Redes IP Móveis. Handover

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redes IP Móveis. Handover"

Transcrição

1 Redes IP Móveis Mobilidade na camada de rede: o terminal muda de subrede e preserva as conexões de transporte. O processo de mudança de subrede é denominado handover. Macro-mobilidade: handover entre domínios Micro-mobilidade: handover interior ao domínio Protocolos: Baseados em tunelamento entre as redes home e visitada Baseados em roteamento móvel IA844 - Prof. Eleri Cardozo 34 Handover Handover de camada 2 (trocas de ponto de acesso): em redes WiFi é realizado automaticamente pelo nó móvel em função da relação sinal-ruido medida entre as redes já configuradas. Handover de camada 3 (troca de subrede): realizado quando algum evento (trigger) no nó móvel indicar que ocorreu uma mudança de subrede: o nó móvel realizou handover de camada 2 para rede com ESSID diferente; mensagens de Router Advertisement (IPv6) indicam que o prefixo da subrede mudou; o nó movel perdeu sua conectividade com a rede atual. IA844 - Prof. Eleri Cardozo 35 1

2 Protocolos Baseados em Tunelamento Utilizam endereço home e endereço(s) foreign : HoA: Home address endereço permanente e roteável CoA: Care-of Address endereço transiente e roteável. Protocolos: Mobile IPv4 (MIPv4) suportada macro-mobilidade Mobile IPv6 (MIPv6) suporta macro-mobilidade Hierarchical MIPv6 (HMIPv6) adiciona ao MIPv6 suporte a micro-mobilidade Proxy MIPv6 (PMIPv6) idem ao HMIPv6 IA844 - Prof. Eleri Cardozo 36 MIPv6 Home Agent ( defende HoA do nó móvel) Coa Hoa Correspondent Node Home Foreign Nó Móvel (opcional) IA844 - Prof. Eleri Cardozo 37 2

3 MIPv6 - Sinalização HA Cache Home HomeTest (HKey) HomeTest Init (HoA) Hkey é gerada a partir de HoA Ckey é gerada a partir de CoA bmkey é gerada a partir de Hkey e CKey Correspondent Node Update (HoA, CoA) ACK Care-of Test Init (CoA) Foreign Care-of Test (CKey) Update (HoA, CoA bmkey) ACK IA844 - Prof. Eleri Cardozo 38 MIPv6 - Problemas Triangularização toda a comunicação passa pelo HA (se o nó correspondente não suporta MIPv6) Requer rede IPv6 e protocolo adicional no nó móvel Handover lento (autoconfiguração + DAD) Protocolo complexo para dispositivos de baixo poder computacional Gera muito tráfego de sinalização (s update, Return Routeability) O no móvel precisa ter o papel de servidor? IA844 - Prof. Eleri Cardozo 39 3

4 HMIPv6 Minimiza o tráfego de sinalização quando ocorre handovers dentro do domínio Introduz um novo elemento MAP (Mobile Anchor Point) Novo endereço RCoA (Regional CoA), LCoA (Local CoA), HoA. Altera sinalização do MIPv6 HA e CN não são afetados pelo HMIPv6 IA844 - Prof. Eleri Cardozo 40 HA HMIPv6 Home Correspondent Node Destino: RCoA MAP Foreign Destino: LCoA (opcional) Handover IA844 - Prof. Eleri Cardozo 41 4

5 Cache HA HMIPv6: Sinalização Home Correspondent Node BU (HoA, RCoA) Foreign Local BU (RCoA, LCoA1) MAP Local BU (RCoA, LCoA2) RA (MAP) 42 IA844 - Prof. Eleri Cardozo HMIPv6: Problemas Nó móvel deve escolher qual MAP é mais próximo Roteadores devem propagar MAPs nas mensagens de RA (quais?) MAPs devem realizar DAD para os RCoAs registrados MAPs devem interceptar pacotes destinados a RCoA (portanto, devem ser roteadores ou nós que defendem os RCoAs) IA844 - Prof. Eleri Cardozo 43 5

6 PMIPv6: Proxy MIPv6 Proposta do NETLMM (IETF). Propõe que todo o overhead da mobilidade recaia sobre a rede (e não sobre o nó móvel). Nenhum protocolo adicional é necessário para o nó móvel. Evita que túneis passem por enlaces aéreos. Toda a sinalização de mobilidade é restrita à rede de transporte. Elimina a necessidade de HoA/CoA (usa um endereço fixo). Não requer DAD a cada handover. IA844 - Prof. Eleri Cardozo 44 PMIPv6 LMA (Local Mobility Anchor) Correspondent Node Cache Mobile MAG (Mobility Access Gateway) MAG HoA HoA IA844 - Prof. Eleri Cardozo 45 6

7 AAA Server (e.g., Radius) PMIPv6: Sinalização id? LMA AAA query (e.g., WPA2) PBU (id) Mobile Prefixo X MAG MAG Prefixo Y RA RA emulando X HoA-X HoA-X IA844 - Prof. Eleri Cardozo 46 PMIPv6: Problemas Cache do nó móvel deve ser zerada após handover. IPv6 requer DAD após autoconfiguração. Servidor AAA consultado a cada handover. Requer trigger de camada 2 (portanto, a detecção de movimento é dependente da tecnologia da rede sem fio). IA844 - Prof. Eleri Cardozo 47 7

8 IA844 - Prof. Eleri Cardozo 48 8

Protocolos de Mobilidade sobre IPv6: Uma análise sobre MIPv6 x PMIPv6 x DMMS

Protocolos de Mobilidade sobre IPv6: Uma análise sobre MIPv6 x PMIPv6 x DMMS 959 Protocolos de Mobilidade sobre IPv6: Uma análise sobre MIPv6 x PMIPv6 x DMMS César A. H. Loureiro 1 RESUMO A migração do IPv4 para o IPv6 está ocorrendo com menos intensidade do que se esperava. Contudo

Leia mais

Cleiber Marques da Silva Filipe Medeiros de Almeida. Plataforma para o Estudo de Mobilidade na Camada de Rede

Cleiber Marques da Silva Filipe Medeiros de Almeida. Plataforma para o Estudo de Mobilidade na Camada de Rede Cleiber Marques da Silva Filipe Medeiros de Almeida Plataforma para o Estudo de Mobilidade na Camada de Rede São José SC Março / 2009 Cleiber Marques da Silva Filipe Medeiros de Almeida Plataforma para

Leia mais

2 Mobilidade IP Protocolos

2 Mobilidade IP Protocolos 2 Mobilidade IP Protocolos Neste capítulo serão apresentados alguns dos protocolos que, de alguma forma, provêem ou auxiliam na mobilidade do IPv6: o Mobile IPv6 (MIPv6) e suas otimizações: o Hierarchical

Leia mais

Sistemas Distribuídos. IA844 Redes e Sistemas Abertos de Comunicação. Sistemas Abertos. Sistemas Abertos: Classificação 03/09/2008

Sistemas Distribuídos. IA844 Redes e Sistemas Abertos de Comunicação. Sistemas Abertos. Sistemas Abertos: Classificação 03/09/2008 IA844 Redes e Sistemas Abertos de Comunicação Sistemas Distribuídos Um sistema distribuído é um sistema computacional com as seguintes propriedades: 1. Distribuição: um subconjunto de seus componentes

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Mobilidade IP em Telefonia Celular www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Quando as idéias acerca da Internet foram concebidas em 1960-70, o objetivo

Leia mais

IP Móvel 1. Mobilidade IP FEUP MPR. IP Móvel 2. IP Móvel, v4

IP Móvel 1. Mobilidade IP FEUP MPR. IP Móvel 2. IP Móvel, v4 IP Móvel 1 Mobilidade IP FEUP MPR IP Móvel 2 IP Móvel, v4 IP Móvel 3 Motivação Encaminhamento de datagramas IP Baseado em endereço IP de destino Endereço de rede IP Rede física Mudança de rede mudança

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 Mobilidade Rede de Computadores II Espectro da mobilidade, do ponto de vista da rede: Slide 2 Mobilidade - Jargão Rede Nativa (Home Network), residência permanente de um

Leia mais

Cap. 4 Roteamento e Mobilidade

Cap. 4 Roteamento e Mobilidade Redes sem Fio e Slide 1 Sistemas Móveis de Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Cap. 4 Roteamento e Mobilidade Prof. Marcelo Moreno moreno@ice.ufjf.br Slide 2 Redes sem Fio e Sistemas Móveis de IETF RFC

Leia mais

Aula 13 Mobilidade 2004-2005

Aula 13 Mobilidade 2004-2005 Aula 13 Mobilidade FCUL 2004-2005 . Encaminhamento em redes ad hoc Permitir que um nó esteja sempre acessível usando o mesmo endereço, independentemente da sua localização física. Problema: O endereço

Leia mais

Mobilidade sobre o IP (v4 e v6)

Mobilidade sobre o IP (v4 e v6) Mobilidade sobre o IP (v4 e v6) Aluno: Rafael Luiz da Silva Prof: Judith Kelner Roteiro Introdução Mobilidade IP(v4 e v6) Padronização e implementações Considerações Finais Referencias 1 Introdução Crescente

Leia mais

Mobilidade na Internet. Mobilidade em Sistemas Celulares Cellular IP (CIP) Localização de dispositivos móveis entre redes CIP

Mobilidade na Internet. Mobilidade em Sistemas Celulares Cellular IP (CIP) Localização de dispositivos móveis entre redes CIP Rossana M. C. Andrade Universidade Federal do Ceará Departamento de Computação rossana@ufc.br 1 Rossana Andrade Neuman de Souza Javam Castro Estudantes de Mestrado William Sales Windson Viana Misael Santos

Leia mais

Uma análise das implementações de protocolos IPv6 puros e híbridos para provimento de mobilidade em IPv6

Uma análise das implementações de protocolos IPv6 puros e híbridos para provimento de mobilidade em IPv6 Uma análise das implementações de protocolos IPv6 puros e híbridos para provimento de mobilidade em IPv6 César A. H. Loureiro, Liane M. R. Tarouco, Lisandro Z. Granville, Leandro M. Bertholdo Programa

Leia mais

Mobilidade em redes 802.11 usando o protocolo IPv6

Mobilidade em redes 802.11 usando o protocolo IPv6 Mobilidade em redes 802.11 usando o protocolo IPv6 Técnicas de mobilidade rápida Trabalho realizado por: Jorge Matias 41588 João Saraiva 44172 Lisboa, 22-12-2004 Sumário Enquadramento Condicionantes no

Leia mais

Roteamento e Mobilidade para redes móveis infra-estruturadas (IP Móvel)

Roteamento e Mobilidade para redes móveis infra-estruturadas (IP Móvel) Roteamento e Mobilidade para redes móveis infra-estruturadas (IP Móvel) Referências: J.D. Solomon, MobileIP: The Internet Unplugged D. Johnson and D. Maltz. "Protocols for Adaptive Wireless and Mobile

Leia mais

Micro-Mobilidade IP. Micro-Mobilidade IP. Sumário. As soluções CIP, HAWAII, TIMIP, hmip. Introdução à micro-mobilidade IP

Micro-Mobilidade IP. Micro-Mobilidade IP. Sumário. As soluções CIP, HAWAII, TIMIP, hmip. Introdução à micro-mobilidade IP Micro-Mobilidade IP Micro-Mobilidade IP As soluções CIP, HAWAII, TIMIP, hmip FEUP, Abril 00 Pedro Vale Estrela pedro.estrela@inesc.pt Sumário Introdução à micro-mobilidade IP IP clássico MIP clássico Micro-Mobilidade

Leia mais

Estudo e classificação de propostas e protocolos para provimento de mobilidade sobre IPv6

Estudo e classificação de propostas e protocolos para provimento de mobilidade sobre IPv6 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO CÉSAR AUGUSTO HASS LOUREIRO Estudo e classificação de propostas e protocolos para provimento de

Leia mais

Introdução à Computação Móvel IP Móvel. Movimentação de Host. Movimentação de Host. Francisco José da Silva e Silva

Introdução à Computação Móvel IP Móvel. Movimentação de Host. Movimentação de Host. Francisco José da Silva e Silva Introdução à Computação Móvel IP Móvel Francisco José da Silva e Silva Francisco Silva 1 Movimentação de Host Francisco Silva 2 Movimentação de Host Se um host não estiver no enlace identificado por seu

Leia mais

Exercícios de Revisão Edgard Jamhour. Quarto Bimestre: IPv6 e Mecanismos de Transiçao

Exercícios de Revisão Edgard Jamhour. Quarto Bimestre: IPv6 e Mecanismos de Transiçao Exercícios de Revisão Edgard Jamhour Quarto Bimestre: IPv6 e Mecanismos de Transiçao Questão 1: Indique a qual versão do IP pertence cada uma das características abaixo: ( ) Verifica erros no cabeçalho

Leia mais

Mobilidade em Redes 802.11

Mobilidade em Redes 802.11 Mobilidade em Redes 802.11 Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 14 Aula 14 Rafael Guimarães 1 / 37 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 O protocolo MAC 802.11 3 Quadro 802.11 4 802.11: Mobilidade

Leia mais

IP Móvel, v4 FEUP MPR. Encaminhamento tradicional de datagramas IP

IP Móvel, v4 FEUP MPR. Encaminhamento tradicional de datagramas IP MIPv4 1 IP Móvel, v4 FEUP MPR MIPv4 2 Motivação Encaminhamento tradicional de datagramas IP Baseado em endereço IP de destino, prefixo de rede Endereço de rede IP Rede física Mudança de rede mudança de

Leia mais

3 Gerenciamento de Mobilidade

3 Gerenciamento de Mobilidade Gerenciamento de Mobilidade 38 3 Gerenciamento de Mobilidade A Internet não foi originalmente projetada para suportar a mobilidade de dispositivos. A infra-estrutura existente e o conjunto dos principais

Leia mais

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados Comunicação de Dados Roteamento Prof. André Bessa Faculade Lourenço Filho 22 de Novembro de 2012 Prof. André Bessa (FLF) Comunicação de Dados 22 de Novembro de 2012 1 / 26 1 Introdução 2 Roteamento na

Leia mais

Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS. Prof. Dr. S. Motoyama

Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS. Prof. Dr. S. Motoyama Aula-19 NAT, IP Móvel e MPLS Prof. Dr. S. Motoyama 1 NAT Network address translation Resto da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 Rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24 10.0.0.1 10.0.0.2 10.0.0.3 Todos os

Leia mais

Interconexão de Redes. Aula 03 - Roteamento IP. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br

Interconexão de Redes. Aula 03 - Roteamento IP. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Interconexão de Redes Aula 03 - Roteamento IP Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão Repetidor Transceiver Hub Bridge Switch Roteador Domínio de Colisão Domínio de Broadcast

Leia mais

Otimização do Handover na Camada de Rede (L3) utilizando o Media Independent Handover (MIH)

Otimização do Handover na Camada de Rede (L3) utilizando o Media Independent Handover (MIH) ISSN 0103-9741 Monografias em Ciência da Computação n 29/08 Otimização do Handover na Camada de Rede (L3) utilizando o Media Independent Handover (MIH) Anderson Oliveira da Silva Markus Endler Sérgio Colcher

Leia mais

Análise e Testes da Mobilidade em Redes do Padrão IEEE 802.11 Utilizando Protocolo IP versão 6

Análise e Testes da Mobilidade em Redes do Padrão IEEE 802.11 Utilizando Protocolo IP versão 6 Análise e Testes da Mobilidade em Redes do Padrão IEEE 802.11 Utilizando Protocolo IP versão 6 Juan Rodolpho Basso Orientador: Charles Christian Miers Objetivo Geral Analisar e testar o recurso de mobilidade

Leia mais

PROPOSTA DE UM MECANISMO DE NOMES PARA SUPORTAR MACRO-MOBILIDADE COM IP MÓVEL

PROPOSTA DE UM MECANISMO DE NOMES PARA SUPORTAR MACRO-MOBILIDADE COM IP MÓVEL JEAN LOUIS DE OLIVEIRA PROPOSTA DE UM MECANISMO DE NOMES PARA SUPORTAR MACRO-MOBILIDADE COM IP MÓVEL Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Informática Aplicada da Pontifícia Universidade

Leia mais

IPv6. César Loureiro. V Workshop do PoP-RS/RNP e Reunião da Rede Tchê

IPv6. César Loureiro. V Workshop do PoP-RS/RNP e Reunião da Rede Tchê IPv6 César Loureiro V Workshop do PoP-RS/RNP e Reunião da Rede Tchê Outubro de 2014 Agenda Esgotamento IPv4 Endereçamento e Funcionalidades do IPv6 Implantação IPv6 IPv6 na Rede Tchê Dicas de Implantação

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes de Computadores Nível de Rede Redes de Computadores 2 1 Nível de Rede Internet Nível de Rede na Internet O ambiente inter-redes: hosts conectados a redes redes interligam-se

Leia mais

MOBILE IP x HIP: UM ESTUDO SOBRE SEGURANÇA EM REDES MÓVEIS

MOBILE IP x HIP: UM ESTUDO SOBRE SEGURANÇA EM REDES MÓVEIS FACULDADES SALESIANA DE VITORIA POS-GRADUACAO DE SEGURANCA DE REDES DE COMPUTADORES JARDEL PAVAN BALDO MOBILE IP x HIP: UM ESTUDO SOBRE SEGURANÇA EM REDES MÓVEIS VITÓRIA 2007 JARDEL PAVAN BALDO MOBILE

Leia mais

Unidade 3 Visão Geral de Equipamentos de Rede

Unidade 3 Visão Geral de Equipamentos de Rede Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 3 Visão Geral de Equipamentos de Rede 2 Repetidor

Leia mais

18/05/2014. Problemas atuais com o IPv4

18/05/2014. Problemas atuais com o IPv4 Problemas atuais com o IPv4 Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Falhas de segurança: A maioria dos ataques contra computadores hoje na Internet só é possível devido a falhas

Leia mais

UMinho 2012 João André de Jesus Namorado Lopes Quintas Simulação de Mecanismos de Diferenciação de Tráfego em Redes IP Móveis

UMinho 2012 João André de Jesus Namorado Lopes Quintas Simulação de Mecanismos de Diferenciação de Tráfego em Redes IP Móveis Universidade do Minho Escola de Engenharia UMinho 2012 João André de Jesus Namorado Lopes Quintas Simulação de Mecanismos de Diferenciação de Tráfego em Redes IP Móveis João André de Jesus Namorado Lopes

Leia mais

Sobre a licença Para cada novo uso ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença desta obra. No caso de criação de obras derivadas, os logotipos do CGI.br, NIC.br, IPv6.br e

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. IPv6. Prof. Claudemir

Fundamentos de Redes de Computadores. IPv6. Prof. Claudemir Fundamentos de Redes de Computadores IPv6 Prof. Claudemir Implantação do IPv6 Implantação do IPv6 Implantação do IPv6 Implantação do IPv6 RIR Regional Internet Registries (Registrador Regional de Internet)

Leia mais

ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL. Thiago de Almeida Correia

ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL. Thiago de Almeida Correia ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL Thiago de Almeida Correia São Paulo 2011 1. Visão Geral Em uma rede de computadores local, os hosts se enxergam através de dois endereços, sendo um deles o endereço Internet

Leia mais

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet Edgard Jamhour Ethernet não-comutada (CSMA-CD) A Ethernet não-comutada baseia-se no princípio de comunicação com broadcast físico. a b TIPO DADOS (até 1500

Leia mais

Trabalho da Cadeira de Tópicos Avançados em Conectividade e Sistemas Distribuídos Mobilidade em IP Estado da Arte

Trabalho da Cadeira de Tópicos Avançados em Conectividade e Sistemas Distribuídos Mobilidade em IP Estado da Arte Trabalho da Cadeira de Tópicos Avançados em Conectividade e Sistemas Distribuídos Mobilidade em IP Estado da Arte Autor: Pedro Vale Estrela Nº 4520 Orientador: Prof. Mário Serafim Nunes Abril 2002 Abril

Leia mais

IP Móvel, v4 FEUP MPR. Encaminhamento tradicional de datagramas IP

IP Móvel, v4 FEUP MPR. Encaminhamento tradicional de datagramas IP MIPv4 1 IP Móvel, v4 FEUP MPR MIPv4 2 Motivação Encaminhamento tradicional de gramas IP Baseado em endereço IP de destino, prefixo de rede Endereço de rede IP Rede física Mudança de rede mudança de endereço

Leia mais

Redes Mesh: Mobilidade, Qualidade de Serviço e Comunicação em Grupo

Redes Mesh: Mobilidade, Qualidade de Serviço e Comunicação em Grupo Capítulo 2 Redes Mesh: Mobilidade, Qualidade de Serviço e Comunicação em Grupo Antônio Jorge Gomes Abelém¹, Célio Vinicius Neves Albuquerque², Débora Christina Muchaluat Saade³, Elisangela Santana Aguiar

Leia mais

IPv6 e as Novas Adaptações do Protocolo IP

IPv6 e as Novas Adaptações do Protocolo IP Palestra - TecnoInfo 2005 IPv6 e as Novas Adaptações do Protocolo IP Prof. MSc. Edmar R. S. de Rezende Faculdade de Engenharia de Computação Centro de Ciências Exatas, Ambientais e de Tecnologias Pontifícia

Leia mais

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04

Endereçamento IP. S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 Endereçamento IP S u m á r i o Visão Geral...02 1 Camada de Internet...03 2 Endereços de Internet...04 2.1 Endereçamento IP...04 2.2 Conversão decimal/binário...05 2.3 Endereçamento IPv4...06 2.4 Endereços

Leia mais

1 INTRODUÇÃO Internet Engineering Task Force (IETF) Mobile IP

1 INTRODUÇÃO Internet Engineering Task Force (IETF) Mobile IP 1 INTRODUÇÃO Devido ao crescimento da Internet, tanto do ponto de vista do número de usuários como o de serviços oferecidos, e o rápido progresso da tecnologia de comunicação sem fio (wireless), tem se

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva ROTEADOR Roteador CISCO 2600: INTERFACES DE UM ROTEADOR - Interface p/ WAN - Interface p/ LAN - Interface p/

Leia mais

Arquitetura de Mobilidade IPv6 entre Cidades Digitais

Arquitetura de Mobilidade IPv6 entre Cidades Digitais Arquitetura de Mobilidade IPv6 entre Cidades Digitais Fabio P. Nunes, Gean D. Breda, Bruno B. Zarpelão, Rodrigo S. Miani e Leonardo de S. Mendes Resumo Esse trabalho tem como objetivo criar um modelo de

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Internet Protocol version 6 (IPv6) Aula 19 Com crescimento da Internet IPv4 apresenta alguns problemas Esgotamento de endereços

Leia mais

Capacitação IPv6.br. Segurança em redes sem NAT

Capacitação IPv6.br. Segurança em redes sem NAT Capacitação IPv6.br Segurança em redes sem NAT Agenda O emulador de redes CORE Introdução ao IPv6 Endereços IPv6 Plano de endereçamento Importância do ICMPv6 Neighbor Discovery Protocol Autoconfiguração

Leia mais

Trabalhos Relacionados 79

Trabalhos Relacionados 79 Trabalhos Relacionados 79 6 Avaliação e Testes Neste capítulo são apresentados alguns testes que foram realizados com o a solução de Gerenciamento de Mobilidade (API SIP User Agent) e com o sistema publish/subscribe

Leia mais

Capítulo 11: NAT para IPv4

Capítulo 11: NAT para IPv4 Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 11: NAT para IPv4 Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID 1 Capítulo 11 11.0

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.!

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.! Laboratório wireshark Número de sequencia: syn syn ack ack Cisco Packet Tracer Roteador trabalha em dois modos de operação: - Modo Normal - símbolo > - Modo Root - símbolo # ##################################################################

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores por fldotti@inf.pucrs.br Redes de Computadores Nível de Rede Evolução de Técnicas de Roteamento Redes de Computadores 2 1 Experimentos iniciais instalação e manutenção a mão Crescimento

Leia mais

Tipos de Comunicação entre Estações. Comunicação Multiponto ( de Grupo, Multicast, Multiway, Difusão seletiva) Comunicação Multiponto em Redes Locais

Tipos de Comunicação entre Estações. Comunicação Multiponto ( de Grupo, Multicast, Multiway, Difusão seletiva) Comunicação Multiponto em Redes Locais Tipos de Comunicação entre Estações Comunicação Multiponto ( de Grupo, Multicast, Multiway, Difusão seletiva) Unicast Broadcast Multicast Multicast: ação de enviar um datagrama para multiplos receptores

Leia mais

Capítulo 5. A camada de rede

Capítulo 5. A camada de rede Capítulo 5 A camada de rede slide slide 1 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

Qualidade de serviço. Protocolo IPv6

Qualidade de serviço. Protocolo IPv6 Qualidade de serviço. Protocolo IPv6 Apresentar a nova forma de endereçamento lógico, o endereço IP versão 6 (IPv6). No começo da década de 1990, a IETF começou o estudo para desenvolver o sucessor do

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Roteamento www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Roteamento Roteamento é a técnica que define por meio de um conjunto de regras como os dados originados em

Leia mais

VPN. Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação

VPN. Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação VPN Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação Conceito Vantagens Tipos Protocolos utilizados Objetivos VPN (Virtual Private Network) Rede Privada Virtual - uma conexão onde o acesso e a troca de

Leia mais

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 1. Antes de começar A tabela a seguir lista as informações que você precisa saber antes de configurar um servidor VPN de acesso remoto. Antes de

Leia mais

Análise de desempenho do protocolo Mobile IP

Análise de desempenho do protocolo Mobile IP Análise de desempenho do protocolo Mobile IP Andréa Collin Krob 1, Gaspare Giuliano E. Bruno 1 1 Ciência da Computação - Centro Universitário LaSalle - UNILASALLE Av. Victor Barreto, 2288-91.51-97 - Canoas

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Redes Convergentes II Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Requisitos de Segurança em Redes» Autenticação: O parceiro da comunicação deve ser o verdadeiro» Confidencialidade: Os dados transmitidos não devem ser espiados»

Leia mais

Um projecto em co-promoção (SI&DT 3144)

Um projecto em co-promoção (SI&DT 3144) PANORAMA Um projecto em co-promoção (SI&DT Co-financiado por: PANORAMA Um projecto em co-promoção (SI&DT Co-financiado por: Mobilidade e Probes Móveis Susana Sargento, Nelson Capela, Frank Knaesel (IT

Leia mais

THIAGO MEREGE PEREIRA GERENCIAMENTO DE POLÍTICAS DE QUALIDADE DE SERVIÇO COM SUPORTE À MOBILIDADE

THIAGO MEREGE PEREIRA GERENCIAMENTO DE POLÍTICAS DE QUALIDADE DE SERVIÇO COM SUPORTE À MOBILIDADE THIAGO MEREGE PEREIRA GERENCIAMENTO DE POLÍTICAS DE QUALIDADE DE SERVIÇO COM SUPORTE À MOBILIDADE Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Informática da Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados

OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados Endereçamento IP V.4 e Roteamento Estático Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução OS endereços IP v.4 consistem em 4 octetos separados por pontos. Estes endereços foram separados em 5 classes, de acordo

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

Comparativo entre protocolos de gerenciamento de mobilidade

Comparativo entre protocolos de gerenciamento de mobilidade Comparativo entre protocolos de gerenciamento de mobilidade Helder Cleber Almeida Pereira Mestrando em Engenharia Elétrica da UNB (Universidade de Brasília) Professor do Instituto Federal de Tecnologia

Leia mais

Aula 7 Protocolos de roteamento:

Aula 7 Protocolos de roteamento: Aula 7 Protocolos de roteamento: Roteamento Estático; Roteamento dinâmico. Camada de rede A camada de rede está relacionada à transferência de pacotes da origem para o destino. Para que se chegue ao destino,

Leia mais

IPv6@ESTG-Leiria Testes de Mobilidade IPv6

IPv6@ESTG-Leiria Testes de Mobilidade IPv6 Instituto Politécnico de Leiria Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações IPv6@ESTG-Leiria Testes de Mobilidade IPv6 Tiago Mira Amado Leiria Fevereiro de 2006

Leia mais

Endereçamento IP. Figura 1 Estrutura hierárquica do endereço IP

Endereçamento IP. Figura 1 Estrutura hierárquica do endereço IP Endereçamento IP 1. Introdução: A partir da segunda metade dos anos 90, a Internet se tornou uma rede muito diferente daquela existente em sua concepção no início dos anos 80. Hoje, a Internet tornou-se

Leia mais

3 Ferramenta de Simulação

3 Ferramenta de Simulação 3 Ferramenta de Simulação Para definir a ferramenta de simulação a ser utilizada para implementação do protocolo HIP e para coleta dos resultados de simulação com uso desse protocolo, realizou-se um estudo

Leia mais

4 Implementação e Ambiente de Simulação

4 Implementação e Ambiente de Simulação 4 Implementação e Ambiente de Simulação Conforme apresentado no capítulo anterior, o protocolo HIP não estava implementado em nenhum framework do OMNeT++. Estudando os frameworks disponíveis para esse

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores s de Computadores s de Computadores 2 1 Roteamento como visto cada gateway / host roteia mensagens não há coordenação com outras máquinas Funciona bem para sistemas estáveis e sem erros

Leia mais

Endereçamento e Roteamento IP

Endereçamento e Roteamento IP Endereçamento e Roteamento IP Redes TCP/IP O objetivo deste módulo é explicar como funciona a atribuição de endereços IP com classe e sem classe e como configurar logicamente tabelas de roteamento. Obs.

Leia mais

Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias

Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias 95 Firewalls firewall Isola a rede interna de uma organização da rede pública (Internet), permitindo a passagem de certos pacotes, bloqueando outros. Rede administrada

Leia mais

A Internet e o TCP/IP

A Internet e o TCP/IP A Internet e o TCP/IP 1969 Início da ARPANET 1981 Definição do IPv4 na RFC 791 1983 ARPANET adota o TCP/IP 1990 Primeiros estudos sobre o esgotamento dos endereços 1993 Internet passa a ser explorada comercialmente

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

A camada de rede do modelo OSI

A camada de rede do modelo OSI A camada de rede do modelo OSI 1 O que faz a camada de rede? (1/2) Esta camada tem como função principal fazer o endereçamento de mensagens. o Estabelece a relação entre um endereço lógico e um endereço

Leia mais

IPv6 em Redes Wireless IPv6@IPLeiria

IPv6 em Redes Wireless IPv6@IPLeiria Projeto Informático 2011 IPv6 em Redes Wireless IPv6@IPLeiria Bruno Silvestre, Carlos Silva Orientador : Nuno Veiga 26 de Julho 2011 Sumário Objetivos e Motivação Vantagens do IPv6 Tipos de Endereços Autenticação

Leia mais

Seamless Handover em Redes Móveis e sem Fio

Seamless Handover em Redes Móveis e sem Fio Seamless Handover em Redes Móveis e sem Fio MAC5701 - Tópicos em Ciência da Computação Relatório Final Vera Nagamuta nagamuta@ime.usp.br 23 de junho de 2003 1 Introdução Neste relatório apresentamos um

Leia mais

Endereçamento. Um endereço IPv4 é formado por 32 bits. 2 32 = 4.294.967.296. Um endereço IPv6 é formado por 128 bits.

Endereçamento. Um endereço IPv4 é formado por 32 bits. 2 32 = 4.294.967.296. Um endereço IPv6 é formado por 128 bits. Um endereço IPv4 é formado por 32 bits. 2 32 = 4.294.967.296 Um endereço IPv6 é formado por 128 bits. 2 128 = 340.282.366.920.938.463.463.374.607.431.768.211.456 ~ 48 octilhões (5,6x10 28 ) de endereços

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

Recursos de transição para IPv6

Recursos de transição para IPv6 Recursos de transição para IPv6 Andrey Vedana Andreoli, Leandro Márcio Bertholdo, Liane M. R. Tarouco POP-RS / UFRGS Rua Ramiro Barcelos, 2574 - Porto Alegre RS {andrey, berthold, liane}@penta.ufrgs.br,

Leia mais

identificar e localizar um ao outro computador pode estar conectado a mais de uma rede mais de um endereço

identificar e localizar um ao outro computador pode estar conectado a mais de uma rede mais de um endereço Endereçamento Endereçamento IP Para que dois sistemas quaisquer comuniquem-se, eles precisam ser capazes de se identificar e localizar um ao outro. Um computador pode estar conectado a mais de uma rede.

Leia mais

IPv6 em rede de Campus Case UFSC & PoP-SC

IPv6 em rede de Campus Case UFSC & PoP-SC I WORKSHOP DE TECNOLOGIA DE REDES Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 IPv6 em rede de Campus Case UFSC &

Leia mais

Projeto de Redes de Computadores. Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes

Projeto de Redes de Computadores. Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes Projeto do Esquema de Endereçamento e de Nomes Lembrar a estrutura organizacional do cliente ajuda a planejar a atribuição de endereços e nomes O mapa topológico também ajuda, pois indica onde há hierarquia

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 1 Elmano R. Cavalcanti Redes de Computadores Camada de Rede elmano@gmail.com facisa-redes@googlegroups.com http://sites.google.com/site/elmano Esta apresentação contém slides fornecidos pela Editora Pearson

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores CAMADA DE REDE DHCP NAT IPv6 Slide 1 Protocolo DHCP Protocolo de Configuração Dinâmica de Hospedeiros (Dynamic Host Configuration Protocol DHCP), RFC 2131; Obtenção de endereço de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP Modelos OSI e TCP/IP Modelo em camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Comparação dos modelos Endereçamento de rede Modelo de camadas Encapsulamento Desencapsulamento Modelo OSI Sistema

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis. Alexandre Augusto Giron

REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis. Alexandre Augusto Giron REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Introdução CDMA e CSMA/CA Mobilidade Wi-Fi: LANs sem fio 802.11 Acesso celular à Internet Roteamento móvel IP móvel Segurança

Leia mais

ROTEIRO. Introdução. Introdução. Conceitos. Introdução 07/11/2014. REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis

ROTEIRO. Introdução. Introdução. Conceitos. Introdução 07/11/2014. REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Introdução CDMA e CSMA/CA Mobilidade Wi-Fi: LANs sem fio 802.11 Acesso celular à Internet Roteamento móvel IP móvel Segurança

Leia mais

Capítulo 10: DHCP. Conceitos Essenciais de Roteamento e Switching. Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores

Capítulo 10: DHCP. Conceitos Essenciais de Roteamento e Switching. Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 10: DHCP Conceitos Essenciais de Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID 1

Leia mais

Veja abaixo um exemplo de um endereço IP de 32 bits: 10000011 01101011 00010000 11001000

Veja abaixo um exemplo de um endereço IP de 32 bits: 10000011 01101011 00010000 11001000 4 Camada de Rede: O papel da camada de rede é transportar pacotes de um hospedeiro remetente a um hospedeiro destinatário. Para fazê-lo, duas importantes funções da camada de rede podem ser identificadas:

Leia mais

Introdução. 128.10 Ligação direta 128.15 Ligação direta 129.7 128.15.1.3 Default 128.15.1.1

Introdução. 128.10 Ligação direta 128.15 Ligação direta 129.7 128.15.1.3 Default 128.15.1.1 Introdução Roteamento é a movimentação de informações da origem até o seu destino, sendo que essa informação deve passar por pelo menos um modo intermediário, ou seja, a origem e o destino não estão ligadas

Leia mais