PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2010-2014"

Transcrição

1 PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

2 SOCIEDADE: 1. Garantir a legitimidade do processo eleitoral 01 CONFIANÇA NO PROCESSO ELEITORAL Mede o grau de confiança da população gaúcha em relação ao processo eleitoral executado pela JE do RS. Método de Cálculo: Índice da Pesquisa ASCOM Quanto maior o percentual dos que confiam no processo eleitoral, melhor. Bienal Medir a satisfação em 2010 Atingir confiança por parte de 80% da população Atingir confiança por parte de 90% da população Eleições Confiabilidade em relação à urna eletrônica: 0,00% 10,00% 20,00% 30,00% 40,00% 50,00% 60,00% 70,00% 80,00% 90,00% Confia 83,40% Não Confia Não sabe/ Não respondeu 9,50% 7,10%

3 SOCIEDADE: 1. Garantir a legitimidade do processo eleitoral 02 AUDIÊNCIAS NO PERÍODO ELEITORAL MP Mede a participação dos representantes do Ministério Público nas audiências no período eleitoral Método de Cálculo: PMPE = n. participações MP (ZEs e Secretaria) X 100 / total de eventos Presidência Bimestral, em anos eleitorais Atingir percentual de 15% Atingir percentual de 30% Atingir percentual de 50% 60% 50% 40% 30% 41,67% 30% 50% Ano Eventos 1039 Participações do MP % 15% Meta 15% 30% 50% 10% % Participações MP 41,67% 0% Meta % Participações MP

4 SOCIEDADE: 1. Garantir a legitimidade do processo eleitoral 03 AUDIÊNCIAS NO PERÍODO ELEITORAL OAB Mede a participação dos representantes da OAB nas audiências no período eleitoral Método de Cálculo: POAB = n. participações OAB (ZEs e Secretaria) X 100 / total de eventos Presidência Bimestral, em anos eleitorais Atingir percentual de 15% Atingir percentual de 30% Atingir percentual de 50% Meta de curto prazo não atingida 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 50% 30% 15% 11,14% Meta % Participações OAB Ano Eventos 1023 Participações da OAB 114 % Participações OAB 11,14% Meta 15% 30% 50%

5 SOCIEDADE: 1. Garantir a legitimidade do processo eleitoral 04 AUDIÊNCIAS NO PERÍODO ELEITORAL PARTIDOS POLÍTICOS Mede a participação dos representantes dos diretórios partidários nas audiências no período eleitoral Método de Cálculo: PPP = Σ n. participações partidos por ZE X 100 / total de eventos Presidência Bimestral, em anos eleitorais Atingir percentual de 15% Atingir percentual de 30% Atingir percentual de 50% Meta de curto prazo não atingida 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 50% 30% 15% 1,17% Ano Eventos 833 Participações dos Partidos % Participações Partidos 9,77 Meta 15% 30% 50% 1,17% Meta % Participações Partidos

6 SOCIEDADE: 2. Promover a efetividade jurisdicional 05 TAXA DE CONGESTIONAMENTO Verifica a capacidade de atender a demanda de processos judiciais nos 1º e 2º graus. Método de Cálculo: TC = 1 - Processos Baixados (Casos Novos Autuados + Processos Pendentes (período anterior) SJ e CRE Quanto menor, melhor. Até dia 10 de cada mês Aferir a taxa de congestionamento atual Reduzir a taxa de congestionamento do TRE-RS em 30% Reduzir a taxa de congestionamento do TRE-RS em 70% Taxa de Congestionamento 100,00% 95,18% 96,41% 92,29% 88,86% 92,88% 95,34% 92,72% 89,86% 90,82% 91,70% 89,91% 94,25% 80,00% 60,00% 40,00% Taxa de Congestionamento Taxa 2010 (88,43%) Meta 2012 (61,90%) 20,00% 0,00% Jan/11 Fev/11 Mar/11 Abr/11 Mai/11 Jun/11 Jul/11 Ago/11 Set/11 Out/11 Nov/11 Dez/11

7 SOCIEDADE: 3. Prestar serviços com excelência 06 SATISFAÇÃO DO PÚBLICO EXTERNO Mede o grau de satisfação dos usuários externos dos serviços da JE gaúcha. Método de Cálculo: Pontuação obtida no IPPS ASPLAN Quanto menor, melhor. Anual Medir o grau de satisfação até novembro de 2010 Atingir pontuação 10 até março 2012 Atingir pontuação 5 até março 2014 Expectativa média pelos serviços ,40% 2011 Satisfação com o atendimento - 89,30%

8 PROCESSOS INTERNOS: 4. Fortalecer as relações institucionais 07 CONVÊNIOS COM A JUSTIÇA ELEITORAL DO RS Mede o número de organizações com as quais o TRE-RS possui convênios ou algum tipo de parceria formal (associação, etc.) Método de Cálculo: NCON = Σ entidades conveniadas em cada unidade Presidência Trimestral Ampliar em 10% o número de entidades conveniadas em relação a 2009 Ampliar em 10% o número de entidades conveniadas em relação a 2010 Ampliar em 10% o número de entidades conveniadas em relação a 2012 Meta de curto prazo não atingida Meta Convênios

9 PROCESSOS INTERNOS: 5. Aperfeiçoar a logística do processo eleitoral 08 HORAS EXTRAORDINÁRIAS Número total de horas trabalhadas por todos os servidores do quadro acima da jornada diária de trabalho durante o período eleitoral. Método de Cálculo: HE = Total de horas acima da jornada no período eleitoral nº médio de servidores em atividade no período SGP Quanto menor, melhor. Bienal Diminuir em 10% o número de horas em relação ao pleito idêntico anterior Diminuir em 20% o número de horas em relação ao pleito idêntico anterior Diminuir em 30% o número de horas em relação ao pleito idêntico anterior Meta de curto prazo não atingida , ,17 81,34 54,15 73,21 Meta Horas Per Capita Aumento 56,90%

10 PROCESSOS INTERNOS: 5. Aperfeiçoar a logística do processo eleitoral 09 SEÇÕES RECEBIDAS ATÉ AS 20 HORAS DO DIA DO PLEITO Número de seções com os resultados do pleito recebidas até as 20 horas do dia da eleição em comparação com o número total de seções do estado. Método de Cálculo: NS20h = Número de seções recebidas até as 20 horas x 100 Total de seções eleitorais do Estado STI Bienal Atingir o índice de 85% (Eleição Geral) Atingir o índice de 96% (Eleições Municipais) Atingir o índice de 94% (Eleição Geral) 98% 96% 94% 92,90% 94% 96% 92% 90% 88% 86% 85% Meta Seções Recebidas 84% 82% 80% 78%

11 PROCESSOS INTERNOS: 6. Assegurar a efetividade na gestão 10 PONTUAÇÃO NO GESPÚBLICA da pontuação obtida na autoavaliação do modelo de excelência de gestão do GESPÚBLICA Método de Cálculo: Pontuação obtida na planilha de avaliação fornecida pelo programa. ASPLAN Bienal Atingir a pontuação 170 Realizar a autoavaliação com instrumento de 500 pontos Atingir mais de 300 pontos na avaliação de 500 pontos ,25 166,2 174, , Meta Pontuação *

12 11 Método de Cálculo: PROCESSOS INTERNOS: 6. Assegurar a efetividade na gestão O mapeamento de processos MAPEAMENTO DE PROCESSOS constitui a base de todo o processo de organização da gestão e, por outro lado, e, atualmente, a lacuna mais urgente e importante para ser suprida no TRE/RS. Quantidade de unidades (Seção, ZE, Assessoria e Gabinete) ASPLAN Bimestral Identificar todos os processos do Tribunal Mapear todos os processos Modelar todos os processos que necessitem de modificações As áreas identificaram seus processos. Equipes das unidades estão mapeando os processos.

13 PROCESSOS INTERNOS: 7. Ampliar as ações sociais e ambientais 12 AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL- ZEs Quantifica o número de Zonas Eleitorais deste Regional que participam de algum projeto socioambiental na sua região. Método de Cálculo: PZE= Número de ZEs que executam projetos X 100 Total de ZEs Comitê Valor Público Trimestral Atingir 10% das Zonas Eleitorais Atingir 20% das Zonas Eleitorais Atingir 30% das Zonas Eleitorais 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 73,45% 21,39% 30% 20% 10% Meta % % Zonas com projetos

14 PROCESSOS INTERNOS: 7. Ampliar as ações sociais e ambientais 13 AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL- SERVIDORES Quantifica o percentual de servidores (do quadro e requisitados) que participam de pelo menos um (01) projeto socioambiental do Tribunal. Método de Cálculo: PASA= N. Servidores participantes X 100 Total de servidores Comitê Valor Público Trimestral Atingir 10% dos servidores Atingir 20% dos servidores Atingir 30% dos servidores Meta de curto prazo cumprida A meta de 2010 foi cumprida em 2011 Indicador 2011: 11,41%

15 PROCESSOS INTERNOS: 8. Promover a cidadania 14 DIVULGAÇÃO DA JUSTIÇA ELEITORAL E necessário identificar o número de eventos realizados visando ao esclarecimento da atuação da Justiça Eleitoral. Método de Cálculo: Número de ventos realizados COGIN Anual Aumentar em 10% o numero de eventos Aumentar em 10% o numero de eventos Aumentar em 10% o numero de eventos Ano Eventos Número de Pessoas R: aumento de 341,66% Diferença % 341,66% 237,11%

16 PROCESSOS INTERNOS: 8. Promover a cidadania 15 RECRUTAMENTO E VALORIZAÇÃO DE MESÁRIOS Mede o percentual de mesários voluntários sobre o total de mesários. Método de Cálculo: M = Mesários Voluntários X 100 Total de Mesários ASCOM Bienal Atingir percentual igual ou superior a 30% Atingir percentual igual ou superior a 40% Atingir percentual igual ou superior a 50% Meta de curto prazo não atingida NÃO MEDIDO Depende de atualizações do TSE no sistema Elo.

17 PROCESSOS INTERNOS: 9. Facilitar o acesso a serviços judiciais e administrativos 16 SERVIÇOS VIRTUAIS Mede o número de serviços prestados virtualmente via página da internet do TRE-RS. Método de Cálculo: Total de transações eletrônicas realizadas no mês STI Mensal Implementar medição em 2010 Atingir 50% de aumento Atingir 100% de aumento Total transações eletrônicas Jan/2011 Fev/2011 Mar/2011 Abr/2011 Mai/2011 Jun/2011 Jul/2011 Ago/2011 Set/2011 Out/2011 Nov/2011 Dez/2011

18 PROCESSOS INTERNOS: 9. Facilitar o acesso a serviços judiciais e administrativos 17 JUSTIÇA ELEITORAL PRESENTE ATENDIMENTO Mede o percentual de atendimentos realizados com o deslocamento aos municípios-termos em relação ao total de atendimentos da ZE. Método de Cálculo: % = Atendimento JEP x 100 Total atendimentos Atendimentos 2009: : : STI Mensal Atingir crescimento igual ou superior a 10% em relação ao total de atendim. Atingir crescimento igual ou superior a 12% em relação ao total de atendim. Atingir crescimento igual ou superior a 15% em relação ao total de atendim. 0 0,34 R: Aumento 63,69% 2,2 4,4 6,66 7,87 Jan/2011 Fev/2011 Mar/2011 Abr/2011 Mai/2011 Jun/2011 Jul/2011 Ago/2011 Set/2011 Out/2011 Nov/2011 Dex/2011 3,8 8,55 8,19 15,08 9,47 7,31 %

19 PROCESSOS INTERNOS: 9. Facilitar o acesso a serviços judiciais e administrativos 18 JUSTIÇA ELEITORAL PRESENTE ZONAS ELEITORAIS Mede o percentual de Zonas Eleitorais que utilizam o JEP para realizar atendimentos fora do cartório eleitoral Método de Cálculo: % = ZEs que utilizam o JEP x 100 Total de ZEs 25 STI Mensal Aparelhar 50% das Zonas Eleitorais para prestarem o serviço JEP Aparelhar 75% das Zonas Eleitorais para prestarem o serviço JEP Aparelhar 100% das Zonas Eleitorais para prestarem o serviço JEP Total ,99% das zonas aparelhadas Meta de curto prazo não atingida ,09 14,45 9,25 7,51 15,03 12,72 16,76 19,08 12,14 % 5 0 0,58 0,58 3,47 Jan/2011 Fev/2011 Mar/2011 Abr/2011 Mai/2011 Jun/2011 Jul/2011 Ago/2011 Set/2011 Out/2011 Nov/2011 Dez/2011

20 19 Método de Cálculo: PROCESSOS INTERNOS: 10. Agilizar a tramitação de processos Verificar o quantitativo de processos PROCESSOS ANTIGOS PENDENTES em andamento cuja data de distribuição e igual ou anterior à estabelecida pelo CNJ e empreender esforços para o seu julgamento. Total de processos pendentes com mais de 3 anos de tramitação SJ e CRE Quanto menor, melhor. Mensal Julgar todos os processos cuja data de distribuição =< a 31/12/2007 Julgar todos os processos cuja data de distribuição =< a 31/12/2009 Julgar todos os processos cuja data de distribuição =< a 31/12/2011 Meta de curto prazo não atingida Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro 18 Saldo Total 1º Grau Saldo Total 2º Grau

21 20 PROCESSOS INTERNOS: 11. Aprimorar a comunicação interna INFORMAÇÃO INSTITUCIONAL Pesquisa do Clima Organizacional - Mede o nível de satisfação dos servidores com as informações relativas as suas atividades e à instituição. Método de Cálculo: NSI = Servidores que responderam a partir de 4 na escala* Total de servidores respondentes Grupo de Trabalho do Clima Organizacional Bienal Atingir 70% dos servidores com nível de satisfação igual ou superior a 4 Atingir 75% dos servidores com nível de satisfação igual ou superior a 4 Atingir 80% dos servidores com nível de satisfação igual ou superior a : 74,58% 2011: em fase de tabulação

22 PROCESSOS INTERNOS: 11. Aprimorar a comunicação interna 21 CANAIS VIRTUAIS DE COMUNICAÇÃO INTERNA SATISFAÇÃO Mede a satisfação dos usuários com os canais virtuais de comunicação interna do Tribunal (intranet, fórum, Pandion, etc.). Método de Cálculo: SCCI = Σ notas atribuídas para cada ferramenta Número de respostas Comitê Gestorweb Semestral Fazer pesquisa e realizar as adequações necessárias Atingir pontuação média igual ou superior a 7 Atingir pontuação média igual ou superior a Zonas Eleitorais 8,11 7,81 % Secretaria

23 PROCESSOS INTERNOS: 12. Aprimorar a comunicação com a sociedade 22 FALE COM O TRE - SATISFAÇÃO Mede o grau de satisfação dos usuários com o serviço Fale com o TRE. Método de Cálculo: SCCI = Σ notas atribuídas Número de respostas Comitê Gestorweb Mensal Atingir pontuação media igual ou superior a 7 Atingir pontuação media igual ou superior a 8 Atingir pontuação media igual ou superior a 9 Média 2010: 8,3 Média 2011: 8,82

24 PROCESSOS INTERNOS: 12. Aprimorar a comunicação com a sociedade 23 NOTÍCIAS PRODUZIDAS PELO TRE-RS Mede a quantidade de notícias veiculadas na imprensa produzidas a partir de releases da ASCOM ou notícias postadas no site do TRE-RS Método de Cálculo: R = Número de notícias publicadas na imprensa Número de releases produzidos pela ASCOM 2010 ASCOM Mensal Notícias: 1038 Releases: 481 : 2,16 pontos Atingir pontuação media igual ou superior a 0,7 Atingir pontuação media igual ou superior a 0,8 Atingir pontuação media igual ou superior a Notícias: 221 Releases: 86 : 2,57 pontos

25 RECURSOS: 13. Buscar e gerir recursos com efetividade 24 PERDAS ORÇAMENTÁRIAS Medir as perdas orçamentárias do exercício Método de Cálculo: PO = Recurso não executado no exercício Dotação final SOF Quanto menor, melhor. Anual Reduzir as perdas orçamentárias em 10% Reduzir as perdas orçamentárias em 10% Reduzir as perdas orçamentárias em 10% Meta de curto prazo não atingida Perdas Orçamentárias 2,50% 2,00% 1,50% 1,00% 0,50% 0,00% 2,27% 1,27% 1,27% 0,95% 0,58% 0,52% Meta

26 RECURSOS: 13. Buscar e gerir recursos com efetividade 25 ORÇAMENTO ESTRATÉGICO Medir o percentual de recursos alocados para a execução das iniciativas previstas no planejamento estratégico. Método de Cálculo: PO = Recursos Orçamentários para as Iniciativas Estratégicas Total Disponibilizado para as Iniciativas Estratégicas SOF Anual Garantir a alocação de 100% das receitas disponíveis Garantir a alocação de 100% das receitas disponíveis Garantir a alocação de 100% das receitas disponíveis R: 100% das receitas disponíveis no orçamento de 2011 para as iniciativas estratégicas foram alocadas.

27 RECURSOS: 14. Melhorar o clima organizacional 26 SATISFAÇÃO DOS SERVIDORES Mede o percentual geral de satisfação dos servidores nas pesquisas de clima organizacional Método de Cálculo: PO = Número de respostas que atingiram o NSE x 100 Total de respostas Grupo de Trabalho do Clima Organizacional Bienal Analisar dados da pesquisa de clima organizacional Incrementar em 15% o NS dos servidores em relação à pesquisa anterior Incrementar em 15% o NS dos servidores em relação à pesquisa anterior Dados analisados publicado: 76,77%

28 RECURSOS: 15. Comprometer as pessoas com a execução das estratégias 27 METAS DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Medir a quantidade de metas do Plano Estratégico atingidas. Método de Cálculo: PO = Número de metas atingidas x 100 Total de metas ASPLAN Anual Preparar plano de divulgação do plano estratégico Atingir 85% ou mais de cumprimento das metas Atingir 95% ou mais de cumprimento das metas R: Plano divulgado Total de metas de curto prazo - 37 Metas Atrasadas ou não cumpridas 12 Metas atingidas 25 Indicador de metas atingidas 67,57%

29 RECURSOS: 16. Promover a gestão do conhecimento 28 GESTÃO DO CONHECIMENTO Medir o número de ações implementadas Método de Cálculo: Metas Curto Prazo Médio Prazo Longo Prazo Número de ações implementadas por período Grupo de Trabalho da Gestão do Conhecimento Anual Realizar diagnóstico Implantar Política de Gestão do Conhecimento até junho de 2011 Implementar ao menos um processo de gestão do conhecimento até dezembro de 2011 Meta de médio prazo não atingida R: Diagnóstico realizado em abril de 2011 Política não implantada

30 RECURSOS: 17. Garantir a disponibilidade e adequação dos sistemas de TI 29 CONFORMIDADE DOS SERVIÇOS DE TI Mede o percentual de sistemas de TI que não têm o nível de serviço (Service Level Agreement SLA) proposto pela STI e aprovado pelo Comitê de TI atingido no período Método de Cálculo: Número de sistemas que não atendem ao SLA x 100 Número de sistemas com SLA definido Metas Curto Prazo Médio Prazo Longo Prazo STI Quanto menor, melhor. Mensal Definir níveis de serviço até o final de abril de Obter índice inferior a 10% em dezembro de Alcançar índice de 0% a partir de maio de Meta não cumprida ,47 5,4 30, Fev/2011 Abr/2011 Jun/2011 Ago/2011 Out/2011 Dez/2011 Jan/2011 Mar/2011 Mai/2011 Jul/2011 Set/2011 Nov/2011 1,8 26,88 18,43 0 5,28 1,76 % atingido

31 RECURSOS: 17. Garantir a disponibilidade e adequação dos sistemas de TI 30 FALTA DE SISTEMA ESTRATÉGICO Mede o percentual de projetos estratégicos do TRE-RS que não tiveram seus prazos cumpridos por falta de sistema de informação Método de Cálculo: N. projetos estratégicos não cumpridos no prazo por falta de sistema de TI N. de projetos que dependiam de sistema de TI STI Quanto menor, melhor. Anual Definir a lista de necessidades de sistema por projetos até março de 2010 Atingir 10% a partir de Atingir 0% a partir de ,9 0,8 0,7 0,6 0,5 0,4 0,3 0,2 0, % de projetos estratégicos não cumpridos por falta de sistema de TI

32 RECURSOS: 18. Zelar pela segurança da informação 31 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Mede o grau de adequação das práticas do TRE-RS em relação aos objetivos de controle definidos nas normas de segurança da informação Método de Cálculo: Índice obtido a partir de planilha de autoavaliação da segurança da informação STI Anual Realizar primeira medição até março de Obter índice compatível com nível I de maturidade definido pelo TSE Alcançar índice compatível com nível II de maturidade definido pelo TSE Meta de curto prazo não atingida R: índices não aferidos

33 RECURSOS: 19. Promover a infraestrutura adequada às necessidades 32 INFRAESTRUTURA NAS ZONAS ELEITORAIS Média do percentual de atendimento das necessidades de infraestrutura nas Zonas Eleitorais. Método de Cálculo: MPANZE= (PANZE_1+PANZE_2+...+PANZE_N) N SA Anual Atender 70% das necessidades priorizadas das Zonas Eleitorais Atender 75% das necessidades priorizadas das Zonas Eleitorais Atender 80% das necessidades priorizadas das Zonas Eleitorais R: 87,35%

34 RECURSOS: 19. Promover a infraestrutura adequada às necessidades 33 INFRAESTRUTURA NA SECRETARIA DO TRE-RS Média do percentual de atendimento das necessidades de infraestrutura na secretaria do TRE-RS Método de Cálculo: MPANZE= (PANSEC_1+PANSEC_2+...+PANSEC_N) N SA Anual Atender 70% das necessidades priorizadas da Secretaria Atender 75% das necessidades priorizadas da Secretaria Atender 80% das necessidades priorizadas da Secretaria R: 79,76%

35 RECURSOS: 20. Desenvolver competências 34 HORAS DE CAPACITAÇÃO Média de horas de capacitação por servidor. Método de Cálculo: N. Horas de capacitação N. Servidores capacitados SGP Anual Verificar a média de capacitação por servidor até março de Aumentar em 10 % a média de horas de capacitação por servidor Aumentar em 15 % a média de horas de capacitação por servidor Média ,6 horas Média ,63 horas

36 35 RECURSOS: 20. Desenvolver competências AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Mede o percentual de servidores com avaliação de desempenho por competências igual ou superior ao nível esperado de desempenho (NED) Método de Cálculo: Nº de servidores com avaliação igual ou superior ao NED x 100 Número total de servidores avaliados no ano SGP Anual Atingir, em média, 80% das avaliações de desempenho com 90% (NED) Atingir, em média, 85% das avaliações de desempenho com 90% (NED) Atingir, em média, 90% das avaliações de desempenho com 90% (NED) 2010: 87,85% 2011: 99,56%

37 RECURSOS: 21. Desenvolver lideranças 36 SATISFAÇÃO COM LIDERANÇAS Mede o percentual de satisfação com lideranças nas pesquisas de clima organizacional Método de Cálculo: Nº de respostas que atingiram o NSE x 100 Nº total de respostas relacionadas ao quesito Metas Médio Prazo 2011 Longo Prazo 2013 SGP Bienal Verificar o Nível de Satisfação Incrementar em 15% o nível de satisfação com o quesito Liderança Incrementar em 20% o nível de satisfação com o quesito Liderança 2009: 56% 2011: em fase de tabulação

38 RECURSOS: 21. Desenvolver lideranças 37 PROGRAMA DE LÍDERES Mede o percentual de servidores que participaram de programa de líderes Método de Cálculo: Nº de servidores que participaram de programa de líderes x 100 Nº total de cargos de chefia Metas Médio Prazo 2011 Longo Prazo 2012 SGP Anual Instituir programa de líderes Atingir, em média, 30% de participação de chefias em programa de líderes Atingir, em média, 40% de participação de chefias em programa de líderes Meta de médio prazo não atingida : programa instituído pelo PAE 65/2010. Médio Prazo 2011: 3,66%

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2014 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2013 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS

PAINEL DE INDICADORES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS PAINEL DE ES ESTRATÉGICOS DO TRE-RS 2014 SOCIEDADE: Prestar serviços de excelência 1 Índice de respostas a contatos dirigidos à Ouvidoria Mede o percentual de contatos dirigidos à Ouvidoria que receberam

Leia mais

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1.

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1. 34 Os indicadores são índices utilizados para aferir resultados. O TRT da 7ª Região adotou indicadores aferidos pelo CNJ e criou outros considerados relevantes para o processo decisório da gestão institucional,

Leia mais

(ANEXO 1) FICHA DOS INDICADORES

(ANEXO 1) FICHA DOS INDICADORES (ANEXO 1) FICHA DOS INDICADORES Indicador 01 INDICADOR: Índice de confiança no Poder Judiciário (1 CNJ) Confiança da sociedade no Poder Judiciário CNJ Pesquisa de opinião contratada pelo CNJ Identificar

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ

Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ Março COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - CGTIC 2 ÍNDICE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO... 3 Apresentação...

Leia mais

1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012. Núcleo de Gestão Estratégica. Manaus, 05 de março de 2012

1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012. Núcleo de Gestão Estratégica. Manaus, 05 de março de 2012 1ª. Reunião de Análise Estratégica - 2012 Núcleo de Gestão Estratégica Manaus, 05 de março de 2012 Objetivos Divulgar os resultados da Metas Nacionais de 2011 e apresentar os desafios para 2012. Calendário

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA. ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA. ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010 PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010 SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO: Indicador: Percentual de órgãos com estrutura de equipamentos adequada. Meta: 79, 24% Melhorar a estrutura

Leia mais

Indicadores - Perspectiva Sociedade

Indicadores - Perspectiva Sociedade Indicadores - Perspectiva Sociedade Fortalecer a imagem institucional da Justiça do Trabalho IMAGEM ORGANIZACIONAL GRAU DE CONFIANÇA NA JUSTIÇA DO TRABALHO Mede o grau de confiança dos advogados e partes

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Promover eficiência na gestão de recursos para assegurar a realização da Estratégia, a partir de uma política organizacional de planejamento e execução

Leia mais

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA ELEITORAL

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA ELEITORAL 1ª Reunião da Rede de Priorização do Primeiro Grau de Jurisdição PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA ELEITORAL 05 a 07 de maio de 2015 ESMAF Brasília/DF Integrantes da Rede de Priorização do Primeiro Grau no segmento

Leia mais

Assessoria de Gestão Estratégica. Diretoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral TSE

Assessoria de Gestão Estratégica. Diretoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral TSE Assessoria de Gestão Estratégica Diretoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral TSE Agenda Justiça Eleitoral no Brasil A Gestão de Processos no TSE Metodologia Gestão de Processos do TSE Melhoria dos Processos

Leia mais

Garantir efetividade na tramitação dos processos judiciais e administrativos e assegurar a razoável duração do processo.

Garantir efetividade na tramitação dos processos judiciais e administrativos e assegurar a razoável duração do processo. Eficiência Operacional. Buscar a efetividade nos trâmites judiciais e administrativos. Garantir efetividade na tramitação dos processos judiciais e administrativos e assegurar a razoável duração do processo.

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 2013 TJM-RS NGE-JME-RS Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 [PAINEL DE INDICADORES-TJM-RS] Contém os indicadores do do Tribunal de Justiça Militar do Rio Grande

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS

RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO 2013 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS Dezembro - 2013 2 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DAS METAS NACIONAIS 2013 METAS DE NIVELAMENTO PARA AS CORREGEDORIAS

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 (Síntese da Matriz estratégica) Texto aprovado na 19ª Reunião Extraordinária do CONSUNI, em 04 de novembro de 2013. MISSÃO Ser uma Universidade que valoriza

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...6 METODOLOGIA...9 DIAGNÓSTICO...10 PLANO ESTRATÉGICO TRE-RS...12

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...6 METODOLOGIA...9 DIAGNÓSTICO...10 PLANO ESTRATÉGICO TRE-RS...12 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...6 METODOLOGIA...9 DIAGNÓSTICO...10 PLANO ESTRATÉGICO TRE-RS...12 MISSÃO...12 VISÃO...12 VALORES...12 OBJETIVOS...13 MAPA ESTRATÉGICO...15 INDICADORES ESTRATÉGICOS...16 PERSPECTIVA:

Leia mais

Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor

Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor Unidade: Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas segti@tre-am.gov.br Curso de Formação para o Aperfeiçoamento do Atendimento ao Eleitor Gestão de Pessoas Jander Assis Valente, Msc Analista Judiciário/Secretário

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM PROGRAMA DE QUALIDADE PLANO DE APERFEIÇOAMENTO DO SISTEMA GERENCIAL PASG 2006

PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM PROGRAMA DE QUALIDADE PLANO DE APERFEIÇOAMENTO DO SISTEMA GERENCIAL PASG 2006 PREFEITURA MUNICIPAL DE ERECHIM PROGRAMA DE QUALIDADE PLANO DE APERFEIÇOAMENTO DO SISTEMA GERENCIAL PASG 2006 Excelentíssimo Prefeito Municipal: Eloi João Zanella A Prefeitura Municipal de Erechim, com

Leia mais

RELATÓRIO DE INDICADORES - 1º SEMESTRE DE 2013

RELATÓRIO DE INDICADORES - 1º SEMESTRE DE 2013 RELATÓRIO DE INDICADORES - 1º SEMESTRE DE RELATÓRIO DE INDICADORES PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 1 Apresentação A informação, em conjunto com os recursos tecnológicos, é vital para o funcionamento tático, estratégico

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA Fabiana Alves de Souza dos Santos Diretora de Gestão Estratégica do TRT 10 1/29 O TRT da 10ª Região Criado em 1982 32 Varas do Trabalho

Leia mais

A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO

A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO Plano Plurianual 2010-2014 Considerando o caráter dinâmico do processo de planejamento estratégico, o monitoramento e as revisões periódicas vêm auxiliar a Administração,

Leia mais

PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA P N. 422, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. Revisa o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI para o período 2013-2018 e dá outras providências. O Presidente do TRE-RS, no uso de suas atribuições

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente Natal, 2011 1. Quem somos 2. Histórico da Gestão Estratégica 3. Resultados práticos 4. Revisão

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Gestão de Projetos para o alcance das Metas Estratégicas

Gestão de Projetos para o alcance das Metas Estratégicas Gestão de Projetos para o alcance das Metas Estratégicas Rosângela Gomes Yamada Diretora da Secretaria de Planejamento e Gestão - SEPLAN TRT 12ª Região - SC 16.09.2010 TÓPICOS A SEREM ABORDADOS Conhecendo

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM

Fevereiro 2015 DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM Fevereiro DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS DRH ESCOLA JUDICIÁRIA MILITAR EJM 2 ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO... 3 Apresentação... 3 Missão... 4 Visão de Futuro... 4 Valores... 4 PERSPECTIVAS...

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22 ÍNDICE Introdução 2 Missão 4 Visão de Futuro 5 Objetivos Estratégicos 6 Mapa Estratégico 7 Metas, Indicadores e Ações 8 Considerações Finais 22 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico do Supremo Tribunal de Federal,

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional CASO PRÁTICO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO DE TALENTOS: COMO A GESTÃO DA CULTURA, DO CLIMA E DAS COMPETÊNCIAS CONTRIBUI PARA UM AMBIENTE PROPÍCIO À RETENÇÃO DE TALENTOS CASO PRÁTICO: COMPORTAMENTO

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça.

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça. ESTRUTURA PROGRAMÁTICA - PROPOSTA 2016 UNIDADE - UO 0301 PROGRAMA PROGRAMA Garantir o pagamento pelo efetivo serviço exercido por magistrados e servidores, bem como as obrigações de responsabilidade do

Leia mais

Núcleo Estadual GesPública RS

Núcleo Estadual GesPública RS Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GESPÚBLICA Núcleo Estadual GesPública RS Contexto do GESPÚBLICA no MINISTÉRIO Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão G E S P Ú B L I C A Conselho

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013 Procuradoria Regional da República da 1 Região Painel de Contribuição. ATIVIDADES (como fazer?)

PLANO DE AÇÃO 2013 Procuradoria Regional da República da 1 Região Painel de Contribuição. ATIVIDADES (como fazer?) Reunir com o Gabinete do Procurador-Chefe, para apresentação da metodologia de trabalho março, Anna e Vânia Castro Consolidar a lista de procedimentos e rotinas que serão mapeadas em toda a PRR1 1 "Mapear

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. O Estado do Rio de Janeiro atende ao 3º maior

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. O Estado do Rio de Janeiro atende ao 3º maior Apresentação: Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Órgão integrante da Justiça Eleitoral O Estado do Rio de Janeiro atende ao 3º maior eleitorado do país (11.563.483 eleitores) 249 Cartórios Eleitorais

Leia mais

Status da Gestão de Projetos

Status da Gestão de Projetos DEZ/2013 Status da Gestão de Projetos Procuradoria Geral da República PGR 4 º Encontro de Gerentes de Projetos do MPF Monitoramento e Controle de Projetos Assessoria de Modernização e Gestão Estratégica

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatório de Informações Gerenciais Setorial do 1º Semestre de 2013 DIRETORIA GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO DGTEC RELATÓRIO DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1º

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Gestor(a): Desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira

Gestor(a): Desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira Gestor(a): Desembargadora Maria Nailde Pinheiro Nogueira Meta Meta 2 de 29 Meta 2 de 21 Meta 2 de 212 Meta 2 de 213 Descrição Identificar os processos judiciais mais antigos e adotar medidas concretas

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

O processo de Planejamento Estratégico no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Rio Grande do Sul

O processo de Planejamento Estratégico no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Rio Grande do Sul O processo de Planejamento Estratégico no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região Rio Grande do Sul Estrutura da Justiça do Trabalho do RS 115 Varas do Trabalho 09 Postos 230 Juízes de 1º grau 36 Desembargadores

Leia mais

EXECUÇÃO DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS

EXECUÇÃO DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS EXECUÇÃO DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS 6º FÓRUM NACIONAL DE ESTRATÉGIA NA PRÁTICA & GESTÃO POR PROCESSOS Conteúdo da Apresentação Modelo de Gestão de Porto Alegre Alinhamento Planejamento Estratégico e Orçamento

Leia mais

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL

PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL 1ª Reunião da Rede de Priorização do Primeiro Grau de Jurisdição PLENÁRIA FINAL JUSTIÇA FEDERAL 05 a 07 de maio de 2015 ESMAF Brasília/DF Integrantes da Rede de Priorização do Primeiro Grau no segmento

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL- ASPLAN. Planejamento Estratégico 2013-2014

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL- ASPLAN. Planejamento Estratégico 2013-2014 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL- ASPLAN Planejamento Estratégico 2013-2014 Apresentação O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

Construção do Plano Estratégico 2015-2020. Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014

Construção do Plano Estratégico 2015-2020. Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014 Construção do Plano Estratégico 2015-2020 Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014 2 Objetivo da Reunião Apresentar a contribuição institucional, discutir propostas

Leia mais

PLANEJAMENTO E GESTÃO PARTICIPATIVA

PLANEJAMENTO E GESTÃO PARTICIPATIVA PLANEJAMENTO E GESTÃO PARTICIPATIVA A EXPERIÊNCIA DA PREFEITURA DE PORTO ALEGRE Conteúdo da Apresentação Evolução do Modelo de Gestão de Porto Alegre Estruturas Coletivas de Gestão Mapa e Programas Estratégicos

Leia mais

ANEXO A Estratégia do Tribunal de Justiça de Sergipe

ANEXO A Estratégia do Tribunal de Justiça de Sergipe RESOLUÇÃO Nº 10, DE 01 DE JUNHO DE 2011 Dispõe sobre o Planejamento e a Gestão Estratégica no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Sergipe e dá outras providências. ANEXO A Estratégia do Tribunal de

Leia mais

!"# $%!"!&&'"!&"!& ,+-.,/,

!# $%!!&&'!&!& ,+-.,/, 377!"# $!"!&&'"!&"!&!()&"!*+,+-.,/, 378 379 PROGRAMA: CONTROLE EXTERNO MUNICIPAL Órgão Responsável: Tribunal de Constas dos Municípios - TCM Órgão Executor: TCM Objetivo: Orientar e fiscalizar a administração

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual DIRETORIA GERAL DE FISCALIZAÇÃO E APOIO ÀS SERVENTIAS JUDICIAIS - DGFAJ Unidade Organizacional: DIRETORIA

Leia mais

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 1 de 30 16/11/2015 15:16 Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 Prezado(a) Como o OBJETIVO de apurar o nível de maturidade em governança da Justiça Federal, foi desenvolvido instrumento

Leia mais

Como o TCU vem implantando a governança de TI

Como o TCU vem implantando a governança de TI Como o TCU vem implantando a governança de TI Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI - Assig - Marisa Alho Chefe de Assessoria Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Institui o Programa de Fortalecimento Institucional da ANAC. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das competências

Leia mais

Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk

Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk Identificação do Órgão/Unidade:Tribunal Superior Eleitoral/STI/COINF/SEPD Service Desk E-mail para contato: supervisao@tse.gov.br Nome trabalho/projeto: Suporte em TI baseado em sistema de gestão da qualidade

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

Comunicação e colaboração na execução do Plano Estratégico

Comunicação e colaboração na execução do Plano Estratégico Comunicação e colaboração na execução do Plano Estratégico Apresentação A Secretaria de Planejamento e Gestão Estratégica SEPG apoia a Presidência nas demandas relativas ao planejamento institucional,

Leia mais

Tema: Eficiência Operacional. Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região. Nome do projeto Processo Virtual

Tema: Eficiência Operacional. Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região. Nome do projeto Processo Virtual Tema: Eficiência Operacional Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região Nome do projeto Processo Virtual Finalidade do projeto Implementar o projeto Processo Virtual no âmbito do TRT

Leia mais

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir:

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir: Termo de Referência 1. Objeto Contratação de empresa especializada em gestão de saúde para execução de atividades visando a reestruturação do modelo de atenção à saúde, objetivando diagnosticar novas proposituras

Leia mais

Tribunal de Contas da União. Controle Externo

Tribunal de Contas da União. Controle Externo Tribunal de Contas da União Controle Externo 1224 Controle Externo Objetivo Assegurar a efetiva e regular gestão dos recursos públicos federais em benefício da sociedade e auxiliar o Congresso Nacional

Leia mais

ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR

ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 16ª REGIÃO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR CALENDÁRIO DE CURSOS EXERCÍCIO 2011 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2011-2015 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO QUALIFICAR Escopo Capacitar magistrados e servidores em gestão

Leia mais

9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO

9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO 9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ao sistema de controle interno, consoante o previsto nos arts. 70 e 74 da Constituição Federal, incumbe a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial,

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RELATÓRIO DE QUE? AVALIAÇÃO: Avaliação anual avaliamos a execução durante o ano, a entrega dos produtos e os seus impactos. AVALIAÇÃO PARA QUE? OBJETIVOS: Prestar

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima

Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Revisada Vigência 2013 2014 Missão, qual nosso negócio? Identidade institucional

Leia mais

A implantação da governança de TI:abordagens, barreiras e requisitos. Agenda da palestra

A implantação da governança de TI:abordagens, barreiras e requisitos. Agenda da palestra A implantação da governança de TI:abordagens, barreiras e requisitos Limeira, 27 de outubro de 2010 Aguinaldo Aragon Fernandes, DSc,CGEIT www,aragonconsultores.com.br Copyright 2010 By Aragon. Agenda da

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

TIControle. Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal. Doris Peixoto Diretora Geral

TIControle. Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal. Doris Peixoto Diretora Geral TIControle Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal Doris Peixoto Diretora Geral 11/04/2012 Tópicos para nossa conversa de hoje A migração da Governança de TI para o nível corporativo

Leia mais

Planejamento Fiscal 2015 DM/SMF

Planejamento Fiscal 2015 DM/SMF Planejamento Fiscal 2015 DM/SMF PLANEJAMENTO FISCAL 2015 CAPITULO I APRESENTAÇÃO O Planejamento Fiscal do DM/SMF - Departamento de Impostos Mobiliários da Secretaria Municipal de Fazenda materializa-se

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Estruturar e implantar uma unidade administrativa para assessorar a alta administração do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais em relação à elaboração e ao

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ACÓRDÃO PROCESSO ADMINISTRATIVO N 470-71.2013.6.00.0000 - CLASSE 26 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Gilmar Mendes Interessado: Tribunal Superior Eleitoral PROCESSO

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

Arranjo Produtivo Local APL Associação Terra Cozida do Pantanal

Arranjo Produtivo Local APL Associação Terra Cozida do Pantanal Arranjo Produtivo Local APL Associação Terra Cozida do Pantanal Rio Verde de MT MS Novembro/ 2010 1 PRESIDENTE DA ATCPAN Natel Henrique Farias de Moraes VICE PRESIDENTE DA ATCPAN Luiz Claudio Sabedotti

Leia mais

"A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia" Marta Gaino Coordenadora PMO

A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia Marta Gaino Coordenadora PMO "A experiência da implantação do PMO na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia" Marta Gaino Coordenadora PMO Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia A Sefaz/BA é um órgão da Administração Pública Direta

Leia mais

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Assessoria de Planejamento de Modernização do Poder - APMP Divisão de Estatística do Tribunal de Justiça - DETJ Assessoria de Planejamento

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília INTEGRANDO UM DIAGNÓSTICO À GESTÃO POR PROCESSOS Pedro Barreto SUMÁRIO 1 Diagnóstico financeiro versus

Leia mais