Resumão Exame TS: Windows Server 2008 Network Infrastructure, Configuring

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumão Exame 70-642 TS: Windows Server 2008 Network Infrastructure, Configuring"

Transcrição

1 Sobre o exame O exame lhe dá créditos para as seguintes certificações: Abrir as propriedades de rede. Mapa de rede O mapa de rede permite ver os dispositivos de sua rede local e como eles estão conectados. Clique em See full map no Control Panel\Network and Internet\Network and Sharing Center. Link Layer Topology Discovery (LLTD) Os computadores que executam o Windows Vista, Windows Server 2008 ou superior aparecem no mapa graças ao LLTD. Computadores com o Windows XP devem ter instalados o LLTD Responder. EventCreate EVENTCREATE /T ERROR /ID 100 /L APPLICATION /D "Falha no Script Este comando cria uma entrada no LOG de aplicação e pode ser consultado usando o Event Viewer. APIPA (automatic Private IP Addressing) Quando um computador não possuir IP estático ou um servidor DHCP não existir ou não puder atribuir um IP dinâmico o próprio sistema gera um IP automático entre o intervalo: até Ipconfig O IPConfig é usado para exibir informações da configuração de IP e para controlar o cache do DNS. /all - Exibe informações de configuração do end. IP /release - Libera a concessão de um endereço IPv4 dinâmico. /renew - Renova a concessão de um endereço IPv4 dinâmico /flushdns - Limpa o cache do DNS Resolver /registerdns - Registra os nomes DNS novamente /displaydns - Exibe o conteúdo do cache do DNS Resolver c Ping Você pode digitar no Start Search ou Run o comando NCPA.CPL ou CONTROL NETCONNECTIONS Uma maneira simples de diagnosticar problemas de conexão é utilizando o comando PING. PING NOME ou IP do COMPUTADOR. Exemplo: Ping Compartilhamento Ao compartilhar uma pasta, uma exceção de firewall para o ICMP é criada. ICMP (Internet Control Message Protocol) é o protocolo usado no PING, PATHPING e TRACERT Simple Network Management Protocol (SNMP) O SNMP fornece um método de gerenciamento de hosts de rede (tais como, estações de trabalho e servidores, roteadores, bridges e hubs) em um computador central que esteja executando um software de gerenciamento de rede. O SNMP executa serviços de gerenciamento usando uma arquitetura distribuída de agentes e sistemas de gerenciamento Protocolos de Roteamento O protocolo de roteamento OSPF - Open Shortest Path First não está mais disponível no Windows Server 2008, porém ainda é possível fazer o uso do protocolo RIP (Routing Information Protocol) versão 2 Link-local Multicast Name Resolution (LLMNR) LLMNR - O Windows Vista e Windows Server 2008 (e superiores) podem usar um novo método de resolução do nomes chamado "link-local Multicast Name Resolution " (LLMNR), também conhecido como DNS multicast ou mdns, para resolver nomes em um segmento local de rede quando um servidor de DNS não está disponível.

2 IPv4 O número IPv4 consiste em um valor de 32 bits, nos quais podem receber dois valores 0 ou = 32 bits = 4 bytes = 4 octetos = 32 bits = 4 bytes = 4 octetos Cada oito bits, ou seja, cada octeto pode ir de 0 a 255 em decimal. Exemplo: Decimal: Binário: IPv4 - Classes Os endereços IP s são divididos em cinco classes, A, B, C, D e E. Iremos estudar apenas as classes A,B e C, pois a classe D é reservada para Multicast e a classe E para futuras utilizações. Classe - Intervalo - máscara de Subrede Classe A - 1~ Classe B - 128~ Classe C - 192~ é um valor reservado para loopback (auto teste) Mas nem por isso deixa de ser classe A. IPv4 máscara de subrede Usada para distinguir qual parte do endereço IP é destinada a host e qual parte é destinada a rede. Cálculo de Hosts Com a máscara de subrede podemos calcular a quantidade de hosts por rede. Rede de classe A = bits 0 na máscara = Rede de classe B = bits 0 na máscara = Rede de classe C = bits 0 na máscara = = 254 Por que 2? Porque na máscara de subrede tudo zero é igual ao endereço da rede e tudo um é igual a broadcast. Notação CIDR A notação CIDR indica a quantidade de bits 1 da máscara de Sub-rede. Rede de classe A = Binário = bits 1 da máscara portanto a notação = /8 Rede de classe B = bits 1 da máscara portanto a notação = /16 Rede de classe C = Notação CIDR = /24 Intervalo de endereços Privados Na máscara de subrede temos a porção que identifica a rede (que sempre será 1) e porção que identifica o host (que sempre será 0). Inicial Final Definido pela RFC RFC (Request for Comments). Ele é um documento que descreve os padrões de cada protocolo da Internet :

3 IPv6 Os endereços IPv6 são formados com 8 blocos de 4 dígitos hexadecimais. Cada bloco separado por dois pontos. Cada bloco são 16 bits, formando um total de 128 bits do IPv6. Exemplo: 2001:0000:4137:0000:0000:0000:3f57:9a54 É possível encurtar um IPv6 eliminando os zeros a esquerda : 2001:0:4137:0:0:0:3f57:9a54 Em uma sequencia de zeros, é possível utilizar a notação de (::) para representá-los: 2001:0:4137::3f57:9a54 Porém, essa notação só pode ser utilizada uma única vez em um endereço IP. Neighbor Discovery (ND) O IPv6 não usa o ARP como o IPv4, IPv6 usa o Neighbor Discovery (ND) que é mais seguro Tipos de Endereços IPv6 Global = Endereço IPv4 Público Inicia com 2000::/3 Link Local (LLA)=APIPA do IPv4 Inicia com fe80:: Unique Local=Endereço IPv4 Privado Inicia com FD Tecnologias de transição IPv6 Next Generation TCP/IP Nativo no Windows Vista e Windows Server Intrasite Automatic Tunnel Addressing Protocol (ISATAP) - É um protocolo de encapsulamento que permite que uma rede ipv6 se comunique com uma rede IPv4 através de um roteador ISATAP. O Windows possui uma interface ISATAP por padrão. Tunnel Adapter Local Area Connection *8 6to4 É um protocolo que encapsula o trafego IPv6 sobre o IPv4 através de roteadores 6to4.. Teredo É um protocolo de encapsulamento que permite os clientes localizados atrás de um NAT IPv4 utilizarem IPv6 na Internet. O Windows possui por padrão a Tunnel Adapter Local Area Connection *9 Loopback Address Loopback Address : representado por 0:0:0:0:0:0:0:1 ou "::1". Tipos de Endereços IPv6 Unicast O Tipo unicast identifica uma interface, assim pacotes endereçados ao endereço x serão entregues na interface que possui o endereço x. Multicast Identifica múltiplas interfaces, assim um pacote endereçado ao endereço de multicast será entregue a todas as interfaces identificadas para esse endereço multicast. Anycast Endereços unicast são associados a roteadores e identifica múltiplas interfaces. Ids de Zona Os endereços de Link Local compartilham o mesmo ID de rede (fe80::) eles identificam a interface de rede a partir do ID de zona que é representado como %X. Exemplo: fe80::1818:1749:3f57:9a54%16 Atribuição Os endereços de IPv6 podem ser atribuídos manualmente, Através de um roteador IPv6, de um servidor DHCPv6 ou por autoconfiguração. Comandos IPv6 Netsh interface Ipv6 show Interface Exibe a lista de interfaces IPv6 em um Computador. netsh interface ipv6 show dns Exibe a lista de interfaces e o DNS em cada uma delas. netsh interface ipv6 show address Exibe uma lista de endereços IPv6 no seu computador. netsh interface ipv6 add dns "Local Area Connection" FEC0:0:0:FFFF::1 Adiciona o endereço Ipv6 do servidor DNS netsh interface ipv6 add route 3FFE:FFFF:0:1::/64 4 publish=yes Adiciona o roteador IPv6.

4 FQDN Fully Qualified Domain Name Nome do computador totalmente qualificado (indica sua posição na hierarquia do DNS) Exemplo: servidor.contoso.com Servidor=Nome de HOST contoso.com=sufixo DNS Nomes de HOST DNS Até 255 caracteres de comprimento Podem conter caracteres alfabéticos e numéricos, pontos e hífen Parte do FQDN Nomes NetBIOS Representam um único computador ou grupo de computadores 15 caracteres são usados para o nome O 16º caractere identifica serviço Namespace simples O DNS é um banco de dados hierárquico e distribuído, onde pode ser criada zonas de pesquisa para mapeamentos de nome de DNS. Existem dois tipos de zonas de pesquisa Zonas de pesquisa direta -> Mapeia nome para endereço IP Zonas de pesquisa reversa -> Mapeia endereço IP para nome Registros Os registros de zonas de pesquisa direta incluem: SOA - Start of Authority A HOST IPv4 AAA HOST IPv6 SRV - Service Locator MX - Mail Exchanger CNAME - Canonical Name (alias)+ NS Name Server Os registros de zonas de pesquisa inversa incluem: PTR Pointer Dynamic DNS (DDNS) O DNS pode gravar registros dinamicamente e dinamicamente seguro (com Active Directory). O banco de dados do DNS Pode ser armazenado em um arquivo de texto.dns ou em uma partição do Active Directory. SRV (Service Locator) Registros do tipo Service Locator ou SRV são responsáveis por mapear nomes para serviços de rede, como por exemplo, o serviço global catalog. Um SRV contém: Nome do serviço Protocolo TTL Porta Peso e Prioridade. Servidor que oferece o serviço Root Hints São servidores raízes da Internet. Root Hints resolvem consultas para zonas não existentes no servidor. O Root Hints somente são usados se não existir Forwarders ou estes estiverem indisponíveis. Forwarders (Encaminhadores) Um Forwarders (Encaminhadores) são servidores DNS capazes de resolver nomes que o seu servidor não conheça. Você pode marcar a opção Usar root hints se nenhum encaminhador estiver disponível. Conditional Forwarders Encaminha consultas para outros servidores DNS com base nos nomes de domínio DNS que estão em consultas. Se um DNS receber uma consulta para resolução de nomes contendo o domínio mcpbrasil.local e esse servidor.

5 IPSec O IPSec usa criptografia para proteger a comunicação sobre redes IP (Internet Protocol) e é configurado usando o Snap-In "Windows Firewall with Advanced Security O IPSec pode ser usado para bloquear, permitir ou negociar a passagem de pacotes. Acesso Remoto Os protocolos de comunicação usado no Acesso Remoto são: PPTP - Point to Point Tunneling Protocol L2TP - Layer two Tunneling Protocol SSTP - Secure Socket Tunneling Protocol que tem como vantagem o uso do HTTP (SSL) no qual é aceito pela maioria dos firewalls. Network Policy Server (NPS) O NPS Fornece o serviço de Radius para Windows. O log do Radius fica armazenado em %systemroot%\system32\logfiles\ e são nomeados como IN<date>.log. Também fica registrado no Event Viewer nos logs de segurança. BranchCache O BranchCache é uma tecnologia de otimização de largura de banda da WAN (rede de longa distância) incluída nos sistemas operacionais Windows Server 2008 R2 e Windows 7. Para otimizar a largura de banda da WAN, o BranchCache copia conteúdo dos servidores de conteúdo do seu escritório principal e armazena o conteúdo nas filiais, permitindo que os computadores clientes nas filiais acessem o conteúdo localmente em vez de pela WAN. WSUS O WSUS (Windows Server Update Services) ajuda os administradores de rede a manter servidores e estações atualizadas. Em uma rede grande pode haver mais de um WSUS. E estes podems ser configurados como: Upstream Sincroniza com o Windows Update Downstrean Sincroniza com o upstream. Nó Netbios É o mecanismo através do qual os nomes NetBIOS são resolvidos para endereços IP na Rede (B-Node) Broadcast (Executa um broadcast para resolver nomes NETBIOS na rede.) (P-Node) point-to-point (Utiliza um, servidor de nomes NetBIOS (NBNS) para resolução. (M-Node) Mixed (Utiliza o B-Node e não for possível resolver faz uso do P-Node) (H-Node) Hybrid (Utiliza o P-Node e caso não seja possível a resolução faz uso do B-Node) Global Name Global Name é um recurso e uma zona de DNS que prove o mapeamento de nomes (NETBios) auxiliando o processo de atualização do serviço WINS. Para habilitar o suporte a Global Name dnscmd /config /enableglobalnamesupport 1 Crie uma zona chamada GlobalNames Crie registros na zona recém criada. NLB (Network Load Balancing) O NLB (Network Load Balancing) é um recurso do Windows Server 2008 que faz o balanceamento do trafego de rede. Um endereço IP Virtual do NLB distribui o tráfego por vários servidores de um cluster NLB usando o protocolo de rede TCP/IP. NLB (Network Load Balancing) A NAP (Network Access Protection ) impõe requisitos de integridade inspecionando e avaliando a integridade dos computadores clientes. NAP impõe diretivas de integridade para: Comunicações protegidas por IPSec (Segurança do Protocolo Internet) Conexões autenticadas pelo padrão 802.1X do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers) Conexões VPN Configuração do protocolo DHCP Gateway de serviços de terminal (gateway TS)

6 Diretivas de acesso a Rede. O comando route add permite que você adicione uma rota a um servidor executando o Windows Server A opção -p configura a rota como permanente e mesmo que você desligue o computador essa rota não será perdida. route -p add mask NPS (Network Policy Server (NPS)) O Network Policy Server (NPS) é a implementação do Windows Server 2008 de um servidor RADIUS e um proxy RADIUS. O NPS também é um servidor NAP (Proteção de Acesso à Rede). O NPS era anteriormente conhecido como Internet Authentication Service (IAS). NPS Accounting Network Policy Server (NPS) accounting, fornece logs centralizados para a análise. Pode ser utilizado também o Microsoft SQL Server. System Health Validator (SHV) Um System Health Validator (SHV) verifica a saúde de computadores clientes NAP. Um computador cliente NAP é um computador que tem o serviço NAP Agent instalado e funcionando. Portas da VPN Regras de firewall para acesso remoto: VPN PPTP TCP 1723 / IP 47 (GRE). VPN LT2p/IPSec TCP 50 / UDP 500 VPN SSTP TCP 443 Em uma VPN com SSTP nenhuma ação é necessária já que usa a porta TCP 443 (HTTPS) aberta por padrão no Firewall. Roteamento O comando route add permite que você adicione uma rota a um servidor executando o Windows Server A opção -p configura a rota como permanente e mesmo que você desligue o computador essa rota não será perdida. route -p add mask Wireless É possível configurar o SSID da rede wireless via GPO. Computer Configuration > Windows Settings > Security Settings > Wireless Network (IEEE ) Policies Terminal Services Gateway (TS Gateway) O Terminal Services Gateway executa o Remote Desktop Protocol (RDP) sob HTTP. Isso significa que o usuário remoto poderá estabelecer uma conexão sem a necessidade de criar uma VPN. A comunicação pode ser criptografada por SSL. Active Directory Certificate Services (AD CS) O Microsoft Simple Certificate Enrollment Protocol permite a atribuição de certificados digitais para dispositivos de rede. Autenticação no IIS Básica-Envia credenciais em texto não criptografado. Windows- Envia as credenciais da estação de trabalho protegidas. Digest -Envia as credenciais protegidas Mapeamento de Certificado de cliente-usa certificados como credenciais de usuário Mapeamento de certificado de cliente do IIS - Melhor versão de execução do mapeamento de certificado A autenticação básica pode ser protegida com o protocolo SSL. Network Monitor O Network Monitor conhecido como NETMON captura os pacotes e através dele é possível identificar, analisar e solucionar problemas de rede. Com o NETMON você pode salvar as informações capturadas em arquivos.cap. Além de poder adicionar Aliases para substituir Ips para nomes de maquinas para facilitar a leitura das capturas.

7 Autenticação do Windows Server Protocolo Kerberos versão 5 logon de usuário típico NTLM logon de usuário em computadores cliente com sistemas operacionais anteriores aoˆmicrosoft Windows 2000 Mapeamento de certificado logons de cartão inteligente (Smart Card). Permissão de Compartilhamento A permissão de compartilhamento padrão é de leitura para o grupo Todos. Se aplica a pastas. Não controlam o acesso local a arquivos e pastas Full Control- Permite todas as permissões, inclusive a capacidade de alterar permissões Read- Permite que os usuários leiam os arquivos existentes Change- Permite que os usuários criem novos arquivos ou excluam, modifiquem e leiam os arquivos existentes Quando um usuário é membro de vários grupos e estes grupos possuem permissões de compartilhamento vale a mais permissiva. Permissão NTFS A permissão NTFS padrão é de leitura para o grupo Todos. Se aplica a pastas e arquivos. Permissões básicas: * Full Control * Modify * Read & Execute * Read * Write Quando for para pastas existe também a permissão * List Folder Contents Quando um usuário é membro de vários grupos e estes grupos possuem permissões NTFS vale a mais permissiva. Conflito de Permissões Quando existem permissões de compartilhamento e permissões NTFS vale a mais restritiva. Pegue a mais permissiva do compartilhamento e a mais permissiva do NTFS e valerá a mais restritiva das duas. DFS O Sistema de Arquivos Distribuídos(DFS) permite que administradores do facilitem o acesso a arquivos distribuídos fisicamente em uma rede. O DFS criar um ponto único de acesso a pastas compartilhadas tanto em WorkGroup como uma rede de domínio. Autenticação do Windows Server ACL (lista de controle de acesso) a lista de usuários e grupos que receberam permissões para o arquivo ou a pasta ACE (entrada de controle de acesso) uma entrada na ACL que define o acesso de um usuário ou grupo específico Autenticação do Windows Server EFS é um sistema para criptografar arquivos BitLocker é um sistema que criptografa a unidade de sistema operacional inteira e potencialmente os volumes de dados Certificate Services Protocolo de status de certificado online Permite consultas para exibir a validade dos certificados Serviço de Inscrição do Dispositivo de Rede Permite que roteadores e comutadores obtenham os certificados X.509 QoS (Qualidade de Serviço) QoS (Qualidade de Serviço) Pode ser usada para garantir que determinados tipos de pacotes de dados tenham prioridade na rede. Diretiva de QoS Não é possível editar uma diretiva de QoS Diretamente na diretiva de segurança local, ela deve ser entregue pela Diretiva de Grupo.

8 Failover Cluster Cluster de failover é uma solução para aumentar a disponibilidade de um aplicativo ou serviço. Network Load Balancing (NLB) Balanceamento de carga é um sistema que aumenta a escalabilidade e a disponibilidade dos servidores que fornecem acesso aos dados. Vários servidores são configurados com um único endereço IP virtual que eles compartilham para atender às solicitações. Modo NLB Modo Unicast Placa de rede dedicada ao cluster NLB. Um endereço MAC exclusivo é atribuído a um adaptador NLB em todos os nós. Modo Multicast.- A placa de rede não fica dedicada ao cluster NLB. O endereço MAC original do adaptador podes ser usado também. Drivers de impressora O Windows Server 2008 incluem um novo armazenamento de drivers de impressora e entrega automaticamente o driver para o cliente que se conectar e instalar a impressora. XPS (XML Paper Specification) XPS é uma nova linguagem de descrição de documento introduzida no Windows Server 2008 e Windows Vista. A impressão GDI era usada em versões do Windows anteriores ao Windows Vista. O aplicativo Win32 usa impressão baseada em GDI. Um pool de impressoras Um pool de impressoras é uma combinação de várias impressoras físicas em uma única unidade lógica. GPO via Printer Management Em Print Management > Print Servers > your print server > Printers. Clique sobre a impressora de rede que deseja instalar via GPO e selecione a opção Deploy With Group Policy. Deploy com GPO para clientes XP Para clientes que executam o Windows XP você deve criar um script de logon que execute o PushPrinterConnections.exe Configuration > Windows Settings > Scripts (Logon / Logoff). Virtualização A virtualização de servidor permite que várias instâncias de um sistema operacional sejam executadas em um único computador. O Windows Server 2008 Enterprise inclui licenças para até quatro servidores virtualizados. O Windows Server 2008 Datacenter inclui licenças para um número ilimitado de servidores virtualizados Vantagens Oferece suporte à alocação dinâmica de recursos Oferece suporte aos convidados de 32 e 64 bits Migração ao vivo de máquinas virtuais. Data Execution Prevention (DEP) É necessário o Data Execution Prevention (DEP) funcionando por hardware e habilitar o: - Bit NX (No Execute Bit) -XD Bit (Exclude Disable Bit) Apesar do nome diferentes, ambos fazem a mesma coisa. System Center Virtual Machine Manager System Center Virtual Machine Manager permite: Implantação e gerenciamento centralizados de VMs Análise de disposição Conversão de físico para virtual Criação de uma biblioteca de componentes de VM Conteúdo técnico: Helio Panissa Junior Daniel Donda O Clube MCP Brasil.com reúne e disponibiliza o conteúdo de certificação Microsoft. Cadastre-se

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19 O autor... 11 Agradecimentos... 12 Apresentação... 13 Introdução... 13 Como funcionam as provas de certificação... 13 Como realizar uma prova de certificação... 13 Microsoft Certified Systems Engineer

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Curso Técnico em Informática Estrutura de Endereçamento IP e Mascara de Subrede Endereçamento IP e Classes Autoridade para Atribuição de Números da Internet http://www.iana.org/

Leia mais

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual Definindo DHCP: DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras,

Leia mais

O endereço IP (v4) é um número de 32 bits com 4 conjuntos de 8 bits (4x8=32). A estes conjuntos de 4 bits dá-se o nome de octeto.

O endereço IP (v4) é um número de 32 bits com 4 conjuntos de 8 bits (4x8=32). A estes conjuntos de 4 bits dá-se o nome de octeto. Endereçamento IP Para que uma rede funcione, é necessário que os terminais dessa rede tenham uma forma de se identificar de forma única. Da mesma forma, a interligação de várias redes só pode existir se

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores ALGUNS CONCEITOS Rede de Computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 OBJETIVO 1. Compartilhar recursos computacionais disponíveis sem considerar a localização física

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VIII Serviços de Redes Duração: 20 tempos Conteúdos (1) 2 Caraterizar, instalar

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

Sumário. 1 Instalando o Windows XP Professional...19

Sumário. 1 Instalando o Windows XP Professional...19 Agradecimentos... 5 O autor... 6 Apresentação... 13 Introdução... 13 Como funcionam as provas de certificação... 13 Como realizar uma prova de certificação... 13 Microsoft Certified Systems Engineer -

Leia mais

Guia do TCP/IP Entendendo o IPv4 e IPv6

Guia do TCP/IP Entendendo o IPv4 e IPv6 2010 Guia do TCP/IP Entendendo o IPv4 e IPv6 3ª Edição Daniel Donda Mcsesolution.com 01/10/2010 Sumário O IPv4... 2 Sobre este documento... 2 Um pouco da história do IP... 2 O Endereçamento IP... 3 Controle

Leia mais

Laboratório - Identificação de Endereços IPv6

Laboratório - Identificação de Endereços IPv6 Laboratório - Identificação de Endereços IPv6 Topologia Objetivos Parte 1: Identificar os diferentes tipos de endereços IPv6 Analisar os diferentes tipos de endereço IPv6. Corresponder o endereço IPv6

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Camada de Aplicação A camada de Aplicação é a que fornece os serviços Reais para os usuários: E-mail, Acesso a Internet, troca de arquivos, etc. Portas

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on

Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Conteúdo do pacote de 03 cursos hands-on Windows Server 2012 Virtualização Hyper-v Firewall Pfsense C o n t e ú d o d o c u r s o H a n d s - on 2 Sumário 1 Conteúdo Windows 2012... 3 2 Conteúdo Virtualização...

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9 Slide 1 Slide 2 Redes de Computadores Introdução DNS Domain Name System Módulo 9 EAGS SIN / CAP PD PROF. FILIPE ESTRELA filipe80@gmail.com Ninguém manda uma e-mail para fulano@190.245.123.50 e sim para

Leia mais

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.

Windows 2008 Server. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy. www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail. Windows 2008 Server IFSP Boituva Prof. Sérgio Augusto Godoy www.profsergiogodoy.com sergiogutogodoy@hotmail.com Serviços DHCP Server: O DHCP ("Dynamic Host Configuration Protocol" ou "protocolo de configuração

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 07. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 07. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 07 Prof. André Lucio ACI Competências da aula 7 ACI Compreende todo conteúdo abordado em sala, abordando de maneira geral.

Leia mais

Máscaras de sub-rede. Fórmula

Máscaras de sub-rede. Fórmula Máscaras de sub-rede As identificações de rede e de host em um endereço IP são diferenciadas pelo uso de uma máscara de sub-rede. Cada máscara de sub-rede é um número de 32 bits que usa grupos de bits

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Escrito por Daniel Donda Ter, 17 de Fevereiro de 2009 18:32 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 23:34

Escrito por Daniel Donda Ter, 17 de Fevereiro de 2009 18:32 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 23:34 Conteúdo Introdução Configurando o Windows Server 2008 Server Core Instalando o Remote Server Administration Tools (RSAT) Configurando o Network Load Balancing (NLB) Adicionando Servidores ao Cluster Gerenciando

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet Edgard Jamhour Ethernet não-comutada (CSMA-CD) A Ethernet não-comutada baseia-se no princípio de comunicação com broadcast físico. a b TIPO DADOS (até 1500

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6 GESTÃO DE SISTEMAS E REDES INTERNET PROTOCOLO VERSION 6 OUTLINE INTERNET PROTOCOL V6 NEIGHBOR DISCOVERY PROTOCOL DYNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL V6 INTERNET PROTOCOLO O rápido crescimento da Internet

Leia mais

PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO WISLIY LOPES JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA LUIZ GUILHERME MENDES PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS GOIÂNIA JUNHO DE 2014 Sumário 1.

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 05. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 05. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 05 Prof. André Lucio Competências da aula 5 Backup. WSUS. Serviços de terminal. Hyper-v Aula 04 CONCEITOS DO SERVIÇO DE BACKUP

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 Disciplina Fundamentos de Redes Introdução ao Endereço IP 1 Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 PROTOCOLO TCP - ARQUITETURA Inicialmente para abordamos o tema Endereço IP, é necessário abordar

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol. 2.1. Por que utilizar o DHCP?

2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol. 2.1. Por que utilizar o DHCP? 2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol 2.1. Por que utilizar o DHCP? 2.1.1. Definição Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) é um padrão IP para simplificar a administração da configuração IP

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO 2011 SUMÁRIO 1 PROTOCOLOS (CONTINUAÇÃO) ÇÃO)... 1 1.1 O que é DHCP...1 1.1.1 Funcionamento do DHCP...2 1.1.2 Breve histórico do DHCP...3 1.1.3

Leia mais

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Windows 2003 Server Introdução Nessa Aula: É apresentada uma visão rápida e geral do Windows Server 2003. O Foco a partir da próxima aula, será no serviço de Diretórios

Leia mais

Configuração de Rede

Configuração de Rede Configuração de Rede 1. Configuração de rede no Windows: A finalidade deste laboratório é descobrir quais são as configurações da rede da estação de trabalho e como elas são usadas. Serão observados a

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP

Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP Projeto e Instalação de Servidores Estrutura da Internet e do TCP/IP Prof.: Roberto Franciscatto TCP/IP, endereçamento e portas TCP/IP? Dois protocolos TCP = Transfer Control Protocol IP = Internet Protocol

Leia mais

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP Modelos OSI e TCP/IP Modelo em camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Comparação dos modelos Endereçamento de rede Modelo de camadas Encapsulamento Desencapsulamento Modelo OSI Sistema

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa Redes de Computadores II Professor Airton Ribeiro de Sousa 1 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento 2 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento A quantidade de endereços possíveis pode ser calculada de forma simples.

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolo IP

Redes de Computadores. Protocolo IP Redes de Computadores Protocolo IP Sumário! Endereços IP Classes de endereços Tipos de endereços Endereços especiais Máscaras Redes privadas Endereçamento IP dinâmico 2 Esquema de endereçamento IPv4! Endereços

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

A Internet e o TCP/IP

A Internet e o TCP/IP A Internet e o TCP/IP 1969 Início da ARPANET 1981 Definição do IPv4 na RFC 791 1983 ARPANET adota o TCP/IP 1990 Primeiros estudos sobre o esgotamento dos endereços 1993 Internet passa a ser explorada comercialmente

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003

PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003 PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003 CARGA HORÁRIA: 64 horas. O QUE É ESTE TREINAMENTO: O Treinamento Active Ditectory no Windows Server 2003 prepara o aluno a gerenciar domínios,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS FUNDAMENTOS DE Visão geral sobre o Active Directory Um diretório é uma estrutura hierárquica que armazena informações sobre objetos na rede. Um serviço de diretório,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes 2 O que acontece na camada de rede Transporta segmentos do hospedeiro transmissor para o receptor Roteador examina campos de cabeçalho em todos os datagramas

Leia mais

Endereço de Rede. Comumente conhecido como endereço IP Composto de 32 bits comumente divididos em 4 bytes e exibidos em formato decimal

Endereço de Rede. Comumente conhecido como endereço IP Composto de 32 bits comumente divididos em 4 bytes e exibidos em formato decimal IP e DNS O protocolo IP Definir um endereço de rede e um formato de pacote Transferir dados entre a camada de rede e a camada de enlace Identificar a rota entre hosts remotos Não garante entrega confiável

Leia mais

Parâmetros de configuração válidos para todos os clientes na conexão entre redes.

Parâmetros de configuração válidos para todos os clientes na conexão entre redes. DHCP - 1 Introdução aos servidores DHCP Um servidor de protocolo de configuração dinâmica de hosts (DHCP, Dinamic Host Configuration Protocol) é um computador que está executando o Windows NT Server, o

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Laboratório Configuração de um Roteador e um Cliente Sem Fio

Laboratório Configuração de um Roteador e um Cliente Sem Fio Topologia Configurações do Roteador Linksys Nome da Rede (SSID) Senha da rede Senha do Roteador CCNA-Net cisconet cisco123 Objetivos Parte 1: Configurar Definições Básicas em um Roteador da Série Linksys

Leia mais

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 TCP/IP Brito INDICE 1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 1.1.1.1 Camada de Transporte... 4 1.1.1.2 TCP (Transmission Control Protocol)... 4 1.1.1.3 UDP (User Datagram Protocol)...

Leia mais

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc. Endereços IP Endereços IP IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.) precisam ter endereços. Graças

Leia mais

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento Procedimento Visão geral Antes de usar a máquina Brother em um ambiente de rede, você precisa instalar o software da Brother e também fazer as configurações de rede TCP/IP apropriadas na própria máquina.

Leia mais

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.!

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.! Laboratório wireshark Número de sequencia: syn syn ack ack Cisco Packet Tracer Roteador trabalha em dois modos de operação: - Modo Normal - símbolo > - Modo Root - símbolo # ##################################################################

Leia mais

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede Modelo de Referência OSI 1 Camada de Rede: O que veremos. Entender os princípios

Leia mais

Escrito por Daniel Donda Ter, 04 de Novembro de 2008 18:34 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 22:53

Escrito por Daniel Donda Ter, 04 de Novembro de 2008 18:34 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 22:53 Já discutimos nos artigos anteriores como instalar o Windows Server 2008 e configurar o Active Directory e o DNS (básico). Agora iremos ver os passos para instalar o serviço DHCP (Dynamic Host Configuration

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios

Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios Roteiro 11: Roteamento /acesso remoto / redirecionamento de diretórios Objetivos: Ativar e gerenciar o serviço de roteamento; Ativar e gerenciar serviços de terminal remoto; Redirecionar diretórios através

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores IPv6. Prof.: Roberto Franciscatto

Projeto e Instalação de Servidores IPv6. Prof.: Roberto Franciscatto Projeto e Instalação de Servidores IPv6 Prof.: Roberto Franciscatto Introdução Problema Escassez de endereços IPs disponíveis Algumas empresas são detentoras de faixas de endereços classe A inteiras Introdução

Leia mais

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 Endereçamento IP S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 2.1 Endereçamento IP...04 2.2 Conversão decimal/binário...05 2.3 Endereçamento IPv4...06 2.4 Endereços

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - I I

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - I I APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - I I 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO. 2. ENDEREÇOS IP... 3 3. ANALISANDO ENDEREÇOS IPV4... 4 4. MÁSCARA DE SUB-REDE... 5 5. IP ESTÁTICO E

Leia mais

Winconnection 6. Internet Gateway

Winconnection 6. Internet Gateway Winconnection 6 Internet Gateway Descrição Geral O Winconnection 6 é um gateway de acesso à internet desenvolvido dentro da filosofia UTM (Unified Threat Management). Assim centraliza as configurações

Leia mais

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes

Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 07 - Ferramentas para Administração e Gerência de Redes Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão AS ou SA; IGP e EGP; Vetor de Distância,

Leia mais

A camada de rede do modelo OSI

A camada de rede do modelo OSI A camada de rede do modelo OSI 1 O que faz a camada de rede? (1/2) Esta camada tem como função principal fazer o endereçamento de mensagens. o Estabelece a relação entre um endereço lógico e um endereço

Leia mais

Backup Exec Continuous Protection Server. Guia de Instalação Rápida

Backup Exec Continuous Protection Server. Guia de Instalação Rápida Backup Exec Continuous Protection Server Guia de Instalação Rápida Guia de Instalação Rápida Este documento contém os seguintes tópicos: Antes da instalação Requisitos do sistema para o produto Execução

Leia mais

Winco VPN - SSL Manual do Usuário

Winco VPN - SSL Manual do Usuário Winco VPN - SSL Manual do Usuário 1 1. Introdução...3 1.1. Características Técnicas...3 1.2. Vantagens da Winco VPN - SSL...4 2. Requisitos de Instalação...5 2.1. Sistemas Operacionais com suporte...5

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Arquitetura TCP/IP Endereçamento das Redes Classes de redes Principais protocolos

Fundamentos de Redes de Computadores. Arquitetura TCP/IP Endereçamento das Redes Classes de redes Principais protocolos Fundamentos de Redes de Computadores Arquitetura TCP/IP Endereçamento das Redes Classes de redes Principais protocolos Histórico O TCP/IP é um padrão de comunicação entre diferentes computadores e diferentes

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede O sistema de nome de domínio (DNS) é um sistema que nomeia computadores e serviços de rede e é organizado em uma hierarquia de domínios.

Leia mais

IPv6 A nova versão do Protocolo IP

IPv6 A nova versão do Protocolo IP IPv6 A nova versão do Protocolo IP A internet precisa continuar crescendo... Agenda A Internet e o TCP/IP Entendendo o esgotamento do IPv4 Por que IPv6? O que melhorou? Nova estrutura do IPv6 Técnicas

Leia mais

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 1. Antes de começar A tabela a seguir lista as informações que você precisa saber antes de configurar um servidor VPN de acesso remoto. Antes de

Leia mais

Revisão para a prova B2. Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14

Revisão para a prova B2. Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14 Revisão para a prova B2 Conteúdo das Aulas: 10, 11 e 14 Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor:

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

IPv6 - Introdução Internet Protocol versão 6

IPv6 - Introdução Internet Protocol versão 6 Leonardo Jalkauskas IPv6 - Introdução Internet Protocol versão 6 Agosto 2010 Redes de Computadores e Telecomunicações 2 IPv6 Internet Protocol versão 6 Características e Limitações do IPv4 Objetivos e

Leia mais

Aula 5 Cálculo de máscara e de subredes

Aula 5 Cálculo de máscara e de subredes 1 Aula 5 Cálculo de máscara e de subredes 5.1 Conceitos Quando um host se comunica com outro usa o endereço de enlace dele. Os endereços de hardware das placas de rede, ou MAC Address, são constituídos

Leia mais

Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins

Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins Objetivos: Explorar as configurações para replicação de domínios com Active Directory; Configurar os serviços DHCP e WINS em servidores Windows; Ferramentas

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Introdução ao protocolo TCP/IP Camada de aplicação Camada de transporte Camada de rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 É o protocolo mais usado da atualidade 1 :

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Na aula de hoje iremos conhecermos e relembrarmos duas ferramentas do Windows, chamadas de ipconfig e nslookup. Além disso, iremos discutirmos

Leia mais

Arquitetura Internet (TCP/IP)

Arquitetura Internet (TCP/IP) Instituto Federal do Pará - IFPA Ricardo José Cabeça de Souza ricardo.souza@ifpa.edu.br 2010 Redes Básicas S-10 Arquitetura Internet (TCP/IP) MÁSCARA DA SUB-REDE Indica como separar o NetId do HostId,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS IMPRESSÃO Serviços de impressão Os serviços de impressão permitem compartilhar impressoras em uma rede, bem como centralizar as tarefas de gerenciamento

Leia mais

Interconexão de Redes de Comutadores

Interconexão de Redes de Comutadores IPv6 - Introdução Interconexão de Redes de Comutadores Parte 3.5: TCP / IPv6 Em 1992 uma Internet Engineering Task Force (IETF) cria o grupo IPng (IP next generation) para a criação de um novo protocolo

Leia mais

Endereçamento e Roteamento IP

Endereçamento e Roteamento IP Endereçamento e Roteamento IP Redes TCP/IP O objetivo deste módulo é explicar como funciona a atribuição de endereços IP com classe e sem classe e como configurar logicamente tabelas de roteamento. Obs.

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR I

PROJETO INTERDISCIPLINAR I PROJETO INTERDISCIPLINAR I Linux e LPI www.lpi.org João Bosco Teixeira Junior boscojr@gmail.com Certificação LPIC-1 Prova 102 105 Shell, Scripting, e Gerenciamento de Dados 106 Interface com usuário e

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

Introdução Introduç ão Rede Rede TCP/IP Roteame Rotea nto nto CIDR

Introdução Introduç ão Rede Rede TCP/IP Roteame Rotea nto nto CIDR Introdução as Redes TCP/IP Roteamento com CIDR LAN = Redes de Alcance Local Exemplo: Ethernet II não Comutada Barramento = Broadcast Físico Transmitindo ESCUTANDO ESCUTANDO A quadro B C B A. DADOS CRC

Leia mais

TCP/IP na plataforma Windows NT

TCP/IP na plataforma Windows NT TCP/IP na plataforma Windows NT 1 Tópicos È TCP/IP para redes heterogêneas È TCP/IP Overview È TCP/IP no Windows NT Server È TCP/IP - Parâmetros de configuração È Instalando Microsoft TCP/IP È Testando

Leia mais

Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento

Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 53 Roteiro (1 / 2) O Que São Protocolos? O TCP/IP Protocolos de Aplicação Protocolos de Transporte Protocolos

Leia mais

1. O DHCP Dynamic Host Configuration Protocol

1. O DHCP Dynamic Host Configuration Protocol CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 5 2º ANO TÉCNICO DE INFORMÁTICA/INSTALAÇÃO E GESTÃO DE REDES 2008/2009 INSTALAÇÃO REDES CLIENTE SERVIDOR WINDOWS SERVER 2003 Após a instalação Instalação de serviços de

Leia mais

ESET Remote Administrator ESET EndPoint Solutions ESET Remote Adminstrator Workgroup Script de Logon

ESET Remote Administrator ESET EndPoint Solutions ESET Remote Adminstrator Workgroup Script de Logon AGENDA 1. Download dos pacotes de instalação ESET Remote Administrator 2. Download dos pacotes de instalação ESET EndPoint Solutions 3. Procedimento de instalação e configuração básica do ESET Remote Adminstrator

Leia mais