Estudos Disciplinares Análise e Desenvolvimento de Sistemas referente ao 3 semestre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudos Disciplinares Análise e Desenvolvimento de Sistemas referente ao 3 semestre"

Transcrição

1 Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas Campus Sorocaba Curso: Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Estudos Disciplinares Coord. Prof(a): Michele da R. M. Mathias Prova DP Ano Letivo: 2013/1 NOTA Nome do aluno: RA: Turma: Assinatura do aluno: Data : TABELA DE RESPOSTAS (TESTES) Questões Alternativa Q A Q A Q A Q A Q A Banco de Dados Estudos Disciplinares Análise e Desenvolvimento de Sistemas referente ao 3 semestre 1. O Modelo Entidade-Relacionamento é aplicável no desenvolvimento de um projeto de banco de dados pois tem como característica: A Expressividade, porque permite distinguir os diferentes tipos de dados. B Intelegibilidade, porque os clientes de um sistema, leigos em informática, podem entender este modelo. C Formalismo, porque é claro e não permite ambigüidade na sua interpretação. D Pode ser representado como diagrama. E Todas as alternativas anteriores estão corretas. 2. Identifique os atributos no modelo Entidade-Relacionamento abaixo: A Emissão C, Emissão T, Posse, Empréstimo.

2 B Número Cartão, Número Conta, CPF, Nome, Modelo,Tipo,Titular. C Cartões, Clientes, Contas, Linhas de empréstimo, Talões (cheque). D Corrente, Poupança, Individual, Conjunta, S, N. anteriores. 3. Considere o modelo de banco de dados para o controle de vendas de automóveis em uma concessionária, abaixo. As chaves primárias estão grifadas e as setas indicam as colunas de relacionamento entre as tabelas. Escolha a alternativa correta: A Os atributos da tabela Carro são NumSerie, Modelo, PrecoCarro, PrecoVenda. B Os atributos da tabela Venda são IdVendedor, NumSerie, Data, PrecoVenda. C Os atributos da tabela Opcional são IdVendedor, NumSerie, NomeOpcao, PrecoOpcao. D Os atributos da tabela Vendedor são IdVendedor, NomeVendedor, Data, PrecoVenda. E Os atributos de uma tabela representam uma coleção de valores de dados de um dos elementos desta tabela. 4. O diagrama ER (modelo entidade-relacionamento) abaixo representa uma aplicação que controla os times e jogos de um campeonato de futebol amador de um clube. Nem todos os jogadores de um time participam de um determinado jogo. São controlados os jogadores de cada time que participam de cada jogo, as posições em que jogam e o resultado do jogo. Escolha a alternativa que apresenta o melhor mapeamento deste modelo para o modelo relacional. Considere, nas alternativas, que cada caixa representa uma tabela, onde o nome desta tabela está em negrito na primeira linha e os atributos seguem nas linhas inferiores. os traços entre as caixas representam os relacionamentos e os símbolos de "chave" representam as chaves primárias.

3 A B C D

4 E Engenharia de Software II 5. Qual a utilidade da ISO9126? I- Definição dos requisitos de qualidade de um Produto de Software. II - Um conjunto de atributos que têm impacto na capacidade do Sofware. III- Avalia o software desenvolvido antes da aceitação do cliente. IV- Descrição das características e atributos do software implementado. A I e IV B II e III C I, III e IV D NDA E Todas 6. Quais dos níveis abaixo representam os níveis estagiados do CMMI A Incompleto, Gerenciado Parcialmente, Gerenciado, Otimizado

5 B Incompleto, Gerenciado, Definido, Gerenciado Quantitativamente, Em Otimização C Normal, Gerenciado Incompleto, Gerenciado, Definido, Otimizado D Gerenciado Parcialmente, Em otimização, Definido 7. Quais são as abordagens da V&V? A Revisão por pares e Inspeção B Inspeção e Walkthrough C Inpeção de Softwares e Teste de Software D Teste de Software e Walkthrough E Revisão por pares e Walkthrough 8. Existe um teste que verifica quanto tempo o software demora para retornar ao processamento depois de uma falha imprevista. Que tipo de teste é esse? A Recuperação B Regressão C Extresse D Performance 9. Como podemos definir Gerencia de Configuração A A arte de coordenar o desenvolvimento de software para minimizar a confusão de versões liberadas. B A arte de desenvolver software para minimizando a quantidade de versões liberadas. C A arte de coordenar os testes de software para minimizar a confusão de versões liberadas. D A arte de testar software para minimizando a quantidade de versões liberadas. 10. A facilidade para a utilização do software descreve uma característica importante da qualidade que é a: A Funcionalidade B Usabilidade C Eficiência D Manutenibilidade E Portabilidade 11. O Gerente de uma pizzaria ao escolher um software faz a seguinte pergunta a empresa desenvolvedora: Propõe-se a fazer o que é apropriado?. Essa pergunta demonstra a preocupação com: A Segurança de acesso da Confiabilidade B Acurácia da Funcionalidade C Operacionalidade da Usabilidade D Adequação da Funcionalidade E Recursos da Eficiência Programação Orientada a Objetos I 12. Sobre POO, é correto afirmar que : A Reduz um programa em procedimentos refinados para processar dados B O programa termina quando acaba de chamar sua lista de procedimentos C Apesar de apresentar funções menores, não torna o programa mais fácil de ser entendido D Como os dados e o procedimento são separados, não existe nenhum encapsulamento 13. Ao compararmos o conceito de Encapsulamento ao funcionamento de um carro, poderíamos afirmar que : A Para o motorista, basta saber que o motor existe e que ele é responsável por movimentar o carro B Quanto mais o motorista souber sobre o funcionamento do motor, melhor C O funcionamento do motor depende de outras partes do carro D Encapsulamento não pode ser comparado ao funcionamento de um carro 14. Sobre o conceito de Herança é correto afirmar :

6 A Ela é usada na intenção de evitar que objetos que possuam atributos ou métodos semelhantes sejam repetidamente criados B Ela é usada na intenção de evitar que classes que possuam atributos semelhantes sejam repetidamente criados C Ela é usada na intenção de evitar que classes que possuam métodos semelhantes sejam repetidamente criados D Ela é usada na intenção de evitar que classes que possuam atributos ou métodos semelhantes sejam repetidamente criados 15. O que é agregação? A Agregações são um tipo especial de herança no qual as duas classes participantes não possuem em nível igual, mas fazem um relacionamento todo-parte. B Agregações são um tipo especial de associação no qual as duas classes participantes possuem em nível igual, mas fazem um relacionamento todo-parte. C Agregações são um tipo especial de associação no qual as duas classes participantes possuem em nível igual e fazem um relacionamento todo-parte. D Agregações são um tipo especial de associação no qual as duas classes participantes não possuem em nível igual, mas fazem um relacionamento todo-parte. E Agregações são um tipo especial de associação no qual os dois objetos participantes não possuem em nível igual, mas fazem um relacionamento todo-parte. 16. Podemos dizer que a interação entre objetos se dá : A através da troca de mensagens, ou seja, quando um método ou operação de um objeto envia parâmetros para outro objeto. B através da instância dos objetos. C através da troca de mensagens, ou seja, quando um método ou operação de um objeto é chamado a partir de outro objeto. D através da troca de mensagens, ou seja, quando uma propriedade de um objeto é alterada a partir de outro objeto. E nda. Análise de Sistema Orientado a Objetos 17. Dada uma especificação de Caso de Uso para Entregar Pizza em Casa, onde o cliente tem acesso a um formulário de um sistema web no qual preenche seus dados, solicita o tipo de pizza desejado, informa se deseja ou não algum tipo de bebida, pode fazer o pagamento através do Cartão de Crédito e pode imprimir um recibo completo do pedido, escolha a opção incorreta: A Um ator adequado para este caso de uso é o sistema de pagamento da operadora de cartão de crédito. B Existe um relacionamento de <<include>> entre o pedido da pizza e a emissão do recibo. C O entregador da pizza não é um ator deste caso de uso. D Existe um relacionamento de <<extends>> entre o pedida da pizza e a seleção de bebidas. E O número do cartão de crédito do cliente não é um ator deste caso de uso. 18. O funcionamento de um sistema é possível através da comunicação de um conjunto de objetos por meio de mensagens que são passadas entre eles. Estas mensagens podem ser execuções de métodos, onde uma classe pode executar métodos de outra classe ou métodos próprios. O conhecimento que uma classe tem de outra classe pode ser maior ou menor, envolvendo uma maior ou menor conexão entre as mesmas. Considerando estas afirmativas, considere as sentenças abaixo e responda: I. Um alto acoplamento entre classes significa que uma classe não tem bem definida suas responsabilidades e, portanto, faz coisas que outra classe deveria fazer; II. A diminuição do acoplamento entre classes é um efeito que pode ser alcançado através do uso de interfaces para tratar os comportamentos similares de classes diferentes; III. Podemos diminuir o acoplamento entre as classes através da utilização dos estereótipos <<extends>> e <<include>>, de modo a evitar o alto acoplamento entre casos de usos separados. Está correto: A Somente a afirmativa I B Somente a afirmativa II C Somente a afirmativa III

7 D As afirmativas I e II E As afirmativas II e III 19. Um caso de uso somente pode relacionar-se com outro caso de uso através de um relacionamento de inclusão ou extensão. De outro modo, somente se relacionará com os atores do sistema. Sobre o diagrama de caso de uso determine a afirmação correta abaixo: A Um ator é um elemento interno ao sistema que operacionaliza o caso de uso, fazendo com o que o mesmo seja executado pelo sistema. B Um caso de uso é um agrupamento de classes que, interligadas, através de seus métodos e atributos, permitem que as funcionalidades e requisitos não funcionais de um sistema sejam executados. C O caso de uso representa sempre um algoritmo de programação cujo código executará de maneira a atender às funcionalidades do sistema. D O ator é um elemento que interage com uma funcionalidade do sistema, mesmo estando fora da fronteira do sistema. E O relacionamento entre atores e casos de uso pode ser de generalização ou de associação. 20. Em uma determinada metodologia, o processo de levantamento de requisitos é precursor do processo de análise. Nesta metodologia o analista de requisitos constrói o Diagrama de Caso de Uso e a elabora, para cada caso de uso do diagrama, a Especificação do Caso de Uso. Com as especificações de caso de uso em mãos, o analista de sistemas constrói o diagrama de classes preliminar, colocando os principais atributos identificados e alguns métodos. Sobre a relação entre caso de uso e classe, identifique a opção incorreta: A O processo de identificação de classes em uma especificação de caso de uso pode ser feito através da identificação dos substantivos que representam classes ou atributos. Os atributos representam um elemento estrutural da classe, enquanto os métodos representam seu elemento comportamental. B A identificação de operações em uma especificação de caso de uso é fundamentada na análise do fluxo principal, ou básico, enquanto que os fluxos alternativos são adequados para a identificação das validações de regras de negócio. C As exceções identificadas e documentadas em uma especificação de caso de uso devem ser usadas para futura programação das restrições que o sistema deve impor sobre dados incorretos. D Os atores identificados nos casos de uso têm suas informações geralmente incorporadas ao sistema através da criação de classes que representam estas informações. E Os relacionamentos entre os casos de uso não significam que teremos que ter estes mesmos relacionamentos entre as classes no diagrama de classes. 21. Com relação a Processos de Negócio e Processos de Sistema escolha a afirmativa verdadeira: A Um processo de sistema envolve as atividades e ações desenvolvidas sempre com o auxílio de um sistema que implementou as regras de negócio. B Um processo de sistema independe de uma implementação das regras de negócio em uma determinada plataforma, podendo ser executado com o uso de fichas e formulário em papel C Processo de negócio e processo de sistema significam basicamente a mesma coisa. D Um processo de Negócio diz respeito às regras de funcionamento de um empreendimento que existem mesmo se não tiverem sido implementadas por um sistema. E Um processo de Sistema diz respeito às regras de funcionamento de um empreendimento que existem mesmo se não tiverem sido implementadas por um sistema. 22. O diagrama de Caso de Uso: A Mostra as atividades que fazem parte dos processos de negócio da empresa. B Mostra as funcionalidades que serão implementadas pelo sistema para atender às necessidades dos atores. C Tem a mesma utilidade que o diagrama de atividades para detalhar os processos que terão que ser implementados. D Mostra os atores que desenvolverão o sistema solicitado pelo usuário. E Mostra as classes que fazem parte do sistema a ser desenvolvido pelos analistas de sistema. Projeto de Interface com o Usuário 23. É correto afirmar sobre interface:

8 I - Responsável por proporcionar a comunicação entre o ser humano (usuário) e o hardware e software (de um sistema computacional). II - Interface é um sistema de comunicação que possui um componente físico, formado por hardware e software no qual o usuário percebe e manipula, e um componente conceitual, onde o usuário interpreta, processa e raciocina. III - A interface é tanto um meio para a interação usuário-sistema, quanto uma ferramenta que oferece os instrumentos para este processo comunicativo, ou seja, um sistema de comunicação A Somente a afirmação I está correta B Somente a afirmação II está correta C Somente a afirmação III está correta D Somente as afirmações II e III estão corretas E Todas as afirmações estão corretas 24. Numa determinada empresa, 200 operadores em call center trabalham 8h por dia, com tempo médio de atendimento de 3 min. O diretor da empresa solicitou algumas modificações na interface do sistema utilizado pelos operadores. As mudanças resultaram numa economia de 10s no tempo de atendimento. Como base nessas informações, depois das modificações na interface do sistema, o número de atendimentos por dia passou a ser de: A atendimentos por dia B atendimentos por dia C atendimentos por dia D atendimentos por dia 25. Qual das características abaixo não faz parte do Design Participativo? A Um dos objetivos é fazer com que os usuários se tornem um parceiro como os outros na equipe de projeto, participando de todas as atividades de desenvolvimento B A inclusão do usuário final no processo de desenvolvimento se deve ao seu conhecimento nas rotinas de trabalho, além de servir como fonte de informação C Através de sua participação ativa, o usuário proporciona contribuições efetivas em todas as fases do processo de desenvolvimento D Possui uma avaliação central e, sempre que uma atividade for completada, seu trabalho deverá ser avaliado pelo usuário 26. Segundo o norma NBR ISO/IEC Usabilidade é: A Medida na qual um produto pode ser usado por usuários específicos para alcançar objetivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação em um contexto específico de uso B Capacidade do produto de software de possibilitar ao usuário compreender se o software é apropriado e como ele pode ser usado para tarefas e condições de uso específicas C Capacidade do produto de software de ser compreendido, aprendido, operado e atraente ao usuário, quando usado sob condições especificadas. É um atributo de qualidade de software D Capacidade do produto de software de estar de acordo com normas, convenções, guias de estilo ou regulamentações relacionadas à usabilidade E É a facilidade de uso por um especialista em software 27. "Esta técnica é útil para entender procedimentos, regulamentações e padrões". Essa afirmação é uma carcterística de qual técnica de coleta de dados? A Grupos de estudos especiais e workshops B Entrevistas C Questionários D Observação natural E Estudo de documentação

CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS

CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS CURSO: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas SÉRIE: 3º Semestre TURNO: Noturno DISCIPLINA: ANÁLISE DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS CARGA HORÁRIA: 60 horas I - Ementa Modelagem de Processos

Leia mais

Auditoria e Qualidade de Software ISO/IEC 9126 Engenharia de Software Qualidade de Produto

Auditoria e Qualidade de Software ISO/IEC 9126 Engenharia de Software Qualidade de Produto Auditoria e Qualidade de Software ISO/IEC 9126 Engenharia de Software Qualidade de Produto Prof. Elias Batista Ferreira Material cedido por: Prof. Edison A M Morais Objetivo Descrever os processos da norma

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas de Informação. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com

Análise e Projeto de Sistemas de Informação. Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Análise e Projeto de Sistemas de Informação Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Roteiro Sistemas de Informação Ciclo de Desenvolvimento de SI Projeto Análise Estruturada Análise Orientada a Objetos Como

Leia mais

Universidade Paulista

Universidade Paulista Universidade Paulista Ciência da Computação Sistemas de Informação Gestão da Qualidade Principais pontos da NBR ISO/IEC 12207 - Tecnologia da Informação Processos de ciclo de vida de software Sergio Petersen

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade III QUALIDADE DE SOFTWARE Normas de qualidade de software - introdução Encontra-se no site da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) as seguintes definições: Normalização

Leia mais

Uma Abordagem usando PU

Uma Abordagem usando PU Uma Abordagem usando PU Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Baseada em: Rational Software Corpotation G. Booch, Ivar Jacobson,

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 A ISO 9000-3 é um guia para a aplicação da ISO 9001 para o desenvolvimento, fornecimento e manutenção de software. As

Leia mais

ISO - 9126. Aécio Costa

ISO - 9126. Aécio Costa ISO - 9126 Aécio Costa A evolução da Qualidade do Produto Qualidade = funcionalidade Confiabilidade Realização de funções críticas Produto de qualidade = sem bugs Controle de qualidade Teste do produto

Leia mais

Atividade da gerência da qualidade

Atividade da gerência da qualidade O que é qualidade de software? Qualidade, de forma simplista, significa que o produto deve esta de acordo com a especificação. Problemas: Tensão entre requisitos do cliente: Eficiência, confiança, etc.

Leia mais

Qualidade de Software. Prof.: Ivon Rodrigues Canedo. PUC Goiás

Qualidade de Software. Prof.: Ivon Rodrigues Canedo. PUC Goiás Prof.: Ivon Rodrigues Canedo PUC Goiás Qualidade Subjetiva Não sei o que é mas reconheço quando a vejo Qualidade Baseada no Produto O produto possui algo que produtos similares não têm Qualidade Baseada

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina:Projeto de Sistemas Qualidade de software cynaracarvalho@yahoo.com.br Qualidade de software Qualidade

Leia mais

Análise estruturada de sistemas

Análise estruturada de sistemas Análise estruturada de sistemas Prof. Marcel O que é Engenharia de software Engenharia de software é uma área do conhecimento da computação voltada para a especificação, desenvolvimento e manutenção de

Leia mais

A linguagem UML. UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes. Por que usar UML? O que é modelagem?

A linguagem UML. UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes. Por que usar UML? O que é modelagem? UML e Diagramas de Casos de Uso e Classes Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com A linguagem UML UML (Unified Modeling Language) Linguagem de Modelagem Unificada É uma linguagem de modelagem

Leia mais

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software?

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? 21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? Qualidade de software é uma preocupação real e esforços têm sido realizados na busca pela qualidade dos processos envolvidos em seu desenvolvimento

Leia mais

IC-UNICAMP IC-UNICAMP

IC-UNICAMP IC-UNICAMP Capítulo 3: Qualidade de Produto e a ISO 9126 Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6:

Leia mais

3 a Lista de Exercícios

3 a Lista de Exercícios Engenharia de Requisitos 3 a Lista de Exercícios (1) Em relação ao levantamento e análise de requisitos, faz-se a seguinte afirmação: Os requisitos de sistema devem ser capturados, documentados e acordados

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Departamento de Informática Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação Laboratório de Desenvolvimento Distribuído de Software Estágio de Docência http://www.din.uem.br/~pg45640/ Qualidade de Software

Leia mais

Fundamentos em Teste de Software. Vinicius V. Pessoni viniciuspessoni@gmail.com

Fundamentos em Teste de Software. Vinicius V. Pessoni viniciuspessoni@gmail.com Fundamentos em Teste de Software Vinicius V. Pessoni viniciuspessoni@gmail.com Objetivos do treinamento 1. Expor os fundamentos de Teste de Software; 2. Conceituar os Níveis de Teste; 3. Detalhar sobre

Leia mais

O Processo Unificado: Captura de requisitos

O Processo Unificado: Captura de requisitos O Processo Unificado: Captura de requisitos Itana Gimenes Graduação em Informática 2008 Captura de Requisitos Modelagem do negócio: Visão de negócios Modelo de objetos de negócio de negócio Especificação

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

Análise Orientada a Objeto

Análise Orientada a Objeto Análise Orientada a Objeto Análise Orientada a Objeto ANÁLISE ORIENTADA A OBJETO É interessante observar como a análise orientada a objeto utiliza conceitos que aprendemos há muito tempo: objetos, atributos,

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

Modelos de Qualidade de Produto de Software

Modelos de Qualidade de Produto de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Modelos de Qualidade de Produto de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE REQUISITOS ID documento: Data: / / Versão : Responsável pelo documento: ID Projeto: HISTÓRICO DE REVISÕES Data de criação/ atualização Descrição da(s) Mudança(s) Ocorrida(s) Autor Versão do

Leia mais

2 Diagrama de Caso de Uso

2 Diagrama de Caso de Uso Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Caso de Uso (Use Case) Autoria:Aristófanes Corrêa

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Requisitos Cap. 06 e 07 Sommerville 8 ed. REQUISITOS DE SOFTWARE» Requisitos são descrições de serviços fornecidos pelo sistema e suas restrições operacionais. REQUISITOS DE USUÁRIOS: São

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 2 - ANÁLISE DE REQUISITOS DE SOFTWARE APLICATIVO 1. INTRODUÇÃO Entender os requisitos de um problema está entre as tarefas mais difíceis na construção de um software. Na maioria das vezes o cliente

Leia mais

PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 1. Conceitos de Orientação a Objetos Introdução O paradigma da POO Classes

Leia mais

UNIVASF - Universidade Federal do Vale do São Francisco Manutenção de Software

UNIVASF - Universidade Federal do Vale do São Francisco Manutenção de Software UNIVASF - Universidade Federal do Vale do São Francisco Manutenção de Software Prof. Ricardo A. Ramos Ciclo de Vida de Software 2 Manutenção de Software Alterações efetuadas no software depois de sua liberação.

Leia mais

Sumário. Prefácio...14. Capítulo 1 O que é qualidade?...17. Capítulo 2 Normas e organismos normativos...43. Capítulo 3 Métricas: visão geral...

Sumário. Prefácio...14. Capítulo 1 O que é qualidade?...17. Capítulo 2 Normas e organismos normativos...43. Capítulo 3 Métricas: visão geral... Prefácio...14 Capítulo 1 O que é qualidade?...17 1.1 História... 17 1.2 Uma crise de mais de trinta anos...20 1.3 Qualidade e requisitos...25 1.4 Papel da subjetividade...27 1.5 Qualidade e bugs I: insetos

Leia mais

Projeto de Sistemas I

Projeto de Sistemas I Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Projeto de Sistemas I Professora: Kelly de Paula Cunha E-mail:kellypcsoares@ifsp.edu.br Requisitos: base para todo projeto, definindo o

Leia mais

Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva

Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva Modelagem de Sistemas Prof. Marcos Roberto e Silva Diagrama de Casos de Uso Demonstra o comportamento externo do sistema, através de uma linguagem simples. Apresentando o sistema sobre a perspectiva do

Leia mais

Análise e Projeto Orientados por Objetos

Análise e Projeto Orientados por Objetos Análise e Projeto Orientados por Objetos Aula 02 Análise e Projeto OO Edirlei Soares de Lima Análise A análise modela o problema e consiste das atividades necessárias para entender

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade

Gerenciamento de Qualidade UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Qualidade Engenharia de Software 2o. Semestre de

Leia mais

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto,

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto, De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir.

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir. De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Produto de Software Qualidade de Software Um produto de software compreende os programas e procedimentos de computador e a documentação e dados associados, que foram projetados para serem liberados para

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Requisitos de Software

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Requisitos de Software Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Análise dos Requisitos de Software Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução Tipos de requisitos Atividades Princípios da

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

Conceitos de Banco de Dados

Conceitos de Banco de Dados Conceitos de Banco de Dados Autor: Luiz Antonio Junior 1 INTRODUÇÃO Objetivos Introduzir conceitos básicos de Modelo de dados Introduzir conceitos básicos de Banco de dados Capacitar o aluno a construir

Leia mais

Guia de Especificação de Caso de Uso Metodologia CELEPAR

Guia de Especificação de Caso de Uso Metodologia CELEPAR Guia de Especificação de Caso de Uso Metodologia CELEPAR Agosto 2009 Sumário de Informações do Documento Documento: guiaespecificacaocasouso.odt Número de páginas: 10 Versão Data Mudanças Autor 1.0 09/10/2007

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

Documento de Arquitetura

Documento de Arquitetura Documento de Arquitetura A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO A2MEPonto - SISTEMA DE PONTO ELETRÔNICO #1 Pág. 1 de 11 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 28/10/2010 1 Elaboração do documento

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Sistemas de Informação e Tecnologia em 3º Semestre Análise Orientada aos Objetos Modelagem de Casos de Uso Objetivo: Apresentar

Leia mais

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207 Qualidade de : Visão Geral ISO 12207: Estrutura s Fundamentais Aquisição Fornecimento s de Apoio Documentação Garantia de Qualidade Operação Desenvolvimento Manutenção Verificação Validação Revisão Conjunta

Leia mais

Sumário. Uma visão mais clara da UML

Sumário. Uma visão mais clara da UML Instituto Federal de Santa Catarina Câmpus Chapecó Ensino Médio Integrado em Informática Módulo V Unidade Curricular: Engenharia de Software Professora: Lara P. Z. B. Oberderfer Uma visão mais clara da

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Normas ISO para Usabilidade

Normas ISO para Usabilidade Normas ISO para Usabilidade Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Especialização em Informática - Engenharia de Software Alunas: Kecia

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1 DESAFIO Um dos maiores avanços percebidos pela área de qualidade de software foi comprovar que a qualidade de um produto final (software) é uma consequência do processo pelo qual esse software foi desenvolvido.

Leia mais

Requisitos de Software

Requisitos de Software Requisitos de Software Prof. José Honorato F.N. Prof. José Honorato F.N. honoratonunes@gmail.com Requisitos de Software Software é o conjunto dos programas e dos meios não materiais que possibilitam o

Leia mais

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Eneida Rios¹ ¹http://www.ifbaiano.edu.br eneidarios@eafcatu.gov.br Campus Catu 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Conteúdos Fatores humanos de qualidade

Leia mais

Tipos de teste de software

Tipos de teste de software Tipos de teste de software Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br Adilson Hira ayhira@lsi.usp.br Laboratório de Sistemas Integráveis Departamento de Sistemas Eletrônicos Escola Politécnica da USP Sumário

Leia mais

NORMAS ISO E SUA IMPORTÂNCIA NA PRODUÇÃO DE SOFTWARE

NORMAS ISO E SUA IMPORTÂNCIA NA PRODUÇÃO DE SOFTWARE NORMAS ISO E SUA IMPORTÂNCIA NA PRODUÇÃO DE SOFTWARE Marina Benedetti Preto¹ RESUMO Muito se fala sobre a qualidade de software, mas sem sempre se tem uma verdadeira noção deste conceito. A qualidade possui

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Aula 1 Ementa Fases do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software, apresentando como os métodos, ferramentas e procedimentos da engenharia de software, podem

Leia mais

Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr.

Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr. Engenharia de Software na Prática Hélio Engholm Jr. Novatec Sumário Agradecimentos... 17 Sobre o autor... 18 Prefácio... 19 Capítulo 1 Desenvolvimento de software para o valor de negócios... 20 1.1 Qualidade

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS

MODELAGEM DE SISTEMAS MODELAGEM DE SISTEMAS Diagramas de Casos de Uso Profa. Rosemary Melo Diagrama de Casos de Uso Modelagem de Sistemas Apresenta uma visão externa geral das funções ou serviços que o sistema deverá oferecer

Leia mais

Manutenção desoftware. SCE 186- Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestrede2002

Manutenção desoftware. SCE 186- Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestrede2002 Manutenção desoftware SCE 186- Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestrede2002 CiclodeVidadeSoftware 2 ManutençãodeSoftware n Alterações efetuadas no software

Leia mais

Requisitos. Sistemas de Informações

Requisitos. Sistemas de Informações Requisitos Sistemas de Informações Definindo o Sucesso do Software Clientes satisfeitos Eles estão satisfeitos quando você: Atende às expectativas Entrega no prazo Entrega no orçamento O Sucesso começa

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Sumário Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Modelagem de Sistemas de Software Departamento de Engenharia de Telecomunicações Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Setembro

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Requisitos de Software. Teresa Maciel DEINFO/UFRPE

Requisitos de Software. Teresa Maciel DEINFO/UFRPE Requisitos de Software Teresa Maciel DEINFO/UFRPE 1 Requisito de Software Características que o produto de software deverá apresentar para atender às necessidades e expectativas do cliente. 2 Requisito

Leia mais

Engenharia de Software Qualidade de Software

Engenharia de Software Qualidade de Software Engenharia de Software Qualidade de Software O termo qualidade assumiu diferentes significados, em engenharia de software, tem o significado de está em conformidade com os requisitos explícitos e implícitos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE DE GESTÃO INTEGRADA UTILIZANDO AS NORMAS ISO/IEC 9126 e ISO/IEC 14598-1 Acadêmico: Adriano Kasburg Orientador : Everaldo Artur Grahl Roteiro Introdução Motivação Objetivos

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Requisitos de Software Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br Requisito O que é um REQUISITO? Em software: É a CARACTERIZAÇÃO do que o

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelos de gerência CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelo de maturidade: CMM CMM (Capability Maturity Model) é um modelo subdividido em 5 estágios

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações

Tecnologia e Sistemas de Informações Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 3 Componentes de SIs Pessoas SI Organiz. Unidades que exercem diferentes funções, tais

Leia mais

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES TRABALHO DE DIPLOMAÇÃO Regime Modular ORIENTAÇÕES SOBRE O ROTEIRO DO PROJETO FINAL DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES [Observação: O template a seguir é utilizado como roteiro para projeto de sistemas orientado

Leia mais

Introdução Fatores de Qualidade Garantia de Qualidade Rivisões de Software Conclusão. Qualidade. Plácido A. S. Neto 1

Introdução Fatores de Qualidade Garantia de Qualidade Rivisões de Software Conclusão. Qualidade. Plácido A. S. Neto 1 Qualidade Plácido A. S. Neto 1 1 Gerência Educacional de Tecnologia da Informação Centro Federal de Educação Tecnologia do Rio Grande do Norte 2006.1 - Planejamento e Gerência de Projetos Agenda Introdução

Leia mais

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos;

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos; Versão 1.1 - Última Revisão 16/08/2006 Porque estudar um Modelo de Maturidade? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para

Leia mais

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER

Unisant Anna Gestão Empresarial com ERP 2014 Modelagem de Sistemas - UML e MER Objetivo dessa aula é descrever as características e a simbologia dos diagramas UML e MER na modelagem de sistemas de informação de uma forma a permitir a comunicação entre técnicos e gestores. Modelagem

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

Concepção e Elaboração

Concepção e Elaboração UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Análise e Projeto Orientado a Objetos Concepção e Elaboração Estudo

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Notas de Aula Ulrich Schiel Notas de Aula Ariadne

Leia mais

Engenharia de Software 2012/3 Aula 4 Engenharia de Requisitos

Engenharia de Software 2012/3 Aula 4 Engenharia de Requisitos Engenharia de Software Engenharia de Software 2012/3 Aula 4 Engenharia de Requisitos Thiago P. da Silva thiagosilva.inf@gmail.com Agenda Engenharia de Requisitos Níveis de Descrição dos Requisitos Tipos

Leia mais

Qualidade de Produto de Software

Qualidade de Produto de Software Qualidade de Produto de Software Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer-CTI Rodovia Dom Pedro I km 143,6 Campinas SP Brasil Divisão de Qualificação em Software - DQS Ana Cervigni Guerra ana.guerra@cti.gov.br

Leia mais

Teste de software. Definição

Teste de software. Definição Definição O teste é destinado a mostrar que um programa faz o que é proposto a fazer e para descobrir os defeitos do programa antes do uso. Quando se testa o software, o programa é executado usando dados

Leia mais

Identificando necessidades e estabelecendo requisitos

Identificando necessidades e estabelecendo requisitos Identificando necessidades e estabelecendo requisitos Resumo A importância de requisitos Diferentes tipos de requisitos Coleta de dados para requisitos Descrição de tarefas: Cenários Casos de uso Casos

Leia mais

Engenharia de Software Questionário sobre Engenharia de Requisitos Resolvido Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante

Engenharia de Software Questionário sobre Engenharia de Requisitos Resolvido Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante 1 - Q193183 ( Prova: FCC - 2011 - TRT - 19ª Região (AL) - Analista Judiciário - Tecnologia da Informação / Engenharia de Software / Análise de Requisitos; Engenharia de Requisitos; ) De acordo com Sommerville,

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Roteiro Análise de requisitos Definição de requisitos do sistema Requisitos Funcionais Requisitos Não Funcionais Exercício Análise de Requisitos Análise de Requisitos É o 1º passo

Leia mais

DOMAIN-DRIVEN DESIGN E TEST-DRIVEN DEVELOPMENT

DOMAIN-DRIVEN DESIGN E TEST-DRIVEN DEVELOPMENT DOMAIN-DRIVEN DESIGN E TEST-DRIVEN DEVELOPMENT Jaqueline Rissá Franco email: jaquerifr@gmail.com Karla Marturelli Mattos Luciano Mathias Doll João Almeida Resumo: Este artigo mostra novas abordagens na

Leia mais

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA

ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA ALESSANDRO RODRIGO FRANCO FERNANDO MARTINS RAFAEL ALMEIDA DE OLIVEIRA INTRODUÇÃO O projeto de um banco de dados é realizado sob um processo sistemático denominado metodologia de projeto. O processo do

Leia mais

Modelagem de Dados Usando o Modelo Entidade-Relacionamento

Modelagem de Dados Usando o Modelo Entidade-Relacionamento Usando o Modelo Entidade-Relacionamento MER 1 MER Levantamento e Análise de requisitos Entrevista Entender e documentar seus requisitos de dados Requisitos funcionais da aplicação empregadas ao banco de

Leia mais

QUALIDADE DO SOFTWARE (PRODUTO)

QUALIDADE DO SOFTWARE (PRODUTO) QUALIDADE DO SOFTWARE (PRODUTO) Baseado no material do prof. Mario Lúcio Cortes http://www.ic.unicamp.br/~cortes/mc726/ 1 1. Introdução No início qualidade = funcionalidade capacidade de substituir o hardware

Leia mais

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS. Lílian Simão Oliveira

LEVANTAMENTO DE REQUISITOS. Lílian Simão Oliveira LEVANTAMENTO DE REQUISITOS Lílian Simão Oliveira Níveis de erros Fonte: imaster.com um software São as características e funcionalidades que um software tem Engenharia de Requisitos O que é? Quem faz?

Leia mais

O Processo de Engenharia de Requisitos

O Processo de Engenharia de Requisitos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA O Processo de Engenharia de Requisitos Engenharia de Software 2o.

Leia mais

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este

Leia mais

Modelo Entidade-Relacionamento

Modelo Entidade-Relacionamento Modelo Entidade-Relacionamento Banco de Dados I Fases do Projeto jt de BD Enunciado de requisitos entrevista com o usuário do banco de dados para entender e documentar seus requerimentos de dados. Projeto

Leia mais

Engenharia de Software Software Requirements

Engenharia de Software Software Requirements Requisitos Engenharia de Software Software Requirements SWEBOK, Capítulo 2 Primeira Classificação de Requisito 1. Requisito do usuário: declarações sobre as funções que o sistema deve oferecer 2. Requisito

Leia mais