L. Thornton, Departamento de

Leia mais

ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREn/SP- 42883

ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREn/SP- 42883 ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREn/SP- 42883 Renata Loretti Ribeiro 2 Introdução O câncer representa uma causa importante de morbidez e mortalidade, gerador de efeitos que

Leia mais

29/03/2012. Introdução

29/03/2012. Introdução Biologia Tema: - Sistema Respiratório Humano: órgãos que o compõem e movimentos respiratórios; - Fisiologia da respiração ; - Doenças respiratórias Introdução Conjunto de órgãos destinados à obtenção de

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2012-2016

Plano Nacional de Saúde 2012-2016 Plano Nacional de Saúde 2012-2016 Índice de Figuras, Quadros e Tabelas (Janeiro 2012) Plano Nacional de Saúde 2012-2016 ÍNDICE DE FIGURAS, QUADROS E TABELAS 1. Enquadramento do Plano Nacional de Saúde

Leia mais

GaraNtia o2, Não restam dúvidas: sabia que? 4000 substâncias químicas o fumo do tabaco prejudica não só o próprio fumador

GaraNtia o2, Não restam dúvidas: sabia que? 4000 substâncias químicas o fumo do tabaco prejudica não só o próprio fumador GARANTIA O2, o reflexo certo para a nossa saúde! Não restam dúvidas: não só é desagradável inalar o fumo do tabaco, como isso representa também um risco sério para a nossa saúde. Ainda continua a haver

Leia mais

A LUTA CONTRA A TB, UMA ABORDAGEM HOLÍSTICA PARA UM COMBATE GLOBAL

A LUTA CONTRA A TB, UMA ABORDAGEM HOLÍSTICA PARA UM COMBATE GLOBAL A LUTA CONTRA A TB, UMA ABORDAGEM HOLÍSTICA PARA UM COMBATE GLOBAL Maria Conceição Gomes, Pneumologista Coordenadora do CDP da Alameda Consultora da DGS Secretaria-Geral ANTDR, Perito ONDR Lisboa, 19 de

Leia mais

AMIANTO Risco de Exposição Ambiental/Profissional AMIANTO AMIANTO. 2º Encontro Riscos Ambiente e Qualidade do Ar

AMIANTO Risco de Exposição Ambiental/Profissional AMIANTO AMIANTO. 2º Encontro Riscos Ambiente e Qualidade do Ar AMIANTO Risco de Exposição Ambiental/Profissional 2º Encontro Maria do Departamento de Saúde Ambiental Unidade de Ar e Saúde Ocupacional AMIANTO Amianto é o termo genérico para designar um grupo de seis

Leia mais

Projeto Educacional Anti-tabagismo. Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental II. São Paulo 05/11

Projeto Educacional Anti-tabagismo. Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental II. São Paulo 05/11 Projeto Educacional Anti-tabagismo Ensino Médio e 9º ano do Ensino Fundamental II São Paulo 05/11 Índice: 1-) Problematização:...2 2) Justificativa...2 3-) Objetivos...4 4-) Conteúdos a serem trabalhados...4

Leia mais

Cigarro agride não fumantes

Cigarro agride não fumantes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Cigarro agride não fumantes Para impedir o tabagismo passivo, cidades criam leis de proibição do fumo

Leia mais

Câncer: Conhecer para Prevenir!

Câncer: Conhecer para Prevenir! Câncer: Conhecer para Prevenir! O Caminho da Fumaça Apresentação Prezado leitor, Essa cartilha é uma iniciativa do Hospital A.C.Camargo e tem como objetivo alertar a todos sobre a importância de se levar

Leia mais

ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE

ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE ÁREA 100% LIVRE DE FUMAÇA ESCOLA PROMOTORA DE SAÚDE O QUE É EPS? ESCOLA QUE PROPORCIONA UM ENTORNO MAIS SAUDÁVEL, SEGURO E APROPRIADOS PARA CONVIVER PROMOVENDO SAÚDE E QUALIDADE

Leia mais

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ALTO COMISSARIADO DA SAÚDE 05 Determinantes e Estilos de Vida 076 05. Determinantes e Estilos de Vida Atlas do Plano Nacional de Saúde Determinantes e Estilos de Vida Considerações

Leia mais

Avaliação do cumprimento da Lei n.º 37/2007 de Prevenção do Tabagismo no sector da restauração do Concelho de Braga

Avaliação do cumprimento da Lei n.º 37/2007 de Prevenção do Tabagismo no sector da restauração do Concelho de Braga Avaliação do cumprimento da Lei n.º 37/2007 de Prevenção do Tabagismo no sector da restauração do Concelho de Braga José Precioso I, José Manuel Calheiros II, Maria José López III, Carles Ariza III, Manel

Leia mais

O PAPEL DA ESCOLA NA LUTA CONTRA O TABAGISMO

O PAPEL DA ESCOLA NA LUTA CONTRA O TABAGISMO O PAPEL DA ESCOLA NA LUTA CONTRA O TABAGISMO Túlio Melo Castelo Branco (UFPI) GT 17 Educação, Cultura e Sociedade Introdução O tabaco é uma planta cujo nome científico é Nicotiana tabacum, da qual é extraída

Leia mais

Sistema respiratório

Sistema respiratório Texto de apoio ao professor T6 Sistema respiratório Trocas gasosas (classificação e processo) Doenças respiratórias (causas e exemplos) Durante as trocas gasosas os gases deslocam-se dos locais onde a

Leia mais

LEI Nº 9.294, DE 15 DE JULHO DE 1996. Art. 1º......

LEI Nº 9.294, DE 15 DE JULHO DE 1996. Art. 1º...... LEI Nº 9.294, DE 15 DE JULHO DE 1996. Dispõe sobre as restrições ao uso e à propaganda de produtos fumígeros, bebidas alcoólicas, medicamentos, terapias e defensivos agrícolas, nos termos do 4 do art.

Leia mais

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO Profª Fernanda Toledo RECORDAR Qual a função do alimento em nosso corpo? Por quê comer????? Quando nascemos, uma das primeiras atitudes do nosso organismo

Leia mais

Controlo e Prevenção do Tabagismo CONCURSO DE IDEIAS

Controlo e Prevenção do Tabagismo CONCURSO DE IDEIAS Sara Madeira - Medicina Geral e Familiar Nuno Miguel Rodrigues - Anestesiologia Instituto Medicina Preventiva - Faculdade Medicina de Lisboa Convenção Quadro - Controlo do tabaco Tratado internacional

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE AG. CARCINOGÊNICOS (International Agency Research Cancer)

CLASSIFICAÇÃO DE AG. CARCINOGÊNICOS (International Agency Research Cancer) CÂNCER OCUPACIONAL Localização Os tumores associados ao trabalho freqüentemente são observados nos órgãos em contato direto (portas de entrada e/ou eliminação)de diversos agentes carcinogênicos, por sua

Leia mais

O comportamento social pode levar a doenças hepáticas Rute Eduviges Godinho Cecília Polidoro Mamer

O comportamento social pode levar a doenças hepáticas Rute Eduviges Godinho Cecília Polidoro Mamer O comportamento social pode levar a doenças hepáticas Rute Eduviges Godinho Cecília Polidoro Mamer Os estudos sobre mortalidade com freqüência enfatizam a importância das causas relacionadas às doenças

Leia mais

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cigarro é droga? Verdade! Cigarro é uma droga poderosa, apesar de ser um produto lícito. O potencial de abuso da

Leia mais

Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental

Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental * Lei n.º 37/2007, de 14 de Agosto Direcção-Geral da Saúde com a colaboração do INSA Acompanhamento estatístico e epidemiológico

Leia mais

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bem-estar A actividade física e os desportos saudáveis são essenciais para a nossa saúde e bem-estar. Actividade física adequada e desporto

Leia mais

Profa. Dra. Adriana Gioda Pontifícia Universidade Católica PUC-Rio agioda@puc-rio.br

Profa. Dra. Adriana Gioda Pontifícia Universidade Católica PUC-Rio agioda@puc-rio.br Profa. Dra. Adriana Gioda Pontifícia Universidade Católica PUC-Rio agioda@puc-rio.br } Os contaminantes do ar de ambientes de interiores podem causar danos a saúde dos ocupantes. } Em muitos ambientes

Leia mais

DOSSIER INFORMATIVO ANTIOXIDANTES

DOSSIER INFORMATIVO ANTIOXIDANTES DOSSIER INFORMATIVO ANTIOXIDANTES JUNHO 2011 O PAPEL DOS ANTIOXIDANTES O estilo de vida actual, associado aos maus hábitos alimentares, leva à necessidade da suplementação com vitaminas e minerais antioxidantes

Leia mais

Deixe de Fumar! Este Ano faça algo pela sua Saúde. Se é um dos 7 em 10 fumadores que quer deixar de fumar, saiba como...

Deixe de Fumar! Este Ano faça algo pela sua Saúde. Se é um dos 7 em 10 fumadores que quer deixar de fumar, saiba como... Este Ano faça algo pela sua Saúde Deixe de Fumar! Se é um dos 7 em 10 fumadores que quer deixar de fumar, saiba como... Sinta o prazer de uma vida sem tabaco Benefícios Se é fumador, a melhor opção que

Leia mais

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde da Comunidade MEB Epidemiologia IV Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia e Bioestatística

Leia mais

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo

Apresentação. Introdução. Francine Leite. Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Evolução dos Fatores de Risco para Doenças Crônicas e da prevalência do Diabete Melito e Hipertensão Arterial na população brasileira: Resultados do VIGITEL 2006-2009 Luiz Augusto Carneiro Superintendente

Leia mais

Uso de outros produtos de tabaco entre adolescentes. Ana Luiza Curi Hallal

Uso de outros produtos de tabaco entre adolescentes. Ana Luiza Curi Hallal Uso de outros produtos de tabaco entre adolescentes Ana Luiza Curi Hallal Objetivos Apresentar a situação atual no Brasil quanto ao uso de outros produtos do tabaco entre adolescentes Prevalência em escolares

Leia mais

Efeitos do tabagismo passivo sobre a saúde

Efeitos do tabagismo passivo sobre a saúde Efeitos do tabagismo passivo sobre a saúde Jonathan Samet, MD, MS Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health O que é Tabagismo Passivo? Fumaça

Leia mais

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox

TABAGISMO. O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox Informativo Semanal O tema deste informe foi sugerido pelo Laboratorista Edmund Cox O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo.

Leia mais

O Nicorette Goma para mascar medicamentosa de 2 mg ou 4 mg. apresenta-se sob a forma farmacêutica de goma para mascar medicamentosa.

O Nicorette Goma para mascar medicamentosa de 2 mg ou 4 mg. apresenta-se sob a forma farmacêutica de goma para mascar medicamentosa. FOLHETO INFORMATIVO Leia atentamente este folheto antes de tomar o medicamento - Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente. - Caso tenha dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

Direção Geral da Saúde

Direção Geral da Saúde Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo 2012 2016 Direção Geral da Saúde Direção Geral da Saúde Ficha técnica Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo (PNPCT) Diretor

Leia mais

TABAGISMO. Partes do cigarro

TABAGISMO. Partes do cigarro TABAGISMO O consumo de tabaco mata mais do que todas as mortes/ano causadas por HIV, drogas ilegais, consumo de álcool, acidentes de viação, suicídios e homicídios, sendo por isso considerado pela Organização

Leia mais

OlívioLopes Dias -MD Marta Dias -MD Outubro 2012

OlívioLopes Dias -MD Marta Dias -MD Outubro 2012 OlívioLopes Dias -MD Marta Dias -MD Outubro 2012 Outubro 2012 A nicotina éuma substância incolor hidrossolúvel, alcalóide, potencialmente tóxica encontrada no tabaco e classificada como insecticida (The

Leia mais

O AR QUE RESPIRAMOS Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br

O AR QUE RESPIRAMOS Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br O AR QUE RESPIRAMOS Professor Romulo Bolivar www.proenem.com.br INSTRUÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija

Leia mais

De RTZ a ACT. Controle do tabaco tem uma interface com todos os temas que estão na pauta da sociedade civil organizada

De RTZ a ACT. Controle do tabaco tem uma interface com todos os temas que estão na pauta da sociedade civil organizada As ONGs e o Controle do Tabagismo no Brasil 25 de agosto de 2007 Dr. Paulo César R P Corrêa Secretário-Executivo da ONG Aliança de Controle do Tabagismo (ACT) Grupo pesquisa Germinal / Projeto Elsa Presidente

Leia mais

PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347

PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347 PARECER COREN-SP 003/2015 - CT PRCI nº 102.705 Tickets nº 298.347 Ementa: Paciente fumante. 1. Do fato Profissional Auxiliar de Enfermagem informa que a direção da instituição em que trabalha determinou

Leia mais

Participar em estudos de investigação científica é contribuir para o conhecimento e melhoria dos serviços de saúde em Portugal

Participar em estudos de investigação científica é contribuir para o conhecimento e melhoria dos serviços de saúde em Portugal FO L H E TO F EC H A D O : FO R M ATO D L ( 2 2 0 x 1 1 0 m m ) FO L H E TO : C A PA Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Leia mais

AVALIAÇÃO DA LEI DO TABACO EM PORTUGAL INFOTABAC RELATÓRIO

AVALIAÇÃO DA LEI DO TABACO EM PORTUGAL INFOTABAC RELATÓRIO AVALIAÇÃO DA LEI DO TABACO EM PORTUGAL 2008 2010 INFOTABAC RELATÓRIO Primeira avaliação do impacte da aplicação da Lei do Tabaco 2011 DIRECÇÃO GERAL DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE SAÚDE DR. RICARDO JORGE

Leia mais

Não se Compra, Não se Ganha. Câmara Municipal da Lourinhã Divisão de Intervenção Social e Cultural - Saúde 2011

Não se Compra, Não se Ganha. Câmara Municipal da Lourinhã Divisão de Intervenção Social e Cultural - Saúde 2011 SABER É SAÚDE INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO Saúde, Não se Compra, Não se Ganha. Constrói-se! AS DOENÇAS (CRÓNICAS) NÃO TRANSMISSÍVEIS As transformações demográficas, nutricionais e epidemiológicas ocorridas no

Leia mais

Planificação anual de Saúde- 10ºano

Planificação anual de Saúde- 10ºano CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Turmas: 10ºI Professora: Ana Margarida Vargues Planificação anual de Saúde- 10ºano 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Saúde do Curso

Leia mais

Tema 1, Nº 1 Junho 2001

Tema 1, Nº 1 Junho 2001 Tema 1, Nº 1 Junho 2001 Margarida Gaspar de Matos e Susana Fonseca Carvalhosa Equipa do Aventura Social e Saúde Estudo realizado no âmbito do protocolo entre a Faculdade de Motricidade Humana e o Gabinete

Leia mais

hipertensão arterial

hipertensão arterial hipertensão arterial Quem tem mais risco de ficar hipertenso? Quais são as consequências da Hipertensão Arterial? quem tem familiares Se a HTA» hipertensos não for controlada, causa lesões em diferentes

Leia mais

Manual de Ajuda para o Adulto. asma. Programa Nacional de Controlo

Manual de Ajuda para o Adulto. asma. Programa Nacional de Controlo Manual de Ajuda para o Adulto asma Programa Nacional de Controlo Direcção-Geral da Saúde COMISSÃO DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DA ASMA 2001 EDIÇÃO Direcção-Geral da Saúde Al. D. Afonso Henriques, 45 1049-005

Leia mais

Recomendações para a prevenção da exposição à poluição tabágica ambiental: evidências para a tomada de decisões e implementação de medidas

Recomendações para a prevenção da exposição à poluição tabágica ambiental: evidências para a tomada de decisões e implementação de medidas Recomendações para a prevenção da exposição à poluição tabágica ambiental: evidências para a tomada de decisões e implementação de medidas HILSON TAVARES DA CUNHA FILHO À luz dos novos avanços ocorridos

Leia mais

Plano Nacional de Saúde 2004-2010 Avaliação de indicadores. Maio de 2010

Plano Nacional de Saúde 2004-2010 Avaliação de indicadores. Maio de 2010 Plano Nacional de Saúde -2010 Avaliação de indicadores Maio de 2010 0 das Regiões (NUT II do D.L. de 1999) em relação ao do... 2 Evolução dos indicadores em relação à Meta para 2010... 9 1 das Regiões

Leia mais

PARAR DE FUMAR. Uma decisão saudável. Programa de Controle do Tabagismo

PARAR DE FUMAR. Uma decisão saudável. Programa de Controle do Tabagismo PARAR DE FUMAR Uma decisão saudável Programa de Controle do Tabagismo Você sabe o que tem dentro do cigarro e outros produtos do tabaco? 4720 substâncias tóxicas, incluindo: Nicotina; Alcatrão; Monóxido

Leia mais