GESTÃO DE MATERIAIS. Eng. Liane Freitas, MsC.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE MATERIAIS. Eng. Liane Freitas, MsC."

Transcrição

1 GESTÃO DE MATERIAIS Eng. Liane Freitas, MsC.

2 O que será visto neste capítulo? 1 A natureza e a função dos estoques 2 Métodos de gestão dos estoques Método LEC Método ABC Método de revisão contínua e periódica 4 MRP Material Requirements Planning

3 O que é estoque? 1. Estoques são recursos materiais (bens físicos) mantidos pelas empresas, de forma improdutiva, entre as fases do processo de transformação por determinado período de tempo. 2. Os estoques existem porque existe um lapso ou diferença de ritmo entre fornecimento e demanda. 3. Os estoques tem a função de amortecer as influências e as interferências que possam acontecer no fluxo produtivo.

4 O que é estoque? Suprimento de água Represa Consumo de água tempo tempo Processo fornecedor Estoque Processo cliente

5 Localização dos estoques no processo Abordagem tradicional do fluxo produtivo MP Estágio A Est. Processo Estágio B Est. Processo Estágio C PA Estoques de matéria-prima: regulam as taxas de suprimento dos fornecedores externos e do consumo no processo de transformação. 2. Estoques de material em processo:regulam possíveis diferenças de taxas entre etapas dentro do processo de transformação. 3. Estoques de produtos acabados: regulam a diferença entre a taxa de produção do processo de transformação e a demanda do mercado;

6 Custos de estoque 1. Custos de colocação de pedido: custos relativos às transações de colocação do pedido (documentação, telefone, fax, extranet, sistema, papéis e os custos gerais de manter as informações. 2.Custos de armazenagem: custos associados à armazenagem física dos bens (locação, climatização, seguro, espaço, iluminação...) 3. Custos de falta de estoque:custos relativos á falta de suprimentos (custo de parada da produção, custo da receita perdida) 4. Custo de oportunidade: custos relativos à decisão de não investir o capital em outras fontes (poupança, bolsa de valores...)

7 Natureza dúbia dos estoques...??problema?? Os estoque são importantes pois proporcionam segurança ao processo produtivo, mas entretanto, representam capital empatado.

8 Problemas inerentes à gestão de estoques???????? Quais produtos são mais importantes? Quanto pedir? Quando pedir? Que volume de estoque deve ser mantido?

9 Método ABC

10 QUAIS OS PRODUTOS MAIS IMPORTANTES? Método do ABC Classificação para os itens estocados de acordo com determinado critério, de modo que, os esforços (humanos e financeiros) sejam concentrados nos itens mais significativos. O princípio básico do método remonta ao final do século XIX, quando o renascentista italiano Vilfredo Paretto realizou estudos sobre distribuição de renda e concluiu que 80% da riqueza se concentravam nas mãos de apenas 20% da população.

11 QUAIS OS PRODUTOS MAIS IMPORTANTES? Itens A: correspondem a um pequeno número de tipos de itens (10 a 20% do total de tipos de itens), responsáveis por grande parcela do investimento (70 a 80% da movimentação de valor total) Itens B: correspondem a uma quantidade intermediária de tipos de itens (30 a 40%), responsáveis por uma parcela intermediária do investimento (15 a 20%) Itens C: correspondem a uma grande quantidade de tipos de itens (40 a 50%), responsáveis por uma pequena parcela do investimento (5 a 10%)

12 QUAIS OS PRODUTOS MAIS IMPORTANTES? Itens A Itens B Itens C movimentação de valor acumulada (%) quantidade de tipos de itens (%)

13 APLICAÇÃO - ABC Itens Preço unitário (p) Demanda (D) Movimentação de Valor (MV) item item item item item item item item item item item item item item item item item item item item

14 APLICAÇÃO - ABC Itens Preço unitário (p) Demanda (D) Movimentação de Valor (MV) % item % acumulada item ,3% 27,3% A item ,4% 49,7% A item ,9% 61,6% A item ,4% 70,0% A item ,4% 75,4% B item ,4% 79,8% B item ,2% 83,0% B item ,8% 85,8% B item ,2% 88,0% B item ,0% 90,0% B item ,6% 91,6% C item ,4% 93,0% C item ,3% 94,3% C item ,1% 95,4% C item ,0% 96,4% C item ,9% 97,3% C item ,9% 98,2% C item ,8% 99,0% C item ,5% 99,5% C classe

15 Método Lote Econômico de Compra - LEC

16 QUANTO COMPRAR? Método do LEC lote econômico de compra A abordagem mais comum no processo decisório de QUANTO COMPRAR. Essencialmente este método procura encontrar um ponto de equilíbrio entre as vantagens e desvantagens de manter estoque. Determina-se uma faixa de quantidade em que os custos referentes aos estoques são MÍNIMOS.

17 LEC Como funciona? Considere... Custos de pedido = custo de pedido unitário x n de pedidos Cped = Cpedux D/Q Custos de manutenção = custo de manutenção unitário x estoque médio C Cmanut = Cpedux Q/2 Custos total de estoque = custo de pedido + custo de manutenção Ctotal = Cped + Cmanut = Cpedu x D/Q + Cpedux Q/2 Aplicando cálculo diferencial: dctotal /dq= - CpeduD/Q² + Cpedu/2 = 0 (ponto de mínimo) Q = LEC = 2Cpedu D Cmanutu

18 Aplicação - LEC Tamanho do Lote (L) Quantidade de pedidos (QP) Custo de aquisição (CA) Estoque Médio (Em) Custo de manutenção (CM) Custo Total (CT) ,00 5 7,50 127, , ,00 75, , ,50 62, , ,00 60, , ,50 61, , ,00 65, ,1 17, ,50 69, , ,00 75, ,3 13, ,50 80, , ,00 87,00

19 Aplicação - LEC Custos Custo Total 80 Custo de Manutenção 60 Custo Total mínimo 40 Custo de Aquisição Lote Econômico Tamanho do Lote

20 LEC Críticas 1. Pressupõe demanda constante 2. Pressupõe a existência de custos fixos (manutenção e de pedido) e identificáveis. 3. O método de LEC procura determinar a quantidade para a qual os custos associados são mínimos,no entanto, não questiona se esta quantidade pode ser reduzida, assim como advoga o JIT. O erro seria então no foco do questionamento... qual a quantidade de pedido ótima?...e sim...como posso mudar a operação de modo a reduzir o nível total de estoques?

21 Método Revisão do estoque Curva dente de serra

22 QUANDO COMPRAR? 1.Método de revisão periódica ou contínua Emax = Estoque máximo LEC = Lote de compra ES = Estoque de segurança PE= Ponto de encomenda TR = Tempo de Reposição LEC PE

23 MRP Material Requirements Planning

24 O que é MRP? MRP ou MRPI do inglês Material Requirements Planning ou Planejamento das Necessidades de Materiais O MRP permite que as empresas possam calcular quantos materiais de determinado tipo são necessários e em que momento. Em meados da década de 1990 o conceito de planejamento das necessidades de materiais foi extrapolado para todos os recursos de manufatura, tais como, capacidade, mão-de-obra, envolvendo ainda módulos de engenharia e financeira. (MRPII)

25 A lógica por trás do MRP... Carteira Previsão de de Pedidos Vendas Gestão de Demanda Posição Lista de PMP de Materiais Estoques Parâmetros 1 FASE: SETOR: PCP e Marketing FUNÇÃO: Quantificar a demanda ou a necessidade a ser atendida 2 FASE: SETOR: PCP FUNÇÃO: Planejar a compra de suprimento MRP Programa de Compras Programa de Produção 3 FASE: SETOR: PCP FUNÇÃO: Programar a produção Liberação das OP s e OC s

26 A lógica por trás do MRP GESTÃO DA DEMANDA A inserção da demanda (previsão de demanda + carteira de pedidos) no MRP é realizado através do MPS (Master Production Schedule) ou PMP (Plano Mestre de Produção) Este é uma declaração da quantidade e momento em que os produtos finais devem ser produzidos...direciona assim, tudo que é montado, manufaturado e comprado.

27 A lógica por trás do MRP GESTÃO DA DEMANDA Carteira de Pedidos Previsão de Venda Necessidades de exposição Demanda de P&D PMP Necessidades de estoque de segurança Níveis de estoques Demanda de peças de reposição

28 A lógica por trás do MRP GESTÃO DA DEMANDA Demanda = 125 unidades Semana Demanda Disponível PMP Estoque (30)

29 A lógica por trás do MRP LISTA DE MATERIAIS Luminária ITENS DO NÍVEL 0 PRODUTO ACABADO Base Papel Reciclado ITENS DO NÍVEL 1 ITENS FILHOS Cola Pigmento ITENS DO NÍVEL 2 ITENS FILHOS DOS FILHOS

30 A lógica por trás do MRP LISTA DE MATERIAIS Nível Item Descrição Qtd unidade Luminária 1 unid Base 1 unid Papel reciclado 1 unid Barra de alumínio 4 unid Barra de madeira 1 unid Tubo de alumínio 1 unid Bocal 1 unid Tomada 1 unid Interruptor 1 unid Fio elétrico 1 m Cola 0,050 l Pigmento 0,002 l Papéis 0,1 kg

31 A lógica por trás do MRP REGISTRO DOS ESTOQUES Nesta fase, a partir do PMP e da necessidade bruta de materiais que atendam a demanda, o MRP ao invés de multiplicar a demanda pela necessidade de cada produto, reconhece que podem existir estoques remanescentes. A partir disso, ele verifica a necessidade líquida, desde o nível 0 até o último nível do produto.

32 A lógica por trás do MRP... Suponha... Demanda a ser atendida = 100 luminárias Nível Descrição Qtd Demanda Necessidade Bruta Registro de Estoque Necessidade Líquida 0 Luminária Base x 1 = = 91 1 Papel reciclado Barra de alumínio Barra de madeira Tubo de alumínio Bocal Tomada Interruptor Fio elétrico Cola 0, ,200 4,35 2 Pigmento 0, ,2 0 0,182 2 Papéis 0,

33 A lógica por trás do MRP... Suponha... Demanda a ser atendida = 1.00 luminárias Nível Descrição Qtd Demanda Necessidade Bruta Registro de Estoque Necessidade Líquida 0 Luminária Base Papel reciclado Barra de alumínio x 1 = 91-2 = 89 2 Barra de madeira Tubo de alumínio Bocal Tomada Interruptor Fio elétrico Cola 0, ,200 4,35 2 Pigmento 0, ,2 0 0,182 2 Papéis 0,

34 A lógica por trás do MRP... Suponha... Demanda a ser atendida = 1.00 luminárias Nível Descrição Qtd Demanda Necessidade Bruta Registro de Estoque Necessidade Líquida 0 Luminária Base Papel reciclado Barra de alumínio Barra de madeira Tubo de alumínio x 4 = = Bocal Tomada Interruptor Fio elétrico Cola 0, ,200 4,35 2 Pigmento 0, ,2 0 0,182 2 Papéis 0,

35 A lógica por trás do MRP... Suponha... Demanda a ser atendida = 1.00 luminárias Nível Descrição Qtd Demanda Necessidade Bruta Registro de Estoque Necessidade Líquida 0 Luminária Base Papel reciclado Barra de alumínio Barra de madeira Tubo de alumínio Bocal Tomada Interruptor x 1 = = Fio elétrico Cola 0, ,200 4,35 2 Pigmento 0, ,2 0 0,182 2 Papéis 0,

36 A lógica por trás do MRP... Plano Mestre de Produção Ordens para nível 0 Registro de Estoques Lista de Materiais Ordens para nível 1 Registro de Estoques Lista de Materiais Ordens para nível 2 Registro de Estoques

37 Programação para trás Itens nível 0 Itens nível 1

38 Programação para trás Itens nível 2 Programação da Produção

MRP Materials Requirements Planning (Planejamento de necessidades de materiais)

MRP Materials Requirements Planning (Planejamento de necessidades de materiais) MRP MRP Materials Requirements Planning (Planejamento de necessidades de materiais) Questões-chaves O Que é MRP? MRP quer dizer planejamento das necessidades de materiais, que são sistemas de demanda dependentes,

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO E OPERAÇÕES Profa. Lérida Malagueta Planejamento e controle da produção O PCP é o setor responsável por: Definir quanto e quando comprar Como fabricar ou montar cada

Leia mais

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi Marketing Prof. Angelo Polizzi Gestão de Produção Gestão de Produção Objetivos: Mostrar que produtos (bens e serviços) consumidos, são produzidos em uma ordem lógica, evitando a perda ou falta de insumos

Leia mais

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha

Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA. Prof. Léo Noronha Unidade I GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha A administração de materiais A administração de materiais procura conciliar as necessidades de suprimentos com a otimização dos recursos financeiros

Leia mais

Gestão de Estoques - Premissas. Pleno atendimento Máxima eficiência Menor custo Maior giro possível para o capital investido

Gestão de Estoques - Premissas. Pleno atendimento Máxima eficiência Menor custo Maior giro possível para o capital investido Gestão de Estoques - Premissas Pleno atendimento Máxima eficiência Menor custo Maior giro possível para o capital investido EQUILÍBRIO ENTRE ESTOQUE E CONSUMO Paulo Gadas JUNHO-14 1 Gestão de Estoques

Leia mais

Cap. III GESTÃO DE ESTOQUE

Cap. III GESTÃO DE ESTOQUE Cap. III GESTÃO DE ESTOQUE Nos anos 80 muitas empresas tiveram problemas estratégicos sérios por acharem que deveriam, a todo o custo, BAIXAR A ZERO seus estoques, seduzidas por uma leitura equivocada

Leia mais

MRP / MRP II MRP / MRP II

MRP / MRP II MRP / MRP II MRP = Material Requirement Planning (planejamento das necessidades de materiais) Surgiu da necessidade de se planejar o atendimento da demanda dependente (que decorre da independente) Lista de material

Leia mais

MRP Planejamento das Necessidades de Materiais

MRP Planejamento das Necessidades de Materiais MRP Planejamento das Necessidades de Materiais Conceito Planejamento das necessidades de materiais. Utiliza-se dos pedidos em previsões de pedidos que a carteira, assim como empresa acha que irá receber.

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade Operacional AULA 04 Gestão

Leia mais

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Programação e Controle da Produção é um conjunto de funções inter-relacionadas que objetivam comandar o processo produtivo e coordená-lo com os demais setores administrativos

Leia mais

Fascículo 3 MRP e MRPII

Fascículo 3 MRP e MRPII Fascículo 3 MRP e MRPII Após a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento, uma vez que tomaram a responsabilidade pela reconstrução de muitos países

Leia mais

MRP MRP. Módulo 5 MRP e JIT. Demanda de produtos e serviços. Fornecimento de produtos e serviços

MRP MRP. Módulo 5 MRP e JIT. Demanda de produtos e serviços. Fornecimento de produtos e serviços Módulo 5 MRP e JIT Adm Prod II 1 MRP Fornecimento de produtos e serviços Recursos de produção MRP Decisão de quantidade e momento do fluxo de materiais em condições de demanda dependente Demanda de produtos

Leia mais

12/02/2009. Planejamento e Controle da Produção. MSc. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de Produção

12/02/2009. Planejamento e Controle da Produção. MSc. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de Produção MSc. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de PCP É a função da administração que planeja, dirige e controla o suprimento de material e as atividades de processamento de

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO

PROGRAMA DE TREINAMENTO Jogo de Empresa POLITRON Tutorial para Uso da Planilha PROGRAMA DE TREINAMENTO EM MRP II Tutorial para o uso da Planilha do POLITRON Direitos Reservados - Reprodução Proibida Janeiro/2001 Versão Demonstrativa

Leia mais

Sumário. 1.3 Identificação dos principais autores em PCR, 15. 1.4 Questões, 15

Sumário. 1.3 Identificação dos principais autores em PCR, 15. 1.4 Questões, 15 Sumário Apresentação, xiii 1 Definições e Conceitos Fundamentais, l 1.1 Sistemas de produção: conceituação, evolução e algumas importantes classificações, l 1.2 O Planejamento e Controle da Produção (PCP),

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES. George Paulus Pereira Dias

GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES. George Paulus Pereira Dias GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES George Paulus Pereira Dias Agenda 1. Apresentação MRP 2. Estudo de Caso 3. Apresentação da Planilha 4. Primeira rodada de tomada de decisões 5. Próximos passos MRP - Planejamento

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento 3: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado e Nivelado de todos os Estágios de Produção e Distribuição JOGO DA CERVEJA Experimento e 3: Integrando

Leia mais

Prof. Msc. Marco Aurélio

Prof. Msc. Marco Aurélio Curso: Administração Disciplina: Administração da Produção MRP MATERIAL REQUERIMENTS PLANNING Prof. Msc. Marco Aurélio Data: 05/03/2012 A históriado MRP começacom o episódiobíblicodaarcade Noé. DEUS DISSE

Leia mais

Cálculo de necessidades de materiais MRP

Cálculo de necessidades de materiais MRP Cálculo de necessidades de materiais MRP 77 MRP Conceitos, definições e Variáveis Plano Mestre de Produção MPS Estrutura do Produto EP Estoques Planejamento das necessidades de materiais MRP Emissão de

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES. George Paulus Pereira Dias

GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES. George Paulus Pereira Dias GESTÃO DA PRODUÇÃO E ESTOQUES George Paulus Pereira Dias George Paulus Pereira Dias paulus@proage.com.br 1998: Consultor em projetos na área de logística e planejamento com a utilização de técnicas de

Leia mais

MRP II. Planejamento e Controle da Produção 3 professor Muris Lage Junior

MRP II. Planejamento e Controle da Produção 3 professor Muris Lage Junior MRP II Introdução A lógica de cálculo das necessidades é conhecida há muito tempo Porém só pode ser utilizada na prática em situações mais complexas a partir dos anos 60 A partir de meados da década de

Leia mais

Conceitos Básicos de Gestão de Estoques

Conceitos Básicos de Gestão de Estoques Conceitos Básicos de Gestão de Estoques 45 Conceitos básicos de estoque Estoques: acúmulo de de recursos materiais em em um um sistema de de transformação Fase 1 estoque Fase 2 chuvas sazonais máquina

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento e 2: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado de todos os Estágios de Produção e Distribuição Motivação para um novo Experimento Atender à demanda

Leia mais

Cobertura de Estoques-Antigiro (Prazo médio de Rotação)

Cobertura de Estoques-Antigiro (Prazo médio de Rotação) Aula 3 Adm. de Materiais-TRE- ALEX DINIZ INDICADORES Giro de estoques Rotação de Estoques GIRO é a média de entrada e saída de um item em estoque, A unidade que este vem expresso é o inverso da unidade

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO. Eng. Liane Freitas

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO. Eng. Liane Freitas PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO Eng. Liane Freitas O que será visto hoje? PCP: definição e objetivos Funções do PCP Programação da Produção Plano Mestre de Produção Programação para Volumes Intermediários

Leia mais

Controle de Estoques

Controle de Estoques Controle de Estoques Valores em torno de um Negócio Forma Produção Marketing Posse Negócio Tempo Lugar Logística Atividades Primárias da Logística Transportes Estoques Processamento dos pedidos. Sumário

Leia mais

Aula 06 PPCP ABERTURA

Aula 06 PPCP ABERTURA ABERTURA DISCIPLINA: PLANEJAMENTO, PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DA PRODUÇÃO CURSO: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PERÍODO LETIVO: 1 SEM/2015 SÉRIE: 6ª e 7ª Série PROFESSOR: Ivan Godoi Aula 06 DISCIPLINA CONTATO: ivan_godoi@aedu.com

Leia mais

Armazenagem e movimentação de materiais

Armazenagem e movimentação de materiais V I R T U A L Armazenagem e movimentação de materiais Lote econômico e estoque de segurança GESTÃO DE LOGÍSTICA Professor: Wilson Luigi Silva Mestre em Administração Apresentação da unidade Uma vez determinada

Leia mais

5.4 Manufacturing Resources Planning

5.4 Manufacturing Resources Planning 5.4 Manufacturing Resources Planning 5.4 Manufacturing Resources Planning O Planejamento dos Recursos de Manufatura (Manufacturing Resourdes Panning, em inglês, ou MRP II) representa um esforço para expandir

Leia mais

JUST-IN-TIME & KANBAN

JUST-IN-TIME & KANBAN JUST-IN-TIME & KANBAN Prof. Darli Rodrigues Vieira darli@darli.com.br 1 OBJETIVO DA AULA OBJETIVO: EVIDENCIAR O QUE É JUST IN TIME E QUAL É SUA UTILIDADE EM PROJETOS DE OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS EM OPERAÇÕES

Leia mais

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa

Controle de estoques. Capítulo 6. André Jun Nishizawa Controle de estoques Capítulo 6 Sumário Conceito de estoque Tipos Sistemas de controle de estoques Fichas de estoque Classificação de estoque Dimensionamento de estoque Logística e Cadeia de suprimentos

Leia mais

Uma indústria mantém estoque de materiais; Um escritório contábil mantém estoque de informações; e

Uma indústria mantém estoque de materiais; Um escritório contábil mantém estoque de informações; e Fascículo 2 Gestão de estoques Segundo Nigel Slack, estoque é definido como a acumulação armazenada de recursos materiais em um sistema de transformação. O termo estoque também pode ser usado para descrever

Leia mais

PRODUÇÃO ENXUTA. Eng. Liane Freitas, MsC.

PRODUÇÃO ENXUTA. Eng. Liane Freitas, MsC. PRODUÇÃO ENXUTA Eng. Liane Freitas, MsC. O que será visto neste capítulo? 1 O significado a filosofia JIT 2 O JIT versus a prática tradicional 3 As técnicas JIT de gestão 4 As técnicas JIT de planejamento

Leia mais

MRP, MRPII, ERP... Oracle, SAP, Microsiga... MRP MRP II - ERP. MRP Material Requirement Planning. MRP II Manufacturing Resources Planning

MRP, MRPII, ERP... Oracle, SAP, Microsiga... MRP MRP II - ERP. MRP Material Requirement Planning. MRP II Manufacturing Resources Planning MRP, MRPII, ERP... Oracle, SAP, Microsiga... MRP MRP II - ERP MRP Material Requirement Planning MRP II Manufacturing Resources Planning ERP Enterprise Resource Planning 1 O MRP é um software que auxilia

Leia mais

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação;

Assegurar o suprimento adequado de matéria-prima, material auxiliar, peças e insumos ao processo de fabricação; 2. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Área da Administração responsável pela coordenação dos esforços gerenciais relativos às seguintes decisões: Administração e controle de estoques; Gestão de compras; Seleção

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques ! " # ) % & $ % & ' (

Gestão de Estoques. Motivos para surgimento de estoques !  # ) % & $ % & ' ( Gestão de Estoques Motivos para surgimento de estoques % &! $ % & " # " ) % & * $ % & ' ( 1 Decisões sobre volumes. TV() = Total annual variable costs and * + $, - " 2 Custos totais de um sistema simplificado

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: ADM. DE REC. MATERIAIS E PATRIMONIAIS Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: Turma: 5 ADN FRANCISCHINI, Paulino G.; GURGEL, F.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidades 04 Sistemas de Análise Gestão de Estoques Gráficos de Estoques Custos de Estocagem Análise de Valor 1 SISTEMA DE ANÁLISE Fazer & Comprar As perguntas

Leia mais

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7)

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) A ESTRATÉGIA DA MANUFATURA E O SISTEMA PPCP: A estratégia

Leia mais

Workshop MRP CONFIGURAÇÕES... 12 PARAMETROS... 14 GERAÇÃO DE OPS/SCS... 17. Elaborado por : Paulo Bindo - 06/03/2008 Página 1 de 19

Workshop MRP CONFIGURAÇÕES... 12 PARAMETROS... 14 GERAÇÃO DE OPS/SCS... 17. Elaborado por : Paulo Bindo - 06/03/2008 Página 1 de 19 O QUE É MRP... 2 CAMPOS NECESSÁRIOS E SEUS CONCEITOS... 3 ESTRUTURAS... 4 PLANO MESTRE PRODUÇÃO... 5 MATERIAL COM APROPRIAÇÃO INDIRETA... 6 COMO O SISTEMA CALCULA O MRP... 7 PARÂMETROS DO SISTEMA... 8

Leia mais

Classificação de Materiais

Classificação de Materiais Classificação de Materiais A classificação de materiais é o processo de aglutinação de materiais por características semelhantes. O sucesso no gerenciamento de estoques depende, em grande parte, de bem

Leia mais

Prof. Clovis Alvarenga Netto

Prof. Clovis Alvarenga Netto Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Produção Materiais e processos de produção IV Abril/2009 Prof. Clovis Alvarenga Netto Aula 08 Suprimentos e administração de materiais Gestão de

Leia mais

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS

O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS Gestão Estratégica de Estoques/Materiais Prof. Msc. Marco Aurélio C. da Silva Data: 22/08/2011 O PAPEL DO ESTOQUE NAS EMPRESAS 2 1 GESTÃO DE ESTOQUE Demanda Adequação do Estoque Investimento Série de ações

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL ACORDO - Celular: Silencioso ou desligado - Chamada 19:10hs e 22:10hs. - Entrada ou saída no decorrer da aula em silencio para não atrapalhar os demais participantes. -Trabalho final

Leia mais

Custos de Estoque. Custo Total. Custos Inversamente proporcionais. Custos Diretamente proporcionais. Custos Independentes

Custos de Estoque. Custo Total. Custos Inversamente proporcionais. Custos Diretamente proporcionais. Custos Independentes Custos de Estoque Custo Total Custos Diretamente proporcionais Custos Inversamente proporcionais Custos Independentes Para tomar esta decisão é preciso conhecer os custos envolvidos no estoque e compra

Leia mais

17/08/2010 PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado.

17/08/2010 PORQUE EXISTE ESTOQUE? se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. Administração de Materiais: Estoques PORQUE EXISTE ESTOQUE? AULA 05 Gestão de Estoques se o fornecimento ocorresse exatamente quando fosse demandado, um item nunca seria estocado. 2 DEFINIÇÃO DE ESTOQUE

Leia mais

ERP Entreprise Resource Planning. Fabiano Armellini

ERP Entreprise Resource Planning. Fabiano Armellini ERP Entreprise Resource Planning Fabiano Armellini Overview 1) Introdução 2) Histórico 2.1) MRP 2.2) MRP II 2.3) Do MRP II ao ERP 3) Módulos do ERP 3.1) Módulos de supply chain management 3.2) Módulos

Leia mais

GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA

GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA GERENCIANDO INCERTEZAS NO PLANEJAMENTO LOGÍSTICO: O PAPEL DO ESTOQUE DE SEGURANÇA Eduardo Saggioro Garcia Leonardo Salgado Lacerda Rodrigo Arozo Benício Erros de previsão de demanda, atrasos no ressuprimento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidades 04 Sistemas de Análise Gestão de Estoques Gráficos de Estoques Custos de Estocagem Análise de Valor SISTEMA DE ANÁLISE As perguntas que devem

Leia mais

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III 3 CUSTOS DOS ESTOQUES A formação de estoques é essencial para atender à demanda; como não temos como prever com precisão a necessidade, a formação

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 11

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 11 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 11 Questões sobre o tópico Administração de Materiais. Olá Pessoal, Hoje veremos um tema muito solicitado para esse concurso do MPU! Administração de Materiais.

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque Módulo Suprimentos Controle de Estoque Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Controle de Estoque. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

N= D. LT_prod. (1+Seg) + D. LT_entr. (1+Seg)

N= D. LT_prod. (1+Seg) + D. LT_entr. (1+Seg) Os parametros para o cálculo são : Demanda diária (D) Qtde. de peças por KANBAN (Q) Lead time de produção (LT_Prod) Lead time de entrega (LT_entr) Segurança (margem) definida (Seg) Sendo: N= D. LT_prod.

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE

GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE GESTÃO DE ESTOQUES SISTEMA DE GESTÃO DE ESTOQUE Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Prof. Rafael Roesler Aula 5 Sumário Classificação ABC Previsão de estoque Custos

Leia mais

Gestão de Operações V

Gestão de Operações V Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária Departamento de Administração Gestão de Operações V 2ª Apostila Prof. Marcio Cardoso Machado

Leia mais

Tópicos referentes à Gestão de Recursos Materiais e Patrimoniais

Tópicos referentes à Gestão de Recursos Materiais e Patrimoniais Grupo Caet - Divisão de Conteúdos Tópicos referentes à Gestão de Recursos Materiais e Patrimoniais Por Delmonte Friedrich, Msc. Eng. Todos os direitos reservados. É proibido reproduzir total ou parcialmente

Leia mais

Ano lectivo 2012-13. Ana Maria Sotomayor 1

Ano lectivo 2012-13. Ana Maria Sotomayor 1 5. GESTÃO DE APROVISIONAMENTOS 5.3. Gestão de stocks A gestão de stocks integra três ópticas distintas: Gestão material de stocks Preocupa-se com a definição dos critérios de arrumação dos materiais em

Leia mais

Disciplina: Administração da Produção e Materiais 2013-01 Prof. Roberto Cézar Datrino Atividade 3

Disciplina: Administração da Produção e Materiais 2013-01 Prof. Roberto Cézar Datrino Atividade 3 Disciplina: Administração da Produção e Materiais 013-01 Prof. Roberto Cézar Datrino Atividade 3 Caros alunos, bem-vindos A nossa terceira atividade, elaborada especificamente para você estudante do terceiro

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERÊNCIA DA PRODUÇÃO ROBERTO EDER BROLESE

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERÊNCIA DA PRODUÇÃO ROBERTO EDER BROLESE UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERÊNCIA DA PRODUÇÃO ROBERTO EDER BROLESE APRESENTAÇÃO DE UM MODELO DE PROGRAMAÇÃO, PLANEJAMENTO E CONTROLE

Leia mais

Unidade IV. Unidade IV

Unidade IV. Unidade IV Unidade IV Unidade IV 7 O PCP E A ADMINISTRAÇÃO DOS ESTOQUES O PCP é o setor responsável por definir quanto e quando comprar, bem como fabricar ou montar de cada item para a produção dos produtos acabados

Leia mais

Planejamento da produção. FATEC Prof. Paulo Medeiros

Planejamento da produção. FATEC Prof. Paulo Medeiros Planejamento da produção FATEC Prof. Paulo Medeiros Planejamento da produção O sistema de produção requer a obtenção e utilização dos recursos produtivos que incluem: mão-de-obra, materiais, edifícios,

Leia mais

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E

Profa. Marinalva Barboza. Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E Profa. Marinalva Barboza Unidade IV RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Custos dos estoques Para manter estoque, é necessário: quantificar; identificar. Quanto custa manter estoque? Quais os custos envolvidos

Leia mais

ANÁLISE DE AMBIENTE. E neste contexto, podemos dividir a análise ambiental em dois níveis distintos: Ambiente Externo.

ANÁLISE DE AMBIENTE. E neste contexto, podemos dividir a análise ambiental em dois níveis distintos: Ambiente Externo. Gestão de Estoques ANÁLISE DE AMBIENTE Pode-se dizer que as empresas são sistemas abertos, pois estão em permanente intercâmbio com o seu ambiente, ao mesmo tempo em que devem buscar incessantemente o

Leia mais

MRP - Material Requirement Planning

MRP - Material Requirement Planning MS715 - Planejamento e Controle da Produção Prof. Moretti MRP - Material Requirement Planning Planejamento das Necessidades de Materiais( do inglês, MRP = Material Requirement Planning) é uma técnica a

Leia mais

MS715 Planejamento, Programação e Controle da Produção

MS715 Planejamento, Programação e Controle da Produção DISCIPLINA: (considerando que Gestão de Materiais será tratada em outra disciplina - se não, sugere-se uma seção sobre o tema baseada no Capítulo 2 do livro de Corrêa, Gianesi e Caon, 2.001) PROFESSOR:

Leia mais

Tecnologia aplicada à Logística. Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br

Tecnologia aplicada à Logística. Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br Tecnologia aplicada à Logística Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br Logística Qual a primeira imagem que vem a sua mente quando ouve a palavra LOGÍSTICA? Logística De cada 10 pessoas, pelo menos

Leia mais

Exercicios Produção e Logistica

Exercicios Produção e Logistica 1 PROVA: 1998 PARTE I: QUESTÕES OBJETIVAS 7 Uma empresa fabrica e vende um produto por R$ 100,00 a unidade. O Departamento de Marketing da empresa trabalha com a Equação da Demanda apresentada abaixo,

Leia mais

Definição. Planeamento Industrial Aula 13. MRP ou ponto de encomenda? Procura dependente e ponto de encomenda. MRP (Materials Requirements Planning):

Definição. Planeamento Industrial Aula 13. MRP ou ponto de encomenda? Procura dependente e ponto de encomenda. MRP (Materials Requirements Planning): Planeamento Industrial Aula 13 Material Requirements Planning (MRP):. introdução. requisitos. plano mestre de produção. funcionamento. loteamento Definição 2 MRP (Materials Requirements Planning): Conjunto

Leia mais

O Papel da Logística na Organização Empresarial e na Economia GESTÃO LOGÍSTICA. Amílcar Arantes 1

O Papel da Logística na Organização Empresarial e na Economia GESTÃO LOGÍSTICA. Amílcar Arantes 1 GESTÃO LOGÍSTICA Capítulo - 6 Objectivos Identificação das actividades de gestão de materiais; Familiarização do conceito de Gestão em Qualidade Total (TQM); Identificar e descrever uma variedade de filosofias

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações II

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações II Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações II 8º Encontro - 28/08/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - CONTROLE DE ESTOQUE e SCM. - PLANO MESTRE

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE Carla Milanesi de Oliveira - carla_mila_lala@hotmail.com RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Politron - jogo de empresas para treinamento gerencial em MRP II - um ano de aplicação no Brasil

Politron - jogo de empresas para treinamento gerencial em MRP II - um ano de aplicação no Brasil Artigo 08 Politron - jogo de empresas para treinamento gerencial em MRP II - um ano de aplicação no Brasil Este documento faz parte do material que compõe o livro: Planejamento, Programação e Controle

Leia mais

MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos

MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos MPU Gestão de Materiais Parte 03 Janilson Santos 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAL PROF.: JANILSON EXERCÍCIOS CESPE 1) (TJ-DF Técnico)

Leia mais

Decisões de Estoque. Custos de Estoque. Custos de Estoque 27/05/2015. Custos de Estoque. Custos de Estoque. Custos diretamente proporcionais

Decisões de Estoque. Custos de Estoque. Custos de Estoque 27/05/2015. Custos de Estoque. Custos de Estoque. Custos diretamente proporcionais $ crescem com o tamanho do pedido $ crescem com o tamanho do pedido $ crescem com o tamanho do pedido 27/05/2015 Decisões de Estoque Quanto Pedir Custos de estoques Lote econômico Quando Pedir Revisões

Leia mais

Sumário. Capítulo l -Introdução 17 1.1. Um Pouco da Historiada Logística 17 1.2. Sistemas ERP 18

Sumário. Capítulo l -Introdução 17 1.1. Um Pouco da Historiada Logística 17 1.2. Sistemas ERP 18 Sumário Capítulo l -Introdução 17 1.1. Um Pouco da Historiada Logística 17 1.2. Sistemas ERP 18 Capítulo 2 - A Integração do Marketing com a Logística 21 2.1. O Departamento de Vendas 21 2.2. Plano de

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO 01 Alexandre Crepaldi 02 Celso Tomazini 03 Francine Lemes 04 Márcio Bernardo 05 Tábata Cristina 06 Tiago Tezzotto 07 Tied Humberto 1 O QUE É PCP? Plano de Controle de

Leia mais

Estruturando o Fluxo Puxado Modelos Clássicos de Reposição de Estoques

Estruturando o Fluxo Puxado Modelos Clássicos de Reposição de Estoques 1 GESTÃO DE S EM SISTEMAS DE ESTÁGIO ÚNICO Modelos Clássicos e Cálculo dos Parâmetros de Controle SISTEMAS DE ESTÁGIO ÚNICO CASOS REAIS TÍPICOS Venda de produtos no varejo Venda de produtos em máquinas

Leia mais

GESTÃO DA DA CADEIA PRODUTIVA

GESTÃO DA DA CADEIA PRODUTIVA ENG ENG 3051 3051 GESTÃO DA DA CADEIA PRODUTIVA Engenharia de Produção Prof. Ricardo Ferrari Pacheco GESTÃO DA CADEIA PRODUTIVA 59 2 O PROCESSO DE ABASTECIMENTO E COMPRAS Aí vêm sete anos de grande abundância

Leia mais

Planejamento Agregado Planejamento Agregado.

Planejamento Agregado Planejamento Agregado. ADM II é o processo de balanceamento da produção com a demanda. Visa compatibilizar os recursos produtivos da empresa com a demanda. Normalmente é projetado para horizontes de tempo de 6 a 12 meses. Planejamento

Leia mais

Método: aulas expositivas, transparências e Estudo de Casos. Exercícios estruturados; Provas e trabalhos em grupo.

Método: aulas expositivas, transparências e Estudo de Casos. Exercícios estruturados; Provas e trabalhos em grupo. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CCJE Departamento de Administração Prof. Marcos Paulo Valadares de Oliveira marcos.p.oliveira@ufes.br ADM 2179 - Administração de Materiais - Programa 1 Semestre

Leia mais

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO

CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Carla Milanesi de Oliveira Carla_mila_lala@hotmail.com CURVA ABC NA GESTÃO DE ESTOQUE RESUMO Nos dias atuais, uma das áreas que mais se desenvolvem dentro das organizações sem dúvida é a Gestão dos Estoques,

Leia mais

Modulo 01 Exercícios Gestão de Materiais

Modulo 01 Exercícios Gestão de Materiais QUESTÕES DE CONCURSOS Acerca de planejamento e controle da produção, e gestão da cadeia de suprimentos, julgue os seguintes itens. 01. A importância do planejamento da produção decorre principalmente da

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA Tiago Augusto Cesarin 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Sistema de Informações da Produção Utilizando o Método Kanban

Sistema de Informações da Produção Utilizando o Método Kanban Ciências da Computação FURB Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Sistema de Informações da Produção Utilizando o Método Kanban Alzir Wagner Orientador: Wilson Pedro Carli Fevereiro de 2008 Roteiro de apresentação

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

Planejamento, Programação e Controle da Produção

Planejamento, Programação e Controle da Produção Planejamento, Programação e Controle da Produção Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler

GESTÃO DE ESTOQUES. Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler GESTÃO DE ESTOQUES Gestão Pública - 1º Ano Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 4 Prof. Rafael Roesler Sumário Gestão de estoque Conceito de estoque Funções do estoque Estoque de segurança

Leia mais

25/02/2009. Tipos de Estoques. Estoque de Materiais. Estoque de Produtos Acabados. Estoque em transito. Estoque em consignação

25/02/2009. Tipos de Estoques. Estoque de Materiais. Estoque de Produtos Acabados. Estoque em transito. Estoque em consignação MSc. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de Produção Posicionamento em relação à Produção e Interação com outras áreas CQ FO ORNECEDORES Matéria Prima Material de Consumo

Leia mais

- Especificações; - Notas de entrega de produção; - Pedidos de Compra.

- Especificações; - Notas de entrega de produção; - Pedidos de Compra. PLANEJAMENTO, PROGRAMAÇÃO E CONTROLE DA PRODUÇÃO. CAPÍTULO 6 Planejamento, Programação e Controle da Produção (PPCP) é uma função técnica e administrativa que tem por objetivo fazer os planos que orientarão

Leia mais

Gestão de Stocks. Maria Antónia Carravilla. Março 2000. Maria Antónia Carravilla

Gestão de Stocks. Maria Antónia Carravilla. Março 2000. Maria Antónia Carravilla Gestão de Stocks Março 2000 Introdução Objectivos Perceber o que é o stock Saber como classificar stocks Saber fazer uma análise ABC Saber comparar modelos de gestão de stocks Saber utilizar modelos de

Leia mais

Centro de Engenharia e Computação. Trabalho de Administração e Organização Empresarial

Centro de Engenharia e Computação. Trabalho de Administração e Organização Empresarial Centro de Engenharia e Computação Trabalho de Administração e Organização Empresarial Petrópolis 2012 Centro de Engenharia e Computação Trabalho de Administração e Organização Empresarial Gestão de Estoque

Leia mais

27/04/2012 DA ARCA DE NOÉ ÀS MODERNAS CADEIAS DE DISTRIBUIÇÃO. AULA 06 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

27/04/2012 DA ARCA DE NOÉ ÀS MODERNAS CADEIAS DE DISTRIBUIÇÃO. AULA 06 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 27/4/212 AULA 6 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves MRP Material Requirements Planning, podendo ser traduzido como planejamento das necessidades de materiais Permite

Leia mais

Planejamento das Necessidades de Materiais

Planejamento das Necessidades de Materiais Planejamento das Necessidades de Materiais MRP MATERIALS REQUEREMENTS PLANNING Disciplina: GRM 12 Gestão de Sistemas de Produção FEMEC/UFU 1 MRP MATERIALS REQUEREMENTS PLANNING O MRP é uma técnica que

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 22º Encontro - 11/05/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - CAPACIDADE E TURNOS DE TRABALHO. 02 Introdução

Leia mais

MRP COMO FERRAMENTA DE CONTROLE E PLANEJAMENTO

MRP COMO FERRAMENTA DE CONTROLE E PLANEJAMENTO MRP COMO FERRAMENTA DE CONTROLE E PLANEJAMENTO Augusto Cesar Giampietro, Unisalesiano de Lins, e-mail: guto.mkt@gmail.com Bruno Bodoia, Unisalesiano de Lins, e-mail: bruno.bodoia@bertin.com.br Carlos Silva,

Leia mais

PRIAD ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA QUESTÕES SIMULADAS

PRIAD ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA QUESTÕES SIMULADAS PRIAD - Adm. Materiais e Logística Prof. Célio 1 PRIAD ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E LOGÍSTICA QUESTÕES SIMULADAS QUESTÃO 1. Aponte a alternativa que não corresponde aos objetivos da Logística Empresarial

Leia mais