Os 10 Maiores Mitos sobre Vídeo Via Rede

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os 10 Maiores Mitos sobre Vídeo Via Rede"

Transcrição

1 Os 10 Maiores Mitos sobre Vídeo Via Rede O texto a seguir é uma tradução do Artigo escrito pelo gerente geral da Axis nos Estados Unidos, Fredrik Nilsson: "The Top 10 Myths about Network Video" Traduzido por Éric Fleming Bonilha Revisado por Humberto Menezes

2 Os 10 maiores mitos sobre Vídeo via Rede O que é Monitoramento IP (IP Surveillance)? IP é uma abreviação para Internet Protocol (Protocolo de Internet), o protocolo mais comum utilizado hoje para comunicação de computadores via rede e internet. O Monitoramento IP consiste em criar imagens digitais que são transferidas por uma rede IP, com ou sem fio, permitindo o monitoramento e gravação de vídeo tão longe quanto a rede chegar e integrando outros tipos de sistemas como controle de acesso. De acordo com o Analista Industrial, J.P. Freeman and Co, Inc., existem hoje mais de 20 milhões de câmeras analógicas instaladas apenas nos Estados Unidos. Destas 20 milhões de câmeras, 1.5 Milhões foram vendidas em Com este número impressionante de câmeras analógicas, as câmeras de rede têm emergido rapidamente no seu segmento, fornecendo um bom indicador de que os sistemas baseados em IP estão destinados a dominar o mercado de monitoramento. As câmeras de rede são conectadas diretamente a uma rede IP e integradas a aplicativos de rede, permitindo aos usuários ter uma imagem de uma câmera remota, armazenar e analisar vídeo ao vivo de outra localidade ou múltiplas localidades, através da rede loca, da Internet ou intranet. Há uma previsão para que as câmeras de rede dominem mais de 50% do mercado de câmeras de segurança em 2007 e o mercado mundial de câmeras IP é de aproximadamente U$790 milhões em Independente de ser uma câmera de rede, câmeras analógicas ligadas em vídeo servers, ou uma instalação que emprega ambos os tipos de câmeras, o Monitoramento IP é atrativo para praticamente todos os tipos de mercado vertical. Em muitas aplicações, esta revolucionaria tecnologia está substituindo os sistemas tradicionais para reduzir custos e aumentar a segurança. Enquanto em outras aplicações, está sendo usado pela primeira vez para criar e estimular o mercado. Devido a sua escalabilidade, entre outras vantagens, o Monitoramento IP é uma tecnologia atrativa e confiável não apenas para melhorar ou revitalizar o monitoramento existente e monitoramento à distância, mas também por um novo tipo de mercado, incluindo: Educação: Segurança e Monitoramento a Distância dos Parques das Escolas, corredores, salas de aula e a segurança das suas próprias instalações. Transporte: Monitoramento à Distância de estações de Trens, Rodovias e Aeroportos. Bancos: Aplicações de segurança tradicional em bancos, escritórios e em qualquer ponto de caixa eletrônico Comércio: Segurança e monitoramento à distância, fazendo o gerenciamento do comércio mais fácil e eficiente. Indústria: Monitoramento de processos de fabricação, sistemas de logística e sistemas de controle de estoque. Por que má impressão da tecnologia de Monitoramento IP? Assim como em qualquer nova tecnologia, existe um período inicial de maturação do mercado. Quanto mais complicada for a tecnologia e quão mais bem estabelecido e atual for o modelo de negócio, maior é o período de maturação do mercado. Durante esta fase de aprendizado é natural que ocorram falhas no conhecimento e mal entendidos. São dessas condições que a má impressão e mitos podem crescer e se espalhar. A tecnologia de Monitoramento IP não é de forma alguma muito complicada, mas a porção IP da tecnologia leva a segurança para fora de seu meio natural e a move para o domínio da tecnologia de informação, um território desconhecido para muitos. Neste sentido, a nova tecnologia e as novas

3 condições podem provocar medos e dar suporte para o status atual. O fato de o Monitoramento IP competir diretamente com os DVRs (Digital Vídeo Recorder) levanta um grande numero de problemas, dos quais o último deles é que desafia a atual afirmação de que a tecnologia DVR com câmeras analógicas representa a última palavra em tecnologia de monitoramento. Vamos visualizar, existem muitas indústrias desde fabricantes a instaladores e integradores até usuários finais e suas empresas, que têm um grande interesse em ver o DVR como a tecnologia dominante. Adicionalmente às condições deste mercado Criador de Mitos, considere que na indústria de segurança são esperadas soluções proprietárias de um único fabricante. A solução de Monitoramento IP combina o Melhor dos Melhores produtos e serviços de diferentes fabricantes. Esta definição está sendo ótima para o usuário final, mas é bem diferente das expectativas e condições correntes. Agora entendemos a razão para a má impressão e meias-verdades que cresceram em volta do Monitoramento IP, nós podemos examinar cada uma delas com mais detalhes. Os Mitos Mito 1: DVR é a mais recente e melhor tecnologia de segurança em CFTV Realidade: Além de muitas pessoas pensarem que o DVR é a melhor e mais recente tecnologia de CFTV, muitas ainda acreditam que o DVR é uma tecnologia de rede totalmente digital, mas não é. Um DVR tem muitas vantagens comparadas a um VCR (Gravador de vídeo cassete): Não necessita troca de fitas, qualidade de imagem consistente e capacidades de localização rápida dos vídeos. Mas você ainda tem todos aqueles cabos analógicos, que é o primeiro fator de depredação da qualidade da imagem, e também muito caro para cabear toda uma instalação. O Monitoramento IP tem todas as vantagens de um DVR e muito mais: Escalabilidade: O Monitoramento IP pode ter de 1 até milhares de câmeras com incremento de uma simples câmera. Não existem pulos de 4/8/16 câmeras como no mundo dos DVRs. O Monitoramento IP oferece qualquer quantidade de quadros ou frames para qualquer câmera a qualquer momento não existem limitações como nos DVRs onde você deve dividir o número de quadros entre as câmeras. Menor custo em infra-estrutura: Muitas instalações hoje já contem uma infra-estrutura de cabos em pares trançados, então o Monitoramento IP não necessita de nenhum cabeamento adicional (a maior despesa das instalações CFTV). Apenas uma rede é necessária para a empresa trafegar Dados, Voz e Imagens, fazendo o gerenciamento da empresa mais eficiente e barato. Acesso Remoto: Qualquer fluxo de vídeo, ao vivo ou gravado, pode ser seguramente acessado ou controlado de qualquer localidade no mundo através de redes com ou sem fio. Inteligência ao nível das câmeras: Detecção de Movimento, Gerenciamento de Eventos, Entradas e Saídas de Alarmes, hora e data e outras capacidades permitem que as câmeras IP tomem decisões inteligentes sobre quando enviar alarmes e para quem, quando enviar um vídeo e até controlar a taxa de quadros ou resoluções para enviar os vídeos. Menor custo total do sistema: Para muitas instalações, o Monitoramento IP provou ter o menor custo. Redes abertas ou fechadas, servidores e equipamentos de armazenamento permitem uma grande competição entre escolhas contra uma solução fechada de um fabricante de DVR, e é apenas hardware Custos mais baixos de instalação, manutenção e todos os benefícios de performance, mostram que a tecnologia de Monitoramento IP pode economizar somas substanciais. Ao contrário de muitas opiniões populares, o DVR não é a solução definitiva, mas apenas um marco para o contínuo desenvolvimento da tecnologia de CFTV. Como o mercado avalia a solução DVR com mais cuidado, com a emergência do Monitoramento IP, os DVRs representam uma solução ultrapassada e fechada. A tecnologia de Monitoramento IP provou rapidamente ser superior à tecnologia de DVR. Existe uma enorme diferença entre as duas tecnologias e o mercado está começando a entender estes pontos críticos.

4 Mito 2: A tecnologia de Monitoramento IP não está provada. Se ela é melhor, por que os provedores de soluções não estão vendendo mais? Realidade: Este mito levanta questões muito relevantes que tem mais a ver com a estrutura do mercado de segurança e práticas de compra do que com a performance e confiabilidade da solução de Monitoramento IP. Monitoramento IP é uma tecnologia relativamente nova e muitos concorrentes poderosos têm uma solução competitiva, o DVR. É muito natural que esses concorrentes queiram proteger seus investimentos nas soluções DVR. Relacionado a isto, a nova tecnologia requer um novo modo de pensar e investimentos em infra-estrutura e de conhecimento entre os integradores, consultores e formadores de opinião da indústria para que passam superar o atual status quo e criar uma nova forma de pensar com novos procedimentos. Quantos de nós nos lembramos de quando dissemos que as máquinas de escrever forneciam toda a tecnologia que necessitávamos? Quem precisava dos novos processadores de texto? Há muito tempo atrás? E sobre os toca-fitas ou vídeo cassete, você ainda não trocou por DVD? Essas tecnologias e interesses precisam apenas de tempo para serem superadas. O fato é que o número de instalações de Monitoramento IP está crescendo rapidamente e o número de integradores e distribuidores está crescendo diariamente. Não irá demorar muito para o mercado reconhecer a superioridade do Monitoramento IP e então veremos rapidamente o aumento das instalações e infra-estrutura para esta nova tecnologia. Se estes argumentos não foram suficientes, não precisamos de mais futuras provas como a mais recente entrada da gigante IBM no mercado de segurança, assim como interesses de outras empresas como Cisco e Proxim para guiar e educar o mercado. Mito 3: O Monitoramento IP não pode atender à demanda das aplicações de grandes instalações Realidade: Quanto maior a instalação, maior o nível de performance requerido, mais competitivo e impressionante o conceito de Monitoramento IP prova ser. De fato, muitas das vantagens da tecnologia de Monitoramento IP descritas acima, a escalabilidade é a que os usuários finais descrevem como mais impressionante. A Axis regularmente recebe pedidos de 200 a mais de 300 câmeras, nosso maior pedido até hoje foi de câmeras algumas das quais têm sido utilizadas em instalações de segurança de alto nível como aeroportos internacionais e prisões. Este mito é muito fácil de ser corrigido: O Monitoramento IP provou que não tem problemas em atender à demanda de grandes instalações. De fato, vemos muitas licitações governamentais e monitoramento de aeroportos especificando a tecnologia IP como arquitetura preferida, que não era o caso de um ano atrás. Mito 4: A qualidade do vídeo de rede não é tão boa quanto um vídeo analógico Realidade: As Câmeras de rede de boa qualidade possuem o mesmo sensor (CCD) e óptica utilizada nas câmeras de segurança analógica. Além do que a tecnologia permite implementar um servidor de vídeo a uma câmera analógica que já está instalada e pode ser incorporada ao mundo IP. Comparando câmeras de rede e analógicas, devemos enfatizar que câmeras de rede de boa qualidade são criadas para uso profissional. Estas câmeras de rede profissionais não devem ser confundidas com câmeras de rede de baixa qualidade ou WebCams usadas para Web, essas câmeras não podem oferecer as mesmas capacidades de uma câmera de rede profissional. As câmeras de rede e o monitoramento IP já oferecem qualidade de imagem superior com resoluções Mega-Pixel. Câmeras analógicas estão limitadas aos seus 0.4 Mega pixels de resolução de um padrão NTSC/PAL

5 Mito 5: As câmeras de rede custam mais do que as câmeras analógicas, fazendo a solução de Monitoramento IP muito cara. Realidade: É verdade que as câmeras de rede são mais caras comparadas à câmeras analógicas porque incluem consideráveis funcionalidades como digitalização, compressão de imagem e inteligência. Se analisarmos o custo total de hardware (câmeras, cabos e equipamentos de gravação), um sistema de Monitoramento IP terá geralmente um maior custo comparado aos DVRs. Se então adicionarmos o custo da instalação, as vantagens do sistema de Monitoramento IP se tornam óbvias sendo que a infra-estrutura IP é consideravelmente menos custosa do que cabeamento coaxial. Além disso, sistemas que usam controle de PTZ necessitam de cabeamento extra, coisa que não é necessária para o IP. Power over Ethernet é outra funcionalidade que economiza dinheiro na intra-estrutura de fornecimento de energia. Em 2002, a Axis completou uma instalação de alto padrão onde foram utilizadas 300 câmeras de rede em uma área de segurança crítica, com um alto nível de quadros por segundo. O Custo total da completa instalação de monitoramento IP foi US$ ,00, ou US$2.700,00 por canal. Para uma funcionalidade similar, os sistemas baseados em DVRs foram cotados, e o custo estimado era de US$1.8 Milhão, ou U$6.000,00 por canal mais de duas vezes o valor do sistema de Monitoramento IP. Mito 6: Se eu já tenho câmeras analógicas instaladas, o Monitoramento IP não é uma opção pois eu preciso de um DVR. Realidade: Talvez os vendedores de DVR querem que acreditemos nisto, mas a tecnologia de servidor de vídeo foi criada para resgatar e esmagar este mito. Os fabricantes líderes de Monitoramento IP tem soluções de servidores de vídeo a um razoável nível de investimento. Um servidor de vídeo converte sinal analógico de vídeo em um fluxo digital de vídeo que trafega sobre a rede, basicamente converte qualquer câmera analógica em uma câmera de rede. A maioria das instalações de Monitoramento IP hoje tem uma combinação de câmeras analógicas ligadas ao servidor de vídeo e seções onde estão ligadas apenas câmeras de rede. Uma instalação analógica em funcionamento e já paga não é uma barreira para a utilização de uma tecnologia de monitoramento superior. Mito 7: Transferir todos os dados de vídeo através da minha rede irá sobrecarregá-la, fazendo uma tecnologia não funcional. Realidade: Se você tem apenas algumas câmeras, então a sua rede existente é de 100Mbits normalmente irá atender às demandas de transmissão. Para comparação, um típico fluxo de vídeo de uma câmera varia entre 0.2 a 2.0Mbps dependendo da compressão, resolução e taxa de quadros. Para qualquer grande instalação de Câmeras IP e Servidores de Vídeo, nós recomendamos uma rede separada apenas para vídeo. Pense nisto similar ao transporte de trens se existe um trilho muito congestionado, você simplesmente constrói um novo conjunto de trilhos. Para grandes instalações, sua central de rede provavelmente estará rodando em Gigabit. Com os switches e roteadores de hoje, separar as redes é muito fácil. Alem de outros passos específicos que podem ser tomados para que a tecnologia de Monitoramento IP possa ser integrada nas operações das organizações e não congestionar a rede. Adicionalmente, por causa da inteligência de uma câmera de rede, ela pode decidir quantos frames devem ser enviados para a rede baseada em eventos, movimento, horário, etc. Então em muitos casos a câmera irá apenas enviar vídeo através da rede se o vídeo for necessário, que provavelmente seja apenas 10% do tempo. Noventa por cento do tempo ela estará ociosa e nada estará sendo trafegado na rede.

6 Mito 8: A transmissão de vídeo em rede para propósitos de segurança não é segura. Realidade: Embora primariamente utilizada como um domínio de informações públicas, a internet pode também ser utilizada para transferir todos os tipos de informações sensíveis Para estas funcionalidades foram criadas medidas de segurança como firewalls, VPNs e proteção por senha. Com bancos e instituições financeiras usando a Internet como um meio de transferência de capital a nível mundial, ela tem emergido como meio seguro para outras aplicações de segurançasob IP e monitoramento. Em contraste com esta nova tecnologia digital, sistemas de monitoramento analógico não possuem criptografia ou autenticação de informações, sendo extremamente fácil para qualquer um se infiltrar nos cabos e ver ilicitamente as transmissões seguras de vídeo ou até transmitir suas próprias falsas transmissões de vídeo no cabo (Como no filme 11 homens e um segredo). Isto é impossível de se fazer em uma rede IP segura. Mito 9: O Monitoramento IP é menos confiável que tecnologias alternativas; por exemplo; se a rede cair Realidade: Quando a base da arquitetura IP foi desenvolvida nos anos 60 e 70, a habilidade de fornecer redundância era o maior requerimento. Da mesma maneira, hoje, links de transmissão, servidores de aplicação, armazenamento e switches podem todos ter uma camada paralela de serviços e rotas alternativas de comunicação. O armazenamento pode ter redundância remota, e os servidores podem ter fontes redundantes, discos RAID hot-swap, memória com correção de erros e 2 placas de rede. Tudo isto depende do projetista da rede, e embora pequenas redes não irão implementar todas as possibilidades de segurança, escolhendo componentes de TI de alta qualidade em uma rede é, em qualquer caso, mais seguro e confiável do que instalações de CFTV com Vídeo Cassete ou Caixas Pretas DVR. E não se esqueça de que usando servidores e equipamentos de rede de mercado, a substituição de algum hardware leva muito menos tempo e é muito mais barato do que soluções de DVR proprietárias. Mito 10: O Monitoramento IP ainda está 5 anos atrás Realidade: Este é o maior mito de todos!!! Considerando que as primeiras câmeras de rede foram introduzidas em 1997, a Axis já instalou mais de canais da futura solução de hoje e os interesses na compras da tecnologia de Monitoramento IP continua a aumentar. Com seu custo, performance, confiabilidade ou qualquer outra qualidade, o Monitoramento IP provou ser a solução de hoje e é a única que irá crescer e afirmar que é a solução para o futuro. Nós provamos através de vários mitos existentes e estabelecemos que o Monitoramento IP é altamente escalável, enquanto eficientemente utiliza a capacidade da rede da empresa. Esta nova tecnologia fornece vantagens significativas em termos de custo e performance sobre o modelo de DVR que muitos pensam hoje ser a solução do dia. Nós também vimos que o Monitoramento IP é flexível, baseado em ótimas funcionalidades e boas câmeras de rede, ele é altamente confiável.

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo.

Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Vigilância IP Axis. Infinitas possibilidades para a vigilância por vídeo. Desafios da vigilância por vídeo hoje O mercado de vigilância por vídeo está crescendo, impulsionado por preocupações de segurança

Leia mais

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá

DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP. Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá DEZ RAZÕES PARA MUDAR PARA SISTEMA DE VÍDEO BASEADO EM IP Ou o que seu vendedor de câmeras analógicas não lhe dirá 1. ALTA RESOLUÇÃO Câmeras baseadas em IP não estão restritas à baixa resolução das câmeras

Leia mais

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital WHITEPAPER Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital Câmera IP ou câmera analógica? Se você está em dúvida sobre a aquisição de uma solução analógica

Leia mais

Artigo. Dez razões para comprar uma câmera de rede ou o que o seu fornecedor de câmeras analógicas não contará para você

Artigo. Dez razões para comprar uma câmera de rede ou o que o seu fornecedor de câmeras analógicas não contará para você Artigo Dez razões para comprar uma câmera de rede ou o que o seu fornecedor de câmeras analógicas não contará para você ÍNDICE Introdução 3 Dez coisas que você não ouvirá de seu fornecedor de câmeras analógicas

Leia mais

SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO)

SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO) SISTEMA DE GRAVAÇÃO DIGITAL COM UM MICROCOMPUTADOR (DVD OU PLACAS DE CAPTURA DE VÍDEO) Há vários tipos de sistemas de gravações digitais. Os mais baratos consistem de uma placa para captura de vídeo, que

Leia mais

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP.

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. VANTAGENS DAS SOLUÇÕES DE VIGILÂNCIA DIGITAL IP É verdade que o custo de aquisição das câmeras digitais IP, é maior que o custo de aquisição das câmeras

Leia mais

BIG-IP Gerenciamento de Tráfego de Aplicativos. Guia de Dimensionamento da Plataforma Versão 9.2.2

BIG-IP Gerenciamento de Tráfego de Aplicativos. Guia de Dimensionamento da Plataforma Versão 9.2.2 BIG-IP Gerenciamento de Tráfego de Aplicativos Guia de Dimensionamento da Plataforma Versão 9.2.2 Guia de Dimensionamento da Plataforma Resumo de Recomendação de Plataformas Plataformas 8400, 6800 e 6400

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

IP Camera Tutorial. CNet Technology Jan 2008

IP Camera Tutorial. CNet Technology Jan 2008 IP Camera Tutorial CNet Technology Jan 2008 O que é Câmera IP? Camera IP é a combinação entre câmera e computador. As câmeras podem ser conectadas diretamente na sua rede. Ela possui internamente software

Leia mais

Relatório de Pesquisa

Relatório de Pesquisa Relatório de Pesquisa A Vantagem da Virtualização de Mainframe: Como Economizar Milhões de Dólares Utilizando um IBM System z como um Servidor em Nuvem Linux Sumário Executivo Os executivos de TI (Tecnologia

Leia mais

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro Rede Corporativa Introdução Rede corporativa é um sistema de transmissão de dados que transfere informações entre diversos equipamentos de uma mesma corporação, tais

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Design de Rede Local Design Hierárquico Este design envolve a divisão da rede em camadas discretas. Cada camada fornece funções específicas que definem sua função dentro da rede

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Com a Axis, fique um passo à frente

Com a Axis, fique um passo à frente Com a Axis, fique um passo à frente Marcelo Ponte - Gerente de Marketing Esta é a Axis Empresa Sueca Fundada a 28 anos Inventora da Camera IP Líder mundial* Segundo relatório IMS Portifólio mais amplo

Leia mais

Soluções completas de segurança em vídeo IP

Soluções completas de segurança em vídeo IP Soluções completas de segurança em vídeo IP Soluções completas de segurança em vídeo IP www.indigovision.com IndigoVision Visão geral A solução empresarial de segurança IP IndigoVision garante o monitoramento

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 6: Switching Uma rede corporativa

Leia mais

Nosso foco é facilitar a videovigilância profissional para todos. Armazenamento de dados seguro e excelente usabilidade

Nosso foco é facilitar a videovigilância profissional para todos. Armazenamento de dados seguro e excelente usabilidade Nosso foco é facilitar a videovigilância profissional para todos Armazenamento de dados seguro e excelente usabilidade 2 Fácil e confiável Frank Moore, proprietário da Keymusic 3 Fácil e confiável Eu não

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV www.scati.com info@scati.com Índice Scati Suite Caraterísticas gerais Gravação Aplicações cliente de gestão Outras funcionalidades Scati

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor.

Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor. Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor. Corte os fios e sinta-se confortável com a solução sem fio Air-Fi da Trane. A comunicação sem fio Air-Fi da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI Colégio Técnico de Teresina CTT. Professor: José Valdemir dos Reis Junior. Disciplina: Redes de Computadores II

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI Colégio Técnico de Teresina CTT. Professor: José Valdemir dos Reis Junior. Disciplina: Redes de Computadores II UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI UFPI Colégio Técnico de Teresina CTT Professor: José Valdemir dos Reis Junior Disciplina: Redes de Computadores II 2 3 Dispositivo que opera apenas na camada física recebendo

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 10 Fato Real A batalha pelos dados Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative

Leia mais

Transferindo a carga da autenticação remota dos servidores

Transferindo a carga da autenticação remota dos servidores Transferindo a carga da autenticação remota dos servidores Visão Geral Há três etapas usadas pela maioria dos computadores para proteger o acesso a operações, aplicativos e dados sensíveis: A identificação

Leia mais

OPC DataHub Coloca a Tecnologia de Tunnelling a Disposição dos Dados de Processo

OPC DataHub Coloca a Tecnologia de Tunnelling a Disposição dos Dados de Processo OPC DataHub Coloca a Tecnologia de Tunnelling a Disposição dos Dados de Processo Por Paul Benford e Robert McIlvride, Cogent Real-Time Systems Inc. & Colin Winchester, Software Toolbox, Inc. No ambiente

Leia mais

Codificadores de vídeo Axis Trazendo os sistemas de vigilância analógicos para o mundo do vídeo em rede.

Codificadores de vídeo Axis Trazendo os sistemas de vigilância analógicos para o mundo do vídeo em rede. Codificadores de vídeo Axis Trazendo os sistemas de vigilância analógicos para o mundo do vídeo em rede. Transição fácil para o vídeo em rede O setor de vigilância por vídeo está passando rapidamente por

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

switches LAN (rede de comunicação local)

switches LAN (rede de comunicação local) O funcionamento básico de uma rede depende de: nós (computadores) um meio de conexão (com ou sem fios) equipamento de rede especializado, como roteadores ou hubs. Todas estas peças trabalham conjuntamente

Leia mais

Um White Paper da Websense Web Security Gateway: A Web 2.0 Protegida e Simplificada

Um White Paper da Websense Web Security Gateway: A Web 2.0 Protegida e Simplificada Um White Paper da Websense Web Security Gateway: A Web 2.0 Protegida e Simplificada Visão Geral do Mercado Embora o uso dos produtos da Web 2.0 esteja crescendo rapidamente, seu impacto integral sobre

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

Levando os benefícios do IP aberto ao controle de acesso físico. Controlador de porta em rede AXIS A1001

Levando os benefícios do IP aberto ao controle de acesso físico. Controlador de porta em rede AXIS A1001 Levando os benefícios do IP aberto ao controle de acesso físico. Controlador de porta em rede AXIS A1001 Abra as portas para o futuro. Com o Controlador de porta em rede AXIS A1001, estamos introduzindo

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

Portfólio 2014. Serviços e Produtos. Soluções em TI. As melhores marcas do mercado, juntando o melhor custo beneficial para nossos clientes

Portfólio 2014. Serviços e Produtos. Soluções em TI. As melhores marcas do mercado, juntando o melhor custo beneficial para nossos clientes Serviços e Produtos Área de Atuação A 8bytes atua na área de Tecnologia da Informação oferecendo soluções corporativas e eficazes para empresas de pequeno, médio e grande porte. Somos uma empresa atuante

Leia mais

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens Callix PABX Virtual SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens Por Que Callix Foco no seu negócio, enquanto cuidamos da tecnologia do seu Call Center Pioneirismo no mercado de Cloud

Leia mais

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes

Figura 1 Taxas de transmissão entre as redes Conceitos de Redes Locais A função básica de uma rede local (LAN) é permitir a distribuição da informação e a automatização das funções de negócio de uma organização. As principais aplicações que requerem

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 3 EQUIPAMENTOS DE HARDWARE E FERRAMENTAS:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 3 EQUIPAMENTOS DE HARDWARE E FERRAMENTAS:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 3 EQUIPAMENTOS DE HARDWARE E FERRAMENTAS:... 2 1.1 Diferenças entre Hub e Switch... 2 1.1.1 Hub... 2 1.1.2 Switch... 2 1.1.3 Roteador... 3 1.2 Equipamentos fora de uso... 4 1.2.1 Repetidores...

Leia mais

Gestão de Armazenamento

Gestão de Armazenamento Gestão de Armazenamento 1. Introdução As organizações estão se deparando com o desafio de gerenciar com eficiência uma quantidade extraordinária de dados comerciais gerados por aplicativos e transações

Leia mais

Um servidor: a potência necessária para suas vendas. A tecnologia Intel ajuda sua empresa a crescer.

Um servidor: a potência necessária para suas vendas. A tecnologia Intel ajuda sua empresa a crescer. Um servidor: a potência necessária para suas vendas. A tecnologia Intel ajuda sua empresa a crescer. Um servidor que resolve diretamente os problemas da sua empresa. As tarefas centrais que se relacionam

Leia mais

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas

Projeto de Redes. Topologias padrão Principais componentes Utilizações Adequadas Definir: Identificar as diferentes Topologias Objetivos: Descrever Vantagens/Desvantagens Topologia Adequada A topologia impacta sobre: Tipo de equipamentos utilizados A capacidade de cada equipamento

Leia mais

COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET

COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET COLABORAÇÃO COMPLETA PARA O MIDMARKET Você está realmente conectado? Esse é o desafio atual no panorama dos negócios virtuais e móveis, à medida que as empresas se esforçam para ter comunicações consistentes

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

CAMADA DE REDE. UD 2 Aula 3 Professor João Carneiro Arquitetura de Redes 1º e 2º Semestres UNIPLAN

CAMADA DE REDE. UD 2 Aula 3 Professor João Carneiro Arquitetura de Redes 1º e 2º Semestres UNIPLAN CAMADA DE REDE UD 2 Aula 3 Professor João Carneiro Arquitetura de Redes 1º e 2º Semestres UNIPLAN Modelo de Referência Híbrido Adoção didática de um modelo de referência híbrido Modelo OSI modificado Protocolos

Leia mais

DOCUMENTO TÉCNICO Uma Forma Mais Inteligente de Tomar Conta da Loja: Vigilância IP

DOCUMENTO TÉCNICO Uma Forma Mais Inteligente de Tomar Conta da Loja: Vigilância IP DOCUMENTO TÉCNICO Uma Forma Mais Inteligente de Tomar Conta da Loja: Vigilância IP Um guia para executivos e gerentes de lojas sobre as vantagens dos sistemas de gerenciamento e vigilância IP. Índice 1.

Leia mais

www.i9tecinfor.com.br Soluções Profissionais Em CFTV IP

www.i9tecinfor.com.br Soluções Profissionais Em CFTV IP www.i9tecinfor.com.br Soluções Profissionais Em CFTV IP Sobre a Hikvision Hikvision Digital Technology Co., Ltd. é um dos principais fornecedores mundiais de produtos e soluções de vídeo vigilância. Fundada

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é VOIP Se você nunca ouviu falar do VoIP, prepare-se para mudar sua maneira de pensar sobre ligações de longa distância. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é um método para pegar sinais de áudio analógico,

Leia mais

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução

Modelo OSI. Prof. Alexandre Beletti Ferreira. Introdução Modelo OSI Prof. Alexandre Beletti Ferreira Introdução Crescimento das redes de computadores Muitas redes distintas International Organization for Standardization (ISO) Em 1984 surge o modelo OSI Padrões

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Uma solução de desempenho para a distribuição de documentos: Habilitando a distribuição de documentos em tempo real para corporações globais

Uma solução de desempenho para a distribuição de documentos: Habilitando a distribuição de documentos em tempo real para corporações globais Uma solução de desempenho para a distribuição de documentos: Habilitando a distribuição de documentos em tempo real para corporações globais Visão Geral Desafio Hoje, os aplicativos da web são um tremendo

Leia mais

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação

Multiplexador. Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Multiplexadores Permitem que vários equipamentos compartilhem um único canal de comunicação Transmissor 1 Receptor 1 Transmissor 2 Multiplexador Multiplexador Receptor 2 Transmissor 3 Receptor 3 Economia

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Estudo de Viabilidade SorveTech (Sistema de Gerenciamento) Professora: Carla Silva Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Informática Arquitectura de Computadores 2 João Eurico Rosa Pinto jepinto@student.dei.uc.pt Filipe Duarte da Silva

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1)

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1) Cenário das redes no final da década de 70 e início da década de 80: Grande aumento na quantidade e no tamanho das redes Redes criadas através de implementações diferentes de hardware e de software Incompatibilidade

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Apresentação. I n o v a ç ã o e T e c n o l o g i a a o s e u a l c a n c e.

Apresentação. I n o v a ç ã o e T e c n o l o g i a a o s e u a l c a n c e. I n o v a ç ã o e T e c n o l o g i a a o s e u a l c a n c e. Apresentação A d v a n c e d I n f o r m á t i c a L t d a. w w w. a d v a n c e d i n f o. c o m. b r ( 1 1 ) 2 9 7 6-7044 Quem Somos? A

Leia mais

Câmeras de rede HDTV e megapixel Axis Veja o que você está perdendo.

Câmeras de rede HDTV e megapixel Axis Veja o que você está perdendo. Câmeras de rede HDTV e megapixel Axis Veja o que você está perdendo. Câmeras de rede HDTV e megapixel Câmeras de rede HDTV e megapixel têm um papel importante nas aplicações de vigilância por vídeo. Elas

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

Empresa GÊNIO INFORMÁTICA

Empresa GÊNIO INFORMÁTICA 0 Empresa Com mais de 15 anos de experiência no mercado, GÊNIO INFORMÁTICA é líder em seu segmento e se destaca na prestação de serviços em redes de computadores e instalação de CFTV (Câmeras de segurança).

Leia mais

Royal Caribbean Club Casino Trinidad & Tobago RESUMO DO CASO:

Royal Caribbean Club Casino Trinidad & Tobago RESUMO DO CASO: Royal Caribbean Club Casino Trinidad & Tobago Uma solução de segurança robusta que combina o software VMS profissional exacqvision e os gravadores de vídeos em rede (NVR) com câmeras Illustra e American

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

Sistema de Gestão Remota Inteligente. Apresentação de Lançamento

Sistema de Gestão Remota Inteligente. Apresentação de Lançamento Sistema de Gestão Remota Inteligente Apresentação de Lançamento O que é @Remote O @Remote é uma tecnologia de Gerenciamento de Equipamentos Remotos, que viabiliza o controle de chamadas de serviço técnico,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Introdução à redes de computadores

Introdução à redes de computadores 1/8 Introdução à redes de computadores Faz todo o sentido ligar os computadores em rede. Você não precisa ter uma impressora, um HD de grande capacidade, um gravador de DVDs e conexão via ADSL para cada

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Windows Phone

Manual do usuário. isic 5 - Windows Phone Manual do usuário isic 5 - Windows Phone isic 5 - Windows Phone Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

Sistemas de Armazenamento

Sistemas de Armazenamento M. Sc. isacfernando@gmail.com Especialização em Administração de Banco de Dados ESTÁCIO FIR Tipo de Não importa quanta memória seu smartphone tenha, ele nunca terá o bastante para guardar todas as suas

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

Manual do usuário. isic5 - iphone e ipod Touch

Manual do usuário. isic5 - iphone e ipod Touch Manual do usuário isic5 - iphone e ipod Touch isic5 - iphone e ipod Touch Este manual irá auxiliá-lo na instalação e utilização do software para visualização das imagens dos DVRs e Câmera Speed Dome IP

Leia mais

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios.

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios. Internet of Things 10 formas de utilizá-la em diversos tipos de negócios. INTRODUÇÃO As interfaces Machine to Machine (M2M) estão facilitando cada vez mais a comunicação entre objetos conectados. E essa

Leia mais

Migração para um data center de 40 Gbps com a tecnologia QSFP BiDi da Cisco

Migração para um data center de 40 Gbps com a tecnologia QSFP BiDi da Cisco White Paper Migração para um data center de 40 Gbps com a tecnologia QSFP BiDi da Cisco Resumo Como resultado da consolidação do data center, da virtualização do servidor e de novos aplicativos que exigem

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Solução Hibrida para Integração de Câmeras Analógicas e Câmeras IP no Mesmo Servidor

Solução Hibrida para Integração de Câmeras Analógicas e Câmeras IP no Mesmo Servidor Gravador de Vídeo Digital Hibrido em Tempo-Real de até 36 Câmeras Solução Hibrida para Integração de Câmeras Analógicas e Câmeras IP no Mesmo Servidor Velocidade de gravação e visualização entre 120 FPS

Leia mais

INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM?

INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM? INFORME PORQUE TELEFÓNIA EM NUVEM? Porque a Voz na Nuvem? 2 Índice Introdução... 3 Baixo Custo... 4 REQUISITOS MÍNIMOS DE CAPITAL... 4 EQUIPAMENTOS GENÉRICOS... 4 UTILIZAÇÃO DE MAIORES RECURSOS... 4 DESPESAS

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

Soluções de Output LRS

Soluções de Output LRS Soluções de Output LRS Enormes economias de custo estão aguardando L O G O A B A I X O D A S U P E R F Í C I E Organizações de todos os tamanhos enfrentam um desafio singular: reduzir dramaticamente os

Leia mais

Processamento de Dados

Processamento de Dados Processamento de Dados Redes de Computadores Uma rede de computadores consiste de 2 ou mais computadores e outros dispositivos conectados entre si de modo a poderem compartilhar seus serviços, que podem

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos

Tipos de Sistemas Distribuídos (Sistemas de Informação Distribuída e Pervasivos) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

MAXPRO VMS SISTEMA DE GESTÃO DE VÍDEO. Sua Plataforma de Balcão Único para Integração de Segurança

MAXPRO VMS SISTEMA DE GESTÃO DE VÍDEO. Sua Plataforma de Balcão Único para Integração de Segurança MAXPRO VMS SISTEMA DE GESTÃO DE VÍDEO Sua Plataforma de Balcão Único para Integração de Segurança A Honeywell incorporou nosso conhecimento rico e experiência confiável de sistemas de vigilância e segurança

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 02 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN CAPÍTULO 01 continuação Páginas 03 à 25 1 COMPONENTES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO Especialistas

Leia mais

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero Servidor, Proxy e Firewall Professor Victor Sotero 1 Servidor: Conceito Um servidor é um sistema de computação centralizada que fornece serviços a uma rede de computadores; Os computadores que acessam

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

Antonio Costas Presidente Corte Nacional Electoral de Bolivia (CNE) Introdução

Antonio Costas Presidente Corte Nacional Electoral de Bolivia (CNE) Introdução Antonio Costas Presidente Corte Nacional Electoral de Bolivia (CNE) "A nova lista biométrica de eleitores criada por meio de esforços conjuntos da NEC e da CNE tem resolvido definitivamente os problemas

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com Protocolo é a linguagem usada pelos dispositivos de uma rede de modo que eles consigam se comunicar Objetivo Transmitir dados em uma rede A transmissão

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais