Mensagem de Ano Novo. do Presidente da República

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mensagem de Ano Novo. do Presidente da República"

Transcrição

1 Mensagem de Ano Novo do Presidente da República Palácio de Belém, 1 de janeiro de 2015

2 Boa noite. Desejo a todos um Feliz Ano de Os meus votos dirigem-se a todos os Portugueses, quer aos que residem no nosso País, quer aos que se fixaram no estrangeiro. Saúdo também os cidadãos de outros países que escolheram Portugal como lugar de residência ou de trabalho. Orgulhamo-nos que tenham decidido viver em Portugal, uma terra aberta e plural, onde todos são recebidos com hospitalidade e sem quaisquer discriminações. A todos, desejo um Bom Ano Novo. Portugueses, Em 2014, celebrámos os 40 anos do 25 de Abril, a revolução que nos trouxe a liberdade e a democracia. Uma democracia consolidada exige o pluralismo e a diversidade de opiniões. Os regimes democráticos pressupõem também a capacidade de as diversas forças políticas encontrarem as soluções que melhor sirvam o interesse nacional. Atualmente, é consensual que só através de uma estratégia orientada para a competitividade das exportações, para a atração de investimento e para a criação de emprego será possível vencermos os desafios do futuro. Uma estratégia acompanhada do controlo das contas públicas e do endividamento externo. Portugal tem ainda um longo caminho a percorrer. Esse caminho deve ser feito em conjunto, com abertura e diálogo entre as diversas forças partidárias, contando com o contributo dos agentes económicos e dos parceiros sociais e unindo os Portugueses, como foi possível fazer em momentos decisivos da nossa democracia. 2

3 O ano de 2015 será um ano de escolhas decisivas para o futuro do País. Os Portugueses irão ser chamados a pronunciar-se através do exercício do direito de voto. É essencial participar ativamente nas eleições. Só assim podemos esperar e até exigir que os agentes políticos atuem com responsabilidade, elevação e sentido cívico, colocando o interesse nacional acima dos interesses partidários. É fundamental evitar crispações e conflitos artificiais que têm afetado a confiança dos cidadãos nas nossas instituições e, em particular, na classe política. Ao fim de quarenta anos de democracia, devemos desenvolver uma cultura política mais esclarecida e mais esclarecedora. As forças partidárias devem ser claras nas suas propostas, por forma a que os cidadãos possam avaliar as suas implicações. Rejeito em absoluto uma ideia demagógica e populista, que alguns pretendem incutir na opinião pública, segundo a qual os partidos e os seus dirigentes se alheiam dos interesses do país e das aspirações dos cidadãos. Devemos recusar o populismo e fazer um esforço de pedagogia democrática, tendo presente que os partidos políticos são essenciais para a qualidade da democracia e para a expressão do pluralismo de opiniões. Mas esse esforço de pedagogia democrática só pode ser feito através da força do exemplo. Os partidos e os agentes políticos têm de demonstrar, pela sua conduta, que são um exemplo de transparência, de responsabilidade e de civismo para os Portugueses. Há que ser cuidadoso nas promessas eleitorais que se fazem e que, não podendo depois ser cumpridas, acentuam perigosamente a desconfiança dos cidadãos em relação à classe política e às instituições. Há que evitar promessas demagógicas e sem realismo. Devo ser claro: é errado pensar que os problemas que o País enfrenta podem ser resolvidos num clima de facilidades. 3

4 Tal como os outros países da zona euro, Portugal está sujeito às exigências de disciplina orçamental e de sustentabilidade da dívida pública. Nem os países de maior dimensão conseguem eximir-se ao seu cumprimento, como se viu recentemente. Portugal não pode regredir para uma situação semelhante àquela a que chegou em princípios de 2011, em que foi obrigado a recorrer a auxílio externo de emergência. Só o rigor e a transparência na condução da política nacional permitirão a melhoria continuada das condições de vida das pessoas. O combate à corrupção é uma obrigação de todos. No ano que terminou foram ainda muitos os Portugueses que viveram momentos particularmente difíceis, mas surgiram sinais de esperança. Não nos podemos deixar abater pelo desânimo nem cultivar o pessimismo. Devemos olhar o futuro com confiança renovada. Portugal concluiu a execução do programa de ajustamento subscrito em 2011 com as instituições internacionais sem necessidade de solicitar assistência financeira adicional. A economia está a crescer, a competitividade melhorou, o investimento iniciou uma trajetória de recuperação e o desemprego diminuiu. É preciso criar condições políticas para que esta tendência se reforce no ano que agora começa. Os fundos europeus colocados à disposição do País são um trunfo que não podemos desperdiçar. A utilização destes fundos será eficaz se reforçar o crescimento da produção, a criação de emprego e a coesão social e territorial. A situação das famílias atingidas pelo desemprego e pela pobreza e a correção das desigualdades sociais devem merecer particular atenção da parte de todos os agentes políticos. 4

5 Seja qual for o resultado eleitoral, o tempo subsequente à realização de eleições será marcado por exigências de compromisso e de diálogo. Este espírito de abertura não poderá ser prejudicado por excessos cometidos na luta política que antecede o sufrágio. Em devido tempo, chamei a atenção do País para preparamos o período «pós-troika». Agora, interpelo os Portugueses e, em especial, os agentes políticos a prepararem o período pós-eleitoral. Não é só no dia a seguir às eleições que se constroem soluções governativas estáveis, sólidas e consistentes, capazes de assegurar o crescimento económico e dar esperança aos Portugueses. O período pós-eleições deve corresponder à consolidação de um tempo de confiança no nosso País, quer no plano interno, quer no plano internacional. Existem razões de esperança no futuro. Mas a esperança não se proclama com meras palavras. A esperança constrói-se com sentido de interesse nacional, com atitudes e gestos concretos que contribuam efetivamente para resolver os problemas reais do País. Para se construir um país melhor no futuro, a esperança tem de ser semeada no presente. A todos os Portugueses, e às suas famílias, renovo os votos de um Bom Ano de 2015, feito de paz e de esperança. 5

A ECONOMIA NO SEGUNDO SEMESTRE

A ECONOMIA NO SEGUNDO SEMESTRE A ECONOMIA NO SEGUNDO SEMESTRE Dihego Pansini O primeiro semestre deste ano tem dado bons indícios de que o ano de 2010, como haviam previsto alguns analistas, é um período de recuperação para a economia,

Leia mais

REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA

REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA ARTIGO 1. OBJETIVOS REGULAMENTO DAS MISSÕES DE OBSERVAÇÃO ELEITORAL DA COPA As missões de observação eleitoral da Confederação Parlamentar das Américas

Leia mais

A S S E M B L E I A D A R E P Ú B L I C A. O Presidente

A S S E M B L E I A D A R E P Ú B L I C A. O Presidente A S S E M B L E I A D A R E P Ú B L I C A O Presidente INTERVENÇÃO DE EDUARDO FERRO RODRIGUES, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA POSSE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, MARCELO REBELO DE SOUSA PALÁCIO DE

Leia mais

I MAIO NOTAS PARA A INTERVENÇÃO

I MAIO NOTAS PARA A INTERVENÇÃO I MAIO 2011 - NOTAS PARA A INTERVENÇÃO Caras e caros Companheiros e Amigos Aqui, somos muitos, muitos mil para dizer ao País que os trabalhadores estão mobilizados na defesa de um PAÍS PROGRESSO ECONÓMICO

Leia mais

20 de março: Dia Internacional da Felicidade

20 de março: Dia Internacional da Felicidade 20 de março 2013 20 de março: Dia Internacional da Felicidade Índice de Bem-Estar para Portugal: um projeto do INE Estaremos a medir o que importa medir em matéria de Bem-Estar das famílias? O que varia

Leia mais

Senhor Primeiro-Ministro, António Costa. Senhora Professora Maria de Lurdes Rodrigues,

Senhor Primeiro-Ministro, António Costa. Senhora Professora Maria de Lurdes Rodrigues, Senhor Primeiro-Ministro, António Costa Senhora Professora Maria de Lurdes Rodrigues, Senhoras e Senhores Deputados, Senhoras e Senhores Convidados, Minhas Senhoras e Meus Senhores, Bem-vindos à Assembleia

Leia mais

OS PARTIDOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA

OS PARTIDOS POLÍTICOS NA CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA RESUMO Este texto expõe a relevância dos partidos políticos no contexto constitucional português. Para este efeito, analisam-se as linhas que institucionalizam as organizações político-partidárias; os

Leia mais

ÍNDICE DE AVALIAÇÃO. Média geral = 124

ÍNDICE DE AVALIAÇÃO. Média geral = 124 1989 a 2014 ÍNDICE DE AVALIAÇÃO 78 105 134 81 139 183 146 Fernando Collor Itamar Franco FHC - 1º mandato FHC - 2º mandato Lula - 1º mandato Lula - 2º mandato Dilma Média geral = 124 Cada índice é calculado

Leia mais

Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração. Portimão, 24 de junho de 2015

Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração. Portimão, 24 de junho de 2015 Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração Portimão, 24 de junho de 2015 Plano Estratégico para as Migrações Plano Estratégico para as Migrações 2015-2020 Novos desafios» Governação integrada para

Leia mais

Que Reformas Para a Segurança Social?

Que Reformas Para a Segurança Social? A Redução da Taxa Social Única e a Reforma da Segurança Social Que Reformas Para a Segurança Social? Miguel Coelho Instituto de Direito Económico, Fiscal e Financeiro da Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 8.2.204 C(204) 076 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 8.2.204 que aprova determinados elementos do programa operacional «Regional dos Açores 204-2020» do apoio do Fundo

Leia mais

Apresentação - 30/03/2016

Apresentação - 30/03/2016 Apresentação - 30/03/2016 1 Especificações Técnicas Período De 17 a 20 de março de 2016. Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos ou mais Amostra 2002 entrevistas em 142 municípios Margem de

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 9.12.2014 C(2014) 9621 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 9.12.2014 que aprova determinados elementos do programa operacional "Inclusão Social e Emprego" para apoio do

Leia mais

EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA

EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA Standard Eurobarometer European Commission EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA 2006 RELATÓRIO NACIONAL Standard Eurobarometer 65 / Spring 2006 TNS Opinion & Social SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

Senhor Primeiro-Ministro de Portugal, Dr. António Costa

Senhor Primeiro-Ministro de Portugal, Dr. António Costa Senhor Primeiro-Ministro de Portugal, Dr. António Costa Senhor Vice-Presidente do Parlamento Europeu responsável por América Latina, Dr. Antonio Tajani Senhor Presidente do componente Latino-Americano

Leia mais

Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal

Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal 18 de maio - Maria, pronta a servir com amor Hoje lembramos a simplicidade e generosidade de Maria, que logo

Leia mais

O Brasil em Movimento

O Brasil em Movimento Jakson Alves de Aquino Universidade Federal do Ceará 11 de julho de 2013 Características das manifestações Erupção repentina Múltiplas demandas Antipartidarismo Ausência de lideranças Uso intensivo das

Leia mais

Contributo para o GT Internacionalização & Desenvolvimento

Contributo para o GT Internacionalização & Desenvolvimento Contributo para o GT Internacionalização & Desenvolvimento José Santos Lisboa, 18 Agosto 2011 Num Mundo Global, a internacionalização das empresas depende da internacionalização dos dirigentes e quadros

Leia mais

Senhor Ministro da Saúde, Professor Adalberto Campos Fernandes, Senhor Presidente da Divisão Farmacêutica da GROQUIFAR, Dr.

Senhor Ministro da Saúde, Professor Adalberto Campos Fernandes, Senhor Presidente da Divisão Farmacêutica da GROQUIFAR, Dr. Cerimónia de Assinatura do Memorando de Entendimento Sobre o Modelo de Criação e Gestão de um Sistema de Verificação de Medicamentos da responsabilidade das Partes Interessadas em Portugal 17 de Outubro

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS / ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS / ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS / ADMINISTRATIVOS DEZEMBRO DE 2011 JOB1408 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto aos eleitores da área em estudo opiniões

Leia mais

Mais confiança, maior independência na contratação Pública - Entidade para o Recrutamento Público dos Açores (ERPA)

Mais confiança, maior independência na contratação Pública - Entidade para o Recrutamento Público dos Açores (ERPA) Mais confiança, maior independência na contratação Pública - Entidade para o Recrutamento Público dos Açores (ERPA) Grupo Compromisso, Reflexão e Ação Moção Sectorial Mais confiança, maior independência

Leia mais

PROCEDIMENTOS UTILIZADOS NA REALIZAÇÃO DA PESQUISA:

PROCEDIMENTOS UTILIZADOS NA REALIZAÇÃO DA PESQUISA: Curitiba, 17 de outubro de 2016. Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no município de Belo Horizonte, com o objetivo de consulta à população sobre situação eleitoral

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 72 CNT 21 a 23 de Setembro de 2004 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais

27 de junho de Domingos Lopes

27 de junho de Domingos Lopes 27 de junho de 2016 Domingos Lopes Objetivos Temáticos OT 8. Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade dos trabalhadores assumindo como meta nacional, até 2020, o aumento

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º /XIII/1

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º /XIII/1 PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º /XIII/1 RECOMENDA AO GOVERNO A INCLUSÃO, NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE REFORMAS, DE UM CONJUNTO DE MEDIDAS NA ÁREA DA JUSTIÇA A Justiça é uma área de soberania que necessita

Leia mais

Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Estado do Rio de Janeiro,

Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Estado do Rio de Janeiro, Curitiba, 11 de julho de 2017. Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Estado do Rio de Janeiro, com o objetivo de consulta à população sobre a avaliação da administração

Leia mais

VALORES E PRINCÍPIOS DA SIKA

VALORES E PRINCÍPIOS DA SIKA CONSTRUINDO CONFIANÇA SIKA UM LÍDER GLOBAL COM PRINCÍPIOS E TRADIÇÃO Fundada na Suíça pelo criador visionário Sr. Kaspar Winkler há mais de 100 anos, a Sika tornou-se uma empresa de sucesso mundial assumindo

Leia mais

Visita do Ministro Francês da Economia e das Finanças, Michel Sapin

Visita do Ministro Francês da Economia e das Finanças, Michel Sapin INTERVENÇÃO DO MINISTRO DAS FINANÇAS, MÁRIO CENTENO Visita do Ministro Francês da Economia e das Finanças, Michel Sapin MINISTÉRIO DAS FINANÇAS, LISBOA 07 DE MARÇO DE 2017 É para mim um prazer receber

Leia mais

Prova de Redação p. 1

Prova de Redação p. 1 Prova de Redação p. 1 REDAÇÃO IMPORTANTE! Escolha um dos temas apresentados e elabore sua redação de acordo com as orientações para o tema selecionado. Evite rasurar o texto definitivo a folha de redação

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA

DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA DEMOCRACIA, ÉTICA E CIDADANIA Seminário do ENADE Agronomia, Biomedicina, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Educação Física, Medicina Veterinária e Estética e Cosmética Profª. Ma. Denise Tatiane Girardon

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 18.12.2014 C(2014) 10188 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 18.12.2014 que aprova determinados elementos do «Programa Operacional Regional do Norte 2014-2020» do apoio

Leia mais

Corrupção, PT e a Lava Jato IPSOS PUBLIC AFFAIRS 2016

Corrupção, PT e a Lava Jato IPSOS PUBLIC AFFAIRS 2016 Corrupção, PT e a Lava Jato IPSOS PUBLIC AFFAIRS 2016 PULSO BRASIL O relatório político e econômico da Ipsos POLÍTICA ECONOMIA SOCIAL Rumo do país Aprovação da presidente Preferência e rejeição partidária

Leia mais

Agradecimento. Entidades que colaboraram no projeto:

Agradecimento. Entidades que colaboraram no projeto: Agradecimento Esta história foi enriquecida com os contributos de mais de 100 crianças que, com as suas palavras sábias, nos transmitiram o que era para elas uma Família. Chegámos até estas crianças com

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30.11.2015 C(2015) 8642 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 30.11.2015 que aprova o programa operacional «Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas Programa Operacional

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 6 Discurso na cerimónia de assinatura

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO QUE INSTITUI O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA FPAS PREÂMBULO

REGULAMENTO INTERNO QUE INSTITUI O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA FPAS PREÂMBULO REGULAMENTO INTERNO QUE INSTITUI O CÓDIGO DE ÉTICA E DE CONDUTA DA FPAS PREÂMBULO As obrigações de transparência, de responsabilidade, de solidariedade e cooperação que recaem sobre a Federação Portuguesa

Leia mais

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República,

Senhor Presidente do Supremo Tribunal. Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da. Senhora Procuradora-Geral da República, Senhor Presidente do Supremo Tribunal Administrativo, Senhores Ministros, Senhoras e Senhores Vice-Presidentes da Assembleia da República, Senhora Procuradora-Geral da República, Senhoras e Senhores Deputados,

Leia mais

GRUPO I PORTUGAL: DA CONTESTAÇÃO DA MONARQUIA ÀS DIFICULDADES DA PRIMEIRA REPÚBLICA

GRUPO I PORTUGAL: DA CONTESTAÇÃO DA MONARQUIA ÀS DIFICULDADES DA PRIMEIRA REPÚBLICA EXAME HISTÓRIA B 1ª FASE 2013 página 1/6 GRUPO I PORTUGAL: DA CONTESTAÇÃO DA MONARQUIA ÀS DIFICULDADES DA PRIMEIRA REPÚBLICA Este grupo baseia-se na análise dos seguintes documentos: Doc. 1 Declarações

Leia mais

www.zerodesperdicio.pt A REALIDADE NACIONAL : A crise mundial refletiu-se em Portugal, sendo a recessão da economia portuguesa mais profunda das últimas décadas. Estes factos traduzem-se por: - Taxa de

Leia mais

GUIA PRÁTICO LINHA NACIONAL DE EMERGÊNCIA SOCIAL

GUIA PRÁTICO LINHA NACIONAL DE EMERGÊNCIA SOCIAL Manual de GUIA PRÁTICO LINHA NACIONAL DE EMERGÊNCIA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/6 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Linha Nacional de Emergência Social

Leia mais

Processo de Diligência Devida para distribuidores. Fatos básicos

Processo de Diligência Devida para distribuidores. Fatos básicos Processo de Diligência Devida para distribuidores Fatos básicos Índice Bem-vindo ao processo de Diligência Devida da Coloplast 3 Por que a Diligência Devida é importante? 4 Quais são os benefícios da Diligência

Leia mais

PROJETO DE DOCUMENTO DE TRABALHO

PROJETO DE DOCUMENTO DE TRABALHO ASSEMBLEIA PARLAMENTAR PARITÁRIA ACP-UE Comissão dos Assuntos Políticos 16.11.2015 PROJETO DE DOCUMENTO DE TRABALHO sobre a melhoria da governação participativa através da descentralização e do reforço

Leia mais

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA

MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO DA REPUBLICA PORTUGUESA E O MINISTÉRIO FEDERAL DE TRABALHO E DE ASSUNTOS SOCIAIS DA REPÚBLICA FEDERAL DA ALEMANHA Considerando a necessidade

Leia mais

Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013

Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013 Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013 Maria José Domingos Objetivos Sobre a Estratégia 2020 A pobreza e a exclusão social na Europa em números A pobreza

Leia mais

FUNDAÇÃO AGA KHAN PORTUGAL CÓDIGO DE CONDUTA

FUNDAÇÃO AGA KHAN PORTUGAL CÓDIGO DE CONDUTA FUNDAÇÃO AGA KHAN PORTUGAL CÓDIGO DE CONDUTA ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Missão... 3 3. Principais objetivos... 3 4. Legalidade... 4 5. Governação... 4 6. Principais regras de conduta... 4 7. Transparência...

Leia mais

Análise do Documento de Estratégia Orçamental junho de 2014

Análise do Documento de Estratégia Orçamental junho de 2014 Análise do Documento de Estratégia Orçamental 2014-2018 junho de 2014 Cenário macroeconómico O cenário macroeconómico apresentado parece ser equilibrado e razoavelmente prudente: Previsão de crescimento

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 6.2.204 C(204) 00 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 6.2.204 que aprova determinados elementos do programa operacional «Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos»

Leia mais

PRIORIDADE DAS PRIORIDADES: CONCLUIR O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ECONÓMICA E FINANCEIRA (COM GALERIA DE FOTOS)

PRIORIDADE DAS PRIORIDADES: CONCLUIR O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ECONÓMICA E FINANCEIRA (COM GALERIA DE FOTOS) N20131105n PRIORIDADE DAS PRIORIDADES: CONCLUIR O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ECONÓMICA E FINANCEIRA (COM GALERIA DE FOTOS) A 5 de Novembro de 2013, Mendes Bota foi orador convidado para intervir na sessão

Leia mais

RECURSOS FINANCEIROS UTILIZADOS PARA AS COMPRAS DE NATAL 2016

RECURSOS FINANCEIROS UTILIZADOS PARA AS COMPRAS DE NATAL 2016 RECURSOS FINANCEIROS UTILIZADOS PARA AS COMPRAS DE NATAL 2016 Novembro 2016 81% possuem expectativas de que 2017 será um ano financeiramente melhor O ano de 2016 não tem sido fácil para boa parte dos brasileiros.

Leia mais

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE LABORATÓRIO ESTRATÉGICO NORTE Museu do Douro PESO DA RÉGUA, 6 de setembro de 2016 Nuno Fazenda O Turismo nos últimos 10 anos ESTRUTURA Gestão e Monitorização Grandes Desafios Referencial Estratégico GRANDES

Leia mais

CAIS INVEST EMPRESA PARA O DESENVOLVIMENTO DO MUNICIPIO DE SÃO ROQUE DO PICO E.E.M. EM LIQUIDAÇÃO. Relatório de Gestão 2015

CAIS INVEST EMPRESA PARA O DESENVOLVIMENTO DO MUNICIPIO DE SÃO ROQUE DO PICO E.E.M. EM LIQUIDAÇÃO. Relatório de Gestão 2015 Relatório de Gestão 2015 1. ENQUADRAMENTO ECONOMICO As projeções para a economia portuguesa publicadas pelas diversas instituições nacionais e internacionais apontam para a continuação do processo de recuperação

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA NA XI LEGISLATURA 15 de Outubro de 2009 Sr. as e Srs. Deputados: Como Presidente eleito da Assembleia da República,

Leia mais

Descentralização orçamental: questões de autonomia e responsabilização. Linda Gonçalves Veiga Universidade do Minho EEG / NIPE

Descentralização orçamental: questões de autonomia e responsabilização. Linda Gonçalves Veiga Universidade do Minho EEG / NIPE Descentralização orçamental: questões de autonomia e responsabilização Linda Gonçalves Veiga Universidade do Minho EEG / NIPE 1 Estrutura da apresentação Motivação Racionalidade económica da descentralização

Leia mais

RESOLUÇÃO UGT REIVINDICA DIMENSÃO SOCIAL NO PROGRAMA DE GOVERNO

RESOLUÇÃO UGT REIVINDICA DIMENSÃO SOCIAL NO PROGRAMA DE GOVERNO RESOLUÇÃO UGT REIVINDICA DIMENSÃO SOCIAL NO PROGRAMA DE GOVERNO As eleições legislativas, ao darem maioria absoluta ao Partido Socialista, criaram condições de estabilidade e governabilidade. O Governo

Leia mais

6º ANO BRASIL. 1º Horário: Português Conteúdo: Interpretação do texto: O pintinho. Atividade: Correção coletiva. Tarefa: ***

6º ANO BRASIL. 1º Horário: Português Conteúdo: Interpretação do texto: O pintinho. Atividade: Correção coletiva. Tarefa: *** 6º ANO BRASIL 1º Horário: Português Conteúdo: Interpretação do texto: O pintinho. Atividade: Correção coletiva. 2º Horário: Ed. Física 3º Horário: História Conteúdo: Análise da cultura do povo Nok. 4º

Leia mais

PROCEDIMENTOS UTILIZADOS NA REALIZAÇÃO DA PESQUISA:

PROCEDIMENTOS UTILIZADOS NA REALIZAÇÃO DA PESQUISA: Curitiba, 20 de junho de 2016. Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no município de Camaçari, com o objetivo de consultar à população sobre avaliação das administrações

Leia mais

Orçamento Participativo da Freguesia de Castelo Branco

Orçamento Participativo da Freguesia de Castelo Branco I Âmbito A Freguesia de Castelo Branco, através do presente Orçamento Participativo (doravante designado OPFCB), pretende promover a cidadania ativa, através da participação dos cidadãos na escolha e definição

Leia mais

Tema Retórica e Comunicação. Mini Curso Oratória. Responsável. Ana Lúcia Magalhães

Tema Retórica e Comunicação. Mini Curso Oratória. Responsável. Ana Lúcia Magalhães Tema Retórica e Comunicação Mini Curso Oratória Responsável ROTEIRO Retórica e conceitos associados: a oratória Argumentos: persuasão e convencimento Provas Retóricas Orador: marketing pessoal e autoridade

Leia mais

Tipos de Democracia. Sociologia Larissa Rocha 12 e Aula ao Vivo

Tipos de Democracia. Sociologia Larissa Rocha 12 e Aula ao Vivo Tipos de Democracia 1. Passava da meia noite quando o escrutínio terminou. Os votos válidos não chegavam a vinte e cinco por cento, distribuídos pelo partido da direita, treze por cento, pelo partido do

Leia mais

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 12, nº 2, Novembro, 2006, Encarte Tendências. p

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 12, nº 2, Novembro, 2006, Encarte Tendências. p cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol., nº, Novembro, 00, Encarte Tendências. p. - Este Encarte Tendências tem como tema principal a imagem atual dos partidos para o eleitorado brasileiro. Especificamente,

Leia mais

Campanha Nacional de Incentivo ao Voto para as Eleições Europeias. Apoio: Parceiros: Ecos

Campanha Nacional de Incentivo ao Voto para as Eleições Europeias. Apoio: Parceiros: Ecos Apoio: Campanha Nacional de Incentivo ao Voto para as Eleições Europeias Parceiros: Ecos 1. O PROJECTO 1.1 Enquadramento 1.2 Objetivos 1.3 Ligação à Campanha League of Young Voters 2. OS PARCEIROS 3. ATIVIDADES

Leia mais

Violência(s), Direitos Humanos e Periferia(s): Quais relações?

Violência(s), Direitos Humanos e Periferia(s): Quais relações? Violência(s), Direitos Humanos e Periferia(s): Quais relações? Priscila Queirolo Susin Psicóloga; Técnica Social Responsável PMCMV-E; Pesquisadora do CAES Mestre em Ciências Sociais (PUCRS) Doutoranda

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS SETEMBRO DE 2016 JOB0965 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO O projeto tem por objetivo geral levantar um conjunto de informações

Leia mais

ANEXO I - ORIENTAÇÃO PARA AS ESCOLAS SOBRE A IMPLANTAÇÃO/IMPLEMENTAÇÃO DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS 2017

ANEXO I - ORIENTAÇÃO PARA AS ESCOLAS SOBRE A IMPLANTAÇÃO/IMPLEMENTAÇÃO DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS 2017 ANEXO I - ORIENTAÇÃO PARA AS ESCOLAS SOBRE A IMPLANTAÇÃO/IMPLEMENTAÇÃO DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS 2017 Contextualização O Projeto de Gestão Democrática da Educação foi desenvolvido pela SEE em 2016 e contou

Leia mais

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE)

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) - Conjunto de normas que rege e organiza as eleições. - Processo eleitoral: do alistamento até a diplomação. Eleições: I. Princípio Majoritário Para os

Leia mais

Regime Jurídico de incompatibilidades e impedimentos dos titulares de cargos políticos

Regime Jurídico de incompatibilidades e impedimentos dos titulares de cargos políticos Regime Jurídico de incompatibilidades e impedimentos dos titulares de cargos políticos Intervenção do deputado Fernando Rosas 11 Abril 2007 O projecto de Lei que o Bloco de Esquerda hoje apresenta à discussão

Leia mais

Democratizar a escola através do currículo: em busca de uma nova utopia

Democratizar a escola através do currículo: em busca de uma nova utopia Democratizar a escola através do currículo: em busca de uma nova utopia José Carlos Morgado Universidade do Minho jmorgado@ie.uminho.pt Questões estruturantes: 1) Porque se torna necessário democratizar

Leia mais

Os Hospitais em intercâmbio: Portugal e os PALOP - Experiências de sucesso

Os Hospitais em intercâmbio: Portugal e os PALOP - Experiências de sucesso Os Hospitais em intercâmbio: Portugal e os PALOP - Experiências de sucesso A EXPERIÊNCIA DA CLÍNICA SAGRADA ESPERANÇA, LDA. POR ESMAEL TOMÁS, MD Clínica Sagrada Esperança, Luanda, Angola, Sumário 1- Introdução

Leia mais

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de

Dirijo uma palavra de reconhecimento ao professor Emídio Gomes, pelo seu. envolvimento, pessoal e enquanto Presidente da Comissão de Coordenação de As minhas primeiras palavras são de reconhecimento, ao senhor Primeiro Ministro, estimado Dr. Pedro Passos Coelho, e restantes membros do Governo, por se terem associado a esta cerimónia, um marco de grande

Leia mais

Linhas de Orientação para elaboração do Programa Eleitoral

Linhas de Orientação para elaboração do Programa Eleitoral 1 Linhas de Orientação para elaboração do Programa Eleitoral Preâmbulo Portugal vive hoje uma crise gravíssima que nos coloca, enquanto comunidade, numa das encruzilhadas mais determinantes da nossa história

Leia mais

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade.

O Baobá. é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. O Baobá é a árvore da vida, e tem em si a mais profunda mensagem de sustentabilidade e prosperidade. Especializada em gestão e sociedade, com foco em sustentabilidade para os setores público e privado.

Leia mais

PARTICIPação DoS Cidadão s numa EUROPa Em CRISE. o método SPIRAL e o Plano de coesão social. para um acesso equitativo aos recursos

PARTICIPação DoS Cidadão s numa EUROPa Em CRISE. o método SPIRAL e o Plano de coesão social. para um acesso equitativo aos recursos Conseil de l Europe Council of Europe PARTICIPação DoS Cidadão s numa EUROPa Em CRISE. o método SPIRAL e o Plano de coesão social PARTICIPATION DES CITOYENS DANS UNE EUROPE EN CRISE: l accès aux ressources

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A CRISE ECONÔMICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A CRISE ECONÔMICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE A CRISE ECONÔMICA ABRIL DE 2015 JOB0508 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA O principal objetivo desse projeto é avaliar qual a impressão que a população

Leia mais

Lula Geraldo Alckmin Em branco/ nulo/ nenhum Não sabe

Lula Geraldo Alckmin Em branco/ nulo/ nenhum Não sabe Lula Geraldo Alckmin Em branco/ nulo/ nenhum P.1 No dia 29 de outubro haverá o segundo turno das eleições para presidente da República. Se o segundo turno da eleição fosse hoje, em quem você votaria: Geraldo

Leia mais

Desempenho mínimo esperado (S 1º, 2º e 3º anos)

Desempenho mínimo esperado (S 1º, 2º e 3º anos) Critérios Específicos por ano e por disciplina curricular 1.º Ciclo Critérios de Avaliação 1.º, 2.º, 3.º e 4.º Anos de escolaridade Elementos a avaliar Insuficiente (4º ano) Desempenho mínimo esperado

Leia mais

Cabo Verde: os dilemas da cidade

Cabo Verde: os dilemas da cidade ci.dlot - III cidades e globalização Cabo Verde: os dilemas da cidade Corsino Tolentino Cidade da Praia, 03 de Junho de 2013 CABO VERDE: OS DILEMAS DA CIDADE 1. Conceitos de povoação, aldeia, vila e cidade

Leia mais

Por ocasião das eleições municipais, o Ministério Fé e Política da RCCBRASIL preparou uma carta pra te ajudar ainda mais nessa escolha, confira:

Por ocasião das eleições municipais, o Ministério Fé e Política da RCCBRASIL preparou uma carta pra te ajudar ainda mais nessa escolha, confira: Por ocasião das eleições municipais, o Ministério Fé e Política da RCCBRASIL preparou uma carta pra te ajudar ainda mais nessa escolha, confira: Amados irmãos e irmãs em Cristo Jesus, A Paz de Jesus! A

Leia mais

3º Encontro Técnico. A actividade da SATIVA na certificação de produtos de pecuária em modo de produção biológico

3º Encontro Técnico. A actividade da SATIVA na certificação de produtos de pecuária em modo de produção biológico 3º Encontro Técnico A actividade da SATIVA na certificação de produtos de pecuária em modo de produção biológico Escola Superior Agrária de Castelo Branco 14 Abril 2004 Objecto de actividade Empresa processadora

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/2.ª REFORÇA OS APOIOS EM SITUAÇÃO DE DESEMPREGO

PROJETO DE LEI N.º./XII/2.ª REFORÇA OS APOIOS EM SITUAÇÃO DE DESEMPREGO Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/2.ª REFORÇA OS APOIOS EM SITUAÇÃO DE DESEMPREGO Exposição de motivos O desemprego é o maior flagelo social do país. As políticas de austeridade levaram a um aumento

Leia mais

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação

INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES. Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INICIATIVA NOVAS OPORTUNIDADES Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação INDICE 1. OBJECTIVO 2. PORQUÊ A INICIATIVA? 3. PARA OS JOVENS: UMA OPORTUNIDADE NOVA 4. PARA OS ADULTOS:

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ASSUNTOS POLÍTICOS/ ADMINISTRATIVOS SETEMBRO DE 2016 JOB0572-2 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO O projeto tem por objetivo geral levantar um conjunto de informações

Leia mais

6º ANO BRASIL. 1º Horário: Português Conteúdo: Modos verbais. Atividade: Aula expositiva. Tarefa: Atividades das páginas 229 a 233.

6º ANO BRASIL. 1º Horário: Português Conteúdo: Modos verbais. Atividade: Aula expositiva. Tarefa: Atividades das páginas 229 a 233. 6º ANO BRASIL 1º Horário: Português Conteúdo: Modos verbais. Tarefa: Atividades das páginas 229 a 233. 2º Horário: Ciências Conteúdo: Tecnóloga da previsão do tempo. Previsão do tempo. Nuvens. Massas de

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 744/XIII

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 744/XIII PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 744/XIII Recomenda ao Governo que desenvolva um programa específico de qualificação para desempregados de longa duração com 45 ou mais anos de idade O desemprego é uma preocupação

Leia mais

Declaração de Bratislava

Declaração de Bratislava Bratislava, 16 de setembro de 2016 Declaração de Bratislava Reunimo-nos hoje em Bratislava num momento crítico para o nosso projeto europeu. A Cimeira de Bratislava de 27 Estados-Membros foi dedicada a

Leia mais

Intervenção III Fórum Abrigo

Intervenção III Fórum Abrigo Intervenção III Fórum Abrigo Este Fórum Social da Associação Abrigo convida-nos a dissertar sobre o papel da sociedade civil no mundo actual. O tema parece-me aliciante, importante e decisivo numa sociedade

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 530/XII/3 (PSD, CDS-PP) - «LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS ELEIÇÕES E DOS REFERENDOS NACIONAIS»

PROJETO DE LEI N.º 530/XII/3 (PSD, CDS-PP) - «LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS ELEIÇÕES E DOS REFERENDOS NACIONAIS» PROJETO DE LEI N.º 530/XII/3 (PSD, CDS-PP) - «LEI QUE DEFINE OS PRINCÍPIOS QUE REGEM A COBERTURA JORNALÍSTICA DAS ELEIÇÕES E DOS REFERENDOS NACIONAIS» PROPOSTA DE SUBSTITUIÇÃO REGIME JURÍDICO DA COBERTURA

Leia mais

Paulo Jannuzzi ENCE/IBGE

Paulo Jannuzzi ENCE/IBGE Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e as oportunidades para o aprimoramento no monitoramento e avaliação de políticas públicas em nível subnacional: reflexões a partir da experiência da SAGI/MDS Paulo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 214/XIII/1ª

PROJETO DE LEI Nº 214/XIII/1ª PROJETO DE LEI Nº 214/XIII/1ª REFORÇA A LICENÇA PARENTAL INICIAL ATÉ 210 DIAS, ALARGA O PERÍODO DE LICENÇA PARENTAL EM CASO DE NASCIMENTO PREMATURO E ESTENDE A DISPENSA PARA AMAMENTAÇÃO E ALEITAÇÃO AO

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS 20º Encontro de Lisboa com as Delegações dos Bancos Centrais dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e de Timor Leste à Assembleia Anual do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial 04

Leia mais

Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete

Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete Discurso de Sua Excelência O Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros Rui Machete na Cimeira de Chefes de Estado e de Governo para a adoção da Agenda do Desenvolvimento Pós-2015 MOD07 PR07/V02 Senhor

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE IMPEACHMENT

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE IMPEACHMENT PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE IMPEACHMENT AGOSTO DE 2015 JOB1057 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA O principal objetivo desse projeto é monitorar o conhecimento e a opinião da população

Leia mais

A Corrupção na União Européia

A Corrupção na União Européia A Corrupção na União Européia Profa. Dra. Rita Biason 1 No mês de fevereiro, a Comissão Européia divulgou o primeiro relatório sobre a corrupção nos Estados Membros 2. O informe apresentado trouxe a tona

Leia mais

Português. Orações Subordinadas Adjetivas: Restritivas e Explicativas. Professor Arthur Scandelari.

Português. Orações Subordinadas Adjetivas: Restritivas e Explicativas. Professor Arthur Scandelari. Português Orações Subordinadas Adjetivas: Restritivas e Explicativas Professor Arthur Scandelari www.acasadoconcurseiro.com.br Português ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS: RESTRITIVAS E EXPLICATIVAS 1. (FUNRIO

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO MÉDICA. Entrevista aos Directores das Escolas Médicas sobre numerus clausus.

GRUPO DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO MÉDICA. Entrevista aos Directores das Escolas Médicas sobre numerus clausus. GRUPO DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO MÉDICA vp.em@anem.pt www.anem.pt Entrevista aos Directores das Escolas Médicas sobre numerus clausus. Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior (FCS-UBI)

Leia mais

VOTO DE AGRADECIMENTO

VOTO DE AGRADECIMENTO VOTO DE AGRADECIMENTO Subscritora: a Mesa da AME A AME deliberou realizar uma audição pública sobre a problemática do funcionamento do ATERRO INTERMUNICIPAL DE RESÍDUOS URBANOS DE ÉVORA, tendo convidado,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 872/XII/4.ª

PROJETO DE LEI N.º 872/XII/4.ª PROJETO DE LEI N.º 872/XII/4.ª Procede à alteração do Decreto-Lei n.º 176/2003, de 2 de agosto, que aprova o regime jurídico da proteção nos encargos familiares, procedendo ao aumento do montante pago

Leia mais

Bem-vindo ao.

Bem-vindo ao. Bem-vindo ao indignação Altos impostos Péssimos serviços objetivo Melhorar a vida de todos Deixar um país melhor para as futuras gerações diagnóstico propostas FUNCIONAMENTO do Estado Intervencionista,

Leia mais

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário

VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário VISTO DE ESTADA TEMPORÁRIA: Atividade Profissional de Carácter Temporário Documentação do Requerente Formulário de pedido de visto devidamente preenchido online (www.cgportugalemluanda.com) e assinado;

Leia mais

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1 TRIMESTRE 2016

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1 TRIMESTRE 2016 TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1 TRIMESTRE 2016 ALUNO (A): TURMA: VALOR: 12,0 Nota: INSTRUÇÕES: Todas as questões devem ser respondidas a CANETA. 01- Explique por que o século XVIII acabou sendo conhecido como

Leia mais

Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Estado do Pará, com o objetivo

Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Estado do Pará, com o objetivo Curitiba, 01 de julho de 2017. Apresentamos a seguir os resultados da pesquisa de opinião pública realizada no Estado do Pará, com o objetivo de consulta à população sobre a avaliação da administração

Leia mais