Sumário. Data: 03/05/2014 NTRR 80/2014. Medicamento X Material Procedimento Cobertura x

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário. Data: 03/05/2014 NTRR 80/2014. Medicamento X Material Procedimento Cobertura x"

Transcrição

1 NTRR 80/2014 Solicitante: Juiza Dra Marcela Maria Amaral Novais Comarca de Caete Número do processo: Réu: Município de Caeté Estado de Minas Data: 03/05/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura x TEMA: Dieta enteral (Novasource renal ) Sumário 1. Resumo executivo Recomendação Análise da solicitação Pergunta clínica estruturada Contexto Descrição da tecnologia a ser avaliada Disponibilidade no SUS Preço do medicamento: Resultados da Revisão da literatura Conclusão

2 1. RESUMO EXECUTIVO Solicitação Segundo relatório médico, trata-se de paciente de 77 anos, portador de insuficiência renal dialítica (diálise peritoneal), insuficiência cardíaca congestiva, hipertensão, desnutrição moderada e quadro neurológico demencial progressivo. Em 25 de fevereiro de 2014 foi internado com quadro de pneumonia aspirativa decorrente de disfagia e quadro neurológico com piora progressiva. Recebeu alta hospitalar com sonda nasoentérica e indicação de dieta industrializada Nova Source Renal RECOMENDAÇÃO Trata-se de paciente idoso, com demência progressiva, em diálise peritoneal, disfagia e relato de pneumonia de aspiração recente. A dieta por sonda é uma alternativa para nutrir esse paciente, muito embora todo esforço deve ser feito no sentido de recuperar e manter a via oral para sua alimentação, pelo máximo de tempo possível. O uso de via alternativa para alimentação não mostrou ser capaz de prevenir, por si só, a pneumonia por aspiração nesses pacientes. Não sendo possível a via oral, a dieta enteral pode ser manipulada com segurança no próprio domicílio do paciente. A dieta artesanal preparada de forma adequada tem o mesmo efeito da dieta comercial. 2

3 Não há qualquer descrição de contraindicação para uso de dieta artesanal por parte desse paciente. Nesse caso, a dieta artesanal, produzida sob orientação de nutricionistas, deve ser oferecida prioritariamente antes de se indicar a dieta comercial. Ressalta-se que, seja qual for a dieta empregada (artesanal ou comercial), o acompanhamento por equipe multidisciplinar é primordial para prevenir complicações, favorecendo a adesão do paciente e de seus familiares ao tratamento. 2. ANÁLISE DA SOLICITAÇÃO 2.1. PERGUNTA CLÍNICA ESTRUTURADA População: Paciente em dieta enteral Intervenção: Alimentação enteral industrializada (Novasource Renal ) Comparação: Dieta enteral de fabricação caseira (artesanal) Desfecho: eficácia (manutenção do estado nutricional), segurança CONTEXTO A terapia nutricional enteral (TNE) é um conjunto de procedimentos cujo objetivo é manter e/ou recuperar o estado nutricional do paciente, por meio de via oral, sondas ou ostomias, através do fornecimento de energia e nutrientes. A indicação de terapia nutricional enteral domiciliar (TNED) é similar à indicação da hospitalar e corresponde àqueles pacientes que não conseguem atingir suas necessidades nutricionais exclusivamente pela via oral, sendo utilizada principalmente em distúrbios de deglutição associados a fraturas, doenças neurológicas, câncer, gastroparesia e síndrome de má absorção, desnutrição e pós-operatório. Existem dois tipos básicos de alimentação processada para a dieta por sonda nasoentérica: 3

4 Fórmula industrializada - produzida pela mistura de ingredientes em pó, contendo proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais nas proporções variadas de acordo com as necessidades nutricionais do paciente. Fórmula artesanal - produzida utilizando alimentos crus ou cozidos, seguindo uma receita orientada por nutricionista, de maneira que contenha proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais nas proporções variadas de acordo com as necessidades nutricionais do paciente. É necessário processar os alimentos através de cozimento, liquidificador e peneira. A dieta artesanal preparada em casa de forma adequada tem o mesmo efeito da dieta industrializada. Não existe legislação nacional nem estadual determinando o fornecimento da dieta enteral industrializada. Alguns municípios (como é o caso da Secretaria de Saúde de Belo Horizonte) possuem protocolo b para atender pacientes, durante tempo predeterminado, nas seguintes situações: A) Distúrbio de absorção de nutrientes e diarreia crônica, sem melhora com medidas clínicas e dietéticas; B) Insuficiência renal crônica severa ou dialítica, com restrição importante de volume que não permita o manejo com dieta artesanal; C) Pré e pós-operatório de cirurgias do trato gastrointestinal ou transplantes; D) Presença de úlceras por pressão grau III e IV sem recuperação com dieta artesanal. E) Pacientes com câncer, com desnutrição e sem recuperação com a dieta artesanal a A dispensação de fórmulas acontece por um período previamente definido, conforme especificado no item Tempo de dispensação. TEMPO DE DISPENSAÇÃO: 1. Condição de liberação temporária: O tempo máximo de liberação das fórmulas alimentares industrializadas, onde será ofertada 100% da necessidade calórica diária estabelecida, será a PROTOCOLO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE PARA DISPENSAÇÃO FORMULAS ALIMENTARES PARA ADULTOS E IDOSOS Disponível em : formulas_alimentar es_adultoseidosos.pdf 4

5 de 3 meses. A renovação de fornecimento por mais 3 meses, considerando os critérios clínicos e laboratoriais informados em relatório médico conjuntamente com o nutricionista. Nesse caso será fornecido 50% da necessidade diária de calorias em fórmula alimentar industrializada, sendo o restante (50%) complementado através de dieta artesanal, orientado pelo nutricionista. O tempo máximo de fornecimento de fórmulas alimentares industrializadas não ultrapassará 180 dias. Os casos que necessitarem prolongar a dispensação, o profissinal que acompanha o caso, discutirá com o nutricionista do nível central da SMSA. No contato inicial o familiar/responsável será orientado quanto ao período de fornecimento; será feita a primeira orientação sobre cuidados ao paciente, manejo de dietas enterais e confecção de dieta artesanal. Ao final dos 90 dias será realizado treinamento familiar para preparo de dieta artesanal, conforme cartilha fornecida pela SMSA/PBH. 2. Condições de liberação por tempo prolongado: Síndromes disabsortivas: com diarréia crônica e desnutrição, apesar das medidas clínico-dietéticas para controle do quadro (geralmente pacientes ileostomizados, portadores de síndrome do intestino curto ou doença inflamatória intestinal) IRC severa ou dialítica (Clearance de creatinina < 30 ml/min): com necessidade de restrição hídrica importante, que não permita o manejo com dieta artesanal. Em maio de 2012, o Conselho Regional de Nutrição do Paraná divulgou um parecer comparando as dietas comerciais e artesanais para pacientes com necessidade de nutrição enteral. Os autores concluíram que não existem evidências de superioridade de uma fórmula em relação à outra. Mesmo em dietas especiais, como de intolerância a lactose, a dieta artesanal pode ser modificada e adequada às necessidades especiais com o uso de soja. A fórmula artesanal apresenta como vantagens: Ser mais rica em compostos bioativos flavonoides que têm ação antioxidante; 5

6 Ser três a cinco vezes mais barata que a fórmula comercial. A fórmula comercial apresenta como vantagens: Ser mais fácil de ser preparada. A fórmula artesanal exige que a família tenha condições socioeconômicas de adquirir os alimentos in natura, e pode ser inviável em situações de extrema pobreza. b 3. DESCRIÇÃO DA TECNOLOGIA A SER AVALIADA Nome químico do medicamento: Alimento para nutrição enteral Nome comercial: Novasource Renal Fabricante: Nestlé Brasil LTDA Registro na ANVISA e Indicações de Bula Registro ANVISA c : Vencimento: 03/2015 Indicação de bula Descrição Rápida NovaSource Renal é uma fórmula nutricionalmente completa, hipercalórica, hiperproteica. Indicada para pessoas com insuficiência renal crônica em tratamento dialítico. Seu uso poderá ser via oral ou enteral. Isento de lactose e glúten DISPONIBILIDADE NO SUS Não. Não consta da RENAME nem da lista de medicamentos excepcionais ou especiais. b Parecer-tecnico do Conselho Federal de Nutricionistas [Internet]. [cited 2012 Dec 29]. Available from: c Registro no site da ANVISA disponível em www7.anvisa.gov.br/datavisa/consulta_produto/rconsulta_produto_detalhe.asp 6

7 Existe diretriz de utilização no SUS? e Não. Existe uma Portaria Ministerial de 2009 que prevê a regulamentação de dietas enterais, mas apenas no âmbito hospitalar. d 3.2. PREÇO DO MEDICAMENTO: Preço da apresentação de 200 ml: R$27,10 e 4. RESULTADOS DA REVISÃO DA LITERATURA 4.1. SOBRE A DOENÇA RENAL CRÔNICA A doença renal crônica, especialmente em seu estágio final, implica em risco aumentado de doença cardiovascular e ma nutrição. Os pacientes que progridem para falência renal necessitam terapia de renal substitutiva (diálise) ou transplante. f Na doença renal crônica, a nutrição adequada pode prevenir a progressão da doença e manejo dos sintomas. As pessoas que estão adequadamente dialisadas devem sentir-se bem, ter bom apetite e níveis de pressão normais. Sem uma diálise adequada ocorre perda de apetite e de peso, que pode levar à hospitalização e diminuição da sobrevida. A diálise peritoneal (CAPD) permite ao paciente um regime alimentício mais liberal do que a hemodiálise, pois a CAPD não causa grande variação na quantidade de líquido retido no corpo, como acontece na hemodiálise, isto significa menos esforço para o coração e vasos sanguíneos e menos restrições dietéticas. d Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria º 120 de 14 de abril de 2009, disponível em e Preço fábrica dos medicamentos, obtido no portal de site comercial e-renal f Ash S, Campbell KL, Bogard J, Millichamp A. Nutrition prescription to achieve positive outcomes in chronic kidney disease: a systematic review.nutrients 2014; 6:

8 4.2. DISFAGIA DO IDOSO E PNEUMONIA ASPIRATIVA Qualquer alteração no processo de deglutição pode ser definida como disfagia g. Trata-se de um problema crescente de saúde, considerando o envelhecimento da população. Muitas doenças estão relacionadas com o desenvolvimento da disfagia, inclusive doenças neurológicas como demência ou AVC, entre outros, e podem ter como consequência a ma nutrição e a pneumonia. Pneumonia é uma causa comum de mortalidade em pacientes com demência. O manejo da disfagia é responsabilidade de uma equipe multidisciplinar. A reabilitação por meio de assistência por fonoaudiologistas pode ensinar pacientes e cuidadores estratégias compensatórias e manter a capacidade de ingestão oral de alimentos e líquidos. Essas estratégias compensatórias podem ser o ajuste postural do paciente durante a ingestão oral de alimentos ou líquidos, o que reduziria o risco de aspiração. Outra forma de manejo de problemas de deglutição é a modificação da consistência de líquidos e alimentos ingeridos. Finalmente, uma forma radical de contornar as dificuldades de deglutição é a utilização de formas alternativas de nutrição. O uso de formas não-orais (por exemplo o uso de sondas) para alimentação pode não beneficiar todos os idosos. Alguns autores não encontraram qualquer benefício com o uso de alimentação por sonda enteral no que se refere ao risco de pneumonia por aspiração, sobrevida, fechamento de feridas ou redução de infecções. h Na verdade, o uso de sonda via gastrostomia esteve associada à elevação da mortalidade. Além disso, o uso de formas não-orais de alimentação pode promover uma cascata de eventos psicossociais negativos inclusive depressão e perda de interação social. g Sura L, Madhavan A, Carnaby G, Crary MA. Dysphagia in the elderly: management and nutritional considerations. Clin Interv Aging. 2012; 2:

9 4.3. SOBRE O FORNECIMENTO DE DIETA INDUSTRIALIZADA Não existe legislação nacional determinando o fornecimento da dieta enteral industrializada. Existem dois tipos básicos de alimentação processada para a dieta por sonda nasoentérica: Fórmula industrializada - produzida pela mistura de ingredientes em pó,contendo proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais nas proporções variadas de acordo com as necessidades nutricionais do paciente. Fórmula artesanal - produzida utilizando alimentos crus ou cozidos seguindo uma receita orientada por nutricionista, de maneira que contenha proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais nas proporções variadas de acordo com as necessidades nutricionais do paciente. É necessário processar os alimentos através de cozimento, liquidificador e peneira. A dieta artesanal preparada em casa de forma adequada tem o mesmo efeito da dieta industrializada. A dieta artesanal deve ser oferecida prioritariamente antes de se indicar dieta comercial. Avaliação de benefícios e riscos da dieta artesanal: Dentre as principais vantagens para a utilização da dieta caseira estão a individualização da fórmula quanto à composição nutricional, ao volume e custo aparentemente menor que o da dieta similar industrializada. Já as desvantagens são a instabilidade bromatológica, microbiológica e organoléptica do produto final; a composição nutricional nem sempre é definida e têm-se dificuldade em formular uma dieta mais específica. As dietas industrializadas são práticas, nutricionalmente completas e oferecem maior segurança quanto ao controle microbiológico e composição centesimal. No entanto, não estão acessíveis para a maioria da população brasileira devido ao seu alto custo. h h Dissertação. Bogoni, A C R K - Atenção domiciliar a saúde: proposta de dieta enteral artesanal com alimentos de propriedades funcionais. 20l2. 127f. 9

10 5. CONCLUSÃO Trata-se de paciente idoso, com demência progressiva, em diálise peritoneal, disfagia e relato de pneumonia de aspiração recente. A dieta por sonda é uma alternativa para nutrir esse paciente, muito embora todo esforço deve ser feito no sentido de recuperar e manter a via oral para sua alimentação, pelo máximo de tempo possível. O uso de via alternativa para alimentação não mostrou ser capaz de prevenir, por si só, a pneumonia por aspiração nesses pacientes. Não sendo possível a via oral, a dieta enteral pode ser manipulada com segurança no próprio domicílio do paciente. A dieta artesanal preparada de forma adequada tem o mesmo efeito da dieta comercial. Não há qualquer descrição de contraindicação para uso de dieta artesanal por parte desse paciente. Nesse caso, a dieta artesanal, produzida sob orientação de nutricionistas, deve ser oferecida prioritariamente antes de se indicar a dieta comercial. Ressalta-se que, seja qual for a dieta empregada (artesanal ou comercial), o acompanhamento por equipe multidisciplinar é primordial para prevenir complicações, favorecendo a adesão do paciente e de seus familiares ao tratamento. Obs: em anexo, formulário de solicitação de dieta enteral industrializada à Prefeitura de Belo Horizonte e dois exemplos de prescrição de dieta artesanal para pacientes com necessidades calóricas distintas. A prescrição e o acompanhamento nutricional devem ser supervisionados por profissional da área. 10

11 11

12 12

13 Terapia Nutricional Enteral Domiciliar Nome: Data: / / Material necessário: o Liquidificador o Jarra ou copo com tampa o Seringa de 20 ml Valor calórico diário: 2400 Kcal Ingredientes da dieta: o Leite em pó Integral: 45 medidas o Novomilke : 42 medidas o Nutriton Mingau ou Mucilon ou Nutrilon (milho ou arroz): 45 medidas o Sal: 2 tampinhas de caneta BIC. Modo de preparo da dieta: o Bater todos os ingredientes no liquidificador com um pouco de água filtrada o Quando estiver bem homogêneo, completar com água até 2100 ml de dieta pronta. o Guardar em jarra com tampa dentro da geladeira. o Antes de administrar a dieta, misturar bem para o pó não ficar no fundo. Horários da infusão da dieta: horas Volume a ser administrado por vez: 350 ml A dieta deve ser administrada em temperatura ambiente. Portanto, retirar da geladeira a quantidade que será administrada 30 minutos antes da infusão. Preparo do suco: o Poderão ser utilizados sucos de verduras ou de legumes, puros ou misturados às frutas. o O suco deverá ser coado e sem açúcar. 13

14 o Sugestões de sucos: Laranja com cenoura, beterraba com laranja, couve com limão, agrião com limão, mamão, goiaba, manga e outros. o Sucos que soltam o intestino : laranja, mamão, abacaxi, verduras, beterraba. o Sucos que prendem o intestino : limão, caju, goiaba, maçã, pêra e outros. Horário de infusão do suco: 15 h infundido: 200 ml Volume a ser Logo após a infusão da dieta e do suco, passar 50 ml de água filtrada pela sonda. Manter a pessoa assentada ou recostada durante a administração da dieta e 30 minutos após o término. Observações importantes: o Antes de preparar a dieta, retirar anéis e pulseiras e lavar as mãos e os braços até o cotovelo com água e sabão. A higiene é fundamental para o preparo da dieta enteral. o Lavar o copo do liquidificador antes e após o preparo da dieta e do suco. Separar cada parte e cuidar para que não fiquem resíduos de alimentos no fundo do copo. o A dieta preparada deve ser consumida no mesmo dia. Não guardar de um dia para o outro. O suco deve ser preparado pouco antes da infusão/administração. o Não é necessário coar a dieta. o Sempre higienize os alimentos antes de preparar o suco. o A seringa de 20 ml pode ser adquirida em farmácias. Como higienizar os alimentos 1. Lavar em água corrente com esponja (separada para este fim), sem machucar a casca. Lavar toda a fruta, inclusive as reentrâncias próximas ao cabo. 14

15 2. Colocar de molho em solução sanitizante, por um período de 15 a 20 minutos. 3. Escorrer a solução. No caso da água sanitária é necessário enxaguar com água filtrada. Opções de solução sanitizante: Hipoclorito (comprado nas farmácias) - seguir as recomendações do fabricante. 1L de água filtrada ou fervida dissolvida em 1 colher de sopa de água sanitária (de boa qualidade). Hidrosan Plus, Hipoclor, etc. 15

16 Terapia Nutricional Enteral Domiciliar Nome: Data: / / Material necessário: o Liquidificador o Jarra ou copo com tampa o Seringa de 20 ml Ingredientes da dieta: o Leite em pó Integral: 43 medidas o Creme de arroz: 14 medidas o Amido de milho (maizena ): 28 medidas o Azeite: 1 colher de sobremesa o Sal: 2 tampinhas de caneta BIC Valor calórico diário: 2200 Kcal Modo de preparo da dieta: o Torrar o amido de milho. o Bater todos os ingredientes no liquidificador com um pouco de água filtrada. o Quanto estiver bem homogêneo, completar com água até 1800 ml de dieta pronta. o Guardar em jarra com tampa dentro da geladeira. o Antes de administrar a dieta, misturar bem para o pó não ficar no fundo. o Não cozinhar a dieta. Horários da infusão da dieta: horas Volume a ser administrado por vez: 300 ml A dieta deve ser administrada em temperatura ambiente. Portanto, retirar da geladeira a quantidade que será administrada 30 minutos antes da infusão. 16

17 Preparo do suco: o Poderão ser utilizados sucos de verduras ou de legumes, puros ou misturados às frutas. o O suco deverá ser coado e sem açúcar. o Sugestões de sucos: Laranja com cenoura, beterraba com laranja, couve com limão, agrião com limão, mamão, goiaba, manga e outros. o Sucos que soltam o intestino : laranja, mamão, abacaxi, verduras, beterraba. o Sucos que prendem o intestino : limão, caju, goiaba, maçã, pêra e outros. Horário de infusão do suco: 15 h infundido: 200 ml Volume a ser Logo após a infusão da dieta e do suco, passar 50 ml de água filtrada pela sonda. Manter a pessoa assentada ou recostada durante a administração da dieta e 30 minutos após o término. Observações importantes: o Antes de preparar a dieta, retirar anéis e pulseiras e lavar as mãos e os braços até o cotovelo com água e sabão. A higiene é fundamental para o preparo da dieta enteral. o Lavar o copo do liquidificador antes e após o preparo da dieta e do suco. Separar cada parte e cuidar para que não fiquem resíduos de alimentos no fundo do copo. o A dieta preparada deve ser consumida no mesmo dia. Não guardar de um dia para o outro. O suco deve ser preparado pouco antes da infusão/ administração. o Não é necessário coar a dieta. o Sempre higienize os alimentos antes de preparar o suco. o A seringa de 20 ml pode ser adquirida em farmácias. 17

18 Como higienizar os alimentos 4. Lavar em água corrente com esponja (separada para este fim), sem machucar a casca. Lavar toda a fruta, inclusive as reentrâncias próximas ao cabo. 5. Colocar de molho em solução sanitizante, por um período de 15 a 20 minutos. 6. Escorrer a solução. No caso da água sanitária é necessário enxaguar com água filtrada. Opções de solução sanitizante: Hipoclorito (comprado nas farmácias) - seguir as recomendações do fabricante. 1L de água filtrada ou fervida dissolvida em 1 colher de sopa de água sanitária (de boa qualidade). Hidrosan Plus, Hipoclor, etc. 18

RESPOSTA RÁPIDA 364/2014 Isosource Soya

RESPOSTA RÁPIDA 364/2014 Isosource Soya RESPOSTA RÁPIDA 364/2014 Isosource Soya SOLICITANTE Dr. André Luiz Polydoro Juiz de Direito - Comarca de Santa Rita de Caldas/MG NÚMERO DO PROCESSO 0012218-08.2014.8.13.0592 DATA 09/07/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 222/2014 Isosource Soya baunilia

RESPOSTA RÁPIDA 222/2014 Isosource Soya baunilia RESPOSTA RÁPIDA 222/2014 Isosource Soya baunilia SOLICITANTE Dra Herilente de Oliveira Andrade NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.994-5 DATA 26/04/2014 Juíza de Direito da Comarca de Itapecirica Ao NATS, SOLICITAÇÃO

Leia mais

Dr. André Luiz Melo da Cunha Juiz de Direito da comarca de Visconde do Rio Branco

Dr. André Luiz Melo da Cunha Juiz de Direito da comarca de Visconde do Rio Branco RESPOSTA RÁPIDA 63/2014 Assunto: Isosource Soya e risperidona SOLICITANTE Dr. André Luiz Melo da Cunha Juiz de Direito da comarca de Visconde do Rio Branco NÚMERO DO PROCESSO 0720.14.000599-5 DATA 10/02/2014

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 427/2014 Nutrison Soya Multifiber

RESPOSTA RÁPIDA 427/2014 Nutrison Soya Multifiber RESPOSTA RÁPIDA 427/2014 Nutrison Soya Multifiber SOLICITANTE Dr. WAGNER JOSÉ DE ABREU PEREIRA JUIZ DE DIREITO Município de Governador Valadares NÚMERO DO PROCESSO 0105 13 003 412 4 DATA 23/07/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 380. Dieta enteral

RESPOSTA RÁPIDA 380. Dieta enteral 15/07/2014 RESPOSTA RÁPIDA 380 Dieta enteral SOLICITANTE : Dr. Antônio Fortes de Pádua Neto Juíza de Direito de Paracatu MG NÚMERO DO PROCESSO: 0052932-85.2014.8.13.0470, SOLICITAÇÃO/ CASO CLÍNICO Ao Núcleo

Leia mais

DE SONDA NASOENTÉRICA

DE SONDA NASOENTÉRICA RESPOSTA RÁPIDA 129 /2014 Assunto: ISOSOURCE 1,5 SEM SACAROSE PARA PACIENTE EM USO DE SONDA NASOENTÉRICA SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO DRA. Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de

Leia mais

PACIENTE COM PARALISIA CEREBRAL

PACIENTE COM PARALISIA CEREBRAL RESPOSTA RÁPIDA 127 /2014 Assunto: ISOSOURCE SOYA FIBER OU TROPHIC BASIC EM PACIENTE COM PARALISIA CEREBRAL Dra. Grazziela Maria de Queiroz Franco Peixoto Juíza de Direito da Comarca de Presidente Olegário

Leia mais

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico.

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico. Nota Técnica Processo n º Solicitante: Dra. Daniele Viana da Silva Juíza da Comarca de Ervália - Mg Data: 07/12/2012 Medicamento/ Dieta Material Procedimento Cobertura x TEMA: Dieta enteral de soja para

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 272/2014 Nutren

RESPOSTA RÁPIDA 272/2014 Nutren RESPOSTA RÁPIDA 272/2014 Nutren SOLICITANTE Dra Herilene de Oliveira Andrade NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.1086-9 DATA 22/05/2014 Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica/MG Ao NATS, SOLICITAÇÃO Solicito

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 49/2014 Nutren Júnior

RESPOSTA RÁPIDA 49/2014 Nutren Júnior RESPOSTA RÁPIDA 49/2014 Nutren Júnior SOLICITANTE Dr. André Luiz Melo da Cunha Juiz de Direito NÚMERO DO PROCESSO 0720.14.000492-3 DATA 05/02/2014 SOLICITAÇÃO Camila Vitória Ferraz de Melo, menor representada

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 147/2014 Peptamen Junior, fibra em pó, equipos

RESPOSTA RÁPIDA 147/2014 Peptamen Junior, fibra em pó, equipos RESPOSTA RÁPIDA 147/2014 Peptamen Junior, fibra em pó, equipos SOLICITANTE Dra Regina Célia Silva Neves Juíza de Direito da Comarca de Itaúna NÚMERO DO PROCESSO 0338.14.001204-2 DATA 21/03/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 158/2014

RESPOSTA RÁPIDA 158/2014 RESPOSTA RÁPIDA 158/2014 SOLICITANTE Sabrina da Cunha Peixoto Ladeira Juíza de Direito do Juizado Especial NÚMERO DO PROCESSO 0512.14.000278-7 DATA 02/04/2014 Para fins de apreciação do pedido de liminar

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 433/2013 Nutrison

RESPOSTA RÁPIDA 433/2013 Nutrison RESPOSTA RÁPIDA 433/2013 Nutrison SOLICITANTE Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO nº 0335.13.2989-4 DATA 19/12/2013 SOLICITAÇÃO Conforme peças constantes

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 210/2014 Isosource Soya

RESPOSTA RÁPIDA 210/2014 Isosource Soya RESPOSTA RÁPIDA 210/2014 Isosource Soya SOLICITANTE Dr Leonardo Guimarães Moreira NÚMERO DO PROCESSO 0280.14.001724-3 DATA 20/04/2014 Juíz de Direito da Comarca de Guanhães SOLICITAÇÃO Cuidam os autos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 362/2014. Nutri Diabetic

RESPOSTA RÁPIDA 362/2014. Nutri Diabetic 07/07/2014 RESPOSTA RÁPIDA 362/2014 Nutri Diabetic SOLICITANTE : Dra. Sônia Helena Tavares de Azevedo Juiza de Direito de Bom Despacho NÚMERO DO PROCESSO: 0074.14.4117-4 SOLICITAÇÃO/ CASO CLÍNICO O autor

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 428/2014 Nutrison Soya

RESPOSTA RÁPIDA 428/2014 Nutrison Soya RESPOSTA RÁPIDA 428/2014 Nutrison Soya SOLICITANTE Dr. WAGNER JOSÉ DE ABREU PEREIRA JUIZ DE DIREITO Município de Governador Valadares NÚMERO DO PROCESSO 0105 13 024 396 4 DATA 23/07/2014 SOLICITAÇÃO Cuidam

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA /2014

RESPOSTA RÁPIDA /2014 RESPOSTA RÁPIDA /2014 PACO, CODEÍNA, SUSTAGEM, FRALDAS DESCARTÁVEIS SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Ilma Dra Juíza de Direito Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo 0112.14.000551-6

Leia mais

TERAPIA NUTRICIONAL NUTRIÇÃO ENTERAL

TERAPIA NUTRICIONAL NUTRIÇÃO ENTERAL ÍNDICE TERAPIA NUTRICIONAL NUTRIÇÃO ENTERAL 1. INTRODUÇÃO 01 2. ALIMENTANÇÃO ENTERAL: O QUE É? 02 3. TIPOS DE NUTRIÇÃO ENTERAL 03 4. VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO 04 ENTERAL 5. TIPOS DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS 2ª edição SUMÁRIO Nutrição Enteral: definição 1. Cuidados no preparo da Nutrição Enteral Higiene

Leia mais

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária Secretária Nutricionista Gerente Nutricionista Planejamento

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 386/2013. Assunto: NUTRISON SOYA NATS GL. Dra.Sabrina Cunha Peixoto Ladeira Juiza de Direito da comarca de Pirapora SOLICITANTE

RESPOSTA RÁPIDA 386/2013. Assunto: NUTRISON SOYA NATS GL. Dra.Sabrina Cunha Peixoto Ladeira Juiza de Direito da comarca de Pirapora SOLICITANTE RESPOSTA RÁPIDA 386/2013 Assunto: NUTRISON SOYA SOLICITANTE Dra.Sabrina Cunha Peixoto Ladeira Juiza de Direito da comarca de Pirapora NÚMERO DO PROCESSO 13 008656-8 DATA 26/11/2013 SOLICITAÇÃO Para fins

Leia mais

Tema: Informações técnicas sobre o NUTRI-RENAL para pacientes em tratamento dialítico 1. ANÁLISE CLÍNICA DA SOLICITAÇÃO 3. 1.1. Pergunta estruturada 3

Tema: Informações técnicas sobre o NUTRI-RENAL para pacientes em tratamento dialítico 1. ANÁLISE CLÍNICA DA SOLICITAÇÃO 3. 1.1. Pergunta estruturada 3 Consultoria 06/2012 Solicitante Dr. Enismar Kelley de Souza e Freitas Juiz de Direito - Comarca de Cristina MG Data:22/10/2012 Medicamento Material Procedimento Cobertura X Tema: Informações técnicas sobre

Leia mais

TEMA: Medicamentos, materiais e assistência multidisciplinar para criança portadora de paralisia cerebral.

TEMA: Medicamentos, materiais e assistência multidisciplinar para criança portadora de paralisia cerebral. NT 146/2014 Solicitante: Dr Nilson de Padua Junior Uberaba/MG Número do processo: 70114021053-8 Data: 21/07/2014 Medicamento X Material x Procedimento x Cobertura TEMA: Medicamentos, materiais e assistência

Leia mais

1. Sumário. Data: 29/04/2013 NOTA TÉCNICA 60/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura

1. Sumário. Data: 29/04/2013 NOTA TÉCNICA 60/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura NOTA TÉCNICA 60/2013 Solicitante Juiz Dr. Flávio Moreira Barros 1ª Vara Cível de Passos Data: 29/04/2013 Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura SUMÁRIO 1. Sumário 2. Resumo executivo... 2

Leia mais

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias MÓDULO I NUTRIÇÃO CLÍNICA 1-Absorção, digestão, energia, água e álcool 2-Vitaminas e minerais 3-Proteínas, lipídios, carboidratos e fibras 4-Cálculo das necessidades energéticas 5-Doenças do aparelho digestivo

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão

Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão http://portaldaindustria.com.br/agenciacni/ 03 FEV 2014 Receitas de sobremesas do programa SESI Cozinha Brasil fazem sucesso no verão Já pensou em tomar sorvete de mandioca? E doce de casca de maracujá?

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

MANUAL DO PACIENTE EM TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL DOMICILIAR

MANUAL DO PACIENTE EM TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL DOMICILIAR MANUAL DO PACIENTE EM TERAPIA NUTRICIONAL ENTERAL DOMICILIAR É permitida a reprodução parcial ou total desta obra desde que citada a fonte. Não é permitida a comercialização. Elaboração Ana Paula Lança

Leia mais

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes.

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. Os smoothies ou shakes são uma maneira deliciosa, saudável e versátil para adicionar frutas e legumes em nossa alimentação diária.

Leia mais

Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar.

Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar. Já está na mesa o novo cardápio da alimentação escolar. Prove as receitas, veja como está gostoso e, o mais importante, nutritivo! A Prefeitura de Ipatinga elaborou para você este livro com receitas que

Leia mais

MANUAL DE DIETAS HOSPITALARES

MANUAL DE DIETAS HOSPITALARES MANUAL DE DIETAS HOSPITALARES TERESINA-PI SETEMBRO/11 1 ORIENTADORAS: Adriana de Azevedo Paiva Nutricionista, Doutora em Saúde Pública, Profa. da Disciplina Dietoterapia I da Universidade Federal do Piauí

Leia mais

GUIA DE BOLSO Outono combina Com SOPA!

GUIA DE BOLSO Outono combina Com SOPA! GUIA DE BOLSO Outono combina Com SOPA! Sumário Introdução Composição da sopa Benefícios da sopa Que quantidade de sopa devo comer por dia? Sopa no início ou depois do prato principal? Receitas de sopas

Leia mais

Lara Ribeiro Sisti Luisa de Albuquerque Philippsen Laudicéia Soares Urbano INTRODUÇÃO

Lara Ribeiro Sisti Luisa de Albuquerque Philippsen Laudicéia Soares Urbano INTRODUÇÃO FORMULAÇÃO DE DIETA ENTERAL ARTESANAL ADEQUADA PARA IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO 2 E HIPERTENSÃO ARTERIAL NO MUNICÍPIO DE LONDRINA, PR INTRODUÇÃO Lara Ribeiro Sisti Luisa

Leia mais

SAUDÁVEL LANCHEIRA. Atraente, prática e saudável. ESSE É O DESAFIO DAS MÃES NA HORA DE MONTAR A LANCHEIRA DA CRIANÇADA.

SAUDÁVEL LANCHEIRA. Atraente, prática e saudável. ESSE É O DESAFIO DAS MÃES NA HORA DE MONTAR A LANCHEIRA DA CRIANÇADA. LANCHEIRA SAUDÁVEL Atraente, prática e saudável. ESSE É O DESAFIO DAS MÃES NA HORA DE MONTAR A LANCHEIRA DA CRIANÇADA. Não é para menos: Muito mais que o momento das brincadeiras, o lanchinho entre as

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS (ALUNOS) Público Alvo: 6ºs E 7ºs ANOS (DISCIPLINA) Área de Conhecimento: MATEMÁTICA e LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORES: JANAINA ROSEMBERG

Leia mais

Terapia Nutricional na Assistência Domiciliar

Terapia Nutricional na Assistência Domiciliar Terapia Nutricional na Assistência Domiciliar A assistência nutricional e clínica ao paciente em domicilio vêm crescendo no Brasil e no mundo. Também conhecida como home care, internação domiciliar ou

Leia mais

TEMA: Voriconazol para tratamento de aspergilose pulmonar

TEMA: Voriconazol para tratamento de aspergilose pulmonar NTRR 78/2014 Solicitante: Juiz Dr Fernando de Moraes Mourão Comarca de Arcos Número do processo: 0042.14.001723-9 Réu: Estado de Minas Data: 03/05/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA:

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II. Nutrição Enteral Profª.Enfª:Darlene Carvalho

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II. Nutrição Enteral Profª.Enfª:Darlene Carvalho FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II Nutrição Enteral Profª.Enfª:Darlene Carvalho NUTRIÇÃO ENTERAL INDICAÇÕES: Disfagia grave por obstrução ou disfunção da orofaringe ou do esôfago, como megaesôfago chagásico,

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

CHÁS, SUCOS E VITAMINAS E SOPAS Fonte: Bebê gourmet. Chá Repousante

CHÁS, SUCOS E VITAMINAS E SOPAS Fonte: Bebê gourmet. Chá Repousante CHÁS, SUCOS E VITAMINAS E SOPAS Fonte: Bebê gourmet Chá Repousante 1 saquinho de chá de maçã 1 saquinho de chá de erva doce 1 saquinho de chá de erva cidreira 600ml de água Ferva a água e jogue em cima

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 310/2014

RESPOSTA RÁPIDA 310/2014 RESPOSTA RÁPIDA 310/2014 SOLICITANTE Dr. Wauner Batista Ferreira Machado Juiz de Direito da 3ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública Municipal da Comarca de Belo Horizonte. NÚMERO DO PROCESSO 0024 14 174

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152

Sustentável. Alimentação: Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Alimentação: Sustentável Dicas orientadas pela nutricionista Miriam Abdel Latif - CRN 3152 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. NÚMERO 4 Bolo de Maçã com casca 3 ovos 1 xícara (chá)

Leia mais

SUCO: mantenha o organismo saudável

SUCO: mantenha o organismo saudável Belo Horizonte, 22 de fevereiro de 2010 Olá sócios! Esperamos encontrá-los gozando de boa saúde! Em nosso informativo vamos falar ainda sobre algumas bebidas, desta vez sobre os sucos que começam a fazer

Leia mais

Dietas Caseiras para Cães e Gatos

Dietas Caseiras para Cães e Gatos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIA AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA CAMPUS DE JABOTICABAL SERVIÇO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA Prof. Dr. Aulus Cavalieri Carciofi

Leia mais

Café da manhã. na medida para você

Café da manhã. na medida para você Café da manhã na medida para você Seja qual for a sua rotina, agitada ou calma, a regra primordial é não fugir da primeira refeição do dia, que lhe trará muitas vitaminas e nutrientes, além de ajudar a

Leia mais

Nutrição e Insuficiência Renal Crônica

Nutrição e Insuficiência Renal Crônica Nutrição e Insuficiência Renal Crônica National Kidney Foundation s Kidney Disease Outcomes Quality Initiative (NKF-KDOQI ) (Iniciativa de Qualidade em Resultados de Insuficiência Renal da Fundação Nacional

Leia mais

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821

Treinamento: Aproveitamento Integral de Alimentos Cód. 821 APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS Para higienização de hortifrutis: - 1 litro de água potável - 1 colher de sopa (10 ml) de água sanitária, sem perfume - Deixar de molho por 15 minutos CALDO NUTRITIVO

Leia mais

APROVEITAMENTO INTEGRAL

APROVEITAMENTO INTEGRAL APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS Fabiana Peres Nutricionista CRN2 6095 Especialista em Nutrição Humana Atualmente no Brasil, ainda existe grande desperdício de alimentos. Por isso, incentivar o aproveitamento

Leia mais

Tema: Receitas para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia

Tema: Receitas para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia Tema: Receitas para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia Os tratamentos de quimioterapia e radioterapia geralmente causam diversos efeitos colaterais que, apesar de serem temporários,

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

Caderninho de Receitas

Caderninho de Receitas Caderninho de Receitas Projeto Crescendo Saudável: Educação Alimentar e Nutricional Infantil Curso de Nutrição/UFMS Aluno: Centro de Educação Infantil Íber Gomes de Sá Receita 01: Suco vermelho 10 laranjas

Leia mais

Receitas com Linhaça. Rede Mundo Verde Ano 1 Livro 4

Receitas com Linhaça. Rede Mundo Verde Ano 1 Livro 4 Receitas com Linhaça A linhaça é um alimento capaz de proporcionar inúmeros benefícios, nas mais diversas fases da vida. Utilizada no Oriente desde a antiguidade a linhaça já era sinônimo de proteção.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AMBROSIA PRIMAVERA ARROZ DOCE ESPECIAL PVT 10g 57g 15ml 04g Canela em pó 0,5g Arroz Água 70ml 30ml Custo médio estimado: R$ 0,13 Energia:264 Kcal. Proteína:6 g. Hidratar e escorrer o PVT; Colocar o açúcar

Leia mais

5 Sucos Naturais que podem ser chamados DETOX.

5 Sucos Naturais que podem ser chamados DETOX. 5 Sucos Naturais que podem ser chamados DETOX. VivaDetox! 5 Sucos Naturais que podem ser chamados Detox. Índice Introdução Chá Verde Água de Coco Água de Berinjela Beterraba com Cenoura Cenoura com Mamão

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DIETAS ENTERAIS

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DIETAS ENTERAIS TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS 82026 82025 82021 MEDICAMENTOS NUTRICAO, NUTRICAO ENTERAL, HIPERCALORICA, OLIGOMERICA, COM PROTEINA DE ORIGEM ANIMAL HIDROLISADA. ISENTA DE SACAROSE, LACTOSE E GLUTEN. PRINCIPIO/CONCENTRACAO1:

Leia mais

NUTRIÇÃO ENTERAL DOMICILIAR MANUAL DO USUÁRIO. Como preparar e administrar a dieta por sonda

NUTRIÇÃO ENTERAL DOMICILIAR MANUAL DO USUÁRIO. Como preparar e administrar a dieta por sonda NUTRIÇÃO ENTERAL DOMICILIAR MANUAL DO USUÁRIO Como preparar e administrar a dieta por sonda NUTRIÇÃO ENTERAL DOMICILIAR MANUAL DO USUÁRIO Como preparar e administrar a dieta por sonda UNICAMP FACULDADE

Leia mais

PROVA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM CANCEROLOGIA CLINICA EM ÃREA DA SAÚDE: NUTRIÇÃO PROCESSO SELETIVO Nº 01/2014 DATA: 17/02/2014 HORÁRIO:

PROVA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM CANCEROLOGIA CLINICA EM ÃREA DA SAÚDE: NUTRIÇÃO PROCESSO SELETIVO Nº 01/2014 DATA: 17/02/2014 HORÁRIO: PROVA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM CANCEROLOGIA CLINICA EM ÃREA DA SAÚDE: NUTRIÇÃO PROCESSO SELETIVO Nº 01/2014 DATA: 17/02/2014 HORÁRIO: das 8h30min às 11h30min INSTRUÇÕES CADERNO DE QUESTÕES 1-

Leia mais

Alimentos para limpar as artérias e prevenir a aterosclerose

Alimentos para limpar as artérias e prevenir a aterosclerose Alimentos para limpar as artérias e prevenir a aterosclerose Fonte:http://melhorcomsaude.com/10-alimentos-limpar-as-arterias-prevenir-aterosclerose/ A aterosclerose é uma doença de nome complicado, mas

Leia mais

Receitas do livro BOLO SALGADO DE FARINHA DE MANDIOCA

Receitas do livro BOLO SALGADO DE FARINHA DE MANDIOCA Receitas do livro BOLO SALGADO DE FARINHA DE MANDIOCA Nome da 4 xícaras de chá de farinha de farinha (500g) 4 ovos 2 Litros de leite morno 1 colher (sopa) de fermento em pó (10g) 2 gemas para pincelar

Leia mais

Estudo teórico da composição nutricional e custos de dieta enteral artesanal no Brasil. Força Tarefa de Nutrição Clinica ILSI Brasil - 2013

Estudo teórico da composição nutricional e custos de dieta enteral artesanal no Brasil. Força Tarefa de Nutrição Clinica ILSI Brasil - 2013 Estudo teórico da composição nutricional e custos de dieta enteral artesanal no Brasil Força Tarefa de Nutrição Clinica ILSI Brasil - 2013 Força Tarefa Nutrição Clinica ILSI Terapia Nutricional Enteral

Leia mais

GUIA DE BOLSO. Está na hora de incluir a fruta e os hortícolas na alimentação! SAIBA PORQUÊ

GUIA DE BOLSO. Está na hora de incluir a fruta e os hortícolas na alimentação! SAIBA PORQUÊ GUIA DE BOLSO Está na hora de incluir a fruta e os hortícolas na alimentação! SAIBA PORQUÊ Sumário Introdução Benefícios do consumo de hortofrutícolas A importância dos hortofrutícolas segundo a Roda dos

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes

Receitas Deliciosas de Aproveitamentos APRESENTAÇÃO EVITANDO O DESPERDÍCIO. Receitas deliciosas com talos, folhas e sementes APRESENTAÇÃO A alimentação e tão necessária ao nosso corpo quanto o ar que precisamos para a nossa sobrevivência, devem ter qualidade para garantir a nossa saúde. Quando falamos em alimentação com qualidade

Leia mais

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 448/2014

RESPOSTA RÁPIDA 448/2014 RESPOSTA RÁPIDA 448/2014 SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Dr. Eduardo Tavares Vianna Juiz de Direito de Coronel Fabriciano 0060337-30.2014.8.13.0194 DATA 04 de agosto de 2014 SOLICITAÇÃO Senhor (a) Diretor

Leia mais

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011 NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE Silvia Regina Cantu Benedetti Nutricionista em Assistência Domiciliar Maio 2011 Definição e estimativa Envelhecer significa conviver com as alterações próprias prias da idade.

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

Manual de orientação nutricional enteral em domicílio.

Manual de orientação nutricional enteral em domicílio. Manual de orientação nutricional enteral em domicílio. Índice 01. Introdução 02. Alimentação enteral: o que é? 03. Tipos de nutrição enteral 04. Vias de administração da alimentação enteral 05. Tipos de

Leia mais

Índice: Expediente. Elaboração e organização: Renata Zaccara - Farmacêutica Clínica. Diagramação: Impressão: Ano 2010. Pág. 2 ...

Índice: Expediente. Elaboração e organização: Renata Zaccara - Farmacêutica Clínica. Diagramação: Impressão: Ano 2010. Pág. 2 ... ... Pág. 1 Índice: O QUE PRECISO SABER SOBRE OS MEDICAMENTOS QUE ESTOU TOMANDO? 01 ONDE E COMO DEVO GUARDAR E/OU DESPREZAR OS MEDICAMENTOS? QUAIS CUIDADOS DEVO TER COM AS INSULINAS? INFORMAÇÕES GERAIS

Leia mais

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura NOTA TÉCNICA 48/2014 Solicitante Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Processo número: 1.0421.14.000078-5/001 TEMA: Cirurgia bariátrica em paciente com obesidade mórbida Data: 19/03/2014 Medicamento Material

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Alexandre Leite) Reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/PASEP e da Cofins incidentes sobre os serviços de administração de dietas enteral e parenteral.

Leia mais

Bolinho de amor. Com carinho, Equipe do Integral

Bolinho de amor. Com carinho, Equipe do Integral Bolinho de amor 1 pitada de carinho 2 colheres de mel 3 colheres de doçura 4 Colheres de paixão 5 Colheres de amor a gosto 6 Colheres de dedicação Modo de Preparo: Faça a mistura de carinho, mel, doçura.

Leia mais

Treinamento Conservas de frutas 382

Treinamento Conservas de frutas 382 Para que haja boa conservação dos alimentos é importante que os produtos conservados mantenham suas qualidades nutritivas, seu aroma, sabor e que se eliminem as causas das alterações. As várias maneiras

Leia mais

Impresso fechado. Pode ser aberto pela ECT.

Impresso fechado. Pode ser aberto pela ECT. Impresso fechado. Pode ser aberto pela ECT. 1 Anotações Meu Brasil brasileiro mulato inzoneiro de raízes, flores e frutos. Dos mais doces aos mais cítricos. Todos traços típicos de uma cultura que sabe

Leia mais

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL (maiores de 2 anos) JUNHO/2015 Observações: A utilizada será sem lactose. Oferecer água durante todo dia. Não oferecer bebida durante o almoço ou jantar somente depois de no

Leia mais

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação (...) A verdade, em matéria de saúde, está na adaptação e no respeito à Natureza (...). Mokiti Okada Para uma alimentação saudável, podemos

Leia mais

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 A Secretária de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UMA DIETA ENTERAL ARTESANAL PADRONIZADA PARA ALTA DE PACIENTES EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE BELO HORIZONTE

ELABORAÇÃO DE UMA DIETA ENTERAL ARTESANAL PADRONIZADA PARA ALTA DE PACIENTES EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE BELO HORIZONTE 1 ELABORAÇÃO DE UMA DIETA ENTERAL ARTESANAL PADRONIZADA PARA ALTA DE PACIENTES EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE BELO HORIZONTE Márcio Leandro Ribeiro de Souza 1 RESUMO O custo de dieta industrializada e o reduzido

Leia mais

Nutrição. Diana e Silva, Marta Rola

Nutrição. Diana e Silva, Marta Rola Outras dimensões Nutrição Diana e Silva, Marta Rola Hospital Pediátrico Integrado/ Centro Hospitalar São João Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto Suporte Nutricional

Leia mais

CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA

CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA CARDÁPIOS PARA VÉSPERA E ANTEVÉSPERA DA COLONOSCOPIA CAMPO GRANDE MS JULHO DE 2008 Nutricionista Responsável: Dayane Belusso CRN 3 24696/P E-mail belussob@hotmail.com CARDÁPIO DA ANTEVÉSPERA DO EXAME DESJEJUM

Leia mais

Nutrição & cuidados no tratamento do câncer. Valéria Bordin Nutricionista CRN3-4336

Nutrição & cuidados no tratamento do câncer. Valéria Bordin Nutricionista CRN3-4336 04/10/2014 Nutrição & cuidados no tratamento do câncer Valéria Bordin Nutricionista CRN3-4336 Nutrição & cuidados no tratamento do câncer O Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que

Leia mais

Os profissionais de enfermagem que participam e atuam na Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional, serão os previstos na Lei 7.498/86.

Os profissionais de enfermagem que participam e atuam na Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional, serão os previstos na Lei 7.498/86. Regulamento da Terapia Nutricional 1. DEFINIÇÕES: Terapia Nutricional (TN): Conjunto de procedimentos terapêuticos para manutenção ou recuperação do estado nutricional do usuário por meio da Nutrição Parenteral

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

NÚMERO. Alimentação: Sustentável. Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. CHICO SARDELLI DEPUTADO ESTADUAL PV

NÚMERO. Alimentação: Sustentável. Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. CHICO SARDELLI DEPUTADO ESTADUAL PV Alimentação: Sustentável NÚMERO 3 Receitas deliciosas. O seu dia a dia muito mais saboroso. Risoto de casca de Abóbora Cascas de 2kg de abóbora (ralada ) 3 xicaras de arroz cozido 1 cebola grande (picada)

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

- LICITANTES DESABILITADOS -

- LICITANTES DESABILITADOS - - LICITANTES DESABILITADOS - NOME DO PROMOTOR: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACOAL EDITAL / PROCESSO: 0039-2012 / 1571/2012 PREGOEIRO RESPONSÁVEL: SILVIA DURAES GOMES OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA POSSÍVEL

Leia mais

RECEITAS SUSTENTÁVEIS

RECEITAS SUSTENTÁVEIS RECEITAS SUSTENTÁVEIS Introdução Evitando o desperdício de alimentos O livro de receitas sustentáveis é uma iniciativa que tem o objetivo de contribuir para a diminuição do desperdício de alimentos e da

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR

A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR ESCOLA DO SABOR O alimento é a nossa fonte de energia, a nossa garantia de sobrevivência. Sem uma alimentação adequada a criança não pode se desenvolver ou crescer. A COUVE CHINESA NA ESCOLA DO SABOR Uma

Leia mais

05/05/2014 NOTA TÉCNICA

05/05/2014 NOTA TÉCNICA Data: 05/05/2014 NOTA TÉCNICA 82/2014 Medicamento Material Solicitante Juiz Renato Luís Dresch Procedimento 4ª Vara da Fazenda Pública Municipal Cobertura Processo número: 0847203-25.2014 TEMA: Cirurgia

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

DETOX. 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano

DETOX. 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano DETOX 5 RECEITAS DETOX PODEROSAS E FÁCEIS DE FAZER por Rosi Feliciano Índice Introdução... Como Fazer... Suco Detox de Melancia com Linhaça... Suco Detox de Chá Verde e Uva... Sopa Detox Energizante...

Leia mais