ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS"

Transcrição

1 ANEXO I. CLASSES DE PALAVRAS, SINTAXE E LEXICOLOGIA ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS Uma é aquela que surge numa frase complexa e que não depende sintaticamente da oração com a qual tem uma relação de coordenação (a). As orações coordenadas distinguem-se das subordinadas na medida em que, em geral, não podem ser antepostas à oração com a qual surgem coordenadas (b). Exs.: a) Regámos as flores e demos comida aos gatos. b) *E demos comida aos gatos regámos as flores. As orações coordenadas podem ser sindéticas ou assindéticas. Oração coordenada sindética oração que é coordenada por intermédio de uma conjunção ou de uma locução coordenativa; pode ser copulativa, adversativa, disjuntiva, conclusiva ou explicativa. Exs.: Estava cansada, mas continuei a trabalhar. Oração coordenada assindética oração que é coordenada por meio de uma vírgula. Exs.: Abri a porta, liguei a luz e fui surpreendida por um intruso. Caderno de atividades e avaliação contínua ficha 3 1. Orações coordenadas sindéticas Oração coordenada copulativa oração que se inicia com uma conjunção ou locução coordenativa copulativa, transmitindo uma ideia de adição. Exs.: O Miguel fez uma escultura e a Maria optou por uma pintura. copul ativa Não só comi o bolo como também bebi o sumo. copulativa Oração coordenada adversativa oração iniciada por uma conjunção ou locução coordenativa adversativa e que estabelece uma ideia de contraste face à oração com que surge coordenada. Exs.: Atrasámo-nos, mas conseguimos chegar a tempo da partida do comboio. adv ersativa Oração coordenada disjuntiva oração iniciada por uma conjunção ou locução coordenativa disjuntiva e que transmite uma ideia de alternativa em relação à oração com a qual surge coordenada. Exs.: Apetece-te comer um chocolate ou preferes provar este bolo? sjuntiva di Ora lhe apetecia rir ora tinha vontade de chorar. disjuntiva Oração coordenada conclusiva oração que se inicia com uma conjunção ou locução coordenativa conclusiva e que apresenta uma conclusão em relação à oração com a qual surge coordenada. Exs.: Estou exausto; logo, não vou à praia. conclusiva Oração coordenada explicativa oração iniciada por uma conjunção explicativa e que exprime uma justificação que legitima o ato de fala expresso pela oração com que surge coordenada. Exs.: Vou à água, pois apetece-me imenso mergulhar. explicativa 325

2 ORAÇÕES SUBORDINADAS Uma oração subordinada é aquela que surge numa frase complexa e que depende sintaticamente da oração subordinante (a). Ao contrário das orações coordenadas, as orações subordinadas podem, em geral, ser antepostas às orações subordinantes (b). Uma oração subordinada pode desempenhar a função sintática de sujeito (c), de complemento do nome (d), do verbo (e) e do adjetivo (f) e de modificador do nome (g), do grupo verbal (h) e da frase (i). Exs.: a) Saímos de casa assim que chegares. b) Assim que chegares, saímos de casa. c) É fundamental que tragas um casaco. d) A hipótese de ficarmos em casa é absurda. e) A rainha ordenou que nos sentássemos. f) Eles estão satisfeitos por terem terminado o trabalho. g) Os meus amigos franceses, que adoram Portugal, vêm cá este ano. h) Quando fomos a Paris, visitámos o Museu do Louvre. i) Se conseguirmos uma promoção, vamos ao Japão nestas férias. Com base na função sintática que desempenham na frase, as orações subordinadas podem classificar-se como substantivas (quando desempenham uma função típica do nome), adjetivas (quando desempenham uma função que, em geral, é atribuída ao adjetivo) ou adverbiais (quando desempenham uma função característica do advérbio). 1. Orações subordinadas substantivas Oração subordinada substantiva completiva Oração que pode ser o sujeito (a) ou o complemento de um verbo (b), de um nome (c) ou de um adjetivo (d). No caso de ser finita (isto é, de o verbo não se encontrar conjugado no infinitivo), é introduzida pelas conjunções «que» ou «se». As orações não finitas podem iniciar-se com «para» (e) ou sem conjunção (f). Exs.: a) É importante que faças este trabalho. b) Ela jurou que não vira nada. c) A convicção de que tudo correria bem deu-lhe ânimo. d) Ela estava certa de que eles não faltariam ao prometido. e) Nós pedimos para sair mais cedo da reunião. f) Eles afirmaram ter feito o trabalho sem ajuda. Oração subordinada substantiva relativa Oração que é introduzida por um pronome relativo quem, o que, onde, quanto que não tem um antecedente (isto é, expressão lexical que fosse recuperada). Pode desempenhar a função sintática de sujeito (a), de complemento direto (b), de complemento indireto (c), de complemento oblíquo (d) e de modificador do grupo verbal (e). As orações subordinadas substantivas relativas podem ser finitas ou não finitas. Exs.: a) Quem não arrisca não petisca. b) Ele premiou quem merecia. c) Ela disse a resposta a quem lha pediu. d) Ele duvidava de quem era demasiado solícito. e) Eles estão onde querem. 326

3 ANEXO I. CLASSES DE PALAVRAS, SINTAXE E LEXICOLOGIA 2. Orações subordinadas adjetivas Oração subordinada adjetiva relativa restritiva Oração que se inicia com um quantificador relativo, pronome relativo, determinante relativo ou advérbio relativo que, quem, o qual/a qual, os quais/as quais, cujo(s)/cuja(s), quanto(s)/ quanta(s), onde. Uma vez que restringe o antecedente, esta oração desempenha a função sintática de modificador restritivo do nome, não podendo, portanto, ser separada do antecedente por vírgula. Exs.: a) Os alunos que trabalharam serão recompensados. b) Os concorrentes cuja obra de arte foi premiada irão a Londres. c) A escola onde trabalho é ótima. Oração subordinada adjetiva relativa explicativa Oração que se inicia com um quantificador relativo, pronome relativo, determinante relativo ou advérbio relativo que, quem, o qual/a qual, os quais/as quais, cujo(s)/cuja(s), quanto(s)/ quanta(s), onde. Esta oração apresenta informação adicional sobre o antecedente, desempenhando a função sintática de modificador apositivo do nome e sendo separada do antecedente por vírgula (a, b e c). Quando o pronome relativo retoma o conteúdo da subordinante na sua totalidade, a oração subordinada desempenha a função sintática de modificador da frase (d). Exs.: a) A Catarina, que se interessa por arqueologia, vai no verão ao Egito. b) O Rui, cujo irmão é meu colega, emprestou-me este livro. c) Na ilha de São Miguel, onde se situa a lagoa das Sete Cidades, há uma aposta no turismo de natureza. d) Ele conquistou uma medalha, o que encheu os pais de orgulho. 3. Orações subordinadas adverbiais Oração subordinada adverbial temporal Oração que situa no tempo a informação apresentada na oração subordinante e que desempenha a função sintática de modificador do grupo verbal. Esta oração pode ser finita ou não finita. No primeiro caso, é introduzida por uma conjunção ou uma locução subordinativa temporal (a). No segundo caso, classifica-se como infinitiva (quando o verbo está no infinitivo) (b), participial (quando o verbo se encontra no particípio passado) (c) ou gerundiva (quando o verbo está no gerúndio) (d). Exs.: a) Mal chegámos, começámos a trabalhar. b) Ao sair de casa, apercebi-me de que me tinha esquecido do guarda-chuva. c) Terminada a reunião, regressámos a casa. d) Ela entrou em casa andando silenciosamente. Oração subordinada adverbial causal Oração que indica a causa da ideia que é expressa na oração subordinante e que desempenha a função sintática de modificador do grupo verbal. Quando finita, esta oração é introduzida por uma conjunção ou uma locução subordinativa causal (a). As orações subordinadas adverbiais causais não finitas podem ser infinitivas (b), participiais (c) ou gerundivas (d). Exs.: a) Como está a chover, ficamos em casa. b) Ele foi promovido por revelar um excelente desempenho nas suas funções. c) Destruída a casa, os seus habitantes foram realojados. d) Estando o trabalho concluído, é natural que eles queiram descansar. 327

4 Oração subordinada adverbial final Oração que indica o objetivo da situação que é descrita na oração subordinante e que desempenha a função sintática de modificador do grupo verbal. Pode ser finita (a) ou não finita (b). Exs.: a) O anfitrião esforçou-se muito para que todos se sentissem à vontade na festa. b) Eles vieram cá para visitar o País. Oração subordinada adverbial condicional Oração que indica uma condição para a realização do facto expresso na oração subordinante. Desempenha a função sintática de modificador da frase. De acordo com o seu sentido, as orações subordinadas adverbiais condicionais podem classificar-se como factuais (ou reais), quando exprimem um facto real. Neste caso, o verbo da oração subordinada é conjugado no modo indicativo (a). Podem também ser hipotéticas, quando apresentam uma hipótese, situação em que o verbo da oração subordinada é conjugado no presente ou no futuro do modo conjuntivo (b). Finalmente, existem também orações subordinadas adverbiais condicionais contrafactuais (ou irreais), quando se indicam situações que não se podem realizar. Neste último caso, o verbo é conjugado no pretérito imperfeito do modo conjuntivo (c). Além de finitas, estas orações podem também ser não finitas infinitivas (d), participiais (e) e gerundivas (f). Exs.: a) Se estudaste, tens maior probabilidade de ter um bom resultado. b) Se estudares, terás maior probabilidade de ter um bom resultado. c) Se estudasses, terias maior probabilidade de ter um bom resultado. d) A fazer essa viagem, terias de me acompanhar. e) Publicado o livro, poderemos divulgar a nossa teoria. f) Fazendo o trabalho, mostrarás o teu valor. Oração subordinada adverbial concessiva Oração que apresenta um obstáculo que se coloca à situação apresentada na oração subordinante, mas que não a impede de se concretizar. Desempenha a função sintática de modificador da frase. As orações subordinadas adverbiais concessivas podem ser finitas (a) ou não finitas. Neste caso, classificam-se como infinitivas (b), participiais (c) e gerundivas (d). Exs.: a) Embora seja tímida, ela aceitou participar na peça. b) Apesar de se sentir cansada, a Marta decidiu ir passear com a mãe. c) Mesmo degradado, o monumento conservou parte da sua beleza. d) Mesmo sabendo que eles não apreciam sopa, vou servi-la ao jantar. Oração subordinada adverbial comparativa Oração que apresenta o segundo termo de uma comparação em relação ao que é expresso na oração subordinante (a). Nas orações subordinadas comparativas, o verbo pode ser elidido (b). Estas orações têm um comportamento diferente do das restantes orações subordinadas adverbiais, uma vez que, por vezes, parecem referir-se especificamente a um elemento da oração subordinante, e não a esta oração na sua totalidade, e têm pouca mobilidade na frase (c). Exs.: a) Ele lia tão bem como escrevia. b) Este aluno é mais alto do que aquele (isto é, do que aquele é alto). c) Ela trabalhou mais do que tu. *Do que tu ela trabalhou mais. 328

5 ANEXO I. CLASSES DE PALAVRAS, SINTAXE E LEXICOLOGIA Oração subordinada adverbial consecutiva Oração que exprime uma consequência do facto apresentado na oração subordinante (a). Tal como as orações subordinadas adverbiais comparativas, estas orações têm um comportamento diferente do das outras orações subordinadas adverbiais, dado que, por vezes, modificam apenas um elemento da oração subordinante, e não esta oração no seu todo, e têm pouca mobilidade na frase (b). Estas orações podem ser não finitas, sendo, neste caso, infinitivas (c). Exs.: a) Ele esforçou-se tanto que conseguiu superar todas as dificuldades. b) Ela era tão simpática que não tinha dificuldade em fazer amigos. *Que não tinha dificuldade em fazer amigos ela era tão simpática. c) A Maria ficou entusiasmada com a ideia a ponto de procurar, a todo o custo, concretizá-la. A classificação das orações que foi aqui apresentada encontra-se sistematizada nos quadros seguintes. ORAÇÕES COORDENADAS Subclasses Exemplos Assindéticas Sinto-me quente, devo estar doente. Copulativas Saí do trabalho e fui para casa. Adversativas O telemóvel tem bateria, mas não funciona. Sindéticas Disjuntivas Chovia ou nevava. Conclusivas Estudei bastante para o teste, por isso tive boa nota. Explicativas Liga o aquecedor, pois estou com frio. Substantivas Adjetivas Adverbiais Subclasses Completivas restritivas explicativas Temporais Causais Finais Condicionais Concessivas Comparativas Consecutivas ORAÇÕES SUBORDINADAS Exemplos Ele pediu que lhe fizéssemos um favor. Quem espera sempre alcança. Gosto da camisola que compraste. A Ana, que chegou hoje de viagem, está a descansar. Assim que me fui embora, ele chegou. O carro parou porque ficou sem gasolina. Amanhã encontramo-nos para resolver esse assunto. Se fores ao supermercado, traz leite. Apesar de não ter muita fome, podemos começar a jantar. O teu irmão é mais alto do que tu. Estava tanto frio que tremíamos. 329

Coordenação e subordinação

Coordenação e subordinação Coordenação e subordinação As frases complexas podem relacionar-se por coordenação ou por subordinação. A coordenação consiste numa relação entre duas orações da mesma categoria por meio de conjunções

Leia mais

Coordenação e subordinação. Porto Editora

Coordenação e subordinação. Porto Editora Coordenação e subordinação Frase simples complexa Frase simples Constituída apenas por um verbo ou por um complexo verbal. Ex.: A Maria brinca muito com o irmão. frase simples (constituída por um verbo)

Leia mais

Coordenação e subordinação

Coordenação e subordinação Coordenação e subordinação As frases complexas podem relacionar-se por coordenação ou por subordinação. A coordenação consiste numa relação entre duas orações da mesma categoria por meio de conjunções

Leia mais

Orações Subordinadas Adverbiais

Orações Subordinadas Adverbiais Orações Subordinadas Adverbiais Finitas Consoante a natureza da relação existente entre a oração subordinada e a subordinante, aquela pode ser: 1. Temporal situa um acontecimento anterior ou posterior

Leia mais

Frase simples e frase complexa

Frase simples e frase complexa Frase simples e frase complexa Orações coordenadas e subordinadas 1 I. Frase simples O O José telefonou à Joana. A A senhora traz umas flores. Eu saio. O O meu vizinho foi ao médico. Cada uma destas frases

Leia mais

ÍNDICE TEXTO E DISCURSO 4 CLASSES DE PALAVRAS 20 FUNÇÕES SINTÁTICAS 66

ÍNDICE TEXTO E DISCURSO 4 CLASSES DE PALAVRAS 20 FUNÇÕES SINTÁTICAS 66 ÍNDICE 1 TEXTO E DISCURSO 4 1.1. Coesão e coerência textual organização de parágrafos 4 1.2. Pontuação 7 1.3. Discurso direto / discurso indireto 10 1.4. Frase ativa / frase passiva 13 CONSOLIDAÇÃO: EXERCÍCIOS

Leia mais

PERÍODO SIMPLES. Observe alguns exemplos de períodos simples e compostos e veja a diferença entre eles:

PERÍODO SIMPLES. Observe alguns exemplos de períodos simples e compostos e veja a diferença entre eles: PERÍODO SIMPLES Período simples é um enunciado de sentido completo construído com uma oração absoluta, ou seja, apenas um verbo. O período é um enunciado de sentido completo formado por duas ou mais orações.

Leia mais

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS FRASE SIMPLES E FRASE COMPLEXA A frase pode ser constituída por uma ou mais orações. Uma oração é a unidade gramatical organizada à volta de um verbo. FRASE SIMPLES E

Leia mais

Oração subordinada: substantiva relativa e adjetiva relativa

Oração subordinada: substantiva relativa e adjetiva relativa Oração subordinada: substantiva relativa e adjetiva relativa Relação entre um elemento subordinante (palavra, constituinte ou oração) e uma oração subordinada. As orações subordinadas podem ser: adverbiais

Leia mais

Período composto por coordenação

Período composto por coordenação Período composto por coordenação É o período composto por duas ou mais orações independentes. Estas orações podem ser assindéticas ou sindéticas. Orações coordenadas assindéticas Não apresentam conectivos

Leia mais

ORAÇÕES SUBORDINADAS. Professor: Aramis de Cássio

ORAÇÕES SUBORDINADAS. Professor: Aramis de Cássio ORAÇÕES SUBORDINADAS Professor: Aramis de Cássio ORAÇÕES SUBORDINADAS ORAÇÕES SUBORDINADAS As ORAÇÕES SUBORDINADAS funcionam sempre como um termo essencial, integrante e acessório da oração principal.

Leia mais

Lista 6 - Língua Portuguesa 1

Lista 6 - Língua Portuguesa 1 Lista 6 - Língua Portuguesa 1 Períodos compostos LISTA 6 - LP 1 - PERÍODOS COMPOSTOS Períodos compostos Em listas anteriores, vimos alguns conceitos sintáticos importantes para o domínio da norma culta

Leia mais

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS

ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS E SUBORDINADAS Prof. Marcos Lima Língua portuguesa, 9ºano FRASE COMPLEXA Numa frase complexa há duas (ou mais) orações ligadas por uma conjunção (ou locução conjuncional). Ex: Fui à

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR EDUARDO BELMONTE 1º ANO E. M.

LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR EDUARDO BELMONTE 1º ANO E. M. LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR EDUARDO BELMONTE 1º ANO E. M. FRASE NOMINAL: enunciado sem verbo. Pois não, senhor... ; senhoras e senhores,... FRASE VERBAL/ORAÇÃO: enunciado COM verbo. Ivo viu a uva.... O

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS CAUSAIS Principais conjunções causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como (= porque). Exemplos: - Não pude comprar o CD porque estava em falta. - Ele

Leia mais

Sumário. Apresentação. Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3

Sumário. Apresentação. Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3 Sumário Prefácio Apresentação XIII XV Parte 1 Período simples 1 Quadro geral dos termos da oração 3 Frase, oração e período 3 1. Tipologia do sujeito 6 Método para identificar o sujeito 6 Sujeito simples

Leia mais

Valor modal e aspetual.

Valor modal e aspetual. ÍNDICE GERAL Índice de conteúdos 4 Apresentação 6 Ficha 1 7 Subclasses de palavras. Ficha 2 12 Classes Palavras convergentes. Ficha 3 17 Subclasses de palavras. Orações coordenadas. Ficha 4 22 Ficha 5

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO PRO R FES E SORA: A :F ER E NA N N A D N A D A SA S N A T N O T S 1

PERÍODO COMPOSTO PRO R FES E SORA: A :F ER E NA N N A D N A D A SA S N A T N O T S 1 PERÍODO COMPOSTO PROFESSORA: FERNANDA SANTOS 1 CONJUNÇÃO É a palavra ou locução invariável que liga orações ou termos semelhantes da mesma oração. Exemplos: ANÁLISE DO QUE Todos os alunos disseram que

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 10 Sintaxe III

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 10 Sintaxe III LÍNGUA PORTUGUESA Professora Rosane Reis MÓDULO 10 Sintaxe III A SUBORDINAÇÃO No período composto por subordinação, há uma que traz presa a si, como dependente, outra ou outras. Dependentes porque cada

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO O período composto por coordenação é constituído por orações coordenadas. Chamamos oração coordenada por não exercer nenhuma função sintática em outra oração, daí ser chamada

Leia mais

Ex. A garota com quem simpatizei está à sua procura. Os alunos cujas redações foram escolhidas receberão um prêmio.

Ex. A garota com quem simpatizei está à sua procura. Os alunos cujas redações foram escolhidas receberão um prêmio. A) Restritiva: é aquela que limita, restringe o sentido do substantivo ou pronome a que se refere. A restritiva funciona como adjunto adnominal de um termo da oração principal e não pode ser isolada por

Leia mais

Preparatório - Concurso Bombeiro Militar do Pará Língua Portuguesa

Preparatório - Concurso Bombeiro Militar do Pará Língua Portuguesa Preparatório - Concurso Bombeiro Militar do Pará Língua Portuguesa Aula IV Conhecimentos Linguísticos: Período Composto por Coordenação Período Composto por Subordinação PERÍODO COMPOSTO O período composto

Leia mais

O Presente do Conjuntivo

O Presente do Conjuntivo O Presente do Conjuntivo Universidade de Coimbra. Faculdade de letras Sara Pratas (sara.pratas@uc.pt) A Conjugação A origem: Eu - Presente do Indicativo ex. Falo, posso Retirar a terminação - o: Ex. Fal-,

Leia mais

Adjetivo (Adjunto Adnominal)

Adjetivo (Adjunto Adnominal) PROFESSOR(A): DISCIPLINA: ALUNO(A): Nº SÉRIE: TURMA: TURNO: DATA: / /2017. ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Uma oração subordinada adjetiva é aquela que possui valor e função de adjetivo, ou seja, que a

Leia mais

Disciplina Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Bônus 0,2 Português 1 Cláudia Roteiro de estudos 2º/ /08/

Disciplina Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Bônus 0,2 Português 1 Cláudia Roteiro de estudos 2º/ /08/ Nome Nº Ano/Série 2º Ensino Médio Turma Disciplina Professores Natureza Trimestre/Ano Data da entrega Bônus 0,2 Português 1 Cláudia Roteiro de estudos 2º/2017 01/08/2017 -------- Introdução: Querido(a)

Leia mais

Língua. Portuguesa. Sintaxe do Período

Língua. Portuguesa. Sintaxe do Período Língua Portuguesa Sintaxe do Período Orações Subordinadas Substantivas É necessário o seu auxílio. 1) Subjetivas: É necessário que me auxilie. Convém que me auxilie. Observou-se que foi um golpe de mestre.

Leia mais

Preparação para a. Prova de Aferição. Português. 8.º ano

Preparação para a. Prova de Aferição. Português. 8.º ano Preparação para a Prova de Aferição Português Oo 8.º ano 72 II. Leitura Entrevista A entrevista é um texto conversacional, em que o jornalista, através de perguntas previamente elaboradas (em guião), procura

Leia mais

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE FUNÇÕES DO QUE? Aqui estudaremos todas as classes gramaticais a que a palavra que pertence. SUBSTANTIVO A palavra que será substantivo, quando tiver o sentido de qualquer coisa ou alguma coisa, é sempre

Leia mais

Curso: 3.º Ciclo do Ensino Básico Disciplina: Português Ano: 7º, 8.º e 9.º

Curso: 3.º Ciclo do Ensino Básico Disciplina: Português Ano: 7º, 8.º e 9.º DOMÍNIOS A AVALIAR INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO Tipo 1 Leitura, Educação Literária, Gramática e Escrita. Testes de avaliação (leitura, educação literária, gramática e escrita) DOMÍNIO COGNITIVO (COMPETÊNCIAS

Leia mais

Língua Portuguesa. Mara Rúbia

Língua Portuguesa. Mara Rúbia Língua Portuguesa Mara Rúbia Atenção! Pare! Um vulto cresce na escuridão. Clarissa se encolhe. É Vasco. Convém que te apresses. Período Composto por Coordenação - Orações sintaticamente independentes.

Leia mais

As conjunções são palavras invariáveis que servem para conectar orações ou dois termos de mesmo valor gramatical, estabelecendo entre eles uma

As conjunções são palavras invariáveis que servem para conectar orações ou dois termos de mesmo valor gramatical, estabelecendo entre eles uma CONJUNÇÕES As conjunções são palavras invariáveis que servem para conectar orações ou dois termos de mesmo valor gramatical, estabelecendo entre eles uma relação de dependência ou de simples coordenação.

Leia mais

FUNÇÕES SINTÁTICAS. Ficha 2 FUNÇÕES SINTÁTICAS A NÍVEL DA FRASE. 1. Sujeito. Classificação do sujeito

FUNÇÕES SINTÁTICAS. Ficha 2 FUNÇÕES SINTÁTICAS A NÍVEL DA FRASE. 1. Sujeito. Classificação do sujeito FUNÇÕES SINTÁTICAS FUNÇÕES SINTÁTICAS A NÍVEL DA FRASE Caderno de atividades e avaliação contínua ficha 2 1. Sujeito A função sintática de sujeito é desempenhada pelo constituinte da frase que controla

Leia mais

Prof. Valber Freitas. Língua Portuguesa. Sintaxe Termos Integrantes

Prof. Valber Freitas. Língua Portuguesa. Sintaxe Termos Integrantes Prof. Valber Freitas Língua Portuguesa Sintaxe Termos Integrantes Sintaxe Termos Integrantes Termos integrantes Objeto Direto Objeto Indireto Complemento Nominal Agente da Passiva Predicativo do Sujeito

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS RECUPERAÇÃO SEMESTRAL 9º Ano do Ensino Fundamental Disciplina: Português 1- Classifique as orações subordinadas substantivas destacadas em subjetivas ou objetivas diretas. a) Acredita-se

Leia mais

Sintaxe do Período Composto

Sintaxe do Período Composto Sintaxe do Período Composto Gramática Material Complementar Saudações, guerreiro (a) do concurso, tudo bem? Aqui é o professor Pablo Jamilk. Nós teremos alguns momentos juntos doravante. Por isso, segure

Leia mais

Planificação Longo Prazo

Planificação Longo Prazo DEPARTAMENTO LÍNGUAS ANO LETIVO 2016 / 2017 DISCIPLINA Português ANO 7.ºANO Planificação Longo Prazo CONTEÚDOS TEXTOS DOS MEDIA E DO QUOTIDIANO 1.º período Notícia Frio arrasta centenas de corvos marinhos

Leia mais

Patrícia Rocha Lopes

Patrícia Rocha Lopes Patrícia Rocha Lopes Uma oração subordinada adverbial é aquela que exerce a função de adjunto adverbial do verbo da oração principal. Dessa forma, pode exprimir circunstância de tempo, finalidade, causa,

Leia mais

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15

Capítulo1. Capítulo2. Índice A LÍNGUA E A LINGUAGEM O PORTUGUÊS: uma língua, muitas variedades... 15 Capítulo1 Capítulo2 A LÍNGUA E A LINGUAGEM............................................. 9 Linguagem: aptidão inata.............................................. 10 Funções.............................................................

Leia mais

Período Composto por Subordinação

Período Composto por Subordinação Período Composto por Subordinação Todo período composto por subordinação contém uma oração principal, acompanhada de uma ou mais orações subordinadas. A oração principal é a que encerra o sentido fundamental

Leia mais

Planificação Longo Prazo

Planificação Longo Prazo DEPARTAMENTO LÍNGUAS ANO LETIVO 2017 / 2018 DISCIPLINA Português ANO 7.ºANO Planificação Longo Prazo CONTEÚDOS TEXTOS DOS MEDIA E DO QUOTIDIANO 1.º período Textos não literários Notícia Reportagem Texto

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR EDUARDO BELMONTE 2º ANO E. M.

LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR EDUARDO BELMONTE 2º ANO E. M. LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR EDUARDO BELMONTE 2º ANO E. M. PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO Cheguei atrasado, PORQUE o trânsito estava caótico. Oração assindética Conjunção coordenativa Oração coordenada

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 13 Período composto por subordinação

Bárbara da Silva. Português. Aula 13 Período composto por subordinação Bárbara da Silva Português Aula 13 Período composto por subordinação No período composto por subordinação existe pelo menos uma oração principal e uma subordinada. A oração principal é sempre incompleta,

Leia mais

ÍNDICE. Capítulo 1 - Fonética e fonologia. Capítulo 11 - A frase

ÍNDICE. Capítulo 1 - Fonética e fonologia. Capítulo 11 - A frase ÍNDICE Capítulo 1 - Fonética e fonologia Fonética e fonologia; fonema e som; fonema e letra... 13 Representa9ao gráfica dos fonemas, nome das letras do alfabeto portugues, vogal e semivogal, consoante...............................................................

Leia mais

CONJUNÇÃO. É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração.

CONJUNÇÃO. É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. CONJUNÇÃO É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. De acordo com o tipo de relação que estabelecem, as conjunções podem ser classificadas em coordenativas

Leia mais

Planificação a longo prazo - programa do 6º ano - disciplina de Português Ano letivo de AULAS PREVISTAS (blocos 90)

Planificação a longo prazo - programa do 6º ano - disciplina de Português Ano letivo de AULAS PREVISTAS (blocos 90) Planificação a longo prazo - programa do 6º ano - disciplina de Português Ano letivo de 2016-2017 1º PERÍODO 2º PERÍODO 3º PERÍODO INÍCIO 15 setembro 2016 3 janeiro 2017 16 abril 2017 FINAL 16 dezembro

Leia mais

Professora Lucimar CONJUNÇÕES E PERÍODOS

Professora Lucimar CONJUNÇÕES E PERÍODOS Professora Lucimar CONJUNÇÕES E PERÍODOS Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração. Locução Conjuntiva - Duas ou mais palavras empregadas com

Leia mais

ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS

ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS GRAMÁTICA ORAÇÕES COORDENADAS & SUBORDINADAS As orações coordenadas e subordinadas fazem parte do período composto, ou seja, o período em que temos duas ou mais orações.

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO O período composto por coordenação é constituído por orações coordenadas. Chamamos oração coordenada por não exercer nenhuma função sintática em outra oração, daí ser chamada

Leia mais

Complexo de Ensino Renato Saraiva (081) Profª Junia Andrade MPU 2010 Isolada Português PORTUGUÊS

Complexo de Ensino Renato Saraiva  (081) Profª Junia Andrade MPU 2010 Isolada Português PORTUGUÊS MPU técnicos e analistas JÚNIA ANDRADE Exemplos Cespe - Abin Mudado seu modo de pensar, o pesquisador já não concebe aquele tema da mesma forma e, assim, já não é capaz de estabelecer um relação exatamente

Leia mais

Pra começo de conversa... ORAÇÃO PERÍODO

Pra começo de conversa... ORAÇÃO PERÍODO Orações Coordenadas Pra começo de conversa... FRASE ORAÇÃO PERÍODO FRASE Enunciado com sentido completo... Socorro! Socorro! Silêncio! A aula da professora Marisa é maravilhosa. Nós adoramos Gramática.

Leia mais

FORMAS NOMINAIS. GERÚNDIO - indica uma ação verbal incompleta ou prolongada e possui a terminação -NDO.

FORMAS NOMINAIS. GERÚNDIO - indica uma ação verbal incompleta ou prolongada e possui a terminação -NDO. 3º ANO FORMAS NOMINAIS Para falarmos sobre as formas nominais do verbo, é importante sabermos o porquê desta denominação, ou seja, em certas circunstâncias, este verbo pode assumir o papel de um nome :

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS LINGUAGENS GRAMÁTTICA: PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO ORAÇÕES ADVERBIAIS PROF.º PAULO SCARDUA APOSTILA 3: CAPÍTULO 11 DEFINIÇÃO Uma oração subordinada adverbial é aquela que exerce a função de adjunto

Leia mais

Língua Portuguesa. Professoras: Natália Oliveira e Natália Souza

Língua Portuguesa. Professoras: Natália Oliveira e Natália Souza Língua Portuguesa Professoras: Natália Oliveira e Natália Souza Analise as orações: 1. Triste estou: o amigo comigo não está. 2. Ele começou a rir todos gargalharam. 3. Acordei: cinco estações tinham ficado

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DE LOUSADA

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DE LOUSADA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CEB DE LOUSADA FICHA INFORMATIVA FRASE SIMPLES/FRASE COMPLEXA COORDENAÇÃO/SUBORDINAÇÃO A frase pode conter uma ou mais orações. A cada oração corresponde uma forma verbal expressa

Leia mais

Bárbara da Silva. Português. Aula 39 Conjunções I

Bárbara da Silva. Português. Aula 39 Conjunções I Bárbara da Silva Português Aula 39 Conjunções I Conjunção Além da preposição, há outra palavra que, na frase, é usada como elemento de ligação: a conjunção. Por exemplo: A menina segurou a bola e mostrou

Leia mais

Aula 7: Período composto por coordenação e período composto por subordinação

Aula 7: Período composto por coordenação e período composto por subordinação APOIO PEDAGÓGICO AO NÚCLEO COMUM Aula 7: Período composto por coordenação e período composto por subordinação Tutora: Ariana de Carvalho Orações coordenadas As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa

Leia mais

Classes. de Palavras

Classes. de Palavras Classes de Palavras Classes de Palavras 1. Nome 2. Adjetivo 3. Verbo 4. Advérbio 4.1. Locução adverbial 5. Pronome 6. Determinante 7. Quantificador 8. Conjunção 8.1. Locução conjuncional 9. Preposição

Leia mais

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS. Exerce a função de sujeito do verbo da oração principal.

ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS. Exerce a função de sujeito do verbo da oração principal. ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA SUBJETIVA Exerce a função de sujeito do verbo da oração principal. É necessário que você se apresente ao serviço amanhã. Foi anunciado que

Leia mais

Análise sintática do período composto por subordinação: uma viagem pelas relações sintático-semânticas.

Análise sintática do período composto por subordinação: uma viagem pelas relações sintático-semânticas. Análise sintática do período composto por subordinação: uma viagem pelas relações sintático-semânticas. As orações subordinadas podem ser: 1. Substantivas exercem na principal uma função própria do substantivo.

Leia mais

Categorias morfossintáticas do verbo

Categorias morfossintáticas do verbo Categorias morfossintáticas do verbo A- Tempo O tempo identifica o momento em que se realiza a ação. Presente: situa a ação no momento da enunciação. Pretérito: situa a ação num momento anterior ao da

Leia mais

Frase: divisão e classificação

Frase: divisão e classificação Frase: divisão e classificação Frase é um conjunto de palavras que formam uma unidade de sentido. Pode ser constituída apenas por uma oração (estrutura com um só sujeito e um só predicado) frase simples

Leia mais

DISCIPLINA PORTUGUÊS 2º CICLO

DISCIPLINA PORTUGUÊS 2º CICLO DISCIPLINA PORTUGUÊS 2º CICLO 5ºANO DOMÍNIOS CONTEÚDOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PONDERAÇÃO Oralidade Interação discursiva Interpretação de texto Fichas de verificação Observação direta 10% Pesquisa e

Leia mais

ANEXO 5 CENÁRIOS DE CORRECÇÃO DA FICHA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PRÉ-TESTE/PÓS-TESTE)

ANEXO 5 CENÁRIOS DE CORRECÇÃO DA FICHA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PRÉ-TESTE/PÓS-TESTE) ANEXO 5 CENÁRIOS DE CORRECÇÃO DA FICHA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PRÉ-TESTE/PÓS-TESTE) 171 FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 PADRE ALBERTO NETO - QUELUZ CENÁRIOS DE CORRECÇÃO

Leia mais

Funções sintáticas. Porto Editora

Funções sintáticas. Porto Editora Funções sintáticas Funções sintáticas ao nível da frase Sujeito Função sintática desempenhada por grupos nominais ou por alguns tipos de orações. O sujeito pode ser classificado como: sujeito simples sujeito

Leia mais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais Índice de aulas Tipologias textuais Texto narrativo Ação e personagens Espaço e tempo Narrador e modalidades do discurso Narrativas de tradição popular Chocolate à Chuva: as férias de Mariana Chocolate

Leia mais

A ideia de organizares o festival Dias da Cultura Portuguesa, agradou-me. (oração completiva)

A ideia de organizares o festival Dias da Cultura Portuguesa, agradou-me. (oração completiva) Orações relativas As orações adjectivas, denominadas de acordo com a terminologia actual como relativas, são orações subordinadas tradicionalmente introduzidas pelos seguintes consituintes relativos: os

Leia mais

1. Classifique a palavra se nas frases da coluna A, considerando as hipóteses apresentadas na coluna C. Registe o número na coluna B.

1. Classifique a palavra se nas frases da coluna A, considerando as hipóteses apresentadas na coluna C. Registe o número na coluna B. I CLASSES E SUBCLASSES DE PALARAS 1. Classifique a palavra se nas frases da coluna A, considerando as hipóteses apresentadas na coluna C. Registe o número na coluna B. a) Os dois abraçaram-se comovidamente.

Leia mais

É possível transformar a expressão "a profundidade das palavras dele", objeto direto, em oração. Observe:

É possível transformar a expressão a profundidade das palavras dele, objeto direto, em oração. Observe: PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Classificação das Orações Subordinadas As orações subordinadas dividem-se em três grupos, de acordo com a função sintática que desempenham e a classe de palavras a que

Leia mais

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira

PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira PERÍODO COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO Profª Giovana Uggioni Silveira ORAÇÕES SUBORDINADAS Exercem função sintática sobre as outras. Oração principal, orações desenvolvidas ou reduzidas. ORAÇÕES SUBORDINADAS

Leia mais

Drummond escreveu poemas e entrou para a história.

Drummond escreveu poemas e entrou para a história. Conjunção Pode-se definir a conjunção como um termo invariável, de natureza conectiva que pode criar relações de sentido (nexos) entre palavras ou orações. Usualmente, as provas costumam cobrar as relações

Leia mais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais Índice de aulas Tipologias textuais Texto narrativo Ação Personagens Narrador Espaço Tempo Modalidades do discurso Narrativas de tradição popular O caldo de pedra Mestre Finezas: o passado glorioso Mestre

Leia mais

Revisão para a P2 9º ANO

Revisão para a P2 9º ANO Revisão para a P2 9º ANO Gênero textual: CRÔNICA A crônica é uma gênero textual que tem por base fatos que acontecem em nosso cotidiano. Como se estivesse em uma conversa informal, o cronista tende a dialogar

Leia mais

Orações subordinadas substantivas e adjetivas

Orações subordinadas substantivas e adjetivas Orações subordinadas substantivas e adjetivas Sintaxe do período simples Os termos podem ser compostos por: Substantivos (Sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo do sujeito, complemento nominal

Leia mais

PARTE V UNIDADE 01: OS TERMOS DA ORAÇÃO

PARTE V UNIDADE 01: OS TERMOS DA ORAÇÃO PARTE V UNIDADE 01: OS TERMOS DA ORAÇÃO SUJEITO 01 1. comemorações 2. imagem 3. rio 4. soldados 5. major/coronel 6. quem 7. ninguém 8. alto-falantes 9. trocos 10. Tio 02 1. (3) 2. (2) 3. (1) 4. (2) 5.

Leia mais

Orações coordenadas. As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. As luzes apagam-se; abrem-se as cortinas; e começa o espetáculo.

Orações coordenadas. As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. As luzes apagam-se; abrem-se as cortinas; e começa o espetáculo. Orações coordenadas Observe: As luzes apagam-se, abrem-se as cortinas e começa o espetáculo. O período é composto de três orações: As luzes apagam-se; abrem-se as cortinas; e começa o espetáculo. As orações,

Leia mais

Prof. Valber Freitas. Língua Portuguesa. Sintaxe Período Composto

Prof. Valber Freitas. Língua Portuguesa. Sintaxe Período Composto Prof. Valber Freitas Língua Portuguesa Sintaxe Período Composto Período Composto Coordenação Subordinação Orações subordinadas São orações sintaticamente dependentes uma das outras. As orações subordinadas

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 15 Palavras QUE e SE

LÍNGUA PORTUGUESA. Professora Rosane Reis. MÓDULO 15 Palavras QUE e SE LÍNGUA PORTUGUESA Professora Rosane Reis MÓDULO 15 Palavras QUE e SE AS PALAVRAS QUE E SE É acentuado e substituível por alguma coisa, qualquer coisa etc.; vem precedido de artigo ou numeral. Este professor

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves EMPREGO DO VERBO Para que possamos iniciar a segunda parte do tutorial Emprego do verbo, vamos relembrar alguns aspectos do tutorial passado: MODO INDICATIVO É o modo verbal que expressa um fato real,

Leia mais

REVISÃO DE ANÁLISE SINTÁTICA Período composto

REVISÃO DE ANÁLISE SINTÁTICA Período composto REVISÃO DE ANÁLISE SINTÁTICA Período composto Professora Melina 9º. Ano Relembrando... ORAÇÃO Enunciado organizado em torno de um verbo. Você abre a janela. PERÍODO SIMPLES frase formada por uma só oração.

Leia mais

Programa de Educação Continuada (PEC)

Programa de Educação Continuada (PEC) Programa de Educação Continuada (PEC) Curso de Morfossintaxe Odette G.L.Altmann de Souza Campos* Construções que se alternam Ontem vimos Você sair Que você saiu Sua saída Você saindo É preciso Que você

Leia mais

Atos ilocutórios Síntese para o exame nacional

Atos ilocutórios Síntese para o exame nacional Atos ilocutórios Síntese para o exame nacional Sujeito (substitui-se pelos pronomes pessoais eu, tu, ele(a), nós, vós, eles (as) Simples (1 nome) Composto (2 ou mais nomes coordenados) Nulo subentendido

Leia mais

Gramática Eletrônica. Vamos iniciar o nosso estudo, examinando as dúvidas mais freqüentes. indica tempo que já passou

Gramática Eletrônica. Vamos iniciar o nosso estudo, examinando as dúvidas mais freqüentes. indica tempo que já passou Lição 2 Dúvidas mais comuns Vamos iniciar o nosso estudo, examinando as dúvidas mais freqüentes. QUANDO USAR 1. A ou HÁ? 1. A Ela ou parou HÁ? de estudar há algum tempo. indica tempo que já passou Daqui

Leia mais

ROTA DE APRENDIZAGEM. Ano Letivo / º período

ROTA DE APRENDIZAGEM. Ano Letivo / º período Português Emília Amado (emilia.amado@mogofores.salesianos.pt) Sónia Martinho (sonia.martinho@mogofores.salesianos.pt) Catarina Marques (catarina.marques@mogofores.salesianos.pt) 7.º Ano ROTA DE APRENDIZAGEM

Leia mais

COERÊNCIA. Harmonia entre situações, acontecimentos ou ideias dentro de um texto. É fator determinante para seu total entendimento.

COERÊNCIA. Harmonia entre situações, acontecimentos ou ideias dentro de um texto. É fator determinante para seu total entendimento. COERÊNCIA Harmonia entre situações, acontecimentos ou ideias dentro de um texto. É fator determinante para seu total entendimento. Subi a porta e fechei a escada. Tirei minhas orações e recitei meus sapatos.

Leia mais

LISTA 01: b Dizendo a verdade, todos confiarão em você. c Ela disse não se lembrar do fato ocorrido.

LISTA 01: b Dizendo a verdade, todos confiarão em você. c Ela disse não se lembrar do fato ocorrido. LISTA 01: Questão 1 Abaixo se encontram algumas orações reduzidas. Após analisá-las, sua tarefa consistirá em desdobrá-las, a fim de que se apresentem como desenvolvidas, tendo em vista o modelo em questão.

Leia mais

Grupo Relacional Preposição e Conjunção e a Interjeição

Grupo Relacional Preposição e Conjunção e a Interjeição Grupo Relacional Preposição e Conjunção e a Interjeição 1. Grupo relacional: preposição e conjunção PREPOSIÇÃ O CONJUNÇÃO Características comuns: Ligam palavras ou orações, por isso, são elementos coesivos,

Leia mais

Colégio Diocesano Seridoense Disciplina: Língua Portuguesa / 2 Ano Professora: Lusia Raquel. Orações Subordinadas Adverbiais.

Colégio Diocesano Seridoense Disciplina: Língua Portuguesa / 2 Ano Professora: Lusia Raquel. Orações Subordinadas Adverbiais. Colégio Diocesano Seridoense Disciplina: Língua Portuguesa / 2 Ano Professora: Lusia Raquel Orações Subordinadas Adverbiais Caicó RN 2018 CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS SÃO

Leia mais

Artigo, Preposição, Conjunção

Artigo, Preposição, Conjunção Língua Portuguesa Artigo, Preposição, Conjunção Artigo Certa vez, ao passar por uma rua, encontrei uma menina chorando. A rua estava muito movimentada e a menina, sozinha, pediu-me auxílio. Definidos:

Leia mais

USo da VírGULA. Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura.

USo da VírGULA. Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura. O USo da VírGULA USo da VírGULA Observe o sentido destas duas frases: Se o homem soubesse o valor que tem a mulher, andaria de quatro a sua procura. Se o homem soubesse o valor que tem, a mulher andaria

Leia mais

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações Odilei França Graduado em Letras pela Fafipar. Graduado em Teologia pela Faculdade Batista. Professor de Língua Portuguesa para concursos públicos há 22 anos. Sintaxe do período composto: parte I Conceitos

Leia mais

Português. Orações Subordinadas Adverbiais: Causal, Comparativa, Consecutiva, Concessiva e Condicional. Professor Arthur Scandelari

Português. Orações Subordinadas Adverbiais: Causal, Comparativa, Consecutiva, Concessiva e Condicional. Professor Arthur Scandelari Português Orações Subordinadas Adverbiais: Causal, Comparativa, Consecutiva, Concessiva e Condicional Professor Arthur Scandelari www.acasadoconcurseiro.com.br Português ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS:

Leia mais

Período composto por coordenação

Período composto por coordenação Período composto por coordenação Orações coordenadas Prof.: Júnior CONCEITUAÇÃO Um período composto por coordenação é constituído por orações coordenadas. Uma oração chama-se coordenada quando não funciona

Leia mais

PORTUGUÊS ABEL MOTA PREPARAR OS TESTES

PORTUGUÊS ABEL MOTA PREPARAR OS TESTES 7 PORTUGUÊS ABEL MOTA PREPARAR OS TESTES PARTE 1 LEITURA 1 A IMPRENSA 5 6 A imprensa e os jornais Classificação dos jornais Público-alvo Secções Géneros jornalísticos Do acontecimento ao leitor fazer Escolher

Leia mais

Parte I 1. Variedades e variações do português Português e comunidade linguística lusófona* 18 Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) 19

Parte I 1. Variedades e variações do português Português e comunidade linguística lusófona* 18 Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) 19 Parte I 1. Variedades e variações do português Português e comunidade linguística lusófona* 18 Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) 19 Variedades do português 20 Variedades geográficas (europeia

Leia mais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais

Português. Índice de aulas. Tipologias textuais Índice de aulas Tipologias textuais Texto narrativo Ação Personagens Narrador Espaço Tempo Modalidades do discurso Diários e memórias Narrativas de tradição popular Saga: Vig, a ilha do mar do Norte Saga:

Leia mais

AULA 11. Sintaxe da oração e do período MINISTÉRIO DA FAZENDA

AULA 11. Sintaxe da oração e do período MINISTÉRIO DA FAZENDA AULA 11 Sintaxe da oração e do período MINISTÉRIO DA FAZENDA Professor Marlus Geronasso Frase, período e oração Frase é todo enunciado suficiente por si mesmo para estabelecer comunicação. Expressa juízo,

Leia mais

FACULDADE GUANAMBI - FG EDITAL Nº. 09, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG

FACULDADE GUANAMBI - FG EDITAL Nº. 09, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG FACULDADE GUANAMBI - FG EDITAL Nº. 09, DE 17 DE SETEMBRO DE 2014 OFICINAS DE APERFEIÇOAMENTO FG O DIRETOR ACADÊMICO ADMINISTRATIVO DA FACULDADE GUANAMBI, no uso de suas atribuições legais, e entendendo

Leia mais

Aprenda definitivamente a usar a vírgula com 4 regras simples

Aprenda definitivamente a usar a vírgula com 4 regras simples Aprenda definitivamente a usar a vírgula com 4 regras simples André Gazola A vírgula é um dos elementos que causam mais confusão na Língua Portuguesa. Pouca gente sabe, ao certo, onde deve e onde não deve

Leia mais