Entre a Figuração e a Abstração MÓDULO 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Entre a Figuração e a Abstração MÓDULO 2"

Transcrição

1 Entre a Figuração e a Abstração MÓDULO 2

2 Entre a Figuração e a Abstração MÓDULO 2

3 Introdução A mostra A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA¹ apresenta a trajetória das obras que compõem o acervo de arte do Museu de Valores do Banco Central do Brasil. Não se trata de apresentar o resumo da história da coleção, mas de distinguir momentos do passado que se deixaram reconhecer como carregados de memória e atualidade. Contando com seis módulos curatoriais que se sucederão por 24 meses Brasil Brasileiro, ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO, O Poder da Arte, Anos Rebeldes, Da Multiplicidade de Formas e Conceitos e A Persistência da Memória, a exposição aborda diferentes aspectos da coleção, no contexto político, econômico e cultural do século XX. Além das salas Cenas Brasileiras e Bandeira do Brasil, que simbolizam os dois principais períodos de aquisição de acervo, há um ambiente de reserva técnica, em que será exibida grande parte das obras. Com isso, busca-se suspender temporariamente a mística que cerca tais 1 Título com base na obra La persistencia de la memoria, de Salvador Dalí. 2 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

4 espaços e representar visualmente o fio condutor da exposição: trazer à tona a história pulsante desses objetos que elevamos à categoria de arte e as conexões, nada aleatórias, entre eles e a malha da vida. A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA é parte de um projeto maior, de reclassificação do acervo, que contempla também o lançamento do catálogo da Coleção de Arte do Museu de Valores. Ao realizar essa mostra, o Banco Central espera contribuir não só para suscitar a reflexão sobre nosso passado, mas também o entendimento do presente como um tempo em permanente construção. ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 3

5 Entre a Figuração e a Abstração O advento da arte abstrata se deu no contexto das vanguardas europeias, no início do século XX. Com base na proposta cubista, de redução da realidade a formas geométricas, artistas como Kandinsky levaram a recusa à representação do real ao extremo, chegando a uma arte não figurativa. A tensão entre a figuração e a abstração perpassou toda a arte do século XX. Além do medo do abstrato, visto como a dissolução do real, o abandono de questões políticas ou sociais na arte não tinha boa aceitação entre artistas e intelectuais. Somente com o final da Segunda Guerra, a arte abstrata ganhou espaço. A desilusão com a política levou os artistas a buscarem uma forma de expressão artística que transcendesse o mundo material. Por parte dos modernistas brasileiros, ligados ao compromisso maior de construir uma identidade nacional, a arte abstrata também não foi bem recebida. Essa resistência durou até o final da década de 1940, quando, simultaneamente, formaram-se os primeiros núcleos de artistas não figurativos em São Paulo e no 4 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

6 Rio de Janeiro. O contato com a arte internacional e o apoio de críticos como MÁRIO PEDROSA tornaram a arte abstrata inevitável no Brasil. Em 1951, artistas renomados, como PORTINARI e DI CAVALCANTI, sentiram-se fortemente confrontados pela 1ª Bienal de São Paulo, cuja premiação distinguiu obras abstratas. Na Coleção de Arte do Museu de Valores, há exemplos das duas variantes abstracionistas a racional (ou geométrica) e a subjetiva (ou lírica). Embora ampla, a amostra não contempla a linha mais radical da abstração geométrica brasileira, representada pelo concretismo. A única peça na coleção que faz jus à proposta construtivista é a escultura de MARY VIEIRA. Paralelamente ao concretismo, outros artistas aderiram ao abstracionismo geométrico no país, preferindo manter, no entanto, uma trajetória sem vínculo formal com nenhum grupo. Foi o caso, por exemplo, de ALFREDO VOLPI e ALDO BONADEI. Tal opção foi ainda mais acentuada entre os integrantes da vertente não geométrica, que advogavam o uso do instinto, do ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 5

7 inconsciente e da intuição na arte. O cearense ANTONIO BANDEIRA abriu caminho para a abstração por conta própria. Em 1946, enquanto seus conterrâneos se fixaram no eixo Rio-São Paulo, Bandeira seguiu para Paris, convertendo-se num dos primeiros brasileiros a se aproximar da abstração. Dentre os que transitaram pela abstração e retornaram ao figurativismo percurso comum a muitos artistas modernos, destaca-se MILTON DACOSTA. Já outros, como VICENTE DO REGO MONTEIRO e BABINSKI, transitaram igualmente entre a abstração e a figuração em vários momentos da carreira, sem crises ou tensões. 6 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

8 Aldo Bonadei Igreja Óleo sobre tela 74cm x 55cm 1955 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 7

9 Aldo Bonadei Composição abstrata Óleo sobre tela 73cm x 60cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

10 Aldo Bonadei Sem título Xilogravura sobre papel 51cm x 36cm 1971 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 9

11 Aldo Bonadei Sem título Xilogravura sobre papel 51cm x 36cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

12 Aldo Bonadei Sem título Xilogravura sobre papel 51cm x 36cm 1971 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 11

13 Aldo Bonadei Sem título Xilogravura sobre papel 51cm x 36cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

14 Aldo Bonadei Sem título Xilogravura sobre papel 51cm x 36cm 1971 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 13

15 Alfredo Volpi Motivo de casas Têmpera sobre tela 73cm x 50cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

16 Alfredo Volpi Composição concreta Têmpera sobre tela 35cm x 73cm s.d. ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 15

17 Alfredo Volpi Fachada em azul e verde Têmpera sobre tela 105cm x 72cm s.d. 16 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

18 Alfredo Volpi Composição abstrata Litografia sobre papel 40cm 60cm s.d. ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 17

19 Alfredo Volpi Composição com uma bandeirinha Litografia sobre papel 40cm x 60cm s.d. 18 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

20 Alfredo Volpi Composição, Bandeira do Brasil Óleo sobre tela 336cm x 280cm 1962 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 19

21 Antonio Bandeira Série Cidades Guache sobre papel 32cm 52cm s.d. 20 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

22 Antonio Bandeira Anjos Aquarela sobre papel 27cm 52cm 1948 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 21

23 Antonio Bandeira Composição Aquarela e colagem sobre papel 33cm 48cm s.d. 22 A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

24 Antonio Bandeira Com as mãos do artista Guache sobre cartão 61cm 101cm s.d. ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 23

25 Candido Portinari Anchieta Óleo sobre tela 199cm x 150cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

26 Emiliano Di Cavalcanti Jarras e garrafas Óleo sobre tela 53cm 65cm 1957 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 25

27 Maciej Babinski Abstração Aquarela sobre papel 12cm 20cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

28 Maciej Babinski Abstração Aquarela sobre papel 12cm 20cm 1954 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 27

29 Maciej Babinski Abstração Aquarela sobre papel 12cm 20cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

30 Maciej Babinski Abstração Aquarela sobre papel 12cm 20cm 1954 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 29

31 Maciej Babinski Abstração Aquarela sobre papel 21cm 22cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

32 Maciej Babinski Santa Teresa Nanquim sobre papel 26cm 34cm 1961 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 31

33 Maciej Babinski Figuras Água-forte sobre papel 15cm 19cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

34 Mary Vieira Polivolume: evento elipsoidal Alumínio anodizado 200cm x 40cm x 10cm 1967/1970 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 33

35 Milton Dacosta Em vermelho Óleo sobre papel 33cm x 41cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

36 Milton Dacosta Série Vênus e Pássaros Óleo sobre papel 87cm x 143cm 1971 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 35

37 Vasco Prado Grande figura em repouso Terracota 53cm x 116cm x 64cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

38 Vicente do Rego Monteiro Atletas Óleo sobre papel sobre Eucatex 90cm x 120cm s.d. ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 37

39 Vicente do Rego Monteiro Composição Óleo sobre cartão sobre Eucatex 100cm x 70cm A PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

40 Vicente do Rego Monteiro Caos Óleo sobre cartão 100cm x 70cm 1962 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO 39

41 A exposição apresenta a trajetória das obras que compõem a COLEÇÃO DE ARTE DO MUSEU DE VALORES e conta com seis módulos que se sucederão por 24 meses. Módulo 2 ENTRE A FIGURAÇÃO E A ABSTRAÇÃO De terça-feira a sexta-feira, das 10h às 18h. Sábados: consulte o site O painel DESCOBRIMENTO DO BRASIL poderá ser apreciado pelos visitantes aos sábados. Próximo módulo O PODER DA ARTE

Anos Rebeldes. Módulo 4

Anos Rebeldes. Módulo 4 Anos Rebeldes Módulo 4 Introdução A mostra A Persistência da Memória¹ apresenta a trajetória das obras que compõem o acervo de arte do Museu de Valores do Banco Central do Brasil. Não se trata de apresentar

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I CONTEÚDO E HABILIDADES ARTES. Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Conteúdo: - Cubismo e Abstracionismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL I Habilidades: - Conhecer e distinguir diferentes momentos

Leia mais

O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira

O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira O Ceará tem disso sim: Antonio Bandeira Profa. Ms. Eliene Silva Disponível em: http://www.mauc.ufc.br/expo/1967/index1.htm http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa9205/antoniobandeira Biografia

Leia mais

Em mais uma edição do seu tradicional leilão, James Lisboa Leiloeiro Oficial apresenta 157 obras de grandes nomes da arte brasileira.

Em mais uma edição do seu tradicional leilão, James Lisboa Leiloeiro Oficial apresenta 157 obras de grandes nomes da arte brasileira. Leilão de Arte Leilão de arte em São Paulo reúne obras de 89 artistas modernos e contemporâneos Em mais uma edição do seu tradicional leilão, James Lisboa Leiloeiro Oficial apresenta 157 obras de grandes

Leia mais

ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922

ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922 ARTE BRASILEIRA PÓS SEMANA DE 1922 A Semana de Arte Moderna de 1922 foi um momento de ruptura que dividiu a arte brasileira entre academicismo e modernismo. Não foi, porém, uma unanimidade nacional e gerou

Leia mais

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL

ARTES 9 ANO PROF.ª GABRIELA DACIO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL ARTES 9 ANO PROF.ª ARLENE CALIRI ENSINO FUNDAMENTAL PROF.ª GABRIELA DACIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia - Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula

Leia mais

MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY

MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY MODERNISMO NO BRASIL Cap. 1 e 2 - séculos XIX e XX FELIPE HARRISBERGER DE GODOY Os seis passos para a modernidade Chegada da Família Real Portuguesa (1808); Missão Artística Francesa; Academia Imperial

Leia mais

TRIANGULAÇÃO DE IMAGENS

TRIANGULAÇÃO DE IMAGENS 1 TRIANGULAÇÃO DE IMAGENS Profa. Teresa Cristina Melo da Silveira (Teca) E.M. Professor Oswaldo Vieira Gonçalves SME/PMU 1 Comunicação Relato de Experiência Triangulação de Imagens foi o nome escolhido

Leia mais

PARTE 01 Questões Teóricas

PARTE 01 Questões Teóricas PARTE 01 Questões Teóricas SOMAR OS PONTOS CORRESPONDENTES ÀS PROPOSIÇÕES ASSINALADAS CORRETAMENTE E MARCAR NA FOLHA DE RESPOSTAS A SOMA ENCONTRADA. 01 - No Renascimento, o Moisés de Michelangelo não expressava

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / NOME:

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / NOME: 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / NOME: Quando os portugueses chegaram ao Brasil, em 1500, observaram que os índios expressavam-se através da pintura em seus corpos, em objetos e em paredes. A arte

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes

CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO. Artes Aluno (a): 5º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Este trabalho deverá ser entregue IMPRETERIVELMENTE no dia da prova. Prezado(a)

Leia mais

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através

Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através Arte abstrata ou abstracionismo é um estilo artístico moderno em que os objetos ou pessoas são representados, em de pinturas ou esculturas, através de formas irreconhecíveis. O formato tradicional (paisagens

Leia mais

JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo

JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo JÚLIO GUERRA Lembranças de São Paulo Universidade Presbiteriana Mackenzie Reitor Prof. Dr.-Ing. Benedito Guimarães Aguiar Neto Vice-Reitor Prof. Dr. Marcel Mendes Chanceler

Leia mais

TURMA 601. Aula 07. Formas Geométricas

TURMA 601. Aula 07. Formas Geométricas TURMA 601 Aula 07 Formas Geométricas As figuras geométricas sempre chamaram a atenção dos artistas plásticos. As composições com figuras geométricas é um trabalho de buscar o equilíbrio entre as formas.

Leia mais

EMILIANO DI CAVALCANTI

EMILIANO DI CAVALCANTI Em 1922, a Semana de Arte Moderna - que, segundo muitos historiadores, é o efetivo marco inicial do modernismo brasileiro proclamaria a instauração de um novo tempo. (LUZ, 2008, p.101) EMILIANO DI CAVALCANTI

Leia mais

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX

EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO SÉC. XX História da Arte Profª Natalia Pieroni IDADE CONTEMPORÂNEA LINHA DO TEMPO - HISTORIOGRAFIA Período PRÉ-HISTÓRIA Origens do homem até 40000 a. C IDADE ANTIGA 40000

Leia mais

Matéria: literatura Assunto: pintura - di cavalcanti Prof. IBIRÁ

Matéria: literatura Assunto: pintura - di cavalcanti Prof. IBIRÁ Matéria: literatura Assunto: pintura - di cavalcanti Prof. IBIRÁ Literatura DI CAVALCANTI Introdução Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque e Melo, mais conhecido como Di Cavalcanti, foi um importante

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL. DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III e IV ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL. DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III e IV ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III e IV ARTE OBJETIVOS GERAIS Desenvolver o pensamento artístico, estético e crítico; Estimular a percepção visual

Leia mais

COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO

COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO COM TRABALHOS INÉDITOS NO OI FUTURO, PAULO CLIMACHAUSKA ABRE DUAS EXPOSIÇÕES NO RIO Artista paulistano inaugura Re-subtrações - Paulo Climachauska, no Oi Futuro no Flamengo dia 14 de janeiro e Fluxo de

Leia mais

Principais movimentos artísticos do século XX

Principais movimentos artísticos do século XX Principais movimentos artísticos do século XX EXPRESSIONISMO FAUVISMO CUBISMO ABSTRACIONISMO SURREALISMO FUTURISMO 2ª parte abstracionismo 1910 ABSTRACIONISMO - 1910 A arte abstrata tende a suprimir toda

Leia mais

ANNA PAULA ALMEIDA. Rosa Melo MOSAICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ANNA PAULA ALMEIDA. Rosa Melo MOSAICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ANNA PAULA ALMEIDA Rosa Melo SALVADOR, 2012.1 MOSAICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CONCEITO Mosaico ou arte musiva, é palavra de origem alemã, embora a técnica seja antiquíssima. É um embutido de pequenas peças

Leia mais

PLANO DE EXECUÇAO DE USO DO MATERIAL EM ATIVIDADES EXTRAS 6º ANO 1 FOLHA DE CARTOLINA DUPLA FACE PRETA; 02 METROS DE TECIDO ALGODÃOZINHO

PLANO DE EXECUÇAO DE USO DO MATERIAL EM ATIVIDADES EXTRAS 6º ANO 1 FOLHA DE CARTOLINA DUPLA FACE PRETA; 02 METROS DE TECIDO ALGODÃOZINHO PLANO DE EXECUÇAO DE USO DO MATERIAL EM ATIVIDADES EXTRAS 6º ANO MÊS DATA COMEMORATIVA MATERIAL JUSTIFICATIVA OBJETIVO JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL 14/02- DIA DA AMIZADE; 21/03- DIA DO TEATRO; 27/03-

Leia mais

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund

Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Histórico O surrealismo surgiu na França na década de 1920. Este movimento foi significativamente influenciado pelas teses psicanalíticas de Sigmund Freud, que mostram a importância do inconsciente na

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓD. CURSO CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO CÓD. DISC. DISCIPLINA 34033408 ARTE BRASILEIRA II CRÉDITOS ETAPA 3 Período CH ANO 2009

Leia mais

OBRAS DE ARTE ACERVO I - 2D

OBRAS DE ARTE ACERVO I - 2D Construção Juarez Machado 1970 aquarela Papel 82 64 3,2 74 55 A Construção Maria Bonomi 1972 Xilogravura 53,6 83 4,2 51 80 36 61 6/80 Descobrimento Candido Portinari 1956 Óleo tela Anchieta Candido Portinari

Leia mais

www.bolsadearte.com LEILÃO 7 DE DEZEMBRO DE 2010 RUA OSCAR FREIRE, 379 TEL. [11] 3062 2333 sp@bolsadearte.com JARDINS SÃO PAULO LEILOEIRA

www.bolsadearte.com LEILÃO 7 DE DEZEMBRO DE 2010 RUA OSCAR FREIRE, 379 TEL. [11] 3062 2333 sp@bolsadearte.com JARDINS SÃO PAULO LEILOEIRA EXPOSIÇÃO RIO DE JANEIRO 25 A 29 DE NOVEMBRO DAS 11 ÀS 22H RUA PRUDENTE DE MORAIS, 326 IPANEMA TEL. [21] 2522 1544 rio@bolsadearte.com SÃO PAULO 2 A 6 DE DEZEMBRO DAS 11 ÀS 22H RUA OSCAR FREIRE, 379 JARDINS

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE OBJETIVOS GERAIS Conhecimento da Arte enquanto auto expressão e conhecimento, apreensão e comunicação

Leia mais

LEILÃO DE ARTE DIAS 23 E 24 DE MARÇO

LEILÃO DE ARTE DIAS 23 E 24 DE MARÇO LEILÃO DE ARTE DIAS 23 E 24 DE MARÇO LEILÃO DE ARTE MODERNA E CONTEMPORÂNEA REÚNE 264 OBRAS DE MAIS DE 140 ARTISTAS BRASILEIROS E ESTRANGEIROS No primeiro de seus quatro tradicionais leilões anuais, o

Leia mais

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA

VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA VANGUARDA DISCIPLINA: ARTES PROFESSORA: ANA PRISCILA Em seu sentido literal, vanguarda (vem do francês Avant Garde, guarda avante ) faz referência ao batalhão militar que precede as tropas em ataque durante

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria

Leia mais

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação.

Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. A A Unidade I Tecnologia Corpo, movimento e linguagem na era da informação. 2 A A Aula 1.2 Conteúdo: Semana de Arte Moderna. 3 A A Habilidade: Reconhecer, diferenciar e saber utilizar diversas técnicas

Leia mais

Território Modular ARTE CONTEMPORÂNEA RUA PAULO BARRETO 77, BOTAFOGO 22280-010 RIO DE JANEIRO RJ BRASIL T +55 (21) 2541 4935 WWW.LURIXS.

Território Modular ARTE CONTEMPORÂNEA RUA PAULO BARRETO 77, BOTAFOGO 22280-010 RIO DE JANEIRO RJ BRASIL T +55 (21) 2541 4935 WWW.LURIXS. Território Modular 1 Coletivo MUDA TERRITÓRIO MODULAR 23 de agosto a 04 de outubro de 2013 2 Em movimento Felipe Scovino Para essa primeira exposição do MUDA em uma galeria comercial, uma questão importante

Leia mais

Curso: Estudos Diversificados 1 História da Arte Visual - Turma: 04 Professora: Dária Aluno: Wagner Kimura n USP: 6891465

Curso: Estudos Diversificados 1 História da Arte Visual - Turma: 04 Professora: Dária Aluno: Wagner Kimura n USP: 6891465 Curso: Estudos Diversificados 1 História da Arte Visual - Turma: 04 Professora: Dária Aluno: Wagner Kimura n USP: 6891465 Uma análise pessoal sobre obras abstracionistas Obras em observadas: Obra 1 Namorados

Leia mais

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE

JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE JAKOBSON, DUCHAMP E O ENSINO DE ARTE Terezinha Losada Resumo: A obra Fonte de Marcel Duchamp é normalmente apontada pela crítica de arte como a síntese e a expressão mais radical da ruptura com a tradição

Leia mais

História da arte estilo ENEM

História da arte estilo ENEM História da arte estilo ENEM 01 - Assinale a alternativa que menciona o acontecimento a que Oswald de Andrade se reporta para nomear o Movimento Antropofágico. a) A adesão de Graça Aranha ao movimento

Leia mais

DIÁLOGOS CONCRETOS : concretismo, geometrismo e arte cinética da Coleção de Arte Latino Americana Museum of Fine Arts of Houston

DIÁLOGOS CONCRETOS : concretismo, geometrismo e arte cinética da Coleção de Arte Latino Americana Museum of Fine Arts of Houston DIÁLOGOS CONCRETOS : concretismo, geometrismo e arte cinética da Coleção de Arte Latino Americana Museum of Fine Arts of Houston Parte II: Arte Brasileira Prof. Dr. Percival Tirapeli Oiticica, Franz Weissmann

Leia mais

LUCIANA CARVALHO PINHA PORTUGUESA 1 FAIANÇA

LUCIANA CARVALHO PINHA PORTUGUESA 1 FAIANÇA LUCIANA CARVALHO PINHA PORTUGUESA 1 FAIANÇA LUCIANA CARVALHO PINHA PORTUGUESA 2 FAIANÇA TIAGO AMORIM PINHA MANDALA CERÂMICA LUCIANA CARVALHO PINHA PORTUGUESA 3 FAIANÇA TIAGO AMORIM PINHA FLOR CERÂMICA

Leia mais

Texto : Jeremy Roe. Tradução portuguesa: Sarah Adamopoulos, Lisboa. Todos os direitos reservados.

Texto : Jeremy Roe. Tradução portuguesa: Sarah Adamopoulos, Lisboa. Todos os direitos reservados. TÀPIES Texto : Jeremy Roe Sirrocco, Londres, Reino Unido Confidential Concepts, EUA Tapies Estate / Artists Rights Society, Nova Yorque, EUA / VEGAP, Espanha. Tradução portuguesa: Sarah Adamopoulos, Lisboa

Leia mais

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte A Bandeira Brasileira e Augusto Comte Resumo Este documentário tem como ponto de partida um problema curioso: por que a frase Ordem e Progresso, de autoria de um filósofo francês, foi escolhida para constar

Leia mais

O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens

O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens O trabalho escravo no Brasil Algumas imagens Jean Baptiste Debret nasceu em Paris, na França, em 18 de abril de 1768. Formado pela Academia de Belas Artes de Paris, Debret foi um dos membros da Missão

Leia mais

Inteligência de Negócios

Inteligência de Negócios Conteúdo do Trabalho: Definição da Proposta e da Equipe (até 3 pessoas) Modelagem do Banco de Dados e Dicionário de Dados A entrega será realizada em um documento Word, PDF ou Access 1 Produção de filmes

Leia mais

Como você leu vários artistas participaram da Semana de Arte Moderna de 1922.

Como você leu vários artistas participaram da Semana de Arte Moderna de 1922. Semana de Arte Moderna de 1922 A Semana de Arte Moderna de 22, realizada entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo, contou com a participação de escritores, artistas plásticos,

Leia mais

Vanguardas. Prof. Adriano Portela

Vanguardas. Prof. Adriano Portela Vanguardas Prof. Adriano Portela O que significa Vanguarda? Do francês avant-garde Termo militar que designa aquele que, durante uma campanha, vai à frente da unidade. No campo das artes e ideias, aqueles

Leia mais

Vanguardas Históricas I

Vanguardas Históricas I Vanguardas Históricas I As transformações do início do século XX e as vanguardas históricas Os avanços da ciência realizados a partir do século XIX mudaram a percepção da realidade e conduziram, no campo

Leia mais

Habilidades Específicas em Artes Visuais. Prova de História da Arte

Habilidades Específicas em Artes Visuais. Prova de História da Arte Habilidades Específicas em Artes Visuais Prova de História da Arte I. Analise as duas obras cujas reproduções foram fornecidas, comentando suas similaridades e diferenças no que se refere aos aspectos

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV ARTE OBJETIVOS GERAIS Desenvolver o pensamento artístico, estético e crítico; Estimular a percepção visual e

Leia mais

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte?

CAIXAS DE MEMÓRIAS. O que guarda o Centro de Arte Moderna? Quem pensa e faz obras de arte? escultor. Sobre o que nos fala uma obra de arte? CAIXAS DE MEMÓRIAS No CAM existem muitas obras de arte, cheias de ideias e histórias para nos contar, tantas que nem sempre nos conseguimos lembrar de todas... a não ser que elas se transformem em memórias!

Leia mais

Comunicação Relato de Experiência

Comunicação Relato de Experiência 1 A CARA DA GENTE... Teresa Cristina Melo da Silveira teca.ensinodearte@centershop.com.br Prefeitura Municipal de Uberlândia / Secretaria Municipal de Educação Comunicação Relato de Experiência A CARA

Leia mais

1) EXPOSIÇÃO: pinturas

1) EXPOSIÇÃO: pinturas º 1) EXPOSIÇÃO: pinturas KANDINSKY: TUDO COMEÇA NUM PONTO Local: CCBB BH : Praça da Liberdade Período: de 15 de abril a 22 de junho [segunda, quarta, quinta, sexta, sábado e domingo - 9h às 21h]. Entrada

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA Margarete Maria da Silva meghamburgo@yahoo.com.br Graduanda em Pedagogia e membro do NEPHEPE Universidade Federal de

Leia mais

PLANOS. A mostra será composta por 16 artistas e 47 trabalhos de dimensões variadas

PLANOS. A mostra será composta por 16 artistas e 47 trabalhos de dimensões variadas PLANOS A coletiva PLANOS traz um recorte da produção bidimensional -em desenho, pintura, gravura e fotografia - de acadêmicos do curso de Artes Visuais da UFMS nos últimos 5 anos, entre formandos e formados.

Leia mais

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS:

Romantismo. Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: Romantismo Questão 01 Sobre a Arte no Romantismo, julgue os itens a seguir em (C) CERTOS ou (E) ERRADOS: 1. ( C ) Foi a primeira e forte reação ao Neoclassicismo. 2. ( E ) O romantismo não valorizava a

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES

ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES ARTEBR EXPOSIÇÃO LUGARES A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e educação,

Leia mais

Principais características:

Principais características: Cubismo Definição Movimento artístico cuja origem remonta à Paris e a 1907, ano do célebre quadro de Pablo Picasso, Les Demoiselles d'avignon. Considerado um divisor de águas na história da arte ocidental,

Leia mais

Figura 14 Barão de Viana Autor José Antonio da Cunha Couto Óleo sobre tela, 65 x 54 cm Museu de Arte da Bahia

Figura 14 Barão de Viana Autor José Antonio da Cunha Couto Óleo sobre tela, 65 x 54 cm Museu de Arte da Bahia 42 Couto foi possuidor de uma obra pictórica extensa, sendo o retratista que mais produziu em seu tempo, conhecido pelo colorido e pelas expressões fisionômicas dos seus retratos 12. Em Alves (1976, p.59),

Leia mais

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil

Português 3º ano Wilton. Vanguardas na Europa e no Brasil Português 3º ano Wilton Vanguardas na Europa e no Brasil Roberson de Oliveira 1 Vanguardas na Europa e no Brasil No dia 20 de dezembro de 1917, o jornal O Estado de S. Paulo publicou o artigo Paranoia

Leia mais

Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART

Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART Rodrigo Pascoal Lopes da Silva Vinicius Araújo Mille Wladas Savickas OPTICAL ART SÃO PAULO 2011 OPTICAL ART Movimento da arte abstrata que se desenvolveu na década de 1960. A OP ART (abreviatura de óptical

Leia mais

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS

Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo e Suprematismo VANGUARDAS EUROPÉIAS CONTEXTO HISTÓRICO As vanguardas européias foram manifestações artístico-literárias surgidas na Europa,

Leia mais

1.1. Resistor fixo de carvão e resistor fixo de fio. 1.2. Resistor de fio com derivação - ajustável

1.1. Resistor fixo de carvão e resistor fixo de fio. 1.2. Resistor de fio com derivação - ajustável Resistores 1. Introdução 2. Codigo de cores 3. Associação 4. Associação série 5. Associação paralela 6. Associação mista 7. Observações 8. Circuito em série 9. Circuito em paralelo 10. Exercícios 11. Referências

Leia mais

Habilidades Específicas. Artes Visuais

Habilidades Específicas. Artes Visuais Habilidades Específicas Artes Visuais 1. INTRODUÇÃO O curso de Artes Visuais tem como objetivo o desenvolvimento do conhecimento sensível por meio da percepção e da sensibilização estética. Ele não se

Leia mais

LEHMKUHL, Luciene (UFU). Um acervo de arte no Cerrado.

LEHMKUHL, Luciene (UFU). Um acervo de arte no Cerrado. LEHMKUHL, Luciene (UFU). Um acervo de arte no Cerrado. Resumo: Esta comunicação pretende abordar a visibilidade dada aos artistas e obras pertencentes ao acervo e coleção do Museu Universitário de Arte

Leia mais

Expressões locais e nacionais no acervo do Museu de Artes Visuais da Unicamp

Expressões locais e nacionais no acervo do Museu de Artes Visuais da Unicamp Expressões locais e nacionais no acervo do Museu de Artes Visuais da Unicamp EJE. Extensión, docencia e investigación AUTORES: Maria de Fátima Morethy Couto REFERENCIA INSTITUCIONAL: Instituto de Artes/

Leia mais

Ricardo Pereira Artista Plástico. Nascido em Recife, PE, em 1961. Graduação: Bacharelado em Pintura Escola de Belas Artes - (EBA) UFRJ - 1989

Ricardo Pereira Artista Plástico. Nascido em Recife, PE, em 1961. Graduação: Bacharelado em Pintura Escola de Belas Artes - (EBA) UFRJ - 1989 CURRÍCULO Ricardo Pereira Artista Plástico Nascido em Recife, PE, em 1961. FORMAÇÃO: CURSOS: Graduação: Bacharelado em Pintura Escola de Belas Artes - (EBA) UFRJ - 1989 Oficina de Xilogravura EBA/UFRJ

Leia mais

Onde: Museu da Cerâmica Udo Knoff, Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho

Onde: Museu da Cerâmica Udo Knoff, Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS FEIRA DE CORES E SABORES A mostra, contemplada pelo Fundo de Cultura da Bahia através do IPAC, tem a intenção de valorizar os patrimônios materiais e imateriais da Feira de São Joaquim

Leia mais

RELATÓRIO Formação Complementar 2º semestre/2015

RELATÓRIO Formação Complementar 2º semestre/2015 RELATÓRIO Formação Complementar 2º semestre/2015 Recreação1º ao 5º ano Professoras: Izabela Moreira Alves, Jéssica Caputti e Soraya Rombach Coordenação: Ludmila Santos Formação Complementar A Formação

Leia mais

MODERNISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012)

MODERNISMO. História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) MODERNISMO História da Arte Profº Geder 1ª Série Ensino Médio (2012) O século XX inicia-se no Brasil com muitos fatos que vão moldando a nova fisionomia do país. - progresso técnico - novas fábricas surgidas

Leia mais

galeria nara roesler rodolpho parigi

galeria nara roesler rodolpho parigi galeria nara roesler rodolpho parigi Levitação, individual de Rodolpho Parigi com curadoria de Bernardo Souza, tem abertura em 22 de maio, com performance de Fancy Violence Em sua terceira individual na

Leia mais

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar

EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar EMMANUEL NASSAR Figura 1 Foto de Emmanuel Nassar. Acervo pessoal de Emmanuel Nassar Acho que criatividade não é uma qualidade exclusiva dos artistas. Viver é um exercício de criatividade. Por Marialba

Leia mais

CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento europeu).

CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento europeu). 43 RELAÇÃO DE EMENTAS CURSO: ARTES VISUAIS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINA: Artes Visuais I CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões)

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões) 1. Paulo Freire na sua concepção pedagógica parte de alguns princípios que marcam, de forma clara e objetiva, o seu modo de entender o ato educativo. Considerando as características do pensamento desse

Leia mais

São Paulo, 20 de maio de 2006. Projeto por:

São Paulo, 20 de maio de 2006. Projeto por: Identidade Visual São Paulo, 20 de maio de 2006 Projeto por: Objeto da prestação de serviço: Concepção de nome e identidade Visual Objetivo da prestação de serviço: A partir das necessidades apresentadas

Leia mais

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e

Leia mais

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05 QUESTÃO 01 Arte abstrata é uma arte: a) que tem a intenção de representar figuras geométricas. b) que não pretende representar figuras ou objetos como realmente são. c) sequencial, como, por exemplo, a

Leia mais

MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX

MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX MODERNISMO BRASILEIRO SÉC. XX SEMANA DE ARTE MODERNA História da Arte Profª Natalia Pieroni ANTECEDENTES - Industrialização do país em função do fortalecimento da economia do café (pós Primeira Guerra).

Leia mais

Sistema de Premiação -Consultoras Uniart. Quanto mais você vender, melhores prêmios pode ganhar!

Sistema de Premiação -Consultoras Uniart. Quanto mais você vender, melhores prêmios pode ganhar! AtelierValverde Arte ao alcance de todos Decoração Sistema de Premiação -Consultoras Uniart Quanto mais você vender, melhores prêmios pode ganhar! 1. Regras Gerais: - R$ 1,00 = 1 ponto - Tem direito aos

Leia mais

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 1. Enquadramento O Serviço Educativo da Casa das Histórias Paula Rego é entendido como um sector de programação que visa uma mediação significativa entre

Leia mais

Daniel Senise Fernando Cocchiarale

Daniel Senise Fernando Cocchiarale Texto publicado no catálogo da exposição do artista na XX Bienal de São Paulo, em 1989 Fundada na necessidade essencial de marcar sua diferença em relação à representação naturalista, elaborada pelo Renascimento,

Leia mais

ARTEBR SITE A HISTÓRIA VAI COMEÇAR

ARTEBR SITE A HISTÓRIA VAI COMEÇAR ARTEBR SITE A HISTÓRIA VAI COMEÇAR A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte

Leia mais

Cores e Formas. Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras.

Cores e Formas. Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras. Cores e Formas 1) Objetivo Geral Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras. 2) Objetivo Específico Reconhecimento,

Leia mais

Regulamento Mostra ACESC de Artes Plásticas e Fotografia 2015

Regulamento Mostra ACESC de Artes Plásticas e Fotografia 2015 Regulamento Mostra ACESC de Artes Plásticas e 2015 REGULAMENTO Capítulo I DA INSCRIÇÃO Art. 1º. As inscrições dos clubes na ACESC deverão ser feitas entre os dias 15 (quinze) e 30 (trinta) de Setembro.

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

Anna Bella Geiger. Para pensar. Rio de Janeiro, 1933

Anna Bella Geiger. Para pensar. Rio de Janeiro, 1933 Anna Bella Geiger Rio de Janeiro, 1933 sem título, 1961 gravura em metal 36,4 x 25 cm doação da artista col. Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro foto: Vicente de Mello Ana Bella Geiger sem título, 1963

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

Questão 1 <> 1.ª TF e 1.ª DCS de 2015 1 ARTES PLÁSTICAS BACHARELADO/LICENCIATURA

Questão 1 <<T0700984_1254_140481>> 1.ª TF e 1.ª DCS de 2015 1 ARTES PLÁSTICAS BACHARELADO/LICENCIATURA Questão É um truísmo que os jovens carecem de conhecimento histórico geral. Mas, na minha experiência, para muitos jovens, o passado se achatou em uma grande nebulosa indiferenciada. É por isso

Leia mais

Sobre a arte contemporânea, é correto afirmar que

Sobre a arte contemporânea, é correto afirmar que QUESTÃO 01 A arte contemporânea está consolidada no contexto atual das artes, mesmo sendo diversas vezes apontada como esquisita pelo público geral. Essa reação ocorre porque a arte contemporânea a) passou

Leia mais

OBJETIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO PRODUTO ( EXPOSIÇÃO, LIVRO, OFICINA)

OBJETIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO PRODUTO ( EXPOSIÇÃO, LIVRO, OFICINA) OBJETIVO 1. Captar recursos financeiros para realização da exposição de artes visuais Pintura como Plano no Museu Guido Viaro em Curitiba, Paraná, no mês de janeiro de 2014. 2. Realizar tiragem de 1000

Leia mais

Museu Belas Artes de São Paulo: o tempo de uma história

Museu Belas Artes de São Paulo: o tempo de uma história Museu Belas Artes de São Paulo: o tempo de uma história Tão complexo quanto precisar o que seja tempo mais difícil poderia ser considerá-lo como algo estanque, passivo às transformações e atividades humanas.

Leia mais

PÓS MODERNISMO ARTE CONTEMPORÂNEA. Profª Rafaela Silva

PÓS MODERNISMO ARTE CONTEMPORÂNEA. Profª Rafaela Silva PÓS MODERNISMO ARTE CONTEMPORÂNEA Profª Rafaela Silva CONTEXTUALIZAÇÃO O Brasil, sofrendo as conseqüências da II Guerra Mundial, assistiu às decisivas transformações que ocorreriam no seu término, imprimindo

Leia mais

ARTE MODERNA DO REALISMO AO CONTEMPORÂNEO

ARTE MODERNA DO REALISMO AO CONTEMPORÂNEO ARTE MODERNA DO REALISMO AO CONTEMPORÂNEO Realismo Entre 1850 e 1900 surge nas artes européias, sobretudo na pintura francesa, uma nova tendência estética chamada realismo. O homem convenceu-se que precisava

Leia mais

O mais importante é tentar criar algo novo, sem negar a fonte que serviu de inspiração.

O mais importante é tentar criar algo novo, sem negar a fonte que serviu de inspiração. O que é releitura? A proposta dessa mostra é fazer um convite para se conhecer obras de arte em profundidade e, ao mesmo tempo, usar ao máximo a criatividade individual ao tentar recriá-las. Um exemplo

Leia mais

O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO. Maria Angélica Zubaran

O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO. Maria Angélica Zubaran O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO Maria Angélica Zubaran Sabemos que, no âmbito das ciências humanas, a memória está relacionada aos processos da lembrança

Leia mais

06. Explique o método de pintura impressionista. Neste texto, correlacione a escolha da cor com o formato da pincelada?

06. Explique o método de pintura impressionista. Neste texto, correlacione a escolha da cor com o formato da pincelada? Estudo dirigido para o segundo ano do ensino médio, Artes Milton Gomes Coelho A arte do Impressionismo 01. Liste fatos que modificaram o ritmo das cidades no século XIX. Resposta: pág. 223 02. Relacione,

Leia mais

LISTA DE OBRAS POR COLECIONADORES

LISTA DE OBRAS POR COLECIONADORES Dama de azul, c. 1925 Retrato de Sílvio Penteado, déc. 1920 Canal de Veneza, 1927 Retrato de Vera Vicente Azevedo, 1937 Noemia Mourão (Bragança Paulista, SP 1912-1992 São Paulo, SP) Paisagem marítima com

Leia mais

REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÃO CASARIOS DO PORTO, CORUMBÁ- MS

REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÃO CASARIOS DO PORTO, CORUMBÁ- MS REGULAMENTO PARA EXPOSIÇÃO CASARIOS DO PORTO, CORUMBÁ- MS O SESC no Mato Grosso do Sul, torna público o regulamento para exposição Casarios do Porto, Corumbá-MS com a finalidade de estimular a produção

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor (a): Rosilene Ardengui 8º Ano Conceito de Arte A arte

Leia mais

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO

Série. MAT Disciplina: Arte Professor: FERNANDA CARDOSO ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Hugo de Carvalho Ramos Ano Letivo - 2015 Série ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO - Todas essas atividades, tanto as perguntas como respostas deverão ser COPIADAS E RESPONDIDAS

Leia mais

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ----

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ---- Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Física II PROFESSOR(A) Fernando ANO SEMESTRE DATA 2º 1º Julho/2013 TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS ---- ---- 1. Considere a figura ao lado. Com base no

Leia mais