SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISA GONÇALO MONIZ RESOLUÇÃO Nº 09/2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISA GONÇALO MONIZ RESOLUÇÃO Nº 09/2008"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISA GONÇALO MONIZ RESOLUÇÃO Nº 09/2008 Institui e regulamenta as regras de utilização e administração de sistemas e serviços de correio eletrônico no CPqGM FIOCRUZ O CONSELHO DELIBERATIVO DO CPQGM, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de regulamentar a utilização de serviços de correio eletrônico no CPqGM e considerando que as normas de utilização de serviços de correio eletrônico foram disponibilizadas para consulta pública e discutidas em reuniões da Diretoria e do Conselho Deliberativo, RESOLVE: A utilização de serviços de correio eletrônico no CPqGM vão seguir as regras descritas a seguir. 1. OBJETIVO O objetivo desta norma é estabelecer regras e responsabilidades para utilização e administração de sistemas de Correio Eletrônico de propriedade do CPqGM ou acessíveis através da infra-estrutura tecnológica da Instituição. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Aplica-se a todos os sistemas de Correio Eletrônico de propriedade do CPqGM ou acessíveis de dentro da rede institucional, ou ainda cujos endereços contenham qualquer dos domínios utilizados pelo CPqGM. 3. REGRAS GERAIS 3.1. O sistema de correio eletrônico utilizado no CPqGM é uma ferramenta de trabalho adquirida e disponibilizada pela Instituição para sua utilização pelas pessoas enquanto possuem vínculo formal com ela. A utilização do correio eletrônico é uma concessão e não um direito dos usuários O servidor de correio eletrônico, o sistema de correio eletrônico, os endereços e as caixas postais são de propriedade do CPqGM. As caixas postais podem ser bloqueadas por perda de vínculo do usuário com a Instituição ou por limitações de capacidade do sistema. Os endereços de correio eletrônico podem ser alterados sempre que houver

2 necessidade de ordem técnica, operacional ou legal, mediante prévia comunicação O serviço de correio eletrônico somente deve ser utilizado para atividades institucionais. Uma mensagem de correio eletrônico é um documento institucional e enviar mensagens indevidas significa emitir documentos indevidos Todas as caixas postais terão um usuário titular, que será o responsável por sua utilização. Não existirão caixas postais conjuntas Para otimizar a utilização dos recursos tecnológicos, reduzir o custo de manutenção e a possibilidade de uso indevido, os usuários que perderem o vínculo com o CPqGM terão suas caixas postais e endereços de correio eletrônico excluídos pela Seção de Informática no prazo máximo de 30 dias Para os efeitos desta instrução normativa, servidores públicos demitidos ou exonerados e ex-alunos são considerados pessoas que perderam o vínculo com a Instituição Poderão ser bloqueados pela Seção de Informática as caixas postais e os endereços de correio eletrônico que não forem utilizados por mais de 60 dias Serão excluídos pela Seção de Informática as caixas postais e os endereços de correio eletrônico que não forem utilizados por mais de 180 dias Todos os usuários que possuírem uma caixa postal de correio eletrônico em qualquer servidor da rede do CPqGM devem usar um endereço eletrônico que siga os padrões determinados nesta norma O domínio utilizado pelo CPqGM será apenas bahia.fiocruz.br. Todo e qualquer subdomínio que exista ou que venha a ser criado abaixo desses ficará sob autoridade indelegável do CPqGM e sob administração da Seção de Informática, que avaliará a necessidade de criação de subdomínios O endereço utilizado para envio de mensagens por todos os usuários será do domínio bahia.fiocruz.br É proibida a criação ou utilização dentro da rede do CPqGM de qualquer domínio que não seja subdomínio de bahia.fiocruz.br, salvo por razões técnicas É proibida a criação de subdomínios para identificar servidores de rede, computadores e usuários que sejam específicos de laboratórios ou de setores do CPqGM Os servidores públicos do CPqGM utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão: Os pesquisadores visitantes com vínculo formal com a Instituição utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão: fiocruz.br Os conveniados com vínculo formal com a Instituição utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão:

3 3.17. Os alunos com vínculo formal com a Instituição utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão: Os terceirizados com vínculo formal com a Instituição utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão: Pós-doutorandos com vínculo formal com a Instituição utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão: Estagiários com vínculo formal com a Instituição utilizarão endereços de correio eletrônico dentro do seguinte padrão: Serão consideradas mensagens institucionais apenas aquelas enviadas através do domínio bahia.fiocruz.br Não serão instalados outros servidores de correio eletrônico nos domínios ou na rede do CPqGM sem o conhecimento e aprovação da Seção de Informática As caixas postais do Diretor, Vice-Diretores e pesquisadores terão capacidade de armazenar 1GB (um Gigabyte) de mensagens. As caixas postais dos demais servidores públicos terão capacidade de armazenar 500 MB (quinhentos Megabytes) cada. As caixas postais dos demais usuários terão capacidade de armazenar 100 MB (cem Megabytes) cada. As caixas postais das sub-unidades organizacionais terão capacidade de armazenar 500 MB (quinhentos Megabytes). Essas capacidades de armazenamento poderão ser aumentadas e reduzidas para todos conforme perfis acima, sempre que ocorrer necessidade de ordem técnica A manutenção das caixas postais dentro da capacidade de armazenamento é de inteira responsabilidade dos seus usuários As caixas postais que excederem os limites serão automaticamente bloqueadas para envio e recebimento de mensagens Cada sub-unidade organizacional terá um endereço de correio eletrônico para recebimento de mensagens internas, que encaminhará as mensagens a todos os usuários da sub-unidade. Estes endereços seguirão o padrão Não será permitido enviar mensagens através dos endereços que seguirem esse padrão Cada sub-unidade organizacional terá um endereço destinado ao recebimento de mensagens externas ou internas, que serão encaminhadas a uma caixa postal de responsabilidade da chefia, que poderá ser sub-delegada. Estes endereços seguirão o padrão bahia.fiocruz.br. As mensagens enviadas através dos endereços departamentais que seguirem esse padrão deverão ser assinadas para identificação do remetente O grupo de distribuição incluirá todos os endereços de correio eletrônico do CPqGM e só receberá mensagens internas enviadas pela Diretoria da Instituição.

4 3.29. Todos os grupos de distribuição, caixas postais e endereços individuais serão criados pela Seção de Informática em consonância com o organograma ou programa institucional. Os endereços individuais serão criados depois de aprovados pelo chefe da sub-unidade ou pelo coordenador do programa Os endereços das sub-unidades organizacionais referidos no item 5.26 devem ser mantidos por pessoas indicadas pela chefia. A Seção de Informática deve disponibilizar meios para essa administração descentralizada Grupos de distribuição que incluírem somente membros da Diretoria, Conselho Deliberativo, Vice-Diretorias, Comitês e Comissões devem ser mantidos pela Diretoria Só poderão ser criados grupos de distribuição a partir de demandas que atendam a critérios funcionais e programáticos Arquivos potencialmente perigosos, como executáveis, serão removidos automaticamente das mensagens antes de serem entregues aos destinatários Deve ser garantida a verificação de vírus em todas as mensagens enviadas ou recebidas pelo servidor de correio eletrônico do CPqGM Os servidores públicos do CPqGM são obrigados a ter, manter e usar um endereço e uma caixa postal de correio eletrônico da Instituição As mensagens enviadas pelo sistema de correio eletrônico do CPqGM poderão sofrer controle formal e material por parte da Instituição para investigar possível uso indevido, após abertura de sindicância ou processo administrativo para apuração. A Seção de Informática deverá fazer uma cópia de segurança dos dados armazenados nas caixas postais sempre que houver indícios de uso indevido O acesso externo ao correio eletrônico do CPqGM é garantido apenas através de Webmail (HTTPS) Manutenções no serviço de correio eletrônico devem ser programadas e previamente divulgadas, exceto quando forem urgentes ou para que o serviço retorne ao seu funcionamento normal O servidor de correio eletrônico não permitirá relay de mensagens de outras redes de computadores diferentes das sub-redes sob administração do CPqGM. 4. PROIBIÇÕES Não é permitido: 4.1. Utilizar o correio eletrônico do CPqGM ou qualquer outro sistema de correio eletrônico através da infra-estrutura tecnológica da Instituição para enviar mensagens spam, independente do assunto ou finalidade Enviar mensagens de correio eletrônico expressando opiniões ou fazendo declarações em nome do Ministério da Saúde, da FIOCRUZ, do CPqGM, ou de qualquer

5 uma das suas sub-unidades, exceto por seus respectivos representantes legais e substitutos devidamente designados Enviar, através de correio eletrônico, informações sigilosas de interesse do Ministério da Saúde, da FIOCRUZ, do CPqGM ou de qualquer outra instituição com as quais estes tenham contrato ou convênio, sem expressa autorização do responsável pela informação e pelo órgão ou instituição Enviar, armazenar e acessar mensagens com conteúdo ofensivo, obsceno, promocional, difamatório, discriminatório, ameaçador ou de assédio a outras pessoas utilizando o sistema de correio eletrônico ou a infra-estrutura tecnológica do CPqGM Divulgar pelo sistema de correio eletrônico do CPqGM material que caracterize violação de direitos autorais Utilizar o sistema de correio eletrônico do CPqGM para fins comerciais e pessoais Divulgar externamente para fins não institucionais o endereço de qualquer pessoa que use o serviço de correio eletrônico do CPqGM Enviar ou reenviar correntes ou mensagens prejudiciais ao destinatário Enviar mensagens de correio eletrônico de outros domínios usando o servidor de correio eletrônico do CPqGM Utilizar o correio eletrônico do CPqGM de qualquer forma não prevista nesta norma que possa afetar negativamente o CPqGM, a FIOCRUZ, o Ministério da Saúde ou a União Utilizar programas, procedimentos ou quaisquer outros meios para tentar prejudicar o funcionamento do serviço de correio eletrônico ou ter acesso não autorizado a mensagens e caixas postais de outros usuários Utilizar o sistema de correio eletrônico do CPqGM para qualquer atividade ilícita, vedada ou classificada como infração pela Lei 8.112/1990, pelo Código de Ética do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal (Decreto 1.171/1994) ou por qualquer outra lei, norma, código de ética profissional ou regulamento aplicável aos servidores públicos, pesquisadores, estudantes ou profissionais que tenham qualquer vínculo com o CPqGM. 5. RESPONSABILIDADES Do Usuário: 5.1. Utilizar e manter a caixa postal dentro dos limites de capacidade Manter o sigilo da sua senha de acesso, que é pessoal e intransferível Divulgar alterações no seu endereço de correio eletrônico para aqueles com quem troca mensagens.

6 5.4. O conteúdo das mensagens e anexos enviados através do seu endereço. Do Administrador do Serviço de Correio Eletrônico: 5.5. Monitorar e manter o bom funcionamento do serviço de correio eletrônico, do antivírus e do anti-spam integrados ao sistema de correio eletrônico Evitar o acesso às mensagens dos usuários provocado pela utilização indevida da senha de administração do serviço de correio eletrônico, exceto se o acesso se deu por vulnerabilidades do sistema operacional ou do serviço Bloquear, no prazo máximo de um dia útil, as caixas postais de usuários que tenham perdido vínculo institucional Submeter-se, enquanto usuário do serviço de correio eletrônico, às definições desta instrução normativa Informar ao usuário sobre mudanças no seu endereço de correio eletrônico Elaborar, divulgar e manter na Intranet do CPqGM a cartilha de boas práticas de uso do Correio Eletrônico. Do Chefe da Seção de Informática: Indicar as pessoas que vão exercer as funções de Administrador de Correio Eletrônico. Dos setores responsáveis pelo cadastro de pessoas que têm vínculo com o CPqGM: Informar à Seção de Informática os nomes das pessoas que tenham perdido o vínculo com o CPqGM no prazo máximo de dois dias úteis. Dos Chefes das Sub-unidades Organizacionais: Comunicar imediatamente à Seção de Informática e ao setor responsável pelo cadastro de pessoas que têm vínculo com o CPqGM sobre a saída de usuários que têm acesso a informações sigilosas. 6. PENALIDADES 6.1. A inobservância desta instrução normativa será considerada infração disciplinar, conforme Art. 129 da Lei 8.112, de 11 de novembro de Demais usuários que não sejam enquadrados na Lei 8.112/1990 e no Código de Ética do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal (Decreto 1.171/1994) estão sujeitos às penalidades previstas nos seus respectivos instrumentos de vínculo e no Código de

7 Conduta na Realização das Atividades de Pesquisa Vinculadas ao CPqGM A aplicação de sanções administrativas não prejudica a aplicação das sanções civis e penais cabíveis. 7. SIGLAS UTILIZADAS INI Instrução Normativa Interna VDG Vice-Diretoria de Gestão HTTPS - Hypertext Transport Protocol Secure TI Tecnologia da Informação IMAP Internet Message Access Protocol POP3 Post Office Protocol V.3 IP Internet Protocol SMTP Simple Mail Transfer Protocol MB Megabyte TST Tribunal Superior do Trabalho TRT Tribunal Regional do Trabalho 4. DEFINIÇÕES 4.1. Ativo qualquer bem, tangível ou não, que tenha valor para a organização Ativo de Informação qualquer ativo que faça processamento, armazenamento ou transmissão de informações. Também define qualquer informação que, por força de atos normativos, por questões éticas ou por motivos estratégicos, precise ter sua confidencialidade, integridade e disponibilidade protegidas Caixa Postal ou Caixa de Mensagem espaço no servidor de correio eletrônico vinculado a um endereço eletrônico onde as mensagens recebidas ou enviadas ficam armazenadas temporariamente ou por tempo indeterminado Correio Eletrônico ou tecnologia de comunicação que usa redes de computadores para envio e recebimento de mensagens eletrônicas não instantâneas Correntes ou Mensagens Encadeadas mensagens enviadas a diversas pessoas solicitando retransmissão para outras pessoas, difundindo-as em progressão geométrica Domínio nome que identifica um computador ou um grupo de computadores na Internet, sempre associado a um endereço IP HTTPS (Hypertext Transport Protocol Secure) protocolo de acesso seguro a páginas hospedadas em servidores Web IMAP (Internet Message Access Protocol) protocolo de rede de computadores utilizado para acesso a mensagens de correio eletrônico Lista ou Grupo de Distribuição endereço de correio eletrônico que distribui as mensagens recebidas para outros endereços cadastrados como membros.

8 4.10. POP3 (Post Office Protocol V.3) protocolo de rede de computadores utilizado para acesso a mensagens de correio eletrônico Relay recurso que possibilita a um servidor de correio eletrônico retransmitir mensagens oriundas de uma rede externa Serviço de Correio Eletrônico todo e qualquer serviço computacional que utilize uma rede de computadores para transmissão de mensagens eletrônicas, usando protocolos de rede SMTP, IMAP, POP3 ou qualquer outro protocolo que venha a surgir já existente Servidor ou Servidor de Rede computador que disponibiliza serviços acessíveis através de uma rede de computadores Servidor de correio eletrônico computador que disponibiliza um serviço de correio eletrônico acessível através de uma rede de computadores Servidor Público pessoa legalmente investida em um cargo público comissionado ou de natureza efetiva Sistema de Correio Eletrônico programa de computador que faz com que um servidor de rede funcione como um servidor de correio eletrônico SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) protocolo de rede de computadores para transmissão de mensagens de correio eletrônico Spam qualquer mensagem recebida de maneira indesejada, normalmente por vários destinatários, que pode conter propaganda, vírus ou outros artifícios para enganar ou prejudicar Sub-rede rede de computadores que é parte de uma rede maior, e que fica sob administração desta Sub-unidade Organizacional laboratórios, departamentos, serviços, seções e núcleos Subdomínio nome que identifica um domínio que é parte de outro domínio Vírus programas maliciosos que têm a finalidade de prejudicar o funcionamento e danificar sistemas e arquivos de computador. Aprovado pelo Conselho Deliberativo do CPqGM no dia 03 de outubro de MITERMAYER GALVÃO DOS REIS Diretor Presidente do Conselho Deliberativo

PORTARIA NORMATIVA Nº 003, DE 30 DE MARÇO DE 2012

PORTARIA NORMATIVA Nº 003, DE 30 DE MARÇO DE 2012 PORTARIA NORMATIVA Nº 003, DE 30 DE MARÇO DE 2012 Normatiza o uso do correio eletrônico institucional em atendimento à Resolução nº 34/2011- CS/IFB O REITOR PRO TEMPORE DO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA,

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2011.

REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2011. REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2011. Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional e normatiza as regras para criação e exclusão de caixas postais institucionais. TÍTULO I DO OBJETIVO

Leia mais

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11)

A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11) A- SUBPROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA JURÍDICA ATO NORMATIVO Nº 706/2011-PGJ, DE 29 DE JULHO DE 2011 (Protocolado nº 80.329/11) Texto compilado até o Ato (N) nº 791/2013 PGJ de 11/10/2013 Estabelece normas

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional e normatiza as regras

Leia mais

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 195/2011 Institui a Norma de Segurança dos Recursos de Tecnologia da Informação - NSRTI, do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO BASEADO NA NORMA ABNT 21:204.01-010 A Política de segurança da informação, na empresa Agiliza Promotora de Vendas, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de

Leia mais

FERRAMENTAS DE EMAIL Usada para visualizar emails (correio eletrônico).

FERRAMENTAS DE EMAIL Usada para visualizar emails (correio eletrônico). FERRAMENTAS DE EMAIL Usada para visualizar emails (correio eletrônico). CLIENTE DE EMAIL - OUTLOOK (Microsoft Office). - Outlook Express (Windows). - Mozilla Thunderbird (Soft Livre). - Eudora. - IncredMail.

Leia mais

Normas para o Administrador do serviço de e-mail

Normas para o Administrador do serviço de e-mail Normas para o Administrador do serviço de e-mail Os serviços de e-mails oferecidos pela USP - Universidade de São Paulo - impõem responsabilidades e obrigações a seus Administradores, com o objetivo de

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA COMITÊ DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA COMITÊ DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA COMITÊ DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES NORMA OPERACIONAL/DTI/ Nº 01, DE 1 DE SETEMBRO DE 2014. Dispõe sobre a governança e

Leia mais

RESOLUÇÃO GP/DG N. 7, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO GP/DG N. 7, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2014 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO RESOLUÇÃO GP/DG N. 7, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2014 Institui a Política de Segurança da Informação e Comunicação (POSIC-TRT3) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

USO DOS SERVIÇOS DE E-MAIL

USO DOS SERVIÇOS DE E-MAIL USO DOS SERVIÇOS DE E-MAIL 1. OBJETIVO Estabelecer responsabilidades e requisitos básicos de uso dos serviços de Correio Eletrônico, no ambiente de Tecnologia da Informação da CREMER S/A. 2. DEFINIÇÕES

Leia mais

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista.

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista. DECRETO nº 1784, de 13 de fevereiro de 2012 Disciplina a criação de e-mail institucional para todos os servidores da Administração Direta do Poder Executivo do Município de Contagem. A PREFEITA DO MUNICÍPIO

Leia mais

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação

Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Manual de Normas e Procedimentos de Segurança da Informação Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos profissionais e usuários de informática da FECAP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO Portaria nº 1108/2011-GR Ementa: Regulamenta os procedimentos para o uso do Correio Eletrônico Institucional e

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

POLÍTICA DE USO DE CORREIO ELETRÔNICO da SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ

POLÍTICA DE USO DE CORREIO ELETRÔNICO da SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ POLÍTICA DE USO DE CORREIO ELETRÔNICO da SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DO CEARÁ 1. OBJETIVO Definir os requisitos e as regras de segurança para o uso do correio eletrônico (e-mail) no âmbito da SESA (Secretaria

Leia mais

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO REGULAMENTO E POLITICAS PARA O USO DA REDE DE COMPUTADORES DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO O presente documento define o regulamento para o uso apropriado da rede de computadores

Leia mais

ATO CONJUNTO PGJ-CGMP N. 01, DE 02 DE SETEMBRO DE 2013

ATO CONJUNTO PGJ-CGMP N. 01, DE 02 DE SETEMBRO DE 2013 ATO CONJUNTO PGJ-CGMP N. 01, DE 02 DE SETEMBRO DE 2013 Disciplina o uso do correio eletrônico (e-mail) do Ministério Público do Estado de Goiás e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA,

Leia mais

SOPHUS TECNOLOGIA POLÍTICA DE ENVIO DE E-MAILS

SOPHUS TECNOLOGIA POLÍTICA DE ENVIO DE E-MAILS SOPHUS TECNOLOGIA POLÍTICA DE ENVIO DE E-MAILS Com o objetivo de manter um alto nível no serviço de e-mails, a SOPHUS TECNOLOGIA disponibiliza soluções voltadas para cada necessidade de seus clientes.

Leia mais

Portaria nº 4.772, de 23 de setembro de 2008.

Portaria nº 4.772, de 23 de setembro de 2008. Portaria nº 4.772, de 23 de setembro de 2008. Institui a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE RIO VERDE NORMATIZAÇÃO DE USO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO CEFET RIO VERDE Capítulo I DAS DEFINIÇÕES Art. 1º Para os fins desta Norma,

Leia mais

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet O B J E CT I V O Estabelecer critérios para acesso à Internet utilizando recursos do Projecto Portal do Governo de Angola. Orientar os Utilizadores sobre as competências, o uso e responsabilidades associadas

Leia mais

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ

ARTEC FACULDADE DE IMPERATRIZ POLÍTICA DE USO DE EQUIPAMENTO DE INFORMATICA Objetivo: Definir responsabilidades e orientar a conduta dos técnicos administrativos, alunos e professores da FACIMP na utilização dos recursos computacionais,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA INSTRUÇÃO DO USO DA REDE DE COMPUTADORES DO CEFET-BA O Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia (CEFET-BA) possui uma rede

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Ibirubá Conselho de Câmpus REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

Portaria n. 1017, de 13 de maio de 2008.

Portaria n. 1017, de 13 de maio de 2008. O Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região, no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO a necessidade de estabelecer diretrizes e padrões para garantir um ambiente tecnológico controlado

Leia mais

PORTARIA N. 8.604, de 05 de novembro de 2013.

PORTARIA N. 8.604, de 05 de novembro de 2013. PORTARIA N. 8.604, de 05 de novembro de 2013. Altera a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A PRESIDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e

Leia mais

Resolução 02/07 CCE-UFPR ESTABELECE NORMAS PARA A CRIAÇÃO E MANUTENÇÃO DE CORREIO ELETRÔNICO (EMAILS) NO DOMÍNIO UFPR.BR

Resolução 02/07 CCE-UFPR ESTABELECE NORMAS PARA A CRIAÇÃO E MANUTENÇÃO DE CORREIO ELETRÔNICO (EMAILS) NO DOMÍNIO UFPR.BR Resolução 02/07 CCE-UFPR ESTABELECE NORMAS PARA A CRIAÇÃO E MANUTENÇÃO DE CORREIO ELETRÔNICO (EMAILS) NO DOMÍNIO UFPR.BR Considerando: 1. A Delegação do COPLAD-UFPR através da Resolução 20/06-COPLAD. 2.

Leia mais

RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 71, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2003

RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 71, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2003 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 71, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2003 Dispõe sobre padronização e utilização dos Serviços de Correio Eletrônico Oficial dos Órgãos e Entidades do Poder Executivo da Administração Pública Estadual

Leia mais

WEBMAIL Política de Uso Aceitável

WEBMAIL Política de Uso Aceitável WEBMAIL Política de Uso Aceitável Bem-vindo ao Correio Eletrônico da UFJF. O Correio Eletrônico da UFJF (Correio-UFJF) foi criado para ajudá-lo em suas comunicações internas e/ou externas à Universidade.

Leia mais

Este Manual aplica-se a todos os Usuário de T.I. do Ministério Público de Goiás. ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Manter o Manual Atualizado

Este Manual aplica-se a todos os Usuário de T.I. do Ministério Público de Goiás. ATIVIDADE AUTORIDADE RESPONSABILIDADE Manter o Manual Atualizado Versão 01 - Página 1/8 1 Objetivo Orientar o usuário de T.I. a solicitar atendimento. Mostrar o fluxo da solicitação. Apresentar a Superintendência 2 Aplicação Este Manual aplica-se a todos os Usuário

Leia mais

PORTARIA N. TC-0614/2011

PORTARIA N. TC-0614/2011 PORTARIA N. TC-0614/2011 Dispõe sobre a política de segurança e utilização dos recursos de tecnologia da informação e política de governança do sítio e intranet do Tribunal de Contas do Estado de Santa

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 4, DE 22 DE MARÇO DE 2011 DO COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES CGTIC-MPA

RESOLUÇÃO N. 4, DE 22 DE MARÇO DE 2011 DO COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DAS COMUNICAÇÕES CGTIC-MPA Estabelece a Política de Segurança da Informação e Comunicações POSIC no âmbito do Ministério da Pesca e Aquicultura, e constitui o Comitê de Segurança da Informação e Comunicações. O PRESIDENTE DO COMITÊ

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA DA CPRH Nº. 004/2014 O Diretor Presidente da Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos CPRH, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo Decreto nº. 30.462 de 25 de

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 323/GDGCA.GP, DE 31 DE OUTUBRO DE 2006

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 323/GDGCA.GP, DE 31 DE OUTUBRO DE 2006 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 323/GDGCA.GP, DE 31 DE OUTUBRO DE 2006 O PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Considerando a necessidade

Leia mais

Política de Privacidade

Política de Privacidade Política de Privacidade Este documento tem por objetivo definir a Política de Privacidade da Bricon Security & IT Solutions, para regular a obtenção, o uso e a revelação das informações pessoais dos usuários

Leia mais

Uso do Correio Eletrônico. Norma Técnica. I Controle da Norma. 02/07/2001 Versão da Norma: João Carlos Duarte dos Santos Situação atual: EM VIGOR

Uso do Correio Eletrônico. Norma Técnica. I Controle da Norma. 02/07/2001 Versão da Norma: João Carlos Duarte dos Santos Situação atual: EM VIGOR Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco Núcleo de Informática Norma Técnica Uso do Correio Eletrônico I Controle da Norma Data da Elaboração da Norma: 02/07/2001 Versão da Norma: NT03.01 Gerente do

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)- UNICARIOCA Objetivos A política de utilização da rede wireless tem como objetivo estabelecer regras e normas de utilização e ao mesmo tempo desenvolver

Leia mais

USO DO CORREIO ELETRÔNICO (e-mail)

USO DO CORREIO ELETRÔNICO (e-mail) Normativas de Segurança referente a utilização, deveres e responsabilidades do usuário quanto ao acesso a Rede, Correio Eletrônico e Internet no Governo do Estado do Ceará, conforme Decreto 29.227 do Diário

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

2.3. Conta de correio eletrônico: identificação do proprietário de uma caixa postal.

2.3. Conta de correio eletrônico: identificação do proprietário de uma caixa postal. Número do Boletim: 121 Data do Boletim: 29/06/2015 00:00 4. Ato do Gestor de Segurança da Informação e Comunicações PORTARIA CSIC Nº 1, DE 19 DE JUNHO DE 2015 Estabelece as normas para uso do correio eletrônico

Leia mais

COMUNICADO 01/2014 Política de Privacidade para Email Institucional, Celular Corporativo e Computadores.

COMUNICADO 01/2014 Política de Privacidade para Email Institucional, Celular Corporativo e Computadores. COMUNICADO 01/2014 Política de Privacidade para Email Institucional, Celular Corporativo e Computadores. O AfroReggae, por meio da Gerência de Informações e Monitoramento (GIM), torna pública a Política

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Superintendência de Tecnologia da Informação. Termo de Uso do sistema ufbam@il

Universidade Federal da Bahia Superintendência de Tecnologia da Informação. Termo de Uso do sistema ufbam@il Página: 1 / 5 1. Apresentação 1.1 O presente Termo de Uso tem por objetivo regulamentar a utilização do sistema de comunicação e colaboração da Universidade Federal da Bahia ufbam@il, fornecido pela STI/UFBA.

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e

PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e PORTARIA TRT 18ª GP/SGP Nº 034/2012 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, e tendo em vista o que consta do Processo

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

TERMO DE RESPONSABILIDADE

TERMO DE RESPONSABILIDADE TERMO DE RESPONSABILIDADE Pelo presente instrumento particular, declaro assumir a total responsabilidade pela utilização do CARTÃO FUNCIONAL e SENHA ELETRÔNICA, doravante chamados de IDENTIDADE DIGITAL

Leia mais

Correio Eletrônico Outlook Express. Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br

Correio Eletrônico Outlook Express. Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br Correio Eletrônico Outlook Express Prof. Rafael www.facebook.com/rafampsilva rafampsilva@yahoo.com.br O Microsoft Outlook é o principal cliente de mensagens e colaboração para ajudá-lo a obter os melhores

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 81, DE 26 DE MARÇO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 81, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Publicada no Boletim de Serviço Nº 4, em 7/4/2009. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 81, DE 26 DE MARÇO DE 2009 Disciplina o uso dos recursos de tecnologia da informação do Supremo Tribunal Federal e dá outras providências.

Leia mais

Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Política de Segurança Corporativa da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Agenda Projeto Realizado Política de Segurança da ALCE Próximos passos Projeto realizado Definição/Revisão da Política de

Leia mais

ANO XIII N. 49 08/04/2015 1) RESOLUÇÃO N. 8, DE 31 DE MARÇO DE 2015 TRT3/GP

ANO XIII N. 49 08/04/2015 1) RESOLUÇÃO N. 8, DE 31 DE MARÇO DE 2015 TRT3/GP INFORMATIVO DE LEGISLAÇÃO TRT DA 3ª REGIÃO (MG) SECRETARIA DE DOCUMENTAÇÃO, NORMALIZAÇÃO, LEGISLAÇÃO E JURISPRUDÊNCIA Seção de Atendimento e Divulgação ANO XIII N. 49 08/04/2015 1) RESOLUÇÃO N. 8, DE 31

Leia mais

3.2 SSI: formulário de Solicitação de Serviço à Informática - SSI, disponível na Intranet (Portal Corporativo Record).

3.2 SSI: formulário de Solicitação de Serviço à Informática - SSI, disponível na Intranet (Portal Corporativo Record). 1. OBJETIVOS Regulamentar o processo a ser seguido pelos usuários para liberação de ferramentas e recursos de Tecnologia da Informação, visando otimizar e agilizar as solicitações de forma que não gere

Leia mais

Autores: Regina Mainente Ricardo Pereira da Silva Superintendente Controlador Interno Ano de 2015

Autores: Regina Mainente  Ricardo Pereira da Silva Superintendente Controlador Interno Ano de 2015 Autores: Regina Mainente Superintendente Ricardo Pereira da Silva Controlador Interno Ano de 2015 Índice 1. Apresentação... 03 2. Introdução... 04 3. Para que serve a Segurança da Informação... 05 4. Pilares

Leia mais

Programa Normativo Instrução Normativa e Procedimentos de Segurança da Informação

Programa Normativo Instrução Normativa e Procedimentos de Segurança da Informação Código: PN.GITI.001 Data: 20/09/2010 Versão: 1 Página: 1 de 7 1. Conceituação A Unimed João Pessoa considera a informação como um dos principais ativos da organização, devendo por isso, ser protegida de

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA 1. DOS HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO 1.1 O Laboratório de informática pode ser utilizado das 7:30 às 22:30

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet)

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS (UFPelNet) A Universidade Federal de Pelotas (UFPel), através de seu Comitê de Tecnologia da Informação (PORTARIA

Leia mais

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO

07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 2/8 1. OBJETIVO 07/IN01/DSIC/GSIPR 00 06/MAI/10 1/8 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 121/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 121/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 121/2013/TCE-RO Disciplina questões referentes à gestão dos ativos de Tecnologia da Informação no âmbito do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO) e dá outras providências. O TRIBUNAL

Leia mais

CONDIÇÕES DA HOSPEDAGEM

CONDIÇÕES DA HOSPEDAGEM CONDIÇÕES DA HOSPEDAGEM OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA 1.1. As presentes condições tem por objeto a Hospedagem, sem exclusividade, dos Conteúdos de propriedade do CONTRATANTE na revenda NETPCHOST compartilhados

Leia mais

PR 29/07/2013. Instrução Normativa Nº 24/2013

PR 29/07/2013. Instrução Normativa Nº 24/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PR 29/07/2013 Instrução Normativa Nº 24/2013 Assunto: Institui a Política

Leia mais

Parágrafo único. O endereço de correio eletrônico é composto de duas partes:

Parágrafo único. O endereço de correio eletrônico é composto de duas partes: RESOLUÇÃO CSDP Nº 106, DE 08 DE OUTUBRO DE 2012 Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional no âmbito da Defensoria Pública do Estado do Pará. O Conselho Superior da Defensoria Pública do Estado

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 764/GDGSET.GP, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2012. (*) Estabelece as diretrizes de segurança da informação no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho. O PRESIDENTE

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA

REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX. Empresa XX LTDA 1 REGULAMENTO PARA USO DA REDE CORPORATIVA DE COMPUTADORES DA EMPRESA XX Empresa XX LTDA A EMPRESA XX LTDA, através de seu Comitê de Tecnologia da Informação, órgão responsável pela normatização e padronização

Leia mais

Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS RESOLUÇÃO TC Nº 17, DE 22 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a Política de Uso Aceitável dos Recursos de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. O DO ESTADO DE PERNAMBUCO,

Leia mais

ANEXO I Solicitação de acesso à rede corporativa (S.A.R.C) Poder Executivo do (RS) Cadastramento Bloqueio Desbloqueio Exclusão Justificativa Nome: Setor: Função: CPF: Identidade: Matricula: Ramal: Nome

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Módulo A REDES DE COMPUTADORES Protocolos de Rede FALANDO A MESMA LÍNGUA Um protocolo pode ser comparado a um idioma, onde uma máquina precisa entender o idioma de outra máquina

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL TÍTULO I - DO LABORATÓRIO DIDÁTICO CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA GADE SOLUTION Tatiana Lúcia Santana GADE SOLUTION 1. Conceituação: A informação é um dos principais patrimônios do mundo dos negócios. Um fluxo de informação de qualidade é capaz

Leia mais

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 105/2013 Assunto: Estabelece normas

Leia mais

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013

PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 29/07/2013 RESOLUÇÃO Nº 106/2013 Assunto: Estabelece normas

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS, QUE PODERÃO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 Institui a Política de Integração e Segurança da Informação do Sistema de Cadastro Ambiental Rural e dá outras providências. A MINISTRA DE ESTADO DO

Leia mais

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Capítulo I Do regimento e seus objetivos O presente regimento, elaborado pela Central de Processamento de dados da UFV- CRP, visa disciplinar

Leia mais

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17.

FACULDADE PROCESSUS Recredenciamento da Faculdade Processus - PORTARIA Nº- 1.394, DE 23/11/2012, D.O.U nº 227 de 26/11/2012, Seção 1 P. 17. REGULAMENTO INTERNO DO USO E ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS E DA REDE DA FACULDADE PROCESSUS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este ato tem como objetivo definir o uso e administração

Leia mais

FACULDADE CARLOS GOMES

FACULDADE CARLOS GOMES FACULDADE CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE CARLOS GOMES POLÍTICA DE USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E DA REDE Artigo 1º. Artigo 2º.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO STJ/GP N. 11 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015. Institui a política de segurança da informação do Superior Tribunal de Justiça e dá outras providências. O PRESIDENTE DO SUPERIOR

Leia mais

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico

Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Ref.: Política de uso de Internet e correio eletrônico Introdução A PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL-CHILE, através de seu setor de Tecnologia da Informação, tem como objetivo o provimento de um serviço de qualidade,

Leia mais

E-mail Institucional login@unifesp.br

E-mail Institucional login@unifesp.br E-mail Institucional login@unifesp.br Introdução O sistema de correio eletrônico da UNIFESP permite a seus usuários a troca de mensagens eletrônicas pela internet, comunicando pessoas dentro e fora da

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 839/2008 (publicada no DOAL nº 9263, de 28 de maio de 2008) Dispõe sobre as normas e procedimentos

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PO - PSI 1ª 1/9 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 4. CONCEITOS/CRITÉRIOS GERAIS... 2 5. DIRETRIZES... 3 6. RESPONSABILIDADES... 3 6.1 Todos

Leia mais

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições,

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, flas RESOLUÇÃO 01 05 NORMAS DE USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO INPE IMEDIATA O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, RESOLVE Estabelecer

Leia mais

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO

TÍTULO I CAPÍTULO I DA UTILIZAÇÃO ORDEM DE SERVIÇO Nº 01, Amparo, 09 abril de 2013. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE INFORMÁTICA E REDES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE AMPARO, VISANDO ESTABELECER UMA POLÍTICA DE

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DA INTERNET E

ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DA INTERNET E ORIENTAÇÕES SOBRE O USO DA INTERNET E DO CORREIO ELECTRÓNICO NA SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO CÓDIGO DE CONDUTA (VERSÃO 1.0 2005-12-09) Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 CÓDIGO DE CONDUTA...2 2.1 CONDIÇÕES GERAIS

Leia mais

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente;

3.2. O USUÁRIO poderá alterar sua senha a qualquer momento, assim como criar uma nova chave em substituição a uma chave já existente; 1. CONTRATO Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela Sistemas On Line Ltda., doravante designada S_LINE, e a maiores de 18 anos ou menores com permissão dos pais ou responsáveis, doravante

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL SECRETARIA- EXECUTIVA PORTARIA Nº 142 DE 27 DE OUTUBRO DE 2014. Institui o Cadastro de Veículos da Secretaria de Comunicação Social da Presidência

Leia mais

CÂMARA DE VEREADORES DE ITAQUI - RS PALÁCIO RINCÃO DA CRUZ

CÂMARA DE VEREADORES DE ITAQUI - RS PALÁCIO RINCÃO DA CRUZ ORDEM DE SERVIÇO Nº 01-2012 O Presidente,Vereador LAURO LUIZ HENDGES, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 35, inciso V do Regimento Interno, Considerando a necessidade de regulamentar a utilização

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE E-MAIL PARA ESCOLAS E ADMINISTRAÇÃO NACIONAL

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE E-MAIL PARA ESCOLAS E ADMINISTRAÇÃO NACIONAL POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DE E-MAIL PARA ESCOLAS E ADMINISTRAÇÃO NACIONAL DEFINIÇÕES: ESCOLA: toda unidade franqueada CNA. FRANQUEADO/OPERADOR: todo aquele que ingressa na rede CNA, através da formalização

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 27, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO N. 27, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Gabinete da Presidência RESOLUÇÃO N. 27, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Estabelece diretrizes para a utilização do serviço de correio eletrônico corporativo no âmbito

Leia mais

Política de Segurança da Informação FRAM Capital DTVM S.A.

Política de Segurança da Informação FRAM Capital DTVM S.A. Política de Segurança da Informação FRAM Capital DTVM S.A. Este Manual foi desenvolvido e é atualizado pela área de Tecnologia da Informação da FRAM CAPITAL DTVM. As informações aqui contidas estão sujeitas

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 004/DINFO/2013 05/11/2013

ORDEM DE SERVIÇO OS 004/DINFO/2013 05/11/2013 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização da Política de Uso da Rede de Dados

Leia mais

CONTROLE DE ACESSO À REDE. 1 OBJETIVO Estabelecer regras de controle de acesso à rede de computadores do TRT 18ª Região.

CONTROLE DE ACESSO À REDE. 1 OBJETIVO Estabelecer regras de controle de acesso à rede de computadores do TRT 18ª Região. 1700/2015 - Segunda-feira, 06 de Abril de 2015 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 1 FL. 2 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia

Leia mais

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO

POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO POLÍTICAS DE USO DA REDE SEM FIO Departamento de Tecnologia da Informação Públicado em julho de 2014 Cachoeiro de Itapemirim ES Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão

Leia mais

PORTARIA PGE Nº 054/2011

PORTARIA PGE Nº 054/2011 PORTARIA PGE Nº 054/2011 Institui a comunicação interna eletrônica no âmbito da Procuradoria-Geral do Estado de Alagoas. O PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DE ALAGOAS no uso da atribuição que lhe confere o artigo

Leia mais

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso.

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso. O website e domínio www.busquecursos.co, bem como seus subdomínios, funcionalidades, conteúdo e demais aplicações e serviços (incluindo aplicações mobile) estão sujeitos aos termos e condições deste termo

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo )

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (modelo ) A Política de segurança da informação, na A EMPRESA, aplica-se a todos os funcionários, prestadores de serviços, sistemas e serviços, incluindo trabalhos executados

Leia mais

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA

MANUAL DE NORMAS DA EMBRAPA Sumário 1. Objetivo 2. Campo de aplicação 3. Documentos de Referência 4. Definições 5. Condições gerais 6. Condições de Acesso aos Recursos 7. Autenticação de Usuários 8. Recursos de Hardware e Software

Leia mais

CARTILHA DE BOAS PRÁTICAS EM SEGURANÇA CIBERNÉTICA GRUPO DE TRABALHO DE SEGURANÇA CIBERNÉTICA

CARTILHA DE BOAS PRÁTICAS EM SEGURANÇA CIBERNÉTICA GRUPO DE TRABALHO DE SEGURANÇA CIBERNÉTICA CARTILHA DE BOAS PRÁTICAS EM SEGURANÇA CIBERNÉTICA GRUPO DE TRABALHO DE SEGURANÇA CIBERNÉTICA A FIESP esclarece que as informações apresentadas na presente Cartilha são apenas sugestões para auxiliar as

Leia mais