H00 HORDEOLO E CALAZIO H01 OUTRAS INFLAMACOES DA PALPEBRA H02 OUTROS TRANSTORNOS DA PALPEBRA H03 TRANS. DA PALPEBRA EM DOENCAS CLASSIF

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "H00 HORDEOLO E CALAZIO H01 OUTRAS INFLAMACOES DA PALPEBRA H02 OUTROS TRANSTORNOS DA PALPEBRA H03 TRANS. DA PALPEBRA EM DOENCAS CLASSIF"

Transcrição

1 88 ANEXO E Doenças Respiratórias registradas e classificadas conforme a CID - 10 na rede de atendimento público municipal de Vitória, no período de 2001 a 2003 J00 NASOFARINGITE AGUDA [RESFRIADO COMUM] J01 SINUSITE AGUDA J02 FARINGITE AGUDA J03 AMIGDALITE AGUDA J04 LARINGITE E TRAQUEITE AGUDAS J05 LARINGITE OBSTRUTIVA AGUDA [CRUPE] E EPIGLOTITE J06 INFECCOES AGUDAS VIAS AEREAS SUPERIORES LOC. MULTIPLAS N/ESPECIFICADAS J10 INFLUENZA DEVIDA VIRUS INFLUENZA[GRIPE] IDENTIFICADO J11 INFLUENZA [GRIPE] DEVIDA A VIRUS N/IDENTIFICADO J12 PNEUMONIA VIRAL N/CLASSIFICADA EM OUTRA PARTE J13 PNEUMONIA DEVIDA A STREPTOCOCCUS PNEUMONIAE J14 PNEUMONIA DEVIDA A HAEMOPHILUS INFUENZAE J15 PNEUMONIA BACTERIANA N/COLASSIFICADA EM OUTRA PARTE J16 PNEUMONIA DEV. OUTROS MICROORG. INFC. ESPECIFICADOS N/CLAS.OUTRA PARTE J17 PNEUMONIA EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE J18 PNEUMONIA POR MICROORGANISMO N/ESPECIFICADA J20 BRONQUITE AGUDA J21 BRONQUIOLITE AGUDA J22 INFECCOES AGUDAS N/ESPECIFICADAS DAS VIAS AEREAS INFERIORES J30 RINITE ALERGICA E VASOMOTORA J31 RINITE NASOFARINGITE E FARINGITE CRONICAS J32 SINUSITE CRONICA J33 POLIPO NASAL J34 OUTROS TRANSTORNOS DO NARIZ E DOS SEIOS PARANASAIS J35 DOENCAS CRONICAS DAS AMIGDALAS E DAS ADENOIDES J36 ABSCESSO PERIAMIGDALIANO J37 LARINGITE E LARINGOTRAQUEITE CRONICAS J38 DOENCAS DAS CORDAS VOCAIS LARINGITE N/CLAS. EM OUTRA PARTE J39 OUTRAS DOENCAS DAS VIAS AEREAS SUPERIORES J40 BRONQUITE NAO ESPECIFICADA COMO AGUDA OU CRONICA J41 BRONQUITE CRONICA SIMPLES E A MUCOPURULENTA J42 BRONQUITE CRONICA NAO ESPECIFICADA J43 ENFISEMA J44 OUTRAS DOENCAS PULMONARES OBSTRUTIVAS CRONICAS J45 ASMA J46 ESTADO DE MAL ASMATICO

2 89 J47 BRONQUECTASIA J60 PNEUMOCONIOSE DOS MINEIROS DE CARVAO J61 PNEUMOCONIOSE DEVIDA A AMIANTO [ASBESTO] E OUTRAS FIBRAS MINERAIS J62 PNEUMOCONIOSE DEVIDA A POEIRA QUE CONTENHAM SILICA J63 PNEUMOCONIOSE DEVIDA A OUTRA POEIRAS INORGANICAS J64 PNEUMOCONIOSE NAO ESPECIFICADA J65 PNEUMOCONIOSE ASSOCIADA COM TUBERCULOSE J66 DOENCAS DAS VIAS AEREAS DEVIDA A POEIRAS ORGANICAS ESPECIFICAS J68 AFECCOES RESP. DEVIDAS INALACAO PROD.QUIMICOS GASES FUMACAS VAPORES J69 PNEUMONITE DEVIDA A SOLIDOS E LIQUIDOS J70 AFECCOES RESPIRATORIAS DEVIDA A OUTROS AGENTES EXTERNOS J80 SINDROME DO DESCONFORTO RESPIRATORIO DO ADULTO J81 EDEMA PULMONAR N/ESPECIFICADO DE OUTRA FORMA J82 EOSINOFILIA PULMONAR N/CLASSIFICADA EM OUTRA PARTE J84 OUTRAS DOENCAS PULMONARES INTERSTICIAIS J85 ABSCESSO DO PULMAO E DO MEDIASTINO J86 PIOTORAX J90 DERRAME PLEURAL NAO CLASSIFICADO EM OUTRA PARTE J91 DERRAME PLEURAL EM AFECCOES CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE J92 PLACAS PLEURAIS J93 PNEUMOTORAX J94 OUTRAS AFECCOES PLEURAIS J95 AFECCOES RESPIRATORIAS POS-PROCEDIMENTOS N/CLASSIFICADAS OUTRA PARTE J96 INSUFICIENCIA RESPIRATORIA N/CLASSIFICADA OUTRA PARTE J98 OUTROS TRANSTORNOS RESPIRATORIOS J99 TRANSTORNOS RESPIRATORIOS EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE - Doenças Respiratórias registradas e classificadas conforme a CID - 10 na correlacionados a ambientes poluídos¹. - Doenças Respiratórias registradas e classificadas conforme a CID - 10 na com alto índice de correlação com ambientes poluídos¹. ¹ Dr. José Carlos Perini (CRM ). Alergia e Imunologia Clínica. Presidente da Sociedade Brasileira de Alergistas e Imunologistas do Espírito Santo (Até outubro de 2004). Membro da Comissão Nacional de Antígenos Asmáticos. Membro da Câmara Técnica do Conselho Regional de Medicina. Consultório: Rua Misael Pedreira da Silva, 70, sl 1006, Ed. Medical Center, Praia do Suá, Vitória-ES. Tel: (27)

3 90 ANEXO F Doenças Oftalmológicas registradas e classificadas conforme a CID - 10 na rede de atendimento público municipal de Vitória, no período de 2001 a 2003 H00 HORDEOLO E CALAZIO H01 OUTRAS INFLAMACOES DA PALPEBRA H02 OUTROS TRANSTORNOS DA PALPEBRA H03 TRANS. DA PALPEBRA EM DOENCAS CLASSIF. EM OUTRAS PARTES H04 TRANSTORNOS DO APARELHO LACRIMAL H05 TRANSTORNOS DA ORBITA H06 TRANS.DO APARELHO LACRIMAL E D\ORBITA EM DOENCAS CLASSIF.EM OUTR\PARTE H10 CONJUNTIVITE H11 OUTROS TRANSTORNOS DA CONJUNTIVA H13 TRANSTORNOS DA CONJUNTIVA EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRAS PARTE H15 TRANSTORNOS DA ESCLEROTICA H16 CERATITE H17 CICATRIZ E OPACIDADES DA CORNEA H18 OUTROS TRANSTORNOS DA CORNEA H19 TRANS. DA ESCLEROTICA E DA CORNEA EM DOENCAS CLASSIF.EM OUTR\PARTE H20 IRIDOCICLITE H21 OUTROS TRANSTORNOS DA IRIS E DO CORPO CILIAR H22 TRANSTORNOS DA IRIS E DO CORPO CILIAR EM DOENCAS CLASSIF.EM OUTR\PARTE H25 CATARATA SENIL H26 OUTRAS CATARATAS H27 OUTROS TRANSTORNOS DO CRISTALINO H28 CATARATA E OUTR\TRANSTORNOS DO CRISTALINO EM DOENCAS CLASSIF.EM PARTE H30 INFLAMACAO CORIORRETINIANA H31 OUTROS TRANSTORNOS DA COROIDE H32 TRANSTORNOS CORIORRETINIANOS EM DOENCAS CLASSIF. EM OUTRA PARTE H33 DESCOLAMENTOS E DEFEITOS DA RETINA H34 OCLUSOES VASCULARES DA RETINA H35 OUTROS TRANSTORNOS DA RETINA H36 TRANSTORNOS DA RETINA EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE H40 GLAUCOMA H42 GLAUCOMA EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE H43 TRANSTORNOS DO HUMOR VITREO H44 TRANSTORNOS DO GLOBO OCULAR H45 TRANS.D\HUMOR VITREO E D\GLOBO OCULAR EM DOENCAS CLAS. EM OUTR\PARTE H46 NEURITE OPTICA

4 91 H47 OUTROS TRANSTORNOS H48 TRANST.D\NERVO OPTIC.(SEGUND.PAR)E VIAS OPTIC.EM DOENC.CLAS EM OUTR PA H49 ESTRABISMO PARALITICO H50 OUTROS ESTRABISMOS H51 OUTR0S TRANSTORNOS DO MOVIMENTO BINOCULAR H52 TRANSTORNOS DA REFRACAO E DA ACOMODACAO H53 DISTURBIOS VISUAIS H54 CEQUEIRA E VISAO SUBNORMAL H55 NISTAGMO E OUTROS MOVIMENTOS IRREGULARES DO OLHO H57 OUTROS TRANSTORNOS DO OLHO E ANEXOS H58 OUTROS TRANS. DO OLHO E ANEXOS EM DOECAS CLASSIF. EM OUTRA PARTE H59 TRANS. DO OLHO E ANEXOS POS-PROCEDIMENTO N CLASSIF.EM OUTR\PARTE H60 OTITE EXTERNA H61 OUTROS TRANSTORNOS DO OUVIDO EXTERNO H62 TRANS. DO OUVIDO EXTERNO EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE H65 OTITE MEDIA NAO-SUPURATIVA H66 OTITE MEDIA SUPURATIVA E AS NAO ESPECIFICADAS H67 OTITE MEDIA EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE H68 SALPINGITE E OBSTRUCAO DA TROMPA DE EUSTAQUIO H69 OUTROS TRANSTORNOS DA TROMPA DE EUSTAQUIO H70 MASTOIDITE E AFECCOES CORRELATAS H71 COLESTEATOMA DO OUVIDO MEDIO H72 PERFURACAO DA MEMBRANA DO TIMPANO H73 OUTROS TRANSTORNOS DA MEMBRANA DO TIMPANO H74 OUTROS TRANSTORNOS DO OUVIDO MEDIO E DA MASTOIDE H75 OUTROS TRANSTORNOS OUVIDO MEDIO MASTOIDE DOENCAS CLAS. OUTRA PARTE H80 OTOSCLEROSE H81 TRANSTORNOS DA FUNCAO VESTIBULAR H82 SINDROMES VERTIGINOSAS EM DOENCAS CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE H83 OUTROS TRANSTORNOS DO OUVIDO INTERNO H90 PERDA DE AUDICAO POR TRANSTORNO DE CONDUCAO E/OU NEURO-SENSORIAL H91 OUTRAS PERDAS DE AUDICAO H92 OTALGIA E SECRECAO AUDITIVA H93 OUTROS TRANSTORNOS DO OUVIDO NAO CLASSIFICADOS EM OUTRA PARTE H94 OUTROS TRANSTORNOS DO OUVIDO EM DOENCAS CLASSIFICADAS OUTRA PARTE H95 TRANS. OUVIDO APOFISE MASTOIDE POS-PROCEDIMENTOS N/CLAS.OU/PARTE H100 PACIENTES HIGIDO DE QUALQUER IDADE

5 92 - Doenças Oftalmológicas registradas e classificadas conforme a CID - 10 na correlacionados a ambientes poluídos¹. - Doenças Oftalmológicas registradas e classificadas conforme a CID - 10 na com alto índice de correlação com ambientes poluídos¹. ¹ Dr. José Geraldo Vianna Moraes (CRM ). Oftalmologia com ênfase em glaucoma. Presidente da Sociedade Capixaba de Oftalmologia (Até dezembro de 2004). Consultório: Rua Eugenio Netto, 488, sl 803, Ed. Praia Office, Praia do Canto, Vitória-ES. Tel: (27)

www.saudedireta.com.br

www.saudedireta.com.br H00-H59 CAPÍTULO VII : Doenças do olho e anexos H00-H06 Transtornos da pálpebra, do aparelho lacrimal e da órbita H10-H13 Transtornos da conjuntiva H15-H19 Transtornos da esclera e da córnea H20-H22 Transtornos

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA. Área de abrangência do DRS XIII

CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA. Área de abrangência do DRS XIII CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE REFERÊNCIA EM OFTALMOLOGIA Área de abrangência do DRS XIII HOSPITAL DAS CLINICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS Professora: Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com SISTEMA RESPIRATÓRIO: Os locais de trabalho têm oferecido, cada vez mais, ambientes poluídos por diversos

Leia mais

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca DOENÇAS RESPIRATÓRIAS Professora: Sabrina Cunha da Fonseca Os locais de trabalho têm oferecido, cada vez mais, ambientes poluídos por diversos elementos, gasosos e sólidos, presentes no ar como gases e

Leia mais

Protocolos para exames complementares em oftalmologia

Protocolos para exames complementares em oftalmologia Protocolos para exames complementares em oftalmologia Regulamentar as indicações absolutas para a requisição dos 31 exames complementares oftalmológicos. É necessário entender que cada profissional poderá

Leia mais

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função respiratória é prioritária em qualquer situação de intercorrência clínica. O paciente

Leia mais

INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS

INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS - IRAs Estima-se se que morram de IRA 4 milhões de crianças de 0 a 5 anos por ano/mundo Prof. Enf. Hygor Elias 75% das mortes Rinofaringite Amigdalite Otite Sinusite Trato

Leia mais

Capítulo 8 (Ex-CAPÍTULO 9) DOENÇAS DO APARELHO RESPIRATÓRIO 9.1. CAPÍTULO 8 DA LISTA TABULAR DO VOLUME 1

Capítulo 8 (Ex-CAPÍTULO 9) DOENÇAS DO APARELHO RESPIRATÓRIO 9.1. CAPÍTULO 8 DA LISTA TABULAR DO VOLUME 1 Capítulo 8 (Ex-CAPÍTULO 9) DOENÇAS DO APARELHO RESPIRATÓRIO 9.1. CAPÍTULO 8 DA LISTA TABULAR DO VOLUME 1 No Índice da Lista Tabular da CID-9-MC, as Doenças do Aparelho Respiratório encontram-se referenciadas

Leia mais

Aula 12: Doenças do sistema respiratório

Aula 12: Doenças do sistema respiratório Aula 12: Doenças do sistema respiratório Doenças do sistema respiratório Doenças respiratórias são aquelas que atingem órgãos do sistema respiratório (pulmões, boca, faringe, fossas nasais, laringe, brônquios,

Leia mais

Graças a ele, podemos perceber melhor o mundo e nosso corpo.

Graças a ele, podemos perceber melhor o mundo e nosso corpo. Graças a ele, podemos perceber melhor o mundo e nosso corpo. Assim, além de boas sensações, podemos escapar de problemas sérios, como evitar a ingestão de um alimento estragado, ao sentir o cheiro e gosto

Leia mais

Procedimento x CBO. 02.11.08.004-7 GASOMETRIA (APOS OXIGENIO A 100 DURANTE A DIFUSAO ALVEOLO-CAPILAR) 223151 - Médico pneumologista

Procedimento x CBO. 02.11.08.004-7 GASOMETRIA (APOS OXIGENIO A 100 DURANTE A DIFUSAO ALVEOLO-CAPILAR) 223151 - Médico pneumologista Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS 01.01.01.002-8 Procedimento x CBO ATIVIDADE EDUCATIVA / ORIENTACAO

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof.: Lazaro Antonio dos Santos

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof.: Lazaro Antonio dos Santos SISTEMA RESPIRATÓRIO Prof.: Lazaro Antonio dos Santos SISTEMA RESPIRATÓRIO CONCEITO Conjunto de órgãos que nutrem o organismo por meio de alimentos no estado gasoso, completando a função do Sistema Digestório.

Leia mais

Infecções de Vias Aéreas Superiores

Infecções de Vias Aéreas Superiores Infecções de Vias Aéreas Superiores As infecções das vias aéreas superiores (IVAS) são um dos problemas mais comuns encontrados em serviços de atendimento médico pediátricos, resultando em uma morbidade

Leia mais

Doenças Respiratórias Há uma ameaça no ar

Doenças Respiratórias Há uma ameaça no ar Dossier Informativo Doenças Respiratórias Há uma ameaça no ar Com o apoio: Setembro 2006 Índice» Doenças Respiratórias - Panorama Nacional 3» Vírus da Gripe Influenza. 4» Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica

Leia mais

FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO MÉDICO E HOSPITALAR

FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO MÉDICO E HOSPITALAR Edital N.º 073/2014-FAMESP-RH A Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar, torna público, para conhecimento dos interessados, que encontram-se abertas as inscrições para o processo seletivo de

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

Audiência Pública Assembléia Legislativa do Estado da Bahia

Audiência Pública Assembléia Legislativa do Estado da Bahia Audiência Pública Assembléia Legislativa do Estado da Bahia Debate sobre o PL nº 20.985/2014 Proíbe a extração, a comercialização e o uso do amianto na Bahia Salvador,20 agosto 2015 O amianto como um problema

Leia mais

CONSULTA EM OFTALMOLOGIA GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2

CONSULTA EM OFTALMOLOGIA GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 CONSULTA EM OFTALMOLOGIA GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 Motivos para o encaminhamento: 1. Déficit Visual; 2. Cefaléia acompanhada de baixa acuidade visual 3. Retinopatia Diabética 4. Inflamação Ocular;

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO]

www.drapriscilaalves.com.br [COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO] [COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO] 2 Complexo Respiratório Viral Felino É um conjunto de sintomas causado pelas doenças Rinotraqueíte Felina e Calicivirose Felina. São doenças virais cujos sinais clínicos

Leia mais

Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999.

Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999. Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999. Broncopneumonia não especificada 3388 2564 1637 1734 Diarréia e gastroenterite

Leia mais

PATOLOGIAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO

PATOLOGIAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO PATOLOGIAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO Como prevenir? Como evitar? Como tratar? PATOLOGIAS DO SISTEMA RESPIRATÓRIO (cont.) Anatomia das vias aéreas superiores e dos seios paranasais Seio frontal Cavidade nasal

Leia mais

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

C E E S V O. Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim. Biologia Ensino Médio 3ª série

C E E S V O. Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim. Biologia Ensino Médio 3ª série C E E S V O Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim Biologia Ensino Médio 3ª série Principais assuntos abordados: Órgãos do sentido. Tecido epitelial. Tecido conjuntivo. Tecido conectivo. Tecido

Leia mais

Luz, olho humano e óculos Capítulo 12

Luz, olho humano e óculos Capítulo 12 Luz, olho humano e óculos Capítulo 12 O olho humano O papel da retina e do cérebro A Pupila - É a estrutura do olho responsável por regular a entrada da quantidade de luz para a formação da imagem; - Em

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Afecções do Sistema Respiratório 08/06/2015 08/06/2015

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Afecções do Sistema Respiratório 08/06/2015 08/06/2015 SISTEMA RESPIRATÓRIO Afecções do Sistema Respiratório 1 2 Rinite Rinite Inflamação das membranas mucosas do nariz. Sintomas: Congestão nasal; Coriza (purulenta na rinite bacteriana); Prurido e espirros.

Leia mais

Deficiência visual como causa de aposentadoria na região de Botucatu - São Paulo

Deficiência visual como causa de aposentadoria na região de Botucatu - São Paulo Deficiência de aposentadoria Paulo Erika Hoyama 1 Silvana Artioli Schellini 2 Maria Rosa Bet de Moraes-Silva 3 Carlos Roberto Padovani 4 Recebido em 26/10/00 Aprovado em 24/4/01 1- Pós-Graduanda da UNESP

Leia mais

O que fazer. Gesso e fraturas.

O que fazer. Gesso e fraturas. DOUTOR,POSSO VOAR? (extraído de http://www.orkut.com.br/main#commmsgs?cmm=17111880&tid=5625830708854803828, em 15/05/2012) Posso viajar de avião se estou com conjuntivite ou depois de me recuperar de um

Leia mais

CEGUEIRA E CATARATA. Perguntas e respostas

CEGUEIRA E CATARATA. Perguntas e respostas CEGUEIRA E CATARATA Perguntas e respostas Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira 14. O que torna a pessoa cega? Somado aos acidentes e defeitos

Leia mais

Prezado(a) Beneficiário(a),

Prezado(a) Beneficiário(a), CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO Prezado(a) Beneficiário(a), A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), instituição que regula a atividades das operadoras de planos privados de assistência à saúde,

Leia mais

Cuidando dos ouvidos,

Cuidando dos ouvidos, Tania Sih Ricardo Godinho Cuidando dos ouvidos, nariz e garganta das crianças Guia de orientação São Paulo 2009 2008 Tania Sih, Ricardo Godinho PROJETO GRÁFICO E CAPA: João Baptista da Costa Aguiar ILUSTRAÇÕES:

Leia mais

Universidade Federal do Ceará - UFC Faculdade de Medicina Programa de Ensino Tutorial - PET. Condutas Infecções de Vias Aéreas Superioes

Universidade Federal do Ceará - UFC Faculdade de Medicina Programa de Ensino Tutorial - PET. Condutas Infecções de Vias Aéreas Superioes Universidade Federal do Ceará - UFC Faculdade de Medicina Programa de Ensino Tutorial - PET Condutas Infecções de Vias Aéreas Superioes Fernando Klein Outubro/2010 Caso 1 Fridundino Eulâmpio, 6 anos. Há

Leia mais

SINAIS OCULARES de MEDICINA GERAL(SISTEMICOS) / SINAIS OCULARES LOCAIS

SINAIS OCULARES de MEDICINA GERAL(SISTEMICOS) / SINAIS OCULARES LOCAIS SINAIS OCULARES de MEDICINA GERAL(SISTEMICOS) / SINAIS OCULARES LOCAIS SEMIOLOGIA DOS OLHOS. Sinais e sintomas: Pupilares. Aparelho neuromuscular dos olhos. Fundo de olho. Manifestações: a) cardiovasculares

Leia mais

Evidências em Otorrinolaringologia. Índice Temático 2014

Evidências em Otorrinolaringologia. Índice Temático 2014 Evidências em Otorrinolaringologia Temático 2014 Temático OTOLOGIA 3 RINOLOGIA 4 BUCO-FARINGO-LARINGOLOGIA 5 MEDICINA DO SONO 6 CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO 7 MEDICINA GERAL 8 http://www.evidenciasemorl.com.br

Leia mais

RECOMENDACÕES PARA MANEJO DA TOSSE E RESFRIADO COMUM EM PEDIATRIA Pronto-atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein

RECOMENDACÕES PARA MANEJO DA TOSSE E RESFRIADO COMUM EM PEDIATRIA Pronto-atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein RECOMENDACÕES PARA MANEJO DA TOSSE E RESFRIADO COMUM EM PEDIATRIA Pronto-atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein 1. DEFINIÇÂO A tosse é um dos mais frequentes motivos de consultas em unidades

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.2 DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BETI BRISSE

Leia mais

Tabulação Síndrome de Down

Tabulação Síndrome de Down Tabulação Síndrome de Down 5 Sumário SUMÁRIO.... INTRODUÇÃO.... METODOLOGIA.... APRESENTAÇÃO DOS DADOS... 4 4. ANÁLISE DOS DADOS...ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO. Audição... Erro! Indicador não definido.

Leia mais

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel Insuficiência respiratória aguda O que é!!!!! IR aguda Incapacidade do sistema respiratório de desempenhar suas duas principais funções: - Captação de oxigênio para o sangue arterial - Remoção de gás carbônico

Leia mais

Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria

Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria Criado em 22/04/15 10h50 e atualizado em 22/04/15 11h27 Por Sociedade Brasileira de Pediatria Para se ter sucesso no tratamento da criança alérgica ou

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico O Olho Humano

Projeto CAPAZ Básico O Olho Humano 1 Introdução Ao assistir à aula, você teve acesso ao olho humano e ao funcionamento deste órgão que nos permite enxergar. O que mais nos surpreende é capacidade que ele tem de transformar qualquer imagem

Leia mais

Saúde Ocular do Idoso

Saúde Ocular do Idoso Saúde Ocular do Idoso Norma Helen Medina Centro de Oftalmologia Sanitária CVE CCD/SES SP dvoftal@saude.sp.gov.br Classificação de deficiência visual Organização Mundial da Saúde CID 10 Cegueira Acuidade

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

Hospital IPO. Facial, Cirurgia Vascular, Dermatologia, Endocrinologia, Fonoaudiologia, Gastroenterologia, Medicina Estética,

Hospital IPO. Facial, Cirurgia Vascular, Dermatologia, Endocrinologia, Fonoaudiologia, Gastroenterologia, Medicina Estética, Hospital IPO O Hospital IPO é especializado em atendimento clínico e cirúrgico para adultos e crianças (inclusive urgências e emergências) de nariz, ouvidos, garganta e Cirurgia Estética de Face, que oferece

Leia mais

AFECÇÕES DO SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho

AFECÇÕES DO SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho AFECÇÕES DO SISTEMA RESPIRATÓRIO Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho FUNÇÕES DO APARELHO RESPIRATÓRIO ventilação termorregulação metabolismo de substâncias endógenas proteção FUNÇÕES DO APARELHO

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O(A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao

Leia mais

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos 1 O que é? A bronquiolite é uma doença que se carateriza por uma inflamação nos bronquíolos e que, geralmente,

Leia mais

Brasília, 24 de junho de 2014.

Brasília, 24 de junho de 2014. Brasília, 24 de junho de 2014. Acompanhamento Mensal dos Benefícios Auxílios-Doença Previdenciários Concedidos segundo os Códigos da CID-10 Janeiro a Abril de 2014 CID-10-3 Caracteres Janeiro Fevereiro

Leia mais

GRAVIDEZ EVOLUÇÃO DA ASMA DURANTE A GRAVIDEZ

GRAVIDEZ EVOLUÇÃO DA ASMA DURANTE A GRAVIDEZ GRAVIDEZ EVOLUÇÃO DA ASMA DURANTE A GRAVIDEZ A asma, que afeta 7% das grávidas, é uma doença comum que potencialmente pode complicar, mas, quando é bem controlada, não representa risco significativo para

Leia mais

OS ÓRGÃOS DOS SENTIDOS

OS ÓRGÃOS DOS SENTIDOS Disciplina: Biologia Série: 2ª série E.M. - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Órgãos dos sentidos OS ÓRGÃOS DOS SENTIDOS Os sentidos fundamentais do corpo humano - visão, audição, tato,

Leia mais

PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015

PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015 PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo QUINTA 06/08/2015 Aula Inaugural Med e Fisiopatologia das doenças respiratórias: edema, inflamação,

Leia mais

PORTARIA Nº 01 de 20 de DEZEMBRO de 2011. PUBLICADA NO D.O. de 23/12/2011 (fl. 22, parte I)

PORTARIA Nº 01 de 20 de DEZEMBRO de 2011. PUBLICADA NO D.O. de 23/12/2011 (fl. 22, parte I) PORTARIA Nº 1 de 2 de DEZEMBRO de 211. PUBLICADA NO D.O. de 23/12/211 (fl. 22, parte I) APROVA O MANUAL DE PERÍCIAS MÉDICAS O Superintendente da Central de Perícia Médica e Saúde Ocupacional, no uso de

Leia mais

Circulação sanguínea Intrapulmonar. V. Pulmonar leva sangue oxigenado do pulmão para o coração.

Circulação sanguínea Intrapulmonar. V. Pulmonar leva sangue oxigenado do pulmão para o coração. DOENÇAS PULMONARES Árvore Brônquica Circulação sanguínea Intrapulmonar V. Pulmonar leva sangue oxigenado do pulmão para o coração. A. Pulmonar traz sangue venoso do coração para o pulmão. Trocas Histologia

Leia mais

CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO

CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO Prezado (a) Beneficiário (a), CARTA DE ORIENTAÇÃO AO BENEFICIÁRIO A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), instituição que regula as atividades das operadoras de planos privados de assistência à

Leia mais

VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS

VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS As vacinas conjugadas são aquelas nas quais os antígenos bacterianos são ligados a carreadores protéicos, facilitando o processamento pelos linfócitos T, gerando então,

Leia mais

Relatório Sintético de Procedimentos

Relatório Sintético de Procedimentos Apêndice E Procedimentos em Oftalmologia da Tabela Unificada do SUS Procedimentos que exigem habilitação como Centro de Atenção Oftalmológico (504) ou Unidade de Atenção Especializada em Oftalmologia (503)

Leia mais

PARECER COREN-SP 62/2013 CT PRCI n 100.960 Tickets nº 280.706

PARECER COREN-SP 62/2013 CT PRCI n 100.960 Tickets nº 280.706 PARECER COREN-SP 62/2013 CT PRCI n 100.960 Tickets nº 280.706 Ementa: Realização do exame de fundo de olho por Enfermeiro. 1. Do fato Enfermeira solicita parecer sobre a competência do Enfermeiro para

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

Avaliação Cardiorrespiratória. Avaliação do paciente pneumopata Ambulatório / Home Care. Sinais e Sintomas. Anamnese. Dispinéia. Dispineia 26/02/16

Avaliação Cardiorrespiratória. Avaliação do paciente pneumopata Ambulatório / Home Care. Sinais e Sintomas. Anamnese. Dispinéia. Dispineia 26/02/16 Avaliação do paciente pneumopata Ambulatório / Home Care Avaliação Cardiorrespiratória Anamnese Sinais e Sintomas Ausculta Pulmonar Exame Físico Avaliação Muscular Respiratória Avaliação de Peak Flow Ventilometria

Leia mais

Lista de Tabulação CID-BR

Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

PLANILHA GERAL - 6º PERÍODO - 2º / 2012- FUNDAMENTOS DA CLÍNICA II

PLANILHA GERAL - 6º PERÍODO - 2º / 2012- FUNDAMENTOS DA CLÍNICA II Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo 08:50 LIVRE 204D LIVRE 10:00 LIVRE 204D LIVRE SEGUNDA 26/11/2012 TERÇA 27/11/2012 SEGUNDA 3/12/2012 SEGUNDA 10/12/2012 PLANILHA GERAL - 6º PERÍODO - 2º / 2012-

Leia mais

Sistema Respiratório. Afecções das vias aéreas inferiores. Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho

Sistema Respiratório. Afecções das vias aéreas inferiores. Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho Sistema Respiratório Afecções das vias aéreas inferiores Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho Pneumonia Bronquite Broncopneumonia Pneumonia Intersticial Pneumonia Lobar EBologia Agentes Infecciosos

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA Características dos Cursos de Especialização e Programa Mínimo

CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA Características dos Cursos de Especialização e Programa Mínimo CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA Características dos Cursos de Especialização e Programa Mínimo 1. Especialidade: Oftalmologia 1.1. Pré-requisito - Seleção: Diploma de Médico, Registro no CRM e aprovação

Leia mais

1Oftalmologista, mestranda do Programa de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Goiás

1Oftalmologista, mestranda do Programa de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Goiás Análise das causas de atendimento e prevalência das doenças oculares no serviço de urgência do Centro de Referência em Oftalmologia da Universidade Federal de Goiás Maria Nice Araujo Moraes Rocha1, Marcos

Leia mais

Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras.

Mini Glossário. B Blefarite Inflamação das pálpebras. A Acomodação Capacidade do olho em focar a várias distâncias, desde o perto ao longe, por alteração da potência dióptrica do cristalino. Acuidade Visual Capacidade de discriminar dois pontos próximos como

Leia mais

Carla TG Barreto Andrey M Cardoso Felipe FG Tavares Carlos EA Coimbra Jr. Departamento de Endemias ENSP/FIOCRUZ

Carla TG Barreto Andrey M Cardoso Felipe FG Tavares Carlos EA Coimbra Jr. Departamento de Endemias ENSP/FIOCRUZ Estado vacinal como fator protetor para Infecção Respiratória Aguda em crianças indígenas Guarani menores de 5 anos hospitalizadas no Sul e Sudeste do Brasil: um Estudo Caso-Controle Carla TG Barreto Andrey

Leia mais

GCD_3_Doenças_e_Perturbações_do_Ouvido,_Nariz,_Boca_e_Garganta. GCD 3 Doenças e Perturbações do Ouvido, Nariz, Boca e Garganta

GCD_3_Doenças_e_Perturbações_do_Ouvido,_Nariz,_Boca_e_Garganta. GCD 3 Doenças e Perturbações do Ouvido, Nariz, Boca e Garganta All Patient Diagnosis Related Groups (AP-DRG) v21.0 GCD 3 Doenças e Perturbações do Ouvido, Nariz, Boca e Garganta Diagnósticos que podem dar origem a esta GCD: 012.30 Laringite tuberculosa - exame bacteriológico/histológico

Leia mais

AUDIOLOGIA INFANTIL a importância do diagnóstico precoce em crianças com otite média

AUDIOLOGIA INFANTIL a importância do diagnóstico precoce em crianças com otite média CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA AUDIOLOGIA CLÍNICA AUDIOLOGIA INFANTIL a importância do diagnóstico precoce em crianças com otite média CLAUDIA LUCIANA FERNANDES FIALHO MONOGRAFIA

Leia mais

Infecções das vias aéreas superiores

Infecções das vias aéreas superiores Infecções das vias aéreas superiores INFECÇÕES DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES Morbidade elevada. Alta frequência de consultas ambulatoriais. Dificuldades diagnósticas Risco de complicações Uso abusivo de antibióticos

Leia mais

O frio chegou! 4 //artigo. 5 //talento. 7 //matéria FOTOFOBIA ESPAÇO PARA O SOSSEGO CUIDADOS PARA O INVERNO

O frio chegou! 4 //artigo. 5 //talento. 7 //matéria FOTOFOBIA ESPAÇO PARA O SOSSEGO CUIDADOS PARA O INVERNO Informativo do Instituto da Visão de Cascavel // Ano IV // Nº 20 // Maio/Junho 2013 www.institutodavisao.com O frio chegou! 4 //artigo FOTOFOBIA 5 //talento ESPAÇO PARA O SOSSEGO 7 //matéria CUIDADOS PARA

Leia mais

Toxicologia e Sistema Respiratório. João Luiz Coelho Ribas

Toxicologia e Sistema Respiratório. João Luiz Coelho Ribas Tema 1 nome do tema Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Enfermagem do trabalho Toxicologia Toxicologia e Sistema Respiratório João Luiz Coelho Ribas Introdução Você conhece as doenças

Leia mais

Infecções do trato respiratório

Infecções do trato respiratório Infecções do trato respiratório Anatomia do trato respiratório Estrutura do ouvido Fonte: Black, 2002. Defesas do hospedeiro As infecções do TR podem ser adquiridas através da exposição direta do agente,

Leia mais

Fisiologia Sentidos Especiais

Fisiologia Sentidos Especiais O Olho Fisiologia Sentidos Especiais Profa. Ana Maria Curado Lins, M.Sc Anatomia do Olho Esclerótica: membrana mais externa do olho, é branca, fibrosa e resistente; mantém a forma do globo ocular e protege-o;

Leia mais

RECUPERAÇÃO DA CAUSA BÁSICA DA MORTE

RECUPERAÇÃO DA CAUSA BÁSICA DA MORTE RECUPERAÇÃO DA CAUSA BÁSICA DA MORTE A definição de causa básica por proposta da OMS desde a CID-6 é a seguinte: Causa básica da morte é (a) a doença ou lesão que iniciou uma sucessão de eventos e que

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof. Me. Leandro Parussolo

SISTEMA RESPIRATÓRIO. Prof. Me. Leandro Parussolo SISTEMA RESPIRATÓRIO Prof. Me. Leandro Parussolo SISTEMA RESPIRATÓRIO Permite o transporte de O2 para o sangue (a fim de ser distribuído para as células); Remoção de do CO2 (dejeto do metabolismo celular)

Leia mais

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina)

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) Influenza João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) O que éinfluenza Também conhecida como gripe, a influenza éuma infecção do sistema respiratório

Leia mais

Abordagem da Criança com Taquipnéia. Paula Florence Sampaio

Abordagem da Criança com Taquipnéia. Paula Florence Sampaio Abordagem da Criança com Taquipnéia Paula Florence Sampaio Taquipnéia até 2 meses de idade: 60 rpm de 2 meses a 1 ano: 50 rpm de 1 a 4 anos: 40 rpm 5 anos ou mais: 30 rpm Algumas Causas de Taquipnéia Pneumonia

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS 4º E 5º PERÍODOS MATRIZ 2 4 º Período BIOLOGIA MOLECULAR - 2835 Introdução a Biologia Molecular. Estrutura

Leia mais

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO Profª Fernanda Toledo RECORDAR Qual a função do alimento em nosso corpo? Por quê comer????? Quando nascemos, uma das primeiras atitudes do nosso organismo

Leia mais

CLORIDRATO DE BETAXOLOL. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Solução Oftálmica 5mg/mL

CLORIDRATO DE BETAXOLOL. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Solução Oftálmica 5mg/mL CLORIDRATO DE BETAXOLOL Geolab Indústria Farmacêutica S/A Solução Oftálmica 5mg/mL MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA 2013

DEPARTAMENTO DE OFTALMOLOGIA DA SANTA CASA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA 2013 Organização: Departamento de Oftalmologia e Centro de Estudos Jacques Tupinambá Objetivo: Atualização continuada em oftalmologia clínica e cirúrgica. Obrigatória para residentes, especializandos, fellows

Leia mais

OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido

OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido Labirintite é um termo com significado popular

Leia mais

BRONCHO VAXOM. Takeda Pharma Ltda. Cápsula. 3,5 e 7,0 mg

BRONCHO VAXOM. Takeda Pharma Ltda. Cápsula. 3,5 e 7,0 mg BRONCHO VAXOM Takeda Pharma Ltda. Cápsula 3,5 e 7,0 mg APRESENTAÇÕES Pediátrico: Cápsulas de 3,5 mg. Embalagem com 10 unidades. Adulto: Cápsulas de 7 mg. Embalagens com 10 e 30 unidades. USO ORAL USO ADULTO

Leia mais

Faringoamigdalites na Criança. Thaís Fontes de Magalhães Monitoria de Pediatria 17/03/2014

Faringoamigdalites na Criança. Thaís Fontes de Magalhães Monitoria de Pediatria 17/03/2014 Faringoamigdalites na Criança Thaís Fontes de Magalhães Monitoria de Pediatria 17/03/2014 Faringoamigdalites Quadro Clínico Inflamação de estruturas faríngeas com: Eritema Edema Exsudato faríngeo Úlcera

Leia mais

Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC: 0800 749 0148 / www.unimedextremooeste.com.br D E C L A R A Ç Ã O D E S A Ú D E Identificação:

Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC: 0800 749 0148 / www.unimedextremooeste.com.br D E C L A R A Ç Ã O D E S A Ú D E Identificação: Serviço de Atendimento ao Consumidor - SAC: 0800 749 0148 / www.unimedextremooeste.com.br D E C L A R A Ç Ã O D E S A Ú D E Identificação: Nome do Titular: Dependente 01: Dependente 02: Dependente 03:

Leia mais

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS 1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS MEDICINA 01. A tuberculose, ainda hoje, apresenta-se como um grave problema de saúde pública mundial. A via de transmissão do seu agente etiológico mais comum, o Mycobacterium

Leia mais

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações 1. Introdução A evolução da epidemia causada pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 implica que as medidas sejam adaptadas

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA O estudo do sistema imune (proteção) surgiu no início do século 20, com futuro muito promissor, mas isto não se confirmou de imediato. Os fenômenos imunológicos

Leia mais

Óbitos de menores de um ano 2000 2003 Porto Alegre

Óbitos de menores de um ano 2000 2003 Porto Alegre Óbitos de menores de um ano 2000 2003 Porto Alegre Tabela 1 - Distribuição dos óbitos infantis, segundo a classificação de evitabilidade, Porto Alegre, 1996/1999 ANOS ÓBITOS EVITÁVEIS 1996 1997 1998 1999

Leia mais

VISÃO: MITOS E VERDADES

VISÃO: MITOS E VERDADES Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira VISÃO: MITOS E VERDADES Quem usa óculos enxerga pior à noite? Os míopes enxergam menos à noite, mesmo

Leia mais

Relação da expansão da estratégia de Saúde da Família sobre as ICSAP, no município do Rio De Janeiro, de 2008 a 2013.

Relação da expansão da estratégia de Saúde da Família sobre as ICSAP, no município do Rio De Janeiro, de 2008 a 2013. Relação da expansão da estratégia de Saúde da Família sobre as ICSAP, no município do Rio De Janeiro, de 2008 a 2013. Alexandre Sena 1 Deison Fernando Frederico 2 Jaina Bastos 3 Jéssica Alves 4 Renata

Leia mais

A NATAÇÃO E OS OUVIDOS

A NATAÇÃO E OS OUVIDOS A NATAÇÃO E OS OUVIDOS Colaboração Dr. Clemente Isnard Ribeiro de Almeida A natação é sem dúvida o esporte mais completo e menos sujeito a acidentes, entretanto o nariz e os ouvidos estão predispostos

Leia mais

BRONCHO VAXOM. Takeda Pharma Ltda. Granulado. 3,5 mg/sachê

BRONCHO VAXOM. Takeda Pharma Ltda. Granulado. 3,5 mg/sachê BRONCHO VAXOM Takeda Pharma Ltda. Granulado 3,5 mg/sachê APRESENTAÇÕES Granulado de 3,5 mg/ sachê. Embalagem com 30 sachês. USO ORAL USO PEDIÁTRICO. COMPOSIÇÃO Cada sachê contém 3,5 mg de lisado bacteriano

Leia mais

Atividade O olho humano e os defeitos da visão

Atividade O olho humano e os defeitos da visão Atividade O olho humano e os defeitos da visão A atividade proposta pode ser desenvolvida para aprimorar seus conhecimentos sobre o olho humano e os defeitos da visão. Sugere-se que seja desenvolvida em

Leia mais

MAPA DE RISCO. Anexo XIV Mapa de Risco

MAPA DE RISCO. Anexo XIV Mapa de Risco MAPA DE RISCO O QUE É? Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho (sobre a planta baixa da empresa, podendo ser completo ou setorial), capazes

Leia mais