PROJETOS (sob responsabilidade da ASCOM) 1. Desenvolvimento da Política de Comunicação da ANTT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETOS (sob responsabilidade da ASCOM) 1. Desenvolvimento da Política de Comunicação da ANTT"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO PROGRAMAS ESTRUTURANTES Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Dezembro 2009

2 ASCOM Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Maio 2010

3 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ANTT AMIGÁVEL PROJETOS (sob responsabilidade da ASCOM) 1. Desenvolvimento da Política de Comunicação da ANTT 2. Aperfeiçoamento da Comunicação Interna 3. Reestruturação dos portais ANTT ( Internet e Intranet)

4 PROJETO 1 Desenvolvimento da Política de Comunicação da ANTT SITUAÇÃO ATUAL:Consultoria em fase de contratação por intermédio do Banco Mundial. Aviso de Manifestação de Interesse publicado no dia 3/5/2010; Aviso SDP enviado em 3/8/2010 Prazo até 20/9/2010 RESULTADO / PRODUTO Proposta de Política de Comunicação Documento aprovado pela Diretoria Implantação PRAZO OBTENÇÃO 120 dias a partir do contrato Março/2011 Abril/2011

5 PROJETO 2 Aperfeiçoamento da Comunicação Interna SITUAÇÃO ATUAL: Plano de Comunicação Interna aprovado pelo DG Portaria nº 135 de 31/5/2010 RESULTADO / PRODUTO Seminário sensibilização Plano de Ação 2010 em andamento PRAZO OBTENÇÃO Outubro/2010 Ao longo do ano

6 PROJETO 3 REESTRUTURAÇÃO DOS PORTAIS ANTT ( Internet e Intranet) SITUAÇÃO ATUAL: As fases de modelagem, desenvolvimento e implantação serão realizadas pela Fábrica de Software, empresa contratada pela Gerência de Tecnologia da Informação GETIN/SUDEG. SITE Layout finalizado p/ aprovação Diretoria; INTRANET proposta de reestruturação em fase de aprovação. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Modelagem- Planejamento dos portais Junho a Agosto 2010 Desenvolvimento dos portais Setembro a Novembro 2010 Atualização conteúdo/migração 30 setembro/2010 Implantação dos portais Até 31/Dezembro 2010

7 OUVIDORIA Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Agosto 2010

8 PROGRAMAS ESTRUTURANTES - ANTT AMIGÁVEL PROGRAMA PROJETOS ESTRUTURANTES - Aprimoramento dos sistemas de Ouvidoria e implantação do Call Center da ANTT OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO - Ampliar o reconhecimento da ANTT pela sociedade

9 Aprimoramento dos sistemas de Ouvidoria e implantação do Call Center da ANTT SITUAÇÃO ATUAL: no segundo trimestre de 2010 percebemos aumento na proporção de registros respondidos pelos setores. Esse resultado denota maior conscientização das áreas no sentido de promover a análise e resposta mais célere às demandas dos cidadãosusuários. O novo sistema de informática está em fase de implantação, pois ainda faltam alguns módulos. No entanto, os atendentes da central já estão utilizando unicamente o novo sistema. A instalação do programa e os treinamentos de operadores nas diversas áreas da Agência também já estão sendo realizados. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Recebimento de chamadas originadas de telefones móveis Definição de prazo para atendimento às demandas dos usuários Implantação de um novo sistema de informática da Ouvidoria REALIZADO contrato nº 113/2009 em 31/12/2009. Em andamento. Prazo: 3º trimestre de 2010 Em andamento. Prazo: 3º trimestre de 2010

10 Aprimoramento dos sistemas de Ouvidoria e implantação do Call Center da ANTT RESULTADO / PRODUTO Integração entre a central de atendimento e os postos de fiscalização da ANTT Automatização dos protocolos de contribuições para audiências e consultas públicas Aperfeiçoamento da Ouvidoria Itinerante PRAZO OBTENÇÃO Em andamento. Prazo: 3º trimestre de 2010 Em andamento. Prazo: 3º trimestre de 2010 Em andamento. Prazo: 2º trimestre de 2010

11 SUCAR Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Agosto 2010

12 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO ESTRUTURANTE APERFEIÇOAMENTO DA REGULAÇÃO DO VALE-PEDÁGIO OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO GARANTIR A ADEQUADA ATUAÇÃO DO MERCADO REGULADO

13 Aperfeiçoamento da Regulação do Vale-Pedágio SITUAÇÃO ATUAL: A Minuta de Resolução será submetida à Audiência Pública/Modalidade IntercâmbioDocumentalnoperíodode08desetembroà08deoutubrode2010 RESULTADO / PRODUTO 1 Relatório de sugestões por parte dos participantes 2 Nota Técnica apresentando um panorama: histórico e avaliação da eficácia da Resolução ANTT nº 2885/08 PRAZO OBTENÇÃO Julho/Agosto de 2009 Setembro/Outubro de Minuta Final da Resolução Agosto de Aprovação da Minuta pela Diretoria Agosto de Relatório de sugestões por parte dos participantes da Audiência Pública Prazo estimado - Outubro de Texto Final da Resolução alterada Prazo estimado - Novembro de 2010

14 PROGRAMAS ESTRUTURANTES QUADRO RESUMO RESOLUÇÃO ANTT Nº 2885/08 Art. 7º I - adquirir e repassar ao transportador rodoviário de carga, no ato do embarque, o Vale-Pedágio obrigatório, independentemente do frete, correspondente ao tipo de veículo, no valor necessário à livre circulação entre a sua origem e o destino, observando o disposto no parágrafo único do art. 3º desta Resolução; e Art. 7º PROPOSTA DE ALTERAÇÃO I antecipar ao transportador rodoviário de carga, no ato do embarque, o Vale-Pedágio obrigatório, independentemente do frete, correspondente ao tipo de veículo, no valor necessário à livre circulação entre a sua origem e o destino, observando o disposto no parágrafo único do art. 3º desta Resolução; e

15 PROGRAMAS ESTRUTURANTES QUADRO RESUMO RESOLUÇÃO ANTT Nº 2885/08 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO 3º No caso de contratação direta de Empresa de Transporte de Cargas, a comprovação do pagamento do valor do Vale- Pedágio obrigatório poderá ser feita mediante a exibição do Contrato ou Conhecimento de Transporte firmado com o Embarcador ou equiparado, no qual conste expressa obrigação de integral pagamento do pedágio devido por todo o percurso contratado, desvinculado do valor do frete. 4º A situação prevista no 3º não se aplica na contratação ou subcontratação de Transportador Autônomo de Cargas TAC.

16 PROGRAMAS ESTRUTURANTES RESOLUÇÃO ANTT Nº 2885/08 Art.15. Para fins de aprovação do modelo operacional de fornecimento do Vale- Pedágio obrigatório em âmbito nacional, a empresa deverá apresentar documentação que comprove a certificação de conformidade das ferramentas tecnológicas que o suportam com as Normas de Tecnologia de Informação da ABNT, indicadas no Anexo I, expedida por organismo acreditado e registrado no Ministério da Ciência e Tecnologia. Parágrafo único. O Certificado de Conformidade apresentado pela empresa deverá ser objeto de expressa ratificação pela área técnica da ANTT. QUADRO RESUMO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO Art. 15 Para fins de aprovação do modelo operacional de fornecimento do Vale- Pedágio obrigatório em âmbito nacional, a empresa deverá apresentar Certificação de Conformidade com as Normas de Tecnologia de Informação da ABNT, conforme Anexo I, emitido por entidade certificadora nacionalmente reconhecida.

17 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO ESTRUTURANTE ATENDIMENTO A DEMANDAS DO SETOR REGULADO DO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Sub-Projeto 1: Transporte de Embalagens Vazias e não Limpas OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO GARANTIR A ADEQUADA ATUAÇÃO DO MERCADO REGULADO

18 Transporte de Embalagens Vazias e não Limpas SITUAÇÃO ATUAL: Projeto Concluído RESULTADO / PRODUTO 1 Processo compilando os documentos do setor regulado apresentando as dificuldades do setor PRAZO OBTENÇÃO Agosto de Elaboração de Nota Técnica abordando Setembro/Outubro de 2009 a situação e sugerindo alteração da legislação vigente 3 -Aprovação do texto da Resolução pela PRG e Diretoria Novembro de Resolução publicada Dezembro de 2009

19 Transporte de Embalagens Vazias e não Limpas Prescrição Anterior (Resolução 420/04) ALTERAÇÃO (Resolução 3383/10) Item : Embalagens vazias que tenham contido uma substancia perigosa estão sujeitas às mesmas prescrições deste Regulamento para embalagens cheias. Revisões quanto a diversas exigências regulamentares antes exigidas como: - utilização de rótulos de risco e painéis de segurança; - porte de equipamentos de proteção individual e de equipamentos para atendimento a situações de emergência - porte de ficha de emergência e de envelope para transporte, dentre outros.

20 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO ESTRUTURANTE ATENDIMENTO A DEMANDAS DO SETOR REGULADO DO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Sub-Projeto 2: Harmonizações das exigências para Transporte de Produtos Perigosos em nível Federal, incluindo questões da Legislação Ambiental OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO GARANTIR A ADEQUADA ATUAÇÃO DO MERCADO REGULADO

21 Harmonizações das exigências para Transporte de Produtos Perigosos em nível Federal, incluindo questões da Legislação Ambiental SITUAÇÃO ATUAL: Aguardando aprovação pelo Congresso RESULTADO / PRODUTO 1 Processo compilando os documentos do setor regulado apresentando dificuldades 2 Elaboração de Nota Técnica abordando a situação mediante comparação entre as exigências Estados versusantt e sugerindo reunião com o IBAMA 3 Reuniões internas à ANTT e com IBAMA para harmonização de conhecimento 4 Minuta de Alteração da Lei nº encaminhada ao Congresso Nacional PRAZO OBTENÇÃO Agosto de 2009 Setembro de 2009 Janeiro de 2010 Março de 2010

22 Exigências da Legislação Ambiental para o Transporte de PP SITUAÇÃO ATUAL: Aguardando aprovação pelo Congresso RESULTADO / PRODUTO 5 -Resolução contendo instruções relativas aos requisitos para o Registro do Transportador Rodoviário de PP PRAZO OBTENÇÃO Não estimado (depende da fase anterior)

23 Harmonizações das exigências para Transporte de Produtos Perigosos em nível Federal, incluindo questões da Legislação Ambiental Lei em vigor Art. 1o Esta Lei dispõe sobre o Transporte Rodoviário de Cargas - TRC realizado em vias públicas, no território nacional, por conta de terceiros e mediante remuneração, os mecanismos de sua operação e a responsabilidade do transportador. Projeto de Lei para alteração Art. 1o Esta Lei dispõe sobre o Transporte Rodoviário de Cargas - TRC realizado em vias públicas, no território nacional, por conta de terceiros e mediante remuneração, os mecanismos de sua operação e a responsabilidade do transportador. 1º No caso do transporte de produtos perigosos será observado exclusivamente em lei federal, considerando-se as competências estabelecidas nos Artigos 22 e 24 da Lei nº 10233, de 05 de Junho de º A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em articulação com o órgão ambiental federal estabelecerá o Registro Nacional para os Transportadores Rodoviários de Produtos Perigosos(RNTRPP).

24 Harmonizações das exigências para Transporte de Produtos Perigosos em nível Federal, incluindo questões da Legislação Ambiental Situação Atual Objetivo Cadastro/Licença municipal ou estadual para transporte de produtos perigosos Licença Ambiental municipal ou estadual para o transporte de produtos perigosos Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Produtos Perigosos - RNTRPP Registro no IBAMA no Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras

25 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO ESTRUTURANTE ATENDIMENTO A DEMANDAS DO SETOR REGULADO DO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Sub-Projeto 3: Área de Estacionamento para Transportadores de Produtos Perigosos OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO GARANTIR A ADEQUADA ATUAÇÃO DO MERCADO REGULADO

26 Área de Estacionamento para Transportadores de PP SITUAÇÃO ATUAL: Elaboração de Contrato de comodato da área e Estudo de custo destinado ao estacionamento. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO 1 Ata da reunião com a FETRANCESC Novembro/Dezembro de 2009 incluindo orientações relativas às instalações 2 -Verificação da conformidade do local aos parâmetros de legislação aplicável 3 -Definição de área adequada de estacionamento para veículos transportando produtos perigosos Janeiro de 2010 Fevereiro de Resolução para o Projeto Padrão Dezembro de 2010

27 Área de Estacionamento para Transportadores de PP Exigência Regulamentar Situação Atual Decreto /88, artigo 14: O veículo transportando produto perigoso só poderá estacionar para descanso ou pernoite em áreas previamente determinadas pelas autoridades competentes(...) Inexistência de tais áreas. Um projeto pioneiro está sendo realizado próximo a Itajaí-SC em rodovia concedida a OHL. Toma-se como referência a Norma ABNT que dispõe sobre os requisitos de segurança aplicáveis a tais áreas.

28 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO ESTRUTURANTE ATENDIMENTO A DEMANDAS DO SETOR REGULADO DO TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Sub-Projeto 4: Esclarecimento à respeito da Classificação do Carvão Vegetal OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO GARANTIR A ADEQUADA ATUAÇÃO DO MERCADO REGULADO

29 Esclarecimento à respeito da Classificação do Carvão Vegetal SITUAÇÃO ATUAL: Projeto Concluído RESULTADO / PRODUTO 1 Processo com documentos do setor regulado apresentando suas dificuldades PRAZO OBTENÇÃO Setembro de Nota Técnica abordando a situação Dezembro de Comunicado sobre Provisão Especial 223 aplicada ao Carvão Vegetal Abril de Publicação do Comunicado SUCAR/ANTT Abril de 2010

30 Esclarecimento à respeito da Classificação do Carvão Vegetal Resolução ANTT nº. 420/04 Comunicado SUCAR (Abril/2010) O produto Carvão Vegetal é classificado como substância sujeita à combustão espontânea. Mediante pleito do setor sobre a dificuldade de realização de testes a cada expedição e também sobre a replicabilidade de testes realizados por instituições de pesquisa e universidades, elaborou-se um Comunicado à sociedade versando sobre a não necessidade de realização de testes a cada É prevista a prerrogativa de não aplicação da legislação caso o expedidor, após realizar os testes contidos no Manual de Ensaios e expedição desde que o expedidor considere Critérios da ONU, verificar a não seu produto não perigoso com base técnica periculosidade do produto a ser expedido. e também emita uma Declaração neste sentido a ser apresentada na fiscalização. Carvão vegetal Aplicação dos Testes de Classificação ou utilização de resultados consolidados Considerado Perigoso Considerado não perigoso Aplicar a legislação de transporte de produtos perigosos Emissão de Declaração do Expedidor sobre a não periculosidade da expedição Não aplicar a legislação de transporte de produtos perigosos

31 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO ESTRUTURANTE TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS Sub-Projeto 1: Ações de fiscalização no transporte ferroviário de produtos perigosos OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO GARANTIR A ADEQUADA ATUAÇÃO DO MERCADO REGULADO

32 Ações de fiscalização no transporte ferroviário de produtos perigosos SITUAÇÃO ATUAL: Em fase de estudo RESULTADO / PRODUTO 1- Estabelecimento de procedimentos para fiscalização do transporte ferroviário de produtos perigosos e criação de Manual de Fiscalização. 2 Possibilidade de realização de convênios com entidade fiscalizadora para atuar nas fiscalizações. PRAZO OBTENÇÃO Maio de 2011 Maio de 2011

33 Ações de fiscalização no transporte ferroviário de produtos perigosos Pleito Demanda da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Paraná a fim de verificar a possibilidade de que a ANTT desenvolva ações de fiscalização na malha ferroviária circunscrita ao Estado do Paraná, em conjunto com a referida Coordenadoria Legislação Aplicável - Transporte ferroviário de produtos perigosos é disciplinado pelo Decreto /90, complementado pelas Instruções da Resolução ANTT nº 420/04 e suas alterações - Lei nº /01, artigo 25: cabe à ANTT fiscalizar diretamente, com o apoio de suas unidades regionais, ou por meio de convênios de cooperação, o cumprimento das cláusulas contratuais de prestação de serviços ferroviários e de manutenção e reposição dos ativos arrendados - Decreto /9, artigo 53: a fiscalização do cumprimento de tal Regulamento, de suasexercida pela Secretaria-Geral do Ministério dos Transportes normas e instruções complementares, será; hoje, leia-se ANTT. O referido Decreto não prevê outro agente fiscalizador ferroviário.

34 Ações Pretendidas -Verificar a possibilidade de firmar-se convênio com entidades que pudessem realizar tais fiscalizações; -Treinamento de pessoal para realização das fiscalizações por parte desta ANTT; e -Participação na Comissão Nacional do Representantes da Polícia Ferroviária Federal institui um Grupo de Estudos para examinar as reais necessidades de segurança especializada em ferrovias em vários órgãos, criada pela Portaria nº 855,de4dejunhode2010.

35 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMAS - 1. Aperfeiçoamento de Marcos Regulatórios e 5. Projetos de Grande Impacto. PROJETOS ESTRUTURANTES Revisão do Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da RFFSA; Desenvolvimento de Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da VALEC. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS ASSOCIADOS - Aumento da Competitividade Intrasetorial; - Redução de Barreiras de Acesso.

36 - Revisão do Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da RFFSA (1.3) - Desenvolvimento de Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da VALEC (5.5) SITUAÇÃO ATUAL(01/02): -Visita Técnica à Espanha e Inglaterra(Avaliação das Experiências de Open Access Ferroviário); -Elaboração de Novo RTF (Regras Gerais aplicáveis à exploração da infraestrutura ferroviária e à prestação dos serviços de transporte ferroviário de carga, incluindo a horizontalização do setor) (Minuta Concluída); -Direito de Passagem (Fixação de Regras para Acesso e Precificação de Uso das Estruturas Ferroviárias); -Metas por Trecho (Metodologia de Alocação de Capacidades Ferroviárias em Função das Metas Estabelecidas, com o objetivo de delimitar a exclusividade das Concessionárias verticalizadas);

37 - Revisão do Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da RFFSA (1.3) - Desenvolvimento de Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da VALEC (5.5) SITUAÇÃO ATUAL(02/02): -Modelagem de Valoração de Capacidade de Infraestrutura Ferroviária e Fixação de Tarifas de Uso; -Critérios Técnicos/Exigências Operacionais Mínimas de Acesso às Malhas Ferroviárias (Habilitação de Operadores Ferroviários: Equipamentos e Qualificação de Pessoal); -Segurança Ferroviária (Disciplinamento dos aspectos de segurança e investigação de acidentes a serem observados no transporte ferroviário, aplicáveis ao cenário de interoperabilidade); -Parâmetros Mínimos de Performance para Infraestruturas Ferroviárias(Concessionários e Gestores de Infraestrutura).

38 - Revisão do Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da RFFSA (1.3) - Desenvolvimento de Modelo de Concessões para a Malha Ferroviária da VALEC (5.5) RESULTADO / PRODUTO Avaliação Modelo Europeu Novo RTF Direito de Passagem Metas por Trecho Modelagem de Valoração de Venda de Capacidade Exigências Operacionais Mínimas para Acesso às Malhas Ferroviárias Segurança Ferroviária PRAZO OBTENÇÃO Apresentação Concluída em Maio/2010 Minuta Proposta à Casa Civil em Agosto/2010 Minuta de Resolução Finalização (Setembro/2010) Metodologia (Setembro/2010) e Minuta de Resolução (Novembro/2010) Modelagem Concluída em Junho/2010, aguardando definição de Política Tarifária Produtos Inseridos na Agenda Regulatória da ANTT (Contratação de Apoio Técnico do Banco Mundial) Parâmetros Mínimos de Performance para InfraestruturasFerroviárias *

39 PROGRAMAS ESTRUTURANTES 2. Aperfeiçoamento Operacional da ANTT PROJETOS ESTRUTURANTES Fortalecimento da Análise Regulatória e do Acompanhamento de Investimentos e Obras em Outorgas Ferroviárias. OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO - Melhoria da Capacidade de Resposta da ANTT às Solicitações de Autorização de Investimentos

40 2.1 Fortalecimento da Análise Regulatória e do Acompanhamento de Investimento e Obras em Outorgas Ferroviárias SITUAÇÃO ATUAL: -Reestruturação dos processos de análise de autorizações (elaboração de check lists, devolução de processos com instrução inadequada); -Utilização das Unidades Regionais nos processos de análise para autorização de investimentos e obras; -Descentralização de Competências Decisórias da Diretoria Colegiada para a SUCAR(Deliberação nº. 158, de 12/05/2010); -Regulamentação do Formato da Apresentação e da Forma de Acompanhamento dos Planos Trienais de investimento- PTI; -Desenvolvimento de Sistema de Custos Referenciais, Registro e Acompanhamento de Investimentos(Sistema GIGFER).

41 2.1 Fortalecimento da Análise Regulatória e do Acompanhamento de Investimento e Obras em Outorgas Ferroviárias RESULTADO / PRODUTO Reestruturação dos processos de análise de autorizações / Manual de Análise de Solicitação de Autorização de Obras Utilização das Unidades Regionais nos processos de análise para autorização de investimentos e obras Descentralização de Competências Decisórias da Diretoria Colegiada para a SUCAR PRAZO OBTENÇÃO Implementado a partir de Setembro/2009 Implementado a partir de Setembro/2009 Deliberação de 12/05/2010

42 2.1 Fortalecimento da Análise Regulatória e do Acompanhamento de Investimento e Obras em Outorgas Ferroviárias RESULTADO / PRODUTO Regulamentação do Formato da Apresentação e da Forma de Acompanhamento dos Planos Trienais de investimento - PTI Desenvolvimento de Sistema de Custos Referenciais, Registro e Acompanhamento de Investimentos (Sistema GIGFER). PRAZO OBTENÇÃO Minuta de Resolução Concluída em Agosto/2010 Sistema em Desenvolvimento (Termo de Cooperação Técnica 011/ANTT/2009)

43 PROGRAMA ESTRUTURANTE Aperfeiçoamento Operacional da Agência PROJETO ESTRUTURANTE Desenvolvimento do Sistema de Acompanhamento e Fiscalização do Transporte Ferroviário OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO Aperfeiçoar o processo de fiscalização

44 PROGRAMA ESTRUTURANTE ESCOPO Expandir sistema de informação, de forma a aprimorar a consistência, a universalidade e o acesso das informações requeridas das concessionárias e fiscalizações, em especial: Registro e acompanhamento dos Planos Trienais de Investimentos (PTI) e acompanhamento de seus projetos; Programação, controle e resultados de inspeções técnicas e operacionais; Indicadores de desempenho operacional; Roteamento de fluxos de transporte; Acompanhamento e controle de tarifas homologadas e praticadas; Controle de registros de acidentes ferroviários; Registro e acompanhamento dos Planos Anuais de Treinamento (PAT); Consultas mapas georreferenciados e controle de interfaces com registro de ativos.

45 SAFF Resultados, Prazos e Produtos 2010 Atualização da versão 1 SAFF Curso Capacitação realizado Já em produ;cão Cadastro Material Rodante identificação de novos MR comunica;cão acidentes individualizados (todos) Roteamento de Fluxos e trens (meta por trecho) Circulação de trens (mensal) Manutenção vagões/locos (mensal) Utilização vagões - fluxos (mensal) Consumo combustível (mensal) Consultas GEORREFERENCIADAS (mapas) vagões e locomotivas (arrendadas, próprias, clientes, DNIT) frota adquirida grave e não grave; informações consistidas fluxos (volume, mercadoria, cliente...), trens, frota alocada prefixo - origem - destino - quantidade - formação - características oficina / Posto - loco/vagão - corretiva/preventiva/geral carload - transit time - retorno vagões vazios- Posto Abastecimento - quantidade (l) roteamento, parametros,... set/10 set/10 nov/10 nov/10 nov/10

46 SAFF Resultados, Prazos e Produtos Fiscalização (técnica, operacional, eventuais) programação - resultados - consultas - relatório 1/3/2011 (técnica) 1/7/2011 (operacional) Novas consultas, consistências e manutenção investimento capacitação tarifas homologadas usuários dependentes canal externo no site canal clientes acompanhamento de metas (trecho) novos atores (operador independente, uso conjunto malha) - acompanhamento/ações integrações (outros sistemas) aprimoramento continuado 2011/ /2012

47 SAFF Função GEO

48 SAFF Função GEO (zoom)

49 SUDEG Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Agosto 2010

50 PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO - PROMEG Implantação da Gestão Estratégica - concluído Reestruturação Organizacional da ANTT Fortalecimento Institucional Implantação do Projeto Gestão Sustentável Desenvolvimento de Talentos Implantação do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Aparelhamento Operacional

51 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ESTRUTURANTE Programa de Melhoria da Gestão - PROMEG PROJETO Implantação da Gestão Estratégica OBJETIVO ESTRATÉGICO Implantar Gestão Orientada a Resultados

52 IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA SITUAÇÃO ATUAL:A implantação da gestão estratégica foi concluída em dezembro de 2009, com a realização do 1º Ciclo de Avaliação Estratégica. O processo de monitoramento desenvolve-se conforme o cronograma previsto. O sítio GesANTT está disponível no endereço RESULTADO / PRODUTO Implantação da Gestão Estratégica Implantação do Sítio GesANTT PRAZO OBTENÇÃO Dezembro concluído Agosto 2010 concluído Realização 2º Ciclo de Avaliação Estratégica Maio 2010 concluído Realização do 2º Seminário Anual do PE Divulgação dos Resultados do 1 ano de implantação da Gestão Estratégica Agosto 2010 concluído Setembro 2010 acompanhamento permanente

53 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ESTRUTURANTE Programa de Melhoria da Gestão - PROMEG PROJETO Reestruturação Organizacional da ANTT OBJETIVO ESTRATÉGICO Implantar Gestão por Processos

54 REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DA ANTT SITUAÇÃO ATUAL: Realizadas 160 oficinas de trabalho, envolvendo 140 gerentes e técnicos em construção participativa. Estabelecida a Cadeia de Valor. Priorizados, mapeados e redesenhados 50 processos. Elaborados Planos de Implementação e definidos os indicadores dos processos prioritários. Iniciada a avaliação da estrutura organizacional, visando a adequação da estrutura à Cadeia de Valor e processos estabelecidos.

55 REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DA ANTT RESULTADO / PRODUTO Definição da Cadeia de valor da Agência Priorização e reprojetode 50 Processos de Trabalho Avaliação da Estrutura Organizacional Atual PRAZO OBTENÇÃO Março / 2010 concluído Agosto / 2010 concluído Agosto / 2010 em conclusão Estruturação Sistema de Decisões Setembro / 2010 Estrutura Organizacional e Recursos Humanos Implantação de sistemática para acompanhamento dos processos mapeados Implementação da Nova Estrutura Organizacional Setembro / 2010 Outubro / 2010 Dezembro / 2010

56 REESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL DA ANTT

57 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ESTRUTURANTE Programa de Melhoria da Gestão - PROMEG PROJETO Fortalecimento Institucional OBJETIVO ESTRATÉGICO Implantar Gestão Orientada a Resultados

58 FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL SITUAÇÃO ATUAL: Alterado título do Projeto, em função da ampliação do escopo - Palestras sobre Gestão Pública Realizadas 3 palestras em 2010: Melhoria do Atendimento de Clientes/Usuários (19/3/2010), Balanced Scorecard (BSC) Como Ferramenta Estratégica (20/4/2010) e Gestão do Conhecimento (29/7/2010) -Melhoria e simplificação de processos em área piloto da SUDEG GELOG Mapeamento e propostas de melhoria para 9 processos de trabalho e 30 subprocessos. - Contratação de consultoria especializada para aplicação da técnica de coaching Termo de Referência em aprovação pelo Banco Mundial. - Implantado o Prêmio de Excelência Funcional Servidor 10. -Concluídaa1ªAvaliaçãodeGestãodaANTT(2009/2010)eeditadoorelatório de consolidação dos resultados obtidos.

59 FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL Incluir figura da autoavaliação

60 FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL AUTOAVALIAÇÃO DA GESTÃO PONTUAÇÃO GLOBAL ,6 94, ,9 105,6 115,5 57, ,2 86,6 134,2 107,2 89, ,4 46, SUREG SUEPE SUPAS SUDEG SUCAR SUFIS SUINF SUEXE URRJ URSP URMG URRS URCE URMA ASCOM ASPAR TOTAL GERAL Planejamento Liderança Estratégias e Planos Cidadãos e Sociedade Inteligência da Organização Informação e Conhecimento Execução Pessoas Processos Controle Resultados

61 NOME PROJETO ESTRUTURANTE RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Realização de Palestras Mensais, contínuo até 2012 Melhoria e simplificação de processos da GELOG Melhoria e simplificação de processos das demais áreas da SUDEG Avaliação da Gestão aplicação do IAGP Setembro ª etapa: GELOG Outubro /2010 1ª Avaliação: concluída em 30/6/2010 Avaliações Anuais Elaboração da Carta de Serviços Novembro / 2010 Implantação do Mentoring Novembro / 2011 Aplicação da técnica de Coaching Novembro a Abril / 2011

62 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ESTRUTURANTE Programa de Melhoria da Gestão - PROMEG PROJETOS Implantação da Gestão Sustentável OBJETIVO ESTRATÉGICO Implantar Gestão Orientada a Resultados

63 IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO SUSTENTÁVEL SITUAÇÃO ATUAL: -Componente Econômico: Análise da legislação das receitas da ANTT. Inscrição na SERASA iniciada. -Componente Ambiental: Elaborado Termo de Referência para aquisição de materiais para campanha de conscientização ambiental dos servidores da ANTT. -Componente Social: Concluída a elaboração do Projeto de Responsabilidade Social Parceria com Anjos do Amanhã RESULTADO / PRODUTO Definição procedimentos existentes PRAZO OBTENÇÃO Março 2010 / concluído Definição e implantação novos procedimentos para aumentar eficiência cobrança de Dezembro / 2010 multas Alavancar Novas fontes de Receita Dezembro / 2010 Indicação de Representantes das Superintendências Realização da Campanha de Conscientização Ambiental Assinatura Termo de Adesão ao Programa Anjos do Amanhã Julho concluído Novembro/ 2010 Outubro/ 2010

64 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ESTRUTURANTE Programa de Melhoria da Gestão - PROMEG PROJETOS Desenvolvimento de Talentos OBJETIVO ESTRATÉGICO Desenvolver e Reter Talentos

65 DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS SITUAÇÃO ATUAL: Agrupamento do escopo e ações dos Projetos Aperfeiçoamento do Plano Anual de Capacitação e Aperfeiçoamento dos Projetos de Valorização da Qualidade de Vida, para contemplar o desenvolvimento do servidor em todas as suas dimensões. Vertente: CAPACITAÇÃO Execução continuada do PLAC 2010; Realização de Cursos de Formação e Ambientação para novos servidores; Projeto de Capacitação específica voltada para a área de fiscalização; Parceria com a UnB para realização do Mestrado em Regulação e Gestão de Negócios; Parceria com a Casa Civil para participação de servidores em Cursos do PROREG; Fomento à participação de servidores em Cursos de Escolas de Governo e, em Pós-Graduação e Mestrado; Parceria com outros órgãos para a realização de eventos de capacitação; e Divulgação e participação em eventos externos previstos no PLAC 2010.

66 DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS SITUAÇÃO ATUAL: Agrupamento do escopo e ações dos Projetos Aperfeiçoamento do Plano Anual de Capacitação e Aperfeiçoamento dos Projetos de Valorização da Qualidade de Vida, para contemplar o desenvolvimento do servidor em todas as em todas as suas dimensões. Vertente: QUALIDADE DE VIDA Eventos de Confraternização e Lazer (Aniversário da ANTT, Confraternização Dia das Mães, Café da Manhã Dia dos Pais); Oficina de prevenção à acidentes no trabalho e primeiros socorros, em parceria com Corpo de Bombeiros; Campanha do Agasalho, em parceria com a ASEANTT; EnqueteparaescolhadehoráriodeaulasdeYogaeDançadeSalão; Realização de palestras sobre os temas: Saúde, Motivação e Avaliação de Desempenho; 1º Programa de Exames Médicos Periódicos Participaram cerca de 900 Servidores; Exposição de artesanatos confeccionados pelos Talentos da Casa.

67 DESENVOLVIMENTO DE TALENTOS RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Execução PLAC 2010 Contínuo até Dezembro 2010 Gestão por Competências Palestra inicial para subsidiar a elaboração do PLAC 2011 Comemoração do Dia do Servidor Setembro / 2010 Outubro/2010 Elaboração / aprovação PLAC 2011 Dezembro / 2010 Exames Periódicos Junho / 2010 Semana da Saúde Setembro / 2010 Campanha de Vacinação Outubro / 2010 Talentos da Casa Promoção de eventos para a divulgação dos talentos Eventos Confraternização / Lazer Dezembro 2010 contínuo Dezembro 2010 / contínuo Sessão Pipoca Ergonomia, Segurança no trabalho e Prevenção a LER/DORT Dezembro 2010 contínuo Março / 2011

68 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA ESTRUTURANTE Programa de Melhoria da Gestão - PROMEG PROJETOS Implantação do Plano Diretor de Tecnologia da Informação OBJETIVO ESTRATÉGICO Implantar Gestão Orientada a Resultados

69 SITUAÇÃO ATUAL: Adequação de Infraestrutura: IMPLANTAÇÃO DO PDTI Concluída a aquisição de equipamentos (notebook, microcomputadores, projetores e rack de vídeoconferência). Habilitados serviços de help desk e suporte técnico Implementada solução de segurança de rede Adquiridos 250 Modem 3G Processos e Sistemas AprovadosoPDTIePDS Contratada Fábrica de Software Acompanhamento das Ações do PDTI Concluídas Em andamento Não iniciadas TOTAL Curto Prazo - Até Julho Médio Prazo - Até Dezembro Longo Prazo - Até Fevereiro

70 IMPLANTAÇÃO DO PDTI RESULTADO / PRODUTO Adequação de Infraestrutura PRAZO OBTENÇÃO Aquisição complementar microcomputadores Projeto de Aceleração dos Links de Internet Melhoria do Atendimento ao usuário interno (call center) Projeto de Serviços de Data Center Processos e Sistemas Implantação Modelo de Desenvolvimento de Sistemas Segurança da Informação Implantar Norma de Uso de Recursos de TI Dezembro / 2010 Dezembro / 2010 Dezembro / 2010

71 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA PROGRAMA DE MELHORIA DE GESTÃO - PROMEG PROJETOS ESTRUTURANTES APARELHAMENTO OPERACIONAL OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO IMPLANTAR GESTÃO ORIENTADA A RESULTADOS

72 SITUAÇÃO ATUAL: Reestruturação dos PFA s: Concluído diagnóstico APARELHAMENTO OPERACIONAL Intervenções físicas: contrato de empresa em andamento Mobiliários: 100% entregues, 92% montados Equipamentos distribuídos: 85 câmeras fotográficas, 07 data shows, 275 desktops, 27 notebooks; 89 veículos Aquisições/ Contratações Mobiliário da Sede/ Unidades Regionais Adquiridos uniformes para os servidores Adquiridos 89 veículos, incluindo 8 do tipo Furgão Serviço de Telefonia com tecnologia VOIP Implementado o Sistema de Vídeoconferência

73 APARELHAMENTO OPERACIONAL RESULTADO / PRODUTO Instalação mobiliários Limpeza/Copeiragem 08 PFR s PRAZO OBTENÇÃO Setembro/2010 Dezembro/2010 Limpeza/Conservação 52 PFA s Dezembro/2010 Aquisição Mobiliários Sede, URBA e URRJ Aquisição Sistemas de Arquivos Deslizantes Complementação da Frota de Veículos Dezembro / 2010 Dezembro / 2010 Fevereiro / 2011 Intervenções Físicas Dezembro / 2011

74 SUEPE Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Agosto 2010

75 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - APERFEIÇOAMENTO OPERACIONAL DA ANTT PROJETOS ESTRUTURANTES -APRIMORAMENTO DA FERRAMENTA SISLOG PARA ANÁLISE DE PROJETOS DE TRANSPORTES OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO DESENVOLVER E IMPLANTAR METODOLOGIA DE ANÁLISE DE MERCADO

76 APRIMORAMENTO DO SISLOG SITUAÇÃO ATUAL: O PROJETO ESTARÁ CONCLUÍDO EM JANEIRO DE FORAM DEFINIDOS OS MODELOS QUE COMPORÃO A NOVA VERSÃO DO SISLOG. ESSES MODELOS ESTÃO SENDO IMPLEMENTADOS NO SOFWARE E SENDO TESTADOS PELOS TÉCNICOS DA ANTT E NOS MÓDULOS DE CAPACITAÇÃO. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO ADIÇÃO DE NOVAS FUNCIONALIDADES JANEIRO DE 2011 ATUALIZAÇÃO DO BANCO DE DADOS JANEIRO DE 2011 APLICAÇÃO EM PROJETO PILOTO NOVEMBRO DE CAPACITAÇÃO MÓDULOS 4 E 5 OUTUBRO E DEZEMBRO DE 2010.

77 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO DE MARCOS REGULATÓRIOS PROJETO DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIA E INSTRUMENTO PARA ANÁLISE DE CUSTOS FERROVIÁRIOS OBJETIVO ESTRATÉGICO DESENVOLVER E IMPLANTAR METODOLOGIA DE ANÁLISE DE CUSTOS FERROVIÁRIOS

78 Custos Ferroviários Levantamento de Dados SITUAÇÃO ATUAL: Classificação das Malhas e Fluxos Consolidação dos Dados Cálculo dos Custos Fixos e Variáveis Cálculo da Remuneração do Capital Produtos: Projeto Emergencial Desenvolvimento do Sistema RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Produto: Capacitação dos Técnicos da ANTT Produto: Disponibilização das Informações de Custos Ferroviários

79 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA APERFEIÇOAMENTO OPERACIONAL DA ANTT PROJETO ESTRUTURANTE MODELO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO DA ANTT MGIC/ANTT OBJETIVO ESTRATÉGICO AMPLIAR CONHECIMENTO DO MERCADO REGULADO

80 MODELO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO DA ANTT MGIC/ANTT SITUAÇÃO ATUAL: Estão Disponibilizados os Módulos Anuário Estatístico dos Transportes Terrestres (AETT) Glossário dos Transportes Terrestres Revista ANTT RESULTADO / PRODUTO Metodologia para Definição do Modelo de Gestão da Informação e Conhecimento da ANTT. Análise das Informações de 56 Sistemas utilizados na ANTT. Workshops. Padronização de coleta, validação e disponibilização das informações. Padronização de coleta, validação e disponibilização das informações. Elaboração da Matriz de Conhecimento da ANTT. Arquitetura do Portal de Informação da ANTT. Gestão da Informação e do Conhecimento. PRAZO OBTENÇÃO Dez/2010 Dez /2011 Dez/2012

81 SUEXE Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Dezembro 2009

82 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROJETOS DE GRANDE IMPACTO Projeto: TREM DE ALTA VELOCIDADE 1ª ETAPA: Apoiar/acompanhar a realização dos estudos de viabilidade, promover os procedimentos licitatórios e celebrar os atos de outorga do direito de exploração de infra-estrutura e prestação de serviço de transporte ferroviário de passageiros por Trem de Alta Velocidade - TAV Brasil (EF-222 RiodeJaneiro SãoPaulo Campinas); RESULTADO GLOBAL:Conclusão dos estudos e homologação do contrato de concessão do direito de construção, operação e manutenção do TAV Brasil. 2ª ETAPA: Desenvolver a estrutura organizacional e de pessoal da ANTT para acompanhar a execução dos termos do contrato de concessão, bem como para conceber o arcabouço normativo que irá disciplinar a prestação dos serviços de transporte ferroviário de passageiros por trem de alta velocidade. RESULTADO GLOBAL:Estruturação organizacional para regulamentar e fiscalizar a prestação do serviço de transporte ferroviário de passageiros por trem de alta velocidade, realização de estudos ambientais e conclusão do projeto de implantação do TAV Brasil.

83 PROJETO TREM DE ALTA VELOCIDADE SITUAÇÃO ATUAL(1ª ETAPA): Publicados o Acórdão Nº 1510/2010 TCU e o Edital nº 001/2010 ANTTparaaconcessãodoTAVBrasil RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Estudos de Viabilidade Concluído em 30/06/2009 Consulta Pública 002/2009 Realizada entre 24/07 e 05/10 de 2009 Encaminhamento ao TCU Realizado em 08/12/2009 Audiência Pública 103/2009 Realizada entre 18/12/2009 a 29/01/2010 Acórdão TCU 1ª Fase IN 27/ /06/2010 Publicação Edital 14/07/2010 Realização Leilão 16/12/2010 Assinatura do Contrato 11/05/2011

84 PROJETO TREM DE ALTA VELOCIDADE SITUAÇÃO ATUAL (2ª ETAPA): Concluídos os trabalhos da estruturação da cooperação técnica e financeira com o Banco Interamericano de Desenvolvimento BID e obtida a aprovação da Agência Brasileira de Cooperação ABCeanãoobjeçãodaCOFIEX. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Assinatura da Carta Convênio com o BID 15/09/2010 Estudos organizacionais 30/12/2010 Implantação da estrutura organizacional 30/06/2011 Capacitação da equipe 30/12/2011 Desenvolvimento do quadro normativo 30/09/2011 Estruturação da gestão e fiscalização da 30/12/2011 concessão Supervisão da execução dos PBAs 30/06/2012 Acompanhamento da elaboração do projeto e implantação do TAV Brasil De acordo com a obtenção de LI s e conclusão da desapropriação

85 Julho 2010 SUFIS

86 Planejamento Estratégico Componente de Projeto: Aperfeiçoamento das Ações de Fiscalização. Programa Estruturante: Aperfeiçoamento Operacional da ANTT. 86

87 Aperfeiçoamento das Ações de Fiscalização Conjunto de 16 ações voltadas para a melhoria da fiscalização de prestação de serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros (TRIIP) e do transporte rodoviário de cargas (TRC). Temas: As ações propostas no componente de projeto estão divididas em 5 temas: Regulação e Normatização Recursos Humanos Tecnologia e Recursos Materiais Operação Descentralização e outras 87

88 Plano de Ação 1.Definir procedimentos visando reprogramação da fiscalização a partir de dados advindos de avaliação dos resultados alcançados Resultado Final: Elaboração de Nota Técnica que defina um modelo de planilha de acompanhamento mensal dos resultados da fiscalização e a periodicidade de ocorrência de reuniões de coordenação da fiscalização (para discussão dos referidos resultados, visando à melhoria dos mesmos) Status: Concluída Produto: Nota Técnica GEINT/SUFIS nº 099/

89 Plano de Ação 2.Diagnosticar inadequações visando à atualização da regulamentação de matérias fiscalizadas pela SUFIS Resultado Final: Elaboração de Nota Técnica que objetive apontar matérias carentes de regulamentação e posterior encaminhamento às áreas competentes Status: Concluída Produto: Nota Técnica GEINT/SUFIS nº 076/

90 Plano de Ação 3.Treinar os fiscais para atuarem com excelência nos diversos segmentos de fiscalização existentes mediante aplicação de treinamento sob a ótica da multifuncionalidade Resultado Final: Elaboração de uma programação de treinamentos (conjuntamente com a capacitação), para atendimento aos objetivos da fiscalização (consideradas as limitações de pessoal e de recursos) e aplicação da referida programação Status: Em andamento Cronograma: Previsão de conclusão em 30/06/

91 Plano de Ação 4.Dimensionar as necessidades de pessoal para a fiscalização de modo a maximizar a capacidade de atendimento às demandas, execução da fiscalização e atendimentos em PFA, PPV e PFR Resultado Final: Elaboração de Nota Técnica na qual conste modelo de dimensionamento do pessoal que aponte os quantitativos necessários de servidores por posto de fiscalização e o esquema de trabalho destes servidores nos referidos postos. O referido estudo deve ser encaminhado posteriormente à área competente Status: Concluída Produto: Nota Técnica GEINT/SUFIS nº 079/

92 Plano de Ação 5.Dimensionar as necessidades de veículos e equipamentos relativos à infraestrutura de postos de fiscalização/ atendimento, de forma a possibilitar a otimização da execução dos trabalhos Resultado Final: Elaboração de Nota Técnica, com posterior encaminhamento à área competente, contendo às necessidades de veículos e equipamentos necessários para a execução eficiente da fiscalização (elaborada conjuntamente com a ação anterior) Status: Concluída Produto: Nota Técnica GEINT/SUFIS nº 079/

93 Plano de Ação 6. Promover a automação da fiscalização mediante a aquisição de equipamentos (PDA) de suporte, no que tange a coleta de dados e preenchimento de autos de infração que funcionarão de forma integrada aos sistemas informatizados da ANTT (inclusive para acesso on line ) Resultado Final: Implementação dos equipamentos tipo PDA, na quantidade adequada, com sistemas que atendam aos objetivos da fiscalização Status: Em andamento. Carece de Elaboração de Novo Cronograma (houve pedido de revisão quanto à recomendação de arquivamento do processo). 93

94 Plano de Ação 7.Propor a implementação de módulo referente à fiscalização do transporte de cargas no Sistema de Fiscalização SISFIS Resultado Final: Elaboração de documento expositivo da necessidade e implementação de modelo experimental Status: Em andamento Cronograma: Reunião dia 27/07. A partir disto será elaborado novo cronograma 94

95 Plano de Ação 8.Promover o projeto piloto de acesso on-line a dados referentes à pesagem de veículos em balanças rodoviárias da marca PAT Resultado Final: Implementação do acesso on-line dos dados referentes à pesagem de veículos nas referidas balanças Status: Em andamento. Em fase de elaboração de Cronograma (houve primeira reunião para apresentação do sistema balança inteligente por parte da empresa) 95

96 Plano de Ação 9. Prover a instalação de câmeras de segurança (com acesso via web das imagens) em postos de fiscalização / postos de pesagem, posicionadas de modo a monitorar a execução dos trabalhos. Resultado Final: Funcionamento das referidas câmeras nos postos de fiscalização e acesso via web das imagens. Status: A iniciar 96

97 Plano de Ação 10. Propor o desenvolvimento de rotinas para sistematizar a coleta de informações no sistema de cadastro das outorgas de serviços regulares SGP, de forma a permitir a extração de relatórios visando dados agregados da operação de um terminal por empresa (grupo-total), serviço (grupo-total) e faixa horária. Resultado Final: Elaboração de Nota Técnica, com posterior encaminhamento à área competente, onde conste a descrição de necessidades de relatórios para a fiscalização, suficiente para instruir a criação de um modelo experimental (quando do atendimento) Status: A iniciar 97

98 Plano de Ação 11.Identificar roteiros prioritários objetivando a realização de operações especiais (atuações de inteligência), baseadas em demandas específicas, visando em especial coibir o transporte interestadual clandestino Resultado Final: Realização de estudo específico e exposição de resultado em Nota Técnica, onde constem os roteiros considerados prioritários (com as respectivas justificativas) Status: A iniciar 98

99 Plano de Ação 12.Reavaliar o posicionamento dos fiscais para pontos ótimos de fiscalização, de modo a maximizar a capacidade de atendimento a demandas e de execução da fiscalização Resultado Final: Realocação dos fiscais para os locais julgados pontos ótimos Status: A iniciar. Consulta/Confirmação acerca de eventual sobreposição ao projeto fiscalização 10. (caso afirmativo retirar do escopo deste componente) 99

100 Plano de Ação 13.Definir rotas prioritárias para as ações de fiscalização itinerante Resultado Final: Elaboração de documento (após reunião na qual participem todos os coordenadores de fiscalização) onde constem os roteiros prioritários Status: Concluído Produto Final: Plano de Fiscalização Itinerante 100

101 Plano de Ação 14. Desenvolver metodologia para a elaboração do plano Anual de Fiscalização Resultado Final: Entrega do Plano Anual de Fiscalização 2010, com metodologia que servirá de modelo para a elaboração dos futuros Planos Anuais Status: Concluída Produto Final: Plano Anual de Fiscalização/SUFIS

102 Plano de Ação 15. Reestruturar a atuação do Centro de Controle de Fiscalização (CCOF), para áreas de fiscalização da SUFIS (passageiro e carga), possibilitando a orientação e uniformização a nível nacional dos procedimentos de fiscalização Resultado Final: Instalação do CCOF multifuncional Status: A iniciar 102

103 Plano de Ação 16. Reavaliar e propor modelos de convênios para garantir a eficiência da fiscalização dos conveniados e acompanhamento das atividades desenvolvidas Resultado Final: Elaboração de minuta padrão de convênios, que preveja a o treinamento do pessoal da entidade conveniada, o estabelecimento de metas para a as fiscalizações das entidades conveniadas, e a aferição dos resultados em relatórios periódicos de fiscalização Status: A iniciar 103

104 Balanço Parcial Ações concluídas: 06 Ações em andamento: 04 Ações a iniciar:

105 SUINF Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Agosto 2010

106 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROJETOS ESTRUTURANTES SUPERINTENDENCIA DE EXPLORAÃO DA INFRAESTRUTURA RODOVIÁRIA - SUINF 1. Padronização dos Processos de Outorga de Concessões de Rodovias. 2. Metodologia de Revisão dos Contratos de Concessões de Rodovias. 3. Implantação da 3ª Etapa de Concessões de Rodovias.F 4. Fortalecimento da Fiscalização das Concessões Rodoviárias

107 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento de Marcos Regulatórios PROJETO ESTRUTURANTE - Padronização dos Processos de Outorga de Concessões de Rodovias. - Gestor de Projeto: Mário Mondolfo - Chefe de Projeto: Natália Marcassa de Souza OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO - Aperfeiçoar Instrumentos de Outorga

108 NOME PROJETO ESTRUTURANTE PRAZO DE VIGÊNCIA: Out/2009 a Abril/2011 SITUAÇÃO ATUAL: Dentro do Cronograma Realizações: Edital Modelo/Manual do Leilão Já elaborado, em revisão/ Manual de Estudos Jurídico Regulatório/ Manual do Estudo de Tráfego, em revisão. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Manual do Leilão Dezembro /2010 Manuais para elaboração dos Estudos de Viabilidade de Projetos de Concessões de Rodovias Dezembro/2011

109 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento de Marcos Regulatórios PROJETO ESTRUTURANTE - Metodologia de Revisão da 1ª e 2ª Etapa de Concessões de Rodovias - Gestor de Projeto: Mário Mondolfo - Chefe de Projeto: Natália Marcassa de Souza OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO - Aperfeiçoar o Marco Regulatório

110 NOME PROJETO ESTRUTURANTE PRAZO DE VIGÊNCIA: Fev/2008 a Jan/2011 SITUAÇÃO ATUAL: Dentro do Cronograma Realizações: Comparação de todos os Contratos de Concessão(Res. Multas) Definição da Metodologia de Revisão Primeira Versão do Contrato Modelo Primeira Versão do Termo Aditivo Ecosul Praticamente Terminado a Metodologia FCM RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Aprovação da Diretoria da Metodologia Propostas de Aditivos Contratuais Outubro/2010 Dezembro/2010

111 PROGRAMAS ESTRUTURANTES - Projetos de Grande Impacto PROGRAMA PROJETO ESTRUTURANTE - Implantação da 3ª Etapa de Concessões Rodoviárias Fase I e II - Fase 1 : BR 040/DF-GO-MG; BR 116/MG Div. BA/MG DIV. MG/RJ e BR -381/MG Belo Horizonte Gov. Valadares - Fase 2 : BR-101 ES Div RJ/ES Acesso à Mucuri/BA; BR-470 SC Navegantes -Div SC/RS; BR-101 BA Div ES/BA -Entr. BR Gestor de Projeto: Mário Mondolfo - Chefe de Projeto: Natália Marcassa de Souza

112 NOME PROJETO ESTRUTURANTE PRAZO DE VIGÊNCIA: Out/2008 a Fev/2011 SITUAÇÃO ATUAL: Fora do Cronograma (Fase2 3mesesdeatrasoeFase1 paralisada) Realizações: Fase 1: Embargos contra os Acórdãos do TCU e Recurso aguardando decisão. Fase 2: Aprovação do Relatório da Audiência Pública dos Estudos RESULTADO / PRODUTO Fase I Ter os recursos aceitos Fase II Aprovação do Plano de Outorga Nov/2010 Set/2010 PRAZO OBTENÇÃO Fase II Aprovação dos Estudos pelo Tribunal de Contas da União Dez/2010

113 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento Operacional da ANTT PROJETO ESTRUTURANTE - Fortalecimento da Fiscalização das Concessões Rodoviárias (APOIO TÉCNICO SUINF -Contratação de Apoio à Fiscalização por Meio de Supervisoras e Contrato Gerencial ) OBJETIVO ESTRATÉGICO ASSOCIADO - Aperfeiçoar o Processo de Fiscalização

114 NOME PROJETO ESTRUTURANTE PRAZO DE VIGÊNCIA: Jan/2009 a Dez/2010 SITUAÇÃO ATUAL: Dentro do Cronograma. Comissão de licitação em designação pelo Diretor Geral Realizações: Confecção do Termo de Referência para Contratação dos apoios às inspeções. Aprovação pela Diretoria para realização da Licitação RESULTADO / PRODUTO Garantir o efetivo cumprimento dos contratos de concessão de rodovias e de níveis de serviço adequados aos usuários da rodovia/contratos de Apoio à Fiscalização PRAZO OBTENÇÃO Início: Jan/2009 Término: Dez/2010

115 Agosto 2010 SUPAS

116 PROGRAMAS ESTRUTURANTES Projeto 5.3 -Implantação da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros - ProPass Brasil Objetivo. Licitação dos Serviços Regulares de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros Produtos. 1. Projetos Básicos; 2. Plano Geral de Outorgas; 3. Minutas de Editais e de Contrato Cronograma de Execução: Resoluções 3320 e 3321, de 11/2010 Situação Atual: ProPass Brasil Ampliado Revisão dos produtos elaborados e disponibilizados em maio/2009, dos serviços de transporte de longa distância e ; Elaboração dos produtos para os demais serviços regulares.

117 PROGRAMAS ESTRUTURANTES CRONOGRAMA

118 PROPASS BRASIL AMPLIADO Da Revisão e Elaboração dos produtos Desdobramentos Estudos e Pesquisas em andamento Pesquisa Operacionaldo serviço de transporte rodoviário interestadual de passageiros de longa distância Contrato 060/2009 ANTT/FIPE Pesquisa Operacionaldo serviço de transporte rodoviário interestadualde passageiros de curta distância Contrato 006/2010 ANTT/FIPE Pesquisa Operacionaldo serviço de transporte rodoviário internacionalde passageiros Contrato 37/2010 ANTT/Sistran Engenharia LTDA Levantamento sobre Ativos e CustosAssociados Contrato 005/2010 ANTT/PriceWaterHouse Monitoramento automatizado do TRIIP gestão da GETIN/SUDEG

119 PROJETO: 1.Pesquisa operacional longa distância CONTEÚDO. Desenvolver metodologia e realização de pesquisa para quantificação da oferta e demanda manifesta, gerar alternativas de rede de linhas racionalizada e otimizada. Contrato nº 060/2009 ANTT/FIPE. PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO 1 - Plano de trabalho Dez/ Análise exploratória; plano amostral, modelagem da expansão, teste piloto, instrumentos de pesquisa e logística Jan/2010 3, 4, 5 e 6 Relatórios de Andamento da pesquisa Fev., mar., abri. Jul./ Dados expandidos; rede carregada e calibrada; banco de dados completos 7.2 Metodologia de avaliação de rede; racionalização e otimização da rede 8. Relatório Final, sumário executivo workshops Agosto/2010 Agosto/2010 Agosto/2010

120 PROJETO: 1.Pesquisa operacional longa distância SITUAÇÃO ATUAL:Concluído tratamento estatístico para expansão dos dados de demanda e oferta. Em andamento: ajustes dos estudos técnicos e econômicos para racionalização e otimização da rede de linhas; revisão das minutas de edital e contrato. Contrato nº 060/09 ANTT/FIPE. RESULTADO Res. 3320/09 1.Final da pesquisa operacional 2.Est. Téc./Econômicos Proj. básico 3.PGO, minutas editais/contrato (MT, Audiências Públicas, e CU) PRAZO OBTENÇÃO maio/2010 maio a agosto/2010 novembro/ Publicação Editais novembro/ Leilão março/ Homologação junho/ Adjudicação e fase de transição agosto a dezembro/2011

121 PROJETO 2. Pesquisa operacional curta distância CONTEÚDO. Pesquisa operacional oferta / demanda; caracterização e classificação dos serviços; definição dos mecanismos e instrumentos p/as delegações dos serviços e de competência administrativa PRODUTO 1-Análise exploratória; plano amostral, teste piloto, instrumentos de pesquisa e logística; e 2 Resultados da Pesquisa demais cidades, exclusive DF e entorno 3b.1- Expansão dos dados das Demais cidades 4a- Modelagem funcional, de remuneração, de gestão e controle para as Demais cidades 7.1 Modelagem da Delegação (Jurídico-Legal); Projetos Básicos, Minutas de Edital e Contrato, Demais cidades 3a.1, 2, 3 Definição metodológica, dos instrumentos de coleta, piloto, logística, resultados do DF/Entorno-GO PRAZO OBTENÇÃO (1) Maio/10; (2) Julho/10 Agosto/10 Agosto/10 Agosto/2010 Agosto/setembro/2010 3b. 2 Expansão dos dados do DF e Entorno/GO Setembro/2010

122 PROJETO 2. Pesquisa operacional curta distância CONTEÚDO. Pesquisa operacional de oferta / demanda; caracterização e classificação dos serviços; definição dos mecanismos e instrumentos p/as delegações dos serviços e de competência administrativa Contrato 006/2010 ANTT/FIPE PRODUTO 4 b - Modelagem funcional, de remuneração, de gestão e controle para o DF e Entorno/GO 7a.2 Modelagem da Delegação (Jurídico-Legal); Projetos Básicos, Minutas de Edital e Contrato -DF e Entorno/GO PRAZO OBTENÇÃO Setembro/2010 Setembro/ Caracterização e Classificação dos serviços Agosto/ Condições institucionais locais levantamento e diagnóstico Agosto/ Sumário Executivo; apresentação dos resultados Outubro/2010

123 PROJETO 2. Pesquisa operacional curta distância SITUAÇÃO ATUAL.Pesquisas concluídas nas demais regiões do país; Em andamento, a expansão dos dados de oferta e demanda, pesquisa no DF/Entorno; estudos téc./econômicos; caracterização e classificação; modelagem, projetos básicos, minutas de editais e contratos. Contrato nº 006/2010 ANTT/FIPE Dimensão da Pesquisa Demais cidades, exclusive DF: 117 Linhas pesquisadas 027 Linhas inoperantes 106 Ligações (agrupando linhas de mesma O/D): 090 Ligações operantes, classificadas em: 21 Semiurbanas 40 Longa Distância 29 pendentes p/verificação de viabilidade econômica

124 PROJETO 2. Pesquisa operacional curta distância SITUAÇÃO ATUAL.Pesquisas concluídas nas demais regiões do país; Em andamento, a expansão dos dados de oferta e demanda, pesquisa no DF/Entorno; estudos téc./econômicos: caracterização e classificação; modelagem, projetos básicos, minutas de editais e contratos. Contrato nº 006/2010 RESULTADO Res Final da pesquisa operacional 2.Est. Téc./Econômicos Proj. básicos 3.PGO, minutas de editais/contrato (MT, Audiências Públicas, TCU) PRAZO OBTENÇÃO junho/2010 (DC); Ago/Set (DF) maio à agosto/2010 (DC); Out (DF) até novembro/ Publicação Editais novembro/ Leilão maio/ Homologação agosto/ Adjudicação e fase de transição agosto a dezembro/2011

125 PROJETO 3. Pesquisa Operacional - Internacional SITUAÇÃO ATUAL.Identificação da oferta e da demanda; compilação e análises da legislação correlata; proposta do regime e atributos da delegação dos serviços; critérios técnicos p/criar e alterar os serviços PRODUTO 1 -Plano de Trabalho; análise exploratória dados atuais; plano amostral; modelagem de expansão; piloto, instrumentos de coleta e logística OBTENÇÃO Agosto/ Oferta e demanda dados tratados e expandidos Setembro/ Rede de linhas carregada; banco de dados completo (por linha, seção, ligação, por viagem, dia da semana, mês e ano) 3 -Regime de delegação instrumentos, atributos e propostas de adequação das normas Outubro/10 Outubro/10

126 PROJETO 3. Pesquisa Operacional - Internacional SITUAÇÃO ATUAL.Identificação da oferta e da demanda; compilação e análises da legislação correlata; proposta do regime e atributos da delegação dos serviços; critérios técnicos p/criar e alterar os serviços PRODUTO 4 Legislações/informações compiladas/analisadas/ sistematizadas 5 -Critérios técnicos p/ proposição, aceitação e alteração de serviços, com regras de apoio à tomada de decisões Cont. OBTENÇÃO Novembro/10 Dezembro/ Sumário executivo e apresentação dos resultados obtidos Dezembro/10

127 PROJETO 3. Pesquisa Operacional - Internacional SITUAÇÃO ATUAL. Contrato e plano de trabalho firmados; pesquisa piloto concluída, primeiro produto entregue. Resultados, Res Final da pesquisa operacional 2.Est. Téc./Econômicos Proj. básico 3.PGO, minutas de editais/contratos (MT, Audiências Públicas, TCU) PRAZO OBTENÇÃO jun. set./2010 maio a ago. out./2010 até nov./ Publicação Editais nov./ Leilão mai./ Homologação Ago./ Adjudicação e fase de transição ago. a dez./2011

128 PROJETO 4. Levantamento de Ativos e Custos CONTEÚDO. Desenvolvimento de metodologia para estimativa dos investimentos e custos associados aos serviços regulares de transporte coletivo rodoviário interestadual e internacional de passageiros; realização de pesquisa para mensuração e quantificação dos ativos e custos necessários à execução dos serviços. Contrato nº 005/2010, - ANTT/PRICEWATERHOUSE SITUAÇÃO ATUAL:Concluído. RESULTADO / PRODUTO 1. Cadeia de valor; Amostragem, Levantamento de campo finalizado PRAZO OBTENÇÃO jun/ Resultados da análise dos dados jun/ Relatório de Conclusão e resultados obtidos jul/ Estudos econômicos concluídos/ Sumário Executivo agosto/2010

129 PROJETO 5. Monitoramento automatizado SITUAÇÃO ATUAL: projeto sob a gestão da GETIN/SUDEG. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Escopo finalizado para contratação do Serviço (SUPAS) Maio /2010 Projeto do Monitriip(Piloto + SW de Gestão) concebido, licitado e contratado Equipamentos de coleta e transmissão testados InfraestruturaComputacional implementada, c/garantia analisada e validada Sistema de Gestão implementado, c/garantia analisada e validada Equipamentos e software homologados Planejamento e Gestão da Implantação do Monitriip ago. à nov./2010 dez. à fev./2011 dez./2010 à set./2012 dez./2010 à set./2012 fev. à jul./2011 jul./2010 à set./2011

130 1. Dados Gerais Projeto: 2.3 Fortalecimento do Gerenciamento do STRIIP Objetivo Estratégico : Desenvolver e implantar sistemas de informação integrados Sonia Rodrigues Haddad, gestora do projeto Sandra Furlan Ribeiro, chefe de projeto Resultados: Parte dos sistemas da SUPAS atualizados e adequados às necessidades da gestão e controle do Sistema de Transportes Interestaduais e Internacionais de Passageiros - STRIIP, inclusive aderentes às novas regras definidas para o transporte regular de passageiros e com integração e criação de ferramenta de análise de dados geográficos. Os resultados parciais serão atendidos nas disponibilizações de cada adequação nos sistemas existentes e na disponibilização de novos sistemas. As demais etapas necessárias para o pleno funcionamento dos sistemas de Gestão e Controle de Serviços de Passageiros deverão ser desenvolvidos e implementados pela GETIN/SUDEG.

131 2. Visão Geral do Novo Projeto

132 3. Plano das Etapas do Projeto Sistema de Autorização adaptado para o Cruzeiro Rodoviário (15.3) Novo sistema de Gestão dos serviços de transporte fretado SISFRETE 2.0 (15.4) Melhoria da Gestão do transporte permissionado STRIIP SGP 2.0 (16.1) Desenvolvimento de ferramentas complementares para o SGP e SISAUT(17.1) Concepção e implamentação de infraestrutura de dados geográficos GeoT (17.2) Iniciação Concepção Desenvolvimento Transição

133 4 Ferramentas de Gerenciamento da GFRET Sistema de Autorização de Viagens adaptado para o Cruzeiro Rodoviário Descrição: Adaptar o Sistema de Autorização de Viagens para a modalidade de Cruzeiro Rodoviário Modalidade Definida pelo Ministério do Turismo. Situação Atual: Projeto com andamento dependente de definições do Ministério do Turismo. Resultado esperado. Gestão mais eficiente dos serviços de transporte fretado definido como Cruzeiro Rodoviário, mediante integração com a base de dados geográfica e demais sistemas disponíveis na SUPAS. Projeto Concepção Elaboração Construção Transição Observação: Até a presente data não há definição das Regras por parte do Ministério do Turismo; Não há data para definição das Regras. Não Iniciado Iniciado Atrasado Baixo Impacto Atrasado Alto Impacto Finalizado

134 5 Ferramentas de Gerenciamento da GFRET Novo sistema de Gestão dos serviços de Transporte Fretado SISFRETE 2.0 Descrição: Processo e Sistema de Cadastro e Habilitação de empresas para o Transporte Fretado de Passageiros. Situação Atual: Projeto com andamento com prazo de finalização dentro do prazo previsto. Resultado esperado: Atualização e melhoria no sistema de gerenciamento do transporte fretado, tais como: Maior agilidade no cadastro e habilitação de empresas, melhor controle do processo de habilitação, redução de trâmite de papeis dentro da ANTT, preenchimento eletrônico do requerimento do CRF diretamente pelas empresas interessadas, envio automático de retorno da análise do requerimento para a empresa requerente, etc. Projeto Concepção Elaboração Construção Transição Observação: Este sistema de Gestão do Transporte Fretado será integrado ao sistema de Gestão do Transporte Fretado de Passageiros através do Banco de Dados de Passageiros que unifica as informações de empresas, frota e motoristas do transporte regular e fretado. Não Iniciado Iniciado Atrasado Baixo Impacto Atrasado Alto Impacto Finalizado

135 6 Transição para o novo Modelo de Gestão Melhoria da Gestão do sistema do Transporte Permissionado do STRIIP SGP 2.0 Descrição: Processo e sistema de gestão do Transporte de Passageiros, incluindo as regras definidas para o ProPass Brasil. Projeto Situação Atual: Projeto com andamento dentro do previsto. Resultado esperado: Atualização e melhoria no sistema de gerenciamento do transporte permissionado, inclusive com adequações necessárias para a gestão das novas definições do PROPASS, inclusão de vigência das informações, relatórios gerencias com utilização do Business Inteligence (BI). Ajuste do módulo web de alteração operacional (operadores) e do módulo consulta web (usuários). Concepção Elaboração Construção Transição Observação: Este sistema de Gestão do Transporte Regular será integrado ao sistema de Gestão do Transporte Fretado de Passageiros através do Banco de Dados de Passageiros que unifica as informações de empresas, frota e motoristas do transporte regular e fretado. Não Iniciado Iniciado Atrasado Baixo Impacto Atrasado Alto Impacto Finalizado

136 7 Instrumentos de Decisão Gerencial Desenvolvimento de Ferramentas Complementares para o SGP e SISAUT Descrição: Desenvolvimento de metodologias e ferramentas que complementem e subsidiem a gestão do Transporte de Passageiros. Situação Atual: Projeto com andamento dentro do previsto. Resultado esperado: Desenvolvimento de metodologia para análise de qualidade do SGP e de ferramentas complementares para a administração dos dados e geração de novas informações. Exemplo: módulo FOZTRANS, SISDAP, ANUÁRIO. Projeto Concepção Elaboração Construção Transição Observação: Frente de trabalho com várias produtos. Não Iniciado Iniciado Atrasado Baixo Impacto Atrasado Alto Impacto Finalizado

137 8 Transição para o novo Modelo de Gestão Concepção e Implementação de Infraestrutura departamental de Dados Geográficos - GeoT Descrição: Concepção e Implementação de Base de Dados Geográfica e serviços com inteligência Geográfica visando, primeiramente, o atendimento ao SGP 2.0 e preparado para a expansão para outros sistemas. Situação Atual: Projeto com andamento dentro do previsto. Projeto Concepção Elaboração Resultado esperado: Base de dados desacoplada do SGP. Estrutura de dados geográficos atualizados com base nos dados mais atuais, sempre que disponíveis, dos órgãos oficiais como: DNIT, IBGE, etc. Serviços com inteligência geográfica para utilização em diversos sistemas da SUPAS e outras áreas que necessitarem. Construção Transição Observação: Base de Dados Geográficos atendendo os padrões de interoperabilidade do Governo Federal (E-Ping) e baseado nos padrões da CONCAR; Consumo e disponibilização de serviços geográficos de outras bases no padrão eping/ogc (Google maps, Virtual Earth, Google Earth, etc). Não Iniciado Iniciado Atrasado Baixo Impacto Atrasado Alto Impacto Finalizado

138 9 Não Escopo Não emergencial Tendo em vista que as empresas do ProPass Brasil entrarão em operação até 31 de dezembro de 2011, espera-se que as atividades classificadas como Não Escopo Não Emergencial estejam finalizadas até essa data. FUNCIONALIDADE DESCRIÇÃO Ferramenta de Manutenção de Base Geográfica Ferramentas de Simulação com informações Geográficas Recursos Geográficos no SISAUT Desenvolver ferramenta de gestão da base geográfica, que possibilite ao gestor da base geográfica realizar as atualizações de forma ágil e amigável Desenvolver ferramentas para simulações com inteligência e representação geográfica para análises do Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros TRIIP, que são: SIMOV / VIABSEC; Analise de Vizinhança; Geração de Itinerários. Desenvolvimento / Adaptação do SISAUT em função da disponibilização de recursos geográficos Cruzeiro Rodoviário Utilização e ampliação da utilização de informações gerenciais no âmbito da SUPAS O Cruzeiro Rodoviário é uma modalidade de viagem turística com características diferentes das atualmente existentes e autorizadas pela ANTT, cujas regras ainda não foram definidas pelo Ministério do Turismo Mapas Temáticos / BI: Incorporar representação geográfica ao BI da ANTT para que sejam possíveis, as análises do transporte de passageiros a partir de dados gerados pelo BI e representação geográfica destes dados; Informações Gerenciais / BI: Criar relatórios dinâmicos (BI) com informações diárias, mensais e/ou anuais que possam atender as necessidades dos usuários e em especial aos gestores do Transporte de Passageiros nas tomadas de decisões, integrado com informações de MULTAS, SISFRETE, SGP, SISAUT, Sistema Embarcado, SISDAP, SIREF etc

139 9 Não Escopo Não emergencial FUNCIONALIDADE DESCRIÇÃO Portal Web Transporte de Passageiros Emissão do CRF Solução para integração de informações e sistemas relativos ao transporte de passageiros: Portal para Empresas; Portal para usuários; O processo de melhoria pode passar por três etapas, a seguir: Etapa 1: A emissão do CRF na GFRET, no formato tradicional, com a autenticação eletrônica e assinatura superintendente. Etapa 2: A emissão do CRF na GFRET, no formato tradicional, somente com a autenticação eletrônica. Etapa 3: A emissão do mesmo somente via internet. Módulo de Autorização de viagens da Tríplice Fronteira (FOZTRANS) A integração entre o DENATRAN Departamento Nacional de Trânsito e a ANTT Agência Nacional de Transportes Terrestres Transporte Rodoviário Internacional de Passageiros do Circuito Turístico da Tríplice Fronteira. O sistema está sendo desenvolvido no Projeto B e necessitará de manutenções futuras. Serão desenvolvidas interfaces necessárias que permitem a troca de informações de forma automatizada, possibilitando o acesso às seguintes informações: Relação de veículos inscritos na categoria aluguel, contemplando, informações do RENAVAN, CRV e CSV; Relação de condutores; Autorizar o uso da estrutura e sistemas de emissão do Certificado de Segurança Veicular CSV para emissão do Laudo de Inspeção Técnica LIT pela ANTT; Banco de dados contendo informações do cadastro de condutores; Informações do histórico dos veículos.

140 10 Não Escopo Emergencial Esta seção descreve as necessidades que precisam ser finalizadas antes da entrada dos produtos do Projeto B em Produção por estarem diretamente relacionados a esses produtos, ou são necessidades urgentes de negócio ou problemas nos sistemas. FUNCIONALIDADE DESCRIÇÃO Módulo para cadastro e divulgação de informações relativas ao processo de cadastro de Empresas, Frota e Motoristas Essa funcionalidade deverá permitir a validação e a disponibilização das informações de acordo com um Check-List parametrizável. O desenvolvimento dessa funcionalidade deverá ainda auxiliar no direcionamento do trabalho de validação e verificação de conformidades do cadastramento e, também o posterior envio de para as empresas, informando a atual situação do cadastro. Deverá ainda disponibilizar tela (web) de consulta para as empresas. Ajustar o SISAUT para o SISFRETE 2.0 Ajustes na funcionalidade no pedido de autorização especial (SISAUT) O Sistema de Autorização de Viagens SISAUT, deve ser alterado para que funcione com as informações do novo SISFRETE (versão 2.0). Foi implementado a Negação automática do pedido de autorização especial que estiver fora do prazo de 3 (três) dias úteis de antecedência da data da viagem. Criar a possibilidade de comunicação e flexibilização nos casos de autorizações especiais do SISAUT, conforme a seguir: Incluir a mensagem Solicitação negada. Os pedidos devem ser enviados com antecedência mínima de 3 (três) dias úteis, conforme resolução 1166/2005 ; Disponibilização de um método de desativação da restrição acima, com o fim de suprir alguns casos de exceção em que teremos que aprovar as solicitações independentemente do prazo determinado. Isso se deve a possíveis falhas de energia ou queda do sistema acontecido recentemente. Esses casos devem ficar registrados (usuário que alterou, o motivo e o período); Disponibilizar no SISAUT (autorizações especiais) uma forma para que os usuários encaminhem a imagem do contrato de prestação de serviço (hoje enviados por fax) através do próprio SISAUT. Os contratos enviados ficariam disponíveis para consulta.

141 10 Não Escopo Emergencial FUNCIONALIDADE DESCRIÇÃO Seleção de percursos de Autorizações de Viagem (SISAUT) Atualmente existe o processo de seleção de viagens, porém é manual. Desenvolver módulo para seleção de viagens, inclusão de mensagens, avisos, observações e instruções. Rotina para seleção de percursos onde serão colocados os avisos; Observações ou avisos a serem adotados para fins de fiscalização. Opção Esqueci minha senha no SISAUT Ajustar o SISAUT para que a senha possa ser enviada para o cadastrado pela empresa, evitando que a empresa tenha que telefonar para a ANTT para recuperar tal informação. Seguro de Responsabilidade Civil SRC (Recebimento dos dados das Seguradoras) Seguro de Responsabilidade Civil SRC Verificação de Multas no SISMULTAS Acertar os problemas encontrados nos dados do SRC enviados pelas seguradoras. Há problemas, como por exemplo: Repetição de Veículos; Repetição de Empresas com veículos segurados; Não geração de histórico das alterações de empresas, apólices, veículos etc Criar uma interface que, ao receber uma placa e/ou chassi de um veículo, verifique a sua situação no Banco de Dados do SRC da ANTT e retorne as informações relativas ao seguro desse veículo. Essa interface, a princípio, não deve fazer qualquer juízo de valor sobre as informações encontradas no banco de dados, pois a interpretação deve ser feita de acordo com o negócio. Na rotina de habilitação de empresas para operarem o transporte fretado, há a consulta de multas impeditivas no Sistema de Multas. Verificar e ajustar as validações, pois há divergência entre as informações da rotina de verificação com os relatórios dos SISMULTAS (MULTAS INTERNACIONAIS e PARCELAMENTO).

142 10 Não Escopo Emergencial Cadastramento de Empresas no SISMULTAS Na rotina de habilitação de empresas para operarem o transporte fretado, há a consulta de multas impeditivas no Sistema de Multas, e para que isso ocorra a empresas precisa estar cadastrada no SISMULTAS. Criar rotina para criar registro de empresas no SISMULTAS (caso a mesma não exista) para na consulta de multas impeditivas (SISMULTAS. GERAR NADA CONSTA). Observação: atualmente esse processo é manual Interfaces entre sistemas dos Países do MERCOSUL Há a necessidade de troca de informações automatizadas entre os países do MERCOSUL. Este projeto está sendo acordado no âmbito do SGT-5 (grupo de trabalho relativo ao transporte terrestre). Desenvolver serviços web para troca de informações entre os países do MERCOSUL. Projeto em fase de discussão nas reuniões do SGT-5 Módulo de Registro de Viagens Internacionais Atualmente não existem informações referentes ao Transporte Rodoviário Internacional de Passageiros com origem fora do Brasil. Desenvolver ou ajustar os sistemas existentes se for o caso, módulos de viagens rodoviárias autorizadas de passageiros com origem fora do Brasil. Este sistema deve estar preparado para receber informações via WebService, conforme o projeto de Interfaces entre sistemas dos Países do MERCOSUL SISMONT no ambiente da ANTT Implantação do SISMONT no ambiente da ANTT. O Sistema de Monitoramento de Terminais SISMONT foi desenvolvido pelo Ceftru/Unb e até o presente momento não estava disponibilizado no ambiente da ANTT. Solicita-se que este sistema seja implantado nesta ANTT e que seja disponibilizado para consultas

143 10 Não Escopo Emergencial FUNCIONALIDADE DESCRIÇÃO SubVersion SVN O SVN está no ambiente da ANTT e está sendo utilizado para o controle de documentos e códigos dos produtos do Projeto B. Disponibilização do acesso remoto ao SVN (para o CEFTRU) - Sistema Controle de Versão de Documentos/Código Fonte Alteração no SISMOT Incluir no SISMOT, uma coluna para indicação da data do cadastramento do Motorista neste sistema.

144 SUREG Agosto 2010 Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca

145 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento de Marcos Regulatórios PROJETO Definição de Alternativas Regulatórias para Defesa do Usuário de Concessões Ferroviárias AÇÕES - Usuário com elevado grau de dependência do serviço público de transporte ferroviário de cargas - Operador Ferroviário Independente

146 Definição de Alternativas Regulatórias para Defesa do Usuário de Concessões Ferroviárias AÇÃO: Usuário com elevado grau de dependência do serviço público de transporte ferroviário de cargas SITUAÇÃO ATUAL: Reuniões realizadas com Usuários do serviço, Concessionárias e representantes do setor. Elaborada Nota Informativa sobre casos internacionais. Minuta de Resolução em processo de comentários finais para conclusão e encaminhamento(air e PRG). Incorporado RESULTADO na Resolução / PRODUTOque trata dosprazo direitos OBTENÇÃO dos usuários de ferrovias Minuta de Resolução Audiência Pública Resolução editada Setembro/2010 Janeiro/2011 Fevereiro/2011

147 Definição de Alternativas Regulatórias para Defesa do Usuário de Concessões Ferroviárias AÇÃO: Operador Ferroviário Independente SITUAÇÃO ATUAL: Elaborada Nota Técnica com estudo de viabilidade da implantação do serviço. Realizadas discussões para definição do tipo de serviço a ser prestado. Incorporado na Resolução que trata dos direitos dos usuários de ferrovias RESULTADO / PRODUTO Minuta de Resolução Audiência Pública Resolução editada Dezembro/2010 Janeiro/2011 Março/2011 PRAZO OBTENÇÃO

148 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento Operacional da ANTT PROJETO Aprimoramento de Modelos de Análise de Desempenho de Concessionárias AÇÕES - Revisão dos manuais de contabilidade - Elaboração do Relatório de Acompanhamento do Desempenho Econômico e Financeiro- REAFI

149 Aprimoramento de Modelos de Análise de Desempenho de Concessionárias SITUAÇÃO ATUAL: Revisão dos Manuais de Contabilidade Contratação de consultoria com recursos do Banco Mundial (enviada a SDP às empresas selecionadas). Elaboração do REAFI Coleta de dados contábeis e financeiros do exercício de 2009; Diagramação de Minuta do Relatório. RESULTADO / PRODUTO Finalização do processo de contratação Agosto 2010 Manuais de contabilidade revisados Maio 2011 REAFI (versão I) Agosto 2010 REAFI (versão II) Agosto 2011 Manual REAFI Setembro 2011 PRAZO OBTENÇÃO

150 PROGRAMAS ESTRUTURANTES - ANTT Amigável PROGRAMA PROJETO Realização de Pesquisa de Satisfação dos Usuários dos Serviços Regulados pela ANTT AÇÕES - Desenvolvimento de Metodologia - Aplicação da Pesquisa com Supervisão da Empresa que Desenvolveu a Metodologia

151 Realização de Pesquisa de Satisfação dos Usuários dos Serviços Regulados pela ANTT SITUAÇÃO ATUAL: Banco Mundial solicitou novos ajustes na SDP e a republicação para ampliar participação de empresas internacionais. Revisão do cronograma. Republicação realizada e modificações solicitadas implementadas. Processo aguardando liberação do Banco Mundial para encaminhamento da SDP. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Finalização do processo de contratação Setembro 2010 Apresentação da metodologia Fevereiro 2011 Aplicação da pesquisa Março a Setembro 2011 Entrega da pesquisa e crítica Outubro 2011

152 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento dos Marcos Regulatórios PROJETO Revisão dos Marcos Regulatórios AÇÕES - Revisar os marcos regulatórios de competência da Agência com o objetivo de eliminar contradições, incoerências e incompatibilidades entre normas, tornar expressas as revogações tácitas, consolidando regulamentos setoriais; e - Acompanhar e subsidiar o processo de construção e implementação da Agenda Regulatória da ANTT.

153 Revisão dos Marcos Regulatórios SITUAÇÃO ATUAL: Período para Manifestação de Interesse encerrado em 13 de agosto. Recebidas 15 Manifestações, atualmente em análise pela Comissão de Avaliação. RESULTADO / PRODUTO PRAZO OBTENÇÃO Elaboração do Termo de Referência Maio - Agosto/2010 Licitação Setembro - Outubro/2010 Contratação da Consultoria Novembro/2010 Minutas de Regulamentos Setoriais Janeiro - Fevereiro/2011 Audiências Públicas dos Regulamentos Setoriais Março/2011 Implantação da Agenda Regulatória de 2011 Até dezembro /2011 Avaliação/Revisão da implantação da Agenda Até fevereiro/2012

154 Construção da Agenda Regulatória /2011 Respostas: Unidade Temas TAV/SUEXE 11 SUINF 7 GEROT/SUPAS 14 SUPAS 6 NATAD/SUPAS 1 GEFIS/SUFIS 84 GEROC/SUCAR 10 GEROF/SUCAR 19 GEATO/SUREG 9 GEAFI/SUREG 11 GEDUC/SUREG 3 TOTAL 175

155 PROGRAMAS ESTRUTURANTES PROGRAMA - Aperfeiçoamento Operacional da ANTT PROJETO Implementação da Análise do Impacto Regulatório no âmbito do setor de transportes terrestres regulado pela ANTT.

156 Implementação da Análise de Impacto Regulatório no âmbito do Setor de Transportes Terrestres Regulado pela ANTT SITUAÇÃO ATUAL:Termo de Cooperação Técnica com IPEA publicado no DOU em 20 de agosto. Revisão do Processo de Audiência Pública da ANTT: minuta de Resolução em análise na PRG para abertura de Audiência Pública. RESULTADO / PRODUTO Termo de Cooperação Técnica com IPEA assinado Resolução que dispõe sobre Processo de Participação e Controle Social da ANTT e Manual de Procedimentos Questionário Preliminar de Análise de Impacto Regulatório validado Piloto para desenvolvimento da metodologia de AIR validado com Diretoria Instrumento de Seleção das decisões que necessitam de AIR Relatório de AIR do Projeto Piloto Agosto/2010 Outubro/2010 Setembro/2010 Outubro/2010 Outubro/2010 Janeiro/2011 PRAZO OBTENÇÃO

157 Análise de Impacto Regulatório: Aspectos Gerais

158 AIR - CONCEITO Ferramenta de apoio à decisão que visa contribuir com a análise de prováveis benefícios, custos e efeitos de uma regulação nova ou alteração de uma regulação existente.

159 AIR - FINALIDADE Orientar a regulação aos objetivos pretendidos Melhoria da Qualidade Regulatória Analisar custos, benefícios e outros efeitos da regulação Missão da Agência Alinhar as ações regulatórias com as políticas públicas

160 AIR BOA PRÁTICA Estrutura de coleta de dados Utilização de métodos consistentes porém flexíveis AIR antes da decisão Mecanismos eficazes de participação social Publicação dos resultados

161 AIR BENEFÍCIOS Apoio às decisões Orientação das decisões ao cumprimento das determinações legais e das políticas públicas Reforço da credibilidade do processo regulatório e maximização dos resultados da decisão regulatória Fortalecimento das Agências

162 Análise de Impacto Regulatório: ANTT

ALINHAMENTO DE PROCESSOS COM A ESTRATÉGIA DA ANTT. Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca

ALINHAMENTO DE PROCESSOS COM A ESTRATÉGIA DA ANTT. Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca ALINHAMENTO DE PROCESSOS COM A ESTRATÉGIA DA ANTT Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca novembro 2012 Agenda Apresentação do escopo do projeto Metodologia Gestão de Processos Análise

Leia mais

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PROJETO: Desenvolvimento e Implantação da

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PROJETO: Desenvolvimento e Implantação da 24 de maio de 2011 ASCOM ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PROJETO: Desenvolvimento e Implantação da Política de Comunicação da ANTT Gestor: Geraldo Onézimo de Moura Chefe de Projeto: Yara Rodrigues da

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES Agência Reguladora de Transportes Terrestres Áreas de Atuação da ANTT Exploração da infraestrutura ferroviária Transporte ferroviário de cargas e passageiros

Leia mais

Aperfeiçoar o Marco Regulatório. Aperfeiçoar instrumentos de Outorga. Aperfeiçoar o Processo de Fiscalização. Unificar e Padronizar Procedimentos de

Aperfeiçoar o Marco Regulatório. Aperfeiçoar instrumentos de Outorga. Aperfeiçoar o Processo de Fiscalização. Unificar e Padronizar Procedimentos de AVALIAÇÃO PROGRAMAS ESTRUTURANTES Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca Maio 2010 Assegurar aos usuários adequada prestação de serviços de transporte terrestre e exploração de infraestrutura

Leia mais

EIXO TEMÁTICO Transporte Ferroviário de Cargas. Chefe do Projeto: Fábio Coelho Barbosa

EIXO TEMÁTICO Transporte Ferroviário de Cargas. Chefe do Projeto: Fábio Coelho Barbosa EIXO TEMÁTICO Transporte Ferroviário de Cargas Chefe do Projeto: Fábio Coelho Barbosa EIXO TEMÁTICO - Transporte Ferroviário de Cargas Pactuação e Repactuação de Metas por Trecho Pactuação e Repactuação

Leia mais

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA SEMINÁRIO INTERNACIONAL CONCESSÃO DE AEROPORTOS ATUAÇÃO DO TCU NO ACOMPANHAMENTO DE CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA Francisco Giusepe Donato Martins Secretaria de Fiscalização de Desestatização

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela

Leia mais

BRASIL FRET e 16º ENCONTRO DAS EMPRESAS DE FRETAMENTO E TURISMO. A nova regulamentação do fretamento interestadual

BRASIL FRET e 16º ENCONTRO DAS EMPRESAS DE FRETAMENTO E TURISMO. A nova regulamentação do fretamento interestadual BRASIL FRET e 16º ENCONTRO DAS EMPRESAS DE FRETAMENTO E TURISMO A nova regulamentação do fretamento interestadual 21 de outubro de 2015 Agência Nacional de Transportes Terrestres Áreas de Atuação: TRANSPORTE

Leia mais

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 OCORRÊNCIA 2006 M OCORRÊNCIA 2007 OCORRÊNCIA 2008 SUMÁRIO 1) Histórico 2) Instrução Normativa IBAMA n.º 05/2012

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22 ÍNDICE Introdução 2 Missão 4 Visão de Futuro 5 Objetivos Estratégicos 6 Mapa Estratégico 7 Metas, Indicadores e Ações 8 Considerações Finais 22 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico do Supremo Tribunal de Federal,

Leia mais

4. Aspectos Metodológicos do Modelo Funcional. 5. Aspectos Metodológicos do Modelo de Remuneração

4. Aspectos Metodológicos do Modelo Funcional. 5. Aspectos Metodológicos do Modelo de Remuneração RA DA APRES ENTAÇ ÃO ES STRUTU 1. Embasamento Legal 2. Serviços a licitar 3. Premissas 4. Aspectos Metodológicos do Modelo Funcional 5. Aspectos Metodológicos do Modelo de Remuneração Embasamento Legal

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS PROGRAMA PROREDES BIRD - RS TERMO DE REFERÊNCIA Nº TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA COM VISTAS À DEFINIÇÃO, ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA PARA O DEPARTAMENTO

Leia mais

Coordenação Elisabeth Braga (Superintendente de Gestão SUDEG)

Coordenação Elisabeth Braga (Superintendente de Gestão SUDEG) Missão Diretoria Diretor Geral Bernardo Figueiredo Diretores Ivo Borges de Lima Jorge Luiz Macedo Bastos Mario Rodrigues Júnior Coordenação Elisabeth Braga (Superintendente de Gestão SUDEG) Elaboração

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes

Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes Estratégia Unindo Ações OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Fortalecer a capacidade de planejamento buscando o alinhamento das esferas de governo e sociedade Incorporar

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 GESPÚBLICA Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 Resultados Decisões Estratégicas Informações / Análises O PROCESSO DE GESTÃO ESTRATÉGICA Ideologia Organizacional Missão, Visão,Valores Análise do Ambiente

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 847/2008 (atualizada até a Resolução de Mesa nº 951, de 3 de novembro de 2009) Regulamenta a

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

O NOVO MODELO DE CONCESSÃO DE FERROVIAS

O NOVO MODELO DE CONCESSÃO DE FERROVIAS O NOVO MODELO DE CONCESSÃO DE FERROVIAS REGULAÇÃO DO OPERADOR FERROVIÁRIO INDEPENDENTE (OFI) EXPOSIÇÃO NA CTLOG / MAPA BRASÍLIA, 07 DE MAIO DE 2014 Luis Henrique T. Baldez Presidente Executivo OBJETIVOS

Leia mais

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti Contratação de Serviços de TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti O antigo modelo de contratação de serviços de TI 2 O Modelo antigo de contratação de serviços de TI Consiste na reunião de todos

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

1 O que é a Autorização Ambiental para Transporte de Produtos Perigosos?

1 O que é a Autorização Ambiental para Transporte de Produtos Perigosos? 1 O que é a Autorização Ambiental para Transporte de Produtos Perigosos? A Autorização Ambiental para Transporte de Produtos Perigosos é um documento emitido pelo Ibama e obrigatório desde 10 de junho

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR PROGRAMA DE MUNICIPALIZAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR É com satisfação que a Fundação Procon/SP apresenta o novo Programa de Municipalização que tem como objetivo fortalecer o Sistema Estadual

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1/2015 TERMO DE REFERÊNCIA PARA REALIZAR A AUTOMATIZAÇÃO DA ANÁLISE DOS PROCESSOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO CEARÁ. SUMÁRIO Objetivo da contratação...2

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Secretaria Geral RESOLUÇÃO Nº 052/2011, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. 31 de julho de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. 31 de julho de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL 31 de julho de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup. INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16 Telemarketing Ativo Origem: Diretoria Superintendência Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso Instrução Normativa: 14.16/08-01 Revisão nº 0102

Leia mais

Atividade 1 - Análise

Atividade 1 - Análise PARTE 1 Introdução A continuidade do Programa Nacional de Controle Eletrônico de Velocidade, em uma nova versão, está sendo discutida pelos diversos atores envolvidos, especialmente os técnicos do DNIT

Leia mais

Domínio E: Celeridade e Tempestividade

Domínio E: Celeridade e Tempestividade Domínio E: Celeridade e Tempestividade 10 Agilidade no julgamento de processos e gerenciamento de prazos pelos Tribunais de Contas (4 domínios) 11 Controle externo concomitante (preventivo) (4 domínios)

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS

Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS ESPEDITO SALES e CLELIA MAROUELLI Especialista em Regulação A AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS Criada

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

ANEXO À PORTARIA Nº 2975, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. AGENDA REGULATÓRIA DA ANAC PARA O BIÊNIO 2015-2016

ANEXO À PORTARIA Nº 2975, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. AGENDA REGULATÓRIA DA ANAC PARA O BIÊNIO 2015-2016 ANEXO À PORTARIA Nº 2975, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2014. AGENDA REGULATÓRIA DA ANAC PARA O BIÊNIO 2015-2016 de Tema Certificação basea em performance para organizações de projeto de aeronaves. Atualização

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

ANEXO VII APRESENTAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE MACROPROCESSOS E DE SISTEMAS INFORMATIZADOS

ANEXO VII APRESENTAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE MACROPROCESSOS E DE SISTEMAS INFORMATIZADOS ANEXO VII APRESENTAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE MACROPROCESSOS E DE SISTEMAS INFORMATIZADOS Avaliação de risco nas Agências Reguladoras Uma iniciativa para aprimorar o intercâmbio de informações Agência Nacional

Leia mais

GesANTT PLANO DO PROJETO EPP.PP.01 1.1. ProPass Brasil Projeto da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros

GesANTT PLANO DO PROJETO EPP.PP.01 1.1. ProPass Brasil Projeto da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros 1 Nome do Projeto ProPass Brasil Projeto da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros 2 Chefe do Projeto Maria Ângela Cavalcanti Oliveira 3 Gestor do Projeto Sonia

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

Todo processo de elaboração desse Planejamento Estratégico foi conduzido segundo as etapas especificadas abaixo:

Todo processo de elaboração desse Planejamento Estratégico foi conduzido segundo as etapas especificadas abaixo: Agenda Estratégica Apresentação Seja bem vindo à Agenda Estratégica da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. Aqui você encontrará informações sobre o processo de formulação do Planejamento Estratégico

Leia mais

PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA

PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA INSTITUTO BESC PAINEL 2015 LUIS HENRIQUE T. BALDEZ Presidente Executivo BRASÍLIA, 07/10/2015 A INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA ESQUEMA DE ANÁLISE RODOVIAS

Leia mais

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA

CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA CADERNO DE DESCRIÇÕES DE CARGOS FÁBRICA REVISÃO DOS DADOS 04 RELAÇÃO DE CARGOS Auxiliar de Montagem Montador Supervisor de Produção Técnico de Programação da Produção Coordenador de Produção IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 78 Assegurar às autarquias, fundações, empresas

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

CONCESSÃO DE RODOVIA. Regulação da Concessão de Rodovias Federais

CONCESSÃO DE RODOVIA. Regulação da Concessão de Rodovias Federais Regulação da Concessão de Rodovias Federais 1ª ETAPA 2ª ETAPA FASE I 2ª ETAPA FASE II 3ª ETAPA FASE I 3ª ETAPA FASE II Década de 60 e 70 -Rodovia Presidente Dutra; Histórico -Freeway entre Porto Alegre

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO)

PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO) PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. SAUDE VAGAS: 08 (OITO) Os currículos e as fichas de cadastro deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE CONGRESSOS, EXPOSIÇÕES,

Leia mais

PORTARIA Nº 488, DE 22 DE MAIO DE 2012

PORTARIA Nº 488, DE 22 DE MAIO DE 2012 PORTARIA Nº 488, DE 22 DE MAIO DE 2012 Business Online Comunicação de Dados Disciplina a distribuição da competência para licitação e contratação entre a Administração Central e as respectivas Superintendências

Leia mais

Processo nº 228.943-03/DER/2000-2º Volume DTM-SUP/DER-006-20/08/2003 Institui banco de dados digitalizado de DETERMINAÇÕES emitidas pela SUP. (1.

Processo nº 228.943-03/DER/2000-2º Volume DTM-SUP/DER-006-20/08/2003 Institui banco de dados digitalizado de DETERMINAÇÕES emitidas pela SUP. (1. Processo nº 228.943-03/DER/2000-2º Volume DTM-SUP/DER-006-20/08/2003 Institui banco de dados digitalizado de DETERMINAÇÕES emitidas pela SUP. (1.6) SENHORES CHEFE DE GABINETE, DIRETORES DE DEPARTAMENTO,

Leia mais

PLANO SETORIAL DE TRANSPORTE E DE MOBILIDADE URBANA PARA MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - TRANSPORTE DE CARGAS

PLANO SETORIAL DE TRANSPORTE E DE MOBILIDADE URBANA PARA MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - TRANSPORTE DE CARGAS PLANO SETORIAL DE TRANSPORTE E DE MOBILIDADE URBANA PARA MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS - TRANSPORTE DE CARGAS Rio de Janeiro 11 de Dezembro de 2012 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PSTM - Lei 12.187/2009,

Leia mais

São Paulo Transportes S.A - SPTrans. Reunião de Planejamento Março/2014

São Paulo Transportes S.A - SPTrans. Reunião de Planejamento Março/2014 São Paulo Transportes S.A - SPTrans Reunião de Planejamento Março/2014 A EY é líder global em serviços de Auditoria, Impostos, Transações Corporativas e Consultoria. Em todo o mundo, nossos 165 mil colaboradores

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Seminário Ouvidoria Pública: Participação Social e Gestão Pública. Ouvidorias no Setor Regulado: Práticas e Resultados ANEEL

Seminário Ouvidoria Pública: Participação Social e Gestão Pública. Ouvidorias no Setor Regulado: Práticas e Resultados ANEEL Seminário Ouvidoria Pública: Participação Social e Gestão Pública Ouvidorias no Setor Regulado: Práticas e Resultados ANEEL Aspectos Institucionais Ouvidoria Setorial, Ouvidoria Institucional e LAI Estrutura

Leia mais

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP OUTUBRO, 2002 ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP - APU INTRODUÇÃO A Associação

Leia mais

Apresentação sobre a Reestruturação do Setor de Transportes no Brasil, com Ênfase para o Modal Rodoviário

Apresentação sobre a Reestruturação do Setor de Transportes no Brasil, com Ênfase para o Modal Rodoviário MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES Reestruturação do Setor de ESTRUTURA Transportes DE Apresentação sobre a Reestruturação do Setor de Transportes no, com

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013 Procuradoria Regional da República da 1 Região Painel de Contribuição. ATIVIDADES (como fazer?)

PLANO DE AÇÃO 2013 Procuradoria Regional da República da 1 Região Painel de Contribuição. ATIVIDADES (como fazer?) Reunir com o Gabinete do Procurador-Chefe, para apresentação da metodologia de trabalho março, Anna e Vânia Castro Consolidar a lista de procedimentos e rotinas que serão mapeadas em toda a PRR1 1 "Mapear

Leia mais

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos

Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Política Portuária Nacional e Programa de Arrendamentos Antonio Henrique P. Silveira Ministro-Chefe da Secretaria de Portos Comissão de Fiscalização Financeira e Controle 10/jun/2014 Novo Marco do Setor

Leia mais

6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL

6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL O processo de implantação do Plano de Articulação Institucional (PAI) foi objeto de releitura, a partir da emissão do Ofício 02001.009795/2013-60 GABIN/PRESI/IBAMA,

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração Anexo T Projetos Estratégicos Institucionais 1 Projetos Estratégicos da UnB 1 O processo de modernização da gestão universitária contempla projetos estratégicos relacionados à reestruturação organizacional

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010

RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009. DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010 RESOLUÇÃO CONAMA Nº 418, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2009 DOU 26.11.2009, republic. em 23.04.2010 Dispõe sobre critérios para a elaboração de Planos de Controle de Poluição Veicular-PCPV e para a implantação

Leia mais

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP

Ficha Técnica. Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Referência Ficha Técnica Plano de comunicação Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 29 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Elaboração Projeto ART e Acervo Técnico - Equipe

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Atuação do BNDES na Estruturação e Financiamento de concessões/ppps. Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015

Atuação do BNDES na Estruturação e Financiamento de concessões/ppps. Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015 Atuação do BNDES na Estruturação e Financiamento de concessões/ppps Rio de Janeiro, 25 de setembro de 2015 Roteiro 1. Área de Estruturação de Projeto do BNDES - AEP 2. Financiamento de PPPs pela Área Social

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

I Seminário de Licitações e Contratos do DNIT

I Seminário de Licitações e Contratos do DNIT I Seminário de Licitações e Contratos do DNIT PALESTRA: ANÁLISE JURÍDICA EM LICITAÇÕES E CONTRATOS Objetivos - Apresentar: A PFE/DNIT e sua forma de atuação; Boas práticas, em matéria de licitações e contratos;

Leia mais

Farol dos Projetos Estratégicos Assessoria de Planejamento. Brasília ǀ 24 de outubro de 2012

Farol dos Projetos Estratégicos Assessoria de Planejamento. Brasília ǀ 24 de outubro de 2012 Estratégicos Assessoria de Planejamento Brasília ǀ 24 de outubro de 2012 Mapa Estratégico Missão Assegurar à sociedade a adequada prestação de serviços de transporte aquaviário e de exploração da infraestrutura

Leia mais

Como o TCU vem implantando a governança de TI

Como o TCU vem implantando a governança de TI Como o TCU vem implantando a governança de TI Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI - Assig - Marisa Alho Chefe de Assessoria Assessoria de Segurança da Informação e Governança de TI

Leia mais

AÇÕES DE RESPOSTA: VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL

AÇÕES DE RESPOSTA: VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL AÇÕES DE RESPOSTA: VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL 1. Conceito Por Aramis Cardoso A Vigilância em Saúde Ambiental é definida como o conjunto de ações que proporcionam o conhecimento e a detecção de qualquer

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA. ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA. ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010 PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010 SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO: Indicador: Percentual de órgãos com estrutura de equipamentos adequada. Meta: 79, 24% Melhorar a estrutura

Leia mais

Monitoramento e Avaliação Estratégica

Monitoramento e Avaliação Estratégica Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento PNQS Inovação da Gestão em Saneamento IGS Monitoramento e Avaliação Estratégica 2012 1 ORGANOGRAMA Diretoria da Presidência Diretoria Administrativa Diretoria

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

Modernização da Gestão Administrativa. Ministério Público Federal - MPF. Produto 6.3 Relatório do Manual de Operação e Governança Volume 1/7

Modernização da Gestão Administrativa. Ministério Público Federal - MPF. Produto 6.3 Relatório do Manual de Operação e Governança Volume 1/7 Ministério Público Federal - MPF Modernização da Gestão Administrativa Produto 6.3 Relatório do Manual de Operação e Governança Volume 1/7 Rio de Janeiro, 15 de setembro de 2011 2 Proposta de Prestação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO AN EXO II I DE SCRI ÇÃO DOS CARGOS 1. DF - DIRETORIA FERROVIÁRIA 1.1 Analista Ferroviário (Expediente / Assistência Jurídica) Atividades de nível superior relacionadas com a preparação de correspondência

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL EIXO: ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E INOVAÇÃO Objetivos Específicos

Leia mais

Esfera Fiscal. Subfunção Administração Geral

Esfera Fiscal. Subfunção Administração Geral Governo do do Amazonas Secretaria de de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN Sistema de Planejamento, Orçamento e Gestão do do Amazonas SPLAM Pág. 3 de 2001 - da 25000 - Secretaria de de Infraestrutura

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil

Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil Desafios Regulatórios: Visão dos Reguladores Fernando Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Brasília, 29 de novembro de 2006

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.127, DE 09 DE FEVEREIRO DE 1998. (atualizada até a Lei nº 12.239, de 19 de janeiro de 2005) Institui o Sistema

Leia mais

RH Estratégico na Administração Pública Implementando um modelo de gestão de pessoas focado nas metas e objetivos do órgão

RH Estratégico na Administração Pública Implementando um modelo de gestão de pessoas focado nas metas e objetivos do órgão RH Estratégico na Administração Pública Implementando um modelo de gestão de pessoas focado nas metas e objetivos do órgão Brasília, 29 de agosto de 2006. HISTÓRICO DA DIGEP: SITUAÇÃO ANTERIOR Competências

Leia mais

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO

ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL - ESPECIALISTA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/DESENVOLVIMENTO Requisitos: graduação em qualquer curso da área de Tecnologia da Informação - Elaborar

Leia mais

Modelo de Gestão por Processos da Anatel

Modelo de Gestão por Processos da Anatel Modelo de Gestão por Processos da Anatel 1º Evento de Intercâmbio em Planejamento & Gestão das Agências Reguladoras 03 de abril de 2009 Superintendência de Administração-Geral - SAD Gerência-Geral de Talentos

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Ministério do Meio Ambiente Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência:VERSÃO LIMPA 5 a Reunião do GRUPO DE TRABALHO Data: 26 e 27 de outubro de 2006 Processos n 02001.001037/02-98 e 02001.000597/2004-40

Leia mais