Atualização sobre o projeto S11D

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atualização sobre o projeto S11D"

Transcrição

1 Atualização sobre o projeto S11D Analyst Tour Pará, Novembro 2015

2 Esse comunicado pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações, quando baseadas em expectativas futuras, e não em fatos históricos, envolvem vários riscos e incertezas. A Vale não pode garantir que tais declarações venham a ser corretas. Tais riscos e incertezas incluem fatores relacionados a: (a) países onde temos operações, principalmente Brasil e Canadá, (b) economia global, (c) mercado de capitais, (d) negócio de minérios e metais e sua dependência à produção industrial global, que é cíclica por natureza, e (e) elevado grau de competição global nos mercados onde a Vale opera. Para obter informações adicionais sobre fatores que possam originar resultados diferentes daqueles estimados pela Vale, favor consultar os relatórios arquivados na Comissão de Valores Mobiliários CVM, na Autorité des Marchés Financiers (AMF), na U.S. Securities and Exchange Commission SEC e no The Stock Exchange of Hong Kong Limited, e em particular os fatores discutidos nas seções Estimativas e projeções e Fatores de risco no Relatório Anual - Form 20F da Vale. isclaimer

3 genda 1. Visão Geral do Projeto 2. Status do Projeto 3. Preparação para as operações

4 Visão Geral do Projeto

5 A abertura da Serra Sul é um marco na história da Vale 5 Serra Norte Serra Sul tem uma extensão de 120 km e área ha S11D tem uma extensão de 9,5 km e área de ha S11D terá vida útil de 30 anos a 90 Mtpa S11D tem uma relação de estéril-minério de 0.38 Floresta Nacional de Carajás Serra Sul Corpo S11

6 Serra Sul contribui significativamente para as reservas da Vale no Sistema Norte Bilhões de toneladas métricas Teor de Fe, % 6 66,7 66,7 65,4 0,306 2,535 7,081 4,240 Serra Sul (S11) Serra Norte Serra Leste Total Fonte: Relatório 20F, 2014

7 O projeto S11D envolve o desenvolvimento de uma nova mina e de estruturas de ferrovia e porto 7 Mina e Planta Ferrovia Porto Capacidade nominal de 90 Mtpa com o sistema truckless Mínimo impacto ambiental com pilha de estéril e planta construída fora da área protegida e utilização do processamento a seco Construção do ramal ferroviário de 101 km, ligando o corpo do S11D com a ferrovia principal Duplicação de 570 km e renovação de 220 km de ferrovia, aumentando a capacidade para 230 Mtpa Construção de uma nova infraestrutura onshore, incluindo 2 viradores de vagão, 1 empilhadeira, 4 recuperadoras e 4 pátios de estocagem Ativação da parte offshore do porto com a construção de um novo berço Pier IV no Berço Norte aumentando a capacidade para 230 Mtpa

8 8 O projeto S11D está previsto para ser entregue no prazo e abaixo do orçamento original US$ bilhões Logística Mina e Planta Mina, Planta e Logística % dos gastos futuros do S11D estão denominados em BRL Orçamento Original Total Acumulado Taxa de câmbio utilizada em 2016 BRL/USD3,50, 2017 BRL/USD 3,60, 2018 BRL/USD 3,70 and 2019 BRL/USD 3,80

9 9 Status do Projeto

10 O projeto S11D está progredindo de acordo com o planejado 10 Em setembro de 2015 Mina e Planta Ferrovia Porto Avanço Físico de 75% Avanço Físico: - Ramal ferroviário: 72% - Duplicação da ferrovia: 34% com 6 segmentos e 7 semi-segmentos dos 48 segmentos entregues Avanço Físico: - Onshore 66% - Offshore 64%

11 O projeto S11D está progredindo de acordo com o planejado 11 Em setembro de 2015 Mina e Planta Ferrovia Porto Avanço Físico de 75% Avanço Físico: - Ramal ferroviário: 72% - Duplicação da ferrovia: 34% com 6 segmentos e 7 semi-segmentos dos 48 segmentos entregues Avanço Físico: - Onshore 66% - Offshore 64%

12 Destaques da Mina e da Planta 12 Capacidade adicional de 90 Mtpa com o sistema truckless e processamento a seco Equipamentos de planta com 36 peneiras, 18 britadores cônicos, 7 empilhaderias e 7 recuperadoras, 2 terminais carregamneto de trens Três pátios de estocagem de ROM com 1 Mt de capacidade e quatro pátios de estocagem de produto principal com 3,4 Mt de capacidade 119 km de correia transportadora Planta de processamento com 109 módulos Pilha de estéril e planta fora da Floresta Nacional de Carajás

13 A mina de S11D trabalhará com o sistema truckless 13 Transportadora Modular Portátil Plataforma Móvel de Dimensionamento

14 O projeto trabalhará com processamento a seco e não será necessário fazer barragens de rejeito Processo de Peneiramento Destaques do Processo 14 Alto teor de ferro não sendo necessário o processo de lavagem e concentração Corpo do minério altamente homogêneo permitindo o processamento a seco do minério MWh de eletricidade poupada todo ano (equivalente a uma cidade de habitantes) Processo mais simples reduzindo investimento de capital e de sustentação, principalmente nas barragens de rejeito Menor impacto ambiental (consumo de água, desmatamento e barragens de rejeito) Utilização de tecnologia conhecida (mesmo processo de peneiramento utilizado na Planta 2, em Carajás)

15 Avanço significativo foi atingido na mina e planta de S11D 15 Mina e Planta Status Avanço físico de 75% até setembro Obras civis concluídas na principal substação da mina 74% de toda obra civil foi concluído 100% dos 109 módulos foram posicionados no site 91% da terraplanagem foi concluída 91% das correias transportadoras de longa distância foram concluídas 93% de equipamentos e estruturas de aço foram recebidas no site 47% já montado e posicionado

16 Visão geral da mina e da planta 16 Mina

17 Visão geral da mina 17 S3 S4 S2 S1 11-Ago-2015

18 Mina Setor Leste 18 Setor Oeste S4 TS01 Setor Leste S3 25-Out-2015

19 Sistema de mineração 3 19 S4 S3 28-Out-2015

20 Mina: Sistemas de correias transportadoras 20 Setor Oeste TS01 Substação da Mina Pilha de estoque de ROM Setor Leste Área de construção do site TS02 11-ago-2015

21 Estação de transferência 1 21 Substação da Mina Pilha de estoque de ROM Setor Leste TS01 Setor Oeste Oct Out jun-2015

22 Principal Subestação da Mina (230kV) Out-2015

23 Mina Pilha de ROM e correias transportadoras de longa distância 23 TS01 Pilha de ROM TS02 25-Out-2015

24 Pilha de estocagem de ROM Out-2015

25 Visão geral da mina e da planta 25 Correia transportadora de longa distância

26 CTLD (Correia Transportadora de Longa Distância) 26 TS06 LDBC Acesso 2B Acesso 7 TS02 11-Ago-2015

27 CTLD (Correia Transportadora de Longa Distância) 27 LDBC Acesso 7 Acesso 2 11-Ago-2015

28 CTLD (Correia Transportadora de Longa Distância) 28 TS07 25-Out-2015

29 CTLD (Correia Transportadora de Longa Distância) 29 BC09 25-Out-2015

30 Visão geral da mina e planta 30 Planta

31 Plantas de britagem secundária e terciária 31 BC10 TS08 Oct Out-2015

32 Visão geral da planta 32 Pilha de estocagem de ROM Pilha do produto principal Plata de britagem secundária Planta de britagem terciária Linha de carregamento Planta de peneiramento secundária 25-Out-2015

33 Planta de britagem secundária Out-2015

34 Planta de britagem secundária Out-2015

35 Linha de carregamento 35 Pêra ferroviária 25-Out-2015 Sistema de carregamento de trem

36 O projeto S11D está avançando conforme planejado 36 Em setembro de 2015 Mina e Planta Ferrovia Porto Avanço físico de 75% Avanço físico: - Ramal ferroviário: 72% - Duplicação de ferrovia: 34% com 6 segmentos e 7 semi-segmentos dos 48 segmentos entregues Avanço físico: - Onshore 66% - Offshore 64%

37 Destaques da Ferrovia 37 Duplicação da ferrovia (EEFC): Implementação da logística no Sistema Norte para transportar 230 Mtpa em seções da ferrovia (570 km) duplicadas 55 seções da ferrovia (220 km) remodeladas Construção de um ramal ferroviário: 101 km de ferrovia 4 pontes 4 túneis

38 48 segmentos da ferrovia estão sendo duplicados e um ramal ferroviário greenfield está sendo construído 38 Ramal Ferroviário Montagem do 1 o AMV Status Construção do ramal ferroviário: 72% de avanço físico 89% da terraplanagem concluída Obras civis em 3 dos 4 túneis concluídas 88% de avanço físico nas pontes EEFC Ponte sobre o rio Pindaré 67% de avanço físico nos viadutos Expansão da Estrada de Ferro Carajás (EFC): 34% de avanço físico 6 segmentos e 7 semi-segmentos dos 48 segmentos entregues 34% de avanço físico nas pontes 10% de avanço físico nos viadutos

39 Ramal Ferroviário Túnel 1 Norte jan mar ago Out out-2014

40 Ramal Ferroviário Ponte sobre o rio Parauapebas jan mar Out ago out-2014

41 Ramal Ferroviário Ponte sobre o rio Verde Out-2015

42 Ferrovia Ponte sobre o rio Pindaré Out-2015

43 Duplicação de Ferrovia Ponto sobre o rio Cajuapara Out out-2014

44 Duplicação de Ferrovia Segmento Out-2015

45 Duplicação de Ferrovia Segmento Out-2015

46 Duplicação de Ferrovia Segmento Out-2015

47 Viaduto Km Out-2015

48 O projeto S11D está avançando conforme planejado 48 Em setembro de 2015 Mina e Planta Ferrovia Porto Avanço físico de 75% Avanço físico: - Ramal ferroviário: 72% - Duplicação de ferrovia: 34% com 6 segmentos e 7 semi-segmentos dos 48 segmentos entregues Avanço físico: - Onshore 66% - Offshore 64%

49 O escopo do projeto inclui infraestrutura onshore e offshore adicional 49 Onshore: Aumento da capacidade logística no Sistema Norte para 230 Mtpa em pátios de estocagem ( t cada) 2 viradores de vagão (8.000 t/h) 1 empilhadeira ( t/h) 2 recuperadoras (8.000 t/h) 2 empilhadeira/recuperadoras (8.000 t/h) Terminal Ferroviário Ponta da Madeira (TFPM): Centros de Manutenção e Mudança de Material Rodante Estação de abastecimento e inspeção de locomotivas Tanques de combustível Offshore: Berço Norte (Pier IV) capaz de carregar Valemaxes 1 linha de carregamento ( t/h) 1 carregador de navio duo quadrante ( t/h)

50 A expansão do porto também está progredindo de acordo com o planejado Porto Onshore Status 50 Porto onshore: - 66% de avanço físico - Obras civis em andamento - Montagem de equipamento em andamento Porto offshore: Porto Offshore - 64% de avanço físico - 89% das fundações concluídas - 59% de avanço físico na montagem eletromecânica do carregador de navios Terminal Ferroviário Ponta da Madeira (TFPM): - 78% de avanço físico - Obras civis concluídas para os centros de manutenção e mudança de material rodante, recarga de locomotivas e estações de inspeção, e tanques de combustíveis

51 Duplicação da Ferrovia Terminal de inspeção da manutenção 51 Subestação Linha de Saída Prédio Administrativo Oficina Principal Estacionamento e Parada de Ônibus Torres de Água Linha de Entrada Pátio de areia 05-oct-2015

52 Duplicação da Ferrovia Mudança de Material Rodante (CTR) e Centro de Manutenção das Rodas (CMR) 52 CTR Oficina principal CMR Oficina principal Subestação Linhas de entrada Vestiário e Enfermagem Prédio Administrativo Oct

53 Onshore Obras de Engenharia nos Pátios O e T 53 O P Patio O Leste e P 23-Out-2015 Pátio T Oeste 07-Out-2015 Pátio O Oeste e P 23-Out-2015 Pátio T Leste 07-Out-2015

54 Onshore Assembly of Car Dumpers and Reclaimers 54 Oct Oct Stacker 05 Reclaimer 06 Car Dumpers 07 and 08 Oct General View Car Dumpers Oct

55 Onshore Montagem das Linhas das Correias transportadoras Out Out-2015 TR 311K-13 CT-311K-202 e TR-313k-82 TR-311K-13 e CT-311K Out-2015 TR-313K-82 e CT-311K-202 TR 313K Out-2015

56 Off shore Construção do Pier 4 no Berço Norte 56 Plataforma Auxiliar Pavimentação A Dolphin D12 Dolphin D10 Track SL4 Dolphin D13 30-Out-2015

57 57 Preparação para as Operações

58 Pessoal necessário para o start-up já foram mobilizados e estão em treinamento 58 O projeto S11D está evoluindo conforme o planejado e espera-se que alcançará as seguintes etapas fundamentais ainda em 2016: Start-up da Mina e Planta Start-up do Ramal Ferroviário Renovação gradual da capacidade da Estrada de Ferro Carajás (EEFC) Start-up do Terminal Ferroviário Ponta da Madeira (TFPM) Start-up do Porto Onshore e Expansão do Porto Offshore Port Preparação para as operações está avançada com a mobilização e treinamento de pessoal chave Engajamento das comunidades locais tem sido primordial para o sucesso do projeto

59 Pessoal necessário para o start-up da Mina e Planta já foram mobilizados e estão em treinamento 59 Treinamento Pré-Operacional Mais de 800 pessoas já mobilizadas de um total de Programas de treinamento em parceria com o SENAI e outras companias mineradoras

60 O time de logística também está sendo treinado 60 Treinamento Pré-Operacional 300 trainees já foram treinados de um total de 500 trainees Mais de 200 horas de treinamento teórico e prático por pessoa

61 S11D já está beneficiando as comunidades locais Canaã dos Carajás Câmara Municipal Complexo Multiesportivo Investimentos projetos aprovados 104 em andamento com mais de 330 mil pessoas beneficiadas por projetos como: Construção de escolas A Câmara Municipal em Canaã dos Carajás em parceria com a Câmara Estadual do Pará Construção de escolas consistindo em salas de aula, quadras esportivas e biblioteca US$ 382 milhões ainda serão investidos em programas sociais Diálogo com as comunidades 85% da força de trabalho oriunda das comunidades locais Foco na melhoria contínua do relacionamento com povos indígenas

62 62

Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro

Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro São Paulo, Brasil 12-14 de julho, 2015 Situação e Perspectivas Mercado de Minério de ferro Congresso Brasileiro do Aço, 26ª edição Peter Poppinga Diretor Executivo de Ferrosos isclaimer Esse comunicado

Leia mais

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão

A Vale no Maranhão. A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão A Vale no Maranhão Estamos presentes em mais de 38 países Geramos mais de 174 mil empregos no mundo Além de minérios, atuamos na área de fertilizantes e nos segmentos de logística, energia

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

Brasil - China: 40 anos de parceria estratégica

Brasil - China: 40 anos de parceria estratégica Brasil - China: 40 anos de parceria estratégica ENAEX 2014 7 e 8 de agosto Rio de Janeiro José Carlos Martins Diretor-Executivo de Ferrosos e Estratégia Disclaimer Esse comunicado pode incluir declarações

Leia mais

Estratégia e criação. Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013

Estratégia e criação. Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013 Estratégia e criação de valor Luciano Siani Rio de Janeiro 29 de janeiro de 2013 A estratégia e os investimentos da Vale Reduzindo incertezas Enorme avanço no processo de licenciamento ambiental, permitindo

Leia mais

Gestão de capital e criação de valor. APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012

Gestão de capital e criação de valor. APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012 Gestão de capital e criação de valor 1 APIMEC Rio 27 de janeiro de 2012 Gestão do capital orientada para a criação de valor: foco em disciplina na alocação do capital e transparência Excelência na execução

Leia mais

AFIRMAÇÕES SOBRE O FUTURO

AFIRMAÇÕES SOBRE O FUTURO AFIRMAÇÕES SOBRE O FUTURO COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL A TRAJETÓRIA 2003 Aquisição da Lusosider em Portugal 2002 2005 Início da expansão da Mina Casa de Pedra e do terminal de carvão em Itaguaí Usina

Leia mais

Desempenho em 2012/4T12 28 de fevereiro de 2013

Desempenho em 2012/4T12 28 de fevereiro de 2013 Os primeiros resultados de uma nova era Desempenho em 2012/4T12 p 28 de fevereiro de 2013 Disclaimer 2 Esse comunicado pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados

Leia mais

Fábrica de. Imperatriz

Fábrica de. Imperatriz Fábrica de Industrial Por que Maranhão? Logística Florestal Fábrica de Por que Maranhão? COMPETITIVIDADE FLORESTAL Nova Fronteira para produção de celulose PA MA PI TO BA FLORESTAL 25 anos de pesquisa

Leia mais

Enfrentando novos desafios. ExpoMoney - RJ Novembro, 2008

Enfrentando novos desafios. ExpoMoney - RJ Novembro, 2008 Enfrentando novos desafios ExpoMoney - RJ Novembro, 2008 1 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Vale sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência. Gleuza Jesué

Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência. Gleuza Jesué Projetos de Inovação e Melhores Práticas de Competitividade e Eficiência Gleuza Jesué Nossa agenda 1 2 3 4 Pilares estratégicos e ações estruturantes Metodologia da gestão da licença para operar Case:

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T13

Apresentação de Resultados 1T13 Apresentação de Resultados 1T13 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Inovações que viabilizaram as dimensões econômicas, ambientais e sociais da construção do maior projeto de extração de minério de ferro no mundo

Inovações que viabilizaram as dimensões econômicas, ambientais e sociais da construção do maior projeto de extração de minério de ferro no mundo vale 20 INOVAR É FAZER. 22 CASOS EMPRESARIAIS DE INOVAÇÃO DE PEQUENAS, MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS Inovações que viabilizaram as dimensões econômicas, ambientais e sociais da construção do maior projeto

Leia mais

Experiência em Plano Gerencial

Experiência em Plano Gerencial Experiência em Plano Gerencial Maio 2004 CAPACITAÇÃO A Logos Engenharia é uma empresa com foco específico no mercado de prestação de serviços técnicos de gerenciamento e capacitada para o desenvolvimento

Leia mais

REVISÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS DA MMX

REVISÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS DA MMX REVISÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS DA MMX Histórico Recente O primeiro semestre de 2008 foi marcado por novas aquisições e eventos societários recentes que modificaram significativamente o conjunto de ativos

Leia mais

Logística e Infra-estrutura

Logística e Infra-estrutura Siderurgia Mineração Cimento Logística e Infra-estrutura CSN apresenta Plataforma Logística CSN em Itaguaí Plataforma Logística CSN em Itaguaí Um projeto alinhado às necessidades do Brasil Plataforma Logística

Leia mais

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo

Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Extensão Norte Linha 1 - TRENSURB São Leopoldo - Novo Hamburgo Metrô em elevado com extensão de 9,3 Km com rede elétrica aérea, sinalização, bilhetagem eletrônica, escadas rolantes Quatro Estações de Passageiros

Leia mais

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 1 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3814-4540 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

Roadshow da 9ª Emissão de Debêntures Simples Agosto, 2015

Roadshow da 9ª Emissão de Debêntures Simples Agosto, 2015 0 Roadshow da 9ª Emissão de Debêntures Simples Agosto, 2015 ICVM 400 / Volume da emissão R$ 1 bi / artigo 2º da Lei 12.431 Rating: Aaa.br (Moody s) / braaa (S&P) / AAA (bra) (Fitch) Coordenador Líder 1

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T10

Apresentação de Resultados 4T10 Apresentação de Resultados 4T10 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

Seminário Logística e Infraestrutura APIMEC-RIO

Seminário Logística e Infraestrutura APIMEC-RIO Seminário Logística e Infraestrutura APIMEC-RIO Os investimentos da Logística de Carga Geral da Vale Fabiano Lorenzi Rio de Janeiro RJ, 30/05/12 A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de pesquisa,

Leia mais

Transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável.

Transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável. Complexo de Tubarão Nossa Missão Vale Transformar recursos naturais em prosperidade e desenvolvimento sustentável. Nossa Visão Vale Ser a empresa de recursos naturais global nº 1 em criação de valor de

Leia mais

CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE

CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE NOVEMBRO/2011 CONCESSÕES FERROVIÁRIAS ATUAIS FERROVIA km ALL - Malha Oeste (ex - NOVOESTE) 1.945 Ferrovia Centro-Atlântica S.A. - FCA 8.066 MRS Logística

Leia mais

ALL. UMA MULTINACIONAL BRASILEIRA

ALL. UMA MULTINACIONAL BRASILEIRA ALL. UMA MULTINACIONAL BRASILEIRA 13 ANOS DE ALL Março de 1997 Início das atividades Privatização Malha Sul Julho de 2001 Aquisição da Delara Consolidação Logística Maio de 2006 Aquisição da Brasil Ferrovias

Leia mais

Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro

Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro Divulgação - Vale Vale: sistema maximiza embarque de minério de ferro Para otimizar as operações de exportação de minério de ferro, a Vale investe no desenvolvimento de sistema que integra as informações

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Belo Horizonte. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Belo Horizonte Setembro/2013 Belo Horizonte: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos

Leia mais

SUPERPORTO DO AÇU. Rio de Janeiro Junho de 2013

SUPERPORTO DO AÇU. Rio de Janeiro Junho de 2013 SUPERPORTO DO AÇU Rio de Janeiro Junho de 2013 SUPERPORTO DO AÇU X PORTOS BRASILEIROS Típico Porto brasileiro: estrangulado pelo crescimento da cidade X Superporto do Açu: Complexo Industrial de 90Km²

Leia mais

Manuseio, Mineração, Processamento Equipamentos para Mineração, Siderurgia e Portos

Manuseio, Mineração, Processamento Equipamentos para Mineração, Siderurgia e Portos Manuseio, Mineração, Processamento Equipamentos para Mineração, Siderurgia e Portos A company of ThyssenKrupp Technologies ThyssenKrupp Fördertechnik Latino Americana TK ThyssenKrupp Fördertechnik Latino

Leia mais

Engenharia Civil PROJETO MINAS-RIO: MINERODUTO

Engenharia Civil PROJETO MINAS-RIO: MINERODUTO Engenharia Civil PROJETO MINAS-RIO: MINERODUTO Campos dos Goytacazes, 14 de Outubro de 2014 Engenharia Civil PROJETO MINAS-RIO: MINERODUTO AUTORES: THAYS CRISTINE CORRÊA CAMINHA ARIANA ANDRADE SANTOS GISELE

Leia mais

www.supervia.com.br 1

www.supervia.com.br 1 www.supervia.com.br 1 Trens Urbanos no Rio de Janeiro Histórico Antes da privatização, sob condições de transporte inadequadas, o número de passageiros caiu consistentemente Média de passageiros dias úteis

Leia mais

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES FEV - 2013 Mercado de atuação do EEP descobertas do pré-sal: o Brasil se transformou no grande mercado para diversos equipamentos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO TERMINAL DE TUBARÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DO TERMINAL DE TUBARÃO ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO PÁGINA 1 INFORMAÇÕES DOS TERMINAIS PORTUÁRIOS 3 2 TERMINAIS PORTUÁRIOS DO COMPLEXO DE TUBARÃO 3 3 4 3.1 TERMINAL PORTUÁRIO DE MINÉRIO DE FERRO DE TUBARÃO - TU 4 3.1.1. PÍER 1 - NORTE

Leia mais

Brado Logística e Incorporação Standard. Atualização - 20 de dezembro de 2010

Brado Logística e Incorporação Standard. Atualização - 20 de dezembro de 2010 Ressalvas Este Documento é destinado aos acionistas da ALL América Latina Logística S.A. e tem por objetivo apresentar os mesmos fatos e eventos descritos no Fato Relevante divulgado no dia 20 de dezembro

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede do Rio de Janeiro. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede do Rio de Janeiro. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede do Rio de Janeiro Dezembro de 2012 CodeP1 CODE1 Rio de Janeiro: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

Obras Executadas. Construção do Restaurante Oeste, capacidade para 640 lugares, com área construída de 1.800 m2.

Obras Executadas. Construção do Restaurante Oeste, capacidade para 640 lugares, com área construída de 1.800 m2. Obras Executadas Cliente: CAP COMPANHIA DE ALUMINA DO PARÁ (VALE) Barcarena-PA Construção do Restaurante Oeste, capacidade para 640 lugares, com área construída de 1.800 m2. CAP COMPANHIA DE ALUMINA DO

Leia mais

Logística da Vale Marcello Spinelli Diretor Comercial de Logística e Presidente da FCA

Logística da Vale Marcello Spinelli Diretor Comercial de Logística e Presidente da FCA Logística da Vale Marcello Spinelli Diretor Comercial de Logística e Presidente da FCA Logística da Vale Pilares estratégicos Investimentos Sistema Logístico Vale A CVRD oferece serviços de logística integrada

Leia mais

Principais critérios que influenciam na determinação dos coeficientes da capacidade ferroviária

Principais critérios que influenciam na determinação dos coeficientes da capacidade ferroviária Principais critérios que influenciam na determinação dos coeficientes da capacidade ferroviária OBJETIVO Este artigo tem como objetivo apresentar uma metodologia para o cálculo da capacidade de um trecho

Leia mais

VIA PERMANENTE. Manipulador de TLS

VIA PERMANENTE. Manipulador de TLS VIA PERMANENTE Manipulador de TLS Ualace Ventura da Silva¹, Antônio Dirceu de Oliveira Ribeiro² 1 Engenharia Ferroviária Vale S.A. - EFVM, Av. Dante Michelini, 5500 29090-900 Vitória, ES Brasil 2 Logística

Leia mais

TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS

TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS Câmara dos Deputados Comissão Especial PL 0037/11 Audiência Pública em 18 de Setembro de 2013 TEMA: DESAFIOS LOGÍSTICOS (Brasília-DF) INSTITUTO BRASILEIRO DE MINERAÇÃO SUMÁRIO 1) A MINERAÇÃO HOJE 2) MINERAÇÃO

Leia mais

1º Simpósio Infra-estrutura e Logística no Brasil: Desafios para um país emergente

1º Simpósio Infra-estrutura e Logística no Brasil: Desafios para um país emergente 1º Simpósio Infra-estrutura e Logística no Brasil: Desafios para um país emergente Painel: Gestão Pública, Orçamento e Investimento Públicos - Privados O HISTÓRICO DOS INVESTIMENTOS EM INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Recife. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Recife. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Recife Dezembro de 2012 Recife: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição dos investimentos por

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2404 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº 162/2013 CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2404 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº 162/2013 CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 26/06/2013-15:38:48 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2404 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL

Leia mais

Usina Hidrelétrica de Belo Monte

Usina Hidrelétrica de Belo Monte Usina Hidrelétrica de Belo Monte PA Ao dar continuidade ao maior programa de infraestrutura do Brasil desde a redemocratização, o Governo Federal assumiu o compromisso de implantar um novo modelo de desenvolvimento

Leia mais

CADASTRO DE VISTORIA

CADASTRO DE VISTORIA 01 - Empresa: COMPANHIA VALE DO RIO DOCE - CVRD 02 - Endereço da Sede (Rua, Avenida, etc) Avenida Dante Micheline 04 - Complemento: Ponta de Tubarão 08 - CEP: 29090-900 11 CNPJ/MF: (Sede) 33 592 510 /

Leia mais

IFRS em R$ 1T15 DESEMPENHO DA VALE NO 1T15

IFRS em R$ 1T15 DESEMPENHO DA VALE NO 1T15 DESEMPENHO DA VALE NO ENDIVIDAMENTO ESTÁVEL BASEADO EM MENORES CUSTOS E DISCIPLINA NA GESTÃO DO CAPITAL E PORTFÓLIO BM&F BOVESPA: VALE3, VALE5 NYSE: VALE, VALE.P HKEx: 6210, 6230 EURONEXT PARIS: VALE3,

Leia mais

Implementação de Programa de Eficiência Energética focado em redução de custos e melhoria operacional

Implementação de Programa de Eficiência Energética focado em redução de custos e melhoria operacional Implementação de Programa de Eficiência focado em redução de custos e melhoria operacional INTRODUÇÃO Custos com combustível é um dos mais representativos em uma ferrovia; EE = L ktkb Possui influência

Leia mais

NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO

NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO NOVEMBRO 2011 IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA PORTO HOJE PLANO ESTRATÉGICO 1 LOCALIZAÇÃO PRIVILEGIADA MUNDIAL Rotterdam (5) (1) (4) Porto do Itaqui (3) (2) Itaqui China (Shangai) (1) Via Canal Panamá ~ 12.000

Leia mais

MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS. Roberta Thees* Artur Furtado

MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS. Roberta Thees* Artur Furtado MONITORAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS Roberta Thees* Artur Furtado A MRS LOGÍSTICA A MRS atua no transporte ferroviário de cargas desde 1996, operando e monitorando a malha sudeste da Rede Ferroviária Federal.

Leia mais

IV Brasil nos Trilhos

IV Brasil nos Trilhos IV Brasil nos Trilhos Crescimento do Setor Ferroviá Bruno Batista Diretor Executivo CNT Brasília, 11 de agosto de 2010. Objetivos da Pesquisa Identificar as alterações ocorridas no setor nos últimos anos

Leia mais

COSAN DAY 2012. Julio Fontana

COSAN DAY 2012. Julio Fontana COSAN DAY 2012 Julio Fontana Disclaimer Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

2nd Itaú Securities Conference. 31 Março, 2010 1

2nd Itaú Securities Conference. 31 Março, 2010 1 2nd Itaú Securities Conference 1 A Tenaris 2 Tenaris em Números Capacidade Anual Tubos de aço sem costura: 3,320 milhões de tons Tubos de aço soldados: 2,420 milhões de tons Colaboradores 22.140 (dezembro

Leia mais

Decisões Certas Inteligência, métodos quantitativos e experiência para construir a melhor decisão dos seus investimentos

Decisões Certas Inteligência, métodos quantitativos e experiência para construir a melhor decisão dos seus investimentos Decisões Certas Inteligência, métodos quantitativos e experiência para construir a melhor decisão dos seus investimentos Tito Livio M. Cardoso tito.livio@decisoescertas.com.br www.decisoescertas.com.br

Leia mais

PRODUÇÃO DA VALE NO 3T15

PRODUÇÃO DA VALE NO 3T15 PRODUÇÃO DA VALE NO 3T15 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3814-4540 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

Originalmente projetada para se constituir no principal vetor de desenvolvimento dos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. Extensão de 1.

Originalmente projetada para se constituir no principal vetor de desenvolvimento dos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. Extensão de 1. Originalmente projetada para se constituir no principal vetor de desenvolvimento dos Estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. PORTO DE ITAQUI/MA AÇAILÂNDIA/MA Extensão de 1.550 km; Açailândia/MA Goiânia/GO;

Leia mais

Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo

Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo Companhia Vale do Rio Doce Em busca do crescimento de longo prazo 1 São Paulo 31 de Maio de 2007 Disclaimer 2 Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da

Leia mais

Mercado Brasileiro de Vagões de Carga

Mercado Brasileiro de Vagões de Carga Mercado Brasileiro de Vagões de Carga Investimentos Usiminas Mecânica A) Modernização e Ampliação da Fundição ü Investimento de R$ 53 milhões; ü Instalação de moderna linha de moldagem automatizada; ü

Leia mais

II CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO

II CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO II CONGRESSO INTERNACIONAL DE DESEMPENHO PORTUÁRIO EFICIÊNCIA PORTUÁRIA: ESTUDO DE CASO NO TERMINAL MARÍTIMO PONTA DA MADEIRA - VALE Eixo Temático: Gestão Logística e Operações Luís Carlos Carvalho Nunes

Leia mais

. 3. Indicadores de Execução do Plano de Negócios

. 3. Indicadores de Execução do Plano de Negócios APIMEC MPX 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua administração

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade

Relatório de Sustentabilidade Relatório de Sustentabilidade Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes Política de sustentabilidade da Rodorei Transportes A Rodorei Transportes adota, há dez anos, uma política agressiva de

Leia mais

PROJETOS & CONSULTORIA

PROJETOS & CONSULTORIA PROJETOS & CONSULTORIA A CALTRA, fundada em 2003, foi criada para prestar serviços de consultoria em engenharia mecânica e estrutural, na área de manuseio de materiais. Negócio: Prover Suporte de Engenharia

Leia mais

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade

Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Perspectivas do Trem de Alta Velocidade Bernardo Figueiredo Julho/2013 TRENS DE ALTA VELOCIDADE Segurança: Trem de Alta Velocidade é mais seguro. AVIÃO Número de mortes por bilhão de passageiro/km RODOVIA

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS. Segundo semestre de 2014 (2S14)

RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS. Segundo semestre de 2014 (2S14) RELATÓRIO SOBRE DEBÊNTURES PARTICIPATIVAS Segundo semestre de 2014 () Códigos de negociação: CVRDA6, CVRDB6, CVRDC6, CVRDD6 Rio de Janeiro, 23 de março de 2015 A Vale efetuará em 31 de março de 2015, o

Leia mais

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados Setembro 2011 Paulo Fleury Agenda Infraestrutura Logística Brasileira PAC: Investimentos e Desempenho PAC: Investimentos e Desempenho Necessidade

Leia mais

AGOSTO GOSTO,, 2011, 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua

Leia mais

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018

MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 MOBILIDADE E LOGÍSTICA NO RJ SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES 2015-2018 Plano Diretor de Mobilidade para Região Metropolitana do Rio de Janeiro Plano Estratégico de Logística e Cargas do Estado do Rio

Leia mais

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF São Paulo, dia 11 de maio de 2010 MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Fórum de Transporte Multimodal de Cargas Os entraves na Multimodalidade e a Competitividade Associação

Leia mais

Banco de Boas Práticas Ambientais. Estudo de Caso. Reaproveitamento de Rejeitos na Mineração - Projeto Areia Industrial

Banco de Boas Práticas Ambientais. Estudo de Caso. Reaproveitamento de Rejeitos na Mineração - Projeto Areia Industrial Banco de Boas Práticas Ambientais Estudo de Caso Reaproveitamento de Rejeitos na Mineração - Projeto Areia Industrial Empresa: MINERITA - Minérios Itaúna Ltda Endereço: Localidade Lagoa das Flores, s/n,

Leia mais

Gestão de projetos aplicado a paradas de manutenção em concentradores de minério de ferro.

Gestão de projetos aplicado a paradas de manutenção em concentradores de minério de ferro. Gestão de projetos aplicado a paradas de manutenção em concentradores de minério de ferro. Edmar de Souza Borges Resumo: O presente artigo tem a intenção de descrever e demonstrar que as paradas de manutenção

Leia mais

CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO. Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história

CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO. Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história CONGRESSO TOCANTINENSE DE ENGENHARIA E MINERAÇÃO Gestão para a Sustentabilidade na Mineração 20 anos de história Palmas, 13 de maio de 2014 IBRAM-Instituto Brasileiro de Mineração Organização privada,

Leia mais

Ferrovias. Infraestrutura no Brasil: Projetos, Financiamentos e Oportunidades

Ferrovias. Infraestrutura no Brasil: Projetos, Financiamentos e Oportunidades Ferrovias OBJETIVOS Ferrovias Novo modelo de investimento/exploração das ferrovias Quebra do monopólio na oferta de serviços de transporte ferroviário Expansão, modernização e integração da malha ferroviária

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

Balanço de energia útil no Brasil Eficiência Energética no setor de transportes

Balanço de energia útil no Brasil Eficiência Energética no setor de transportes 13 1. INTRODUÇÃO Em estudo do Banco Mundial elaborado consta que, no Brasil, os custos logísticos representam, em média, 20% do valor do Produto Interno Bruto (PIB). Essa participação é uma das mais elevadas

Leia mais

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Curitiba. Setembro/2013

Code-P1. 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede: Curitiba. Setembro/2013 CodeP1 5º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede: Curitiba Setembro/2013 Curitiba: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s CodeP2 Referência Set/13, Distribuição dos investimentos

Leia mais

Referência: Instrumento Particular de Escritura da 6ª Emissão de Debêntures Participativas da Companhia Vale do Rio Doce (Escritura)

Referência: Instrumento Particular de Escritura da 6ª Emissão de Debêntures Participativas da Companhia Vale do Rio Doce (Escritura) Rio de Janeiro, 30 de março de 2004. Referência: Instrumento Particular de Escritura da 6ª Emissão de Debêntures Participativas da Companhia Vale do Rio Doce (Escritura) Assunto: Relatório sobre Faturamento

Leia mais

ANTONIO SERGIO ALFANO

ANTONIO SERGIO ALFANO DEZEMBRO DE 2013 ANTONIO SERGIO ALFANO DE 2008 A 2013 REDUÇÃO DE CUSTOS E MUDANÇA DAS PRÁTICAS COMERCIAIS INVESTIMENTOS DE ALTO RETORNO AMPLIAÇÃO DA CONVERSÃO MONTE ALEGRE, PR OTACÍLIO COSTA, SC CORREIA

Leia mais

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 AÇÕES E PROJETOS HABITAÇÃO - 150 mil novas moradias nos próximos quatro anos, para atender a famílias que ganham até 5 salários mínimos, triplicando a produção de moradias no

Leia mais

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG)

Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) Projeto premiado com o 16 Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira 13 de maio de 2014 - Hotel Ouro Minas - Belo Horizonte (MG) o Tel. (11) 3895-8590 premiodeexcelencia@revistaminerios.com.br

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza

Grupo Banco Mundial. Construindo um mundo sem pobreza Grupo Banco Mundial Construindo um mundo sem pobreza Enfoque Regional! O Banco Mundial trabalha em seis grandes regiões do mundo: 2 Fatos Regionais: América Latina e Caribe (ALC)! População total: 500

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T12

Apresentação de Resultados 1T12 Apresentação de Resultados 1T12 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Administração da Companhia sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações

Leia mais

DESEMPENHO DA VALE NO 1T16

DESEMPENHO DA VALE NO 1T16 DESEMPENHO DA VALE NO 1T16 1 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3485-3900 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

Apresentação Corporativa Novembro de 2008. Plano de Negócios Follow Up

Apresentação Corporativa Novembro de 2008. Plano de Negócios Follow Up Apresentação Corporativa Novembro de 2008 Plano de Negócios Follow Up Disclaimer Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão

Leia mais

PAC 2 superará em 72% a execução total do PAC 1

PAC 2 superará em 72% a execução total do PAC 1 EXECUÇÃO GLOBAL DO PAC 2 ATÉ OUTUBRO DE 2014 R$ 1,009 trilhão 91,3% do previsto até 2014 ATÉ DEZEMBRO DE 2014 R$ 1,066 trilhão 96,5% do previsto até 2014 PAC 2 superará em 72% a execução total do PAC 1

Leia mais

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira CARLOS JR. GERENTE DE PLANEJAMENTO INTEGRADO Jun/2013 Jorge Carlos Dória Jr. Votorantim Siderurgia Votorantim Siderurgia O Grupo Votorantim

Leia mais

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO. Superestrutura de Ferrovias

Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV. Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO. Superestrutura de Ferrovias Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas DECIV CIV 259 Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO Malha Ferroviária Brasileira Transporte Ferroviário O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706

Leia mais

PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO DE GRANDE REPARO E MELHORIAS NA ÁREA DA REDUÇÃO DURANTE REFORMA DO ALTO FORNO Nº 1 DA COSIPA.

PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO DE GRANDE REPARO E MELHORIAS NA ÁREA DA REDUÇÃO DURANTE REFORMA DO ALTO FORNO Nº 1 DA COSIPA. PLANEJAMENTO PARA IMPLANTAÇÃO DE GRANDE REPARO E MELHORIAS NA ÁREA DA REDUÇÃO DURANTE REFORMA DO ALTO FORNO Nº 1 DA COSIPA. Luís Augusto Piffer 1 José Henrique Coelho Wanderley Costa 2 RESUMO Após 10 anos

Leia mais

Mineração. Minério de ferro: Preços em queda e estoques crescendo. Análise de Investimentos Relatório Setorial. 22 de Maio de 2014

Mineração. Minério de ferro: Preços em queda e estoques crescendo. Análise de Investimentos Relatório Setorial. 22 de Maio de 2014 Minério de ferro: Preços em queda e estoques crescendo A redução no ritmo de crescimento da produção de aço na China, as dificuldades financeiras das siderúrgicas com os baixos preços naquele país e um

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO TRANSPORTE FERROVIÁRIO O transporte ferroviário no Brasil sofreu, durante um grande período, talvez devido à grande concorrência do transporte rodoviário, a falta de incentivo com relação à ampliação do

Leia mais

Front End Loading Estudo de caso: Transporte

Front End Loading Estudo de caso: Transporte 1 Front End Loading Estudo de caso: Transporte Rafael Luís de Oliveira ¹ Orientador: Ítalo Coutinho ² Resumo Este artigo apresenta a aplicação da ferramenta Front-End Loading (FEL) em projeto de logística.

Leia mais

Relatório de Produção 1T15

Relatório de Produção 1T15 Destaques da Produção Rio de Janeiro, 22 de abril de 2015 A produção da Vale S.A. (Vale) no 1T15 foi marcada pela forte performance operacional do minério de ferro de 74,5 Mt excluindo o minério de ferro

Leia mais

A Powermag fundada em Março de 1997, situada na cidade de Sertãozinho no Estado de São Paulo, é uma empresa prestadora de serviços de engenharia

A Powermag fundada em Março de 1997, situada na cidade de Sertãozinho no Estado de São Paulo, é uma empresa prestadora de serviços de engenharia A Powermag fundada em Março de 1997, situada na cidade de Sertãozinho no Estado de São Paulo, é uma empresa prestadora de serviços de engenharia elétrica e automação com projetos realizados nas principais

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Cumprindo o prometido. 13 de setembro de 2013 Marcio Loures Penna

Cumprindo o prometido. 13 de setembro de 2013 Marcio Loures Penna Cumprindo o prometido 13 de setembro de 2013 Marcio Loures Penna Disclaimer 2 Esse comunicado pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados futuros. Todas as

Leia mais

MRS - MRS Logística S. A.

MRS - MRS Logística S. A. MRS - MRS Logística S. A. A MRS Logística S. A., vencedora do leilão de desestatização da Malha Sudeste da RFFSA em 20 de setembro de 1996, iniciou suas atividades no dia 1 de dezembro de 1996, constituída

Leia mais

Code-P0 COPA 2014. Atualizado em 27/09/2011

Code-P0 COPA 2014. Atualizado em 27/09/2011 CodeP0 AEROPORTOS COPA 2014 Atualizado em 27/09/2011 0 CodeP1 ÍNDICE 2 GUARULHOS 4 Construção do TPS 3 (1ª Fase) Desapropriação, Ampliação e Revitalização do Sistema de Pista e Pátio Ampliação e Revitalização

Leia mais

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15

DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 DESEMPENHO DA VALE NO 3T15 www.vale.com rio@vale.com Tel.: (55 21) 3814-4540 Departamento de Relações com Investidores Rogério T. Nogueira André Figueiredo Carla Albano Miller Fernando Mascarenhas Andrea

Leia mais

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017)

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017) Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017) PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017)

Leia mais