Treinamento de Utilização da Produção Repetitiva

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Treinamento de Utilização da Produção Repetitiva"

Transcrição

1 Treinamento de Utilização da Produção Repetitiva

2 Glossário Introdução 03 Conceitos 05 PP Dados Mestre 07 PP MRP 1 09 PP MRP 2 10 PP MRP 4 11 PP Esquematização do Trabalho 12 PP Centro de Trabalho 13 PP Listas Técnicas 20 PP Roteiro de Produção 26 PP Versão de Produção 31 PP Planejamento da Produção 34 PP Reporte de Produção 39 PP Estorno de Produção 43

3 Introdução A produção repetitiva é usada normalmente quando um processo de produção atende aos seguintes critérios: Produtos iguais ou similares são produzidos em um período de tempo prolongado. Os produtos não são fabricados em lotes definidos individualmente. Em vez disso, a quantidade total é produzida em um determinado período a uma determinada taxa por peça/período. Os produtos fabricados sempre seguem a mesma seqüência através de máquinas e centros de trabalho na produção. Os roteiros tendem a ser simples e não variam muito.

4 Introdução Fluxo Produtivo Planejador produção Evento Necessidade Individual Início ciclo Planejamento Revisão periódica plano Quadro de planejamento (MF50) Processos Auxiliares Operador Produção DEP. PRODUTO ACABADO Vendas e Distribuição LINHA ENVASE Reporte Produção (MFBF) DEP. SEMI ACABADO Encerramento do período de contabilidade financeira do centro geral LINHA SOPRO Reporte Produção (MFBF) DEP. MATÉRIA PRIMA Compra de Matéria Prima

5 Conceitos Versões de Produção As versões de produção definem as várias maneiras de se produzir um material. Um material pode ter diversas listas técnicas que determinam os componentes usados em sua produção. O processo produtivo também pode ser descrito ou desenvolvido de várias maneiras através dos roteiros de produção. Estas combinações de listas técnicas e roteiros fornecem as diversas opções para a produção de um material que são associadas ao material através das versões de produção, um material pode ter uma ou mais versões de produção. Linha de Produção As linhas de produção são usadas como centros de trabalho no planejamento do fluxo produtivo na produção repetitiva. Estas podem ser estações de trabalho individuais ou processos encadeados compostos por diversas operações que transcendem os centros de trabalho individuais.

6 Conceitos Listas Técnicas As listas técnicas determinam os componentes e suas respectivas quantidades necessários a produção de determinado material. Um material pode ter mais de uma lista técnica, sendo uma principal e as demais alternativas. Roteiro de Produção O roteiro de produção determina a sequencia de operações necessárias para a produção de determinado material, bem como o tempo de produção de cada operação em um centro de trabalho.

7 PP Gerenciar Dados Mestre Os dados mestres necessários a produção repetitiva são: Mestre de Materiais visões de MRP e Esquematização do Trabalho Listas Técnicas Linhas de Produção Roteiros de Produção Versões de Produção

8 PP Gerenciar Dados Mestre PP Mestre de Materiais visões de MRP e Esquematização do Trabalho As visões de MRP fornecem dados relativos ao planejamento e suprimento dos materiais relacionados a produção interna ou aquisição externa. As configurações a seguir são necessárias ao funcionamento da produção repetitiva. A visão de esquematização do trabalho paremetriza dados relativos ao funcionamento do chão de fábrica dos materias produzidos internamente. (Semi-acabados e Acabados) As visões citadas devem ser configuradas para os tipos de material FERT (Produto Acabado) e HALB (Semi-acabado).

9 PP MRP 1 Transação: MM01- Mestre de Materias. - Tipo de MRP: Chave que determina, se e como o planejamento de necessidades é efetuado para o material - Tamanho do lote MRP: Chave que determina segundo que regra para cálculo do tamanho de lotes o sistema calcula a quantidade a ser suprida ou produzida no quadro do MRP.

10 PP MRP 2 Transação: MM01- Mestre de Materias. - Tipo de Suprimento: Código que determina como o material é suprido. Internamente (E), Externamente (F), Ambos (X). - Chave de Prazos: Chave, com a qual o sistema determina os tempos de folga, importantes para a programação de uma ordem.

11 PP MRP 4 Transação: MM01- Mestre de Materias. - Produção Repetitiva: Autoriza a utilização do material para a produção repetitiva. - Perfil de Prod. Rep.: Controla através do tipo de ordem, se é efetuada uma produção repetitiva em função do cliente, baseada nas ordens de cliente, ou uma produção repetitiva para estoque, ou seja, uma produção anônima.

12 PP Esquematização do Trabalho Transação: MM01- Mestre de Materias. - UM de Produção: Unidade à qual se refere a quantidade de produção. - Admin Lote Obrig.: Indica se o material é administrado em lotes.

13 PP Centro de Trabalho Centro de Trabalho Os centros de trabalho são objetos que podem representar máquinas ou grupos de máquinas, linhas de produção, linhas de montagem, grupos de empregados. Em sua maioria determinam locais físicos onde determinados processos produtivos são realizados. Através dos centros de trabalho se é possível determinar capacidade produtiva, efetuar programação da fábrica e apurar os custos de produção. Para a produção repetitiva adotaremos o conceito de linha de produção, que é quando a variabilidade da produção é baixa e os setup`s de máquina não são constantes na produção. Possibilitando a produção de um produto por longos períodos de tempo.

14 PP Centro de Trabalho Transação: CR01- Criar Centro de Trabalho - Tipo Centro de Trabalho: Chave que diferencia os centros de trabalho segundo o seu tipo. (p.ex. centro de trabalho da produção, centro de trabalho da manutenção). Os dados no registro mestre do centro de trabalho que podem ser atualizados depende do tipo de centro de trabalho.

15 PP Centro de Trabalho: Dados Básicos Transação: CR01- Criar Centro de Trabalho - Utilização LTa: Chave com a qual o usuário determina em qual tipo de lista de tarefas o recurso operacional (p.ex. o centro de trabalho ou o meio auxiliar de produção) pode ser utilizado. - Chave Valor Standard: Chave, que atribui um significado e uma dimensão (p.ex. tempo ou área) aos, no máximo, seis valores standard. Os valores standard são utilizados como parâmetros em fórmulas para a determinação do tempo de execução, da necessidade de capacidade e dos custos.

16 PP Centro de Trabalho: Val. Propostos Transação: CR01- Criar Centro de Trabalho - Chave de Controle: Determina quais as operações econômicas a ser executadas, para o objeto correspondente de um roteiro ou ordem (p.ex. programação ou cálculo de custos). - Unid. ValStand: Unidade do valor standard. Esta é transferida do centro de trabalho proposto, caso tenha sido atualizada aí.

17 PP Centro de Trabalho: Capacidades Transação: CR01- Criar Centro de Trabalho - Tipo de Capacidade: Chave que descreve a capacidade com maior precisão. Através do tipo de capacidade, o usuário pode determinar se se trata de uma capacidade de máquina ou de pessoal. - Fórm.necs.ProcessInt: Fórmula para a determinação da necessidade de capacidade no processamento interno (p.ex. no diagrama de rede ou na ordem de manutenção).

18 PP Centro de Trabalho: Capacidades Cabeçalho Transação: CR01- Criar Centro de Trabalho - Unidade Medida Base: Unidade na qual a capacidade útil é atualizada. Podem ser definidas versão de capacidade útil, com turnos diferenciados e tempos disponíveis diferentes. - Capacidade Útil Standard: Parametros que determinam a disponibilidade real do centro de trabalho para a capacidade em questão.

19 PP Centro de Trabalho: Cálculo de Custos Transação: CR01- Criar Centro de Trabalho - Centro Custo: Identifica o centro de custos ao qual o centro de trabalho está associado, só é possível associar um centro de custos. - Tipo ativid.: Tipos de atividade representam o serviço prestado por um centro de custo e são medidos em unidades de tempo ou de medida. Dentro do planejamento de tipo de atividade, dados de controle podem determinar se a tarifa para a avaliação dos tipos de atividade são definidos manualmente ou se são calculados interativamente através da determinação de tarifa.

20 PP Listas Técnicas Listas Técnicas As listas técnicas ou, estruturas de produto ou BOM`s, são listas estruturadas de componentes que configuram uma produção ou uma montagem. A lista técnica contém os números dos objetos que a compoem como suas quantidades e unidades de medida. As Listas de técnicas são utilizadas de diferentes formas no SAP, e em várias situações onde um produto acabado é composto de vários componentes e materiais. Dependendo do ramo de atividade podem ser chamadas de receitas ou lista de ingredientes.

21 PP Listas Técnicas Transação: CS01- Criar Lista Técnica de Material - Utilização: Chave que determina em que área (p.ex. produção) pode ser utilizada a lista técnica. - Válido desde: Indica o início da validade temporal de um objeto (p.ex. material, lista técnica, roteiro).

22 PP Listas Técnicas: Cabeçalho Transação: CS01- Criar Lista Técnica de Material - Qtd. Básica: Quantidade à qual se referem todas as quantidades do componente de uma lista técnica. - Status List. Téc.: Chave que descreve o status de processamento atual da lista técnica. O código controla outras atividades para a lista técnica em diferentes áreas funcionais (p.ex. engenharia, cálculo de custos, planejamento de necessidades).

23 PP Listas Técnicas: Itens Informar a quantidade de cada componente. - Informar a Categoria de Item L e os componentes da lista técnica.

24 PP Listas Técnicas: Item Dados Básicos Transação: CS01- Criar Lista Técnica de Material - Categoria de Item: Subdivisão dos itens de uma lista técnica segundo critérios determinados, por exemplo a referência a objeto (como registro mestre de material, registro info de documento) ou a administração de estoques. - Quantidade: Quantidade do componente que é entrada relativamente à quantidade básica do produto.

25 PP Listas Técnicas: Item Status/ TxtDesc. Transação: CS01- Criar Lista Técnica de Material - Relev. p/ccst: Controla se e em que escopo é que um item de lista técnica ou uma operação ou suboperação é relevante para o cálculo de custos no roteiro. - Depósito produção: Número do depósito do qual o material é retirado durante o processo de produção. Para este depósito de retirada registra-se, eventualmente, uma baixa por explosão.

26 PP Roteiros de Produção Roteiros de Produção Os roteiros de produção, listas de trabalho, listas de tarefas ou planos de trabalho, permitem o planejamento da produção dos semi-acabados e dos produtos acabados. Os roteiros também são usados como modelos para as ordens de produção, a programação de produção, o planejamento de capacidade e os custos produtivos planejados. O roteiro é a descrição dos passos, operações, a serem executados e qual a sequencia de execução para se produzir determinado produto. Os roteiros tem informações do centro de trabalho onde as operações devem ser executadas, as ferramentas necessárias e os tempos de produção padrão de cada operação.

27 PP Roteiros de Produção Transação: CA01- Criar Roteiro - Material: Informar o material semi-acabado ou acabado para criação do roteiro de produção, e infomar o centro logístico.

28 PP Roteiro de Produção: Cabeçalho Transação: CA01- Criar Roteiro - Utilização: Chave que indica em que área pode ser utilizado o roteiro (p.ex. produção ou manutenção). - Status do Plano: Com o status, o usuário identifica o estado de processamento de um roteiro, p.ex. se o roteiro ainda se encontra na fase de criação ou se o usuário já o liberou.

29 PP Roteiro de Produção: Operações Transação: CA01- Criar Roteiro - Centro de Trabalho: Informar o centro de trabalho onde a operação será executada. 2 - Chave de Controle: Determina o comportamento da operação dentro do roteiro de produção, para produção repetitiva utilizaremos sempre a PP03. - Inserir uma descrição para a operação e informar a quantidade básica da operação.

30 PP Roteiro de Produção: Detalhe Operação Transação: CA01- Criar Roteiro - Tempo de Máquina: Informar a duração padrão da operação de acordo com o tipo de tempo disponível, previamente configurado no centro de trabalho.

31 PP Versão de Produção Versão de Produção A versão de produção define as várias formas de se produzir determinado produto. Um produto pode ter várias listas técnicas contendo os componentes usados para sua produção. O processo produtivo também pode ser descrito por vários roteiros de produção. Os diferentes métodos e técnicas de produção de um produto estão armazenados na versão de produção. A versão de produção é um dado mestre obrigatório quando se trabalha com produção repetitiva, um material pode ter diversas versões de produção, diferenciadas por listas técnicas, roteiros, lotes de produção, etc.

32 PP Versão de Produção Transação: MM02- Modificar Material - Na Visão de MRP4 ou na Esquematização do Trabalho, temos o botão de criação de Versão de Produção.

33 PP Versão de Produção Transação: MM02 - Modificar Material. - Inserir uma descrição para a versão de produção que está sendo criada. O tamanhos de lotes e as validades devem ser compatíveis com os da lista técnica e roteiro utilizados. Como a produção é repetitiva, selecionar o roteiro no campo PlanjTaxProd, selecionar a lista técnica e marcar o campo ProdRepPermitida, selecionar a linha onde o produto será fabricado.

34 PP Planejamento da Produção Quadro de Planejamento Na produção repetitiva o planejamento mestre de produção é representado pelo quadro de planejamento. O quadro de planejamento é uma ferramenta de planejamento operativo usada para planejar as quantidades a serem produzidas. No ambiente de manufatura repetitiva, o planejamento e o controle de produção é executado periodicamente através uma quantidade base. O layout do quadro de planejamento foi projetado para suportar esta necessidades e é também baseado em períodos para fornecer uma maneira simples de visualizar e interpretar o planejamento dos materiais e das linhas de produção. Usaremos o quadro de planejamento para planejar as quantidades a serem produzidas para cada linha de produção semanalmente.

35 Planejamento da Produção: Quadro de Planejamento Transação: MF50 - Modificar Quadro de Planejamento - Informar o centro e a linha de produção que se deseja planejar. - Informar o período que se deseja visualizar para executar o planejamento. - Informar forma de visualização da necessidades, se diário, semanal, mensal.

36 PP Plan. da Produção: Quadro de Planejamento Transação: MF50 - Modificar Quadro de Planejamento - O quadro de planejamento mostrará todos os itens que possuem versão de prdução ativa para a linha de produção selecionada. A linha Qtd.disponível, mostra a quantidade disponível prevista do material na data. - A linha 001 LINHA01 é onde o planejador entrará com a quantidade planejada para produzir na data. Observe que 0001 se refere a versão de produção do material.

37 PP Plan. Produção: Lista Necessidades de Estoque Transação: MD04 Lista Atual das Necessidades de Estoque. - Informar o código do material e o centro.

38 PP Plan. Produção: Lista Necessidades de Estoque Transação: MD04 Lista Atual das Necessidades de Estoque A transação MD04 permite a visualização da posição atual do material no estoque bem como seu planejamento e suas necessidades, permitindo visualizar cada objeto que compoe seu suprimento. (Ordem planejadas, Requisições de Compra, Ordem de Venda, etc.)

39 PP Reporte da Produção O reporte da produção é composto de duas tarefas, a confirmação e o apontamento da produção, este tem por objetivo informar os acontecimentos ocorridos durante a execução do processo produtivo. A confirmação diz respeito a entrada de tempos de produção nas diversas operações e tipos de atividades do roteiro de produção cadastrado para o material. O apontamento de produção diz respeito aos movimentos de mercadorias efetuados durante a produção, consumo de materiais do estoque e entrada de produto acabado no estoque. Na manufatura repetitiva, utilizaremos a confirmação pelo padrão, ou seja, não serão informados tempos de produção, estes serão assumidos do roteiro de produção. Os apontamentos utilizarão a baixa por explosão, ou seja, os materiais serão consumidos do estoque conforme os valores da lista técnica de cada material. O único dado que será informado no momento do reporte de produção é a quantidade produzida. Os dados que divergirem dos dados mestres deverão ser informados no momento do reporte.

40 PP Reporte da Produção Transação: MFBF Confirmação Repetitiva. Produção Informar a QTdConfirm, o Material, a Versão Prod. a Data produção, Data vencimento e o Lote receptor. Clicar no botão Salvar.

41 PP Reporte da Produção Transação: MFBF Confirmação Produção Repetitiva. Se for necessário alteração de algum dado no momento do reporte da produção, clicar em Lançar com correção, a janela aberta permitirá editar os dados do consumo dos materiais, como quantidades e depósitos de saída dos mesmos.

42 PP Reporte da Produção Transação: MB03 Exibir Documento Material Consultar os movimentos de mercadoria efetuados durante o reporte da produção.

43 PP Estorno da Produção Transação: MFBF Confirmação Repetitiva. Produção Clicar no botão Estorno p/documento, e informar os dados para selecionar o documento que se deseja estornar.

44 PP Estorno da Produção Transação: MFBF Confirmação Produção Repetitiva. Selecionar o documento e clicar em estornar, um documeto de estorno será gerado e este poderá ser consultado na MB03.

Processo de Controle das Reposições da loja

Processo de Controle das Reposições da loja Processo de Controle das Reposições da loja Getway 2015 Processo de Reposição de Mercadorias Manual Processo de Reposição de Mercadorias. O processo de reposição de mercadorias para o Profit foi definido

Leia mais

NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00

NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00 NOVIDADES COMPLY VERSÃO 4.00 Página 1 de 15 Maiores informações a respeito dos assuntos destacados abaixo devem ser obtidas no Manual do Comply v4.00 disponível no Portal de Produtos. Página 2 de 15 CADASTROS

Leia mais

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Elaborado por SIGA-EPT Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Versão Dezembro - 2009 Sumário 1 Introdução 5 1.1 Entrando no sistema e repassando as opções................... 5 1.2 Administração......................................

Leia mais

Controle de Almoxarifado

Controle de Almoxarifado Controle de Almoxarifado Introdução O módulo de Controle de Almoxarifado traz as opções para que a empresa efetue os cadastros necessários referentes a ferramentas de almoxarifado, além do controle de

Leia mais

Manual de Treinamento. Área do Membro

Manual de Treinamento. Área do Membro Manual de Treinamento Área do Membro 0 Contents Geral... 2 Transações... 3 Negociação e Estoque... 10 Licenças... 15 Mercado... 19 Finanças... 22 Fazer uma Declaração de Venda... 27 Fazer uma Declaração

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.04 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.04 Inventário Manual...2 Relatório de contagem...2 Contagem...3 Digitação...3 Inventário Programado...6 Gerando o lote...7 Inserindo produtos manualmente no lote...8 Consultando

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Movimentações... 4 Movimentações de Caixa... 4 Entradas... 6 Recebimento em Dinheiro... 8 Recebimento em Cheque... 8 Troco... 15 Saídas... 17 Movimentações de Banco... 22

Leia mais

SISGEM: Etapa Projeto Completo Fase Aquisição de Áreas DESDOBRAMENTO DA ESTRATÉGIA EM AÇÕES

SISGEM: Etapa Projeto Completo Fase Aquisição de Áreas DESDOBRAMENTO DA ESTRATÉGIA EM AÇÕES DESDOBRAMENTO DA ESTRATÉGIA EM AÇÕES SISGEM: Etapa Projeto Completo Fase Aquisição de Áreas Sumário Glossário ------------------------------------------------ 03 Objetivo --------------------------------------------------

Leia mais

Guia Simplificada de Rotina PCP versão 2038 dicionário 2299 Planejamento e Controle de Produção

Guia Simplificada de Rotina PCP versão 2038 dicionário 2299 Planejamento e Controle de Produção Guia Simplificada de Rotina PCP versão 2038 dicionário 2299 Planejamento e Controle de Produção Opções Selecionar Empresa Selecionar a empresa que o usuário vai trabalhar. Empresa Dados cadastrais da empresa.

Leia mais

CADASTROS DE VENDAS, PEDIDOS, ORÇAMENTOS OU DEVOLUÇÕES

CADASTROS DE VENDAS, PEDIDOS, ORÇAMENTOS OU DEVOLUÇÕES Vamos detalhar neste tutorial o processamento de lançamento das vendas, pedidos de representantes, orçamentos para clientes e devoluções de mercadorias. No sistema TOPONe todas estas operações podem ser

Leia mais

E&L Controle de Estoque e Materiais. Perguntas Frequentes

E&L Controle de Estoque e Materiais. Perguntas Frequentes E&L Controle de Estoque e Materiais Perguntas Frequentes 1. Qual relatório deve ser tirado para fazer a prestação de contas? Balancete de Materiais por detalhado. Esse relatório está disponível no menu

Leia mais

Material de Apoio. SEB - Contas a Pagar. Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com

Material de Apoio. SEB - Contas a Pagar. Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com Material de Apoio SEB - Contas a Pagar Versão Data Responsável Contato 1 05/12/2011 Paula Fidalgo paulaf@systemsadvisers.com Conteúdo CONFIGURAÇÃO... 3 Cadastro de Fornecedores... 3 Métodos de Pagamento...

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Renegociação de Títulos e Apropriação de Juros Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Plano de Contas... 3 3.1.1 Transitória - Renegociação...

Leia mais

Requisição de Compra DESENVOLVENDO SOLUÇÕES

Requisição de Compra DESENVOLVENDO SOLUÇÕES DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autor: REPTEC TECNOLOGIA - Márcio Bertelli Doc. Vrs. 02 Revisão: TEOREMA SISTEMAS - Laila Maria Aprovado em: Abril de 2015. Nota de copyright Copyright 2015 Teorema Informática,

Leia mais

FINANCEIRO Manual OPERACIONAL

FINANCEIRO Manual OPERACIONAL SISTEMA DE GESTÃO HDIAS HAMILTON DIAS (31) 8829.9195 8540.8872 www.hdias.com.br hamilton-dias@ig.com.br FINANCEIRO Manual OPERACIONAL Pagina 2 de 14 ÍNDICE Receitas e Despesas... 3 Como Acessar... 3 Como

Leia mais

Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0

Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0 Movimentações de Estoque Versão de Sistema: 11.8.0.0 Setembro 2014 Versão do documento: 4.0 Índice Título do documento 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Movimentações de Estoque... 3 4. Parâmetros...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

Agendamento para Importação de Notas Fiscais

Agendamento para Importação de Notas Fiscais LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação.

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. Incluir um Inventário Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. ) e preencha Clique na aba Itens e depois no botão Carregar Produtos

Leia mais

MÓDULO 5 Movimentações

MÓDULO 5 Movimentações MÓDULO 5 Movimentações Bem-vindo(a) ao quinto módulo do curso. Agora que você já conhece as entradas no HÓRUS, aprenderá como são feitas as movimentações. As movimentações do HÓRUS são: Requisição ao Almoxarifado:

Leia mais

Requisições de Materiais - Almoxarifado Módulo Portal Administrativo - SIPAC

Requisições de Materiais - Almoxarifado Módulo Portal Administrativo - SIPAC 1 Requisições de Materiais - Almoxarifado Módulo Portal Administrativo - SIPAC Perfil: Requisitor e Autorizador de solicitações de materiais de consumo 2 Maceió, Fevereiro de 2013. Histório de versões

Leia mais

para outro) 23 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04

para outro) 23 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04 1 2 ÍNDICE ERP 1- Cadastro de Produtos (Implantação no Almoxarifado) 04 2- Notas de Compra (Incluindo Quantidades no Almoxarifado) 07 2.1 - Notas complementares 12 2.2 - Desmembramento de bens 13 3- Requisições

Leia mais

PAG CONTAS CARNÊ Agora ficou mais fácil pagar suas contas. PAG CONTAS CARNÊ. Geração de Boletos MANUAL DO USUÁRIO

PAG CONTAS CARNÊ Agora ficou mais fácil pagar suas contas. PAG CONTAS CARNÊ. Geração de Boletos MANUAL DO USUÁRIO PAG CONTAS CARNÊ Geração de Boletos MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DE GERAÇÃO DE BOLETOS EMPRESAS CONVENIADAS 1) REQUISITOS DO SISTEMA: Primeiramente devemos possuir seguintes itens abaixo: - Microcomputador

Leia mais

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E-

COMERCIAL) 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. E- 2014 ÍNDICE 1. Cadastros básicos 2. Módulos básicos (Incluso em todas as versões) CMC BASE 3. Agenda 4. Arquivos 5. Empresas ou Cadastros de empresas 6. Pessoas ou cadastro de pessoas 7. Módulos que compõem

Leia mais

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Suporte Técnico A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Horário de Atendimento De segunda-feira à sexta-feira das 09:00 ás 19:00

Leia mais

GUIA DE USUÁRIO - GU-

GUIA DE USUÁRIO - GU- 1/22 Revisão 00 de 20//12 1. OBJETIVO Orientar o usuário para a pesquisa e visualização detalhada de todas as ordens de compra emitidas, emitir confirmações de aceite, submeter solicitação de alteração,

Leia mais

Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital

Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital Página 1 de 15 Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital O cadastro de produtos permite organizar as informações relativas a produtos e serviços, como grupo, marca, peso, unidades e outros, que

Leia mais

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço Módulo Básico Versão 4.0 Pedidos de Vendas Manual do Usuário 1 As informações contidas neste documento, incluindo links, telas e funcionamento

Leia mais

Manual do Usuário. Novo Internet Banking Governo - IBG

Manual do Usuário. Novo Internet Banking Governo - IBG Manual do Usuário Novo Internet Banking Governo - IBG Versão V - Abril 2013 Sumário 2. Visão Geral do Sistema... 5 2.1. Operações disponíveis no novo IBG... 6 2.1. Perfis disponíveis... 7 2.2. Definições,

Leia mais

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO CONFERÊNCIA DE ESTOQUE Aplicativo Controle de Estoque Desktop

MANUAL DE UTILIZAÇÃO CONFERÊNCIA DE ESTOQUE Aplicativo Controle de Estoque Desktop MANUAL DE UTILIZAÇÃO CONFERÊNCIA DE ESTOQUE Aplicativo Controle de Estoque Desktop 1 1 CONFERÊNCIA DE INVENTÁRIO... 3 2 LEITURAS REALIZADAS... 4 3 LEITURAS ENCADEADAS... 6 4 COMPARAÇÃO DE ESTOQUE... 8

Leia mais

Tutorial. O Trade e o SNGPC

Tutorial. O Trade e o SNGPC Tutorial O Trade e o SNGPC Este tutorial explica como realizar no Trade Solution as principais atividades relacionadas ao SNGPC - Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados 1. Introdução

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Borderô de Pagamento e Aprovação de Lançamentos Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Cadastrar Fornecedor... 5

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Versão 1.0 18/01/2013 Sempre consulte por atualizações deste manual em nossa página. O Cotação Web está em constante desenvolvimento, podendo ter novas funcionalidades adicionadas

Leia mais

ArcSoft MediaConverter

ArcSoft MediaConverter ArcSoft MediaConverter User Manual Português 1 201004 Índice Índice... 2 1. Índice... 3 1.1 Requisitos do sistema... 4 1.2 Extras... 4 2. Convertendo arquivos... 7 2.1 Passo1: Selecionar mídia... 7 2.1.1

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

Sumário do Plano de Testes

Sumário do Plano de Testes GESTOC Versão 9.1 Plano de Testes Sumário do Plano de Testes 1. Introdução... 2 2. Escopo... 2 3. Implementações... 2 0002061: Emissão de notas de remessa com vasilhames e embalagens... 3 0002062: Emissão

Leia mais

Ajuda do Sistema Aquarius.

Ajuda do Sistema Aquarius. Ajuda do Sistema Aquarius. Esta ajuda é diferenciada da maioria encontrada nos sistemas de computador do mercado. O objetivo desta ajuda é literalmente ajudar o usuário a entender e conduzir de forma clara

Leia mais

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário Shop Control 8 Pocket Guia do usuário Abril / 2007 1 Pocket O módulo Pocket permite fazer vendas dos produtos diretamente em handhelds Pocket PC, pelos vendedores externos da empresa. Os cadastros (clientes,

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DA VERSAO 05.07.01. Abaixo constam as alterações referentes a versão 05.07.01 do dia 28/09/2012:

ATUALIZAÇÃO DA VERSAO 05.07.01. Abaixo constam as alterações referentes a versão 05.07.01 do dia 28/09/2012: ATUALIZAÇÃO DA VERSAO 05.07.01 Abaixo constam as alterações referentes a versão 05.07.01 do dia 28/09/2012: ATENÇÃO: Versões intermediarias não são de atualização obrigatório para todos os clientes, apenas

Leia mais

Manual Ilustrado Marketing Receptivo - HMR

Manual Ilustrado Marketing Receptivo - HMR Manual Ilustrado Marketing Receptivo - HMR Agosto/2014 Índice Título do documento 1. Objetivo... 3 2. Papéis e Usuários... 3 3. Fluxo Geral do HMR... 5 4. Manter Parâmetros Marketing Receptivo... 5 5.

Leia mais

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA

MÓDULO DE NOTA FISCAL ELETRONICA MANUAL DO SISTEMA Versão 6.08 Introdução... 2 Requisitos para Utilização do Módulo NF-e... 2 Termo de Responsabilidade... 2 Certificados... 2 Criação de Séries... 2 Framework... 3 Teste de Comunicação...

Leia mais

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Página1 e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais eletrônicos Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é o e-nota R?... 03 2. Configurações e Requisitos...

Leia mais

HMR Marketing Receptivo. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0

HMR Marketing Receptivo. 12.1.x. abril de 2015. Versão: 2.0 HMR Marketing Receptivo 12.1.x abril de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Papéis e Usuários... 3 3 Fluxo Geral do HMR... 6 4 Manter Parâmetros Marketing Receptivo... 7 5 Manter Categoria de

Leia mais

SIGA Sistema de Gestão de Almoxarifado

SIGA Sistema de Gestão de Almoxarifado SIGA Sistema de Gestão de Almoxarifado Como acessar O acesso ao Sistema se faz através da página da SEPLAG Clicando no Link destacado Clicar no Link destacado e será exibida a tela de login do Guardião.

Leia mais

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA

Projeto SIGA-EPT. Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Projeto SIGA-EPT Manual do usuário Módulo Requisição de Almoxarifado SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ACADÊMICA Versão setembro/2010 Requisição de Almoxarifado Introdução Requisição é uma solicitação feita

Leia mais

Manual de Uso. Intranet

Manual de Uso. Intranet Manual de Uso Intranet última atualização: setembro de 2013 1 2 Sumário 1- Acesso 04 2- Gerenciamento de páginas 04 3- Gerenciamento de layout e aparência das páginas 3.1- Layout 3.3- Aparência 07 07 08

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO

ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO ESPECIFICAÇÕES DE CASOS DE USO CASO DE USO: INCLUIR CLIENTE Sumário: este caso de uso se inicia quando o usuário precisa incluir um cliente no sistema. Atores: Atendente Pré-condições: Documentação do

Leia mais

e-fornecedores Nova Versão Cartilha do Fornecedor

e-fornecedores Nova Versão Cartilha do Fornecedor e-fornecedores Nova Versão Cartilha do Fornecedor Destinada aos Fornecedores das empresas: Outubro/2010 Nova Estrutura de Telas O portal e-fornecedores conta com nova interface, que facilita a forma de

Leia mais

MANUAL ESCOLA FLEX. Revisado em 09/07/2008. Sistema Flex www.sistemaflex.com

MANUAL ESCOLA FLEX. Revisado em 09/07/2008. Sistema Flex www.sistemaflex.com MANUAL ESCOLA FLEX Revisado em 09/07/2008 Sistema Flex www.sistemaflex.com Índice Manual Escola Flex Índice... 2 Tela de Abertura (Splash Screen)... 3 Login... 4 Seleção de Empresas... 5 Tela Principal...

Leia mais

GUIA DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE COMPRAS VIA WEB

GUIA DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE COMPRAS VIA WEB GUIA DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE COMPRAS VIA WEB ( c) 2010 Todos os direitos reservados a ABCG Campo Grande-MS INDICE 1. Introdução ao compras web 05 2. Fluxo do processo de compras web 06 3. Como ingressar

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Gerência de Redes Áreas Funcionais de Gerenciamento. Douglas Duarte ddsbdc@gmail.com

Gerência de Redes Áreas Funcionais de Gerenciamento. Douglas Duarte ddsbdc@gmail.com Gerência de Redes de Gerenciamento Douglas Duarte ddsbdc@gmail.com de Gerenciamento Gerenciamento de Falhas; Gerenciamento de Desempenho; Gerenciamento de Contabilização; Gerenciamento de Configuração;

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

Manual de Instalação ProJuris8

Manual de Instalação ProJuris8 Manual de Instalação ProJuris8 Sumário 1 - Requisitos para a Instalação... 3 2 - Instalação do Firebird.... 4 3 - Instalação do Aplicativo ProJuris 8.... 8 4 - Conexão com o banco de dados.... 12 5 - Ativação

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Campo: REPRESENTANTE Use o botão: LUPA para selecionar o representante do cliente, ou, abrir o cadastro de representantes.

Campo: REPRESENTANTE Use o botão: LUPA para selecionar o representante do cliente, ou, abrir o cadastro de representantes. ABA: VENDAS BOTÃO: VENDA BALCÃO VENDA BALCÃO Faz vendas para clientes Abre o cadastro de clientes Inclui produtos avulsos na venda Mostra os produtos que serão utilizados, valores gerais, descontos etc.

Leia mais

Nome do Processo: Requisição Gera Múltiplos pedidos para Múltiplos Fornecedores

Nome do Processo: Requisição Gera Múltiplos pedidos para Múltiplos Fornecedores Desenvolvimento BM-1131 Versão 5 Release 17 Autor Sirlene Araújo Processo: Compras Nome do Processo: Requisição Gera Múltiplos pedidos para Múltiplos Fornecedores Motivação Tornar o processo de geração

Leia mais

PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66

PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66 PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66 Sumário 1. Nota Fiscal Eletrônica São Paulo... 3 2. Motivo da baixa... 9 3. Contrato Endereço para cobrança... 12 4. Vistoria... 13 5. Contas a pagar Controle de

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

Recebimento, Armazenagem, Movimentação e Expediçao de Produtos à Granel

Recebimento, Armazenagem, Movimentação e Expediçao de Produtos à Granel Recebimento, Armazenagem, Movimentação e Expediçao de Produtos à Granel Produto : Logix, WMS, 12 Chamado : PCREQ-1926 Data da criação : 03/07/2015 Data da revisão : 24/07/15 País(es) : Todos Banco(s) de

Leia mais

Estrutura organizacional.

Estrutura organizacional. Estrutura organizacional. 1 Fluxo MM Req.compra direta Criada manualmente, pelo departamento que necessita do material/serviço. Req.compra indireta Criada automaticamente por outro componente SAP No MRP

Leia mais

Tutorial contas a pagar

Tutorial contas a pagar Tutorial contas a pagar Conteúdo 1. Cadastro de contas contábeis... 2 2. Cadastro de conta corrente... 4 3. Cadastro de fornecedores... 5 4. Efetuar lançamento de Contas à pagar... 6 5. Pesquisar Lançamento...

Leia mais

Manual. Sistema Venus. (Introdução)

Manual. Sistema Venus. (Introdução) Manual Do Sistema Venus (Introdução) 1 Este Manual tem com o objetivo demonstrar os padrões utilizados no sistema, e o início para usar o Vênus com sucesso. Ícone para acesso ao Vênus, para entrar, basta

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Acompanhar Andamento do Contrato e Pedido de Compras

Acompanhar Andamento do Contrato e Pedido de Compras Acompanhar Andamento do Contrato e Pedido de Compras MM.00.060 - Efetuar Rescisão Contratual / Pedido Transações que compõem a Atividade MM.00.060.070 - Cancelar Contrato/Pedido parcial ou total. Transação

Leia mais

MANUAL - BIKESYS. Versão 1.0 Beta. Março 2013

MANUAL - BIKESYS. Versão 1.0 Beta. Março 2013 MANUAL - BIKESYS Versão 1.0 Beta Março 2013 Acesso ao sistema O acesso ao sistema é bem simples, basta inserir o seu usuário e senha, previamente cadastrados na aplicação para ter acesso as funcionalidades

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

CATÁLOGO DE CUSTOMIZAÇÕES Apontamento Web

CATÁLOGO DE CUSTOMIZAÇÕES Apontamento Web CATÁLOGO DE CUSTOMIZAÇÕES Apontamento Web Índice CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 DADOS DO PROJETO... 4 OBJETIVO(S) DO PROJETO... 4 ESCOPO... ERRO! INDICADOR NÃO DEFINIDO. PREMISSAS... 17 LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES...

Leia mais

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais Eletrônicos

e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais Eletrônicos Página1 e-nota R Sistema de Emissão de Documentos Fiscais Eletrônicos Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é o e-nota R?... 03 2. Configurações e Requisitos...

Leia mais

Sistema de Produção KJewel

Sistema de Produção KJewel Sistema de Produção KJewel O sistema de Produção do Kjewel foi inicialmente desenhado para atender as necessidades de uma indústria joalheira. Todavia, como as características da indústria de jóias são

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Manual do Usuário. Vixen PDV

Manual do Usuário. Vixen PDV 1 Manual do Usuário Vixen PDV 2 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. ENTRANDO NO SISTEMA 4 2.1 TELA LOGIN 4 2.2 CARGA DE TABELAS LOCAIS 4 3. MENU INICIAL 5 4. BARRA DE STATUS 6 5. ABRINDO O CAIXA 6 6. VENDA 7 6.1

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas:

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas: e-ppcp / e-kanban 1 O que é e-ppcp? O e-ppcp é um aplicativo desenvolvido em ABAP/4 pela IntegrationSys para adicionar ao ERP SAP funcionalidades para suportar efetivamente o planejamento e operação de

Leia mais

MANUAL DECRETO 52.665/2008 - SP SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA.

MANUAL DECRETO 52.665/2008 - SP SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. MANUAL DECRETO 52.665/2008 - SP SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. Neste manual serão demonstradas as alterações efetuadas no Sistema E-Fiscal para atender ao decreto 52.665/2008 - SP. Foi inserida a opção Apuração

Leia mais

Título: Controle de Estoque (componente de especificação)

Título: Controle de Estoque (componente de especificação) Título: Controle de Estoque (componente de especificação) Palavras-chave: estoque, inventário, controle Autoria e data: Marcelo Pessôa 02 de junho de 2014 Versão: 1.0 Tecnologia: Independe de tecnologia

Leia mais

Controle de Estoque. Apresentação. Cadastro de Grupos de Produtos. Cadastro de Produtos

Controle de Estoque. Apresentação. Cadastro de Grupos de Produtos. Cadastro de Produtos Controle de Estoque Apresentação O módulo de Controle de Estoque do LegalManager consiste em três partes principais: Manutenção do Estoque, Solicitações e Atendimento a Solicitações. Destes módulos, tradicionalmente

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

Alterações presentes na Versão 3.0.0.32 do Sistema OnixNet/TrucksNet

Alterações presentes na Versão 3.0.0.32 do Sistema OnixNet/TrucksNet Alterações presentes na Versão 3.0.0.32 do Sistema OnixNet/TrucksNet 1. Cadastro de Finder; 2. Criação de novos tipos para o cadastro de produto; 3. Substituição do atual formato de geração de Excel em

Leia mais

http://www.portalinovacao.mct.gov.br/sapi/

http://www.portalinovacao.mct.gov.br/sapi/ http://www.portalinovacao.mct.gov.br/sapi/ 1. Para registrar-se, na página principal do Portal SAPI clique no banner Registre-se, posicionado logo abaixo dos dados de login. O Sistema pergunta se a instituição

Leia mais

SAJPG5. Primeiro Grau. Novidades das Versões 1.3.0-0 a 1.4.1-1

SAJPG5. Primeiro Grau. Novidades das Versões 1.3.0-0 a 1.4.1-1 SAJPG5 Primeiro Grau Novidades das Versões 1.3.0-0 a 1.4.1-1 Novidades da versão 1.3.0-0 a 1.4.1-1 Este documento contém um resumo das alterações e novidades liberadas nas versões 1.3.0-0 a 1.4.1-1 do

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Sumário 1 CONCEITO... 4 2 REQUISITOS... 4 3 CONFIGURAÇÕES... 4 3.1 Permissões de Acesso... 4 3.2 Plano de Contas... 5 3.2.1 Parcelado... 6 3.2.2 Parcelamento Notas a Prazo...

Leia mais

W3SAC Automação Comercial

W3SAC Automação Comercial Automação Comercial Elaborado pela W3 Automação e Sistemas Informação de Propriedade do Grupo Jomóveis Este documento, com todas as informações nele contidas, é confidencial e de propriedade do Grupo Jomóveis,

Leia mais

Gerenciador de Psicotropicos

Gerenciador de Psicotropicos Gerenciador de Psicotropicos Gerenciador de Psicotrópicos Introdução Este manual orientará na utilização da ferramenta disponibilizada pelo sistema VSM na geração e envio dos arquivos e controle dos livros

Leia mais

GERENCIADOR DE CONTEÚDO

GERENCIADOR DE CONTEÚDO 1/1313 MANUAL DO USUÁRIO GERENCIADOR DE CONTEÚDO CRISTAL 2/13 ÍNDICE 1. OBJETIVO......3 2. OPERAÇÃO DOS MÓDULOS......3 2.1 GERENCIADOR DE CONTEÚDO......3 2.2 ADMINISTRAÇÃO......4 Perfil de Acesso:... 4

Leia mais

Manual Ilustrado Repasse de Honorários Médicos

Manual Ilustrado Repasse de Honorários Médicos Junho - 2014 Índice Título do documento 1. Objetivos... 3 2. Introdução... 3 3. Cadastros... 4 3.1. Cadastro de Desconto em Repasse... 4 3.2. Cadastro de Critério Geral de Repasse... 4 3.3. Cadastro de

Leia mais

Gestão de Ativos. Manual do Usuário. Treinamento Fase 1 (TRN 01)

Gestão de Ativos. Manual do Usuário. Treinamento Fase 1 (TRN 01) Gestão de Ativos Manual do Usuário Treinamento Fase 1 (TRN 01) Índice 1. Introdução... 3 2. Movimentações de Ativos... 4 2.1. Monitoração... 4 2.1.1. Monitor de Movimentação de Ativos...4 2.2. Transações...15

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário

Cadastramento de Computadores. Manual do Usuário Cadastramento de Computadores Manual do Usuário Setembro 2008 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 1.1 Conhecendo a solução...03 Segurança pela identificação da máquina...03 2. ADERINDO À SOLUÇÃO e CADASTRANDO COMPUTADORES

Leia mais

Armazém Sistema de Recebimento SDR 006 LIBERTAÇÃO DO ESTOQUE USUÁRIO MANUAL DE TREINAMENTO. Versão 1.00

Armazém Sistema de Recebimento SDR 006 LIBERTAÇÃO DO ESTOQUE USUÁRIO MANUAL DE TREINAMENTO. Versão 1.00 1 Armazém Sistema de Recebimento SDR 006 LIBERTAÇÃO DO ESTOQUE USUÁRIO MANUAL DE TREINAMENTO Versão 1.00 2 Tabela de Conteúdos Visão geral 3 Venda de stock diagrama do processo 3 Como ver quais productos

Leia mais

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho Documento de Casos de Uso MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho 1. Índice 2. Introdução 3 3. Descrição dos atores 3 4. Diagrama de caso de uso 4 5. 5.1 5.2

Leia mais

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP 90420-150 Fone: (51) 3330-4444 Vendas: (51) 9701-2295

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP 90420-150 Fone: (51) 3330-4444 Vendas: (51) 9701-2295 SPED FISCAL O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) FISCAL é um módulo opcional que está habilitado para funcionar com a versão 7 do Oryon. A licença é habilitada pelo número de série do cliente.

Leia mais

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM

Manual do Almoxarifado SIGA-ADM Manual do Almoxarifado SIGA-ADM DIRETORIA DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO(DGTI) MARÇO/2012 Requisição de Almoxarifado Requisições O sistema retornará a tela do menu de Administração. Nela selecione

Leia mais