INDICADORES CORK SERVICES JULHO 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INDICADORES CORK SERVICES JULHO 2014"

Transcrição

1 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES JULHO 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação dos preços de combustíveis, com atualizações mensais. Caso tenha dúvidas consulte o glossário ao final do documento ou nos consulte pelos endereços ou Cork Services possui extenso know-how técnico em toda a cadeia de valor relativa a frotas, adquirido em 12 anos. Da decisão de compra de veículos até sua venda, fornecemos informações que tornarão sua decisão mais segura e precisa. Contamos com uma sólida rede de parceiros no Brasil e no exterior para o fornecimento de informações e serviços. Nossa missão é convergir e integrar dados do mercado automotivo para a geração de informações e serviços que reduzam os riscos nas decisões e aumentem a produtividade e rentabilidade dos nossos clientes. 2. OBJETIVO Com o fornecimento mensal dos indicadores pretendemos ajudá-lo a: Acompanhar de forma ampla as variações dos gastos; Obter de forma rápida, dados e referências relevantes para a gestão de frotas; Manter-se informado quanto ao comportamento do mercado.

2 Página2 3. ESCOPO Os indicadores contemplam as informações abaixo: Indicadores de mercado: o Inflação do Carro (fonte: autoinforme.com.br) o IGPM-FGV o IPCA-IBGE Combustíveis (fonte: anp.gov.br) As informações pesquisadas são compiladas, reunidas e disponibilizadas em visões anuais, semestrais, trimestrais, mensais e acumuladas do ano. Consultas de períodos específicos podem ser feitas pelo endereço Processo:

3 Página3 4. INDICADORES Indicadores de mercado JULHO Inflação do Carro (%) * IGPM (%) IPCA (%) jul/13 0,2600 0,2600 0,0300 jul/14 0,1000-0,6100 0,0100 Variação últimos 12 meses 3,9106 5,3265 6,5023 Variação últimos 6 meses 1,5381 1,3366 3,1891 Variação últimos 3 meses -0,7691-1,4737 0,8719 Variação último mês -0,4305-1,3455 0,4100 Acumulado ,3402 1,8230 3,7567 Acumulado ANO (%) ,24 8,69 9, ,40 12,42 7, ,83 1,20 5, ,80 3,85 3, ,52 7,75 4, ,59 9,81 5, ,37-1,71 4, ,49 11,32 5, ,85 5,10 6, ,09 7,81 5, ,95 5,53 5, ,34 1,82 3,76 * Fonte: Autoinforme

4 Página4 Combustíveis (fonte: VARIAÇÃO PONTUAL Mês final versus mês inicial, desconsiderando as variações no intervalo. PREÇO MÉDIO BRASIL GASOLINA (lit) ÁLCOOL (lit) GNV (m3) DIESEL (lit) DIESEL S10 (lit) jul/13 2,907 2,314 1,878 2,380 2,503 jul/14 3,014 2,448 1,991 2,552 2,677 Variação últimos 12 meses 3,68% 5,79% 6,02% 7,23% 0,070 Variação últimos 6 meses 0,20% 3,55% 3,37% 0,95% 0,83% Variação últimos 3 meses -0,69% -1,45% 1,22% 0,08% 0,04% Variação último mês -0,33% -0,81% -0,20% 0,00% 0,04% Variação Acumulada ,20% 3,55% 3,37% 0,95% 0,83% Variação acumulada ANO ,49% -4,96% 2,96% -8,42% NA ,52% 22,78% 3,65% 19,75% NA ,12% 1,87% 12,67% 12,40% NA ,74% 6,08% -7,81% 0,64% NA ,32% -3,38% 10,53% 0,23% NA ,69% 0,80% 16,35% 12,53% NA ,77% 7,24% -5,11% -4,99% NA ,01% -1,91% -3,67% 0,10% NA ,18% 12,02% 4,00% 1,06% NA ,61% -1,16% 5,97% 0,10% NA ,51% 5,25% 3,72% 13,72% 14,90% ,20% 3,55% 3,37% 0,95% 0,83% VARIAÇÃO MÉDIA Mês final versus mês inicial, considerando as variações no intervalo. PREÇO MÉDIO BRASIL GASOLINA (lit) ÁLCOOL (lit) GNV (m3) DIESEL (lit) DIESEL S10 (lit) Variação últimos 12 meses 1,47% 3,15% 3,36% 3,21% 0,031 Variação últimos 6 meses -0,26% 0,52% 1,69% 0,30% 0,27% Variação últimos 3 meses -0,50% -1,29% 0,59% 0,03% 0,04% Variação último mês -0,33% -0,81% -0,20% 0,00% 0,04% Variação Acumulada ,26% 0,52% 1,69% 0,30% 0,27% Variação acumulada ANO ,71% -10,31% 0,45% -4,46% NA ,98% 21,93% 2,11% 14,96% NA ,55% 4,89% 6,99% 9,09% NA ,16% -10,02% 2,77% -0,45% NA ,36% 0,15% 6,45% 0,45% NA ,06% 0,45% 9,51% 4,94% NA ,66% 7,82% 1,08% -2,66% NA ,30% 2,08% -2,60% -0,07% NA ,33% 2,24% 1,80% 0,28% NA ,67% -0,19% 2,78% 3,19% NA ,04% 1,78% 2,45% 6,41% 6,65% ,26% 0,52% 1,69% 0,30% 0,27%

5 Página5 Comparativo FLEX Vale a pena utilizar Etanol Custos iguais Não vale a pena utilizar Etanol Média Diferença Custo / km rodado, considerando os desempenhos abaixo (KM / Litro) GASOLINA ETANOL Gasolina Etanol R$ % º Sao Paulo 2,857 1,881 0,976 34,16% 0,2857 0,2687 6% 2º Mato Grosso 3,089 2,052 1,037 33,57% 0,3089 0,2931 5% 3º Goias 3,063 2,067 0,996 32,52% 0,3063 0,2953 4% 4º Parana 2,888 1,985 0,903 31,27% 0,2888 0,2836 2% 5º Mato Grosso do Sul 3,013 2,149 0,864 28,68% 0,3013 0,3070-2% 6º Minas Gerais 2,969 2,19 0,779 26,24% 0,2969 0,3129-5% 7º Tocantins 3,109 2,343 0,766 24,64% 0,3109 0,3347-8% 8º Rio de Janeiro 3,132 2,459 0,673 21,49% 0,3132 0, % 9º Distrito Federal 3,131 2,479 0,652 20,82% 0,3131 0, % 10º Bahia 2,868 2,297 0,571 19,91% 0,2868 0, % 11º Amazonas 3,189 2,564 0,625 19,60% 0,3189 0, % 12º Paraiba 2,829 2,304 0,525 18,56% 0,2829 0, % 13º Pernambuco 2,944 2,43 0,514 17,46% 0,2944 0, % 14º Ceara 3,005 2,485 0,52 17,30% 0,3005 0, % 15º Rondonia 3,211 2,672 0,539 16,79% 0,3211 0, % 16º Rio Grande do Sul 2,942 2,455 0,487 16,55% 0,2942 0, % 17º Sergipe 2,943 2,514 0,429 14,58% 0,2943 0, % 18º Santa Catarina 2,9 2,481 0,419 14,45% 0,2900 0, % 19º Maranhao 3,006 2,583 0,423 14,07% 0,3006 0, % 20º Alagoas 2,964 2,555 0,409 13,80% 0,2964 0, % 21º Acre 3,393 2,947 0,446 13,14% 0,3393 0, % 22º Para 3,114 2,725 0,389 12,49% 0,3114 0, % 23º Rio Grande do Norte 3,038 2,668 0,37 12,18% 0,3038 0, % 24º Espirito Santo 2,964 2,609 0,355 11,98% 0,2964 0, % 25º Roraima 3,069 2,758 0,311 10,13% 0,3069 0, % 26º Piaui 2,823 2,596 0,227 8,04% 0,2823 0, % 27º Amapa 2,949 2,853 0,096 3,26% 0,2949 0, % MÉDIA BRASIL 3,015 2,448 0,567 18,80% 0,3015 0, %

6 Página6 Comparativo Diesel x Diesel S10 Preço médio do litro R$ Diferença ESTADO Diesel Diesel S10 R$ % Ceara 2,56 2,521 0,039 1,52% Para 2,676 2,661 0,015 0,56% Acre 3,085 3, ,00% Maranhao 2,433 2,516-0,083-3,41% Roraima 2,775 2,875-0,1-3,60% Pernambuco 2,45 2,541-0,091-3,71% Amazonas 2,578 2,675-0,097-3,76% Rondonia 2,761 2,877-0,116-4,20% Sergipe 2,473 2,598-0,125-5,05% Piaui 2,463 2,590-0,127-5,16% Parana 2,435 2,561-0,126-5,17% Tocantins 2,458 2,589-0,131-5,33% Mato Grosso 2,76 2,913-0,153-5,54% Espirito Santo 2,486 2,627-0,141-5,67% Mato Grosso do Sul 2,658 2,809-0,151-5,68% Minas Gerais 2,517 2,664-0,147-5,84% Bahia 2,444 2,595-0,151-6,18% Santa Catarina 2,499 2,656-0,157-6,28% Paraiba 2,425 2,581-0,156-6,43% Alagoas 2,45 2,620-0,17-6,94% Sao Paulo 2,433 2,604-0,171-7,03% Goias 2,546 2,733-0,187-7,34% Rio Grande do Sul 2,481 2,664-0,183-7,38% Rio de Janeiro 2,458 2,646-0,188-7,65% Distrito Federal 2,544 2,771-0,227-8,92% Rio Grande do Norte 2,493 2,735-0,242-9,71% Amapa 2,588 2,983-0,395-15,26% MÉDIA BRASIL 0,841 0,887-0,046-5,46%

7 Página7 Preços por UF: Gasolina UF Preço % x média 1º Piaui 2,823-6,80% 2º Paraiba 2,829-6,57% 3º Sao Paulo 2,857-5,53% 4º Bahia 2,868-5,12% 5º Parana 2,888-4,39% 6º Santa Catarina 2,900-3,96% 7º Rio Grande do Sul 2,942-2,48% 8º Sergipe 2,943-2,44% 9º Pernambuco 2,944-2,41% 10º Amapa 2,949-2,23% 11º Alagoas 2,964-1,72% 12º Espirito Santo 2,964-1,72% 13º Minas Gerais 2,969-1,55% 14º Ceara 3,005-0,33% 15º Maranhao 3,006-0,30% 16º Mato Grosso do Sul 3,013-0,06% 17º Rio Grande do Norte 3,038 0,76% 18º Goias 3,063 1,57% 19º Roraima 3,069 1,76% 20º Mato Grosso 3,089 2,40% 21º Tocantins 3,109 3,03% 22º Para 3,114 3,18% 23º Distrito Federal 3,131 3,71% 24º Rio de Janeiro 3,132 3,74% 25º Amazonas 3,189 5,46% 26º Rondonia 3,211 6,11% 27º Acre 3,393 11,14% MÉDIA BRASIL 3,015

8 Página8 Etanol UF Preço % x média 1º Sao Paulo 1,881-30,15% 2º Parana 1,985-23,33% 3º Mato Grosso 2,052-19,31% 4º Goias 2,067-18,44% 5º Mato Grosso do Sul 2,149-13,92% 6º Minas Gerais 2,190-11,79% 7º Bahia 2,297-6,58% 8º Paraiba 2,304-6,26% 9º Tocantins 2,343-4,49% 10º Pernambuco 2,430-0,75% 11º Rio Grande do Sul 2,455 0,28% 12º Rio de Janeiro 2,459 0,44% 13º Distrito Federal 2,479 1,24% 14º Santa Catarina 2,481 1,32% 15º Ceara 2,485 1,48% 16º Sergipe 2,514 2,62% 17º Alagoas 2,555 4,18% 18º Amazonas 2,564 4,52% 19º Maranhao 2,583 5,22% 20º Piaui 2,596 5,69% 21º Espirito Santo 2,609 6,16% 22º Rio Grande do Norte 2,668 8,24% 23º Rondonia 2,672 8,38% 24º Para 2,725 10,16% 25º Roraima 2,758 11,23% 26º Amapa 2,853 14,19% 27º Acre 2,947 16,93% MÉDIA BRASIL 2,448

9 Página9 GNV UF Preço % x média 1º Rio de Janeiro 1,742-14,32% 2º Sao Paulo 1,771-12,45% 3º Paraiba 1,859-7,13% 4º Sergipe 1,868-6,61% 5º Espirito Santo 1,876-6,16% 6º Pernambuco 1,884-5,71% 7º Parana 1,914-4,05% 8º Alagoas 1,933-3,03% 9º Ceara 1,938-2,76% 10º Minas Gerais 1,945-2,39% 11º Bahia 1,950-2,13% 12º Rio Grande do Norte 2,000 0,42% 13º Amazonas 2,110 5,62% 14º Mato Grosso do Sul 2,167 8,10% 15º Rio Grande do Sul 2,190 9,06% 16º Santa Catarina 2,203 9,60% 17º Mato Grosso 2,247 11,37% 18º Goias 2,250 11,49% MÉDIA BRASIL 1,992

10 Página10 Diesel UF Preço % x média 1º Paraiba 2,425-5,28% 2º Maranhao 2,433-4,93% 3º Sao Paulo 2,433-4,93% 4º Parana 2,435-4,84% 5º Bahia 2,444-4,46% 6º Alagoas 2,450-4,20% 7º Pernambuco 2,450-4,20% 8º Rio de Janeiro 2,458-3,86% 9º Tocantins 2,458-3,86% 10º Piaui 2,463-3,65% 11º Sergipe 2,473-3,23% 12º Rio Grande do Sul 2,481-2,90% 13º Espirito Santo 2,486-2,69% 14º Rio Grande do Norte 2,493-2,40% 15º Santa Catarina 2,499-2,16% 16º Minas Gerais 2,517-1,43% 17º Distrito Federal 2,544-0,35% 18º Goias 2,546-0,27% 19º Ceara 2,560 0,28% 20º Amazonas 2,578 0,97% 21º Amapa 2,588 1,36% 22º Mato Grosso do Sul 2,658 3,95% 23º Para 2,676 4,60% 24º Mato Grosso 2,760 7,50% 25º Rondonia 2,761 7,54% 26º Roraima 2,775 8,00% 27º Acre 3,085 17,25% MÉDIA BRASIL 2,553

11 Página11 Diesel S10 UF Preço % x média 1º Maranhao 2,516-7,00% 2º Ceara 2,521-6,79% 3º Pernambuco 2,541-5,95% 4º Parana 2,561-5,12% 5º Paraiba 2,581-4,31% 6º Tocantins 2,589-3,99% 7º Piaui 2,590-3,95% 8º Bahia 2,595-3,75% 9º Sergipe 2,598-3,63% 10º Sao Paulo 2,604-3,39% 11º Alagoas 2,620-2,76% 12º Espirito Santo 2,627-2,48% 13º Rio de Janeiro 2,646-1,75% 14º Santa Catarina 2,656-1,36% 15º Para 2,661-1,17% 16º Minas Gerais 2,664-1,06% 17º Rio Grande do Sul 2,664-1,06% 18º Amazonas 2,675-0,64% 19º Goias 2,733 1,49% 20º Rio Grande do Norte 2,735 1,56% 21º Distrito Federal 2,771 2,84% 22º Mato Grosso do Sul 2,809 4,16% 23º Roraima 2,875 6,36% 24º Rondonia 2,877 6,42% 25º Mato Grosso 2,913 7,58% 26º Amapa 2,983 9,75% 27º Acre 3,085 12,73% MÉDIA BRASIL 2,692

12 Página12 5. GLOSSÁRIO Inflação do Carro: Desde 2002 a Agência AutoInforme realiza esse estudo de levantamento dos preços dos produtos e serviços usados pelo motorista no dia a dia, para andar e manter o seu carro. São pesquisadas dezenas de itens usado pelo motorista, cada qual com seu peso no cálculo do índice do IMC de acordo com seu custo e sua durabilidade. O IMC é o Índice de Manutenção do Carro, mais conhecido como Inflação do Carro, A Inflação do Carro dá ao consumidor uma referência sobre os gastos mensais que ele tem com o veículo. O método usado na pesquisa da Inflação do Carro da AutoInforme (ICA) é de amostragem. São pesquisados os preços dos principais itens de uso e manutenção do carro em todas as regiões de São Paulo, num total de 60 estabelecimentos do setor. Vários modelos (populares, médios e utilitários) são usados para a obtenção final do índice, cada qual com seu peso de acordo com a participação nas vendas. IGPM-FGV: O IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) é uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP). É medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e registra a inflação de preços desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais. Esse índice é formado pelo IPA-M (Índice de Preços por Atacado - Mercado), IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor - Mercado) e INCC-M (Índice Nacional do Custo da Construção - Mercado), com pesos de 60%, 30% e 10%, respectivamente. A pesquisa de preços é feita entre o dia 21 do mês anterior até o dia 20 do mês atual. Esses indicadores medem itens como bens de consumo (um exemplo é alimentação) e bens de produção (matérias-primas, materiais de construção, entre outros). Entram, além de outros componentes, os preços de legumes e frutas, bebidas e fumo, remédios, embalagens, aluguel, condomínio, empregada doméstica, transportes, educação, leitura e recreação, vestuário e despesas diversas (cartório, loteria, correio, mensalidade de Internet e cigarro, entre outros). O IGP-M abrange toda a população, sem restrição de nível de renda. Para que é usado o IGP-M? Contratos de aluguel, reajustes de tarifas públicas e planos e seguros de saúde (nos contratos mais antigos).

13 Página13 IPCA-IBGE: O período de coleta do IPCA vai do dia 1º ao dia 30 ou 31, dependendo do mês. A pesquisa é realizada em estabelecimentos comerciais, prestadores de serviços, domicílios (para verificar valores de aluguel) e concessionárias de serviços públicos. Os preços obtidos são os efetivamente cobrados ao consumidor, para pagamento à vista. São considerados nove grupos de produtos e serviços: alimentação e bebidas; artigos de residência; comunicação; despesas pessoais; educação; habitação; saúde e cuidados pessoais; transportes e vestuário. Eles são subdivididos em outros itens. Ao todo, são consideradas as variações de preços de 465 subitens. O indicador reflete o custo de vida de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos, residentes nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém, além do Distrito Federal e do município de Goiânia. O indicador é utilizado pelo Banco Central como medidor oficial da inflação do país. O governo usa o IPCA como referência para verificar se a meta estabelecida para a inflação está sendo cumprida. ANP: A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), implantada pelo Decreto nº 2.455, de 14 de janeiro de 1998, é o órgão regulador das atividades que integram a indústria do petróleo e gás natural e a dos biocombustíveis no Brasil. Autarquia federal, vinculada ao Ministério de Minas e Energia, a ANP é responsável pela execução da política nacional para o setor energético do petróleo, gás natural e biocombustíveis, de acordo com a Lei do Petróleo (Lei nº 9.478/1997). A ANP tem como finalidades: REGULAR - estabelecer regras por meio de portarias, instruções normativas e resoluções para o funcionamento das indústrias e do comércio de óleo, gás e biocombustíveis. CONTRATAR - Promover licitações e assinar contratos em nome da União com os concessionários em atividades de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural, e autorizar as atividades das indústrias reguladas. FISCALIZAR Fazer cumprir as normas nas atividades das indústrias reguladas, diretamente ou mediante convênios com outros órgãos públicos. A ANP é também um centro de referência em dados e informações sobre a indústria do petróleo e gás natural: mantém o Banco de Dados de Exploração e Produção (BDEP), promove estudos sobre o potencial petrolífero e o desenvolvimento do setor; recebe e torna públicas as notificações de descobertas; divulga as estatísticas oficiais sobre reservas e produção no Brasil; realiza pesquisas periódicas sobre qualidade dos combustíveis e lubrificantes, e sobre preços desses produtos. Na área dos biocombustíveis, mantém e divulga dados sobre autorizações, produção e comercialização de biodiesel e etanol.

14 Diesel S10 O S vem de enxofre e o número 10 sinaliza a quantidade desse elemento no combustível. Ou seja, o novo diesel contém 10 partes por milhão de enxofre, uma grande mudança se comparado ao diesel utilizado nas regiões interioranas atualmente, o S1800, com partes por milhão de enxofre. Tratase de um combustível de última geração, já vendido na Europa e fundamental para reduzir a emissão veicular. Estima-se que, quando utilizado nos veículos novos, há uma redução de 10% a 15% na emissão de material particulado e NOx. O S10 garante melhor partida a frio e redução de fumaça branca, por exemplo. O novo diesel traz também benefícios relacionados à proteção do motor, com relação ao desgaste e à formação de depósito. Página14

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

INDICADORES CORK SERVICES JUNHO 2014

INDICADORES CORK SERVICES JUNHO 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES JUNHO 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil SEMINÁRIO INTERNACIONAL: USO EFICIENTE DO ETANOL Aurélio César Nogueira Amaral Diretor 20.09.2016 Missões da ANP REGULAR Estabelecer as normas

Leia mais

Acre Previsão por Coeficiente no Estado

Acre Previsão por Coeficiente no Estado Acre 0,6 121.073,55 262.729,59 0,8 161.431,39 350.306,12 1,0 201.789,24 437.882,66 1,2 242.147,09 525.459,19 1,4 - - 1,6 322.862,79 700.612,25 1,8 363.220,64 788.188,78 2,0 - - 2,2 - - 2,4 - - 2,6 524.652,03

Leia mais

9, R$ , , R$ ,

9, R$ , , R$ , Rondônia 2005 R$ 601.575,17 2005 10.154 2004 1.027.983 2004 108.139 2004 10,52 2006 R$ 609.834,21 2006 10.757 2005 1.025.249 2005 101.539 2005 9,90 2007 R$ 1.229.490,00 2007 9.100 2006 1.047.004 2006 111.068

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Preços ao consumidor do etanol hidratado e Relatório da gasolina, semanal por semana, de preços praticados ao consumidor no Brasil Semana de 22/11/2015 a 28/11/2015 Semana de 03/12/2017 a 09/12/2017 Os

Leia mais

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Preços ao consumidor do etanol hidratado e Relatório da gasolina, semanal por semana, de preços praticados ao consumidor no Brasil Semana de 22/11/2015 a 28/11/2015 Semana de 10/09/2017 a 16/09/2017 Os

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Produção Industrial Mensal Produção Física (PIM-PF) A dinâmica da atividade econômica de uma região pode ser aferida de

Leia mais

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Preços ao consumidor do etanol hidratado e Relatório da gasolina, semanal por semana, de preços praticados ao consumidor no Brasil Semana de 22/11/2015 a 28/11/2015 Semana de 04/12/2016 a 10/12/2016 Os

Leia mais

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e

Os dados deste relatório são divulgados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Preços ao consumidor do etanol hidratado e Relatório da gasolina, semanal por semana, de preços praticados ao consumidor no Brasil Semana de 22/11/2015 a 28/11/2015 Semana de 02/07/2017 a 08/07/2017 Os

Leia mais

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas

Contabilizando para o Cidadão Entendendo as Finanças Públicas - ano 2015 Pernambuco 5,20% Ceará 5,44% Maranhão 5,14% Pará 4,89% Paraná 4,43% Rio Grande do Sul 4,37% Santa Catarina 2,54% Rio Grande do Norte 2,48% Espírito Santo 2,14% Amazonas 2,06% Sergipe 1,87% Alagoas

Leia mais

ÍNDICES ECONÔMICOS PORTAL BRASIL (PESQUISA)

ÍNDICES ECONÔMICOS PORTAL BRASIL (PESQUISA) ÍNDICES ECONÔMICOS PORTAL BRASIL (PESQUISA) Os direitos autorais desta página são protegidos pela Lei 9.610 de 19.02.1998 OS DIREITOS AUTORAIS DESTE SITE ESTÃO PROTEGIDOS PELA LEI Nº 9.610, DE 19.02.1998

Leia mais

UTILIZAÇÃO INDUSTRIAL E COMERCIAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS

UTILIZAÇÃO INDUSTRIAL E COMERCIAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS UTILIZAÇÃO INDUSTRIAL E COMERCIAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS Renato Augusto Pontes Cunha Recife, 26 de Abril de 2017. O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE ESTRUTURA PRODUTIVA: 371 Indústrias PRODUTORES DE CANA DE - AÇÚCAR:

Leia mais

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1

RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 RESULTADOS DAS PESQUISAS PIM-PF E PMC DO IBGE 1 Produção Industrial Mensal Produção Física: Março de 2012 Os indicadores da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física PIM-PF, referentes ao mês de março

Leia mais

MATERIAL SUPLEMENTAR. Tabela 1. Total de mamógrafos existentes e em uso no SUS, de acordo com tipo, em Salvador, Bahia e Brasil no ano de 2015.

MATERIAL SUPLEMENTAR. Tabela 1. Total de mamógrafos existentes e em uso no SUS, de acordo com tipo, em Salvador, Bahia e Brasil no ano de 2015. MATERIAL SUPLEMENTAR Tabela 1. Total de mamógrafos existentes e em uso no SUS, de acordo com tipo, em Salvador, Bahia e Brasil no ano de 2015. EQUIPAMENTOS DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - Brasil Equipamento

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes

Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes Piores trechos por Unidade Federativa por número de acidentes - 2015 Data: 18/05/2016 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de acidentes -

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Julho 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Julho 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Julho 2013 Rio de Janeiro, 07 de agosto de 2013 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR julho de 2013 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos

Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos Piores trechos por Unidade Federativa por número de mortos - 2016 Data: 24/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Piores trechos por Estado número de mortos 2016 Estado

Leia mais

ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2

ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 EDIÇÃO MERCADO Nº 02 FEVEREIRO 2016 1 ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 1.1 PARÁ - FEVEREIRO 2016... 2 1.1.1 VARIAÇÃO ANUAL ACUMULADA ONERADO E DESONERADO... 3 1.1.2 VARIAÇÃO ACUMULADA DO -

Leia mais

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS COMPILAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS PNAD Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio última atualização da pesquisa: 2011 1 2 CARACTERÍSTICAS DOS DOMICÍLIOS 3 ACESSO A SERVIÇOS PÚBLICOS EVOLUÇÃO DO PERCENTUAL

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 04 13/09/2017

TÊNIS DE MESA Nº 04 13/09/2017 TÊNIS DE MESA Nº 04 13/09/2017 Relatório de Resultados TÊNIS DE MESA - EQUIPES - Feminino 13/09/2017 HORA JOGO FASE UF RESULTADO UF PARCIAIS CAT 09:00 J1 ELIM GOIAIS 1 X 3 MATO GROSSO 0-2\2-1\0-2\0-2 F

Leia mais

BOLETIM ECONÔMICO - MERCADO

BOLETIM ECONÔMICO - MERCADO BOLETIM ECONÔMICO - MERCADO EDIÇÃO MERCADO Nº 30 SETEMBRO 2017 1 ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 1.1 m² PARÁ SETEMBRO 2017... 2 1.1.1 VARIAÇÃO ANUAL ACUMULADA ONERADO E DESONERADO... 3 1.1.2

Leia mais

jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16

jan/16 fev/16 mar/16 abr/16 mai/16 jun/16 jul/16 ago/16 set/16 out/16 nov/16 dez/16 Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 13,07 13,08 13,07 13,09 13,09 13,08 13,08 13,09 13,23 13,23 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 15,26 15,27 15,26 15,27 15,28 15,26

Leia mais

Informe Econômico N 5

Informe Econômico N 5 Conjuntura Econômica Diretor: José Francisco de Jesus Pantoja Pereira Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa:

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Dezembro de 2015 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Comércio em Números. Brasil. meses.

Comércio em Números. Brasil. meses. Belo Horizonte MG Novembro de 2016 O é um acompanhamento sistemático das estatísticas econômicas. Trata-se de um estudo que busca acompanhar o comportamento das variáveis de desempenho do consumo e das

Leia mais

Atualização do custo total dos acidentes de trânsito no Brasil Histórico da Revisão

Atualização do custo total dos acidentes de trânsito no Brasil Histórico da Revisão Atualização do custo total dos acidentes de trânsito no Brasil Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Atualização do custo total dos acidentes de trânsito no Brasil O presente documento tem por

Leia mais

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A

ENCARGOS SOCIAIS SOBRE A MÃO DE OBRA HORISTA % GRUPO A ACRE B1 Repouso Semanal Remunerado 18,06 0,00 18,06 0,00 B2 Feriados 4,77 0,00 4,77 0,00 B3 Auxílio - Enfermidade 0,91 0,69 0,91 0,69 B4 13º Salário 10,97 8,33 10,97 8,33 B7 Dias de Chuvas 1,68 0,00 1,68

Leia mais

Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 CIDE - - PIS/COFINS 2,18 2,18 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57

Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 CIDE - - PIS/COFINS 2,18 2,18 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57 jan/16 fev/16 Brasil Preço de Realização do Produtor 13,09 13,08 Preço do Produtor s/ ICMS c/ CIDE/PIS/COFINS 15,28 15,26 ICMS 6,57 6,57 Margem Bruta de Distribuição 15,73 16,14 Preço de Distribuição 37,57

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED

NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED NÍVEL DE EMPREGO FORMAL CELETISTA Outubro 2017 CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS CAGED BRASIL SALDO DO EMPREGO FORMAL - SEM AJUSTES - PERÍODO DE OUTUBRO DE 2016 A OUTUBRO 2017 2 BRASIL SALDO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS Boletim de Conjuntura Econômica de Nº 49, Maio de 2014 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Para a realização deste boletim, faz-se uso de principalmente quatro

Leia mais

ção: Motivaçõ ções e Metas

ção: Motivaçõ ções e Metas Equidade e Eficiência Educaçã ção: Motivaçõ ções e Metas RANKINGS REGIONAIS MOTIVOS DE EVASÃO Ranking Motivo de Evasão: TRABALHO (Demanda1) TOTAL BRASIL 1,43 0 a 17 anos 1 Minas Gerais 2,27 2 Pernambuco

Leia mais

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro ficou em 0,16%,

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro ficou em 0,16%, O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro ficou em 0,16%, abaixo dos 0,19% de agosto. No ano, o índice acumula 1,78%, bem abaixo dos 5,51% registrados em igual período do ano passado,

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Abril de 2014

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Abril de 2014 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Abril de 2014 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Janeiro de 2017

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Janeiro de 2017 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Janeiro de 2017 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Agosto de 2016

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Agosto de 2016 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Agosto de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Michel Miguel

Leia mais

Econômico Contabilidade Nacional

Econômico Contabilidade Nacional Tabela 3.7.1 - Produto Interno Bruto a preço de mercado corrente (milhões de R$), do e Estados da região Norte - 2008-2011 Acre Roraima 3.032.205 3.239.404 3.770.085 4.143.013 154.251 163.207 201.511 230.011

Leia mais

Pesquisa de Emprego em Tecnologia da Informação JULHO DE 2017

Pesquisa de Emprego em Tecnologia da Informação JULHO DE 2017 Pesquisa de Emprego em Tecnologia da Informação JULHO DE 2017 DEFINIÇÕES A Pesquisa de Emprego em Serviços é desenvolvida pela CNS/FESESP/SEPROSP com base em dados do sistema RAIS-CAGED do Ministério do

Leia mais

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Maio de 2016

Indicadores IBGE. Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI. Maio de 2016 Indicadores IBGE Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil SINAPI Maio de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Vice-Presidente da República no Exercício

Leia mais

Dezembro e consolidado 2015

Dezembro e consolidado 2015 Dezembro e consolidado 2015 Divulgado em 14 de janeiro de 2016. VAREJO REGISTRA RETRAÇÃO DE 1,4% EM 2015, APONTA ICVA Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo em relação a 2014. Em

Leia mais

4 Aplicação ao Carro Flex Fuel

4 Aplicação ao Carro Flex Fuel 58 4 Aplicação ao Carro Flex Fuel 4.1. Introdução Como visto no início da dissertação, o conceito do automóvel flex fuel tem como origem a possibilidade do carro utilizar como combustível álcool, gasolina

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2008

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2008 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2008 Rio de Janeiro, 11 de março de 2008 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS FEVEREIRO 2008 ÍNDICE NACIONAL DE

Leia mais

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014

FNPETI FÓRUM NACIONAL DE PREVENÇÃO E ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Cenário do Trabalho Infantil Dados PNAD 2014 Fonte: IBGE/Pnad. Elaboração própria. Nota: a PNAD até o ano de 2003 não abrangia a área rural da região Norte (exceto o Tocantins). Nos anos de 1994, 2000

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

Relatório da Frota Circulante 2017

Relatório da Frota Circulante 2017 I Frota circulante total O Relatório da Frota Circulante, elaborado pelo Sindipeças com dados até 2016, apontou aumento de 0,7% na frota de autoveículos brasileira, em comparação com 2015, registrando

Leia mais

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari

Mercado de Trabalho Empregos formais. Estado de São Paulo Município: Capivari Mercado de Trabalho Empregos formais Estado de São Paulo Município: Capivari SÍNTESE Estado de São Paulo População estimada em 2014 44.035.304 População 2010 41.262.199 Área (km²) 248.222,36 Densidade

Leia mais

Relatório da Frota Circulante de 2016

Relatório da Frota Circulante de 2016 I Frota circulante total O Relatório da Frota Circulante, elaborado pelo Sindipeças com dados até 2015, apontou aumento de 2,5% na frota de autoveículos brasileira, em comparação com 2014, registrando

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10

jan/10 fev/10 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 Coordenadoria de Defesa da Evolução Concorrência dos preços de GLP (R$ / botijão de 13 kg) Brasil Preço de Realização do Produtor 11,33 11,34 11,34 11,32 11,33 11,33 11,33 11,34 11,34 11,34 11,34 Preço

Leia mais

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável

Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Pressão sobre os salários continua em queda, apesar da taxa de desemprego estável Estimativa da Fipe e da Catho para a taxa de desemprego do décimo mês do ano é de 5,0%, 0,1 ponto percentual maior do que

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO.

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO MAIO DE 2013 A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. EMPREGO INDUSTRIAL MAIO DE 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA FOI O SETOR QUE MAIS CONTRATOU EM MAIO E NO ACUMULADO DO ANO. FORAM GERADAS 31.531 VAGAS ENTE JANEIRO E MAIO, correspondendo a um acréscimo

Leia mais

PIB 2012 Estado do Tocantins

PIB 2012 Estado do Tocantins PIB 2012 Estado do Tocantins Parceiros: GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SANDOVAL LÔBO CARDOSO Governador do Estado TOM LYRA Vice-governador do Estado JOAQUIM CARLOS PARENTE JUNIOR Secretário JOAQUÍN EDUARDO

Leia mais

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015

ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 ICMS: um retrato da economia brasileira em 2015 Pedro Jucá Maciel 1 INTRODUÇÃO O ICMS, imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual,

Leia mais

O Comércio de Serviços do Brasil

O Comércio de Serviços do Brasil Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços IV Seminário Estadual de Negócios Internacionais do Paraná O Comércio de Serviços do Brasil Curitiba, 17 de

Leia mais

Operadores brasileiros de Aviação Agrícola (SAE e TPP) - Em Dezembro de versão Elaboração : Eng.Agrônomo Eduardo Cordeiro de Araújo

Operadores brasileiros de Aviação Agrícola (SAE e TPP) - Em Dezembro de versão Elaboração : Eng.Agrônomo Eduardo Cordeiro de Araújo Operadores brasileiros de Aviação Agrícola (SAE e TPP) - Em Dezembro de 06 - - versão.0 - Elaboração : Eng.Agrônomo Eduardo Cordeiro de Araújo Pelotas, RS Fevereiro de 07 SUMÁRIO Conteúdo Pág.Introdução....

Leia mais

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6.

Produção Brasileira de Melão por Estado 2007 Estados Área (ha) Volume (Ton) Valor (Mil R$) Rio Grande do Norte Ceará 6. Produção Brasileira de Abacaxi por Estado 2007 Pará 15.462 701.948 125.596 Paraíba 11.600 625.527 150.054 Minas Gerais 7.593 596.668 127.597 Bahia 6.430 282.634 63.185 São Paulo 3.620 271.380 76.161 Rio

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/1/2015. Fevereiro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/1/2015. Fevereiro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12

jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 Coordenadoria de Defesa da Evolução Concorrênciados preços de GLP (R$ / botijão de 13 kg) Brasil Preço de Realização do Produtor 11,33 11,34 11,33 11,34 11,33 11,34 11,34 11,33 11,34 11,34 11,34 11,34

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/10/2014. Novembro 2014 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/10/2014. Novembro 2014 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil IV Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social

Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social 2º Semestre/2011 1 Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Informações Trabalhistas e Previdenciárias de acordo

Leia mais

ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS

ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS ANÁLISE DA REPARTIÇÃO REGIONAL DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS MONTANTE DE RECEITAS E RECURSOS PÚBLICOS (em R$ milhões) Receita Estadual () BNDES Estatais Agências Financeiras União Royalties e Participações

Leia mais

Outubro 2014 Conjuntura Econômica I

Outubro 2014 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil IV Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012.

Estimativas e Análises do PIB Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012. O Atual Potencial Econômico do Brasil Estimativas e Análises do PIB 2011 - Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 02 Setembro/2012 Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 29/2/2016. Março 2016 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 29/2/2016. Março 2016 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/12/2014. Janeiro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 31/12/2014. Janeiro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/4/2015. Maio 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/4/2015. Maio 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2014. Dezembro 2014 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2014. Dezembro 2014 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2015. Dezembro 2015 Conjuntura Econômica I

Seção fechada com dados disponíveis até o dia 30/11/2015. Dezembro 2015 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil V Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA - INTO S S TOTAL - FISCAL 0 TOTAL - SEGURIDADE

DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA - INTO S S TOTAL - FISCAL 0 TOTAL - SEGURIDADE ORGAO : 36000 - MINISTERIO DA SAUDE UNIDADE : 36901 - FUNDO NACIONAL DE SAUDE ANEXO I CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 E G R M I F FUNC PROGRAMATICA

Leia mais

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Panorama Econômico do Rio Grande do Sul Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Panorama Econômico do Rio Grande do Sul 2008 Unidade de Estudos Econômicos COMPOSIÇÃO DO PIB PIB DO RIO GRANDE DO SUL 62% 9% 29% Estamos mais sujeitos a refletir crises agrícolas que a média da economia

Leia mais

Junho 2014 Conjuntura Econômica I

Junho 2014 Conjuntura Econômica I Índices Econômicos II Índices gerais II Índice de preços ao produtor amplo origem Brasil III Preços ao consumidor Brasil IV Preços ao consumidor Rio de Janeiro V Preços ao consumidor São Paulo V Preços

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA NO PARANÁ

PANORAMA DA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA NO PARANÁ PANORAMA DA INDÚSTRIA METAL-MECÂNICA NO PARANÁ 1. Estrutura 1.1. O Paraná no Brasil A indústria de Metal-Mecânica do Paraná é a quinta maior do País em número de empregados (111.484 ou 6,72%) segundo dados

Leia mais

DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS JUNHO DE 2017

DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

Emprego Industrial Setembro de 2015

Emprego Industrial Setembro de 2015 Emprego Industrial Setembro de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de setembro de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de agosto (-4.425 postos e variação de -0,2%). A indústria

Leia mais

PRINCIPAIS ÍNDICES DE INFLAÇÃO NO BRASIL

PRINCIPAIS ÍNDICES DE INFLAÇÃO NO BRASIL PRINCIPAIS ÍNDICES DE INFLAÇÃO NO BRASIL Belo Horizonte, 17 de dezembro de 2009 2 SUMÁRIO PÁGINA 3 IPC (FIPE) PÁGINA 4 IPCA (IBGE) PÁGINA 5 INPC (IBGE) PÁGINA 6 IGP-DI (FGV) PÁGINA 7 IGP-M (FGV) PÁGINA

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS NOVEMBRO DE 2016

DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRIBUIDORES DE COMBUSTÍVEIS E POSTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Dezembro de 2013 Emprego industrial 28 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO - no acumulado do ano, foi

Leia mais

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Outubro de 2017

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Outubro de 2017 Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Outubro de 2017 Data 10/11/2017 IPCA Mês e 12 meses 10,00 8,00 6,00 4,00 2,00 7,87 6,99 6,29 5,35 4,76 4,57 4,08 3,60 3,00 0,00 2,71

Leia mais

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016

CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 CENSO BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS 2015/2016 V2 1 1. SETOR 2 UNIVERSO DISTRIBUIÇÃO MACRO REGIÕES SHOPPINGS EM OPERAÇÃO - UNIDADES 26 NORTE 80 NORDESTE 50 CENTRO OESTE 292 SUDESTE 520 +3,5% 538 SHOPPINGS

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil

Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Estatísticas sobre Analfabetismo no Brasil Audiência pública Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa

Leia mais

Resultados- Junho OUTUBRO 2011

Resultados- Junho OUTUBRO 2011 Resultados- Junho 2011 - OUTUBRO 2011 Crescimento do volume e receita nominal das vendas; evolução da massa de rendimentos dos ocupados; volume de crédito e inadimplência; dados sobre emprego formal, como

Leia mais

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Agosto de 2017

Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Agosto de 2017 Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor SNIPC IPCA e INPC Agosto de 2017 Data 06/09/2017 IPCA Mês e 12 meses 10,00 8,00 6,00 4,00 8,97 8,48 7,87 6,99 6,29 5,35 4,76 4,57 4,08 2,00 0,00 3,60

Leia mais

Informe Econômico N 1

Informe Econômico N 1 Gerente de Relações Institucionais: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista de Relações Institucionais: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiários:

Leia mais

ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2

ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 EDIÇÃO MERCADO Nº 13 JANEIRO 2017 1 ÍNDICE 1 INDICADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL... 2 1.1 PARÁ JANEIRO 2017... 2 1.1.1 VARIAÇÃO ANUAL ACUMULADA ONERADO E DESONERADO... 3 1.1.2 VARIAÇÃO ACUMULADA DO - 12 MESES...

Leia mais

Emprego Industrial Julho de 2015

Emprego Industrial Julho de 2015 Emprego Industrial Julho de 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO No mês de julho de 2015, o saldo de empregos em Santa Catarina reduziu em relação ao estoque de junho (-14.770 postos e variação de -0,7%). A indústria

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013

EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013 EMPREGO INDUSTRIAL Novembro de 2013 Emprego industrial 02 de Janeiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O SEGUNDO MELHOR

Leia mais

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014

Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Indústria Janeiro/2014 EMPREGO INDUSTRIAL Janeiro de 2014 Emprego industrial 25 de Fevereiro de 2014 FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SUMÁRIO EXECUTIVO A INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTOU O MELHOR DESEMPENHO

Leia mais

ADMISSÕES E DESLIGAMENTOS ANO 2016

ADMISSÕES E DESLIGAMENTOS ANO 2016 ADMISSÕES E DESLIGAMENTOS ANO 2016 Brasília DF Junho/2017 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1 CAGED... 2 2. OBJETIVOS... 3 3. METODOLOGIA... 3 4. RESULTADOS... 4 4.1 Número e Variação de Trabalhadores por Tipo

Leia mais

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010.

Na comparação com o mesmo mês, foi o menor saldo de empregos da indústria de transformação para fevereiro desde 2010. Sumário Executivo FEV/2016 No mês de fevereiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a janeiro (4.793 postos e variação de 0,2%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações (1.069 postos). JAN/2016 Sumário Executivo No mês de janeiro de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina aumentou em relação a dezembro (7.211 postos e variação de 0,4%). A indústria de transformação também teve desempenho

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Zilda Maria Faria Veloso

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Zilda Maria Faria Veloso MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA Zilda Maria Faria Veloso Diretora de Ambiente Urbano Secretaria de Recursos Hídricos e Meio Urbano POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS PNRS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS

Leia mais