Rede Peer-To-Peer. Conteúdo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rede Peer-To-Peer. Conteúdo"

Transcrição

1 Rede Peer-To-Peer Universidade Federal do Maranhão Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Pós-Graduação em Engenharia de Eletricidade Estágio Docente Prof. Dr. Mário Meireles Teixeira Mestrando: Flávio Barros Lab oratory of Advanced Web Systems 19 de Mai o de UFMA / São Luís Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 2

2 Considerações Iniciais (1/2) Peer-to-Peer (ou entre pares) Tecnologia que permite a conexão direta entre computadores; Estas conexões se revezam nas condições de cliente e servidor, mas, não necessitando de um servidor central; É uma arquitetura de sistemas distribuídos caracterizada pela descentralização das funções na rede; 3 Considerações Iniciais (2/2) Peer-to-Peer (ou entre pares) Estes sistemas, atualmente, são amplamente utilizados para se alcançar Escalabilidade (habilidade de manipulação uniforme) e Robustez (constituição resistente); Falhas transientes (passageiras) e autonomia dos Peers são inerentes (ligadas) a tais sistemas; Nesta arquitetura, cada nodo realiza tanto funções de servidor quanto de cliente. 4

3 Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 5 Arquitetura de Aplicações de Rede (1/8) Cliente-Servidor Peer to Peer Puro Peer to Peer Híbrido 6

4 Arquitetura de Aplicações de Rede (2/8) Cliente-Servidor Em uma arquitetura cliente servidor há sempre um hospedeiro em funcionamento (servidor); O servidor atende a requisição dos clientes; Os clientes não necessitam está sempre em funcionamento; O cliente recebe o objeto requisitado; Request Response. 7 Arquitetura de Aplicações de Rede (3/8) Cliente-Servidor: Aplicação (1/2) 8

5 Arquitetura de Aplicações de Rede (4/8) Cliente-Servidor: Aplicação (2/2) Request Response 9 Arquitetura de Aplicações de Rede (5/8) Peer to Peer Puro Não há servidor; Os hosts se comunicam diretamente entre si; Os pares (peer) se comunicam sem passar por um servidor; Nenhuma maquina precisa estar sempre em funcionamento; Um host pode mudar de endereço cada vez que for ligado; 10

6 Arquitetura de Aplicações de Rede (6/8) Peer to Peer Puro: Aplicação X X 11 Arquitetura de Aplicações de Rede (7/8) Peer to Peer Puro: Aplicação Request Response 12

7 Arquitetura de Aplicações de Rede (8/8) Peer to Peer Híbrido Um par (host) utiliza o servidor (sempre em funcionamento) para saber quais pares estão na rede; MSN; E-Mule; Napster 13 Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 14

8 Vantagens de P2P na Internet Recursos e Serviços compartilhados; Quanto maior a rede, melhor; Aumentando o número de nós, temos mais capacidade de armazenamento, mais banda e mais capacidade de processamento. Conteúdo gigantesco e baixo custo; arquitetura P2P é a escalabilidade, porém difícil de gerenciar. 15 Problemas com P2P na Internet Buscas complexas; Preocupação com a organização; Problemas com firewalls; Tragédia dos Comuns (ou seja, consomem arquivos mas não cedem, assim, o valor da rede diminui) Free Riders (egoístas): são realocados nas bordas da rede ou até expulsos. Difícil gerenciamento devido as informações estarem bastante distribuídas pela internet. 16

9 Ameaças para Usuários P2P A contaminação por vírus nos arquivos baixados; A invasão através de vulnerabilidades em aplicações de redes P2P; Os processos judiciais em decorrência de violação de direitos autorais através da obtenção de software, filmes, músicas, livros obtidos via redes P2P; As ações judiciais, têm sido mais frequentes no exterior, devido a atuação mais efetiva (associações e empresas) na monitoração das atividades em redes P2P. 17 Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 18

10 P2P em rede e a internet os Peers formam uma cobertura de rede (em cima) que por sua vez, usa conexões em rede da rede nativa (em baixo). Obs: A cobertura organizacional é uma visão lógica que talvez não refleti diretamente a topologia de uma rede física. 19 Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 20

11 Impacto do tráfego P2P na Internet Porcentagem relativa do tráfego na Internet por categorias de aplicações até o fim de Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 22

12 Estrutura do modelo de negócio P2P (1/5) Compartilhamento de Arquivos Peers podem compartilhar os conteúdos dos arquivos sem retorno para o distribuidor da mídia. 23 Estrutura do modelo de negócio P2P (2/5) Compartilhamento de Arquivos Se um arquivo com licença é requerido para reproduzir o conteúdo, cada Peer pode obter uma licença específica por um pedido através de uma cadeia de distribuição de licença; Requisita um Path da licença. 24

13 Estrutura do modelo de negócio P2P (3/5) Compartilhamento de Arquivos Peer solicita uma licença diretamente a um distribuidor de licença; Requisita um Path da licença. 25 Estrutura do modelo de negócio P2P (4/5) Compartilhamento de Arquivos Peer oportunista. 1) solicita uma licença a um distribuidor de licença; 2) obtem uma licença específica através de uma cadeia de distribuição de licença; Requisita um Path da licença. 26

14 Estrutura do modelo de negócio P2P (5/5) Compartilhamento de Arquivos Ao adquirir uma licença, existem políticas para o uso do conteúdo protegido: Uso ilimitado até um tempo de expiração; Um número limitado de utilizações; Pré-somente; Propaganda obrigatória por cada utilização; Uso permitido Offline, até que o dispositivo se conecte à rede, que atinge o distribuidor de conteúdo, fazendo com que o utilizador deva obter a licença. 27 Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 28

15 Aplicações P2P Napster (http://www.napster.com) KazaA (http://www.kazaa.com) BitTorrent (http://www.bittorrent.com) Emule (http://www.emule.com) Gnutella (http://www.gnutella.com) BearShare (http://www.bearshare.com) LimeWire (http://www.limewire.com) Freenet (http://www.freenetproject.org) Imesh (http://www.imesh.com) Morpheus (http://www.morpheus.com) Grokster (http:// 29 Aplicações P2P Aplicações P2P em rede privadas separadas 30

16 Napster 31 Napster 32

17 Gnutella (1/3) 33 Gnutella (2/3) 34

18 Gnutella (3/3) 35 LimeWire 36

19 Skype Client VoP2P 37 Emule (1/2) 38

20 Emule (2/2) 39 KaZaA 40

21 Contornando o Firewall: KaZaa (normal) Cliente kazaa na sua rede Cliente responde ao pedi do com o arquiv o soli citado Cliente i nici a a conexão com o cliente que tem o arquiv o Cliente kazaa na rede remota Cliente se registra na porta 1214 /TCP na Rede KaZaA Lista de Arquivos Cliente e nvia a lista dos arquiv os compartil ha dos para a rede Rede kazaa Rede informa o ID do clie nte para buscar o arquiv o Cliente procura arquiv o disponív el na rede 41 Cliente kazaa na sua rede Cliente se registra na porta 1214 /TCP na Rede KaZaA Contornando o Firewall: KaZaa (bloqueio de entrada) Cliente e nvia a lista dos arquiv os compartil ha do s para a rede Cliente i nici a a conexão e envia o arquiv o Lista de Arquivos Rede comunica o cliente do bloquei o X Cliente i nici a a conexão com o cliente que tem o arquiv o e é bloquea do Rede kazaa Rede informa o ID do clie nte para buscar o arquiv o Operação quando o Kazaa é bloqueado (porta 1214 na entrada) Cliente kazaa na rede remota Cliente procura arquiv o disponív el na rede Cliente informa a rede que o outro está bloquea do 42

22 Contornando o Firewall: KaZaa (bloqueio de entrada e saída) Cliente kazaa na sua rede Cliente se registra na porta 80/t cp na re de kazaa Cliente e nvia a lista dos ar quiv os compartil ha dos para a rede Tenta sair nas portas: 1214/TCP BLOQUEADA 1215/TCP BLOQUEADA MUITAS OUTRAS/TCP BLOQUEADA Tenta centenas de portas, incluindo: 80, 53, 1024, etc Cliente i nici a a conexão e envia o arquiv o Lista de Arquivos X Rede comunica o cliente do bloquei o X Cliente i nici a a conexão com o cliente que tem o arquiv o e é bloquea do Rede kazaa Operação quando o Kazaa é bloqueado (porta 1214 entrada/saída) Rede informa o ID do clie nte para buscar o arquiv o Cliente kazaa na rede remota Cliente informa a rede que o outro está bloquea do Cliente procura arquiv o disponív el na rede 43 BitTorrent (1/2) Adotou uma arquitetura peer-to-peer, porque não existe diretório central e todas as pesquisas de arquivo e transferências são distribuídas entre os Peer correspondentes; Reduz largamente a carga no servidor; Isso ocorre por causa dos utilizadores descarregam arquivos uns dos outros, não do servidor; 44

23 BitTorrent (2/2) As barras coloridas indicam que os pedaços são compartilhados em ordem aleatória, em vez da ordem sequencial. 45 Conteúdo Considerações Iniciais Arquitetura de Aplicações de Rede Características Vantagens de P2P na Internet Problemas com P2P na Internet Ameaças para Usuários P2P P2P em rede e a internet Impacto do tráfego P2P na Internet Estrutura do modelo de negócio P2P Aplicações P2P Considerações Finais 46

24 Considerações Finais O peer to peer sempre existiu, porém não era reconhecido como atualmente; Servidores com endereços de IP fixos ou determináveis podiam sempre se comunicar com outros servidores para usufruir os serviços disponibilizados; Na arquitetura peer-to-peer, computadores clientes podem se comunicar tanto como servidores quanto estação, otimizando o uso da rede, reduzindo as cargas nos servidores convencionais e permitindo efetuar serviços mais específicos e especializados. 47 Considerações Finais Grande motivação para o desenvolvimento e a utilização de aplicações P2P: lado técnico - representam a possibilidade do uso de sistemas de compartilhamento sem uma unidade central que podem se organizar e funcionar de forma descentralizada. razões não técnicas - também impulsionam o desenvolvimento das mesmas, sendo o anonimato a principal destas. Por que as pessoas buscam o anonimato? Por, basicamente, dois motivos: 1) para o compartilhamento de material protegido por direitos autorais; e 2) para a livre expressão de idéias. 48

25 Leituras Complementares I-WEB: Peer-to-Peer, Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Computação: Redes Peer-to-Peer. POSI Programa Operacional Sociedade da Informação: Redes Peer-To- Peer & Messaging, SCREMIN, Alberto; HERRERA, Barbara; et al. Sistemas de redes peer to peer. JUNIOR, João R.; ANDRADE, Daniel; MOREIRA, Lucas, et al. Stella: Sistema de Backup Peer-to-Peer. Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), BA. 49 Obrigado pela Atenção! Flávio Barros Lab oratory of Advanced Web Systems 19 de Mai o de UFMA / São Luís

João Rocha Marco Antônio Domingues. Eduardo Souto Guthemberg Silvestre Carlos Kamienski Djamel Sadok

João Rocha Marco Antônio Domingues. Eduardo Souto Guthemberg Silvestre Carlos Kamienski Djamel Sadok GPRT/UFPE GPRT/UFPE Peer-to-Peer (P2P) Computação Colaborativa na Internet Minicurso SBRC - (alterado por Andrea Krob) Autores Originais (UFPE) João Rocha Marco Antônio Domingues Arthur Callado Eduardo

Leia mais

Definição São sistemas distribuídos compostos de nós interconectados, aptos a se auto-organizar em topologias de rede, com o intuito de compartilhar

Definição São sistemas distribuídos compostos de nós interconectados, aptos a se auto-organizar em topologias de rede, com o intuito de compartilhar Redes Peer-to-Peer Redes Peer-to to-peer Arquitetura de Redes P2P Integridade e Proteção Redes Peer-to-Peer (P2P) São sistemas distribuídos nos quais os membros da rede são equivalentes em funcionalidade

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Aplicação Slide 1 Aplicação e Protocolo de Aplicação Aplicação: processos distribuídos em comunicação rodam nos computadores usuários da rede como programas de usuário trocam

Leia mais

Aplicações P2P. André Lucio e Gabriel Argolo

Aplicações P2P. André Lucio e Gabriel Argolo Aplicações P2P André Lucio e Gabriel Argolo Tópicos Internet Peer-to-Peer (Introdução) Modelos (Classificação) Napster Gnutella DHT KaZaA Razões para o Sucesso da Internet Capacidade de interligar várias

Leia mais

Definição São sistemas distribuídos compostos de nós interconectados, aptos a se auto-organizar em topologias de rede, com o intuito de compartilhar

Definição São sistemas distribuídos compostos de nós interconectados, aptos a se auto-organizar em topologias de rede, com o intuito de compartilhar Redes Peer- Redes Peer- (P2P) São sistemas distribuídos nos quais os membros da rede são equivalentes em funcionalidade Permitem que os pares compartilhem recursos diretamente, sem envolver intermediários

Leia mais

Redes P2P. Alexandre Alves Bruno Valério. 19 de junho de 2015

Redes P2P. Alexandre Alves Bruno Valério. 19 de junho de 2015 Redes P2P Alexandre Alves Bruno Valério Rôb Klér 19 de junho de 2015 SUMÁRIO Introdução Características Arquitetura Aplicações Sistemas Segurança Perguntas Conclusões P2P 2/13 INTRODUÇÃO Rede de computadores

Leia mais

Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose)

Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose) Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose) 1. Qual a diferença entre um Programa de computador e um Processo dentro do computador? R. Processo é um programa que está sendo executado em uma máquina/host,

Leia mais

Sistemas Distribuídos Arquitetura de Sistemas Distribuídos Aula II Prof. Rosemary Silveira F. Melo Arquitetura de Sistemas Distribuídos Conceito de Arquitetura de Software Principais elementos arquiteturais

Leia mais

Resumo. Introdução História Caracteristicas Exemplos Arquitetura Distribuição Vertical vs Distribuição Horizontal Segurança Conclusão

Resumo. Introdução História Caracteristicas Exemplos Arquitetura Distribuição Vertical vs Distribuição Horizontal Segurança Conclusão Peer 2 Peer (P2P) Resumo Introdução História Caracteristicas Exemplos Arquitetura Distribuição Vertical vs Distribuição Horizontal Segurança Conclusão O que é P2P? Introdução Tipo de arquitetura de rede

Leia mais

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM INTRODUÇÃO, INFRA-ESTRUTURA E MAPEAMENTO DE ESQUEMAS AGENDA Data Management System Peer Data Management System P2P Infra-estrutura Funcionamento do PDMS Mapeamento de Esquemas

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Aplicação P2P Camada de Transporte Slide 1 P2P O compartilhamento de arquivos P2P é um paradigma de distribuição atraente porque todo o conteúdo é transferido diretamente

Leia mais

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero Servidor, Proxy e Firewall Professor Victor Sotero 1 Servidor: Conceito Um servidor é um sistema de computação centralizada que fornece serviços a uma rede de computadores; Os computadores que acessam

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Camada de Aplicação

Leia mais

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network

Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos. Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Desenvolvimento de uma Rede de Distribuição de Arquivos Development of a File Distribution Network Talles

Leia mais

Peer to Peer. Sandro, Eluan. 8 de Novembro de 2013. Universidade Estácio de Sá

Peer to Peer. Sandro, Eluan. 8 de Novembro de 2013. Universidade Estácio de Sá Universidade Estácio de Sá 8 de Novembro de 2013 Sumario 1 Denição 2 3 4 5 6 Um tipo de rede de computadores onde cada estação possui capacidades e responsabilidades equivalentes. Isto difere da arquitetura

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

AULA Redes de Computadores e a Internet

AULA Redes de Computadores e a Internet UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Disciplina: INF64 (Introdução à Ciência da Computação) Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Aula 2 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Doutoranda em Ciência da Computação - UFU Mestre em Ciência da Computação UFU Bacharel em Ciência da Computação - UFJF Por que definir uma arquitetura?

Leia mais

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Desenvolvimento de Sistemas Cliente Servidor Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Ciclo de Vida Clássico Aonde estamos? Page 2 Análise O que fizemos

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

Peer-to-Peer. Introdução. Motivação. Definição. Definição. Definição. Everton Flávio Rufino Seára Murilo R. de Lima

Peer-to-Peer. Introdução. Motivação. Definição. Definição. Definição. Everton Flávio Rufino Seára Murilo R. de Lima Introdução Peer-to-Peer Everton Flávio Rufino Seára Murilo R. de Lima Peer-to-Peer (P2P) é a base da operação de sistemas distribuídos como SETI@home e Kazaa; caracterizada por compartilhamento direto

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Comunicação coletiva Modelo Peer-to-Peer Slide 6 Nielsen C. Damasceno Introdução Os modelos anteriores eram realizado entre duas partes: Cliente e Servidor. Com RPC e RMI não é possível

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

JXTA. Alessandro Vasconcelos Ferreira de Lima. avfl@cin.ufpe.br

JXTA. Alessandro Vasconcelos Ferreira de Lima. avfl@cin.ufpe.br JXTA Alessandro Vasconcelos Ferreira de Lima Roteiro Motivação Introdução Arquitetura de JXTA Elementos de JXTA Os Protocolos Comparações e Desvantagens Conclusão Motivação Limitações do Modelo Cliente

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Arquiteturas www.pearson.com.br capítulo 2 slide 1 2.1 Estilos Arquitetônicos Formado em termos de componentes, do modo como esses componentes estão conectados uns aos outros, dos dados trocados entre

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Comunicação de Grupos Peer to Peer Comunicação de Grupos Modelos Anteriores - Comunicação envolvia somente duas partes. RPC não permite comunicação de um processo com vários outros

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Existem muitos assuntos relacionados com o Skype. Logo, esta apresentação focar-seá essencialmente nos aspectos mais importantes sobre a arquitectura

Existem muitos assuntos relacionados com o Skype. Logo, esta apresentação focar-seá essencialmente nos aspectos mais importantes sobre a arquitectura 1 Existem muitos assuntos relacionados com o Skype. Logo, esta apresentação focar-seá essencialmente nos aspectos mais importantes sobre a arquitectura da rede e as funcionalidades do Skype. 2 3 4 PRÓS:

Leia mais

Firewalls. Firewalls

Firewalls. Firewalls Firewalls Firewalls Paredes Corta-Fogo Regula o Fluxo de Tráfego entre as redes Pacote1 INTERNET Pacote2 INTERNET Pacote3 Firewalls Firewalls Barreira de Comunicação entre duas redes Host, roteador, PC

Leia mais

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA Através dos elementos que fazem parte do projeto do sistema é que podemos determinar quais as partes do sistema que serão atribuídas às quais tipos

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Quando se projeta um sistema cuja utilização é destinada a ser feita em ambientes do mundo real, projeções devem ser feitas para que o sistema possa

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Arquiteturas Capítulo 2 Agenda Estilos Arquitetônicos Arquiteturas de Sistemas Arquiteturas Centralizadas Arquiteturas Descentralizadas Arquiteturas

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Carlos Ferraz cagf@cin.ufpe.br Tópicos da Aula Apresentação do curso Introdução Definição de sistemas distribuídos Exemplo Vantagens e desvantagens Convergência digital Desafios Visão

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Características de Firewalls

Características de Firewalls Firewall Firewall é um sistema de proteção de redes internas contra acessos não autorizados originados de uma rede não confiável (Internet), ao mesmo tempo que permite o acesso controlado da rede interna

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

Unidade Curricular: SCOM Ano letivo: 2014/2015 Alunos: Diogo Guimarães 100503158 Pedro Brito 100503279

Unidade Curricular: SCOM Ano letivo: 2014/2015 Alunos: Diogo Guimarães 100503158 Pedro Brito 100503279 Unidade Curricular: SCOM Ano letivo: 2014/2015 Alunos: Diogo Guimarães 100503158 Pedro Brito 100503279 Resumo Redes Peer-to-Peer Características Tipos Arquitetura Vantagens Desvantagens Aplicações Skype

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Redes de computadores. Redes para Internet

Redes de computadores. Redes para Internet Redes de computadores Redes para Internet Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações distribuídas Enlaces de comunicação fibra, cobre, rádio, satélite

Leia mais

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido

Roteiro. Arquitetura. Tipos de Arquitetura. Questionário. Centralizado Descentralizado Hibrido Arquitetura Roteiro Arquitetura Tipos de Arquitetura Centralizado Descentralizado Hibrido Questionário 2 Arquitetura Figura 1: Planta baixa de uma casa 3 Arquitetura Engenharia de Software A arquitetura

Leia mais

Organização de arquivos e pastas

Organização de arquivos e pastas Organização de arquivos e pastas Pasta compara-se a uma gaveta de arquivo. É um contêiner no qual é possível armazenar arquivos. As pastas podem conter diversas subpastas. Definir a melhor forma de armazenamento

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Servidor Proxy armazenamento em cache.

Servidor Proxy armazenamento em cache. Servidor Proxy Servidor Proxy Um modo bastante simples de melhorar o desempenho de uma rede é gravar páginas que foram anteriormente acessadas, caso venham a ser solicitadas novamente. O procedimento de

Leia mais

GVGO Grupo 3. Perguntas & Respostas. Peer-to-Peer & Cloud Computing. Peer to Peer

GVGO Grupo 3. Perguntas & Respostas. Peer-to-Peer & Cloud Computing. Peer to Peer Perguntas & Respostas Peer to Peer GVGO Grupo 3 Peer-to-Peer & Cloud Computing 1. O BitTorrent (rede P2P desestruturada) utiliza um tracker centralizado para cada swarm. Cite três propriedades que as redes

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 09 Firewall

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 09 Firewall www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício O que é Firewall Um Firewall é um sistema para controlar o aceso às redes de computadores, desenvolvido para evitar acessos

Leia mais

COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES ENTRE COMPUTADORES ATRAVÉS DA TECNOLOGIA PEER-TO-PEER (P2P) USANDO A PLATAFORMA JXTA

COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES ENTRE COMPUTADORES ATRAVÉS DA TECNOLOGIA PEER-TO-PEER (P2P) USANDO A PLATAFORMA JXTA COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES ENTRE COMPUTADORES ATRAVÉS DA TECNOLOGIA PEER-TO-PEER (P2P) USANDO A PLATAFORMA JXTA José Voss Junior (FURB) juniorvs@inf.furb.br Francisco Adell Péricas (FURB) pericas@furb.br

Leia mais

FTP - Protocolo. O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para a transferência de arquivos entre computadores.

FTP - Protocolo. O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para a transferência de arquivos entre computadores. FTP FTP - Protocolo O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para a transferência de arquivos entre computadores. A partir do FTP usuários podem receber ou enviar arquivos de ou para outros computadores

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Módulo A REDES DE COMPUTADORES Arquiteturas e Abrangência ESCOLHENDO A ARQUITETURA Em redes, podemos trabalhar em 2 tipos de arquiteturas, com vantagens e desvantagens; É diretamente

Leia mais

Segurança em Sistemas de Informação. Agenda. Conceitos Iniciais

Segurança em Sistemas de Informação. Agenda. Conceitos Iniciais Segurança em Sistemas de Informação Agenda 1. Conceitos Iniciais; 2. Terminologia; 3. Como funcionam; 4. : 1. Cache; 2. Proxy reverso; 5. Exemplos de Ferramentas; 6. Hands on; 7. Referências; 2 Conceitos

Leia mais

Redes de Computadores. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br ricardo.souza@ifpa.edu.br

Redes de Computadores. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br ricardo.souza@ifpa.edu.br Redes de Computadores Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br www.ricardojcsouza.com.br CAMADA DE APLICAÇÃO Desempenha funções específicas de utilização dos sistemas Identificação de parceiros

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Faculdades SENAC Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 de agosto de 2009 Membership Grupos dinâmicos Membros entram e saem dos grupos Membros podem falhar (crash) Grupos são criados e destruídos em tempo

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Camada de Aplicação

Leia mais

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos

FTP Protocolo de Transferência de Arquivos FTP Protocolo de Transferência de Arquivos IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm FTP - Protocolo O protocolo FTP é o serviço padrão da Internet para

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUIDOS

SISTEMAS DISTRIBUIDOS 1 2 Caracterização de Sistemas Distribuídos: Os sistemas distribuídos estão em toda parte. A Internet permite que usuários de todo o mundo acessem seus serviços onde quer que possam estar. Cada organização

Leia mais

Segurança de Redes & Internet

Segurança de Redes & Internet Boas Práticas Segurança de Redes & Internet 0800-644-0692 Video Institucional Boas Práticas Segurança de Redes & Internet 0800-644-0692 Agenda Cenário atual e demandas Boas práticas: Monitoramento Firewall

Leia mais

Redes de Computadores Aula 3

Redes de Computadores Aula 3 Redes de Computadores Aula 3 Aula passada Comutação: circuito x pacotes Retardos e perdas Aula de hoje Protocolo em camadas Aplicações C/S x P2P Web Estruturando a Rede Como organizar os serviços de uma

Leia mais

Prof. Luiz Fernando Bittencourt MC714. Sistemas Distribuídos 2 semestre, 2013

Prof. Luiz Fernando Bittencourt MC714. Sistemas Distribuídos 2 semestre, 2013 MC714 Sistemas Distribuídos 2 semestre, 2013 Virtualização - motivação Consolidação de servidores. Consolidação de aplicações. Sandboxing. Múltiplos ambientes de execução. Hardware virtual. Executar múltiplos

Leia mais

RESPOSTA QUESTIONAMENTOS

RESPOSTA QUESTIONAMENTOS RESPOSTA QUESTIONAMENTOS REF.: PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 02-2015 CONSULT JPC GERENCIAMENTO E TREINAMENTO LTDA ME, já devidamente qualificada nos autos do pregão acima, vem com o devido acatamento apresentar

Leia mais

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro

Introdução às Redes de Computadores. Por José Luís Carneiro Introdução às Redes de Computadores Por José Luís Carneiro Portes de computadores Grande Porte Super Computadores e Mainframes Médio Porte Super Minicomputadores e Minicomputadores Pequeno Porte Super

Leia mais

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e PING: Segmentação Interconexão Segurança Meios de acesso Organização e intercâmbio de informações

Leia mais

02/07/2013. Definição de Rede. Compartilhando Dados. Usos de uma Rede NOÇÕES DE REDE: CONCEITOS BÁSICOS

02/07/2013. Definição de Rede. Compartilhando Dados. Usos de uma Rede NOÇÕES DE REDE: CONCEITOS BÁSICOS 2 Definição de Rede NOÇÕES DE REDE: CONCEITOS BÁSICOS Conjunto de tecnologias que conectam computadores Permite comunicação e colaboração entre usuários Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima

Leia mais

GT Computação Colaborativa (P2P)

GT Computação Colaborativa (P2P) GT Computação Colaborativa (P2P) Djamel Sadok Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto de estruturação do grupo de trabalho GT Computação Colaborativa (P2P), responsável pelo

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Soquetes Um soquete é formado por um endereço IP concatenado com um número de porta. Em geral, os soquetes utilizam uma arquitetura cliente-servidor. O servidor espera por pedidos

Leia mais

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni

Material 5 Administração de Recursos de HW e SW. Prof. Edson Ceroni Material 5 Administração de Recursos de HW e SW Prof. Edson Ceroni Desafios para a Administração Centralização X Descentralização Operação interna x Outsourcing Hardware Hardware de um Computador Armazenamento

Leia mais

Sistemas de redes peer to peer

Sistemas de redes peer to peer Sistemas de redes peer to peer Alberto Martinez Scremin Barbara Sabrina Herrera Bianca Caruso da Paixão Daniel Tamaki Informática I 1 2 Índice: 1. Introdução... 4 2. O que é peer to peer?... 4 3. Arquitetura

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Sistemas de Firewall 2 1 SISTEMAS DE FIREWALL 3 Sistemas de Firewall Dispositivo que combina software e hardware para segmentar e controlar o acesso entre redes de computadores

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - II. Segurança de redes

Componentes de um sistema de firewall - II. Segurança de redes Componentes de um sistema de firewall - II Segurança de redes O que são Bastion Hosts? Bastion host é o nome dado a um tipo especial de computador que tem funções críticas de segurança dentro da rede e

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SISTEMA GERENCIADOR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Usando um firewall para ajudar a proteger o computador A conexão à Internet pode representar um perigo para o usuário de computador desatento. Um firewall ajuda a proteger o computador impedindo que usuários

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação. Guilherme Pereira Carvalho Neto. Portas e Serviços

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação. Guilherme Pereira Carvalho Neto. Portas e Serviços Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação Guilherme Pereira Carvalho Neto Portas e Serviços Goiânia 2015 Relatório de portas e serviços na rede Relatório produzido com base em dados colhidos

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Professor: Cleber Schroeder Fonseca cleberfonseca@charqueadas.ifsul.edu.br 8 1 SEGURANÇA EM REDES DE COMPUTADORES 2 Segurança em redes de computadores Consiste na provisão de políticas

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores edes de Computadores Introdução: Capítulo 1- edes de Computadores e a Internet Prof. Jó Ueyama Março/2012 1 Cap. 1 Objetivos Entender os conceitos básicos de redes de computadores. Maior profundidade e

Leia mais

PROTEGENDO-SE DAS PRAGAS VIRTUAIS 20h

PROTEGENDO-SE DAS PRAGAS VIRTUAIS 20h PROTEGENDO-SE DAS PRAGAS VIRTUAIS 20h Luiz Henrique QUEMEL AGENDA BLOCO I - AÇÃO Conceitos Básicos Internet, firewall TCP/IP, DNS, NAT BLOCO II - REAÇÃO Malwares. Correção e prevenção. Segurança doméstica

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura.

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. Módulo 14 Segurança em redes Firewall, Criptografia e autenticação Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. 14.1 Sistemas

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - I

Componentes de um sistema de firewall - I Componentes de um sistema de firewall - I O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um único elemento de software instalado num

Leia mais

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ POLÍTICA DE USO DE EQUIPAMENTO DE INFORMATICA Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos técnicos administrativos, alunos e professores da FACIMP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

O que é um proxy? Desta forma conseguimos filtrar conteúdos de internet para negar acessos indevidos e permitir sites que devem ser liberados.

O que é um proxy? Desta forma conseguimos filtrar conteúdos de internet para negar acessos indevidos e permitir sites que devem ser liberados. O que é um proxy? Um servidor proxy é um tipo de servidor que atua nas requisições dos seus clientes executando os pedidos de conexão a outros servidores. Um cliente conecta-se a um servidor proxy, requisitando

Leia mais

Especialização. Redes TCP/IP. Prof. Edgard Jamhour. Redes TCP/IP

Especialização. Redes TCP/IP. Prof. Edgard Jamhour. Redes TCP/IP Especialização Redes TCP/ Prof. Edgard Jamhour Redes TCP/ Especialização Endereçamento Internet e Intranet Redes TCP/ Internet = REDE TCP/ Endereço de 32 bits Identificador da rede Identificador do host

Leia mais

Voz em ambiente Wireless

Voz em ambiente Wireless Voz em ambiente Wireless Mobilidade, acesso sem fio e convergência são temas do momento no atual mercado das redes de comunicação. É uma tendência irreversível, que vem se tornando realidade e incorporando-se

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES REDE DE COMPUTADORES Tipos de classificação das redes de acordo com sua topologia Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Ao longo da historia das redes, varias topologias foram

Leia mais

Lista de Exercícios 03 - Camadas de Transporte e de Aplicação e Segurança de Redes

Lista de Exercícios 03 - Camadas de Transporte e de Aplicação e Segurança de Redes BCC361 Redes de Computadores (2012-02) Departamento de Computação - Universidade Federal de Ouro Preto - MG Professor Reinaldo Silva Fortes (www.decom.ufop.br/reinaldo) Lista de Exercícios 03 - Camadas

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

10/07/2013. Camadas. Principais Aplicações da Internet. Camada de Aplicação. World Wide Web. World Wide Web NOÇÕES DE REDE: CAMADA DE APLICAÇÃO

10/07/2013. Camadas. Principais Aplicações da Internet. Camada de Aplicação. World Wide Web. World Wide Web NOÇÕES DE REDE: CAMADA DE APLICAÇÃO 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADA DE APLICAÇÃO Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Redes de Computadores. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Redes de Computadores Prof. Dr. Rogério Galante Negri Rede É uma combinação de hardware e software Envia dados de um local para outro Hardware: transporta sinais Software: instruções que regem os serviços

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Introdução

Sistemas Distribuídos. Introdução Sistemas Distribuídos Introdução Definição Processos Um sistema distribuído é um conjunto de computadores independentes, interligados por uma rede de conexão, executando um software distribuído. Executados

Leia mais

Introdução ao Active Directory AD

Introdução ao Active Directory AD Introdução ao Active Directory AD Curso Técnico em Redes de Computadores SENAC - DF Professor Airton Ribeiro O Active Directory, ou simplesmente AD como é usualmente conhecido, é um serviço de diretórios

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Aplicação. Camada de Aplicação

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Aplicação. Camada de Aplicação Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. A camada da aplicação serve como a janela na qual os utilizadores e processos da aplicação podem

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

CRIAÇÃO DE SITES (AULA 1)

CRIAÇÃO DE SITES (AULA 1) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br CRIAÇÃO DE SITES (AULA 1) Internet É um conglomerado deredesem escala mundial de milhões de computadores

Leia mais

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Conceitos: Paradigma C/S. Conceitos: Paradigma C/S. Paradigma Cliente/Servidor

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Conceitos: Paradigma C/S. Conceitos: Paradigma C/S. Paradigma Cliente/Servidor Comunicação em Sistemas Distribuídos Paradigma / Os processos em um SD estão lógica e fisicamente separados. Precisam se comunicar para que possam interagir O desempenho de um SD depende criticamente do

Leia mais

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br

Segurança de Redes. Firewall. Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Segurança de Redes Firewall Filipe Raulino filipe.raulino@ifrn.edu.br Introdução! O firewall é uma combinação de hardware e software que isola a rede local de uma organização da internet; Com ele é possível

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais