Treinamento das Habilidades de Comunicação: uma Ferramenta proativa para a segurança de Aviação.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Treinamento das Habilidades de Comunicação: uma Ferramenta proativa para a segurança de Aviação."

Transcrição

1 Treinamento das Habilidades de Comunicação: uma Ferramenta proativa para a segurança de Aviação. Ana Maria Vieira ITA Prof. Dra. Isabel Cristina dos Santos UNITAU Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 335 de

2 Motivação Contribuir para redução de acidentes e incidentes aéreos causados, no todo ou em parte, por falhas no relacionamento interpessoal e comunicação ineficaz Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 336 de

3 Provavelmente nenhuma outra atividade seja tão vulnerável ao desempenho da comunicação como a Aviação (MONAN, 1988) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 337 de

4 Comunicação real Copiloto: We re running out of fuel Controlador: [ ] is that fine with you and your fuel? Copiloto: I I I guess so. Thank you very much. Copiloto: Avianca 052, we just lost two engines and we need priority, please Falhas de comunicação Copiloto: Segundo a gravação de voz, o piloto comentou, de modo calmo e em tom de voz baixo, que estava ficando com pouco combustível. Não soube transmitir assertivamente a situação de emergência. Sua transmissão minimizada da situação, para a ATC, pareceu tratar-se apenas de uma informação sobre o combustível, o que contribuiu para diminuir a consciência situacional de todos os envolvidos na comunicação. Copiloto: Não soube dar um feedback eficaz e necessário quando questionado sobre o combustível. Em vez de declarar emergência, o copiloto afirmou à torre que achava que o combustível daria, e ainda agradeceu, dando um feedback positivo para uma situação negativa. O copiloto mostrouse um comunicador passivo, cujo objetivo é agradar aos outros e evitar conflitos. Controlador: Não usou a escuta ativa e não detectou os sinais de hesitação (I... I... I...) e o uso da palavra guess como uma red flag de dúvida, e não solicitou um feedback para esclarecer a situação. Faltou a habilidade de distinguir fato de opinião. Copiloto: O copiloto não utilizou a fraseologia padrão da sua área e função: utilizou priority em vez de mayday ou pan-pan. Fraseologia inadequada resulta em quebra da comunicação Controlador: Mostrou não possuir a habilidade da escuta ativa. Um profissional bem treinado desconfia do significado das palavras fora do padrão; no caso, a palavra 'prioridade'. Elas surgem, então, como red flags que devem ser esclarecidas Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 338 de Diálogo corrigido pelo THC Primeiro, utilizar a fraseologia padrão de emergência para chamar a atenção do controlador - com tom de voz forte e firme. Falar o número do voo, para facilitar a localização do voo, pelo controlador. Falar de forma concisa o tipo de emergência. Copiloto: Mayday! Mayday! Avianca 052, emergência fuel situation. O copiloto, agindo de maneira assertiva, teria tempo e combustível suficiente para o controlador agir da maneira padrão. O controlador, quando recebesse a mensagem mayday, daria prioridade imediata de pouso para o Avianca 052.

5 Introdução Erro humano é responsável por 60 a 80% dos acidentes e incidentes de voo. Falhas no relacionamento interpessoal e comunicação ineficaz são identificadas como causas desses erros (FAA,2004). 80% dos acidentes na Aviação, nos últimos 20 anos - deficiências na comunicação interpessoal (KRIFKA et al., 2003). Aviation Safety Reporting System (ASRS ) - 70% de falhas nas comunicações interpessoais (SEXTON; HELMREICH, 2000) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 339 de

6 Conceitos Relacionamento interpessoal. Capacidade para estabelecer e manter interações sociais simultaneamente produtivas e satisfatórias diante de diferentes interlocutores, situações e demandas. (DEL PRETTE E DEL PRETTE,1998) Comunicação Interpessoal Processo pelo qual a informação é trocada e entendida por duas ou mais pessoas. (PESTANA, 2006) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 340 de

7 Conceitos Este Estudo - visão integrada - agrupamento das habilidades sociais e habilidades de comunicação. Habilidades de comunicação - habilidades verbais, nãoverbais, escritas e estratégicas sociais utilizadas pelos indivíduos para gerir as relações interpessoais, expressar sentimentos, compartilhar visões da realidade e divulgar mensagens informativas e de persuasão, de modo adequado à situação, resolvendo e minimizando problemas Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 341 de

8 Pesquisa realizada por Segrin e Flora (2000): Profissionais com níveis mais elevados de habilidades de comunicação são mais resistentes aos efeitos estressores de uma situação de risco Indivíduos com poucas habilidades sofrem um agravamento dos problemas, quando confrontados com eventos estressores. Portanto, na esfera da aviação, há vantagens consideráveis para se adquirir habilidades d e comunicação Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 342 de

9 Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 343 de

10 Fatores socioculturais e a comunicação A cultura nacional exerce uma poderosa influência no desempenho, formação e treinamento do profissional (HOFSTEDE, 1991). Duarte (2008): Informalidade - característica presente na cultura brasileira - forte tendência para fugir às formalidades e às regras. Os treinamentos precisam considerar diferenças e peculiaridades locais. Programas de treinamento desenvolvidos em um país e posteriormente aplicados em outros são, comprovadamente, pouco eficazes (MESHKATI, 2001) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 344 de

11 Fatores socioculturais e a comunicação Ocorrência: acidente aeronáutico Data: 29 set 2006 ACC BS Centro de Controle de Área de Brasília ACC AZ Centro de Controle de Área Amazônico A transferência do voo foi realizada com o seguinte diálogo: ACC AZ: Oi, Brasília. ACC BS: November meia zero zero x-ray Lima, tem? ACC AZ: Tem aqui. ACC BS: Tá entrando na tua área já aí. ACC AZ: Tenho sim, tenho sim. ACC BS: Beleza, três meia zero tá te chamando aí. ACC AZ: Tá beleza! ACC BS: Valeu. ACC AZ: Valeu, falou. Observaram-se desvios de procedimento com relação à fraseologia prevista, em várias situações da atividade de controle de tráfego aéreo e nos diversos órgãos envolvidos no acidente - fatores contribuintes (CENIPA, 2008) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 345 de

12 Identificar os aspectos culturais que podem influenciar na segurança treinar comportamentos desejáveis Melhorias significativas nos treinamentos dos profissionais da aviação, desde sua formação comunicação mais assertiva Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 346 de

13 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Comunicação e automação: Quebra da comunicação + falta de informações = acidente Comunicação + atenção compartilhada = decisões eficazes Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 347 de

14 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Estudo National Culture and Flightdeck Automation (HELMEREICH et al.,1997), Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 348 de

15 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Apesar de os pilotos reconhecerem a necessidade de um maior número de verificações cruzadas, os dados recolhidos por peritos durante voos de linhas comerciais indicaram que há muitos casos em que os pilotos não se comunicam e demoram a reconhecer as alterações de programação (Helmreich, et. al. 1996) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 349 de

16 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação comunicação escrita - o emissor perde a capacidade de comunicação não-verbal, como o tom e a expressão facial; assim, a escolha de palavras é extremamente importante na transmissão da mensagem. Work cards - 46% dos casos de acidentes de manutenção (Parke, et. al., 2003) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 350 de

17 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Padrão linguístico da palavra vazio é associado a nulo, sem efeito, negativo, inerte. O termo desconsidera a existência de vapores ou vestígios dispersos dentro do recipiente. Comandante - vazio não oferece risco. Como resultado, os passageiros tiveram sua "última linha de defesa derrubada. A diferença de pressão maçaricos - incêndio que matou todos os ocupantes do voo Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 351 de

18 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Comunicaçao interna: A comunicação interna é menos eficaz do que se acredita ser, porém, sua falha só é descoberta após algum acontecimento indesejável (Mouden, 1992). Falhas latentes dizem respeito, também, a mensagens mal formuladas, que levam a erros de conduta (REASON, 1990) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 352 de

19 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Data: XX, May :40: Assunto: Atrasos e PPR. Como já é de nosso conhecimento, conseguir o PPR (Programa de Participação nos Resultados) está ligado diretamente à diminuição e, porque não dizer, extinção de todo e qualquer atraso; portanto, a equipe responsável por maior número de atrasos será penalizada com o não recebimento deste benefício. Tripulação de cabine, tripulação comercial, DOVs, manutenção, rampa, etc. devem enviar relatórios, com a maior brevidade possível, apontando a equipe responsável pelo atraso. Vamos gerar uma sinergia de equipes para acabarmos com os atrasos e nossa empresa ser reconhecida como a mais pontual do mundo. Desafios servem para transformamos nossos bons colaboradores de hoje em ótimos colaboradores amanhã (DEPOIMENTO A, 2009) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 353 de

20 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação 1. A filosofia do CRM foi deturpada: o que parece ter conotação de união, na realidade acaba por segregar os grupos, quebrar o senso de envolvimento do todo na melhoria do gerenciamento de ameaças e erros, transformando equipes de trabalho em competidores que agem como se estivessem participando de uma grande gincana; 2. Delação improdutiva: Reason (1997) define como blame cycles, que não soluciona a questão do atraso e contribui para o surgimento de erros e violações; 3. Para ganhar o adicional no pagamento, cortam-se caminhos e queimam-se etapas (manutenção 'nervosa', check de emergência malfeito, briefing eliminado, dentre outras questões de emergências que são relegadas); 4. síndrome do hurry up (síndrome da pressa), que ocorre em qualquer situação em que o desempenho de uma equipe (ex: uma tripulação) é degradado devido à pressão para que tarefas sejam cumpridas rapidamente - frequentemente apontada em relatórios de acidentes e incidentes aéreos Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 354 de

21 Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 355 de

22 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Não-verbal: linguagem corporal, sinais manuais a partir do solo para a cabine, entre os tripulantes técnicos e a tripulação de cabine e os passageiros. Habilidade para perceber os sinais não verbais: Observar os comportamentos não verbais, reconhecer um sentimento ou emoção e agir de acordo com o contexto. Perceber, traduzir e agir Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 356 de

23 Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 357 de

24 Habilidades de Comunicação e a Segurança de Aviação Pesquisa EUROCONTROL =Air Ground Communication Safety Study (2006) - Os problemas de comunicação frequentemente citados estavam relacionados a fatores humanos, tais como: Velocidade de fala do controlador Distração do piloto Ansiedade do controlador Fadiga do Piloto Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 358 de

25 Deficiência das habilidades de comunicação como ferramenta socializadora. É importante que controladores sejam comunicadores assertivos em situações de conflito e que saibam utilizar técnicas para reverter uma comunicação que possa comprometer a segurança do voo Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 359 de

26 tripulantes e médicos Principais fatores contribuintes para as falhas médicas (HELMREICHh2000) Comunicação: não informar a equipe sobre problemas e falta de habilidade para discutir procedimentos alternativos. Liderança: não estabelecer uma liderança correta para gerenciamento da equipe. Relações interpessoais: conflitos e hostilidade, por exemplo, a condição do paciente deteriora-se, enquanto cirurgião e anestesista estão em conflito. Falta de Preparação Falta de planejamento Falha de Julgamento Falta de acompanhamento da situação Principais fatores contribuinte dos acidentes aéreos de acordo com. Panorama Estatístico da Aviação Civil brasileira de 2000 a 2009 (CENIPA, 2010) Julgamento Supervisão Planejamento Aspectos psicológicos (Relacionamento interpessoal, intra e intergrupal) Indisciplina de voo Coordenação de cabine -Ineficiência no aproveitamento dos recursos humanos em virtude de falha na comunicação e no relacionamento interpessoal. Esquecimento Treinamento de habilidades de comunicação nos cursos dos profissionais da saúde. 6 anos depois da conclusão dos cursos - médicos que receberam o treinamento mantiveram tais habilidades: eram profissionais mais empáticos, mais autoconfiantes, com melhores habilidades comunicacionais Obrigatoriedade do Exame de Habilidades de Comunicação, ministrado pelo Conselho Nacional de Examinadores Médicos, para obtenção da licença profissional Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 360 de

27 Corporate Resource Management (CRM ) Empresas aéreas - criação do Corporate Resource Management (CRM) como resposta às novas compreensões em relação às causas dos acidentes - falhas humanas Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 361 de

28 Corporate Resource Management (CRM ) Falhas de gestão dos recursos da tripulação: um em cada cinco acidentes aéreos. Efeitos positivos de curta duração (HELMREICH, et al., 1999). falhas de Gerenciamento de Recursos de Equipes: 60%, (CRM ) acidentes a bordo, e 80%, operações preparação de voo (SHAPPEL et al., 2006). Principais fatores contribuinte dos acidentes aéreos na Aviação Civil brasileira, de 2000 a 2009, apontam baixa consciência situacional referente ao aspecto da aplicação da doutrina CRM Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 362 de

29 Corporate Resource Management (CRM ) Quais as possíveis causas para a ocorrência dessas falhas de CRM? Nesse contexto, podemos analisar essas falhas do ponto de vista de uma falha anterior, advinda dos cursos de aviação Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 363 de

30 O CRM deve enfatizar o trabalho de equipe, e não a competência técnica individual, visando a eficiência e a eficácia no desempenho operacional. ( IAC A) Antes de trabalharem em grupo, os indivíduos necessitam ter suas (CRM ) (CRM ) habilidades interpessoais desenvolvidas e, em particular, a capacidade individual de comunicar-se com os outros, de ouvi-los, influenciá-los, e assim por diante (MOHRMAN et. al, 1995). Escolas de aviação: focotreinar habilidade sociais individuais : saber escutar; saber utilizar a empatia para compreender o outro; ter flexibilidade para elaborar novas formas de lidar com impasses ou rupturas interpessoais; e, ter capacidade de promover mudanças individuais, visando otimizar o desempenho da equipe Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 364 de O treinamento de habilidades de sociais suporta o CRM.

31 Conclusões Necessidade de profissionais com habilidades de comunicação, em todos os setores da Aviação, propiciando ações comunicativas moldadas de forma mais assertiva e, consequentemente, reduzindo ao menor nível possível os efeitos negativos do processo de comunicação. O diagnóstico da situação atual das grades curriculares das escolas de Aviação aponta para a insuficiência dos conteúdos relacionados ao desenvolvimento de habilidades de comunicação e ao descompasso entre as necessidades das empresas aéreas e a formação oferecida pelas escolas de Aviação. As escolas de Aviação treinam os seus alunos, de acordo com parâmetros prioritariamente técnicos, como fora nos primórdios da Aviação, desconsiderando as relações humanas. O desenvolvimento individual das habilidades de comunicação é uma ferramenta relevante e significativa para a eficácia do Treinamento de Corporate Resource Management (CRM) Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 365 de

32 Recomendações Formato do Treinamento de Habilidades de Comunicação (THC): adaptação do Treinamento das Habilidades Sociais, desenvolvido por Caballo (2003), integrado a Psicologia das Relações Interpessoais desenvolvida por Del Prette e Del Prette (2004). Técnicas de treinamento Dramatização ( jogo de papéis, role playing ) Ensaio de comportamento Modelação Prática do feedback Vivências Audição de conversas gravadas pelo Cockpit Voice Recorder para desenvolver a Análise Perceptiva Auditiva Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 366 de

33 Conteúdo básico do Treinamento de Habilidades de Comunicação (THC) Ensinar e treinar os tipos de comunicação e mostrar a importância de cada um no contexto da aviação. Identificar os diferentes estilos de comunicação e suas influências (assertiva, agressiva, não assertiva e passiva). Desenvolver a habilidade do Autoconhecimento, Autocontrole e Empatia. Desenvolver a Habilidade Perceptivo-visual: realizar uma leitura consciente da linguagem não verbal, reconhecer um sentimento ou emoção e agir de acordo com a situação identificada; Treinar Análise Perceptivoauditiva = paralinguagem (tom de voz, pausas, velocidade da fala, marcadores de hesitação e outros); Treinar as habilidades para dar e receber feedback; Praticar exercícios desafiadores e criativos que levem os alunos ao desenvolvimento da habilidade de escrita assertiva; Ensinar e praticar estratégias eficazes de comunicação num sistema de gestão de emergência; Aplicar técnicas de gerenciamento de comportamentos inconvenientes, utilizando a linguagem verbal e não-verbal Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 367 de

34 As palavras podem ferir e, na aviação, isto é uma verdade e não uma metáfora!!! Tel: xx Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página 368 de

Treinamento das Habilidades de Comunicação: uma Ferramenta proativa para a segurança de Aviação.

Treinamento das Habilidades de Comunicação: uma Ferramenta proativa para a segurança de Aviação. Treinamento das Habilidades de Comunicação: uma Ferramenta proativa para a segurança de Aviação. Ana Maria Vieira - Mestre em Segurança de Aviação Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) Isabel Cristina

Leia mais

2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de Segurança Operacional. 09 a 11 de novembro de 2010

2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de Segurança Operacional. 09 a 11 de novembro de 2010 2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de 17 a 19 de novembro de 2009 Segurança Operacional 09 a 11 de novembro de 2010 Segurança Acima de Tudo Ferramentas de Segurança Operacional Histórico

Leia mais

CREW RESOURCE MANAGEMENT

CREW RESOURCE MANAGEMENT CREW RESOURCE MANAGEMENT Como integrar o CRM na cultura da sua empresa Monica Lavoyer Escudeiro E S P E C I A L I S TA E M R E G U L A Ç Ã O D E AV I A Ç Ã O C I V I L G E R Ê N C I A T É C N I C A D E

Leia mais

CONSCIÊNCIA SITUACIONAL

CONSCIÊNCIA SITUACIONAL GRUPO DE TRANSPORTE ESPECIAL CONSCIÊNCIA SITUACIONAL CONSCIÊNCIA SITUACIONAL Objetivo Reconhecer a importância da manutenção da Consciência Situacional elevada como aspecto básico de CRM entendendo sua

Leia mais

5º SSV MAJ JOSÉ ANTONIO SAZDJIAN JÚNIOR. Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo. Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial

5º SSV MAJ JOSÉ ANTONIO SAZDJIAN JÚNIOR. Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo. Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo 5º SSV MAJ JOSÉ ANTONIO SAZDJIAN JÚNIOR - - - - - - - - - - Anais do 5º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2012)

Leia mais

Índice do Número de Acidentes da Aviação Regular a cada um Milhão de Decolagens em 2012

Índice do Número de Acidentes da Aviação Regular a cada um Milhão de Decolagens em 2012 1 2 3 4 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 Índice do Número de Acidentes da Aviação Regular a cada um Milhão de Decolagens em 2012 1,9 4,8 de A. **Fonte do índice dos Continentes: ICAO. 2,7 4,2 3,8 2,8 3,2 1,0 0,0 Brasil*

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS Manual de Aplicação Questionário de Levantamento Organizacional e de Fatores Humanos Brasília, novembro

Leia mais

MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO

MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO MULTIMEIOS DA COMUNICAÇÃO RINALDIi, Andréia Cristina Alves; ROSA, Antonio Valin; TIVO,,Emerson dos Santos; OLIVEIRA JÚNIOR, José Mendes de; REIS, Marcela Alves dos; SANTOS JÚNIOR,Sergio Silva dos; FREITAS,

Leia mais

PROGRAMA MOSA MAINTENANCE OPERATIONS SAFETY AUDIT (PROGRAMA DE OBSERVAÇÕES DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO)

PROGRAMA MOSA MAINTENANCE OPERATIONS SAFETY AUDIT (PROGRAMA DE OBSERVAÇÕES DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO) PROGRAMA MOSA MAINTENANCE OPERATIONS SAFETY AUDIT (PROGRAMA DE OBSERVAÇÕES DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO) - - - - - - - - - - Anais do 4º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2011) Direitos Reservados - Página

Leia mais

INCURSÃO EM PISTA: UM PROBLEMA ATUAL E CRESCENTE

INCURSÃO EM PISTA: UM PROBLEMA ATUAL E CRESCENTE INCURSÃO EM PISTA: UM PROBLEMA ATUAL E CRESCENTE 1 FONSECA, Wilber Campos 2 BARCO, Juliana Alexandra P. de C Ms. Humberto César Machado. RESUMO: Com a elevada demanda no tráfego aéreo, o número de incursões

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL. Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008

HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL. Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 HISTÓRICO DO SMS NO BRASIL Evolução 1º SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL ANAC - 05/12/2008 OBJETIVO Conhecer a evolução do pensamento sobre Gerenciamento

Leia mais

Wilza Carla Spiri TRABALHO EM EQUIPE E PROCESSO GRUPAL GERENCIAMENTO DE CONFLITOS E NEGOCIAÇÃO

Wilza Carla Spiri TRABALHO EM EQUIPE E PROCESSO GRUPAL GERENCIAMENTO DE CONFLITOS E NEGOCIAÇÃO TRABALHO EM EQUIPE E PROCESSO GRUPAL GERENCIAMENTO DE CONFLITOS E NEGOCIAÇÃO O TRABALHO EM SAÚDE Engloba inúmeras ações de que podem ser executadas parceladamente ou integradamente Wilza Carla Spiri EQUIPE

Leia mais

PreviNE CONSCIÊNCIA SITUACIONAL E A SEGURANÇA OPERACIONAL. A aeronave da Figura 1 decolou do Aeroporto de Congonhas - SBSP, São Paulo-SP, às

PreviNE CONSCIÊNCIA SITUACIONAL E A SEGURANÇA OPERACIONAL. A aeronave da Figura 1 decolou do Aeroporto de Congonhas - SBSP, São Paulo-SP, às CONSCIÊNCIA SITUACIONAL E A SEGURANÇA OPERACIONAL Figura 1 - Acidente em que a perda da Consciência Situacional foi um dos fatores contribuintes (BRASIL, 2009). A aeronave da Figura 1 decolou do Aeroporto

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Aula 05 Prof. Esp. Gladimir Ceroni Catarino gccatarino@senacrs.edu.br gladimir@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE

Leia mais

TREINO DE APTIDÕES SOCIAIS

TREINO DE APTIDÕES SOCIAIS APTIDÕES SOCIAIS TREINO DE APTIDÕES SOCIAIS Objectivo: aumentar as competências do sujeito para lidar com situações sociais e diminuir a sua ansiedade ou desconforto nestas Teorias acerca da etiologia

Leia mais

Estudo de caso de relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho.

Estudo de caso de relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. Estudo de caso de relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. Giovanna Ferreira Curvelo 1 Resumo. Este ensaio tem a finalidade de estudar a importância da Inteligência Emocional no ambiente de

Leia mais

DEFINIÇÃO DE ALVO COMO REDUZIR OS ÍNDICES DE ACIDENTES AERONÁUTICOS NO BRASIL?

DEFINIÇÃO DE ALVO COMO REDUZIR OS ÍNDICES DE ACIDENTES AERONÁUTICOS NO BRASIL? DEFINIÇÃO DE ALVO COMO REDUZIR OS ÍNDICES DE ACIDENTES AERONÁUTICOS NO BRASIL? - - - - - - - - - - Anais do 5º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2012) Direitos Reservados - Página 215 de 1112 - - - - -

Leia mais

Balão fez Airbus perder sensor no RJ como em queda do AF447

Balão fez Airbus perder sensor no RJ como em queda do AF447 Balão fez Airbus perder sensor no RJ como em queda do AF447 Avião da TAM com 95 passageiros ficou sem dados em 2011, após decolar. Companhia respondeu que melhorou treinamento de pilotos, diz relatório

Leia mais

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos

Promoção de Experiências Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos Positivas Crianças e Jovens PEP-CJ Apresentação geral dos módulos Universidade do Minho Escola de Psicologia rgomes@psi.uminho.pt www.psi.uminho.pt/ www.ardh-gi.com Esta apresentação não substitui a leitura

Leia mais

Agenda. A Tríade. Relacionamento e Comunicação

Agenda. A Tríade. Relacionamento e Comunicação São Paulo agosto 2012 A Tríade Corpo Relacionamento e Comunicação A busca de resultados através das pessoas Alma Mente 1 2 Agenda "Não há maior sinal de LOUCURA do que fazer uma coisa repetidamente e esperar

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO- OPERACIONAL STE

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO- OPERACIONAL STE REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO TÉCNICO- OPERACIONAL STE INSTRUÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL IAC 060-1002A TREINAMENTO EM GERENCIAMENTO DE RECURSOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS FCA 58-1

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS FCA 58-1 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS FCA 58-1 PANORAMA ESTATÍSTICO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA EM 212 213 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

Leia mais

O porquê de se investir na Confiabilidade Humana Parte 7 Por onde começar?

O porquê de se investir na Confiabilidade Humana Parte 7 Por onde começar? O porquê de se investir na Confiabilidade Humana Parte 7 Por onde começar? Eng. Dr. José L. Lopes Alves INTRODUÇÃO Organizações no ramo industrial, da saúde, de energia, por exemplo, têm investido enormes

Leia mais

TRABALHO EM EQUIPA MOTIVAÇÃO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. Como puderam imaginar todos esses sábios que o homem precisa de uma vontade normal virtuosa?

TRABALHO EM EQUIPA MOTIVAÇÃO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. Como puderam imaginar todos esses sábios que o homem precisa de uma vontade normal virtuosa? TRABALHO EM EQUIPA NA Como puderam imaginar todos esses sábios que o homem precisa de uma vontade normal virtuosa? Onde foram buscar essa ideia de que o homem precisa de desejar de maneira sensata e proveitosa?

Leia mais

ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL

ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL COMUNICAÇÃO E IMAGEM COMO FACTORES COMPETITIVOS A sua empresa tem problemas ao nível da comunicação interna? Promover a Comunicação assertiva no relacionamento

Leia mais

O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral?

O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral? O relatório deverá ser preenchido e enviado para o e-mail relatorio.semestral@anac.gov.br. Para que serve o sistema de envio de relatório semestral? O sistema de envio de relatório semestral tem por finalidade

Leia mais

PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING

PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING 11 PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING W W W. C O M U N I C A C A O E M F O C O. C O M. BR SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS... 3 2. CURSOS IN COMPANY 2.1. ORATÓRIA E TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO...

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE

PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS ACTIVIDADES/ - Apresentar comportamentos que promovam um melhor crescimento saudável de si, dada a compreensão

Leia mais

Segurança de Vôo: Uma Prioridade, e Algo Segurança de Vôo: Uma Prioridade, e Algo - Conceito de segurança de vôo: é a parte integral da operação eficiente, que nasce com o projeto, amadurece com o plano

Leia mais

TÉCNICAS DE ATENDIMENTO

TÉCNICAS DE ATENDIMENTO GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos de Educação e Formação Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL TÉCNICAS DE ATENDIMENTO (Tipo 3) Página 1 de 7 Competências Gerais Acolher clientes, diagnosticar

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS PANORAMA ESTATÍSTICO DA AVIAÇÃO CIVIL BRASILEIRA PARA A 9 1 Sumário Panorama Atual dos Dados Relativos às

Leia mais

ANÁLISE DE NECESSIDADES DO CONTROLADOR DE TRÁFEGO AÉREO: EM BUSCA DE UMA PROPOSTA DE CURSO DA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA COM ENFOQUE NO DESEMPENHO ORAL

ANÁLISE DE NECESSIDADES DO CONTROLADOR DE TRÁFEGO AÉREO: EM BUSCA DE UMA PROPOSTA DE CURSO DA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA COM ENFOQUE NO DESEMPENHO ORAL ANÁLISE DE NECESSIDADES DO CONTROLADOR DE TRÁFEGO AÉREO: EM BUSCA DE UMA PROPOSTA DE CURSO DA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA COM ENFOQUE NO DESEMPENHO ORAL INTRODUÇÃO Patrícia Palhares Tupinambá FERNANDES DE

Leia mais

Inteligência. Emocional

Inteligência. Emocional Inteligência Emocional Inteligência Emocional O que querem os empregadores?? Atualmente, as habilitações técnicas específicas são menos importantes do que a capacidade implícita de aprender no trabalho

Leia mais

Utilização de processos de gestão e ferramentas computacionais para melhoria da segurança operacional

Utilização de processos de gestão e ferramentas computacionais para melhoria da segurança operacional Utilização de processos de gestão e ferramentas computacionais para melhoria da segurança operacional GUILHERME ROCHA São José dos Campos - SP INSTITUTO DE PESQUISAS E ENSAIOS EM VOO Agosto 2011 SSV 2011

Leia mais

Integração na Coleta de dados de Segurança Operacional Gerência Executiva de Segurança Operacional

Integração na Coleta de dados de Segurança Operacional Gerência Executiva de Segurança Operacional Integração na Coleta de dados de Segurança Operacional Gerência Executiva de Segurança Operacional O QUE SOMOS? Nome: Alexsandro Silva Função: Gerente de Qualidade Operacional Atividades: Responsável pelo

Leia mais

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL HABILIDADE DE SE IDENTIFICAR E GERIR AS PRÓPRIAS EMOÇÕES E DE OUTRAS PESSOAS. 2013 Hogan Assessment Systems Inc.

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL HABILIDADE DE SE IDENTIFICAR E GERIR AS PRÓPRIAS EMOÇÕES E DE OUTRAS PESSOAS. 2013 Hogan Assessment Systems Inc. INTELIGÊNCIA EMOCIONAL EQ A HABILIDADE DE SE IDENTIFICAR E GERIR AS PRÓPRIAS EMOÇÕES E DE OUTRAS PESSOAS Relatório para Tal Fulano ID HC748264 Data 12, Novembro, 2014 2013 Hogan Assessment Systems Inc.

Leia mais

Liderança. Potencial PSI. Competências. Liderança: Qual é a definição? Conhecimento. -Com pares - Com subordinado - Com clientes -Com Gestor

Liderança. Potencial PSI. Competências. Liderança: Qual é a definição? Conhecimento. -Com pares - Com subordinado - Com clientes -Com Gestor Liderança Competências Conhecimento Habilidade Atitude - - Relacionamento - - -Com pares - Com subordinado - Com clientes -Com Gestor Crise Liderança: Qual é a definição? Principal fator de saída da empresa

Leia mais

Atendimento Eficaz ao Cliente

Atendimento Eficaz ao Cliente Atendimento Eficaz ao Cliente Aquele que conhece os outros é inteligente, Aquele que conhece a si mesmo é sábio. (Lao-Tsé, filósofo chinês, séc. IV a. C.) Conhece-te a ti mesmo. (Sócrates, filósofo grego,

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos.

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos. Gestão de Recursos Humanos Aula 2 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Liderança Competências gerenciais Formação de equipes Empreendedor Liderança X Gerenciamento Conceito e estilos

Leia mais

Gestão Eficaz de Queixas e Reclamações

Gestão Eficaz de Queixas e Reclamações Gestão Eficaz de Queixas e Reclamações Bem vindos Ana Santos Martins 1 A Imagem da Empresa e a Qualidade do Serviço (1/3) A Qualidade do Serviço ao Cliente é sem dúvida, a melhor Imagem que as empresas

Leia mais

- - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página 650 de 843 - - - -

- - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página 650 de 843 - - - - - - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página 650 de 843 - - - - Histórico Histórico Início da Decolagem Falha do motor Impacto Saída do solo - - - - Anais

Leia mais

MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES

MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES 1 MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES Wainy Indaiá Exaltação Jesuíno 1 Marco Antônio 2 Resumo O objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da análise do clima organizacional para mudança da cultura

Leia mais

Os erros são do sistema, do profissional ou da instituição? Responsabilização e Cultura Justa

Os erros são do sistema, do profissional ou da instituição? Responsabilização e Cultura Justa Os erros são do sistema, do profissional ou da instituição? Responsabilização e Cultura Justa Erro Humano e Cultura Organizacional. Felipe Koeller R. Vieira Oficial Aviador Investigador Sênior de Acidentes

Leia mais

HÁ LIMITES PARA O CRESCIMENTO DO SETOR IMOBILIÁRIO? Aplicando Inteligência Emocional na Gestão de Mudanças

HÁ LIMITES PARA O CRESCIMENTO DO SETOR IMOBILIÁRIO? Aplicando Inteligência Emocional na Gestão de Mudanças Aplicando Inteligência Emocional na Gestão de Mudanças Choques Econômicos dos últimos anos Filhos do Downsizing Geração X Foco na carreira e no seu processo de desenvolvimento profissional. Síndrome de

Leia mais

CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS - CENIPA. Brig Ar CARLOS Alberto da Conceição (61) 3364-8800 cac363@gmail.

CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS - CENIPA. Brig Ar CARLOS Alberto da Conceição (61) 3364-8800 cac363@gmail. CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS - CENIPA Brig Ar CARLOS Alberto da Conceição (61) 3364-8800 cac363@gmail.com OBJETIVO APRESENTAR O CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES

Leia mais

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA: elementos, barreiras e técnicas

COMUNICAÇÃO ASSERTIVA: elementos, barreiras e técnicas COMUNICAÇÃO ASSERTIVA: elementos, barreiras e técnicas Objetivos Neste tópico você poderá: Identificar os elementos da comunicação e as barreiras à comunicação Reconhecer os efeitos da comunicação nos

Leia mais

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho

Comunicação Empresarial e Processo Decisório. Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Prof. Ana Claudia Araujo Coelho Comunicar significa transmitir ideias, sentimentos ou experiências de uma pessoa para outra, tornar comum, participar, fazer saber, transmitir. ANDRADE (2008, p. 45) O resultado

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

RELAÇÕES HUMANAS INTERPESSOAIS E INTERGRUPAIS, ORGANOGRAMAS E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS

RELAÇÕES HUMANAS INTERPESSOAIS E INTERGRUPAIS, ORGANOGRAMAS E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS RELAÇÕES HUMANAS INTERPESSOAIS E INTERGRUPAIS, ORGANOGRAMAS E ADMINISTRAÇÃO DE CONFLITOS Aula 3 Técnico de Saúde Bucal Matéria: Administração de Serviços em Saúde Bucal Dr. Flávio Pavanelli CROSP 71347

Leia mais

NOTECHS: UM MODELO DE AVALIAÇÃO DAS HABILIDADES NÃO TÉCNICAS ATRAVÉS DE INDICADORES COMPORTAMENTAIS

NOTECHS: UM MODELO DE AVALIAÇÃO DAS HABILIDADES NÃO TÉCNICAS ATRAVÉS DE INDICADORES COMPORTAMENTAIS Monica Lavoyer Escudeiro 1 Artigo submetido em: 27/01/2012 Aceito para publicação em: 02/03/2012 RESUMO: O desempenho efetivo de indivíduos e equipes nas atividades aéreas pressupõe o domínio tanto das

Leia mais

Gerência de Projetos Gerência de Comunicação

Gerência de Projetos Gerência de Comunicação Gerência de Projetos - Gerência de Comunicação Anderson César Pandolfo Salvati 5890048 Diógenes Vieira Pereira 5889602 Felipe Barreto Bergamo 5889706 Mauricio Tadayuki Sako 5890271 Thales Azevedo Sugiyama

Leia mais

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil A reportagem exibida na semana passada mostrava algumas falhas na comunicação entre o avião monomotor em que estava o nosso repórter

Leia mais

Comunicação e cuidados de saúde

Comunicação e cuidados de saúde Comunicação e cuidados de saúde Desafios para a Psicologia da Saúde (*) JOSÉ A. CARVALHO TEIXEIRA (**) i. INTRODUÇÃO Existe actualmente um consenso generalizado sobre a inadequação do sistema de saúde

Leia mais

CENTRO NACIONAL EUROPASS

CENTRO NACIONAL EUROPASS CENTRO NACIONAL EUROPASS MOSTRA O QUE VALES EM TODA A EUROPA Realize de seguida o seu diagnóstico e saiba qual é o seu estilo de Comunicação e Trabalho em Equipa: É impossível não comunicar! Até no silêncio

Leia mais

BEST WORK PORQUE O MELHOR TRABALHO É SÓ UM. O SEU!

BEST WORK PORQUE O MELHOR TRABALHO É SÓ UM. O SEU! BEST WORK PORQUE O MELHOR TRABALHO É SÓ UM. O SEU! ENQUANTO UNS ESTÃO CONFUSOS, VOCÊ DEMONSTRA CLAREZA ENQUANTO UNS ESTÃO CONSTRANGIDOS, VOCÊ É FLEXÍVEL ENQUANTO UNS VEEM ADVERSIDADE, VOCÊ DESCOBRE OPORTUNIDADES

Leia mais

COACHING COMERCIAL. - Um PROCESSO ao serviço do. DESENVOLVIMENTO Pessoal e. Profissional - DESENVOLVIMENTO DA PERFORMANCE COMERCIAL LACOSTE P/V 2008

COACHING COMERCIAL. - Um PROCESSO ao serviço do. DESENVOLVIMENTO Pessoal e. Profissional - DESENVOLVIMENTO DA PERFORMANCE COMERCIAL LACOSTE P/V 2008 COACHING COMERCIAL LACOSTE P/V 2008 - Um PROCESSO ao serviço do DESENVOLVIMENTO Pessoal e Profissional - 1 COACHING: do que se trata! Existem variadas definições para caracterizar o Coaching, no entanto

Leia mais

Relatório de Estágio

Relatório de Estágio INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL-AERONÁUTICA Relatório de Estágio São Paulo, 26 de agosto de 2011 Aluna: Michelle Moreira FOLHA DE APROVAÇÃO Relatório Final de Estágio Curricular

Leia mais

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas ESTRATEGICA 1985 a hoje Aumentar o envolvimento dos colaboradores e integrar sistemas de suporte ADMINISTRATIVA 1965 a 1985 Foco: indivíduos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA MATURIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO: PROPOSTA DE UM INSTRUMENTO

AVALIAÇÃO DA MATURIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO: PROPOSTA DE UM INSTRUMENTO 1 AVALIAÇÃO DA MATURIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO: PROPOSTA DE UM INSTRUMENTO Giovanni Moraes de Araújo Mestre em Sistema de Gestão pela UFF giomor@terra.com.br RESUMO Este trabalho tem por objetivo destacar

Leia mais

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012

AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012 AÇÃO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL: Belo Horizonte Dezembro de 2012 A implantação do SGSO nos Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Objetivos Esclarecer sobre o processo de confecção do Manual de Gerenciamento

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

GERHUS. CRM Saúde: da aviação para medicina

GERHUS. CRM Saúde: da aviação para medicina GERHUS Gerenciamento de Recursos Humanos na Saúde CRM Saúde: da aviação para medicina Dr Alfredo Guarischi Cirurgião Oncológico Membro da Camera Técnica de Oncologia do CREMERJ Mestre em Cirurgia pela

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO

A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO A IMPORTÂNCIA DO DOMÍNIO DA COMUNICAÇÃO ORAL PARA O SECRETÁRIO EXECUTIVO Neusa Kreuz 1 RESUMO: É indiscutível a grande importância da linguagem oral no processo interacional humano. Trata-se da primeira

Leia mais

CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO MANUAL DE GESTÃO DE CONFLITOS

CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO MANUAL DE GESTÃO DE CONFLITOS CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO Você deve ser a mudança que deseja ver no mundo. (Mahatma Gandhi) GESTÃO DE CONFLITOS Gestão de Conflitos é a arte de identificar, lidar e minimizar/resolver situações

Leia mais

14-10-2013. Comunicação e Comportamento Relacional OBJETIVOS GERAIS. Compreender/Desempenhar papéis

14-10-2013. Comunicação e Comportamento Relacional OBJETIVOS GERAIS. Compreender/Desempenhar papéis OBJETIVOS GERAIS Comunicação e Comportamento Relacional Formação Pedagógica Inicial de Formadores 1. Conhecer a dinâmica formador/formandos/objecto de aprendizagem 2. Conhecer os fenómenos psicossociais,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Gestão de Conflitos Organizacionais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Gestão de Conflitos Organizacionais UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Gestão de Conflitos Organizacionais Jefferson Menezes de Oliveira Santa Maria, dezembro de 2006 INTRODUÇÃO

Leia mais

CULTURA de SEGURANÇA

CULTURA de SEGURANÇA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DE COMPUTADORES CULTURA de SEGURANÇA (na INDÚSTRIA da AVIAÇÃO) Contributo da Ciência Aeronáutica para com a Ciência Médica TAP DTI (DIRECÇÃO DO TREINO E INSTRUÇÃO) O CONVITE...

Leia mais

Prof. Guido Carim Júnior

Prof. Guido Carim Júnior Sistema de Gestão da Segurança Operacional (SGSO) : fundamentos e requisitos Prof. Guido Carim Júnior 28 de maio de 2010 Objetivo Apresentar os fundamentos de um sistema de gestão (de segurança) como meio

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas. Profº.: Daniel Gondim

Segurança e Auditoria de Sistemas. Profº.: Daniel Gondim Segurança e Auditoria de Sistemas Profº.: Daniel Gondim Roteiro Auditoria de Sistemas Conceitos; Tipos de Auditorias; Objetivos e Importância; Etapas; Segurança da Informação Conceitos; Ameaças; Algumas

Leia mais

Comunicação Integrada em Vendas

Comunicação Integrada em Vendas Comunicação Integrada em Vendas Hélio Azevedo helio.azevedo@salestalent.com.br Agenda Percepção Objetivos de uma apresentação O orador Os tipos de público Os tipos de discurso O medo de falar Preparando

Leia mais

Indicar fontes de imagens. Aumentar muito o texto copiado leva a "sujeira" na imagem... Guilherme Gomes Rolim

Indicar fontes de imagens. Aumentar muito o texto copiado leva a sujeira na imagem... Guilherme Gomes Rolim Indicar fontes de imagens. Aumentar muito o texto copiado leva a "sujeira" na imagem... Postura muito didática, lembrando em vários pontos a discussão da aula anterior. Olhou mais para o professor do que

Leia mais

Treinamento Coaching - Assessment

Treinamento Coaching - Assessment Treinamento Coaching - Assessment Treinamento de vendas COACHING ASSESSMENT Para que treinar? A importância "A vontade de ganhar é importante, mas a vontade de se preparar é vital. Apresentando o Coaching

Leia mais

PS COMUNICAÇÃO PROFISSIONAL

PS COMUNICAÇÃO PROFISSIONAL Gino Cammarota PS COMUNICAÇÃO PROFISSIONAL Especializada em cursos, treinamentos, workshops, palestras e programas de apoio que abordam a Comunicação Comportamental e os Relacionamentos Interpessoais no

Leia mais

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Prof. Alan Schmitt 1 Estágios de LIMPEZA Limpeza pode ser entendida como inspeção, para encontrar e eliminar problemas que possam se apresentar Limpeza Geral Limpar tudo Varrer

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL FOCO 1 Formação para a área de RH CONSULTORES INTERNOS ESPECIALIZADOS em COACHING PESSOAL. FOCO 2 Formação DE CONSULTORES PROFISSIONAIS especializados em COACHING

Leia mais

AUTOCONTROLE E EXPRESSIVIDADE EMOCIONAL: DESENVOLVENDO HABILIDADE DE SENTIR E EXPRESSAR-SE

AUTOCONTROLE E EXPRESSIVIDADE EMOCIONAL: DESENVOLVENDO HABILIDADE DE SENTIR E EXPRESSAR-SE AUTOCONTROLE E EXPRESSIVIDADE EMOCIONAL: DESENVOLVENDO HABILIDADE DE SENTIR E EXPRESSAR-SE ANDRADE 1, Fernando C. B. de; SANTOS 2, Carmen S. G. dos; VASCONCELOS 3, Maria Helena Venâncio; Centro de Educação/Departamento

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Sistema de Informações Professores: Izolema Maria Atolini izolema@hotmail.com Período/ Fase: 5ª. Semestre:

Leia mais

QUAL O NOSSO DESAFIO: O QUE VOCÊS ESPERAM DESTE CURSO?

QUAL O NOSSO DESAFIO: O QUE VOCÊS ESPERAM DESTE CURSO? Palestra: Comunicação e Marketing Pessoal: Dicas para Valorizar a sua Imagem. Prof. Adm. Esp. Juliana Pina Bomm E-mail: professorajulianapina@yahoo.com.br QUAL O NOSSO DESAFIO: O QUE VOCÊS ESPERAM DESTE

Leia mais

Perfil Caliper Smart Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper Smart Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper Smart The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mário Teste Preparada por: Consultora Caliper consultora@caliper.com.br Data: Perfil Caliper Smart The Inner Leader Report Página 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA PSICOLOGIA PARA A SEGURANÇA DA ATIVIDADE AERONÁUTICA

A CONTRIBUIÇÃO DA PSICOLOGIA PARA A SEGURANÇA DA ATIVIDADE AERONÁUTICA A CONTRIBUIÇÃO DA PSICOLOGIA PARA A SEGURANÇA DA ATIVIDADE AERONÁUTICA Márcia Regina Molinari Barreto (IPA) mmolinarister@gmail.com Este trabalho tem por objetivo apresentar aspectos práticos e teóricos

Leia mais

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

Título - GERANDO REUNIÕES PRODUTIVAS

Título - GERANDO REUNIÕES PRODUTIVAS Título - GERANDO REUNIÕES PRODUTIVAS Francisco Bittencourt "Em uma boa reunião há um momento que surge da troca espontânea de idéias frescas e produz resultados extraordinários. Este momento depende da

Leia mais

HABILIDADE EMPÁTICA EM GRADUANDOS DE ENFERMAGEM: DIMENSÕES COGNITIVA E AFETIVA. Célia Caldeira Fonseca Kestenberg¹, Natalia André Barbosa Silva²

HABILIDADE EMPÁTICA EM GRADUANDOS DE ENFERMAGEM: DIMENSÕES COGNITIVA E AFETIVA. Célia Caldeira Fonseca Kestenberg¹, Natalia André Barbosa Silva² HABILIDADE EMPÁTICA EM GRADUANDOS DE ENFERMAGEM: DIMENSÕES COGNITIVA E AFETIVA Célia Caldeira Fonseca Kestenberg¹, Natalia André Barbosa Silva² INTRODUÇÃO A empatia é uma habilidade socialmente aprendida,

Leia mais

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Definições e Conceitos AERÓDROMO: Área definida sobre a terra ou água destinada à chegada, partida e movimentação de aeronaves; AERÓDROMO CONTROLADO: Aeródromo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO. A importância da comunicação na negociação. Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE ITAPETININGA CURSO CBMAE ARTIGO DE NEGOCIAÇÃO A importância da comunicação na negociação Aluna: Bruna Graziela Alves Cleto TUTOR: EDUARDO VIEIRA 13/05/2013 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...

Leia mais

BELL 206L4 Conceituado helicóptero capaz de realizar multi-missões com baixos custos operacionais.

BELL 206L4 Conceituado helicóptero capaz de realizar multi-missões com baixos custos operacionais. PORTUGUÊS BELL 206L4 Conceituado helicóptero capaz de realizar multi-missões com baixos custos operacionais. CORPORATIVO ENERGIA O Bell 206L4 foi projetado para ser o local de trabalho em voo ideal. Ele

Leia mais

Perfil de estilos de personalidade

Perfil de estilos de personalidade Relatório confidencial de Maria D. Apresentando Estilos de venda Administrador: Juan P., (Sample) de conclusão do teste: 2014 Versão do teste: Perfil de estilos de personalidade caracterizando estilos

Leia mais

ÍNDICE A CATÓLICA LISBON COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL. As nossas acreditações A nossa oferta A Formação de Executivos

ÍNDICE A CATÓLICA LISBON COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL. As nossas acreditações A nossa oferta A Formação de Executivos ÍNDICE A CATÓLICA LISBON 02 As nossas acreditações A nossa oferta A Formação de Executivos COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Conteúdos Programáticos Metodologia Docente 04 05 07 07 2015 SEMINÁRIO DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

Falando a mesma língua

Falando a mesma língua por Mauricio Duarte Falando a mesma língua Gestão de relacionamentos: A comunicação como ferramenta no mundo corporativo GETTY IMAGE 10 Relações humanas se dão por meio da comunicação. Em todas as esferas

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX 1 FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Relatório Final

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

Catálogo de treinamentos

Catálogo de treinamentos Catálogo de treinamentos 11 3892-9572 www.institutonobile.com.br Desenvolvendo seus Talentos O Instituto Nobile desenvolve as mais modernas soluções em treinamento e desenvolvimento. Oferecemos programas

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM COMUNICAÇÃO NO PROCESSO GERENCIAL Prof. Cassimiro Nogueira Junior RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Módulo 4. Conceitos e Princípios de Auditoria

Módulo 4. Conceitos e Princípios de Auditoria Módulo 4 Conceitos e Princípios de Auditoria NBR: ISO 14001:2008 Sistemas da Gestão Ambiental Requisitos com orientações para uso NBR:ISSO 19011: 2002 Diretrizes para auditorias de sistema de gestão da

Leia mais

Orientações iniciais. FATTO Consultoria e Sistemas - www.fattocs.com

Orientações iniciais. FATTO Consultoria e Sistemas - www.fattocs.com 1 Orientações iniciais Dê preferência ao uso de uma conexão de banda larga O evento não fará uso do vídeo (webcam), somente slides e áudio Se necessário, ajuste o idioma da sala na barra de ferramentas

Leia mais

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R C A R R E I R A DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12,

Leia mais

Modelo de Questionário de Desligamento

Modelo de Questionário de Desligamento RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Planejamento Recrutamento Seleção Integração 1ª Etapa Surgimento de uma vaga - Dispensas do empregador (demissões); - Pedidos de demissão (saídas voluntárias demissionários); - Mortes;

Leia mais