Play. Aumente sua produtividade com o framework. No ano de 2007 o desenvolvedor Guillaume Bort

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Play. Aumente sua produtividade com o framework. No ano de 2007 o desenvolvedor Guillaume Bort"

Transcrição

1 play_ Aumente sua produtividade com o framework Play Crie um sistema completo em minutos e entenda por que tantas pessoas estão abandonando o seu framework web preferido para usar Play. No ano de 2007 o desenvolvedor Guillaume Bort trabalhava em um projeto na empresa Zenexity (em Paris) e ele precisava de um framework bem produtivo. Ele não via o JSF como uma boa opção para aplicações web, e invejava a produtividade do desenvolvimento em Ruby on Rails. Com isso ele criou o framework baseado em suas próprias necessidades, e nesse momento ele está focado na versão 2.0 que promete muitas mudanças. Entretanto, vamos focar este artigo na versão 1.2.x, que é a mais usada. Conheça o framework Um erro comum é comparar o Play com outros frameworks Java do mercado, como Spring MVC, Struts, Mentawai ou VRaptor, ele foge dos tradicionais padrões Java Enterprise e busca soluções baseadas em script semelhante ao Ruby on Rails, PHP Cake ou Grails. Além disso, ele possui um servidor HTTP embutido e não é baseado na API de Servlet (apesar de exportar um pacote WAR totalmente compatível com o padrão JEE). O framework Play é famoso por facilitar, e muito, a vida do desenvolvedor que precisa criar uma aplicação MVC de forma fácil e rápida. Os recursos que o framework disponibiliza impressionam pela simplicidade e rápida curva de aprendizado. Além de possuir vários recursos embutidos, o playframework possui uma boa lista de módulos que podem ser plugados à aplicação, disponibilizando recursos mais avançados, como, por exemplo, Web Services, integrações com redes sociais Facebook e Twitter, testes automatizados, entre outros. A instalação é muito simples e está destacada mais adiante. Começamos criando a aplicação com a chamada: play new NetCitacoes Com isso será criada uma estrutura básica de sua aplicação (figura 1). Entre no diretório criado e digite play run Depois acesse no browser no endereço localhost:9000. Vamos para o Eclipse agora? play eclipsify Com isso ele criará os arquivos.classpath e.project para podermos importar esse projeto para dentro do Eclipse. / 14

2 Eduardo Cerqueira Formado pela Universidade Ibirapuera, trabalha com java desde 2005 e sócio-diretor da WebStart Solutions, empresa com foco na prestação de serviços de desenvolvimento de software também dos criadores do site E-AgendaMédica ( ) Fernando Boaglio Formado pela Unesp em BCC, foi instrutor oficial da Sun Microsystems e da Oracle Education. Atualm ente contribui para alguns projetos open source, como KDE e Mentawai e é da equipe de arquitetura da Discover Technology, prestando serviços para a Tokio Marine Seguradora. O desenvolvimento de aplicações web ficou mais fácil, leve e rápido com esse framework que, apesar de ser relativamente novo, causa bastante barulho na comunidade e tem sido uma mão na roda no desenvolvimento de aplicações para startups no mundo todo. Mostraremos neste artigo como ele funciona, como é definida sua arquitetura e desenvolveremos uma aplicação completa demonstrando alguns dos incríveis recursos desse framework e, o melhor de tudo, sem dor! o framework Play possui quatro arquivos principais de configuração:» application.conf guarda configurações da JVM, informações de log, persistência, rede e Proxy;» dependencies.yml lista os módulos usados pelo seu sistema;» messages localização de mensagens;» routes define os mapeamentos das URIs do seu sistema, apontado para controladores estáticos ou dinâmicos. Uma das qualidades do play é sua velocidade no desenvolvimento. Esqueça deploy, start e stop de servidor, vamos criar um controlador e uma página que recebe o seu resultado sem precisar fazer nada da maneira convencional, basta apenas criar as novas rotinas. Figura 1. Estrutura básica de um projeto novo. O seu primeiro controller Em primeiro lugar, deixe o servidor do play rodando no projeto (play run mencionado anteriormente). Dentro do pacote app.controllers, crie a classe Teste que estende da classe play.mvc.controller, com um método chamado index conforme a Listagem \

3 Listagem 1. Primeiro controlador de exemplo. import play.mvc.controller; public class Teste extends Controller { public static void index() { renderargs.put( variavel, teste ); render(); Depois disso, dentro do diretório views, crie um diretório com o nome do controlador (Teste), e dentro dele um arquivo chamado index.html contendo a página HTML conforme a Listagem 2. Listagem 2. Página HTML do primeiro controlador de exemplo. <html> <h2>meu primeiro ${variavel!</h2> </html>> Em seguida, acesse o browser no endereço localhost:9000/teste/index e perceba a magia do play! Classes e páginas novas ficam disponíveis dinamicamente agilizando o processo de desenvolvimento! É como o autor diz: arrume o bug e pressione reload. Essa mágica é possível graças ao poderoso engine baseado em Groovy, que também é a raiz do projeto Grails. O seu primeiro cadastro É comum começarmos o desenvolvimento de um cadastro e com o tempo mudarmos o valor dos campos da tela (ou colunas de uma tabela). A mesma flexibilidade que play oferece com as classes Java também é oferecida com o banco de dados. Edite o arquivo application.conf descomentando a linha db=mem para automaticamente mapear o nosso banco de dados na memória. Vamos criar uma simples lista de compras e, seguindo o modelo MVC, vamos começar com a representação do negócio com a classe ListaDeCompras (Listagem 3). Para termos o mapeamento desejado, basta que a classe estenda play.db.jpa.model e tenha a anotação Entity. Listagem 3. Classe que representa uma lista de compras. package models; import javax.persistence.entity; import play.data.validation. Required; import public class ListaDeCompras extends Model public String nome; Continuamos o exemplo criando o controlador da Listagem 4, que possui o método index para efetuar a busca da lista do banco de dados e jogar na tela através do método render, e o método save, que recebe como parâmetro o objeto que vamos persistir no banco de dados. Listagem 4. Controlador da lista de compras. import java.util.list; import models.listadecompras; import play.mvc.controller; public class Lista extends Controller { public static void index() { List<ListaDeCompras> compras = models.listadecompras.all().fetch(); render(compras); public static void save(listadecompras item) { item.save(); Finalmente, na camada view (Listagem 5) temos o arquivo index.html (dentro da pasta app/views/lista) com o formulário que aponta para o método Lista. save e uma rotina que exibe os dados da lista de compras enviados pelo controlador. Listagem 5. Arquivo index.html que representa a lista de compras. <html> <h2>lista de compras</h2> <table> <th> <input type= text name= item.nome value= ${item?.nome /> </th> <td><input type= submit name= submit value= Cadastrar /> </td> #{/form </table> <hr/> <table> / 16

4 #{list items:compras, as: item <tr><td>${item.nome</td></tr> #{/list </table> </html> Para ver o resultado, acesse lista/index e faça alguns cadastros. Confira também o log das operações executadas que aparece no console onde foi digitado play run. Depois dessa pequena introdução para entender o framework, vamos abandonar a lista de compras e fazer um sistema um pouco mais complexo. Conheça o NetCitações Temos um simples sistema de citações famosas, onde vamos persistir informações das frases, dos comentários de cada frase e das pessoas que cadastraram. Nesse sistema, apenas os administradores podem cadastrar os usuários (figura 2). Módulos utilizados Para criar as telas de CRUD automaticamente utilizamos o módulo scaffold, que de forma simples irá gerar as nossas classes de controle e visualização rapidamente e usamos também o módulo secure para validar a autenticação do cadastro de usuários (figura 3). Figura 4. Tela de cadastro de usuários. Figura 5. Tela de listagem de usuários. Usando o módulo scaffold o módulo scaffold, como comentado anteriormente, tem o objetivo de gerar automaticamente as classes de controle e os htmls de visualização da nossa aplicação. Poderíamos fazer isso manualmente, porém utilizaremos esse módulo para poupar trabalho. o scaffold utiliza as classes de modelo que geramos para saber quais controllers e views precisa criar. Além disso, ele analisa os tipos de dados e anotações para gerar também mecanismos de validação nas views. Configurações do módulo scaffold Como pré-requisito desse módulo, as classes de domínio Usuario, Citacao e Comentario já foram criadas para permitir a geração dos demais arquivos- -fonte. Para instalar o módulo, precisamos editar o arquivo dependencies.yml e incluir a chamada para o módulo conforme Listagem 6. Figura 3. Tela de cadastro de usuário do NetCitações. Figura 2. Classes do NetCitações. 17 \

5 Listagem 6. Configurando módulo scaffold. #Application dependencies require: -play -play -> scaffold head A linha que adicionamos das informações do módulo que usaremos, no caso, scaffold e sua versão, que nesse caso será head. Após salvar o arquivo, o play precisa baixar os arquivos do módulo que nós acabamos de configurá-lo. Para isso, é preciso executar o comando: play deps --sync Depois de baixar todos os arquivos, é preciso recriar os arquivos do projeto do Eclipse para que sejam incluídos em seu path. Lembre-se de fechar a aplicação no Eclipse antes de executar o comando, pois pode haver problemas na atualização dos arquivos. Agora, vamos usar o módulo para gerar nossas classes de controle e views. Para essa tarefa, executamos o comando: play scaffold:gen Então, executamos o comando de configuração do Eclipse novamente, como exibido abaixo: play eclipsify Verificando o nosso projeto, podemos ver que o módulo gerou arquivos dentro do pacote controller e views. Basta agora executar o servidor novamente para que os arquivos estejam disponíveis acessando via browser com o comando: play run Pronto, nosso cadastro básico está concluído, porém precisamos ainda adicionar mais funcionalidades à nossa aplicação, como, por exemplo, autenticação. Passaremos então a falar do próximo módulo utilizado na aplicação, o módulo Secure. Usando o módulo secure O módulo secure é responsável pelo mecanismo de autenticação de usuários no play, existem outros módulos que têm essa mesma função e ainda realizam integração com Facebook, Twitter e outros utilizando OpenAuth e outros protocolos de autenticação, porém, utilizaremos o Secure por ser mais simples e atender ao propósito da aplicação. O método de instalação do módulo é semelhante ao já mencionado na instalação do módulo scaffold. Vamos editar novamente o arquivo dependencies.yml incluindo uma linha a mais de informação, conforme Listagem 7. Listagem 7. Configurando módulo secure. #Application dependencies require: -play -play -> scaffold head -play -> secure O módulo secure já faz parte dos pacotes padrões do play, porém precisamos ainda executar todos os comandos para que o framework inclua os arquivos do módulo. Então digitaremos mais uma vez os comandos que têm essa finalidade. play deps --sync play eclipsify Módulos scaffold e secure trabalhando juntos Agora que já instalamos os módulos que precisamos, vamos usar o módulo scaffold para gerar a nossa tela de login e controlar nossos usuários de forma integrada. Essa tarefa é feita através do comando abaixo: play scaffolg:gen --overwrite --withlogin --with-layout O comando acima irá sobreescrever os arquivos e regerar as classes de controle e as views do sistema e também as classes de controle responsáveis pelo login com a tela respectiva e ainda incluiremos um pouco de estilo para as telas ficarem mais amigáveis. Rodamos mais uma vez o comando para configurar o projeto no Eclipse e incluir os arquivos em seus paths. Esse passo é necessário apenas na inclusão de um módulo novo no seu projeto. play eclipsify E subimos o servidor para acessar a aplicação. play run NetCitacoes Algumas convenções do módulo scaffold Nas documentações do play, temos a convenção de utilizarmos o nome do controller no plural para o seu respectivo modelo, por exemplo, para a classe de modelo Citacao utiliza-se o nome Citacaos para a controller, porém, quando escrevemos as classes em português, fica meio esquisito. O nome da controller pode ser alterado sem qualquer prejuízo pra aplicação, porém se futuramente precisar regerar as classes utilizando o módulo scaffold, as classes serão geradas com os nomes originais. Olhando o código mais a fundo Vamos olhar alguns dos arquivos e destacar alguns itens para entendimento. / 18

6 A classe model Usuario.java Na classe de modelo usuário, na Listagem 8, temos algumas anotações que devemos olhar com mais atenção. Listagem 8. Arquivo model Usuario. package models; import java.util.list; import javax.persistence.entity; import javax.persistence.onetomany; import play.data.validation. ; import play.data.validation.required; import public class Usuario extends Model public public String ; public boolean isadmin; public String usuario ) public List<Citacao> public String tostring() { return nome; Olhando com mais cuidado, veremos que apesar de utilizarmos JPA, nós não precisamos definir a chave primária da entidade com Porém, a especificação JPA nos diz que somos obrigados a ter um atributo de classe com a anotação representando a chave primária da entidade. Repare que estamos estendendo a classe play.db.jpa.model e nela temos o atributo com a anotação associada, ou seja, ao estendermos essa classe não precisamos definir quem será nossa chave primeira, pois a classe já irá associar o que precisamos. Entretanto, em alguns casos queremos definir o nome da coluna utilizada como chave primária. Para isso devemos então trocar a classe play.db.jpa.model para play.db.jpa.genericmodel. Desse modo, podemos definir o atributo de chave primária normalmente. Temos mais duas anotações que necessitam da nossa que informa ao framework que esses campos são de preenchimento obrigatório. Sendo assim, em um formulário, o framework irá verificar o preenchimento dessa informação e retornará uma mensagem de erro caso isso não tenha sido feito. Olharemos mais adiante na classe Controller como isso será feito. Agora, só nos resta falar sobre a , ela serve pra que no momento da validação do objeto a ser persistido o framework verifique se o valor informado nesse atributo possui o formato de um válido, ou seja, a existência de no valor. A classe controller Usuarios.java Nessa classe temos algumas anotações que são utilizadas pelo módulo secure para definir controle de acesso. Por exemplo, para cadastrar, editar ou deletar um usuário eu preciso ser um usuário autenticado e ter perfil de administrador. A Listagem 9 dá uma amostra da classe gerada pelo módulo. Listagem 9. Arquivo controller Usuarios. import java.util.list; import models.usuario; import play.data.validation.valid; import play.i18n.messages; import play.mvc.before; import play.mvc.controller; import public class Usuarios extends Controller static void user() { renderargs.put( user, Security.connected()); public static void index() { List<Usuario> entities = models.usuario.all().fetch(); render(entities); public static void create(usuario entity) { render(entity); public static void show(java.lang.long id) { Usuario entity = Usuario.findById(id); render(entity); public static void edit(java.lang.long id) { Usuario entity = Usuario.findById(id); render(entity); public static void delete(java.lang.long id) { Usuario entity = Usuario.findById(id); entity.delete(); 19 \

7 public static void Usuario entity) { if (validation.haserrors()) { flash.error(messages.get( scaffold.validation )); entity); entity.save(); flash.success(messages.get( scaffold.created, Usuario )); public static void Usuario entity) { if (validation.haserrors()) { flash.error(messages.get( scaffold.validation )); entity); entity = entity.merge(); entity.save(); flash.success(messages.get( scaffold.updated, Usuario )); Para dizer ao Play que somente usuários logados podem acessar à tela de usuários, eu utilizo a assim quando um usuário tentar acessar as informações contidas nesse controller, ele precisará estar logado. Porém, existe uma action chamada user() que recupera o usuário logado através do método Security. getconnected() e coloca na sessão com a chave user associada a ela. Esse método pode ser utilizado sem que um usuário esteja necessariamente logado, porque ele é um método que está sendo usado no momento do login e por isso não deve ser controlado. Para resolver esse problema, o play possui uma Ela informa ao framework que essa action pode ser acionada antes que seja verificado se o usuário possui ou não acesso a ela. Olhando a action save() podemos ver outra anotação, Ela indica ao play que deve receber como argumento um Usuario válido. Então, caso essas diretrizes não sejam respeitadas, o play retorna uma mensagem de erro dizendo que o objeto não é válido. O Play sabe que se um objeto é válido ou não verificando as anotações existentes na classe de modelo. No nosso exemplo, e Portanto, olhando a Listagem 8 podemos constatar que um usuário válido é aquele que possui os atributos nome preenchido e que o atributo tenha um formato de válido. A classe controller Application.java Essa controller é a classe de entrada da aplicação, ou seja, é o nosso index, a primeira página e controller carregada quando a aplicação é executada. No nosso exemplo, ela não tem muita responsabilidade, uma vez que possui apenas os métodos index() que é o método inicial propriamente dito, verificando se existe algum usuário logado e retorna esse usuário, e o sair() que é responsável pelo logout do usuário. A Listagem 10 mostra como a classe está definida. Listagem 10. Arquivo controller Application. import play.mvc.controller; public class Application extends Controller { public static void index() { String user = Security.connected(); render(user); public static void sair() throws Throwable { Secure.logout(); A classe controller Security.java Por default, o módulo Secure permite que todos os usuários consigam se autenticar na aplicação, apenas preenchendo os campos de login e senha quando solicitados. Porém, para aplicarmos nossas próprias regras de autenticação, como, por exemplo, um e- -mail e senha que estejam cadastrados no banco de dados, precisamos sobrecarregar os métodos de autenticação e checagem para a nossa realidade. A Listagem 11 mostra a classe Security que criamos para efetuarmos a autenticação no sistema. No método authenticate(), incluímos uma verificação do usuário admin diretamente no código, pois o modelo não contempla a criação de perfis diferenciados no sistema, poderíamos ter feito isso, mas no nosso exemplo não é relevante, então optamos por não colocar e assim termos um material mais enxuto possível. Nesse mesmo método, caso não seja o e senha que definimos no código, a aplicação irá verificar a existência do usuário com o informado no banco de dados e irá comparar sua senha. Listagem 11. Arquivo controller Security. import models.usuario; public class Security extends Secure.Security{ / 20

8 static boolean authenticate(string , String senha) { if( .equals( ) && )){ return true; Usuario usuario = Usuario.find( by , ). first(); return usuario!= null && usuario.senha.equals(senha); static boolean check(string perfil) { if(connected().equals( )){ return true; Usuario usuario = Usuario.find( by , connected()).first(); if (usuario!= null && admin.equals(perfil)) { return usuario.isadmin; else { return false; Deploy da aplicação O play framework já possui um container onde a aplicação pode ser implantada, que na verdade é o mesmo utilizado para o desenvolvimento, porém com configurações da aplicação setadas para modo PROD. Na própria documentação do framework é fortemente recomendada essa prática, pois evita surpresas quando executar deploy em servidores de aplicação e servlet containers, evitando ter que alterar a aplicação no momento da subida após concluído o desenvolvimento, porém a execução da aplicação em um servlet container ou servidor de aplicação seja uma premissa, o play framework disponibiliza formas de gerar um arquivo WAR para deploy normalmente. Primeiramente, o deploy padrão do play, que é executando apenas digitando o comando abaixo: play start NetCitacoes Pronto, apenas isso é suficiente para colocar a aplicação em modo produção, pois o container embutido do play irá verificar as configurações no application.conf procurando pelas variáveis definidas para o modo produção, setá-las na aplicação e subir o servidor. Por padrão, a porta 9000 permanecerá mesmo no modo produção. Nesse caso, podemos usar duas abordagens de arquitetura, a primeira seria utilizar o container do play na porta 80. A segunda, seria utilizamos algum servidor HTTP, como, por exemplo, o Apache na porta 80 e rodarmos o container do play na porta Nessa segunda abordagem, podemos configurar um balancer que irá facilitar também em uma atualização de release, uma vez que conseguimos chavear a aplicação que irá responder as requisições recebidas, enquanto outra instância está sendo atualizada. Porém, caso essa abordagem não seja possível, e termos que implantar a aplicação fora do container padrão do play, podemos executar o seguinte comando para a geração de um arquivo WAR. Obs.: esse comando precisa ser executado fora da pasta da aplicação. play war NetCitacoes -o netcitacoes.war --zip --exclude.svn:target:logs:tmp Explicando com detalhes o comando que executamos:»» opção -o que permite escolhermos o nome do arquivo gerado;»» opção --zip informa o gerador que queremos uma cópia compactada;»» opção --exclude informa que os diretórios,.svn, target, logs e tmp não sejam incluídos no pacote. Considerações finais Após uma visão geral do framework, foi codificado e demonstrado uma pequena amostra do que o Play pode fazer e seus diferenciais de produtividade ficaram claros com o decorrer do uso. O código-fonte e demais referências estão no final do artigo. /referências > aplicação play em 10 minutos (vídeo oficial) > home documentação da versão > https://github.com/egcerqueira/netcitacoes códigofonte do projeto NetCitações A instalação do framework play exige no mínimo Java 1.5 ou superior. Primeiro efetue o download do play e descompacte em algum lugar (exemplo: Windows: C:\play\, Linux e MacOS: $HOME/play/), depois se certifique que o executável play está no path do sistema (Windows: PATH=%PATH%;C:\play\, Linux e MacOS: PATH=$PATH:/play/). Para testar a instalação, digite play version para ver a versão instalada. 21 \

Casa do Código Livros para o programador Rua Vergueiro, 3185-8º andar 04101-300 Vila Mariana São Paulo SP Brasil

Casa do Código Livros para o programador Rua Vergueiro, 3185-8º andar 04101-300 Vila Mariana São Paulo SP Brasil Casa do Código Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº9.610, de 10/02/1998. Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida, nem transmitida, sem autorização prévia por escrito da editora,

Leia mais

Integre Redes Sociais nas Nuvens com o Framework Play

Integre Redes Sociais nas Nuvens com o Framework Play play_ Integre Redes Sociais nas Nuvens com o Framework Play Use as redes sociais no seu sistema Play e faça o deploy nas nuvens de maneira totalmente gratuita. Na edição 57 mostramos como criar uma aplicação

Leia mais

V1.1 SITE EM UM SITE 11/2015 MINUTOS APRENDA A PROGRAMAR IMAGINE FAZER O SEU PRIMEIRO PROGRAMA EM 180 SEGUNDOS WWW.DESAFIO3MINUTOS.COM.

V1.1 SITE EM UM SITE 11/2015 MINUTOS APRENDA A PROGRAMAR IMAGINE FAZER O SEU PRIMEIRO PROGRAMA EM 180 SEGUNDOS WWW.DESAFIO3MINUTOS.COM. 11/2015 UM SITE SITE EM EM UM 3 APRENDA A PROGRAMAR IMAGINE FAZER O SEU PRIMEIRO PROGRAMA EM 180 SEGUNDOS MINUTOS V1.1 WWW.DESAFIO3MINUTOS.COM.BR ELIELBARONE RUBY ON RAILS O que é? Ruby on Rails é um framework,

Leia mais

Nome N Série: Ferramentas

Nome N Série: Ferramentas Nome N Série: Ferramentas Competências: Identificar e utilizar técnicas de modelagem de dados; Habilidades: Utilizar ferramentas de apoio ao desenvolvimento de software; Bases Tecnológicas: Metodologias

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Windows

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Windows Projeto Amadeus Guia de Instalação 00.95.00 Windows Agosto 2010 Sumário 1. Introdução...3 2. Pré-Requisitos...4 2.1 Máquina Virtual Java...4 2.2 Apache TomCat 6.0.18...4 2.3 PostgreSQL 8.3...5 3. Instalando

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Conteúdo deste manual Introdução O guia de instalação... 3 Capítulo 1 Instalando o servidor Web Apache... 4 Teste de instalação do Apache... 9

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

2 Requisitos Mínimos... 2. 1 Visão Geral 2 Instalando o SDK... da Sun 3 Instalando o Tomcat... do Apache Jakarta Project 4 Instalando o WebIntegrator

2 Requisitos Mínimos... 2. 1 Visão Geral 2 Instalando o SDK... da Sun 3 Instalando o Tomcat... do Apache Jakarta Project 4 Instalando o WebIntegrator Conteúdo I Conteúdo Part I Introdução 2 1 Apresentação... 2 2 Requisitos Mínimos... 2 Part II Instruções de Instalação 2 1 Visão Geral... 2 2 Instalando o SDK... da Sun 2 3 Instalando o Tomcat... do Apache

Leia mais

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux Projeto Amadeus Guia de Instalação 00.95.00 Linux Agosto 2010 Sumário 1. Introdução...3 2. Pré-Requisitos...4 2.1 Máquina Virtual Java...4 2.1.1 Instalando JDK via apt-get...4 2.1.2 Instalando JDK a partir

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração. Módulo Remote. (G2KA) para NFSE. v1.0

Manual de Instalação e Configuração. Módulo Remote. (G2KA) para NFSE. v1.0 Manual de Instalação e Configuração Módulo Remote (G2KA) para NFSE v1.0 Página 1 Sumário 1 Download e Instalação... 3 2 Configuração... 5 3 Inicialização Manual... 8 4 Inicialização via serviço do Windows...

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede OpenCart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados ÍNDICE 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 vqmod 4 4.2 Instalação e ativação

Leia mais

Frameworks - Grails. Aécio Costa

Frameworks - Grails. Aécio Costa Aécio Costa Abstração que une códigos comuns entre vários projetos de software provendo uma funcionalidade genérica. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Arquivos de Instalação... 4. Instalação JDK... 7. Instalação Apache Tomcat... 8. Configurando Tomcat... 9

Arquivos de Instalação... 4. Instalação JDK... 7. Instalação Apache Tomcat... 8. Configurando Tomcat... 9 Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

IREasy Manual do Usuário Versão do manual - 0.0.9

IREasy Manual do Usuário Versão do manual - 0.0.9 OBJETIVOS DO PROGRAMA DE COMPUTADOR IREasy Permitir a apuração do Imposto de Renda dos resultados das operações em bolsa de valores (mercado à vista, a termo e futuros). REQUISITOS MÍNIMOS DO COMPUTADOR

Leia mais

Instalando o WordPress em localhost

Instalando o WordPress em localhost Instalando o WordPress em localhost WordPress sem Mistério LEE ARAUJO htto://wordpresssemmisterio.com.br Sumário Instalando o WordPress em Localhost... 2 O Servidor web... 3 Iniciando o servidor... 6 Criação

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Introdução a Servlets

Introdução a Servlets Linguagem de Programação para Web Introdução a Servlets Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta aula os

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede OpenCart v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede OpenCart v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 vqmod 4 4.2 Instalação e ativação do

Leia mais

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul JSF e PrimeFaces Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Agenda Introdução Desenvolvimento Web Java Server Faces Exercício 2 Introdução Ao longo dos anos diversas linguagens de programação foram

Leia mais

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK...

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK... Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Breve introdução. Uma breve introdução. Simplicidade e Poder. Rápido Dinâmico Robusto

Breve introdução. Uma breve introdução. Simplicidade e Poder. Rápido Dinâmico Robusto Breve introdução Uma breve introdução Rápido Dinâmico Robusto Simplicidade e Poder Linguagem dinâmica Arquitetura Mapeamento Objeto Relacional Convenção DRY YAGNI KISS Groovy MVC Hibernate Sobre configuração

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Ao projetar uma aplicação Web, é importante considerála como sendo formada por três componentes lógicos: camada

Leia mais

DWR DIRECTED WEB REMOTING

DWR DIRECTED WEB REMOTING DWR DIRECTED WEB REMOTING Vamos ver nesse artigo um pouco sobre o Frameworks Ajax para Java, o DWR. Vamos ver seus conceitos, utilidades, vantagens, algumas práticas e fazer o passo a passo para baixar,

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Parte I. Demoiselle Mail

Parte I. Demoiselle Mail Parte I. Demoiselle Mail Para o envio e recebimento de e-s em aplicativos Java, a solução mais natural é usar a API JavaMail [http:// www.oracle.com/technetwork/java/java/index.html]. Ela provê um framework

Leia mais

Facebook. Java com o. Integrando Aplicações. Descubra como é fácil criar uma aplicação para rodar no Facebook. _capa

Facebook. Java com o. Integrando Aplicações. Descubra como é fácil criar uma aplicação para rodar no Facebook. _capa _capa Integrando Aplicações Java com o Facebook Descubra como é fácil criar uma aplicação para rodar no Facebook Desde o lançamento oficial do Facebook, em 2004, o número de usuários vem aumentando a cada

Leia mais

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos

mkdir /srv/www/default/html/calculadora/imagens mkdir /srv/www/default/html/calculadora/blocos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Criando uma Calculadora Primeiramente deve se criar uma estrutura para armazenar os arquivos necessários para o funcionamento da calculadora.

Leia mais

Manual de Instalação PIMSConnector em Linux

Manual de Instalação PIMSConnector em Linux Manual de Instalação PIMSConnector em Linux Julho/2015 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Pré-requisitos instalação/implantação/utilização... 4 3. JBOSS... 6 3.1. Instalação... 6 3.2.

Leia mais

SIAI Despesa de Pessoal (DP) MANUAL DE INSTALAÇÃO Versão 1.0

SIAI Despesa de Pessoal (DP) MANUAL DE INSTALAÇÃO Versão 1.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO Versão 1.0 Natal, Maio de 2013 Sumário 1. O que é o SIAI DP... 3 2. Requisitos mínimos de instalação... 4 2. Como instalar o SIAI DP Módulo Coleta... 4 3. Acessando o SIAI DP... 8

Leia mais

Como obter Ajuda e Suporte

Como obter Ajuda e Suporte Como obter Ajuda e Suporte Durante a utilização dos Sistemas comercializados pela Domínio Sistemas, você e sua equipe poderão ter dúvidas sobre algum processo ou alguma tela em específico. Estas dúvidas

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço

Manual de Utilização. Sistema. Recibo Provisório de Serviço Manual de Utilização Sistema Recibo Provisório de Serviço Versão 1.0 17/08/2011 Sumário Introdução... 5 1. Primeiro Acesso... 7 2. Funções do e-rps... 8 2.1 Menu Superior... 8 2.1.1 Arquivo......8 2.1.2

Leia mais

OMT-G Design. Instalação por pacotes

OMT-G Design. Instalação por pacotes OMT-G Design A plataforma Eclipse OMT-G Design não é um software independente, é um plug-in que se utiliza dos mecanismos de extensão do Eclipse que por sua vez é um ambiente de desenvolvimento de software.

Leia mais

WebWork 2. João Carlos Pinheiro. jcpinheiro@cefet-ma.br

WebWork 2. João Carlos Pinheiro. jcpinheiro@cefet-ma.br WebWork 2 João Carlos Pinheiro jcpinheiro@cefet-ma.br Versão: 0.5 Última Atualização: Agosto/2005 1 Agenda Introdução WebWork 2 & XWork Actions Views Interceptadores Validação Inversão de Controle (IoC)

Leia mais

Sankhya Print Service. Manual de instalação e uso

Sankhya Print Service. Manual de instalação e uso Sumário 1 Histórico...4 2 Introdução...5 3 Instalação...6 3.1 Verificando a instalação...11 3.2 Configuração do Sankhya Print Service...11 3.2.1 config.properties...12 3.2.1.1 about.copyright...12 Objetivo...12

Leia mais

PJCUS-361 CONTRATO COM CÓDIGO DE BARRAS

PJCUS-361 CONTRATO COM CÓDIGO DE BARRAS PJCUS-361 CONTRATO COM CÓDIGO DE BARRAS 1 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. HABILITAR FUNCIONALIDADE... 3 3. INSTALANDO OPENOFFICE 4... 3 4. AMBIENTE WINDOWS... 3 4.1. VARIÁVEL DE AMBIENTE... 3 4.2. ADICIONAR

Leia mais

Luiz Arão Araújo Carvalho Bacharel em Ciência da Computação Desenvolvedor RedeSat-TO maximusmano@gmail.com http://www.maxonrails.wordpress.

Luiz Arão Araújo Carvalho Bacharel em Ciência da Computação Desenvolvedor RedeSat-TO maximusmano@gmail.com http://www.maxonrails.wordpress. Parte II Luiz Arão Araújo Carvalho Bacharel em Ciência da Computação Desenvolvedor RedeSat-TO maximusmano@gmail.com http://www.maxonrails.wordpress.com Rails - Instalação Windows gem install rails Plataformas

Leia mais

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye

1. Introdução. 2. Funcionamento básico dos componentes do Neteye 1. Introdução Esse guia foi criado com o propósito de ajudar na instalação do Neteye. Para ajuda na utilização do Software, solicitamos que consulte os manuais da Console [http://www.neteye.com.br/help/doku.php?id=ajuda]

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO DE VERSÃO DO APLICATIVO

PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO DE VERSÃO DO APLICATIVO PROCEDIMENTOS PARA ATUALIZAÇÃO DE VERSÃO DO APLICATIVO MASTERSAFDW VERSÃO 5-25/04/12 PÁGINA 1 Índice Informações Importantes... 3 Atualizando o aplicativo... 4 Procedimentos para atualização da base de

Leia mais

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB

Testes de Software. Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB. Anne Caroline O. Rocha Tester Certified BSTQB NTI UFPB Testes de Software 1 AULA 04 FERRAMENTAS DE AUTOMAÇÃO DE TESTES FUNCIONAIS Anne Caroline O. Rocha TesterCertified BSTQB NTI UFPB Conteúdo Programático Aula 04 Automação de testes funcionais Ferramentas

Leia mais

Arquitetura de uma Webapp

Arquitetura de uma Webapp Arquitetura de uma Webapp Arquitetura J2EE Containers e componentes MVC: introdução Frederico Costa Guedes Pereira 2006 fredguedespereira@gmail.com Plataforma J2EE World Wide Web e a Economia da Informação

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Instalando o Internet Information Services no Windows XP

Instalando o Internet Information Services no Windows XP Internet Information Services - IIS Se você migrou recentemente do Windows 95 ou 98 para o novo sitema operacional da Microsoft Windows XP, e utilizava antes o Personal Web Server, deve ter notado que

Leia mais

Web Design Aula 11: Site na Web

Web Design Aula 11: Site na Web Web Design Aula 11: Site na Web Professora: Priscilla Suene priscilla.silverio@ifrn.edu.br Motivação Criar o site em HTML é interessante Do que adianta se até agora só eu posso vê-lo? Hora de publicar

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Procedimento para Atualização do DDFinance

Procedimento para Atualização do DDFinance Procedimento para Atualização do DDFinance Importante! Faça o backup do Banco de Dados antes de executar o procedimento. O processo de atualização deve ser executado diretamente no servidor para sistemas

Leia mais

Manual de Instalação PIMSConnector em Windows

Manual de Instalação PIMSConnector em Windows Manual de Instalação PIMSConnector em Windows Julho/2015 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Pré-requisitos instalação/implantação/utilização... 4 3. JBOSS... 6 3.1. Instalação... 6 3.2.

Leia mais

Ambientação JAVA. Versão 0.1 MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 UNIVERSIDADE CEUMA 08/01/2014

Ambientação JAVA. Versão 0.1 MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 UNIVERSIDADE CEUMA 08/01/2014 UNIVERSIDADE CEUMA Ambientação JAVA Versão 0.1 08/01/2014 Este é um modelo de configuração para desenvolvimento no ambiente Java. MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 Sumário Sumário... 2 1

Leia mais

GUIA DE INÍCIO RÁPIDO NHS NOBREAK MANAGER 4.0 TOPOLOGIA MÍNIMA DE REDE PARA A INSTALAÇÃO E USO DO SOFTWARE COM GPRS

GUIA DE INÍCIO RÁPIDO NHS NOBREAK MANAGER 4.0 TOPOLOGIA MÍNIMA DE REDE PARA A INSTALAÇÃO E USO DO SOFTWARE COM GPRS GUIA DE INÍCIO RÁPIDO NHS NOBREAK MANAGER 4.0 TOPOLOGIA MÍNIMA DE REDE PARA A INSTALAÇÃO E USO DO SOFTWARE COM GPRS CONFIGURAÇÃO DO GPRS 1. Entre no site da NHS na página de homologação do NHS NOBREAK

Leia mais

Atualizaça o do Playlist Digital

Atualizaça o do Playlist Digital Atualizaça o do Playlist Digital Prezados Clientes, Nós da Playlist Software Solutions empresa líder de mercado no desenvolvimento de software para automação de rádios - primamos pela qualidade de nossos

Leia mais

Atividade Proposta da Disciplina: Laboratório de Rede de Computadores

Atividade Proposta da Disciplina: Laboratório de Rede de Computadores Atividade Proposta da Disciplina: Laboratório de Rede de Computadores Tratamento dos dados gerados pelo Servidor de Web a partir do arquivo de logs. Configuração do Servidor Web para armazenar em um arquivo

Leia mais

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1

O sistema que completa sua empresa Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 Roteiro de Instalação (rev. 15.10.09) Página 1 O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do UNICO. O roteiro poderá ser usado não apenas pelas revendas que apenas estão realizando

Leia mais

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0 Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0 Módulo 07: Outros Componentes Autor: Rodrigo Hjort Serpro / Coordenação Estratégica de Tecnologia / Curitiba www.frameworkdemoiselle.org.br Modificado

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

4 O Workflow e a Máquina de Regras

4 O Workflow e a Máquina de Regras 4 O Workflow e a Máquina de Regras O objetivo do workflow e da máquina de regras é definir um conjunto de passos e regras configuráveis. Ao longo de sua execução, um usuário consegue simplificar o seu

Leia mais

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados

SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição Configurando a Conexão com o Banco de Dados SSE 3.0 Guia Rápido Parametrizando o SISTEMA DE SECRETARIA Nesta Edição 1 Configurando a Conexão com o Banco de Dados 2 Primeiro Acesso ao Sistema Manutenção de Usuários 3 Parametrizando o Sistema Configura

Leia mais

Projeto Arquitetural do IEmbedded

Projeto Arquitetural do IEmbedded Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto I Professora: Francilene Garcia Equipe: Carolina Nogueira de

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes 01 - Apresentação do SiteMaster - News Edition O SiteMaster foi desenvolvido para ser um sistema simples de gerenciamento de notícias, instalado em seu próprio computador e com configuração simplificada,

Leia mais

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc

Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Procedimentos para Reinstalação do Sisloc Sumário: 1. Informações Gerais... 3 2. Criação de backups importantes... 3 3. Reinstalação do Sisloc... 4 Passo a passo... 4 4. Instalação da base de dados Sisloc...

Leia mais

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 CAPÍTULO 18 INSTALANDO E CONFIGURANDO O MICROSOFT OFFICE PROJECT SERVER 2003 INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 Antes de começar a instalação do Microsoft Office Project Server 2003

Leia mais

Trabalho de Sistema de Informações. Instalação e configuração aplicativo Ocomon

Trabalho de Sistema de Informações. Instalação e configuração aplicativo Ocomon Trabalho de Sistema de Informações Aluno: Paulo Roberto Carvalho da Silva Instalação e configuração aplicativo Ocomon O trabalho tem como objetivo o estudo de caso,a instalação, configuração e funcionamento

Leia mais

Configurando DDNS no Stand Alone

Configurando DDNS no Stand Alone Configurando DDNS no Stand Alone Abra o seu navegador de internet e acesse o endereço http://www.advr.com.tw(ou, http://59.124.143.151 ). Clique em Register para efetuar o cadastro de um novo grupo.(foto

Leia mais

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR 1 - Integra Services Atenção: o Integra Services está disponível a partir da versão 2.0 do software Urano Integra. O Integra Services é um aplicativo que faz parte

Leia mais

Instalação e Configuração do CollabNet Subversion Edge

Instalação e Configuração do CollabNet Subversion Edge Instalação e Configuração do CollabNet Subversion Edge 1) Descrição O Subversion Edge é um pacote da distribuição do Subversion SCM, que foi criado e distribuido pela empresa CollabNet com o objetivo de

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0

MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. Motor Periférico Versão 8.0 MANUAL DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO Motor Periférico Versão 8.0 1. Apresentação... 3 2. Instalação do Java... 3 2.1 Download e Instalação... 3 2.2 Verificar Instalação... 3 3. Download do Motor Periférico...

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS 1 de 6 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS BURITREINAMENTOS MANAUS-AM NOVEMBRO / 2014 2 de 6 PACOTES DE TREINAMENTOS BURITECH A Buritech desenvolveu um grupo de pacotes de treinamentos, aqui chamados de BuriPacks,

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS CONTROLE DE ACESSO USANDO O FRAMEWORK RICHFACES 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Alunos: Alessandro Aparecido André Alexandre Bruno Santiago Thiago Castilho

Leia mais

Manual de Navegação Básica. Siga Relacionamento Sou Abrasel - Site

Manual de Navegação Básica. Siga Relacionamento Sou Abrasel - Site Manual de Navegação Básica Siga Relacionamento Sou Abrasel - Site 1 Conteúdo Iniciando a implantação:... 3 para o treinamento no encontro de executivos... 3 Siga Relacionamento... 4 O que é Unidade de

Leia mais

Manual de Instalação do AP_Conta Windows

Manual de Instalação do AP_Conta Windows Manual de Instalação do AP_Conta Windows aplicativo off line para geração e envio de cobranças eletrônicas no padrão TISS CAPESESP ANS nº 324477 atualizado em 24/04/2012 AP_Conta Windows O AP_Conta Windows

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 12.1

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 12.1 06/2015 Sumário 1 Prefácio... 3 1.2 Finalidade... 3 1.3 Público Alvo... 3 1.4 Organização deste Guia... 3 1.5 Documentações Importantes... 3 2 Atualização... 4 2.1 Executando o Updater de Atualização...

Leia mais

Como criar um EJB. Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse

Como criar um EJB. Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse Como criar um EJB Criando um projeto EJB com um cliente WEB no Eclipse Gabriel Novais Amorim Abril/2014 Este tutorial apresenta o passo a passo para se criar um projeto EJB no Eclipse com um cliente web

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Tutorial Web Mail. Acesso e Utilização. MPX Brasil Cuiabá/MT: Av. Mal Deodoro, 1522 B Centro Norte. Contato: (65) 3364-3132 cuiaba@mpxbrasil.com.

Tutorial Web Mail. Acesso e Utilização. MPX Brasil Cuiabá/MT: Av. Mal Deodoro, 1522 B Centro Norte. Contato: (65) 3364-3132 cuiaba@mpxbrasil.com. Tutorial Web Mail Acesso e Utilização Como acessar meu e-mail institucional? 1. Para acessar seu e-mail institucional, acesse primeiramente o site ao qual ele pertence, por exemplo o e-mail contato@alianca.to.gov.br

Leia mais

Apex Desenvolvendo Aplicações Web

Apex Desenvolvendo Aplicações Web Apex Desenvolvendo Aplicações Web Instrutores Rafael Tomé Obje?vos Introduzir ao universo Oracle. Conhecer a facilidade de desenvolver para web com APEX. Criação de uma rápida aplicação com os recursos

Leia mais

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Nota Fiscal Paulista. Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Nota Fiscal Paulista Manual do TD REDF (Transmissor de Dados Registro Eletrônico de Documentos Fiscais) Versão 1.1 15/02/2008 Página 1 de 17 Índice Analítico 1. Considerações Iniciais 3 2. Instalação do

Leia mais

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução

SCIM 1.0. Guia Rápido. Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal. Introdução SCIM 1.0 Guia Rápido Instalando, Parametrizando e Utilizando o Sistema de Controle Interno Municipal Introdução Nesta Edição O sistema de Controle Interno administra o questionário que será usado no chek-list

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Tutorial Básico. Instalando e testando o Ruby on Rails no Windows

Tutorial Básico. Instalando e testando o Ruby on Rails no Windows Tutorial Básico Instalando e testando o Ruby on Rails no Windows Ana Luiza Dias Organização do Tutorial: Passos para a instalação...pág 2 Passos para a criação de um projeto rails...pág 3 Passos para acompanhar

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br Sumário 1. Boas vindas... 4 2. Dashboard... 4 3. Cloud... 5 3.1 Servidores... 5 o Contratar Novo Servidor... 5 o Detalhes do Servidor... 9 3.2 Cloud Backup... 13 o Alteração de quota... 13 o Senha do agente...

Leia mais