ETAPAS DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE NO SETOR DE VAREJO DA CIDADE DE IPUÃ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ETAPAS DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE NO SETOR DE VAREJO DA CIDADE DE IPUÃ"

Transcrição

1 ETAPAS DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE NO SETOR DE VAREJO DA CIDADE DE IPUÃ 149 Ethyenne Oliveira Rosa 1 (Uni-FACEF) Josmar Ferreira de Sá 1 (Uni-FACEF) Lucas Sabatelau Batista 1 (Uni-FACEF) Tarcísio Ângelo Pagan Zanotim 1 (Uni-FACEF) Wendel Cesário da Silva 1 (Uni-FACEF) Luis Mendes de Oliveira 2 (Uni-FACEF) INTRODUÇÃO Nesta pesquisa, buscamos compreender por qual motivo a introdução de novos sistemas nas empresas geram um processo complexo e ao mesmo tempo dinâmico, que ocasionam mudanças na estrutura e na forma de gerenciamento das empresas. Estudo esse que terá como foco, empresas de pequeno porte do setor varejista e que se renderam a implementação do SI (Sistema Informação) em suas atividades. O objetivo de nossa pesquisa é mostrar segundo os autores pesquisados quais são os procedimentos para a implantação de sistema de informação, mostrando cada passo, etapa por etapa. Depois de demonstrada as etapas o objetivo é analisar quais são as reações do gestor e dos funcionários inseridos no sistema, e quais dificuldades a implantação do sistema enfrentará. Além de mostrar as vantagens e desvantagens que irão incidir sobre a empresa, a partir da escolha de se substituir o antigo sistema, pelo novo sistema de informação. No início abordaremos o conceito de sistema de informação, e o homem inserido nas mudanças, além de abordar o antagonismo existente entre o sistema e 1 Graduandos do Curso de Administração de Empresa da Uni-FACEF. 2 Professor Mestre Orientador da Uni-FACEF.

2 as necessidades dos funcionários. Em seguida serão apresentados os passos de implantação do sistema, as dificuldades encontradas FUNDAMENTAÇÕES TEÓRICAS 1.1 CONCEITO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Um sistema de informação (SI) coleta, processa, armazena, analisa e dissemina informações com um propósito específico. Como qualquer outro sistema, um sistema de informação abrange entradas (dados) e saídas (relatórios, cálculos), processa essas entradas e gera saídas que são enviadas para o usuário ou outros sistemas. É possível incluir um mecanismo de resposta que controle a operação. E como qualquer outro sistema, um SI opera dentro de um ambiente. O SI é dividido em três partes, e é muito importante saber a diferença entre elas: Dados: que são fatos puros ou descrições básicas de coisas, eventos, atividades que são capturados, registrados, armazenados e classificados, mas não organizados para transmitir qualquer significado; Informação: que é um conjunto de fatos (dados) organizado de modo a fazer sentido para o destinatário; Conhecimento: que consiste em informações organizadas e processadas para transmitir discernimento, experiências, aprendizagem acumulada ou habilidade, se aplicável a um problema ou processo empresarial atual. Para competir com êxito no ambiente empresarial moderno, as organizações esperam contar com diversos recursos poderosos em seus sistemas de informação. Espera-se que os sistemas de informação, processem transações de forma rápida e precisa, armazenem e acessem rapidamente grandes massas de dados, que tenha uma boa comunicação entre pessoas e máquinas, pois sistema de informação está de certa forma relacionado com a TI (Tecnologia da informação) onde mescla-se homem e maquina para que assim possam reduzir a sobrecarga de informações, expandirem as fronteiras, fornecer suporte para a tomada de decisão e fornecer uma arma competitiva. Combinação de recursos humanos e computacionais que inter-relacionam a coleta, o armazenamento, a recuperação, a distribuição e o uso de dados com o

3 151 objetivo de eficiência gerencial (planejamento, controle, comunicação e tomada de decisão) nas organizações. Podem também ajudar os gerentes e os usuários a analisar problemas, criar novos produtos e serviços e visualizar questões complexas (MEC-98/SBC). Em um Sistema, várias partes trabalham juntas visando um objetivo em comum. Em um Sistema de Informação não é diferente o objetivo é um fluxo mais confiável e menos burocrático das informações. Em um Sistema de Informação bem construído, suas principais vantagens são: Otimização do fluxo de informação permitindo maior agilidade e organização; Redução de custos operacionais e administrativos e ganho de produtividade; Maior integridade e veracidade da informação; Maior estabilidade; Maior segurança de acesso à informação. Informações de boa qualidade são essenciais para uma boa tomada de decisão (SISTEMA DE INFORMAÇÃO, 2010). 1.2 IDENTIFICANDO NECESSIDADES Antes de qualquer tipo de implantação do SI seja ela no varejo ou atacado, no grande ou pequeno porte, antes de tudo deve se houver a percepção por parte dos gestores da necessidade de se implantar esse sistema em sua organização e se é viável essa implantação, mais importante do que ter essa percepção é que o sistema de informação não visa demissões e sim uma realocação de forma em que a comunicação seja bem rápida sem ter nenhum empecilho. O gestor deve fazer uma análise sobre o sistema que ele possui, se tem condições de enfrentar às novas variáveis do ambiente externo como, por exemplo, maior concorrência, maior poder de barganha por parte de clientes e fornecedores, pois ele estará aumentando sua praticidade e também a possibilidade de conseguir algo mais para sua empresa. Com isso terá maior rapidez na tomada de decisão, maior eficácia no controle de estoque e que ajude a minimizar o custo, para que ele

4 152 possa sobreviver aos obstáculos impostos tanto pelo ambiente interno, quanto pelo ambiente externo. Percebendo-se a necessidade, ele não só deve como precisa optar pela implantação de um sistema de informação em sua empresa. Segundo Inman (1996) o sistema de informação coleta, processa e armazena informações em busca de um objetivo final e apresenta três partes sendo elas, dados que segundo o próprio autor é a captura de fatos que são processados, mas não organizados para o destinatário. A informação que são os fatos já organizados para o destinatário final e por fim o conhecimento que são os fatos e informações organizadas transmitidas ao destinatário final, proporcionando a eles aprendizagem, discernimento e habilidade sobre o problema e sua atividade desempenhada dentro da organização. A partir desse conceito pode-se concluir então que a implantação de um sistema de informação, agiliza todos os processos já que ele faz toda coleta e processamento de informações e transmiti aos gestores e funcionários todo conhecimento e habilidade sobre o gerenciamento e a atividade do cargo. Seria muito bom se essa fase de transição entre o velho e o novo sistema fosse simples, que dependesse apenas de o gestor identificar a necessidade e implantar, mas infelizmente não é tão simples. O sucesso desse novo sistema depende fundamentalmente de uma boa relação entre pessoa e máquina. Mas sabemos que pessoas para ter uma relação boa com outras pessoas ou objetos, ela deve sentir empatia por estes, e assim também é sua relação com as máquinas, para que ela se relacione bem, ela deve se sentir atraída, motivada a interagir e entender a importância daquele projeto, para que aí assim essa interação ocorra de forma espontânea e produtiva tanto para a empresa quanto para o funcionário. Como foi dito as pessoas para desempenhar sua função diante do sistema ela deve se sentir importante no processo e integrante, para assim realizar sua tarefa. De acordo com a teoria das necessidades de Maslow, o ser humano para se sentir motivado ao realizar determinada tarefa, ele deve ter suas necessidades supridas (VIANA, 2010). Sendo assim o funcionário para se sentir motivado e com isso integrante da implantação desse novo sistema ele tem que ter suas necessidades supridas diante desse novo sistema e cabe ao gestor saber ponderar e controlar certas contradições entre as necessidades e o novo sistema. Dentre as contradições temos, por

5 153 exemplo: primeiro a necessidade fisiológica, como o funcionário vai se sentir empenhado na implantação de um novo sistema se é o seu trabalho que traz condições de ele comprar alimentos e água para sobreviver, e esse novo sistema traz consigo máquinas que podem substituí-lo e fazer com que ele perca seu emprego. Diante da segunda necessidade como se sentir seguro se com o novo sistema ele não vai ter garantias nenhuma de empregabilidade, de propriedade e de recursos de sobrevivência. Manter o funcionário empenhado como, se ele pode perder amigos de trabalho com a redução dos cargos, como o funcionário vai se sentir respeitado se ele vai ter que mudar a forma de como ele realiza o trabalho, como ele vai manter sua auto-estima se ele vai ser apenas uma parte do processo e não o realizador do processo e por fim como ele vai alcançar sua realização pessoal se não caber mais a ele resolver os problemas do seu cargo e não ter mais autonomia nenhuma sobre a realização das tarefas. Como foi dito cabe ao gestor saber minimizar essas contradições e dar ênfase nos benefícios que serão trazidos pelo novo sistema, e convencer os funcionários que esse sistema é de fundamental importância e que eles não são apenas uma peça da máquina e sim o coordenador e programador dela muitas vezes o sistema de informação cabível a empresa nem sempre tem como ênfase trocar funcionários ou reduzir custo empregatício e sim otimizar a comunicação para que empresa cresça mais e mais. 1.3 PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO Após a percepção da necessidade de se implantar o sistema, a organização passa pelo processo de desenvolvimento e implantação deste, que tem toda uma seqüência de processos a serem respeitados e seguidos para que se tenha o sucesso em sua implantação. Segundo Stair (1998), o desenvolvimento de sistemas é criar novos programas ou reestruturar e adaptar as mudanças ao programa já existentes. Para que se de inicio a um novo sistema, é necessário identificar os problemas a serem solucionados ou oportunidades a serem exploradas até a avaliação e possível refinamento da solução escolhida para que se for necessário haja a modificação. No ato do desenvolvimento do sistema, é importante que todos os profissionais da organização tomem conhecimento, pois mais de 80% deles

6 154 utilizarão este sistema para suas tomadas de decisões ou ainda podem ajudar no aprimoramento da idéia inicial. Stair (1998) também afirma que independente do formato ou complexidade do software, a maioria das empresas utilizam um planejamento em cinco etapas: avaliação, análise, projeto, implementação e manutenção e revisão. As empresas utilizam essas etapas porque a medida que o projeto vai sendo construído, estipulase prazos até que o sistema esteja instalado e aceito. E se houver grandes necessidades de mudanças no Sistema de Informação, além das manutenções e revisões, começa um novo projeto conforme as etapas mencionadas abaixo, pois se trata de etapas com pontos de verificação para saber se a etapa anterior foi bem aceita. Diante dos passos seguidos para o desenvolvimento do sistema citado anteriormente pode se perceber que dentre as cinco etapas de implantação, todas são interligadas entre si, portanto para se alcançar o objetivo do desenvolvimento é necessário que todas as etapas sejam realizadas com eficiência, para que uma não comprometa a realização da outra. A etapa de avaliação do sistema é a fase de identificação do problema a ser resolvido, e elaboração da lista de oportunidades para resolvê-lo. A etapa de análise de sistemas são confrontadas as soluções do problema anterior, e as condições que a organização possui para utilizá-las. Dentre a etapa de projeto de sistemas, é que se escolhe um projeto que tenha condições de solucionar o problema existente e que seja viável para a organização. No desenvolvimento da etapa de implantação de sistemas é implantado o sistema, além de se realizar o treinamento dos funcionários e também a obtenção de hardware que serão utilizados no processo. E por fim a etapa de manutenção e revisão de sistemas nessa etapa se faz uma avaliação para se perceber se o sistema necessita de mudanças, se esta atuando com grande eficácia e se tem condições de auxiliar a empresa no alcance de suas metas. Não satisfazendo esses requisitos às etapas são retroalimentadas ou se implanta um novo sistema, isso é realizado até que a empresa consiga resolver o problema mencionado. Mason Júnior e Richard (1975) registram que o sistema de informações gerenciais deve fornecer informações básicas de que os gestores necessitam em suas tomadas de decisão. Assim, quanto maior for a sintonia entre a informação

7 155 fornecida e as necessidades informativas dos gestores, melhores decisões poderão ser tomadas. Isto é, ao projetar um sistema de informações, faz-se necessário analisar cuidados cuidadosamente o processo de decisão e o fluxo de informações existente. Esses dois fatores são essenciais e inseparáveis no desenho e arquitetura de um sistema de informações gerenciais. 1.4 DESENVOLVIMENTO INTERNO OU EXTERNO O processo de desenvolvimento do sistema, a empresa tanto pode desenvolver dentro da empresa com seu próprio pessoal ou desenvolver externamente a partir da terceirização do projeto. No desenvolvimento interno a empresa tanto pode reaproveitar o sistema já existente ou se necessário formular um novo sistema utilizando seus próprios funcionários para a elaboração, a vantagem que se tem é que os funcionários conhecem o problema a ser solucionado de perto e o custo é mais baixo, mas tem como desvantagem se o sistema não render o esperado é mais complicado de se resolver, porque o funcionário não tem especialização como um profissional da área. No desenvolvimento externo sendo a terceirização segundo Laudon e Laudon (2004) o processo de entrega de computadores e redes de telecomunicações a um fornecedor externo, consiste na elaboração do sistema fora da empresa por terceiros, o fornecedor elabora o sistema e a empresa adquirente só o utiliza em suas atividades. Tem como vantagem maior especialização, pois se espera que o fornecedor tenha grande conhecimento nessa área, maior facilidade de retroalimentação, pois se o projeto não der certo, o fornecedor elabora outro com maior rapidez e tem como desvantagem o fato de os fornecedores não estarem tão próximos do problema mencionado nem do dia a dia da empresa, como os funcionários estão. 1.5 MUDANÇAS E REAÇÕES A IMPLANTAÇÃO O processo de inovação envolve quatro estágios diagnóstico organizacional, iniciação, implementação e rotinização. Os estágios são separados por três pontos de decisão que indica a ação para o próximo estágio, Robey (1986, apud AGRASSO, 2000). Enquanto os estágios são conceitualmente distintos, eles não

8 156 são tão claramente separados na prática. Muitas vezes, a iniciação expõe o reconhecimento de novas necessidades, e problemas encontrados durante a implementação deve requerer mais trabalhos de iniciação. Em outras palavras, a maioria das inovações bem sucedidas envolve interdependência de associação ou recíproca em vez de interdependência seqüencial ou de ação em conjunto. O papel e as funções do administrador são apresentados no contexto de cada estágio, descritos nos próximos itens. Após o processo de implantação, tendo o sistema sido desenvolvido internamente ou desenvolvido por uma empresa terceirizada, a organização a partir desse sistema sofre algumas mudanças. As mudanças que são mais percebidas nos vários tipos de empresas são a mudança na estrutura organizacional e no número de funções nos cargos. Segundo Turbam, Rainer Júnior e Potter (2003) com a implantação do sistema de informação as organizações passam por uma mudança na estrutura, apresentando uma estrutura horizontal, porque o sistema permite uma maior produtividade por parte dos gerentes, pois com ela o campo de supervisão do número de funcionários é ampliado,supervisando assim um maior número de funcionários e necessitando cada vez menos de gerentes especializados. Com o declínio no número de gerentes, a hierarquia de autoridade irá diminuir tornando a estrutura organizacional da empresa mais horizontal. E por fim á área que requer atenção diante das mudanças é a parte da saúde dos funcionários, como afirma Turbam, Rainer Júnior e Potter (2003), algumas doenças são provocadas pelas ferramentas do novo sistema. A exposição a monitores (radiação) por grande tempo, sendo associadas ao câncer, as lesões por esforços repetitivos, por usar as ferramentas com grande freqüência e com os mesmos movimentos. Deve-se ter toda uma atenção especial nesse quesito para que o sistema de informação ao invés de trazer melhorias, traga falhas no processo, e o que é mais grave ainda, afete a saúde dos funcionários. Essas mudanças provocam algumas reações no comportamento dos funcionários, onde eles podem apresentar diferentes comportamentos em relação ao novo sistema. Segundo Cruz (1998) os funcionários passam por quatro estágios de diferentes comportamentos diante do novo sistema.

9 157 Estagio de rejeição é o estágio onde os funcionários não perceberam as vantagens que serão trazidas pelo novo sistema, e não aceitou o fato de ter que mudar a forma de como realizava seu trabalho. Estágio de boicote, nesse estágio o funcionário não só rejeita o novo sistema, mas também trabalha para que tudo de errado. Estágio de aceitação, é o pós boicote, os funcionários começam a perceber as mudanças e benefícios, mas não significa que a implantação desse novo sistema já é um sucesso. Estágio de cooperação, esse estágio é o final foram passados todos os obstáculos e quebrados todos os paradigmas, mas se deve fazer um monitoramento constante para que os estágios não anteriores não voltem. Todos esses estágios mesmos alguns sendo negativos é de fundamental importância para o sucesso do novo sistema, pois ele contribui para o aperfeiçoamento, e para a mudança de conceito por parte dos funcionários em relação a essa nova forma que as atividades serão realizadas. Existe uma forma de realizar essa avaliação por meio de alguns indicadores de sucesso, segundo (EIN-DOR; SEGEV, 1983) observe: Rentabilidade: Existe quando os benefícios do sistema ultrapassam seus custos; Desempenho: Ocorre quando o sistema melhora a qualidade das decisões de seu usuário; Áreas de aplicação: Um sistema é bem-sucedido quando é aplicado aos problemas de maior importância na organização. Isso contribui significativamente para justificar seu custo; Satisfação dos usuários: Como o sistema é um instrumento de auxílio ao usuário, sua satisfação indica que as funções esperadas pelo usuário são atendidas. Mesmo sendo uma avaliação subjetiva, esta pode ser considerada válida se estiver associada a outros indicadores de sucesso. Utilização generalizada: O fato de o sistema ser amplamente utilizado é um indicador de sucesso na medida em que possui a aprovação de várias pessoas.

10 158 Essas características são de difícil mensuração, entretanto, se elas puderem ser observadas, objetiva ou intuitivamente, serão indicadoras de um sistema bemsucedido. Maximizar o valor das características que o distinguem de seus concorrentes. Em conseqüência, um aspecto central da formulação da estratégia é a análise detalhada da concorrência. O objetivo desta análise é desenvolver um perfil da natureza e do sucesso das prováveis mudanças estratégicas que cada concorrente pode vir a adotar, a resposta provável de cada concorrente ao espectro de movimentos estratégicos viáveis que outras empresas poderiam iniciar e a provável reação de cada concorrente ao conjunto de alterações na indústria e às mais amplas mudanças ambientais que poderiam vir a ocorrer (PORTER, 1991 apud TURBAN; RAINER JÚNIOR, PORTER, 2003, p. 61). CONCLUSÃO A partir do que foi exposto anteriormente pode se perceber que a organização inserida nas mudanças ocasionadas pela implantação do sistema de informação enfrenta várias e diversas dificuldades. Diante das dificuldades apresentadas anteriormente, a maioria delas requer a atuação dos gerentes para superá-las, pois na resolução delas é necessário o trabalho de maximização da importância e das vantagens, e minimização do confronto entre as necessidades dos funcionários e o sistema novo, para que se obtenha o sucesso dessa nova ferramenta. Além disso, cabe ao gestor perceber a hora certa de transição do antigo sistema para o novo sistema, para que se não desperdice o que pode ser aproveitado do antigo sistema, e não se crie ferramentas ociosas adotando um novo sistema com características similares ao sistema anterior. Para que o sistema de informação alcance as expectativas criadas sobre ele é necessário que se tenha uma coordenação total entre sistema, funcionários e gestores. Como sugestão de novos estudos poderia se fazer um estudo mais aprofundado de como é a implantação dos novos sistemas em cada uma das áreas da empresa de forma distinta, mostrando as vantagens, dificuldades e desvantagens de cada área. Mostrando como é esse novo sistema na área de produção, vendas, marketing, finanças e recursos humanos, de forma separada.

11 159 REFERÊNCIAS AGRASSO, Abreu Manoel. Tecnologia da informação: manual de sobrevivência da nova empresa. São Paulo: Villipress, CRUZ, Tadeu. Sistemas de informações gerenciais: tecnologia da informação e a empresa do século XXI. São Paulo: Atlas, EIN-DOR, P.; SEGEV, E. Administração de sistemas de informação. Rio de Janeiro: Campus, INMAN, W. H. The data warehouse and data mining. Communication of the ACM, v. 39, n. 11, nov LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane P. Sistemas de informação gerenciais: administrando a empresa digital. Tradução de Arlete Simille Marques. 5. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, MASON JÚNIOR, R.; Richard, O. Basic concepts for designing management information systems. In RAPPAPORT, Alfred. Information for decision making: quantitative and behavioral dimensions. 2. ed. Englewood Ctiffs, New Jersey : Prentice Hall, p.3. SISTEMA DE INFORMAÇÃO. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/sistema_de_informa%c3%a7%c3%a3o>. Acesso em 15 abr STAIR, Ralph M. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. Tradução de: Lúcia I. Vieira. Rio de Janeiro: LTC, TURBAN, Efraim; RAINER JÚNIOR, R. KELLY; POTTER, Richard E. Administração de tecnologia da informação: teoria e prática. Tradução de SOUZA, Teresa Felix de. Rio de Janeiro: Campus, VIANA, Manuela. Pirâmide das necessidades. Disponível em: <http://www.manuelaviana.com/vale_ler/piramide-das-nnecessidades/>. Acesso em: 10 abr

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

Pós-Graduação Business Intelligence

Pós-Graduação Business Intelligence Pós-Graduação Business Intelligence Tendências de Mercado de Business Intelligence Aula 01 Negócios e Tecnologia da Informação Objetivos da Aprendizagem Discutir as pressões corporativas e as reações que

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Teoria Geral de Sistemas C.H. Teórica: 60 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Período Letivo: Série: Periodo: Semestre de 1 sem/2012 2ª

Leia mais

Aula 1 Conceitos básicos de Sistemas de Informação.

Aula 1 Conceitos básicos de Sistemas de Informação. Aula 1 Conceitos básicos de Sistemas de Informação. Dados X Informações O que são Dados? São materiais brutos que precisam ser manipulados e colocados em um contexto compreensivo antes de se tornarem úteis

Leia mais

Sistema de Informação dos Pontos de Cultura SIPCult

Sistema de Informação dos Pontos de Cultura SIPCult Sistema de Informação dos Pontos de Cultura SIPCult Information System of Pontos de Cultura - SIPCult Brasil 2010 Instituto Lidas Pontão Nós Digitais 2 "A cultura é uma necessidade imprescindível de toda

Leia mais

MPA 015 Fundamentos de Sistemas de Informação

MPA 015 Fundamentos de Sistemas de Informação MPA 015 Fundamentos de Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Mestrado Profissional em Administração Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho Prof. Dr. Fábio Favaretto 1 Informações

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE 2011 Disciplina ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS Professor MSC. ADOLFO FRANCESCO DE OLIVEIRA COLARES Carga Horária Semanal Curso ADMINISTRAÇÃO Carga Horária

Leia mais

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO CURSO: GESTÃO AMBIENTAL PROFESSOR: WENES SILVA DOS SANTOS ALUNOS: ANDRÉ VIANA CAVALCANTE, DANILO CARVALHO DE OLIVEIRA, GEISA MOREIRA DE SOUSA, FERNANDA MONTES, LIAMAR MONTES, PRISCILA CASTRO, RAIMUNDINHA

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ADMINISTRAÇÃO LINHA DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM COMÉRCIO INTERNACIONAL ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Carga horária semanal Etapa 4 5 OBJETIVO Realizar escolhas sobre a adoção de tecnologias e sistema

Leia mais

Conceitos de Sistemas de Informação

Conceitos de Sistemas de Informação Conceitos de Sistemas de Informação Prof. Miguel Damasco AEDB 1 Objetivos da Unidade 1 Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Técnico em Administração

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Técnico em Administração Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação:

Leia mais

O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios contemporâneo

O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios contemporâneo O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios contemporâneo Mestrado em Gestão estratégicas de Organizações Disciplina: Sistemas de Informação e Novas Tecnologias Organizacionais Professor:

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 3.1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 3.1 2003 by Prentice Hall 3 ão, Organizações ões, Administração e Estratégia OBJETIVOS

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação José Celso Freire Junior Engenheiro Eletricista (UFRJ) Mestre em Sistemas Digitais (USP) Doutor em Engenharia de Software (Universit(

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Sistemas de Informação C.H. Teórica: 20 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Período Letivo: Série: Periodo: Semestre de 2 sem/2012 4ª Série

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES

MARKETING MARKETING TRADICIONAL MARKETING ATUAL DEVIDO AO PANORAMA DO MERCADO, AS EMPRESAS BUSCAM: ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE CLIENTES MARKETING Mercado Atual Competitivo Produtos / Serviços equivalentes Globalizado Conseqüências Infidelidade dos clientes Consumidores mais exigentes Desafio Conquistar clientes fiéis MARKETING TRADICIONAL

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Princípios da Teoria de Sistemas 1 Grupos diferentes dentro de uma organização necessitam

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Administração de Sistemas de Informação Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6 1 - Ementa (sumário, resumo) Sistemas de

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Diagnóstico organizacional: um estudo tecnológico na cooperativa-escola do IFMG-campus Bambuí.

Diagnóstico organizacional: um estudo tecnológico na cooperativa-escola do IFMG-campus Bambuí. Diagnóstico organizacional: um estudo tecnológico na cooperativa-escola do IFMG-campus Bambuí. RESUMO Andressa Lima da CUNHA ; Aline Martins CHAVES ; Gabriel da SILVA 2 Pós-Graduada em Administração de

Leia mais

SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO

SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO Danilo Freitas Silvas Sistemas de informação CEATEC danilofs.ti@gmail.com Resumo:

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

Plano de Ensino PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios CURSO: Bacharelado em Administração MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado (

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Estrutura de um Sistema de Informação Vimos

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação

Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação Janniele Aparecida Conceitos Sistema de Informação Conjunto de componentes interrelacionados que coletam (ou recuperam), processam e armazenam e distribuem

Leia mais

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Capítulo 12 REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS De que forma o desenvolvimento de um novo sistema poderia mudar a maneira de uma organização trabalhar?

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde

Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Tópicos Especiais em Economia e Gestão da Saúde Sistemas de Informações ( Parte I) Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Administração em Gestão Hospitalar Hospital Universitário - UFJF Ato ou efeito

Leia mais

Modelo de sistema de informação para apoio ao processo decisório em micro e pequenas empresas.

Modelo de sistema de informação para apoio ao processo decisório em micro e pequenas empresas. Modelo de sistema de informação para apoio ao processo decisório em micro e pequenas empresas. Francisco Ignácio Giocondo César (UNIMEP) giocondo@merconet.com.br Osvaldo Elias Farah (UNIMEP) oefarah@unimep.br

Leia mais

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória

Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Uso dos computadores e a Tecnologia da informação nas empresas: uma visão geral e introdutória Não há mais dúvidas de que para as funções da administração - planejamento, organização, liderança e controle

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Como Desenvolver Sistemas de Informação Capítulo 11 Pág. 337 2

Leia mais

Escolha os melhores caminhos para sua empresa

Escolha os melhores caminhos para sua empresa Escolha os melhores caminhos para sua empresa O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG)

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Faculdade de Engenharia - Campus de Guaratinguetá Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Prof. José Roberto Dale Luche Unesp Um SISTEMA DE INFORMAÇÃO é um conjunto de componentes inter-relacionados, desenvolvidos

Leia mais

Tipos de Sistemas de Informação

Tipos de Sistemas de Informação Tipos de Sistemas de Informação Parte 2 Aula 5 Fundamentos de SI Prof. Walteno Martins Parreira Jr Classificação dos sistemas de informação? Cada sistema de informação é específico para desempenhar uma

Leia mais

Capítulo 1. Os sistemas de informação empresariais na sua carreira. 1.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall

Capítulo 1. Os sistemas de informação empresariais na sua carreira. 1.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Capítulo 1 Os sistemas de informação empresariais na sua carreira slide 1 1.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como os sistemas de informação estão

Leia mais

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Na prática, não existe uma classificação rígida, permitindo aos autores e principalmente as empresas classificar seus sistemas de diversas maneiras. A ênfase

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.

Introdução aos Sistemas de Informação. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes. Introdução aos Sistemas de Informação Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.br Nesta aula Apresentação da disciplina Avaliação Recursos

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

A utilização do sistema de informação como estratégia de produtividade na biblioteca Central da Faculdade Ideal.

A utilização do sistema de informação como estratégia de produtividade na biblioteca Central da Faculdade Ideal. A utilização do sistema de informação como estratégia de produtividade na biblioteca Central da Faculdade Ideal. RESUMO O artigo aborda o processo de utilização do Sistema de Informação adotado pela biblioteca

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EXERCÍCIOS DO LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ALUNO ADRIANO RAMPINELLI FERNANDES

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EXERCÍCIOS DO LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ALUNO ADRIANO RAMPINELLI FERNANDES FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EXERCÍCIOS DO LIVRO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ALUNO ADRIANO RAMPINELLI FERNANDES Capítulo 1 - Página 28 - Questões de revisão 1.2 O que é exatamente um sistema

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento

Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento ELC1075 Introdução a Sistemas de Informação Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento Raul Ceretta Nunes CSI/UFSM Introdução Gerenciando dados A abordagem de banco de dados Sistemas de gerenciamento

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Tecnologia da Informação tem por fornecer conhecimento

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação O uso consciente da tecnologia para o gerenciamento Prof. Msc. Christien Lana Rachid Organização 1. Vínculo Administração-Tecnologia 2. Introdução a sistemas 3. Empresas e Sistemas

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Sistemas, Processos e Informações Ao observarmos o funcionamento de um setor

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Informática e Sistemas de Custos: Um Estudo de Caso Sobre Mudança do Sistema de Custos

Informática e Sistemas de Custos: Um Estudo de Caso Sobre Mudança do Sistema de Custos Informática e Sistemas de Custos: Um Estudo de Caso Sobre Mudança do Sistema de Custos Flávia Felix da Silva Resumo: Neste estudo faz-se um levantamento sobre aspectos da informática e sistema de informação

Leia mais

Conceitos ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Comunicação; Formas de escritas; Processo de contagem primitivo;

Conceitos ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Comunicação; Formas de escritas; Processo de contagem primitivo; Conceitos Comunicação; Formas de escritas; Bacharel Rosélio Marcos Santana Processo de contagem primitivo; roseliomarcos@yahoo.com.br Inicio do primitivo processamento de dados do homem. ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SIG e SAE. Daniel Gondim

SIG e SAE. Daniel Gondim SIG e SAE Daniel Gondim Roteiro Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Conceitos Aplicações Sistemas de Apoio ao Executivo (SAE) Conceitos Aplicações O SIG dá suporte às funções de planejamento, controle

Leia mais

Sistemas de Informações. Daniel Gondim

Sistemas de Informações. Daniel Gondim Sistemas de Informações Daniel Gondim Roteiro da Aula SPT Sistema de Processamento de Transações Visão geral; métodos e objetivos Atividades no processamento de transações Controle de Administração Aplicações

Leia mais

Administração de Sistemas. E-mail: fdenis_natal@yahoo.com.br MSN: fdenis_natal@hotmail.com

Administração de Sistemas. E-mail: fdenis_natal@yahoo.com.br MSN: fdenis_natal@hotmail.com Administração de Sistemas de Informação PROF. FELIPE DENIS M. DE OLIVEIRA E-mail: fdenis_natal@yahoo.com.br MSN: fdenis_natal@hotmail.com Facebook: Felipe Oliveira OBSERVAÇÕES IMPORTANTES Freqüência: Mínimo

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO

Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE CURSO C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Código: ENGP -

Leia mais

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES André Luís da Silva Pinheiro * Resumo: Este trabalho discutirá o impacto da implantação de um sistema do tipo ERP em uma empresa. Apresentaremos uma breve introdução de

Leia mais

Nosso sucesso é sua logística bem-sucedida!

Nosso sucesso é sua logística bem-sucedida! Nosso sucesso é sua logística bem-sucedida! Sobre a Store Automação A Store Automação é uma das empresas líderes em TI no Brasil. Especializada em softwares orientados à logística e com vinte anos de atuação,

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

Unidade: Sistemas Integrados. Unidade I:

Unidade: Sistemas Integrados. Unidade I: Unidade: Sistemas Integrados Unidade I: 0 Unidade: Sistemas Integrados De Sistemas Funcionais a Sistemas Integrados Segundo Turban, Rainer Jr., Potter (2005, p. 302), a tecnologia de sistemas de informação

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO EFMP PROF: Edson Marcos da Silva CURSO: Técnico em Administração Subsequente TURMAS: 1º Ano APOSTILA: nº 1 SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL Sistemas de Informação Campo

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação Conceitos Preliminares

Estratégias em Tecnologia da Informação Conceitos Preliminares Estratégias em Tecnologia da Informação Conceitos Preliminares Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) CRM (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT) E A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr,br Profº Dr. Luciano

Leia mais

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br

UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br UNEMAT SISTEMA DE INFORMAÇÃO (SI) Professora: Priscila Pelegrini priscila_pelegrini@unemat-net.br SINOP MT 2015-1 COMO SÃO DESENVOLVIDOS OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO? São desenvolvimento como uma estrutura

Leia mais

Capítulo 2 E-Business global e colaboração

Capítulo 2 E-Business global e colaboração Objetivos de estudo Capítulo 2 E-Business global e colaboração Quais as principais características de um negócio que são relevantes para a compreensão do papel dos sistemas de informação? Como os sistemas

Leia mais

Modelagem de Sistemas de Informação

Modelagem de Sistemas de Informação Modelagem de Sistemas de Informação Professora conteudista: Gislaine Stachissini Sumário Modelagem de Sistemas de Informação Unidade I 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO...1 1.1 Conceitos...2 1.2 Objetivo...3 1.3

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Ementa da Disciplina Fundamentos da teoria

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA Tiago Augusto Cesarin 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 11 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo A Tecnologia da Informação (TI) faz parte do cotidiano da sociedade moderna, mesmo as pessoas que não têm acesso

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS 1 PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS Porto Alegre RS Março 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Cerca de dois milhões de pessoas estão trabalhando em aproximadamente 300 mil projetos

Leia mais

1. Introdução. Saiba mais

1. Introdução. Saiba mais 1. Introdução Gestão de Sistemas de Informação Aula 3 -Planejamento e desenvolvimento de sistemas de informação Prof: Cleber A. de Oliveira Para a adequada compreensão deste conteúdo, é preciso que estejam

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais