CARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS AO GRAU DE UTILIZAÇÃO DA BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS AO GRAU DE UTILIZAÇÃO DA BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE"

Transcrição

1 CARACTERÍSTICAS ASSOCIADAS AO GRAU DE UTILIZAÇÃO DA BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE Sergio Augusto Rodrigues 1, Edevaldo de Lima 2, 1 Prof. (Msc) do curso de Logística da FATEC-Botucatu 2 Graduado do curso de Logística da FATEC- Botucatu Resumo O volume excessivo de veículos nas vias públicas é um problema crescente para muitos municípios brasileiros. Maneiras para tornar a mobilidade urbana mais eficiente são indispensáveis, sendo a adoção de bicicletas em ciclovias planejadas uma alternativa interessante. Com o objetivo de contribuir com a melhoria do trânsito em uma avenida da cidade de Botucatu, este trabalho avaliou possíveis características de seus usuários consideradas em programas de incentivo ao uso de bicicleta como meio de transporte utilizando uma ciclovia. Para isso, um levantamento de dados por meio de uma pesquisa quantitativa com seus usuários foi realizado e o teste de Goodman utilizado para analisar a associação entre as variáveis estudadas. Verificou-se que o meio de transporte utilizado atualmente e usuários que possuem bicicleta no domicílio estão associados com o grau de utilização dessa ciclovia; e que entre os mais jovens e com escolaridade baixa o percentual dos que nunca utilizariam a bicicleta é menor. 1 Introdução Cada vez mais aumenta a necessidade das cidades de incentivar meios de transporte alternativos a fim de evitar o volume excessivo de veículos no trânsito. A utilização da bicicleta pode ser uma alternativa interessante, pois é um transporte econômico e ágil, além de trazer benefícios para a saúde e para o meio ambiente [1]. A sustentabilidade na mobilidade urbana é dada pela capacidade de fazer viagens com o menor gasto de energia possível e menor impacto ao meio ambiente [2]. Segundo [2], a redução da utilização de veículos motorizados, principalmente os automóveis, tornou-se condição necessária para garantir uma mobilidade urbana sustentável. Nas viagens de curto percurso, a bicicleta pode substituir o automóvel com vantagens tanto para o ciclista como para a comunidade em geral. Dessa forma, a bicicleta, sendo não poluente, silenciosa, econômica, discreta e acessível é um meio de transporte rápido e eficiente em trajetos urbanos curtos, sendo um meio sustentável para melhoria da mobilidade urbana de um município [2]. No entanto, no Brasil a utilização da bicicleta como meio de transporte é bastante influenciada pela segurança e principalmente por padrões culturais e comportamentais, pois ainda hoje o automóvel é o símbolo de status e liberdade [3]. Em Botucatu-SP, interior do estado de São Paulo, há uma importante avenida, por ser via de acesso aos parques industriais, a uma grande universidade e à Rodovia Marechal Rondon, apresenta fluxo de veículos intenso, deixando o trânsito congestionado em momentos de pico (horários de chegada e saída dos alunos e funcionários da universidade e empresas da região). Pensando em melhorar o trânsito nessa avenida, o incentivo público para a utilização da bicicleta como meio de transporte deve ser uma alternativa em um futuro próximo, considerando as possíveis soluções para a locomoção urbana e diminuição dos congestionamentos. No entanto, é importante observar que Botucatu se localiza em uma região montanhosa e, portanto, a topografia da cidade exige esforço dos usuários da bicicleta em algumas regiões. Mesmo assim, havendo vontade política para investir em infraestrutura, é possível encontrar áreas favoráveis para uma eventual ciclovia, a qual pode incentivar a utilização da bicicleta como meio de se locomover. O objetivo desse trabalho foi identificar as principais características associadas ao grau de utilização da bicicleta como meio de transporte por uma ciclovia, fornecendo subsídios às políticas de incentivo desse meio de locomoção e, consequentemente, diminuir a frota de veículos motorizados, contribuir com o meio ambiente e saúde da população de Botucatu. 2 Materiais e Método O estudo foi composto por uma revisão da literatura e um estudo observacional por meio de uma pesquisa quantitativa de dados primários. Para o delineamento da amostra foi definido como população alvo as pessoas que passavam pela Avenida Deputado Dante com algum tipo de veículo, mesmo por meio de transporte público, a pé ou de bicicleta, além das pessoas que trabalham nas empresas da região, trabalhadores da UNESP e estudantes. Para uma compreensão mais detalhada da população alvo, esta foi dividida em cinco grupos, conforme a região de partida antes de passar pela Avenida Deputado Dante, conforme abaixo: Região Norte, composta pelos bairros: Vl. Antártica; Vl. Nova Botucatu; Jd. Cambuí; Jd. Continental; Jd. Chácara dos Pinheiros; Jd. Eldorado; Vl. Ferroviária; Jd. Miranda; Recreio Ouro Verde; Jd. Paraíso; Vl. Paulista; Jd. Panorama; Vl. Pinheiro; Jd. Planalto; Real Park; Monte Mor.

2 Região leste, composta pelos bairros: Jd. Brasil; Jd. Ciranda; Cohab 2; Cohab 4; Vl. Maria e Jd. Peabiru. Região sul e oeste, composta pelos bairros: Jd. Aeroporto; Convívio; Cohab 1; Cohab 3; Jd. Palos Verde; Vl. Real; Jd. Reflorenda, Vinte Quatro de Maio e distrito de Rubião Junior. Região central: Vl. Assumpção; Jd. Bom Pastor; Vl. Jardim; Vl. São Lucio. Apesar de o estudo ter sido planejado com base em um método de amostragem probabilístico [4], os dados não foram coletados de forma aleatória, devido às limitações de tempo e recursos financeiros. Desta forma, foi utilizado um método de amostragem não probabilístico em pontos de fluxo, não sendo possível, estipular a margem de erro dos resultados apresentados. Para isto, foram definidos alguns pontos de coleta, tais como UNESP (estacionamentos, pontos de ônibus e pontos de carona), saída de fábricas, adjacências e parque industrial. O tamanho da amostra de 139 pessoas foi definido considerando a utilização da técnica de amostragem aleatória simples, uma proporção esperada para a principal variável do estudo de 0,1 (10% e estimada por um estudo piloto), um nível de confiança de 95% e um erro amostral absoluto de 0,05 [4]. O instrumento de coleta dos dados foi um questionário estruturado previamente testado. Após a realização das entrevistas, um banco de dados foi organizado e preparado paras as análises estatísticas no Excel. Após a coleta de dados, os dados foram analisados por meio de técnicas de estatística descritiva para um melhor entendimento do comportamento da distribuição das variáveis. Foram utilizadas tabelas de distribuição de frequências simples, tabelas de contingência e gráficos [4]. Para o estudo da associação entre as variáveis relacionadas com o perfil dos entrevistados com a variável grau de utilização da bicicleta em uma ciclovia foi realizado o teste de Goodman, complementado com comparações múltiplas entre e dentro de populações binomiais ou multinomiais [5], considerando o nível de 5% de significância. Os resultados dos testes foram apresentados em tabelas por meio de letras maiúsculas e minúsculas. Letras maiúsculas diferentes em uma mesma coluna indicam diferenças significativas (valor p < 0,05) entre as proporções analisadas na coluna. Letras minúsculas diferentes em uma mesma linha indicam diferenças significativas (valor p <0,05) entre as proporções analisadas nos diversos grupos (linhas da tabela). 3 Resultados e discussões 3.1 Caracterização dos entrevistados Analisando o perfil da amostra, verifica-se que a maioria é do sexo masculino (58%), com predominância de pessoas que concluíram ou estão fazendo o ensino médio (58%), contudo, 6% concluíram ou estão fazendo o ensino fundamental, 34% estão fazendo ou já concluíram o ensino superior e apenas 3% tem pósgraduação. Cerca de 50% dos entrevistados tem idade entre 15 e 24 anos, 36% tem de 25 a 34 anos, 10% entre 35 e 44 anos e apenas 4% possui entre 45 e 54 anos. Verifica-se também que 69% dos entrevistados residem na região Norte, cerca de 3% na região Oeste, 14% na região Leste, 9% na região Sul e apenas 5% na área central. Em relação ao local de trabalho ou estudo das pessoas que circulam pela avenida, observa-se um maior percentual de pessoas que estão se locomovendo para locais da própria avenida, com 53% dos entrevistados, enquanto que 26% trabalham no parque industrial e 21% na UNESP. Na Tabela I é possível observar a relação origem e destino da população analisada. Tabela I - Origem e destino da população, em %. Destino Região de origem / Residência Norte Oeste Leste Sul Central Av. Dante Unesp Parq. Ind Dentre as pessoas que residem na região oeste e sul, a maioria tem como destino a Avenida Dante, 67% e 64% respectivamente. Pode-se destacar também, que entre os moradores da região leste 41% se deslocam até o parque industrial e entre os moradores da região oeste e central, comparando com as demais regiões, observa-se o maior percentual de pessoas que se deslocam até a UNESP ( em cada região). Em relação ao meio de transporte utilizado para se locomover até o trabalho, observa-se pela Figura 1 que 39% utilizam o carro, 16% moto e 36% ônibus (fretados ou transporte público). Destacam-se os 6% de entrevistados que utilizam bicicleta. 39% 16% 36% 6% 4% Carro Moto Ônibus Bicicleta A pé / Outros Figura 1 - Meio de transporte utilizado Na Tabela II observa-se que 64% dos entrevistados que trabalham ou estudam na UNESP utilizam carros particulares para se locomoverem ao trabalho e 20% utilizam ônibus coletivo. Os que trabalham ou estudam na Avenida Dante ou proximidades se distribuem de forma mais homogênea em relação aos meios de locomoção, ou seja, 37% utilizam os carros

3 particulares, 32% utilizam ônibus coletivo e aproximadamente 31% utilizam outros meios (15% moto, 5% a pé ou 11% bicicleta). Nos parques industriais a demanda por ônibus é maior, totalizando 55% dos entrevistados usando ônibus como meio de transporte, enquanto que 23% utilizam carros particulares e o mesmo percentual utilizam motos. 14% 25% 42% 19% Tabela II - Meio de transporte mais utilizado segundo o local de trabalho dos usuários da avenida, em % Local de trabalho Meio de transporte Av. Dante UNESP Parq. Ind. Carro Moto Ônibus Bicicleta A pé Outros Para analisar e entender a opinião dos entrevistados em relação ao trânsito e ao fluxo de veículos é importante destacar a frequência de utilização desta avenida em suas locomoções. É possível observar na Figura 2 que a maioria dos entrevistados passa pela Dante todos os dias, totalizando 71%. Os que utilizam a avenida mais de uma vez por semana somam 17%, enquanto que 12% passam pela Avenida Dante uma ou menos de uma vez por semana. Ótimo ou Bom Regular Ruim Péssimo Figura 3 Avaliação do trânsito da Av. Dante 3.3 A bicicleta como meio de transporte Quando questionados a respeito da existência de bicicletas no domicílios, 71% responderam possuir ou morar com alguém com mais de 16 anos que possui uma bicicleta, ou seja, pelo menos uma pessoa de seu domicílio possui uma bicicleta (Figura 4). Não tem bicicleta; Todos os dias 71% Tem bicicleta; 71% Mais de uma vez por semana Uma vez por semana Menos de uma vez por semana 4% 8% 17% Figura 2 utilização da Avenida Dep. Dante Figura 4 Domicílios com bicicleta Em relação à utilização da bicicleta como meio de transporte (Figura 5), caso houvesse uma ciclovia na Avenida Dante, 38% responderam que poderiam utilizar muito esta ciclovia e 36% utilizariam às vezes, totalizando 74% dos entrevistados. Observa-se também que 7% utilizariam dependendo de algumas condições e 19% responderam que nunca utilizariam. 3.2 Avaliação do Trânsito 38% 36% Observa-se na Figura 3 que o trânsito da Avenida Dante não é bem avaliado, ou seja, apenas 14% dos entrevistados consideram o trânsito como ótimo ou bom, 25% como regular e 61% avaliaram o trânsito da avenida como ruim ou péssimo no horário que mais circula pela mesma. 19% 7% utitlizaria muito Sim as vezes Não nunca Depende Figura 5 - Grau de utilização de uma possível ciclovia

4 10% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 60% 55% 50% 45% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 0% 5% 0% A Figura 6 apresenta o percentual de entrevistados que poderiam utilizar muito uma possível ciclovia na Avenida Dante, destacando os maiores percentuais em cada característica. Pode-se perceber que os maiores percentuais de entrevistados que utilizariam muito uma ciclovia na Avenida Dante estão entre os entrevistados do sexo masculino (39%), com idade entre 15 a 24 anos (48%), com ensino Fundamental ou médio (43%), que moram na região Norte (46%), que utilizam bicicleta ou outros meios de transporte (91%), trabalham na Av. Dante (45%) e que já possuem bicicleta (48%). Trab. no Parq. Industrial Trab. na Unesp Trab. na D. Bicicleta/A pé / outros Possui bicicleta Onibus 91% Moto Não possui 48% 38% 39% 37% 15% 48% 45% 32% 18% 32% 21% Carro Região Sul + Oeste Masc 28% 43% 30% 46% Fem 15 a 24 anos 25 a 34 anos + 34 anos Ens. Fundamental ou médio Curso superior ou pos Região Norte Região Central Região Leste Figura 6 Perfil dos entrevistados que utilizariam muito a ciclovia Já na Figura 7 é possível identificar os maiores percentuais de entrevistados que não utilizariam uma possível ciclovia em cada perfil populacional. Neste contexto, destacam-se os entrevistados do sexo feminino, que possuem idade entre 25 a 34 anos (19%), com curso superior ou pós-graduação (28%), que residem na região Sul ou Oeste (50%), já utilizam o carro como principal meio de transporte (24%), que trabalham na UNESP (24%) e que não possuem bicicleta atualmente (35%). Não possui Possui bicicleta Trab. no Parq. Industrial 35% Masc Fem 15 a 24 anos ciclovia na Avenida Dante a hipótese da construção de uma ciclovia pode servir como incentivo ao uso da bicicleta como meio de transporte deve ser considerada. Para reforçar essa hipótese duas questões levantadas neste estudo são importantes: qual a opinião dos entrevistados a respeito da construção de uma ciclovia como forma de incentivar as pessoas a utilizar a bicicleta como meio de transporte e quais os principais motivos para esse incentivo. Na Figura 8 verifica-se que 91% dos entrevistados acreditam que uma ciclovia pode incentivar as pessoas a utilizarem mais suas bicicletas como meio de transporte, enquanto que apenas 9% acreditam que não incentivaria. Não 9% Sim 91% Figura 8 Ciclovia como incentivo ao uso da bicicleta como meio de transporte Em relação ao incentivo a utilização da bicicleta, não somente como um meio de transporte, mas de uma forma geral (Figura 9), o percentual de entrevistados que acreditam que a ciclovia não incentivaria cai para 4%, indicativo de que algumas pessoas não veem a bicicleta como um possível meio de transporte. No entanto, na opinião de 65% dos entrevistados, uma ciclovia incentivaria o uso da bicicleta, pois aumentaria a segurança dos ciclistas. Para 34% dos entrevistados uma ciclovia traria a oportunidade de praticar atividade física e para uma ciclovia colaboraria com o meio ambiente. Por ser uma questão com a possiblidade de escolha múltipla, a soma dos percentuais pode ser maior que 100%. Trab. na Unesp Trab. na D. Bicicleta/A pé / outros Onibus 19% 19% 20% 24% 16% 13% 14% 19% 0% 10% 19% 21% 24% Moto 50% Carro Região Sul + Oeste 17% 41% 17% 15% 28% 25 a 34 anos + 34 anos Ens. Fundamental ou médio Curso superior ou pos Região Norte Região Central Região Leste Aumentaria a segurança Oportunidade de praticar atividade física Colaboraria com o meio ambiente 34% 65% Figura 7 - Perfil dos entrevistados que não utilizariam a ciclovia Considerando que apenas 19% nunca utilizariam a bicicleta com meio de transporte em uma possível Não incentivaria 4% Figura 9 Ciclovia como incentivo ao uso da bicicleta

5 3.4 Características associadas ao grau de utilização da bicicleta As Tabelas III, IV e V apresentam o percentual de usuários da Avenida Dante que utilizariam muito, às vezes e que nunca utilizariam a bicicleta como meio de transporte em uma possível ciclovia, segundo diferentes grupos populacionais, ou seja, nos diferentes gêneros, faixas etárias, escolaridade, origem e destino das viagens, meio de transporte utilizado atualmente e se já possuem bicicleta em seus domicílios. As letras maiúsculas e minúsculas, quando apresentadas, indicam diferenças significativas entre as proporções pelo teste de Goodman. Tabela III: Grau de utilização da ciclovia segundo sexo, faixa etária e escolaridade, em % Grupos Gênero Muito Utilização da ciclovia Às vezes / Depende Nunca Feminino Masculino Faixa Etária 15 a 24 anos 48 a 38 ab 14 b a 34 anos de 34 anos Escolaridade Fund. ou Médio 43 a 43 a 15 b 100 Superior ou Pós Letras minúsculas diferentes em uma linha indicam proporções das classes do grau de utilização. Observando a Tabela III, verifica-se que não existem diferenças significativas nas proporções de usuários que utilizariam muito a ciclovia entre os diferentes gêneros, faixas etárias e escolaridade (não foram apresentadas letras maiúsculas). O mesmo acontece para as proporções de usuários que poderiam utilizar (às vezes ou depende) e que nunca utilizariam. Dessa forma, pode-se dizer que o grau de utilização de uma possível ciclovia não está estatisticamente associado com o gênero, faixa etária e escolaridade. Comparando as diferentes classes de utilização da ciclovia (muito, às vezes / depende e nunca) em cada grupo, observa-se que entre os entrevistados com idade entre 15 a 24 anos a proporção dos que poderiam utilizar muito a ciclovia é estatisticamente diferente do percentual dos que nunca utilizariam. Outra diferença significativa ocorre entre os entrevistados com ensino fundamental ou médio, ou seja, há diferença significativa entre o percentual dos que utilizariam muito e dos que utilizariam às vezes com o percentual dos que nunca utilizariam. O estudo mostra que o percentual dos que nunca utilizariam a bicicleta em uma possível ciclovia é inferior ao percentual dos que utilizariam, entre os entrevistados da faixa etária de 15 a 24 anos e com ensino fundamental ou médio. Tabela IV: Grau de utilização da ciclovia segundo origem e local de trabalho, em % Utilização da ciclovia Grupos Às vezes / Muito Depende Nunca Origem Norte 46 a 44 a 10 b 100 Central Leste Sul + Oeste Local de Trab. Av. Dante UNESP Parque Industrial 29 ab 55 a 16 b Letras minúsculas diferentes em uma linha indicam proporções das classes do grau de utilização. Observando a Tabela IV e comparando, em cada grupo, as diferentes proporções de grau de utilização da bicicleta, observa-se que o percentual dos que nunca utilizariam a ciclovia é inferior somente entre os que residem (ou partem de viagem) da região Norte e entre os que trabalham no Parque Industrial. A falta de apresentação de letras maiúsculas indica que o teste realizado não detectou diferenças significativas entre os percentuais de cada categoria de origem e destino das viagens para os três graus de utilização da bicicleta De acordo com a Tabela V, pode ser visto que na classe dos que utilizariam muito uma ciclovia, o percentual dos que utilizam outros meios de transporte (bicicleta, a pé, outros) é estatisticamente superior ao percentual dos que utilizam carro, moto ou ônibus (letras maiúsculas). Já na classe dos que nunca utilizariam a ciclovia acontece o contrário, ou seja, o percentual dos que utilizam outros meios de transporte é estatisticamente inferior. O mesmo ocorre na classe dos que utilizariam às vezes uma possível ciclovia. Considerando a presença ou ausência de bicicleta no domicílio ocorre a seguinte situação: o percentual dos que utilizariam muito uma ciclovia é menor entre os que não possuem bicicleta no domicílio e o percentual dos que nunca utilizariam é menor entre os que já possuem. Verifica-se também na Tabela V que entre os entrevistados que não possuem bicicleta, um percentual considerável (15% dos entrevistados) declarou que poderia utilizar muito a ciclovia e 50% deste público declarou que poderia utilizar às vezes. No entanto, nesse grupo, só é possível afirmar que o percentual dos que utilizariam às vezes é superior ao percentual dos que utilizariam muito a ciclovia, não sendo considerado

6 diferente do percentual dos que nunca utilizariam. Já entre os entrevistados que possuem bicicleta pode-se dizer que o percentual dos que nunca utilizariam a ciclovia é inferior ao percentual das demais classes do grau de utilização. Tabela V Grau de utilização da ciclovia segundo entrevistados que possuem e não possuem bicicleta em seus domicílios e meios de transporte utilizados, em % Grupos Meio de transporte Utilização da ciclovia Às vezes / Muito Nunca Depende Carro 33 B 43 A 24 A 100 Moto 32 B 47 A 21 A 100 Ônibus 33 B 48 A 19 A 100 Outros 91 Aa 9 Bb < 1 Bb 100 Bicicleta Possui 48 Aa 39 a 13 Bb 100 Não Possui 15 Bb 50 a 35 Aab Letras minúsculas diferentes em uma linha indicam proporções das classes do grau de utilização. Letras maiúsculas diferentes em uma coluna indicam proporções de cada grupo. Esses fatos mostram que o grau de utilização da bicicleta como meio de transporte está associado com o meio de transporte mais utilizado atualmente e com a presença de bicicleta no domicílio. 4 Conclusão O estudo indica que o estímulo ao uso da bicicleta como meio de transporte depende de investimentos em infraestrutura adequada para que os usuários se sintam mais seguros. Para que isso ocorra é preciso que o poder público inclua o transporte cicloviário no planejamento urbano e passe a estabelecer políticas voltadas a esse meio de transporte, distribuindo os espaços destinados à circulação de maneira igualitária. Não significa que a construção de uma infraestrutura seja a única medida necessária para incentivar novos adeptos da bicicleta, é necessário também estabelecer programas direcionados à educação e conscientização do usuário de transporte motorizado e não motorizado. Baseado na opinião dos entrevistados percebeu-se que a construção de uma ciclovia pode incentivar alguns adeptos da bicicleta a utilizá-la com maior frequência como um meio de transporte pela Avenida Deputado Dante, pois a pesquisa apontou que 38% dos entrevistados declararam que utilizariam muito uma ciclovia caso essa fosse construída. O estudo levantou que características relacionadas com o gênero, idade, escolaridade, origem e destino das viagens, não se mostraram associadas com o grau de utilização de uma ciclovia. No entanto, verificou-se que o percentual dos que nunca utilizariam uma ciclovia é menor entre os entrevistados da faixa etária de 15 a 24 anos, entre os que possuem escolaridade de nível fundamental ou médio, residem na região norte e que trabalham no Parque Industrial. Contudo, as características que indicaram certa associação com o grau de utilização da bicicleta foram o meio de transporte utilizado atualmente e o fato de já possuir bicicleta em seu domicílio. Referências [1] L.R. ZUNINO. Parque vivencial como ferramenta educacional de incentivo à mobilidade sustentável. 303p. Tese (Pós-graduação em engenharia de transporte) - Universidade federal do Rio de Janeiro, COPPE Rio de Janeiro, Disponível em: < pd> Acesso em: 25 fev [2] M.O. SILVEIRA. Mobilidade Sustentável: A bicicleta como um meio de transporte integrado. 168p. Dissertação (mestrado) UFRJ/ COPPE/ Programa de Engenharia de Transportes, Rio de Janeiro, Disponível em: < eiradasilveira.pdf>. Acesso em: 20 fev [3] S.L. BIANCO. O papel da bicicleta para a mobilidade urbana e a inclusão social. Revista Transportes Públicos ANTP, Ano 25, p , Mar Disponível em: < 20.pdf>. Acesso em: 11 fev [4] P.A. MORETTIN; W.O. BUSSAB. Estatística básica, 5ª ed., Saraiva, São Paulo, [5] L.A. GOODMAN. On simultaneous confidence intervals for multinomial proportions. Technometrics, 7(2): p , 1965.

Mobilidade em um Campus Universitário. Suely da Penha Sanches 1 ; Marcos Antonio Garcia Ferreira 1

Mobilidade em um Campus Universitário. Suely da Penha Sanches 1 ; Marcos Antonio Garcia Ferreira 1 Mobilidade em um Campus Universitário. Suely da Penha Sanches 1 ; Marcos Antonio Garcia Ferreira 1 1 Universidade Federal de São Carlos PPGEU, Rodovia Washington Luis, km 235, (16) 33519677 ssanches@ufscar.br;

Leia mais

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Metodologia COLETA Entrevistas domiciliares com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA Município de São Paulo. UNIVERSO moradores de 16 anos ou mais. PERÍODO DE CAMPO de 26 de setembro a 1º de outubro

Leia mais

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Fernanda Borges Monteiro, Vânia Barcellos Gouvêa Campos arqnandy@gmail.com; vania@ime.eb.br Instituto Militar de Engenharia

Leia mais

Mobilidade Urbana Urbana

Mobilidade Urbana Urbana Mobilidade Urbana Urbana A Home Agent realizou uma pesquisa durante os meses de outubro e novembro, com moradores da Grande São Paulo sobre suas percepções e opiniões em relação à mobilidade na cidade

Leia mais

PESQUISA DE MOBILIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PRINCIPAIS RESULTADOS PESQUISA DOMICILIAR DEZEMBRO DE 2013

PESQUISA DE MOBILIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PRINCIPAIS RESULTADOS PESQUISA DOMICILIAR DEZEMBRO DE 2013 PESQUISA DE MOBILIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PRINCIPAIS RESULTADOS PESQUISA DOMICILIAR DEZEMBRO DE 2013 SUMÁRIO Página Capítulo 3 Objetivos, conceitos utilizados e metodologia 12 Dados socioeconômicos

Leia mais

Job 150904 Setembro / 2015

Job 150904 Setembro / 2015 Job 50904 Setembro / Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

Pesquisa sobre Transporte Não-Motorizado Realizado por Bicicleta na Cidade de Londrina

Pesquisa sobre Transporte Não-Motorizado Realizado por Bicicleta na Cidade de Londrina Pesquisa sobre Transporte Não-Motorizado Realizado por Bicicleta na Cidade de Londrina Cristiane Biazzono Dutra¹ 1) Prefeitura do Município de Londrina; Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina

Leia mais

PERSPECTIVA DE CRESCIMENTO DO USO DA BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE NO MUNICÍPIO DE BOTUCATU

PERSPECTIVA DE CRESCIMENTO DO USO DA BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE NO MUNICÍPIO DE BOTUCATU PERSPECTIVA DE CRESCIMENTO DO USO DA BICICLETA COMO MEIO DE TRANSPORTE NO MUNICÍPIO DE BOTUCATU Edevaldo de LIMA Curso de Logística da Faculdade de Tecnologia de Botucatu- FATEC BT edvaldo_delima@yahoo.com

Leia mais

QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO?

QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO? QUAL O NÚMERO DE VEÍCULOS QUE CIRCULA EM SÃO PAULO? RESENHA Carlos Paiva Qual o número de veículos que circula em um dia ou a cada hora do dia na Região Metropolitana, no município e no centro expandido

Leia mais

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado.

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. Job 44/4 Setembro/04 Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04

SUMÁRIO. Localidades da pesquisa, amostra e entrevistas realizadas por Área de Planejamento AP s 2. Caracterização do entrevistado sem carteira 04 Pesquisa de Opinião Pública sobre as Campanhas Educativas para o Trânsito & da I m a g e m I n s t i t u c i o n a l da CET- RIO Relatório de Pesquisa 2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 PRINCIPAIS RESULTADOS

Leia mais

O PERFIL DE CICLISTAS EM UMA CIDADE DE PORTE MÉDIO BRASILEIRA

O PERFIL DE CICLISTAS EM UMA CIDADE DE PORTE MÉDIO BRASILEIRA O PERFIL DE CICLISTAS EM UMA CIDADE DE PORTE MÉDIO BRASILEIRA Tamara Mendes de Camargo ( Mestranda da UFSCar) tamara_mendesc@hotmail.com RESUMO A prioridade dada ao uso do automóvel nas cidades tem gerado,

Leia mais

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas

São Paulo 2022. Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas São Paulo 2022 Metodologia de para monitoramento do comportamento da Cidade de São Paulo por Indicadores e Metas Cidade Democrática, participativa e descentralizada Transformando São Paulo pela mudança

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Campus universitário, Plano de mobilidade cicloviária, Fatores que incentivam o uso da bicicleta.

PALAVRAS-CHAVE: Campus universitário, Plano de mobilidade cicloviária, Fatores que incentivam o uso da bicicleta. Mobilidade cicloviária em Campus Universitário. Marcos Antonio Garcia Ferreira 1 ; Suely da Penha Sanches 1 1: Universidade Federal de São Carlos, Rodovia Washington Luis, km 235 13565-905 São Carlos,

Leia mais

SEXO Sexo 1.masculino 2.feminino Caracterização Sócio-Econômica ESCO Nivel de escolaridade 1. Analfabeto até 4ª série do 1º grau (primário)

SEXO Sexo 1.masculino 2.feminino Caracterização Sócio-Econômica ESCO Nivel de escolaridade 1. Analfabeto até 4ª série do 1º grau (primário) SIPS- BASE SOBRE MOBILIDADE URBANA Nome Campo Descrição Valores atribuídos Local de Moradia REGI Região 1.Região Sul 2.Região Sudeste 3.Região Centro-Oeste 4.Região Nordeste 5.Região Norte ESTA Estado

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A ONG WWF MAIO 2003 OPP 065 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL - Levantar informações para subsidiar o planejamento e avaliação da comunicação da WWF e

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMob-BH)

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMob-BH) modo ônibus metrô Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMobBH) suplementar táxi distribuição modal com base em pesquisas Tabela 211 Indicadores de distribuição modal em Belo

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ.

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. Apresentação Este relatório contém os resultados da 1ª pesquisa de Qualidade de Vida na cidade de Aracruz solicitada pela FACE. O objetivo

Leia mais

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social Mobilidade Urbana IPEA 24 de janeiro de 2011 Sumário 1. Introdução 2. Mobilidade e meios de transporte 3. Meios de transporte e questões de infraestrutura

Leia mais

Proposta SESS. Sistema Eleitoral Seis Sigma Vereadores - Campina Grande. Equipe de planejamento Agosto de 2012

Proposta SESS. Sistema Eleitoral Seis Sigma Vereadores - Campina Grande. Equipe de planejamento Agosto de 2012 Proposta SESS 2012 Sistema Eleitoral Seis Sigma Vereadores - Campina Grande Equipe de planejamento Agosto de 2012 G6S - Grupo 6 Sigma O Grupo 6 Sigma se sente honrado em poder oferecer mais um produto

Leia mais

OS PADRÕES DE MOBILIDADE DAS MÃES DE FAMÍLIAS.

OS PADRÕES DE MOBILIDADE DAS MÃES DE FAMÍLIAS. OS PADRÕES DE MOBILIDADE DAS MÃES DE FAMÍLIAS. Silva, Ligia M. da (1) ; Marchi, Maria Eugenia V. (1) ; Granja, Rafael C. (1) ; Waisman, J. (2) Escola Politécnica da USP, Av. Prof. Almeida Prado Travessa

Leia mais

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 Este encarte Tendências aborda as manifestações populares que tomaram as grandes cidades brasileiras em junho

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA EM LARANJEIRAS E COSME VELHO

INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA EM LARANJEIRAS E COSME VELHO INFRAESTRUTURA CICLOVIÁRIA EM LARANJEIRAS E COSME VELHO Proposta para criação de infraestrutura na Região... Apresentação Assim como as pessoas que as povoam, as cidades e seus elementos tem vida própria,

Leia mais

REPARTIÇÃO INTERMODAL DO TRÁFEGO

REPARTIÇÃO INTERMODAL DO TRÁFEGO REPARTIÇÃO INTERMODAL DO TRÁFEGO 1.Introdução A divisão modal pode ser definida como a divisão proporcional de total de viagens realizadas pelas pessoas e cargas, entre diferentes modos de viagem. Se refere

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: LOCOMOÇÃO URBANA AGOSTO/2011

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: LOCOMOÇÃO URBANA AGOSTO/2011 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: LOCOMOÇÃO URBANA AGOSTO/2011 PESQUISA CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria Executiva - DIREX José Augusto Coelho

Leia mais

Pesquisa de Satisfação QualiÔnibus. Cristina Albuquerque Engenheira de Transportes EMBARQ Brasil

Pesquisa de Satisfação QualiÔnibus. Cristina Albuquerque Engenheira de Transportes EMBARQ Brasil Pesquisa de Satisfação QualiÔnibus Cristina Albuquerque Engenheira de Transportes EMBARQ Brasil Qualificar o serviço de transporte coletivo por ônibus para manter e atrair novos usuários ao sistema e tornar

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis Plamus. Guilherme Medeiros SC Participações e Parcerias S.A. Governo de Santa Catarina

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis Plamus. Guilherme Medeiros SC Participações e Parcerias S.A. Governo de Santa Catarina Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis Plamus Guilherme Medeiros SC Participações e Parcerias S.A. Governo de Santa Catarina Introdução PLAMUS e status do projeto Diagnóstico: qual

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública Perspectivas Eleitorais. Campina Grande - PB. Setembro de 2015

Pesquisa de Opinião Pública Perspectivas Eleitorais. Campina Grande - PB. Setembro de 2015 2015 Pesquisa de Opinião Pública Perspectivas Eleitorais Campina Grande - PB Setembro de 2015 Sumário Informações técnicas:... 3 Objetivo:... 3 Público Alvo:... 3 Metodologia:... 3 Amostragem:... 3 Bairros

Leia mais

IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis

IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis Dia Mundial sem Carro Divulgação Preliminar dos Resultados das Pesquisas Parte I Visão

Leia mais

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano

Mapa 09 Área Central de PiracicabaOcupação do Solo. Urbano L E I T U R A E I N T E R P R E T A Ç Ã O D A S I T U A Ç Ã O U R B A N A Mapa 09 de PiracicabaOcupação do Solo Urbano P L A N O D E A Ç Ã O P A R A R E A B I L I T A Ç Ã O U R B A N A D A Á R E A C E

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2011 Dezembro/2012 Relatório Geral 2011 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 28 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA)

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Pesquisa Mensal de Emprego PME Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Algumas das principais

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS JULHO DE 2013 JOB2726-8 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Trata-se de uma pesquisa de acompanhamento da opinião pública

Leia mais

Plano de Transporte Coletivo da Cidade de Bauru PTC Bauru. NT09 Pesquisa de imagem e opinião sobre o serviço de transporte coletivo municipal de Bauru

Plano de Transporte Coletivo da Cidade de Bauru PTC Bauru. NT09 Pesquisa de imagem e opinião sobre o serviço de transporte coletivo municipal de Bauru -EMDURB Plano de Transporte Coletivo da Cidade de Bauru PTC Bauru NT09 Pesquisa de imagem e opinião sobre o serviço de transporte coletivo municipal de Bauru Junho/2013 1- Apresentação O Plano de Transporte

Leia mais

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado.

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. Job 64/ Setembro/ Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 6 anos ou mais de São

Leia mais

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO RELATÓRIO DE PESQUISA AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NAVEGANTES 2009 2010 TERMO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA SÃO TECNICAMENTE RESPONSÁVEIS PELOS RESULTADOS APRESENTADOS NESTE RELATÓRIO

Leia mais

CLIENTE A Autoescola Paula está localizada na Avenida Paraná, nº 1641, no bairro Bacacheri, que compõe a região do Boa Vista. É um CFC de pequeno porte, que conta com 15 funcionários e 10 veículos. Oferecem

Leia mais

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05

Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular. Edição n 05 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 Junho de 2010 2 Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa Regular Edição n 05 O objetivo geral deste estudo foi investigar as percepções gerais

Leia mais

Uso de equipamentos e procedimentos de segurança: cinto de segurança; capacete; farol aceso e transporte de crianças

Uso de equipamentos e procedimentos de segurança: cinto de segurança; capacete; farol aceso e transporte de crianças SP 06/94 NT 176/94 Uso de equipamentos e procedimentos de segurança: cinto de segurança; capacete; farol aceso e transporte de crianças Socióloga Reiko Kawamura 1. Introdução Considerando-se a importância

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ENSINO BÁSICO JULHO DE 2006 OPP165 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas ao ensino básico.

Leia mais

A importância do estudo das diferenças de percepção entre ciclistas e aspirantes para o planejamento.

A importância do estudo das diferenças de percepção entre ciclistas e aspirantes para o planejamento. A importância do estudo das diferenças de percepção entre ciclistas e aspirantes para o planejamento. AUTORES ALVES, Felipe Alberto Martins¹; ANDRADE, Beatriz Rodrigues². ¹Universidade Federal do Ceará.

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes da Região de Aveiro www.regiaodeaveiro.pt PIMT de Aveiro, Aveiro TIS.PT Transportes Inovação e Sistemas, S.A. 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal

Leia mais

IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO

IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO Qualidade de vida é ter condições de vida plena, gozar de saúde e respeito,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS

AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS AVALIAÇÃO DE VIAGENS POR BICICLETAS: PESQUISA SOBRE OS HÁBITOS DOS CICLISTAS Pablo de Barros Cardoso Professor, Universidade do Grande Rio, Brasil Vânia Barcellos Gouvêa Campos Professora, Instituto Militar

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB

PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB PLANO DIRETOR DE TRANSPORTE E MOBILIDADE DE BAURU - PLANMOB O QUE É O Plano Diretor de Transporte e da Mobilidade é um instrumento da política de desenvolvimento urbano, integrado ao Plano Diretor do município,

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

Dados de Pesquisa. O hábito dos pelotenses em utilizar a internet. Pelotas, junho de 2011.

Dados de Pesquisa. O hábito dos pelotenses em utilizar a internet. Pelotas, junho de 2011. Dados de Pesquisa O hábito dos pelotenses em utilizar a internet IPO Porto Alegre RS Rua São Manoel, 239 Rio Branco - CEP 90620-110 Fone: (51) 3286-6156 E-mail: ipo@ipo.inf.br IPO Pelotas - RS Rua Gal.

Leia mais

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO Estudo da proporção e o nível de conhecimento dos alunos de graduação do período vespertino do Campus II da UFG sobre o Programa Coleta Seletiva Solidária 1 Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO

Leia mais

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL

III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL III - PERCEPÇÃO DA LIMPEZA PÚBLICA PELA POPULAÇÃO DO MUNICÍPIO DO NATAL INSTITUIÇÕES: COMPANHIA DE SERVIÇOS URBANOS DE NATAL URBANA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Leia mais

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil 2ª Pesquisa de opinião pública sobre Energia Elétrica Brasil Julho de 2015 Pesquisa de opinião pública sobre Energia elétrica Brasil Junho de 2014 IBOPE Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

3. Referenciais. 3.1 Referenciais teóricos. 3.1.1 O sistema cicloviário e seus elementos componentes

3. Referenciais. 3.1 Referenciais teóricos. 3.1.1 O sistema cicloviário e seus elementos componentes 21 3. Referenciais "Se a mobilidade física é condição essencial da liberdade, a bicicleta talvez tenha sido o instrumento singular mais importante, desde Gutenberg, para atingir o que Marx chamou de plena

Leia mais

Mobilidade Urbana por Bicicletas

Mobilidade Urbana por Bicicletas Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Mobilidade Urbana por Bicicletas Brasília - DF 19 de Novembro de 2013 Ações em prol da Mobilidade por Bicicletas

Leia mais

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3

Distribuição dos pacientes vítimas de Acidente de Trânsito, segundo faixa etária na ocasião do acidente 20,0 16,6 19,4 11,3 Os Acidentes de Trânsito foram responsáveis por um total de 799 internações nos hospitais SARAH-Brasília, SARAH-Salvador, SARAH-Belo Horizonte e SARAH-São Luís no período de 01/01/2009 a 30/06/2009, correspondendo

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES

MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES 480 MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES Poliana de Oliveira Basso¹, Sibila Corral de Arêa Leão Honda². ¹Discente do curso de Arquitetura e Urbanismo da

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS SETEMBRO DE 2011 JOB1696 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO Levantar um conjunto de informações sobre o clima da opinião

Leia mais

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo

Seminário: Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo : Mobilidade Urbana e Transportes Públicos no Estado de São Paulo Tema: Uma Agenda para a Mobilidade Urbana da Metrópole Planejamento Urbano, Mobilidade e Modos Alternativos de Deslocamento Engº Jaime

Leia mais

2015 #1. Contagem Manual e Fotográfica de Bicicletas. Autaz Mirim Zona Leste

2015 #1. Contagem Manual e Fotográfica de Bicicletas. Autaz Mirim Zona Leste 2015 #1 Contagem Manual e Fotográfica de Bicicletas Autaz Mirim Zona Leste 05/05/2015 SUMÁRIO 1.0 - Introdução 03 2.0 - Local da Contagem e Informações 04 3.0 Resultados em Gráficos 05 4.0 - Fotografias

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS GESTORES ESCOLARES SOBRE A UTILIZAÇÃO DO MODO À PÉ PARA ACESSO DOS ALUNOS À ESCOLA

PERCEPÇÃO DOS GESTORES ESCOLARES SOBRE A UTILIZAÇÃO DO MODO À PÉ PARA ACESSO DOS ALUNOS À ESCOLA PERCEPÇÃO DOS GESTORES ESCOLARES SOBRE A UTILIZAÇÃO DO MODO À PÉ PARA ACESSO DOS ALUNOS À ESCOLA Viviane Leão da Silva Onishi Suely da Penha Sanches PERCEPÇÃO DOS GESTORES ESCOLARES SOBRE A UTILIZAÇÃO

Leia mais

Motivos e insatisfações dos usuários dos modos de transporte.

Motivos e insatisfações dos usuários dos modos de transporte. Motivos e insatisfações dos usuários dos modos de transporte. Anna Carolina Côrrea Pereira 1 ; Ana Gabriela Furbino Ferreira 2 ; Igor Jackson Arthur Costa e Souza 3 ; José Irley Ferreira Júnior 4 ; Antônio

Leia mais

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR

ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR 8 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA /COR Secretaria de Vigilância em Saúde/MS 435 ANÁLISE DA MORTE VIOLENTA SEGUNDO RAÇA/COR MORTALIDADE POR CAUSAS EXTERNAS Evolução da mortalidade por causas externas

Leia mais

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil 2ª Pesquisa de opinião pública sobre Energia Elétrica Brasil Outubro/ 2015 Pesquisa de opinião pública sobre Energia elétrica Brasil Junho de 2014 IBOPE Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES

MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO APLICAÇÃO DE SOLUÇÕES IMEDIATAS E EFICAZES JULHO 2015 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS URBANO Fonte: Pesquisa de mobilidade 2012 SÃO PAULO UMA CIDADE A CAMINHO DO CAOS

Leia mais

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 O espaço urbano como bem ambiental. Aspectos ambientais do Estatuto da cidade garantia da qualidade de vida. Meio ambiente natural; Meio ambiente cultural; Meio ambiente

Leia mais

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa

UGP COPA Unidade Gestora do Projeto da Copa Organização da Copa 2014 PORTFÓLIOS UGPCOPA ARENA E ENTORNO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA FAN PARKS LOC COPA DESPORTIVA EVENTOS DA FIFA GERENCIAMENTO DE PROJETOS OBRIGAÇÕES GOVERNAMENTAIS SUPRIMENTOS COPA TURÍSTICA

Leia mais

PLANEJAMENTO DA MOBILIDADE COM FOCO EM GRANDES POLOS GERADORES DE VIAGENS

PLANEJAMENTO DA MOBILIDADE COM FOCO EM GRANDES POLOS GERADORES DE VIAGENS PLANEJAMENTO DA MOBILIDADE COM FOCO EM GRANDES POLOS GERADORES DE VIAGENS Angelica Meireles de Oliveira Antônio Nélson Rodrigues da Silva PLANEJAMENTO DA MOBILIDADE COM FOCO EM GRANDES POLOS GERADORES

Leia mais

Plano de Logística Encontro da Frente Nacional de Prefeitos Pré-projeto Estrutura do documento 1. Introdução 2. Características do evento

Plano de Logística Encontro da Frente Nacional de Prefeitos Pré-projeto Estrutura do documento 1. Introdução 2. Características do evento Plano de Logística Encontro da Frente Nacional de Prefeitos Pré-projeto Estrutura do documento 1. Introdução O Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS) é um evento organizado pela

Leia mais

MULHER NO MERCADO DE TRABALHO

MULHER NO MERCADO DE TRABALHO MULHER NO MERCADO DE TRABALHO Tâmara Freitas Barros A mulher continua a ser discriminada no mercado de trabalho. Foi o que 53,2% dos moradores da Grande Vitória afirmaram em recente pesquisa da Futura,

Leia mais

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO ESTRATÉGICO- SP2040 Tema: Política de Estacionamento dos automóveis 09 DE FEVEREIRO DE 2011- AUDITÓRIO DO SEESP-SP PROGRAMAÇÃO Realização: SEESP-SP Quadro geral da

Leia mais

Contagens de Ciclistas no Município de São Paulo Setembro/2015. Equipe: Victor Callil Daniela Costanzo Carlos Torres Freire Maria Carolina Oliveira

Contagens de Ciclistas no Município de São Paulo Setembro/2015. Equipe: Victor Callil Daniela Costanzo Carlos Torres Freire Maria Carolina Oliveira Contagens de Ciclistas no Município de São Paulo Setembro/215 Equipe: Victor Callil Daniela Costanzo Carlos Torres Freire Maria Carolina Oliveira Metodologia Contagens foram realizadas entre os dias 4/ago

Leia mais

CARRO COMPARTILHADO CARRO COMPARTILHADO

CARRO COMPARTILHADO CARRO COMPARTILHADO CARRO COMPARTILHADO Projeção de crescimento populacional Demanda de energia mundial Impacto ao meio ambiente projeções indicam que os empregos vão CONTINUAR no centro EMPREGOS concentrados no CENTRO

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ TÍTULO: A MOBILIDADE URBANA E SEUS IMPACTOS EM MEIO À SOCIEDADE ACADÊMICA E ANÁLISE DO PERFIL DOS ALUNOS DE COMÉRCIO EXTERIOR DA UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

SP 01/04/92 NT 144/92. Telemarketing: Uma Alternativa de Pesquisa de Opinião para o Sistema de Transporte Público

SP 01/04/92 NT 144/92. Telemarketing: Uma Alternativa de Pesquisa de Opinião para o Sistema de Transporte Público SP 01/04/92 NT 144/92 Telemarketing: Uma Alternativa de Pesquisa de Opinião para o Sistema de Transporte Público Assessoria Técnica da Presidência - ATE Introdução Nas grandes cidades, as restrições naturais

Leia mais

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado.

TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. Job 1566/10 Setembro/ Metodologia TÉCNICA DE LEVANTAMENTO DE DADOS: Entrevistas pessoais com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA: Município de São Paulo. UNIVERSO: Moradores de 16 anos ou mais

Leia mais

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014 Mobilidade Urbana VASCONCELOS, Eduardo Alcântara de. Mobilidade urbana e cidadania. Rio de Janeiro: SENAC NACIONAL, 2012. PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL LUCIANE TASCA COMO SE FORMAM AS CIDADES? Como um

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água no Brasil METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para subsidiar o planejamento

Leia mais

Identificação dos fatores que influenciam o uso da bicicleta, visando o direcionamento de programas cicloviários

Identificação dos fatores que influenciam o uso da bicicleta, visando o direcionamento de programas cicloviários CICLOVIAS AN P Identificação dos fatores que influenciam o uso da bicicleta, visando o direcionamento de programas cicloviários Claudia Cotrim Pezzuto Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana, Universidade

Leia mais

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16

Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro. PIMT Região de Aveiro 1 16 Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes (PIMT) da Região de Aveiro 1 16 Breve enquadramento A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) decidiu desenvolver o Plano Intermunicipal de

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO INFORMATIVO CORREDOR EXPRESSO CELSO GARCIA/RANGEL PESTANA

RELATÓRIO TÉCNICO INFORMATIVO CORREDOR EXPRESSO CELSO GARCIA/RANGEL PESTANA RELATÓRIO TÉCNICO INFORMATIVO CORREDOR EXPRESSO CELSO GARCIA/RANGEL PESTANA O Descumprimento de Partidas é o índice mais verificado junto as operadoras por parte da SPTrans e que atinge diretamente a vida

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Sr. Jaime Martins) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Sr. Jaime Martins) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Sr. Jaime Martins) Institui o Programa Bicicleta Brasil, para incentivar o uso da bicicleta visando a melhoria das condições de mobilidade urbana. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

PROGRAMA DE MOBILIDADE NÃO MOTORIZADA PARA O ESTADO DA BAHIA

PROGRAMA DE MOBILIDADE NÃO MOTORIZADA PARA O ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MOBILIDADE NÃO MOTORIZADA PARA O ESTADO DA BAHIA DIURB - Diretoria de Equipamentos e Qualificação Urbanística SUDEN - Superintendência de Desenvolvimento Urbanístico COISP - Coordenação de

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

Workshop Internacional UN Sustainable Development Solutions Network: Rio Sustainability Initiative

Workshop Internacional UN Sustainable Development Solutions Network: Rio Sustainability Initiative Workshop Internacional UN Sustainable Development Solutions Network: Rio Sustainability Initiative 24 de Junho de 2013 Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Auditório do Museu do Meio Ambiente Rio de Janeiro,

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital)

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) 1 Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Demanda Turística de Curitiba Estudo do perfil, comportamento e opinião dos turistas que visitam a capital paranaense, inclusive em eventos geradores

Leia mais

Propostas para o Plano Diretor de Curitiba

Propostas para o Plano Diretor de Curitiba Propostas para o Plano Diretor de Curitiba Revisão de 2014 Andressa Mendes Fernanda Castelhano Rafaela Scheiffer As propostas contidas nesta cartilha foram resultados de intervenções urbanas e processos

Leia mais

PROJETO MUTIRÃO DA CARONA SOLIDÁRIA

PROJETO MUTIRÃO DA CARONA SOLIDÁRIA PROJETO MUTIRÃO DA CARONA SOLIDÁRIA INTRODUÇÃO A mobilidade das cidades tem se tornado um desafio cada vez maior com o passar do tempo. Em 10 anos, a frota de automóveis e motocicletas cresceu 400% no

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A ILHABELA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A ILHABELA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A ILHABELA SETEMBRO DE 2008 JOB796 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas à Ilhabela. Ilhabela

Leia mais

Esta é a pesquisa de satisfação

Esta é a pesquisa de satisfação Esta é a pesquisa de satisfação dos usuários de saneamento básico realizada entre a categoria residencial dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário regulados pela Agência em 244 municípios

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE AVIAÇÃO AGOSTO DE 2007 OPP141 IBOPE/ MQI ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL - Levantar informações sobre aviação. - Brasil. PERÍODO DE CAMPO - De 07 a

Leia mais

INTENÇÃO DE COMPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014

INTENÇÃO DE COMPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 PE MPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 1 MPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 PE MPRA DIA DAS CRIANÇAS 2014 2 Faculdade Estácio de Sá de Campo Grande Intenção de Compra para o Dia das Crianças 2014 Rua Venâncio Borges do

Leia mais

26/4/2012. Inquéritos Populacionais Informações em Saúde. Dados de Inquéritos Populacionais. Principais Características. Principais Características

26/4/2012. Inquéritos Populacionais Informações em Saúde. Dados de Inquéritos Populacionais. Principais Características. Principais Características Inquéritos Populacionais Informações em Saúde Dados de Inquéritos Populacionais Zilda Pereira da Silva Estudos de corte transversal, únicos ou periódicos, onde são coletadas informações das pessoas que

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar o nível de satisfação dos estudantes com relação às FATECs

Leia mais

Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013

Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013 Políticas de integração para mobilidade urbana em cidades coordenadas por diferente modais Wagner Colombini Martins 20/09/2013 A gestão pública brasileira é marcada pela atuação setorial, com graves dificuldades

Leia mais

MOBILIDADE POR BICICLETA NO CAMPUS DARCY RIBEIRO

MOBILIDADE POR BICICLETA NO CAMPUS DARCY RIBEIRO MOBILIDADE POR BICICLETA NO CAMPUS DARCY RIBEIRO Aline Amaral Silva; Amanda Barbosa Borges; Amir mahdi Araghi; Gabriel Carvalho; Surik Neytohn Duque Nicols Prof. Pastor W. G. Taco O estudo contemplou o

Leia mais